Gerência de Nutrição/SAS/SES-DF

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Gerência de Nutrição/SAS/SES-DF"

Transcrição

1 Gerência de Nutrição/SAS/SES-DF Coordenação de Alimentação e Nutrição do DF

2 Apresentação da Equipe Estadual Estado: Distrito Federal SES/DF Gerência de Nutrição Coordenadora: Mariana Martins Coord. de Nutrição em AB Equipe técnica: Adriana Haack Gerente Fernanda Queiroz Coord. PBF Regina Barros Coord. SISVAN Mônica Altaf Coord. PNSF Adriani Tiussi Coord. Nutrição Clínica Carolina Cunha Coord. Nutrição Enteral Tatiane Lopes Coord. Fiscalização de Produção

3 Contextualização da Gerência de Nutrição na estrutura e organograma da Secretaria de Estado de Saúde do DF SES/DF SAS SAPS DIASE GENF GENUT GEO GESS GEH DIASF DIURE

4 Ações programadas e executadas em 2010 Nome MEMO nº Data de saída da GENUT em: Fonte Valor R$ Proces so nº Localização Anteiror Localização Atual (Segundo SICOF) Motivo p/ devolução do processo p/ a GENUT, conforme o órgão competente Reprodução de materiais educativos em Alimentação e Nutrição (Aquisição de Material Reprográfico) 312/ /jul/ , /2009 CMNH/ DISM Devolvido à GENUT em 25/10/2010 falta proposta de empresas Aquisição de KITS de antropometria 311/ /jul/ , /2009 NCP/GEOF Devolvido à GENUT em 07/07/2010 equipamentos entregues Aquisição de Equipamentos de Informática 310/ /jul/ , /2009 UAG UAG pregão 460 para aquisição de datashow e tela de projeção em andamento Aquisição de Trenas Antropométricas 421/2009 2/set/ , ARQUIVADO Devolvido à GENUT equipamentos entregues Oficina VAN 308/ /jul/ , / 2010 FEPECS/ CODEP Devolvido à GENUT falta proposta de empresas Seminário Alimentação e Nutrição 309/ /jul/ , /2009 FEPECS/ CODEP Devolvido à GENUT para arquivo em 24/11/2010 falta proposta de empresas Total Planejado: ,00

5 Ações programadas para o período Metas Cadastradas Ações da Meta Status Período Meta 1: Fortalecer parcerias intersetoriais para a implementação de ações do Programa Saúde na Escola (PSE); Meta 2: Aumentar a cobertura de registros de acompanhamento das condicionalidades de setor saúde das famílias beneficiárias do Programa Bolsa família (PBF); Meta 3: Aumentar gradmente o número de registros do estado nutricional e situação alimentar da população do DF no Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (SISVAN); Meta 4: Divulgar os princípios da alimentação saudável para a população do DF, com ênfase na prevenção e no controle da obesidade e outras doenças e agravos relacionados à nutrição; Meta 5: Fortalecer a gestão do Propgrama Nacional de suplementação de Ferro (PNSF) no âmbito da SES/DF e promover linhas de investigação e pesquisa relacionadas à deficiência de ferro; Meta 6: Reestruturação das ações de alimentação e nutrição na Atenção Básica Capacitar os profissionais de saúde responsáveis pelo PSE na utilização do SISVAN para realizar o diagnóstico do perfil nutricional dos escolares atendidos; Projeto de hortas escolares; 1.2. Trabalho interinstitucional para realização de atividades educs com a comunidade escolar; 1.3. Orientar os administradores das cantinas escolares sobre as legislações vigentes a respeito da alimentação saudável nas escolas; 1.4. Sensibilizar os nutricionistas da Secretaria de Estado de Educação (SEE/DF) responsáveis pela merenda escolar a realizarem suas atividades sob a ótica do PSE, ampliando o escopo de ações para a promoção da alimentação saudável nas escolas Capacitação das Equipes de saúde com relação ás condicionalidades de saúde a serem acompanhadas e na utilização do sistema-web Capacitação dos nutricionistas da Atenção Básica para o planejamento e gestão do acompanhamento das famílias beneficiárias; 2.3. Divulgação aos beneficiários da importância do acompanhamento das condicionalidades do setor saúde Compra e distribuição de equipamentos antropométricos científicos portáteis (balança, estadiômetro, trena) para as Equipes de saúde; 3.2. Capacitação das Equipes de saúde em antropómetria e coleta de dados com base no formulário do SISVAN e normas técnicas; 3.3. Implementar a coleta de dados e registros do estado nutricional/situação alimentar da população do DF no SISVAN como rotina nos Centros de Saúde/Equipes de Saúde Capacitação e incentivo ao registro de dados relacionados à alimentação e nutrição; 4.2. Avaliação do impacto das ações de alimentação e nutrição; 1.Capacitação dos nutricionistas da Atenção Básica no planejamento das ações de alimentação e nutricao baseadas no perfil alimentar e nutricional da população; 4.4. Elaboração e confecção de materiais educativos, estabelecidos de acordo com o perfil epidemilógico da população do DF Incentivar o aumento do registro dos marcadores de consumo (crianças menores de dois anos) no Sisvan para auxiliar na sinalização de carências nutricioniais, tais como a anemia; 5.2. Capacitar os profissionais da Atenção Básica envolvidos no PNSF para a relevancia do Programa e no aumento da cobertura; 5.3. Promover parceria com universidades de Nutrição do DF para criar linhas de investigação e pesquisa a respeito das deficiências de micronutrientes e determinantes. Meta Meta Meta Meta Meta 6.1. Elaborar protocolos de atendimento da Nutrição na Atenção Básica; Meta

6 Relatório Financeiro do /2010 Programa de Governo Execução orçamentária e financeira Ação/ Subtítulo 0001 Ações de Alimentação e Nutrição em Atenção Primária. Dotação Inicial Dotação Autorizada Empenhado Alimentação e Nutrição em Atenção Primária Liquidado Nº Etapa SAG Superávit Financeiro do exercício de 2010 Fonte Denominação Valor (R$) Programa de Financiamento das Ações de Alimentação e Nutrição

7 Dificuldades enfrentadas 2010 X Desafios para 2011 Com relação aos recursos do, as maiores dificuldades têm sido os entraves administrativos relativos à tramitação dos projetos básicos das ações de A&N planejadas; Em 2010, particularmente, o ano eleitoral dificultou ainda mais a tramitação dos processos para gasto dos recursos do, bem como acarretou a não priorização da nutrição nos gastos da SES-DF As ações de A&N na Atenção Primária à Saúde foram planejadas ao final de 2010 sem dificuldades pela GENUT, conforme quadro apresentado. O intuito é conseguir mais apoio da nova gestão política para conseguir aplicar os recursos do conforme esse planejamento.

8 Plano Plurianual PPA A GENUT vem acompanhando as reuniões de construção do PPA junto ao poder executivo do estado, porém ainda sem um convite formal; Além da previsão orçamentária do já apresentada, a GENUT tem programado para 2011 os seguintes gastos com as demais áreas de atuação da GENUT: - Coordenação de Produção e Fiscalização de Alimentos - fiscaliza os gastos da SES-DF com a produção e distribuição de alimentos nos hospitais da Rede de Saúde do DF; - Coordenação de Nutrição Enteral Domiciliar - R$ ,00/ano.

9 Controle Social Conselho Estadual de Saúde Comissão Intersetorial de Alimentação e Nutrição - CIAN A GENUT participa das reuniões do CONSEA_DF e do Conselho de Saúde do DF, bem como os nutricionistas da Atenção Primária à Saúde do DF participam dos conselhos de saúde das regionais. No entanto, ultimamente, as discussões não têm focado assuntos relativos à A&N; A implantação da CIAN no DF ainda carece de atenção.

10 Estratégia Nacional de Promoção da Alimentação Complementar Saudável Com o objetivo de monitorar a capilaridade da ENPACS solicitamos as seguintes informações: Implementaram a ENPACS? Sim Número de oficinas realizadas: 01 (novembro de 2009) Número de tutores formados: 24 (5 UBS) Número de UBS que foram envolvidas em Rodas de Conversa: - Sobradinho (3 UBS) - Paranoa (1 UBS) - Nova oficina planejada para setembro de 2011

Equipe Estadual. Coordenador (a): Adriana Bouças Ribeiro. Equipe técnica: Técnicos da Divisão de DCNT

Equipe Estadual. Coordenador (a): Adriana Bouças Ribeiro. Equipe técnica: Técnicos da Divisão de DCNT ESTADO DE SÃO PAULO Equipe Estadual Coordenador (a): Adriana Bouças Ribeiro Equipe técnica: Técnicos da Divisão de DCNT Contextualização da Coordenação na estrutura e organograma da Secretaria de Estado

Leia mais

Coordenação-Geral de Alimentação e Nutrição. Brasília, junho de 2015

Coordenação-Geral de Alimentação e Nutrição. Brasília, junho de 2015 Coordenação-Geral de Alimentação e Nutrição Brasília, junho de 2015 Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A Mapa da cobertura de suplementação de vitamina A para crianças de 6 a 11 meses, em

Leia mais

Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional SISVAN WEB Vilma Ramos de Cerqueira Gestão em Sistemas de Saúde

Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional SISVAN WEB Vilma Ramos de Cerqueira Gestão em Sistemas de Saúde Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional SISVAN WEB Vilma Ramos de Cerqueira Gestão em Sistemas de Saúde OBJETIVOS DO SISVAN I -Fornecer informação contínua e atualizada sobre a situação alimentar

Leia mais

Balanço de ações da CGAN em 2011 e perspectivas para 2012

Balanço de ações da CGAN em 2011 e perspectivas para 2012 Balanço de ações da CGAN em 2011 e perspectivas para 2012 BALANÇO 2011 PNAN aprovação na CIT: 27/10 publicação da Portaria nº 2715, de 17 de novembro de 2011 Elaboração do PPA 2012-2015: PNAN está expressa

Leia mais

FACULDADE SANTA TEREZINHA - CEST COORDENAÇÃO DO CURSO DE NUTRIÇÃO PLANO DE ESTÁGIO

FACULDADE SANTA TEREZINHA - CEST COORDENAÇÃO DO CURSO DE NUTRIÇÃO PLANO DE ESTÁGIO FACULDADE SANTA TEREZINHA - CEST COORDENAÇÃO DO CURSO DE NUTRIÇÃO PLANO DE ESTÁGIO 2013.1 DADOS DO ESTÁGIO CÓDIGO ÁREA CARGA HORÁRIA PERÍODO HORÁRIO Nutrição Social 230h 7 7h30 às 12h30 SUPERVISOR(A) Eliete

Leia mais

-PNAN - Portaria Estatuto da criança e do adolescente -PCNs

-PNAN - Portaria Estatuto da criança e do adolescente -PCNs -PNAN - Portaria 1.010 - Estatuto da criança e do adolescente -PCNs Alimentação Escolar Aline Guimarães Nutricionista - CECANE UnB PNAN Política Nacional de Alimentação e Nutrição Alimentação escolar PNAN

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE Apoio: Núcleo de Economia da Saúde PB Departamento de Economia da Saúde, Investimentos e Desenvolvimento/SE/MS -DESID/MS; Governo do Estado da Paraíba: DECRETO nº 33.766,

Leia mais

Avaliação do repasse anual fundo a fundo para a estruturação e implementação das ações de Alimentação e Nutrição no SUS

Avaliação do repasse anual fundo a fundo para a estruturação e implementação das ações de Alimentação e Nutrição no SUS Avaliação do repasse anual fundo a fundo para a estruturação e implementação das ações de Alimentação e Nutrição no SUS BRASÍLIA DF 2015 Equipe Coordenação Maria Fabiana Damásio Passos, FIOCRUZ Leonor

Leia mais

PROJETO VIDA NO TRÂNSITO PARANÁ

PROJETO VIDA NO TRÂNSITO PARANÁ PROJETO VIDA NO TRÂNSITO PARANÁ PACTO NACIONAL PELA REDUÇÃO DE ACIDENTES NO TRÂNSITO Ação do Governo Federal, lançada em 11/05/2011 pelos Ministérios da Saúde e das Cidades; Resposta brasileira à demanda

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE RIBEIRÃO PRETO Secretaria da Saúde

PREFEITURA MUNICIPAL DE RIBEIRÃO PRETO Secretaria da Saúde PREFEITURA MUNICIPAL DE RIBEIRÃO PRETO Secretaria da Saúde PAPEL DA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE NO PROGRAMA BOLSA FAMILIA A Secretaria Municipal de Saúde deverá conforme Art. 14 do Decreto n.º 5.209,

Leia mais

MATRICIAMENTO PELOS NÚCLEOS DE APOIO À SAÚDE DA FAMÍLIA

MATRICIAMENTO PELOS NÚCLEOS DE APOIO À SAÚDE DA FAMÍLIA MATRICIAMENTO PELOS NÚCLEOS DE APOIO À SAÚDE DA FAMÍLIA INTRODUÇÃO Neste Caso Didático vamos relatar a experiência de organização dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF) de um município de grande

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DA VIGILÂNCIA ALIMENTAR E NUTRICIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA PERFIL DA GESTÃO DA UNIDADE DE SAÚDE

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DA VIGILÂNCIA ALIMENTAR E NUTRICIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA PERFIL DA GESTÃO DA UNIDADE DE SAÚDE QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DA VIGILÂNCIA ALIMENTAR E NUTRICIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA PERFIL DA GESTÃO DA UNIDADE DE SAÚDE IDENTIFICAÇÃO DO QUESTIONÁRIO (ID) [ ] ( ) Questionário [ ] ( ) Entrevistador (bolsista)

Leia mais

ESTRATÉGIA NACIONAL PARA ALIMENTAÇÃO COMPLEMENTAR SAUDÁVEL (ENPACS): AVALIAÇÃO DA RODA DE CONVERSA POR PROFISSIONAIS DE SAÚDE DA ATENÇÃO BÁSICA.

ESTRATÉGIA NACIONAL PARA ALIMENTAÇÃO COMPLEMENTAR SAUDÁVEL (ENPACS): AVALIAÇÃO DA RODA DE CONVERSA POR PROFISSIONAIS DE SAÚDE DA ATENÇÃO BÁSICA. ESTRATÉGIA NACIONAL PARA ALIMENTAÇÃO COMPLEMENTAR SAUDÁVEL (ENPACS): AVALIAÇÃO DA RODA DE CONVERSA POR PROFISSIONAIS DE SAÚDE DA ATENÇÃO BÁSICA. ESTRATÉGIA NACIONAL PARA ALIMENTAÇÃO COMPLEMENTAR SAUDÁVEL

Leia mais

PREFEITURA DE MONTES CLAROS SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL Centro de Referência de Assistência Social PLANO ANUAL DE AÇÃO 2015

PREFEITURA DE MONTES CLAROS SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL Centro de Referência de Assistência Social PLANO ANUAL DE AÇÃO 2015 CRAS: Maracanã COORDENADOR(A): Eliana de Araújo Vieira PREFEITURA DE MONTES CLAROS PLANO ANUAL DE AÇÃO 2015 QUADRO I Atividades de fortalecimento dos vínculos familiares e comunitários: Objetivo Atividades

Leia mais

II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação

II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação 25 de maio de 2016 EIXO 1: PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Dimensão 8: Planejamento e avaliação Fragilidades Melhorar as reuniões da CPA e reestruturar

Leia mais

APOIO MATRICIAL COMO FERRAMENTA PARA INSERÇÃO DA SAÚDE DO TRABALHADOR NA ATENÇÃO BÁSICA DO MUNICÍPIO DE BETIM/MG

APOIO MATRICIAL COMO FERRAMENTA PARA INSERÇÃO DA SAÚDE DO TRABALHADOR NA ATENÇÃO BÁSICA DO MUNICÍPIO DE BETIM/MG APOIO MATRICIAL COMO FERRAMENTA PARA INSERÇÃO DA SAÚDE DO TRABALHADOR NA ATENÇÃO BÁSICA DO MUNICÍPIO DE BETIM/MG BETIM Localização: 30 Km de Belo Horizonte. É um dos principais polos de concentração Industrial

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº 2/2016-CVN/GVE/SUVISA. Em 23 de agosto de 2016

NOTA TÉCNICA Nº 2/2016-CVN/GVE/SUVISA. Em 23 de agosto de 2016 SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE GERÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA NUTRICIONAL NOTA TÉCNICA Nº 2/2016-CVN/GVE/SUVISA Em 23 de agosto de 2016 ASSUNTO: Operacionalização

Leia mais

ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ORGANOGRAMA

ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ORGANOGRAMA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ORGANOGRAMA ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DAS ATIVIDADES ESTÁGIOSUPERVISIONADO INTEGRADO AO TRABALHO DE CURSO Colegiado: -Validar o

Leia mais

OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO Comissão de Educação da Câmara dos Deputados VII Seminário Regional - MA Coordenador: Dep. Pinto da Itamaraty

OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO Comissão de Educação da Câmara dos Deputados VII Seminário Regional - MA Coordenador: Dep. Pinto da Itamaraty OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO Comissão de Educação da Câmara dos Deputados VII Seminário Regional - MA Coordenador: Dep. Pinto da Itamaraty PARTE 1 IDENTIFICAÇÃO DA EXPERIÊNCIA NOME DA INSTITUIÇÃO/ESCOLA/REDE:

Leia mais

DEPARTAMENTO LEGISLATIVO DA CÂMARA MUNICIPAL DE fortaleza, em iç" de ckr~uj. de 2011.

DEPARTAMENTO LEGISLATIVO DA CÂMARA MUNICIPAL DE fortaleza, em iç de ckr~uj. de 2011. INDICAÇÃO No02 5/_1_2_~ 11~ "Dispõe sobre a criação do Cargo de Coordenador de Creches no Município de Fortaleza e dá outras providências." o Vereador abaixo signatário, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

Edital VC 002/2011 EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO PARA APRESENTAÇÃO DE CURRÍCULOS DE CANDIDATOS PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS:

Edital VC 002/2011 EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO PARA APRESENTAÇÃO DE CURRÍCULOS DE CANDIDATOS PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS: Edital VC 002/2011 EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO PARA APRESENTAÇÃO DE CURRÍCULOS DE CANDIDATOS PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS: Modalidade Produto Área de Ciências Humanas e Direitos Humanos SELECIONA CURRÍCULOS

Leia mais

Apresentação da Coordenação. Estadual de Alimentação e Nutrição. do Estado do Paraná

Apresentação da Coordenação. Estadual de Alimentação e Nutrição. do Estado do Paraná Apresentação da Coordenação Estadual de Alimentação e Nutrição do Estado do Paraná Apresentação da Equipe Estadual Estado: PARANÁ Coordenadora: ADRIANE LEANDRO Equipe técnica: ADRIANE LEANDRO CÉLIA RATIGUIERI

Leia mais

Hospital de Clínicas da UFTM. Macroproblema 1: falta de gestão adequada

Hospital de Clínicas da UFTM. Macroproblema 1: falta de gestão adequada Hospital de Clínicas da UFTM Macroproblema 1: falta de gestão adequada 2016 MP1. Falta de gestão adequada NC1. Falta de um projeto de comunicação interna NC2. Falta de fluxos e rotinas administrativas

Leia mais

ANEXO I ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS FMIG 2016

ANEXO I ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS FMIG 2016 ANEXO I ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS FMIG 2016 Cada projeto deve conter no máximo 20 páginas 1. APRESENTAÇÃO Faça um resumo claro e objetivo do projeto, considerando a situação do idoso, os dados

Leia mais

Orientações para Construção do Projeto Político Pedagógico. Lílian Lessa Andrade Lino

Orientações para Construção do Projeto Político Pedagógico. Lílian Lessa Andrade Lino Orientações para Construção do Projeto Político Pedagógico Lílian Lessa Andrade Lino Objetivos Discutir os objetivos do Projeto Político Pedagógico do Curso (PPC) baseado nas Diretrizes Curriculares do

Leia mais

Gestão Compartilhada. do Programa Bolsa. Família

Gestão Compartilhada. do Programa Bolsa. Família Gestão Compartilhada do Programa Bolsa Família Olinda Abriga uma população de 397.268 habitantes (IBGE/2009), 3ª maior cidade de Pernambuco. Extensão territorial de 43,55 km², das quais 9,73 km² fazem

Leia mais

. ORIENTAÇÕES AOS CANDIDATOS

. ORIENTAÇÕES AOS CANDIDATOS . ORIENTAÇÕES AOS CANDIDATOS ASPECTOS LEGAIS LEI Nº 4.751, DE 7 DE FEVEREIRO DE 2012 Dispõe sobre o Sistema de Ensino e a Gestão Democrática do Sistema de Ensino Público do Distrito Federal. PORTARIA Nº

Leia mais

Cartilha de Alimentação Infantil para profissionais de saúde e educação

Cartilha de Alimentação Infantil para profissionais de saúde e educação Cartilha de Alimentação Infantil para profissionais de saúde e educação Cristiane Aparecida Azevedo de Assis Machado Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba Coordenação de Vigilância Nutricional II FÓRUM

Leia mais

Projeto Piloto de Promoção da Amamentação nas Creches da Rede Municipal de Educação do Rio de Janeiro

Projeto Piloto de Promoção da Amamentação nas Creches da Rede Municipal de Educação do Rio de Janeiro Projeto Piloto de Promoção da Amamentação nas Creches da Rede Municipal de Educação do Rio de Janeiro Instituto de Nutrição Annes Dias Gerência de Programas de Saúde da Criança - Junho de 2010-1 Resgate

Leia mais

SAÚDE MENTAL, PESQUISAS E PROGRAMAS

SAÚDE MENTAL, PESQUISAS E PROGRAMAS Seminário Motivações para o Início e o Fim do Consumo de Drogas: uma análise das comunidades virtuais relacionadas ao tema SAÚDE MENTAL, PESQUISAS E PROGRAMAS Arthur Guerra de Andrade Coordenação da Área

Leia mais

Implantação do Projeto Educando com a Horta Escolar e a Gastronomia (UnB-CET/ FNDE), no seu município/estado:

Implantação do Projeto Educando com a Horta Escolar e a Gastronomia (UnB-CET/ FNDE), no seu município/estado: Implantação do Projeto Educando com a Horta Escolar e a Gastronomia (UnB-CET/ FNDE), no seu município/estado: O presente documento se destina a orientar os multiplicadores do Projeto Educando com a Horta

Leia mais

PACTO PELA EDUCAÇÃO DE QUALIDADE NO MUNICÍPIO DE ITABUNA.

PACTO PELA EDUCAÇÃO DE QUALIDADE NO MUNICÍPIO DE ITABUNA. CARTA COMPROMISSO: PACTO PELA EDUCAÇÃO DE QUALIDADE NO MUNICÍPIO DE ITABUNA. Ilustríssimo Senhor Candidato a Prefeito de Itabuna nas eleições municipais de 2016, Primando por uma Educação de qualidade

Leia mais

A implantação de CAPS no estado do Paraná: situação atual e perspectivas. Coordenação Estadual de Saúde Mental Agosto 2013

A implantação de CAPS no estado do Paraná: situação atual e perspectivas. Coordenação Estadual de Saúde Mental Agosto 2013 A implantação de CAPS no estado do Paraná: situação atual e perspectivas Coordenação Estadual de Saúde Mental Agosto 2013 Situação Atual - Portaria 336/2002 - CAPS - Portaria 245/2005 incentivo implantação

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE BACABEIRA-MA - Plano de Trabalho - PLANO DE TRABALHO. Bacabeira-MA

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE BACABEIRA-MA - Plano de Trabalho - PLANO DE TRABALHO. Bacabeira-MA PLANO DE TRABALHO Bacabeira-MA 2015 1. INTRODUÇÃO O presente Plano de Trabalho refere-se ao contrato firmado entre a Prefeitura Municipal de Bacabeira e a empresa de consultoria especializada de razão

Leia mais

Formação de Rede. Reunião Roda de Conversa Seminários Consulta Pública Online Audiência Pública

Formação de Rede. Reunião Roda de Conversa Seminários Consulta Pública Online Audiência Pública GT Agrotóxicos urbanos e Saúde estratégias para elaboração do Plano Municipal de Vigilância de populações Expostas à Agrotóxicos Urbanos Reunião Roda de Conversa Seminários Consulta Pública Online Audiência

Leia mais

OBJETIVO ESTRATÉGICO 1: Identificar 80% do quadro de pessoal técnico-administrativo da UERJ em 6 meses.

OBJETIVO ESTRATÉGICO 1: Identificar 80% do quadro de pessoal técnico-administrativo da UERJ em 6 meses. SRH - SUPERINTENDÊNCIA DE RECURSOS HUMANOS MISSÃO DA UNIDADE: Promover as políticas de recursos humanos contribuindo para o funcionamento e aprimoramento das atividades desenvolvidas pela Universidade.

Leia mais

PLANO PLURIANUAL SECRETARIA MUNICIPAL DE ATENÇÃO AO IDOSO, MULHER E PESSOA COM DEFICIÊNCIA

PLANO PLURIANUAL SECRETARIA MUNICIPAL DE ATENÇÃO AO IDOSO, MULHER E PESSOA COM DEFICIÊNCIA PROGRAMA: 1001 - ADMINISTR GERAL OBJETIVO: Manter as atividades administrativas e operacionais dos órgãos para melhoria da prestação de serviços ao público. FUNÇÃO 2117 Produto / Unidade de Medida Unidade

Leia mais

PORTARIA Nº 2.080, DE 31 DE OUTUBRO DE 2003

PORTARIA Nº 2.080, DE 31 DE OUTUBRO DE 2003 PORTARIA Nº 2.080, DE 31 DE OUTUBRO DE 2003 Institui o Programa Nacional para Prevenção e Controle das Hepatites Virais, o Comitê Técnico de Acompanhamento e Assessoramento do Programa e dá outras providências.

Leia mais

Cantinas Escolares Saudáveis

Cantinas Escolares Saudáveis PROMOÇÃO DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NO AMBIENTE ESCOLAR: Cantinas Escolares Saudáveis Patrícia Constante Jaime Coordenadora-Geral de Alimentação e Nutrição/DAB/SAS/MS Fortaleza, 25 de outubro de 2012 TÓPICOS

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES EXECUTADAS PELA CPA- Ano: 2011

RELATÓRIO DE ATIVIDADES EXECUTADAS PELA CPA- Ano: 2011 COMISSÃO PROPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE ATIVIDADES EXECUTADAS PELA CPA- Ano: 2011 São Luis- MA 2011 1 RELATÓRIO DE ATIVIDADES EXECUTADAS PELA CPA - 2011 Programa de sensibilização de discente, coordenadores

Leia mais

APOIO FAMILIAR DIREITOS E ESTRATEGIAS. Renata Flores Tibyriçá Defensora Pública do Estado de São Paulo

APOIO FAMILIAR DIREITOS E ESTRATEGIAS. Renata Flores Tibyriçá Defensora Pública do Estado de São Paulo APOIO FAMILIAR DIREITOS E ESTRATEGIAS Renata Flores Tibyriçá Defensora Pública do Estado de São Paulo O Que é Defensoria Pública? Defensoria Pública é instituição prevista na Constituição Federal (art.

Leia mais

Projeto Político Pedagógico

Projeto Político Pedagógico Projeto Político Pedagógico INSTITUINTE DO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GPP/EACH/USP Diretrizes da Pró Reitoria de Graduação para orientar o processo de formulação Instituinte do Projeto Político

Leia mais

I PLANO ESTADUAL DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL DE SANTA CATARINA E A ALIMENTAÇÃO ESCOLAR. Patrícia Maria de Oliveira Machado

I PLANO ESTADUAL DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL DE SANTA CATARINA E A ALIMENTAÇÃO ESCOLAR. Patrícia Maria de Oliveira Machado I PLANO ESTADUAL DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL DE SANTA CATARINA E A ALIMENTAÇÃO ESCOLAR Patrícia Maria de Oliveira Machado Florianópolis, 2015 Histórico do processo e marcos legais ESTADUAL 2011

Leia mais

Orçamento e Financiamento da Assistência Social

Orçamento e Financiamento da Assistência Social Orçamento e Financiamento da Assistência Social Orçamento e Financiamento: Definições O Orçamento Público é um Planejamento que gera um compromisso de um governo em relação às políticas públicas; Ele reflete

Leia mais

Prefeitura Municipal de João Pessoa Secretaria da Transparência Pública Coordenadoria do Orçamento Democrático

Prefeitura Municipal de João Pessoa Secretaria da Transparência Pública Coordenadoria do Orçamento Democrático Prefeitura Municipal de João Pessoa Secretaria da Transparência Pública Coordenadoria do Orçamento Democrático Orçamento Democrático João Pessoa Ano IV Definição Instrumento de Participação Direta da população

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS DIVISÃO DE GESTÃO DA QUALIDADE Sistema de Gestão da Qualidade PROCEDIMENTO P.TJAM 67 Planejamento Estratégico Elaborado por: Carla Winalmoller

Leia mais

LEI Nº 055/2006. O PREFEITO MUNICIPAL DE SANTIAGO, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela Lei Orgânica do Município, FAZ SABER,

LEI Nº 055/2006. O PREFEITO MUNICIPAL DE SANTIAGO, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela Lei Orgânica do Município, FAZ SABER, LEI Nº 055/2006 CRIA PROGRAMA DE GOVERNO NO PPA, LDO E LOA, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS O PREFEITO MUNICIPAL DE SANTIAGO, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela Lei Orgânica do Município, FAZ

Leia mais

NADIME Núcleo de Apoio Didático e Metodológico. RELATÓRIO GERAL DAS ATIVIDADES DE e INÍCIO DE

NADIME Núcleo de Apoio Didático e Metodológico. RELATÓRIO GERAL DAS ATIVIDADES DE e INÍCIO DE RELATÓRIO GERAL DAS ATIVIDADES DE 2010.2 e INÍCIO DE 2011.1 DATA ATIVIDADE ENCAMINHAMENTOS / OBSERVAÇÕES 05.08.10 Acompanhamento da visita de reconhecimento do MEC no curso de Sistemas de Informação. Nas

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA SAÚDE

GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA SAÚDE AMPLIAÇÃO DO PROJETO DE FORTALECIMENTO DA POLÍTICA DE SAÚDE DO TRABALHADOR EM MUNICÍPIOS PRIORITÁRIOS NO ESTADO DO TOCANTINS JUSTIFICATIVA O alto índice de crescimento da economia no Brasil tem refletido

Leia mais

Estratégias para a Saúde

Estratégias para a Saúde Estratégias para a Saúde V.1) Cadernos do PNS Acções e Recomendações Promoção da Cidadania em Saúde (Versão Discussão) ESTRATÉGIAS PARA A SAÚDE V.1) CADERNOS DO PNS - ACÇÕES E RECOMENDAÇÕES PROMOÇÃO DA

Leia mais

PROGRAMAS E PROJETOS DE EXTENSÃO GERÊNCIA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CAMPUS UNIVERSITÁRIO GRANDE FLORIANÓPOLIS PROJETO DE EXTENSÃO COORDENAÇÃO

PROGRAMAS E PROJETOS DE EXTENSÃO GERÊNCIA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CAMPUS UNIVERSITÁRIO GRANDE FLORIANÓPOLIS PROJETO DE EXTENSÃO COORDENAÇÃO PROGRAMAS E PROJETOS DE EXTENSÃO GERÊNCIA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CAMPUS UNIVERSITÁRIO GRANDE FLORIANÓPOLIS PROJETO DE EXTENSÃO Saúde na Escola Unisul COORDENAÇÃO Coordenador: Ana Paula Ferreira

Leia mais

FEDERAÇÃO ESPÍRITA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. A FEEES e o Movimento Espírita do Estado do Espírito Santo

FEDERAÇÃO ESPÍRITA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. A FEEES e o Movimento Espírita do Estado do Espírito Santo FEDERAÇÃO ESPÍRITA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO A FEEES e o Movimento Espírita do Estado do Espírito Santo A Federação Espírita do Espírito Santo, fundada em 1921, é constituída pelo Conselho Estadual e

Leia mais

Conselho Municipal de Alimentação Escolar de Guarulhos

Conselho Municipal de Alimentação Escolar de Guarulhos Conselho Municipal de Alimentação Escolar de Guarulhos Na cidade de Guarulhos o Conselho de Alimentação Escolar (CAE), foi criado pela Lei Municipal n n 5.647 de 15 de Fevereiro de 2001 e Regulamentado

Leia mais

Desdobrando o Mapa Estratégico da Justiça Federal do Rio Grande do Sul

Desdobrando o Mapa Estratégico da Justiça Federal do Rio Grande do Sul Desdobrando o Mapa Estratégico da Justiça Federal do Rio Grande do Sul Marcelo De Nardi Porto Alegre, 04 de julho de 2011. CONTEXTUALIZAÇÃO Poder Judiciário no Contexto da Gestão Pública Nacional Processos

Leia mais

Programas Saúde na Escola e Mais Educação: O Compromisso da Educação com o PNAE

Programas Saúde na Escola e Mais Educação: O Compromisso da Educação com o PNAE V ENCONTRO NACIONAL DO PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR - 2010 Programas Saúde na Escola e Mais Educação: O Compromisso da Educação com o PNAE Intersetorialidade para a implementação da Lei nº

Leia mais

AGENDA PARA INTENSIFICAÇÃO DO MONITORAMENTO E DO CUIDADO DA CRIANÇA COM EXCESSO DE PESO

AGENDA PARA INTENSIFICAÇÃO DO MONITORAMENTO E DO CUIDADO DA CRIANÇA COM EXCESSO DE PESO AGENDA PARA INTENSIFICAÇÃO DO MONITORAMENTO E DO CUIDADO DA CRIANÇA COM EXCESSO DE PESO Excesso de peso infantil no Brasil A prevalência de excesso de peso triplicou no Brasil nos últimos 20 anos (IBGE,

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE SECRETARIA ESPECIAL DE SAÚDE INDÍGENA

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE SECRETARIA ESPECIAL DE SAÚDE INDÍGENA MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE SECRETARIA ESPECIAL DE SAÚDE INDÍGENA ORIENTAÇÕES PARA O ACOMPANHAMENTO DAS CONDICIONALIDADES DE SAÚDE DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA DE FAMÍLIAS INDÍGENAS

Leia mais

Gerência de Atenção à Saúde Gerência Operacional da Atenção Básica. Reflexões sobre a implantação do e-sus/ab na Paraíba

Gerência de Atenção à Saúde Gerência Operacional da Atenção Básica. Reflexões sobre a implantação do e-sus/ab na Paraíba Gerência de Atenção à Saúde Gerência Operacional da Atenção Básica Reflexões sobre a implantação do e-sus/ab na Paraíba Março de 2015 Regiões de Saúde Macrorregião do Estado da Paraíba Gerências Regionais

Leia mais

VI CONGRESSO DE HIPERTENSÃO DA. HiperDia, desafios futuros e o que esperar?

VI CONGRESSO DE HIPERTENSÃO DA. HiperDia, desafios futuros e o que esperar? VI CONGRESSO DE HIPERTENSÃO DA SBC/DHA HiperDia, desafios futuros e o que esperar? MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Atenção a Saúde - SAS Departamento de Atenção Básica - DAB Coordenação Nacional de Hipertensão

Leia mais

AVALIAÇÃO E GESTÃO DA INFORMAÇÃO

AVALIAÇÃO E GESTÃO DA INFORMAÇÃO 8 AVALIAÇÃO E GESTÃO DA INFORMAÇÃO 130 Dentre as atividades de apoio para o desenvolvimento das políticas sociais, o Governo Federal investe em ações de avaliação, gestão da informação, disseminação do

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

PLANO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL PLANO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL 2010 2013 INSTRUMENTOS TÉCNICOS DO CICLO ORÇAMENTÁRIO CONSIDERAÇÕES INICIAIS A Constituição de 1988 introduziu significativa alteração no sistema de planejamento e

Leia mais

Higiene, Saúde e Segurança no Trabalho

Higiene, Saúde e Segurança no Trabalho ESCOLA BÁSICA E INTEGRADA DE ANGRA DO HEROÍSMO Ano Letivo 2016/2017 PLANIFICAÇÃO Higiene, Saúde e Segurança no Trabalho PROFIJ Nível II, Tipo 2 2ºano Curso Operador de Informática ENQUADRAMENTO LEGAL Portaria

Leia mais

2.1. Subcoordenador Técnico Operacional (Código STO) 1 vaga Atribuições:

2.1. Subcoordenador Técnico Operacional (Código STO) 1 vaga Atribuições: PRORROGAÇÃO DO EDITAL PARA SELEÇÃO DE BOLSISTAS PROJETO CVDS Manaus, 24 de Novembro de 2014. 1. CONTEXTUALIZAÇÃO O Centro Vocacional para o Desenvolvimento Sustentável (CVDS), trata-se de um projeto piloto

Leia mais

Fórum Concelhio Para a Promoção da Saúde

Fórum Concelhio Para a Promoção da Saúde Fórum Concelhio Para a Promoção da Saúde CASCAIS SAUDÁVEL 1. Contexto SÓCIO-POLÍTICO: Saúde na ordem do dia Envelhecimento da população Sustentabilidade do SNS Transferência de competências para as Autarquias

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Institucional

Plano de Desenvolvimento Institucional Plano de Desenvolvimento Institucional Âmbito de atuação Missão Visão Elementos Duráveis Princípios Elementos Mutáveis (periodicamente) Análise Ambiental Objetivos Estratégicos Metas Planos de Ação PDI

Leia mais

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS BAHIA

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS BAHIA PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS BAHIA OBJETIVO GERAL Promover ações integradas para o enfrentamento da epidemia de HIV/AIDS e outras DST

Leia mais

SAÚDE MENTAL PROJETO DO PROGRAMA DE ATENÇÃO À CRIANÇA E ADOLESCENTE DEPENDENTE QUÍMICO

SAÚDE MENTAL PROJETO DO PROGRAMA DE ATENÇÃO À CRIANÇA E ADOLESCENTE DEPENDENTE QUÍMICO SAÚDE MENTAL PROJETO DO PROGRAMA DE ATENÇÃO À CRIANÇA E ADOLESCENTE DEPENDENTE QUÍMICO 1 - DADOS DE IDENTIFICAÇÃO: ACFFD - ASSOCIAÇÃO CULTURAL E FILANTROPICA FAMÍLIA DE DEUS ESCRITÓRIO: RUA CAJAZEIRAS,

Leia mais

Avaliação e Monitoramento do PME. Professora Marcia Adriana de Carvalho

Avaliação e Monitoramento do PME. Professora Marcia Adriana de Carvalho Avaliação e Monitoramento do PME Professora Marcia Adriana de Carvalho TEMAS 1 Por que avaliar e monitorar o PME 2 Qual a diferença entre avaliar e monitorar 3 4 Como definir plano de ações para o período

Leia mais

VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER NA PARAÍBA

VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER NA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER NA PARAÍBA Setembro de 2012 MARCO HISTÓRICO o Desde 1993 a violência contra as mulheres é reconhecida como uma violação aos direitos humanos (Conferência

Leia mais

AÇÕES, SERVIÇOS E BENEFICIOS SOCIOASSISTENCIAIS PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES - BAHIA

AÇÕES, SERVIÇOS E BENEFICIOS SOCIOASSISTENCIAIS PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES - BAHIA AÇÕES, SERVIÇOS E BENEFICIOS SOCIOASSISTENCIAIS PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES - BAHIA Sistema Único de Assistência Social Fundos Conselhos SUAS Planejamento Diagnóstico Rede Socioassistencial Serviços Tipificados

Leia mais

PORTARIA Nº 247, DE 10 DE MAIO DE 2013

PORTARIA Nº 247, DE 10 DE MAIO DE 2013 Página 1 de 5 INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 247, DE 10 DE MAIO DE 2013 O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio

Leia mais

Dra Hedi Martha Soeder Muraro

Dra Hedi Martha Soeder Muraro Dra Hedi Martha Soeder Muraro hemuraro@sms.curitiba.pr.gov.br Missão da SMS Planejar e executar a política de saúde para o Município de Curitiba, responsabilizando-se pela gestão e regulação dos serviços

Leia mais

COORDENAÇÃO DO NÚCLEO CURRICULAR FLEXÍVEL PRÁTICAS EDUCATIVAS FICHA DE OBSERVAÇÃO

COORDENAÇÃO DO NÚCLEO CURRICULAR FLEXÍVEL PRÁTICAS EDUCATIVAS FICHA DE OBSERVAÇÃO FICHA DE OBSERVAÇÃO ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE E ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA Acadêmico: Curso: Período: Turno: Disciplina: Atenção Primária à Saúde e Estratégia de Saúde da Família Local: Profissional

Leia mais

O registro desses motivos é obrigatório a partir da 2ª vigência 2016.

O registro desses motivos é obrigatório a partir da 2ª vigência 2016. O SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA NA SAÚDE ESTÁ ABERTO PARA O INICIO DOS REGISTROS DO ACOMPANHAMENTO DA 2ª VIGÊNCIA DE 2016 E COM NOVIDADES! A partir de 06 de setembro, o Sistema de Gestão

Leia mais

SÍNTESE DO PERFIL E DAS ATRIBUIÇÕES DOS COORDENADORES DAS UNIDADES SOCIOASSISTENCIAIS. Perfil e principais atribuições do Coordenador do CREAS

SÍNTESE DO PERFIL E DAS ATRIBUIÇÕES DOS COORDENADORES DAS UNIDADES SOCIOASSISTENCIAIS. Perfil e principais atribuições do Coordenador do CREAS SÍNTESE DO PERFIL E DAS ATRIBUIÇÕES DOS COORDENADORES DAS UNIDADES SOCIOASSISTENCIAIS Perfil e principais atribuições do Coordenador do CREAS Escolaridade de nível superior de acordo com a NOB/RH/2006

Leia mais

ANEXO I CARGO, REQUISITOS DE ESCOLARIDADE, DESCRIÇÃO SUMÁRIA, CARGA HORÁRIA e VENCIMENTO BASE.

ANEXO I CARGO, REQUISITOS DE ESCOLARIDADE, DESCRIÇÃO SUMÁRIA, CARGA HORÁRIA e VENCIMENTO BASE. ANEXO I,,, e VENCIMENTO BASE. Auxiliar de Serviços Gerais NÍVEL FUNDAMENTAL Ensino Fundamental Completo. Limpeza dos prédios públicos, móveis e equipamentos e similares. 01 Auxiliar de Serviços Urbanos

Leia mais

EIXO 2 DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL

EIXO 2 DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL EIXO 1 DIMENSÃO 8 PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO 1 O plano de desenvolvimento do instituto PDI ( http://www.ufopa.edu.br/arquivo/portarias/2015/pdi20122016.pdf/view ) faz referência a todos os processos internos

Leia mais

ESTRATÉGIAS SINGULARES DE IMPLANTAÇÃO DA CADERNETA DO IDOSO NO MUNICÍPIO DE CAXIAS DO SUL - RS

ESTRATÉGIAS SINGULARES DE IMPLANTAÇÃO DA CADERNETA DO IDOSO NO MUNICÍPIO DE CAXIAS DO SUL - RS PREFEITURA MUNICIPAL DE CAXIAS DO SUL SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE ESTRATÉGIAS SINGULARES DE IMPLANTAÇÃO DA CADERNETA DO IDOSO NO MUNICÍPIO DE CAXIAS DO SUL - RS Nadia Peresin Perottoni Enfermeira Atenção

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR-PNAE

PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR-PNAE PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR-PNAE PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR - PNAE 10 ELEMENTOS CHAVE Objetivo Apresentar o componente nutricional inserido na alimentação escolar Metodologia

Leia mais

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA Prefeitura do Município de Taboão da Serra Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia Departamento de Educação PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA (PSE) O Programa Saúde na Escola Política intersetorial dos Ministérios

Leia mais

Feira de Santana Outubro/2011

Feira de Santana Outubro/2011 PREFEITURA MUNICIPAL DE FEIRA DE SANTANA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE ATENÇÃO BÁSICA DE SAÚDE SEÇÃO NUTRIÇÃO Experiências no Acompanhamento de Saúde do Programa Bolsa Família no Município de Feira de

Leia mais

PERFIL DO DIRETOR ESCOLAR. Realização: Ibope

PERFIL DO DIRETOR ESCOLAR. Realização: Ibope PERFIL DO DIRETOR ESCOLAR Realização: Ibope A Fundação Victor Civita, que tem por missão contribuir para a melhoria da qualidade da Educação Básica no Brasil, produzindo publicações, sites, material pedagógico,

Leia mais

SICA: Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS) Prof. Walfrido K. Svoboda

SICA: Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS) Prof. Walfrido K. Svoboda ATENÇÃO BÁSICAB SICA: Programa de Saúde da Família (PSF) ou Estratégia de Saúde da Família (ESF) Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS) Disciplina: SAÚDE PÚBLICA P I (MS-052) Prof. Walfrido K.

Leia mais

O QUE REPRESENTA O ACOMPANHAMENTO DAS CONDICIONALIDADES DE SAÚDE DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA PARA O SUS?

O QUE REPRESENTA O ACOMPANHAMENTO DAS CONDICIONALIDADES DE SAÚDE DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA PARA O SUS? O QUE REPRESENTA O ACOMPANHAMENTO DAS CONDICIONALIDADES DE SAÚDE DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA PARA O SUS? Coordenação-Geral de Saúde das Mulheres CONDICIONALIDADES DE SAÚDE Mulheres entre 14 e 44 anos: Pré-natal

Leia mais

P O R G O R G A R M A A M A B O B L O S L A S A F A F M A Í M L Í I L A

P O R G O R G A R M A A M A B O B L O S L A S A F A F M A Í M L Í I L A PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA Acompanhamento da Frequência Escolar de Crianças e Jovens em Vulnerabilidade - Condicionalidade Educação do Programa Bolsa Família 2003 -Governo Federal unifica, no Programa Bolsa-Família,

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DA NR 32 NO HOSPITAL CRUZ AZUL DE SÃO PAULO. Dr. Cláudio Alves de Lima Nascimento

IMPLANTAÇÃO DA NR 32 NO HOSPITAL CRUZ AZUL DE SÃO PAULO. Dr. Cláudio Alves de Lima Nascimento IMPLANTAÇÃO DA NR 32 NO HOSPITAL CRUZ AZUL DE SÃO PAULO 26.06.2008 Dr. Cláudio Alves de Lima Nascimento -Médico do Trabalho Comissão Regional NR 32 - SP Objetivos : Demonstrar a experiência do Hospital

Leia mais

TERMO DE ABERTURA DO PROJETO

TERMO DE ABERTURA DO PROJETO 1 Nome do Projeto 2 Código Projeto Fiscalização do Exercício e Atividade Profissional 3 Coordenador(a) 4 Tipo de Projeto João Augusto de Lima Estratégico 5 Gestor(a) 6 Programa Igor de Mendonça Fernandes

Leia mais

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA Estratégia de Fortificação da Alimentação Infantil com Micronutrientes em Pó (vitaminas e minerais) Ministério da Educação Ministério da Saúde OBJETIVOS DO PSE Promover a saúde

Leia mais

1 Verificar num primeiro momento as ações para cumprimento das Metas/estratégias com prazo definido para 2015;

1 Verificar num primeiro momento as ações para cumprimento das Metas/estratégias com prazo definido para 2015; Subcomissão permanente para Acompanhar, monitorar e avaliar o processo de implementação das estratégias e do cumprimento das metas do Plano Nacional de Educação PNE sugestões para Plano de Trabalho Consultorias

Leia mais

O que é o PDE. O PDE inclui metas de qualidade para a educação básica

O que é o PDE. O PDE inclui metas de qualidade para a educação básica O que é o PDE. O PDE inclui metas de qualidade para a educação básica O Compromisso Todos pela Educação deu o impulso ao PDE As escolas e Secretarias de Educação devem se organizar para o atendimento dos

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DO PROGRAMA

CARACTERIZAÇÃO DO PROGRAMA CARACTERIZAÇÃO DO PROGRAMA O Academia das Cidades é um programa intersetorial que integra diversas ações visando a construção de cidades saudáveis, através da requalificação de espaços públicos de lazer,

Leia mais

PROGRAMA INTEGRADO MUNICÍPIO SUSTENTÁVEL Benevides em foco

PROGRAMA INTEGRADO MUNICÍPIO SUSTENTÁVEL Benevides em foco PROGRAMA INTEGRADO MUNICÍPIO SUSTENTÁVEL Benevides em foco Coordenação Geral Prof. Dra.Ana Maria Vasconcellos Prof. Dr. Mário Vasconcellos Profa. MsC. Rose Martins Tavares Concepção A ideia surgiu: Discussões

Leia mais

Municípios e Comunidades. Saudáveis. Promovendo a qualidade de vida através da Estratégia de Municípios e Comunidades. Saudáveis

Municípios e Comunidades. Saudáveis. Promovendo a qualidade de vida através da Estratégia de Municípios e Comunidades. Saudáveis Organização Pan Americana da Saúde Oficina Regional da Organização Mundial da Saúde Municípios e Comunidades Saudáveis Guia dos prefeitos e outras autoridades locais Promovendo a qualidade de vida através

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Paço de Arcos. Projeto. Clube de Nutrição

Agrupamento de Escolas de Paço de Arcos. Projeto. Clube de Nutrição Agrupamento de Escolas de Paço de Arcos Projeto Clube de Nutrição julho de 2013 1. Enquadramento A Obesidade é provavelmente o maior problema, relacionado com a saúde, que a sociedade moderna apresenta.

Leia mais

I-Política de ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE 1) Como é definida? * Um conjunto de ações em saúde (amplas, complexas que abrangem múltiplas facetas da realida

I-Política de ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE 1) Como é definida? * Um conjunto de ações em saúde (amplas, complexas que abrangem múltiplas facetas da realida A atuação do Assistente Social na e a interface com os demais níveis de complexidade Inês Pellizzaro I-Política de ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE 1) Como é definida? * Um conjunto de ações em saúde (amplas, complexas

Leia mais

PSE. Programa de Saúde nas Escolas. 68 Relatório de Gestão 2009, 2010, 2011 e 2012 (Copyright. Proibida cópia ou reprodução sem autorização do IABAS)

PSE. Programa de Saúde nas Escolas. 68 Relatório de Gestão 2009, 2010, 2011 e 2012 (Copyright. Proibida cópia ou reprodução sem autorização do IABAS) PSE 68 Relatório de Gestão 200, 2010, 2011 e 2012 (Copyright. Proibida cópia ou reprodução sem autorização do IABAS) b lanço soci l (Copyright. Proibida cópia ou reprodução sem autorização do IABAS) Relatório

Leia mais

Plano Metropolitano de Habitação. Plano Metropolitano de Habitação de Interesse Social da Região Metropolitana de Campinas

Plano Metropolitano de Habitação. Plano Metropolitano de Habitação de Interesse Social da Região Metropolitana de Campinas Plano Metropolitano de Habitação de Interesse Social da Região Metropolitana de Campinas Apresentado pelo representante do Ministério das Cidades Histórico Aprovado pelo Conselho de Desenvolvimento

Leia mais

SEMINÁRIO ENTÃO PREFEITO!...E A SAÚDE? COSEMS MG

SEMINÁRIO ENTÃO PREFEITO!...E A SAÚDE? COSEMS MG SEMINÁRIO ENTÃO PREFEITO!...E A SAÚDE? COSEMS MG R E G I O N A L I Z A Ç Ã O E O P R O C E S S O D E P L A N E J A M E N T O D O S U S A P A R E C I D A L I N H A R E S P I M E N T A A S S E S S O R A

Leia mais

Atenção Integral à Desnutrição Infantil

Atenção Integral à Desnutrição Infantil Atenção Integral à Desnutrição Infantil PROTOCOLOS DE ATENÇÃO À CRIANÇA COM DESNUTRIÇÃO GRAVE Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica Coordenação Geral da Política

Leia mais

ESTADO DE RONDÔNIA PREFEITURA DE ESPIGÃO DO OESTE Procuradoria Geral do Município LEI Nº 1.532/2011

ESTADO DE RONDÔNIA PREFEITURA DE ESPIGÃO DO OESTE Procuradoria Geral do Município LEI Nº 1.532/2011 LEI Nº 1.532/2011 Dispõe sobre a autonomia financeira das unidades escolares urbanas e rurais da rede pública municipal de Ensino, orienta sua implantação, e dá outras providências. O PREFEITO DO MUNICÍPIO

Leia mais