Universidade Federal de Santa Maria PET - Biologia. Marcela Dambrowski dos Santos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Universidade Federal de Santa Maria PET - Biologia. Marcela Dambrowski dos Santos"

Transcrição

1 Universidade Federal de Santa Maria PET - Biologia Marcela Dambrowski dos Santos

2 Introdução Hemoglobina A Hemoglobina S Anemia falciforme Traço falciforme Malária Hipótese da malária Origem e dispersão da HbS Conclusões Referências bibliográficas Referências das imagens 2

3 Genoma humano 3,2 bilhões de pares de nucleotídeos; Gene unidade de informação; Erros aleatórios substituições, deleções, adições ou rearranjos de nucleotídeos; Gene mutante alteração na informação; Variabilidade genética base da evolução biológica; Variantes da hemoglobina efeitos nas estruturas e funções de produtos gênicos e nos fenótipos das pessoas afetadas. 3

4 As subunidades são codificadas por genes: α (cromossomo 16 ) β (cromossomo 11) Cada cadeia α-globina possui 141 aminoácidos; Cada cadeia β-globina possui 146 aminoácidos. 1 4

5 HbA HbS Ac. Glutâmico (carga negativa); Valina (sem carga em ph neutro). 2 5

6 Afeta a solubilidade e a cristalização da hemoglobina sob condição de hipóxia: Polimerização de filamentos e formação de feixes de fibras; Distorção da membrana das hemácias para seu formato característico de foice; As células falcêmicas aumentam a viscosidade do sangue e impedem a circulação normal. 3 6

7

8 Doença genética herança autossômica recessiva; Descoberta em 1910, por James Herrick ( ), médico americano; Em homozigotos, a HbA não está presente em decorrência da falta do alelo normal para síntese de cadeias β-globina

9 Os heterozigotos têm um único alelo alterado, o outro alelo para síntese de cadeia β-globina codifica uma cadeia normal; Ocorre afoiçamento de hemácias quando em baixa taxa de oxigênio; Imunidade Natural: contra a malária 9 9

10 Hemácias frágeis e facilmente hemolisadas Vida média curta Impedimento do ciclo de vida completo do parasita Redução considerável da parasitemia 10

11 Agente causador: Protozoário Plasmodium; Vetor da malária: Mosquito Anopheles; 10 Ataca células do fígado e hemácias, que são destruídas ao serem utilizadas para reprodução do protozoário; 40% da população mundial convive com o risco de contágio

12 Em 1949, J. B. S. Haldane ( ), geneticista inglês, propôs que:...as doenças infecciosas têm um papel evolucionário importantíssimo como agentes seletivos. Alteração bioquímica Resistência contra parasita bem adaptado 12 Vantagem em possuir um fenótipo bioquímico raro 12

13 Em 1954, Anthony C. Allison, médico inglês, publicou:...em crianças pequenas com malária, as densidades do parasita Plasmodium falciparum no sangue são quatro vezes menores em heterozigotos HbAS do que em homozigotos normais HbAA....as crianças HbAS têm uma chance 76% maior de sobreviver ao primeiro ataque de malária do que crianças HbAA

14 Pesquisa Avanços na genética molecular humana; Marcadores moleculares: enzimas de restrição. Resultado Aconteceram cinco mutações beta S independentes, que se estabeleceram em populações expostas à malária causada pelo Plasmodium falciparum. Conclusão Essas mutações foram produto da evolução humana para combater a malária. 14

15 14 15

16 Época histórica Período Paleolítico Mesolítico ( mil de anos atrás) Período pré-neolítico (10 mil - 2 mil anos a.c.) Período Neolítico posterior (2 mil anos a.c.) Período Medieval (séculos I XV) Período Modernocontemporâneo (séculos XVI XIX) Dispersão da HbS Centro-oeste da África, Índia e leste da Ásia Miscigenação no Saara Migração para outras regiões da África Leste e sudeste europeu Américas 16

17 Homozigotos para a anemia falciforme (HbSS): Baixo valor adaptativo reprodutivo associada a presença das células falcêmicas. Homozigotos normais (HbAA): Os indivíduos são os mais afetados pelos efeitos da malária. Heterozigotos para traço falcêmico (HbAS): Possuem vantagem sobre os homozigotos (HbAA) na resistência à malária, especialmente no início da infância, antes da criança desenvolver imunidade contra a infecção malárica. 17

18 Seleção balanceada ou vantagem do heterozigoto: A seleção natural tenta eliminar tanto alelos para HbA quanto para HbS por seus efeitos sobre os homozigotos......mas ela também preservar esses alelos por seu efeito protetor em heterozigotos HbAS frente ao desenvolvimento da malária. EQUILÍBRIO DINÂMICO HbAS HbAA / HbSS 18

19 Rey, Luis. Bases da parasitologia médica. 2ª Ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, Ridley, Mark. Evolution. 2ª Ed. USA : Blackwell Science, Snustad, D. Peter; Simmons, Michael J.; Fundamentos de genética. 4ª Ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, Vogel, Friedrich; Motulsky, Arno G. Genética humana: problemas e abordagens. 3ª Ed. Rio dejaneiro: Guanabara Koogan, Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia. Vol.22 nº1. São José do Rio Preto Jan./Abr Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia. Vol.27 nº1. São José do Rio Preto Jan./Mar

20 1 a 3 - Snustad, D. Peter; Simmons, Michael J.; Fundamentos de genética. 4ª Ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, biologiainterativa.wordpress.com Rey, Luis. Bases da parasitologia médica. 2ª Ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan,

21 Universidade Federal de Santa Maria PET - Biologia

Extensões da Análise Mendeliana. Explicações moleculares

Extensões da Análise Mendeliana. Explicações moleculares Extensões da Análise Mendeliana Explicações moleculares Tipos de interações Tipo Descrição 1. Herança Mendeliana Simples Termo reservado para descrever situações em que os alelos seguem estritamente os

Leia mais

Prof. Manoel Victor. Genética Quantitativa

Prof. Manoel Victor. Genética Quantitativa Genética Quantitativa Modos de ação dos genes ação qualitativa expressão de genes seguindo padrões e modelos como os descritos por Mendel AA Aa aa (genes qualitativos) Fenótipos Genótipos Modos de ação

Leia mais

Genética III: Genética Humana

Genética III: Genética Humana Página 1 de 5 Genética III: Genética Humana 1. Genética Humana Genealogias são usadas para mostrar a hereditariedade das doenças genéticas humanas. Uma genealogia em que é possível traçar o padrão de hereditariedade

Leia mais

Biologia. Rubens Oda e Alexandre Bandeira (Hélio Fresta) Genética

Biologia. Rubens Oda e Alexandre Bandeira (Hélio Fresta) Genética Genética Genética 1. (Unesp) Dois casais, Rocha e Silva, têm, cada um deles, quatro filhos. Quando consideramos os tipos sanguíneos do sistema ABO, os filhos do casal Rocha possuem tipos diferentes entre

Leia mais

é um tipo de gráfico que representa a herança genética de determinada característica dos indivíduos representados...

é um tipo de gráfico que representa a herança genética de determinada característica dos indivíduos representados... é um tipo de gráfico que representa a herança genética de determinada característica dos indivíduos representados... EXEMPLO DE UM HEREDOGRAMA Herança Autossômica Dominante Critérios da Herança Autossômica

Leia mais

Revisão geral 8º ANO.

Revisão geral 8º ANO. Revisão geral 8º ANO. Cromossomos e Determinação do sexo biológico 46 Cromossomos (Total) 44 Cromossomos Autossomos 2 Cromossomos Sexuais Cariótipo e Cariograma XX (Feminino) XY (Masculino) Genes Alelos

Leia mais

Casacos de lã, sapatos de couro e cintos de algodão guardados por algum tempo em armários podem ficar mofados, pois os fungos necessitam de

Casacos de lã, sapatos de couro e cintos de algodão guardados por algum tempo em armários podem ficar mofados, pois os fungos necessitam de PROVA DE BIOLOGIA QUESTÃO 0 Pretende-se realizar uma pesquisa sobre as possíveis causas de ocorrência de malária na população humana que habita a Região Metropolitana de Belo Horizonte manancial Rio Manso/COPASA,

Leia mais

genética molecular genética clássica DNA RNA polipeptídio GENÉTICA Exercícios 1. Julgue os itens que se seguem.

genética molecular genética clássica DNA RNA polipeptídio GENÉTICA Exercícios 1. Julgue os itens que se seguem. GENÉTICA clássica molecular DNA RNA polipeptídio Exercícios 1. Julgue os itens que se seguem. 01. As cadeias de RNA mensageiros são formadas por enzimas que complementam a sequência de bases de um segmento

Leia mais

Introdução a Algoritmos Genéticos

Introdução a Algoritmos Genéticos Introdução a Algoritmos Genéticos Tiago da Conceição Mota Laboratório de Inteligência Computacional Núcleo de Computação Eletrônica Universidade Federal do Rio de Janeiro Outubro de 2007 O Que São? Busca

Leia mais

OS GENES NAS POPULAÇÕES. Augusto Schneider Faculdade de Nutrição Universidade Federal de Pelotas

OS GENES NAS POPULAÇÕES. Augusto Schneider Faculdade de Nutrição Universidade Federal de Pelotas OS GENES NAS POPULAÇÕES Augusto Schneider Faculdade de Nutrição Universidade Federal de Pelotas GENÉTICA POPULACIONAL Estudo dos genes e frequência dos alelos nas populações EQUILÍBRIO DE HARDY-WEINBERG

Leia mais

Biologia Professor Leandro Gurgel de Medeiros

Biologia Professor Leandro Gurgel de Medeiros Biologia Professor Leandro Gurgel de Medeiros Genética Clássica 1. Conceito: É a ciência voltada para o estudo da hereditariedade, bem como da estrutura e função dos genes. Características Fundamentais

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ RODRIGO LUIZ BARBOSA ANEMIA FALCIFORME: UMA ABORDAGEM PARA O ENSINO DE GENÉTICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ RODRIGO LUIZ BARBOSA ANEMIA FALCIFORME: UMA ABORDAGEM PARA O ENSINO DE GENÉTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ RODRIGO LUIZ BARBOSA ANEMIA FALCIFORME: UMA ABORDAGEM PARA O ENSINO DE GENÉTICA CRUZEIRO DO OESTE 2015 RODRIGO LUIZ BARBOSA ANEMIA FALCIFORME: UMA ABORDAGEM PARA O ENSINO

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS INSTITUTO DE BIOLOGIA DEPARTAMENTO DE GENÉTICA E EVOLUÇÃO. BG280 Lista de exercícios 1

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS INSTITUTO DE BIOLOGIA DEPARTAMENTO DE GENÉTICA E EVOLUÇÃO. BG280 Lista de exercícios 1 UNERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS INSTITUTO DE BIOLOGIA DEPARTAMENTO DE GENÉTICA E EVOLUÇÃO BG280 Lista de exercícios 1 1 - Seguem quatro heredogramas humanos. Os símbolos pretos representam o fenótipo anormal

Leia mais

Extensão da herança a Mendeliana

Extensão da herança a Mendeliana Extensão da herança a Mendeliana Genética Básica Licenciatura em Biologia Victor Martin Quintana Flores Diferentes padrões de herança a Mendeliana Tipo Descrição Mendeliana simples Ligado ao X Alelos letais

Leia mais

DEFINIÇÕES EM EPIDEMIOLOGIA MOLECULAR E CONCEITOS BÁSICOS EM BIOLOGIA MOLECULAR

DEFINIÇÕES EM EPIDEMIOLOGIA MOLECULAR E CONCEITOS BÁSICOS EM BIOLOGIA MOLECULAR DEFINIÇÕES EM E DEFINIÇÕES EM E CONCEITOS BÁSICOS EM BIOLOGIA PARA QUE SERVE ESTA AULA 1. DEFINIÇÕES EM CONCEITUAÇÃO DE DIFERENCIAÇÃO ENTRE, TAXONOMIA E FILOGENIA 2. CONCEITOS EM BIOLOGIA APRESENTAR (REVER)

Leia mais

EVOLUÇÃO: IDÉIAS E EVIDÊNCIAS. Professor Fláudio

EVOLUÇÃO: IDÉIAS E EVIDÊNCIAS. Professor Fláudio EVOLUÇÃO: IDÉIAS E EVIDÊNCIAS Professor Fláudio EVIDÊNCIAS DE EVOLUÇÃO EVOLUÇÃO conjunto de processos que levam a modificações nos seres vivos ao longo do tempo, podendo dar origem a novas espécies Entender

Leia mais

Curso de Licenciatura em Biologia Evolução Biológica

Curso de Licenciatura em Biologia Evolução Biológica INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE Campus Macau Curso de Licenciatura em Biologia Evolução Biológica IFRN/Macau - Curso de Licenciatura em Biologia - Parasitologia

Leia mais

BIOLOGIA. Questões de 01 a 06. Fator II

BIOLOGIA. Questões de 01 a 06. Fator II Grupo 2 TIPO B BIO Pág.1 1 BIOLOGIA Questões de 01 a 06 01. Os gráficos a seguir representam a variação da taxa de fotossíntese de uma planta em função dos fatores ambientais I, II e III. Taxa de Fotossíntese

Leia mais

Drepanocitose em Debate. Drepanocitose. Carlos Canhota

Drepanocitose em Debate. Drepanocitose. Carlos Canhota Drepanocitose Carlos Canhota Objectivos Drepanocitose Enquadramento da questão Circular Normativa da DGS - PREVENÇÃO DAS FORMAS GRAVES DE HEMOGLOBINOPATIA Nº: 18/DSMIA 07/09/04 Experiência de Macau ACES

Leia mais

Biologia Ensino Médio 2º ano classe: Prof. Cesinha Nome: nº

Biologia Ensino Médio 2º ano classe: Prof. Cesinha Nome: nº PRIMEIR LETR TEREIR LETR Biologia Ensino Médio 2º ano classe: Prof. esinha Nome: nº Valor: 10 Nota:. Lista de ExercíciosTarefa- Segundos nos prof. esinha 2015 1. (ff 2010) figura a seguir representa um

Leia mais

BIOLOGIA Prof.: Camacho Lista: 11 Aluno(a): Turma: Data: 28/04/2015

BIOLOGIA Prof.: Camacho Lista: 11 Aluno(a): Turma: Data: 28/04/2015 BIOLOGIA Prof.: Camacho Lista: 11 Aluno(a): Turma: Data: 28/04/2015 Questão 01) Em uma população, conhece-se a freqüência de daltônicos. Sabendo-se que nela, o número de mulheres e de homens é aproximadamente

Leia mais

Gene tica. O que é genética? É o estudo dos genes e de sua transmissão para as futuras gerações. Genética Clássica -> Mendel(1856)

Gene tica. O que é genética? É o estudo dos genes e de sua transmissão para as futuras gerações. Genética Clássica -> Mendel(1856) Gene tica Conceitos básicos Na semente estão contidas todas as partes do corpo do homem que serão formadas. A criança que se desenvolve no útero da mãe tem as raízes da barba e do cabelo que nascerão um

Leia mais

PlanetaBio Resolução de Vestibulares UNICAMP 2012 2ª fase www.planetabio.com

PlanetaBio Resolução de Vestibulares UNICAMP 2012 2ª fase www.planetabio.com 1- Um dos grupos mais numerosos de artrópodes, os insetos, passou a ocupar o ambiente terrestre. Algumas estruturas foram relevantes para que os insetos conquistassem a terra firme e ocupassem vários espaços

Leia mais

Professora Leonilda Brandão da Silva

Professora Leonilda Brandão da Silva COLÉGIO ESTADUAL HELENA KOLODY E.M.P. TERRA BOA - PARANÁ Professora Leonilda Brandão da Silva E-mail: leonildabrandaosilva@gmail.com http://professoraleonilda.wordpress.com/ CAPÍTULO 9 p. 124 É a + aceita

Leia mais

Biologia-Geologia 11ºano Novembro de 2006. Científico-Humanísticos Curso Ciências e Tecnologias. A hemoglobina. Texto adaptado

Biologia-Geologia 11ºano Novembro de 2006. Científico-Humanísticos Curso Ciências e Tecnologias. A hemoglobina. Texto adaptado Biologia-Geologia 11ºano Novembro de 2006 Científico-Humanísticos Curso Ciências e Tecnologias A hemoglobina Cada molécula de hemoglobina consiste em dois pares separados de globinas alfa e beta (cadeias

Leia mais

PADRÃO DE HERANÇA LIGADA AO CROMOSSOMO X

PADRÃO DE HERANÇA LIGADA AO CROMOSSOMO X PADRÃO DE HERANÇA LIGADA AO CROMOSSOMO X HOMENS: apresenta um X e um Y XY sexo heterogamético o seus gametas serão metade com cromossomo X e metade com cromossomo Y MULHER: apresenta dois X XX sexo homogamético

Leia mais

Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias. Disciplina BIOLOGIA MOLECULAR

Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias. Disciplina BIOLOGIA MOLECULAR Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias Disciplina BIOLOGIA MOLECULAR DBI05366 CAMPUS: Centro de Ciências Agrárias CURSO: Ciências Biológicas HABILITAÇÃO: Bacharelado em Ciências

Leia mais

UN.2 -PATRIMÓNIO GENÉTICO E ALTERAÇÕES AO MATERIAL GENÉTICO

UN.2 -PATRIMÓNIO GENÉTICO E ALTERAÇÕES AO MATERIAL GENÉTICO UN.2 -PATRIMÓNIO GENÉTICO E ALTERAÇÕES AO MATERIAL GENÉTICO Biologia 12º ano Material genético Material genético Genes e cromossomas As informações hereditárias transmitidas ao longo das gerações, segundo

Leia mais

Polialelia, Sangue e Sexo

Polialelia, Sangue e Sexo Polialelia, Sangue e Sexo Polialelia, Sangue e Sexo 1. (UFPEL) Três irmãos (João, José e Maria) realizaram um exame de sangue em laboratório para identificar os seus tipos sanguíneos, com o objetivo de

Leia mais

Biologia Luiz Segundo

Biologia Luiz Segundo Biologia Luiz Segundo TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: Desde que médicos começaram a solicitar regularmente exames de tomografia computadorizada, cientistas se preocupam que o procedimento de imageamento

Leia mais

EVOLUÇÃO VIRAL. Keiciane Canabarro Drehmer

EVOLUÇÃO VIRAL. Keiciane Canabarro Drehmer EVOLUÇÃO VIRAL Keiciane Canabarro Drehmer 1 Sumário: Características gerais dos vírus Evolução viral Mecanismo da evolução Seleção natural Vírus da influenza Surgimento das gripes Curiosidades Referências

Leia mais

As funções das proteínas no organismo :

As funções das proteínas no organismo : PROTEINAS As funções das proteínas no organismo : As principais funções das proteínas - Construção de novos tecidos do corpo humano. - Atuam no transporte de substâncias como, por exemplo, o oxigênio.

Leia mais

Genética e Saúde - Genética na Escola. Depois de aproximadamente 150 anos dos revolucionários experimentos

Genética e Saúde - Genética na Escola. Depois de aproximadamente 150 anos dos revolucionários experimentos Genética e Saúde - Genética na Escola Depois de aproximadamente 150 anos dos revolucionários experimentos de Mendel, a genética alcança sua fase molecular com toda força, tornando um desafio para os professores

Leia mais

Introdução a genética de populações e a origem da variação genética. Aula 1

Introdução a genética de populações e a origem da variação genética. Aula 1 Introdução a genética de populações e a origem da variação genética Aula 1 O Escopo da Genética de populações! Genética mendeliana! A transmissão da informação da informação genética está sujeita as leis

Leia mais

A doença de Descendência Portuguesa

A doença de Descendência Portuguesa Instituto Superior de Ciências da Saúde - Norte A doença de Descendência Portuguesa Eduarda Teixeira Lopes Bioquímica 2º Ano 10/12/2007 Polineuropatia Amiloidótica Familiar Introdução 3 designações diferentes:

Leia mais

Vamos iniciar o estudo da unidade fundamental que constitui todos os organismos vivos: a célula.

Vamos iniciar o estudo da unidade fundamental que constitui todos os organismos vivos: a célula. Aula 01 Composição química de uma célula O que é uma célula? Vamos iniciar o estudo da unidade fundamental que constitui todos os organismos vivos: a célula. Toda célula possui a capacidade de crescer,

Leia mais

FUVEST a Fase - Biologia - 05/01/2000

FUVEST a Fase - Biologia - 05/01/2000 Q.01 a) Apesar de o predatismo ser descrito como uma interação positiva para o predador e negativa para a presa, pode-se afirmar que os predadores têm um efeito positivo sobre a população de presas. Explique

Leia mais

MUTAÇÃO. O que é mutação? - Alteração no material genético.

MUTAÇÃO. O que é mutação? - Alteração no material genético. Universidade Federal do Piauí Núcleo de Estudos em Genética e Melhoramento (GEM) CNPJ: 12.597.925/0001-40 Rua Dirce de Oliveira,3597- Socopo/Teresina-PI Mutação MARIANE DE MORAES COSTA Teresina, 01 de

Leia mais

B) EXPLIQUE, de acordo com a teoria neodarwinista, a atuação desses dois fatores evolutivos na população de bactérias representada.

B) EXPLIQUE, de acordo com a teoria neodarwinista, a atuação desses dois fatores evolutivos na população de bactérias representada. Questão 01 Há algum tempo, a resistência a antibióticos vem-se tornando um problema mundial de Saúde Pública, porque dificulta o tratamento de infecções bacterianas. 1. Analise esta figura, em que está

Leia mais

Aula 4: Genética da Transmissão III

Aula 4: Genética da Transmissão III LGN215 - Genética Geral Aula 4: Genética da Transmissão III Prof. Dr. Antonio Augusto Franco Garcia Monitora: Maria Marta Pastina Experimentos de Mendel Inicialmente, Mendel estudou cruzamentos considerando

Leia mais

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 41 MONO-HIBRIDISMO

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 41 MONO-HIBRIDISMO BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 41 MONO-HIBRIDISMO GRUPO SANGUÍNEO Antígenos Genótipo M M L M L M N N L N L N MN M e N L M L N Relação de dominância Dominância completa 1ª LEI RG na descendência de um híbrido

Leia mais

Exercícios de Biologia Genética das Populações Lista 2

Exercícios de Biologia Genética das Populações Lista 2 Exercícios de Biologia Genética das Populações Lista 2 TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES. (Uel 97) A anemia falciforme ou siclemia é uma doença hereditária que leva à formação de hemoglobina anormal e,

Leia mais

PREVALÊNCIA DE GIARDIA LAMBLIA NA CIDADE DE BURITAMA ESTADO DE SÃO PAULO

PREVALÊNCIA DE GIARDIA LAMBLIA NA CIDADE DE BURITAMA ESTADO DE SÃO PAULO PREVALÊNCIA DE GIARDIA LAMBLIA NA CIDADE DE BURITAMA ESTADO DE SÃO PAULO Catierine Hirsch Werle RESUMO A Giardia está distribuída mundialmente. No Brasil sua prevalência varia de 4 a 30%, dependendo das

Leia mais

1ª Lei de Mendel. Tema 2: Genética Mendeliana. Prof. Leandro Parussolo

1ª Lei de Mendel. Tema 2: Genética Mendeliana. Prof. Leandro Parussolo Instituto Federal de Santa Catarina Câmpus Florianópolis Unidade Curricular: Biologia IV Tema 2: Genética Mendeliana 1ª Lei de Mendel Prof. Leandro Parussolo leandro.parussolo@ifsc.edu.br Histórico Johann

Leia mais

7.012 Conjunto de Problemas 2

7.012 Conjunto de Problemas 2 Nome Seção 7.012 Conjunto de Problemas 2 Pergunta 1 Nos unicórnios, a cor da pelagem (marrom ou branca) é controlada por um único gene com dois alelos, A e a. O fenótipo marrom é dominante sobre o fenótipo

Leia mais

colorida, Projetor multimídia. Quadro branco, Piloto colorida, Projetor multimídia, Televisão, Aparelho de DVD Aula prática no laboratório

colorida, Projetor multimídia. Quadro branco, Piloto colorida, Projetor multimídia, Televisão, Aparelho de DVD Aula prática no laboratório 1 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 2011.1 CURSO: NUTRIÇÃO DISCIPLINA: BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR TURMA: N (01) CARGA HORÁRIA: 54h PROFESSOR: João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto COORDENADORA DO CURSO: Jalyne

Leia mais

Biologia Genética Médio [20 Questões]

Biologia Genética Médio [20 Questões] Biologia Genética Médio [20 Questões] 01 - (ESCS DF) Em uma transfusão direta de sangue entre dois indivíduos, uma pessoa com sangue do tipo AB, Rh + recebe sangue do tipo B, Rh. Espera-se que, nessa transfusão,

Leia mais

Olá! Vamos aprender um pouco sobre Biotecnologia? A Biotecnologia é uma ciência que abrange todos estes campos do conhecimento:

Olá! Vamos aprender um pouco sobre Biotecnologia? A Biotecnologia é uma ciência que abrange todos estes campos do conhecimento: Biotecnologia Olá! Vamos aprender um pouco sobre Biotecnologia? A Biotecnologia é uma ciência que abrange todos estes campos do conhecimento: É definida como uma técnica que usa organismo vivo ou parte

Leia mais

PRINCÍPIOS DE ECOLOGIA EVOLUTIVA

PRINCÍPIOS DE ECOLOGIA EVOLUTIVA PRINCÍPIOS DE ECOLOGIA EVOLUTIVA RELEMBRANDO... O que é Ecologia? Biosfera Ecossistema Comunidade População Organismo PENSAMENTO EVOLUTIVO E ECOLÓGICO Em biologia, nada tem sentido, exceto à luz a evolução

Leia mais

Introdução a Biologia Molecular: DNA Nutrição

Introdução a Biologia Molecular: DNA Nutrição Introdução a Biologia Molecular: DNA Nutrição Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto ABR/2011 HISTÓRICO Organização Células DNA + Proteínas Informação das proteínas e RNAs que serão sintetizadas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE REINGRESSO E MUDANÇA DE CURSO 2016 BIOLOGIA CADERNO DE QUESTÕES INSTRUÇÕES AO CANDIDATO Você deverá ter recebido o Caderno com a Proposta de Redação, a Folha de Redação,

Leia mais

Noções de Genética: COLÉGIO DIOCESANO SERIDOENSE CURSINHO PRÉ-ENEM PROFESSORA: MSc MONYKE LUCENA

Noções de Genética: COLÉGIO DIOCESANO SERIDOENSE CURSINHO PRÉ-ENEM PROFESSORA: MSc MONYKE LUCENA Noções de Genética: COLÉGIO DIOCESANO SERIDOENSE CURSINHO PRÉ-ENEM PROFESSORA: MSc MONYKE LUCENA Noções de Genética: Genética: É o estudo da hereditariedade. Hereditariedade: fenômeno que explica as semelhanças

Leia mais

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação PROVA FINAL DE BIOLOGIA Aluno(a): Nº Ano: 1º Turma: Data: Nota: Professor: Regina Valor da Prova: 90 pontos Assinatura do responsável: Orientações gerais: 1)

Leia mais

Ação Gênica. Dr. Minos E. Carvalho Pos doc do Grupo de Melhoramento Animal e Biotecnologia Dep. Medicina Veterinária

Ação Gênica. Dr. Minos E. Carvalho Pos doc do Grupo de Melhoramento Animal e Biotecnologia Dep. Medicina Veterinária Ação Gênica Dr. Minos E. Carvalho Pos doc do Grupo de Melhoramento Animal e Biotecnologia Dep. Medicina Veterinária Disciplina: Genética Básica e Biologia Molecular Responsável: Prof. Dr. José Bento Sterman

Leia mais

NÚCLEO CELULAR. Disciplina: Embriologia e Genética Curso Odontologia Profa Ednilse Leme

NÚCLEO CELULAR. Disciplina: Embriologia e Genética Curso Odontologia Profa Ednilse Leme NÚCLEO CELULAR Disciplina: Embriologia e Genética Curso Odontologia Profa Ednilse Leme A presença do núcleo é a principal característica que distingue a célula eucariótica da procariótica. No núcleo está

Leia mais

Assinale abaixo quais os processos que resultam na expressão das características individuais:

Assinale abaixo quais os processos que resultam na expressão das características individuais: Atividade extra Questão 1 O DNA é formado por pedaços capazes de serem convertidos em algumas características. Esses pedaços são chamados de genes. Assinale abaixo quais os processos que resultam na expressão

Leia mais

Lista de Exercícios (BIO-LEO)

Lista de Exercícios (BIO-LEO) Lista de Exercícios (BIO-LEO). (Unicid - Medicina 206) Certa espécie de planta pode produzir flores vermelhas ou brancas, determinadas por um par de alelos autossômicos. Após a realização de alguns cruzamentos

Leia mais

Teoria da Evolução. Computação Evolucionária: Um pouco de biologia. Teoria da Evolução. Teoria da Evolução e os Genes. Cromossomos

Teoria da Evolução. Computação Evolucionária: Um pouco de biologia. Teoria da Evolução. Teoria da Evolução e os Genes. Cromossomos Computação Evolucionária: Um pouco biologia Teoria da Evolução Até o século XIX os cientistas mais proeminentes acreditavam em duas teorias principais: Criacionismo ( Deus criou o universo da forma que

Leia mais

Diagnóstico de hemoglobinopatias pela triagem neonatal

Diagnóstico de hemoglobinopatias pela triagem neonatal 1º Congresso Médico de Guarulhos Práticas Clínicas no SUS 5 a 7 novembro de 2015 Diagnóstico de hemoglobinopatias pela triagem neonatal Dra Christiane M. S. Pinto Hematologista Pediatrica HMCA Guarulhos

Leia mais

Samyr Coradini Lopes Acadêmico de Medicina 3º Período Monitor de Genética/2015 Orientadora: profª. Dra. Cibele Veloso Rodrigues

Samyr Coradini Lopes Acadêmico de Medicina 3º Período Monitor de Genética/2015 Orientadora: profª. Dra. Cibele Veloso Rodrigues Samyr Coradini Lopes Acadêmico de Medicina 3º Período Monitor de Genética/2015 Orientadora: profª. Dra. Cibele Veloso Rodrigues A descoberta do DNA e o projeto genoma. Rev. Assoc. Med. Bras., São Paulo,

Leia mais

SER - POLIEDRO. GENÉTICA Prof. Vagner PRÉ - MÉDICOS DETERMINAÇÃO DOS TIPOS DE HERANÇA GENÉTICA HERANÇA MONOGÊNICA OU MONOIBRIDISMO

SER - POLIEDRO. GENÉTICA Prof. Vagner PRÉ - MÉDICOS DETERMINAÇÃO DOS TIPOS DE HERANÇA GENÉTICA HERANÇA MONOGÊNICA OU MONOIBRIDISMO SER - POLIEDRO PRÉ - MÉDICOS GENÉTICA Prof. Vagner DETERMINAÇÃO DOS TIPOS DE HERANÇA GENÉTICA HERANÇA MONOGÊNICA OU MONOIBRIDISMO 1. HERANÇA AUTOSSÔMICA Os genes estão situados em cromossomos autossomos

Leia mais

daltônico. Esta doença traz como consequência problemas nas células denominadas de cones, que ajudam a enxergar cores.

daltônico. Esta doença traz como consequência problemas nas células denominadas de cones, que ajudam a enxergar cores. BIO V7 CAP 19 19.01 O genótipo do casal III-2 e III-3 é X A X a x X a y. Fazendo o cruzamento os filhos podem ser: X A X a, X A Y, X a X a, X a Y. Como se pode observar qual é o masculino e qual é o feminino,

Leia mais

Biologia. Bandeira e Oda (Hélio Fresta) Genética

Biologia. Bandeira e Oda (Hélio Fresta) Genética Genética Genética 1. Para a identificação de um rapaz vítima de acidente, fragmentos de tecidos foram retirados e submetidos à extração de DNA nuclear, para comparação com o DNA disponível dos possíveis

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina BIO270 Virologia Geral e Molecular

Programa Analítico de Disciplina BIO270 Virologia Geral e Molecular Catálogo de Graduação 016 da UFV 0 Programa Analítico de Disciplina BIO70 Virologia Geral e Molecular Departamento de Biologia Geral - Centro de Ciências Biológicas e da Saúde Número de créditos: 6 Teóricas

Leia mais

CRUZAMENTO-TESTE e RETROCRUZAMENTO pg.20

CRUZAMENTO-TESTE e RETROCRUZAMENTO pg.20 CRUZAMENTO-TESTE e RETROCRUZAMENTO pg.20 Como descobrir se é VV ou Vv? Para descobrir se um indivíduo portador de um caráter dominante é homozigoto ou heterozigoto, basta cruzá-lo com um indivíduo recessivo

Leia mais

MELHORAMENTO DE PLANTAS AUTÓGAMAS POR SELEÇÃO

MELHORAMENTO DE PLANTAS AUTÓGAMAS POR SELEÇÃO MELHORAMENTO DE PLANTAS AUTÓGAMAS POR SELEÇÃO 6 INTRODUÇÃO A seleção é uma das principais ferramentas do melhorista independente do tipo de método de melhoramento utilizado. A seleção é utilizada tanto

Leia mais

MUDANÇA galáxias, linguagens, economia, tecnologia, sistemas políticos...

MUDANÇA galáxias, linguagens, economia, tecnologia, sistemas políticos... Genética Evolutiva Disciplina: Estudo da Genética e da Evolução Turma: Terapia Ocupacional (1 o Ano) Docente: Profa. Dra. Marilanda Ferreira Bellini E-mail: marilanda_bellini@yahoo.com Blog: http://marilandabellini.wordpress.com

Leia mais

GENÉTICA: DE MENDEL AO DNA

GENÉTICA: DE MENDEL AO DNA GENÉTICA: DE MENDEL AO DNA Como os genes influenciam as características? O que faz com que um alelo seja dominante ou recessivo? Por que alguns genes provocam doenças? PROBLEMATIZAÇÃO Quais são os ácidos

Leia mais

Aberrações cromossômicas numéricas e estruturais

Aberrações cromossômicas numéricas e estruturais Aberrações cromossômicas numéricas e estruturais CAMILA CAMPÊLO DE SOUSA Introdução Variação cromossômica ou cariotípica; Mutações: --vantajosas --desvantajosas --neutras Polimorfismo cromossômico: existência

Leia mais

3) Usando seus conhecimentos de probabilidade, Mendel chegou às seguintes conclusões, com exceção de uma delas. Indique-a:

3) Usando seus conhecimentos de probabilidade, Mendel chegou às seguintes conclusões, com exceção de uma delas. Indique-a: LISTA REVISÃO BIOLOGIA DIVISÃO CELULAR E GENÉTICA 1) Em urtigas o caráter denteado das folhas domina o caráter liso. Numa experiência de polinização cruzada, foi obtido o seguinte resultado: 89 denteadas

Leia mais

INTERAÇÃO GÊNICA 2º ANO PROFª Rose Lopes

INTERAÇÃO GÊNICA 2º ANO PROFª Rose Lopes INTERAÇÃO GÊNICA 2º ANO PROFª Rose Lopes INTERAÇÃO GÊNICA Quando dois ou + pares de alelos agem na origem de uma mesma característica. Há vários casos de interação gênica: 1. Interações não-epistáticas

Leia mais

CRUZAGENS: UMA PROPOSTA LÚDICA NO PROCESSO DE ENSINO- APRENDIZAGEM Adriana de Souza Santos

CRUZAGENS: UMA PROPOSTA LÚDICA NO PROCESSO DE ENSINO- APRENDIZAGEM Adriana de Souza Santos MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) Subprojeto-Biologia CRUZAGENS: UMA PROPOSTA LÚDICA NO PROCESSO DE ENSINO-

Leia mais

Capítulo 4 Fontes de Variação

Capítulo 4 Fontes de Variação Capítulo 4 Fontes de Variação Mutação: Para que uma população esteja e se mantenha em equilíbrio de Hardy-Weinberg, é necessário que atenda a uma série de pressupostos (ver capítulo ). Em caso positivo,

Leia mais

Organismos em seus ambientes. Prof. Dr. Francisco Soares Santos Filho UESPI

Organismos em seus ambientes. Prof. Dr. Francisco Soares Santos Filho UESPI Organismos em seus ambientes Prof. Dr. Francisco Soares Santos Filho UESPI Em biologia, nada tem sentido, exceto à luz da evolução (Theodosius Dobzhansky) O significado da Adaptação É muito comum dizermos

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM ESCOLA SUPERIOR AGRÁRIA DE SANTARÉM

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM ESCOLA SUPERIOR AGRÁRIA DE SANTARÉM INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM ESCOLA SUPERIOR AGRÁRIA DE SANTARÉM PROVAS ESPECIALMENTE ADEQUADAS A AVALIAR A CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DOS CURSOS DE LICENCIATURA DA ESCOLA SUPERIOR AGRÁRIA DE SANTARÉM,

Leia mais

SIMULADO EXTENSIVO BIOLOGIA

SIMULADO EXTENSIVO BIOLOGIA P R É - V E S T I B U L A R 04.09 BIOLOGIA QUESTÃO 33 O diabetes mellitus é uma doença determinada por um gen autossômico recessivo que afeta 9 milhões de pessoas no Brasil. Num experimento de ponta, canadenses

Leia mais

Biologia. Rubens Oda (Julio Junior) Doenças

Biologia. Rubens Oda (Julio Junior) Doenças Doenças Doenças 1. Uma parceria internacional definiu como meta distribuir, entre 2008 e 2010, gratuitamente, cerca de 300 milhões de mosquiteiros tratados com inseticidas duráveis para proteger todos

Leia mais

GABARITO PROVA B GABARITO PROVA A. Colégio Providência Avaliação por Área. Colégio Providência Avaliação por Área 1ª SÉRIE ENSINO MÉDIO

GABARITO PROVA B GABARITO PROVA A. Colégio Providência Avaliação por Área. Colégio Providência Avaliação por Área 1ª SÉRIE ENSINO MÉDIO Colégio Providência Avaliação por Área Ciências da Natureza e suas tecnologias: Física, Química e Biologia 3ª ETAPA Data: 25/11/2015 1ª SÉRIE ENSINO MÉDIO GABARITO PROVA A A B C D 1 XXXX xxxxx xxxxx xxxxx

Leia mais

COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO COPESE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PROGRAD VESTIBULAR 2011 PROVA DE BIOLOGIA

COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO COPESE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PROGRAD VESTIBULAR 2011 PROVA DE BIOLOGIA Questão 1: É sabido que indivíduos homozigotos recessivos para alelos mutados do gene codificador da enzima hexosaminidase desenvolvem uma doença conhecida como Tay-Sachs, e morrem antes do quarto ano

Leia mais

PROF: L. CLAUDIO BIOLOGIA

PROF: L. CLAUDIO BIOLOGIA NOME: 1ºANO- EXERCICIOS DE RECUPERAÇÃO PROF: L. CLAUDIO BIOLOGIA 1. (G2) Quais são as duas propriedades fundamentais do DNA que permitem a essa substância desempenhar o papel de material genético? 2. (G2)

Leia mais

INTRODUÇÃO À BIOQUÍMICA DA CÉLULA. Bioquímica Celular Prof. Júnior

INTRODUÇÃO À BIOQUÍMICA DA CÉLULA. Bioquímica Celular Prof. Júnior INTRODUÇÃO À BIOQUÍMICA DA CÉLULA Histórico INTRODUÇÃO 1665: Robert Hooke Compartimentos (Células) 1840: Theodor Schwann Teoria Celular 1. Todos os organismos são constituídos de uma ou mais células 2.

Leia mais

ENEM PROVA AZUL RESUMO

ENEM PROVA AZUL RESUMO ENEM 2009 - PROVA AZUL RESUMO 2009 (19 questões) 1 Ecologia - Desequilíbrio Ambiental Bioquímica 1 2 Fisiologia Humana - Interpretação gráfica Biotecnologia 1 3 Doenças virais e Bioquímica - Soro x Vacina

Leia mais

AU01. Aspectos Genéticos da Mitose e Meiose. Emanuele Cristina Pesenti. Doutoranda PPG-GEN

AU01. Aspectos Genéticos da Mitose e Meiose. Emanuele Cristina Pesenti. Doutoranda PPG-GEN AU01 Aspectos Genéticos da Mitose e Meiose Emanuele Cristina Pesenti Doutoranda PPG-GEN emanuelepesenti@gmail.com Resumo Cromossomos Eucarióticos: Intrudução acerca da estrutura e organização dos cromossomos

Leia mais

Jean Berg Alves da Silva HIGIENE ANIMAL. Jean Berg Alves da Silva. Cronograma Referências Bibliográficas 09/03/2012

Jean Berg Alves da Silva HIGIENE ANIMAL. Jean Berg Alves da Silva. Cronograma Referências Bibliográficas 09/03/2012 Jean Berg Alves da Silva Médico Veterinário UFERSA (2001) Dr. Ciências Veterinárias UECE (2006) Professor do Departamentos de Ciências Animais da UFERSA HIGIENE ANIMAL Jean Berg Jean Berg Alves da Silva

Leia mais

Macromolécula mais abundante nas células

Macromolécula mais abundante nas células PROTEÍNAS Origem grego (protos) primeira, mais importante A palavra proteína que eu proponho vem derivada de proteos, porque ela parece ser a substância primitiva ou principal da nutrição animal, as plantas

Leia mais

Bases genéticas e a evolução do comportamento

Bases genéticas e a evolução do comportamento Bases genéticas e a evolução do comportamento Comportamento = FENÓTIPO Genótipo + Ambiente 1 Efeitos de genes individuais sobre o comportamento Mutante Icebox (Ibx) herança recessiva ligada ao cromossomo

Leia mais

15/10/2009 GENÉTICA BACTERIANA. Disciplina: Microbiologia Geral Curso: Nutrição Prof. Renata Fernandes Rabello. Informação genética essencial.

15/10/2009 GENÉTICA BACTERIANA. Disciplina: Microbiologia Geral Curso: Nutrição Prof. Renata Fernandes Rabello. Informação genética essencial. GENÉTICA BACTERIANA GENOMA BACTERIANO Cromossoma (nucleóide) Informação genética essencial. Ácido desoxirribonucléico (DNA). Disciplina: Microbiologia Geral Curso: Nutrição Prof. Renata Fernandes Rabello

Leia mais

BIOLOGIA COMENTÁRIO DA PROVA DE BIOLOGIA

BIOLOGIA COMENTÁRIO DA PROVA DE BIOLOGIA COMENTÁRIO DA PROVA DE BIOLOGIA A prova de Biologia apresentou uma boa abrangência em relação aos conteúdos programáticos solicitados. Envolveu conceitos fundamentais da Biologia, não descuidando de assuntos

Leia mais

Primeira Lei de Mendel e Heredograma

Primeira Lei de Mendel e Heredograma Primeira Lei de Mendel e Heredograma 1. (UFC-2006) Leia o texto a seguir. A Doença de Alzheimer (D.A.) (...) é uma afecção neurodegenerativa progressiva e irreversível, que acarreta perda de memória e

Leia mais

Ligação, permuta e mapas genéticos: ligação e permuta genética, estimativa da freqüência de permuta

Ligação, permuta e mapas genéticos: ligação e permuta genética, estimativa da freqüência de permuta Universidade Federal de Pelotas FAEM - DZ Curso de Zootecnia Genética Aplicada à Produção Animal Ligação, permuta e mapas genéticos: ligação e permuta genética, estimativa da freqüência de permuta Após

Leia mais

21/11/2013 BIOLOGIA EVOLUÇÃO

21/11/2013 BIOLOGIA EVOLUÇÃO BIOLOGIA EVOLUÇÃO O que é a evolução? Evolução é o processo através no qual ocorrem as mudanças ou transformações nos seres vivos ao longo do tempo, dando origem a espécies novas. 1 Evidências da evolução

Leia mais

BIOLOGIA 2ª ETAPA do VESTIBULAR 2005

BIOLOGIA 2ª ETAPA do VESTIBULAR 2005 IOLOGIA 2ª ETAPA do VESTIULAR 2005 QUESTÃO 01 Os hormônios sexuais são substâncias que, no sistema reprodutor feminino, promovem interações que regulam o ciclo menstrual. Analise a possibilidade de ocorrência

Leia mais

Biologia. Inter-relações nos ecossistemas

Biologia. Inter-relações nos ecossistemas Biologia FASCÍCULO 1 Módulo 1 Introdução à Biologia O que é vida? O que é ciência O método científico Experimentos: fazendo ciência O cientista inserido em seu tempo Ciência e ética Módulo 2 Origem da

Leia mais

BIOLOGIA. Questão 01. fenilalanina. cisteína ácido glutâmico

BIOLOGIA. Questão 01. fenilalanina. cisteína ácido glutâmico BIOLOGIA Questão 01 Proteínas são moléculas responsáveis pela maior parte dos processos celulares. Seu funcionamento é dependente da constituição de aminoácidos que, por sua vez, é determinada, principalmente,

Leia mais

GENE: UMA ANÁLISE CONCEITUAL EM LIVROS DIDÁTICOS DE BIOLOGIA DO ENSINO MÉDIO

GENE: UMA ANÁLISE CONCEITUAL EM LIVROS DIDÁTICOS DE BIOLOGIA DO ENSINO MÉDIO GENE: UMA ANÁLISE CONCEITUAL EM LIVROS DIDÁTICOS DE BIOLOGIA DO ENSINO MÉDIO Jair Moisés de Sousa, UFCG/CSTR, jair@cstr.ufcg.edu.br José Bernardo Alves, Centro Educacional Millenium, joseelsonbernado@hotmail.com

Leia mais

BIOLOGIA. Questão 01 N1 N2 NF - 1 -

BIOLOGIA. Questão 01 N1 N2 NF - 1 - BIOLOGIA Questão 01 Pesquisas recentes mostram que o aquecimento do Planeta tem provocado a extinção ou a migração de várias espécies animais para as regiões mais frias, principalmente borboletas, abelhas

Leia mais

Núcleo celular: O centro de comando. Unidade 4 Pág 34

Núcleo celular: O centro de comando. Unidade 4 Pág 34 Núcleo celular: O centro de comando. Unidade 4 Pág 34 NÚCLEO O núcleo é o centro de coordenação das atividades da célula. Em geral há um núcleo por célula; células sem núcleo são apenas uma fase da vida;

Leia mais

BIOLOGIA PRIMEIRA ETAPA

BIOLOGIA PRIMEIRA ETAPA BIOLOGIA PRIMEIRA ETAPA - 1998 QUESTÃO 01 Observa-se que as bananeiras inibem o crescimento de outras espécies de vegetais plantadas próximo a elas. Para verificar se essa inibição é provocada por uma

Leia mais

Mutações. Escola Secundária Quinta do Marquês. Disciplina: Biologia e Geologia Professor: António Gonçalves Ano letivo: 2013/2014

Mutações. Escola Secundária Quinta do Marquês. Disciplina: Biologia e Geologia Professor: António Gonçalves Ano letivo: 2013/2014 Escola Secundária Quinta do Marquês Mutações Disciplina: Biologia e Geologia Professor: António Gonçalves Ano letivo: 2013/2014 Trabalho realizado por: Bárbara Dória, nº4, 11ºB Definição de mutação As

Leia mais

Determinação sexual. Prof. Fernando Belan Biologia Mais

Determinação sexual. Prof. Fernando Belan Biologia Mais Determinação sexual Prof. Fernando Belan Biologia Mais Em algumas espécies não há cromossomo Y; As fêmeas são XX e os macho têm um cromossomo X único. Fêmeas são homogamétcas e os machos heterogamétcos.

Leia mais