Estudo publicado pela Sociedade Americana de Cirurgia Dermatológica 2014

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estudo publicado pela Sociedade Americana de Cirurgia Dermatológica 2014"

Transcrição

1 EM DESTAQUE Estudo publicado pela Sociedade Americana de Cirurgia Dermatológica 2014 EFEITO DE UM CREME COM FATOR DE CRESCIMENTO EPIDERMAL EM HIPERPIGMENTAÇÃO PÓS-INFLAMATÓRIA, APÓS TRATAMENTO A LASER Q-SWITCHED 532-NM NEODYMIUM-DOPED YTTRIUM ALUMINUN GARNET (ND: YAG) HISTÓRICO: Aplicação tópica do Fator de Crescimento Epidermal (EGF) promove a cicatrização de feridas e pode reduzir o risco de hiperpigmentação pós-inflamatória (HPI) causada por laser. OBJETIVO: Investigar o efeito de um creme contendo EGF sobre a incidência de HPI causada por laser. MÉTODOS: Vinte e cinco pacientes coreanos, com manchas senis, foram selecionados e submetidos ao tratamento com laser Q-Switched a 532nm (Nd: YAG). Após procedimento, os pacientes aplicaram um creme contendo EGF ou um creme de controle na área tratada com laser. A cor da pele e a perda de água transepidermal (TEWL) foram medidas nos dias 0, 3, 7 e 35, usando aparelhos Mexameter e Tewameter respectivamente. RESULTADOS: O creme contendo Fator de Crescimento Epidermal resultou em uma redução, não significativa, no aumento da TEWL (p = 0,052 no Dia 7) no pós-procedimento a laser, mas diminuiu significativamente o índice de melanina e a incidência da HPI no Dia 35 (p = 0,031 e p = 0,027 respectivamente). CONCLUSÃO: Os cremes contendo EGF podem ser uma medida efetiva para prevenir HPI, causada por tratamento a laser, em pacientes asiáticos. A hiperpigmentação pós-inflamatória (HPI) é um aumento reativo na pigmentação de melanina, causada por diversas condições inflamatórias da pele. A sua patogênese não foi elucidada o suficiente, mas relatos anteriores sugerem que vários mediadores inflamatórios, citocinas e radiação ultravioleta podem resultar em hiperpigmentação dérmica e epidérmica. Além disso, a gravidade da inflamação cutânea é conhecida por determinar o grau da HPI, que pode ficar mais proeminente, após inflamação recorrente ou prolongada. Em particular, a HPI é mais comumente observada em indivíduos com tipos de pele mais escura, conforme classificação de Fitzpatrick de III a VI. A hiperpigmentação pós-inflamatória é, portanto, uma preocupação para pacientes asiáticos que se submetem ao tratamento a laser. 10

2 O Fator de Crescimento Epidermal (EGF) é um peptídeo pequeno que causa a proliferação, sobrevivência e migração dos queratinócitos, por meio da ativação do receptor do EGF (EGFR). Os receptores do Fator de Crescimento Epidermal são expressos em diversos tipos de células, incluindo fibroblastos, células endoteliais e queratinócitos. O Fator de Crescimento Epidermal estimula o ressurgimento da epiderme debilitada, crescimento externo do tecido de granulação, angiogênese e contração da ferida. Além disso, há inúmeros relatos em que a aplicação tópica de EGF, em peles debilitadas, promove a cicatrização de feridas. Como a HPI causada por laser é, geralmente, de tipo epidermal e resulta de dano epidermal, a cicatrização avançada de ferida com uma reepitelização adequada, pode reduzir o risco dessa doença. Entretanto, nenhum estudo clínico definitivo foi realizado para elucidar se o tratamento com EGF tópico diminui a incidência da HPI. No entanto, investigamos o efeito de um creme, contendo EGF, sobre a ocorrência de HPI, após a terapia a laser Q-Switched à 532nm (Nd: YAG), em um grupo de pacientes coreanos tratados contra manchas senis. MATERIAIS E MÉTODOS Vinte e cinco pacientes coreanos (4 homens e 21 mulheres, com idade entre 40 e 69 anos; média ± SD, 55,7 ± 7,0 anos e classificação de pele Fitzpatrick III-IV), com manchas senis, foram recrutados da Clínica de Dermatologia do Centro Médico de Asan, em Seul (Coreia). O Conselho de Revisão Institucional do hospital aprovou o estudo e informou que foi obtido consentimento dos participantes. Após lavagem delicada com um sabonete suave, um creme tópico (EMLA; AstraZeneca, Wilmington, DE) foi aplicado, 1 hora antes do procedimento, para anestesia local; e o tratamento foi realizado com Laser Q-Switched à 352nm (Nd: YAG - Spectra VRM, Lutronic, Goyang, Korea). Os parâmetros de operação tinham uma frequência de 1,5 J/ cm² e um diâmetro de 5 mm. Depois do procedimento, os pacientes foram distribuídos em 2 grupos, um deles aplicou um creme contendo EGF de 10 µg/ml (Easydew Repair Control; Daewoong Pharmaceitucal Co., Ltd., Seul, Coreia) na área tratada com laser, 2 vezes ao dia (n = 13), enquanto que o outro grupo aplicou um creme de controle, 2 vezes ao dia (n = 12). O Índice de Melanina (IM), o Índice de Eritema (IE) e a perda de água transepidermal (TEWL) foram medidos na lesão da mancha e na área perilesional, nos dias 0 (antes do tratamento a laser), 3, 7 e 35, usando um Mexameter (Courage + Khazaka Electronic GmbH, Cologne, Alemanha) e um Tewameter (Courage + Khazaka Electronic GmbH). Um atraso de 1 dia foi permitido, para a inclusão de dados dos dias 3 e 7, e uma diferença de 2 dias foi permitida para os dados do dia 35. As taxas dos valores lesionais e perilesionais foram utilizadas para as análises. As análises estatísticas foram realizadas usando o software estatístico, versão R (The R Foundation for Statistical Computing, Viena, Áustria), e p valor <0,05 dos dois lados foram considerados estatisticamente significativos. Duas amostras independentes foram usadas para comparar as alterações das taxas de IM basal entre os grupos tratado e de controle. Os mesmos métodos também foram usados para analisar as alterações na taxa de IE e de TEWL, a partir do valor basal. Além disso, testes de Fisher foram usados para comparar a frequência da HPI entre os grupos de controle e tratado. Como a hiperpigmentação pós-inflamatória ocorre quase sempre dentro dos primeiros 35 dias, após a terapia a laser, ela foi definida como uma taxa de IM mais alta que a basal no dia

3 RESULTADOS Dados demográficos e clínicos dos pacientes estão resumidos na Tabela 1. Não houve diferença estatística na classificação de pele Fitzpatrick ou no IM nos valores basais entre o grupo de controle e o grupo de tratamento (Tabela 1). Nos pacientes tratados com EGF, a média da taxa de IM alterou de 1,55 no dia 0 para 1,79 no dia 3; 1,91 no dia 7 e 1,08 no dia 35 (Tabela 2). No grupo controle, a média da taxa de IM alterou de 1,38 no dia 0 para 2,18 no dia 3; 1,27 no dia 7 e 1,34 no dia 35. No dia 35, o grupo tratado com EGF mostrou uma diminuição muito maior na taxa de IM basal, do que o grupo de controle (média ± SE, -0,47 ± 0,13 contra -0,03 ± 0,14; p = 0,031). Nos pacientes tratados com Fator de Cres- TABELA 1. Características Demográficas e Valores Basais dos Pacientes Grupo Tratado N Idade Sexo Masculino (%) Feminino (%) Classificação de pele Fitzpatrick III (%) IV (%) IM basal IE basal Taxa do Tewameter basal 54,3 ± 7, (16,7%) 10 (83,3%) 5 (41,7%) 7 (58,3%) 1,38 ± 0,30 0,77-1,81 1,20 ± 0,21 0,95-1,71 1,11 ± 0,59 0,39-2,56 56,9 ± 6, (15,4%) 11 (84,6%) 3 (23,1%) 10 (76,9%) 1,55 ± 0,37 1,01-2,09 1,20 ± 0,15 0,94-1,4 1,27 ± 0,24 0,88-1,70 *Teste de Mann-Whitney Teste de Fisher Relação entre tecido lesional e perilesional. p 0,339* > 0,999 0,411 0,320* 0,936* 0,098* Esse estudo sugere que o Fator de Crescimento Epidermal, de uso tópico, pode ser útil como um agente profilático para prevenir HPI causada por laser. cimento Epidermal, a média da taxa de IE alterou de 1,20 no dia 0 para 1,72 no dia 3; 1,44 no dia 7 e 1,20 no dia 35 (Tabela 3). As médias das taxas de IE para o grupo de controle foram 1,20 basal, 1,93 no dia 3; 1,35 no dia 7 e 1,43 no dia 35. Nos dias 3, 7 e 35, a alteração na taxa de IE basal não foi significativamente diferente entre os dois grupos (p = 0,566, p = 0,644 e p = 0,151 respectivamente). Para os pacientes tratados com EGF, a média TABELA 2. Alterações no IM Basal Durante o Período do Estudo * Teste com 2 amostras independentes. * Teste com 2 amostras independentes. Dia 3 0,80 ± 0,25 0,24 ± 0,19 0,082 Dia 7-0,10 ± 0,21 0,36 ± 0,31 0,242 Dia 35-0,03 ± 0,14 0,47 ± 0,13 0,031 da taxa de TEWL alterou de 1,27 no dia 0 para 1,40 no dia 3; 1,13 no dia 7, e 1,14 no dia 35 (Tabela 4). A média das taxas de TEWL para o grupo de controle foram 1,11 basal, 1,50 no Dia 3; 1,88 no dia 7 e 1,05 no dia 35. Nos dias TABELA 3. Alterações no IE desde Valores Basais Durante o Período de Estudo Dia 3 0,73 ± 0,31 0,53 ± 0,18 0,566 Dia 7 0,15 ± 0,10 0,24 ± 0,18 0,644 Dia 35 0,22 ± 0,11-0,00 ± 0,11 0,151 12

4 3, 7 e 35, a alteração na taxa de TEWL basal não foi significativamente diferente entre os 2 grupos (p = 0,533, p = 0,052 e p = 0,766 respectivamente). A frequência da HPI no dia 35 foi significativamente mais baixa no grupo tratado com EGF, do que no grupo de controle (7,7 % contra 50,0%; p = 0,027) (Tabela 5 e Figura 1). DISCUSSÃO A hiperpigmentação pós-inflamatória é uma complicação frequente associada à terapia a laser, e é particularmente proeminente em pacientes com tipo de pele escura. Um estudo com pacientes tailandeses, tratados com terapia a laser de dióxido de carbono (CO 2 ) fracionado demonstrou que a incidência da HPI era mais alta que 92%, em pacientes com fototipo de pele IV. A HPI também é de grande preocupação em pacientes asiáticos submetidos à terapia a laser Q-Switched à 532nm (Nd: YAG), para manchas. A doença pode persistir por anos e é melhor controlada prevenindo a inflamação. Nesse estudo, avaliamos o efeito de um creme tópico, contendo Fator de Crescimento Epidermal, nas alterações da TEWL e pigmentação em pacientes coreanos, após o tratamento a laser Q-Switched à 532nm (Nd: YAG) para manchas senis. O creme contendo EGF não reduziu significativamente a taxa de TEWL (p = 0,052 no dia 7) durante a cicatrização da ferida, mas diminuiu a incidência da TABELA 4. Alterações na Taxa de TEWL Desde Valores Basais Durante o Período de Estudo * Teste com amostras independentes. Dia 3 0,39 ± 0,40 0,13 ± 0,15 0,533 Dia 7 0,77 ± 0,41-0,14 ± 0,11 0,052 Dia 35 0,06 ± 0,18-0,12 ± 0,13 0,766 TABELA 5. Hiperpigmentação Pós-inflamatória no Dia 35 Hiperpigmentação Pós-inflamatória Grupo Tratado Não 6 (50,0%) 12 (92,3%) Sim 6 (50,0%) 1 (7,7%) Total 12 (100,0%) 13 (100,0%) A incidência de HPI foi significativamente mais baixa no grupo tratado com EGF, que no grupo de controle no dia 35. Cinquenta por cento dos pacientes no grupo de controle relataram HPI, após o tratamento com laser, enquanto que apenas 7,7% no grupo de tratamento com EGF apresentou HPI. HPI causada pelo laser. Nossa investigação possui significância clínica, já que demonstrou a evidência de EGF em hiperpigmentação pós-inflamatória pela primeira vez. Os mecanismos exatos por trás dos efeitos preventivos do Fator de Crescimento Epidermal na HPI são desconhecidos. Entretanto, dado o efeito favorável do EGF na cicatrização de ferida, pode ser especulado que o fator de crescimento promove recuperação do dano do tecido induzido pelo laser, reduzindo a inflamação que, normalmente, causaria a HPI. Como a cicatrização de ferida aberta envolve a restauração da barreira epidérmica, a recuperação da função da barreira pode refletir o status da cicatrização da ferida. Nesse estudo, não houve diferença significativa nas alterações da taxa de TEWL entre os pacientes tratados com EGF e o grupo de controle. Entretanto, o creme contendo Fator de Crescimento Epidermal diminuiu a incidência da HPI causada pelo laser. Considerando que a TEWL é um indicador conhecido para a função da barreira da pele, esses resultados sugerem que outros mecanismos podem estar envolvidos na prevenção da HPI. Os dados de um estudo recente, usando tratamento a laser de dióxido de carbono fracionado, também sugerem que outros mecanismos que induzem à hiperpigmentação pós-inflamatória podem estar envolvidos. Em estudo de Na e colegas, eles trataram 13

5 feridas expostas a laser com plasma rico em plaquetas, o qual contém uma variedade de citocinas e fatores de crescimento importantes para a cicatrização de feridas. O tratamento de plasma rico em plaquetas reduziu, ainda, a TEWL, embora a pigmentação de melanina não tenha sido significativamente diferente entre os grupos controle e tratado. Essas descobertas sugerem que a diminuição na pigmentação observada nesse estudo poderia ser atribuída a mecanismos que envolvem melanogênese direta ou indiretamente, além da cicatrização de feridas. Outros possíveis mecanismos podem incluir o efeito inibitório do EGF na melanogênese. Recentemente, o Fator de Crescimento Epidermal foi indicado para diminuir a melanogênese induzida por inflamação. Yun e colegas confirmaram que melanócitos humanos expressam EGFR s e respondem aos EGF através de sinais extracelulares pelos canais de sinalização das quinases. Quinases reguladas por sinais extracelulares são mediadores de EGFR e sua ativação reduz a síntese de melanina, por meio da MITF (Microphtalmia- -Associated Transcription Factor). Além disso, o EGF diminuiu a atividade da tirosinase dos melanócitos. O Fator de Crescimento Epidermal também reduziu a melanogênese em um modelo in vitro de HPI, no qual as células Melan-A foram cultivadas em meio condicionado, obtido de culturas de queratinócitos expostos a laser de CO 2. A concentração de prostaglandinas E2 foi de 1.2 vezes mais alta no meio condicionado, obtido das culturas de queratinócitos expostos a laser de CO 2, do que no meio controle. A prostaglandina E2 é um mediador pró-inflamatório liberado por queratinócitos danificados, que estimula a tirosinase e a melanogênese. Foi observado que, as células Melan-A cultivadas em meio condicionado, obtido de culturas de queratinócitos expostos a laser de CO 2, mostram níveis significativamente mais altos da atividade de tirosinase e conteúdo de melanina, os quais podem ser anulados pelo tratamento com o EGF. Em conclusão, um creme contendo EGF diminuiu a incidência de hiperpigmentação pós-inflamatória, em pacientes coreanos, tratados com terapia a laser Q-Switched à 532nm (Nd: YAG), para manchas senis. Esse estudo sugere que o Fator de Crescimento Epidermal, de uso tópico, pode ser útil como um agente profilático para prevenir HPI causada por laser. É necessário maior investigação para elucidar o mecanismo da ação do EGF em HPI. Figura 1. Fotografia clínica de um paciente representante do grupo tratado (A) antes e (B) no dia pela American Society for Dermatologic Surgery, Inc. - Publicada pela Lippincott Williams & Wilkins - ISSN: Dermatol Sug 2015;41: DOI: /DSS

Reparação. Regeneração Tecidual 30/06/2010. Controlada por fatores bioquímicos Liberada em resposta a lesão celular, necrose ou trauma mecânico

Reparação. Regeneração Tecidual 30/06/2010. Controlada por fatores bioquímicos Liberada em resposta a lesão celular, necrose ou trauma mecânico UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ COORDENAÇÃO DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA DISCIPLINA DE PATOLOGIA VETERINÁRIA Reparação Prof. Raimundo Tostes Reparação Regeneração: reposição de um grupo de células destruídas

Leia mais

Fatores de Crescimento + Ácido Hialurônico

Fatores de Crescimento + Ácido Hialurônico Atualização em Terapêutica Dermatológica 1 Fatores de Crescimento + Ácido Hialurônico Associação vantajosa para o rejuvenescimento cutâneo em conjunto com lasers leves a moderados 1. A aplicação tópica

Leia mais

PEELING DE ÁCIDO LÁCTICO

PEELING DE ÁCIDO LÁCTICO PEELING DE ÁCIDO LÁCTICO Eficácia e segurança no melasma Protocolo para Aplicação ÁCIDO LÁCTICO Novo peeling terapêutico para o melasma. Além de ser um AHA, faz parte da composição do Fator de Hidratação

Leia mais

Tratamento de Vulvodínea com ácido hialurônico

Tratamento de Vulvodínea com ácido hialurônico Tratamento de Vulvodínea com ácido hialurônico injeções de ácido hialurônico na vulva permitem alcançar a reparação desta área e cicatrização das fissuras melhorando a atrofia, reduzindo inflamação local,

Leia mais

Microdermoabrasão

Microdermoabrasão Microdermoabrasão A microdermoabrasão é um dos procedimentos cosméticos mais populares e não invasivos realizados atualmente. Com o tempo, fatores como envelhecimento, fatores genéticos, danos causados

Leia mais

Processo Inflamatório e Lesão Celular. Professor: Vinicius Coca

Processo Inflamatório e Lesão Celular. Professor: Vinicius Coca Processo Inflamatório e Lesão Celular Professor: Vinicius Coca www.facebook.com/profviniciuscoca www.viniciuscoca.com O que é inflamação? INFLAMAÇÃO - Inflamare (latim) ação de acender, chama FLOGOSE phlogos

Leia mais

NEOPANTOL. (dexpantenol)

NEOPANTOL. (dexpantenol) NEOPANTOL (dexpantenol) Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A. Pomada dexpantenol 50 mg/g Neopantol - pomada - Bula para o profissional de saúde 1 I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO NEOPANTOL dexpantenol

Leia mais

Capítulo 2 Aspectos Histológicos

Capítulo 2 Aspectos Histológicos 5 Capítulo 2 Aspectos Histológicos Alguns conceitos básicos sobre histologia humana, a caracterização dos tecidos, a regeneração e reparação dos mesmos em lesões e a cicatrização de feridas são aspectos

Leia mais

Cicatrização. Normal e patológica

Cicatrização. Normal e patológica Cicatrização Cicatrização Normal e patológica Cicatrização Tentativa biológica a que o organismo recorre para restaurar sua integridade Ordem --- Desordem Tratamento das feridas no passado Egípcios: Mel

Leia mais

DICAS E PÉROLAS NA PRÁTICA DERMATOLÓGICA

DICAS E PÉROLAS NA PRÁTICA DERMATOLÓGICA DICAS E PÉROLAS NA PRÁTICA DERMATOLÓGICA LIP E RESURFACING FRACIONADO NÃO ABLATIVO: Efeito sinérgico quando aplicados no mesmo dia Pode maximizar efeitos da LIP Custo reduzido, menor downtime e melhores

Leia mais

número 25- julho/2016 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS

número 25- julho/2016 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS número 25- julho/2016 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RADIOTERAPIA INTRAOPERATÓRIA PARA O TRATAMENTO DE ESTÁDIOS INICIAIS

Leia mais

ESTUDOS DE COORTE. Baixo Peso Peso Normal Total Mãe usuária de cocaína

ESTUDOS DE COORTE. Baixo Peso Peso Normal Total Mãe usuária de cocaína UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE MEDICINA DEPARTAMENTO DE MEDICINA PREVENTIVA DISCIPLINA DE EPIDEMIOLOGIA ESTUDOS DE COORTE 1) Com o objetivo de investigar

Leia mais

BIOLUMITÁ DESCRIÇÃO INTRODUÇÃO

BIOLUMITÁ DESCRIÇÃO INTRODUÇÃO BIOLUMITÁ DESCRIÇÃO Biolumitá é um potente ativo clareador e uniformizador do tom da pele extraído do rizoma da Alpina officinarium, planta conhecida como gengibre chinês. O ativo é padronizado em galangina,

Leia mais

Importância dos processos de sinalização. Moléculas sinalizadoras (proteínas, peptídeos, aminoácidos, hormônios, gases)

Importância dos processos de sinalização. Moléculas sinalizadoras (proteínas, peptídeos, aminoácidos, hormônios, gases) Sinalização celular Importância dos processos de sinalização Seres unicelulares Seres multicelulares Moléculas sinalizadoras (proteínas, peptídeos, aminoácidos, hormônios, gases) Receptores Proteínas -

Leia mais

Peeling Químico - Médio

Peeling Químico - Médio Peeling Químico - Médio Os peelings químicos são um dos procedimentos cosméticos não invasivos mais populares realizados para rejuvenescer a aparência da pele. Com o tempo, fatores como danos causados

Leia mais

Dra Letícia Guimarães

Dra Letícia Guimarães Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica Residência em Dermatologia

Leia mais

Cada célula é programada para responder a combinações específicas de moléculas sinalizadoras

Cada célula é programada para responder a combinações específicas de moléculas sinalizadoras Sinalização celular Cada célula é programada para responder a combinações específicas de moléculas sinalizadoras Etapas da Sinalização 1) Síntese e liberação da molécula sinalizadora pela célula sinalizadora

Leia mais

Peeling Químico - Superficial

Peeling Químico - Superficial Peeling Químico - Superficial Os peelings químicos são um dos procedimentos cosméticos não invasivos mais populares realizados para rejuvenescer a aparência da pele. Com o tempo, fatores como danos causados

Leia mais

Anti-inflamatório Quelante de ferro e antioxidante Redutor de olheiras, edemas e bolsas ao redor dos olhos

Anti-inflamatório Quelante de ferro e antioxidante Redutor de olheiras, edemas e bolsas ao redor dos olhos Anti-inflamatório Quelante de ferro e antioxidante Redutor de olheiras, edemas e bolsas ao redor dos olhos 05/2016 INCI Name: Sambucus nigra extract. Olheiras: Mecanismo A área em torno dos olhos é a pele

Leia mais

ODONTOLOGIA PREVENTIVA. Saúde Bucal. Periodontite. Sua saúde começa pela boca!

ODONTOLOGIA PREVENTIVA. Saúde Bucal. Periodontite. Sua saúde começa pela boca! ODONTOLOGIA PREVENTIVA Saúde Bucal Periodontite. Sua saúde começa pela boca! O que é doença periodontal ou periodontite? ESMALTE DENTINA GENGIVAS POLPA PERIODONTITE OSSO ALVEOLAR CEMENTO NERVOS E VASOS

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2009

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2009 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2009 Altera a Lei nº 11.664, de 29 de abril de 2008, para incluir a pesquisa de biomarcadores entre as ações destinadas à detecção precoce das neoplasias malignas de mama

Leia mais

(Glycerin (and) Water (Aqua) (and) Butylene Glycol (and) Carbomer (and) Polysorbate-20 (and) Palmitoyl Oligopeptide (and) Palmitoyl Tetrapeptide-7)

(Glycerin (and) Water (Aqua) (and) Butylene Glycol (and) Carbomer (and) Polysorbate-20 (and) Palmitoyl Oligopeptide (and) Palmitoyl Tetrapeptide-7) MATRIXYL 3000 (Glycerin (and) Water (Aqua) (and) Butylene Glycol (and) Carbomer (and) Polysorbate-20 (and) Palmitoyl Oligopeptide (and) Palmitoyl Tetrapeptide-7) PELE ATÉ 5 ANOS MAIS JOVEM FORMAÇÃO GLOBAL

Leia mais

SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A

SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A número 15 - dezembro/2015 DECISÃO FINAL RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE Este relatório

Leia mais

Curso Teórico Prático para Profissionais de Saúde em Ações de Prevenção do Câncer de Colo Uterino e de Mama

Curso Teórico Prático para Profissionais de Saúde em Ações de Prevenção do Câncer de Colo Uterino e de Mama SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE COORDENADORIA REGIONAL DE SAÚDE LESTE RH / DESENVOLVIMENTO 1 DENOMINAÇÃO Curso Teórico Prático para Profissionais de Saúde em Ações de Prevenção do Câncer de Colo Uterino

Leia mais

INFLAMAÇÃO & REPARO TECIDUAL

INFLAMAÇÃO & REPARO TECIDUAL UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA UnB PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA MOLECULAR INFLAMAÇÃO & REPARO TECIDUAL Mestranda: Diane Oliveira Sumário 1) Inflamação 1.1- Visão geral 1.2- Inflamação Aguda Estímulos

Leia mais

LEGANCE (Butylene glycol Zingiber zerumbet Extract)

LEGANCE (Butylene glycol Zingiber zerumbet Extract) LEGANCE (Butylene glycol Zingiber zerumbet Extract) TRATAMENTO GLOBAL PARA BELEZA DAS PERNAS: TESTADO POR ANGIOLOGISTA AVALIAÇÃO DA MICROCIRCULAÇÃO POR LASER DOPPLER PRÉ E PÓS CIRURGIAS VASCULARES E TRATAMENTO

Leia mais

Cadastro de Fornecedores de Bens e Serviços

Cadastro de Fornecedores de Bens e Serviços Famílias Todos Todos Todas Critério SMS Critério CONJUNTO DE REQUISITOS DE SMS PARA CADASTRO CRITÉRIO DE NOTAS DO SMS Portal do Cadastro SMS MEIO AMBIENTE Certificação ISO 14001 - Sistema de Gestão Ambiental

Leia mais

Conheça! TimeWise Repair

Conheça! TimeWise Repair Conheça! imewise Repair Inovação e Tecnologia da Mary Kay em cuidados com a pele Com o passar dos anos, os processos naturais da pele desaceleram. Ocorre a perda de volume, a produção de colágeno e elastina

Leia mais

Período de Realização. De 3 de julho à 15 de setembro de População em geral. Sujeitos da Ação

Período de Realização. De 3 de julho à 15 de setembro de População em geral. Sujeitos da Ação Objetivos: Pesquisa Nacional sobre Saúde e Nutrição PNSN (1989) O objetivo central desta pesquisa foi apurar os indicadores da situação nutricional da população brasileira. Procurou-se observar quem eram

Leia mais

GATULINE SKIN-REPAIR BIO. Novo ativo que promove reparo e proteção cutânea através da regeneração dérmica e epidérmica

GATULINE SKIN-REPAIR BIO. Novo ativo que promove reparo e proteção cutânea através da regeneração dérmica e epidérmica GATULINE SKIN-REPAIR BIO Novo ativo que promove reparo e proteção cutânea através da regeneração dérmica e epidérmica GATULINE SKIN-REPAIR BIO Novo ativo que promove reparo e proteção cutânea através da

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DOS RISCOS BIOLÓGICOS DE ACORDO COM A NR 32

IDENTIFICAÇÃO DOS RISCOS BIOLÓGICOS DE ACORDO COM A NR 32 IDENTIFICAÇÃO DOS RISCOS BIOLÓGICOS DE ACORDO COM A NR 32 1 PROCEDIMENTOS PARA AVALIAÇÃO E CONTROLE DE AGENTES BIOLÓGICOS Objetivo: Determinar a natureza, grau e o tempo de exposição dos trabalhadores

Leia mais

João Paulo dos Reis Neto

João Paulo dos Reis Neto ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE E INTERNAÇÕES POTENCIALMENTE EVITÁVEIS João Paulo dos Reis Neto Diretor-Técnico UNIDAS Condições sensíveis à atenção primária (CSAP) Compreendem grupos de problemas de saúde cujas

Leia mais

PEELING ORAL FOTOENVELHECIMENTO DA PELE EFÉLIDES HIPERCROMIAS 13/3/2014. Cloasma ou Melasma. Efélides ou Sardas

PEELING ORAL FOTOENVELHECIMENTO DA PELE EFÉLIDES HIPERCROMIAS 13/3/2014. Cloasma ou Melasma. Efélides ou Sardas FOTOENVELHECIMENTO DA PELE Mudanças do fotoenvelhecimento da pele incluem pigmentação irregular, rugas e perda de elasticidade. (Rendon et al., 2010) Profª Luisa Amábile Wolpe Simas DISCROMIAS HIPERCROMIAS

Leia mais

Tipos de Estudos Clínicos: Classificação da Epidemiologia. Profa. Dra. Maria Meimei Brevidelli

Tipos de Estudos Clínicos: Classificação da Epidemiologia. Profa. Dra. Maria Meimei Brevidelli Tipos de Estudos Clínicos: Classificação da Epidemiologia Profa. Dra. Maria Meimei Brevidelli Roteiro da Apresentação 1. Estrutura da Pesquisa Científica 2. Classificação dos estudos epidemiológicos 3.

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM CIRURGIA DERMATOLÓGICA 2015 / 2016

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM CIRURGIA DERMATOLÓGICA 2015 / 2016 CHEFE DO SERVIÇO: DR. SÉRGIO COSTA LIMA DA SILVA COORDENADORES: DRª ANDRÉA MYCHELAYNE E RAPHAEL C. PERYASSÚ SETOR DE CIRURGIA DERMATOLÓGICA Local: Hospital da Gamboa/RJ Nível: Pós-Graduação Lato Sensu

Leia mais

Tabela 4.1 Distribuição dos indicadores por tipo Tipo de Indicador No. de indicadores. Indicadores de Evento 93. Indicadores de Tendência 37

Tabela 4.1 Distribuição dos indicadores por tipo Tipo de Indicador No. de indicadores. Indicadores de Evento 93. Indicadores de Tendência 37 4 Estudo de Casos A metodologia proposta no capítulo 3 foi aplicada em casos reais coletados de equipamentos Caterpillar da Sotreq. As falhas aqui estudadas são referentes a dois componentes do caminhão:

Leia mais

Gestão da Qualidade. Aula 8. Prof. Pablo

Gestão da Qualidade. Aula 8. Prof. Pablo Gestão da Qualidade Aula 8 Prof. Pablo Proposito da Aula 1. Folha de Verificação 2. Carta de Controle Folha de Verificação Folha de Verificação A Folha de Verificação é uma ferramenta utilizada no controle

Leia mais

Peptídeo DESPIGMENTANTE com ação anti-mitf (MECANISMO INOVADOR)

Peptídeo DESPIGMENTANTE com ação anti-mitf (MECANISMO INOVADOR) TGP-2 PEPTÍDEO Oligopeptídeo 34 Peptídeo DESPIGMENTANTE com ação anti-mitf (MECANISMO INOVADOR) Comprovadamente ANTINFLAMATÓRIO: incidência de manchas decorrentes de processos inflamatórios; RETARDA O

Leia mais

CEREALMILK PREMIUM SP

CEREALMILK PREMIUM SP CEREALMILK PREMIUM SP DESCRIÇÃO Complexo de lipoproteínas de trigo, amêndoas e aveia. INCI NAME CAS N EINECS(I) / ELINCS(L) Sodium Stearate 822-16-2 212-490-5 (I) Sodium Chloride 7647-14-5 231-598-3 (I)

Leia mais

FUNÇÕES HIPOTALÂMICAS

FUNÇÕES HIPOTALÂMICAS Os mecanismos hipotalâmicos agem em conjunto, no sentido de preservar a homeostasia. ANATOMIA FUNCIONAL DO HIPOTÁLAMO O hipotálamo exerce sua influência sobre o meio interno através de três sistemas: Sistema

Leia mais

Palmitoyl hydrolyzed wheat protein

Palmitoyl hydrolyzed wheat protein Produto INCI Definição Propriedades DEEPALINE PVB Palmitoyl hydrolyzed wheat protein Peptídeo com forte ação em rugas causadas pela fadiga biológica e mecânica da pele. - Renova a epiderme, estimulando

Leia mais

Universidade Federal Fluminense INSTITUTO DE MATEMÁTICA E ESTATÍSTICA DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICA

Universidade Federal Fluminense INSTITUTO DE MATEMÁTICA E ESTATÍSTICA DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICA Universidade Federal Fluminense INSTITUTO DE MATEMÁTICA E ESTATÍSTICA DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICA Métodos Computacionais para Estatística II Prof: Jony Arrais Pinto Junior Lista 05 1. Leia o banco de dados

Leia mais

Envelhecer... Um tempo de beleza, permitindo que a vida desabroche com. ChroNOline

Envelhecer... Um tempo de beleza, permitindo que a vida desabroche com. ChroNOline Envelhecer... Um tempo de beleza, permitindo que a vida desabroche com ChroNOline INCI Name: Caprooyl tetrapeptide-3 (and) Dextran (and) Glycerin (and) Water CAS Number: 56-81-5, 7732-18-5, 9004-54-0 ENVELHECIMENTO

Leia mais

SABER MAIS SOBRE HIPERMETROPIA

SABER MAIS SOBRE HIPERMETROPIA SABER MAIS SOBRE HIPERMETROPIA FICHA TÉCNICA EDIÇÃO Clínicas Leite, Lda Ver. 01 / Jan 2016 REDAÇÃO/DOCUMENTAÇÃO Mariana Coimbra (Marketing e Comunicação) 1 HIPERMETROPIA O que é a hipermetropia? É uma

Leia mais

Colágeno

Colágeno Colágeno Os preenchimentos injetáveis são umas das técnicas de rejuvenescimento facial mais populares. À medida que envelhecemos, os tecidos subjacentes que mantêm nossa pele com aparência jovem e firme

Leia mais

Uso do AAS na Prevenção Primária de Eventos Cardiovasculares

Uso do AAS na Prevenção Primária de Eventos Cardiovasculares Uso do AAS na Prevenção Primária de Eventos Cardiovasculares Camila Belonci Internato em Cirurgia Cardíaca Prof. Mário Augusto Cray da Costa Medicina UEPG Uso do AAS na Prevenção Primária de Eventos Cardiovasculares

Leia mais

THALITAN Bronzeado mais rápido, seguro e duradouro.

THALITAN Bronzeado mais rápido, seguro e duradouro. THALITAN Bronzeado mais rápido, seguro e duradouro. Thalitan é um complexo formado por um oligossacarídeo marinho quelado a moléculas de magnésio e manganês. Esse oligossacarídeo é obtido a partir da despolimerização

Leia mais

Pare. na primeira. primeira fratura seja a sua última. Faça acom que a sua.

Pare. na primeira. primeira fratura seja a sua última. Faça acom que a sua. Pare na primeira Faça acom que a sua primeira fratura seja a sua última www.iofbonehealth.org O QUE É A OSTEOPOROSE? A osteoporose é uma doença na qual os ossos ficam mais frágeis e fracos, levando a um

Leia mais

09/03/2015. Profa. Esp. Elaine Cristina Sabino Ovalle

09/03/2015. Profa. Esp. Elaine Cristina Sabino Ovalle Profa. Esp. Elaine Cristina Sabino Ovalle 1 2 3 4 5 6 7 8 9 -A luz de wood é um método de observação para diagnóstico de determinadas superfícies, através de uma luz fluorescente, possibilitando um preciso

Leia mais

A fase inicial do câncer de próstata apresenta uma evolução silenciosa e não causa sintomas, mas alguns sinais merecem atenção:

A fase inicial do câncer de próstata apresenta uma evolução silenciosa e não causa sintomas, mas alguns sinais merecem atenção: Novembro Azul O movimento mundialmente conhecido como Novembro Azul ou Movember visa conscientizar os homens sobre a importância da prevenção do câncer de próstata e tem o bigode como símbolo adotado para

Leia mais

10/6/2011. Histologia da Pele. Diagrama da Estrutura da Pele. Considerações Gerais. epiderme. derme

10/6/2011. Histologia da Pele. Diagrama da Estrutura da Pele. Considerações Gerais. epiderme. derme epiderme derme 10/6/2011 Histologia da Pele Considerações Gerais Maior órgão do corpo: 16% do peso total e 1,2 a 2,3 m 2 de superfície Composto por duas regiões: epiderme e derme Funções proteção: atrito,

Leia mais

Não Conformidade, Ação Corretiva e Ação Preventiva

Não Conformidade, Ação Corretiva e Ação Preventiva 1. HISTÓRICO DE REVISÕES Revisão: 02 Página 1 de 6 DATA REVISÃO RESUMO DE ALTERAÇÕES 20/08/2013 00 Emissão inicial 21/08/2014 01 03/12/2015 02 Definição mais clara da sistemática de tratativa de cargas

Leia mais

ENVELHECIMENTO. Definições do Envelhecimento, Acne e Lesões de conteúdo liquido. Envelhecimento cutâneo. Envelhecimento Intrínseco (fisiológico)

ENVELHECIMENTO. Definições do Envelhecimento, Acne e Lesões de conteúdo liquido. Envelhecimento cutâneo. Envelhecimento Intrínseco (fisiológico) Definições do Envelhecimento, Acne e Lesões de conteúdo liquido ENVELHECIMENTO Envelhecimento cutâneo O conceito de beleza atualmente em vigor e procurado pela grande maioria das pessoas é o da pele jovem,

Leia mais

MODELO DE DIZERES DE BULA. IMOXY imiquimode

MODELO DE DIZERES DE BULA. IMOXY imiquimode MODELO DE DIZERES DE BULA IMOXY imiquimode FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO Creme dermatológico embalagem contendo 6 ou 12 sachês com 250 mg. USO ADULTO USO TÓPICO COMPOSIÇÃO Cada g do creme dermatológico

Leia mais

FERIDAS E CICATRIZAÇÃO

FERIDAS E CICATRIZAÇÃO FERIDAS E CICATRIZAÇÃO Feridas e Cicatrização Anatomo-Fisiologia da Pele; Processo de Cicatrização: Fases; Factores facilitadores e dificultadores. 2 PELE ANATOMIA E FISIOLOGIA 3 Pele Maior órgão do corpo

Leia mais

PerfectionPeptide P3 Peeling biomimético de uso contínuo

PerfectionPeptide P3 Peeling biomimético de uso contínuo PerfectionPeptide P3 Peeling biomimético de uso contínuo INFORMATIVO TÉCNICO As técnicas para manter a pele com aspecto mais jovem vêm se aperfeiçoando com o avanço tecnológico principalmente pela preocupação

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO PARECER COREN-SP CAT Nº 010 / 2010

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO PARECER COREN-SP CAT Nº 010 / 2010 PARECER COREN-SP CAT Nº 010 / 2010 Assunto: Abertura do invólucro de seringas. 1. Do fato Solicitado parecer por enfermeira sobre a abertura do invólucro de seringas. 2. Da fundamentação e análise As seringas

Leia mais

INTERVENÇÕES DE ENFERMAGEM NA FERIDA OPERATÓRIA

INTERVENÇÕES DE ENFERMAGEM NA FERIDA OPERATÓRIA Associação Beneficente Pró-Matre INTERVENÇÕES DE ENFERMAGEM NA FERIDA OPERATÓRIA Vitória 2013 Enfª Katiusi R. Christ Associação Beneficente Pró-Matre Instituição Filantrópica; Realiza em média 400 a 450

Leia mais

Introdução à segurança do trabalho

Introdução à segurança do trabalho Introdução à segurança do trabalho Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro HC-UFTM Equipe de Segurança do Trabalho SOST EBSERH Por gentileza, deixe seu celular no silencioso.

Leia mais

ENVELHECIMENTO CUTÂNE0. Professora: Erika Liz

ENVELHECIMENTO CUTÂNE0. Professora: Erika Liz ENVELHECIMENTO CUTÂNE0 Professora: Erika Liz Introdução O envelhecimento é um processo biológico e dinâmico que ocorre desde o dia em que nascemos. Os tecidos gradualmente passam por mudanças de acordo

Leia mais

Análise de sobrevivência aplicada a pacientes HIV positivos

Análise de sobrevivência aplicada a pacientes HIV positivos Análise de sobrevivência aplicada a pacientes HIV positivos Orientadora: Professora PhD Silva Shimakura Universidade Federal do Paraná Novembro de 2014 Sumário Resultados Conclusão Sumário Dados: Amostra

Leia mais

Unidade 1. jcmorais 09

Unidade 1. jcmorais 09 Unidade 1 jcmorais 09 Actualmente possuímos conhecimentos e técnicas capazes de controlar a fertilidade, de modo a: Diminuir a fertilidade humana Aumentar a fertilidade humana Contracepção e métodos contraceptivos

Leia mais

REESTRUTURAÇÃO DO PROTOCOLO E O IMPACTO NO RECONHECIMENTO PRECOCE DA SEPSE X MORTALIDADE

REESTRUTURAÇÃO DO PROTOCOLO E O IMPACTO NO RECONHECIMENTO PRECOCE DA SEPSE X MORTALIDADE REESTRUTURAÇÃO DO PROTOCOLO E O IMPACTO NO RECONHECIMENTO PRECOCE DA SEPSE X MORTALIDADE Autores: Enf. Izabela Tortoza Enf. Luciane Torrano Dr. Marcelo Nunes Superintendência de Recursos Próprios O QUE

Leia mais

UNISALESIANO. Profª Tatiani

UNISALESIANO. Profª Tatiani UNISALESIANO Profª Tatiani CONTROLE DAS FUNÇÕES DO CORPO.BIOFEEDBACK As diversas funções do corpo humano são decorrentes de processos físico-químicos que continuamente ocorrem em aproximadamente 100 trilhões

Leia mais

Especificidade das lesões dos membros inferiores

Especificidade das lesões dos membros inferiores Curso Avançado de Feridas Crónicas Especificidade das lesões dos membros LURDES FERREIRA DERMATOLOGISTA Unidade de Dermatologia Médico-Cirúrgica de Lisboa Ulcus - Centro de Estudos e Investigação em Feridas

Leia mais

(73) Titular(es): (72) Inventor(es): (74) Mandatário: (54) Epígrafe: LOÇÃO PARA TRATAMENTO DE VITILIGO E PROCESSO DE PRODUÇÃO DA LOÇÃO

(73) Titular(es): (72) Inventor(es): (74) Mandatário: (54) Epígrafe: LOÇÃO PARA TRATAMENTO DE VITILIGO E PROCESSO DE PRODUÇÃO DA LOÇÃO (11) Número de Publicação: PT 104658 (51) Classificação Internacional: A61K 36/28 (2006) A61K 36/88 (2006) (12) FASCÍCULO DE PATENTE DE INVENÇÃO (22) Data de pedido: 2009.06.30 (30) Prioridade(s): (43)

Leia mais

Autores/Editores Adília da Silva Fernandes; Carlos Pires Magalhães; Maria Augusta Pereira da Mata; Maria Helena Pimentel; Maria Gorete Baptista

Autores/Editores Adília da Silva Fernandes; Carlos Pires Magalhães; Maria Augusta Pereira da Mata; Maria Helena Pimentel; Maria Gorete Baptista FICHA TÉCNICA Título de Longa Duração e Manutenção de Santa Maria Maior Autores/Editores Adília da Silva Fernandes; Carlos Pires Magalhães; Maria Augusta Pereira da Mata; Maria Helena Pimentel; Maria Gorete

Leia mais

21/03/2012. A variação molecular atua: fatores de crescimento hormônios adesão celular movimentação alterações funcionais

21/03/2012. A variação molecular atua: fatores de crescimento hormônios adesão celular movimentação alterações funcionais Tecido Conjuntivo Tecido responsável pela resposta inflamatória e por todo o processo de reparo que ocorre após a agressão. Contém vasos sangüíneos, linfáticos e líquido intersticial chamado de sistema

Leia mais

A Moda do Bronzeado... Entre as duas grandes Guerras inicia-se a liberação feminina. Coco Chanel lança a moda do bronzeado.

A Moda do Bronzeado... Entre as duas grandes Guerras inicia-se a liberação feminina. Coco Chanel lança a moda do bronzeado. Histórico A Moda do Bronzeado... Entre as duas grandes Guerras inicia-se a liberação feminina. Coco Chanel lança a moda do bronzeado. A pele bronzeada tornou-se moda, sinal de status e saúde. Histórico

Leia mais

Doenças gengivais induzidas por placa

Doenças gengivais induzidas por placa Doenças gengivais induzidas por placa Classificação (AAP 1999) Doenças Gengivais Induzidas por placa Não induzidas por placa MODIFICADA Associada só a placa Fatores sistêmicos Medicação Má nutrição Classificação

Leia mais

Actigym. O seu personal trainer secreto

Actigym. O seu personal trainer secreto Actigym O seu personal trainer secreto Potencializa os resultados da academia Promove redução das medidas do abdômen, braços e glúteos Define a silhueta Aumenta a tonicidade muscular, melhorando a firmeza

Leia mais

Tire todas as suas dúvidas sobre Depilação a Laser

Tire todas as suas dúvidas sobre Depilação a Laser Tire todas as suas dúvidas sobre Depilação a Laser Em comparação às várias formas tradicionais de depilação, tais como: cera, lâminas e cremes depilatórios, o Soprano XL trata com mais rapidez, segurança

Leia mais

Agrupamento pode ser aplicado para recipientes com diferentes tamanhos ou mesmo recipiente, mas com enchimento diferente.

Agrupamento pode ser aplicado para recipientes com diferentes tamanhos ou mesmo recipiente, mas com enchimento diferente. ANEXO I PLANO DE ESTUDO DE ESTABILIDADE REDUZIDO DE MEDICAMENTOS 1. INTRODUÇÃO Agrupamento e Matrização são modelos reduzidos de plano de estudo de estabilidade baseados em princípios diferentes. Entretanto,

Leia mais

RADIAÇÃO ULTRAVIOLETA E CÂNCER DE PELE

RADIAÇÃO ULTRAVIOLETA E CÂNCER DE PELE UNIFESP UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO ESCOLA PAULISTA DE MEDICINA PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM CIRURGIA PLÁSTICA REPARADORA Coordenadora e Professora Titular: Profa.Dra.Lydia Masako Ferreira RADIAÇÃO

Leia mais

Uso da VNI no desmame

Uso da VNI no desmame Uso da VNI no desmame Pedro Caruso UTI Respiratória da HC da FMUSP UTI do Hospital A C Camargo Roteiro da aula 1. Fases do desmame 2. Fases do desmame em que VNI foi testada 3. Epidemiologia do uso de

Leia mais

1. INTRODUÇÃO: CONTEXTO HISTÓRICO. Ignaz Semmelweis

1. INTRODUÇÃO: CONTEXTO HISTÓRICO. Ignaz Semmelweis HIGIENE DAS MÃOS 1. INTRODUÇÃO A higienização das mãos é reconhecida mundialmente como a medida mais simples, de baixo custo e com maior impacto para prevenir as infecções relacionadas à assistência à

Leia mais

SABER MAIS SOBRE ASTIGMATISMO

SABER MAIS SOBRE ASTIGMATISMO SABER MAIS SOBRE ASTIGMATISMO FICHA TÉCNICA EDIÇÃO Clínicas Leite, Lda Ver. 01 / Jan 2016 REDAÇÃO/DOCUMENTAÇÃO Mariana Coimbra (Marketing e Comunicação) 1 ASTIGMATISMO O que é o astigmatismo? É uma alteração

Leia mais

IMPORTÂNCIA DA CONSULTA DE ENFERMAFGEM PARA PREVENÇÃO DA TROMBOSE VENOSA PROFUNDA EM PUÉRPERAS

IMPORTÂNCIA DA CONSULTA DE ENFERMAFGEM PARA PREVENÇÃO DA TROMBOSE VENOSA PROFUNDA EM PUÉRPERAS 14. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( x ) SAÚDE

Leia mais

RESSALVA. Atendendo solicitação do autor, o texto completo desta tese será disponibilizado somente a partir de 04/04/2016.

RESSALVA. Atendendo solicitação do autor, o texto completo desta tese será disponibilizado somente a partir de 04/04/2016. RESSALVA Atendendo solicitação do autor, o texto completo desta tese será disponibilizado somente a partir de 04/04/2016. UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA UNESP CÂMPUS DE JABOTICABAL CARACTERIZAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA

Leia mais

O presente estudo remete-nos para as causas de extração e perda dentária na dentição permanente, durante um período de 12 meses. Neste estudo foram incluídos todos os pacientes atendidos na clínica de

Leia mais

Síndroma de apneia do sono

Síndroma de apneia do sono Síndroma de apneia do sono - mais uma peça no puzzle do cluster de fatores de risco cardiovascular Cátia Costa, Joana Rodrigues, Nuno Cabanelas, Filipa Valente, Margarida Leal, Isabel Monteiro Serviço

Leia mais

Métodos: Bolsas térmicas Banhos (frios, quentes, de parafina) Lâmpadas de Infravermelhos Gelo (massagem, saco de gelo) Spray de frio Compressas frias

Métodos: Bolsas térmicas Banhos (frios, quentes, de parafina) Lâmpadas de Infravermelhos Gelo (massagem, saco de gelo) Spray de frio Compressas frias Daniel Gonçalves Objectivos: Aliviar dor Alterar o processo de cicatrização dos tecidos Alterar as propriedades plásticas dos tecidos conectivos (músculo, tendão, ligamento e cápsula articular) Métodos:

Leia mais

Anatomia do Sistema Tegumentar

Anatomia do Sistema Tegumentar Anatomia do Sistema Tegumentar Introdução Embriologia Muda ou Ecdise Coloração Introdução Funções da Pele Proteção mecânica contra atritos e injúrias (queratina como linha de defesa) Proteção fisiológica:

Leia mais

Erivedge (vismodegibe)

Erivedge (vismodegibe) Informações de segurança importantes para todos os pacientes sobre os riscos de Erivedge (vismodegibe) na gravidez e amamentação Para obter informações de segurança importantes, consulte a bula de Erivedge

Leia mais

PARÉSIA MONOMÉLICA COMPLICAÇÃO RARA E GRAVE

PARÉSIA MONOMÉLICA COMPLICAÇÃO RARA E GRAVE Reunião do Núcleo de Acessos Vasculares SPACV - 2014 Mª TERESA VIEIRA Cirurgia Vascular CHLN Isquémia distal complicação conhecida da cirurgia dos acessos Incidência varia de 1 a 6% Sintomas variam desde

Leia mais

Características endoscópicas dos tumores neuroendócrinos retais podem prever metástases linfonodais? - julho 2016

Características endoscópicas dos tumores neuroendócrinos retais podem prever metástases linfonodais? - julho 2016 A incidência de tumores neuroendócrinos (TNE) retais tem aumentado ao longo dos últimos 35 anos. A maioria dos TNEs retais são diagnosticados por acaso, provavelmente devido ao aumento do número de sigmoidoscopias

Leia mais

Radioterapia e SBRT para doença oligometastática. Rodrigo Hanriot Radio-oncologista Hospital Alemão Oswaldo Cruz

Radioterapia e SBRT para doença oligometastática. Rodrigo Hanriot Radio-oncologista Hospital Alemão Oswaldo Cruz Radioterapia e SBRT para doença oligometastática Rodrigo Hanriot Radio-oncologista Hospital Alemão Oswaldo Cruz Ca Cancer J Clin 2016;66(1)7 30 Incidência de câncer por sexo Ca Cancer J Clin 2016;66(1)7

Leia mais

REVINAGE DESCRIÇÃO. Extrato supercrítico apolar de Picão Preto (Bidens pilosa) O verdadeiro Retinoid like

REVINAGE DESCRIÇÃO. Extrato supercrítico apolar de Picão Preto (Bidens pilosa) O verdadeiro Retinoid like REVINAGE DESCRIÇÃO Extrato supercrítico apolar de Picão Preto (Bidens pilosa) O verdadeiro Retinoid like INCI NAME CAS BidensPilosa Extract 1118558-33-0 ---- EINECS (I)/ELINCS (L) Elaeis Guineensis (Palm)

Leia mais

PREVENÇÃO DE RECIDIVA DE ÚLCERA VENOSA: um estudo de coorte

PREVENÇÃO DE RECIDIVA DE ÚLCERA VENOSA: um estudo de coorte PREVENÇÃO DE RECIDIVA DE ÚLCERA VENOSA: um estudo de coorte Eline Lima Borges 1 Aidê Ferreira Ferraz 2 Daclé Vilma Caravalho 2 Vera Lúcia de Araújo Nogueira Lima 3 Selme Silqueira de Matos 4 1 Professor

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER PIBB AÇÕES / Informações referentes a Novembro de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER PIBB AÇÕES / Informações referentes a Novembro de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER PIBB AÇÕES 07.184.920/0001-56 Informações referentes a Novembro de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o SANTANDER FUNDO

Leia mais

SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A

SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A número 22 - maio/2016 DECISÃO FINAL RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS CROSSLINKING PARA O TRATAMENTO DO CERATOCONE RELATÓRIO

Leia mais

LITERATURA MELAVOID CLAREADOR MULTIATIVO AÇÃO EM DIFERENTES TIPOS DE MANCHAS

LITERATURA MELAVOID CLAREADOR MULTIATIVO AÇÃO EM DIFERENTES TIPOS DE MANCHAS MELAVOID CLAREADOR MULTIATIVO AÇÃO EM DIFERENTES TIPOS DE MANCHAS Recentemente estudos demonstraram que a distribuição do pigmento melanina e a textura da pele variam segundo o estado de saúde e da idade.

Leia mais

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 18 MOVIMENTOS E CRESCIMENTO VEGETAL, HORMÔNIOS E FOTOPERÍODO

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 18 MOVIMENTOS E CRESCIMENTO VEGETAL, HORMÔNIOS E FOTOPERÍODO BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 18 MOVIMENTOS E CRESCIMENTO VEGETAL, HORMÔNIOS E FOTOPERÍODO Crescimento Inibição Produção Raízes Gemas Caules Produção de Etileno 10-11 10-9 10-7 10-5 10-3 10-1 Concentração

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BBM SMID CAPS VALOR FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BBM SMID CAPS VALOR FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BBM SMID CAPS VALOR FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES 08.892.340/0001-86 Informações referentes a Agosto de 2016 Esta lâmina contém

Leia mais

WONDERLIGHT (Caprylic/Capric Triglyceride (and) Humulus lupulus (Hops) Strobile)

WONDERLIGHT (Caprylic/Capric Triglyceride (and) Humulus lupulus (Hops) Strobile) WONDERLIGHT (Caprylic/Capric Triglyceride (and) Humulus lupulus (Hops) Strobile) COMBATE A DENDRITOGÊNESE EVITA O ESPALHAMENTO E APROFUNDAMENTO DE MELANINA PREVINE A FORMAÇÃO DE HIPERCROMIAS PÓS-INFLAMATÓRIAS

Leia mais

Profa.: Patricia Maria Bortolon, D.Sc. Statistics for Managers Using Microsoft Excel, 5e 2008 Pearson Prentice-Hall, Inc. Chap 9-1

Profa.: Patricia Maria Bortolon, D.Sc. Statistics for Managers Using Microsoft Excel, 5e 2008 Pearson Prentice-Hall, Inc. Chap 9-1 MÉTODOS QUANTITATIVOS APLICADOS À CONTABILIDADE Profa.: Patricia Maria Bortolon, D.Sc. Statistics for Managers Using Microsoft Excel, 5e 2008 Pearson Prentice-Hall, Inc. Chap 9-1 Fundamentos de Testes

Leia mais

Mutagênese... a prevenção é o espelho do índice cultural de uma nação.

Mutagênese... a prevenção é o espelho do índice cultural de uma nação. Pontifícia Universidade Católica de Goiás Pró-Reitoria de Graduação Departamento de Biologia Mutagênese Raimundo Jr, M.Sc. Genética / BIO1240 2013/1 Considerações Gerais Objetivando uma melhor qualidade

Leia mais

número 29 - setembro/2016 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS

número 29 - setembro/2016 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS número 29 - setembro/2016 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS INSULINAS ANÁLOGAS RÁPIDAS NO TRATAMENTO DO DIABETES MELLITUS

Leia mais

aula 12: estudos de coorte estudos de caso-controle

aula 12: estudos de coorte estudos de caso-controle ACH-1043 Epidemiologia e Microbiologia aula 12: estudos de coorte estudos de caso-controle Helene Mariko Ueno papoula@usp.br Estudo epidemiológico observacional experimental dados agregados dados individuais

Leia mais

Lâmina de Informações Essenciais Sobre o QUEST ACOES FIC FI ACOES

Lâmina de Informações Essenciais Sobre o QUEST ACOES FIC FI ACOES Lâmina de Informações Essenciais Sobre o QUEST ACOES FIC FI ACOES Informações referentes a Dezembro de 2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o QUEST AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais