Onde: P o = população conhecida no instante t o. N (t o, t x ) = nascimentos registrados e ocorridos no período t o, a t x

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Onde: P o = população conhecida no instante t o. N (t o, t x ) = nascimentos registrados e ocorridos no período t o, a t x"

Transcrição

1 Conceito: a população é dinâmica Os elementos que definem a dinâmica da população são: NASCIMENTOS ÓBITOS MIGRAÇÃO POPULAÇÃO Nascimentos Imigração Onde: P X = P O + N (to,tx) O (to, tx) + I (to, tx) E (to,tx) População indivíduos Px = população que se quer conhecer, no instante tx P o = população conhecida no instante t o to = ano em que se conhece o tamanho da população Emigração Óbitos tx = ano em se quer conhecer a população N (t o, t x ) = nascimentos registrados e ocorridos no período t o, a t x I (t o, t x ) = total de indivíduos que imigraram, para esta área, no período t o a t x E (t o, t x ) = total de indivíduos que emigraram, desta área, no período t o a t x. Crescimento vegetativo da população (tx-t0) = Nascimentos (tx-t0) Óbitos (tx-t0) TAXA DE CRESCIMENTO DA POPULAÇÃO Taxa média geométrica de crescimento anual da população ou incremento médio anual da população, medido pela expressão Crescimento social da população (tx-t0) = Imigração (tx-t0) Emigração (tx-t0) I = -1 i = sendo P(t+n) e P(t) populações correspondentes a duas datas sucessivas n corresponde ao intervalo de tempo entre essas datas, medido em ano e fração de ano. 1

2 2

3 Indicadores que avaliam a dinâmica da população Nascimentos Taxa bruta de natalidade Taxa de fecundidade total Taxa Bruta de Natalidade nº de nascidos vivos população X1000 Taxa de Fecundidade Geral det. local e ano Óbitos Taxa de mortalidade geral nº de nascidos vivos pop. feminina idade fértil (15-49 anos) X1000 det. local e ano Taxa de mortalidade geral Em determinado local e ano Taxa de Fecundidade Específica nº de nascidos vivos de mulheres anos população feminina anos X1000 nº de óbitos população ½ período X 1000 Taxa de Fecundidade Total (TFE x 5) 1000 expressa o nº médio de filhos por mulheres O Comportamento da Natalidade 3

4 Evolução da população Mundial A população tende a aumentar; Uma exceção foi entre 1390 e 1400 com a peste Negra; O ritmo de crescimento foi lento até 1800; A partir de 1800, a população começou a crescer a um ritmo acelerado; Nos 100 anos que se seguiram a 1830, a população duplicou e passou para 2000 milhões; Nos trinta anos seguintes, isto é, de 1930 a 1960, a população teve um aumento de 50% e situou-se em 3 mil milhões; Em 1980 a população atingiu 4400 milhões, e, no início do século XXI, os seres humanos ultrapassaram os 6000 milhões. O Comportamento da Natalidade Natalidade elevada (associada aos países pobres): - Tradição de famílias numerosas; - Casamento precoce (entre os 15 e os 18 anos); - Os filhos são importantes para ajudar no trabalho familiar; - A religião contesta o uso de contraceptivos e o recurso ao aborto; - O analfabetismo dificulta o acesso à informação sobre planejamento familiar. Fecundidade baixa (associada aos países desenvolvidos): - Modernização das sociedades; - Melhoria do nível de vida e maior preocupação com a educação dos filhos; - Entrada das mulheres no mercado de trabalho; - Desejo de realização pessoal e profissional dos casais; - Planejamento familiar e generalização do uso de contraceptivos. - A diminuição da fecundidade está relacionada com a descida do índice sintético de fecundidade: número médio de filhos por mulher em idade fértil (15-49 anos). Distribuição da natalidade O continente Africano, o Sul da Ásia e a América Latina, onde predominam os países em desenvolvimento, possuem as taxas de natalidademais elevadas; A Europa, a Rússia, a América do Norte, a Austrália e o Japão, que pertencem ao conjunto dos países desenvolvidos, registram as taxas de natalidade mais baixas. País Itália Japão Espanha Austrália Rússia Alemanha Incentivos financeiros à natalidade. Incentivos para os pais Valores pagos pelo governo dólares por filho dólares por filho dólares por filho dólares por filho dólares pelo 2º filho Auxílio-maternidade de 2/3 do salário mínimo por 1 ano Suécia 150 dólares mensais até a criança completar 16 anos 4

5 Distribuição da Mortalidade - É mais baixa na América do Norte, na Europa, e na Austrália. - É mais elevada em alguns países asiáticos e africanos, que registram as maiores taxas de mortalidade. O Comportamento da Mortalidade Mortalidade elevada (associada aos países pobres): - Assistência médica deficiente; - Baixo nível sanitário; - Escassez de alimentos e fome; - Guerras e conflitos sociais; - Catástrofes naturais e epidemias; Mortalidade baixa (associada aos países desenvolvidos): - Boa assistência médica; - Boas condições sanitárias; - Boa alimentação; - Proibição do trabalho infantil; - Elevado nível de vida das populações. Crescimento Natural Para melhor comparação entre países e regiões utiliza-se a taxa de crescimento natural que corresponde à diferença entre a taxa de natalidade e a taxa de mortalidade. TRANSIÇÂO DEMOGRÁFICA A taxa de crescimento natural é muito elevada em África, no Sul da Ásia, no Médio Oriente e numa parte significativa da América Latina. Isto deve-se a taxas de fecundidade elevadas e de taxas de mortalidade baixas, o que origina um elevado crescimento. A taxa de crescimento natural é muito baixa na América do Norte, na Europa no Norte e centro da Ásia. Está situação resulta de uma taxa de natalidade baixa e de uma taxa de mortalidade baixa, o que resulta num crescimento natural baixo. 5

6 Elementos que desencadearam a Transição Demográfica Revolução Agrícola - Conjunto de alterações na agricultura européia que sucederam a Revolução Industrial, em meados do século XVIII (teve origem no Reino Unido); - Caracterizou-se essencialmente pela introdução de novos métodos e técnicas de cultivo, que permitiram o aumento da quantidade e variedade de produtos agrícolas. Fases da transição demográfica. Revolução Industrial - Conjunto de transformações na atividade fabril apoiadas na aplicação de uma série de inovações tecnológicas. Iniciou-se no Reino Unido em 1760, estendendo-se depois a outros países da Europa e, mais tarde, do Mundo. Estas transformações na indústria tiveram repercussões sociais, demográficas e econômicas muito importantes. Urbanização - Em conseqüência das mudanças houve processo intenso de migração do campo para as cidade TN=Taxa de natalidade; TM=Taxa de mortalidade; CP=Crescimento da população Fase 1 A natalidade e mortalidade elevadas Mortalidade elevada devido a : conflitos bélicos, crises, epidemias, baixas condições sanitárias básicas, e pouca higiene Crescimento populacional pequeno Fase 2 Declínio da taxa de mortalidade motivada por diferentes razões: melhoria das condições sanitárias, evolução da medicina e a urbanização, aumentando a expectativa de vida Taxa de natalidade constante, causando um rápido crescimento populacional. Em muitos países, essa fase teve início com a revolução industrial. Hoje em dia, muitos países subdesenvolvidos vivem essa fase Fase 3 Queda na taxa de natalidade devido ao acesso à métodos anticoncepcionais, e à educação (fazendo com que o planejamento familiar fique mais difundido). Declínio da mortalidade Crescimento populacional reduzido em relação à fase 2. Fase 4 As taxas de natalidade e mortalidade voltam a se estabilizar criando um crescimento populacional novamente pequeno. Fase 5? O modelo original de Transição Demográfica descrito por Warren Thompson apresenta só quatro fases. Atualmente alguns autores aceitam uma quinta fase, onde a mortalidade superará a natalidade, devido ao alto custo de se criar filhos (principalmente em países desenvolvidos), famílias optam por ter um número muito reduzido (entre 1 e nenhum) de filhos para manter o padrão de vida. Já tem inicio em países como a Alemanha ou Itália, s com crescimento populacional negativo. A população terá num futuro próximo mais idosos do que jovens, o que pode acarretar num rombo para a previdência dos países na quinta fase Transição demográfica Tardia Países com processo de industrialização tardia (1950/1960) e como conseqüência um processo de urbanização também tardio, porem mais acelerado, com formação das periferias urbanas iniciaram o processo de redução das taxas de fecundidade nos anos de 1970/80passaram a ter redução do crescimento populacional transição demográfica tardia - processo típico dos países da America Latina e parte da Ásia Países não industrializados predominantemente rurais mantêm altas taxas de fecundidade com redução relativa das taxas de mortalidade apresentam elevado crescimento populacional- não passaram pela transição demográfica vários países da África 6

7 TAXA DE CRESCIMENTOPOPULACIONAL, Brasil ,96 TAXA DE FECUNDIDADE Nº Médio de filhos por mulher 6,15 2,59 2,38 2,35 2,26 5,38 1,88 4,72 4,31 1,56 1,49 1,32 3,80 0,98 3,10 2,60 2,45 2,25 1, / /1970 Fonte: Nações Unidas 1970/ / / / / / / / / / / / / / /1970 Fonte: Nações Unidas 1970/ / / / / / / / / / / / / / / /2010 PROPORÇÃO DA POPULAÇÃO De 15 a 64 anos, Brasil 1965 a 2010 Distribuição percentual da população segundo grupos etários, Regiões e Brasil. 1980, 1991 e ,3 67,5 Grupos Etários (%) 64,9 Regiões 0 a 14 anos 15 a 64 anos 65 e mais anos 62, ,9 60,3 Norte 46,2 42,4 31,2 51,0 54,6 64,0 2,8 3,0 4,7 Nordeste 43,5 39,4 26,6 52,2 55,5 66,3 4,4 5,1 7,1 57,8 Sudeste 34,2 31,2 21,9 61,7 63,6 70,1 4,2 5,1 8,0 55,8 Sul 36,3 31,9 22,0 59,9 63,1 69,9 3,8 5,0 8,1 52,8 54,1 Centro Oeste 40,5 35,3 24,4 57,0 61,5 69,8 2,6 3,3 5,8 Brasil 38,2 34,7 24,1 57,7 60,7 68,5 4,0 4,8 7,4 Fonte: IBGE Fonte: Nações Unidas 7

8 IDADE MÉDIA DA POPULAÇÃO, BRASIL 1965 A 2010 Em anos Transição demográfica 29,0 27,0 Redução da participação da população jovem (<15 anos) 22,5 23,9 25,3 Redução das taxas de mortalidade inicialmente por doenças infecciosas (controle de epidemias) impacto na mortalidade infantil e posteriormente nas demais doenças. 20,3 21,3 Aumento da esperança de vida 19,4 18,6 18, Fonte: Nações Unidas É caracterizada por: Transição demográfica Composição etária segundo fases da transição demográfica Redução da taxa de fecundidade total e como conseqüência redução do número absoluto de nascidos vivos e redução das taxas de natalidade Redução da taxa de crescimento da população Aumento da participação de idosos (65 anos e mais) no conjunto da população Aumento da idade média da população Mexico, 2000 Brasil, 2000 Idade 80 e mais 75 a a a a a a a a a a a a a a 14 5 a 9 0 a 4 Idade 80 e mais 75 a a a a a a a a a a a a a a 14 5 a 9 0 a % Masculino Feminino % Masculino Feminino Argentina, 2000 Cuba, 2000 Idade 80 e mais 75 a a a a a a a a a a a a a a 14 5 a 9 0 a % Masculino Feminino Idade 80 e mais 75 a a a a a a a a a a a a a a 14 5 a 9 0 a % Masculino Feminino 8

9 Pirâmide p i Populacional r a m i do d e Japão, 1950 Pirâmides populacionais, China Age Male Female Male Female Age Male Female Source: World Population Prospects: The 2004 Revision (2005). Fonte : IBGE- Censo2010 9

10 Pirâmide Populacional, Brasil, 1990 Pirâmide Populacional, Brasil, 2000 E n g l i s h E s p a ñ o l Pirâmide Populacional, Brasil, 2010 Pirâmide Populacional, Brasil, 2030 Município de São Paulo, 1997 Distrito Jardim Paulista, emais 70a74 65a69 60a64 55a59 50a54 45a49 40a44 35a39 30a34 25a29 20a24 15a19 10a14 05a09 00a emais 70a74 65a69 60a64 55a59 50a54 45a49 homens 40a44 mulheres 35a39 30a34 25a29 20a24 15a19 10a14 05a09 00a homens mulheres Distrito Guaianases, emais 70a74 65a69 60a64 55a59 50a54 45a49 40a44 35a39 30a34 25a29 20a24 15a19 10a14 05a09 00a04 homens mulheres

11 Situação atual face à Transição Demográfica Esperança Média de Vida A esperança média de vida traduz o número médio de anos que uma pessoa tem probabilidade de viver, quando nasce. Tem aumentado em todo o mundo como consequência da diminuição da mortalidade; É maior nos países desenvolvidos; É menor nos países subdesenvolvidos, pois as condições de vida ainda são más nestes países; A esperança média de vida das mulheres é mais elevada; Os homens são mais atingidos as doenças devido ao fumo e às bebidas, que provocam doenças. Os homens tem mais acidentes de trabalho pois exercem profissões de maior risco. 11

12 12

L/O/G/O Evolução da população

L/O/G/O Evolução da população L/O/G/O Evolução da população Comportamento dos indicadores demográficos Resumo 1 2 Indicadores demográficos Evolução da população 3 4 Click t add title in here Click to add title in here Indicadores demográficos

Leia mais

O Brasil possui uma população de , com uma densidade demográfica de 22,42 hab/km²;

O Brasil possui uma população de , com uma densidade demográfica de 22,42 hab/km²; A POPULAÇÃO BRASILEIRA Características Gerais O Brasil possui uma população de 191.715.083, com uma densidade demográfica de 22,42 hab/km²; A população brasileira ocupa o território de modo bastante irregular.

Leia mais

A EVOLUÇÃO DA POPULAÇÃO MUNDIAL

A EVOLUÇÃO DA POPULAÇÃO MUNDIAL A EVOLUÇÃO DA POPULAÇÃO MUNDIAL FASES DO CRESCIMENTO DEMOGRÁFICO: Até 1750 Regime Demográfico Primitivo Crescimento muito lento da população mundial; Taxa de mortalidade elevada; Taxa de natalidade elevada;

Leia mais

AULA 2 - Assíncrona Conteúdo:

AULA 2 - Assíncrona Conteúdo: 2 - Assíncrona Conteúdo: Crescimento da População Mundial Distribuição Geográfica 1.1 Habilidades: Compreender a estrutura atual da população mundial por faixa etária e por sexo, utilizando as pirâmides

Leia mais

Teorias e Doutrinas Demográficas

Teorias e Doutrinas Demográficas Teorias e Doutrinas Demográficas Objectivos: Compreender as dinâmicas demográficas através das Teorias Interpretativas: Malthusiana Transição Demográfica Regresso a Malthus Explosão Demográfica Explosão

Leia mais

GEOGRAFIA DA POPULAÇÃO - I -

GEOGRAFIA DA POPULAÇÃO - I - GEOGRAFIA DA POPULAÇÃO - I - DEMOGRAFIA POPULAÇÃO - conjunto de pessoas que habitam uma determinada área, classificada de vários aspectos: religião, etnia, local de moradia, atividades econômicas, faixa

Leia mais

Equipe de Geografia GEOGRAFIA

Equipe de Geografia GEOGRAFIA Aluno (a): Série: 3ª Turma: TUTORIAL 8B Ensino Médio Equipe de Geografia Data: GEOGRAFIA DEMOGRAFIA População absoluta: População total de um determinado local (cidade, estado ou país); População relativa:

Leia mais

CIPD ALÉM DE 2014: DIÁLOGO COM JORNALISTAS

CIPD ALÉM DE 2014: DIÁLOGO COM JORNALISTAS CIPD ALÉM DE 2014: DIÁLOGO COM JORNALISTAS INDICADORES DEMOGRÁFICOS AMÉRICA LATINA E CARIBE José Eustáquio Diniz Alves e Débora Thomé Rio de Janeiro, 17 de julho de 2013 Indicadores Demográficos para América

Leia mais

PERCURSO 5 Brasil: distribuição e crescimento da população. 7º ano EBS Prof. Gabriel Rocha

PERCURSO 5 Brasil: distribuição e crescimento da população. 7º ano EBS Prof. Gabriel Rocha PERCURSO 5 Brasil: distribuição e crescimento da população 7º ano EBS Prof. Gabriel Rocha PAÍSES MAIS POPULOSOS DO MUNDO 1 China: 1.372.470.000 2 Índia: 1.278.160.000 3 EUA: 321.968.000 4 Indonésia: 255.780.000

Leia mais

EVOLUÇÃO DA TN EM PORTUGAL DESDE MEADOS DO SÉCULO XX

EVOLUÇÃO DA TN EM PORTUGAL DESDE MEADOS DO SÉCULO XX EVOLUÇÃO DA TN EM PORTUGAL DESDE MEADOS DO SÉCULO XX A tendência do número de nascimentos em Portugal neste período é de um decréscimo. O período de 1975 a 1977 contraria esta evolução devido a fatores

Leia mais

Teste Diagnóstico I Geografia

Teste Diagnóstico I Geografia Nome: Data: Alguns aspetos detetados: Conhecimentos prévios mal assimilados ou interiorizados. Dificuldades na interpretação de um pequeno texto. Dificuldades na interpretação de enunciados. Dificuldade

Leia mais

POPULAÇÃO BRASILEIRA

POPULAÇÃO BRASILEIRA POPULAÇÃO BRASILEIRA População Brasileira 2014: atingiu o número de 204 milhões de habitantes. Formada a partir de três grandes grupos étnicos: índios, brancos e negros. A maioria da população é branca

Leia mais

A POPULAÇÃO MUNDIAL A NOVA QUESTÃO DEMOGRÁFICA

A POPULAÇÃO MUNDIAL A NOVA QUESTÃO DEMOGRÁFICA POPULAÇÃO MUNDIAL A NOVA QUESTÃO DEMOGRÁFICA População mundial atualmente 2016 2025 mais de 7 bilhões de pessoas 7,5 bilhões de pessoas 8 bilhões de pessoas concentrada em algumas partes e vazios demográficos

Leia mais

NOTÍCIAS ETENE 04 DE MAIO DE 2011 RESULTADOS DO CENSO 2010

NOTÍCIAS ETENE 04 DE MAIO DE 2011 RESULTADOS DO CENSO 2010 NOTÍCIAS ETENE 04 DE MAIO DE 2011 RESULTADOS DO CENSO 2010 População brasileira cresce quase 20 vezes desde 1872 A população do Brasil alcançou a marca de 190.755.799 habitantes na data de referência do

Leia mais

DEMOGRAFIA. Prof. Maicon Fiegenbaum

DEMOGRAFIA. Prof. Maicon Fiegenbaum DEMOGRAFIA Prof. Maicon Fiegenbaum O estudo da população é fundamental para podermos verificar a realidade social e numérica da mesma. Através desses estudos, pode-se conhecer o grau de desenvolvimento

Leia mais

AS PIRÂMIDES ETÁRIAS

AS PIRÂMIDES ETÁRIAS AS PIRÂMIDES ETÁRIAS PAÍSES POBRES PAÍSES COM EFEITO DE GUERRA PAÍS DESENVOLVIDO DE INDUSTRIALIZAÇÃO ANTIGA PAÍS DESENVOLVIDO DE INDUSTRIALIZAÇÃO RECENTE PIRÂMIDE ETÁRIA EM FASE DE TRANSIÇÃO DEMOGRÁFICA

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Rondonópolis, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 4181,58 km² IDHM 2010 0,755 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 195476 hab. Densidade

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de São Félix do Araguaia, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 16915,81 km² IDHM 2010 0,668 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 10625

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Vila Rica, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 7468,7 km² IDHM 2010 0,688 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 21382 hab. Densidade

Leia mais

CHINA Aspectos naturais e humanos

CHINA Aspectos naturais e humanos OBJETIVO 2016 1º ANO E. M. A MÓDULO 35 CHINA Aspectos naturais e humanos REPÚBLICA POPULAR DA CHINA Localização: LESTE DA ÁSIA - País mais populoso do mundo: 1,393 bilhão de habitantes. - 3º em área territorial:

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de São José do Xingu, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 7493,63 km² IDHM 2010 0,657 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 5240 hab. Densidade

Leia mais

PROVA DE GEOGRAFIA 3 o TRIMESTRE DE 2015

PROVA DE GEOGRAFIA 3 o TRIMESTRE DE 2015 PROVA DE GEOGRAFIA 3 o TRIMESTRE DE 2015 PROF. MÁRCIO NOME N o 6 º ANO A prova deve ser feita com caneta azul ou preta. É terminantemente proibido o uso de corretor. Respostas com corretor serão anuladas.

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Guarujá, SP 30/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 143,71 km² IDHM 2010 0,751 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 290752 hab. Densidade

Leia mais

O envelhecimento da população é um dos maiores triunfos da humanidade. É também um dos nossos maiores desafios.

O envelhecimento da população é um dos maiores triunfos da humanidade. É também um dos nossos maiores desafios. O envelhecimento da população é um dos maiores triunfos da humanidade. É também um dos nossos maiores desafios. Características demográficas do envelhecimento Vera Andrade, 2014 Pirâmide Etária Pirâmide

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Esperança, PB 01/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 166,54 km² IDHM 2010 0,623 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 31095 hab. Densidade

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Patos, PB 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 515,74 km² IDHM 2010 0,701 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 100674 hab. Densidade demográfica

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Sinop, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 3204,92 km² IDHM 2010 0,754 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 113099 hab. Densidade

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Campo Novo do Parecis, MT 01/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 9480,98 km² IDHM 2010 0,734 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 27577

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Guarabira, PB 01/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 166,77 km² IDHM 2010 0,673 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 55326 hab. Densidade

Leia mais

Noções Básicas sobre. Encontro Nacional de Coordenadores da Saúde do Idoso. População Idosa no Cenário Nacional: Transição Demográfica

Noções Básicas sobre. Encontro Nacional de Coordenadores da Saúde do Idoso. População Idosa no Cenário Nacional: Transição Demográfica Encontro Nacional de Coordenadores da Saúde do Idoso Noções Básicas sobre População Idosa no Cenário Nacional: Transição Demográfica Joilson Rodrigues de Souza Coordenador de Disseminação de Informações

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Cáceres, MT 01/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 24478,87 km² IDHM 2010 0,708 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 87942 hab. Densidade

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Juara, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 21474,36 km² IDHM 2010 0,682 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 32791 hab. Densidade demográfica

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Taperoá, PB 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 664,9 km² IDHM 2010 0,578 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010) 14936 hab. Densidade demográfica

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Mãe D'Água, PB 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 243,65 km² IDHM 2010 0,542 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010) 4019 hab. Densidade

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Porto Real do Colégio, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 240,46 km² IDHM 2010 0,551 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Pirpirituba, PB 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 79,64 km² IDHM 2010 0,595 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010) 10326 hab. Densidade

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Lucas do Rio Verde, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 3674,76 km² IDHM 2010 0,768 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 45556 hab.

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Matupá, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 5172,94 km² IDHM 2010 0,716 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 14174 hab. Densidade

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Palmeira dos Índios, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 462,76 km² IDHM 2010 0,638 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Boca da Mata, AL 13/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 187,11 km² IDHM 2010 0,604 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010)

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Belém, AL 13/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 48,36 km² IDHM 2010 0,593 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010) 4551 hab.

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Casserengue, PB 01/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 202,67 km² IDHM 2010 0,514 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010) 7058 hab. Densidade

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Major Isidoro, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 455,14 km² IDHM 2010 0,566 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010)

Leia mais

Geografia. Demografia - CE. Professor Luciano Teixeira.

Geografia. Demografia - CE. Professor Luciano Teixeira. Geografia Demografia - CE Professor Luciano Teixeira www.acasadoconcurseiro.com.br Geografia DEMOGRAFIA - CE O povo cearense foi formado pela miscigenação de indígenas catequizados e aculturados após

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Olho D'Água das Flores, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 183,96 km² IDHM 2010 0,565 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo

Leia mais

Inserção internacional. Mudanças sócio-demográficas

Inserção internacional. Mudanças sócio-demográficas Inserção internacional Mudanças sócio-demográficas Islândia Inglaterra Oceano Atlântico França Espanha Itália ÁFRICA Essa região azul mais clara é a plataforma continental brasileira. Oceano Atlântico

Leia mais

A População Brasileira e Mundial

A População Brasileira e Mundial A População Brasileira e Mundial A População Brasileira e Mundial 1. As pirâmides representam a estrutura etária da população mundial e são resultantes da interação de dois elementos básicos: o crescimento

Leia mais

CAUSAS DA EMIGRAÇÃO PORTUGUESA

CAUSAS DA EMIGRAÇÃO PORTUGUESA Portugal é por tradição um país de migrações, dado que apesar do incremento da imigração, os portugueses continuam a emigrar... CAUSAS DA EMIGRAÇÃO PORTUGUESA A motivação económica, que se traduz pela

Leia mais

Transição Demográfica: o perfil demográfico da futura sociedade brasileira. José Eustáquio Diniz Alves ENCE/IBGE

Transição Demográfica: o perfil demográfico da futura sociedade brasileira. José Eustáquio Diniz Alves ENCE/IBGE Transição Demográfica: o perfil demográfico da futura sociedade brasileira José Eustáquio Diniz Alves ENCE/IBGE 8 de junho de 2011 Sumário Panorama econômico e demográfico mundial; Transição Demográfica;

Leia mais

DIA INTERNACIONAL DA MULHER

DIA INTERNACIONAL DA MULHER 4 de Março de 2004 Dia Internacional da Mulher DIA INTERNACIONAL DA MULHER O Instituto Nacional de Estatística não quis deixar de se associar à comemoração do Dia Internacional da Mulher, 8 de Março, apresentando

Leia mais

Estratégia nacional Inserção internacional Mudanças sócio-demográficas Fernando Nogueira da Costa Professor do IE-UNICAMP

Estratégia nacional Inserção internacional Mudanças sócio-demográficas Fernando Nogueira da Costa Professor do IE-UNICAMP Estratégia nacional Inserção internacional Mudanças sócio-demográficas Fernando Nogueira da Costa Professor do IE-UNICAMP Inserção Internacional Islândia Inglaterra Oceano Atlântico França Espanha Itália

Leia mais

CRESCIMENTO POPULACIONAL, UM FENÔMENO DESIGUAL

CRESCIMENTO POPULACIONAL, UM FENÔMENO DESIGUAL A população mundial CRESCIMENTO POPULACIONAL, UM FENÔMENO DESIGUAL ACENTUOU-SE APÓS A SEGUNDA GUERRA MUNDIAL. OCORRERAM MELHORES CONDIÇOES DE VIDA.(RENDA, ALIMENTAÇÃO,SANEAMENTO) ACESSO A SERVIÇOS DE SAÚDE

Leia mais

GEOGRAFIA - 2 o ANO MÓDULO 19 DEMOGRAFIA NO BRASIL: PROCESSOS E FLUXOS

GEOGRAFIA - 2 o ANO MÓDULO 19 DEMOGRAFIA NO BRASIL: PROCESSOS E FLUXOS GEOGRAFIA - 2 o ANO MÓDULO 19 DEMOGRAFIA NO BRASIL: PROCESSOS E FLUXOS BRASIL 1980 HOMENS 90 anos MULHERES 60 anos 50 anos 15 anos BRASIL 2030 HOMENS MULHERES 60 anos 50 anos 15 anos BRASIL 1980 E 2030

Leia mais

A urbanização e a transição da fecundidade: o Brasil é um caso exemplar?

A urbanização e a transição da fecundidade: o Brasil é um caso exemplar? A urbanização e a transição da fecundidade: o Brasil é um caso exemplar? George Martine 1 José Eustáquio Diniz Alves 2 Suzana Cavenaghi 3 As transições urbana e demográfica são dois fenômenos fundamentais

Leia mais

Introdução ao Estudo da População

Introdução ao Estudo da População Introdução ao Estudo da População Introdução O aumento da população ficará na história da Humanidade como o facto mais extraordinário do século XX. Entre o início e o fim do século XX a população mundial

Leia mais

Desenvolvimento Humano em Porto Alegre

Desenvolvimento Humano em Porto Alegre Desenvolvimento Humano em Porto Alegre Evolução e Indicadores Porto Alegre, julho de 2011. CONCEITOS Desenvolvimento Humano Uma visão holística e multidimensional valorizando diversas dimensões do ser

Leia mais

ENVELHECIMENTO POPULACIONAL NO BRASIL E ESTADO DE SÃO PAULO NA DÉCADA DE NOVENTA

ENVELHECIMENTO POPULACIONAL NO BRASIL E ESTADO DE SÃO PAULO NA DÉCADA DE NOVENTA ENVELHECIMENTO POPULACIONAL NO BRASIL E ESTADO DE SÃO PAULO NA DÉCADA DE NOVENTA Aparecida Vieira de Melo 1 INTRODUÇÃO Dados do censo demográfico de 1991 e da contagem populacional de 1996 mostram que

Leia mais

GEOGRAFIA - 2 o ANO MÓDULO 18 MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS

GEOGRAFIA - 2 o ANO MÓDULO 18 MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS GEOGRAFIA - 2 o ANO MÓDULO 18 MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS Como pode cair no enem (ENEM) As migrações transnacionais, intensificadas e generalizadas nas últimas décadas do século XX, expressam aspectos particularmente

Leia mais

ESTATÍSTICAS DEMOGRÁFICAS DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2015

ESTATÍSTICAS DEMOGRÁFICAS DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2015 11 de outubro 2016 ESTATÍSTICAS DEMOGRÁFICAS DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2015 População residente Em 31 de dezembro de 2015, a população residente na Região Autónoma da Madeira (RAM) foi estimada em

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão Nelson Machado INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidente Eduardo Pereira Nunes Diretor

Leia mais

Estimativas de População Residente, Portugal, NUTS II, NUTS III e Municípios

Estimativas de População Residente, Portugal, NUTS II, NUTS III e Municípios Estimativas de População Residente 09 de Junho 2010 Estimativas de População Residente, Portugal, NUTS II, NUTS III e Municípios A evolução demográfica em caracteriza-se por um ligeiro crescimento da população

Leia mais

Dia Internacional da Família 15 de maio

Dia Internacional da Família 15 de maio Dia Internacional da Família 15 de maio 14 de maio de 14 (versão corrigida às 16.3H) Na 1ª página, 5º parágrafo, 3ª linha, onde se lia 15-65 anos deve ler-se 15-64 anos Famílias em Portugal As famílias

Leia mais

Gripe Suína. o que as pessoas estão pensando? Reação global

Gripe Suína. o que as pessoas estão pensando? Reação global Gripe Suína o que as pessoas estão pensando? Reação global A iniciativa do estudo partiu da WIN Worldwide International Network of Market Research rede da qual o IBOPE Inteligência faz parte. A WIN é uma

Leia mais

Ana Amélia Camarano (IPEA) Solange Kanso (IPEA)

Ana Amélia Camarano (IPEA) Solange Kanso (IPEA) Ana Amélia Camarano (IPEA) Solange Kanso (IPEA) Brasília, 7 de março de 2007 OBJETIVOS QUESTÕES !"#$"$#%&#!!'"()* Visão geral das tendências de crescimento da população brasileira e dos componentes deste

Leia mais

processo histórico produzido dentro das regras de expansão do próprio sistema delegou

processo histórico produzido dentro das regras de expansão do próprio sistema delegou Subdesenvolvimento O subdesenvolvimento é um processo histórico autônomo, uma outra forma de capitalismo produzido dentro das regras de expansão do próprio sistema, onde as diferenças estruturais são naturais

Leia mais

Geografia População (Parte 1)

Geografia População (Parte 1) Geografia População (Parte 1) 1. População Mundial: Define-se população mundial como o número total de humanos vivos no planeta num dado momento. Em 31 de Outubro de 2011 a Organização das Nações Unidas

Leia mais

Conceitos Básicos e Medidas em Demografia

Conceitos Básicos e Medidas em Demografia Martin Handford, Where s Wally? População, Espaço e Ambiente Abordagens Espaciais em Estudos de População: Métodos Analíticos e Técnicas de Representação Conceitos Básicos e Medidas em Demografia Antonio

Leia mais

Gabarito da Prova Bimestral 3º Bimestre Geografia 3º Ano

Gabarito da Prova Bimestral 3º Bimestre Geografia 3º Ano Gabarito da Prova Bimestral 3º Bimestre Geografia 3º Ano 1. a) O que define uma metrópole é a influência que exerce nas dinâmicas sociais, econômicas e urbanas de outras cidades, por apresentar em seu

Leia mais

Fatores de Produção. Terra Trabalho Capital Tecnologia Empreendedorismo. Curva de Possib. de Produção Cap.3. Prof. Carlos Nemer

Fatores de Produção. Terra Trabalho Capital Tecnologia Empreendedorismo. Curva de Possib. de Produção Cap.3. Prof. Carlos Nemer Economia Carlos Nemer 3ª Ed. Capítulo 3: Poli-UFRJ Copyright 25. Direitos Autorais reservados ao Prof.Carlos NEMER 3-1 36/1-5 -Mostra as alternativas de produção da sociedade a partir do pleno emprego

Leia mais

04. POPULAÇÃO BRASILEIRA E SEUS MOVIMENTOS

04. POPULAÇÃO BRASILEIRA E SEUS MOVIMENTOS 04. POPULAÇÃO BRASILEIRA E SEUS MOVIMENTOS O povo brasileiro Darcy Ribeiro (1922-1997) renomado antropólogo brasileiro teve a educação como grande causa de sua vida dedicou-se a tentar entender a alma

Leia mais

Demografia e Perspectiva Económica

Demografia e Perspectiva Económica Demografia e Perspectiva Económica Elementos para uma análise de reciprocidade em Portugal e na Europa III CONGRESSO PORTUGUÊS DE DEMOGRAFIA. 2008 FUNDAÇÃO CALOUSTE GULBENKIAN Demografia População Recursos

Leia mais

Perspectivas para 2012

Perspectivas para 2012 Abiplast Perspectivas para 2012 Antonio Delfim Netto 2 de Dezembro de 2011 São Paulo, SP 1 I.Mundo: Década de 80 e 2010 (% do PIB) 30% 23% 31% 24% 37% 22% 3,7% 3,3% 8% 7% 4,2% 4,0% 1,5% 1,2% Fonte: FMI,

Leia mais

Questões políticas, ideológicas e populacionais Europa. Prof. Franco Augusto 9º ano

Questões políticas, ideológicas e populacionais Europa. Prof. Franco Augusto 9º ano Questões políticas, ideológicas e populacionais Europa Prof. Franco Augusto 9º ano Regionalização do continente europeu Densidade demográfica na Europa Renda per capita na Europa Com base nas diferenças

Leia mais

AULÃO ENEM - PROFESSOR ALEXANDRE

AULÃO ENEM - PROFESSOR ALEXANDRE AULÃO ENEM - PROFESSOR ALEXANDRE 1) (ENEM) No gráfico estão representados os gols marcados e os gols sofridos por uma equipe de futebol nas dez primeiras partidas de um determinado campeonato Considerando-se

Leia mais

Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano TEORIAS DEMOGRÁFICAS. Prof. Esp. Claudimar Fontinele

Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano TEORIAS DEMOGRÁFICAS. Prof. Esp. Claudimar Fontinele Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano TEORIAS DEMOGRÁFICAS Prof. Esp. Claudimar Fontinele TEORIA DE MALTHUS Conforme seu estudo, Ensaio sobre o princípio da população, Malthus

Leia mais

Uma visão geral do processo de reforma da previdência. Manoel Pires SPE/MF

Uma visão geral do processo de reforma da previdência. Manoel Pires SPE/MF Uma visão geral do processo de reforma da previdência Manoel Pires SPE/MF 1 Estrutura Temas em debate no Fórum da Previdência Impactos Econômicos do realinhamento da política previdenciária 2 Temas do

Leia mais

Envelhecimento Populacional e seus impactos sobre Previdência: A necessidade de reforma

Envelhecimento Populacional e seus impactos sobre Previdência: A necessidade de reforma Envelhecimento Populacional e seus impactos sobre Previdência: A necessidade de reforma Paulo Tafner CÂMARA FEDERAL Brasília Novembro de 2016. Previdência Social Os fatos COMECEMOS POR UMA EXCELENTE NOTÍCIA

Leia mais

ASPECTOS GERAIS DA DEMOGRAFIA CATARINENSE NA PRIMEIRA DÉCADA DO SÉCULO XXI

ASPECTOS GERAIS DA DEMOGRAFIA CATARINENSE NA PRIMEIRA DÉCADA DO SÉCULO XXI ASPECTOS GERAIS DA DEMOGRAFIA CATARINENSE NA PRIMEIRA DÉCADA DO SÉCULO XXI INTRODUÇÃO Beatriz Tamaso Mioto 1 A dinâmica demográfica brasileira apresentou mudanças significativas nos últimos trinta anos.

Leia mais

ESPAÇO URBANO MUNDIAL. Conceitos, Evolução e Situação Atual

ESPAÇO URBANO MUNDIAL. Conceitos, Evolução e Situação Atual ESPAÇO URBANO MUNDIAL Conceitos, Evolução e Situação Atual Origens Desde a antiguidades cidades vem sendo erguidas. Ex: Cairo, Babilônia, Roma. Nessa época as cidades funcionavam apenas como centros de

Leia mais

Professor Thiago Espindula - Geografia

Professor Thiago Espindula - Geografia Estrutura da População - A estrutura da população trata do estudo dos diferentes tipos de pessoas que existem em um local. Os tipos são classificados por sexo, idade, ocupação etc; e essas classificações

Leia mais

RECUPERAÇÃO 8 ANO. 2. Cite duas vantagens e desvantagem sobre a consequência da globalização.

RECUPERAÇÃO 8 ANO. 2. Cite duas vantagens e desvantagem sobre a consequência da globalização. Nome: Série: 8º ano Nota: Disciplina: Geografia Professor (a): Giovana Victal RECUPERAÇÃO 8 ANO REr Capítulos 5 e 6 1. O que é globalização? 2. Cite duas vantagens e desvantagem sobre a consequência da

Leia mais

Impacto da demografia no mercado de trabalho e emprego em Portugal

Impacto da demografia no mercado de trabalho e emprego em Portugal Impacto da demografia no mercado de trabalho e emprego em Portugal José Rebelo dos Santos ESCE / IPS jose.rebelo@esce.ips.pt Lisboa, 7 de outubro de 2016 Sumário: Objetivos Contextualização do desemprego

Leia mais

Aspectos Gerais. Velho Mundo: Berço da civilização ocidental (Democracia e Capitalismo) 10,5% da população mundial (superior a 745 milhões de hab.

Aspectos Gerais. Velho Mundo: Berço da civilização ocidental (Democracia e Capitalismo) 10,5% da população mundial (superior a 745 milhões de hab. EUROPA Módulo 4 Aspectos Gerais Velho Mundo: Berço da civilização ocidental (Democracia e Capitalismo) Possui 7% das terras emersas (49 países) 10,5% da população mundial (superior a 745 milhões de hab.)

Leia mais

Unidade IV. Aula 22.1 Conteúdo Os quatro tigres. Natureza-sociedade: Questões ambientais FORTALECENDO SABERES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA

Unidade IV. Aula 22.1 Conteúdo Os quatro tigres. Natureza-sociedade: Questões ambientais FORTALECENDO SABERES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Unidade IV Natureza-sociedade: Questões ambientais Aula 22.1 Conteúdo Os quatro tigres. 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO

Leia mais

MORTALIDADE INFANTIL NO BRASIL: TENDÊNCIAS E DESIGUALDADES

MORTALIDADE INFANTIL NO BRASIL: TENDÊNCIAS E DESIGUALDADES Elsa Giugliani MORTALIDADE INFANTIL NO BRASIL: TENDÊNCIAS E DESIGUALDADES VIII Congresso Mundial de Epidemiologia VII Congresso Brasileiro de Epidemiologia Porto Alegre, RS 20-24 de setembro de 2008 EVOLUÇÃO

Leia mais

Diretoria de Pesquisas - DPE Coordenação de População e Indicadores Sociais - COPIS Gerência de Indicadores Sociais - GEISO 17/12/2014

Diretoria de Pesquisas - DPE Coordenação de População e Indicadores Sociais - COPIS Gerência de Indicadores Sociais - GEISO 17/12/2014 2014 Diretoria de Pesquisas - DPE Coordenação de População e Indicadores Sociais - COPIS Gerência de Indicadores Sociais - GEISO 17/12/2014 Indicadores Sociais Construção baseada em observações geralmente

Leia mais

Políticas de Proteção à Pessoa Idosa

Políticas de Proteção à Pessoa Idosa Políticas de Proteção à Pessoa Idosa Maria Alice Nelli Machado Email.marialicemachado@ig.com.br O processo de envelhecimento traz conseqüências para os indivíduos, para as sociedades e para os Estados;

Leia mais

Estrutura Populacional e IDH

Estrutura Populacional e IDH POPULAÇÃO Estrutura Populacional e IDH (in: http://saberesnet.webnode.pt/disciplinas/geografia/a9%c2%ba%20ano) Página 1 (in: TERRA, Lygia & COELHO, Marcos. Geografia Geral O espaço natural e socioeconômico.

Leia mais

A pesquisa foi realizada em 58 países, totalizando mais de 52 mil entrevistas e representando mais de 70% da população global.

A pesquisa foi realizada em 58 países, totalizando mais de 52 mil entrevistas e representando mais de 70% da população global. A WIN é uma associação que reúne as maiores empresas independentes de Pesquisa de Mercado do mundo. É uma plataforma global para intercâmbio de negócios internacionais entre mais de 65 países, presentes

Leia mais

A RAA em números. Geografia

A RAA em números. Geografia 09 Foto: Espectro A RAA em números Geografia O arquipélago dos Açores é constituído por nove ilhas dispersas no Atlântico Norte ao longo de 600 km, segundo uma orientação noroeste-sudeste e enquadrado

Leia mais

A pesquisa foi realizada em 65 países. Foram entrevistas, representando mais de 75% da população adulta global.

A pesquisa foi realizada em 65 países. Foram entrevistas, representando mais de 75% da população adulta global. A WIN é uma associação que reúne as maiores empresas independentes de Pesquisa de Mercado do mundo. É uma plataforma global para intercâmbio de negócios internacionais entre mais de 70 países, presentes

Leia mais

Thomas Robert Malthus. Teoria Populacional Malthusiana

Thomas Robert Malthus. Teoria Populacional Malthusiana Thomas Robert Malthus Teoria Populacional Malthusiana Thomas Robert Malthus nasceu a 14 de Fevereiro de 1766, Rookery, Surrey, Inglaterra. E faleceu a 23 de Dezembro de 1834, Bath. Thomas Malthus foi um

Leia mais

Relatório sobre A Situação da População Mundial Fundo de População das Nações Unidas UNFPA

Relatório sobre A Situação da População Mundial Fundo de População das Nações Unidas UNFPA Relatório sobre A Situação da População Mundial 2011 Fundo de População das Nações Unidas UNFPA 7 mil milhões / 7 biliões / 7 bilhões de pessoas: seu mundo, suas oportunidades Relatório 2011 O marco dos

Leia mais

Políticas salariais em tempos de crise 2010/11

Políticas salariais em tempos de crise 2010/11 Políticas salariais em tempos de crise 2010/11 Organização Internacional do Trabalho travail@ilo.org PARTE I: Salários na Crise Econômica e Financeira Crescimento global dos salários mensais reduzido pela

Leia mais

EUROPA. o velho continente. Professora: Rilvania Flôr.

EUROPA. o velho continente. Professora: Rilvania Flôr. EUROPA o velho continente. Professora: Rilvania Flôr. http://noticias.universia.com.br/carreira/noticia/2015/04/30/1124394/profissionais-iberoamericanos-preferem-trabalhareuropa-aponta-pesquisa.html Ocupação

Leia mais

Nome: Nº: Turma: Este caderno contém questões de: Português Matemática História Geografia Ciências - Inglês

Nome: Nº: Turma: Este caderno contém questões de: Português Matemática História Geografia Ciências - Inglês Nome: Nº: Turma: Este caderno contém questões de: Português Matemática História Geografia Ciências - Inglês 1 Caderno de Atividades 016 Os exercícios deverão ser feitos no caderno. Resgatando conteúdos

Leia mais

População em Brasil ,33% Região Norte ,98% Região Nordeste ,18%

População em Brasil ,33% Região Norte ,98% Região Nordeste ,18% 1 O Brasil é o quinto país mais populoso do mundo. De acordo com o Censo Demográfico de 2010, a população brasileira é de 190 732 694 pessoas. Veja os dados da população para cada região e responda: População

Leia mais

MPE INDICADORES Pequenos Negócios

MPE INDICADORES Pequenos Negócios MPE INDICADORES Pequenos Negócios no Brasil Categorias de pequenos negócios no Brasil MPE Indicadores MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI) Receita bruta anual de até R$ 60 mil MICROEMPRESA Receita bruta

Leia mais