PLANO DE CURSO. ENSINO: Ensino Religioso ANO: 2016 PROFESSOR (A): Elâine Cristina Bento

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANO DE CURSO. ENSINO: Ensino Religioso ANO: 2016 PROFESSOR (A): Elâine Cristina Bento"

Transcrição

1 Escola Estadual Virgínio Perillo venida José Bernardes Maciel, 471 Marília, Lagoa da Prata-MG Fone: (37) PLNO DE CURSO ENSINO: Ensino Religioso NO: 2016 PROFESSOR (): Elâine Cristina Bento ESCOL ESTDUL VIRGÍNIO PERILLO PLNO DE CURSO

2 6º NO EF TÓPICO HBILIDDES NÍVEL 1. utoconhecimento: Ser 2. s relações na escola, na família e na sociedade 1.1. Conhecer a si próprio e a sua singularidade: saindo da infância para a puberdade- adolescência e, daí, para a vida adulta Identificar suas características pessoais Reconhecer-se como o ser humano que traz consigo sua própria história, suas vivências e experiências Reconhecer sua história, suas vivências e experiências de vida como referência de identidade e singularidade Reconhecer-se como pessoa, com qualidades a desenvolver, na relação com os seus semelhantes Distinguir-se entre os demais seres humanos, pelas suas diferenças e semelhanças, a partir do conhecimento de suas características pessoais Reconhecer as próprias limitações e as dos outros Desenvolver atitudes de acolhimento, respeito, partilha, escuta, compreensão, para com seus semelhantes Reconhecer a importância da boa convivência no grupo familiar, escolar e social Reconhecer-se como ser humano capaz de conviver e respeitar ao outro Conhecer as regras de convívio social nos diferentes espaços sociais Reconhecer a importância da família para a construção da identidade, da descoberta de si e dos seus semelhantes Identificar as características e/ou os elementos que constituem a instituição família Reconhecer-se como membro de uma família I I I/ BIMESTRE PREVISTO 1º e 2º Bim 3º e 4º Bim ESCOL ESTDUL VIRGÍNIO PERILLO PLNO DE CURSO

3 Reconhecer os valores e princípios que norteiam a formação das pessoas da família 2.3. Reconhecer a escola como um grupo de convivência que contribui para a busca de sua realização como pessoa Reconhecer-se como elemento que faz parte da instituição escola Reconhecer os valores e princípios que norteiam a formação das pessoas na escola Compreender que a escola é um espaço que incentiva o crescimento e as boas relações Valorizar a escola como espaço privilegiado de educação Compreender o seu papel social, na vida em sociedade Identificar o papel social que exerce, nos diversos grupos sociais Reconhecer-se como cidadão que participa de uma sociedade e exerce seus direitos e deveres Reconhecer a sociedade como espaço de convivência e de troca Desenvolver atitudes de respeito, cooperação e solidariedade, no espaço de convivência social Valorizar o diálogo como forma de administrar situações de conflitos e tomar decisões coletivas Reconhecer o diálogo como instrumento de comunicação que possibilita exercer a solidariedade, a justiça e o respeito Valorizar a vida, a prática do bem, a natureza e os bens públicos. NÍVEL: ( I ) INTRODUZIR ( ) PROFUNDR ( C ) CONSOLIDR. I/ I/ I/ I ESCOL ESTDUL VIRGÍNIO PERILLO PLNO DE CURSO

4 7º NO EF TÓPICO HBILIDDES NÍVEL 3. utoconhecimento: Ser 4. s relações na escola, na família e na sociedade 3.1. Conhecer a si próprio e a sua singularidade: saindo da infância para a puberdade- adolescência e, daí, para a vida adulta Identificar suas características pessoais Reconhecer-se como o ser humano que traz consigo sua própria história, suas vivências e experiências Reconhecer sua história, suas vivências e experiências de vida como referência de identidade e singularidade Reconhecer-se como pessoa, com qualidades a desenvolver, na relação com os seus semelhantes Distinguir-se entre os demais seres humanos, pelas suas diferenças e semelhanças, a partir do conhecimento de suas características pessoais Reconhecer as próprias limitações e as dos outros Desenvolver atitudes de acolhimento, respeito, partilha, escuta, compreensão, para com seus semelhantes Reconhecer a importância da boa convivência no grupo familiar, escolar e social Reconhecer-se como ser humano capaz de conviver e respeitar ao outro Conhecer as regras de convívio social nos diferentes espaços sociais Reconhecer a importância da família para a construção da identidade, da descoberta de si e dos seus semelhantes Identificar as características e/ou os elementos que constituem a instituição família. BIMESTRE PREVISTO 1º e 2º Bim 3º e 4º Bim ESCOL ESTDUL VIRGÍNIO PERILLO PLNO DE CURSO

5 Reconhecer-se como membro de uma família Reconhecer os valores e princípios que norteiam a formação das pessoas da família 4.3. Reconhecer a escola como um grupo de convivência que contribui para a busca de sua realização como pessoa Reconhecer-se como elemento que faz parte da instituição escola Reconhecer os valores e princípios que norteiam a formação das pessoas na escola Compreender que a escola é um espaço que incentiva o crescimento e as boas relações Valorizar a escola como espaço privilegiado de educação Compreender o seu papel social, na vida em sociedade Identificar o papel social que exerce, nos diversos grupos sociais Reconhecer-se como cidadão que participa de uma sociedade e exerce seus direitos e deveres Reconhecer a sociedade como espaço de convivência e de troca Desenvolver atitudes de respeito, cooperação e solidariedade, no espaço de convivência social Valorizar o diálogo como forma de administrar situações de conflitos e tomar decisões coletivas Reconhecer o diálogo como instrumento de comunicação que possibilita exercer a solidariedade, a justiça e o respeito Valorizar a vida, a prática do bem, a natureza e os bens públicos Compreender os direitos e deveres como compromisso para a vida em sociedade Valorizar a convivência com diferentes pessoas, respeitando a diversidade cultural e religiosa. I ESCOL ESTDUL VIRGÍNIO PERILLO PLNO DE CURSO

6 5. ética e os valores 5.1. Valorizar o diálogo como forma de administrar situações de conflitos e tomar decisões coletivas Reconhecer o diálogo como instrumento de comunicação que possibilita exercer a solidariedade, a justiça e o respeito Valorizar a vida, a prática do bem, a natureza e os bens públicos gir em conformidade com os princípios éticos, políticos e estéticos. NÍVEL: ( I ) INTRODUZIR ( ) PROFUNDR ( C ) CONSOLIDR. I ESCOL ESTDUL VIRGÍNIO PERILLO PLNO DE CURSO

7 8º NO EF TÓPICO HBILIDDES NÍVEL 6. utoconheci mento: Ser 7. s relações na escola, na família e na sociedade 6.1. Conhecer a si próprio e a sua singularidade: saindo da infância para a puberdadeadolescência e, daí, para a vida adulta Identificar suas características pessoais Reconhecer-se como o ser humano que traz consigo sua própria história, suas vivências e experiências Reconhecer sua história, suas vivências e experiências de vida como referência de identidade e singularidade Conhecer sua identidade religiosa, respeitando a religiosidade do outro. - Identificar a diversidade religiosa presente em sua comunidade. - Desenvolver atitudes de respeito e tolerância à diversidade religiosa, na convivência com o outro Reconhecer a importância da boa convivência no grupo familiar, escolar e social Reconhecer-se como ser humano capaz de conviver e respeitar ao outro Conhecer as regras de convívio social nos diferentes espaços sociais Compreender os direitos e deveres como compromisso para a vida em sociedade Valorizar a convivência com diferentes pessoas, respeitando a diversidade cultural e religiosa. I/ BIMESTRE PREVISTO 1º Bim 1º e 2º Bim ESCOL ESTDUL VIRGÍNIO PERILLO PLNO DE CURSO

8 8. ética e os valores 9. religiosidade 10. Os símbolos religiosos 8.1. Respeitar os direitos do outro e exigir igual respeito para si. - Conhecer os direitos e deveres dos indivíduos, na sociedade. - Reconhecer a importância das normas e regras de convivência social Valorizar o diálogo como forma de administrar situações de conflitos e tomar decisões coletivas Reconhecer o diálogo como instrumento de comunicação que possibilita exercer a solidariedade, a justiça e o respeito Valorizar a vida, a prática do bem, a natureza e os bens públicos gir em conformidade com os princípios éticos, políticos e estéticos Reconhecer a existência das diferentes religiões Identificar as crenças, as doutrinas e os rituais das diferentes práticas religiosas. - Constatar que as práticas religiosas são diferentes entre si, porém têm a mesma função Fundamentar, historicamente, o pluralismo religioso no Brasil e no mundo Identificar as diversas formas de organização e manifestação das religiões Reconhecer a vivência dos valores cristãos na promoção da dignidade, do respeito e da valorização das pessoas na diversidade social, cultural e religiosa Identificar e compreender o que significam os símbolos religiosos para as pessoas de sua própria tradição religiosa, como também, da tradição religiosa da comunidade Conhecer as linguagens utilizadas nos textos sagrados das diferentes tradições religiosas para facilitar sua interpretação Compreender que o ser humano se comunica por meio do símbolo Compreender como os símbolos religiosos podem ser significativos para as pessoas e os grupos sociais Compreender que se pode expressar a ideia do transcendental por diversas maneiras: nos símbolos, nos gestos, nas músicas, nos diferentes nomes do sobrenatural. NÍVEL: ( I ) INTRODUZIR ( ) PROFUNDR ( C ) CONSOLIDR. I/ I/ I/ I/ I/ 2º Bim 3º Bim 4º Bim ESCOL ESTDUL VIRGÍNIO PERILLO PLNO DE CURSO

9 9º NO EF TÓPICO HBILIDDES NÍVEL 11. utoconhecimento: Ser 12. s relações na escola, na família e na sociedade 13. ética e os valores 1.1. Conhecer a si próprio e a sua singularidade: saindo da infância para a puberdade- adolescência e, daí, para a vida adulta Identificar suas características pessoais Reconhecer-se como o ser humano que traz consigo sua própria história, suas vivências e experiências Reconhecer sua história, suas vivências e experiências de vida como referência de identidade e singularidade Conhecer sua identidade religiosa, respeitando a religiosidade do outro. - Identificar a diversidade religiosa presente em sua comunidade. - Desenvolver atitudes de respeito e tolerância à diversidade religiosa, na convivência com o outro Compreender os direitos e deveres como compromisso para a vida em sociedade Valorizar a convivência com diferentes pessoas, respeitando a diversidade cultural e religiosa Respeitar os direitos do outro e exigir igual respeito para si. - Conhecer os direitos e deveres dos indivíduos, na sociedade. - Reconhecer a importância das normas e regras de convivência social gir em conformidade com os princípios éticos, políticos e estéticos. BIMESTRE PREVISTO 1º Bim 1º e 2º Bim 2º Bim ESCOL ESTDUL VIRGÍNIO PERILLO PLNO DE CURSO

10 14. religiosidade 15. Os símbolos religiosos Reconhecer a existência das diferentes religiões Identificar as crenças, as doutrinas e os rituais das diferentes práticas religiosas. - Constatar que as práticas religiosas são diferentes entre si, porém têm a mesma função Fundamentar, historicamente, o pluralismo religioso no Brasil e no mundo Identificar as diversas formas de organização e manifestação das religiões Reconhecer a vivência dos valores cristãos na promoção da dignidade, do respeito e da valorização das pessoas na diversidade social, cultural e religiosa Identificar e compreender o que significam os símbolos religiosos para as pessoas de sua própria tradição religiosa, como também, da tradição religiosa da comunidade Conhecer as linguagens utilizadas nos textos sagrados das diferentes tradições religiosas para facilitar sua interpretação Compreender que o ser humano se comunica por meio do símbolo Compreender como os símbolos religiosos podem ser significativos para as pessoas e os grupos sociais Compreender que se pode expressar a ideia do transcendental por diversas maneiras: nos símbolos, nos gestos, nas músicas, nos diferentes nomes do sobrenatural. NÍVEL: ( I ) INTRODUZIR ( ) PROFUNDR ( C ) CONSOLIDR. 3º Bim 4º Bim ESCOL ESTDUL VIRGÍNIO PERILLO PLNO DE CURSO

Ensino Religioso nas Escolas Públicas

Ensino Religioso nas Escolas Públicas Ensino Religioso nas Escolas Públicas Fundamentação legal: Constituição Federal de 1988: qdo reconhece os direitos sociais dos cidadãos e estabelece a promoção da cidadania e da dignidade como dever do

Leia mais

PLANO DE CURSO DISCIPLINA: SOCIOLOGIA ANO: 2016 PROFESSORA: LILIANE CRISTINA FERREIRA COSTA

PLANO DE CURSO DISCIPLINA: SOCIOLOGIA ANO: 2016 PROFESSORA: LILIANE CRISTINA FERREIRA COSTA Escola Estadual Virgínio Perillo Avenida José Bernardes Maciel, 471 Marília, Lagoa da Prata-MG Fone: (37) 3261-3222 E-mail: escolavirginioperillo@gmail.com PLANO DE CURSO DISCIPLINA: SOCIOLOGIA ANO: 2016

Leia mais

CURRÍCULO DO ENSINO RELIGIOSO NA EDUCAÇÃO BÁSICA. Prof. Elcio Cecchetti

CURRÍCULO DO ENSINO RELIGIOSO NA EDUCAÇÃO BÁSICA. Prof. Elcio Cecchetti CURRÍCULO DO ENSINO RELIGIOSO NA EDUCAÇÃO BÁSICA Prof. Elcio Cecchetti elcio.educ@terra.com.br ENSINO RELIGIOSO? Como? Outra vez? O quê? Por quê? Para quê? O ENSINO RELIGIOSO NA ESCOLA PÚBLICA DO PASSADO

Leia mais

1.1. Creche Objectivos gerais

1.1. Creche Objectivos gerais 1.1. Creche 1.1.1. Objectivos gerais Os processos de ensino e aprendizagem deverão contribuir nesta primeira etapa da Educação para a Infância, para que as crianças alcancem os seguintes objectivos: -

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO. desenvolvimento social e humano /ucp centro regional do porto

PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO. desenvolvimento social e humano /ucp centro regional do porto PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO desenvolvimento social e humano /ucp centro regional do porto Como pode a escola católica promover o desenvolvimento da inteligência espiritual? O A educação deve

Leia mais

O ENSINO RELIGIOSO NA ESCOLA ORIENTAÇÕES LEGAIS

O ENSINO RELIGIOSO NA ESCOLA ORIENTAÇÕES LEGAIS O ENSINO RELIGIOSO NA ESCOLA ORIENTAÇÕES LEGAIS A CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 210 DETERMINA O ENSINO RELIGIOSO, MESMO FACULTATIVO PARA O ALUNO, DEVE ESTAR PRESENTE COMO DISCIPLINA DOS HORÁRIOS NORMAIS DA

Leia mais

Centro Social Monsenhor Júlio Martins

Centro Social Monsenhor Júlio Martins Centro Social Monsenhor Júlio Martins Plano Anual de Atividades 2014/2015 Tema do Projeto Educativo: Brincar a Aprender Tema do Projeto Curricular de Turma: Descobrir com as emoções Sala dos 3,4 e 5 anos

Leia mais

1- Introdução O presente instrumento Currículo Básico Comum de Ensino Religioso tem por base as Diretrizes Curriculares Nacionais definidas na Resolução CNE nº 7 de 14/12/2010 e a Resolução SEE/MG nº 2.197/2012

Leia mais

COLÉGIO DE SANTA DOROTEIA LISBOA ANO LETIVO 2016/2017 DEPARTAMENTO DE PASTORAL DISCIPLINA: EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA PLANIFICAÇÃO DE 7º ANO

COLÉGIO DE SANTA DOROTEIA LISBOA ANO LETIVO 2016/2017 DEPARTAMENTO DE PASTORAL DISCIPLINA: EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA PLANIFICAÇÃO DE 7º ANO 1º PERÍODO UL1 - As origens ÉTICA E MORAL Calendarização - 26 aulas A. Construir uma chave de leitura religiosa Os dados da ciência sobre a origem do Diálogo com os alunos, relacionado da pessoa, da vida

Leia mais

ENSINO RELIGIOSO 6 ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ERIKA CARMO PROF. LUÍS CLÁUDIO BATISTA

ENSINO RELIGIOSO 6 ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ERIKA CARMO PROF. LUÍS CLÁUDIO BATISTA ENSINO RELIGIOSO 6 ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ERIKA CARMO PROF. LUÍS CLÁUDIO BATISTA CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade III Pluralismo e diversidade religiosa 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula 5 Conteúdos

Leia mais

Plano Anual de Atividades 2014/2015 CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE SÃO PEDRO DE LOUSA

Plano Anual de Atividades 2014/2015 CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE SÃO PEDRO DE LOUSA CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE SÃO PEDRO DE LOUSA Mês Temas/conteúdos Atividades Objetivos gerais Intervenientes Espaço -Início do Ano Escolar; -Recepção dos Alunos. - Atividades de grupo; -Acolhimento e receção

Leia mais

5 º ANO Unidade Letiva 1 - Viver juntos METAS OBJETIVOS CONTEÚDOS B. Construir uma chave de leitura religiosa da pessoa, da vida e da história.

5 º ANO Unidade Letiva 1 - Viver juntos METAS OBJETIVOS CONTEÚDOS B. Construir uma chave de leitura religiosa da pessoa, da vida e da história. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ÁGUEDA Escola Básica Fernando Caldeira Departamento de Ciências Humanas e Sociais Educação Moral e Religiosa Católica - 5º ano Ano letivo 2016/2017 5 º ANO Unidade Letiva 1 -

Leia mais

COLÉGIO LA SALLE BRASÍLIA

COLÉGIO LA SALLE BRASÍLIA COLÉGIO LA SALLE BRASÍLIA SGAS Quadra 906 Conjunto E Brasília - DF Telefone: (61) 3443-7878 Site: www.lasalledf.com.br E-mail: lasalledf@lasalledf.com.br DIRETRIZES CURRICULARES Série: Maternal 2 1º Período

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL: UM CAMPO A INVESTIGAR. Leila Nogueira Teixeira, Msc. Ensino de Ciências na Amazônia Especialista em Educação Infantil

EDUCAÇÃO INFANTIL: UM CAMPO A INVESTIGAR. Leila Nogueira Teixeira, Msc. Ensino de Ciências na Amazônia Especialista em Educação Infantil EDUCAÇÃO INFANTIL: UM CAMPO A INVESTIGAR Leila Nogueira Teixeira, Msc. Ensino de Ciências na Amazônia Especialista em Educação Infantil Quem são as crianças? Únicas, possuem saberes, desejos, interesses,

Leia mais

De acordo com o lema A variedade dá sabor à vida, elaboramos a seguinte planificação anual, tendo em conta a articulação horizontal.

De acordo com o lema A variedade dá sabor à vida, elaboramos a seguinte planificação anual, tendo em conta a articulação horizontal. PRIMEIRO PERÍODO PLANO ANUAL DE ATIVIDADES DO 1.º CICLO ANO LETIVO 2011-2012 De acordo com o lema A variedade dá sabor à vida, elaboramos a seguinte planificação anual, tendo em conta a articulação horizontal.

Leia mais

Planificações 1º PERÍODO - 3/4 anos Educação Pré-escolar Ano lectivo 2016/2017

Planificações 1º PERÍODO - 3/4 anos Educação Pré-escolar Ano lectivo 2016/2017 Planificações 1º PERÍODO - 3/4 anos Educação Pré-escolar Ano lectivo 2016/2017 ÁREAS COMPONENTES OBJETIVOS ATIVIDADES/ESTRATÉGIAS ÁREA DA FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIA Construção da identidade e da auto estima

Leia mais

5 FUNDAMENTAÇÃO PEDAGÓGICA

5 FUNDAMENTAÇÃO PEDAGÓGICA 1 TEMA Aprender a ouvir o outro que possui uma religião diferente 2 SÉRIE 4ª série ou 2ª etapa do ciclo II 3 ALUNO Cristiane Guimarães Silva cristiane_puc_32@yahoo.com 4 OBJETIVOS Perceber que existem

Leia mais

PLANEJAMENTO 1º TRIMESTRE/2015

PLANEJAMENTO 1º TRIMESTRE/2015 PLANEJAMENTO 1º TRIMESTRE/2015 TURMA: Nível 1 PERÍODO: 23/02 a 22/05 DISCIPLINA/PROFESSOR/A OBJETIVO CONTEÚDOS Viviane Bhoes Identidade e Autonomia * Reconhecer colegas e professores pelo nome; * Ampliar

Leia mais

Colégio Nossa Senhora da Piedade

Colégio Nossa Senhora da Piedade Colégio Nossa Senhora da Piedade Dados de identificação: Curso: Ensino Fundamental II Série: 6 Ano Professora: Denise dos Santos Silva Rocha Disciplina: Ensino Religioso Ano: 2016. Plano de curso 1-Objetivo

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÁTÃO CURRÍCULO DISCIPLINAR 3º ANO EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA (EMRC) (SNEC)

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÁTÃO CURRÍCULO DISCIPLINAR 3º ANO EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA (EMRC) (SNEC) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÁTÃO CURRÍCULO DISCIPLINAR 3º ANO EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA (EMRC) (SNEC) 2015-16 3 º ANO Unidade Letiva 1 A Dignidade das Crianças 1. Tomar consciência de que as crianças

Leia mais

PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS. Educação infantil Creche e pré escolas

PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS. Educação infantil Creche e pré escolas PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS Educação infantil Creche e pré escolas O QUE É? Os Parâmetros Curriculares Nacionais - PCN - são referências de qualidade para os Ensinos Fundamental e Médio do país,

Leia mais

1ºPeríodo Viver juntos 5. ano Unidade Lectiva 1 GESTÃO E PLANIFICAÇÃO

1ºPeríodo Viver juntos 5. ano Unidade Lectiva 1 GESTÃO E PLANIFICAÇÃO 1ºPeríodo Viver juntos 5. ano Unidade Lectiva 1 GESTÃO E PLANIFICAÇÃO METAS: - Construir uma chave de leitura religiosa da pessoa, da vida e da história (Objs 1, 2 e 3). - Conhecer a mensagem e a cultura

Leia mais

Escola Básica e Secundária de Velas. Governo dos Açores. 2º Ciclo ENSINO BÁSICO. Planificação Anual de EMRC. 5 º Ano

Escola Básica e Secundária de Velas. Governo dos Açores. 2º Ciclo ENSINO BÁSICO. Planificação Anual de EMRC. 5 º Ano Governo dos Açores Escola Básica e Secundária de Velas º Ciclo ENSINO BÁSICO Planificação Anual de EMRC 5 º Ano º Periodo Unidade Letiva - Viver juntos Competências chave Metas Curriculares B. Construir

Leia mais

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE MACEIRA

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE MACEIRA ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE MACEIRA Critérios de Avaliação de EMRC 2009 / 2010 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS A base dos critérios de avaliação para o Segundo, Terceiro Ciclos do Ensino Básico e para o Ensino

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Dr. José Viana Coutinho Código: 073 Município: Jales Eixo Tecnológico: GESTÃO E NEGÓCIOS Habilitação Profissional: Habilitação Profissional Técnica

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DE HISTÓRIA CICLO DA ALFABETIZAÇÃO 1º, 2º E 3º ANOS DO ENSINO FUNDAMENTAL VERSÃO PRELIMINAR

MATRIZ CURRICULAR DE HISTÓRIA CICLO DA ALFABETIZAÇÃO 1º, 2º E 3º ANOS DO ENSINO FUNDAMENTAL VERSÃO PRELIMINAR SECEAIA DE ESADO DE EDUCAÇÃO DE MINAS GEAIS SUBSECEAIA DE DESENVOLVIMENO DA EDUCAÇÃOBÁSICA SUPEINENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO INFANIL E FUNDAMENAL DIEOIA DE ENSINO FUNDAMENAL MAIZ CUICULA DE HISÓIA, E S DO ENSINO

Leia mais

Competência Objeto de aprendizagem Habilidade

Competência Objeto de aprendizagem Habilidade 3ª Geografia 3ª Ano E.F. Competência Objeto de aprendizagem Habilidade 1.- Geografia: C 1: Categorias da Geografia Compreender a Geografia como ciência do espaço geográfico, reconhecendo-se, de forma crítica,

Leia mais

Escola Secundária/3 de Felgueiras Planificação da Disciplina de E.M.R.C. 9º Ano 2012/2013

Escola Secundária/3 de Felgueiras Planificação da Disciplina de E.M.R.C. 9º Ano 2012/2013 1 A Dignidade da Pessoa Humana Dignidade e inviolabilidade da vida humana: declarações de direitos e perspetiva da Igreja Católica. A vida: condição de possibilidade de todos os outros valores A vida como

Leia mais

OBJETIVOS E CONTEÚDOS

OBJETIVOS E CONTEÚDOS OBJETIVOS E CONTEÚDOS 1º BIMESTRE SISTEMA INTERATIVO DE ENSINO História 1º ano Capítulo 1 Minha história, meu nome Explorar as fotografias de família para reconhecer a trajetória pessoal desde o nascimento;

Leia mais

HUMANO DRAGÃO ÁREA DE DESENVOLVIMENTO AFECTIVO. Autonomia

HUMANO DRAGÃO ÁREA DE DESENVOLVIMENTO AFECTIVO. Autonomia HUMANO DRAGÃO ÁREA DE DESENVOLVIMENTO AFECTIVO Relacionamento e Sensibilidade Valorizar e demonstrar sensibilidade nas suas relações afectivas, de modo consequente com a opção de vida assumida. Respeitar

Leia mais

Associação de Pais, Encarregados de Educação e Amigos dos Alunos da EB1/JI de Pinhal de Frades. Plano de Actividades 2012/2013

Associação de Pais, Encarregados de Educação e Amigos dos Alunos da EB1/JI de Pinhal de Frades. Plano de Actividades 2012/2013 Setembro Recepção dos alunos (dias 03 a 07) Promover a integração/adaptação das crianças Desenvolver atitudes de auto-estima e auto-confiança Conhecer os colegas e a escola Conhecer as regras da sala Recepção

Leia mais

Metas/Objetivos Descritores de Desempenho/Conteúdos Estratégias/Metodologias Avaliação

Metas/Objetivos Descritores de Desempenho/Conteúdos Estratégias/Metodologias Avaliação Domínio Religião e experiência religiosa Cultura cristã e visão cristã da vida Ética e moral cristã DEPARTAMENTO DE PASTORAL DISCIPLINA: EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA PLANIFICAÇÃO DE 5º ANO Calendarização:

Leia mais

1º Ciclo. Competências Gerais do Ensino Básico

1º Ciclo. Competências Gerais do Ensino Básico 1º Ciclo Ao longo do 1º ciclo do Ensino Básico, todos os alunos devem desenvolver as competências gerais do Ensino Básico. Competências Gerais do Ensino Básico 1. Mobilizar saberes culturais, científicos

Leia mais

PLANO DE CURSO Disciplina: NATUREZA E SOCIEDADE Série: JARDIM II Educação Infantil

PLANO DE CURSO Disciplina: NATUREZA E SOCIEDADE Série: JARDIM II Educação Infantil PLANO DE CURSO Disciplina: NATUREZA E SOCIEDADE Série: JARDIM II Educação Infantil UNIDADE IV: Identidade Quem sou eu? Meu nome Gênero: menino e menina Raça (Etnia) UNIDADE V: Meio de comunicação Escrito

Leia mais

Escola Básica do 1º Ciclo c/ Jardim de Infância do Reguengo

Escola Básica do 1º Ciclo c/ Jardim de Infância do Reguengo Escola Básica do 1º Ciclo c/ Jardim de Infância do Reguengo Actividades Recepção aos novos alunos - Promover a integração dos novos alunos; Início do ano lectivo 15/09/2003 algumas regras de convivência

Leia mais

Conversa de Formigas Uma formiga conversando com outra: -Qual é o seu nome? -Fu. -Fu o que? -Fu miga. E você? -Ota. -Ota o que?

Conversa de Formigas Uma formiga conversando com outra: -Qual é o seu nome? -Fu. -Fu o que? -Fu miga. E você? -Ota. -Ota o que? Conversa de Formigas Uma formiga conversando com outra: -Qual é o seu nome? -Fu. -Fu o que? -Fu miga. E você? -Ota. -Ota o que? -Ota fu miga Metodologia de uma Escola Bíblico-Catequética Método. [do gr.

Leia mais

Educação Moral e Religiosa Católica

Educação Moral e Religiosa Católica Agrupamento de Escolas de Mondim de Basto Ano letivo: 016/17 Educação Moral e Religiosa Católica Planos de Unidade do 1º ano de escolaridade Unidade letiva 1: Ter um coração bom Metas: B. Construir uma

Leia mais

Jardim de Infância Professor António José Ganhão

Jardim de Infância Professor António José Ganhão Jardim de Infância Professor António José Ganhão Jardim de Infância da Lezíria Jardim de Infância do Centro Escolar de Samora Correia Jardim de Infância do Centro Escolar de Porto Alto Jardim de Infância

Leia mais

H1. Conhecer o objetivo do estudo da Geografia para entender o espaço em que vive.

H1. Conhecer o objetivo do estudo da Geografia para entender o espaço em que vive. 2ª Geografia 4º Ano E.F. Competência Objeto de aprendizagem Habilidade C1- CATEGORIAS DA GEOGRAFIA: Compreender a Geografia como ciência do espaço geográfico, reconhecendo-se, de forma crítica, como elemento

Leia mais

LIVRO PARADIDÁTICO: SEMPRE AMIGOS

LIVRO PARADIDÁTICO: SEMPRE AMIGOS LIVRO PARADIDÁTICO: SEMPRE AMIGOS (CARRARO, Fernando. Sempre Amigos. São Paulo: FTD, 2012.) O livro "Sempre amigos" mostra como, às vezes, quem experimenta lições de vida difíceis aprende a respeitar mais

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL 2º Período

EDUCAÇÃO INFANTIL 2º Período EDUCAÇÃO INFANTIL 2º Período Objetivo Geral Desenvolver uma imagem positiva de si, atuando de forma cada vez mais independente, com confiança em suas capacidades e percepção de suas limitações; Descobrir

Leia mais

ACADEMIA DE MÚSICA DE SANTA CECÍLIA IDEÁRIO EDUCATIVO

ACADEMIA DE MÚSICA DE SANTA CECÍLIA IDEÁRIO EDUCATIVO ACADEMIA DE MÚSICA DE SANTA CECÍLIA IDEÁRIO EDUCATIVO Ideário Educativo da Academia de Música de Santa Cecília ESCOLA DE ENSINO INTEGRADO A AMSC define-se como uma Escola de Ensino Integrado que garante,

Leia mais

Catequese Adolescência Paróquia S. Salvador de Carregosa 8º ano/ º Período Objectivos Data Tema da catequese Objectivos Estratégias

Catequese Adolescência Paróquia S. Salvador de Carregosa 8º ano/ º Período Objectivos Data Tema da catequese Objectivos Estratégias Finalidade: Descobrir-se Cristão Objectivos: Participar na eucaristia Concretizar projecto comunitário (partilha fraterna) Tema do Período Em Diálogo 1 1º Período Objectivos Data Tema da catequese Objectivos

Leia mais

SECRETARIA DOS DIREITOS HUMANOS. Presidência da República

SECRETARIA DOS DIREITOS HUMANOS. Presidência da República SECRETARIA DOS DIREITOS HUMANOS Presidência da República PAINEL ECOLOGIA HUMANA E FORMAÇÃO NA DIVERSIDADE RELAÇÃO ENTRE O PROGRAMA NACIONAL DE DIREITOS HUMANOS- PNDH-3 E O ESTATUTO DO IDOSO UNIVERSALIZAR

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL 1º Período

EDUCAÇÃO INFANTIL 1º Período EDUCAÇÃO INFANTIL 1º Período Objetivo Geral Desenvolver uma imagem positiva de si, atuando de forma cada vez mais independente, com confiança em suas capacidades e percepção de suas limitações; Descobrir

Leia mais

CURRÍCULO COM ORIENTAÇÕES PARA O ENSINO FUNDAMENTAL ANOS INICIAIS Currículo de Ensino Religioso

CURRÍCULO COM ORIENTAÇÕES PARA O ENSINO FUNDAMENTAL ANOS INICIAIS Currículo de Ensino Religioso CURRÍCULO COM ORIENTAÇÕES PARA O ENSINO FUNDAMENTAL ANOS INICIAIS Currículo de Ensino Religioso 2015 Paulo Henrique Saraiva Câmara Governador do Estado de Pernambuco Raul Henry Vice-Governador do Estado

Leia mais

Fundamentos Pedagógicos e Estrutura Geral da BNCC. BNCC: Versão 3 Brasília, 26/01/2017

Fundamentos Pedagógicos e Estrutura Geral da BNCC. BNCC: Versão 3 Brasília, 26/01/2017 Fundamentos Pedagógicos e Estrutura Geral da BNCC BNCC: Versão 3 Brasília, 26/01/2017 1 INTRODUÇÃO 1.3. Os fundamentos pedagógicos da BNCC Compromisso com a formação e o desenvolvimento humano global (dimensões

Leia mais

PLANEJAMENTO Disciplina: Ensino Religioso Série: 7º ano Prof.:Cristiano Souza 1ª UNIDADE EIXOS COGNITIVOS CONTEÚDOS HABILIDADES

PLANEJAMENTO Disciplina: Ensino Religioso Série: 7º ano Prof.:Cristiano Souza 1ª UNIDADE EIXOS COGNITIVOS CONTEÚDOS HABILIDADES Disciplina: Ensino Religioso Série: 7º ano Prof.:Cristiano Souza 1ª UNIDADE EIXOS COGNITIVOS CONTEÚDOS HABILIDADES O homem e sua relação com o Transcendente LIDERANÇA CHAMADOS PARA FORMAR UMA NAÇÃO Favorecer

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA DO GRUPO EDF

CÓDIGO DE ÉTICA DO GRUPO EDF CÓDIGO DE ÉTICA DO GRUPO EDF A energia elétrica não é uma mercadoria como outra qualquer. É por isso que sua geração, transmissão, distribuição e comercialização são assuntos do interesse de todos. Desde

Leia mais

MUNICIPAL PROFESSOR LAÉRCIO FERNANDES NÍVEL DE ENSINO:

MUNICIPAL PROFESSOR LAÉRCIO FERNANDES NÍVEL DE ENSINO: UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE PIBID- Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência ESCOLA MUNICIPAL PROFESSOR LAÉRCIO FERNANDES NÍVEL DE ENSINO: Ensino Fundamental I- TURMA: 3º

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL DARIO VELOZZO PLANO DE TRABALHO DOCENTE DISCIPLINA: ENSINO RELIGIOSO. 7º ano ENSINO FUNDAMENTAL

COLÉGIO ESTADUAL DARIO VELOZZO PLANO DE TRABALHO DOCENTE DISCIPLINA: ENSINO RELIGIOSO. 7º ano ENSINO FUNDAMENTAL COLÉGIO ESTADUAL DARIO VELOZZO PLANO DE TRABALHO DOCENTE 2014 DISCIPLINA: ENSINO RELIGIOSO 7º ano ENSINO FUNDAMENTAL PROFESSORA: JUCELAINE AVILA DE OLIVEIRA Professora: Jucelaine Disciplina: Ensino Religioso

Leia mais

C O L É G I O L A S A L L E

C O L É G I O L A S A L L E C O L É G I O L A S A L L E EducaçãoInfantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Guarani, 000- Fone (045) 35-336 - Fax (045) 3379-58 http://www.lasalle.edu.br/toledo/ DISCIPLINA: PROFESSOR(A): E-MAIL: PROGRAMA

Leia mais

6 º ANO Unidade Letiva 1 - A Pessoa Humana METAS OBJETIVOS CONTEÚDOS B. Construir uma chave de leitura religiosa da pessoa, da vida e da história.

6 º ANO Unidade Letiva 1 - A Pessoa Humana METAS OBJETIVOS CONTEÚDOS B. Construir uma chave de leitura religiosa da pessoa, da vida e da história. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ÁGUEDA Escola Básica Fernando Caldeira Departamento de Ciências Humanas e Sociais Educação Moral e Religiosa Católica - 6º ano Ano letivo 2016/2017 Unidade Letiva 1 - A Pessoa

Leia mais

CRECHE. Educadora Responsável. Cristiana Andias. 24 aos 36 meses sala A A CONTEXTUALIZAÇÃO DO PROJECTO PEDAGÓGICO

CRECHE. Educadora Responsável. Cristiana Andias. 24 aos 36 meses sala A A CONTEXTUALIZAÇÃO DO PROJECTO PEDAGÓGICO Educadora Responsável Cristiana Andias A CONTEXTUALIZAÇÃO DO 24 aos 36 meses sala A A Creche constitui uma das primeiras experiências da criança num sistema organizado, exterior ao seu circulo familiar,

Leia mais

Resolução CEB nº 3, de 26 de junho de Apresentado por: Luciane Pinto, Paulo Henrique Silva e Vanessa Ferreira Backes.

Resolução CEB nº 3, de 26 de junho de Apresentado por: Luciane Pinto, Paulo Henrique Silva e Vanessa Ferreira Backes. Resolução CEB nº 3, de 26 de junho de 1998 Apresentado por: Luciane Pinto, Paulo Henrique Silva e Vanessa Ferreira Backes. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. O Presidente

Leia mais

Plano Anual de Atividades. Mês Atividade/Tarefa Objetivos Intervenientes

Plano Anual de Atividades. Mês Atividade/Tarefa Objetivos Intervenientes Mês Atividade/Tarefa Objetivos Intervenientes Setembro Integração e adaptação das Crianças Reunião de pais - Promover a (re)integração e adaptação das crianças à creche; - Proporcionar um ambiente que

Leia mais

1.1. Pré-escolar Objectivos gerais Objectivos específicos

1.1. Pré-escolar Objectivos gerais Objectivos específicos 1.1. Pré-escolar 1.1.1. Objectivos gerais - Promover o desenvolvimento pessoal e social da criança; - Fomentar a inserção da criança na sociedade; - Contribuir para a igualdade de oportunidades; - Estimular

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso nº 160 aprovado pela portaria Cetec nº 138 de 04 / 10 /2012 Etec Professora Ermelinda Giannini Teixeira Código: 187 Município: Santana de Parnaíba

Leia mais

Escola Secundária Dr. Joaquim de Carvalho, Figueira da Foz

Escola Secundária Dr. Joaquim de Carvalho, Figueira da Foz PLANO ANUAL DE TRABALHO 20/205 9ºAno Código 070 Educação para a Cidadania 9º Ano Ano Letivo: 20/ 205 Plano Anual Competências a desenvolver Conteúdos Temas/Domínios Objetivos Atividades / Materiais 3 Períodos

Leia mais

Participe, seja um colaborador na construção de um Cultura de Paz! A Semana da Paz é uma forma de pensar ações que sejam contínuas e duradouras!

Participe, seja um colaborador na construção de um Cultura de Paz! A Semana da Paz é uma forma de pensar ações que sejam contínuas e duradouras! SEMANA DA PAZ 2011 18 à 25 de Setembro O Serviço Social do Comércio (SESC/PG) em parceria com o Núcleo de Estudos e Formação de Professores em Educação para a Paz e Convivências (NEP/UEPG) convida a todos

Leia mais

Unidade Lectiva 1 A Pessoa Humana

Unidade Lectiva 1 A Pessoa Humana AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Planificação Anual EMRC Ano Letivo 2011/2012 2º Ciclo 6º Ano Tema Conteúdos Competências Específicas Avaliação Unidade Lectiva 1 A Pessoa Humana O

Leia mais

Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil. Centro Sergio Vieira de Mello

Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil. Centro Sergio Vieira de Mello Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil Centro Sergio Vieira de Mello Unidade 4 Parte 3 Respeito pela Diversidade Valores Organizacionais Essenciais da ONU Integridade Profissionalismo Respeito pela

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Paraná Programa de Pós-Graduação em Teologia Linha Teologia e Sociedade

Pontifícia Universidade Católica do Paraná Programa de Pós-Graduação em Teologia Linha Teologia e Sociedade Pontifícia Universidade Católica do Paraná Programa de Pós-Graduação em Teologia Linha Teologia e Sociedade LIVROS DE ENSINO RELIGIOSO: uma produção de conhecimento no período de 1995 a 2010 Isabel Cristina

Leia mais

Externato Cantinho Escolar. Plano Anual de Atividades

Externato Cantinho Escolar. Plano Anual de Atividades Externato Cantinho Escolar Plano Anual de Atividades Ano letivo 2016 / 2017 Pré-escolar e 1º Ciclo Receção dos Fomentar a integração da criança no meio escolar. Promover a socialização dos alunos. Receção

Leia mais

1º ANO HISTÓRIA SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO DE CURITIBA DEPARTAMENTO DE ENSINO FUNDAMENTAL GERÊNCIA DE CURRÍCULO

1º ANO HISTÓRIA SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO DE CURITIBA DEPARTAMENTO DE ENSINO FUNDAMENTAL GERÊNCIA DE CURRÍCULO 1º ANO 1. Reconhecer a si e ao outro nas relações que se estabelecem nos diferentes grupos sociais com os quais convive, percebendo as diferenças individuais. SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO DE CURITIBA

Leia mais

OBJECTIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS DA EDUCAÇÃO AFECTIVO- SEXUAL

OBJECTIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS DA EDUCAÇÃO AFECTIVO- SEXUAL OBJECTIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS DA EDUCAÇÃO AFECTIVO- SEXUAL Numa perspectiva global pretende-se que no 2º ciclo os alunos Adquiram e aumentem conhecimentos: Sobre o conceito de sexualidade e as suas diferentes

Leia mais

COLÉGIO LA SALLE BRASÍLIA

COLÉGIO LA SALLE BRASÍLIA COLÉGIO LA SALLE BRASÍLIA SGAS Quadra 906 Conjunto E Brasília - DF Telefone: (61) 3443-7878 Site: www.lasalledf.com.br E-mail: lasalledf@lasalledf.com.br DIRETRIZES CURRICULARES Maternal 3 1º Período Conteúdo

Leia mais

Santa Casa da Misericórdia de Pombal

Santa Casa da Misericórdia de Pombal Manual de Políticas Santa Casa da Misericórdia de Pombal Índice 1. Política da Qualidade 2. Politica de Apoio Social 3. Politica de Recursos Humanos 4. Politica de Ética 5. Politica de Envolvimento Ativo

Leia mais

Plano de atividades 3ª Idade - Janeiro a Agosto de 2017

Plano de atividades 3ª Idade - Janeiro a Agosto de 2017 Plano de atividades 3ª Idade - Janeiro a Agosto de 2017 Atividades Descrição Periodicidade Local Objetivos Recursos Humanos Comemoração dos aniversários dos utentes Realização de um lanche convivio, com

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE ASSISTENTES SOCIAIS (C. F. A.S.) CÓDIGO ÉTICA PROFISSIONAL ASSISTENTE SOCIAL

CONSELHO FEDERAL DE ASSISTENTES SOCIAIS (C. F. A.S.) CÓDIGO ÉTICA PROFISSIONAL ASSISTENTE SOCIAL CONSELHO FEDERAL DE ASSISTENTES SOCIAIS (C. F. A.S.) CÓDIGO DE ÉTICA PROFISSIONAL DO ASSISTENTE SOCIAL APROVADO EM 30 DE JANEIRO DE 1975 CÓDIGO DE ÈTICA PROFISSIONAL DO ASSISTENTE SOCIAL INTRODUÇÃO AO

Leia mais

CANDIDATOS DA MICRORREGIÃO 7

CANDIDATOS DA MICRORREGIÃO 7 CANDIDATOS DA MICRORREGIÃO 7 Nome de urna: Chayenne Silva Número: 7005 - Coordenadora de projetos sociais na Associação Comunitária Núcleo Esperança; - Conselheira Tutelar suplente 2011-2015 -Professora

Leia mais

Plano Anual de Atividades

Plano Anual de Atividades Calendarização Actividades Objectivos Intervenientes Recursos Dia 2 de setembro Dias 21, 22, 23, 24, 25 e 28 de setembro Recepção das crianças à escola Reunião de pais e Encarregados de Educação Dia 23

Leia mais

Consumo e Educação Financeira como tema integrador na BNCC Profa. Erondina Barbosa da Silva

Consumo e Educação Financeira como tema integrador na BNCC Profa. Erondina Barbosa da Silva Consumo e Educação Financeira como tema integrador na BNCC Profa. Erondina Barbosa da Silva 1988 Constituição Federal Conteúdos Mínimos 1996 LDB (Lei 9394/1996) - BNCC 1997 a 2000 PCN 2008 a 2010 Currículo

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES PLANO DE ATIVIDADES 2016/2017

PLANO DE ATIVIDADES PLANO DE ATIVIDADES 2016/2017 PLANO DE ATIVIDADES 2016/2017 O Plano Anual de Atividades deve ser entendido como o instrumento da planificação das Atividades escolares, para um ano letivo, no qual estão plasmadas as decisões sobre os

Leia mais

Conteúdo Básico Comum (CBC) de Artes do Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano Exames Supletivos / 2013

Conteúdo Básico Comum (CBC) de Artes do Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano Exames Supletivos / 2013 SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DO ENSINO MÉDIO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Conteúdo

Leia mais

Turismo Histórico-Cultural. diretrizes para o desenvolvimento Ministério do Turismo

Turismo Histórico-Cultural. diretrizes para o desenvolvimento Ministério do Turismo Turismo Histórico-Cultural diretrizes para o desenvolvimento Ministério do Turismo Proposta de Recorte para a Conceituação de Turismo Cultural l o MTur, em parceria com o Ministério da Cultura e o IPHAN,

Leia mais

Corpo Nacional de Escutas Junta Regional de Braga

Corpo Nacional de Escutas Junta Regional de Braga De: Para: Assunto: Data: Geração Sem Medo Lobitos, Exploradores, Pioneiros, Caminheiros e Dirigentes ARAE 2015 Oportunidades Educativas 07/10/2015 Corpo Nacional de Escutas Junta Regional de Braga Oportunidades

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 03/04 PLANIFICAÇÃO ANUAL º CICLO EDUCAÇÃO MORAL RELIGIOSA CATÓLICA (EMRC)- 6ºANO Documento(s) Orientador(es): Programa de EMRC,aprovado pela Comissão

Leia mais

LIMA, Marcos Antônio dos Santos 1

LIMA, Marcos Antônio dos Santos 1 A ÉTICA NA EDUCAÇÃO: VALORES HUMANOS LIMA, Marcos Antônio dos Santos 1 RESUMO O presente artigo tem como objetivo evidenciar a aproximação da Ética na Educação, bem como o grande valor e o efeito da aplicabilidade

Leia mais

ENQUADRAMENTO CLIENTES

ENQUADRAMENTO CLIENTES ENQUADRAMENTO A promoção da integração na sociedade do cidadão com deficiência mental assim como a defesa dos seus direitos, são valores considerados como fundamentais pela APPACDM, no respeito pelos princípios

Leia mais

COLÉGIO CENECISTA DR. JOSÉ FERREIRA LUZ, CÂMERA, REFLEXÃO

COLÉGIO CENECISTA DR. JOSÉ FERREIRA LUZ, CÂMERA, REFLEXÃO COLÉGIO CENECISTA DR. JOSÉ FERREIRA LUZ, CÂMERA, REFLEXÃO UBERABA - 2015 PROJETO DE FILOSOFIA Professor coordenador: Danilo Borges Medeiros Tema: Luz, câmera, reflexão! Público alvo: Alunos do 9º ano do

Leia mais

PLANEJAMENTO Jeitos de explicar a origem do universo. O que diz a ciência sobre a criação. Campanha da Fraternidade 2016

PLANEJAMENTO Jeitos de explicar a origem do universo. O que diz a ciência sobre a criação. Campanha da Fraternidade 2016 Disciplina: Ensino Religioso Série: 6º ano Prof.: Cristiano Souza 1ªUNIDADE EIXOS COGNITIVOS CONTEÚDOS HABILIDADES O homem e sua relação com Deus e com a Criação CRIAÇÃO O início do universo Tomar consciência

Leia mais

Igreja da Penha de França, vista da avenida Almirante Reis (c. 1900)

Igreja da Penha de França, vista da avenida Almirante Reis (c. 1900) Igreja da Penha de França, vista da avenida Almirante Reis (c. 1900) Projeto dirigido à população idosa e que tem como objetivo recuperar, preservar e divulgar histórias de vida, testemunhos, relatos e

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1. CICLO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1. CICLO Domínios Disciplinas Domínios de referência Parâmetros Ponderação% 1º 2º 3º 4º ano Instrumentos de Avaliação Oralidade Leitura Português Escrita Educação literária Conhecimento Explicito/gramática Resolução

Leia mais

Filosofia 10º Ano Ano letivo de 2015/2016 PLANIFICAÇÃO

Filosofia 10º Ano Ano letivo de 2015/2016 PLANIFICAÇÃO I Iniciação à Atividade Filosófica 1. Abordagem introdutória à filosofia e ao filosofar PERCURSOS 10.º ANO Competências a desenvolver/objectivos a concretizar Recursos Estratégias Gestão 1.1. O que é a

Leia mais

aprendizagem/estrat égias - Experiência com o doce, o amargo e o salgado; - Levar para casa um menino/a de pano para os vestir com roupas adequadas;

aprendizagem/estrat égias - Experiência com o doce, o amargo e o salgado; - Levar para casa um menino/a de pano para os vestir com roupas adequadas; Anexo IX Plano Anual de atividades Identificação da Instituição: Externato Marista de Lisboa Educadora Cooperante: Educadora B. P. Nº de Crianças: 25 Idades: 5 Anos Planificação Curricular Anual Identificação

Leia mais

2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL

2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL GRUPO DE ECONOMIA E CONTABILIDADE Cursos Científico-Humanísticos Ano Letivo 2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL SOCIOLOGIA (12º ano) Página 1 de 6 Competências Gerais Desenvolver a consciência dos direitos e

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Jardim de Infância

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Jardim de Infância PL ANUAL DE ATIVIDADES Jardim de Infância LETIVO 2016/2017 Para além do trabalho previsto no projeto de sala, não podemos deixar de referir algumas atividades que surgem como comemoração de algumas datas

Leia mais

Curso Vocacional de Saúde e Ambiente Noções Básicas de Saúde / 3º Ciclo Planificação a Longo Prazo

Curso Vocacional de Saúde e Ambiente Noções Básicas de Saúde / 3º Ciclo Planificação a Longo Prazo Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros Curso Vocacional de Saúde e Ambiente Noções Básicas de Saúde / 3º Ciclo Planificação

Leia mais

Cuidado e desmedicalização na atenção básica

Cuidado e desmedicalização na atenção básica Rio de Janeiro, agosto de 2012 Cuidado e desmedicalização na atenção básica Laura Camargo Macruz Feuerwerker Profa. Associada FSP-USP Medicalização e a disputa pela vida Movimento de compreender todos

Leia mais

PROJETO: MINHA CIDADE TEM HISTÓRIA

PROJETO: MINHA CIDADE TEM HISTÓRIA PROJETO: MINHA CIDADE TEM HISTÓRIA POEMA PARA MINHA CIDADE Minha cidade tem praias, Tem rios, tem cores... Minha cidade tem flores, Tem festas, tem amores... Minha cidade tem praças, Tem preces, tem pressa...

Leia mais

1º tema: Modos de viver o natal; 2º tema: Os símbolos e tradições de natal; 3º tema: O nascimento de Jesus; 4º tema: O Natal é tempo de amor;

1º tema: Modos de viver o natal; 2º tema: Os símbolos e tradições de natal; 3º tema: O nascimento de Jesus; 4º tema: O Natal é tempo de amor; Disciplina de: E.M.R.C. Ano escolaridade: Professor: Carlos Durães U.L. 1: Ter um coração bom tema: Significado da expressão «ser bondoso»; tema: Ser bom para todos; tema: Jesus fala de bondade; 4º tema:

Leia mais

Prof. Maria Emilia Nunes Rodrigues Arenas Secretaria Municipal de Educação São José do Rio Preto - SP

Prof. Maria Emilia Nunes Rodrigues Arenas Secretaria Municipal de Educação São José do Rio Preto - SP Área de Linguagens Educação Física Ensino Fundamental O Ensino Fundamental Duas fases Quatro eixos de formação Anos Iniciais (1 ao 5 ano) Anos Finais (6 ao 9 ano) Letramentos e capacidade de aprender;

Leia mais

Danças típicas da Madeira, Bailinho

Danças típicas da Madeira, Bailinho Danças típicas da Madeira, Bailinho Danças Indianas Gastronomia Japonesa - Sushi Tribos de Ameríndios da floresta Amazónica Monges Budista Tailandeses Cerimónia Religiosa Cristã Mulheres afegãs com burca

Leia mais

A construção da Base. Setembro. Abril de Maio de I n í c i o. elaboração. Versão 2: 9 mil Educadores. Versão 3: MEC entrega a Base ao CNE

A construção da Base. Setembro. Abril de Maio de I n í c i o. elaboração. Versão 2: 9 mil Educadores. Versão 3: MEC entrega a Base ao CNE A construção da Base 2014 Setembro de 2015 Maio de 2016 Abril de 2017 I n í c i o elaboração Versão 1: 12 milhões contribuições Versão 2: 9 mil Educadores Versão 3: MEC entrega a Base ao CNE A Base Define

Leia mais

Ana Gonçalves. Curso: TSHT- Técnico de Segurança e Higiene no trabalho. CP: Cidadania e Profissionalidade. Formadora: Ana Gonçalves

Ana Gonçalves. Curso: TSHT- Técnico de Segurança e Higiene no trabalho. CP: Cidadania e Profissionalidade. Formadora: Ana Gonçalves Descrição: Direitos e deveres adquiridos em cada fase da vida - criança, adulto e na velhice Objectivo: Cidadão/ Estado Critérios de Evidência; Reconhecer as responsabilidades inerentes à liberdade pessoal

Leia mais

Museu dos Terceiros. Actividades do Serviço Educativo

Museu dos Terceiros. Actividades do Serviço Educativo Actividades do Serviço 2011/2012 1 O é um museu de arte sacra, reaberto ao público em 2008 após obras significativas de restauro. O Serviço e de Comunicação do Museu proporciona diversas actividades destinadas

Leia mais

Lei Complementar Nº 58 de 13 de setembro de 2004 de Natal

Lei Complementar Nº 58 de 13 de setembro de 2004 de Natal Lei Complementar Nº 58 de 13 de setembro de 2004 de Natal O PREFEITO MUNICIPAL DO NATAL, Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei Complementar: TÍTULO I DO PLANO DE CARREIRA

Leia mais

PLANEJAMENTO 2º TRIMESTRE

PLANEJAMENTO 2º TRIMESTRE Disciplina: Educação Artística Despertar a capacidade de observação e de criticidade a partir de diferentes obras e perante suas criações; Respeitar as diferentes culturas e os diferentes olhares perante

Leia mais

ANEXO I UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE COLÉGIO DA UNIVILLE PLANEJAMENTO DE ENSINO E APRENDIZAGEM

ANEXO I UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE COLÉGIO DA UNIVILLE PLANEJAMENTO DE ENSINO E APRENDIZAGEM ANEXO I UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE COLÉGIO DA UNIVILLE PLANEJAMENTO DE ENSINO E APRENDIZAGEM 1. Curso: Missão do Colégio: Promover o desenvolvimento do cidadão e, na sua ação educativa,

Leia mais