Quadro Comparativo da Remuneração dos Auditores Fiscais da RFB e dos Auditores Fiscais de Tributos Estaduais

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Quadro Comparativo da Remuneração dos Auditores Fiscais da RFB e dos Auditores Fiscais de Tributos Estaduais"

Transcrição

1 Quadro Comparativo da Remuneração dos Auditores Fiscais da RFB e dos Auditores Fiscais de Tributos Diretoria de Estudos Técnicos do Sindifisco Nacional Brasília-DF, agosto de 2015

2 Diretoria Executiva Nacional Presidente Cláudio Márcio Oliveira Damasceno 1 a Vice-Presidente Lúcia Helena Nahas 2º Vice-Presidente Mário Pereira de Pinho Filho Secretário-Geral Rogério Said Calil Diretor-Secretário Antônio Gomes Campelo Diretor de Finanças Carlos César Coutinho Cathalat Diretor-Adjunto de Finanças Albino Dalla Vecchia Diretor de Administração Robson Canha Ferreira Diretor-Adjunto de Administração José Raimundo Melo e Leite Diretor de Assuntos Jurídicos Carlos Roberto Teixeira 1º Diretor-Adjunto de Assuntos Jurídicos Rudimar Nunes Fraga 2º Diretor-Adjunto de Assuntos Jurídicos Sérgio Santiago da Rosa Diretor de Defesa Profissional Carlos Rafael da Silva 1º Diretor-Adjunto de Defesa Profissional Leonardo Picanço Cruz 2ª Diretora-Adjunta de Defesa Profissional Yone de Oliveira Diretor de Estudos Técnicos Pedro Onofre Fernandes Diretor-Adjunto de Estudos Técnicos Alfredo Jorge Madeira Rosa Diretora de Comunicação Social Letícia Cappelano Quadros dos Santos 1ª Diretora-Adjunta de Comunicação Social Regina Ferreira de Queiroz 2ª Diretor-Adjunto de Comunicação Social Genidalto da Silva Paiva Diretora de Assuntos de Aposentadoria, Proventos e Pensões Clotilde Guimarães Diretor-Adjunto de Assuntos de Aposentadoria, Proventos e Pensões Diego Augusto de Sá Diretora do Plano de Saúde Maria Antonieta Figueiredo Rodrigues Diretora-Adjunta do Plano de Saúde Tânia Regina Coutinho de Lourenço Diretor de Assuntos Parlamentares Célio Diniz Rocha Diretor-Adjunto de Assuntos Parlamentares José Castelo Branco Bessa Filho Diretor de Relações Intersindicais Hélio Roberto dos Santos Diretora-Adjunta de Relações Intersindicais Maria Urânia da Silva Costa Diretor de Relações Internacionais Fábio Galízia Ribeiro de Campos Diretor de Defesa da Justiça Fiscal e da Seguridade Social César Araújo Ramos Diretor-Adjunto de Defesa da Justiça Fiscal e da Seguridade Social Henrique Gerhke Diretor de Políticas Sociais e Assuntos Especiais José Devanir de Oliveira Diretor-Suplente Oséas Coimbra Júnior Conselho Fiscal Membros Titulares Ivone Marques Monte Luiz Gonçalves Bomtempo Armando Domingos Barcelos Sampaio Membros Suplentes Pérsio Romel Macedo Ferreira Luiz Fernando da Conceição Martins Elias José Maluf DIRETORIA DE ESTUDOS TÉCNICOS Pedro Onofre Fernandes Diretor de Estudos Técnicos Alfredo Jorge Madeira Rosa Diretor-Adjunto de Estudos Técnicos Equipe Técnica: Álvaro Luchiezi Júnior Economista, Gerente de Estudos Técnicos Alexandre Rodriguez Alves Coelho Economista, Assessor de Diretoria III Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil SDS - Conjunto Baracat - 1º andar - salas 1 a 11 Brasília/DF - CEP Fone (61) Fax (61) É permitida a reprodução deste texto e dos dados nele contidos, desde que citada a fonte

3 As duas tabelas abaixo apresentam a) Um ranking da maior remuneração dos Auditores e Fiscais de Tributos, comparando-os com a maior remuneração dos Auditores Fiscais da RFB. (Tabela 1) b) Uma descrição completa da remuneração dos Auditores e Fiscais de Tributos, indicando o maior e o menor valor de seu vencimento-base e de sua remuneração final, o tipo de remuneração (variável ou subsídio) e o mês de coleta das informações sobre a remuneração. (Tabela 2) No levantamento da remuneração final dos Auditores e Fiscais de Tributos, sempre que foi possível identificar, não foram consideradas verbas como: férias; décimo-terceiro salário; comissão pelo exercício de cargo de confiança e verbas decorrentes de ações judiciais. SDS - Conjunto Baracat - 1º andar - Salas 1 a 11 - Brasília/DF - CEP Fone (61) Fax (61) sindifisconacional.org.br

4 Tabela 1 Comparativo da Maior Remuneração dos Auditores Fiscais da RFB e Auditores e Fiscais de Tributos Maior Posição UF Diferença % UF x RFB Remuneração 1 o PA ,34 143,84% 2 o AM ,73 122,88% 3 o MG ,31 114,92% 4 o SP ,00 92,13% 5 o DF ,17 74,21% 6 o SC ,59 70,01% 7 o PE ,06 68,48% 8 o RJ ,70 66,60% 9 o GO ,03 66,06% 10 o RN ,66 63,75% 11 o CE ,17 56,78% 12 o AP ,60 54,46% 13 o PI ,94 47,53% 14 o AC ,43 46,64% 15 o PR ,29 45,24% 16 o RS ,11 35,33% 17 o BA ,10 35,33% 18 o PB ,15 32,75% 19 o MA ,72 31,52% 20 o MS ,71 31,25% 21 o SE ,13 29,62% 22 o AL ,68 29,35% 23 o MT ,68 27,21% 24 o TO ,47 17,34% 25 o RO ,00 15,97% 26 o RR ,00 2,15% 27 o RFB ,88 0,00% 28 o ES ,25-2,69% Fonte: Legislações, Portais da Transparência, Secretarias. Elaboração: Departamento de Estudos Técnicos do Sindifisco Nacional

5 Tabela 2 Remuneração dos Auditores e Fiscais de Tributos UF Cargo Vencimento-Base Remuneração Final Mês/Ano Menor Maior Menor Maior Ref. AC Auditor da Receita 6.596, , , ,43 fev/15 AL Fiscal de Tributos 1.520, , , ,68 mar/15 Em R$ Tipo de Remuneração Variável Gratificação de Atividade Tributária Gratificação de Produtividade Fiscal Adicional de Titulação Vantagem de Auditor da Receita II Prêmio Anual de Valorização da Atividade Fazendária AM Auditor Fiscal de Tributos 136,00 (1) , ,73 fev/14 Retribuição de Produtividade de Ação Fiscal Prêmio Anual de Produtividade Gratificação de localidade Participação nas multas AP Auditor da Receita 7.664, , , ,60 jun/15 BA Auditor Fiscal 1.851, , , ,10 jan/15 CE 4.406, , ,59 (2) ,77 (3) jun/15 Gratificação de Desempenho por Produtividade Fiscal (GDPF) Adicional de Indenização de Transporte Prêmio por Desempenho Fazendário Gratificação de Atividade Fiscal (GAF) Prêmio por Desempenho Fiscal (PDF) Gratificação pela execução do trabalho em condições especiais, com risco de vida ou saúde Gratificação de Localização Gratificação de Titulação DF ES GO MA MG do DF , , , ,17 (3) jun/ , ,25 - mai/15 Subsídio , , jun/15 Subsídio 9.600, , , ,71 (4) mai/ , , , ,31 mai/15 MS Fiscal de Rendas , , , ,71 (5) out/14 MT Fiscal de Tributos , , , ,68 jun/15 PA PB PE PI Auditor Fiscal de Receitas Auditor Fiscal Tributário Auditor Fiscal do Tesouro Auditor Fiscal da Fazenda 7.494, , , ,34 mai/ , , ,28 (6) ,15 (6) jun/ , , , ,06 jun/ , , , ,94 mai/15 PR Auditor Fiscal 4.478, , ,34 (2) ,29 (2) jun/15 RJ RN RO Auditor Fiscal do Tesouro Auditor Fiscal de Tributos 1.206, , ,44 (2) ,70 (2) mai/ , , , ,66 mai/15 482,79 911, , ,00 jun/15 RR Fiscal de Tributos 2.309, , ,00 (7) n.d. set/14 RS SC Auditor-Fiscal da Receita 4.310, , , ,11 mai/ , , ,31 (3) ,59 (3) mai/15 SE Auditor Técnico de Tributos , , ,81 (8) ,13 (8) mai/15 SP Agente Fiscal de Rendas 8.582, , , ,00 mai/15 Gratificação de Titulação Adicional por tempo de serviço ( 1% a.a.) Adicional de Qualificação Verbas indenizatórias (diárias, indenização de transporte ou uso de veículo próprio, auxílios alimentação e creche ou escola) Participação nos Resultados. Gratificação por Exercício em Posto Fiscal (10% do subsídio). Gratificação de Estímulo à Produtividade Individual Adicional por tempo de serviço; Adicional de produtividade coletiva Adicional de produtividade setorial Verba indenizatória pelo exercício de atividade essencial Gratificação de produtividade Gratificação por risco de vida Bolsa de Desempenho Fiscal Auxílio Transporte Gratificação de Resultado do Grupo Ocupacional da Adm. Tributária Participação na receita de multas Gratificação de Risco de Vida Gratificação de Operações Fiscais, Gratificação de Administração Fiscal Gratificação de Responsabilidade Fiscal Gratificação de incremento da arrecadação. Adicional por tempo de serviço Prestação Pecuniária Eventual (metas) Adicional pelo Tempo de Serviço Unidade de parcela variável Adicional de Produtividade Fiscal Gratificação de Estímulo à Produtividade Fiscal Participação em Multas Adicional de tempo de serviço Adicional pelo exercício em regiões inóspitas Adicional por risco de vida Indenização de transporte Gratificação de Produtividade Fazendária -Eficiência Incremento ou decréscimo de arrecadação Adicional de produtividade Gratificação de Produtividade Fiscal Retribuição Variável (REV) Adicional do Triênio e do Terço Gratificação por Periculosidade Participação nos Resultados (metas) Prêmio Produtividade Pró Labore Adicional por tempo de serviço Adicional de transporte Verba indenizatória (fronteiras) TO , , mai/15 Subsídio Elaboração: Departamento de Estudos Técnicos do Sindifisco Nacional Fonte: Legislações estaduais, portais da transparência, das Secretarias da Fazenda, da Administração e do Planejamento. OBSERVAÇÕES: 1 - n.d. - não disponível na internet 2 - No caso das U.F. que praticam remuneração variável (remuneração básica + parte variável), o valor da remuneração 3 - Dentre asfinal U.F. é o que valor adotam bruto e osobre sistema ele não de remuneração incide nenhum por desconto subsídio (imposto (DF, ES, de GO, renda MA, e contribuições MT, PB e TO) há três (MA, MT e PB) que adotam, concomitantemente, outros tipos de remuneração variável. Destes, somente Mato Grosso disponibiliza dados da remuneração final. (1) Vencimento básico para todos os servidores da Secretaria de Fazenda ( 1.º, art. 18, Lei 2.750/02). Este vencimento é complementado, no caso do Auditor Fiscal de Tributos a Retribuição de Produtividade de Ação Fiscal - RPAF, definida por quantidade de quotas em partes fixa e variável (inciso I, art. 19 Lei 2.750/02). A remuneração é constituída de auxílio combustível de até 200 cotas (R$ 1.531,64 em fev. 2014) e participação nas multas. A parte variável da remuneração constitui-se também de Prêmio Anual de Produtividade (14º Salário - Lei 2.750/2002), pago em fevereiro de cada ano. O valor bruto da remuneração final não inclui o prêmio anual de produtividade, o auxílio combustível e o prêmio por multas. A remuneração final está sujeita ao "abate-teto" de 90,25% da remuneração dos Ministros do STF (Emenda Constitucional 69/2009). (2)Limite de Remuneração em Janeiro de R$30.471,10 (Teto do Desembargador - Decreto Judiciário n 97/2015) (3) Valores identificados em pesquisa parcial (4) Considerado um servidor com 35 anos de carreira (5) Apenas vencimento base (6) Este é o valor máximo recebido apenas nos meses de maio, setembro e janeiro caso sejam atingidas 100% das metas. O minite máximo de reajuste é 1,6 vezes o valor do IPCA. No demais meses o valor é o mesmo do vencimento-base (7) Informação divulgada pela ANFIP, citando a FEBRAFITE (http://www.anfip.org.br/publicacoes/ _revista-seguridade-social-e- Tributacao-no-114_ _Revista-114_pgina.pdf). Informações divulgadas pela imprensa indicam o limite máximo da remuneração em R$ ,00 o qual é acrescido de adicionais de produtividade e do rateio de 40% do valor das multas aplicadas. (http://imagemnews.com.br/noticias.asp?view=auditores,fiscais,aproveitam,crise,no,estado,para,igualar,salarios,ao,de,desembargadores&cd=25150) (8) Estes valores não incluem os percentuais da REVAUT - Retribuição Variável de Autuação (37% de 90% das multas) e da REVCOLFISCO (68,26% de 90% das multas)

Quadro Comparativo da Remuneração dos Auditores Fiscais da RFB e dos Auditores e Fiscais de Tributos das Capitais

Quadro Comparativo da Remuneração dos Auditores Fiscais da RFB e dos Auditores e Fiscais de Tributos das Capitais Quadro Comparativo da Remuneração dos Auditores Fiscais da RFB e dos Auditores e Fiscais de Tributos das Capitais Diretoria de Estudos Técnicos do Sindifisco Nacional Brasília-DF, agosto de 2015 Diretoria

Leia mais

ANÁLISE DAS DIFERENÇAS DE DIÁRIAS DOS PODERES EXECUTIVO, LEGISLATIVO E JUDICIÁRIO

ANÁLISE DAS DIFERENÇAS DE DIÁRIAS DOS PODERES EXECUTIVO, LEGISLATIVO E JUDICIÁRIO ANÁLISE DAS DIFERENÇAS DE DIÁRIAS DOS PODERES EXECUTIVO, LEGISLATIVO E JUDICIÁRIO Diretoria de Estudos Técnicos do Sindifisco Nacional Brasília-DF, Abril de 2015 Diretoria Executiva Nacional Presidente

Leia mais

A DEFASAGEM NA CORREÇÃO DA TABELA DO IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA

A DEFASAGEM NA CORREÇÃO DA TABELA DO IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA A DEFASAGEM NA CORREÇÃO DA TABELA DO IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA Elaboração: Diretoria de Estudos Técnicos do Sindifisco Nacional Brasília-DF, Janeiro de 2014. Diretoria Executiva Nacional Presidente

Leia mais

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1)

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) ANEXO I BICICLETA ESCOLAR Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) Assunto: Adesão à ata de registro de preços nº 70/2010 do pregão eletrônico nº 40/2010. 1 2 BICICLETA 20 - AC,

Leia mais

O aumento dos Senadores e Deputados Federais e seu impacto nas outras esferas

O aumento dos Senadores e Deputados Federais e seu impacto nas outras esferas O aumento dos Senadores e Deputados Federais e seu impacto nas outras esferas A Constituição Federal em seu art. 29, inciso VI, estabelece que os subsídios dos Vereadores estão vinculados aos subsídios

Leia mais

IMPACTO DO PISO NOS ESTADOS E MUNICÍPIOS SESSÃO ESPECIAL NA COMISSÃO DE EDUCAÇÃO DA CAMARA DOS DEPUTADOS BRASÍLIA

IMPACTO DO PISO NOS ESTADOS E MUNICÍPIOS SESSÃO ESPECIAL NA COMISSÃO DE EDUCAÇÃO DA CAMARA DOS DEPUTADOS BRASÍLIA IMPACTO DO PISO NOS ESTADOS E MUNICÍPIOS SESSÃO ESPECIAL NA COMISSÃO DE EDUCAÇÃO DA CAMARA DOS DEPUTADOS BRASÍLIA - 19.05.2015 MILTON CANUTO DE ALMEIDA Consultor Técnico em: Financiamento, Planejamento

Leia mais

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

Mortos e Acidentes por Unidade Federativa

Mortos e Acidentes por Unidade Federativa e Acidentes por Unidade Federativa - 2016 Data: 23/05/2017 FILTROS: Veículos: Todos, Caminhões, Ônibus Valores: Absolutos Estado: Todos BR: Todas Estados com maior número de mortes e acidentes - 2016 Este

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA Nível superior Cargo 1: Contador DF Brasília/Sede da Administração Central 35 1820 52,00 Nível médio Cargo 2: Agente Administrativo AC Rio Branco/Sede da SRTE 2 1496 748,00 Nível médio Cargo 2: Agente

Leia mais

CAU - RN. Comparativo da Receita. Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Rio Grande do Norte CNPJ: /

CAU - RN. Comparativo da Receita. Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Rio Grande do Norte CNPJ: / Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Rio Grande do Norte CNPJ: 14.829.126/0001-88 Comparativo da RECEITA REALIZADA 1.868.185,06 688.293,65 RECEITA CORRENTE 1.131.994,00-47.897,41 RECEITAS DE

Leia mais

TRIBUTAÇÃO SOBRE AS MPEs RANKING DOS ESTADOS 2012

TRIBUTAÇÃO SOBRE AS MPEs RANKING DOS ESTADOS 2012 TRIBUTAÇÃO SOBRE AS MPEs RANKING DOS ESTADOS 2012 ROTEIRO 1 2 3 4 O PROJETO RESULTADOS DIFERENÇA NAS ALÍQUOTAS LIÇÕES: BONS E MAUS EXEMPLOS 1 O PROJETO 1 2 3 4 O PROJETO RESULTADOS DIFERENÇA NAS ALÍQUOTAS

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF UF Tecnologia Velocidade Quantidade de Acessos AC ATM 12 Mbps a 34Mbps 3 AC ATM 34 Mbps

Leia mais

Carga Tributária dos Combustíveis por Estado. Referência: Setembro/2016

Carga Tributária dos Combustíveis por Estado. Referência: Setembro/2016 Carga Tributária dos Combustíveis por Estado Referência: Setembro/2016 Pontos importantes da Lei 12.741/2012 para a revenda de combustíveis Art. 1º Emitidos por ocasião da venda ao consumidor de mercadorias

Leia mais

A Defasagem na Correção da Tabela do Imposto de Renda Pessoa Física

A Defasagem na Correção da Tabela do Imposto de Renda Pessoa Física A Defasagem na Correção da Tabela do Imposto de Renda Pessoa Física Elaboração: Departamento de Estudos Técnicos do Sindifisco Nacional Brasília-DF, janeiro de 2017 Diretoria Executiva Nacional Presidente

Leia mais

Resultado do IDEB 2011 nas Escolas Estaduais do Amazonas. Manaus, 15 de agosto de 2012

Resultado do IDEB 2011 nas Escolas Estaduais do Amazonas. Manaus, 15 de agosto de 2012 Resultado do IDEB 2011 nas Escolas Estaduais do Amazonas Manaus, 15 de agosto de 2012 Resultados do IDEB refletem indicadores educacionais do Amazonas em 2011 IDEB é função de duas variáveis: -Proficiência

Leia mais

Conselho Nacional de Justiça

Conselho Nacional de Justiça Conselho Nacional de Justiça RESOLUÇÃO Nº 13, DE 21 DE MARÇO DE 2006 Dispõe sobre a aplicação do teto remuneratório constitucional e do subsídio mensal dos membros da magistratura. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

Pendências de Envio do Relatório de Gestão Municipal-2013 aos CMS

Pendências de Envio do Relatório de Gestão Municipal-2013 aos CMS INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE:

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Lista de Siglas do Pa CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Boletim Ano VI - Edição nº 2/211 Boletim Ano VI - Edição nº 1 / 211 Painel de Indicador Nº 2/215 Técnicos Responsáv

Leia mais

A Defasagem na Correção da Tabela do Imposto de Renda Pessoa Física

A Defasagem na Correção da Tabela do Imposto de Renda Pessoa Física A Defasagem na Correção da Tabela do Imposto de Renda Pessoa Física Elaboração: Departamento de Estudos Técnicos do Sindifisco Nacional Brasília-DF, janeiro de 2016 Diretoria Executiva Nacional Presidente

Leia mais

De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012.

De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012. De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012. Os casos de Invalidez Permanente representaram a maioria das indenizações pagas

Leia mais

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE:

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Lista de Sigla CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Boletim Ano VI - Edição nº 2/211 Boletim Ano VI - Edição nº 1 / 211 Painel de Ind Nº 9/215 Técnicos Resp Equipe CGPM

Leia mais

Diretoria Executiva Nacional

Diretoria Executiva Nacional Diretoria Executiva Nacional Presidente Cláudio Márcio Oliveira Damasceno 1a Vice-Presidente Lúcia Helena Nahas 2º Vice-Presidente Mário Pereira de Pinho Filho Secretário-Geral Rogério Said Calil Diretor-Secretário

Leia mais

Evolução das Despesas Estaduais

Evolução das Despesas Estaduais PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CONTABILIDADE E ECONOMIA SINDICATO DAS EMPRESAS DE SERVIÇOS CONTÁBEIS DO RS Convênio FACE/PUCRS e SESCON-RS Relatório 2 Evolução das Despesas

Leia mais

O AUMENTO DO SALÁRIO MÍNIMO E O SEU IMPACTO NAS CONTAS MUNICIPAIS 1

O AUMENTO DO SALÁRIO MÍNIMO E O SEU IMPACTO NAS CONTAS MUNICIPAIS 1 O AUMENTO DO SALÁRIO MÍNIMO E O SEU IMPACTO NAS CONTAS MUNICIPAIS 1 Resumo Todos os municípios brasileiros, a exemplo do que tem ocorrido nos últimos anos, sofrerão o impacto do reajuste do salário mínimo

Leia mais

Regina Parizi Diretora Executiva MAIO/2009

Regina Parizi Diretora Executiva MAIO/2009 Regina Parizi Diretora Executiva MAIO/2009 Estrutura e Distribuição Geográfica Estrutura Estatutária A GEAP GEAP é administrada por por um um Conselho Deliberativo responsável pela pela definição da da

Leia mais

8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014)

8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014) 8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014) Elaboração: Contraf-CUT, CNTV e Federação dos Vigilantes do Paraná Fonte: Notícias da imprensa, SSP e sindicatos Apoio: Sindicato dos Vigilantes de Curitiba

Leia mais

Cenários de arrecadação do Imposto de Renda Retido na Fonte dos Rendimentos do Trabalho e Outros Rendimentos com Correção Inflacionária

Cenários de arrecadação do Imposto de Renda Retido na Fonte dos Rendimentos do Trabalho e Outros Rendimentos com Correção Inflacionária PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CONTABILIDADE E ECONOMIA SINDICATO DAS EMPRESAS DE SERVIÇOS CONTÁBEIS DO RS Convênio FACE/PUCRS e SESCON-RS Relatório 23 Cenários arrecadação

Leia mais

NOTA DE ESCLARECIMENTO SOBRE A GREVE

NOTA DE ESCLARECIMENTO SOBRE A GREVE NOTA DE ESCLARECIMENTO SOBRE A GREVE A Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso (Seduc-MT) esclarece a população o seu posicionamento sobre a greve dos profissionais da educação que já pleta 60

Leia mais

MAGISTRATURA ESTADUAL

MAGISTRATURA ESTADUAL COLEÇÃO EDITAL SISTEMATIZADO Leonardo de Medeiros Garcia Roberval Rocha ME MAGISTRATURA ESTADUAL JUIZ DE DIREITO SUBSTITUTO edital sistematizado 3 a edição revista, ampliada e atualizada 2017 RAIO-X DOS

Leia mais

Corretores de Imóveis e Imobiliárias - Brasil. Quantos são e onde estão

Corretores de Imóveis e Imobiliárias - Brasil. Quantos são e onde estão Corretores de Imóveis e Imobiliárias - Brasil Quantos são e onde estão Corretores de Imóveis e Imobiliárias A Kuser Participações S/A traz mais uma vez ao mercado, um levantamento da quantidade de corretores

Leia mais

FÓRUM FISCAL DOS ESTADOS BRASILEIROS Núcleo 2 Partilha e Transferências de Receitas entre os Entes Federados

FÓRUM FISCAL DOS ESTADOS BRASILEIROS Núcleo 2 Partilha e Transferências de Receitas entre os Entes Federados Coordenador: Prof. Fernando Rezende Orientador: Prof. Sérgio Prado Equipe: Alessandro Melo da Silva Célia Maria Silva Carvalho Edna Nazaré Cardoso Farage Fernando de Castro Fagundes Janaína Gonçalves Jonil

Leia mais

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE:

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Lista de Siglas d CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Boletim Ano VI - Edição nº 2/211 Boletim Ano VI - Edição nº 1 / 211 Painel de Indica Nº 1/215 Técnicos Respon Equipe

Leia mais

Indenizações Pagas Quantidades

Indenizações Pagas Quantidades Natureza da Indenização Jan a Dez 2011 % Jan a Dez 2012 % Jan a Dez 2012 x Jan a Dez 2011 Morte 58.134 16% 60.752 12% 5% Invalidez Permanente 239.738 65% 352.495 69% 47% Despesas Médicas (DAMS) 68.484

Leia mais

POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS

POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS Seminário POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS LEGISLAÇÃO, FISCALIZAÇÃO E POLÍTICA DE SEGURANÇA Brasília DF 13 de setembro de 2012 Regulamentação da atividade de mototaxista Mesmo diante da ausência

Leia mais

RELATÓRIO GERAL DA JUSTIÇA DO TRABALHO. Relatório. Analítico

RELATÓRIO GERAL DA JUSTIÇA DO TRABALHO. Relatório. Analítico RELATÓRIO GERAL DA JUSTIÇA DO TRABALHO Relatório Analítico 2015 Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST Relatório Geral da Justiça do Trabalho 9 1 ESTRUTURA ORGANIZACIONAL 13 1.1. ÓRGÃOS JUDICIÁRIOS

Leia mais

EDITAL SG/MPU N.º 27, DE 2 DE OUTUBRO DE 2007.

EDITAL SG/MPU N.º 27, DE 2 DE OUTUBRO DE 2007. VA PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO DE 4/10/2007, SEÇÃO 3, PÁG.. EDITAL SG/MPU N.º 27, DE 2 DE OUTUBRO DE 2007. Divulgar a distribuição de vagas do Concurso Público para provimento de cargos e formação

Leia mais

Microempreendedor Individual MEI

Microempreendedor Individual MEI Universidade Estadual de Goiás - UNUCSEH Núcleo Interdisciplinar de Estudos Independentes NIEI 3º ano Aluna: Christiane Rocha Cunha Microempreendedor Individual MEI V. OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS 1. Principais

Leia mais

Quantidade de pedidos registrados por mês

Quantidade de pedidos registrados por mês Relatório de Pedidos de Acesso à Informação e Solicitantes (*) Informações adicionais para o correto entendimento do relatório podem ser encontradas na última seção. Órgão(s) de referência: MinC - Ministério

Leia mais

Carga Tributária dos Combustíveis por Estado. Referência: Junho/2015

Carga Tributária dos Combustíveis por Estado. Referência: Junho/2015 Carga Tributária dos Combustíveis por Estado Referência: Junho/2015 Pontos importantes da Lei 12.741/2012 para a revenda de combustíveis Art. 1º Emitidos por ocasião da venda ao consumidor de mercadorias

Leia mais

Lei de Responsabilidade Fiscal: é possível comparar as informações divulgadas pelos Entes da Federação?

Lei de Responsabilidade Fiscal: é possível comparar as informações divulgadas pelos Entes da Federação? Lei de Responsabilidade Fiscal: é possível comparar as informações divulgadas pelos Entes da Federação? 5º SGESP Seminário de Gestão Pública Fazendária Ribeirão Preto - SP Lei de Responsabilidade Fiscal

Leia mais

BAHIA. Previdenciária. ria PNAD BRASÍLIA, MAIO DE 2011

BAHIA. Previdenciária. ria PNAD BRASÍLIA, MAIO DE 2011 BAHIA Proteção Previdenciária ria - Perfil dos socialmente desprotegidos segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD 2009 - BRASÍLIA, MAIO DE 2011 1 1. Indicadores de Cobertura Social Cobertura

Leia mais

DEMANDA DE CANDIDATOS POR CARGO / UF NÍVEL SUPERIOR

DEMANDA DE CANDIDATOS POR CARGO / UF NÍVEL SUPERIOR EM CARGOS DE E DE NÍVEL INTERMEDIÁRIO Administrador AC 1 14 14.00 Administrador AL 1 53 53.00 Administrador AP 1 18 18.00 Administrador BA 1 75 75.00 Administrador DF 17 990 58.24 Administrador MT 1 55

Leia mais

4» Quadra escolar Maria Nascimento Paiva. 1» Centro de Artes e Esportes Unificados. 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308

4» Quadra escolar Maria Nascimento Paiva. 1» Centro de Artes e Esportes Unificados. 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308 1 2 8 1» Centro de Artes e Esportes Unificados Rio Branco AC 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308 Recanto das Emas DF 3» Creche Ipê Rosa Samambaia DF 4» Quadra escolar Maria Nascimento

Leia mais

A PRESENTE PESQUISA ESTÁ ENQUADRADA NA ESTRATÉGIA DO

A PRESENTE PESQUISA ESTÁ ENQUADRADA NA ESTRATÉGIA DO A PRESENTE PESQUISA ESTÁ ENQUADRADA NA ESTRATÉGIA DO SINDICATO APEOC DE CONSTRUIR A ADEQUAÇÃO DO PLANO DE CARREIRA DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO COM BASE NA LEI Nº 11738 DO PISO NACIONAL NA SUA FORMA ORIGINAL

Leia mais

É um seguro que garante ao Proprietário o recebimento dos aluguéis e de outras despesas mensais quando o inquilino deixar de pagar o aluguel.

É um seguro que garante ao Proprietário o recebimento dos aluguéis e de outras despesas mensais quando o inquilino deixar de pagar o aluguel. MERCADO BRASILEIRO DE SEGUROS FIANÇA LOCATÍCIA 12 MESES ENCERRADOS EM ABRIL DE 2009 E 2008. É um seguro que garante ao Proprietário o recebimento dos aluguéis e de outras despesas mensais quando o inquilino

Leia mais

SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA PRESIDÊNCIA RESOLUÇÃO Nº 20, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2004

SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA PRESIDÊNCIA RESOLUÇÃO Nº 20, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2004 RESOLUÇÃO Nº 20, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2004 Fixa o valor a ser recolhido para o pagamento do porte de remessa e retorno de autos. O PRESIDENTE DO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA, no uso de suas atribuições

Leia mais

MERCADO BRASILEIRO DE SUPLEMENTOS MINERIAS 2014

MERCADO BRASILEIRO DE SUPLEMENTOS MINERIAS 2014 MERCADO BRASILEIRO DE SUPLEMENTOS MINERIAS 2014 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS INDUSTRIAS DE SUPLEMENTOS MINERAIS RUA AUGUSTA, 2676 13 ANDAR SALA 132 CEP 01412-100 SÃO PAULO SP Telefone: (011) 3061-9077 e-mail:

Leia mais

Fundos Estaduais Públicos de Meio Ambiente, Direitos Difusos e Florestas

Fundos Estaduais Públicos de Meio Ambiente, Direitos Difusos e Florestas Fundos Estaduais Públicos de, Direitos Difusos e Florestas UF Nome do Fundo Resp. Legal Fones E-mail Vinculação Ato que institui AC Florestas Carlos Ovídeo Duarte Rocha (68) 3223-4367 carlos.duarte@ac.gov.br

Leia mais

Programa de Requalificação de UBS. Março/2015

Programa de Requalificação de UBS. Março/2015 Programa de Requalificação de UBS Março/2015 PROGRAMA DE REQUALIFICAÇÃO DE UBS Instituído no ano de 2011 OBJETIVOS: Criar incentivo financeiro para as UBS Contribuir para estruturação e o fortalecimento

Leia mais

Reajustes nos Valores das Diárias, Auxílio-Alimentação e Assistência à Saúde: Subsídios para o Debate

Reajustes nos Valores das Diárias, Auxílio-Alimentação e Assistência à Saúde: Subsídios para o Debate Nota Técnica 8/2007 Reajustes nos Valores das Diárias, Auxílio-Alimentação e Assistência à Saúde: Subsídios para o Debate Elaboração: Departamento de Estudos Técnicos do Unafisco Sindical Brasília-DF,

Leia mais

Análise comparativa das finanças dos Estados da Região Sul, com ênfase para o Estado do Rio Grande do Sul

Análise comparativa das finanças dos Estados da Região Sul, com ênfase para o Estado do Rio Grande do Sul Análise comparativa das finanças dos Estados da Região Sul, com ênfase para o Estado do Rio Grande do Sul Por Darcy Francisco Carvalho dos Santos Sumário 1. Indicadores de receita... 2 2. Indicadores de

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL CAMPEONATO BRASILEIRO DA SÉRIE D TABELA BÁSICA / EDIÇÃO 2016 PRIMEIRA FASE REF ROD DATA - DIA HORA GR JOGO ESTÁDIO CIDADE 1ª 12/06 - Dom A1 Rondônia RO x Amazonas AM A1 Acre AC x Amapá AP A2 Tocantins

Leia mais

Indenizações Pagas. Evolução das Indenizações Pagas por Natureza

Indenizações Pagas. Evolução das Indenizações Pagas por Natureza Ano 05 - Volume 02 Janeiro a Junho de 2015 Indenizações Pagas Natureza da Indenização Jan a Jun 2014 % % Jan a Jun 2014 x Morte 25.181 7% 22.395 7% -11% Invalidez Permanente 259.845 77% 269.410 78% 4%

Leia mais

Confira no mapa ao lado os Estados que obrigam a prestação da Carta Fiança / Fiança Bancária por parte da empresa

Confira no mapa ao lado os Estados que obrigam a prestação da Carta Fiança / Fiança Bancária por parte da empresa RR AP Confira no mapa ao lado os Estados que obrigam a prestação da Carta Fiança / Fiança Bancária por parte da empresa desenvolvedora do PAF-ECF. As Medidas Judiciais que desobrigam a prestação da Carta

Leia mais

Guerra Fiscal e Desenvolvimento Regional. Audiência Pública Senado Federal 18 de outubro de 2011

Guerra Fiscal e Desenvolvimento Regional. Audiência Pública Senado Federal 18 de outubro de 2011 Guerra Fiscal e Desenvolvimento Regional Audiência Pública Senado Federal 18 de outubro de 2011 Quem ganha com a Guerra Fiscal? O país perde Porque grande parte dos incentivos é concedido a importações

Leia mais

FÓRUM ESTADUAL DA UNDIME. Belo Horizonte, 3 de abril de 2013.

FÓRUM ESTADUAL DA UNDIME. Belo Horizonte, 3 de abril de 2013. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FÓRUM ESTADUAL DA UNDIME MINAS GERAIS Belo Horizonte, 3 de abril de 2013. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ALINHAMENTO DOS PLANOS MUNICIPAIS E ESTADUAIS DE EDUCAÇÃO AO PNE SECRETARIA DE ARTICULAÇÃO

Leia mais

SEGURO RISCOS RURAIS 2002 / JAN A SET - 2012

SEGURO RISCOS RURAIS 2002 / JAN A SET - 2012 SEGURO RISCOS RURAIS 2002 / JAN A SET - 2012 1 SEGURO RISCOS RURAIS Esse estudo tomou por base dados oficiais gerados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, IBGE e pela SUSEP (Superintendência

Leia mais

Evolução das Ocorrências de Sinistros de Morte no Feriado de Corpus Christi por Tipo de Veículo

Evolução das Ocorrências de Sinistros de Morte no Feriado de Corpus Christi por Tipo de Veículo Estatísticas Corpus Christi Nos últimos anos, as ocorrências de acidentes envolvendo veículos automotores, no período do feriado de Corpus Christi, cujas indenizações foram solicitadas à Seguradora Líder

Leia mais

Indicadores 5 e 6 do contrato de gestão Relatório de Abril de 2010

Indicadores 5 e 6 do contrato de gestão Relatório de Abril de 2010 Indicadores 5 e 6 do contrato de gestão Relatório de Abril de 2010 Leonardo Ferreira Carneiro Junho de 2010 Indicadores 5 e 6 do contrato de gestão Abril de 2010 1 Sumário 1. Introdução... 3 2. Metodologia

Leia mais

SUBSÍDIOS PARA A AÇÃO SINDICAL COMPORTAMENTO DO EMPREGO METALÚRGICO MARÇO DE 2011

SUBSÍDIOS PARA A AÇÃO SINDICAL COMPORTAMENTO DO EMPREGO METALÚRGICO MARÇO DE 2011 SUBSÍDIOS PARA A AÇÃO SINDICAL COMPORTAMENTO DO EMPREGO METALÚRGICO MARÇO DE 2011 ANÁLISE DOS RESULTADOS De acordo com os dados do Ministério do Trabalho e Emprego, de janeiro a dezembro de 2012 foram

Leia mais

Estados brasileiros: crise fiscal e margem para investir. Darcy Francisco Carvalho dos Santos Economista Junho/2017

Estados brasileiros: crise fiscal e margem para investir. Darcy Francisco Carvalho dos Santos Economista Junho/2017 Estados brasileiros: crise fiscal e margem para investir Darcy Francisco Carvalho dos Santos Economista Junho/2017 Conceitos adotados nesta análise RCL Receita corrente líquida, aqui considerada a receita

Leia mais

QUADRO NACIONAL DA GREVE DOS SERVIDORES DA DRT novembro/2009

QUADRO NACIONAL DA GREVE DOS SERVIDORES DA DRT novembro/2009 QUADRO NACIONAL DA GREVE DOS SERVIDORES DA DRT novembro/2009 ESTADOS GREVE/PERCENTUAL ES Greve * MG Greve a partir de 13/11 PR Greve * RJ Greve * RS Greve * SE Greve * BA Greve * SP Adesão a partir do

Leia mais

Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais. 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará

Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais. 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará IPECE Informe nº 38 Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará 1. INTRODUÇÃO O Neste documento serão analisados os aspectos educacionais da capital

Leia mais

Apresentação do IDConselho Municipal. Apresentação elaborada pela Coordenação Geral de Vigilância Socioassistencial CGVIS Brasília

Apresentação do IDConselho Municipal. Apresentação elaborada pela Coordenação Geral de Vigilância Socioassistencial CGVIS Brasília Apresentação do IDConselho Municipal Apresentação elaborada pela Coordenação Geral de Vigilância Socioassistencial CGVIS Brasília 5.366 Conselhos Municipais que preencheram o Censo SUAS 2014 Dinâmica de

Leia mais

Gestão da Qualidade da Banda Larga

Gestão da Qualidade da Banda Larga Gestão da Qualidade da Banda Larga Agência Nacional de Telecomunicações Brasília, 17 de maio de 2013 METODOLOGIA DE MEDIÇÃO INDICADORES DE BANDA LARGA FIXA Avaliações realizadas através de medidores instalados

Leia mais

Unidade Tipo de Serviço Análise da proposta Análise da proposta (em 15/10/2014, após diligência)

Unidade Tipo de Serviço Análise da proposta Análise da proposta (em 15/10/2014, após diligência) Unidade Tipo de Serviço Análise da proposta Análise da proposta (em 15/10/2014, após diligência) MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO SECRETARIA EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

(MLRV) SEGURO GARANTIA ESTENDIDA JAN A MAIO DE 2015 SUSEP SES. lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1

(MLRV) SEGURO GARANTIA ESTENDIDA JAN A MAIO DE 2015 SUSEP SES. lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1 SEGURO GARANTIA ESTENDIDA JAN A MAIO DE 2015 SUSEP SES lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1 1- INTRODUÇÃO: O seguro de Garantia Estendida tem como objetivo fornecer ao segurado, facultativamente

Leia mais

1. O Novo Plano Nacional de Educação (2011 2020) O antigo Plano Nacional de Educação terminou sua vigência em 2010 e o Novo Plano encontra-se em

1. O Novo Plano Nacional de Educação (2011 2020) O antigo Plano Nacional de Educação terminou sua vigência em 2010 e o Novo Plano encontra-se em 1. O Novo Plano Nacional de Educação (2011 2020) O antigo Plano Nacional de Educação terminou sua vigência em 2010 e o Novo Plano encontra-se em discussão na Câmara dos Deputados (PL 8.035/2010). Até o

Leia mais

ÍNDICE RELATÓRIO SIOR 2012. Pág. 02 NOTÍCIAS 2011/2012. Pág. 03 ANÁLISE DAS DEMANDAS. Pág. 04 GRÁFICO DE DEMANDAS POR ESTADO. Pág.

ÍNDICE RELATÓRIO SIOR 2012. Pág. 02 NOTÍCIAS 2011/2012. Pág. 03 ANÁLISE DAS DEMANDAS. Pág. 04 GRÁFICO DE DEMANDAS POR ESTADO. Pág. RELATÓRIO SIOR 2012 ÍNDICE NOTÍCIAS 2011/2012 ANÁLISE DAS DEMANDAS GRÁFICO DE DEMANDAS POR ESTADO TEMPO DE ATENDIMENTO DEMANDAS CONSIDERADAS PROCEDENTES MAPA DAS PRINCIPAIS DEMANDAS CONSIDERADAS PROCEDENTES

Leia mais

Relatório Extraordinário. Despesas na Função Legislativo comparadas

Relatório Extraordinário. Despesas na Função Legislativo comparadas PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CONTABILIDADE E ECONOMIA SINDICATO DAS EMPRESAS DE SERVIÇOS CONTÁBEIS DO RS Relatório Extraordinário Despesas na Função Legislativo comparadas

Leia mais

Dados Básicos sobre Recursos Humanos. ObservaRH - NESP/CEAM/UnB

Dados Básicos sobre Recursos Humanos. ObservaRH - NESP/CEAM/UnB Dados Básicos sobre Recursos Humanos ObservaRH - NESP/CEAM/UnB Brasília/DF 2007 Apresentação O conjunto de dados básicos sobre recursos humanos integra as expectativas das delegações que participaram da

Leia mais

O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE?

O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE? O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE? Instrumento que permite o financiamento, por meio de incentivos fiscais, de projetos esportivos aprovados pelo Ministério do Esporte. BASE LEGAL: Lei 11.438/06 -

Leia mais

Brasília, agosto de 2012.

Brasília, agosto de 2012. Brasília, agosto de 2012. Contas de Governo Cap. 4 (Análise Setorial) Execução do gasto Orçamentário (OFSS + RPNP) Gasto tributário (renúncia de receita) Resultado da atuação governamental no exercício

Leia mais

Racionamento de água. Abril/2017

Racionamento de água. Abril/2017 Racionamento de água Abril/2017 Objetivo da Pesquisa Metodologia Tópicos da Pesquisa Informações técnicas Levantar informações sobre temas importantes no contexto atual dos Pequenos Negócios. TEMA ANALISADO

Leia mais

Indenizações Pagas Quantidades

Indenizações Pagas Quantidades Natureza da Indenização Jan a Dez 2012 % Jan a Dez 2013 % Jan a Dez 2013 x Jan a Dez 2012 Morte 60.752 1 54.767 9% - Invalidez Permanente 352.495 69% 444.206 70% 2 Despesas Médicas (DAMS) 94.668 19% 134.872

Leia mais

Brasília, 4 de Novembro de 2013

Brasília, 4 de Novembro de 2013 Se r 0 Este Relatório contém informações Gerenciais que destinam-se a fornecer aos Diretores, Conselheiros e Patrocinadores do Instituto SEBRAE de Seguridade Social-SEBRAE PREVIDÊNCIA, uma síntese de informações

Leia mais

IGD - Índice de Gestão Descentralizada - IGD M. Fortaleza - CE, 21 a 23 de Março de 2012

IGD - Índice de Gestão Descentralizada - IGD M. Fortaleza - CE, 21 a 23 de Março de 2012 IGD - Índice de Gestão Descentralizada - IGD M Fortaleza - CE, 21 a 23 de Março de 2012 MARCO LEGAL 1) Lei nº 12.058, de 13 de outubro de 2009, altera o Art. 8º da Lei 10.836/2004: Institucionaliza o IGD,

Leia mais

SiSUTEC. 2014/2 (3ª edição) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica

SiSUTEC. 2014/2 (3ª edição) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica SiSUTEC 2014/2 (3ª edição) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Brasília, julho de 2014 Pronatec Mais de 7,59 milhões de matrículas realizadas até julho de 2014: 2,16

Leia mais

RELATÓRIO. Brasília/DF, 20 de maio de 2013.

RELATÓRIO. Brasília/DF, 20 de maio de 2013. RELATÓRIO Brasília/DF, 20 de maio de 2013. Este relatório apresenta dados sobre a publicação pelos órgãos do Poder Judiciário do detalhamento da folha de pagamento de pessoal, nos sítios eletrônicos, conforme

Leia mais

EVOLUÇÃO & PROGNÓSTICOS

EVOLUÇÃO & PROGNÓSTICOS APRESENTAÇÃO POPULAÇÃO CARCERÁRIA BRASILEIRA O objetivo deste trabalho, elaborado pela Comissão de Monitoramento e Avaliação do DEPEN, é realizar um levantamento, de forma sucinta, sobre o quadro evolutivo

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015 DADOS GERAIS DO ESTADO DA RORAIMA Total Part % Brasil Part % Região Área Total - km² 224.118 2,64% 5,82% População - mil (1)

Leia mais

PROJETO FEDERAÇÃO NACIONAL DAS APAES E APLUB CAP

PROJETO FEDERAÇÃO NACIONAL DAS APAES E APLUB CAP PROJETO FEDERAÇÃO NACIONAL DAS APAES E APLUB CAP 2014 CONTROLADORIA FENAPAES-RS Projeto APLUB e Federação Nacional das APAES- Nome do projeto Projeto de apoio as Federações Estaduais dos recursos provenientes

Leia mais

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento C o m p an h i a N ac io n a l d e Abastecimento D i r e t o r i a d e Opercações e A b a stecimento S u p erintedência de O p erações Comerciais G e r ên c i a d e Formação e Controle de Estoques P o

Leia mais

Gestão de risco rural, Proagro, seguro rural e Fundo de Catástrofe. Mesquita de Sant Ana Coordenador-Geral de Seguro Rural SPA/DEGER

Gestão de risco rural, Proagro, seguro rural e Fundo de Catástrofe. Mesquita de Sant Ana Coordenador-Geral de Seguro Rural SPA/DEGER Gestão de risco rural, Proagro, seguro rural e Fundo de Catástrofe Eustáquio Mesquita de Sant Ana Coordenador-Geral de Seguro Rural SPA/DEGER RR AP AM PA MA CE RN AC 90 s RO MT TO PI BA PB PE AL SE 80

Leia mais

LEI Nº 4.027, DE 20 DE MAIO DE 2011.

LEI Nº 4.027, DE 20 DE MAIO DE 2011. LEI Nº 4.027, DE 20 DE MAIO DE 2011. Aprova as tabelas de vencimento-base e de subsídio dos servidores públicos estaduais, integrantes do Plano de Cargos, Empregos e Carreiras da administração direta,

Leia mais

Configuração de NFe. Acesse o módulo Administrativo.

Configuração de NFe. Acesse o módulo Administrativo. Configuração de NFe Para definir as configurações (Parâmetros) de cada empresa ou filial cadastrada no sistema para envios de NF-e, proceda da seguinte forma: Acesse o módulo Administrativo. Clique no

Leia mais

Sublimites estaduais de enquadramento para. Nacional 2012/2013. Vamos acabar com essa ideia

Sublimites estaduais de enquadramento para. Nacional 2012/2013. Vamos acabar com essa ideia Sublimites estaduais de enquadramento para o ICMS no Simples Nacional 2012/2013 Vamos acabar com essa ideia 4 CNI APRESENTAÇÃO Os benefícios do Simples Nacional precisam alcançar todas as micro e pequenas

Leia mais

Departamento de Engenharia de Saúde Pública/CGEAR LICENCIAMENTO AMBIENTAL NAS OBRAS DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO DA FUNASA.

Departamento de Engenharia de Saúde Pública/CGEAR LICENCIAMENTO AMBIENTAL NAS OBRAS DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO DA FUNASA. Departamento de Engenharia de Saúde Pública/CGEAR LICENCIAMENTO AMBIENTAL NAS OBRAS DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO DA FUNASA Brasília 2005 O Licenciamento Ambiental nasceu de uma exigência social, fruto de uma

Leia mais

Pesquisa sobre a Securitização da Dívida Ativa dos Municípios

Pesquisa sobre a Securitização da Dívida Ativa dos Municípios Pesquisa sobre a Securitização da Dívida Ativa dos Municípios Objetivos: Diagnosticar a situação atual dos municípios brasileiros em relação à Securitização da Dívida Ativa de acordo com a resolução 33

Leia mais

O ISS e o SIMPLES NACIONAL Questões Relevantes em Silas Santiago Secretário-Executivo Comitê Gestor do Simples Nacional

O ISS e o SIMPLES NACIONAL Questões Relevantes em Silas Santiago Secretário-Executivo Comitê Gestor do Simples Nacional O ISS e o SIMPLES NACIONAL Questões Relevantes em 2013 Silas Santiago Secretário-Executivo Comitê Gestor do Simples Nacional LC n. 123/2006 Unifica toda a legislação relativa às MPE; Define critérios de

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO 8º CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NOS CARGOS DE ANALISTA E DE TÉCNICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO 8º CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NOS CARGOS DE ANALISTA E DE TÉCNICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO Cargo 1: Analista do MPU Área de Atividade: Apoio Técnico-Administrativo Especialidade: Arquivologia Distrito Federal / DF 596 4 149,00 Especialidade: Biblioteconomia Acre / AC 147 1 147,00 Especialidade:

Leia mais

MERCADO BRASILEIRO DE SEGUROS

MERCADO BRASILEIRO DE SEGUROS MERCADO BRASILEIRO DE SEGUROS PRESTAMISTA RESULTADOS E INDICADORES JAN A MAIO 2010 09-07-2010 1 MERCADO BRASILEIRO DE SEGUROS PRESTAMISTA Esse conjunto encerrou o período com um volume de vendas de R$

Leia mais

PROGRAMA DE FISCALIZAÇÃO EM ENTES FEDERATIVOS 2º CICLO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO

PROGRAMA DE FISCALIZAÇÃO EM ENTES FEDERATIVOS 2º CICLO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO PROGRAMA DE FISCALIZAÇÃO EM ENTES FEDERATIVOS 2º CICLO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO UF / Ação de Governo Valor a ser Fiscalizado AC R$ 99.891.435,79 Apoio à Alimentação Escolar na Educação Básica (PNAE) R$

Leia mais

Cenário atual e perspectiva para a formação continuada de professores do Ensino Médio no âmbito do PNEM. Programas Integrados

Cenário atual e perspectiva para a formação continuada de professores do Ensino Médio no âmbito do PNEM. Programas Integrados MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA DIRETORIA DE FORMULAÇÃO DE CONTEÚDOS EDUCACIONAIS Cenário atual e perspectiva para a formação continuada de professores do Ensino Médio no âmbito do

Leia mais

Treinamentos Siscomex Carga e Sistema Mercante

Treinamentos Siscomex Carga e Sistema Mercante Objetivo Treinar os participantes para o efetivo uso dos sistemas Siscomex Carga e Mercante. Público Alvo Profissionais que atuam nas seguintes áreas: - Agência Marítima; - Empresa de Navegação; - Agente

Leia mais

Integração. ANO COMEÇA COM VITÓRIAS DO JURÍDICO Os 28,86% e novidades sobre custas processuais no processo do PCCS são alguns dos êxitos.

Integração. ANO COMEÇA COM VITÓRIAS DO JURÍDICO Os 28,86% e novidades sobre custas processuais no processo do PCCS são alguns dos êxitos. nº42 2014 Bônus Uma alternativa importante para a remuneração da Classe Estatuto As mudanças vão modernizar Sindicato Integração ANO COMEÇA COM VITÓRIAS DO JURÍDICO Os 28,86% e novidades sobre custas processuais

Leia mais

Políticas de garantia de acesso aos recursos naturais: como evoluir?

Políticas de garantia de acesso aos recursos naturais: como evoluir? EXPOSIBRAM 2011 14º Congresso Brasileiro de Mineração Painel 5 Políticas de garantia de acesso aos recursos naturais: como evoluir? Márcio Pereira Meio Ambiente e Sustentabilidade Belo Horizonte, 28.9.2011

Leia mais

Estudo Técnico nº 53/ : Remunerações da carreira do PECFAZ e outras do Poder Executivo

Estudo Técnico nº 53/ : Remunerações da carreira do PECFAZ e outras do Poder Executivo SUBSEÇÃO DIEESE- CONDSEF SCS Q.02 Ed. Wady Cecílio II - 6º andar Brasília/DF E-mail: sucondsef@dieese.org.br Telefone / Fax (0xx61) 2103-7200 Estudo Técnico nº 53/2010 1 : Remunerações da carreira do PECFAZ

Leia mais

DOS DESCONTOS PREVIDENCIÁRIOS SOBRE O 13º SALÁRIO E FÉRIAS JUNTO AOS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES PÚBLICOS

DOS DESCONTOS PREVIDENCIÁRIOS SOBRE O 13º SALÁRIO E FÉRIAS JUNTO AOS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES PÚBLICOS 1 NOTA JURÍDICA N.º 003/2007 DOS DESCONTOS PREVIDENCIÁRIOS SOBRE O 13º SALÁRIO E FÉRIAS JUNTO AOS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES PÚBLICOS Primeiramente teceremos alguns comentários

Leia mais