IBAMA SINAFLOR. Sistema Nacional de Controle da Origem dos Produtos Florestais

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "IBAMA SINAFLOR. Sistema Nacional de Controle da Origem dos Produtos Florestais"

Transcrição

1 IBAMA SINAFLOR Sistema Nacional de Controle da Origem dos Produtos Florestais

2 Lei de Proteção da Vegetação Nativa (Lei /2012) Art. 35. O controle da origem da madeira, do carvão e de outros produtos ou subprodutos florestais incluirá sistema nacional que integre os dados dos diferentes entes federativos, coordenado, fiscalizado e regulamentado pelo órgão federal competente do Sisnama.

3 Crédito de florestal permitido m 3 rea autorizada m 3 DOF ou GF m 3 Responsável Técnico m 3 Crédito florestal excedente m 3 GF DOF GF DOF DOF GF DOF GF GF Área não autorizada

4

5 Entraves na Gestão Florestal 1. Existência de diversos sistemas florestais sem interface. 2. Desconhecimento do desmatamento autorizado/áreas recuperadas. 3. Falta de automatização dos processos autorizativos - Lançamento manual 5.Ausência de Padronização e Objetividade na análise Técnica dos Projetos de Exploração Florestal. 6.Geração abusiva de créditos florestais que tem fomentado o desmatamento ilegal e inviabilizado o setor produtivo.

6 Sistema Nacional de Gestão Florestal Módulo ADM Consulta imóvel rural e ADA Cadastro de Empreendimentos Módulo de Licença de Operação Módulo Licença de Exploração Florestal Módulo de Responsável Técnico DOF RAD e Reposição Painel de Acompanhamento e Central de Mensagens Gestão Ambiental

7 Status do SINAFLOR Implantação em 01 de janeiro de 2016 (IN 21 de 26 de dezembro/2014) Lançamento da Ministra e Presidência do IBAMA. 24 Acordos de Cooperação Técnica Assinados. Implantação do Projeto Piloto no Estado de Roraima

8 SINAFLOR Imóvel Rural Funcionalidades Integração SICAR Imagem de Satélite Rapid Eye Base de dados de Unidades de Conservação, Terras Indígenas, Assentamentos Áreas Embargadas e DETER Abrir Sinaflor

9 Área Empreendimento SINAFLOR x CAR

10 Áreas do CAR no SINAFLOR

11 UPA SINAFLOR x CAR

12 SINAFLOR Empreendimentos Funcionalidades Cadastro Empreendimento Homologação Empreendimento Desenho Polígono do Empreendimento Integração com o CTF Abrir Sinaflor

13 SINAFLOR Licenciamento Exploração Funcionalidades Abertura Projeto Técnico Empreendedor e RT Formulário Informações Técnicas objetivos e Ajustáveis Acompanhamento pleno do Processo

14 Módulo Externo - SINAFLOR

15 Módulo Externo - SINAFLOR

16 Módulo Externo - SINAFLOR

17 Módulo Externo - SINAFLOR

18 Módulo Externo - SINAFLOR

19 Módulo RT - SINAFLOR

20 SINAFLOR Licenciamento Exploração Funcionalidades Upload dos Shapes das áreas de interesse no módulo GEO Upload planilha padrão IF amostral, IF 100% e AUMPF Plotagem das árvores no mapa da UPA Cronograma de atividades e de volumetria a explorar Relatório de Origens, Consignação de Créditos

21 Módulo Declaração de Corte Inventário Florestal Altura Estimada Declaração de Corte Cubagem rigorosa Saldo do DOF Volume Efetivamente cortado da floresta AUTEX Migração do saldo Serraria Confirmar recebimento do produto Emissão de DOF a partir da seleção da árvore derrubada Volume Real sem esquentamento (n da árvore, UT, UPA, Secção, Espécie Transporte das toras com rastreabilidade

22 SINAFLOR Responsável Técnico Funcionalidades Cadastro RT Homologação RT Controle de Demandas Painel de acompanhamento Abrir Sinaflor

23 SINAFLOR Painel de Acompanhamento Painel de Acompanhamento Módulo de Análise e Fluxo processual do Projeto Técnico Funcionalidades Controle de Demandas (Gerente Estadual, Gerente Operacional e Analista-Técnico) Acompanhamento RT e Empreendedor Relatório de Análise e Laudo de Vistoria Digitais Homologação/Emissão Autorização

24 SINAFLOR Administração Funcionalidades Controle de Perfis (SCA) Certificação Digital, Histórico de Alterações, Criação/Gestão de perfis, SSO Relação Documental Gestão de Conteúdo

25 SINAFLOR Recuperação de Áreas Degradadas e Reposição Florestal Funcionalidades Cadastro /Georreferenciamento de Plantios Relatórios de Acompanhamento dos plantios Bolsa de reposição florestal

26 SINAFLOR Sala de Situação Funcionalidades Painel da Gestão Florestal Módulo Relatórios Relatório Licença e uso (Listar Projetos e Listar Autex) Relatórios de Empreendimentos Relatórios de RT Relatórios de Reposição e RAD

27 Avanços na Gestão Florestal Instrução Normativa IBAMA 10 de 08 de maio de 015 Organização de Pátios de Indústrias Serrarias. Comitê de Sistemas de Controle Florestal (SFB, MMA, WWF, SMA, OEMAS, CIPEM, Policia Ambiental de SP, AIMEX, FNBD,...) Sala de Situação (Gerar Informações Florestais, realizar rotinas de testes no sistema, gerar indicativos de transações fraudulentas, Subsidiar aprimoramentos na norma e na gestão florestal) Revisão do Manual de Vistoria de Campo para PMFS Madeireiro na Amazônia (Norma de Execução IBAMA 01 de 18 de Dezembro de 2016 Retomando agendas de Gestão Florestal com as OEMAS s

28 Avanços no Documento de Origem Florestal - DOF Certificado Digital A3 Vinculação com a atividade licenciada, a capacidade produtiva e os volumes passíveis de conversão Vinculação com a Nota Fiscal Eletrônica Certificado Digital A3 Registro do IP e as transações realizadas Limite de tentativas de login Restrição de horário e IP de acesso (gerentes) Rastreamento de créditos de produtos florestais etiqueta eletrônica

29 Obrigado!

CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO. Vetos publicados em 18/10/12 no D.O.U

CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO. Vetos publicados em 18/10/12 no D.O.U CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO Lei Nº 4.771/65 Lei nº 12.651/12 MP nº 571/12 PLV* 21/2012 Vetos publicados em 18/10/12 no D.O.U * Projeto de Lei de Conversão (PLV): Quando a medida provisória (MP) é alterada

Leia mais

Regulamentação da Lei n o Lei Federal de Florestas Maio de 2013

Regulamentação da Lei n o Lei Federal de Florestas Maio de 2013 Regulamentação da Lei n o 12.651 Lei Federal de Florestas Maio de 2013 Regulamentação da nova Lei Federal de Florestas 1. Porque regulamentar? 2. Fundamentos da regulamentação pelos estados 3. Competências

Leia mais

Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR

Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR O QUE É CAR O Cadastro Ambiental Rural - CAR, é o registro público eletrônico de âmbito nacional, obrigatório para todos os imóveis rurais, com a finalidade

Leia mais

Manejo Florestal. Edson Vidal Professor Doutor Departamento de Ciências Florestais Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz/USP

Manejo Florestal. Edson Vidal Professor Doutor Departamento de Ciências Florestais Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz/USP Manejo Florestal Edson Vidal Professor Doutor Departamento de Ciências Florestais Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz/USP Manejo florestal é um sistema de colheita que minimiza ambientalmente

Leia mais

DOCUMENTO DE ORIGEM FLORESTAL

DOCUMENTO DE ORIGEM FLORESTAL DOCUMENTO DE ORIGEM FLORESTAL DOF APRESENTAÇÃO O Documento de Origem Florestal (DOF) é uma licença obrigatória de transporte de produtos e subprodutos florestais de Origem de espécies nativas. LEGISLAÇÕES

Leia mais

CEFIR. Cadastro Estadual Ambiental Rural. Março.2013 SISEMA SISTEMA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE. Desafios e limitações

CEFIR. Cadastro Estadual Ambiental Rural. Março.2013 SISEMA SISTEMA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE. Desafios e limitações CEFIR Março.2013 SISEMA SISTEMA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE Contexto até 2011 Múltiplos deslocamentos do cidadão ao órgão ambiental; Atendimento presencial; Desafios e limitações Dificuldades de comunicação;

Leia mais

DITEC SETOR DE CONTROLE DOF Engº Agrº Markus Otto Zerza. markus.zerza@ibama.gov.br

DITEC SETOR DE CONTROLE DOF Engº Agrº Markus Otto Zerza. markus.zerza@ibama.gov.br IBAMA INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS Superintendência de São Paulo DITEC SETOR DE CONTROLE DOF Engº Agrº Markus Otto Zerza Analista Ambiental / Gerente Estadual

Leia mais

20MY - Prevenção e Combate a Incêndios Florestais em Unidades de Conservação Federais

20MY - Prevenção e Combate a Incêndios Florestais em Unidades de Conservação Federais Programa 2036 - Florestas, Prevenção e Controle do Desmatamento e dos Incêndios 20M4 - Promoção de Modelos Produtivos Rurais Sustentáveis Número de Ações 26 UO: 44101 - Ministério do Meio Ambiente Unidade

Leia mais

Perfil dos Crimes Ambientais na Amazônia

Perfil dos Crimes Ambientais na Amazônia Perfil dos Crimes Ambientais na Amazônia Gustavo Caminoto Geiser Perito Criminal Federal Eng. Agrônomo Considerações iniciais: - Diversos crimes ambientais, que devem ser tratados em separado -- Diferentemente

Leia mais

Panorama do Setor Florestal O que tem sido feito na esfera do Governo Federal

Panorama do Setor Florestal O que tem sido feito na esfera do Governo Federal Panorama do Setor Florestal O que tem sido feito na esfera do Governo Federal Carlos Fabiano Rozindo Cardoso Coordenador de Monitoramento e Controle Florestal José Humberto Chaves Coordenador Geral de

Leia mais

Instituto O Direito Por Um Planeta Verde Projeto "Direito e Mudanças Climáticas nos Países Amazônicos"

Instituto O Direito Por Um Planeta Verde Projeto Direito e Mudanças Climáticas nos Países Amazônicos Instituto O Direito Por Um Planeta Verde Projeto "Direito e Mudanças Climáticas nos Países Amazônicos" Tema: Desmatamento Legislação Federal Lei nº 4.771, de 15.09.1965, que institui o novo Código Florestal

Leia mais

AQUISIÇÃO RESPONSÁVEL DE MADEIRA NA CONSTRUÇÃO CIVIL Guia Prático para as Construtoras. Lilian Sarrouf

AQUISIÇÃO RESPONSÁVEL DE MADEIRA NA CONSTRUÇÃO CIVIL Guia Prático para as Construtoras. Lilian Sarrouf AQUISIÇÃO RESPONSÁVEL DE MADEIRA NA CONSTRUÇÃO CIVIL Guia Prático para as Construtoras Lilian Sarrouf Objetivo: Disseminar boas práticas e informações voltadas para processos produtivos eficientes e sustentáveis

Leia mais

Sandro Yamauti Freire Coordenador de Monitoramento e Controle Florestal

Sandro Yamauti Freire Coordenador de Monitoramento e Controle Florestal Sandro Yamauti Freire Coordenador de Monitoramento e Controle Florestal Cuiabá - MT, 20 de agosto de 2012 SUMÁRIO 1. CAR 2. LAF 3. DOF a) Avanços b) Perspectivas de curto, médio e longo prazo c) Desafios

Leia mais

DECRETO Nº 7.882, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2008.

DECRETO Nº 7.882, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2008. DECRETO Nº 7.882, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2008. Estabelece normas regulamentares para a aquisição de produtos e subprodutos florestais de origem nativa e não nativa, para aprovação de edificações no Município.

Leia mais

Secretaria de Política Econômica / Ministério da Fazenda Secretaria Executiva / Ministério do Meio Ambiente

Secretaria de Política Econômica / Ministério da Fazenda Secretaria Executiva / Ministério do Meio Ambiente Secretaria de Política Econômica / Ministério da Fazenda Secretaria Executiva / Ministério do Meio Ambiente 1. Introdução 2. Processo de elaboração 3. Definição de CRA 4. Emissão 5. Vigência 6. Módulo

Leia mais

O Código Florestal nos Estados da Mata Atlântica

O Código Florestal nos Estados da Mata Atlântica O Código Florestal nos Estados da Mata Atlântica O Código Florestal nos Estados da Mata Atlântica Este relatório foi produzido para a Fundação SOS Mata Atlântica sob contrato firmado entre as partes em

Leia mais

MP 458/09. Regularização Fundiária na Amazônia Legal. Ministério do Desenvolvimento Agrário

MP 458/09. Regularização Fundiária na Amazônia Legal. Ministério do Desenvolvimento Agrário MP 458/09 Regularização Fundiária na Amazônia Legal Ministério do Desenvolvimento Agrário Antecedentes e Contextualização Ações de regularização na região paralisadas na década de 80 Plano de Prevenção

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DA AGRICULTURA, DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E MEIO AMBIENTE

SECRETARIA MUNICIPAL DA AGRICULTURA, DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E MEIO AMBIENTE Página 1 de 5 SECRETARIA MUNICIPAL DA AGRICULTURA, DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E MEIO AMBIENTE A Secretaria Municipal da Agricultura, Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente, através do Departamento de

Leia mais

CADASTRO TÉCNICO FEDERAL DE ATIVIDADES POTENCIALMENTE POLUIDORAS E UTILIZADORAS DE RECURSOS AMBIENTAIS

CADASTRO TÉCNICO FEDERAL DE ATIVIDADES POTENCIALMENTE POLUIDORAS E UTILIZADORAS DE RECURSOS AMBIENTAIS CADASTRO TÉCNICO FEDERAL DE ATIVIDADES POTENCIALMENTE POLUIDORAS E UTILIZADORAS DE RECURSOS AMBIENTAIS Lei 6.938/81 Política Nacional de Meio Ambiente INSTRUMENTOS CADASTRO TÉCNICO FEDERAL DE ATIVIDADES

Leia mais

03 de Dezembro de 2015

03 de Dezembro de 2015 Página 1 de 9 Marco Legal pertinente à área florestal no Brasil (1965 ao presente) Data de publicação Ato ou Lei Função 1 1965 Código Florestal Brasileiro Define diretrizes gerais para o uso e conservação

Leia mais

Ministério do Meio Ambiente Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis Diretoria de Licenciamento Ambiental DILIC

Ministério do Meio Ambiente Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis Diretoria de Licenciamento Ambiental DILIC Ministério do Meio Ambiente Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis Diretoria de Licenciamento Ambiental DILIC ACESSO À INFORMAÇÃO DO LICENCIAEMENTO AMBIENTAL FEDERAL LAF

Leia mais

Roteiro Executivo. Extrato Geral do CAR. Benefícios do CAR. Capacitação e Formação de Técnicos. Recursos Investidos

Roteiro Executivo. Extrato Geral do CAR. Benefícios do CAR. Capacitação e Formação de Técnicos. Recursos Investidos Roteiro Executivo Extrato Geral do CAR Benefícios do CAR Capacitação e Formação de Técnicos Recursos Investidos Recursos e Projetos Captados pelo MMA para apoio à execução do CAR e PRA Arquitetura do SICAR

Leia mais

Histórico do Licenciamento Ambiental

Histórico do Licenciamento Ambiental Cuiabá-MT, Maio - 2013 Histórico do Licenciamento Ambiental PNMA 1981 CONAMA nº 01 1986 CONAMA nº 237 1997 CONAMA nº 289 2001 (revogada) CONAMA nº 387 2006 Portaria Conjunta nº01/2008 SEMA INCRA - INTERMAT

Leia mais

Café da Manhã da Frente Parlamentar Ambientalista 04/05/2016

Café da Manhã da Frente Parlamentar Ambientalista 04/05/2016 Café da Manhã da Frente Parlamentar Ambientalista 04/05/2016 Extrato Geral do CAR Março 2016 ÁREA PASSÍVEL DE CADASTRO (em hectares) 1 ÁREA TOTAL CADASTRADA (em hectares) 2 ÁREA CADASTRADA (em %) 3 397.836.864

Leia mais

Boletim Informativo. 30 de abril de 2015

Boletim Informativo. 30 de abril de 2015 Boletim Informativo 30 de abril de 2015 BRASIL EXTRATO BRASIL ÁREA PASSÍVEL DE CADASTRO ÁREA TOTAL CADASTRADA ÁREA CADASTRADA 373.024.487 191.505.581 51,34 % Número de Cadastrados: 1.376.516 Observação:

Leia mais

Novo Código Florestal: produção agropecuária e a sustentabilidade. Moisés Savian

Novo Código Florestal: produção agropecuária e a sustentabilidade. Moisés Savian Novo Código Florestal: produção agropecuária e a sustentabilidade Moisés Savian Esteio, 31 de agosto de 2012 Código Florestal Política Agroambiental Normativa Estabelece normas gerais com o fundamento

Leia mais

LICENÇA DE OPERAÇÃO L.O 43/2015

LICENÇA DE OPERAÇÃO L.O 43/2015 A Secretaria Municipal do Meio Ambiente, criada pela Lei Municipal Nº 88/06 e Certificado de Qualificação junto ao conselho Estadual do Meio Ambiente através da Resolução do CONSEMA Nº229/2009, com base

Leia mais

Art. 1º A exploração florestal em qualquer modalidade, no Estado de Santa Catarina,

Art. 1º A exploração florestal em qualquer modalidade, no Estado de Santa Catarina, PORTARIA INTERSETORIAL N 01/96 PORTARIA INTERSETORIAL N 01/96. O SECRETÁRIO DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO URBANO E MEIO AMBIENTE, e o DIRETOR GERAL DA FUNDAÇÃO DO MEIO AMBIENTE FATMA, com fundamento nas

Leia mais

Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis

Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis 1 SISTEMA DE CADASTRO, FISCALIZAÇÃO E ARRECADAÇÃO Fiscalização Curso de Formação dos Analistas Ambientais Jair Schmitt Analista Ambiental Coordenador de Normatização de Fiscalização Brasília, 14 de outubro

Leia mais

Centro de Programas de Uso Sustentável DDS / CBRN ABRIL / 09

Centro de Programas de Uso Sustentável DDS / CBRN ABRIL / 09 Centro de Programas de Uso Sustentável DDS / CBRN ABRIL / 09 Atribuições DDS I - desenvolver, aplicar e avaliar práticas e tecnologias que garantam a utilização sustentável dos recursos naturais e a minimização

Leia mais

CONVERSANDO COM A SET

CONVERSANDO COM A SET Departamento de Outorgas CONVERSANDO COM A SET Patrícia Ávila / William Ivo Brasília, agosto de 2012 REGULAMENTO DO SERVIÇOS DE RADIODIFUSÃO E RTV/RpTV Decreto nº 7.670, de 2012 Análise mais rigorosa da

Leia mais

Proposta de reestruturação do Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos

Proposta de reestruturação do Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos Proposta de reestruturação do Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos Secretário Gabinete COPAM e CERH Assessoria Jurídica Auditoria Setorial Assessoria de Comunicação Social Assessoria de

Leia mais

BERNARDO DE A. M. TROVAO BRASILIA, 19/05/2016 CENÁRIO DA EXECUÇÃO

BERNARDO DE A. M. TROVAO BRASILIA, 19/05/2016 CENÁRIO DA EXECUÇÃO BERNARDO DE A. M. TROVAO BRASILIA, 19/05/2016 CENÁRIO DA EXECUÇÃO O QUE É O CAR? Lei 12.651/2012 Novo Código Florestal Cadastro Ambiental Rural CAR: Âmbito Nacional Natureza declaratória Obrigatório para

Leia mais

SISPROF SISTEMA DE CONTROLE E MONITORAMENTO DE PRODUTOS FLORESTAIS Histórico

SISPROF SISTEMA DE CONTROLE E MONITORAMENTO DE PRODUTOS FLORESTAIS Histórico Seminário de Informação em Biodiversidade MMA e Instituições Vinculadas Brasília, 14 e 15 de outubro de 2009 SISPROF SISTEMA DE CONTROLE E MONITORAMENTO DE PRODUTOS FLORESTAIS Histórico Implantação em

Leia mais

Regulamentação da CRA e PRA 27ª RO DA CÂMARA TEMÁTICA DE AGRICULTURA SUSTENTÁVEL E IRRIGAÇÃO - CTASI Raimundo Deusdará Filho.

Regulamentação da CRA e PRA 27ª RO DA CÂMARA TEMÁTICA DE AGRICULTURA SUSTENTÁVEL E IRRIGAÇÃO - CTASI Raimundo Deusdará Filho. Regulamentação da CRA e PRA 27ª RO DA CÂMARA TEMÁTICA DE AGRICULTURA SUSTENTÁVEL E IRRIGAÇÃO - CTASI Raimundo Deusdará Filho Diretor Geral/SFB O Brasil e as Florestas A cobertura florestal mundial é de

Leia mais

BRASÍLIA/DF, 04 DE SETEMBRO DE NOVO CÓDIGO FLORESTAL 2. CAR

BRASÍLIA/DF, 04 DE SETEMBRO DE NOVO CÓDIGO FLORESTAL 2. CAR BRASÍLIA/DF, 04 DE SETEMBRO DE 2014 RESUMO: 1. NOVO CÓDIGO FLORESTAL 2. CAR 1 NÚMEROS, PROGRAMAS E INSTRUMENTOS 84 artigos 76 EXCEÇÕES - INV. GAS. 36 DECRETOS REGULAMENTARES - DECRETOS A PUBLICAR: CRA

Leia mais

O papel dos viveiros em tempos de CAR

O papel dos viveiros em tempos de CAR O papel dos viveiros em tempos de CAR Mariana Megale Gerência de Gestão de Reserva Legal-DFAU Instituto Estadual de Florestas Histórico-Programas de Regularização de Imóveis Rurais Decreto nº 7.029/2009

Leia mais

LEI Nº , DE VELHAS NOVIDADES E NOVOS PROBLEMAS. Ricardo Carneiro

LEI Nº , DE VELHAS NOVIDADES E NOVOS PROBLEMAS. Ricardo Carneiro LEI Nº 20.922, DE 16.10.2013 VELHAS NOVIDADES E NOVOS PROBLEMAS Ricardo Carneiro youtu.be/_zmuohub3wo.webloc HISTÓRICO E ESTRUTURA DA LEGISLAÇÃO FLORESTAL BRASILEIRA QUATRO GRANDES NORMATIVAS FLORESTAIS

Leia mais

CÓDIGO FLORESTAL: Avanços e Diretrizes do Sistema Ambiental Paulista. TRÊS ANOS DE CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO - ENCONTRO DE SÃO PAULO Maio/2015

CÓDIGO FLORESTAL: Avanços e Diretrizes do Sistema Ambiental Paulista. TRÊS ANOS DE CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO - ENCONTRO DE SÃO PAULO Maio/2015 CÓDIGO FLORESTAL: Avanços e Diretrizes do Sistema Ambiental Paulista TRÊS ANOS DE CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO - ENCONTRO DE SÃO PAULO Maio/2015 Atualizações sobre o SICAR-SP Sistema instituído em 05/06/2013

Leia mais

Indicativos para geração de conhecimento em Manejo Florestal, como instrumento para gestão florestal

Indicativos para geração de conhecimento em Manejo Florestal, como instrumento para gestão florestal Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis - IBAMA Indicativos para geração de conhecimento em Manejo Florestal, como instrumento para gestão florestal MSc. Diogo Selhorst

Leia mais

COTAS DE RESERVA AMBIENTAL. Quais as possíveis ações? Julho 2016

COTAS DE RESERVA AMBIENTAL. Quais as possíveis ações? Julho 2016 COTAS DE RESERVA AMBIENTAL Quais as possíveis ações? Julho 2016 Uma bolsa de valores ambientais com atuação nacional Missão Desenvolver e promover mecanismos de mercado para facilitar o cumprimento de

Leia mais

CADASTRO E GOVERNANÇA DE TERRAS WORKSHOP SRB/IBA

CADASTRO E GOVERNANÇA DE TERRAS WORKSHOP SRB/IBA CADASTRO E GOVERNANÇA DE TERRAS WORKSHOP SRB/IBA FRANCISCO DE GODOY BUENO Advogado, Sócio do Bueno, Mesquita e Advogados. Formado pela Faculdade de Direito da USP (2006) Mestrando em Direito Civil pela

Leia mais

CIRCULAR Nº 013/2013. Belo Horizonte, 06 de Fevereiro de Prezado Associado: Ref: Calendário de Obrigações Ambientais 2013

CIRCULAR Nº 013/2013. Belo Horizonte, 06 de Fevereiro de Prezado Associado: Ref: Calendário de Obrigações Ambientais 2013 Belo Horizonte, 06 de Fevereiro de 2013. Prezado Associado: Ref: Calendário de Obrigações Ambientais 2013 Para estar em dia com as obrigações legais ambientais, o empreendedor deve realizar suas atividades

Leia mais

Como Fazer Cadastro Ambiental Rural (CAR) Marcos de Lara Maia

Como Fazer Cadastro Ambiental Rural (CAR) Marcos de Lara Maia Como Fazer Cadastro Ambiental Rural (CAR) Marcos de Lara Maia O Cadastro Ambiental Rural (CAR) é um registro público eletrônico de âmbito nacional, obrigatório para todos os imóveis rurais, disponibilizado

Leia mais

Confira o calendário e esteja em dia com as suas obrigações ambientais.

Confira o calendário e esteja em dia com as suas obrigações ambientais. Importante para a sua empresa, essencial para o meio ambiente. Confira o calendário e esteja em dia com as suas obrigações ambientais. Tema Âmbito Quem está sujeito Prazo Como proceder Dica 1ª parcela

Leia mais

2.1 As ações deste projeto serão desenvolvidas nos seguintes estados: RS, SC, PR, SP, RJ, ES, SE, AL, RN, PB e CE.

2.1 As ações deste projeto serão desenvolvidas nos seguintes estados: RS, SC, PR, SP, RJ, ES, SE, AL, RN, PB e CE. MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE SECRETARIA DE EXTRATIVISMO E DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DEPARTAMENTO DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL GERÊNCIA DE REGULARIZAÇÃO AMBIENTAL Assunto: Origem: PROJETO

Leia mais

Licenciamento Ambiental de Plantas de Biogás

Licenciamento Ambiental de Plantas de Biogás Licenciamento Ambiental de Plantas de Biogás Antônio Malard Gerente de Produção Sustentável 23/11/2015 FEAM: Eixos de Atuação POLÍCIA MILITAR D E M I N A S G E R A I S Nossa profissão, sua vida. Estudos,

Leia mais

Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Dep. de Ciências Florestais

Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Dep. de Ciências Florestais Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Dep. de Ciências Florestais LCF1581 RECURSOS FLORESTAIS EM PROPRIEDADES AGRÍCOLAS AULA: CADASTRO AMBIENTAL RURAL Gestor Ambiental

Leia mais

Quais as vantagens em aderir ao PRA? Multas antes de julho de 2008 serão realmente suspensas?

Quais as vantagens em aderir ao PRA? Multas antes de julho de 2008 serão realmente suspensas? Quais as vantagens em aderir ao PRA? Multas antes de julho de 2008 serão realmente suspensas? Quais as vantagens em aderir ao PRA? Continuidade das ATIVIDADES AGROSSILVIPASTORIS, de ecoturismo e de turismo

Leia mais

PORTARIA MMA Nº 445, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2014

PORTARIA MMA Nº 445, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2014 ALTERADA PELA PORTARIA MMA Nº 98/2015, PORTARIA MMA Nº 163/2015. PORTARIA MMA Nº 163, DE 08 DE JUNHO DE PORTARIA MMA Nº 445, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2014 2015 A MINISTRA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE, no uso

Leia mais

Orientações aos SGP`s para o acompanhamento da frequência dos empregados da Unidade

Orientações aos SGP`s para o acompanhamento da frequência dos empregados da Unidade Orientações aos SGP`s para o acompanhamento da frequência dos empregados da Unidade Tendo em vista a implantação do controle alternativo de frequência com registro eletrônico, desde novembro de 2015, bem

Leia mais

CADASTRO TÉCNICO FEDERAL

CADASTRO TÉCNICO FEDERAL CADASTRO TÉCNICO FEDERAL DIRETORIA DE QUALIDADE AMBIENTAL- DIQUA COORDENAÇÃO GERAL DE GESTÃO DA QUALIDADE AMBIENTAL- CGQUA COORDENAÇÃO DE AVALIAÇÃO DA QUALDIADE AMBIENTAL- COAV Cadastro Técnico Federal

Leia mais

Grupo Arbore -

Grupo Arbore - Grupo Arbore - www.arboreflorestas.com.br 1 MÓDULOS FISCAIS Módulo (ha) Nºmunicípios Área 4 Módulos (ha) 5 1 20 10 1 40 12 21 48 14 13 56 16 58 64 18 131 72 20 115 80 22 18 88 24 37 96 30 4 120 94% dos

Leia mais

Soluções para a sustentabilidade de Cadeias Produtivas da Agropecuária e a Política Estadual de Ordenamento Territorial.

Soluções para a sustentabilidade de Cadeias Produtivas da Agropecuária e a Política Estadual de Ordenamento Territorial. Soluções para a sustentabilidade de Cadeias Produtivas da Agropecuária e a Política Estadual de Ordenamento Territorial Junho de 2009 Assinatura de Termo de Ajuste de Conduta, no qual as partes assumam

Leia mais

Sistema de Monitoramento e Controle Florestal de Mato Grosso: Desafios e Soluções 06/06/12

Sistema de Monitoramento e Controle Florestal de Mato Grosso: Desafios e Soluções 06/06/12 Sistema de Monitoramento e Controle Florestal de Mato Grosso: Desafios e Soluções 06/06/12 Os desafios da integração do controle florestal Marcos Alves Diniz Capitão da Policia Militar do Estado de São

Leia mais

Restauração Ecológica

Restauração Ecológica Restauração Ecológica A importância das florestas Seres humanos e sociedade: uso de recursos direta e indiretamente Diretamente: madeira para móveis, lenha, carvão, frutos, sementes e castanhas, óleos,

Leia mais

Figura 1 - Distribuição espacial dos quatro módulos fiscais por município.

Figura 1 - Distribuição espacial dos quatro módulos fiscais por município. Anexo metodológico A base de dados utilizada para o cálculo da área de reserva legal foi o Sistema Nacional de Cadastro Rural - SNCR. Essa base, gerenciada pelo INCRA, é a mais adequada para calcular a

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS CONSELHO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE. RESOLUÇÃO n. 008/ 2010

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS CONSELHO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE. RESOLUÇÃO n. 008/ 2010 ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS CONSELHO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE RESOLUÇÃO n. 008/ 2010 Dispõe sobre a exploração de florestas energéticas e comerciais originárias

Leia mais

Cadastro Ambiental Rural

Cadastro Ambiental Rural Cadastro Ambiental Rural E suas possíveis contribuições para a gestão de bacias hidrográficas Botucatu 28/06/2013 Caroline Vigo Cogueto Centro de Monitoramento Coordenadoria de Biodiversidade e Recursos

Leia mais

O PAPEL DO IBAMA NO LICENCIAMENTO LICENCIAMENTO AMBIENTAL FEDERAL

O PAPEL DO IBAMA NO LICENCIAMENTO LICENCIAMENTO AMBIENTAL FEDERAL O PAPEL DO IBAMA NO LICENCIAMENTO LICENCIAMENTO AMBIENTAL FEDERAL NLA-SP Núcleo de Licenciamento Ambiental da Superintendência do Ibama em São Paulo ESTRUTURA DO IBAMA ESTRUTURA REGIMENTAL DECRETO Nº 6.099,

Leia mais

ASPECTOS DA LEGALIDADE NA GESTÃO FLORESTAL

ASPECTOS DA LEGALIDADE NA GESTÃO FLORESTAL ASPECTOS DA LEGALIDADE NA GESTÃO FLORESTAL Dezembro, 2011 O Serviço Florestal Brasileiro Lei de Gestão de Florestas Públicas Lei 11.284/2006 Estabelece a forma de gestão de florestas públicas para o uso

Leia mais

Diretoria de Licenciamento Ambiental DILIC Gerência de Licenciamento Agrícola e Florestal GELAF

Diretoria de Licenciamento Ambiental DILIC Gerência de Licenciamento Agrícola e Florestal GELAF Diretoria de Licenciamento Ambiental DILIC Gerência de Licenciamento Agrícola e Florestal GELAF Licenciamento das Florestas Plantadas de Santa Catarina: Soluções Encontradas Congresso Florestal Estadual

Leia mais

PHA 3001 ENGENHARIA E MEIO AMBIENTE. Prof. Dr. Theo Syrto Octavio de Souza

PHA 3001 ENGENHARIA E MEIO AMBIENTE. Prof. Dr. Theo Syrto Octavio de Souza PHA 3001 ENGENHARIA E MEIO AMBIENTE Prof. Dr. Theo Syrto Octavio de Souza (theos@usp.br) Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente Humano (Conferência de Estocolmo) 1972, Estocolmo, Suécia 113

Leia mais

Você já viu essa marca?

Você já viu essa marca? e as florestas Você já viu essa marca? Sabe o que ela significa? A partir de agora, fique ligado no FSC! FSC é a sigla de Forest Stewardship Council (em português, Conselho de Manejo Florestal). É uma

Leia mais

Licenciamento Ambiental Aspectos Legais e seus Impactos nos Custos de PCH s

Licenciamento Ambiental Aspectos Legais e seus Impactos nos Custos de PCH s Licenciamento Ambiental Aspectos Legais e seus Impactos nos Custos de PCH s 23.04.2008 Decio Michellis Jr. Leis Decretos Resoluções Portarias Instruções Normativas Normas Convenções TOTAL 1. Água e efluentes

Leia mais

CONTRATAÇÕES PÚBLICAS SUSTENTÁVEIS ROBERTO S. WAACK

CONTRATAÇÕES PÚBLICAS SUSTENTÁVEIS ROBERTO S. WAACK CONTRATAÇÕES PÚBLICAS SUSTENTÁVEIS ROBERTO S. WAACK DEZEMBRO/2013 1 NOSSO NEGÓCIO FLORESTAS NOSSO NEGÓCIO MERCADO FLORESTA PLANTADA Madeira Sólida MADEIRA CERTIFICADA Fibras Energia FLORESTA NATIVA PRODUTOS

Leia mais

RODADA DE NEGÓCIOS. I INTERNATIONAL SEMINAR ON GREEN ECONOMY Ecosystem and Environmental Goods and Services and Finantial Compensation.

RODADA DE NEGÓCIOS. I INTERNATIONAL SEMINAR ON GREEN ECONOMY Ecosystem and Environmental Goods and Services and Finantial Compensation. RODADA DE NEGÓCIOS I INTERNATIONAL SEMINAR ON GREEN ECONOMY Ecosystem and Environmental Goods and Services and Finantial Compensation Maio / 2012 Agenda Introdução Projeto Verde Rio Etapa Rio Cuiabá Projeto

Leia mais

Service Center Manual para Envio de Documentos Fiscais de Serviços

Service Center Manual para Envio de Documentos Fiscais de Serviços Service Center Manual para Envio de Documentos Fiscais de Serviços (01/09/2016) 1 2 Introdução Envio de Documentos Fiscais Objetivo O envio de documentos fiscais de serviços, através do Service Center,

Leia mais

Seção II. Do Regime de Proteção da Reserva Legal

Seção II. Do Regime de Proteção da Reserva Legal Seção II Do Regime de Proteção da Reserva Legal Art. 17. A Reserva Legal deve ser conservada com cobertura de vegetação nativa pelo proprietário do imóvel rural, possuidor ou ocupante a qualquer título,

Leia mais

2. Em Destinatário no Exterior, informe o nome e o endereço completo do destinatário no exterior;

2. Em Destinatário no Exterior, informe o nome e o endereço completo do destinatário no exterior; DOF Transações Emitir DOF Exportação Os produtos e subprodutos florestais nativos destinados à exportação deverão estar acompanhados do DOF específico para essa finalidade, denominado DOF Exportação, desde

Leia mais

IMPOSTO TERRITORIAL RURAL. Estratégias para declaração e pagamento

IMPOSTO TERRITORIAL RURAL. Estratégias para declaração e pagamento IMPOSTO TERRITORIAL RURAL Estratégias para declaração e pagamento O Bueno, Mesquita e Advogados O Bueno, Mesquita e Advogados é um escritório de advocacia empresarial com foco em empresas familiares e

Leia mais

Cria e regulamenta sistema de dados e informações sobre a gestão florestal no âmbito do Sistema Nacional do Meio Ambiente - SISNAMA.

Cria e regulamenta sistema de dados e informações sobre a gestão florestal no âmbito do Sistema Nacional do Meio Ambiente - SISNAMA. RESOLUÇÃO CONAMA Nº 379, de 19/10/2006 Cria e regulamenta sistema de dados e informações sobre a gestão florestal no âmbito do Sistema Nacional do Meio Ambiente - SISNAMA. CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE

Leia mais

III ENCONTRO DOS MUNICÍPIOS COM O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

III ENCONTRO DOS MUNICÍPIOS COM O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL III ENCONTRO DOS MUNICÍPIOS COM O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Abril/2015 IMÓVEIS A SEREM INSCRITOS EM 2 ANOS Imóveis BR Área (ha) Estabelecimentos Agricultura familiar 4.367.902

Leia mais

PORTAL DA GESTÃO FLORESTAL

PORTAL DA GESTÃO FLORESTAL INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSO NATURAIS RENOVÁVEIS - IBAMA DIRETORIA DE USO SUSTENTÁVEL DA BIODIVERSIDADE E FLORESTAS DBFLO COORDENAÇÃO GERAL DE GESTÃO DOS RECURSOS FLORESTAIS - CGREF

Leia mais

Exploração de Lenha em Plano de Manejo Florestal Sustentável no Rio Grande do Norte

Exploração de Lenha em Plano de Manejo Florestal Sustentável no Rio Grande do Norte Exploração de Lenha em Plano de Manejo Florestal Sustentável no Rio Grande do Norte Eduardo de Almeida Lopes (1) ; Juliana Lorensi do Canto (2) (1) Estudante, Engenharia Florestal, Universidade Federal

Leia mais

Georreferenciamento. e Sistema de Gestão Fundiária SIGEF. Richard Torsiano

Georreferenciamento. e Sistema de Gestão Fundiária SIGEF. Richard Torsiano Georreferenciamento e Sistema de Gestão Fundiária SIGEF Richard Torsiano Lei 6.015 / 1973 Decreto 4.449 / 2002 Incluído pela Lei nº 10.267, de 2001 Art. 9... Art. 176... 5º Nas hipóteses do 3o, caberá

Leia mais

Nacional noestadorio de Janeiro

Nacional noestadorio de Janeiro Sistema de Levantamento e Gestão do Inventário Florestal Nacional noestadorio de Janeiro Telmo Borges Silveira Filho Fábio L. O. Santos José Enilcio Rocha Collares Breve Histórico Fev/2009 Primeiro contato

Leia mais

CRIAÇÃO DE ANIMAIS SILVESTRES

CRIAÇÃO DE ANIMAIS SILVESTRES 21/08/2015 M.V. CHRISTIANO PAVAN MATEUS DISCIPLINA CRIAÇÃO COMERCIAL DE JACARÉS CRIAÇÃO COMERCIAL DE RATITAS CRIAÇÃO COMERCIAL DE CAPIVARAS AVESTRUZ EMA CRIAÇÃO COMERCIAL DE CATETO E QUEIXADA CRIAÇÃO COMERCIAL

Leia mais

RESOLUÇÃO CONAMA n o 379, de 19 de outubro de 2006 Publicada no DOU nº 202, de 20 de outubro de 2006, Seção 1, página 175 e 176

RESOLUÇÃO CONAMA n o 379, de 19 de outubro de 2006 Publicada no DOU nº 202, de 20 de outubro de 2006, Seção 1, página 175 e 176 RESOLUÇÃO CONAMA n o 379, de 19 de outubro de 2006 Publicada no DOU nº 202, de 20 de outubro de 2006, Seção 1, página 175 e 176 Cria e regulamenta sistema de dados e informações sobre a gestão florestal

Leia mais

Sistema de Cadastro Ambiental Rural. Diretoria de Uso Sustentável da Biodiversidade e Florestas

Sistema de Cadastro Ambiental Rural. Diretoria de Uso Sustentável da Biodiversidade e Florestas Sistema de Cadastro Ambiental Rural Diretoria de Uso Sustentável da Biodiversidade e Florestas CAR - Lei 12.651/2012: Cadastro Ambiental Rural Lei 12.651/2012 É criado o Cadastro Ambiental Rural - CAR,

Leia mais

Manual para emissão do CPF na CRC Nacional versão 1.0

Manual para emissão do CPF na CRC Nacional versão 1.0 Normatização: Manual para emissão do CPF na CRC Nacional versão 1.0 Instrução Normativa Receita Federal Brasileira nº 1548/2015 Art. 3º Estão obrigadas a inscrever-se no CPF as pessoas físicas: V - registradas

Leia mais

19/12/2016 TOPNEWS - Ibama destrói equipamentos de madeireiros ilegais na Amazônia.

19/12/2016 TOPNEWS - Ibama destrói equipamentos de madeireiros ilegais na Amazônia. Agenda Telefonica Na ponta do lápis, a operação do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) contra crimes ambientais em terras indígenas em Rondônia e Mato Grosso,

Leia mais

Declaração de Importação (DI) Desembaraço Aduaneiro. NCM Habilitação SISCOMEX. Tratamento Administrativo. Deferida. Licença de Importação (LI)

Declaração de Importação (DI) Desembaraço Aduaneiro. NCM Habilitação SISCOMEX. Tratamento Administrativo. Deferida. Licença de Importação (LI) 1 Desembaraçada Desembaraço Aduaneiro Deferida Vinculada à DI Declaração de Importação (DI) NCM Habilitação SISCOMEX Tratamento Administrativo Importação Dispensada de Licenciamento Deferida Licença de

Leia mais

MAPEAMENTO DAS CLASSES DO CADASTRO AMBIENTAL RURAL (CAR) EM MUNICÍPIOS DO TERRITÓRIO PORTAL DA AMAZÔNIA

MAPEAMENTO DAS CLASSES DO CADASTRO AMBIENTAL RURAL (CAR) EM MUNICÍPIOS DO TERRITÓRIO PORTAL DA AMAZÔNIA MAPEAMENTO DAS CLASSES DO CADASTRO AMBIENTAL RURAL (CAR) EM MUNICÍPIOS DO TERRITÓRIO PORTAL DA AMAZÔNIA Emanuelle Brugnara ¹; Bruno Diego Cardoso dos Santos ¹; Sara Cristina Carvalho de Sousa ¹; Weslei

Leia mais

Boletim Informativo 2 anos 05 de maio de 2016

Boletim Informativo 2 anos 05 de maio de 2016 Boletim Informativo 2 anos 05 de maio de 2016 BRASIL Extrato Brasil Censo Agropecuário IBGE 2006 Área Passível de Cadastro¹ Área Total Cadastrada² Percentual de Área Cadastrada³ (hectares) (hectares) (%)

Leia mais

TABELA MÍNIMA DE HONORÁRIOS FLORESTAIS

TABELA MÍNIMA DE HONORÁRIOS FLORESTAIS TABELA MÍNIMA DE HONORÁRIOS FLORESTAIS ESPECIFICAÇAO DOS SERVIÇOS HONORÁRIOS 1-Projeto Básico de Licenciamento Ambiental- Lau Até 150 há. De 151 a 500 há De 501 a 1.000 há De 1.001 a 3.000 há De 3.001

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA / NATURATINS Nº. 08 DE 21 DE JULHO DE 2008.

INSTRUÇÃO NORMATIVA / NATURATINS Nº. 08 DE 21 DE JULHO DE 2008. INSTRUÇÃO NORMATIVA / NATURATINS Nº. 08 DE 21 DE JULHO DE 2008. Dispõe sobre os imóveis rurais que não estão localizados no Bioma Amazônia e regulamenta a declaração de localização de imóvel rural no Bioma

Leia mais

CERTIFICAÇÃO FITOSSANITÁRIA ELETRÔNICA SIMLAM MÓDULO INSTITUCIONAL 1ª EDIÇÃO

CERTIFICAÇÃO FITOSSANITÁRIA ELETRÔNICA SIMLAM MÓDULO INSTITUCIONAL 1ª EDIÇÃO CERTIFICAÇÃO FITOSSANITÁRIA ELETRÔNICA SIMLAM MÓDULO INSTITUCIONAL 1ª EDIÇÃO SUMÁRIO 1. CERTIFICAÇÃO FITOSSANITÁRIA ELETRÔNICA... 3 2. CREDENCIADO... 4 2.1. Habilitação para Emissão de CFO e CFOC... 4

Leia mais

Desmatamento no Brasil

Desmatamento no Brasil Desmatamento no Brasil Novembro 2016 O The Forest Trust - TFT é uma organização global sem fins lucrativos que ajuda as empresas a compreender e transformar a história dos seus produtos a partir de suas

Leia mais

AÇÃO MADEIRA LEGAL Informativo às construtoras - Internet

AÇÃO MADEIRA LEGAL Informativo às construtoras - Internet AÇÃO MADEIRA LEGAL Informativo às construtoras - Internet A Ação Madeira Legal está vigorando, desde 02 de Janeiro de 2009. O procedimento implantado pela CAIXA é simples e consiste na apresentação do

Leia mais

MADEIRA ILEGAL NA AMAZÔNIA BRASILEIRA 1998-2015

MADEIRA ILEGAL NA AMAZÔNIA BRASILEIRA 1998-2015 MADEIRA ILEGAL NA AMAZÔNIA BRASILEIRA 1998-2015 Entre 2011 e 2012, 78% das a reas exploradas para atividade madeireira no Para e 54% no Mato Grosso ocorreram sem autorização. IMAZON Falhas no sistema de

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA No- 4, DE 8 DE SETEMBRO DE 2009

INSTRUÇÃO NORMATIVA No- 4, DE 8 DE SETEMBRO DE 2009 INSTRUÇÃO NORMATIVA No- 4, DE 8 DE SETEMBRO DE 2009 Dispõe sobre procedimentos técnicos para a utilização da vegetação da Reserva Legal sob regime de manejo florestal sustentável, e dá outras providências.

Leia mais

MINUTA INSTRUÇÃO NORMATIVA LICENCIAMENTO PARA CONCESSÃO FLORESTAL. Versão - 15 junho 2007 MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE

MINUTA INSTRUÇÃO NORMATIVA LICENCIAMENTO PARA CONCESSÃO FLORESTAL. Versão - 15 junho 2007 MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MINUTA INSTRUÇÃO NORMATIVA LICENCIAMENTO PARA CONCESSÃO FLORESTAL Versão - 15 junho 2007 MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTRUÇÃO NORMATIVA N, DE DE DE 2007. A MINISTRA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE, no uso

Leia mais

Projeto de Monitoramento do Desmatamento nos Biomas Brasileiros por Satélite

Projeto de Monitoramento do Desmatamento nos Biomas Brasileiros por Satélite Projeto de Monitoramento do Desmatamento nos Biomas Brasileiros por Satélite Humberto Mesquita Chefe do Centro de Sensoriamento Remoto Introdução Introdução Objetivos do Projeto de Monitoramento do Desmatamento

Leia mais

Prazos estabelecidos pelo Novo Código Florestal. Prazos para o Poder Público

Prazos estabelecidos pelo Novo Código Florestal. Prazos para o Poder Público Prazos estabelecidos pelo Novo Código Florestal Prazos para o Poder Público Artigo Obrigação Prazo 11, 5º 13, 2º 29 47 59 59, 1º 78-A 82 Conclusão do Zoneamento Ecológico- Econômico da Zona Costeira ZEEZOC

Leia mais

Despacho Aduaneiro de Importação. Decisão

Despacho Aduaneiro de Importação. Decisão 1 Despacho Aduaneiro de Importação Declaração de Importação (DI) NCM Habilitação SISCOMEX Tratamento Administrativo Importação Dispensada de Licenciamento Deferido Licença de Importação (LI) Licenciamento

Leia mais

NOVO CÓDIGO FLORESTAL DO ESTADO DE GOIÁS. Jordana Gabriel Sara Girardello Engenheira Agrônoma Consultora técnica SENAR

NOVO CÓDIGO FLORESTAL DO ESTADO DE GOIÁS. Jordana Gabriel Sara Girardello Engenheira Agrônoma Consultora técnica SENAR NOVO CÓDIGO FLORESTAL DO ESTADO DE GOIÁS Jordana Gabriel Sara Girardello Engenheira Agrônoma Consultora técnica SENAR NOVO CÓDIGO FLORETAL BRASILEIRO Lei 12.651 / 2012 Dispõe sobre a proteção da vegetação

Leia mais

Validação das avaliações setoriais do Plano Plurianual - PPA por unidade orçamentária - por dia (4)

Validação das avaliações setoriais do Plano Plurianual - PPA por unidade orçamentária - por dia (4) PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO Decreto nº.13.528, de 2 de maio de 2014 QUADRO DE DETALHAMENTO DE TAREFAS QDT (ANEXO I) CÓDIGO ATIVIDADE NÍVEL 1 2 3 4 5 6 7 8 Análise e validação das propostas setoriais

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Page 1 of 7 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 7.830, DE 17 DE OUTUBRO DE 2012 A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 84,

Leia mais

Processo de Manejo Arbóreo em Empreendimentos Metroviários. Victor Bassetti Martinho 20ª AEAMESP SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA

Processo de Manejo Arbóreo em Empreendimentos Metroviários. Victor Bassetti Martinho 20ª AEAMESP SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA Processo de Manejo Arbóreo em Empreendimentos Metroviários Victor Bassetti Martinho 20ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA AEAMESP Curriculum vitae 2 Victor Bassetti Martinho Engenheiro Ambiental graduado

Leia mais