REDES E EQUIPAMENTOS ESTRUTURANTES NA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA REDES E EQUIPAMENTOS ESTRUTURANTES NA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REDES E EQUIPAMENTOS ESTRUTURANTES NA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA REDES E EQUIPAMENTOS ESTRUTURANTES NA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA"

Transcrição

1 CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS EIXO PRIORITÁRIO IV REDES E EQUIPAMENTOS ESTRUTURANTES NA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA REGULAMENTO ESPECÍFICO REDES E EQUIPAMENTOS ESTRUTURANTES NA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA CÓDIGO DO CONVITE: POVT de julho de 2013

2 CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Eixo Prioritário IV Redes e Equipamentos Estruturantes na RAM Nos termos do nº 1 do artigo 12º do Regulamento Específico (RE) do Eixo Prioritário IV REDES E EQUIPAMENTOS ESTRUTURANTES NA RAM do Programa Operacional Temático Valorização do Território (POVT) que se encontra em vigor 1, a apresentação de candidaturas processa se em períodos prédeterminados, nos termos e condições a definir pela Autoridade de Gestão. Tendo em conta os recursos financeiros disponíveis, as operações previstas no Eixo IV e a maturidade exigida na presente fase de execução do QREN, a Autoridade de Gestão confirmou a possibilidade de ser adotada a modalidade do Convite prevista no n.º 2 do referido artigo 12.º. O presente Convite para Apresentação de Candidaturas é pois definido nos seguintes termos: 1. Âmbito O presente Convite para a apresentação de candidaturas contempla a oportunidade de serem candidatadas duas intervenções no domínio da Correção Torrencial da Ilha da Madeira: Regularização das Principais Ribeiras do Funchal [Troços Urbanos a Montante] e a Regularização da Ribeira da Ribeira Brava, integrado no Objetivo Específico Corrigir as vulnerabilidades da Ilha da Madeira, em matéria de prevenção e gestão de riscos, no que respeita a torrentes e aluviões em zonas críticas do Eixo Prioritário IV REDES E EQUIPAMENTOS ESTRUTURANTES NA RAM do POVT. 2. Objetivos As intervenções a incluir nas candidaturas devem visar a correção torrencial das principais ribeiras que desaguam no Funchal e na Vila da Ribeira Brava, assim como o reforço das condições de segurança das zonas envolventes. 3. Âmbito territorial Operações localizadas no território da RAM. 4. Tipologia de operação Com o enquadramento do Artigo 4.º do Regulamento Específico (RE) podem ser apresentadas candidaturas relativas à tipologia de operação prevista na alínea h) do referido artigo: Intervenções que visam a correção torrencial das principais ribeiras da Ilha da Madeira 1 Regulamento Específico aprovado pela CMC do POVT em 15 de Outubro de 2007, alterado por deliberação da CMC do POVT de 6 de Fevereiro de 2012 e de 8 de Agosto de Página 2

3 5. Entidade beneficiária De acordo com o disposto no Artigo 5.º do RE e atenta a tipologia de operação referida no ponto anterior, pode apresentar candidaturas a entidade pública que tem a seu cargo a realização das respetivas operações: Vice presidência do Governo Regional da Região Autónoma da Madeira. Nos termos do n.º 2 do artigo 5.º do Regulamento Específico, a operação poderá ser realizada em parceria com a entidade responsável pela componente expropriações Direção Regional do Património (Secretaria Regional do Plano e Finanças) devendo a Vice presidência do Governo Regional da Região Autónoma da Madeira constituir o líder da operação, que assumirá perante o POVT o estatuto de beneficiário, e estabelecer através de acordo de parceria os princípios de atuação de ambas as entidades, respeitando as condições de elegibilidade previstas no número 5 do Anexo ao Despacho n.º 10/2009 do Senhor MAOTDR, de 24 de Setembro, bem como as normas em vigor no âmbito do POVT e do QREN e uma adequada pista de auditoria. 6. Formalização das candidaturas As candidaturas são apresentadas à Autoridade de Gestão do Programa Operacional Temático Valorização do Território por via eletrónica junto do sítio do POVT, no botão candidatura on line. É indispensável o preenchimento de todos os campos e a integração dos documentos requeridos necessários à completa instrução da candidatura. No caso da operação que constitui o Grande Projeto Regularização da Ribeira da Ribeira Brava na aceção do artigo 39º do Regulamento (CE) nº 1083/2006 do Conselho de 11 de Julho, a candidatura deve ser completada com as informações previstas no artigo 40º do mesmo Regulamento e no nº 2 do artigo 14º do Regulamento Geral do FEDER e do Fundo de Coesão. 7. Prazo para apresentação de candidaturas O prazo para apresentação das candidaturas, decorre entre a data de publicação do presente Convite e as 18 horas do dia 20 de Agosto de A data e hora de entrada das candidaturas são as do registo que comprova a submissão do correspondente formulário ao sistema de informação e gestão do Programa Operacional Temático Valorização do Território (POVT). 8. Investimento elegível As operações a candidatar não deverão ultrapassar um investimento elegível máximo de ,00, distribuídos da seguinte forma: _Regularização das Principais Ribeiras do Funchal Troços Urbanos a Montante ,00 _Regularização da Ribeira da Ribeira Brava ,00 São elegíveis as despesas que se enquadrem nas tipologias previstas na alínea b) do n.º 1 do artigo 8.º do RE do Eixo IV do POVT relativas às intervenções que visem a correção torrencial das ribeiras, designadamente as Página 3

4 ações de melhoria das condições de funcionamento hidráulico e de regularização dos troços intervencionados, a adaptação das estruturas de contenção e proteção existentes (muralhas de canalização), a execução de novas zonas de contenção e de guiamento e de proteção dos depósitos de inertes e os trabalhos de reordenamento e de reabilitação das zonas de intervenção das infraestruturas de correção torrencial, destinados exclusivamente à correção das vulnerabilidades do território e dos riscos coletivos resultantes daquelas ações, incluindo a retirada de construções e estruturas físicas em áreas de risco e o restabelecimento de acessibilidades e de infraestruturas afetadas pelas intervenções, exclusivamente no que respeita a vias de acesso, redes de abastecimento de água de saneamento e de escoamento de águas pluviais, redes elétricas e de comunicações. Não são elegíveis as despesas previstas no Anexo ao Despacho n.º 10/2009, de 24 de Setembro, do MAOTDR, nos termos e condições aí fixadas. 9. Financiamento das operações A taxa máxima de cofinanciamento Fundo de Coesão para as operações a apoiar no âmbito do presente Convite é de 85% (oitenta e cinco por cento) e incide sobre a despesa elegível. O financiamento das operações assume a forma de ajuda a fundo perdido. 10. Duração da operação As operações a apresentar no âmbito do presente Convite terão que estar concluídas física, financeiramente e encontrarem se operacionais até 31 dez Dotação orçamental A dotação orçamental de Fundo de Coesão prevista no âmbito do presente Convite tem o montante máximo de ,00 (noventa e sete milhões setecentos cinquenta mil euros), distribuídos da seguinte forma: Regularização das Principias Ribeiras do Funchal Troços Urbanos a Montante ,00 Regularização da Ribeira da Ribeira Brava , Condições de admissão e aceitação do beneficiário A avaliar pelo Organismo Intermédio (IDR), de acordo com o Artigo 6.º do RE. 13. Condições de admissão e aceitação da operação A avaliar pelo Organismo Intermédio (IDR), de acordo com o Artigo 7.º do RE. Nos termos da alínea a) do n.º 2 do referido Artigo 7.º, as candidaturas deverão demonstrar que reúnem um grau de maturidade mínimo das operações, que é fixado nos seguintes moldes: Terem projeto técnico concluído. Página 4

5 14. Data limite para a comunicação da admissão e aceitação da candidatura A comunicação ao Beneficiário da decisão relativa à admissão e aceitação das candidaturas, é efetuada no prazo máximo de 30 (trinta) dias úteis após o termo do prazo fixado para a sua apresentação. 15. Avaliação do mérito e decisão de financiamento Critérios de seleção As candidaturas aceites serão objeto de uma avaliação de mérito em função dos seguintes critérios de seleção, aprovados pela Comissão de Acompanhamento do Programa Operacional Temático Valorização do Território (POVT) em consulta escrita realizada em 9 de Fevereiro de 2012: a) Relevância estratégica das operações no âmbito do Plano de Desenvolvimento Económico e Social (PDES ) para a RAM e, nos respetivos Planos sectoriais, se aplicáveis; b) Complementaridade em relação a outros investimentos realizados ou a realizar, que permitam o fecho dos sistemas iniciados com o apoio do Fundo de Coesão (Regulamento (CE) n.º 1164/94 do Conselho, de 16 de Maio) e à intervenção operacional comparticipada pelo fundo estrutural FEDER; c) Operações que gerem complementaridades e sinergias com outras operações de interesse regional, nacional ou comunitário; d) Operações que demonstrem aspetos de carácter inovador; e) Operações que evidenciem adequado grau de eficiência energética e utilização sustentável da energia, nos casos aplicáveis; f) Operações que se revelem fundamentais para o cumprimento das metas associadas aos indicadores de realização e de resultado do Eixo; g) Operações que resultem de parcerias estratégicas e tenham um âmbito supramunicipal, nos casos aplicáveis; h) Operações que visem contribuírem para a prevenção de riscos naturais e tecnológicos, através da correção torrencial e regularização das ribeiras da Ilha da Madeira; i) Contribuir para o desenvolvimento económico da Região, através da melhoria ou construção e infraestruturas portuárias e do seu acesso ao exterior Metodologia de cálculo Aos critérios de seleção constantes do ponto 15.1 será aplicada a seguinte metodologia de cálculo para avaliação do Mérito da Operação (MO) que permitirá a respetiva hierarquização: CF = (Pa*Ca)+(Pb*Cb)+(Pc*Cc)+(Pd*Cd)+ (Pe*Ce)+(Pf*Cf)+(Pg1*Cg1)+ (Pg2*Cg2)+(Ph*Ch)+ (Pi*Ci) em que: CF= Classificação Final Pa.Pi = Peso do Critério Ca.Ci = Classificação do Critério Página 5

6 As pontuações dos critérios são atribuídas numa escala compreendida entre 0 e 5, sendo a pontuação final do Mérito da Operação estabelecida até às duas casas decimais, sem arredondamentos. Para efeitos de seleção, serão consideradas as operações de mérito superior que obtenham uma pontuação final igual ou superior a 2,5 pontos, apurada de acordo com os critérios referidos e a metodologia apresentada no quadro seguinte: Critérios de seleção Parâmetros de avaliação Peso a) Relevância estratégica das operações no âmbito do Plano de Desenvolvimento Económico e Social (PDES ) para a RAM e nos respetivos Planos sectoriais, se aplicável Enquadramento no PDES ou em planos sectoriais: Enquadramento direto e claro (5); Enquadramento indireto, mas existente (3); Sem relevância ou ausência da sua evidência no contexto de Instrumento de Política Pública (IPP) (0). b) Complementaridade em relação a outros investimentos realizados ou a realizar, que permitam o fecho dos sistemas iniciados com o apoio do Fundo de Coesão (Regulamento (CE) n.º 1164/94 do Conselho, de 16 de Maio) e à intervenção operacional comparticipada pelo fundo estrutural FEDER Tipo de relação de complementaridade com os outros investimentos cofinanciados ou a cofinanciar pelo FEDER e Fundo de Coesão: Relação direta de complementaridade (5); Relação indireta de complementaridade (3); Inexistência ou ausência de evidência de relação de complementaridade (0). Grau de complementaridade e sinergia com investimentos cofinanciados ou a cofinanciar por IPP regional, nacional ou pelo FEADER ou FEP: c) Operações que gerem complementaridades e sinergias com outras Evidência clara de complementaridade e/ou de ligação direta (5); operações de interesse regional, nacional ou comunitário Evidência de complementaridade e/ou de ligação indireta (3); Inexistência de complementaridade e/ou de ligação ou ausência da sua evidência (0). d) Operações que demonstrem aspetos de carácter inovador e) Operações que evidenciem adequado grau de eficiência energética e utilização sustentável da energia, nos casos aplicáveis Carácter Inovador: Evidência clara de introdução de elementos inovadores face ao adotado/aplicado anteriormente na RAM (5); Inexistência ou ausência de evidência de elementos de inovação (0). Utilização Eficiente de Energia: Demonstração clara de introdução de elementos de poupança de energia e/ou ganhos de eficiência energética e/ou utilização Página 6

7 racional da energia (5); Demonstração de não aplicabilidade à operação (3) Demonstração de utilização eficiente de energia sem significado ou ausência da sua evidência (0) f) Operações que se revelem fundamentais para o cumprimento das metas associadas aos indicadores de realização e de resultado do Eixo Tipo de contribuição: Evidencia de contribuição direta para as metas de realização e/ou de resultado (5); Inexistência de contribuição direta ou ausência da sua evidência (0) g1)tipo de Parceria: Pública/Privada ou Pública /Pública de diferentes níveis de administração pública e/ou natureza e finalidades diversas (5); Pública/Pública (do mesmo nível de administração) (3); 5% g) Operações que resultem de parcerias estratégicas e tenham um âmbito supramunicipal, nos casos aplicáveis. Beneficiário singular (0); g2) Impacte geográfico da operação: Supraregional (efeitos extravasam a RAM) (5); Regional (efeitos estendem se ao arquipélago) (4); Intermunicipal (2 ou mais municípios) ou toda a Ilha (3); 5% Municipal (1 município) (1) Local (0). h) Operações que visem contribuir para a prevenção de riscos naturais e tecnológicos, através da correção torrencial e regularização das ribeiras da Ilha da Madeira i) Contribuir para o desenvolvimento económico da Região, através da melhoria ou construção e infraestruturas portuárias e do seu acesso ao exterior Tipo de contribuição: Evidência de contribuição direta para a correção torrencial e regularização das ribeiras da Ilha da madeira (5); Inexistência de contribuição direta para este objetivo ou ausência da sua evidência (0) Tipo de contribuição: Evidência de contribuição direta para o desenvolvimento económico da região, através da melhoria ou construção e infraestruturas portuárias e do seu acesso ao exterior (5); Inexistência de contribuição direta para este objetivo ou ausência da sua evidência (0) 20% Página 7

8 15.3. Entidades responsáveis pela avaliação de mérito e pela decisão de financiamento A avaliação do mérito e a decisão de financiamento da candidatura é de responsabilidade Organismo Intermédio (OI) Instituto de Desenvolvimento Regional da Região autónoma da Madeira, conforme estabelecido no contrato de delegação de competências. A decisão de aprovação é confirmada pela Autoridade de Gestão do POVT. Na avaliação do mérito, o OI promove a articulação com as entidades cuja intervenção se revele necessária ou conveniente para a obtenção de apoio e/ou emissão de pareceres técnicos especializados. Nos termos do artigo 41º do Regulamento (CE) nº 1083/2006 do Conselho de 11 de Julho, a candidatura que é um Grande Projeto Regularização da Ribeira da Ribeira Brava será posteriormente submetida a apreciação da Comissão Europeia, após concordância da Comissão Ministerial de Coordenação do POVT e instrução junto do IFDR. Para este efeito a entidade beneficiária deverá proceder à instrução completa do processo de Candidatura, de acordo com o que se encontra previsto no Guia de Orientação do IFDR para os Grandes Projetos no período de programação , o qual se encontra disponível no site do POVT (Documentação/Orientações Nacionais). 16. Esclarecimentos complementares A Autoridade de Gestão do Programa Operacional Temático Valorização do Território, através do OI (IDR), pode requerer ao promotor esclarecimentos e/ou elementos complementares, os quais devem ser prestados no prazo máximo de 10 (dez) dias úteis, contado a partir da data em que os mesmos sejam formalmente solicitados. 17. Data limite para a comunicação da decisão de financiamento aos promotores A comunicação aos promotores da decisão (favorável, desfavorável ou condicionada) relativa ao pedido de financiamento sobre as candidaturas admitidas e aceites, deverá ser efetuada no prazo de dois meses a contar da completa instrução da candidatura e da comunicação de admissão da mesma, conforme o que ocorrer mais tarde. Ao prazo atrás referido acresce o prazo relativo à notificação e Decisão da Comissão Europeia, em conformidade com o disposto no nº 2 do artigo 41º do Regulamento (CE) nº1083/2006 de 11 de Julho. 18. Divulgação pública dos resultados Os resultados, contendo a lista de beneficiários, a designação das operações e os montantes do cofinanciamento atribuído, são objeto de divulgação pública no site do Programa Operacional Temático Valorização do Território. 19. Orientações técnicas A Autoridade de Gestão do Programa Operacional Temático Valorização do Território (POVT) poderá emitir orientações técnicas para especificação de determinadas matérias previstas no presente Convite. Página 8

9 20. Legislação de enquadramento aplicável Regulamento CE n.º 1083/2006 do Conselho, de 11 de Julho; Regulamento CE n.º 1828/2006 da Comissão, de 8 de Dezembro; Decreto Lei n.º 312/2007, de 17 de Setembro, que define o modelo de governação do QREN e dos respetivos Programas Operacionais; Regulamento Geral FEDER e Fundo de Coesão que se encontra em vigor (aprovado por deliberação da CMC do QREN em 21/12/2011 e alterado por deliberação da mesma CMC em 17/07/2012); Despacho n.º 10/2009 do MAOTDR, de 24 de Setembro; Regulamento Específico REDES E EQUIPAMENTOS ESTRUTURANTES NA RAM, aprovado por Decisão da Comissão Ministerial de Coordenação do POVT em 15 de Outubro de 2007 e alterado por deliberação da mesma CMC em 6 de Fevereiro de 2012 e 8 de Agosto de 2012; Manual de Procedimentos do POVT. 21. Fontes de informação Para além da legislação referida no ponto anterior o promotor poderá obter mais informações por consulta aos sites e Obrigações e procedimentos de informação e publicidade Os beneficiários de candidaturas aprovadas comprometem se a respeitar e aplicar as obrigações e os procedimentos em vigor em matéria de informação e publicidade sobre o cofinanciamento do Fundo de Coesão do Programa Operacional Temático Valorização do Território (POVT) nas intervenções, resultantes das disposições regulamentares comunitárias (Regulamentos CE nºs 1083/2006 e 1828/2006), bem como das normas e especificações técnicas instituídas pela Autoridade de Gestão em vigor à data da sua aprovação. Lisboa, 23 de Julho de 2013 A Presidente da Comissão Diretiva do Programa Operacional Regional da Valorização do Território Helena Azevedo Página 9

Eixo Prioritário III. Valorização e Qualificação Ambiental e Territorial

Eixo Prioritário III. Valorização e Qualificação Ambiental e Territorial Eixo Prioritário III Valorização e Qualificação Ambiental e Territorial Abertura de Convite Público para Apresentação de Candidaturas Título Abertura de Convite Público para Apresentação de Candidaturas

Leia mais

Convite Público. Convite nº: Centro-COE Eixo Prioritário 3 Coesão Local e Urbana. Regulamento Específico Equipamentos para a Coesão Local - 1

Convite Público. Convite nº: Centro-COE Eixo Prioritário 3 Coesão Local e Urbana. Regulamento Específico Equipamentos para a Coesão Local - 1 Convite Público Eixo Prioritário 3 Coesão Local e Urbana Regulamento Específico Equipamentos para a Coesão Local Convite nº: Centro-COE-2013-23 - 1 Nos termos do nº 2 do artigo 11º, do Regulamento Específico

Leia mais

EIXO 4 QUALIFICAÇÃO AMBIENTAL E VALORIZAÇÃO DO ESPAÇO RURAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 3

EIXO 4 QUALIFICAÇÃO AMBIENTAL E VALORIZAÇÃO DO ESPAÇO RURAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 3 EIXO 4 QUALIFICAÇÃO AMBIENTAL E VALORIZAÇÃO DO ESPAÇO RURAL REGULAMENTO ESPECÍFICO: ACÇÕES DE VALORIZAÇÃO DO LITORAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 3 Nos termos do regulamento específico Acções de Valorização

Leia mais

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO E RESPETIVA METODOLOGIA DA ASSISTÊNCIA TÉCNICA

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO E RESPETIVA METODOLOGIA DA ASSISTÊNCIA TÉCNICA CRITÉRIOS DE SELEÇÃO E RESPETIVA METODOLOGIA DA ASSISTÊNCIA TÉCNICA aprovados através de processo de consulta escrita concluído a 13 de Maio de 2015 METODOLOGIA E CRITÉRIOS DE SELEÇÃO DA ASSISTÊNCIA TÉCNICA

Leia mais

Programa Operacional Regional do Algarve Critérios de Seleção das Candidaturas e Metodologia de Análise

Programa Operacional Regional do Algarve Critérios de Seleção das Candidaturas e Metodologia de Análise Programa Operacional Regional do Algarve Critérios de Seleção das Candidaturas e Metodologia de Análise Assistência Técnica Aprovada em 11-05-2015, após procedimento de consulta escrita aos membros da

Leia mais

REGULAMENTOS ESPECÍFICOS

REGULAMENTOS ESPECÍFICOS Programa Operacional Factores de Competitividade Deliberações CMC POFC: 16/07/2008 Assistência Técnica do POFC Entrada em vigor DA ÚLTIMA ALTERAÇÃO em 17/07/2008 Artigo 1.º Objecto O presente regulamento

Leia mais

Regulamento específico Assistência Técnica FEDER

Regulamento específico Assistência Técnica FEDER Regulamento específico Assistência Técnica FEDER Capítulo I Âmbito Artigo 1.º Objecto O presente regulamento define o regime de acesso aos apoios concedidos pelo Programa Operacional de Assistência Técnica

Leia mais

PROJECTOS DE I&DT EMPRESAS INDIVIDUAIS

PROJECTOS DE I&DT EMPRESAS INDIVIDUAIS AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 32 / SI / 2009 SISTEMA DE INCENTIVOS À INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO (SI I&DT) PROJECTOS DE I&DT EMPRESAS INDIVIDUAIS Nos termos do Regulamento do

Leia mais

NORMA DE GESTÃO N.º 4/NORTE2020/ Rev 1

NORMA DE GESTÃO N.º 4/NORTE2020/ Rev 1 NORMA DE GESTÃO N.º 4/NORTE2020/2015 1 Rev 1 [Operações públicas FEDER] 1 Não aplicável a operações enquadradas no Sistema de Incentivos às Empresas e a operações cofinanciadas pelo FSE. CONTROLO DO DOCUMENTO

Leia mais

EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS EM CONTÍNUO N.

EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS EM CONTÍNUO N. EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL REGULAMENTO ESPECÍFICO: REQUALIFCAÇÃO DA REDE ESCOLAR DO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO E DA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO

Leia mais

FUNDO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

FUNDO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA FUNDO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA Aviso 09 Auditoria Energética a Elevadores em Edifícios de DIREÇÃO EXECUTIVA DO PNAEE FUNDO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA (FEE) Decreto-Lei nº 50/2010, de 20 Maio O Fundo de Eficiência

Leia mais

ANEXO III REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO

ANEXO III REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO ANEXO III REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO PLANOS ESTRATÉGICOS DE DESENVOLVIMENTO URBANO AVISO DE CONCURSO Nº ALT20 06 2016 18 ALT20 16 2016 19 ALT20 43 2016 20 DOMÍNIO DA SUSTENTABILIDADE E EFICIÊNCIA

Leia mais

Convite Público. Convite nº Centro-PTC Eixo Prioritário 2 Valorização do espaço regional. Regulamento Específico Património Cultural

Convite Público. Convite nº Centro-PTC Eixo Prioritário 2 Valorização do espaço regional. Regulamento Específico Património Cultural Convite Público Eixo Prioritário 2 Valorização do espaço regional Regulamento Específico Património Cultural Convite nº Centro-PTC-2013-10 1 Nos termos do artigo 11º, do Regulamento Específico Património

Leia mais

QUE MEIOS FINANCEIROS?

QUE MEIOS FINANCEIROS? QUE MEIOS FINANCEIROS? PARA A CONSERVAÇÃO DA NATUREZA ATRAVÉS DO PO SEUR? HELENA PINHEIRO DE AZEVEDO MOBILIZAÇÃO DE RECURSOS PARA CONSERVAÇÃO DA NATUREZA E BIODIVERSIDADE 22 JUN 2015 TAPADA DE MAFRA Organização:

Leia mais

CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURA À INICIATIVA COMPETIR XXI

CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURA À INICIATIVA COMPETIR XXI CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURA À INICIATIVA COMPETIR XXI 30-03-2016 Iniciativa Competir XXI CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURA Na sequência da qualificação da Sotecnisol, S.A. como Empresa

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIO REQUALIFICAÇÃO DA REDE DE ESCOLAS COM ENSINO SECUNDÁRIO

PROGRAMA OPERACIONAL VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIO REQUALIFICAÇÃO DA REDE DE ESCOLAS COM ENSINO SECUNDÁRIO PROGRAMA OPERACIONAL VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIO Deliberações CMC POVT: 12/08/2010 e 6/02/2012 REQUALIFICAÇÃO DA REDE DE ESCOLAS COM ENTRADA EM VIGOR EM 7/02/2012 NA REDAÇÃO DADA PELA DELIBERAÇÃO CMC POVT

Leia mais

PORTUGAL 2020: A IMPORTÂNCIA DA ELEGIBILIDADE DAS DESPESAS

PORTUGAL 2020: A IMPORTÂNCIA DA ELEGIBILIDADE DAS DESPESAS 21 de maio de 2015 PORTUGAL 2020: A IMPORTÂNCIA DA ELEGIBILIDADE DAS DESPESAS Ao abrigo do Acordo de Parceria estabelecido entre Portugal e a Comissão Europeia, denominado Portugal 2020, as empresas portuguesas

Leia mais

ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 3/2013

ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 3/2013 ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 3/2013 Por alteração da Orientação de Gestão da Orientação de Gestão n. º 1/2012 (06-01-2012), n.º 1/2010 (29-03-2010) e da Orientação de Gestão n.º 7/2008 (21-01-2009) REGRAS

Leia mais

Deliberação n.º 83 /2015. Regulamento Interno da CIC Portugal 2020

Deliberação n.º 83 /2015. Regulamento Interno da CIC Portugal 2020 Deliberação n.º 83 /2015 Regulamento Interno da CIC Portugal 2020 A CIC Portugal 2020, na reunião ordinária de 21 de dezembro de 2015, deliberou, nos temos da alínea q) do n.º 2 do artigo 10.º do Decreto-Lei

Leia mais

SESSÃO DE ESCLARECIMENTOS

SESSÃO DE ESCLARECIMENTOS SESSÃO DE ESCLARECIMENTOS BRUNO PIMENTA Projeto U-Bike Portugal Promoção de Bicicletas Elétricas e Convencionais nas Comunidades Académicas AGENDA 1. Objetivos Gerais do Aviso 2. Tipologias de Operações

Leia mais

Promover o Emprego e Apoiar a Mobilidade Laboral

Promover o Emprego e Apoiar a Mobilidade Laboral AVISO/CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS PROGRAMA OPERACIONAL REGIONAL 2014-2020 (MADEIRA14-20) EIXO PRIORITÁRIO 7 Promover o Emprego e Apoiar a Mobilidade Laboral PRIORIDADE DE INVESTIMENTO (PI)

Leia mais

EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS CONDICIONADO N.

EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS CONDICIONADO N. EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL REGULAMENTO ESPECÍFICO: Aviso n.º 1/REB/AC REQUALIFICAÇÃO DA REDE ESCOLAR DE 1.º CICLO DO ENSINO BÁSICO E DA EDUCAÇÃO PRÉ- ESCOLAR AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO

Leia mais

ANÚNCIO PARA PARTICIPAÇÃO NO LEVANTAMENTO E CARACTERIZAÇÃO DA REDE DE INFRAESTRUTURAS TECNOLÓGICAS

ANÚNCIO PARA PARTICIPAÇÃO NO LEVANTAMENTO E CARACTERIZAÇÃO DA REDE DE INFRAESTRUTURAS TECNOLÓGICAS ANÚNCIO PARA PARTICIPAÇÃO NO LEVANTAMENTO E CARACTERIZAÇÃO DA REDE DE INFRAESTRUTURAS TECNOLÓGICAS PROCESSO DE MAPEAMENTO DAS INFRAESTRUTURAS TECNOLÓGICAS NACIONAIS 9 de agosto de 2016 Página 1 de 6 Índice

Leia mais

Política de Cidades - Parcerias para a Regeneração Urbana

Política de Cidades - Parcerias para a Regeneração Urbana AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Política de Cidades - Parcerias para a Regeneração Urbana Candidaturas de Programas de Acção Nos termos do Regulamento Específico Política de Cidades - Parcerias

Leia mais

FUNDO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

FUNDO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA FUNDO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA Aviso 09 Auditoria Energética a Elevadores em Edifícios de Sessão de esclarecimentos DIREÇÃO EXECUTIVA DO PNAEE 15/05/2015 FUNDO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA (FEE) Decreto-Lei

Leia mais

REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DA OPERAÇÃO AVISO Nº ALT Sistema de apoio à Modernização e Capacitação da Administração Pública

REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DA OPERAÇÃO AVISO Nº ALT Sistema de apoio à Modernização e Capacitação da Administração Pública REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DA OPERAÇÃO AVISO Nº ALT20 62 2015 10 Sistema de apoio à Modernização e Capacitação da Administração Pública (SAMA2020) DOMÍNIO DA COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO

Leia mais

MODELO DE GOVERNAÇÃO ANEXO I

MODELO DE GOVERNAÇÃO ANEXO I MODELO DE GOVERNAÇÃO ANEXO I Modelo de Governação do Fundo para a Modernização da Justiça ENQUADRAMENTO O Fundo para a Modernização da Justiça (FMJ) foi criado pelo artigo 167.º da Lei n.º 55/2010, de

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 03/2016

ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 03/2016 ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 03/2016 REGULAMENTO ESPECÍFICO DO DOMÍNIO DA COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO (RECI) Sistema de Incentivos às Empresas Inovação Produtiva Majoração «Execução do Investimento»

Leia mais

PROGRAMAS OPERACIONAIS REGIONAIS DO CONTINENTE. Deliberações CMC POR: 14/10/2010, 4/04/2011, 30/01/2012, 20/03/2012 e 8/08/2012

PROGRAMAS OPERACIONAIS REGIONAIS DO CONTINENTE. Deliberações CMC POR: 14/10/2010, 4/04/2011, 30/01/2012, 20/03/2012 e 8/08/2012 PROGRAMAS OPERACIONAIS REGIONAIS DO CONTINENTE Deliberações CMC POR: 14/10/2010, 4/04/2011, 30/01/2012, 20/03/2012 e 8/08/2012 AÇÕES DE VALORIZAÇÃO E QUALIFICAÇÃO AMBIENTAL ENTRADA EM VIGOR EM 9/08/2012

Leia mais

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 18.12.2014 C(2014) 10188 final DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO de 18.12.2014 que aprova determinados elementos do «Programa Operacional Regional do Norte 2014-2020» do apoio

Leia mais

ALTERAÇÃO AO CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS CONVITE Nº ALT Assistência Técnica

ALTERAÇÃO AO CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS CONVITE Nº ALT Assistência Técnica ALTERAÇÃO AO CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS CONVITE Nº ALT20 77 2016 05 Assistência Técnica DOMÍNIO ASSISTÊNCIA TÉCNICA ALTERAÇÃO AO CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS CONVITE Nº ALT

Leia mais

Programa para o Ambiente e a Ação Climática (LIFE)

Programa para o Ambiente e a Ação Climática (LIFE) Programa para o Ambiente e a Ação Climática (LIFE) O que é o Programa LIFE? O Programa LIFE - cujo acrónimo traduz L Instrument Financier pour l Environment é um instrumento financeiro comunitário que

Leia mais

Concursos de Principais alterações face a João Carreira

Concursos de Principais alterações face a João Carreira Concursos de 2014 Principais alterações face a 2013 João Carreira Que novos concursos são lançados hoje? São lançados 6 concursos: 2 Concursos de 2014: Principais alterações face a 2013 TIPOLOGIAS DE PROJETO:

Leia mais

Enquadramento Âmbito de Aplicação Logótipo da FCT... 3

Enquadramento Âmbito de Aplicação Logótipo da FCT... 3 Normas de Informação e Publicitação de Apoios para Beneficiários (Financiamentos exclusivamente por Fundos Nacionais) índice Enquadramento... 2 Âmbito de Aplicação... 2 Logótipo da FCT... 3 Obrigações

Leia mais

CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS N.º CENTRO

CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS N.º CENTRO CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS N.º CENTRO-77-2016-02 ASSISTÊNCIA TÉCNICA 2015/ 2016 5 DE JANEIRO DE 2016 Página 1 de 12 Preâmbulo Nos termos do disposto no Programa Operacional Regional do Centro,

Leia mais

Boletim Mensal #01 Junho 2016

Boletim Mensal #01 Junho 2016 CANDIDATURAS ABERTAS NO ÂMBITO DO PORTUGAL 2020 PLANO DE AÇÃO DE REGENERAÇÃO URBANA PARA CENTROS URBANOS COMPLEMENTARES (PI6.5) Tendo como propósito o investimento na reabilitação e regeneração urbana,

Leia mais

Matriz Portugal 2020 Candidaturas diretas a efetuar pelas IPSS

Matriz Portugal 2020 Candidaturas diretas a efetuar pelas IPSS Revisão 1 : 31/08/2016 PO PO Concurso para apresentação de candidaturas - Melhorar o acesso aos serviços sociais (Açores) Melhorar o acesso aos serviços sociais Melhoria das infraestruturas de saúde Adaptação

Leia mais

GOVERNO REGIONAL DOS AÇORES. Resolução Nº 46/2000 de 30 de Março

GOVERNO REGIONAL DOS AÇORES. Resolução Nº 46/2000 de 30 de Março GOVERNO REGIONAL DOS AÇORES Resolução Nº 46/2000 de 30 de Março Considerando que as novas tecnologias, ao garantirem uma melhor qualidade de produtos e serviços, potenciam o aumento da competitividade

Leia mais

REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO N.º CENTRO

REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO N.º CENTRO REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS POR CONVITE PI 6.3 PROMOÇÃO DO PATRIMÓNIO CULTURAL UNESCO AVISO N.º CENTRO-14-2016-14 O Mérito do Projeto (MP) é determinado

Leia mais

1. DEFINIÇÃO, ANTECEDENTES E VISÃO DA ENAAC 2020

1. DEFINIÇÃO, ANTECEDENTES E VISÃO DA ENAAC 2020 Estratégia Nacional de Adaptação às Alterações Climáticas (ENAAC 2020) Avaliação do âmbito de aplicação do Decreto-Lei n.º 232/2007, de 15 de junho 1. DEFINIÇÃO, ANTECEDENTES E VISÃO DA ENAAC 2020 A Estratégia

Leia mais

Síntese de Legislação Nacional e Comunitária. 04 de Janeiro de 2012

Síntese de Legislação Nacional e Comunitária. 04 de Janeiro de 2012 LEGISLAÇÃO Síntese de Legislação Nacional e Comunitária de 2012 Legislação Nacional Energias Renováveis Portaria n.º 8/2012 I Série n.º 3, de 4/01 Aprova, no âmbito da política de promoção da utilização

Leia mais

Fundo Florestal Permanente

Fundo Florestal Permanente Fundo Florestal Permanente Encontro Nacional Zonas de Intervenção Florestal Centro de Interpretação da Serra da Estrela Seia 30 de abril de 2013 Enquadramento legal e objetivos Sumário Mecanismos de financiamento

Leia mais

Eixo II _ Competitividade da Base Económica Regional. II.1. Projectos de Investimento Empresarial Integrados e Inovadores. Tipologia de Investimento

Eixo II _ Competitividade da Base Económica Regional. II.1. Projectos de Investimento Empresarial Integrados e Inovadores. Tipologia de Investimento Eixo II _ Competitividade da Base Económica Regional II.1. Projectos de Investimento Empresarial Integrados e Inovadores Tipologia de Investimento designadamente PME s CONTROLO DO DOCUMENTO Versão Data

Leia mais

Quadro Estratégico Comum

Quadro Estratégico Comum Quadro Estratégico Comum 2014-2020 Objetivos Prioridades Estrutura Orgânica Sociedade de Geografia de Lisboa, 8 de Julho de 2013 Piedade Valente Vogal da Comissão Diretiva do COMPETE Quadro Estratégico

Leia mais

Perguntas frequentes PARU Algarve

Perguntas frequentes PARU Algarve Perguntas frequentes PARU Algarve 1. Como se interpreta a proporção de 1 para 1 na repartição do investimento privado/público? Significa que se a dotação máxima para as intervenções públicas (por via do

Leia mais

ANÚNCIO DE ABERTURA DE PERÍODO DE APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS N.º 001 / ADIRN / / 2016 DIVERSIFICAÇÃO DE ATIVIDADES NA EXPLORAÇÃO AGRÍCOLA

ANÚNCIO DE ABERTURA DE PERÍODO DE APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS N.º 001 / ADIRN / / 2016 DIVERSIFICAÇÃO DE ATIVIDADES NA EXPLORAÇÃO AGRÍCOLA ANÚNCIO DE ABERTURA DE PERÍODO DE APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS N.º 001 / ADIRN / 10213 / 2016 DIVERSIFICAÇÃO DE ATIVIDADES NA EXPLORAÇÃO AGRÍCOLA (Portaria n.º 152/2016, de 25 de maio) A submissão de candidaturas

Leia mais

FINALIZAÇÃO DE OBRAS CINEMATOGRÁFICAS

FINALIZAÇÃO DE OBRAS CINEMATOGRÁFICAS ANEXO IX PROGRAMA DE APOIO AO CINEMA SUBPROGRAMA DE APOIO À PRODUÇÃO, NA MODALIDADE DE APOIO À FINALIZAÇÃO DE OBRAS CINEMATOGRÁFICAS 1. Candidatos e beneficiários 1.1. Podem candidatar-se os produtores

Leia mais

SESSÃO DE APRESENTAÇÃO Cursos Técnicos Superiores Profissionais TeSP

SESSÃO DE APRESENTAÇÃO Cursos Técnicos Superiores Profissionais TeSP Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 SESSÃO DE APRESENTAÇÃO Cursos Técnicos Superiores Profissionais TeSP Identidade, Competitividade, Responsabilidade Lezíria do Tejo Alto Alentejo Alentejo

Leia mais

Incentivos financeiros Portugal 2020

Incentivos financeiros Portugal 2020 Incentivos financeiros Portugal 2020 Lisboa, 08-10-2015 Paulo Carpinteiro Licks & Associados POCI Programa Operacional Competitividade e Internacionalização POSEUR e PORegionais Norte, Centro, LVT, Alentejo,

Leia mais

REGULAMENTO DO OBSERVATÓRIO DE EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DO OBSERVATÓRIO DE EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DO OBSERVATÓRIO DE EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL De acordo com o Plano Estratégico apresentado ao Conselho Geral da Universidade da Madeira (UMa) ficou estabelecida a constituição de um Observatório

Leia mais

Titulo da Apresentação da DRAPLVT

Titulo da Apresentação da DRAPLVT Título da Apresentação Titulo da Apresentação da DRAPLVT Substítulo Rio Maior Setembro 2016 Objetivos Nacionais Crescimento sustentável do sector AGROFLORESTAL em TODO O TERRITÒRIO NACIONAL Aumento do

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO (SI INOVAÇÃO) MOBI-E

SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO (SI INOVAÇÃO) MOBI-E AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS N.º 11 / SI / 2011 SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO (SI INOVAÇÃO) INOVAÇÃO PRODUTIVA MOBI-E PÓLO DE COMPETITIVIDADE E TECNOLOGIA DAS INDÚSTRIAS DA MOBILIDADE Nos

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE EXECUÇÃO. Programa Operacional MAR 2020 PORTUGAL

RELATÓRIO ANUAL DE EXECUÇÃO. Programa Operacional MAR 2020 PORTUGAL RELATÓRIO ANUAL DE EXECUÇÃO 2015 Programa Operacional MAR 2020 PORTUGAL Relatório Anual 2015 RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DO PO MAR 2020 ANO DE 2015 CCI: 2014PT14MFOP001 PROGRAMA OPERACIONAL: PROGRAMA OPERACIONAL

Leia mais

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS PROGRAMA OPERACIONAL SUSTENTABILIDADE E EFICIÊNCIA NO USO DE RECURSOS (PO SEUR) EIXO PRIORITÁRIO 2 PROMOVER A ADAPTAÇÃO ÀS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS E A PREVENÇÃO E

Leia mais

EIXO 4 QUALIFICAÇÃO AMBIENTAL E VALORIZAÇÃODO ESPAÇO RURAL

EIXO 4 QUALIFICAÇÃO AMBIENTAL E VALORIZAÇÃODO ESPAÇO RURAL EIXO 4 QUALIFICAÇÃO AMBIENTAL E VALORIZAÇÃODO ESPAÇO RURAL REGULAMENTO ESPECÍFICO: CICLO URBANO DA ÁGUA VERTENTE EM BAIXA MODELO NÃO VERTICALIZADO AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2007/2013

Programa Operacional Regional Alentejo 2007/2013 Programa Operacional Regional Alentejo 2007/2013 Workshop Gestão e Financiamento Integrados da Natura 2000 Lisboa, 28 de Fevereiro de 2008 1 1. Orientações e estrutura do PO Alentejo 2007/2013 2. Financiamento

Leia mais

3. Tipologia das operações São elegíveis as seguintes tipologias de operação: 1 de 10

3. Tipologia das operações São elegíveis as seguintes tipologias de operação: 1 de 10 Convite para Apresentação de Candidaturas Aviso Nº ACORES-57-2016-01 Eixo Prioritário 7 Transportes sustentáveis e principais redes de infraestruturas. Prioridade de Investimento 7.3 Desenvolvimento e

Leia mais

Sistema de Incentivos à Inovação

Sistema de Incentivos à Inovação Sistema de Incentivos à Inovação Inovação Produtiva e Empreendedorismo Qualificado até concursos abertos 26 de abril de 2012 sistema de incentivos à inovação Inovação Produtiva e Empreendedorismo Qualificado

Leia mais

PARTE C MINISTÉRIO DA SOLIDARIEDADE, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL (2) Diário da República, 2.ª série N.º de novembro de 2013

PARTE C MINISTÉRIO DA SOLIDARIEDADE, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL (2) Diário da República, 2.ª série N.º de novembro de 2013 33090-(2) Diário da República, 2.ª série N.º 217 8 de novembro de 2013 PARTE C MINISTÉRIO DA SOLIDARIEDADE, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL Gabinete do Secretário de Estado do Emprego Despacho n.º 14500-A/2013

Leia mais

PROJECTOS DE EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO

PROJECTOS DE EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 34 / SI / 2009 SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO (SI INOVAÇÃO) PROJECTOS DE EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO Nos termos do Regulamento do SI Inovação, a apresentação

Leia mais

Programa BIP/ZIP de Lisboa

Programa BIP/ZIP de Lisboa Programa BIP/ZIP de Lisboa Objectivos e âmbito O Programa BIP-ZIP Bairros e Zonas de Intervenção prioritária de Lisboa é criado pela Câmara Municipal de Lisboa, no quadro do Programa Local de Habitação

Leia mais

CARTA DE MISSÃO. Ministério da Saúde. Serviço/Organismo: Administração Regional de Saúde do Norte. Cargo: Vice-presidente do Conselho Diretivo

CARTA DE MISSÃO. Ministério da Saúde. Serviço/Organismo: Administração Regional de Saúde do Norte. Cargo: Vice-presidente do Conselho Diretivo CARTA DE MISSÃO Ministério da Saúde Serviço/Organismo: Administração Regional de Saúde do Norte Cargo: Vice-presidente do Conselho Diretivo Período da Comissão de Serviço: 2016-2020 1. Missão do Organismo

Leia mais

Programa Operacional Regional do Algarve

Programa Operacional Regional do Algarve Programa Operacional Regional do Algarve Critérios de Seleção das Candidaturas e Metodologia de Análise Domínio Temático SEUR Sustentabilidade e Eficiente Uso de Recursos Prioridades de investimento: 4.2/4.3/4.5/6.3/6.5

Leia mais

ALTERAÇÃO N.º1 REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS AVISO N.º CENTRO

ALTERAÇÃO N.º1 REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS AVISO N.º CENTRO ALTERAÇÃO N.º1 REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS AVISO N.º CENTRO-16-2016-03 REGULAMENTO ESPECÍFICO DO DOMÍNIO DA SUSTENTABILIDADE E EFICIÊNCIA NO USO

Leia mais

CONVITE PARA A APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURA

CONVITE PARA A APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURA FSI CONVITE PARA A APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURA Nº : 5/FSI/2016 Fundo: FSI AT - Assistência técnica - Global Portaria: nº 43, de 11 de março de 2016 1. Âmbito A Assistência Técnica do Programa para o FSI

Leia mais

Saúde Aviso de Abertura de Concurso para Apresentação de Candidaturas S/1/2007

Saúde Aviso de Abertura de Concurso para Apresentação de Candidaturas S/1/2007 Saúde Aviso de Abertura de Concurso para Apresentação de Candidaturas S/1/2007 Saúde Aviso de Abertura de Concurso para Apresentação de Candidaturas S/1/2007 Nos termos do Regulamento Específico Saúde

Leia mais

Sistema de Apoio a Áreas de Acolhimento Empresarial. Aviso de Abertura de Concurso para Apresentação de Candidaturas - CIMDOURO-AAE-200901

Sistema de Apoio a Áreas de Acolhimento Empresarial. Aviso de Abertura de Concurso para Apresentação de Candidaturas - CIMDOURO-AAE-200901 para Apresentação de Candidaturas - Sistema de Apoio a Áreas de Acolhimento Empresarial para Apresentação de Candidaturas - Nos termos do Regulamento Específico - Sistema de Apoio a Áreas de Acolhimento

Leia mais

O crescimento começa nas cidades

O crescimento começa nas cidades O crescimento começa nas cidades O envolvimento do fundo JESSICA Portugal no financiamento de projetos de desenvolvimento urbano sustentável 09/12/2013 Apresentação do Modelo de Governação JESSICA HFP

Leia mais

Síntese das acções de informação e publicidade dos Beneficiários. Acções obrigatórias

Síntese das acções de informação e publicidade dos Beneficiários. Acções obrigatórias Síntese das acções de informação e publicidade dos Beneficiários Acções obrigatórias Na fase inicial Durante a execução Na fase de encerramento Especificações de execução Inclusão na lista de beneficiários

Leia mais

CONDIÇÕES DE ADMISSIBILIDADE CONDIÇÕES EXCLUDENTES. 1 Apresentação telemática no prazo estabelecido na convocatória.

CONDIÇÕES DE ADMISSIBILIDADE CONDIÇÕES EXCLUDENTES. 1 Apresentação telemática no prazo estabelecido na convocatória. CONDIÇÕES DE ADMISSIBILIDADE CONDIÇÕES EXCLUDENTES 1 Apresentação telemática no prazo estabelecido na convocatória. 2 Apresentação do formulário completo. 3 Orçamento FEDER em conformidade com o que está

Leia mais

ESCLARECIMENTOS - Avisos n.ºs POISE e POISE

ESCLARECIMENTOS - Avisos n.ºs POISE e POISE ESCLARECIMENTOS - Avisos n.ºs POISE-24-2016-04 e POISE-31-2016-05 - De acordo com os artigos 111.º e 115.º do Regulamento (UE) n.º 1303/2013, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 17 de dezembro, conjugados

Leia mais

PROGRAMA BIP/ZIP LISBOA 2016 PARCERIAS LOCAIS

PROGRAMA BIP/ZIP LISBOA 2016 PARCERIAS LOCAIS PERGUNTAS FREQUENTES Versão 28/06/2016 Com este Documento pretende-se divulgar as respostas às perguntas mais frequentes sobre o Programa BIP/ZIP Lisboa 2016 Parcerias Locais. Trata-se de um documento

Leia mais

AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO

AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO Eixo Prioritário IV Protecção e Valorização Ambiental ACÇÕES DE VALORIZAÇÃO E QUALIFICAÇÃO AMBIENTAL GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS ÁGUAS INTERIORES Aviso nº : CENTRO-VQA-2009-14-PIN-07

Leia mais

PROJETO U-BIKE PORTUGAL

PROJETO U-BIKE PORTUGAL PROJETO U-BIKE PORTUGAL Lisboa Auditório do IRHU 28 de janeiro 2016 PROJETO U-BIKE PORTUGAL Auditório do IRHU 28 jan 2016 1. Enquadramento 2. Objetivos 3. Regulamento Geral do Projeto 4. Protocolo IMT

Leia mais

Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para

Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020 Medida 6 GESTÃO DO RISCO E RESTABELECIMENTO DO POTENCIAL PRODUTIVO Ação 6.2 PREVENÇÃO E RESTABELECIMENTO DO POTENCIAL PRODUTIVO Enquadramento

Leia mais

Jornal Oficial da União Europeia L 145/17

Jornal Oficial da União Europeia L 145/17 10.6.2009 Jornal Oficial da União Europeia L 145/17 REGULAMENTO (CE) N. o 482/2009 DA COMISSÃO de 8 de Junho de 2009 que altera o Regulamento (CE) n. o 1974/2006 que estabelece normas de execução do Regulamento

Leia mais

ALTERAÇÃO AO PLANO DE PORMENOR DA ZONA DE EXPANSÃO SUL-NASCENTE DA CIDADE DE SINES JUSTIFICAÇÃO PARA NÃO SUJEIÇÃO A AVALIAÇÃO AMBIENTAL ESTRATÉGICA

ALTERAÇÃO AO PLANO DE PORMENOR DA ZONA DE EXPANSÃO SUL-NASCENTE DA CIDADE DE SINES JUSTIFICAÇÃO PARA NÃO SUJEIÇÃO A AVALIAÇÃO AMBIENTAL ESTRATÉGICA PLANO DE PORMENOR DA ZONA DE EXPANSÃO ALTERAÇÃO FEVEREIRO DE 2016 Assunto: Alteração ao Plano de Pormenor da Zona de Expansão Sul-Nascente da Cidade de Sines Justificação para não sujeição a avaliação

Leia mais

CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS N.º 2/AT/2015 EIXO VI - ASSISTÊNCIA TÉCNICA (FEDER)

CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS N.º 2/AT/2015 EIXO VI - ASSISTÊNCIA TÉCNICA (FEDER) CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS N.º 2/AT/2015 EIXO VI - ASSISTÊNCIA TÉCNICA (FEDER) PROGRAMA OPERACIONAL COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO - COMPETE 2020 Página 1 de 16 Preâmbulo O presente

Leia mais

Orçamento Plurianual da UE

Orçamento Plurianual da UE Orçamento Plurianual da UE 2014/2020 José Manuel Fernandes Deputado ao Parlamento Europeu Estratégia Europa 2020 A guia das próximas perspetivas financeiras Estratégia Europa 2020 Crescimento Inteligente

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quinta-feira, 16 de junho de Série. Número 105

JORNAL OFICIAL. Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quinta-feira, 16 de junho de Série. Número 105 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Quinta-feira, 16 de junho de 2016 Série Suplemento Sumário SECRETARIAS REGIONAIS DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DA SAÚDE Portaria n.º 230/2016 Autoriza

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DO MADEIRA 14-20

REGULAMENTO ESPECÍFICO DO MADEIRA 14-20 AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS PROGRAMA OPERACIONAL REGIONAL 2014-2020 (MADEIRA14-20) EIXO PRIORITÁRIO 8 Promover a Inclusão Social e Combater a Pobreza PRIORIDADE DE INVESTIMENTO (PI) 9.b A concessão

Leia mais

REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS AVISO N.º CENTRO

REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS AVISO N.º CENTRO REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS AVISO N.º CENTRO-43-2016-01 PRIORIDADES DE INVESTIMENTOS: 4.5 (4e) PROMOÇÃO DE ESTRATÉGIAS DE BAIXO TEOR DE CARBONO

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL PARA A ELEIÇÃO DO PRESIDENTE DO INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO

REGULAMENTO ELEITORAL PARA A ELEIÇÃO DO PRESIDENTE DO INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO CONSELHO GERAL REGULAMENTO ELEITORAL PARA A ELEIÇÃO DO PRESIDENTE DO INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO Artigo 1.º Âmbito Visa o presente regulamento definir o procedimento a seguir para a eleição do Presidente

Leia mais

ÍNDICE PORTUGAL ENQUADRAMENTO COMPETIR + CONDIÇOES GERAIS PROGRAMA OS 6 PASSOS DE UMA CANDIDATURA CALENDARIZAÇÃO

ÍNDICE PORTUGAL ENQUADRAMENTO COMPETIR + CONDIÇOES GERAIS PROGRAMA OS 6 PASSOS DE UMA CANDIDATURA CALENDARIZAÇÃO AÇORES 2014-2020 ÍNDICE PORTUGAL 2020 1. 2. 3. 4. 5. 6. ENQUADRAMENTO COMPETIR + CONDIÇOES GERAIS PROGRAMA OS 6 PASSOS DE UMA CANDIDATURA CALENDARIZAÇÃO OFERTA GLOBAL NOVO BANCO DOS AÇORES 1- ENQUADRAMENTO

Leia mais

Plano de Atividades de 2015 do Centro de Relações Laborais

Plano de Atividades de 2015 do Centro de Relações Laborais Plano de Atividades de 2015 do Centro de Relações Laborais A. ENQUADRAMENTO GERAL 1. O CRL foi criado, no seguimento de acordos de concertação social, para apoio técnico à negociação coletiva. É um organismo

Leia mais

S.R. DA EDUCAÇÃO E CULTURA Portaria n.º 71/2016 de 4 de Julho de 2016

S.R. DA EDUCAÇÃO E CULTURA Portaria n.º 71/2016 de 4 de Julho de 2016 S.R. DA EDUCAÇÃO E CULTURA Portaria n.º 71/2016 de 4 de Julho de 2016 Considerando que o Regime Jurídico de Apoio ao Movimento Associativo Desportivo, aprovado pelo Decreto Legislativo Regional n.º 21/2009/A,

Leia mais

Regulamento da Galeria Municipal de Almeirim. Preâmbulo

Regulamento da Galeria Municipal de Almeirim. Preâmbulo Regulamento da Galeria Municipal de Almeirim Preâmbulo A Galeria Municipal de Almeirim é um espaço destinado à dinamização da cultura através de exposições temporárias, cabendo neste todas as áreas temáticas

Leia mais

CAPITULO I Disposições Gerais

CAPITULO I Disposições Gerais REGULAMENTO da Unidade Curricular Dissertação/Projeto/Estágio dos Cursos de Mestrado em Contabilidade, Mestrado em Contabilidade e Administração Pública e Mestrado em Marketing, do Instituto Superior de

Leia mais

Regulamento Específico Requalificação da Rede Escolar de 1.º Ciclo do Ensino Básico e da Educação Pré-Escolar

Regulamento Específico Requalificação da Rede Escolar de 1.º Ciclo do Ensino Básico e da Educação Pré-Escolar CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º Âmbito de aplicação 1. O presente regulamento estabelece o regime específico de aplicação dos apoios a conceder no âmbito do PO Regional XX para o desenvolvimento

Leia mais

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS AVISO Nº NORTE

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS AVISO Nº NORTE AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS PRIORIDADE DE INVESTIMENTO. INVESTIMENTO NO ENSINO, NA FORMAÇÃO, NA FORMAÇÃO PROFISSIONAL E NAS COMPETÊNCIAS E NA APRENDIZAGEM AO LONGO DA VIDA ATRAVÉS DO DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Os Projectos Urbanos a apoiar ao abrigo da Iniciativa JESSICA devem, genericamente, reunir as condições de elegibilidade que se enunciam:

Os Projectos Urbanos a apoiar ao abrigo da Iniciativa JESSICA devem, genericamente, reunir as condições de elegibilidade que se enunciam: Iniciativa JESSICA Despesas elegíveis 1. Enquadramento Nos termos do n.º 4 do artigo 56.º - Elegibilidade das despesas, do Regulamento (CE) n.º 1083/2006, do Conselho, de 11 de Julho, alterado pelo Regulamento

Leia mais

Eixo Prioritário IV Qualificação do Sistema Urbano. Mobilidade Territorial

Eixo Prioritário IV Qualificação do Sistema Urbano. Mobilidade Territorial Eixo Prioritário IV Qualificação do Sistema Urbano Mobilidade Territorial Convite Público à Apresentação de Candidaturas no domínio dos Sistemas ferroviários ligeiros (metro) MT/01/2008 MOBILIDADE TERRITORIAL

Leia mais

REGULAMENTO DE JÚRIS, CONSULTA DE PROVAS, RECLAMAÇÕES E RECURSOS

REGULAMENTO DE JÚRIS, CONSULTA DE PROVAS, RECLAMAÇÕES E RECURSOS REGULAMENTO DE JÚRIS, CONSULTA DE PROVAS, RECLAMAÇÕES E RECURSOS Conselho Científico (Deliberação CC-46/2008, de 27 de junho) 20 03 2012 01 Art.º 1º (JÚRIS DE EXAMES) 1- Os júris das provas finais de avaliação

Leia mais

REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO

REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO PRIORIDADE DE INVESTIMENTO: INVESTIMENTO NA SAÚDE E NAS INFRAESTRUTURAS SOCIAIS QUE CONTRIBUAM PARA O DESENVOLVIMENTO NACIONAL, REGIONAL E LOCAL, PARA A REDUÇÃO

Leia mais

CONTRATAÇÃO DE TÉCNICOS ESPECIALIZADOS TERAPEUTA DA FALA TERAPEUTA OCUPACIONAL

CONTRATAÇÃO DE TÉCNICOS ESPECIALIZADOS TERAPEUTA DA FALA TERAPEUTA OCUPACIONAL CONTRATAÇÃO DE TÉCNICOS ESPECIALIZADOS TERAPEUTA DA FALA TERAPEUTA OCUPACIONAL 1 - Abertura do concurso Ao abrigo do n. 3, do art.º 38, do Decreto-Lei n.º- 132/2012, de 27 de junho, com a nova redação

Leia mais

REDES E EQUIPAMENTOS ESTRUTURANTES NACIONAIS DE TRANSPORTES E MOBILIDADE SUSTENTÁVEL (FUNDO COESÃO)

REDES E EQUIPAMENTOS ESTRUTURANTES NACIONAIS DE TRANSPORTES E MOBILIDADE SUSTENTÁVEL (FUNDO COESÃO) CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS EIXO PRIORITÁRIO I REDES E EQUIPAMENTOS ESTRUTURANTES NACIONAIS DE TRANSPORTES E MOBILIDADE SUSTENTÁVEL (FUNDO COESÃO) DOMÍNIO DE INTERVENÇÃO REDES E EQUIPAMENTOS

Leia mais

Linha de Crédito Investe QREN. Apresentação a clientes

Linha de Crédito Investe QREN. Apresentação a clientes Linha de Crédito Investe QREN Linha de Crédito Bonificada com Garantia Mútua Apresentação a clientes UNIÃO EUROPEIA Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional Enquadramento Pretende-se com esta Linha beneficiar

Leia mais

FUNCIONAMENTO Sistema de apoio à compensação dos custos das empresas da Região Autónoma da Madeira

FUNCIONAMENTO Sistema de apoio à compensação dos custos das empresas da Região Autónoma da Madeira FUNCIONAMENTO 2020 Sistema de apoio à compensação dos custos das empresas da Região Autónoma da Madeira 08-07-2015 PROGRAMA OPERACIONAL MADEIRA 14-20 Eixo Prioritário 1 - Reforçar a investigação, o desenvolvimento

Leia mais

S.R. DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E EQUIPAMENTOS, S.R. DA SAÚDE, S.R. DO AMBIENTE E DO MAR Portaria n.º 74/2009 de 14 de Setembro de 2009

S.R. DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E EQUIPAMENTOS, S.R. DA SAÚDE, S.R. DO AMBIENTE E DO MAR Portaria n.º 74/2009 de 14 de Setembro de 2009 S.R. DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E EQUIPAMENTOS, S.R. DA SAÚDE, S.R. DO AMBIENTE E DO MAR Portaria n.º 74/2009 de 14 de Setembro de 2009 O Plano Estratégico de Gestão de Resíduos da Região Autónoma dos Açores,

Leia mais

O Mar no próximo QFP

O Mar no próximo QFP O Mar no próximo QFP 2014-2020 Fórum do Mar José Manuel Fernandes Deputado ao Parlamento Europeu Estratégia Europa 2020 A guia das próximas perspectivas financeiras Estratégia Europa 2020 2020 Crescimento

Leia mais