MICRORGANISMOS ASSOCIADOS A SEMENTES DE SOJA SUBMETIDAS AO ARMAZENAMENTO, À ASSEPSIA E À RETIRADA DE TEGUMENTO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MICRORGANISMOS ASSOCIADOS A SEMENTES DE SOJA SUBMETIDAS AO ARMAZENAMENTO, À ASSEPSIA E À RETIRADA DE TEGUMENTO"

Transcrição

1 MICRORGANISMOS ASSOCIADOS A SEMENTES DE SOJA SUBMETIDAS AO ARMAZENAMENTO, À ASSEPSIA E À RETIRADA DE TEGUMENTO RESUMO - Determinou-se a presença de microrganismos associados a sementes de soja (Glycine max (L.) Merrill), armazenadas durante oito meses nas temperaturas de 18 o C e 22 o C. As avaliações foram realizadas bimestralmente, sendo as sementes submetidas ou não ao processo de assepsia com hipoclorito de sódio, e retirada ou não do tegumento. Foram incubadas em papel de filtro e avaliadas no sétimo dia. Os microrganismos detectados foram: Fusarium spp., bactérias, Colletotrichum dematium var. ADILSON BIZZETTO 1 MARTIN HOMECHIN 2 truncata e Aspergillus spp.. Fusarium spp. teve sua incidência inalterada durante o período da avaliação, independente do tratamento adotado. Para bactérias, a assepsia com hipoclorito ou fungicidas favoreceu o desenvolvimento na superfície das sementes. Apesar do pequeno número de sementes infectadas por Colletotrichum dematium var. truncata e Aspergillus spp., esses foram considerados, devido à importância que ultimamente vêm adquirindo nas sementes de soja. TERMOS PARA INDEXAÇÃO: Colletotrichum spp., fungicida, Fusarium spp., Glycine max, microrganismos, soja. MICROORGANISMS ASSOCIATED TO SOYBEAN SEEDS SUBMITED TO STORAGE, ASSEPTIC TREATMENT AND TEGUMENT RETREAT ABSTRACT - In soybean seeds (Glycine max (L.) Merrill), kept in storaging during eight months under the temperature of 18 o C and 22 o C, it was determinated the presence of associated microorganisms. The evaluations were done each two months, with the seeds with or without the tegument and to sodium hipoclorine treatment. The seeds were incubated in filter paper and evaluated on the 7 th day. The microorganisms detected were: Fusarium spp., bacteria, Colletotrichum dematium var. truncata and Aspergillus spp. The Fusarium spp. incidence was inalterated during the evaluation period. For bacteria, the asseptic treatment with hipochlorine or fungicides favored its presence and development on the tegument surface. Although the number of seeds infected by Colletotrichum dematium var. truncata and Aspergillus spp. was reduced, these seeds were considered, due to its importance which has been related lately in soybean seeds. INDEX TERMS: Colletotrichum spp., fungicide, Fusarium spp., Glycine max, microorganisms, soybean. INTRODUÇÃO A soja (Glycine max (L.) Merrill) é afetada no campo por amplo número de doenças fúngicas, algumas bacterianas, além de viroses e nematóides (Henning, 1996). Grande número desses organismos utilizam a semente como principal veículo de disseminação e introdução em novas áreas de cultivo. Os patógenos Fusarium semitectum (seca da vagem), Colletotrichum truncatum (antracnose da soja), Peronospora manshurica (míldio), Rhizoctonia solani (rizoctoniose), Phomopsis sojae (queima da haste e da vagem) são disseminados pelas sementes (Henning, 1984 e Yorinori, 1986a). Temperatura e umidade elevadas durante a maturação e a colheita das sementes de soja podem favorecer a infecção de fungos, como Phomopsis spp. e Fusarium spp., principalmente F. semitectum (França Neto e Henning, 1984). Segundo Yorinori (1986b), a ocorrência de percevejos-sugadores (Euchistus heros, Nezara viridula e Piezodorus güildini) responsáveis por picadas e retardamento da colheita, auxiliam a infecção por Phomopsis spp., Fusarium spp. e Colletotrichum dematium var. truncata. De acordo com Menten e Bueno (1987), há relação entre a época de inoculação e a localização do patógeno nas diferentes partes das 1. Aluno do Curso de Agronomia da Universidade Estadual de Londrina (UEL), bolsista de Iniciação Científica do CNPq. 2. Eng. Agr.,Dr.,Prof. Adjunto do Departamento de Fitopatologia da UEL e orientador do trabalho, Caixa Postal 6001, CEP Londrina, PR, Brasil.

2 131 sementes, bem como da flora fúngica existente. Após a maturação, também há possibilidade de infecções durante os processos de secagem, trilha e armazenamento. Na avaliação sanitária de sementes, é recomendada a utilização de soluções desinfestantes, como de hipoclorito de sódio, para eliminar microrganismos saprofíticos que possam eventualmente influenciar o desenvolvimento de patógenos nas sementes. Saver e Burroughs (1984) verificaram aumento da eficiência de controle de Aspergillus spp. em sementes de trigo, com a redução do ph da solução de NaOCl de para 8, apesar da maior instabilidade da molécula. No método de papel de filtro, Henning (1996) postula a utilização de solução de hipoclorito de sódio a 1,05% (20 % do produto comercial QBoa ), com o objetivo de notificar os patógenos existentes nas sementes, sem a ocorrência de saprófitos. Henning e França Neto (1980) verificaram a erradicação de patógenos localizados internamente em sementes com elevados índices de danos mecânicos, provavelmente resultante da penetração do hipoclorito nas rachaduras existentes no tegumento. O presente trabalho visa a determinar a incidência de microrganismos em sementes com ou sem tegumento, submetidas ou não à assepsia superficial, no período de oito meses de armazenamento a 18 e 22 o C. MATERIAL E MÉTODOS Sementes da cultivar de soja Br-16, colhidas na safra agrícola 95/96 na região da Warta, Distrito de Londrina - PR, pela EMBRAPA-Soja, foram avaliadas bimestralmente quanto à sanidade, durante oito meses, sob duas temperaturas de armazenamento (18 e 22 o C), sendo a análise sanitária realizada no Laboratório de Fitopatologia da Universidade Estadual de Londrina. As sementes de soja foram acondicionadas em sacos de polipropileno. Quatro tratamentos, diferenciados pela adoção ou não de assepsia e/ou retirada de tegumento, foram representados por quatro repetições de 50 sementes, amostradas de frações armazenadas sob ambas temperaturas consideradas. O método de papel de filtro (Brasil, 1980) modificado foi adotado. Dez caixas plásticas previamente desinfestadas com solução de hipoclorito de sódio a 1,02 %, munidas de quatro folhas de papel de filtro umedecidas com água autoclavada, receberam 20 sementes cada, totalizando 200 sementes por tratamento em cada período de avaliação. As folhas de papel de filtro e água foram esterilizadas em autoclave a 120 o C por 20 e 60 minutos, respectivamente. Dispostas nos recipientes, as sementes foram incubadas por sete dias (Costa et al., 1992) em temperatura ambiente e ciclos alternativos de 12 horas de luz e 12 horas de escuro. Decorrido esse período, a leitura de microrganismos foi efetuada com auxílio de microscópio estereoscópico e binocular. Nos tratamentos com assepsia, as sementes foram imersas em solução de hipoclorito de sódio a 0,51 % durante um minuto. Nos tratamentos com sementes sem tegumento, a retirada manual dessa estrutura foi facilitada pela embebição daquelas em água esterilizada por 180 minutos. No oitavo mês de armazenamento, uma amostra adicional de 200 sementes foi tratada com fungicida thiabendazole na dosagem de 0,2 g i.a./kg de sementes, visando a determinar o controle do fungicida sobre os distintos microrganismos em relação à amostra não tratada. A influência isolada e das interações dos fatores: temperatura de armazenamento, assepsia e retirada de tegumento sobre o desenvolvimento de microrganismos nas sementes de soja, foram determinadas pelo teste de Tukey a 5 % de probabilidade. RESULTADOS E DISCUSSÃO Aos dois e seis meses de armazenamento, a redução significativa do número médio de sementes infectadas por Fusarium spp. nas sementes com assepsia, em relação às sem assepsia e nas sementes sem tegumento em relação às com tegumento (Tabela 1), ocorreu devido a menor infecção das sementes sem tegumento e com assepsia (Tabela 2), em relação aos demais tratamentos. O gênero Fusarium destacou-se pela infecção de grande número de sementes de soja (Tabela 1 e 2). Goulart, Paiva e Andrade (1995b) também detectaram alta freqüência, verificando Fusarium semitectum em 96,5 % dos lotes de sementes de soja amostrados e incidência média de 17,2 %. De acordo com esses autores, os locais de produção de sementes interferem na incidência de F. semitectum na soja. As temperaturas de armazenamento não reduziram significativamente Fusarium spp. nas sementes, apesar da menor freqüência no lote armazenado à temperatura de 22 o C (Tabela 1). A assepsia associada à retirada de tegumento e ao armazenamento em temperatura de 22 o C, proporcionaram menores infecções por Fusarium spp., principalmente nos seis primeiros meses. Nos demais tratamentos, a freqüência do fungo nas sementes manteve-se estável, sem diferenças estatísticas no decorrer do armazenamento (Tabela 2). Segundo Sisterna e Lori (1990), a manutenção da viabilidade do Fusarium spp. durante o armazenamento é influenciada pela localização interna nas sementes, sendo sua penetração facilitada por danos causados por percevejos. Para Henning e França Neto (1980), apesar de alguns autores o considerarem como parasita fraco ou saprófita, esse microrganismo pode promover diminuição nos percentuais de germinação em laboratório.

3 132 TABELA 1 - Número médio de sementes de soja da cv. Br-16 infectadas por Fusarium spp., armazenadas durante oito meses a 18 e 22 o C, em diferentes períodos de armazenamento, submetidas ou não à assepsia e retirada de tegumento, considerando-se a influência isolada dos diferentes fatores. UEL, Londrina - PR, Repetições Período de armazenamento(meses) 2 4 s 6 8 Com assepsia ab 1 89,5 aa 60,25 ab 62,5 aa Sem assepsia 4 122,25 aa 106,25 aa 97 aa 89,25 aa C.V. = 22,85 % Com tegumento aa 104 aa 98,25 aa 91,5 aa Sem tegumento 4 84,25 ab 91,75 aa 59 ab 60,25 ab C.V.= 20,52 % 18 0 C 4 104,25 aa 103,25 aa 96 aa 81 aa 22 0 C 4 92 aa 92,5 aa 61 ab 70,75 aa C.V.= 16,50 % 1 Letras maiúsculas de uma mesma coluna e letras minúsculas iguais de uma mesma linha, nos diferentes fatores considerados isoladamente, não apresentam diferenças estatísticas (Tukey, 5 %). 2 Número total médio de sementes infectadas de um total de 200 sementes. O tratamento com fungicida aplicado nas sementes reduziu esse patógeno, sem, entretanto, eliminar completamente o inóculo (Tabela 2). Resultados obtidos por Goulart, Paiva e Andrade (1995a) indicaram alta eficiência do fungicida thiabendazole no controle de Fusarium semitectum em sementes de soja, erradicando o patógeno. Os processos de assepsia e principalmente de retirada do tegumento favoreceram o desenvolvimento médio de bactérias, ao contrário das temperaturas de armazenamento, nas quais a população bacteriana não variou significativamente nos diferentes períodos considerados (Tabela 3). Na interação dos fatores assepsia, temperatura de armazenamento e retirada de tegumento, verificouse favorecimento do desenvolvimento das bactérias nas sementes sem tegumento, em ambas temperaturas. Isso ocorreu provavelmente não pela localização, mas em função das condições existentes. Na retirada do tegumento, quando as sementes foram imersas em água durante três horas, houve condições ideais para desenvolvimento desses organismos em relação aos fungos. Situação idêntica ocorreu nas sementes tratadas com fungicidas aos oito meses de armazenamento. A eliminação de competidores da bactéria promoveu aumento em relação às sementes não tratadas, independentemente das temperaturas de armazenamento (Tabela 4). Apesar de não observar diferenças significativas nos diferentes tratamentos, menor número de sementes foram infectadas por Colletotrichum dematium var. truncata, quando efetuada a assepsia e retirada de tegumento (Tabela 5). Para Ito e Tanaka (1993), a infecção das sementes por C. dematium var. truncata se restringe ao tegumento, localizando-se na camada intermediária da semente, que é rica em amido. O embrião normalmente não é colonizado, mas quando infectado, garante a sobrevivência do patógeno por período prolongado de tempo, principalmente nas sementes armazenadas a baixas temperaturas. Segundo Henning (1984), devido à baixa incidência desse agente em sementes, pouco se conhece a respeito das implicações que um lote com elevada incidência de Colletotrichum spp. pode causar, se fosse aprovado no teste de germinação. Sisterna e Lori (1990) destacaram que a manutenção de C. dematium var. truncata durante o armazenamento pode levar à redução do poder germinativo das

4 133 sementes. Esse fator é agravado pela constatação de Goulart (1991), que observou em condições de campo, percentagem de plântulas com sintomas de antracnose superior à percentagem de sementes infectadas com Colletotrichum dematium var. truncata, provavelmente atribuído a outras fontes de inóculo, como restos culturais. Poucas sementes foram afetadas por Colletotrichum dematium var. truncata, comparativamente aos demais microrganismos (Tabela 5). Em 142 amostras de lotes de sementes de soja, produzidas no Estado do Mato Grosso na safra 1992/93, Goulart, Paiva e Andrade (1995b) verificaram que a espécie Colletotrichum truncatum ocorreu em 45,1 % dos lotes, mas com incidência média de 1,8 %. TABELA 2 - Número de sementes de soja da cv. Br-16 infectadas por Fusarium spp., submetidas ao armazenamento a 18 e 22 o C, com ou sem tegumento e assepsia, a quatro períodos de armazenamento. UEL, Londrina - PR, Temperatura Média Fungicida 3 93 aa aa 90 aa 105 aa 97 A C 22 0 C c/tegumento 2 c/tegumento 68 aba 100 aa 61 aba 22 bb 62,75 A aa 112 aa 139 aa 105 aa 120 A aa 101 aa 94 aa 92 aa 104,75 A aa 111 aa 70 aa 70 aa 88 A 3 34 ab 47 ab 20 aa 53 aa 38,5 B aa 93 aa 94 aa 86 aa 100,75 A aa 119 aa 61 aa 74 aa 89,25 A 0 C. V. = 21,15 % 1 Letras maiúsculas de uma mesma coluna e letras minúsculas iguais de uma mesma linha, nos diferentes tratamentos das respectivas temperaturas, não apresentam diferenças estatísticas (Tukey, 5 %). 2 Número de sementes infectadas num total de 200 sementes. 3 de sementes com thiabendazole (0,2 g i.a./ Kg semente)

5 134 TABELA 3 - Número médio de sementes de soja da cv. Br-16 infectadas por Bactérias sp., armazenadas durante oito meses a 18 e 22 o C, submetidas ou não à assepsia e à retirada de tegumento, considerando a influência isolada dos diferentes fatores. UEL, Londrina - PR, Repetições Com assepsia 4 69,5 2 aa 1 81 aa 79,75 aa 64,5 aa Sem assepsia 4 60,75 aba 69 aa 59,75 abb 45,75 bb C.V.= 16,13 % Com tegumento 4 33,75 ab 32,5 ab 21 ab 19,25 ab Sem tegumento 4 96,5 bca 117,5 aba 118 aa 91 ca C.V.= 61,56 % 18 0 C 4 64,75 aba 75,25 aa 67,5 aba 53 ba 22 0 C 4 65,5 aa 74,75 aa 72 aa 57,25 aa C.V.= 11,28 % 1 Letras maiúsculas de uma mesma coluna e letras minúsculas de uma mesma linha iguais nos diferentes fatores considerados isoladamente, não apresentam diferenças estatísticas (Tukey, 5 %). 2 Número total médio de sementes infectadas num total de 200 sementes. O thiabendazole eliminou completamente Colletotrichum dematium var. truncata nos diferentes tratamentos, para sementes armazenadas a 22 o C, o mesmo não ocorrendo nas armazenadas a 18 o C (Tabela 5). Segundo França Neto e Henning (1992), o thiabendazole é eficiente no controle de Fusarium semitectum e Phomopsis spp., mas não para C. truncatum, e recomendam a utilização de outros fungicidas para lotes com incidência superior a 5 %. Goulart (1991) observou que os fungicidas tolyfluanid, benomyl, pencycuron + tolyfluanid foram eficientes no controle de Colletotrichum dematium var. truncata nas sementes de soja, apesar de não erradicá-lo. A baixa infecção de Aspergillus spp. nas sementes e a alta variação estatística limitaram a determinação da influência dos fatores considerados isoladamente (Tabela 06). Segundo Dhingra, Nicholson e Sinclair (1967), a presença de Aspergillus spp., notadamente de A. flavus é melhor notificada quando as sementes de soja são submetidas a temperatura que oscilam de 30 o C a 35 o C de incubação. Em ambas as temperaturas de armazenamento, o número de sementes infectadas com Aspergillus spp. aumentou ao longo dos meses (Tabela 6). Christensen e Dorworth (1966) notificaram maior ocorrência de Aspergillus spp. nas sementes armazenadas a 25 o C, em comparação às armazenadas a 20 o C e a 5 o C. Quanto à localização, Pereira et al. (1994) detectaram pelo método de papel de filtro, maior percentual de Aspergillus spp. em relação ao método de incubação em meio ágarsalino, sendo este mais eficiente na detecção de microrganismos localizados internamente nas sementes, sugerindo a localização nas camadas mais superficiais. Em sementes de soja com 10,9 % de incidência de A. flavus, Dhingra, Nicholson e Sinclair (1967) verificaram que 1,4 % estavam localizados internamente e 9,5 % externamente. Maior número de sementes infectadas por Aspergillus spp. foi verificado após oito meses de armazenamento, entretanto, o tratamento com thiabendazole proporcionou eficiente controle (Tabela 7). Embora em baixa incidência, Aspergillus spp., principalmente

6 135 Aspergillus flavus, tem provocado deterioração das sementes com perda de matéria seca e de coloração (É verão, 1995), além de produzir micotoxinas, responsáveis por alterações histológicas em animais e de efeito teratogênico (Wogan, 1966). Dhingra, Nicholson e Sinclair (1967) verificaram que Aspergillus flavus reduz a viabilidade da soja, principalmente em temperaturas de incubação mais elevadas (30 o C- 35 o C), nas quais as reduções de germinação e tamanho dos cotilédones das plântulas são mais evidentes. Lotes de sementes de soja descartados e amostrados por Pereira et al. (1994) atingiram índices de infecção de 81% com Aspergillus flavus. Apesar da estreita relação observada entre os fungos de armazenamento e a baixa germinação dos lotes, foi constatado que Aspergillus spp. não foi a causa principal da baixa qualidade das sementes. TABELA 4 - Número de sementes de soja da cv. Br-16 infectadas por Bactérias sp., com ou sem tegumento e assepsia, em quatro períodos de armazenamento nas temperaturas de 18 e 22 o C. UEL, Londrina - PR, Temperatura Média Fungicida 3 c/tegumento 2 27 b 1 32 b 35 b 16 b 27,5 B C 22 0 C c/tegumento 105 a 130 a 119 a 104 a 114,5 A b 27 b 9 b 11 b 19 B a 112 a 107 a 81 a 99,5 A b 38 b 32 b 40 b 36,5 B a 124 a 133 a 98 a 116,25 A a 33 b 10 b 10 b 24 B a 104 a 113 a 81 a 92,75 A 137 C. V. = 16,19 % 1 Letras minúsculas e maiúsculas iguais, nas colunas nos diferentes tratamentos, não apresentam diferenças estatísticas (Tukey, 5 %). 2 Número de sementes infectadas num total de 200 sementes. 3 de sementes com thiabendazole (0,2 g i.a./ Kg semente)

7 136 TABELA 5 - Número de sementes de soja da cv. Br-16 infectadas por Colletotrichum dematium var. truncata, com ou sem tegumento e assepsia, em quatro períodos de armazenamento nas temperaturas de 18 e 22 o C. UEL, Londrina - PR, Temperatura Média Fungicida 3 c/tegumento aa 3 aa 4 aa 1 aa 4,25 A C 1 aa 1 aa 1 aa 0 aa 0,75 A 0 13 aa 17 aa 5 aa 5 aa 10 A 3 4 aa 1 aa 8 aa 10 aa 5,75 A 1 c/tegumento 7 aa 2 aa 4 aa 4 aa 4,25 A C 0 aa 0 aa 0 aa 0 aa 0 A 0 5 aa 12 aa 8 aa 5 aa 9,25 A 0 2 ba 30 aa 2 ba 3 ba 7,5 A 0 C. V. = 10,53 % 1 Letras maiúsculas de uma mesma coluna e letras minúsculas iguais de uma mesma linha, nos diferentes tratamentos das respectivas temperaturas, não apresentam diferenças estatísticas (Tukey, 5 %). 2 Número de sementes infectadas num total de 200 sementes. 3 de sementes com thiabendazole (0,2 g i.a./ Kg semente)

8 137 TABELA 6 - Número médio de sementes de soja da cv. Br-16 infectadas por Aspergillus spp., armazenadas durante oito meses a 18 e 22 o C, submetidas ou não à assepsia e à retirada de tegumento, considerando-se a influência isolada dos diferentes fatores. UEL, Londrina - PR, Repetições Com assepsia 4 0,5 2 ba 1 0,5 ba 1 bb 16,25 aa Sem assepsia 4 1,25 ba 1,75 ba 9,25 aba 15,5 aa C.V.= 112 % Com tegumento 4 1 ba 2 ba 3,75 ba 14 aa Sem tegumento 4 0,75 ba 0,25 ba 6,5 ba 17,75 aa C.V.= 108 % 18 0 C 4 1 ba 1,75 ba 3,25 ba 13,5 aa 22 0 C 4 0,75 ba 0,50 ba 7 ba 18,25 aa C.V.= 109,2 % 1 Letras maiúsculas de uma mesma coluna e letras minúsculas iguais de uma mesma linha, nos diferentes fatores considerados isoladamente, não apresentam diferenças estatísticas (Tukey, 5 %). 2 Número total médio de sementes infectadas num total de 200 sementes. CONCLUSÕES a) Em sementes desprovidas do tegumento, a assepsia reduz a incidência de Fusarium spp; b) O fungicida thiabendazole, aplicado em sementes de soja, controla eficientemente Fusarium spp. e Aspergillus spp., porém com pouca eficiência no controle de Colletotrichum dematium var. truncata; c) A retirada de tegumento e/ou o tratamento das sementes com o fungicida thiabendazole favorece o desenvolvimento das bactérias em sementes de soja; d) Temperaturas de armazenamento de 18 O C e 22 O C não interferem significativamente no número de sementes infectadas com Fusarium spp., Colletotrichum dematium var. truncata, Bactérias sp. e Aspergillus spp. e) A assepsia e retirada de tegumento não reduz o número de sementes infectadas com Colletotrichum dematium var. truncata. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BRASIL. Ministério da Agricultura. Departamento Nacional de Produção Vegetal. Regras para análise de sementes. Brasília, p. CHRISTENSEN, C.M.; DORWORTH, C.E.. Influence of moisture content, and time on invasion of soybeans by storage fungi. Phytopathology, St. Paul, v.56, p , 1966.

9 138 TABELA 7 - Número médio de sementes de soja da cv. Br-16 infectadas com Aspergillus spp., com ou sem tegumento e assepsia, a quatro períodos de armazenamento, nas temperaturas de 18 e 22 o C. UEL, Londrina- PR, Temperatura Média Fungicida 3 c/tegumento aa 1 aa 0 aa 9 aa 2,5 A C 1 ba 1 ba 1 ba 24 aa 6,75 A 0 2 aa 5 aa 6 aa 11 aa 6 A 2 1 aa 0 aa 6 aa 10 ab 4,25 A 0 c/tegumento 0 ba 0 ba 2 ba 19 aa 5,25 A C 1 aa 0 aa 1 aa 13 aa 3,75 A 0 2 aa 2 aa 7 aa 17 aa 7 A 4 0 ba 0 ba 18 aa 24 aa 10,5 A 2 C. V. = 73,27 % 1 Letras maiúsculas de uma mesma coluna e letras minúsculas iguais uma mesma linha, nos diferentes tratamentos das respectivas temperaturas, não apresentam diferenças estatísticas (Tukey, 5 %). 2 Número de sementes infectadas num total de 200 sementes. 3 de sementes com thiabendazole (0,2 g i.a./ Kg semente)

10 139 COSTA, N.P. da, PEREIRA, L.A.G., FRANÇA NETO, J. de B.; HENNING, A.A. Zoneamento ecológico do Estado do Paraná para a produção de sementes de cultivares precoces de soja.. Londrina: EMBRAPA-CNPSo, p. (EMBRAPA- CNPSo. Boletim de Pesquisa, 2). DHINGRA, O.D., NICHOLSON, J.F.; SINCLAIR, J.B. Influence of temperature on recovery of Aspergillus flavus from soybean seed. Phytopathology, Belltsvile, v.57, p , FRANÇA NETO, J de B.; HENNING, A.A. Qualidades fisiológica e sanitária de sementes de soja. Londrina : EMBRAPA-CNPSo, p. (EMBRAPA-CNPSo. Circular Técnica, 9). FRANÇA NETO, J. de B.; HENNING, A.A. Diacom: diagnóstico completo da qualidade da semente de soja. Londrina: EMBRAPA-CNPSo, p. (EMBRAPA-CNPSo. Circular Técnica, 10). GOULART, A.C.P. Eficiência do tratamento químico das sementes de soja no controle de Colletotrichum dematium var. truncata. Revista Brasileira de Sementes, Brasília, v.13, n.1, p. 1-4, jan./ jun GOULART, A.C.P., PAIVA, F de A.; ANDRADE, P. J. M. Controle de fungos em sementes de soja (Glycine max ) pelo tratamento com fungicidas. Summa Phytopathologica, Jaguariúna, v.21, n. 3/4, p , 1995a. GOULART, A.C.P., PAIVA, F. de A.; ANDRADE, P.J.M. Qualidade sanitária de sementes de soja produzidas no Mato Grosso do Sul. Revista Brasileira de Sementes, Brasília, v.17, n.1, p.42-46, jan/ jun 1995b. HENNING, A.A.; FRANÇA NETO, J.B. Problemas na avaliação de germinação de sementes de soja com alta incidência de Phomopsis sp. Revista Brasileira de Sementes, Brasília, v.2, n. 3, p. 9-22, mar HENNING, A.A. Qualidade sanitária da semente. In: FRANÇA NETO, J. de B. & HENNING, A. A. Qualidade fisiológica e sanitária de sementes de soja. EMBRAPA-CNPSo (EMBRAPA- CNPSo. Circular Técnica, 9). HENNING, A.A. Patologia de sementes. Londrina. EMBRAPA-CNPSo p. (EMBRAPA- CNPSo. Documentos, 90). ITO, M.F.; TANAKA, M.A. de S. Soja: principais doenças causadas por fungos, bactérias e nematóides. Campinas: Fundação Cargill, p. MENTEN, J.O.M.; BUENO, J.T.. Transmissão de patógenos pelas sementes. In: SOAVE, J. & WETZEL, M.M.V.S.. Patologia de Sementes. Campinas: Fundação Cargill, Cap. 7, p PEREIRA, G.F.A., MACHADO, J.C., SILVA, R.L.X. da; OLIVEIRA, S.M.A. de. Fungos de armazenamento em lotes de sementes de soja descartados no Estado de Minas Gerais na safra 1989/90. Revista Brasileira de Sementes, Brasília, v.16, n.2, p , jul/dez SAVER, D.B.; BURROUGHS, R. Desinfection of seedsurfaces with sodium hipochlorite. Phytopathology, St. Paul, v. 74, n. 7, p. 879, SISTERNA, M.N.; LORI, G.A. Logevidad y efecto de lo hongos patogenos de semillas de soja. Fitopatologia Brasileira, Brasília, v. 15, p , É VERÃO. Cuidado com as rações. Avicultura Ciência & Tecnologia, Campinas, v.3, n. 14, p.12-13, maio YORINORI, J.T. Doenças de soja no Brasil. In: Fundação Cargill. A Soja no Brasil Central. 3. ed, Campinas, 1986a. v.1, cap. 8, 444 p. YORINORI, J. T. Inspeção de campo visando sanidade de sementes de soja. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PATOLOGIA DE SEMENTES, 2., Campinas. Resumos Campinas: Fundação Cargill, 1986b, p WOGAN, G.N. Chemical nature and biological effects of the aflatoxins. Bacteriological Reviews, v. 30, n.2, p , 1966.

DETERMINAÇÃO DA QUALIDADE SANITÁRIA DAS SEMENTES DE SOJA COLHIDAS NA SAFRA 2014/15. Ademir Assis Henning Embrapa Soja

DETERMINAÇÃO DA QUALIDADE SANITÁRIA DAS SEMENTES DE SOJA COLHIDAS NA SAFRA 2014/15. Ademir Assis Henning Embrapa Soja DETERMINAÇÃO DA QUALIDADE SANITÁRIA DAS SEMENTES DE SOJA COLHIDAS NA SAFRA 2014/15 Ademir Assis Henning Embrapa Soja OBJETIVO Determinar a qualidade sanitária da semente de soja produzida no Brasil, quanto

Leia mais

INCIDÊNCIA DE FUNGOS ASSOCIADOS A SEMENTES DE SOJA TRANSGÊNICA VARIEDADE BRS VALIOSA RR

INCIDÊNCIA DE FUNGOS ASSOCIADOS A SEMENTES DE SOJA TRANSGÊNICA VARIEDADE BRS VALIOSA RR 52 INCIDÊNCIA DE FUNGOS ASSOCIADOS A SEMENTES DE SOJA TRANSGÊNICA VARIEDADE BRS VALIOSA RR Thatyane Pereira de Sousa¹; Ivaneide Oliveira Nascimento²; Claudio Belmino Maia²; Joacir Morais 1 ; Gustavo de

Leia mais

Efeito da aplicação de fungicidas e da época de colheita na qualidade sanitária de sementes de soja

Efeito da aplicação de fungicidas e da época de colheita na qualidade sanitária de sementes de soja Efeito da aplicação de fungicidas e da época de colheita na qualidade sanitária de sementes de soja Hélio Bandeira Barros 1, Tuneo Sediyama 1, Mucio Silva Reis 1 e Paulo Roberto Cecon 2 1 Departamento

Leia mais

CONTROLE DE TOMBAMENTO DE PLÂNTULAS E MELA DO ALGODOEIRO NO OESTE DA BAHIA

CONTROLE DE TOMBAMENTO DE PLÂNTULAS E MELA DO ALGODOEIRO NO OESTE DA BAHIA Página 354 CONTROLE DE TOMBAMENTO DE PLÂNTULAS E MELA DO ALGODOEIRO NO OESTE DA BAHIA Luiz Gonzaga Chitarra 1 ; Cleiton Antônio da Silva Barbosa 2; Benedito de Oliveira Santana Filho 2 ; Pedro Brugnera

Leia mais

Envelhecimento acelerado e ocorrência de fungos em duas cultivares de soja. Accelerated aging test and occurrence of fungi in two soybean cultivars

Envelhecimento acelerado e ocorrência de fungos em duas cultivares de soja. Accelerated aging test and occurrence of fungi in two soybean cultivars Envelhecimento acelerado e ocorrência de fungos em duas cultivares de soja Accelerated aging test and occurrence of fungi in two soybean cultivars Tereza Cristina de Carvalho 1* ; Ana Dionisia da Luz Coelho

Leia mais

143 - QUALIDADE DE SEMENTES DE CEBOLA CULTIVAR BAIA PRODUZIDAS SOB SISTEMA AGROECOLÓGICO E AVALIAÇÃO DAS MUDAS RESULTANTES

143 - QUALIDADE DE SEMENTES DE CEBOLA CULTIVAR BAIA PRODUZIDAS SOB SISTEMA AGROECOLÓGICO E AVALIAÇÃO DAS MUDAS RESULTANTES Manejo de Agroecosistemas Sustentaveis Monferrer 143 - QUALIDADE DE SEMENTES DE CEBOLA CULTIVAR BAIA PRODUZIDAS SOB SISTEMA AGROECOLÓGICO E AVALIAÇÃO DAS MUDAS RESULTANTES RESUMO Dércio Dutra 1 ; Derblai

Leia mais

ARMAZENAMENTO E SANIDADE DE SEMENTES DE SOJA SOBREVIVÊNCIA DE PATÓGENOS ASSOCIADOS A SEMENTES DE SOJA ARMAZENADAS DURANTE SEIS MESES 1

ARMAZENAMENTO E SANIDADE DE SEMENTES DE SOJA SOBREVIVÊNCIA DE PATÓGENOS ASSOCIADOS A SEMENTES DE SOJA ARMAZENADAS DURANTE SEIS MESES 1 25 NOTA CIENTÍFICA SOBREVIVÊNCIA DE PATÓGENOS ASSOCIADOS A SEMENTES DE SOJA ARMAZENADAS DURANTE SEIS MESES 1 JULIANA ALTAFIN GALLI 2, RITA DE CÁSSIA PANIZI 3, ROBERVAL DAITON VIEIRA 4 RESUMO - Sementes

Leia mais

LONGEVIDADE DE SEMENTES DE Crotalaria juncea L. e Crotalaria spectabilis Roth EM CONDIÇÕES NATURAIS DE ARMAZENAMENTO

LONGEVIDADE DE SEMENTES DE Crotalaria juncea L. e Crotalaria spectabilis Roth EM CONDIÇÕES NATURAIS DE ARMAZENAMENTO LONGEVIDADE DE SEMENTES DE Crotalaria juncea L. e Crotalaria spectabilis Roth EM CONDIÇÕES NATURAIS DE ARMAZENAMENTO Odilon Peixoto de Morais Júnior 1, Vladimir Sperandio Porto 1, Daniela Cleide Azevedo

Leia mais

AVALIAÇÃO SANITÁRIA DE CULTIVARES DE MILHO CRIOULO ARMAZENADAS EM AMBIENTE NÃO CONTROLADO 1

AVALIAÇÃO SANITÁRIA DE CULTIVARES DE MILHO CRIOULO ARMAZENADAS EM AMBIENTE NÃO CONTROLADO 1 AVALIAÇÃO SANITÁRIA DE CULTIVARES DE MILHO CRIOULO ARMAZENADAS EM AMBIENTE NÃO CONTROLADO 1 NOAL, Gisele 2 ; MUNIZ, Marlove 3 ; BOVOLINI, Marciéli 4 ; MACIEL, Caciara 5 ; DEPRÁ, Marta 6 ; MIGLIORINI, Patrícia

Leia mais

TESTE DE CONDUTIVIDADE ELÉTRICA INDIVIDUAL NA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MAMONA*

TESTE DE CONDUTIVIDADE ELÉTRICA INDIVIDUAL NA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MAMONA* TESTE DE CONDUTIVIDADE ELÉTRICA INDIVIDUAL NA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MAMONA* Luciana Aparecida de Souza 1, Maria Laene Moreira de Carvalho 1, Carla Massimo Caldeira 1 Ayssa Baldoni

Leia mais

PATOLOGIA EM SEMENTES DE SOJA

PATOLOGIA EM SEMENTES DE SOJA PATOLOGIA EM SEMENTES DE SOJA JOSIANE MARTINS CASTANHO: Estudante de Engenharia Agronômica pela FABIO ALVES DE SOUSA: Estudante de Engenharia Agronômica pela FRANCISCO DE ASSIS OLIVEIRA: Estudante de Engenharia

Leia mais

EFEITO DE FUNGICIDAS APLICADOS NAS SEMENTES, NA EMERGÊNCIA DE PLÂNTULAS DE ERVA-MATE (Ilex paraguariensis St. Hil.) RESUMO

EFEITO DE FUNGICIDAS APLICADOS NAS SEMENTES, NA EMERGÊNCIA DE PLÂNTULAS DE ERVA-MATE (Ilex paraguariensis St. Hil.) RESUMO EFEITO DE FUNGICIDAS APLICADOS NAS SEMENTES, NA EMERGÊNCIA DE PLÂNTULAS DE ERVA-MATE (Ilex paraguariensis St. Hil.) Albino Grigoletti Júnior * Ayrton Zanon ** Celso Garcia Auer *** João Antonio Pereira

Leia mais

Qualidade Sanitária de Sementes de Soja de Diferentes Cultivares Introduzidos para Cultivo em Sergipe. 73 ISSN Dezembro, 2012

Qualidade Sanitária de Sementes de Soja de Diferentes Cultivares Introduzidos para Cultivo em Sergipe. 73 ISSN Dezembro, 2012 Qualidade Sanitária de Sementes de Soja de Diferentes Cultivares Introduzidos para Cultivo em Sergipe 73 ISSN 1678-1961 Dezembro, 2012 ISSN 1678-1961 Dezembro, 2012 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

Leia mais

SEVERIDADE DE Cercospora sojina HARA EM SOJA TRANSGÊNICA BRS VALIOSA RR NO ESTADO DO MARANHÃO, SOB DIFERENTES DOSAGENS DE AGROSILÍCIO

SEVERIDADE DE Cercospora sojina HARA EM SOJA TRANSGÊNICA BRS VALIOSA RR NO ESTADO DO MARANHÃO, SOB DIFERENTES DOSAGENS DE AGROSILÍCIO 06 SEVERIDADE DE Cercospora sojina HARA EM SOJA TRANSGÊNICA BRS VALIOSA RR NO ESTADO DO MARANHÃO, SOB DIFERENTES DOSAGENS DE AGROSILÍCIO Thatyane Pereira de Sousa¹; Ivaneide Oliveira Nascimento²; Claudio

Leia mais

TRATAMENTO DE SEMENTES DE SOJA NO CONTROLE DA ANTRACNOSE EM CONDIÇÕES A CAMPO.

TRATAMENTO DE SEMENTES DE SOJA NO CONTROLE DA ANTRACNOSE EM CONDIÇÕES A CAMPO. TRATAMENTO DE SEMENTES DE SOJA NO CONTROLE DA ANTRACNOSE EM CONDIÇÕES A CAMPO. Carmo Guilherme Giebelmeier 1, Saulo Mendes 1, Marcos Antônio Marchioro Júnior 1, Amanda Nogueira de Albuquerque 2, Daiane

Leia mais

INFLUÊNCIA DO BENEFICIAMENTO DE SEMENTES DE SOJA NA QUALIDADE FÍSICA, FISIOLÓGICA E SANITÁRIA VISANDO CONTROLE DE MOFO-BRANCO

INFLUÊNCIA DO BENEFICIAMENTO DE SEMENTES DE SOJA NA QUALIDADE FÍSICA, FISIOLÓGICA E SANITÁRIA VISANDO CONTROLE DE MOFO-BRANCO INFLUÊNCIA DO BENEFICIAMENTO DE SEMENTES DE SOJA NA QUALIDADE FÍSICA, FISIOLÓGICA E SANITÁRIA VISANDO CONTROLE DE MOFO-BRANCO Héria de Freitas TELES, Larissa Leandro PIRES, Marcos Gomes da CUNHA, Guilherme

Leia mais

QUALIDADE DE SEMENTES DE CULTIVARES PRECOCES DE SOJA PRODUZIDAS EM TRÊS ÉPOCAS 1

QUALIDADE DE SEMENTES DE CULTIVARES PRECOCES DE SOJA PRODUZIDAS EM TRÊS ÉPOCAS 1 QUALIDADE DE SEMENTES DE CULTIVARES PRECOCES 1653 QUALIDADE DE SEMENTES DE CULTIVARES PRECOCES DE SOJA PRODUZIDAS EM TRÊS ÉPOCAS 1 ELAINY BOTELHO CARVALHO PEREIRA 2, AILTON VITOR PEREIRA 3 e ANTÔNIO CARLOS

Leia mais

LEVANTAMENTO DA OCORRÊNCIA DE DOENÇAS DA SOJA EM MATO GROSSO DO SUL, EM QUATRO SAFRAS: 1996/1997 A 1999/2000

LEVANTAMENTO DA OCORRÊNCIA DE DOENÇAS DA SOJA EM MATO GROSSO DO SUL, EM QUATRO SAFRAS: 1996/1997 A 1999/2000 ISSN 1516-8441 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro de Pesquisa Agropecuária do Oeste Ministério da Agricultura e do Abastecimento BR 163, km 253,6 - Trecho Dourados-Caarapó km 5 Caixa Postal

Leia mais

o tratamento de sementes constitui uma das maneiras mais

o tratamento de sementes constitui uma das maneiras mais Efeito de Fungicidas no Controle "In Vitro" e "In Vivo" de Bipolaris sorokiniana e de Fusarium graminearum Picinini, E.C. 1 ; Fernandes, J.M.C. 1 Introdução o tratamento de sementes constitui uma das maneiras

Leia mais

QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MAMONA (Ricinus communis L.) CULTIVAR NORDESTINA, SOB DIFERENTES CONDIÇÕES DE ARMAZENAMENTO.

QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MAMONA (Ricinus communis L.) CULTIVAR NORDESTINA, SOB DIFERENTES CONDIÇÕES DE ARMAZENAMENTO. QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MAMONA (Ricinus communis L.) CULTIVAR NORDESTINA, SOB DIFERENTES CONDIÇÕES DE ARMAZENAMENTO. Andréa dos Santos Oliveira, Renata Silva-Mann, Michelle da Fonseca Santos,

Leia mais

ATIVIDADE ANTIFÚNGICA DO ÓLEO DE Carapa guianensis EM SEMENTES DE Bauhinia variegata

ATIVIDADE ANTIFÚNGICA DO ÓLEO DE Carapa guianensis EM SEMENTES DE Bauhinia variegata ATIVIDADE ANTIFÚNGICA DO ÓLEO DE Carapa guianensis EM SEMENTES DE Bauhinia variegata Larissa Cavalcante Almeida 1, Rommel dos Santos Siqueira Gomes 1, Carolline Vargas e Silva 1, Marciano Costa Nunes 1,

Leia mais

QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES COMERCIAIS DE HELIANTHUS ANNUUS L. Apresentação: Pôster

QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES COMERCIAIS DE HELIANTHUS ANNUUS L. Apresentação: Pôster QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES COMERCIAIS DE HELIANTHUS ANNUUS L. Apresentação: Pôster Roberta Maria Ferreira Paes 1 ; Douglas Oliveira Santos 2 ; Paulo Sergio da Silva 3 ; Denise de Santana Silva 4 ;

Leia mais

TRATAMENTO DE SEMENTES DE SOJA COM FUNGICIDAS

TRATAMENTO DE SEMENTES DE SOJA COM FUNGICIDAS TRATAMENTO DE SEMENTES DE SOJA COM FUNGICIDAS Augusto César Pereira Goulart, Eng. Agr. M.Sc. Fitopatologia/Patologia de Sementes Embrapa Agropecuária Oeste, C.P. 661 Dourados, MS. CEP: 79.804-970 e-mail:

Leia mais

SANIDADE DE SEMENTES DE SOJA SUBMETIDA A DIFERENTES TRATAMENTOS

SANIDADE DE SEMENTES DE SOJA SUBMETIDA A DIFERENTES TRATAMENTOS SANIDADE DE SEMENTES DE SOJA SUBMETIDA A DIFERENTES TRATAMENTOS Gean Marcos Merten (1); Eliandro Rossoni (2) ; Thiago Frank (3) ; Wanderlei Lulu Gaias (4) e Márcia de Holanda Nozaki (5) ; Eduardo Rodrigo

Leia mais

INCIDÊNCIA DE CERCOSPORA SOJINA HARA EM CULTIVARES DE SOJA (*)

INCIDÊNCIA DE CERCOSPORA SOJINA HARA EM CULTIVARES DE SOJA (*) INCIDÊNCIA DE CERCOSPORA SOJINA HARA EM CULTIVARES DE SOJA (*) MARGARIDA FUMIK.O ITO ( 2 > 5 ), MANOEL ALBINO COELHO DE MIRANDA ( 3-5 ), CHRISTINA DUDIENAS ( 2 >, JOSÉ CARLOS VILA NOVA ALVES PEREIRA (

Leia mais

Restos Vegetais da Mangueira e Sua Importância como Fonte de Inóculo em Diferentes Sistemas de Manejo

Restos Vegetais da Mangueira e Sua Importância como Fonte de Inóculo em Diferentes Sistemas de Manejo 114 Restos Vegetais da Mangueira e sua Importância como Fonte de Inóculo em Restos Vegetais da Mangueira e Sua Importância como Fonte de Inóculo em Diferentes Sistemas de Manejo Mango Debris and Their

Leia mais

MÉTODOS DE DETECÇÃO DE PATÓGENOS EM SEMENTES. Maria Heloisa D. Moraes; J.O.M. Menten

MÉTODOS DE DETECÇÃO DE PATÓGENOS EM SEMENTES. Maria Heloisa D. Moraes; J.O.M. Menten MÉTODOS DE DETECÇÃO DE PATÓGENOS EM SEMENTES Maria Heloisa D. Moraes; J.O.M. Menten LABORATÓRIO DE PATOLOGIA DE SEMENTES DEPARTAMENTO DE FITOPATOLOGIA E NEMATOLOGIA ESALQ/USP LFT 5770-5 / 2015 MICRORGANISMOS

Leia mais

Ensaios e Ciência: Ciências Biológicas, Agrárias e da Saúde ISSN: Universidade Anhanguera Brasil

Ensaios e Ciência: Ciências Biológicas, Agrárias e da Saúde ISSN: Universidade Anhanguera Brasil Ensaios e Ciência: Ciências Biológicas, Agrárias e da Saúde ISSN: 1415-6938 editora@uniderp.br Universidade Anhanguera Brasil Scheeren, Bruno Ricardo; Arrabal Arias, Edison Rubens; Salomão Arias, Sônia

Leia mais

LEVANTAMENTO POPULACIONAL DE FUNGOS EM SEMENTES DE ALFAVACA

LEVANTAMENTO POPULACIONAL DE FUNGOS EM SEMENTES DE ALFAVACA SILVA DB; SANTOS PCM; MONTEIRO Levantamento TMA; SILVA populacional DEM; FRANÇA de fungos SKS; SILVA em sementes CS; OLIVEIRA de alfavaca FC; FREITAS JMN. 2008. Levantamento populacional de fungos em sementes

Leia mais

EFEITO DO TIPO DE SUBSTRATO NA GERMINAÇÃO E VIGOR DE SEMENTES DE AMENDOIM (Arachis hypogaea L.)

EFEITO DO TIPO DE SUBSTRATO NA GERMINAÇÃO E VIGOR DE SEMENTES DE AMENDOIM (Arachis hypogaea L.) EFEITO DO TIPO DE SUBSTRATO NA GERMINAÇÃO E VIGOR DE SEMENTES DE AMENDOIM (Arachis hypogaea L.) Reynaldo de Mello Torres Docente da Faculdade de Agronomia e Engenharia Florestal de Garça SP. Dagoberto

Leia mais

UNIFORMIZANDO A GERMINAÇÃO NA CULTURA DO CRAMBE (Crambe. abyssinica)

UNIFORMIZANDO A GERMINAÇÃO NA CULTURA DO CRAMBE (Crambe. abyssinica) UNIFORMIZANDO A GERMINAÇÃO NA CULTURA DO CRAMBE ( abyssinica) A busca por novas fontes alternativas de combustíveis tem despertado o interesse de agricultores para o cultivo de plantas com características

Leia mais

Qualidade Sanitária de Sementes de Pau-cigarra (Senna multijuga)

Qualidade Sanitária de Sementes de Pau-cigarra (Senna multijuga) Qualidade Sanitária de Sementes de Pau-cigarra (Senna multijuga) Vanessa Sperandio Schultz 1 Álvaro Figueredo dos Santos 2 Antonio Carlos Souza Medeiros 3. RESUMO Com o objetivo de se determinar a incidência

Leia mais

Qualidade física e sanitária de grãos de milho produzidos em Mato Grosso

Qualidade física e sanitária de grãos de milho produzidos em Mato Grosso Qualidade física e sanitária de grãos de milho produzidos em Mato Grosso Larissa Fatarelli Bento 1, Maria Aparecida Braga Caneppele 2, Carlos Caneppele 2, Larissa Duarte Gonçalves da Silva 3, Valéria Oda

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO FACULDADE DE AGRONOMIA E ZOOTECNIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRICULTURA TROPICAL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO FACULDADE DE AGRONOMIA E ZOOTECNIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRICULTURA TROPICAL PLANO DE ENSINO 1) IDENTIFICAÇÃO Disciplina: Patologia de Sementes Carga Horária: 40 h Professores: Leimi Kobayasti Departamento de Origem: DFF 2) EMENTA Código da Disciplina: Período Letivo: Curso: Mestrado

Leia mais

SEMEADURA DA SOJA NO PERÍODO DE SAFRINHA: POTENCIAL FISIOLÓGICO E SANIDADE DAS SEMENTES 1

SEMEADURA DA SOJA NO PERÍODO DE SAFRINHA: POTENCIAL FISIOLÓGICO E SANIDADE DAS SEMENTES 1 76 SEMEADURA DA SOJA NO PERÍODO DE SAFRINHA: POTENCIAL FISIOLÓGICO E SANIDADE DAS SEMENTES 1 ALESSANDRO DE LUCCA E BRACCINI 2, IVO DE SÁ MOTTA 3, CARLOS ALBERTO SCAPIM 2, MARIA DO CARMO LANA BRACCINI 4,

Leia mais

Palavras-chave: soja, sementes, retardamento da colheita, qualidade fisiológica. Key words: soybean, seed, delayed harvest, physiological quality.

Palavras-chave: soja, sementes, retardamento da colheita, qualidade fisiológica. Key words: soybean, seed, delayed harvest, physiological quality. Qualidade fisiológica e sanitária das sementes de quinze cultivares de soja (Glycine max (L.) Merrill) colhidas na época normal e após o retardamento da colheita Alessandro de Lucca e Braccini*, Leandro

Leia mais

QUALIDADE FISIOLÓGICA, FÍSICA E SANITÁRIA DE SEMENTES DE SOJA PRODUZIDAS NO BRASIL 1

QUALIDADE FISIOLÓGICA, FÍSICA E SANITÁRIA DE SEMENTES DE SOJA PRODUZIDAS NO BRASIL 1 128 QUALIDADE FISIOLÓGICA, FÍSICA E SANITÁRIA DE SEMENTES DE SOJA PRODUZIDAS NO BRASIL 1 NILTON PEREIRA DA COSTA 2, CEZAR DE MELLO MESQUITA 2, ANTONINHO CARLOS MAURINA 3, JOSÉ DE BARROS FRANÇA NETO 2,

Leia mais

Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento174

Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento174 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Clima Temperado Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento ISSN 1678-2518 Outubro, 2014 Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento174 Resfriamento

Leia mais

28/01/2013. Profª Marcela Carlota Nery. Processo progressivo e irreversível. Respiração. Alterações na atividade enzimática

28/01/2013. Profª Marcela Carlota Nery. Processo progressivo e irreversível. Respiração. Alterações na atividade enzimática Deterioração e vigor Profª Marcela Carlota Nery Deterioração Processo progressivo e irreversível Respiração Alterações na atividade enzimática Alterações no tegumento das sementes Alterações nas taxas

Leia mais

Ambiente e Doença. Predisposição 25/3/2014. Ambiente: Disciplina: Fitopatologia Geral PREDISPOSIÇÃO:

Ambiente e Doença. Predisposição 25/3/2014. Ambiente: Disciplina: Fitopatologia Geral PREDISPOSIÇÃO: DESENVOLVIMENTO DA DOENÇA Disciplina: Fitopatologia Geral Triângulo da doença Ambiente e Doença PLANTA DESENVOLVIMENTO DA DOENÇA PLANTA Triângulo da doença Componente relevante nesta interação, podendo

Leia mais

Tratamento Industrial de Sementes: vantagens, limitações e desafios.

Tratamento Industrial de Sementes: vantagens, limitações e desafios. Tratamento Industrial de Sementes: vantagens, limitações e desafios. Ademir Assis Henning Embrapa Soja 1) Phomopsis sp. É o principal patógeno em sementes de soja. Juntamente com Fusarium pallidoroseum

Leia mais

Termoterapia via Calor Úmido no Controle de Patógenos em Sementes de Tabebuia chrysotrichae seu Efeito Sobre a Qualidade Fisiológica

Termoterapia via Calor Úmido no Controle de Patógenos em Sementes de Tabebuia chrysotrichae seu Efeito Sobre a Qualidade Fisiológica Termoterapia via Calor Úmido no Controle de Patógenos em Sementes de Tabebuia chrysotrichae seu Efeito Sobre a Qualidade Fisiológica Thermotherapy through Humid Heat in the Control of Pathogens in Tabebuia

Leia mais

Avaliação da Severidade da Ferrugem Asiática em Diferentes Arranjos da População de Plantas de Soja

Avaliação da Severidade da Ferrugem Asiática em Diferentes Arranjos da População de Plantas de Soja 40ª Reunião de Pesquisa de Soja da Região Sul - Atas e Resumos 401 Avaliação da Severidade da Ferrugem Asiática em Diferentes Arranjos da População de Plantas de Soja Cley Donizeti Martins Nunes 1 Introdução

Leia mais

Efeito da secagem na qualidade fisiológica de sementes de pinhão-manso

Efeito da secagem na qualidade fisiológica de sementes de pinhão-manso Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 8., 2011, Belo Horizonte Efeito da secagem na qualidade fisiológica de sementes de pinhão-manso Cézar Augusto Mafia Leal (1), Roberto Fontes Araujo (2),

Leia mais

EFEITO DO VIGOR E DO TRATAMENTO FUNGICIDA NOS TESTES DE GERMINAÇÃO E DE SANIDADE DE SEMENTES DE SOJA

EFEITO DO VIGOR E DO TRATAMENTO FUNGICIDA NOS TESTES DE GERMINAÇÃO E DE SANIDADE DE SEMENTES DE SOJA Original Article 59 EFEITO DO VIGOR E DO TRATAMENTO FUNGICIDA NOS TESTES DE GERMINAÇÃO E DE SANIDADE DE SEMENTES DE SOJA EFFECT OF THE VIGOUR AND OF THE FUNGICIDE TREATMENT IN THE GERMINATION AND SANITY

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE SOJA PRODUZIDAS NO MUNICÍPIO DE FREDERICO WESTPHALEN-RS

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE SOJA PRODUZIDAS NO MUNICÍPIO DE FREDERICO WESTPHALEN-RS AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE SOJA PRODUZIDAS NO MUNICÍPIO DE FREDERICO WESTPHALEN-RS Juliano dos Santos 1, Fabiana Raquel Mühl 2, Neuri Antonio Feldmann 3, Anderson Rhoden 3 Palavras-chave:

Leia mais

This study aimed to evaluate the health and

This study aimed to evaluate the health and QUALIDADE SANITÁRIA E FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE SOJA EM FUNÇÃO DO TRATAMENTO QUÍMICO DE SEMENTES E FOLIAR NO CAMPO Anderson Luis Danelli 1, Felipe Rafael Garcés Fiallos 1,2,3, Rosane Baldiga Tonin 1,

Leia mais

AUGUSTO CÉSAR PEREIRA GOULART Eng. Agr. M.Sc. Fitopatologia/Patologia de Sementes cpao.embrapa.br Dourados, MS - Brasil

AUGUSTO CÉSAR PEREIRA GOULART Eng. Agr. M.Sc. Fitopatologia/Patologia de Sementes   cpao.embrapa.br Dourados, MS - Brasil TRATAMENTO DE SEMENTES DE SOJA COM FUNGICIDAS SOYBEAN SEED TREATMENT WITH FUNGICIDES AUGUSTO CÉSAR PEREIRA GOULART Eng. Agr. M.Sc. Fitopatologia/Patologia de Sementes email: goulart@ cpao.embrapa.br Dourados,

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE SOJA CONVENCIONAL COLETADAS EM TRÊS POSIÇÕES DA PLANTA

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE SOJA CONVENCIONAL COLETADAS EM TRÊS POSIÇÕES DA PLANTA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE SOJA CONVENCIONAL COLETADAS EM TRÊS POSIÇÕES DA PLANTA Tiago R. Sousa¹*(PG), Marina C. Guerrero²(PG), Itamar R. Teixeira³(PQ), Sebastião P. Silva Neto

Leia mais

Causas de GL IVE TMG PGER IVE TMG PGER

Causas de GL IVE TMG PGER IVE TMG PGER Efeito Alelopático do Óleo Essencial de Citronela (Cymbopogon winterianus) Sobre a Germinação de Sementes de Picão-Preto e de Milho em Diferentes Épocas de Aplicação. MARIA LITA PADINHA CORREA 1, ANA PAULA

Leia mais

KIT MEDIDOR DE SEMENTES PARTIDAS DE SOJA

KIT MEDIDOR DE SEMENTES PARTIDAS DE SOJA KIT MEDIDOR DE SEMENTES PARTIDAS DE SOJA Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Soja Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Kit medidor de sementes partidas de soja Francisco

Leia mais

Diagnóstico da qualidade de SEMENTES de soja produzidas no Brasil Safra 2014/15

Diagnóstico da qualidade de SEMENTES de soja produzidas no Brasil Safra 2014/15 Diagnóstico da qualidade de SEMENTES de soja produzidas no Brasil Safra 2014/15 Vinculada ao Projeto de Pesquisa: Sistema Embrapa de Gestão: 02.14.01.001.00.00 Caracterização da qualidade tecnológica dos

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE SEMENTES DE SOJA (Glycine max (L.) Merril) CULTIVAR IAC-18

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE SEMENTES DE SOJA (Glycine max (L.) Merril) CULTIVAR IAC-18 REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE AGRONOMIA - ISSN 1677-0293 P UBLICAÇÃO C IENTÍFICA DA F ACULDADE DE A GRONOMIA E E NGENHARIA F LORESTAL DE G ARÇA/FAEF A NO IV, NÚMERO, 07, JUNHO DE 2005. PERIODICIDADE:

Leia mais

Germinação e sanidade de sementes de soja (Glycine ( Merrill) colhidas em diferentes épocas

Germinação e sanidade de sementes de soja (Glycine ( Merrill) colhidas em diferentes épocas Acta Scientiarum 22(4):117-122, 2. ISSN 1415-6814. Germinação e sanidade de sementes de soja (Glycine ( max (L.) Merrill) colhidas em diferentes épocas Alessandro de Lucca e Braccini 1 *, Múcio Silva Reis

Leia mais

QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES DE Arachis hypogaea L. EM FUNÇÃO DE VELOCIDADES DE ARRANQUIO E RECOLHIMENTO

QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES DE Arachis hypogaea L. EM FUNÇÃO DE VELOCIDADES DE ARRANQUIO E RECOLHIMENTO Original Article 573 QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES DE Arachis hypogaea L. EM FUNÇÃO DE VELOCIDADES DE ARRANQUIO E RECOLHIMENTO THE SANITARY QUALITY OF SEED OF PEANUTS, Arachis hypogaea L., IN FUNCTION

Leia mais

FREQÜÊNCIA DE SEMENTES DE COLORAÇÃO ATÍPICA EM CACHOS DE MAMONA COLHIDOS EM DIFERENTES ESTÁDIOS DE MATURAÇÃO*

FREQÜÊNCIA DE SEMENTES DE COLORAÇÃO ATÍPICA EM CACHOS DE MAMONA COLHIDOS EM DIFERENTES ESTÁDIOS DE MATURAÇÃO* FREQÜÊNCIA DE SEMENTES DE COLORAÇÃO ATÍPICA EM CACHOS DE MAMONA COLHIDOS EM DIFERENTES ESTÁDIOS DE MATURAÇÃO* Amanda Micheline Amador de Lucena 1, Liv Soares Severino 2, Valdinei Sofiatti 2, Napoleão Esberard

Leia mais

EFEITO DA IDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE SOJA NOS RESULTADOS DO TESTE DE ENVELHECIMENTO ACELERADO.

EFEITO DA IDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE SOJA NOS RESULTADOS DO TESTE DE ENVELHECIMENTO ACELERADO. EFEITO DA IDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE SOJA NOS RESULTADOS DO TESTE DE ENVELHECIMENTO ACELERADO. EFFECTS OF THE FISIOLOGIC AGE OF SOYBEAN SEEDS IN THE RESULTS OF THE TEST OF ACCELERATED AGING. Maria

Leia mais

06 AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DE FUNGICIDA COM

06 AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DE FUNGICIDA COM 06 AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DE FUNGICIDA COM ADIÇÃO DE FERTIADITIVO PARA O CONTROLE DE FERRUGEM-ASIÁTICA NA CULTURA DA SOJA OBJETIVO Este trabalho tem como objetivo avaliar a eficiência de fungicida com

Leia mais

QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES DE TRIGO, SOJA E MILHO PRODUZIDAS EM MATO GROSSO DO SUL

QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES DE TRIGO, SOJA E MILHO PRODUZIDAS EM MATO GROSSO DO SUL ISSN 0104-5156 BOLETIM DE PESQUISA Nº 7 Augusto César Pereira Goulart QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES DE TRIGO, SOJA E MILHO PRODUZIDAS EM MATO GROSSO DO SUL Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

Leia mais

ANÁLISE DE IMAGENS NA AVALIAÇÃO DE DANOS MECÂNICOS E CAUSADOS POR PERCEVEJOS EM SEMENTE DE FEIJÃO 1

ANÁLISE DE IMAGENS NA AVALIAÇÃO DE DANOS MECÂNICOS E CAUSADOS POR PERCEVEJOS EM SEMENTE DE FEIJÃO 1 121 ANÁLISE DE IMAGENS NA AVALIAÇÃO DE DANOS MECÂNICOS E CAUSADOS POR PERCEVEJOS EM SEMENTE DE FEIJÃO 1 VICTOR AUGUSTO FORTI 2, SILVIO MOURE CICERO 3, TAIS LEITE FERREIRA PINTO 4 RESUMO A possibilidade

Leia mais

Princípios ativos via tratamento de sementes industrial na cultura do milho após armazenamento

Princípios ativos via tratamento de sementes industrial na cultura do milho após armazenamento Princípios ativos via tratamento de sementes industrial na cultura do milho após armazenamento Marcelo Cruz Mendes (1) ; Jean Carlos Zocche (2) ;Paulo Henrique Matchula (3) ; Jhonatan Schlosser (4) ; Marizangela

Leia mais

Alta qualidade é, para setor sementeiro, meta e desafio

Alta qualidade é, para setor sementeiro, meta e desafio Produtividade Alta qualidade é, para setor sementeiro, meta e desafio José de Barros França Neto e Francisco Carlos Krzyzanowski* A instalação de lavouras de soja com populações de plantas adequadas é

Leia mais

Tratamento de Sementes de Cevada, Cultivar BR 2, com Fungicidas, no Ano de 1998

Tratamento de Sementes de Cevada, Cultivar BR 2, com Fungicidas, no Ano de 1998 Tratamento de Sementes de Cevada, Cultivar BR 2, com Fungicidas, no Ano de 1998 Picinini, E.C. 1 ; Fernandes, J.M.C. 1 Introdução A cevada cervejeira constitui importante alternativa de inverno na região

Leia mais

16 EFEITO DA APLICAÇÃO DO FERTILIZANTE FARTURE

16 EFEITO DA APLICAÇÃO DO FERTILIZANTE FARTURE 16 EFEITO DA APLICAÇÃO DO FERTILIZANTE FARTURE EM RELAÇÃO AO FORMULADO PADRÃO O objetivo deste trabalho foi avaliar o desempenho do fertilizante Farture (00-12-12) em diferentes dosagens em relação ao

Leia mais

05 AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DOS PRINCIPAIS

05 AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DOS PRINCIPAIS 05 AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DOS PRINCIPAIS FUNGICIDAS PARA O CONTROLE DE DOENÇAS NA CULTURA DA SOJA EM DUAS EPOCAS DE SEMEADURA OBJETIVO Este trabalho tem como objetivo avaliar a eficiência dos principais

Leia mais

SUSCETIBILIDADE DE CULTIVARES DE ALGODOEIRO A Rhizoctonia solani E BENEFÍCIOS DO TRATAMENTO DE SEMENTES COM FUNGICIDAS (*)

SUSCETIBILIDADE DE CULTIVARES DE ALGODOEIRO A Rhizoctonia solani E BENEFÍCIOS DO TRATAMENTO DE SEMENTES COM FUNGICIDAS (*) SUSCETIBILIDADE DE CULTIVARES DE ALGODOEIRO A Rhizoctonia solani E BENEFÍCIOS DO TRATAMENTO DE SEMENTES COM FUNGICIDAS (*) Augusto César Pereira Goulart (Embrapa Agropecuária Oeste / goulart@cpao.embrapa.br)

Leia mais

FUNGOS ASSOCIADOS ÀS SEMENTES DE ESPÉCIES ARBÓREAS DA MATA ATLÂNTICA

FUNGOS ASSOCIADOS ÀS SEMENTES DE ESPÉCIES ARBÓREAS DA MATA ATLÂNTICA FUNGOS ASSOCIADOS ÀS SEMENTES DE ESPÉCIES ARBÓREAS DA MATA ATLÂNTICA Álvaro Figueredo dos Santos 1 Antonio Carlos de Souza Medeiros 1 Dalva Luiz de Queiroz Santana 2 RESUMO Amostras de sementes de quatro

Leia mais

DANO POR EMBEBIÇÃO EM SEMENTES DE SOJA: PROBLEMAS COM O TESTE DE GERMINAÇÃO

DANO POR EMBEBIÇÃO EM SEMENTES DE SOJA: PROBLEMAS COM O TESTE DE GERMINAÇÃO DANO POR EMBEBIÇÃO EM SEMENTES DE SOJA: PROBLEMAS COM O TESTE DE GERMINAÇÃO José B. França Neto* Francisco C. Krzyzanowski Ademir A. Henning Embrapa Soja, Londrina, PR XXXIII Ciclo de Reuniões Conjuntas

Leia mais

COMPLEXO DE DOENÇAS FOLIARES NA CULTURA DO AMENDOIM, NAS REGIÕES PRODUTORAS DO ESTADO DE SÃO PAULO, NA SAFRA 2015/2016

COMPLEXO DE DOENÇAS FOLIARES NA CULTURA DO AMENDOIM, NAS REGIÕES PRODUTORAS DO ESTADO DE SÃO PAULO, NA SAFRA 2015/2016 COMPLEXO DE DOENÇAS FOLIARES NA CULTURA DO AMENDOIM, NAS REGIÕES PRODUTORAS DO ESTADO DE SÃO PAULO, NA SAFRA 2015/2016 Margarida Fumiko Ito 1, Ignácio José de Godoy 2, Andrea Rocha Almeida de Moraes 2,

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA E SANITÁRIA DE SEMENTES DE GENÓTIPOS DE SOJA DO CICLO PRECOCE/MÉDIO EM UBERLÂNDIA, MINAS GERAIS

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA E SANITÁRIA DE SEMENTES DE GENÓTIPOS DE SOJA DO CICLO PRECOCE/MÉDIO EM UBERLÂNDIA, MINAS GERAIS COMUNICAÇÕES / COMMUNICATIONS AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA E SANITÁRIA DE SEMENTES DE GENÓTIPOS DE SOJA DO CICLO PRECOCE/MÉDIO EM UBERLÂNDIA, MINAS GERAIS OSVALDO T. HAMAWAKI 1, FERNANDO C. JULIATTI

Leia mais

EFEITO DA TEMPERATURA E DO FOTOPERÍODO NA GERMINAÇÃO in vitro DE CONÍDIOS DE Aspergillus niger, AGENTE ETIOLÓGICO DO MOFO PRETO DA CEBOLA

EFEITO DA TEMPERATURA E DO FOTOPERÍODO NA GERMINAÇÃO in vitro DE CONÍDIOS DE Aspergillus niger, AGENTE ETIOLÓGICO DO MOFO PRETO DA CEBOLA EFEITO DA TEMPERATURA E DO FOTOPERÍODO NA GERMINAÇÃO in vitro DE CONÍDIOS DE Aspergillus niger, AGENTE ETIOLÓGICO DO MOFO PRETO DA CEBOLA Autores: Jéssica Tainara IGNACZUK 1, Leandro Luiz MARCUZZO 2 Identificação

Leia mais

Avaliação Fitossanitária de Sementes de Pinhão-Manso Provenientes dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri

Avaliação Fitossanitária de Sementes de Pinhão-Manso Provenientes dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri Avaliação Fitossanitária de Sementes de Pinhão-Manso Provenientes dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri Wânia dos Santos eves 1, Douglas Ferreira Parreira 2, Paulo Afonso Ferreira 2, Everaldo Antônio Lopes

Leia mais

02 IMPORTÂNCIA DA QUALIDADE DAS SEMENTES

02 IMPORTÂNCIA DA QUALIDADE DAS SEMENTES 02 IMPORTÂNCIA DA QUALIDADE DAS SEMENTES O estabelecimento inicial de uma lavoura depende essencialmente do potencial fisiológico das sementes utilizadas na semeadura. A porcentagem, velocidade e uniformidade

Leia mais

AVALIAÇÃO DO ARRANJO DE PLANTAS DE GIRASSOL

AVALIAÇÃO DO ARRANJO DE PLANTAS DE GIRASSOL 241 ( 55 AVALIAÇÃO DO ARRANJO DE PLANTAS DE GIRASSOL EVALUATION OF PLANT DESIGN IN SUNFLOWER César de Castro 1 ; Adilson de Oliveira Júnior 1 ; Fábio Alvares de Oliveira 1 ; Regina M.V.B.C. Leite 1 ; Bruna

Leia mais

INFLUÊNCIA DO GRAFITE ADICIONADO ÀS SEMENTES DE SOJA E ALGODÃO NA EFICIÊNCIA DO TRATAMENTO COM FUNGICIDAS

INFLUÊNCIA DO GRAFITE ADICIONADO ÀS SEMENTES DE SOJA E ALGODÃO NA EFICIÊNCIA DO TRATAMENTO COM FUNGICIDAS ISSN 1517-0322 BOLETIM DE PESQUISA Nº 8 INFLUÊNCIA DO GRAFITE ADICIONADO ÀS SEMENTES DE SOJA E ALGODÃO NA EFICIÊNCIA DO TRATAMENTO COM FUNGICIDAS Augusto César Pereira Goulart Dourados, MS 2000 Exemplares

Leia mais

QUALIDADE FISIOLÓGICA E SANITÁRIA DE SEMENTES DE Bauhinia variegata TRATADAS COM ÓLEO ESSENCIAL DE CANELA

QUALIDADE FISIOLÓGICA E SANITÁRIA DE SEMENTES DE Bauhinia variegata TRATADAS COM ÓLEO ESSENCIAL DE CANELA QUALIDADE FISIOLÓGICA E SANITÁRIA DE SEMENTES DE Bauhinia variegata TRATADAS COM ÓLEO ESSENCIAL DE CANELA Carolline Vargas e Silva 1, Rommel dos Santos Siqueira Gomes 1, Larissa Cavalcante Almeida 1, Mirelly

Leia mais

Alternativas para o manejo adequado de percevejos

Alternativas para o manejo adequado de percevejos Alternativas para o manejo adequado de percevejos MSc. José Fernando Jurca Grigolli Pesquisador Fitossanidade Fundação MS 1 O MONITORAMENTO E A IDENTIFICAÇÃO DAS PRAGAS INFLUENCIA DIRETAMENTE A EFICIÊNCIA

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Produção e Tecnologia de Sementes Código da Disciplina: AGR 271 Curso: Agronomia Semestre de oferta da disciplina: 6 Faculdade responsável: Agronomia Programa em vigência

Leia mais

FUNGOS ASSOCIADOS ÀS SEMENTES DE FUMO (Nicotiana tabacum L.)

FUNGOS ASSOCIADOS ÀS SEMENTES DE FUMO (Nicotiana tabacum L.) 229 FUNGOS ASSOCIADOS ÀS SEMENTES DE FUMO (Nicotiana tabacum L.) SEGATO, Silvelena Vanzolini 1 GABALDI, Felipe Cravo 2 Recebido em: 2012-06-17 Aprovado em: 2012-10-10 ISSUE DOI: 10.3738/1982.2278.784 RESUMO:

Leia mais

QUALIDADE DE SEMENTES CARACTERÍSTICAS QUE AFETAM A QUALIDADE DAS SEMENTES. Componentes:

QUALIDADE DE SEMENTES CARACTERÍSTICAS QUE AFETAM A QUALIDADE DAS SEMENTES. Componentes: LPV - 0638: PRODUÇÃO DE SEMENTES CARACTERÍSTICAS QUE AFETAM A QUALIDADE DAS SEMENTES Julio Marcos Filho Departamento de Produção Vegetal USP/ESALQ INSTALAÇÃO DE CULTURAS Planejamento Estrutura disponível

Leia mais

fontes e doses de nitrogênio em cobertura na qualidade fisiológica de sementes de trigo

fontes e doses de nitrogênio em cobertura na qualidade fisiológica de sementes de trigo fontes e doses de nitrogênio em cobertura na qualidade fisiológica de sementes de trigo PRANDO, A.M. 1 ; ZUCARELI, C. 1 ; FRONZA, V. 2 ; BASSOI, M.C. 2 ; OLIVEIRA, F.A. 2 1 Universidade Estadual de Londrina

Leia mais

Óleos essenciais de Ocimum gratissimum e Annona crassiflora no tratamento de sementes de sorgo

Óleos essenciais de Ocimum gratissimum e Annona crassiflora no tratamento de sementes de sorgo 10828- Óleos essenciais de Ocimum gratissimum e Annona crassiflora no tratamento de sementes de sorgo Essential oils of Ocimum gratissimum, crassiflora Annona seed treatment of sorghum FLÁVIO¹, Nicoletta

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO TRIANGULO. Fitopatologia Básica. Professora : Fernanda G. Martins Maia

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO TRIANGULO. Fitopatologia Básica. Professora : Fernanda G. Martins Maia CENTRO UNIVERSITÁRIO DO TRIANGULO Fitopatologia Básica Professora : Fernanda G. Martins Maia DIAGNOSE doenças de plantas FITOPATOLOGIA Sintomatologia Etiologia DIAGNOSE Controle Pré-requisito essencial

Leia mais

Recomendação de Cultivares de Milho para a Resistência a Grãos Ardidos

Recomendação de Cultivares de Milho para a Resistência a Grãos Ardidos ISSN 1679-1150 Recomendação de Cultivares de Milho para a Resistência a Grãos Ardidos 54 O milho (Zea mays L.) é uma das principais culturas destinadas à alimentação humana e animal devido à sua composição

Leia mais

TRANSPORTE, PATOGENICIDADE E TRANSMISSIBILIDADE DE FUNGOS ASSOCIADOS ÀS SEMENTES DE PINHÃO MANSO 1

TRANSPORTE, PATOGENICIDADE E TRANSMISSIBILIDADE DE FUNGOS ASSOCIADOS ÀS SEMENTES DE PINHÃO MANSO 1 663 TRANSPORTE, PATOGENICIDADE E TRANSMISSIBILIDADE DE FUNGOS ASSOCIADOS ÀS SEMENTES DE PINHÃO MANSO 1 Danila Alves Corrêa de Sá 2, Gil Rodrigues dos Santos 3, Gleiber Quintão Furtado 4, Eduardo Andréa

Leia mais

EFICIÊNCIA DE FUNGICIDAS NO TRATAMENTO DE SEMENTES DE MILHO VISANDO O CONTROLE DE FUSARIUM MONILIFORME E PYTHIUM SP. 1

EFICIÊNCIA DE FUNGICIDAS NO TRATAMENTO DE SEMENTES DE MILHO VISANDO O CONTROLE DE FUSARIUM MONILIFORME E PYTHIUM SP. 1 EFICIÊNCIA DE FUNGICIDAS NO TRATAMENTO DE SEMENTES DE MILHO VISANDO O CONTROLE DE FUSARIUM MONILIFORME E PYTHIUM SP. NICÉSIO FILADELFO JANSSEN DE ALMEIDA PINTO RESUMO - Estudou-se a eficiência dos fungicidas

Leia mais

Vitória da Conquista, 10 a 12 de Maio de 2017

Vitória da Conquista, 10 a 12 de Maio de 2017 AVALIAÇÃO DE FUNGOS ASSOCIADOS A SEMENTES DE COENTRO (Coriandrum sativum L.) 1 Raoni Andrade Pires 2, Joyce Luz Domingues 3, Cátia dos Santos Libarino 3, Cayo Fernandes de Oliveira Neves 2, Armínio Santos

Leia mais

PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DAS CULTIVARES DE FEIJÃO COM SEMENTES DISPONÍVEIS NO MERCADO

PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DAS CULTIVARES DE FEIJÃO COM SEMENTES DISPONÍVEIS NO MERCADO PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DAS CULTIVARES DE FEIJÃO COM SEMENTES DISPONÍVEIS NO MERCADO IAPAR 81 Cultivar do grupo carioca, de porte ereto, recomendada para cultivo a partir de junho de 1997. Apresenta

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DE FUNGOS ASSOCIADOS ÀS SEMENTES DE ALGODOEIRO EMPREGADAS NA REGIÃO DE CHAPADÃO DO SUL 1

IDENTIFICAÇÃO DE FUNGOS ASSOCIADOS ÀS SEMENTES DE ALGODOEIRO EMPREGADAS NA REGIÃO DE CHAPADÃO DO SUL 1 Página 1108 IDENTIFICAÇÃO DE FUNGOS ASSOCIADOS ÀS SEMENTES DE ALGODOEIRO EMPREGADAS NA REGIÃO DE CHAPADÃO DO SUL 1 Gustavo de Faria Theodoro (UFMS theodoro@nin.ufms.br), André Augusto Chumpati 2 (UFMS),

Leia mais

CONSERVAÇÃO DE SEMENTES DE AMENDOIM EM CÂMARA FRIA E SECA ( 1 )

CONSERVAÇÃO DE SEMENTES DE AMENDOIM EM CÂMARA FRIA E SECA ( 1 ) CONSERVAÇÃO DE SEMENTES DE AMENDOIM EM CÂMARA FRIA E SECA ( 1 ) ÂNGELO SAVY FILHO ( 2-5 ), ANTONIO AUGUSTO DO LAGO ( 3-5 ), EDUARDO ZINK ( 4 ), MARCELO APARECIDO NUNES GERIN ( 2 > 5 ), JOCELY ANDREUCCETTIMAEDA

Leia mais

Tratamentos Alternativos para o Controle de Patógenos em Sementes de Cedro (Cedrela fissilis)

Tratamentos Alternativos para o Controle de Patógenos em Sementes de Cedro (Cedrela fissilis) Tratamentos Alternativos para o Controle de Patógenos em Sementes de Cedro (Cedrela fissilis) Alternative Treatments for Control of Pathogens on Cedrela fissilis Seeds LAZAROTTO, Marília. Universidade

Leia mais

QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES DA ESPÉCIE DA FAMÍLIA BIGNONIACEAE EM DIFERENTES CONDIÇÕES DE TEMPERATURA 1

QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES DA ESPÉCIE DA FAMÍLIA BIGNONIACEAE EM DIFERENTES CONDIÇÕES DE TEMPERATURA 1 QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES DA ESPÉCIE DA FAMÍLIA BIGNONIACEAE EM DIFERENTES CONDIÇÕES DE TEMPERATURA 1 BOVOLINI, Marciéli Pitorini 2 ; MACIEL, Caciara Gonzatto 3 ; NOAL, Gisele 4 ; LAZAROTTO, Marília

Leia mais

INFLUÊNCIA DA EMBALAGEM E DO ARMAZENAMENTO NA QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES DE ARROZ 1

INFLUÊNCIA DA EMBALAGEM E DO ARMAZENAMENTO NA QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES DE ARROZ 1 42 INFLUÊNCIA DA EMBALAGEM E DO ARMAZENAMENTO NA QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES DE ARROZ 1 EDNEI DE CONTI MACEDO 2, DORIS GROTH 3 E JACIRO SOAVE 4 RESUMO - O presente trabalho foi conduzido no Laboratório

Leia mais

QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MAMONA ACONDICIONADAS EM DIFERENTES EMBALAGENS E ARMAZENADAS SOB CONDIÇÕES CLIMÁTICAS DE CAMPINA GRANDE-PB

QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MAMONA ACONDICIONADAS EM DIFERENTES EMBALAGENS E ARMAZENADAS SOB CONDIÇÕES CLIMÁTICAS DE CAMPINA GRANDE-PB QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MAMONA ACONDICIONADAS EM DIFERENTES EMBALAGENS E ARMAZENADAS SOB CONDIÇÕES CLIMÁTICAS DE CAMPINA GRANDE-PB Sandra Maria de Figueiredo 1, Fernanda Fernandes de Melo

Leia mais

DESEMPENHO DE SEMENTES PEREIRA, DE SOJA C. E. et TRATADAS al. COM FUNGICIDAS E PELICULIZADAS DURANTE O ARMAZENAMENTO

DESEMPENHO DE SEMENTES PEREIRA, DE SOJA C. E. et TRATADAS al. COM FUNGICIDAS E PELICULIZADAS DURANTE O ARMAZENAMENTO DESEMPENHO DE SEMENTES PEREIRA, DE SOJA C. E. et TRATADAS al. COM FUNGICIDAS E PELICULIZADAS DURANTE O ARMAZENAMENTO 5 Performance of soybean seeds treated with fungicides and film coating during storage

Leia mais

EFICIÊNCIA AGRONÔMICA E VIABILIDADE TÉCNICA DO PROGRAMA FOLIAR KIMBERLIT EM SOJA

EFICIÊNCIA AGRONÔMICA E VIABILIDADE TÉCNICA DO PROGRAMA FOLIAR KIMBERLIT EM SOJA EFICIÊNCIA AGRONÔMICA E VIABILIDADE TÉCNICA DO PROGRAMA FOLIAR KIMBERLIT EM SOJA BONFADA, Élcio B. 1 ; FIORIN, Jackson E. 2 ; SILVA, Alieze N. da 3 ; WYZYKOWSKI, Tiago 4 Palavras-chave: Nutrição de Plantas.

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO SAFRA 2014/15

BOLETIM TÉCNICO SAFRA 2014/15 1 05 INCIDÊNCIA DE GRÃOS ARDIDOS EM HÍBRIDOS DE MILHO EM DOIS NÍVEIS DE TECNOLOGIA Objetivo Este trabalho teve como objetivo avaliar a incidência de grãos ardidos em híbridos de milho em dois níveis de

Leia mais

Análise Sanitária de Sementes de Urucum (Bixa orellana L.)

Análise Sanitária de Sementes de Urucum (Bixa orellana L.) Anais do VIII Seminário de Iniciação Científica e V Jornada de Pesquisa e Pós-Graduação UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS 10 a 12 de novembro de 2010 Análise Sanitária de Sementes de Urucum (Bixa orellana

Leia mais

ANÁLISE DA FAVORABILIDADE DAS CONDIÇÕES CLIMÁTICAS À OCORRÊNCIA DE MÍLDIO DA VIDEIRA NO VALE DO SÃO FRANCISCO NO PERÍODO DE 2003 A 2007

ANÁLISE DA FAVORABILIDADE DAS CONDIÇÕES CLIMÁTICAS À OCORRÊNCIA DE MÍLDIO DA VIDEIRA NO VALE DO SÃO FRANCISCO NO PERÍODO DE 2003 A 2007 ANÁLISE DA FAVORABILIDADE DAS CONDIÇÕES CLIMÁTICAS À OCORRÊNCIA DE MÍLDIO DA VIDEIRA NO VALE DO SÃO FRANCISCO NO PERÍODO DE 2003 A 2007 Francislene Angelotti 1, Tamara Trindade de Carvalho Santos 1, Junior

Leia mais

Comparação da eficiência de controle da ferrugem-asiática da soja (Phakopsora pachyrhizi) com fungicidas indicados para a doença, em goiás

Comparação da eficiência de controle da ferrugem-asiática da soja (Phakopsora pachyrhizi) com fungicidas indicados para a doença, em goiás Comparação da eficiência de controle da ferrugem-asiática da soja (Phakopsora pachyrhizi) com fungicidas indicados para a doença, em goiás FERREIRA, L.C. 1, COSTA, N.B. 1, PIMENTA, C.B. 2, NUNES SOBRINHO,

Leia mais