O Banco Interamericano de

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O Banco Interamericano de"

Transcrição

1 ANO XVII N o 174 FEVEREIRO 2014 O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) manifestou interesse em desenvolver uma segunda fase do programa Profisco, de financiamento de projetos de modernização e aperfeiçoamento das administrações tributárias estaduais. A informação foi dada no encontro realizado no dia 14 de janeiro, em Brasília, durante reunião com o coordenador dos estados no Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), José Tostes Neto. Para a aprovação do novo programa serão necessários a aprovação e aval do Ministério da Fazenda, a avaliação da Fase 1, com a identificação dos principais avanços e dos pontos que podem ser aperfeiçoados na sequência do programa e a elaboração de uma estrutura para a fase 2 do Profisco, com a definição dos focos principais a serem realizados. Em fevereiro, o secretário José Tostes e o coordenador da Comissão de Gestão Fazendária (Cogef), Carlos Alberto Agostini, participaram de uma reunião com o Banco em Washington sobre o novo financiamento. Participaram da conversa, pelo Banco, o BID financiará novo programa de modernização fazendária Reunião com o Bid definiu o novo financiamento Chefe de Operações, Juan Carlos De La Hoz e Maria de Fátima Cartaxo. Durante o encontro foi explicado que é possível alocar recursos para o prosseguimento de ações desenvolvidas na fase 1, mas é recomendável eleger novas prioridades, como por exemplo, o contencioso administrativo fiscal, a cobrança, a dívida ativa, a melhoria da qualidade do gasto público, a administração orçamentária e financeira, entre outras, explicou Tostes. Um documento com o detalhamento da fase 2, acompanhado da avaliação e autorização do Ministério da Fazenda, deverá ser enviado ao BID para análise e aprovação. Somente após esta providência é que os estados poderão enviar suas cartas consulta com os pedidos de aprovação de projetos. As providências já estão sendo tomadas junto ao Ministério visando agilizar os procedimentos de aprovação da nova linha de financiamento. Segundo o secretário, a gestão pública é cada vez mais cobrada a apresentar bons resultados em relação à qualidade dos gastos públicos e investimentos, por isso mesmo é importante modernizar a administração tributária, desenvolvendo estratégias que facilitem, de um lado, a arrecadação e, de outro, a fiscalização, e auxiliem os gestores a enfrentarem o desafio de bem administrar os recursos públicos. RESuLTADOS DA RAE um questionário com nove questões foi respondido pelos 4 participantes da 1ª Reunião de Avaliação da Estratégia (RAE) da Secretaria da Fazenda (Sefa). Os resultados você confere na página 8. Emanoel: refletir a necessidade de ajustes nas ações para alcançar os resultados esperados 1

2 PEFI-PARÁ ORGANIZA PROGRAMAÇÃO 2014 O Programa de Educação Fiscal do Pará (Pefi-Pará), coordenado pela Escola Fazendária (Efaz), trabalha no planejamento das ações para Em março consolidaremos a programação, diz Zilda Benjamin (abaixo), coordenadora do Programa. No primeiro e segundo semestres deste ano existe o indicativo de realização de um Curso de Disseminadores em Educ a ç ã o Fiscal, à distância e outro sobre Tributação e Cidadania Fiscal. Durante o ano, em parceria com Secretaria de Educação (Seduc), ocorrerão vários cursos mobilizando escolas públicas da Região Metropolitana de Belém (RMB). Em abril próximo, o Pefi- Pará completará 14 anos de existência, quando foi instituído pelo Decreto nº 4.014, de 24 de abril de 2000, publicado no Diário Oficial do Estado dois dias depois, destaca a coordenadora. Para junho próximo está prevista a realização de um Seminário de Finanças Públicas e Educação Fiscal. Esta é uma orientação da Escola de Administração Fazendária (Esaf) para que cada ente federativo desenvolvesse a sua atividade. O Pará já programou a sua, destaca. A expectativa para 2014 é positiva, segundo ela, pois já se trabalha junto à Prefeitura Municipal de Belém para criar o Grupo Municipal de Educação Fiscal. TARF atinge meta de redução de estoque De janeiro a dezembro de 2013, o Tribunal Administrativo de Recursos Fazendários (TARF) analisou recursos que produziram decisões definitivas resultando em crédito tributário de mais de R$ 674 milhões em Unidade Padrão Fiscal (UPF) em favor da Fazenda Pública, informa a presidente do Tribunal, Fátima Cruz Figueiredo. Segundo ela, os recursos foram julgados pelas duas Câmaras Permanentes de Julgamento, pelo Pleno e decisões liminares, garantindo o alcance da meta para reduzir o estoque de processos. Começamos 2013 com 680 recur- Em 2013, a Julgadoria recebeu aproximadamente processos, acumulando 24 mil demandas desde 1999, quando foi criada, por meio da Lei 6.182/98. A diretora de Julgamento, Luzia Nogueira Barros, informa que mesmo com uma equipe reduzida, porém comprometida e dedicada, foram julgados no ano passado aproximadamente sos e terminamos com um estoque de 446, ou seja, uma redução de 34,42% em comparação ao ano de 2012, quando atingimos 14,14% de redução de estoque, comemora. A função do Tribunal é promover com excelência a justiça administrativa, em segunda e última instância, as resoluções dos litígios suscitados entre a fazenda pública estadual e os sujeitos passivos, decorrentes da aplicação da legislação estadual. Trabalhamos em equipe para promover a justiça fiscal, garantindo assim a oportunidade do contraditório e a ampla defesa na forma como estabelece a Constituição Federal, finaliza. Julgadoria analisa processos processos, envolvendo crédito tributário de R$ 1, 4 bi. A Julgadoria de Primeira Instância é um órgão singular, que tem por finalidade decidir e julgar os litígios de natureza tributária e não tributária suscitados entre a Fazenda Pública Estadual e seus sujeitos passivos de obrigações tributárias e não-tributárias. Luzia: julgamos processos envolvendo crédito tributário de R$ 1,4 bi INFORMATIVO SEFA ANO XVII N o 174 Fevereiro/2014 Endereço: Av. Visconde de Souza Franco, Telefones: (91) Edição e textos: Melquíades J. Reis e Marília Jardim - Com informações da Ascom-Sefa - Fotos: Agência Pará / Antonio Silva, ONG Rádio Margarida, Marília Jardim e Kid Reis Produção: M. M. Santos Editora

3 Arrecadação do ICMS cresce 4,6% em janeiro Secretário José Tostes Neto, diretores e coordenadores debatem crescimento da arrecadação A arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) teve crescimento real de 4,6% em janeiro passado quando comparada com a do mesmo período de Os dados foram divulgados pela diretora de Arrecadação e Informações Fazendárias, Edna Farage, no dia 25 de fevereiro, durante a reunião de coordenadores, ocorrida no Órgão Central, com a presença do secretário da Fazenda, José Tostes Neto. Em janeiro de 2014, o ICMS, principal imposto estadual, alcançou o montante de R$ 733,43 milhões contra os R$ 662,12 milhões de 2013, revelou a diretora. No mesmo período, a receita própria arrecadada do Estado, que envolve, ainda, o IPVA, ITCD, Taxas Fazendárias e Outras Receitas, teve uma elevação de 4,4%, saindo de R$ 730,9 milhões para R$ 807,9 milhões. No período analisado, o IPVA teve um crescimento real de 16,1%, o ITCD elevou-se em 56,9%, a Taxa Mineral cresceu 3,8%, as Taxas Fazendárias cresceram 0,3%. Em relação às receitas transferidas houve um crescimento de 21,6% quando comparados os valores de janeiro de 2013 com De 397,4 milhões, o valor subiu para mais de R$ 512 milhões. A receita total deste período teve uma evolução de 10,4%, saindo de R$ 1,1 para R$ 1,3 bi, destacou. Isso é resultado dos valores referentes à dezembro de 2013 do Refiz federal, que só foi repassado em janeiro de 2014, gerando um crescimento atípico, informou Edna. Sobre os indicadores conjunturais e setoriais, a diretoria disse que a produção física industrial do Pará cresceu 2,7% em dezembro de 2013 comparada à de dezembro de 2012, enquanto o indicador no Brasil ficou negativo em 4,3%. No acumulado de 12 meses, o indicador apresenta queda de negativa de 4,9% no Pará e crescimento de 0,7% no Brasil, de acordo com os dados da Pesquisa Industrial Mensal Produção Física Regional. No período analisado, o volume de vendas no comércio varejista no Pará cresceu 6,8%, índice superior à média brasileira, que foi de 4%. No acumulado em 12 meses, o indicador paraense aponta um crescimento de 5,9% e a média brasileira atingiu 4,3%, conforme dados da Pesquisa Mensal Comércio e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE). BENEFÍCIO DO IPVA CIDADÃO CRESCE 28% A Coordenação Executiva Especial de Administração Tributária do IPVA/ITCD em balanço feito em janeiro, constatou que o motorista que transita pelas estradas do Pará está mais consciente, utiliza a direção defensiva, procura respeitar a legislação brasileira de trânsito e foi contemplado com os benefícios do Programa IPVA Cidadão. Entre 2012 e 2013 tivemos um crescimento de 28% na concessão dos descontos para quem não teve multa. Em 2012 foram beneficiados mil condutores e no ano passado o número saltou para mil motoristas, informa a coordenadora Irene Rayol. No período analisado, os beneficiados com Irene: benefício em defesa da vida o desconto de 10%, registrou crescimento significativo. Saímos de mil contemplados para mil. No entanto, com o desconto de 15% houve uma inversão. Dos mil condutores beneficiados em 2012, somente mil alcançaram o desconto em Os beneficiados com 5% de desconto cresceram de para mil motoristas, diz. Irene diz que estes números mostram que a direção defensiva e o cumprimento da legislação são pontos fundamentais para a convivência nos espaços públicos, na família e para o Estado. Para a família significa a integridade dos entes e a ausência de acidentes, ferimentos e outros transtornos sociais. Para o Estado, um trânsito sem acidentes representa menos custos nos postos de saúde, hospitais e outros cenários indesejáveis. O programa é um estímulo à defesa da vida e demonstra importância de um motorista consciente e responsável no trânsito, assinala. 3

4 A pesar das graves restrições fiscais pelas quais passa a Federação brasileira, que provocou grandes perdas financeiras a Estados e Municípios, encerramos o ano de 2013 registrando um valor positivo de R$ 116 milhões, consolidando a inversão da tendência negativa observada em 2009 e 2010, e garantindo, por três anos consecutivos, que o Pará honrasse as metas do Programa de Ajuste Fiscal. A reflexão foi feita pelo governador Simão Jatene, no começo de fevereiro, durante a leitura da mensagem do Executivo à Assembléia Legislativa, abrindo os trabalhos da Casa em O governador informou que o reequilíbrio das contas, que gerou o superávit positivo, é fruto de um trabalho iniciado em 2011, de recuperação dos mecanismos de gestão. Já naquele ano, o primeiro do atual mandato, o governo reverteu um grande saldo negativo no Resultado Primário do Executivo, passando dos R$ 433 milhões negativos, em 2010, para R$ 738 milhões positivos. Em 2012, mantendo a mesma lógica, também registramos R$ 774 milhões, número bem acima da meta pactuada com o Programa de Ajuste Fiscal assinado com o governo federal, que era de R$ 134 milhões, reiterou Jatene. Para reverter o quadro negativo, o governador disse que foi necessário melhorar o sistema de arrecadação própria e criar novas fontes de recursos, já que as transferências federais, nos últimos anos, e especialmente no ano passado, foram menores do que as previstas pela própria Secretaria do Tesouro Nacional. Enquanto o ICMS apresentou um cresci- mento nominal de 40% entre 2011 e 2013, o FPE, mais importante transferência federal, cresceu apenas 10%, menos do que a própria inflação no período, de aproximadamente 18%, asseverou. Equilíbrio Jatene destacou o equilíbrio das despesas correntes e a receita líquida real, conforme índice acordado no Programa de Ajuste Fiscal, de 38,34%. O governador informou que, em 2010, a relação foi de 41,45%, descumprindo o limite máximo. Já em 2011, essa relação caiu para 38,20%, passando também a se enquadrar nos limites pactuados. Em 2013, recuou para 37,24%, mesmo com a expansão de serviços para a população, como a implantação do Hospital Jean Bitar e do Centro de Hemodiálise Monteiro Leite, só para citar alguns exemplos na área da saúde, ressaltou Jatene. Graças ao equilíbrio das contas, segundo o governador, foi possível obter ganhos na remuneração dos servidores, que teve um crescimento médio superior a 45% em relação a Naquela oportunidade, a remuneração média era de pouco mais de R$ 2.700,00, e em dezembro de 2013 alcançou mais de R$ 4 mil, apontando, na média, um ganho real de aproximadamente 25%. Simão Jatene ressaltou que, apesar da nomeação de mais de 10 mil concursados nos últimos três anos, o governo não corre o risco de inchar a máquina administrativa. Atualmente, o Estado conta com 103 mil servidores ativos, incluindo comissionados e temporários. Em 2011, o Executivo empregava mais 99 mil. No mesmo período, os cargos comis- Governador Simão Ja sionados foram reduzidos, e somam atualmente pouco mais de três mil, ou seja, menos de 3% do total de servidores, acentuou. Balanço Quanto aos limites constitucionais para saúde e educação, em 12% e 25% respectivamente, os resultados apurados mostram a aplicação de 13,54 % na saúde e 26,21 % na educação. O governador destacou a criação de mil novos leitos até o final deste ano, contrariando a lógica nacional. Entre as obras em andamento, o governador informou que o Hospital Oncológico Infantil, anexo ao Hospital Ophir Loyola, em Belém, está em fase de acabamento. Serão mais 130 leitos especializados para o tratamento do câncer, particularmente em Em 2013, o Tesouro Estadual desempenhou o seu papel no processo de captação de recursos adicionais para o financiamento de projetos prioritários do Governo Do Pará, subsidiando e participando da negociação de diversas operações de crédito no mercado nacional e internacional para financiar o seu programa de investimentos. São destaques os investimentos no prolongamento da Avenida Crédito no mercado nacional e internacional João Paulo II, com um financiamento de R$ 104 milhões, por meio da Caixa Econômica Federal (CEF), o Programa de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur), no aporte de US$ 26,4 milhões, do BID, e as Contrapartidas do Programa de Aceleração do Crescimento (CPAC), no montante de R$ 112 milhões com a Caixa, dentre outros. Considerando que a Secretaria do Tesouro Nacional (STN) não assinou a Revisão do Programa de Ajuste Fiscal (PAF), proposto pelo Estado do Pará, para o período , permanecem válidos os compromissos pactuados nas metas do PAF , conforme prevê o próprio Programa, qualificando o Pará a captar recursos no mercado uma vez que o governo do Estado tem como honrar os seus compromissos financeiros projetados para o futuro.

5 EQUILÍBRIO DAS CONTAS PÚBLICAS tene destaca superávit e obras públicas crianças e jovens, disse. Outra obra é o Hospital Galileu, em Ananindeua, que está em fase de instalação dos equipamentos e terá 120 leitos, servindo de retaguarda para as unidades dos hospitais Metropolitano de Urgência e Emergência, de Clínicas Gaspar Vianna e Abelardo Santos, em Icoaraci. O Hospital Abelardo Santos está sendo reconstruído e terá serviços de média e alta complexidade, com 230 leitos. Na segurança pública foram aplicados cerca de R$ 1,5 bilhão somente em No mesmo ano foram entregues 14 novas Unidades Integradas ProPaz (UIPPs), nos municípios de Viseu, Santa Bárbara do Pará, São Sebastião da Boa Vista, Ananindeua, Cachoeira do Arari, Jacareacanga, Marapanim, Piçarra, Santarém, Dom Eliseu, Placas, São Miguel do Guamá, Ourém e Bragança. E mais de 30 unidades do Pro Paz estão em construção. Foram construídos, reformados e entregues os quartéis de Dom Eliseu, Ipixuna do Pará, Marabá (bairro Morada Nova), Novo Repartimento, Ourém, Paragominas e Tomé-Açu. Estão em fase de conclusão os quartéis de Marabá, Redenção, Santa Izabel do Pará e Abaetetuba, além da reforma de aproximadamente 50 delegacias. Pacto - Os dados da mensagem mostram que o Pará pode avançar na captação de novas operações de crédito no mercado. O governador destacou a implantação do Pacto pela Educação, que prevê a aplicação de mais de US$ 200 milhões na melhoria da qualidade de ensino, com financiamento obtido no Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), sem incluir a contrapartida direta do Tesouro estadual. A meta é aumentar em 30% o Ideb em todos os níveis do Ensino Fundamental e Médio, dentro de cinco anos. Na área de infraestrutura física e logística, estão em construção 45 novas escolas, com 12 salas de aula cada, das quais nove tecnológicas, sem falar nas inúmeras escolas reformadas e em reforma na capital e interior. Simão Jatene agradeceu a colaboração dos parlamentares na aprovação de projetos importantes, entre eles a Lei do Cheque Moradia, a Lei de Organização Básica da Polícia Militar e a Lei do ProPaz Cidadania. Para o presidente da Assembleia Legislativa, Márcio Miranda, a colaboração dos deputados foi fundamental para estes avanços.ele avaliou positivamente a abertura dos trabalhos de O clima foi ameno, tranquilo, e o debate foi de alto nível, afirmou. Com relação à manutenção do equilíbrio das contas públicas, os números apresentados no Balanço Geral do Estado de 2012, os dados da mensagem, apontaram resultados superavitários em todos os níveis das gestões orçamentária, financeira e patrimonial. No orçamento a receita foi superior à despesa em R$ milhão. A gestão financeira apresentou superávit de R$ 3,4 bilhões e o resultado econômico ou patrimonial foi de R$ milhão positivo. Para Adélia Macedo, secretária Adjunta do Tesouro, atribui os resultados alcançados à efetividade das ações voltadas para a modernização da gestão financeira e da administração fazendária, além do esforço do governo na racionalização, eficiência e controle dos gastos, mantendo o compromisso permanente com o equilíbrio fiscal das contas públicas. Para ela, o fato do Tribunal de Contas do Estado (TCE) ter aprovado por unanimidade as contas governamentais relativas a 2012 revela que o governo cumpriu todos os limites constitucionais e legais estabelecidos para a administração pública. Foram cumpridos os resultados primário, nominal e o limite com despesa de pessoal, além do o resultado da dívida consolidada. Todas as metas foram consideradas cumpridas pelo TCE, assim como pela Secretaria Nacional do Tesouro (STN), disse. NBCASP Para o diretor de Gestão Contábil e Fiscal da Sefa, Hélio Goes, em 2013 o Estado, por meio da Sefa, promoveu a convergência às Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público (NB- CASP). Iniciamos 2014 com o domínio deste conceito e um novo Siafem contendo o Plano de Contas Adequado ao Setor Público (PCASP), o que moderniza a administração tributária e fortalece a transparência da gestão das contas públicas no Pará, finaliza.

6 N o dia 18 de março, a partir das 10 horas, no auditório do Órgão Central, ocorrerá o primeiro sorteio do Programa Nota Fiscal Cidadã deste ano. Será a sexta premiação do Programa, que tem o objetivo de estimular a cidadania fiscal e valorizar iniciativas de apoio ao exercício da cidadania. Para a geração dos bilhetes que serão sorteados, a Sefa utilizará os documentos fiscais emitidos no período de 1º de outubro a 31 de dezembro de 2013, informa Rutilene Garcia (foto), coordenadora do Programa. No dia 10 de março acontecerá a reunião do Conselho Gestor do Programa. Além dos trabalhos desenvolvidos pela ONG Rádio Margarida junto às comunidades, feiras livres e centros comerciais na Região Metropolitana de Belém (RMB), Primeiro sorteio da Nota Fiscal Cidadã em 2014 o Programa trabalha em parceria com entidades representativas de segmentos empresariais e classes profissionais para melhorar a divulgação da iniciativa, conforme a coordenador. Uma de nossas propostas é estabelecer, também, parcerias com o Sindifisco e a Asfepa para que com apoio dos servidores aposentados possamos estimular ainda mais o exercício da cidadania fiscal. Tecnologia da Informação tem nova diretora Formada em Engenharia Civil pela Universidade da Amazônia (Unama), Claudia dos Santos Brito (foto), é servidora pública concursada e assumiu a Diretoria de Tecnologia e Informação (DTI) em janeiro passado, cargo ocupado até então por Ângela Aquino. A auditora fiscal iniciou as suas atividades profissionais no serviço público em 2002, por meio do concurso Fiscal de Tributos Estaduais, na área de Auditoria. Claudia trabalhou nas regionais de Redenção, Abaetetuba e desempenhou a função de coordenadora Executiva Especial de Administração Tributária - Substituição Tributária. Para 2014, a expectativa de Claudia é executar todos os planos da diretoria e monitorar os novos projetos de tecnologia da informação, visando atender as demandas do planejamento estratégico da Sefa, além de gerenciar os recursos humanos e tecnológicos para que os serviços prestados para os servidores, contribuintes e à sociedade sejam contínuos e de alta eficiência. colaborativo facilita uso pelos servidores O novo sistema de colaborativo da Sefa, que começou a ser usado em fevereiro, trouxe maior usabilidade, colaboração e segurança aos servidores fazendários. De acordo com Cristiano Avelar, Gerente de Datacenter da Diretoria de Tecnologia da Informação, DTI, a transição entre o sistema antigo e o atual foi tranquila, e 99% das contas de usuários não apresentaram problema durante a migração. A Rede Sefa tem usuários e 2091 contas de s ativas. Recebemos cerca de 75 chamados técnicos nos primeiros dias, a maioria 6 deles relacionados à senha, pois o novo usa a mesma senha de rede e alguns usuários não foram reconhecidos pela rede, pela diferença de nome. Entre as vantagens do novo está o aumento das caixas postais de usuários, maior flexibilidade e simplicidade aos usuários, pois integram as principais facilidades deste tipo , de gerenciamento de contatos, de agenda e compartilhamento de documentos, tudo isso integrado em um mesmo ambiente. Há, ainda, o aplicativo que permite conversas online entre usuários. Cristina Pilati (ao lado), da CMGF, diz que o sistema é simples e de fácil assimilação. A forma de localizar o endereço do servidor para enviar o racionaliza o tempo e amplia produtividade. As pastas permitem organização das rotinas de trabalho. O chat é um instrumento que permite um diálogo simultâneo entre os servidores. É um novo paradigma na comunicação institucional, assinala.

7 R ealizada pela Secretaria da Fazenda (Sefa), entre 27 de janeiro e 3 de fevereiro, a Operação de Fiscalização em São Félix do Xingu resultou no fechamento de dois estabelecimentos por falta de documentário fiscal e na lavratura de doze termos de apreensão de cargas de minérios e gado transportados sem nota fiscal. A operação verificou o recolhimento do ICMS, a regularidade fiscal de estabelecimentos e se possuíam equipamentos emissores de cupons fiscais e bloco de notas autorizados. Participaram da operação dez auditores e quatro fiscais de diversas unidades fazendárias, além da atuação de doze policiais militares e um servidor da Secretaria de Indústria, Comércio e Mineração (Seicom). O diretor de Fiscalização, Célio Cal, informa que na fiscalização de porta a porta, as equipes realizaram 24 apreensões de emissores de cupom fiscal, POS mais conhecido como ponto de venda ou ponto de serviço - e blocos talo- Com a participação de 32 auditores fiscais, entre 22 de janeiro e 13 de fevereiro, a Sefa, por meio da coordenação regional de Belém, realizou a primeira fase de operação do transporte aquaviário de passageiros na capital paraense. Márcia Costa (à esquerda), coordenadora Operação em São Félix do Xingu fecha estabelecimentos irregulares Auditores fiscais realizam operação porta a porta no Sul do Pará Fiscalização no transporte aquaviário da Cerat-Belém, diz que, nesta fase foram fiscalizadas 61 empresas, sendo dez suspensas por não terem sido localizadas. O objetivo da operação foi fazer um levantamento do potencial de arrecadação desse segmento, regularizar a emissão dos bilhetes de passagem e incrementar a arrecadação. Este setor, informa Márcia, nários de nota sem valor fiscal. A fiscalização entregou notificações a diversos contribuintes de ICMS, sobre início de procedimentos de auditoria, acentua Célio. O município de São Felix foi escolhido porque a Sefa recebeu denúncias de trânsito irregular de mercadorias do setor de atacado e varejo, além do transporte de minério e gado. As operações terão continuidade, assim como ocorreu em outras regiões do Estado em 2012, quando fiscalizamos os municípios de Itaituba, Santarém, Capanema, Paragominas, Marabá, Redenção e Altamira. Dentro do plano de fiscalização daremos prioridade, também, ao sul e oeste do Estado, afirmou Célio Cal. Ouvidoria supera meta de retorno ao público Em 2013 foram registradas 717 ocorrências na Ouvidoria Fazendária. Deste total, 655 foram atendidos e apenas 62 aguardam retorno, o que representa uma média de 91,4% de respostas aos cidadãos que procuraram os serviços na Sefa. A informação é da Ouvidora Fazendária, Milene Gonçalves, e mostra que a Ouvidoria superou a meta dos 80% de retorno aos usuários em Entretanto, o número total do balanço anual de 2013 não inclui os casos não registrados e que foram resolvidos pelos funcionários presencialmente na Ouvidoria. O crescimento da participação da sociedade, segundo Milene, se fundamenta nas ações do Programa Nota Fiscal Cidadã, que incentiva o público a procurar seus direitos. O maior número de reclamações registradas foi contra empresas por sonegação fiscal ou pela falta da nota fiscal cidadã. Os consumidores estão criando o hábito de pedir os documentos nos estabelecimentos graças à iniciativa da Sefa em investir na conscientização da importância do cupom e da nota fiscal, além dos benefícios do Programa Educação Fiscal, interpreta. Além disso, em 2013, a Ouvidoria desenvolveu um trabalho em parceria com as coordenações regionais e de fronteiras, além de oferecer suporte técnico, operacional e profissional por meio da DTI para sanear as pendências existentes com mais de noventa dias de registro no setor. Este trabalho coletivo também fundamentou o cumprimento da meta proposta pela Ouvidoria, alcançando os resultados positivos, enfatiza Milene. foi alvo de muitas denúncias, fator que desencadeou a operação. A segunda fase da operação ocorreu em 19 de fevereiro, no Porto Palmeiraço, terminal que transporta passageiros com destino a Santarém. Foram apreendidos bilhetes de passagem não fiscais, cópia da lista de passageiros e documentos irregulares de transporte de carga. A operação continuará em março em todo setor aquaviário, alerta a coordenadora.

8 D os 45 participantes da 1ª Reunião de Avaliação da Estratégia (RAE) da Secretaria da Fazenda (Sefa), ocorrida em 24 de fevereiro deste ano, no Centresaf Pará, para avaliar as metas, objetivos e projetos estratégicos da fazenda estadual, 88,88% afirmaram, após responder nove perguntas, que o conteúdo do planejamento é positivo e 11,11% aprovaram parcialmente, informa Eraldo Arraes, da Coordenação de Modernização da Gestão Fazendária (CMGF). Segundo ele, a RAE como ferramenta de análise teve a taxa de aprovação de 83% dos participantes e 15% concordaram parcialmente, acentua o servidor. Segundo ele, os dados sistematizados das nove questões apontam que 87,78% aprovam o local do evento - Centresaf - e 11,11% o fazem parcialmente. A metodologia teve aceitação de 81,48%, enquanto 16,30% aprovaram parcialmente. O destaque fica por conta da aprovação dos resultados da Reunião de Avaliação da Estratégia, com o respaldo de 77,78% dos entrevista- Em março, a CMGF realizará visitas de validação dos relatórios de autoavaliação para o Prêmio Inovação e Qualidade da Gestão Fazendária (PQGFAZ) nas regionais de Paragominas, Breves, Altamira e Tucuruí. Serão validados, ainda, os documentos das Cecomts Itinga, Serra do Cachimbo, Belém e da CEEAT-Substituição Tributária. Manoel Nunes, da Célula do Programa da Qualidade da CMGF, diz que a avaliação das unidades tem como objetivo dimensionar os resultados alcançados, identificar as oportunidades de melhorias e repactuar a continuidade das ações e dos desafios do Prêmio. RAE tem avaliação positiva de quase 90% dos, enquanto 22,22% aprovaram parcialmente. Este alinhamento é fundamental para a continuidade dos trabalhos na Sefa, assevera. Emanoel Moreira, coordenador de Assuntos Fazendários Estratégicos da Sefa, afirma que a reunião foi um momento de análise do desempenho do mapa estratégico da secretaria, refletindo a necessidade de ajustes nas ações para o alcance CMGF avalia relatórios do PQGFAZ Os relatórios demonstram resultados de como cada unidade desenvolveu o seu gerenciamento e de que forma buscou aumentar a eficiência, a eficácia e a efetividade das ações executadas na administração. O programa é um instrumento do processo de transformação gerencial e de profissionalização da gestão e busca apoiar as unidades para que elas atinjam padrão de excelência na gestão fazendária. Na avaliação, são debatidos os seguintes critérios de excelência: liderança, estratégia e planos, cidadão e sociedade, informação e conhecimento, pessoas, processos e resultados, explica Manoel. Conheça mais um projeto estratégico Consolidar o uso da Nota Fiscal Eletrônica - objetiva a racionalização da sistemática atual do cumprimento das obrigações acessórias, transmitidas pelos contribuintes às administrações tributárias e aos órgãos fiscalizadores, utilizando para isso a certificação digital para fins de assinatura dos documentos eletrônicos, garantindo a validade dos resultados esperados. Em relação aos projetos, os dados apresentados apontam um projeto não iniciado, oito com execução em atraso, dez exigem atenção na execução, 12 estão no prazo pactuado e um não foi avaliado. Quanto ao desempenho dos indicadores estratégicos, em quatro deles a aferição não foi iniciada e oito atingiram a meta. O nível de desempenho requer atenção em sete indicadores e 19 atingiram a meta. Já na análise do desempenho dos objetivos estratégicos, dez alcançaram a meta, quatro não alcançaram e o nível de desempenho requer atenção em sete objetivos, alertou Emanoel Moreira. O secretário da Fazenda, José Tostes Neto (foto), avaliou que o encontro foi uma oportunidade para que os gestores pudessem contribuir com a modernização da fazenda. Durante o evento avaliou-se as ações implementadas em 2013, as que estão em andamento e repactuadas as que serão colocadas em prática em O planejamento é um processo de aprendizagem para avançar na efetividade das ações visando o cumprimento da missão da Sefa, finalizou o secretário. jurídica na sua forma digital, promovendo a atuação integrada dos fiscos com o compartilhamento da informação, tornando mais célere a identificação de ilícitos tributários com a recepção dos lançamentos contábeis das empresas e o cruzamento entre declarações e informações entregues pelos contribuintes e suas respectivas contabilidades.

PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COOPE. www.ucp.fazenda.gov.br

PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COOPE. www.ucp.fazenda.gov.br COORDENAÇÃO-GERAL DE PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COOPE www.ucp.fazenda.gov.br PROGRAMAS EM ANDAMENTO Programa Nacional de Apoio à Gestão Administrativa e Fiscal dos Municípios Brasileiros - PNAFM

Leia mais

Unidade de Coordenação do PROFAZ/ES

Unidade de Coordenação do PROFAZ/ES Governo do Estado do Espírito Santo Secretaria de Estado da Fazenda do Espírito Santo Subsecretaria de Estado da Receita Subsecretária do Tesouro Estadual Subsecretário de Estado para Assuntos Administrativos

Leia mais

SEMINÁRIO INTERNACIONAL

SEMINÁRIO INTERNACIONAL SEMINÁRIO INTERNACIONAL Performance Budgeting: Orçamento por Resultados Mauro Ricardo Machado Costa Dezembro/2008 1 SEMINÁRIO INTERNACIONAL Performance Budgeting: Orçamento por Resultados PLANEJAMENTO

Leia mais

Planejamento Fiscal 2015 DM/SMF

Planejamento Fiscal 2015 DM/SMF Planejamento Fiscal 2015 DM/SMF PLANEJAMENTO FISCAL 2015 CAPITULO I APRESENTAÇÃO O Planejamento Fiscal do DM/SMF - Departamento de Impostos Mobiliários da Secretaria Municipal de Fazenda materializa-se

Leia mais

PROFISCO. Brasilia, 29 de setembro de 2014

PROFISCO. Brasilia, 29 de setembro de 2014 PROFISCO Avaliação Intermediária II Brasilia, 9 de setembro de 04 Estrutura da Apresentação Visão Geral Avaliação de Desempenho do PROGRAMA Impactos Avaliação de Desempenho dos PROJETOS Contexto Fiscal

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS DIRETORIA LEGISLATIVA

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS DIRETORIA LEGISLATIVA LEI Nº 2.054, DE 29 DE OUTUBRO DE 2015 (D.O.M. 29.10.2015 N. 3.763 Ano XVI) DISPÕE sobre a estrutura organizacional da Secretaria Municipal de Finanças, Tecnologia da Informação e Controle Interno Semef,

Leia mais

PNAFM PROGRAMA NACIONAL DE APOIO À GESTÃO ADMINISTRATIVA E FISCAL DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS PNAFM

PNAFM PROGRAMA NACIONAL DE APOIO À GESTÃO ADMINISTRATIVA E FISCAL DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS PNAFM Ministério da Fazenda - MF Secretaria Executiva - SE Subsecretaria de Gestão Estratégica SGE Coordenação-Geral de Programas e Projetos de Cooperação COOPE PROGRAMA NACIONAL DE APOIO À GESTÃO ADMINISTRATIVA

Leia mais

Tribunal de Contas da União. Controle Externo

Tribunal de Contas da União. Controle Externo Tribunal de Contas da União Controle Externo 1224 Controle Externo Objetivo Assegurar a efetiva e regular gestão dos recursos públicos federais em benefício da sociedade e auxiliar o Congresso Nacional

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS O PREFEITO DE MANAUS LEI DELEGADA N 10, DE 31 DE JULHO DE 2013 (D.O.M. 31.07.2013 N. 3221 Ano XIV) DISPÕE sobre a estrutura organizacional da SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS, TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

Professor José Sérgio Fernandes de Mattos

Professor José Sérgio Fernandes de Mattos Professor Apresentação: 1. Instituído pelo Decreto nº 6.022, de 22 de janeiro de 2007, o Sistema Público de Escrituração Digital (Sped) faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento do Governo Federal

Leia mais

Contrato de Empréstimo n.º 980/OC-BR. República Federativa do Brasil e o Banco Interamericano de Desenvolvimento

Contrato de Empréstimo n.º 980/OC-BR. República Federativa do Brasil e o Banco Interamericano de Desenvolvimento TERMO DE REFERÊNCIA Projeto BRA/97/032 Coordenação do Programa de Modernização Fiscal dos Estados Brasileiros - PNAFE Contrato de Empréstimo n.º 980/OC-BR entre a República Federativa do Brasil e o Banco

Leia mais

EDUCAÇÃO FISCAL PARA A CIDADANIA. Abril / 2014

EDUCAÇÃO FISCAL PARA A CIDADANIA. Abril / 2014 EDUCAÇÃO FISCAL PARA A CIDADANIA Abril / 2014 Reflexão Inicial Se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda. (Paulo Freire) Mundo em Crise 30 mil crianças morrem

Leia mais

AUDITORIA ELETRÔNICA EM ARQUIVOS FISCAIS E CONTÁBEIS

AUDITORIA ELETRÔNICA EM ARQUIVOS FISCAIS E CONTÁBEIS VOCÊ JÁ TEM POUCO TEMPO. UTILIZE ESSE TEMPO PARA RESOLVER OUTROS PROBLEMAS. ACHAR E SOLUCIONAR OS PROBLEMAS TRIBUTÁRIOS E NO SPED FAZ PARTE DAS NOSSAS ESPECIALIDADES. AUDITORIA ELETRÔNICA EM ARQUIVOS FISCAIS

Leia mais

Módulo Contábil e Fiscal

Módulo Contábil e Fiscal Módulo Contábil e Fiscal SPED Contábil e Fiscal Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Contábil e Fiscal SPED. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas no

Leia mais

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS SUBCHEFIA DE ASSUNTOS FEDERATIVOS Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal Mapa de obras contratadas pela CEF, em andamento com recursos do Governo Federal 5.048

Leia mais

CARTILHA DE ORIENTAÇÃO SOBRE A LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL

CARTILHA DE ORIENTAÇÃO SOBRE A LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO CARTILHA DE ORIENTAÇÃO SOBRE A LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL 1. O que é a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF)? A Lei de Responsabilidade Fiscal é um código

Leia mais

Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública. Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008

Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública. Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008 Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008 Roteiro 1. Contexto 2. Por que é preciso desenvolvimento de capacidades no setor

Leia mais

CONSOLIDAÇÃO DOS CENÁRIOS, TENDÊNCIAS E DESAFIOS DA GESTÃO FISCAL SUBNACIONAL BRASILEIRA. Ministério da Fazenda

CONSOLIDAÇÃO DOS CENÁRIOS, TENDÊNCIAS E DESAFIOS DA GESTÃO FISCAL SUBNACIONAL BRASILEIRA. Ministério da Fazenda CONSOLIDAÇÃO DOS CENÁRIOS, TENDÊNCIAS E DESAFIOS DA GESTÃO FISCAL SUBNACIONAL BRASILEIRA SEMINÁRIO DE CONSOLIDAÇÃO CENÁRIOS, TENDÊNCIAS E DESAFIOS DA GESTÃO FISCAL SUBNACIONAL BRASILEIRA 1. Abertura 2.

Leia mais

A NOVA CONTABILIDADE DOS MUNICÍPIOS

A NOVA CONTABILIDADE DOS MUNICÍPIOS Apresentação O ano de 2009 encerrou pautado de novas mudanças nos conceitos e nas práticas a serem adotadas progressivamente na contabilidade dos entes públicos de todas as esferas do Governo brasileiro.

Leia mais

EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA OPERACIONAL (PTO)

EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA OPERACIONAL (PTO) EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 CONCESSÃO PARA AMPLIAÇÃO, MANUTENÇÃO E EXPLORAÇÃO DOS AEROPORTOS INTERNACIONAIS BRASÍLIA CAMPINAS GUARULHOS EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA

Leia mais

Anexo III Contratações de Serviços de Consultoria (Pessoa Física e Jurídica)

Anexo III Contratações de Serviços de Consultoria (Pessoa Física e Jurídica) Anexo III Contratações de Serviços de Consultoria (Pessoa Física e Jurídica) No decorrer da execução do Projeto, e tão logo sejam definidos os perfis dos consultores necessários para a consecução dos produtos

Leia mais

Um balanço consolidado

Um balanço consolidado ANO XVII N o 170 OUTUBRO 2013 Receita própria do Estado aumenta 7,7% Rosemary Nascimento: a presença do fisco inibe a sonegação e amplia a arrecadação Um balanço consolidado pela Diretoria de Arrecadação

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Disciplina: Tópicos Avançados II 5º período Professor: José Maurício S. Pinheiro AULA 5: Certificado Digital e Nota

Leia mais

CAPÍTULO I DA CARREIRA Seção I Disposições iniciais. Seção II Do quadro

CAPÍTULO I DA CARREIRA Seção I Disposições iniciais. Seção II Do quadro LEI COMPLEMENTAR Nº 442, de 13 de maio de 2009 Procedência Governamental Natureza PLC/0006.2/2009 DO. 18.604 de 14/05/2009 *Alterada pela LC 534/11 *Ver Lei LC 534/11 (art. 72) *Regulamentada pelo Dec.

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DIRETORIA DE FISCALIZAÇÃO CÉLULA DE PADRONIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS DE FISCALIZAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DIRETORIA DE FISCALIZAÇÃO CÉLULA DE PADRONIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS DE FISCALIZAÇÃO ICMS ANTECIPADO - OPTANTES DO SIMPLES NACIONAL PERGUNTAS E RESPOSTAS 1. Em que se constitui o ICMS ANTECIPADO para recolhimento pelos optantes do Simples Nacional? Na unificação das seguintes modalidades

Leia mais

GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA

GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA SUMÁRIO >> Introdução... 3 >> O que é a nota fiscal eletrônica?... 6 >> O que muda com esse novo modelo de documento fiscal?... 8 >> O DANFE - Documento Acessório

Leia mais

RESUMO DOS PROGRAMAS POR TIPO

RESUMO DOS PROGRAMAS POR TIPO Tipo: 1 - Finalístico Programa: 5140 - ESPAÇO ABERTO Objetivo: PROMOVER A INTEGRAÇÃO ENTRE O PODER PÚBLICO MUNICIPAL E OS MUNÍCIPES EM CONJUNTO COM OS DEMAIS ORGÃOS QUE COMPÕE A ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL.

Leia mais

R$1,60 por imóvel em apenas 3 minutos cada avaliação!

R$1,60 por imóvel em apenas 3 minutos cada avaliação! AVALIAÇÕES DE IMÓVEIS ONLINE PORTIFÓLIO PARA PREFEITURAS MUNICIPAIS A melhor solução para atualização dos valores de IPTU s e ITBI e ITR R$1,60 por imóvel em apenas 3 minutos cada avaliação! Copyright

Leia mais

ANO XIX N o 191 JULHO 2015. do Pará, recursos aplicados na modernização

ANO XIX N o 191 JULHO 2015. do Pará, recursos aplicados na modernização ANO XIX N o 191 JULHO 2015 Sefa e BID avaliam Profisco A Secretaria da Fazenda (Sefa) e gestores do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) realizam no dia 5 de agosto, no Órgão Central, o seminário

Leia mais

Relatório Controle Interno 2º. Quadrimestre 2015

Relatório Controle Interno 2º. Quadrimestre 2015 Relatório Controle Interno 2º. Quadrimestre 2015 1. APRESENTAÇÃO Nos termos do artigo 74 da Constituição Federal, artigo 59 da Lei Complementar nº. 59, artigos 63 a 66 da Lei Complementar nº. 33, de 28

Leia mais

Experiências Nacionais Bem Sucedidas com Gestão de Tributos Municipais Ênfase no IPTU

Experiências Nacionais Bem Sucedidas com Gestão de Tributos Municipais Ênfase no IPTU Experiências Nacionais Bem Sucedidas com Gestão de Tributos Municipais Ênfase no IPTU O Papel dos Tributos Imobiliários para o Fortalecimento dos Municípios Eduardo de Lima Caldas Instituto Pólis Marco

Leia mais

Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo

Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo Brasília, 02 de janeiro de 2015. Ministra Miriam Belchior, demais autoridades, parentes e amigos aqui presentes.

Leia mais

NOVO MODELO DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO. A experiência do Estado do Rio de Janeiro na implementação do PCASP.

NOVO MODELO DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO. A experiência do Estado do Rio de Janeiro na implementação do PCASP. NOVO MODELO DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO A experiência do Estado do Rio de Janeiro na implementação do PCASP. A CONTADORIA GERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Entendendo a estrutura administrativa

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN ROTINAS ADMINISTRATIVAS PROPLAN SETOR: Pró-Reitoria CARGO: Docente / TNS FUNÇÃO: Pró-Reitor

Leia mais

Gestão de Finanças Públicas

Gestão de Finanças Públicas APRESENTAÇÃO Desde a primeira edição deste livro mencionamos como os avanços no arcabouço institucional e instrumental de gestão financeira foram relevantes para que o governo brasileiro, efetivamente,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 313 DE 02 DE DEZEMBRO DE 2013.

RESOLUÇÃO Nº 313 DE 02 DE DEZEMBRO DE 2013. RESOLUÇÃO Nº 313 DE 02 DE DEZEMBRO DE 2013. DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DO CONTROLE INTERNO DO PODER LEGISLATIVO DE POCONÉ E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS O Presidente da Câmara Municipal de Poconé,

Leia mais

III Seminário de Gestão e. Arrecadação Municipal

III Seminário de Gestão e. Arrecadação Municipal III Seminário de Gestão e iza Arrecadação Municipal Modernização dos Instrumentos de Arrecadação Fontes de Financiamento para Fazendas Públicas Municipais. Temas abordados no evento: 1. Alternativas de

Leia mais

PODER EXECUTIVO ANEXO I ATRIBUIÇÕES DO CARGO DE ESPECIALISTA EM POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO GOVERNAMENTAL

PODER EXECUTIVO ANEXO I ATRIBUIÇÕES DO CARGO DE ESPECIALISTA EM POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO GOVERNAMENTAL ANEXO I ATRIBUIÇÕES DO CARGO DE ESPECIALISTA EM POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO GOVERNAMENTAL a) formulação, implantação e avaliação de políticas públicas voltadas para o desenvolvimento sócio-econômico e

Leia mais

A ESTRELA QUE QUEREMOS. Planejamento Estratégico de Estrela

A ESTRELA QUE QUEREMOS. Planejamento Estratégico de Estrela Planejamento Estratégico de Estrela 2015 2035 O planejamento não é uma tentativa de predizer o que vai acontecer. O planejamento é um instrumento para raciocinar agora, sobre que trabalhos e ações serão

Leia mais

O Congresso Nacional decreta:

O Congresso Nacional decreta: Dispõe sobre os valores mínimos a serem aplicados anualmente por Estados, Distrito Federal, Municípios e União em ações e serviços públicos de saúde, os critérios de rateio dos recursos de transferências

Leia mais

DIAGNÓSTICO NACIONAL SOBRE MATURIDADE DA GESTÃO CONTÁBIL

DIAGNÓSTICO NACIONAL SOBRE MATURIDADE DA GESTÃO CONTÁBIL DIAGNÓSTICO NACIONAL SOBRE MATURIDADE DA GESTÃO CONTÁBIL O Questionário sobre Maturidade da Gestão Contábil, elaborado pela Secretaria do Tesouro Nacional, tem como objetivo avaliar o estágio atual das

Leia mais

Cartilha da Escrituração Fiscal Digital - EFD

Cartilha da Escrituração Fiscal Digital - EFD Retificação da EFD O contribuinte poderá retificar a EFD: Até o dia 15 do mês subseqüente ao período informado, independente de autorização da SEFA/PA. Encerrado o prazo sem a retificação da EFD, o contribuinte

Leia mais

PROPOSTAS PARA O ATENDIMENTO COM QUALIDADE E A PRESTAÇÃO DE INFORMAÇÃO QUE A SOCIEDADE PRECISA.

PROPOSTAS PARA O ATENDIMENTO COM QUALIDADE E A PRESTAÇÃO DE INFORMAÇÃO QUE A SOCIEDADE PRECISA. Estado de Mato Grosso PROPOSTAS PARA O ATENDIMENTO COM QUALIDADE E A PRESTAÇÃO DE INFORMAÇÃO QUE A SOCIEDADE PRECISA. Comissão criada pela Portaria nº 029/SUGP/SEFAZ de 04/05/04 LEGENDA ATENDIDO PTA RP

Leia mais

Realizar pesquisas de satisfação da comunidade frente aos serviços prestados e torná-las públicas

Realizar pesquisas de satisfação da comunidade frente aos serviços prestados e torná-las públicas PLANILHA DE OBJETIVOS E AÇÕES VIABILIZADORAS FT DE GESTÃO PÚBLICA - "A SANTA MARIA QUE QUEREMOS" Visão: Que em 2020 Santa Maria seja um município que preste Serviços de Qualidade a seus cidadãos, com base

Leia mais

DECRETO Nº 14.407 DE 09 DE ABRIL DE 2013. Aprova o Regulamento do Sistema Financeiro e de Contabilidade do Estado, e dá outras providências.

DECRETO Nº 14.407 DE 09 DE ABRIL DE 2013. Aprova o Regulamento do Sistema Financeiro e de Contabilidade do Estado, e dá outras providências. DECRETO Nº 14.407 DE 09 DE ABRIL DE 2013 Aprova o Regulamento do Sistema Financeiro e de Contabilidade do Estado, e dá outras providências. (Publicado no DOE de 10 de abril de 2013) O GOVERNADOR DO ESTADO

Leia mais

Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI)

Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) Presidência da República Controladoria-Geral da União Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) PROGRAMA DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL (PETI) O PETI é um programa do Governo Federal que

Leia mais

Com o objetivo de continuar aprimorando o modelo de gestão de Minas Gerais, foi lançado, em 2010, o projeto Agenda de Melhorias caminhos para inovar

Com o objetivo de continuar aprimorando o modelo de gestão de Minas Gerais, foi lançado, em 2010, o projeto Agenda de Melhorias caminhos para inovar março de 2012 Introdução Com o objetivo de continuar aprimorando o modelo de gestão de Minas Gerais, foi lançado, em 2010, o projeto Agenda de Melhorias caminhos para inovar na gestão pública. A criação

Leia mais

O modelo OS do Espírito Santo e a gestão e controle das organizações qualificadas. Flávio Alcoforado f.alcoforado@uol.com.br

O modelo OS do Espírito Santo e a gestão e controle das organizações qualificadas. Flávio Alcoforado f.alcoforado@uol.com.br O modelo OS do Espírito Santo e a gestão e controle das organizações qualificadas Flávio Alcoforado f.alcoforado@uol.com.br ORGANIZAÇÃO SOCIAL Modelo: Pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos,

Leia mais

Apresentação Plano de Integridade Institucional da Controladoria-Geral da União (PII)

Apresentação Plano de Integridade Institucional da Controladoria-Geral da União (PII) PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO Secretaria-Executiva Diretoria de Planejamento e Desenvolvimento Institucional Plano de Integridade Institucional (PII) 2012-2015 Apresentação Como

Leia mais

DESCENTRALIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA DAS PROMOTORIAS DE JUSTIÇA REGIONAIS

DESCENTRALIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA DAS PROMOTORIAS DE JUSTIÇA REGIONAIS DESCENTRALIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA DAS PROMOTORIAS DE JUSTIÇA REGIONAIS DESCENTRALIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA DAS PROMOTORIAS DE JUSTIÇA REGIONAIS OBJETIVOS Dotar as Promotorias de Justiça

Leia mais

Na oportunidade, elencamos cinco propostas de suma importância para o realização das atividades e desenvolvimento do estado do Pará:

Na oportunidade, elencamos cinco propostas de suma importância para o realização das atividades e desenvolvimento do estado do Pará: Ofício CRCPA nº 273/2014 Belém - Pará, 15 de setembro de 2014. À Sua Excelência o Senhor Simão Robson de Oliveira Jatene Belém - PA Assunto: Carta de Propostas da Classe Contábil Paraense. Excelentíssimo

Leia mais

Projetos da Receita Federal

Projetos da Receita Federal Escrituração Fiscal Digital - EFD Projetos da Receita Federal A Escrituração Fiscal Digital - EFD é um arquivo digital, que se constitui de um conjunto de escriturações de documentos fiscais e de outras

Leia mais

CARTA DO PARANÁ DE GOVERNANÇA METROPOLITANA

CARTA DO PARANÁ DE GOVERNANÇA METROPOLITANA CARTA DO PARANÁ DE GOVERNANÇA METROPOLITANA Em 22 e 23 de outubro de 2015, organizado pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano SEDU, por meio da Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba COMEC,

Leia mais

LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007.

LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007. LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007. Dispõe sobre a criação do Instituto Escola de Governo e Gestão Pública de Ananindeua, e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE ANANINDEUA estatui, e eu

Leia mais

Programa de Estudos CASP 2012

Programa de Estudos CASP 2012 Programa de Estudos CASP 2012 Procedimentos Patrimoniais Apropriação da Receita por Competência Grupo de Estudos CASP : Sub Grupo Créditos Tributários Justificativa Técnica ( IPSAS, NBCASP, PRINCÍPIOS)

Leia mais

I sob o enfoque contábil: Modelo de Projeto de Lei de Controle Interno Controladoria e Auditoria

I sob o enfoque contábil: Modelo de Projeto de Lei de Controle Interno Controladoria e Auditoria Modelo de Projeto de Lei de Controle Interno Controladoria e Auditoria Dispõe sobre a organização e a atuação do Sistema de Controle Interno no Município e dá outras providências. CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES

Leia mais

4. Padrão Mínimo de Qualidade dos Sistemas Integrados de Administração Financeira e Controle

4. Padrão Mínimo de Qualidade dos Sistemas Integrados de Administração Financeira e Controle 4. Padrão Mínimo de Qualidade dos Sistemas Integrados de Administração Financeira e Controle Luís Eduardo Vieira Superintendência de Gestão Técnica SGT Financeira e Controle. Introdução A transparência

Leia mais

Ajuste Fiscal Gaúcho - Fase 2. fazer o que precisa ser feito para um rs sustentável

Ajuste Fiscal Gaúcho - Fase 2. fazer o que precisa ser feito para um rs sustentável FASE 1 Redução de secretarias Contingenciamento de CCs em 35% Reprogramação orçamentária com redução média de 21% do custeio Revisão de contratos com fornecedores Limitação de cedência de servidores Implementação

Leia mais

O CONTROLE INTERNO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO PARA OS MUNICÍPIOS

O CONTROLE INTERNO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO PARA OS MUNICÍPIOS O CONTROLE INTERNO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO PARA OS MUNICÍPIOS Luís Filipe Vellozo de Sá e Eduardo Rios Auditores de Controle Externo TCEES Vitória, 21 de fevereiro de 2013 1 Planejamento Estratégico

Leia mais

Certificado Digital Usos e Aplicações

Certificado Digital Usos e Aplicações Certificado Digital Usos e Aplicações Certificado Digital: Onde usar? O certificado digital é um documento eletrônico que proporciona agilidade em muitas das atividades realizadas atualmente por seu titular.

Leia mais

Reunião de Abertura do Monitoramento 2015. Superintendência Central de Planejamento e Programação Orçamentária - SCPPO

Reunião de Abertura do Monitoramento 2015. Superintendência Central de Planejamento e Programação Orçamentária - SCPPO Reunião de Abertura do Monitoramento 2015 Superintendência Central de Planejamento e Programação Orçamentária - SCPPO Roteiro da Apresentação 1. Contextualização; 2. Monitoramento; 3. Processo de monitoramento;

Leia mais

RESOLUÇÃO T.C. Nº 16, DE 7 DE NOVEMBRO DE 2012.

RESOLUÇÃO T.C. Nº 16, DE 7 DE NOVEMBRO DE 2012. ESTADO DE PERNAMBUCO TRIBUNAL DE CONTAS RESOLUÇÃO T.C. Nº 16, DE 7 DE NOVEMBRO DE 2012. Estabelece normas relativas à composição das contas anuais do Governador, nos termos do Regimento Interno do Tribunal

Leia mais

Ação Medida Meta Física Orçamento - 11/2013

Ação Medida Meta Física Orçamento - 11/2013 U n id a d e 0 0 0 9 Ação Medida Meta Física Orçamento - 11/2013 Cod Título Prioritária Unidade Sigla Planejada Executada Orç. Inicial Alterações Autorizado Empenhado Liquidado Pago Saldo E/A L/A L/P 2

Leia mais

Realizar pesquisas de satisfação da comunidade frente aos serviços prestados e torná-las públicas

Realizar pesquisas de satisfação da comunidade frente aos serviços prestados e torná-las públicas PLANILHA DE OBJETIVOS E AÇÕES VIABILIZADORAS FT DE GESTÃO PÚBLICA - "A SANTA MARIA QUE QUEREMOS" Visão: Que em 2020 Santa Maria seja um município que preste Serviços de Qualidade a seus cidadãos, com base

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 2. Finanças 2.1 Orçamento anual integrado Objetivo: Melhorar

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 508, DE 2015

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 508, DE 2015 SENADO FEDERAL Gabinete do Senador JOSÉ SERRA PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 508, DE 2015 Altera a Lei nº 11.314, de 3 de julho de 2006, que dispõe sobre o prazo referente ao apoio à transferência definitiva

Leia mais

QUESTIONÁRIO SOBRE MATURIDADE DA GESTÃO CONTÁBIL

QUESTIONÁRIO SOBRE MATURIDADE DA GESTÃO CONTÁBIL QUESTIONÁRIO SOBRE MATURIDADE DA GESTÃO CONTÁBIL Você está contribuindo para a elaboração de um diagnóstico nacional sobre o estágio em que se encontram as práticas contábeis. Isso é importante para o

Leia mais

CONTROLE EXTERNO GOVERNANÇA A E DESENVOLVIMENTO

CONTROLE EXTERNO GOVERNANÇA A E DESENVOLVIMENTO CONTROLE EXTERNO GOVERNANÇA A E DESENVOLVIMENTO Evento Tá na Mesa Federasul Federação das Associações Comerciais e de Serviços do Rio Grande do Sul Ministro João Augusto Ribeiro Nardes Presidente do TCU

Leia mais

CidadesDigitais. A construção de um ecossistema de cooperação e inovação

CidadesDigitais. A construção de um ecossistema de cooperação e inovação CidadesDigitais A construção de um ecossistema de cooperação e inovação CidadesDigitais PRINCÍPIOs 1. A inclusão digital deve proporcionar o exercício da cidadania, abrindo possibilidades de promoção cultural,

Leia mais

PGQP. Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade. Qualidade Gestão Inovação Competitividade Sustentabilidade

PGQP. Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade. Qualidade Gestão Inovação Competitividade Sustentabilidade PGQP Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade Qualidade Gestão Inovação Competitividade Sustentabilidade visão das lideranças A Excelência de qualquer organização depende da sinergia entre três fatores:

Leia mais

Desafios para a Indústria Eletroeletrônica

Desafios para a Indústria Eletroeletrônica Desafios para a Indústria Eletroeletrônica 95 O texto aponta as características das áreas da indústria eletroeletrônica no país e os desafios que este setor tem enfrentado ao longo das últimas décadas.

Leia mais

LSoft SGC Gestão Empresarial

LSoft SGC Gestão Empresarial LSoft SGC Gestão Empresarial O LSoft SGC é um sistema de gestão dinâmico, eficiente e flexível idealizado para atender diversos segmentos de indústrias, comércios e serviços. O objetivo principal é tornar

Leia mais

DECRETO Nº 037, DE 08 DE JANEIRO DE 2015

DECRETO Nº 037, DE 08 DE JANEIRO DE 2015 1 Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 037, DE 08 DE JANEIRO DE 2015 Dispõe sobre critérios a serem adotados na execução orçamentária e financeira do Poder Executivo do Município de Goiânia para o exercício

Leia mais

Iniciativas para o Fortalecimento da Ação Fiscal dos Municípios em Tributação Imobiliária

Iniciativas para o Fortalecimento da Ação Fiscal dos Municípios em Tributação Imobiliária SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE TRIBUTAÇÃO IMOBILIÁRIA Iniciativas para o Fortalecimento da Ação Fiscal dos Municípios em Tributação Imobiliária Salvador, 21 e 22 de novembro de 2007 SESSÃO III Inovação,

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 110, DE 2015

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 110, DE 2015 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 110, DE 2015 Institui programa de concessão de créditos da União no âmbito do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física, denominado Nota Fiscal Brasileira, com o objetivo de incentivar

Leia mais

Domínio E: Celeridade e Tempestividade

Domínio E: Celeridade e Tempestividade Domínio E: Celeridade e Tempestividade 10 Agilidade no julgamento de processos e gerenciamento de prazos pelos Tribunais de Contas (4 domínios) 11 Controle externo concomitante (preventivo) (4 domínios)

Leia mais

Plano de Trabalho e Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras

Plano de Trabalho e Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras Plano de Trabalho e Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras 1. Introdução O Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras foi idealizado pelo Conselho Gestor da Escola,

Leia mais

INFORMATIVO ARRECADAÇÃO ESTADUAL AUMENTA 11,4% NO SEMESTRE. LEIA AINDA Destaques para GTIN e DEC...Pág. 7 Treinamento na CMGF...Pág.

INFORMATIVO ARRECADAÇÃO ESTADUAL AUMENTA 11,4% NO SEMESTRE. LEIA AINDA Destaques para GTIN e DEC...Pág. 7 Treinamento na CMGF...Pág. INFORMATIVO ANO XIV Nº 154 JULHO - 2011 SEMINÁRIO DEBATE ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL A secretaria da Fazenda (Sefa) realiza no dia 11 de agosto, a partir das 8:30 horas, no auditório do Órgão Central,

Leia mais

Agenda para Micro e Pequenas Empresas

Agenda para Micro e Pequenas Empresas Agenda para Micro e Pequenas Empresas As Micro e Pequenas Empresas (MPE) são de vital importância para o desenvolvimento econômico de Goiás, pois atuam em diversas atividades econômicas, tais como indústria,

Leia mais

GESTÃO. Educacional. www.semeareducacional.com.br. Sistema Municipal de Excelência ao Atendimento da Rede

GESTÃO. Educacional. www.semeareducacional.com.br. Sistema Municipal de Excelência ao Atendimento da Rede GESTÃO Educacional A P R E S E N T A Ç Ã O www.semeareducacional.com.br Sistema Municipal de Excelência ao Atendimento da Rede A EXPANSÃO TECNOLOGIA Nossa MISSÃO: Transformação de Dados em Informação Transformação

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS A respeito da evolução da administração e do processo administrativo, julgue os itens que se seguem. 51 A organização que adotar em seu planejamento a metodologia do balanced

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Subsecretaria de Planejamento, Orçamento e Administração Coordenação-Geral de Recursos Humanos

MINISTÉRIO DA FAZENDA Subsecretaria de Planejamento, Orçamento e Administração Coordenação-Geral de Recursos Humanos MINISTÉRIO DA FAZENDA QUADRO GERAL DO PLANO SETORIAL DE APRENDIZAGEM PERMANENTE - 2007 ÓRGÃO: GERÊNCIA REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DO MINISTERIO DA FAZENDA NO PIAUI - GRA-PÍ Campos de Conhecimento Número

Leia mais

DECRETO Nº 36.084, DE 24 DE JULHO DE

DECRETO Nº 36.084, DE 24 DE JULHO DE DECRETO Nº 36.084, DE 24 DE JULHO DE 2015 Publicado no DOE de 24.07.2015, Poder Executivo, p. 1 REGULAMENTA a Lei nº 4.174, de 2015, que institui o Programa Estadual de Cidadania Fiscal. O GOVERNADOR DO

Leia mais

Nota Fiscal Eletrônica

Nota Fiscal Eletrônica UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO EACH Escola de Artes, Ciências e Humanidades CELSO RUBENS TOSCANELLI - 553352 HERMANO FRANCISCO SILVA 5990043 PRISCILA Nota Fiscal Eletrônica Trabalho Final da disciplina Gestão

Leia mais

A Transferência de Recursos do OGU foi Simplificada. Conte com a parceria da CAIXA nos projetos do seu município.

A Transferência de Recursos do OGU foi Simplificada. Conte com a parceria da CAIXA nos projetos do seu município. A Transferência de Recursos do OGU foi Simplificada. Conte com a parceria da CAIXA nos projetos do seu município. As novas regras e o papel da CAIXA na transferência de recursos da União. A CAIXA na Transferência

Leia mais

Compra e recebimento de Crédito de ICMS para pagamento de conta de Energia Elétrica

Compra e recebimento de Crédito de ICMS para pagamento de conta de Energia Elétrica Compra e recebimento de Crédito de ICMS para pagamento de conta de Energia Elétrica Engº Francisco Antônio Ramos de Oliveira Gerente de Negócios faro@cpfl.com.br 14 9148 5978 São Paulo, 16 de junho de

Leia mais

R. Gen. Aristides Athayde Junior, 350. 80730-370. Bigorrilho. Curitiba. Paraná Telefone: 41 3053-3219. www.ibpt.com.br

R. Gen. Aristides Athayde Junior, 350. 80730-370. Bigorrilho. Curitiba. Paraná Telefone: 41 3053-3219. www.ibpt.com.br EVOLUÇÃO DA CARGA TRIBUTÁRIA BRASILEIRA E PREVISÃO PARA 2013 Com base na arrecadação até novembro de 2013 e com a divulgação do PIB do 3º. trimestre deste ano, o IBPT fez a sua previsão para a carga tributária

Leia mais

AGENDA - A Ouvidoria nas Empresas - Sistema de controle Exceller Ouvidoria - Resolução Bacen 3.477 - Principais pontos

AGENDA - A Ouvidoria nas Empresas - Sistema de controle Exceller Ouvidoria - Resolução Bacen 3.477 - Principais pontos AGENDA - A Ouvidoria nas Empresas - Sistema de controle Exceller Ouvidoria - Resolução Bacen 3.477 - Principais pontos mediação, ouvidoria e gestão de relacionamentos A Ouvidoria nas Empresas Ferramenta

Leia mais

Cem edições para informar e formar cidadãos!

Cem edições para informar e formar cidadãos! ParaTod Mandato do Deputado Tadeu Veneri-PT nº 100 Dezembro 2014 s Acesse: www.tadeuveneri.com.br facebook.com/tadeuveneri Edição Especial Número 100 Cem edições para informar e formar cidadãos! Do primeiro

Leia mais

Apresentação ao Grupo de Usuários PROCERGS

Apresentação ao Grupo de Usuários PROCERGS Apresentação ao Grupo de Usuários PROCERGS Ricardo Neves Pereira Subsecretário da RE Ivo Estevão Luft Júnior Assessor de Planejamento APLAN 22/03/2013 Introdução Apresentação pessoal A transferência do

Leia mais

Resultados da gestão orçamentária e financeira do Estado do Rio Grande do Norte: análise comparativa - Período: 2010 a 2014

Resultados da gestão orçamentária e financeira do Estado do Rio Grande do Norte: análise comparativa - Período: 2010 a 2014 Resultados da gestão orçamentária e financeira do Estado do Rio Grande do Norte: análise comparativa - Período: 2010 a 2014 Introdução Este relatório apresenta os principais resultados da gestão orçamentária

Leia mais

Gestão das organizações contábeis

Gestão das organizações contábeis Gestão das organizações contábeis Análise dos resultados da pesquisa Dezembro/2014 por Roberto Dias Duarte Sobre a pesquisa O Sistema Público de Escrituração Digital e seus vários subprojetos têm sido

Leia mais

Fundação SEADE. www.seade.gov.br

Fundação SEADE. www.seade.gov.br Outubro de 0 N o Monitoramento das metas dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio ODMs Consulte A Fundação Seade disponibilizará, anualmente, as séries históricas do conjunto de indicadores dos ODMs

Leia mais

EFD PIS COFINS Teoria e Prática

EFD PIS COFINS Teoria e Prática EFD PIS COFINS Teoria e Prática É uma solução tecnológica que oficializa os arquivos digitais das escriturações fiscal e contábil dos sistemas empresariais dentro de um formato digital específico e padronizado.

Leia mais

Nota Fiscal Eletrônica Volume 4

Nota Fiscal Eletrônica Volume 4 Brasil Nota Fiscal Eletrônica Volume 4 Nota Fiscal Eletrônica A Nota Fiscal Eletrônica já é uma realidade e uma tecnologia conhecida. Mas o projeto é contínuo, sempre com novidades. Uma delas é a maximização

Leia mais

Nota Técnica nº 11/2014/CCONF/SUCON/STN/MF-DF (Alterada pela Nota Técnica nº 1/2015/CCONF/SUCON/STN/MF-DF)

Nota Técnica nº 11/2014/CCONF/SUCON/STN/MF-DF (Alterada pela Nota Técnica nº 1/2015/CCONF/SUCON/STN/MF-DF) Ministério da Fazenda Secretaria do Tesouro Nacional Subsecretaria de Contabilidade Pública Coordenação-Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação Nota Técnica nº 11/2014/CCONF/SUCON/STN/MF-DF

Leia mais

II) As Experiências de outros Estados A retomada da valorização dos Postos Fiscais

II) As Experiências de outros Estados A retomada da valorização dos Postos Fiscais I-) O Auditor Fiscal Tocantinense está submetido a condições de trabalho subumana e degradante em que todos perdem O resultado e a experiência desse trabalho nos autorizam concluir que o estresse exacerbado,

Leia mais

RAG - 2006 O RELATÓRIO DA AÇÃO GOVERNAMENTAL

RAG - 2006 O RELATÓRIO DA AÇÃO GOVERNAMENTAL RAG - 2006 O RELATÓRIO DA AÇÃO GOVERNAMENTAL RELATÓRIO DE QUE? AVALIAÇÃO: Avaliação anual avaliamos a execução durante o ano, a entrega dos produtos e os seus impactos. AVALIAÇÃO PARA QUE? OBJETIVOS: Prestar

Leia mais

Novos Prefeitos e Prefeitas 2013

Novos Prefeitos e Prefeitas 2013 Novos Prefeitos e Prefeitas 2013 Curso de Prefeitos Eleitos 2013 a 2016 ARDOCE Missão Ser um banco competitivo e rentável, promover o desenvolvimento sustentável do Brasil e cumprir sua função pública

Leia mais

O que é o Programa Nota Fiscal Gaúcha?

O que é o Programa Nota Fiscal Gaúcha? O que é o Programa Nota Fiscal Gaúcha? Nota Fiscal Gaúcha é um programa que, por meio da distribuição de prêmios, visa incentivar os cidadãos e cidadãs a solicitar a inclusão do CPF na emissão do documento

Leia mais