Sumário. Prefácio, 13. Primeira parte - Fundamentação, 15

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sumário. Prefácio, 13. Primeira parte - Fundamentação, 15"

Transcrição

1 Sumário Prefácio, 13 Primeira parte - Fundamentação, 15 I. A teologia fundamental como ciência teológica básica, 17 1 Teologia como "fala de Deus", Tipos básicos de teologia, 17 a) A teologia como fala de Deus, 17 b) A teologia como fala de Deus com caráter do A.ÓYOÇ, 19 c) A teologia cristã, 23 d) A doutrina da analogia entis, A teologia como ciência, 27 ' a) O conceito aristotélico da ciência, 28 b) A teologia cristã como sacra scientia, 29 c) O magistério dos pastores e dos teólogos, 32 d) Alternativas para o conceito da ciência da fé, A teologia como ciência da fé eclesiástica, 38 a) Os fundamentos bíblicos da fé, 39 b) As dimensões do conceito da fé, 40 c) Eclesialidade e confessionalidade, 45 d) A incompletude e a pluralidade da teologia cristã, 46 2 A comprovação racional da fé cristã, A racionalidade da fé, 50 a) A fundamentação bíblica, 50 b) A apologética no cristianismo primitivo, 54 c) Modelos apologéticos da alta escolástica, 56

2 2.2 A teologia fundamental da Modernidade, 62 a) Theologia fundamentalis, i.e., generalis, 63 b) A apologética do Iluminismo, 64 c) A teologia fundamental, 66 3 Tarefas e métodos da teologia fundamental, Tarefas básicas da teologia fundamental, 71 a) Meta de estudo, 71 b) A reflexão sobre os fundamentos, 72 c) A justificação da fé, A questão do método, 75 a) O extrinsecismo, 75 b) O intrinsecismo, 78 4 Concepções da teologia fundamental, Uma compreensão modificada da racionalidade, 80 a) O conceito verificacionista da racionalidade, 80 b) O conceito disposicional da racionalidade, 82 c) O racionalismo crítico, 83 d) A falseabilidade fundamental (lógica), Modelos para a determinação da racionalidade da fé, 89 a) A abordagem neoescolástica, 90 b) A autoevidência da verdade, 90 c) A abordagem criticista, 96 d) A abordagem probabilista, 101 e) A abordagem da filosofia primeira, 103 II. Doutrina de princípios e epistemologia teológica, A Palavra de Deus e seus lugares de testemunho, A teologia da Palavra de Deus, 110 a) A Palavra de Deus: autocomunicação divina, 110 b) A Palavra de Deus e a palavra dos homens, 112 c) A Palavra de Deus e a autotranscendência linguística, A epistemologia teológica, 114 a) A aquisição de conhecimento teológico, 115 b) A Igreja primitiva, 117

3 c) Melchior Cano, 118 d) O Concílio Vaticano II, 121 e) A epistemologia ecuménica, A Palavra de Deus e.as Escrituras Sagradas, A formação do cânone, 127 a) A transcrição da Palavra de Deus, 128 b) A formação do cânone, 129 c) O Antigo e o Novo testamentos, A inspiração, 134 a) A universalidade do conceito da inspiração, 134 b) O fundamento bíblico, 135 c) A elaboração de uma doutrina da inspiração, 137 d) O magistério, A verdade e as Escrituras Sagradas, 140 a) A inerrância, 141 b) A verdade "para a nossa salvação", 142 c) A exegese das Escrituras, A Palavra de Deus e a tradição eclesiástica, A Igreja e a Palavra de Deus, 147 a) O tempo da Igreja, 147 b) A historicidade do processo da tradição, 149 c) A Igreja como creatura verbi, Os princípios da Escritura e da tradição, 152 a) A compreensão cristã de tradição, 153 b) Et [...] et, 154 c) A tradição e as tradições, 157 d) A predominância do magistério pontifício, 158 e) Aproximações ecuménicas, 159 Segunda parte - A questão da revelação, 161 I. O fenómeno da revelação, Introdução à questão da revelação, A revelação enquanto tema central, 163 a) Estado da pesquisa bíblica, 163

4 b) Conceito hermenêutico-chave, 164 c) Questão principal de teologia fundamental, Religião de revelação, 167 a) O cristianismo como religião de revelação, 167 b) Religião de revelação - religião revelada, O tema da revelação na apologética, 173 a) Demonstrado Christiana, 173 b) Dificuldades, 174 c) Ponto de partida da teologia fundamental, Realidade e dimensão da revelação, Pontos de conexão com a revelação divina, 177 a) O estar revelado da criação, 177 b) Filosofia da revelação, 178 c) Estar transcendentalmente aberto, O estar revelado do ser humano, 182 a) Capacidade de questionar e necessidade de questionar, 182 b) Querer e buscar, 184 c) Linguagem e realidade, 185 d) Consciência moral e demanda, 186 e) Ser humano e história, 189 II. Revelação e Escritura Sagrada, Revelação de Deus no Antigo Testamento, Revelação enquanto o mostrar-se de Deus, 193 a) Variedade das formas divinas de se dar a conhecer, 193 b) O revelar-se de Deus, 195 c) Géneros literários, 196 d) Revelação primordial, Revelação histórica de Deus, 198 a) Abraão: revelação como promessa, 198 b) Libertação no Mar Vermelho, 199 c) O nome de Deus, JHWH, 202 d) Resposta do povo de Deus, 203 e) A revelação no Sinai, 205

5 1.3 Novo evento salvífico, 205 a) Imagem aberta de Deus, 206 b) "Dia de JHWH", 207 c) Com-paixão e autodemonstração de Deus, 208 d) Palavra, sabedoria e Espírito, O testemunho neotestamentário da revelação, A revelação de Deus na vida de Jesus Cristo, 213 a) A pesquisa sobre a vida de Jesus, 214 b) Cristologia implícita, 218 c) Revelação como epifania, Cruz e ressurreição, 226 a) Cruz como questionamento, 226 b) Ressurreição enquanto evento histórico, 228 c) Ressurreição e fundamento da fé, Significação salvífica da morte na cruz, 235 a) A compreensão da morte de Jesus, 235 b) Variedade de interpretação, 237 c) Expiação - vicariedade, 240 III. O tema da revelação na Modernidade, Concílio Vaticano I, Revelação como instrução, 249 a) Síntese histórica, 249 b) Compreensão de revelação teórico-instrucional, A autorrevelação de Deus, 256 a) Pano de fundo da história do concílio, 257 b) Revelação e conhecimento de Deus, 258 c) A necessidade da revelação sobrenatural, 260 d) Revelação natural e sobrenatural, Fé como resposta, 263 a) Fé enquanto tomar por verdadeiro, 264 b) Reconhecimento de que algo é digno de fé e certeza da fé, 266

6 2 A crítica moderna da revelação, Observações gerais, 268 a) A revelação enquanto tema filosófico, 268 b) Motivos da crítica iluminista da revelação, Exemplos escolhidos, 272 a) Ocorrência de revelação, 273 b) Caráter sobrenatural, 276 c) Relevância soteriológica, Aprofundamento do conceito de revelação, Concílio Vaticano II, Autocompartilhamento de Deus, 285 a) Observações introdutórias, 285 b) Inovações de conteúdo e de linguagem, 286 c) Compreensão dialógica de revelação, 287 d) Teoria da revelação e cristologia, 290 e) Significado dos milagres, Determinação da fé, 294 a) Fé como confiança, 294 b) Observações finais, 296 IV. Cristianismo e religiões mundiais, Teologia das religiões, Teologia das religiões, 298 a) Pano de fundo histórico, 298 b) Internalidade religiosa, 301 c) A referencialidade ao diálogo, Modelos de teologia da religião, 304 a) Exclusivismo, 305 b) Inclusivismo, 308 c) Pluralismo, Concílio Vaticano 11, Teologia inclusivista da religião, 318 a) Razões para revisão, 319 b) Vaticano II, 320

7 2.2 A questão da salvação e o diálogo inter-religioso, 325 a) A via cristã da salvação, 326 b) Função mediadora de salvação de outras religiões?, 328 c) Relevância salvífica e Igreja, 330 d) Oportunidade salvífica - situação salvífica, 332 e) Religiões como objeto de missão, A questão da verdade e o diálogo inter-religioso, 337 a) A necessidade da questão pela verdade, 337 b) A questão da verdade e a questão da salvação, 339 c) A compreensão cristã da verdade, 341 d) Capacidade de diálogo, 343 e) Verdade e ação, A compreensão de revelação das religiões mundiais, Concepção pessoal da transcendência, 347 a) Judaísmo, 348 b) Islã, Concepções não pessoais da transcendência, 361 a) Hinduísmo, 361 b) Budismo, 364 índice onomástico, 369 índice analítico, 381 Referências, 395

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS Cultura Religiosa EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO ENSINO A DISTÂNCIA (EAD) DE TEOLOGIA Visão global do fenômeno religioso, sua importância e implicações na formação do ser humano e da sociedade, através

Leia mais

PARTE 2 - A PALAVRA NORMATIVA. O CÂNONE BÍBLICO

PARTE 2 - A PALAVRA NORMATIVA. O CÂNONE BÍBLICO Índice Siglas e abreviaturas 6 Introdução 7 PARTE 1 - A PALAVRA INSPIRADA CAPÍTULO I - NATUREZA DA INSPIRAÇÃO BÍBLICA 12 1. A inspiração bíblica no limiar do Vaticano II 13 1.1. Deus, autor principal,

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS EMENTAS DO CURSO DE FILOSOFIA Currículo Novo (a partir de 2010/1) NÍVEL I HISTÓRIA DA FILOSOFIA ANTIGA Reflexão acerca da transição do pensamento mítico ao filosófico. Estudo de problemas, conceitos e

Leia mais

O CONHECIMENTO E SEUS NÍVEIS

O CONHECIMENTO E SEUS NÍVEIS O CONHECIMENTO E SEUS NÍVEIS 1. O CONHECIMENTO é uma relação que se estabelece entre o sujeito que conhece e o objeto conhecido. O sujeito que conhece se apropria, de certo modo, do objeto conhecido. Através

Leia mais

COORDENAÇÃO DO CURSO DE BACHARELADO EM TEOLOGIA

COORDENAÇÃO DO CURSO DE BACHARELADO EM TEOLOGIA COORDENAÇÃO DO CURSO DE BACHARELADO EM TEOLOGIA MATRIZ CURRICULAR Macapá 2011 FATECH FACULDE DE TEOLOGIA E CIÊNCIAS HUMANAS 1 REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DO PERFIL DE FORMAÇÃO A representação gráfica do perfil

Leia mais

CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA COMPÊNDIO

CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA COMPÊNDIO CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA COMPÊNDIO CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA COMPÊNDIO Copyright 2005 - Libreria Editrice Vaticana «Motu Proprio» Introdução PRIMEIRA PARTE - A PROFISSÃO DA FÉ Primeira Secção: «Eu

Leia mais

O DOCUMENTO SOBRE A TEOLOGIA DA COMISSÃO TEOLÓGICA INTERNACIONAL CTI

O DOCUMENTO SOBRE A TEOLOGIA DA COMISSÃO TEOLÓGICA INTERNACIONAL CTI OUTROS TEMAS OTHER THEMES O DOCUMENTO SOBRE A TEOLOGIA DA COMISSÃO TEOLÓGICA INTERNACIONAL CTI Document about Theology of International Theological Commission CTI Geraldo Luiz Borges Hackmann O documento

Leia mais

No contexto da fé cristã, a teologia não é o estudo de Deus como algo abstrato, mas é o estudo do Deus pessoal revelado na Escritura.

No contexto da fé cristã, a teologia não é o estudo de Deus como algo abstrato, mas é o estudo do Deus pessoal revelado na Escritura. Franklin Ferreira No contexto da fé cristã, a teologia não é o estudo de Deus como algo abstrato, mas é o estudo do Deus pessoal revelado na Escritura. Necessariamente isso inclui tudo o que é revelado

Leia mais

COPYRIGHT TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - SABER E FÉ

COPYRIGHT TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - SABER E FÉ Aviso importante! Esta matéria é uma propriedade intelectual de uso exclusivo e particular do aluno da Saber e Fé, sendo proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo, exceto em breves citações

Leia mais

Nova Estrutura do Curso: Avisos

Nova Estrutura do Curso: Avisos Nova Estrutura do Curso: Avisos Nova Estrutura do Curso Disciplinas de Teologia Sistemática: Introdução a Teologia Sistemática Doutrina de Deus Teontologia Doutrina do Ser Humano Antropologia Doutrina

Leia mais

Lição 5 ATOS 1. Atos destinado a Teófilo período 63 d.c apóstolo Pedro apóstolo Paulo Atos do Espírito Santo que Jesus operou por meio da igreja

Lição 5 ATOS 1. Atos destinado a Teófilo período 63 d.c apóstolo Pedro apóstolo Paulo Atos do Espírito Santo que Jesus operou por meio da igreja Lição 5 ATOS 1. Atos O livro de Atos foi o segundo escrito por Lucas, também destinado a Teófilo. Acredita-se que originalmente não tivesse título, sendo inserido Atos ou Atos dos Apóstolos nos manuscritos

Leia mais

Sumário detalhado 1. A Reforma: uma introdução O cristianismo no final da Idade Média O humanismo e a Reforma...54

Sumário detalhado 1. A Reforma: uma introdução O cristianismo no final da Idade Média O humanismo e a Reforma...54 Sumário Sumário detalhado...4 Prefácio à quarta edição... 11 Como usar este livro... 14 1. A Reforma: uma introdução... 17 2. O cristianismo no final da Idade Média... 41 3. O humanismo e a Reforma...

Leia mais

COLÉGIO DE SANTA DOROTEIA LISBOA ANO LETIVO 2016/2017 DEPARTAMENTO DE PASTORAL DISCIPLINA: EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA PLANIFICAÇÃO DE 7º ANO

COLÉGIO DE SANTA DOROTEIA LISBOA ANO LETIVO 2016/2017 DEPARTAMENTO DE PASTORAL DISCIPLINA: EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA PLANIFICAÇÃO DE 7º ANO 1º PERÍODO UL1 - As origens ÉTICA E MORAL Calendarização - 26 aulas A. Construir uma chave de leitura religiosa Os dados da ciência sobre a origem do Diálogo com os alunos, relacionado da pessoa, da vida

Leia mais

MESTRADO EM TEOLOGIA

MESTRADO EM TEOLOGIA MESTRADO EM TEOLOGIA Edital 2015 Este edital se destina especificamente à seleção de candidatos estrangeiros de países lusófonos para o Mestrado em Teologia, com início em março de 2015. 1. Objetivo O

Leia mais

Propedêutica Bíblica. 6 de Março de 2013 Revelação e Tradição

Propedêutica Bíblica. 6 de Março de 2013 Revelação e Tradição Propedêutica Bíblica 6 de Março de 2013 Revelação e Tradição ORAÇÃO Deus se compadeça de nós e nos dê a sua bênção, Resplandeça sobre nós a luz do seu rosto. Na terra se conhecerão os vossos caminhos E

Leia mais

Disciplina: Filosofia Série: 10 Unidade: Primeira Content Area: Philosophy Grade 10 Quarter I

Disciplina: Filosofia Série: 10 Unidade: Primeira Content Area: Philosophy Grade 10 Quarter I Disciplina: Filosofia Série: 10 Unidade: Primeira Content Area: Philosophy Grade 10 Quarter I 1.1 1.2 1.3 Conhecimento filosófico, religioso, científico e senso comum. Filosofia e lógica. Milagre Grego.

Leia mais

PARÓQUIA SANTA RITA DE CÁSSIA DIOCESE DE JUNDIAÍ

PARÓQUIA SANTA RITA DE CÁSSIA DIOCESE DE JUNDIAÍ PARÓQUIA SANTA RITA DE CÁSSIA DIOCESE DE JUNDIAÍ Material Estudo Bíblico Parte I Apresentação Pe Antônio 24/08 A BÍBLIA SAGRADA Palavra de Deus. Deus fala ao seu povo Deus se revela, se manifesta, intervém

Leia mais

FÍSICA FILOSOFIA. Resumex JáEntendi 1. A FILOSOFIA NA IDADE MÉDIA. Características Fundamentais da Idade Média

FÍSICA FILOSOFIA. Resumex JáEntendi 1. A FILOSOFIA NA IDADE MÉDIA. Características Fundamentais da Idade Média FILOSOFIA FÍSICA Resumex JáEntendi 1. A FILOSOFIA NA IDADE MÉDIA O período histórico comumente chamado de Idade Média inicia- se no século V e termina no século XV. Portanto, ele representa mil anos de

Leia mais

Treinamento de Instrutores Bíblicos. Como Ensinar Doutrinas Básicas Adventistas

Treinamento de Instrutores Bíblicos. Como Ensinar Doutrinas Básicas Adventistas North A meric an Divisio n Portuguese Mi nistry Treinamento de Instrutores Bíblicos Como Ensinar Doutrinas Básicas Adventistas Como Ensinar Doutrinas Básicas Adventistas Objetivo Uma compreensão clara

Leia mais

study. New York/Mahwah: NJ/Paulist Press, p.

study. New York/Mahwah: NJ/Paulist Press, p. GORSKI, Eugene F. Theology of religions. A sourcebook for interreligious study. New York/Mahwah: NJ/Paulist Press, 2008. 324 p. João Batista Libanio * O livro quer ser uma fonte de dados para o estudo

Leia mais

O QUE É O ESPIRITISMO 1

O QUE É O ESPIRITISMO 1 O QUE É O ESPIRITISMO 1 Facilitadores Alex Olegário e Roberto Camilo 17/18-Janeiro-2016 OBJETIVO Conhecer sobre: O Conceito do Espiritismo O Codificador Se me amais, guardai os meus mandamentos; e eu rogarei

Leia mais

JUSTIFICATIVA. OBJETIVOS Gerais: Capacitar expositores da Bíblia a utilizá-la de forma teológica e metodologicamente fundam Específicos:

JUSTIFICATIVA. OBJETIVOS Gerais: Capacitar expositores da Bíblia a utilizá-la de forma teológica e metodologicamente fundam Específicos: JUSTIFICATIVA A Bíblia é a fonte primeira da teologia cristã, de onde os mais diversos grupos do cristianismo retiram OBJETIVOS Gerais: Capacitar expositores da Bíblia a utilizá-la de forma teológica e

Leia mais

Objetivos. Curso: Teologia. Prof: Rui de Souza Josgrilberg. Teologia do século XX como resposta a desafios sociais

Objetivos. Curso: Teologia. Prof: Rui de Souza Josgrilberg. Teologia do século XX como resposta a desafios sociais Curso: Teologia. Prof: Rui de Souza Josgrilberg. Teologia do século XX como resposta a desafios sociais Objetivos Objetivo geral: Estudar aspectos históricos de algumas expressões teológicas do séc. XIX

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE TEOLOGIA

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE TEOLOGIA CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE TEOLOGIA Fase Cód. Disciplinas I II III Matriz curricular do Curso de Graduação em Teologia (Vigência a partir

Leia mais

Sumário. VOLUME UM A obra do Espírito Santo na Igreja como um todo. CAPÍTULO UM Introdução

Sumário. VOLUME UM A obra do Espírito Santo na Igreja como um todo. CAPÍTULO UM Introdução Sumário Prefácio do autor... 13 Nota explicativa à edição americana... 19 Lista parcial dos trabalhos do Dr. Kuyper... 23 Nota introdutória pelo Prof. Benjamin B. Warfield, D. D., LL. D.... 27 VOLUME UM

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A PASTORAL DO DÍZIMO

ORIENTAÇÕES PARA A PASTORAL DO DÍZIMO ORIENTAÇÕES PARA A PASTORAL DO DÍZIMO Sumário Introdução 1. A compreensão do dízimo 1.1 Os fundamentos do dízimo 1.2 O que é o dízimo? 1.3 As dimensões do dízimo 1.4 As finalidades do dízimo 2. Orientações

Leia mais

Antes de começar, precisamos reconhecer que

Antes de começar, precisamos reconhecer que Antes de começar, precisamos reconhecer que toda pessoa de fé tem dúvidas toda pessoa cética tem fé A dúvida do crente: Uma fé sem algumas dúvidas é como um corpo sem anticorpos Tim Keller A fé do cético:

Leia mais

A CONFIABILIDADE E A AUTORIDADE DAS ESCRITURAS. Augustus Nicodemus Lopes

A CONFIABILIDADE E A AUTORIDADE DAS ESCRITURAS. Augustus Nicodemus Lopes A CONFIABILIDADE E A AUTORIDADE DAS ESCRITURAS Augustus Nicodemus Lopes O ATAQUE LIBERAL Ataques feitos à Bíblia em nossos dias. O ataque do liberalismo teológico. Johan Solomo Semler (séc. XVIII) distinção

Leia mais

Jorge Teixeira da Cunha. Ética Teológica Fundamental

Jorge Teixeira da Cunha. Ética Teológica Fundamental Jorge Teixeira da Cunha Ética Teológica Fundamental UNIVERSIDADE CATÓLICA EDITORA Lisboa, 2009 In t ro d u ç ã o Esta explicação teológica da ética nasce de algumas preocupações. Esperamos interpretar

Leia mais

Curso de PANORAMA DO NOVO TESTAMENTO I I Semestre de Professor: José Martins Júnior. Quartas-feiras. (11) (Whatsapp)

Curso de PANORAMA DO NOVO TESTAMENTO I I Semestre de Professor: José Martins Júnior. Quartas-feiras. (11) (Whatsapp) Curso de PANORAMA DO NOVO TESTAMENTO I I Semestre de 2017 Professor: José Martins Júnior Quartas-feiras (11) 9.8383-5316 (Whatsapp) pastorjunioropbb2815@gmail.com www.reflexoes-e-flexoes.blogspot.com.br

Leia mais

HISTÓRIA DA IGREJA. Prof. GUILHERME WOOD. APOSTILA NO SITE:

HISTÓRIA DA IGREJA. Prof. GUILHERME WOOD. APOSTILA NO SITE: HISTÓRIA DA IGREJA Prof. GUILHERME WOOD APOSTILA NO SITE: http://www.ibcu.org.br/apostilas/historiaigreja.pdf Primitiva Imperial Medieval Escolastic Reforma Moderna Contemporânea Linha do Tempo: História

Leia mais

Métodos Teológicos. Prof. Me. Joerley Cruz

Métodos Teológicos. Prof. Me. Joerley Cruz Prof. Me. Joerley Cruz O objeto e o sujeito... O objeto do método teológico, do estudo teológico é a teologia é sobre quem nos debruçamos, e com imenso respeito, observamos com total cuidado O sujeito

Leia mais

FÉ E RAZÃO MUNDO MEDIEVAL

FÉ E RAZÃO MUNDO MEDIEVAL FÉ E RAZÃO MUNDO MEDIEVAL Santo Agostinho séc. IV São Tomás de Aquino séc. XIII PATRÍSTICA e ESCOLÁSTICA Platão séc. IV a.c. Aristóteles séc. III a.c A RELAÇÃO ENTRE FÉ E RAZÃO Questões fundamentais para

Leia mais

Introdução ao Novo Testamento I

Introdução ao Novo Testamento I Introdução ao Novo Testamento I I.EMENTA Aspectos introdutórios do Novo Testamento: canonicidade, formação e estudo científico. A nomenclatura Novo Testamento e outras. Introdução Geral e Específica. O

Leia mais

Unidade 2: História da Filosofia. Filosofia Serviço Social Igor Assaf Mendes

Unidade 2: História da Filosofia. Filosofia Serviço Social Igor Assaf Mendes Unidade 2: História da Filosofia Filosofia Serviço Social Igor Assaf Mendes Períodos Históricos da Filosofia Filosofia Grega ou Antiga (Séc. VI a.c. ao VI d.c.) Filosofia Patrística (Séc. I ao VII) Filosofia

Leia mais

MESTRADO EM TEOLOGIA

MESTRADO EM TEOLOGIA MESTRADO EM TEOLOGIA Edital 2013/01 Este edital se destina especificamente a candidatos ao Mestrado em Teologia, com início em março de 2012. 1.Objetivo O Programa de Mestrado em Teologia visa o desenvolvimento

Leia mais

A ORIGEM DA FILOSOFIA

A ORIGEM DA FILOSOFIA A ORIGEM DA FILOSOFIA UMA VIDA SEM BUSCA NÃO É DIGNA DE SER VIVIDA. SÓCRATES. A IMPORTÂNCIA DOS GREGOS Sob o impulso dos gregos, a civilização ocidental tomou uma direção diferente da oriental. A filosofia

Leia mais

Informações da disciplina de EMRC 5.º ano. Aulas Previstas (45 minutos )

Informações da disciplina de EMRC 5.º ano. Aulas Previstas (45 minutos ) Departamento de Ciências Socias e Humanas 2016/ 2017 Educação Moral e Religiosa Católica 5.º ano RESUMO DA PLANIFICAÇÃO Informações da disciplina de EMRC 5.º ano Resumo da Planificação: Conteúdos 1.º Período

Leia mais

IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS DE MOSSORÓ RN

IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS DE MOSSORÓ RN IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS DE MOSSORÓ RN CURSO SOBRE O CREMOS DA ASSEMBLEIA DE DEUS Segundo Artigo de Fé: Cremos, Na inspiração divina verbal e plenária da Bíblia Sagrada, única regra infalível

Leia mais

Alexandre Zanca Bacich SÍNTESE TEOLÓGICA

Alexandre Zanca Bacich SÍNTESE TEOLÓGICA SÍNTESE TEOLÓGICA 1 Síntese de Teologia 2 SÍNTESE TEOLÓGICA MATÉRIAS DE TEOLOGIA ALEXANDRE ZANCA BACICH 3 Síntese de Teologia Copyright 2016 by Alexandre Zanca Bacich Todos os direitos reservados e protegidos

Leia mais

FILOSOFIA CRISTÃ. Jesus Cristo Pantocrator, Uma das mais antigas imagens de Jesus (séc. VI-VII). Monastério Sta. Catarina, Monte Sinai.

FILOSOFIA CRISTÃ. Jesus Cristo Pantocrator, Uma das mais antigas imagens de Jesus (séc. VI-VII). Monastério Sta. Catarina, Monte Sinai. Jesus Cristo Pantocrator, Uma das mais antigas imagens de Jesus (séc. VI-VII). Monastério Sta. Catarina, Monte Sinai. FILOSOFIA CRISTÃ Unidade 01. Capítulo 04: pg. 53-54 Convite a Filosofia Unidade 08.

Leia mais

A DECLARAÇÃO DE CHICAGO SOBRE INERRÂNCIA BÍBLICA (TÓPICO NO. 1)

A DECLARAÇÃO DE CHICAGO SOBRE INERRÂNCIA BÍBLICA (TÓPICO NO. 1) A DECLARAÇÃO DE CHICAGO SOBRE INERRÂNCIA BÍBLICA (TÓPICO NO. 1) Copyright 1978, ICBI. Todos os direitos reservados. Publicado com permissão de Dallas Theological Seminary Archives, Guardião dos Arquivos

Leia mais

1.1 Recuperar a comunidade (Base do Antigo Israel); 1.2 A nova experiência de Deus: o Abbá (Oração e escuta comunitária da Palavra);

1.1 Recuperar a comunidade (Base do Antigo Israel); 1.2 A nova experiência de Deus: o Abbá (Oração e escuta comunitária da Palavra); Uma nova paróquia Introdução DA: Conversão Pastoral Escolha de outro caminho; Transformar a estrutura paroquial retorno a raiz evangélica; Jesus: modelo (vida e prática); Metodologia: Nele, com Ele e a

Leia mais

Conclusão LIÇÃO 3 - A FORMAÇÃO DE OBREIROS Introdução I - A função principal dos ministérios de Efesios 4:11 II. O Discipulado Intensivo III - A

Conclusão LIÇÃO 3 - A FORMAÇÃO DE OBREIROS Introdução I - A função principal dos ministérios de Efesios 4:11 II. O Discipulado Intensivo III - A ESCOLA DE PROFETA APRENDENDO A ARTE DA PREGAÇÃO GILDEMAR DOS SANTOS Vitoria da Conquista-BA, 2016 SUMÁRIO LIÇÃO N 1 - TEOLOGIA DA MISSÃO DA IGREJA 1 - INTRODUÇÃO 2 - AS MISSÕES MODERNAS E A FORMAÇÃO DO

Leia mais

A caridade divina em São Tomás de Aquino

A caridade divina em São Tomás de Aquino RICARDO FIGUEIREDO A caridade divina em São Tomás de Aquino segundo o Comentário ao Evangelho de São João Índice Lista de siglas e abreviaturas 9 Prefácio, Professor Doutor José Jacinto Ferreira de Farias

Leia mais

Acesso ao Jesus da História ROSSI & KLINGBEIL

Acesso ao Jesus da História ROSSI & KLINGBEIL Acesso ao Jesus da História 2 O Acesso ao Jesus da História A preocupação central da cristologia é o acesso ao Jesus da história. Se as cristologias do NT não são biografias, que acesso temos, então, ao

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 011/2007-PROEC/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 011/2007-PROEC/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 011/2007-PROEC/UNICENTRO Aprova o projeto de extensão Escola de Teologia para Leigos Nossa Senhora das Graças, na modalidade de curso de extensão, na categoria de projeto de extensão permanente,

Leia mais

TEOLOGIA CRISTÃ: UMA INTRODUÇÃO À SISTEMATIZAÇÃO DAS DOUTRINAS

TEOLOGIA CRISTÃ: UMA INTRODUÇÃO À SISTEMATIZAÇÃO DAS DOUTRINAS TEOLOGIA CRISTÃ: UMA INTRODUÇÃO À SISTEMATIZAÇÃO DAS DOUTRINAS FERREIRA, Franklin. Teologia cristã: uma introdução à sistematização das doutrinas. São Paulo: Edições Vida Nova, 2011. Natan da Costa Fernandes

Leia mais

PROVA FINAL DA DISCIPLINA DE INTRODUÇÃO À TEOLOGIA BÍBLICA

PROVA FINAL DA DISCIPLINA DE INTRODUÇÃO À TEOLOGIA BÍBLICA INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA[1] PROVA FINAL DA DISCIPLINA DE INTRODUÇÃO À TEOLOGIA BÍBLICA SISTEMA EAD DE NATUREZA JURÍDICA LIVRE ALUNO (A): MAT: 000/2014 MATÉRIA: INTRODUÇÃO À TEOLOGIA

Leia mais

CURRÍCULO DO ENSINO RELIGIOSO NA EDUCAÇÃO BÁSICA. Prof. Elcio Cecchetti

CURRÍCULO DO ENSINO RELIGIOSO NA EDUCAÇÃO BÁSICA. Prof. Elcio Cecchetti CURRÍCULO DO ENSINO RELIGIOSO NA EDUCAÇÃO BÁSICA Prof. Elcio Cecchetti elcio.educ@terra.com.br ENSINO RELIGIOSO? Como? Outra vez? O quê? Por quê? Para quê? O ENSINO RELIGIOSO NA ESCOLA PÚBLICA DO PASSADO

Leia mais

TRADUÇÃO Anderson Dias de Araújo

TRADUÇÃO Anderson Dias de Araújo TRADUÇÃO Anderson Dias de Araújo Sumário Obtendo o máximo de Atos...5 Parte 1: O poder de Deus em Jerusalém e na Judeia Atos 1 12 1- Vocês serão minhas testemunhas Atos 1...8 2- Recebendo o poder Atos

Leia mais

Clóvis de Barros Filho

Clóvis de Barros Filho Clóvis de Barros Filho Sugestão Formação: Doutor em Ciências da Comunicação pela USP (2002) Site: http://www.espacoetica.com.br/ Vídeos Produção acadêmica ÉTICA - Princípio Conjunto de conhecimentos (filosofia)

Leia mais

A teologia da política. Dr. Rousas John Rushdoony

A teologia da política. Dr. Rousas John Rushdoony INTRODUÇÃO A teologia da política Dr. Rousas John Rushdoony Introdução Uma área de estudo muito negligenciada nos dois séculos passados ou mais é a teologia da política. O pensamento político tem se tornado

Leia mais

Escola Ryle de Teologia. Grade Curricular 1º Ano

Escola Ryle de Teologia. Grade Curricular 1º Ano Escola Ryle de Teologia Ensinando o poder do evangelho de Cristo Grade Curricular 1º Ano Introdução à Bíblia Como não se pode fazer teologia sem a Palavra de Deus, vamos dar início com esse tema. Este

Leia mais

INTRODUÇÃO À TEOLOGIA

INTRODUÇÃO À TEOLOGIA - INTRODUÇÃO À TEOLOGIA PALAVRA DO DIRETOR Este é o primeiro módulo que você vai estudar no Curso Básico em Teologia, que é constituído de 24 disciplinas, distribuído em 12 módulos. Neste módulo você será

Leia mais

DISSERTAÇÕES E TESES

DISSERTAÇÕES E TESES DISSERTAÇÕES E TESES Dissertações e teses WERNECK FILHO, Mário Guimarães. Luzes da luz: amor e unidade no Masnavî. Tese (Doutorado). UFJF Universidade Federal de Juiz de Fora. Resumo O objetivo deste

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 049-PROEC/UNICENTRO, DE 27 DE MARÇO DE 2014. Altera o anexo I E II da Resolução nº035- PROEC/UNICENTRO, de 06 de maio de 2013 e aprova o Relatório Final. O PRÓ-REITOR DE EXTENSÃO E CULTURA

Leia mais

Acesso ao Jesus da História

Acesso ao Jesus da História 2 O Acesso ao Jesus da História Acesso ao Jesus da História A preocupação central da cristologia é o acesso ao Jesus da história. Se as cristologias do NT não são biografias, que acesso temos, então, ao

Leia mais

Aula 01 O conhecimento vivo

Aula 01 O conhecimento vivo Metodologia da Pesquisa Científica Aula 01 O conhecimento vivo Bloco 1 Dra. Rita Mazaro Na nossa vida diária utilizamos e convivemos com conhecimentos construídos ao longo da história por diferentes povos

Leia mais

Metas/Objetivos Descritores de Desempenho/Conteúdos Estratégias/Metodologias Avaliação

Metas/Objetivos Descritores de Desempenho/Conteúdos Estratégias/Metodologias Avaliação Domínio Religião e experiência religiosa Cultura cristã e visão cristã da vida Ética e moral cristã DEPARTAMENTO DE PASTORAL DISCIPLINA: EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA PLANIFICAÇÃO DE 5º ANO Calendarização:

Leia mais

ÍNDICE GERAL. i PARTE

ÍNDICE GERAL. i PARTE ÍNDICE GERAL i DEUS NO ANTIGO TESTAMENTO 15 Procedimento metódico 15 I. A História 20 1. O género histórico no Antigo Testamento 20 2. História da salvação 22 II. A Palavra de Deus no Antigo Testamento

Leia mais

Centro de Estudos Anglicanos

Centro de Estudos Anglicanos Deixe que o leitor entenda... Mc 13:14 (Grupo de Estudos de hermenêutica da Diocese de Nova York) Tradução: Rev. Jorge Aquino Um documento com os princípios interpretativos pelos quais compreendemos as

Leia mais

CURSO DE TEOLOGIA Forania Santana Arquidiocese de Campinas. Estudo da Teologia E Metodologia Teológica

CURSO DE TEOLOGIA Forania Santana Arquidiocese de Campinas. Estudo da Teologia E Metodologia Teológica CURSO DE TEOLOGIA Forania Santana Arquidiocese de Campinas Estudo da Teologia E Metodologia Teológica INTRODUÇÃO 1 - Vivemos tempos difíceis para a fé e portanto para a Teologia. Porém este desafio é nosso,

Leia mais

João Duarte Lourenço HERMENÊUTICAS BÍBLICAS

João Duarte Lourenço HERMENÊUTICAS BÍBLICAS João Duarte Lourenço HERMENÊUTICAS BÍBLICAS Da Palavra às palavras Em busca do Sentido da Escritura UNIVERSIDADE CATÓLICA EDITORA LISBOA 2011 Ín d i c e Apresentação... 9 HERMENÊUTICAS BÍBLICAS ou JUDAICAS

Leia mais

Propedêutica Bíblica. 20 de Janeiro de 2014 Bíblia e Magistério

Propedêutica Bíblica. 20 de Janeiro de 2014 Bíblia e Magistério Propedêutica Bíblica 20 de Janeiro de 2014 Bíblia e Magistério ORAÇÃO Hebreus 1 Muitas vezes e de muitos modos, falou Deus aos nossos pais, nos tempos antigos, por meio dos profetas. 2 Nestes dias, que

Leia mais

Apesar de toda diversidade a Bíblia toda contém uma só idéia central: Jesus Cristo, o Senhor, que ama e salva o homem pecador. Gn 3.15; Ap 19.

Apesar de toda diversidade a Bíblia toda contém uma só idéia central: Jesus Cristo, o Senhor, que ama e salva o homem pecador. Gn 3.15; Ap 19. Apresentação do Curso Existem duas formas de se estudar teologia, uma é através da Teologia Bíblica que extrai as verdades que formularão as doutrinas diretamente do texto. A outra maneira é através da

Leia mais

Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Docência do Ensino Superior e Teologia.

Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Docência do Ensino Superior e Teologia. ÁREAS DO CONHECIMENTO Educação. NOME DO CURSO Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Docência do Ensino Superior e Teologia. AMPARO LEGAL E PORTARIA DO MEC O curso atende todas as exigências

Leia mais

TEXTO DO DIA. "Portanto, irmãos, procurai, com zelo, profetizar e não proibais falar línguas." (1 Co 14.39)

TEXTO DO DIA. Portanto, irmãos, procurai, com zelo, profetizar e não proibais falar línguas. (1 Co 14.39) TEXTO DO DIA "Portanto, irmãos, procurai, com zelo, profetizar e não proibais falar línguas." (1 Co 14.39) SÍNTESE Os dons espirituais são presentes dados por Deus à sua Igreja para edificação do Corpo

Leia mais

índice geral Introdução 7 Parte primeira Fernando Pessoa: ortonímia e heteronímia

índice geral Introdução 7 Parte primeira Fernando Pessoa: ortonímia e heteronímia índice geral Introdução 7 Parte primeira Fernando Pessoa: ortonímia e heteronímia Capítulo I. Ortonímia e heteronímia: a "identidade" do "Eu" 21 "Heteronímia" ou o desdobramento dum "Eu idêntico" 22 Fernando

Leia mais

EMENTÁRIO DO CURSO DE FILOSOFIA FAM

EMENTÁRIO DO CURSO DE FILOSOFIA FAM 1 FACULDADE ARQUIDIOCESANA DE MARIANA Rodovia dos Inconfidentes, km 108-35420-000 Mariana MG - Fone: 31 3558 1439 / 3557 1220 Credenciada pelo MEC pela Portaria nº 2.486, de 12 de setembro de 2003 EMENTÁRIO

Leia mais

HOMILÉTICA. Roney Ricardo. Site Teologia & Discernimento

HOMILÉTICA. Roney Ricardo. Site Teologia & Discernimento HOMILÉTICA Roney Ricardo roneyricardoteologia@gmail.com REFLEXÃO O Deus Todo-Poderoso tinha apenas um Filho, e este tornou-se pregador Anônimo DEFINIÇÃO O termo Homilética vem do grego e significa homiletike,

Leia mais

APÓCRIFOS LIVROS APÓCRIFOS. Aula 1 Introdução. Guilherme A. Wood. Guilherme Wood

APÓCRIFOS LIVROS APÓCRIFOS. Aula 1 Introdução. Guilherme A. Wood. Guilherme Wood LIVROS APÓCRIFOS Aula 1 Introdução Guilherme A. Wood Perguntas: Por que a Bíblia contém estes livros? Por que a Bíblia Católica contém alguns livros a mais? Por que alguns outros livros despertam o interesse

Leia mais

Curso de PANORAMA DO ANTIGO TESTAMENTO I I Semestre de 2017 DE GÊNESIS A ESTER. Professor: José Martins Júnior. (11) (Whatsapp Telegram)

Curso de PANORAMA DO ANTIGO TESTAMENTO I I Semestre de 2017 DE GÊNESIS A ESTER. Professor: José Martins Júnior. (11) (Whatsapp Telegram) Curso de PANORAMA DO ANTIGO TESTAMENTO I I Semestre de 2017 DE GÊNESIS A ESTER Professor: José Martins Júnior (11) 9.8383-5316 (Whatsapp Telegram) Email: pastorjunioropbb2815@gmail.com Blog: www.reflexoes-e-flexoes.blogspot.com.br

Leia mais

Copyright Construção do livro. Diagramação: Fernando Holanda. Projeto gráfico: Fernando Holanda. Capa: Fernando Holanda

Copyright Construção do livro. Diagramação: Fernando Holanda. Projeto gráfico: Fernando Holanda. Capa: Fernando Holanda Copyright 2017 Construção do livro Diagramação: Fernando Holanda Projeto gráfico: Fernando Holanda Capa: Fernando Holanda Revisão: Fernando Holanda Todos os direitos reservados. www.holanda2017blog.wordpress.com

Leia mais

FILOSOFIA MEDIEVAL E OUTROS TEMAS PROFESSOR DANILO BORGES FILOSOFIA 9º ANO ENSINO FUNDAMENTAL II

FILOSOFIA MEDIEVAL E OUTROS TEMAS PROFESSOR DANILO BORGES FILOSOFIA 9º ANO ENSINO FUNDAMENTAL II FILOSOFIA MEDIEVAL E OUTROS TEMAS PROFESSOR DANILO BORGES FILOSOFIA 9º ANO ENSINO FUNDAMENTAL II FILOSOFIA NA IDADE MEDIEVAL A IDADE MÉDIA INICIOU-SE NA Europa com as invasões germânicas ou bárbaras no

Leia mais

A Bíblia na Estante VI

A Bíblia na Estante VI A Bíblia na Estante VI Samuel Rodrigues 2 A s Autor: Deus autores: homens Samuel Rodrigues 2015 2 Bíblia: Especial e Única Toda a Escritura proveitosa Texto para interpretar e aplicar é divinamente Autor

Leia mais

NÃO TERÁS OUTROS DEUSES

NÃO TERÁS OUTROS DEUSES NÃO TERÁS OUTROS DEUSES Esboço I. A AUTORIDADE DA LEI 1. A fórmula introdutória do Decálogo. 2. As partes do concerto. 3. O Senhor do universo. 4. A libertação do Egito. II. O PRIMEIRO MANDAMENTO 1. Um

Leia mais

Você sabe por que vamos à escola? Ensino é responsabilidade do Estado e de que todos têm direito à educação ideias novas.

Você sabe por que vamos à escola? Ensino é responsabilidade do Estado e de que todos têm direito à educação ideias novas. Escolástica: a filosofia das escolas cristãs 3º BIMESTRE 7º Ano A filosofia cristã na Escolástica Você sabe por que vamos à escola? Ensino é responsabilidade do Estado e de que todos têm direito à educação

Leia mais

PLANO DE ENSINO TEOLOGIA NÍVEL B

PLANO DE ENSINO TEOLOGIA NÍVEL B PLANO DE ENSINO TEOLOGIA NÍVEL B (ENSINO MÉDIO) 1. PRÉ-REQUISITOS - Primeiro Grau Completo ou Segundo Grau Incompleto. - É necessária indicação da pároco/ministro encarregado e autorização do bispo diocesano.

Leia mais

LIÇÃO 13 O QUE POSSO FAZER POR MINHA IGREJA. Prof. Lucas Neto

LIÇÃO 13 O QUE POSSO FAZER POR MINHA IGREJA. Prof. Lucas Neto LIÇÃO 13 O QUE POSSO FAZER POR MINHA IGREJA Prof. Lucas Neto A GLÓRIA É DE DEUS INTRODUÇÃO A IGREJA ESSPIRITUAL DO SENHOR JESUS A igreja de Jesus Cristo é composta por todos os cristãos salvos que um dia

Leia mais

Breve o Site da Igreja.

Breve o Site da Igreja. Breve o Site da Igreja www.ieadbras.com.br Ev. Jacson Austragésilo 1 Ev. Jacson Austragésilo 2 Ev. Jacson Austragésilo 3 Ev. Jacson Austragésilo 4 Ev. Jacson Austragésilo 5 Ev. Jacson Austragésilo 6 Ev.

Leia mais

ALBERTO MAGNO E TOMÁS DE AQUINO

ALBERTO MAGNO E TOMÁS DE AQUINO 1 ALBERTO MAGNO E TOMÁS DE AQUINO A ESCOLÁSTICA E OS PRINCIPAIS REPRESENTANTES ALBERTO MAGNO TOMÁS DE AQUINO Buscaram provar a existência de Deus utilizando argumentos racionais. 2 A UNIDADE ENTRE A FÉ

Leia mais

Dentro da temática do livro de Jó, discutirei nesta aula a importância que devemos dar às perguntas, mesmo acima das respostas.

Dentro da temática do livro de Jó, discutirei nesta aula a importância que devemos dar às perguntas, mesmo acima das respostas. 1 Introdução Dentro da temática do livro de Jó, discutirei nesta aula a importância que devemos dar às perguntas, mesmo acima das respostas. No mundo evangélico atual, é mais urgente e necessário fazer

Leia mais

TRADIÇÃO. Patriarcado de Lisboa JUAN AMBROSIO / PAULO PAIVA 2º SEMESTRE ANO LETIVO 2013 2014 1. TRADIÇÃO E TRADIÇÕES 2.

TRADIÇÃO. Patriarcado de Lisboa JUAN AMBROSIO / PAULO PAIVA 2º SEMESTRE ANO LETIVO 2013 2014 1. TRADIÇÃO E TRADIÇÕES 2. TRADIÇÃO JUAN AMBROSIO / PAULO PAIVA 2º SEMESTRE ANO LETIVO 2013 2014 1. TRADIÇÃO E TRADIÇÕES 2. A TRANSMISSÃO DO TESTEMUNHO APOSTÓLICO 3. TRADIÇÃO, A ESCRITURA NA IGREJA Revelação TRADIÇÃO Fé Teologia

Leia mais

Roteiro de leitura e síntese para compreender. o significado da Comunidade Eclesial

Roteiro de leitura e síntese para compreender. o significado da Comunidade Eclesial Roteiro de leitura e síntese para compreender o significado da Comunidade Eclesial Comunidade Eclesial Sinal do Reino no presente e no futuro O livro está dividido em 4 capítulos: Refletindo sobre Comunidade

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul 1447 V Mostra de Pesquisa da Pós-Graduação TEOLOGIA E COMUNICAÇÃO Deus e o Humano a partir do Êxodo e Advento na Teologia de Bruno Forte e Jesús Martin-Barbero v Apresentador 1, Jurema Andreolla 1 (orientador)

Leia mais

COPYRIGHT TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - SABER E FÉ

COPYRIGHT TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - SABER E FÉ Aviso importante! Esta matéria é uma propriedade intelectual de uso exclusivo e particular do aluno da Saber e Fé, sendo proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo, exceto em breves citações

Leia mais

PONTIFÍCIA COMISSÃO BIBLICA. A interpretação da Bíblia na Igreja. 7.ed. São Paulo: Paulinas, 1994.

PONTIFÍCIA COMISSÃO BIBLICA. A interpretação da Bíblia na Igreja. 7.ed. São Paulo: Paulinas, 1994. Introdução Geral a Bíblia Charles Jáder G. da Silva PONTIFÍCIA COMISSÃO BIBLICA. A interpretação da Bíblia na Igreja. 7.ed. São Paulo: Paulinas, 1994. O documento A interpretação da Bíblia na Igreja foi

Leia mais

Devocional. Céus Abertos Pastor Carlito Paes

Devocional. Céus Abertos Pastor Carlito Paes BÍBLIA Devocional Céus Abertos Pastor Carlito Paes 2 ROTEIRO BÍBLIA: ENTENDENDO A PALAVRA DE DEUS O que devo conhecer sobre a bíblia? Diversidade dos Autores Condições de alguns autores quando foram inspirados

Leia mais

Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia Departamento de Teologia. Orientações para o Estágio Obrigatório Supervisionado

Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia Departamento de Teologia. Orientações para o Estágio Obrigatório Supervisionado 1 Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia Departamento de Teologia Orientações para o Estágio Obrigatório Supervisionado O Estágio Supervisionado se desenvolve ao longo dos três anos de teologia totalizando

Leia mais

Sacramentos. Aula 23/03/2014 Prof. Lucas Rogério Caetano Ferreira

Sacramentos. Aula 23/03/2014 Prof. Lucas Rogério Caetano Ferreira Sacramentos Aula 23/03/2014 Prof. Lucas Rogério Caetano Ferreira Sacramentos O que são os sacramentos? Sacramento é derivado do latim sacramentum, era utilizado no meio militar correspondendo a juramento

Leia mais

A casa da teologia Introdução ecumênica à ciência da fé

A casa da teologia Introdução ecumênica à ciência da fé A casa da teologia Introdução ecumênica à ciência da fé MURAD, Afonso; GOMES, Paulo Roberto; RIBEIRO, Súsie. São Paulo: Paulinas, 2010. Prof. Dr. Pe. Boris Agustín Nef Ulloa * Segundo os autores, esta

Leia mais

COMO SE DEFINE IDENTIDADE JUDAICA NA ANTIGUIDADE? CRÍTICA A PRESSUPOSTOS DA HISTORIOGRAFIA E DA EXEGESE BÍBLICA

COMO SE DEFINE IDENTIDADE JUDAICA NA ANTIGUIDADE? CRÍTICA A PRESSUPOSTOS DA HISTORIOGRAFIA E DA EXEGESE BÍBLICA IDENTIDADES FLUÍDAS NO JUDAÍSMO ANTIGO E NO CRISTIANISMO PRIMITIVO: REVISÃO DE PRESSUPOSTOS, NOVO OLHAR SOBRE AS FONTES NOGUEIRA, Paulo Augusto de Souza 1º Dia Abertura COMO SE DEFINE IDENTIDADE JUDAICA

Leia mais

3. Panorama das Crenças Religiosas e Cosmovisões

3. Panorama das Crenças Religiosas e Cosmovisões Em defesa da fé 3. Panorama das Crenças Religiosas e Cosmovisões Quadro de Religiões e Filosofias Mundiais Reclaiming the Mind Ministries 2009 Judaísmo 14.000.000 Siquismo 24.000.000 Novas Religiões 105.000.000

Leia mais

E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É me dado todo o poder no céu e na terra.

E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É me dado todo o poder no céu e na terra. Casas Abertas Estudos Diversos Batismo O batismo cristão é uma de duas ordenanças que Jesus instituiu para a igreja: E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É me dado todo o poder no céu e na terra.

Leia mais

Metas/Objetivos Descritores/Conteúdos Estratégias/Metodologias Avaliação

Metas/Objetivos Descritores/Conteúdos Estratégias/Metodologias Avaliação 1º Período Unidade Letiva 1 A Dignidade da Vida Humana Domínio ÉTICA E MORAL CULTURA CRISTÃ E VISÃO CRISTÃ DA VIDA Calendarização: 26 aulas Metas/Objetivos Descritores/Conteúdos Estratégias/Metodologias

Leia mais

1. a edição: a edição: 1990 Reimpressões: 1995, 1997, 1999, 2003, 2004, 2005, 2007

1. a edição: a edição: 1990 Reimpressões: 1995, 1997, 1999, 2003, 2004, 2005, 2007 4 Copyright Inter Varsity Press Título do original: The New Testament documents: are they reliable? Traduzido da 5. a edição publicada pela The Universities and Colleges Christian Fellowship (Leicester,

Leia mais

PLANEJAMENTO Disciplina: Ensino Religioso Série: 7º ano Prof.:Cristiano Souza 1ª UNIDADE EIXOS COGNITIVOS CONTEÚDOS HABILIDADES

PLANEJAMENTO Disciplina: Ensino Religioso Série: 7º ano Prof.:Cristiano Souza 1ª UNIDADE EIXOS COGNITIVOS CONTEÚDOS HABILIDADES Disciplina: Ensino Religioso Série: 7º ano Prof.:Cristiano Souza 1ª UNIDADE EIXOS COGNITIVOS CONTEÚDOS HABILIDADES O homem e sua relação com o Transcendente LIDERANÇA CHAMADOS PARA FORMAR UMA NAÇÃO Favorecer

Leia mais

Religiões Proféticas

Religiões Proféticas Religiões Proféticas O QUE É RELIGIÃO? Religião é uma fé, uma devoção a tudo que é considerado sagrado. É um culto que aproxima o homem das entidades a quem são atribuídas poderes sobrenaturais. É uma

Leia mais

Um dos aspectos mais significativos do desenvolvimento do pensamento moderno O DOGMA E A REVELAÇÃO DIANTE DA CONSCIÊNCIA HISTÓRICA MODERNA*

Um dos aspectos mais significativos do desenvolvimento do pensamento moderno O DOGMA E A REVELAÇÃO DIANTE DA CONSCIÊNCIA HISTÓRICA MODERNA* O DOGMA E A REVELAÇÃO DIANTE DA CONSCIÊNCIA HISTÓRICA MODERNA* Antonio Manzatto** Alexandre Patucci de Lima*** Resumo: o presente artigo procura abordar a categoria de dogma diante da consciência histórica

Leia mais