Data de Entrada: Pedido de Esclarecimento. Reclamação X RESUMO DA PARTICIPAÇÃO: REVISÃO DO PLANO DIRETOR MUNICIPAL DE BENAVENTE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Data de Entrada: Pedido de Esclarecimento. Reclamação X RESUMO DA PARTICIPAÇÃO: REVISÃO DO PLANO DIRETOR MUNICIPAL DE BENAVENTE"

Transcrição

1 REQUERENTE: SAMAKI Exploração Agrícola e Florestal, Lda. Ref.ª da Participação: 6255 ASSUNTO: Alteração de Espaço Florestal de Produção para Solo Urbano. LOCALIZAÇÃO: Herdade do Infantado, Samora Correia TIPO DE RESUMO DA Sugestão Observação Data de Entrada: Área: m2 Pedido de Esclarecimento 31 Reclamação X Solicita a integração em perímetro urbano da herdade da qual é proprietário. Localização Ortofotomapa 73

2 Ordenamento - Classificação e Qualificação do Solo PONDERAÇÃO: A proposta apresentada pelo requerente não se enquadra nos pressupostos que foram definidos para a classificação do local no âmbito do processo de revisão do PDM. DECISÃO: Favorável Favorável Parcial Desfavorável X Previsto no Plano Sem Enquadramento no Plano ALTERAÇÃO: Regulamento Ordenamento Condicionantes Outras Peças 74

3 REQUERENTE: Luís Espírito Santo Silva Mello Ref.ª da Participação: 6256 ASSUNTO: Alteração de Espaço Florestal de Produção para Solo Urbano. LOCALIZAÇÃO: Herdade do Infantado, Samora Correia TIPO DE RESUMO DA Sugestão Observação Data de Entrada: Área: m2 Pedido de Esclarecimento 32 Reclamação X Solicita a integração em perímetro urbano da herdade da qual é proprietário. Localização Ortofotomapa 75

4 Ordenamento - Classificação e Qualificação do Solo PONDERAÇÃO: A proposta apresentada pelo requerente não se enquadra nos pressupostos que foram definidos para a classificação do local no âmbito do processo de revisão do PDM. DECISÃO: Favorável Favorável Parcial Desfavorável X Previsto no Plano Sem Enquadramento no Plano ALTERAÇÃO: Regulamento Ordenamento Condicionantes Outras Peças 76

5 REQUERENTE: BENIM Sociedade Imobiliária, S. A. Ref.ª da Participação: 6296 ASSUNTO: Exclusão da REN. Data de Entrada: LOCALIZAÇÃO: Mata do Duque, Sto. Estêvão TIPO DE RESUMO DA Sugestão Observação Área: m2 Pedido de Esclarecimento 33 Reclamação X Requerente entende que a área indicada na carta não cumpre os critérios da REN. Solicita Exclusão da REN para a área delimitada. Localização Ortofotomapa Ordenamento - Classificação e Qualificação do Solo Condicionantes REN 77

6 PONDERAÇÃO: A pretensão carece de fundamentação técnica que a sustente, existindo áreas contiguas que por conterem usos incompatíveis com o regime da REN sofreram pedidos de exclusão devidamente fundamentados e com pareceres favoráveis da CCDRLVT e APA, ponderação que não se aplica neste caso. DECISÃO: Favorável Favorável Parcial Desfavorável X Previsto no Plano Sem Enquadramento no Plano ALTERAÇÃO: Regulamento Ordenamento Condicionantes Outras Peças 78

7 REQUERENTE: BENIM Sociedade Imobiliária, S. A. Ref.ª da Participação: 6297 ASSUNTO: Alteração de Espaço Florestal de Produção para REOC- Herdades e Quintas. LOCALIZAÇÃO: Mata do Duque, Sto. Estêvão TIPO DE RESUMO DA Sugestão Observação Data de Entrada: Área: m2 Pedido de Esclarecimento 34 Reclamação X Requerente solicita uma alteração de Espaço Florestal de Produção para REOC Herdades e Quintas. Localização Ortofotomapa Ordenamento - Classificação e Qualificação do Solo Condicionantes - REN 79

8 PONDERAÇÃO: A proposta apresentada contraria a posição da CCDRLVT exposta durante o período de concertação. Apesar de a CMB reconhecer algum mérito na proposta, acordou uma situação de compromisso para as áreas de facto edificada e as que lhe ficam adjacentes e de mais fácil infraestruturação.. DECISÃO: ALTERAÇÃO: Favorável Favorável Parcial Desfavorável X Regulamento Ordenamento Condicionantes Previsto no Plano Sem Enquadramento no Plano Outras Peças 80

9 REQUERENTE: António Raposo Pires Ref.ª da Participação: 6302 ASSUNTO: Alteração de Espaço Florestal de Produção para Espaço Agrícola de Produção. LOCALIZAÇÃO: Foros de Almada, Sto. Estêvão TIPO DE RESUMO DA Sugestão Observação Data de Entrada: Área: m2 Pedido de Esclarecimento 35 Reclamação X Requerente solicita alteração da classificação de Espaço Florestal de Produção para Espaço Agrícola de Produção, atendendo á baixa densidade de arborização e ao facto de ser a atividade agrícola aquela que é predominante no prédio. Localização Ortofotomapa Ordenamento - Classificação e Qualificação do Solo 81

10 Condicionantes - REN PONDERAÇÃO: A proposta apresentada, do ponto de vista da CMB enquadra-se no perspetivado para o local. O prédio possui um pontual estrato arbustivo e um estrato arbóreo pouco denso que enquadram uma pequena, mas significativa, linha de água, sendo o uso agrícola dominante e atividade económica principal do proprietário. Considerando que a atividade principal do requerente é a agricultura e a mesma se desenvolve no prédio desde a alguns anos, considera-se viável a pretensão. DECISÃO: Favorável X Favorável Parcial Desfavorável Previsto no Plano Sem Enquadramento no Plano ALTERAÇÃO: Regulamento Ordenamento Condicionantes Outras Peças X 82

11 REQUERENTE: Henrique Simões Nunes da Fonseca (Bacefrut) Ref.ª da Participação: 6306 ASSUNTO: Alteração de UBD para UAE. Data de Entrada: LOCALIZAÇÃO: Arados, Samora Correia TIPO DE RESUMO DA Sugestão Observação Área: m2 Pedido de Esclarecimento 36 Reclamação X Requerente solicita uma alteração de Espaço Urbano de Baixa Densidade (UBD) para Espaço de Atividades Económicas (UAE) no prédio onde se localiza a empresa BACEFRUT, de modo a responder ao programa de desenvolvimento da Unidade. Assim solicita que para o local sejam previstos: Área de Ocupação de 0,5; Área de Impermeabilização de 0,8 e Índice Volumétrico de 5 m3/m2. Localização Ortofotomapa Ordenamento - Classificação e Qualificação do Solo 83

12 PONDERAÇÃO: A proposta apresentada respeita os objetivos estratégicos da CMB e enquadra-se na envolvente do aglomerado dos Arados e sendo uma unidade pré-existente e em crescimento, com elevado potencial de criação de emprego. DECISÃO: Favorável X Favorável Parcial Desfavorável Previsto no Plano Sem Enquadramento no Plano ALTERAÇÃO: Regulamento Ordenamento Condicionantes Outras Peças X 84

13 REQUERENTE: Pedro Miguel Martins Coimbra Garcia Matos Ref.ª da Participação: 6307 ASSUNTO: Classificação do Monte como SIT. Alteração de Espaço Agrícola para REOC Equipamento. Correção REN. LOCALIZAÇÃO: Vale da Asseiceira, Benavente. TIPO DE RESUMO DA Sugestão Observação Data de Entrada: Área: m2 Pedido de Esclarecimento 37 Reclamação X Requerente solicita classificação do Monte como SIT- Sítio de Interesse para o Turismo, Recreio e Lazer. Correção da REN com base em Estudo geológico e geotécnico onde rebate a classificação de Área de Máxima Infiltração. Classificação da parte norte da propriedade como REOC Espaço Destinado a Equipamentos e outras Estruturas compatíveis com o solo rural Equipamentos, onde se pretende instalar equipamento turístico na valência Saúde e Bem Estar. Localização Ortofotomapa 85

14 Ordenamento - Classificação e Qualificação do Solo Condicionantes - REN PONDERAÇÃO: A marcação do Monte como SIT enquadra-se na estratégia da CMB contante do Plano. Para o REOC Equipamento, a proposta embora enquadrando-se na estratégia de desenvolvimento económico para o municipio, por se sobrepor a solos da RAN fica impossibilidade de se concretizar. No que respeita a proposta de alteração da REN, a mesma deverá ser analisada em fase posterior em função das necessidades de desenvolvimento do projeto. DECISÃO: Favorável Favorável Parcial X Desfavorável Previsto no Plano Sem Enquadramento no Plano ALTERAÇÃO: Regulamento Ordenamento Condicionantes Outras Peças X 86

15 REQUERENTE: Pedro Miguel Martins Coimbra Garcia Matos Ref.ª da Participação: 6309 ASSUNTO: Unidade de Execução que abranja apenas a sua propriedade. LOCALIZAÇÃO: Monte da Saúde, Benavente. TIPO DE RESUMO DA Sugestão Observação Data de Entrada: Área: m2 Pedido de Esclarecimento 38 Reclamação X Requerente solicita que a UOPG 3 considere uma Unidade de Execução que abranja apenas a sua propriedade. Localização Ortofotomapa Ordenamento - Classificação e Qualificação do Solo Ordenamento - UOPG PONDERAÇÃO: 87

16 DECISÃO: Favorável Favorável Parcial Desfavorável Previsto no Plano X Sem Enquadramento no Plano ALTERAÇÃO: Regulamento Ordenamento Condicionantes Outras Peças X 88

17 REQUERENTE: Pedro Miguel Martins Coimbra Garcia Matos Ref.ª da Participação: 6311 ASSUNTO: Alteração de Espaço Florestal de Produção para REOC Unidades Industriais Isoladas. LOCALIZAÇÃO: Arneiro dos Coelhos, Benavente. TIPO DE RESUMO DA Sugestão Observação Data de Entrada: Área: m2 Pedido de Esclarecimento 39 Reclamação X Requerente solicita uma alteração de Espaço Florestal de Produção para REOC Unidades Industriais Isoladas para relocalização de Suinicultura existente na Coutada Velha. Localização Ortofotomapa Ordenamento - Classificação e Qualificação do Solo Condicionantes - REN 89

18 PONDERAÇÃO: A proposta enquadra-se na estratégia municipal de relocalização das pecuárias inseridas no perímetro urbano de Coutada Velha com a sua transferência para solo rural, no entanto o polígono proposto deve ser reduzido por forma a não afetar o povoamento de sobreiros existente. A proposta de relocalização deve ser devidamente referida no regulamento do plano, com articulado específico, como acontece no artigo 59º para a relocalização de aviários, condicionando o novo zonamento apenas a essa transferência e com um prazo limite de 5 anos. DECISÃO: Favorável Favorável Parcial X Desfavorável Previsto no Plano Sem Enquadramento no Plano ALTERAÇÃO: Regulamento Ordenamento Condicionantes Outras Peças X X 90

19 REQUERENTE: José António da Silva Alves Inácio Ref.ª da Participação: 6312 ASSUNTO: Alteração de Espaço Agrícola de Produção para Espaço Residencial (a estruturar) LOCALIZAÇÃO: Azinhaga da Sesmaria de Santana, Benavente. TIPO DE RESUMO DA Sugestão Observação Data de Entrada: Área: m2 Pedido de Esclarecimento 40 Reclamação X Requerente solicita uma alteração de RA - Espaço Agrícola de Produção para UR - Espaço Residencial (a estruturar) visto que a sua propriedade localizada entre a Rua General Humberto Delgado e a Azinhaga da Sesmaria de Santana é atingida por dois tipos de categoria, nomeadamente UR Espaço Residencial e RA Espaço Agrícola de Produção, pelo que solicita a uniformização da classificação, mostrando disponibilidade para realizar a construção de um arruamento de caraterísticas urbanas de ligação entre as vias referidas para contribuir para a estruturação da área urbana. Localização Ortofotomapa 91

20 Ordenamento - Classificação e Qualificação do Solo Condicionantes - REN PONDERAÇÃO: A proposta apresentada contraria a posição da CCDRLVT exposta durante o período de concertação. Apesar de a CMB reconhecer algum mérito na proposta, acordou para o local que apenas as áreas de facto edificadas e as que lhe ficam adjacentes e de mais fácil infraestruturação devem ser inseridas em perímetro urbano ou ainda em RED Espaço de Edificação Dispersa. Nesta situação ainda seria indispensável uma justificação suficiente para proceder a exclusão da REN. DECISÃO: Favorável Favorável Parcial Desfavorável X Previsto no Plano Sem Enquadramento no Plano ALTERAÇÃO: Regulamento Ordenamento Condicionantes Outras Peças 92

ALTERAÇÃO AO PLANO DE PORMENOR DA ZONA DE EXPANSÃO SUL-NASCENTE DA CIDADE DE SINES JUSTIFICAÇÃO PARA NÃO SUJEIÇÃO A AVALIAÇÃO AMBIENTAL ESTRATÉGICA

ALTERAÇÃO AO PLANO DE PORMENOR DA ZONA DE EXPANSÃO SUL-NASCENTE DA CIDADE DE SINES JUSTIFICAÇÃO PARA NÃO SUJEIÇÃO A AVALIAÇÃO AMBIENTAL ESTRATÉGICA PLANO DE PORMENOR DA ZONA DE EXPANSÃO ALTERAÇÃO FEVEREIRO DE 2016 Assunto: Alteração ao Plano de Pormenor da Zona de Expansão Sul-Nascente da Cidade de Sines Justificação para não sujeição a avaliação

Leia mais

ALTERAÇÃO AO REGULAMENTO DO PLANO DIRETOR MUNICIPAL DE S. JOÃO

ALTERAÇÃO AO REGULAMENTO DO PLANO DIRETOR MUNICIPAL DE S. JOÃO ALTERAÇÃO AO REGULAMENTO DO PLANO DIRETOR MUNICIPAL DE S. JOÃO DA PESQUEIRA Os artigos 48.º e 49.º do Regulamento do PDM de S. João da Pesqueira passam a ter a seguinte redacção: Artigo 48.º Espaços Agrícolas

Leia mais

Termos de Referência. 4. Enquadramento nos Instrumentos de Gestão Territorial. Página 1 de 5

Termos de Referência. 4. Enquadramento nos Instrumentos de Gestão Territorial. Página 1 de 5 Termos de Referência 1. Oportunidade da elaboração do Plano de Pormenor do Parque Empresarial para Novas Estratégias de Localização do Investimento O Plano Director Municipal de Penela, em processo de

Leia mais

Redes de defesa da floresta contra incêndios FGC Aplicação do Regime Jurídico das Ações de Arborização e Rearborização

Redes de defesa da floresta contra incêndios FGC Aplicação do Regime Jurídico das Ações de Arborização e Rearborização Redes de defesa da floresta contra incêndios FGC Aplicação do Regime Jurídico das Ações de Arborização e Rearborização PENELA 05 setembro de 2015 Redes de defesa da floresta contra incêndios Legislação

Leia mais

ANEXO I - Organização dos objetos nas plantas dos planos territoriais A - Planta de Ordenamento ou Planta de Zonamento

ANEXO I - Organização dos objetos nas plantas dos planos territoriais A - Planta de Ordenamento ou Planta de Zonamento SUB Área de Intervenção do Plano Área de Intervenção do Plano Área de Intervenção do Plano 1 Classificação e Qualificação do Solo Solo Urbano Espaço Central 2 Classificação e Qualificação do Solo Solo

Leia mais

FICHA DE DADOS ESTATÍSTICOS DE PLANO DIRECTOR MUNICIPAL N.º 5 da Portaria n.º 138/2008, de 2 de Fevereiro

FICHA DE DADOS ESTATÍSTICOS DE PLANO DIRECTOR MUNICIPAL N.º 5 da Portaria n.º 138/2008, de 2 de Fevereiro Designação Revisão de Plano Director Municipal Localização Região / NUT II Município Norte Mirandela Valores Globais Área do município 65 895,7 Ano de referência do PDM 1994 Ano horizonte do PDM 2026 Residente

Leia mais

ALTERAÇÃO AO PLANO DE PORMENOR DA ZONA DE EXPANSÃO SUL-NASCENTE DA CIDADE DE SINES TERMOS DE REFERÊNCIA

ALTERAÇÃO AO PLANO DE PORMENOR DA ZONA DE EXPANSÃO SUL-NASCENTE DA CIDADE DE SINES TERMOS DE REFERÊNCIA PLANO DE PORMENOR DA ZONA DE EXPANSÃO SUL-NASCENTE DA CIDADE DE SINES ALTERAÇÃO FEVEREIRO DE 2016 Assunto: Alteração ao Plano de Pormenor da Zona de Expansão Sul-Nascente da Cidade de Sines Proposta de

Leia mais

V E R E A Ç Ã O D E P L A N E A M E N T O, O R D E N A M E N T O E U R B A N I S M O D I V I S Ã O D E P L A N E A M E N T O, R E V I T A L I Z A Ç Ã

V E R E A Ç Ã O D E P L A N E A M E N T O, O R D E N A M E N T O E U R B A N I S M O D I V I S Ã O D E P L A N E A M E N T O, R E V I T A L I Z A Ç Ã 1 I PREÂMBULO O regime de coordenação dos âmbitos nacional, regional e municipal do sistema de planeamento territorial, assim como a revisão dos Planos Diretores Municipais, obedecem ao Decreto-Lei n.º

Leia mais

Parecer de Localização sobre novas explorações de Pedreiras

Parecer de Localização sobre novas explorações de Pedreiras NORMA DE PROCEDIMENTOS Janeiro de 2012 07 / OT Tramitação dos processos de Parecer de Localização sobre novas explorações de Pedreiras 1. Apresentação 2. Legislação de enquadramento 3. Tramitação dos processos

Leia mais

PLANO DE PORMENOR PARA A UOPG 13 (DO PLANO DE URBANIZAÇÃO DA MEIA PRAIA)

PLANO DE PORMENOR PARA A UOPG 13 (DO PLANO DE URBANIZAÇÃO DA MEIA PRAIA) PLANO DE PORMENOR PARA A UOPG 13 (DO PLANO DE URBANIZAÇÃO DA MEIA PRAIA) TERMOS DE REFERÊNCIA CÂMARA MUNICIPAL DE LAGOS DEPARTAMENTO DE PLANEAMENTO E GESTÃO URBANÍSTICA 2010 1. ENQUADRAMENTO LEGAL DO PLANO

Leia mais

Delimitação da Reserva Ecológica Nacional do concelho de Manteigas

Delimitação da Reserva Ecológica Nacional do concelho de Manteigas Delimitação da Reserva Ecológica Nacional do concelho de Manteigas C1 Áreas de Máxima Infiltração Aglomerado Rural C2 Aglomerado Rural C3 Aglomerado Rural C4 Solo Urbano C5 Solo Urbano C6 Solo Urbano C7

Leia mais

UNIDADE DE EXECUÇÃO BORRAGEIROS

UNIDADE DE EXECUÇÃO BORRAGEIROS UNIDADE DE EXECUÇÃO BORRAGEIROS [ESTUDO TERRITORIAL] NOVEMBRO 2016 DGOU- DPUPE SPDM DEPARTAMENTO DE GESTÃO E ORDENAMENTO URBANÍSTICO DIVISÃO DE PLANEAMENTO URBANÍSTICO E PROJETOS ESTRUTURANTES SECTOR DO

Leia mais

EDITAL Nº 102/VIII/2004

EDITAL Nº 102/VIII/2004 Nº 102/VIII/2004 (Aprovação do Plano de Pormenor do Bairro do Campo da Bola do Programa Polis na Costa de Caparica) EU, JOSE MANUEL MAIA NUNES DE ALMEIDA, PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL DO CONCELHO

Leia mais

1.º Programa de Ação Territorial do Complexo Termal das Caldas da Cavaca

1.º Programa de Ação Territorial do Complexo Termal das Caldas da Cavaca 1.º Programa de Ação Territorial do Complexo Termal das Caldas da Cavaca Este programa de ação territorial (PAT) dá início à execução da Unidade de Planeamento e Gestão 2 Complexo Termal das Caldas da

Leia mais

O Papel das Câmaras Municipais no Licenciamento das Explorações Leiteiras. O caso da Câmara Municipal da Trofa

O Papel das Câmaras Municipais no Licenciamento das Explorações Leiteiras. O caso da Câmara Municipal da Trofa O Papel das Câmaras Municipais no Licenciamento das Explorações Leiteiras O caso da Câmara Municipal da Trofa Diagnóstico das Explorações Bovinas no Concelho da Trofa Trofa - Representatividade das explorações

Leia mais

PLANO DE URBANIZAÇÃO DA UOPG3 DE HOTELARIA TRADICIONAL ALVOR - PORTIMÃO TERMOS DE REFERÊNCIA

PLANO DE URBANIZAÇÃO DA UOPG3 DE HOTELARIA TRADICIONAL ALVOR - PORTIMÃO TERMOS DE REFERÊNCIA PLANO DE URBANIZAÇÃO DA UOPG3 DE HOTELARIA TRADICIONAL TERMOS DE REFERÊNCIA CÂMARA MUNICIPAL DE PORTIMÃO 2012 Índice 1 Introdução; 2 Enquadramento territorial da área de Intervenção; 3 Enquadramento Jurídico;

Leia mais

Alteração do Plano de Pormenor da Lagarta Áreas Nascente e Poente

Alteração do Plano de Pormenor da Lagarta Áreas Nascente e Poente Alteração do Plano de Pormenor da Lagarta Áreas Nascente e Poente 1. Enquadramento Legal do Relatório de Ponderação Nos termos do Regime Jurídico dos Instrumentos de Gestão Territorial (RJIGT), aprovado

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE PORMENOR SOBRE A OCUPAÇÃO DE PARCELAS NO SÍTIO DENOMINADO ESTACAL, EM BREJOS DE AZEITÃO, CASAS DE AZEITÃO.

REGULAMENTO DO PLANO DE PORMENOR SOBRE A OCUPAÇÃO DE PARCELAS NO SÍTIO DENOMINADO ESTACAL, EM BREJOS DE AZEITÃO, CASAS DE AZEITÃO. REGULAMENTO DO PLANO DE PORMENOR SOBRE A OCUPAÇÃO DE PARCELAS NO SÍTIO DENOMINADO ESTACAL, EM BREJOS DE AZEITÃO, CASAS DE AZEITÃO. Artigo 1º Aplicação 1. O presente Plano de Pormenor, adiante designado

Leia mais

ALTERAÇÃO AO PLANO DE PORMENOR DA ZONA DE EXPANSÃO SUL-NASCENTE DA CIDADE DE SINES RELATÓRIO

ALTERAÇÃO AO PLANO DE PORMENOR DA ZONA DE EXPANSÃO SUL-NASCENTE DA CIDADE DE SINES RELATÓRIO PLANO DE PORMENOR DA ZONA DE EXPANSÃO SUL-NASCENTE DA CIDADE DE SINES ALTERAÇÃO ABRIL DE 2016 Assunto: Alteração ao Plano de Pormenor da Zona de Expansão Sul-Nascente da Cidade de Sines Relatório Data:

Leia mais

PLANO DE PORMENOR DA ZONA DE ATIVIDADES ECONÓMICAS DE CASTRO VERDE DISCUSSÃO PÚBLICA RELATÓRIO DE PONDERAÇÃO DE RESULTADOS

PLANO DE PORMENOR DA ZONA DE ATIVIDADES ECONÓMICAS DE CASTRO VERDE DISCUSSÃO PÚBLICA RELATÓRIO DE PONDERAÇÃO DE RESULTADOS PLANO DE PORMENOR DA ZONA DE ATIVIDADES ECONÓMICAS DE CASTRO VERDE DISCUSSÃO PÚBLICA RELATÓRIO DE PONDERAÇÃO DE RESULTADOS ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. DISCUSSÃO PÚBLICA 2.a DIVULGAÇÃO 2.b CONSULTA 2.c MODO

Leia mais

ALÍNEA A) DO Nº 1 DO ARTIGO 22º do DL 73/2009, COM AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELO DL 199/2015, DE 16 DE SETEMBRO

ALÍNEA A) DO Nº 1 DO ARTIGO 22º do DL 73/2009, COM AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELO DL 199/2015, DE 16 DE SETEMBRO ALÍNEA A) DO Nº 1 DO ARTIGO 22º do DL 73/2009, COM AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELO DL 199/2015, DE 16 DE SETEMBRO 1- As utilizações não agrícolas de áreas integradas na RAN só podem verificar-se quando,

Leia mais

GESTÃO SUSTENTÁVEL DA ORLA COSTEIRA

GESTÃO SUSTENTÁVEL DA ORLA COSTEIRA S e m i n á r i o DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL O MAR GESTÃO SUSTENTÁVEL DA ORLA COSTEIRA IST 03 Nov 2004 Quaternaire Portugal http://www.quaternaire.pt Decreto-lei n.º 380/99: DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Leia mais

Participação Preventiva

Participação Preventiva Departamento de Planeamento e Gestão Urbanística Divisão de Gestão Urbanística e de Planeamento Relatório do Período de Preventiva da Alteração ao Plano Diretor Municipal de Albufeira Novembro 2014 Relatório

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº /2015

PROJETO DE LEI Nº /2015 Sumário PROJETO DE LEI Nº /2015 TÍTULO I DOS FUNDAMENTOS, ABRANGÊNCIA E FINALIDADES...7 CAPÍTULO I DOS FUNDAMENTOS E ABRANGÊNCIA... 7 CAPÍTULO II DA FINALIDADE E PROCEDIMENTOS DE AVALIAÇÃO... 7 TÍTULO

Leia mais

Licenciamento/ autorização das operações

Licenciamento/ autorização das operações Licenciamento/autorização das operações Licenciamento/ autorização das operações Introdução / Enquadramento Condições gerais de admissão e aceitação dos beneficiários (Artigo 12.º) Cumprirem as condições

Leia mais

Definição da metodologia e avaliação quantitativa e qualitativa da biomassa florestal residual

Definição da metodologia e avaliação quantitativa e qualitativa da biomassa florestal residual Definição da metodologia e avaliação quantitativa e qualitativa da biomassa florestal residual Sónia Figo M i r a n d a do C o r v o 3 0 d e S e t e m b r o 2 0 0 8 Localização e enquadramento geográfico

Leia mais

O desafio de implementar o artigo 5.º do DL 254/2007. Sara Vieira 25 de Maio de 2009

O desafio de implementar o artigo 5.º do DL 254/2007. Sara Vieira 25 de Maio de 2009 O desafio de implementar o artigo 5.º do DL 254/2007 Sara Vieira 25 de Maio de 2009 O desafio de implementar o artigo 5.º Abordagem presente Trabalho em curso Perspectiva futura Artigo 5.º Novos estabelecimentos

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE URBANIZAÇÃO DE CARREGAL DO SAL

REGULAMENTO DO PLANO DE URBANIZAÇÃO DE CARREGAL DO SAL REGULAMENTO DO PLANO DE URBANIZAÇÃO DE CARREGAL DO SAL CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO 1º 1- Âmbito O Plano de Urbanização de Carregal do Sal, adiante designado por PUCS, abrange a Vila de Carregal

Leia mais

Direito do Ordenamento e do Urbanismo. Parte II. Regras de ocupação, uso e transformação dos solos Cap I.

Direito do Ordenamento e do Urbanismo. Parte II. Regras de ocupação, uso e transformação dos solos Cap I. Direito do Ordenamento e do Urbanismo Parte II. Regras de ocupação, uso e transformação dos solos Cap I. Os regimes legais 1 Reserva Agrícola Nacional Reserva Ecológica Nacional Rede Nacional de áreas

Leia mais

Parecer de Localização sobre Operações de Depósito de Resíduos em Aterro

Parecer de Localização sobre Operações de Depósito de Resíduos em Aterro NORMA DE PROCEDIMENTOS Janeiro de 2012 09 / OT Tramitação dos processos de Parecer de Localização sobre Operações de Depósito de Resíduos em Aterro 1. Apresentação 2. Legislação de enquadramento 3. Tramitação

Leia mais

PLANO DE INTERVENÇÃO NO ESPAÇO RÚSTICO DA VILA SANTA TERMOS DE REFERÊNCIA

PLANO DE INTERVENÇÃO NO ESPAÇO RÚSTICO DA VILA SANTA TERMOS DE REFERÊNCIA PLANO DE INTERVENÇÃO NO ESPAÇO RÚSTICO DA VILA SANTA TERMOS DE REFERÊNCIA Estremoz, Fevereiro de 2016 1. INTRODUÇÃO Nos termos do disposto no n.º 5 do artigo 2.º, do artigo 69.º e artigo 76.º do D.L. n.º

Leia mais

Plano Diretor Municipal de Leiria. Alteração RELATÓRIO. Ponderação de sujeição a Avaliação Ambiental Estratégica

Plano Diretor Municipal de Leiria. Alteração RELATÓRIO. Ponderação de sujeição a Avaliação Ambiental Estratégica Município de Leiria Câmara Municipal Departamento de Planeamento e Gestão Urbanística Divisão de Planeamento, Ordenamento e Estratégia Territorial Plano Diretor Municipal de Leiria Alteração RELATÓRIO

Leia mais

E S C L A R E C I M E N T O. Aviso de Concurso nº CENTRO Património Natural

E S C L A R E C I M E N T O. Aviso de Concurso nº CENTRO Património Natural E S C L A R E C I M E N T O Aviso de Concurso nº CENTRO-14-2016-05 - Património Natural Face a algumas questões colocadas por parte de potenciais concorrentes ao Aviso de Concurso nº CENTRO-14-2016-05

Leia mais

Guia Prático de Termos e Conceitos do Plano Diretor Municipal de Vila Real

Guia Prático de Termos e Conceitos do Plano Diretor Municipal de Vila Real Guia Prático de Termos e Conceitos do Plano Diretor Municipal de Vila Real Município de Vila Real, Dezembro de 2013 VERSÃO: 1.0 -----------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

MUNICÍPIO DA MOITA PLANO DIRETOR MUNICIPAL TITULO II SERVIDÕES ADMINISTRATIVAS E OUTRAS RESTRIÇÕES DE UTILIDADE PÚBLICA

MUNICÍPIO DA MOITA PLANO DIRETOR MUNICIPAL TITULO II SERVIDÕES ADMINISTRATIVAS E OUTRAS RESTRIÇÕES DE UTILIDADE PÚBLICA MUNICÍPIO DA MOITA PLANO DIRETOR MUNICIPAL REGULAMENTO - ÍNDICE TITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigos: 1.º Âmbito 2.º Conteúdo documental 3.º Vinculação 4.º Definições TITULO II SERVIDÕES ADMINISTRATIVAS

Leia mais

MINISTÉRIO DO AMBIENTE, ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E ENERGIA

MINISTÉRIO DO AMBIENTE, ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E ENERGIA Diário da República, 1.ª série N.º 231 28 de novembro de 2014 5999 principal, podem integrar o júri para recrutamento para preenchimento de postos no âmbito da carreira de enfermagem, titulares das categorias

Leia mais

ESTRUTURA ECOLÓGICA DA ÁREA URBANA DE BEJA

ESTRUTURA ECOLÓGICA DA ÁREA URBANA DE BEJA BEJA 1/6 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. PROPOSTA DA ESTRUTURA ECOLÓGICA DA CIDADE... 4 2/6 1. INTRODUÇÃO Com a Estrutura Ecológica Urbana pretende-se criar um «continuum naturale» integrado no espaço urbano,

Leia mais

1ª REVISÃO DO PLANO DIRETOR MUNICIPAL DE CONDEIXA-A-NOVA. REGULAMENTO Volume III. JUNHO de 2014 CÂMARA MUNICIPAL DE CONDEIXA-A-NOVA

1ª REVISÃO DO PLANO DIRETOR MUNICIPAL DE CONDEIXA-A-NOVA. REGULAMENTO Volume III. JUNHO de 2014 CÂMARA MUNICIPAL DE CONDEIXA-A-NOVA 1ª REVISÃO DO PLANO DIRETOR MUNICIPAL DE CONDEIXA-A-NOVA REGULAMENTO Volume III JUNHO de 2014 CÂMARA MUNICIPAL DE CONDEIXA-A-NOVA 1ª REVISÃO DO PLANO DIRETOR MUNICIPAL DE CONDEIXA-A-NOVA REGULAMENTO Volume

Leia mais

PLANO DIRETOR MUNICIPAL [REVISÃO]

PLANO DIRETOR MUNICIPAL [REVISÃO] PLANO DIRETOR MUNICIPAL [REVISÃO] RESERVA ECOLÓGICA NACIONAL Volume II - Exclusões MARÇO 2015 DEPARTAMENTO DE INOVAÇÃO E COMUNICAÇÃO DIC DIVISÃO DE SISTEMAS DE SUPORTE À DECISÃO E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO

Leia mais

Plano Diretor Municipal Castanheira de Pera

Plano Diretor Municipal Castanheira de Pera Plano Diretor Municipal Castanheira de Pera Câmara Municipal de Castanheira de Pera Lugar do Plano, Gestão do Território e Cultura m a i o 2015 Proposta de Exclusão da Reserva Nacional Índice 1. Nota Introdutória...

Leia mais

Adélia Matos. Cumprimentos, JMP. Boa tarde, Segue ficheiro editável Word.docx. Melhores Cumprimentos. Cumprimentos, JMP.

Adélia Matos. Cumprimentos, JMP. Boa tarde, Segue ficheiro editável Word.docx. Melhores Cumprimentos. Cumprimentos, JMP. Adélia Matos De: João Palma Enviado: segunda-feira, 24 de Março de 2014 17:13 Para: Adélia Matos; Nuno Serrano; Rita Sousa; Sara Dias Cc: Vitor Silva; Luís Cecílio; Mário Rios Assunto: FW: PPERUCS - Risco

Leia mais

Curso de Especialização em Gestão Desportiva

Curso de Especialização em Gestão Desportiva Curso de Especialização em Gestão Desportiva Equipamentos e instalações desportivas Módulo 2 Calendário Dia 29 Mai Dia 4 Jun Dia 5 Jun 14-16h 16-18h 18-20h Normativas referentes às características das

Leia mais

ÍNDICE. Memória Descritiva PLANO DE PORMENOR DO ESPAÇO DE REESTRUTURAÇÃO URBANÍSTICA DA QUINTA DO BARÃO

ÍNDICE. Memória Descritiva PLANO DE PORMENOR DO ESPAÇO DE REESTRUTURAÇÃO URBANÍSTICA DA QUINTA DO BARÃO PLANO DE PORMENOR DO ESPAÇO DE REESTRUTURAÇÃO URBANÍSTICA DA QUINTA DO BARÃO ÍNDICE LEVANTAMENTO DO JARDIM E ESPAÇO ANEXO EXISTENTE PEÇAS DESENHADAS 01.1 e 01.2 - Levantamento de Elementos Construídos

Leia mais

TÍTULO I Diário da República, 2.ª série N.º de março de Disposições gerais. CAPÍTULO VI Disposições finais MUNICÍPIO DE LOULÉ

TÍTULO I Diário da República, 2.ª série N.º de março de Disposições gerais. CAPÍTULO VI Disposições finais MUNICÍPIO DE LOULÉ 10812 Diário da República, 2.ª série N.º 62 28 de março de 2013 Artigo 40.º Contraordenações 1 Sem prejuízo da punição pela prática de crime de falsas declarações e do disposto noutras disposições legais,

Leia mais

R e v i s ã o d o P R O T A L G A R V E (Aprovado no Conselho de Ministros de 24 de Maio de 2007)

R e v i s ã o d o P R O T A L G A R V E (Aprovado no Conselho de Ministros de 24 de Maio de 2007) R e v i s ã o d o P R O T A L G A R V E (Aprovado no Conselho de Ministros de 24 de Maio de 2007) PERGUNTAS MAIS FREQUENTES.1. Como se deverá processar a adaptação dos Planos Directores Municipais (PDM)

Leia mais

DECLARAÇÃO DE COMUNICAÇÃO PRÉVIA

DECLARAÇÃO DE COMUNICAÇÃO PRÉVIA DECLARAÇÃO DE COMUNICAÇÃO PRÉVIA CONSTITUIÇÃO DE DIREITOS REAIS DE HABITAÇÃO PERIÓDICA (DRHP) Enquadramento Legal: Decreto-Lei n.º 275/93, de 5 de Agosto, na redacção dada pelo Decreto-Lei n.º 37/2011,

Leia mais

QUADRO ANEXO DELIMITAÇÃO DA RESERVA ECOLOGICA NACIONAL DO CONCELHO DE VILA FRANCA DE XIRA

QUADRO ANEXO DELIMITAÇÃO DA RESERVA ECOLOGICA NACIONAL DO CONCELHO DE VILA FRANCA DE XIRA PROPOSTA DE EXCLUSÂO 1 Área com edificações existentes e com projecto de recuperação em Situação isolada em Solo Rural tramitação 2 Áreas de Máxima Área edificada de Alpriate 3 Áreas de Máxima Área edificada

Leia mais

Diário da República, 2.ª série N.º de setembro de CAPÍTULO I Disposições gerais MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA

Diário da República, 2.ª série N.º de setembro de CAPÍTULO I Disposições gerais MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA Diário da República, 2.ª série N.º 190 29 de setembro de 2015 27959 505,00, que corresponde à posição 1, nível 1 da tabela remuneratória única, acrescido de subsídio de refeição no valor de 4,27 /dia;

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MONTALEGRE EMDEME EF 1 - REGULAMENTO. PDMontalegre ÍNDICE

CÂMARA MUNICIPAL DE MONTALEGRE EMDEME EF 1 - REGULAMENTO. PDMontalegre ÍNDICE CÂMARA MUNICIPAL DE MONTALEGRE EMDEME EF 1 - REGULAMENTO PDMontalegre ÍNDICE Lisboa, Outubro de 1994 TÍTULO I - DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º - Âmbito Territorial 1 Artigo 2º - Objectivos Artigo 3º - Revisão

Leia mais

UOP 1 do PDM de Loulé Quarteira-Vilamoura e Vila Sol

UOP 1 do PDM de Loulé Quarteira-Vilamoura e Vila Sol UOP 1 do PDM de Loulé Quarteira-Vilamoura e Vila Sol Não especifica 1. Espaços Naturais: Espaços Naturais de Grau I 2. Espaços Urbanos: Áreas Urbano-turísticas 3. Espaços Urbanizáveis: Áreas Degradadas

Leia mais

CONFERÊNCIA Reabilitação Urbana

CONFERÊNCIA Reabilitação Urbana Como financiar a reabilitação urbana CONFERÊNCIA Reabilitação Urbana Fundação Bissaya Barreto 12 de novembro 2015 Sidónio Simões, Eng.º ÁREAS DE REABILITAÇÃO URBANA PARA O CENTRO HISTÓRICO DA CIDADE DE

Leia mais

Avaliação Ambiental Estratégica: Âmbito e Alcance

Avaliação Ambiental Estratégica: Âmbito e Alcance Revisão do PDM de Vila Real de Santo António Avaliação Ambiental Estratégica: Âmbito e Alcance Pedro Bettencourt 1 1 Geólogo, Director-Geral NEMUS, Gestão e Requalificação Ambiental Vila Real de Santo

Leia mais

REVISÃO DO PDM DE VIEIRA DO MINHO. [proposta de regulamento]

REVISÃO DO PDM DE VIEIRA DO MINHO. [proposta de regulamento] REVISÃO DO PDM DE VIEIRA DO MINHO [proposta de regulamento] agosto 2013 ÍNDICE CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS... 6 Artigo 1º Objeto e âmbito... 6 Artigo 2º Interesses públicos estratégicos... 6 Artigo 3º

Leia mais

agosto 2013 D e p a r t a m e n t o d e P l a n e a m e n t o e G e s t ã o U r b a n í s t i c a D i vi s ã o d e P l a n e a m e n t o

agosto 2013 D e p a r t a m e n t o d e P l a n e a m e n t o e G e s t ã o U r b a n í s t i c a D i vi s ã o d e P l a n e a m e n t o agosto 2013 D e p a r t a m e n t o d e P l a n e a m e n t o e G e s t ã o U r b a n í s t i c a D i vi s ã o d e P l a n e a m e n t o CONTEÚDO DOCUMENTAL ELEMENTOS CONSTITUINTES: Regulamento Planta

Leia mais

Anexo 1. Objectivo Central, Objectivos Estratégicos (OE) e Linhas de Orientação do PEGC OBJECTIVO CENTRAL

Anexo 1. Objectivo Central, Objectivos Estratégicos (OE) e Linhas de Orientação do PEGC OBJECTIVO CENTRAL ANEXOS Anexo 1. Objectivo Central, Objectivos Estratégicos (OE) e Linhas de Orientação do PEGC OBJECTIVO CENTRAL Desenvolver e criar um espaço dinâmico a nível económico, social e cultural, actuando ao

Leia mais

Classificação de Zonas Balneares

Classificação de Zonas Balneares NORMA DE PROCEDIMENTOS Agosto de 2005 17 / AM Tramitação dos processos de Classificação de Zonas Balneares 1. Apresentação 2. Legislação de enquadramento 3. Tramitação dos processos 4. Fluxograma da Tramitação

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA PLANO DE PORMENOR DE RECONVERSÃO DA AUGI 9 LAGOA DE ALBUFEIRA COM O APOIO DA ADMINISTRAÇÃO CONJUNTA.

CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA PLANO DE PORMENOR DE RECONVERSÃO DA AUGI 9 LAGOA DE ALBUFEIRA COM O APOIO DA ADMINISTRAÇÃO CONJUNTA. Regulamento CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1º Norma Habilitante O presente Regulamento tem o seu suporte legal, genericamente no artigo 241.º da Constituição da República Portuguesa e na alínea a)

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DA BOLSA DE TERRAS DE CAMINHA

REGULAMENTO MUNICIPAL DA BOLSA DE TERRAS DE CAMINHA REGULAMENTO MUNICIPAL DA BOLSA DE TERRAS DE CAMINHA ÍNDICE Preâmbulo...1 Artigo 1.º Objeto e objetivos... 1 Artigo 2.º Condições de adesão... 1 Artigo 3.º Funcionamento... 2 Artigo 4.º Responsabilidades...

Leia mais

33762 Diário da República, 2.ª série N.º de outubro de 2012

33762 Diário da República, 2.ª série N.º de outubro de 2012 33762 Diário da República, 2.ª série N.º 195 9 de outubro de 2012 Artigo 52.º-A Campo de Futebol Sintético Designação Valor da taxa 1 Utilização por estabelecimento de Ensino (mediante protocolo do Ministro

Leia mais

S. R. MUNICÍPIO DE VIMIOSO

S. R. MUNICÍPIO DE VIMIOSO RELATÓRIO PRELIMINAR (ART. 146º DO CCP) DE ANÁLISE DE PROPOSTAS DO CONCURSO PARA REFORÇO DO ABASTECIMENTO DE ÁGUA - EMPREITADA DE CONSTRUÇÃO COM ELABORAÇÃO DO PROJECTO DE EXECUÇÃO E GARANTIA DE RESULTADOS

Leia mais

DOSSIER DO IMOVEL QUINTA DA CAGIDA RIBEIRA DE BAIXO PORTO DE MOS

DOSSIER DO IMOVEL QUINTA DA CAGIDA RIBEIRA DE BAIXO PORTO DE MOS DOSSIER DO IMOVEL QUINTA DA CAGIDA RIBEIRA DE BAIXO PORTO DE MOS DESCRIÇÃO Imóvel situado em Ribeira de Baixo Porto de Mós, designado de QUINTA DA CAGIDA é composto de propriedade rústica de cultivo e

Leia mais

Instalações eléctricas estabelecidas em condomínios fechados

Instalações eléctricas estabelecidas em condomínios fechados Instalações eléctricas estabelecidas em condomínios fechados Despacho do Director Geral de Geologia e Energia, de 13 de Maio de 2005 Enquadramento Legal Decreto Lei n.º 177/2001, de 4 de Junho republica

Leia mais

DIVISÃO DE URBANISMO, PLANEAMENTO, OBRAS E AMBIENTE. XIII Alteração ao Plano Diretor Municipal de Chamusca

DIVISÃO DE URBANISMO, PLANEAMENTO, OBRAS E AMBIENTE. XIII Alteração ao Plano Diretor Municipal de Chamusca DIVISÃO DE URBANISMO, PLANEAMENTO, OBRAS E AMBIENTE XIII Alteração ao Plano Diretor Municipal de Chamusca CHAMUSCA Outubro de 2015 Índice ENQUADRAMENTO 3 ESCLARECIMENTOS À PROPOSTA DE AGOSTO DE 2015 5

Leia mais

E D I T A L. Nome (data da decisão)

E D I T A L. Nome (data da decisão) E D I T A L ---------- ENGENHEIRO ANTÓNIO BORGES, Presidente da Câmara Municipal de Resende:---------------------------------------------------------------------------------------------------- ----------

Leia mais

Ficha Técnica do Imóvel*

Ficha Técnica do Imóvel* Ficha Técnica do Imóvel* * relativo ao Lote 3 da Resolução n.º 241/2016, de 12 de maio Identificação do imóvel Localização Prédio urbano localizado na freguesia de São Roque do Faial, concelho de Santana,

Leia mais

Intercetor do Gerém (Prolongamento) - FD9 Mapa de Áreas

Intercetor do Gerém (Prolongamento) - FD9 Mapa de Áreas Mapa de s Natureza da (Classificação no PDM) 10A Luís Gonzaga Fernandes de Sá e Abreu e Edite Goretti União de Norte: Estrada Municipal G. Costa Andrade Freguesias de Sul: Rodrigo Terroso Casa Fornelo

Leia mais

TÍTULO I Diário da República, 2.ª série N.º de junho de Disposições Gerais MUNICÍPIO DE SANTA MARIA DA FEIRA

TÍTULO I Diário da República, 2.ª série N.º de junho de Disposições Gerais MUNICÍPIO DE SANTA MARIA DA FEIRA 14848 Diário da República, 2.ª série N.º 109 5 de junho de 2015 do Anexo I da Lei n.º 75/2013, de 12 de setembro e do artigo 13.º da Lei n.º 53 -E/2006, de 29 de dezembro, na sua atual redação, que a Assembleia

Leia mais

Relatório de Ponderação da Discussão Pública

Relatório de Ponderação da Discussão Pública MUNICÍPIO DO SEIXAL Plano Director Municipal do Seixal Revisão Proposta de Plano Relatório de da Discussão Pública Junho 2014 Relatório de da Discussão Pública ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. RESUMO DO PROCESSO

Leia mais

Lei Municipal N.º 1412

Lei Municipal N.º 1412 Lei Municipal N.º 1412 Art. 7º -- Para cada uma das zonas em que se divide a área urbana, a presente Lei, estabelece, as tabelas de 1 a 7 e no gráfico anexos: I -- os usos adequados, tolerados e inadequados;

Leia mais

A formação e o conteúdo dos planos urbanísticos

A formação e o conteúdo dos planos urbanísticos A formação e o conteúdo dos planos urbanísticos João Miranda Professor da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa - Advogado Plano da exposição I Problemas da interpretação de normas de planos II

Leia mais

NORMAS PARA OPERACIONALIZAÇÃO DAS ISENÇÕES E / OU REDUÇÕES DE TAXAS E BENEFICIOS FISCAIS

NORMAS PARA OPERACIONALIZAÇÃO DAS ISENÇÕES E / OU REDUÇÕES DE TAXAS E BENEFICIOS FISCAIS ANEXO III NORMAS PARA OPERACIONALIZAÇÃO DAS ISENÇÕES E / OU REDUÇÕES DE TAXAS E BENEFICIOS FISCAIS No âmbito da estratégia de reabilitação urbana serão concedidos os seguintes apoios: 1. TAXAS MUNICIPAIS

Leia mais

Cenários da evolução futura da agricultura em Portugal

Cenários da evolução futura da agricultura em Portugal Congresso Estratégias para as novas agriculturas Cenários da evolução futura da agricultura em Portugal Francisco Avillez (Professor Emérito do ISA/UTL e Coordenador Científico da AGROGES) Lisboa, 5 de

Leia mais

Secção de Património e Aprovisionamento EDITAL HASTA PUBLICA PARA ALIENAÇÃO DE BEM IMÓVEL POR HASTA PÚBLICA "ESCOLA PRIMÁRIA DE MA TELA"

Secção de Património e Aprovisionamento EDITAL HASTA PUBLICA PARA ALIENAÇÃO DE BEM IMÓVEL POR HASTA PÚBLICA ESCOLA PRIMÁRIA DE MA TELA Secção de Património e Aprovisionamento EDITAL HASTA PUBLICA PARA ALIENAÇÃO DE BEM IMÓVEL POR HASTA PÚBLICA "ESCOLA PRIMÁRIA DE MA TELA" (APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA EM CARTA FECHADA) 1. A Câmara Municipal

Leia mais

PLANO DE ORDENAMENTO DA RESERVA NATURAL DAS DUNAS DE SÃO JACINTO DISCUSSÃO PÚBLICA RELATÓRIO DE PONDERAÇÃO

PLANO DE ORDENAMENTO DA RESERVA NATURAL DAS DUNAS DE SÃO JACINTO DISCUSSÃO PÚBLICA RELATÓRIO DE PONDERAÇÃO PLANO DE ORDENAMENTO DA RESERVA NATURAL DAS DUNAS DE SÃO JACINTO DISCUSSÃO PÚBLICA RELATÓRIO DE PONDERAÇÃO S. JACINTO, 25 de Agosto de 2004 INTRODUÇÃO O período de Discussão Pública da proposta do Plano

Leia mais

ACTA N.º

ACTA N.º -------------------------------------------------- ACTA N.º 1 ---------------------------------------------------- -----Aos dezanove dias do mês de Janeiro do ano de dois mil e seis, pelas quinze horas,

Leia mais

JORNAL DA CONSTRUÇÃO. Lisboa, 28 de Maio de 2007

JORNAL DA CONSTRUÇÃO. Lisboa, 28 de Maio de 2007 JORNAL DA CONSTRUÇÃO Lisboa, 28 de Maio de 2007 1. LISBOA OCIDENTAL, SRU (ENQUADRAMENTO) O Município de Lisboa criou a Sociedade de Reabilitação Urbana Lisboa Ocidental, SRU, em Julho de 2004. A Empresa,

Leia mais

1.º SEMINÁRIO DE ACOMPANHAMENTO Apresentação das operações em curso

1.º SEMINÁRIO DE ACOMPANHAMENTO Apresentação das operações em curso Política de Cidades Polis XXI Acções Inovadoras para o Desenvolvimento Urbano QREN/ POVT/ Eixo IX Desenvolvimento do Sistema Ub Urbano Nacional 1.º SEMINÁRIO DE ACOMPANHAMENTO Apresentação das operações

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE LAMEGO REGULAMENTO DO PLANO DIRECTOR MUNICIPAL DE LAMEGO. Capítulo 3 Zona de ocupação condicionada;

CÂMARA MUNICIPAL DE LAMEGO REGULAMENTO DO PLANO DIRECTOR MUNICIPAL DE LAMEGO. Capítulo 3 Zona de ocupação condicionada; CÂMARA MUNICIPAL DE LAMEGO REGULAMENTO DO PLANO DIRECTOR MUNICIPAL DE LAMEGO O presente Regulamento está dividido em seis capítulos que correspondem respetivamente a: Capítulo 1 disposições gerais; Capítulo

Leia mais

ANEXO V ESTRUTURA TARIFÁRIA

ANEXO V ESTRUTURA TARIFÁRIA ANEXO V ESTRUTURA TARIFÁRIA ESTRUTURA TARIFÁRIA 1. Estão sujeitos às tarifas relativas aos serviços de água e/ou saneamento todos os utilizadores finais que disponham de contrato, sendo as mesmas devidas

Leia mais

Revisão dos Planos Directores Municipais

Revisão dos Planos Directores Municipais NORMA DE PROCEDIMENTOS Julho de 2008 01 / OT Tramitação dos processos de Revisão dos Planos Directores Municipais 1. Apresentação 2. Legislação de enquadramento 3. Tramitação dos processos 4. Fluxograma

Leia mais

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. GRUPO I pontos pontos pontos pontos 5...

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. GRUPO I pontos pontos pontos pontos 5... EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/24, de 26 de Março Prova Escrita de Geografia A 11.º/ 12.º anos de Escolaridade Prova 719/1.ª Fase 8 Páginas Duração da Prova: 12 minutos. Tolerância:

Leia mais

Vegetação Amenizadora da Poluição Industrial no Bairro Cidade Industrial de Curitiba / PR

Vegetação Amenizadora da Poluição Industrial no Bairro Cidade Industrial de Curitiba / PR Vegetação Amenizadora da Poluição Industrial no Bairro Cidade Industrial de Curitiba / PR Debora Cristina LOPES Universidade Federal do Paraná A questão da cobertura vegetal em áreas urbanas possui cada

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE LAMEGO

CÂMARA MUNICIPAL DE LAMEGO Página 1 de 11 CÂMARA MUNICIPAL DE LAMEGO REGULAMENTO DO PLANO DIRECTOR MUNICIPAL DE LAMEGO O presente Regulamento está dividido em seis capítulos que correspondem respectivamente a: Capítulo 1 disposições

Leia mais

WORKSHOP GESTÃO DE RESÍDUOS VITIVINÍCOLAS

WORKSHOP GESTÃO DE RESÍDUOS VITIVINÍCOLAS WORKSHOP GESTÃO DE RESÍDUOS VITIVINÍCOLS Reutilização de águas residuais na rega de culturas agrícolas e valorização agrícola de lamas lda Brás Divisão de mbiente e Infraestruturas da Direção Regional

Leia mais

A edificabilidade turística nos PROT de 2.ª geração : Orientações para a revisão dos PDM O caso da Região Centro

A edificabilidade turística nos PROT de 2.ª geração : Orientações para a revisão dos PDM O caso da Região Centro Ciclo de Seminários Revisão do PDM Guia orientador CCDR Centro A edificabilidade turística nos PROT de 2.ª geração : Orientações para a revisão dos PDM O caso da Região Centro Fernanda Praça Anadia, 22

Leia mais

Planos Regionais de Ordenamento Florestal

Planos Regionais de Ordenamento Florestal Planos Regionais de Ordenamento Florestal Dia Regional Norte do Engenheiro 2016 José Aranha Eng.º Florestal j_aranha@utad.pt j.aranha.utad@gmail.com Teatro-Cinema Fafe 17 de Setembro de 2016 PROF Planos

Leia mais

ANEXO II. Qualificações para exercício de funções de direção de obra ou de direção de fiscalização de obra

ANEXO II. Qualificações para exercício de funções de direção de obra ou de direção de fiscalização de obra Diário da República, 1.ª série N.º 105 1 de junho de 2015 3415 Tipo de projeto a coordenar g) Demolição e preparação dos locais da construção, perfurações e sondagens; h) Instalações elétricas; i) Instalações

Leia mais

GUIAS PARA INSTRUÇÃO DE PEDIDOS DE AUTORIZAÇÃO OU DE LICENCIAMENTO DE OBRAS (NA ÁREA DE COMPETÊNCIAS DA APSS, S.A.)

GUIAS PARA INSTRUÇÃO DE PEDIDOS DE AUTORIZAÇÃO OU DE LICENCIAMENTO DE OBRAS (NA ÁREA DE COMPETÊNCIAS DA APSS, S.A.) 1. De acordo com a legislação em vigor (Decreto-Lei n.º 338/98, de 3 de Novembro), na sua área de jurisdição, compete à APSS, S.A. conceder licenças para a execução de obras directamente relacionadas com

Leia mais

RESOLUÇÃO 07 / CONPRESP / 2015

RESOLUÇÃO 07 / CONPRESP / 2015 RESOLUÇÃO 07 / CONPRESP / 2015 O Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo CONPRESP, no uso de suas atribuições legais e nos termos da Lei n

Leia mais

CAPÍTULO I ÂMBITO E DEFINIÇÃO. Artigo 1.º

CAPÍTULO I ÂMBITO E DEFINIÇÃO. Artigo 1.º Regulamento de Formação em Contexto de Trabalho (FCT) CAPÍTULO I ÂMBITO E DEFINIÇÃO Artigo 1.º A FCT é um conjunto de atividades profissionais desenvolvidas sob a coordenação e acompanhamento da escola,

Leia mais

MAPA DE RUÍDO DO CONCELHO DE CELORICO DE BASTO RESUMO NÃO TÉCNICO

MAPA DE RUÍDO DO CONCELHO DE CELORICO DE BASTO RESUMO NÃO TÉCNICO MAPA DE RUÍDO DO CONCELHO DE CELORICO DE BASTO RESUMO NÃO TÉCNICO Equipa Técnica do Mapa de Ruído: Miguel Lopes, Director do Laboratório; Fátima Valado, Responsável Técnica da Divisão Mapa de Ruído; Eduardo

Leia mais

3324 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS TÍTULO I. Disposições gerais e condicionantes

3324 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS TÍTULO I. Disposições gerais e condicionantes 3324 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o 134 11-6-1999 PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Resolução do Conselho de Ministros n. o 52/99 A Assembleia Municipal de Loulé aprovou, em 27 de Março de 1998,

Leia mais

Nota Introdutória. Artigo 1.º Instrução dos Pedidos de Emissão de Certidão de Destaque

Nota Introdutória. Artigo 1.º Instrução dos Pedidos de Emissão de Certidão de Destaque NORMAS PARA INSTRUÇÃO DE PEDIDOS PARA A Nota Introdutória Os elementos instrutórios dos procedimentos previstos no Regime Jurídico da Urbanização e Edificação (RJUE) estão definidos na Portaria nº 113/2015,

Leia mais

Direito do Urbanismo e da Construção

Direito do Urbanismo e da Construção Direito do Urbanismo e da Construção Programa O ordenamento do território e as alterações climáticas Conferência inaugural do curso sobre O ordenamento do território e as alterações climáticas (Auditório

Leia mais

Manual de Orientações para o Cadastro no Sistema de Cadastro Ambiental Rural do Estado de São Paulo (SICAR-SP)

Manual de Orientações para o Cadastro no Sistema de Cadastro Ambiental Rural do Estado de São Paulo (SICAR-SP) Manual de Orientações para o Cadastro no Sistema de Cadastro Ambiental Rural do Estado de São Paulo (SICAR-SP) São Paulo 2016 Atualizado em 12.04.16 2. Primeiras abas do Cadastro: Propriedade, Domínio

Leia mais

Regulamento do Plano de Pormenor da Rua das Flores CAPÍTULO I. Disposições gerais. Artigo 1.º Âmbito e aplicação

Regulamento do Plano de Pormenor da Rua das Flores CAPÍTULO I. Disposições gerais. Artigo 1.º Âmbito e aplicação Regulamento do Plano de Pormenor da Rua das Flores CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1.º Âmbito e aplicação O Plano de Pormenor da Rua das Flores abrange a área assinalada na planta de zonamento e que

Leia mais

Parcela de Referência

Parcela de Referência 1. Conceito de Parcela de Referencia A parcela de referência, corresponde a uma área delimitada geograficamente, com uma identificação única, conforme registado no Sistema de Identificação Parcelar, com

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DAS CALDAS DA RAINHA

CÂMARA MUNICIPAL DAS CALDAS DA RAINHA CÂMARA MUNICIPAL DAS CALDAS DA RAINHA Apresentação Pública 05 de Abril 2011 PROVERE Programa de Valorização das Estâncias Termais da Região Centro A Candidatura da Estratégia de Eficiência Colectiva surge

Leia mais

GERENCIAMENTO DE BACIAS HIDROGRÁFICAS

GERENCIAMENTO DE BACIAS HIDROGRÁFICAS GERENCIAMENTO DE BACIAS HIDROGRÁFICAS Política Nacional de Recursos Hídricos Lei Federal Nº 9.433/97 A partir da década de 1990: a legislação propõe substituir um sistema centralizador e setorial por outro

Leia mais

22164 Diário da República, 2.ª série N.º de agosto de 2015

22164 Diário da República, 2.ª série N.º de agosto de 2015 22164 Diário da República, 2.ª série N.º 153 7 de agosto de 2015 Artigo 22.º Prazos Salvo disposição expressa em contrário, os prazos constantes do presente regulamento contam -se nos termos do Código

Leia mais