PERSPECTIVAS DA ECONOMIA BRASILEIRA. Gustavo Loyola

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PERSPECTIVAS DA ECONOMIA BRASILEIRA. Gustavo Loyola"

Transcrição

1

2 PERSPECTIVAS DA ECONOMIA BRASILEIRA Gustavo Loyola

3 Cenário Internacional 3 Desaceleração suave nos próximos anos, mas ainda com crescimento em ritmo elevado Crescimento moderado, limitado pela necessidade dos ajustes fiscais e monetários Melhora lenta e instável, com desequilíbrios entre os países

4 Cenário Internacional 4 EUA ,8% 2,8% 1,9% 1,8% 2,8% 2,7% 2,5% Euro ,6% -0,7% -0,5% 1,0% 1,4% 1,4% 1,4% 3,4% 0,9% 0,5% 1,6% 1,5% 1,3% 1,3% 1,1% 0,3% 1,8% 2,7% 2,4% 2,1% 2,3% Asia ,3% 7,7% 7,7% 7,3% 7,0% 6,8% 6,5% 6,6% 4,7% 4,4% 4,5% 5,0% 5,2% 4,5% -0,5% 1,4% 1,5% 2,0% 1,2% 1,3% 1,1% LatAm ,7% 0,9% 2,5% 0,6% 1,5% 1,8% 2,2% 8,9% 1,9% 4,3% -1,6% 1,0% 3,0% 3,5% 5,7% 5,5% 4,2% 3,2% 4,0% 3,9% 4,0% 4,0% 3,9% 1,1% 2,8% 3,5% 3,5% 3,6% Mundo ,9% 3,2% 3,0% 3,3% 3,7% 3,8% 3,7% Fonte: FMI (Projeções: Tendências)

5 Crise internacional? A média de crescimento do PIB do Brasil entre 2011 e 2014 deverá ficar em 1,7%. Isto representa um desempenho... 47% inferior à América Latina 52% inferior à média global 62% inferior à América do Sul 67% inferior à Aliança do Pacífico O PROBLEMA DEVE ESTAR AQUI Fonte: FMI (elaboração Tendências)

6 Brasil: falta dinamismo na economia Mercado de trabalho menos aquecido Crédito cresce em ritmo mais lento Confiança em queda: consumo e investimento perdem força Inflação cronicamente acima da meta Riscos setoriais em alta (energia, petróleo)

7 Razões da perda de dinamismo Ausência de reformas: queda da produtividade Erros de política econômica: diagnóstico equivocado ( nova matriz ), intervenção excessiva, má gestão fiscal e protecionismo Crise externa: perdas no comércio exterior e queda fluxo de capitais

8 Cenário Eleitoral Pleito de 2014 é o mais competitivo desde Entrada de Marina confirma decisão no segundo turno. Dilma: favoritismo declinante. No momento, 55% de chances de vencer. Marina é o mais competitiva para enfrentar Dilma, mas sua ida para o segundo turno é incerta. Serão decisivos: SP, MG e Nordeste.

9 PIB Confiança baixa limita perspectiva de crescimento no curto prazo. Índices de confiança do consumidor e da indústria encontram-se próximos aos menores níveis em 5 anos. Correlação elevada entre tais indicadores e desempenho da economia sugere fraqueza do crescimento, ao menos enquanto a deterioração do sentimento não for revertida. Neste contexto, projeção para o ano foi revisada para apenas 0,6%. Para 2015, expectativa é de expansão ainda modesta, de 1,5%. Fonte: IBGE e FGV (elaboração e projeções Tendências)

10 Mercado de trabalho Apesar da menor geração de empregos e do quadro econômico adverso, perspectiva para a taxa de desemprego é novamente de queda em 2014, com média esperada de 4,8%. Cabe destacar que a queda decorre principalmente do comportamento atípico da força de trabalho, já que a ocupação segue exibindo baixo crescimento. Nesse sentido, menor aquecimento do mercado de trabalho também tem se refletido em ganhos mais modestos da renda e massa salarial real no período. (Q/Q-4) Fonte: IBGE (Elaboração e projeções: Tendências)

11 Consumo Expansão do consumo nos próximos anos será mais alinhada ao PIB Restrição dada pelo elevado déficit em transações correntes (ajuste via câmbio). Crescimento mais contido do crédito e da renda das famílias Fonte: IBGE (Elaboração e projeções: Tendências)

12 Perspectivas - Indústria Setor industrial tem exibido desempenho decepcionante. Para 2014, projeção é de queda de 2,0% na produção da indústria de transformação (PIM). Em 2015, a PIM deve mostrar modesta recuperação (+2,5%). Aspectos conjunturais e estruturais têm prejudicado setor. Dificuldades devem persistir nos próximos anos, mas comportamento também será muito afetado pela agenda do governo seguinte. (Q/Q-4) Fonte: IBGE (Elaboração e projeções: Tendências)

13 Inflação IPCA tem desacelerado nos últimos meses. Ainda assim, a inflação acumulada em 12 meses está acima do teto da meta (6,52%). Para os próximos meses, IPCA acumulado deve oscilar acima do teto da meta ao menos até novembro. Pico deve ser alcançado em setembro, com expectativa de variação de 6,7%. Projeção do ano segue em 6,3%, embora com risco de estouro da meta em dezembro a depender do câmbio. Número também contempla alguma recomposição de administrados, embora ajuste mais intenso deva ocorrer apenas em (Q/Q-4) Fonte: IBGE (Elaboração e projeções: Tendências)

14 Inflação Há mudança em curso na dinâmica entre preços livres e administrados. Processo tende a se intensificar no próximo ano. Principal incerteza refere-se ao ritmo de correção dos represamentos de preços. Maiores impactos virão dos reajustes em energia, combustíveis e transportes públicos em IPCA Livres Administrados 2013 (Q/Q-4) 5,91% 7,27% 1,52% ,30% 6,57% 5,17% ,30% 5,82% 7,77% Administrados Energia Elétrica Gasolina Ônibus urbano ,65% 6,51% 0,04% ,53% 0,87% 3,83% ,85% 9,93% 8,81% Fonte: IBGE (Elaboração e projeções: Tendências)

15 Taxa de câmbio Taxa de câmbio manteve-se bem comportada desde abril, com acomodação global do dólar e atuações contínuas do Banco Central no mercado futuro. Porém, dois fatores devem alterar o equilíbrio recente. Nos EUA, os sinais crescentes de melhora da economia e a precificação dos ajustes monetários. Além do componente externo, trajetória do câmbio nos próximos meses também será muito influenciada pelo tema eleitoral, criando um quadro binário. Avanço da oposição tende a valorizar real na parte final do ano. (Q/Q-4) Fonte: IBGE (Elaboração e projeções: Tendências)

16 ÍNDICES DO MCC MOSTRANDO ATIVIDADE ECONÔMICA SE ENFRAQUECENDO

17 IACI e PIB da Construção Civil T2009 1T2010 1T2011 1T2012 1T2013 1T IACI PIB Construção Civil O IACI (Índice de Atividade da Construção Imobiliária) mensura os m² úteis construídos no setor de construção imobiliária, no Brasil e para todos os tipos de obras (Residencial, Comercial, Turismo e Outros). Fonte: Tendências e CriActive - MCC (último dado: jul/14) e IBGE (último dado jun/14) * índices com ajuste sazonal

18 IACI Lançamento jan-09 jan-10 jan-11 jan-12 jan-13 jan-14 IACI-L O IACI - L (Índice de Atividade da Construção Imobiliária - Lançamento) mensura o lançamento de obras do setor de construção imobiliária em m² úteis, no Brasil e de todos os tipos de obras (Residencial, Comercial, Turismo e Outros). Fonte: Tendências e CriActive - MCC (último dado: jul/14) * índice com ajuste sazonal

19 IACI - Residencial o O IACI Residencial por m² útil mensura a metragem quadrada das obras residenciais construídas no Brasil jan-09 jan-10 jan-11 jan-12 jan-13 jan-14 IACI Residencial (m²) 175 o O IACI Residencial por unidade mensura o número de unidades residenciais construídas no Brasil jan-09 jan-10 jan-11 jan-12 jan-13 jan-14 IACI Residencial (unid) Fonte: Tendências e CriActive - MCC (último dado: jul/14) * índices com ajuste sazonal

20 OBRIGADO!

21

Perspectivas econômicas

Perspectivas econômicas Perspectivas econômicas 5º seminário Abecip Ilan Goldfajn Economista-chefe e Sócio Itaú Unibanco Maio, 2015 2 Roteiro Recuperação em curso nas economias desenvolvidas. O Fed vem adiando o início do ciclo

Leia mais

Cenário macroeconômico

Cenário macroeconômico Cenário macroeconômico 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016* 2017* TAXA DE CRESCIMENTO DO PIB DO MUNDO (SOMA DOS PIBs OBTIDA PELA PARIDADE DO PODER DE COMPRA) 1980 - Título 2011 FONTE: FMI. ELABORAÇÃO E

Leia mais

Impactos da Crise Mundial sobre a Economia Brasileira

Impactos da Crise Mundial sobre a Economia Brasileira Impactos da Crise Mundial sobre a Economia Brasileira Centro das Indústrias do Estado de São Paulo - CIESP Campinas (SP) 29 de julho de 2009 1 CIESP Campinas - 29/07/09 Crise de 2008 breve histórico Início:

Leia mais

Ambiente econômico nacional e internacional

Ambiente econômico nacional e internacional Ambiente econômico nacional e internacional Apresentação para elaboração do documento referencial 2015-19 no Ministério do Turismo Manoel Pires - MF Cenário internacional O mundo se recupera da crise,

Leia mais

PME registra menor taxa de desemprego da série histórica para o mês de fevereiro, mas indica acomodação no mercado de trabalho.

PME registra menor taxa de desemprego da série histórica para o mês de fevereiro, mas indica acomodação no mercado de trabalho. PME registra menor taxa de desemprego da série histórica para o mês de fevereiro, mas indica acomodação no mercado de trabalho. Segundo apuração da PME (Pesquisa Mensal do Emprego), realizada pelo IBGE,

Leia mais

Consultoria. Conjuntura Econômica e Perspectivas Setembro/2016. Juan Jensen

Consultoria. Conjuntura Econômica e Perspectivas Setembro/2016. Juan Jensen Consultoria Conjuntura Econômica e Perspectivas 2017-22 Setembro/2016 Juan Jensen jensen@4econsultoria.com.br PIB Confiança segue mostrando recuperação na margem, ainda que nível ainda seja baixo Estamos

Leia mais

CENÁRIO ECONÔMICO. Outubro 2016

CENÁRIO ECONÔMICO. Outubro 2016 CENÁRIO ECONÔMICO Outubro 2016 CENÁRIO ECONÔMICO Internacional - Destaques Mercados globais: avanço (modesto) da economia americana, bom desempenho(ainda) da China e melhora (discreta) da Zona do Euro

Leia mais

Cenário Macroeconômico 2006 Janeiro de 2006

Cenário Macroeconômico 2006 Janeiro de 2006 Cenário Macroeconômico 2006 Janeiro de 2006 1 Cenário Econômico Regra básica: Cenário Internacional é dominante. Oscilações de curto prazo são determinadas exogenamente. 2 Cenário Internacional União monetária

Leia mais

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Análise Setorial Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Dezembro de 2014 Sumário 1. Perspectivas do Cenário Econômico em 2015... 3 2. Balança Comercial no Ano de 2014... 4 3.

Leia mais

Conjuntura Nacional e Internacional Escola Florestan Fernandes, Guararema, 3 de julho de º. PLENAFUP

Conjuntura Nacional e Internacional Escola Florestan Fernandes, Guararema, 3 de julho de º. PLENAFUP Conjuntura Nacional e Internacional Escola Florestan Fernandes, Guararema, 3 de julho de 2015 5º. PLENAFUP Economia Brasileira I.54 - Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) Período Índice

Leia mais

Crescimento e juros. Roberto Padovani Março 2013

Crescimento e juros. Roberto Padovani Março 2013 Crescimento e juros Roberto Padovani Março 2013 jan-91 dez-91 nov-92 out-93 set-94 ago-95 jul-96 jun-97 mai-98 abr-99 mar-00 fev-01 jan-02 dez-02 nov-03 out-04 set-05 ago-06 jul-07 jun-08 mai-09 abr-10

Leia mais

Volatilidade cambial e commodities. Cenários para 2016

Volatilidade cambial e commodities. Cenários para 2016 Volatilidade cambial e commodities Cenários para 2016 jan-13 mar-13 mai-13 jul-13 set-13 nov-13 jan-14 mar-14 mai-14 jul-14 set-14 nov-14 jan-15 mar-15 mai-15 jul-15 set-15 nov-15 jan-16 mar-16 Trajetória

Leia mais

Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017

Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017 Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017 Henrique Meirelles Ministro da Agosto 2016 Cenário de Referência 2 Foi observado o limite de crescimento da despesa contido na Proposta de Emenda Constitucional 241/2016

Leia mais

Outubro/2011. Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Outubro/2011. Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos Outubro/2011 Cenário para as Micro e Pequenas Empresas Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos 1 Números das Micro e Pequenas Empresas no Brasil 2 Micro e pequenas empresas (até 99 funcionários)

Leia mais

Os desafios da economia. Economista Ieda Vasconcelos Reunião CIC/FIEMG Outubro/2014

Os desafios da economia. Economista Ieda Vasconcelos Reunião CIC/FIEMG Outubro/2014 Os desafios da economia Economista Ieda Vasconcelos Reunião CIC/FIEMG Outubro/2014 Os desafios da economia Correção dos rumos da política econômica. Muito mais do que necessidade: É inevitável. Sem ajustes:

Leia mais

Desafios e Perspectivas da Economia Brasileira

Desafios e Perspectivas da Economia Brasileira Desafios e Perspectivas da Economia Brasileira 39º Prêmio Exportação Rio Grande do Sul - 2011 Alexandre Tombini Presidente do Banco Central do Brasil 20 de Junho de 2011 Conquistas da Sociedade Brasileira

Leia mais

Crise Internacional e Impactos sobre o Brasil. Prof. Dr. Fernando Sarti

Crise Internacional e Impactos sobre o Brasil. Prof. Dr. Fernando Sarti Reunião Mensal Plenária CIESP - Campinas Crise Internacional e Impactos sobre o Brasil Prof. Dr. Fernando Sarti NEIT-IE IE-UNICAMP fersarti@eco.unicamp. @eco.unicamp.br Campinas, 18 de fevereiro de 2009

Leia mais

Política Industrial para a retomada do desenvolvimento Painel 1: Caminhos para a retomada

Política Industrial para a retomada do desenvolvimento Painel 1: Caminhos para a retomada Política Industrial para a retomada do desenvolvimento Painel 1: Caminhos para a retomada Prof. Dr. Antonio Corrêa de Lacerda São Paulo, 05 de Outubro de 2015 ECONOMIA INTERNACIONAL: TAXAS DE JUROS DE

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 09 setembro 2011 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia e do Emprego G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais

Leia mais

Conjuntura Econômica

Conjuntura Econômica Programa de Aperfeiçoamento para Carreiras 2016 Curso: Conjuntura Econômica Professor: José Luiz Pagnussat Palestrantes: Pedro Jucá Maciel, Elder Linton Alves de Araujo, Rogério Dias de Araújo, Mauricio

Leia mais

PIB. PIB Trimestral 3,9% 2,6% 2,3% 2,3%

PIB. PIB Trimestral 3,9% 2,6% 2,3% 2,3% PIB O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) divulgou nesta última sextafeira, 29 de Maio, os dados do Produto Interno Bruto (PIB) referentes ao primeiro trimestre de 2015. Análise preliminar

Leia mais

CENÁRIO ECONÔMICO BRASILEIRO EM TEMPOS DE CRISE. Marcelo Barros Amanda Aires

CENÁRIO ECONÔMICO BRASILEIRO EM TEMPOS DE CRISE. Marcelo Barros Amanda Aires CENÁRIO ECONÔMICO ASILEIRO EM TEMPOS DE CRISE Marcelo Barros Amanda Aires SUMÁRIO Breve retrospectiva Demanda agregada Oferta agregada Crise política (contexto econômico) Emprego Análise de cenários PIB

Leia mais

Agenda. 1. Conjuntura econômica internacional 2. Conjuntura nacional 3. Construção Civil Geral Imobiliário

Agenda. 1. Conjuntura econômica internacional 2. Conjuntura nacional 3. Construção Civil Geral Imobiliário Agenda 1. Conjuntura econômica internacional 2. Conjuntura nacional 3. Construção Civil Geral Imobiliário Cenário Internacional Cenário Internacional Mundo cresce, mas pouco. Preocupação com China 4 EUA

Leia mais

CENÁRIO MACROECONÔMICO

CENÁRIO MACROECONÔMICO CENÁRIO MACROECONÔMICO SEGUE PAUTADO PELAS MUDANÇAS NO CENÁRIO GLOBAL, AFETANDO DIRETAMENTE O CÂMBIO, E PELO CRESCIMENTO MAIS MODERADO DA ECONOMIA DOMÉSTICA Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Leia mais

A ECONOMIA MUNDIAL E NA AMÉRICA DO SUL E O AGRONEGÓCIO 3 FORO DE AGRICULTURA DA AMÉRICA DO SUL. Eugenio Stefanelo

A ECONOMIA MUNDIAL E NA AMÉRICA DO SUL E O AGRONEGÓCIO 3 FORO DE AGRICULTURA DA AMÉRICA DO SUL. Eugenio Stefanelo A ECONOMIA MUNDIAL E NA AMÉRICA DO SUL E O AGRONEGÓCIO 3 FORO DE AGRICULTURA DA AMÉRICA DO SUL Eugenio Stefanelo ECONOMIA MUNDIAL PIB em % ao ano: Média de 50 anos: 3,5% 2004 a 2007: 5% 2008 e 2009: 3,1%

Leia mais

Brasil: Conjuntura e Perspectivas. Prof. Dr. Fernando Sarti

Brasil: Conjuntura e Perspectivas. Prof. Dr. Fernando Sarti Brasil: Conjuntura e Perspectivas Prof. Dr. Fernando Sarti Centro Altos Estudos Brasil Século XXI - UNICAMP Fundação Desenvolvimento da Unicamp-FUNCAMP Brasília, Se da Andifes, 25 fevereiro 2016 Estrutura

Leia mais

Carta de Conjuntura do Setor de Seguros

Carta de Conjuntura do Setor de Seguros Carta de Conjuntura do Setor de Seguros Número 11, Fevereiro/2015 www.ratingdeseguros.com.br 1 Objetivo: O objetivo desta é ser uma avaliação mensal desse segmento e seus setores relacionados (resseguro,

Leia mais

Perspectivas para 2012

Perspectivas para 2012 Abiplast Perspectivas para 2012 Antonio Delfim Netto 2 de Dezembro de 2011 São Paulo, SP 1 I.Mundo: Década de 80 e 2010 (% do PIB) 30% 23% 31% 24% 37% 22% 3,7% 3,3% 8% 7% 4,2% 4,0% 1,5% 1,2% Fonte: FMI,

Leia mais

Brasil perde fatia da riqueza mundial

Brasil perde fatia da riqueza mundial Boletim Econômico Edição nº 32 junho de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Brasil perde fatia da riqueza mundial 1 Peso econômico menor no mundo Levantamento feito com base

Leia mais

Economia brasileira: situação atual e desafios ao crescimento da indústria

Economia brasileira: situação atual e desafios ao crescimento da indústria Rede Setorial da Indústria Os desafios setoriais à competitividade da indústria brasileira Economia brasileira: situação atual e desafios ao crescimento da indústria São Paulo, 10 de setembro de 2013 ROTEIRO

Leia mais

2005: Prêmio de Risco; Cenário Externo e Convergência. Dany Rappaport Corecon, 27 de janeiro de 2005

2005: Prêmio de Risco; Cenário Externo e Convergência. Dany Rappaport Corecon, 27 de janeiro de 2005 2005: Prêmio de Risco; Cenário Externo e Convergência Dany Rappaport Corecon, 27 de janeiro de 2005 Cenário Externo Maior crescimento global em 30 anos. Crescimento do PIB em 2004 - Expectativa Área do

Leia mais

INTERNA. Este documento foi classificado como confidencial pelo Depec, e o acesso está autorizado, exclusivamente, a Ocepar.

INTERNA. Este documento foi classificado como confidencial pelo Depec, e o acesso está autorizado, exclusivamente, a Ocepar. INTERNA Este documento foi classificado como confidencial pelo Depec, e o acesso está autorizado, exclusivamente, a Ocepar. 1 DESAFIOS E INCERTEZAS DO CENÁRIO MACROECONÔMICO BRASILEIRO E GLOBAL 2 2 Fabiana

Leia mais

SONDAGEM INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO DE ALAGOAS

SONDAGEM INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO DE ALAGOAS SONDAGEM INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO DE ALAGOAS Indicadores dos Níveis de Atividade e Emprego mantém tendência de retração na Indústria da Construção de Alagoas e do Nordeste no 4º Trimestre de 2015 4º TRI/2015

Leia mais

Economia Brasileira em Perspectiva

Economia Brasileira em Perspectiva Brasileira em O BRASIL NO CONTEXTO GLOBAL O Brasil mal colocado em alguns rankings mundiais Fonte: Cia World Factbook Desde 2002, o crescimento brasileiro supera apenas os números das economias ricas.

Leia mais

A crise e a reforma do sistema financeiro: uma perspectiva da indústria

A crise e a reforma do sistema financeiro: uma perspectiva da indústria A crise e a reforma do sistema financeiro: uma perspectiva da indústria Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional(CREDN) da Câmara dos Deputados/IPEA Confederação Nacional da Indústria (CNI)

Leia mais

Economia Brasileira Ciclos do Pós-Guerra

Economia Brasileira Ciclos do Pós-Guerra Economia Brasileira Ciclos do Pós-Guerra Hildo Meirelles de Souza Filho Ciclos do crescimento 1947-1980, taxas de crescimento do PIB 15,0 10,0 5,0-1948 1950 1952 1954 1956 1958 1960 1962 1964 1966 1968

Leia mais

Março / 2015. Cenário Econômico Bonança e Tempestade. Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Março / 2015. Cenário Econômico Bonança e Tempestade. Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos Março / 2015 Cenário Econômico Bonança e Tempestade Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos 1 Bonança Externa Boom das Commodities Estímulos ao consumo X inflação Importações e real valorizado 2

Leia mais

Análise Conjuntural: Variáveis- Instrumentos e Variáveis- meta

Análise Conjuntural: Variáveis- Instrumentos e Variáveis- meta Análise Conjuntural: Variáveis- Instrumentos e Variáveis- meta Fernando Nogueira da Costa Professor do IE- UNICAMP h;p://fernandonogueiracosta.wordpress.com/ Estrutura da Apresentação Variáveis- instrumentos:

Leia mais

Resposta Brasileira à Crise Financeira Externa

Resposta Brasileira à Crise Financeira Externa Resposta Brasileira à Crise Financeira Externa Yoshiaki Nakano Escola de Economia de São Paulo da Fundação Getulio Vergas 15 de Setembro de 2008 Resposta brasileira à crise financeira exterma I. Será que

Leia mais

5. NÍVEL DE ATIVIDADE ECONÔMICA. Álvaro Alves de Moura Jr.

5. NÍVEL DE ATIVIDADE ECONÔMICA. Álvaro Alves de Moura Jr. 98 5. NÍVEL DE ATIVIDADE ECONÔMICA Álvaro Alves de Moura Jr. O principal destaque na análise do nível de atividade econômica se refere à mudança na metodologia do cálculo do PIB, que passou a incluir informações

Leia mais

CENÁRIO MACROECONÔMICO

CENÁRIO MACROECONÔMICO ENCONTRO BRADESCO-APIMEC CENÁRIO MACROECONÔMICO 26 DE NOVEMBRO DE 2015 FABIANA D ATRI Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos - DEPEC 1 Ambiente Internacional AMBIENTE INTERNACIONAL Fimdolongociclodecommodities.

Leia mais

IPCA, inflação livre, administrados e projeção Carta Aberta. Acumulado em doze meses. Jan Mar Mai Jul Set Nov Jan Mar Mai Jul Set Nov Jan Mar Mai

IPCA, inflação livre, administrados e projeção Carta Aberta. Acumulado em doze meses. Jan Mar Mai Jul Set Nov Jan Mar Mai Jul Set Nov Jan Mar Mai IPCA: Inércia, Câmbio, Expectativas e Preços Relativos Este boxe examina o comportamento recente do IPCA, a partir da contribuição dos principais fatores que explicam sua dinâmica, com destaque para a

Leia mais

Boletim Econômico Edição nº 72 outubro de 2015 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico

Boletim Econômico Edição nº 72 outubro de 2015 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Boletim Econômico Edição nº 72 outubro de 2015 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Crise política e crise econômica no Brasil e suas repercussões no mundo 1 1. A crise econômica

Leia mais

INDX apresenta alta de 2,67% em março

INDX apresenta alta de 2,67% em março INDX apresenta alta de 2,67% em março Dados de Março/11 Número 51 São Paulo O Índice do Setor Industrial (INDX), composto pelas ações mais representativas do segmento, encerrou o mês de março de 2010,

Leia mais

Mercado de trabalho enfrentou cenário difícil durante todo o ano de 2015

Mercado de trabalho enfrentou cenário difícil durante todo o ano de 2015 Mercado de trabalho enfrentou cenário difícil durante todo o ano de 2015 Neste edição especial do boletim Mercado de trabalho do CEPER-FUNDACE, serão comparados dados do Cadastro Geral de Empregados e

Leia mais

A Política Fiscal Brasileira em Tempos de Crise

A Política Fiscal Brasileira em Tempos de Crise Ministério da A Política Fiscal Brasileira em Tempos de Crise Encontro de Política Fiscal - FGV Ministro Guido Mantega Brasília, 7 de novembro de 2014 Antes de 2008, Brasil tinha Situação Fiscal Confortável

Leia mais

10. Em Foco IBRE: A Fragilidade do Superávit da Balança Comercial

10. Em Foco IBRE: A Fragilidade do Superávit da Balança Comercial 25 10. Em Foco IBRE: A Fragilidade do Superávit da Balança Comercial Com o superávit da balança comercial em março, o déficit acumulado no primeiro trimestre deste ano (-US$ 5,5 bilhões) foi inferior ao

Leia mais

Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016

Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016 Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016 Diretoria Adjunta de Análise e Disseminação de Informações Gerência de Indicadores Econômicos Em fevereiro de 2016, no acumulado de 12 meses,

Leia mais

INTERNA. Este documento foi classificado como confidencial pelo Depec, e o acesso está autorizado, exclusivamente, aos clientes do Bradesco.

INTERNA. Este documento foi classificado como confidencial pelo Depec, e o acesso está autorizado, exclusivamente, aos clientes do Bradesco. INTERNA Este documento foi classificado como confidencial pelo Depec, e o acesso está autorizado, exclusivamente, aos clientes do Bradesco. CENÁRIO MACROECONÔMICO JANEIRO DE 2016 FABIANA D ATRI Departamento

Leia mais

Luiz Augusto de Oliveira Candiota

Luiz Augusto de Oliveira Candiota Luiz Augusto de Oliveira Candiota Por que investir em ações agora?" Lacan Investimentos Índice Contexto Macroeconômico Por quê? Riscos Oportunidades Como? Gestão Ativa x Gestão Passiva [3] Contexto Macroeconômico

Leia mais

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO jan/15 fev/15 Ligeira deterioração nos principais indicadores Com o feriado da Semana Santa, os principais indicadores para a semana de 18 a 24 de março apresentaram relativa estabilidade, com os mercados

Leia mais

CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 2 SUMÁRIO Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita de

Leia mais

Cenário Macroeconômico para o Agronegócio. Geraldo Barros

Cenário Macroeconômico para o Agronegócio. Geraldo Barros Cenário Macroeconômico para o Agronegócio Geraldo Barros PIB do Agronegócio: 1994/2010 R$ bilhões (de 2010) +37% 597 22(%) (28%) Fonte:Cepea Pib e Shares dos segmentos do Agronegócio 32% 33% 33% 30% 26%

Leia mais

Fonte: Elaboração Própria com base nos dados do Alice Web / MDIC.

Fonte: Elaboração Própria com base nos dados do Alice Web / MDIC. O Gráfico 1 nos mostra a evolução das exportações do Brasil, estado de São Paulo e estado de São Paulo sem região metropolitana. O número 1 (um) após o nome de cada região na legenda da Figura 1 indica

Leia mais

Prestação de Contas - LRF Banco Central: Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial e Impacto Fiscal de suas Operações

Prestação de Contas - LRF Banco Central: Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial e Impacto Fiscal de suas Operações Prestação de Contas - LRF Banco Central: Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial e Impacto Fiscal de suas Operações Henrique de Campos Meirelles Novembro de 20 Prestação de Contas - LRF

Leia mais

Apresentação Semanal. De 04 a 15 de abril de Matheus Rosignoli

Apresentação Semanal. De 04 a 15 de abril de Matheus Rosignoli 1 Apresentação Semanal De 04 a 15 de abril de 2016 Matheus Rosignoli mrosignoli@santander.com.br Indicadores e eventos da última semana Mar-08 Jul-08 Nov-08 Mar-09 Jul-09 Nov-09 Mar-10 Jul-10 Nov-10 Mar-11

Leia mais

NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA Uma avaliação dos indicadores da economia brasileira em 2007

NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA Uma avaliação dos indicadores da economia brasileira em 2007 NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA Uma avaliação dos indicadores da economia brasileira em 2007 Lucas Lautert Dezordi * Guilherme R. S. Souza e Silva ** Introdução O presente artigo tem

Leia mais

Cresce número de acordos salariais com aumento real para trabalhador - 21/08/ Mercado - Folh...

Cresce número de acordos salariais com aumento real para trabalhador - 21/08/ Mercado - Folh... 1 de 5 25/08/2014 09:31 Cresce número de acordos salariais com aumento real para trabalhador CLAUDIA ROLLI DE SÃO PAULO 21/08/2014 09h40 O número de acordos salariais que terminaram com reajuste acima

Leia mais

Cenário Econômico para 2014

Cenário Econômico para 2014 Cenário Econômico para 2014 Silvia Matos 18 de Novembro de 2013 Novembro de 2013 Cenário Externo As incertezas com relação ao cenário externo em 2014 são muito elevadas Do ponto de vista de crescimento,

Leia mais

Cenário Macro Semanal

Cenário Macro Semanal Resultado positivo do IBC-Br em outubro possivelmente elevará as expectativas de crescimento para o ano O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), o qual representa uma proxy mensal do

Leia mais

Sexta-Feira, 06 de janeiro de 2017

Sexta-Feira, 06 de janeiro de 2017 Sexta-Feira, 06 de janeiro de 2017 Bom dia, O Índice Geral de Preços - DI acelera no último mês do ano. O IGP-DI variou 0,83%, em dezembro, ante uma variação registrada em novembro de 0,05%. No comparativo

Leia mais

Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias Miriam Belchior Ministra de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão Abril de 2014

Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias Miriam Belchior Ministra de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão Abril de 2014 Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias 2015 Miriam Belchior Ministra de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão Abril de 2014 1 Cenário Econômico para 2015 Fim da crise financeira internacional

Leia mais

O desafio da produtividade

O desafio da produtividade O desafio da produtividade 21º Seminário Dia da Qualidade Caxias CIC Renato da Fonseca Caxias do Sul, RS, 20/07/2015 Roteiro 1. O estado da indústria e da economia brasileira 2. Baixa competitividade:

Leia mais

SINCOR-SP 2016 JANEIRO 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2016 JANEIRO 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JANEIRO 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Estatísticas dos Corretores de SP... 6 3. Análise macroeconômica...

Leia mais

Alteramos as expectativas para a taxa Selic em 2013 e 2014; Atividade econômica no Brasil poderá ser fraca também no 4º trimestre de 2013.

Alteramos as expectativas para a taxa Selic em 2013 e 2014; Atividade econômica no Brasil poderá ser fraca também no 4º trimestre de 2013. 27-set-2013 Semana foi de dólar e juros em alta, Bolsa em queda; Alteramos as expectativas para a taxa Selic em 2013 e 2014; Atividade econômica no Brasil poderá ser fraca também no 4º trimestre de 2013.

Leia mais

Projeções para a economia portuguesa em 2016

Projeções para a economia portuguesa em 2016 Projeções para a economia portuguesa em 2016 95 Projeções para a economia portuguesa em 2016 As projeções para a economia portuguesa apontam para uma desaceleração do PIB, de 1,6 por cento em 2015 para

Leia mais

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO jan/15 jan/15 Acomodação com o cenário externo A semana de 19 a 26 de fevereiro apresentou movimentos moderados nas principais variáveis de mercado. A despeito do resultado negativo para o IPCA-15 de fevereiro,

Leia mais

Impactos Macroeconômicos da Indústria de Petróleo Prof.: Marcelo Colomer

Impactos Macroeconômicos da Indústria de Petróleo Prof.: Marcelo Colomer Impactos Macroeconômicos da Indústria de Petróleo Prof.: Marcelo Colomer GEE - UFRJ Milhões de Reais Importância do Setor de Petróleo na Economia Brasileira (I) Desde de 2006 os investimentos na indústria

Leia mais

Os preços resistem: um panorama atualizado da inflação em 2016.

Os preços resistem: um panorama atualizado da inflação em 2016. Texto Mensal da Revista dos Fundos de Investimento Agosto/2016 Os preços resistem: um panorama atualizado da inflação em 2016. Recentemente, ampliouse na imprensa especializada o número artigos e colunas

Leia mais

Perspectivas da Economia Brasileira

Perspectivas da Economia Brasileira Perspectivas da Economia Brasileira Márcio Holland Secretário de Política Econômica Ministério da Fazenda Caxias do Sul, RG 03 de dezembro de 2012 1 O Cenário Internacional Economias avançadas: baixo crescimento

Leia mais

Inflação e política monetária: um balanço do governo Lula

Inflação e política monetária: um balanço do governo Lula Inflação e política monetária: um balanço do governo Lula Everton Freire de Carvalho* O controle da inflação, tido como a principal meta da política econômica do atual governo, vem sendo alcançado. Os

Leia mais

Sistema de Contas Nacionais Brasil

Sistema de Contas Nacionais Brasil Diretoria de Pesquisas Sistema de Contas Nacionais Brasil 2004-2008 Coordenação de Contas Nacionais Rio, 05/11/2010 Divulgações do SCN Já divulgados os dois primeiros trimestres de 2010, HOJE - ano 2008

Leia mais

POR QUE FEIRAS EM TEMPOS DE CRISE?

POR QUE FEIRAS EM TEMPOS DE CRISE? POR QUE FEIRAS EM TEMPOS DE CRISE? Ligia Amorim Diretora geral da NürnbergMesse Brasil 1ª vice-presidente do capítulo América Latina da UFIthe Global Association of the Exhibition Industry. Vice-presidente

Leia mais

RB CAPITAL PATRIMONIAL V FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII. CNPJ nº / (Administrado por INTRADER DTVM Asset servicing.

RB CAPITAL PATRIMONIAL V FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII. CNPJ nº / (Administrado por INTRADER DTVM Asset servicing. RB CAPITAL PATRIMONIAL V FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII CNPJ nº 13.568.181/0001-07 (Administrado por INTRADER DTVM Asset servicing.) 1 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Seção I Objeto do Fundo 2 Seção

Leia mais

PANORAMA DO SETOR. Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos EVOLUÇÃO

PANORAMA DO SETOR. Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos EVOLUÇÃO EVOLUÇÃO A Indústria Brasileira de apresentou um crescimento médio deflacionado composto de 11,5% nos últimos 5 anos, tendo passado de um faturamento Ex Factory, líquido de impostos sobre vendas de R$

Leia mais

RISCOS DA DESINDUSTRIALIZAÇÃO

RISCOS DA DESINDUSTRIALIZAÇÃO FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA - FIESC SEMINÁRIO RISCOS DA DESINDUSTRIALIZAÇÃO PALESTRA BRASIL: DESINDUSTRIALIZAÇÃO OU ESTAGNAÇÃO DA INDUSTRIALIZAÇÃO JOSÉ AUGUSTO DE CASTRO Florianópolis,

Leia mais

Acerto de contas. Cenário macroeconômico Agosto 2013

Acerto de contas. Cenário macroeconômico Agosto 2013 Acerto de contas Cenário macroeconômico Agosto 2013 Agenda: crescimento baixo com inflação Eleições crescimento versus Economia Mundial Variação do PIB, % a/a 5,5 4,5 3,5 2,5 1,5 0,5-0,5-1,5-2,5-3,5 Outros

Leia mais

Resultados do ano de 2008

Resultados do ano de 2008 Resultados do ano de 2008 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação de valores mobiliários brasileira

Leia mais

Prof. Cristiano M. Costa. Entraves e perspectivas econômicas para a economia da Bahia

Prof. Cristiano M. Costa. Entraves e perspectivas econômicas para a economia da Bahia Prof. Cristiano M. Costa Entraves e perspectivas econômicas para a economia da Bahia Introdução A economia brasileira está em um período de incertezas. Inflação + baixo crescimento. Quais as causas e consequências

Leia mais

Produtividade Física do Trabalho na Indústria de Transformação em Julho de 2015

Produtividade Física do Trabalho na Indústria de Transformação em Julho de 2015 Produtividade Física do Trabalho na Indústria de Transformação em Julho de 2015 Setembro/2015 BRASIL A produtividade física do trabalho da Indústria de Transformação cresceu 0,9% em julho de 2015, na comparação

Leia mais

Cenário Macro Semanal

Cenário Macro Semanal Banco Central sinaliza maior rigor em relação ao avanço de preços Levando em consideração o cenário mais desfavorável ao arrefecimento da inflação e o maior rigor adotado pelo Banco Central nos recentes

Leia mais

O indicador do clima econômico melhora na América Latina, mas piora no Brasil

O indicador do clima econômico melhora na América Latina, mas piora no Brasil jan/03 jul/03 jan/04 jul/04 jan/05 jul/05 jan/06 jul/06 jan/07 jul/07 jan/08 jul/08 jan/09 jul/09 jan/10 jul/10 jan/11 jul/11 jan/12 jul/12 jan/13 jul/13 jan/14 13 de Fevereiro de 14 Indicador IFO/FGV

Leia mais

GRÁFICOS DE CONJUNTURA Volume I. Por João Sicsú e Ernesto Salles

GRÁFICOS DE CONJUNTURA Volume I. Por João Sicsú e Ernesto Salles GRÁFICOS DE CONJUNTURA Volume I Por João Sicsú e Ernesto Salles 1. O trabalhador perdeu rendimento porque houve inflação? É possível aferir o valor do ganho médio (ou habitual) de um trabalhador. A Pesquisa

Leia mais

ICMS: um retrato da economia brasileira em 2015

ICMS: um retrato da economia brasileira em 2015 ICMS: um retrato da economia brasileira em 2015 Pedro Jucá Maciel 1 INTRODUÇÃO O ICMS, imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre prestações de serviços de transporte interestadual,

Leia mais

Cenários para a Economia - Novembro/2016. Em outubro/2016

Cenários para a Economia - Novembro/2016. Em outubro/2016 Comitê de Acompanhamento Macroeconômico Reunião ordinária 25 de novembro de 2016 Relatório Econômico Na última reunião do Comitê de Acompanhamento Macroeconômico da ANBIMA, realizada em 25 de novembro

Leia mais

BRASIL E A CRISE MUNDIAL

BRASIL E A CRISE MUNDIAL BRASIL E A CRISE MUNDIAL Ministro Guido Mantega maio 2009 1 Crise não acabou, talvez pior já tenha passado Consolidação do governo Obama e ações do G20 melhoram a CONFIANÇA Enxurrada de dinheiro do FED

Leia mais

Setor Externo: Ajuste Forçado e Retomada da Economia Brasileira

Setor Externo: Ajuste Forçado e Retomada da Economia Brasileira 7 Setor Externo: Ajuste Forçado e Retomada da Economia Brasileira Vera Martins da Silva (*) A economia brasileira está saindo do fundo do poço, mas muito mais lentamente do que o desejado pela grande massa

Leia mais

Políticas macroeconômicas para um crescimento robusto e sustentável

Políticas macroeconômicas para um crescimento robusto e sustentável Políticas macroeconômicas para um crescimento robusto e sustentável São Paulo, FGV-SP, 10º Fórum de Economia, 30/09/2013 Luiz Fernando de Paula Professor Titular da FCE/UERJ e ex- Presidente da AKB Email:

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL DE CONJUNTURA ECONÔMICA ABRIL 2005

RELATÓRIO MENSAL DE CONJUNTURA ECONÔMICA ABRIL 2005 MINISTÉRIO DA FAZENDA SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS SUSEP RELATÓRIO MENSAL DE CONJUNTURA ECONÔMICA ABRIL 2005 Rio de Janeiro, 13 de abril de 2005. 1. Conjuntura atual O objetivo deste Relatório

Leia mais

3 INFLAÇÃO. ipea SUMÁRIO

3 INFLAÇÃO. ipea SUMÁRIO 3 INFLAÇÃO SUMÁRIO Após iniciar o ano de 2014 com uma inflação acumulada em doze meses de 5,6%, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) veio se acelerando, de modo que, em junho, esta taxa atingiu

Leia mais

Relatório de Estabilidade Financeira. Setembro/2016

Relatório de Estabilidade Financeira. Setembro/2016 Relatório de Estabilidade Financeira Setembro/2016 1 Relatório de Estabilidade Financeira O Relatório de Estabilidade Financeira (REF) é uma publicação semestral do Banco Central do Brasil (BCB) destinada

Leia mais

Apresentação 1. O que é a Macroeconomia?

Apresentação 1. O que é a Macroeconomia? Aula Teórica nº 1 Sumário: Apresentação 1. O que é a Macroeconomia? Objectivos da aula: No final desta aula o aluno deverá ser capaz de: Identificar os principais problemas abordados pela Macroeconomia.

Leia mais

Estaleiro Atlântico Sul, Navio Zumbi dos Palmares PE

Estaleiro Atlântico Sul, Navio Zumbi dos Palmares PE Estaleiro Atlântico Sul, Navio Zumbi dos Palmares PE quadro macroeconômico capítulo 1 A economia brasileira está em recuperação consistente, puxada por investimentos. Na comparação com o mesmo trimestre

Leia mais

Reformas geram Ganhos de Produtividade

Reformas geram Ganhos de Produtividade Reformas geram Ganhos de Produtividade Secretário Adunto de Política Econômica Fernando de Holanda B. Filho Apresentado no Seminário: O Desafio do Auste Fiscal Brasileiro. Auste Fiscal 2 A situação Fiscal

Leia mais

ESTRATÉGIA ECONÔMICA PARA BRASIL

ESTRATÉGIA ECONÔMICA PARA BRASIL ESTRATÉGIA ECONÔMICA PARA BRASIL Prof. Dr. José Cláudio Securato Presidente Saint Paul Escola de Negócios 01 de Junho de 2016 CONHEÇA A SAINT PAUL 1996 Fundação da Saint Paul Institute of Finance 1998

Leia mais

Renda Fixa: 88%[(78% [CDI+0,5%]+17% IMAB + 5%IMAB5)+12%(103%CDI)] Renda Variável Ativa = 100%(IBrx+6%) Inv. estruturados = IFM Inv. no exterior = BDRX

Renda Fixa: 88%[(78% [CDI+0,5%]+17% IMAB + 5%IMAB5)+12%(103%CDI)] Renda Variável Ativa = 100%(IBrx+6%) Inv. estruturados = IFM Inv. no exterior = BDRX Objetivo Os investimentos dos Planos Básico e Suplementar, modalidade contribuição definida, tem por objetivo proporcionar rentabilidade no longo prazo através das oportunidades oferecidas pelos mercados

Leia mais

Internacionalização da Economia Brasileira

Internacionalização da Economia Brasileira ASPECTOS TÉCNICOS DO ACORDO BRASIL ARGENTINA DE PAGAMENTOS EM MOEDA LOCAL Internacionalização da Economia Brasileira Paulo Vieira da Cunha São Paulo, Agosto/2007 1 Agenda 1. Internacionalização da Economia

Leia mais

GOVERNO DILMA 1 ( )

GOVERNO DILMA 1 ( ) 1 INÍCIO DA GESTÃO DILMA Manutenção de Mantega na Fazenda Tombini (servidor de carreira) no Bacen Inflação acima do centro da meta (abaixo do teto) Ampla base de apoio político Compromisso de redução dos

Leia mais

O impacto da crise do subprime nas variáveis macroeconômicas brasileiras

O impacto da crise do subprime nas variáveis macroeconômicas brasileiras PCA 2009 O impacto da crise do subprime nas variáveis macroeconômicas brasileiras Autores: Ariel de Lazari dos Santos (Colégio Salesiano Região Oceânica) Mateus Valim Coutinho de Souza (Colégio Marília

Leia mais