DIREITO EMPRESARIAL II - CCJ0027 DIREITO EMPRESARIAL II (22/07/2014) Contextualização

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DIREITO EMPRESARIAL II - CCJ0027 DIREITO EMPRESARIAL II (22/07/2014) Contextualização"

Transcrição

1 DIREITO EMPRESARIAL II - CCJ0027 DIREITO EMPRESARIAL II (22/07/2014) Contextualização O Direito Societário, dentro do sistema jurídico brasileiro, está distribuído em duas etapas: a Teoria Geral do Direito Societário e o estudo das sociedades em espécies, seus conceitos e características. Um fator de grande relevância para que os sócios escolham uma ou outra espécie de sociedade, vincula-se à responsabilidade de seus sócios. Isso porque, apresentando-se a atividade empresarial como uma atividade de risco, há uma tendência dos sócios em optarem por tipos societários que venham a delimitar o grau patrimonial de suas responsabilidades. Dentro das espécies de sociedades, algumas acarretam responsabilidade ilimitada para seus sócios e outras - ao contrário - limitam a responsabilidade deles na proporção da contribuição de cada um no capital social. No sistema jurídico brasileiro, as sociedades em que todos os sócios apresentam limitação patrimonial de responsabilidade - quando assumem legalmente, tão somente, a qualificação de "sócios" - são duas: as sociedades limitadas e as sociedades anônimas. Com isso, a disciplina Empresarial II concreta seu desenvolvimento acadêmico nas duas sociedades em questão: sociedade limitada e sociedade anônima. A primeira, comumente voltada para a constituição de pequena e média empresa, com maior grau de flexibilidade na sua constituição e manutenção; enquanto a segunda - S.A - direcionada, em regra, para empresas de porte econômico elevado, atua como grande ferramenta para captação de recursos no mercado de capitais. Dessa forma, a abordagem acadêmica da disciplina, enfrentará os desdobramentos jurídicos da sociedade limitada e sociedade anônima, desde o campo conceitual, características, responsabilidades de seus sócios até a atuação de seus administradores, reorganização societária e o processo de extinção da sua personalidade jurídica. Ementa Sociedade Limitada; Das Quotas; Sócios; Administração na Sociedade Limitada; Deliberação na Ltda; Sociedade Anônima; Companhia Aberta; Companhia Fechada; Constituição da sociedade anônima; Ações; Valores Mobiliários; Voto; Acionistas; Assembleia; Conselho de Administração; Diretoria; Conselho Fiscal; Reorganização Societária; Extinção das Companhias. Objetivos Gerais - Compreender os Elementos Caracterizadores das Sociedades Limitadas e Sociedades Anônimas. - Identificar a Evolução das sociedades limitadas e anônimas no âmbito jurídico e no mercado das relações econômicas. - Confrontar as sociedades de responsabilidade limitada no sistema jurídico brasileiro.

2 Objetivos Específicos Conceituar Sociedade Limitada e grau de responsabilidade dos sócios. Identificar os Agentes Societários nas Sociedades Limitadas. Conceituar Sociedades Anônimas e grau de responsabilidade dos acionistas. Enumerar as características estruturais das sociedades anônimas. Desenvolver as Fases para Constituição das Sociedades Anônimas. Classificar os Direitos e Deveres dos Acionistas e o Acionista Controlador. Identificar as características e espécies de Assembleia de Acionistas. Enumerar as Atribuições dos Órgãos Administrativos das Sociedades Anônimas e a responsabilidades dos seus membros. Apresentar as Formas de Reorganização e Extinção das Sociedades. Conteúdos UNIDADE I 1.Sociedade Limitada. 1.1Histórico. Conceito. Natureza Jurídica. 1.2 Responsabilidade dos sócios. 1.3 Aplicação Subsidiária das normas da sociedade simples. 1.4 Características: Contratualista. 1.5 Nome empresarial. 1.6 Sociedade híbrida: simples ou empresária. 1.7 Das quotas Conceito e Características Sucessão das quotas Penhora das Quotas Cessão das Quotas Responsabilidades do cedente de quotas. 1.8Capital social. Conceito. Formação. Princípios. 1.9Agentes societários Dos sócios Direitos e Deveres dos Sócios Direitos pessoais e patrimoniais Sócio Remisso. Sócio dissidente Resolução de um sócio perante a sociedade Da administração Conceito. Natureza Jurídica Formas de nomeação Nomeação.Destituição Poderes. Atribuições Responsabilidade Teoria dos atos ultra vires Conselho Fiscal: Conceito Composição.Atribuições.Responsabilidades 1.10 Deliberação dos sócios Reunião e Assembléia Legitimidade de convocação Formas de convocação Dispensa de instalação. Quorum de deliberação Direito de Retirada.

3 Reembolso. Apuração parcial de haveres Deliberações contrárias à lei ou ao contrato social. UNIDADE II 2.Sociedade Anônima 2.1 Evolução Histórica. 2.2 Conceito. Natureza Jurídica. 2.3.Características. 2.4 Responsabilidade dos sócios. 2.5 Análise comparativa sociedade limitada do Código Civil. Comandita por ações. 2.6 Mercado de ações 2.6.1Companhia aberta. Companhia fechada Mercado de Balcão. Bolsa de Valores. Mercado Novo. Balcão Organizado Capital social Conceito. Princípios Composição. Modificação Capital Autorizado.Atuação da CVM. 2.7 Constituição da sociedade anônima Requisitos Preliminares Requisitos Constitutivos Subscrição Pública Subscrição Particular Requisitos Complementares. 2.8 Ações 2.8.1Conceito, Natureza Jurídica Classificação das Constituição da sociedade anônima Ações Nominativas Ações Escriturais Ações com ou sem valor nominal Ações Ordinárias. Preferenciais. De Fruição Propriedade Negociabilidade das Ações Perda. Extravio Amortização. Resgate e Reembolso. 2.9 Outros Valores Mobiliários Debêntures Partes beneficiárias Bônus de subscrição Opção de compra Commercial Paper. ADRs Acionista Conceito. Natureza jurídica Deveres. Sócio Remisso Direitos Essenciais e não essenciais Direito de voto Espécies Voto Conflitante. Voto Abusivo Acionista controlador: Responsabilidade Acordo de acionistas. 2.11Assembleia Conceito. Características Legitimação para convocação Forma de Convocação. Dispensa de Convocação Quorum Quorum Instalação Quorum Deliberação Quorum Qualificado

4 Espécies de Assembleias Direito de Retirada Órgãos Administrativos Conselho de Administração Diretoria Conselho Fiscal. Atribuições Responsabilidade dos administradores Ação de responsabilidade. UNIDADE III 3. Reorganização e Extinção da S.A. 3.1Reorganização das Sociedades Anônimas Transformação Conceito. Procedimentos Quorum Direitos dos Credores Incorporação. Fusão Conceito. Procedimentos Quorum Direitos dos Credores Cisão Conceito. Procedimentos Quorum Cisão Total. Cisão Parcial Direitos dos credores. 3.2 Extinção das Sociedades Anônimas 3.2.1Dissolução da sociedade Liquidação Partilha Credor Insatisfeito Procedimentos de Avaliação No Curso de Direito, a avaliação se dá de forma continuada. Isto é, antes de cada aula o estudante deverá solucionar os casos concretos que se encontram na webaula da disciplina e postar suas respostas no ambiente on line. Após a revisão e autocorreção, o estudante deverá refazer a análise do caso concreto, no ambiente webaula, acrescentando citações doutrinárias e jurisprudenciais. O conjunto dos trabalhos práticos realizados ao longo do período valerão até 1,0 (um) ponto na AV1. As AV1, AV2 E AV3 serão realizadas através de provas escritas, valendo, no mínimo, até 8,0 (oito) pontos, contendo questões objetivas e discursivas, sendo, ao menos uma das questões, um caso concreto para análise e resolução. A soma de todas as atividades ( provas escritas e resolução dos casos aula a aula) comporão o grau final de cada avaliação, não podendo ultrapassar o grau máximo de 10 (dez), sendo permitido atribuir valor decimal às avaliações. A AV1 contemplará o conteúdo da disciplina até a sua realização, incluindo o das atividades estruturadas, nas disciplinas que as contenham.

5 As AV2 e AV3 abrangerão todo o conteúdo da disciplina, incluindo o das atividades estruturadas. Para aprovação na disciplina o aluno deverá: 1. Atingir resultado igual ou superior a 6,0, calculado a partir da média aritmética entre os graus das avaliações, sendo consideradas apenas as duas maiores notas obtidas dentre as três etapas de avaliação (AV1, AV2 e AV3). A média aritmética obtida será o grau final do aluno na disciplina. 2. Obter grau igual ou superior a 4,0 em, pelo menos, duas das três avaliações. 3. Frequentar, no mínimo, 75% das aulas ministradas. Bibliografia Básica 1 - CARVALHOSA, Modesto. Comentários à Lei das Sociedades Anônimas. Volume 4 - Tomo I. 6ª Ed Saraiva. 2 - COELHO, Fábio Ulhôa. Manual de Direito Comercial: Direito de Empresa. 24. ed. v.1. São Paulo: Saraiva, COELHO, Fábio Ulhôa. Curso de Direito Comercial. 16. ed. v.1. São Paulo: Saraiva, Bibliografia Complementar 1-NEGRÃO, Ricardo. Manual de Direito Comercial e de Empresa. 9. ed. v. 1. São Paulo: Saraiva, CAMPINHO, Sérgio. Direito de Empresa à luz do Novo Código Civil. 9. ed. Rio de Janeiro: Renovar, FAZZIO JUNIOR, Waldo. Manual de Direito Comercial.11ª ed.são Paulo: Atlas, BERTOLDI, Marcelo M. Curso Avançado de Direito Comercial. 4 ed.rev. atual. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais Indicação Material Didático Código civil 2a edição 2016; Editoria jurídica da Editora Manole; Manole; 2016 Outras Informações

PLANO DE CURSO : DIREITO SOCIETÁRIO (CÓD. ENEX 60131) ETAPA: 6ª TOTAL DE ENCONTROS:

PLANO DE CURSO : DIREITO SOCIETÁRIO (CÓD. ENEX 60131) ETAPA: 6ª TOTAL DE ENCONTROS: PLANO DE CURSO DISCIPLINA: DIREITO SOCIETÁRIO (CÓD. ENEX 60131) ETAPA: 6ª TOTAL DE ENCONTROS: 15 SEMANAS Semana Conteúdos/ Matéria Categorias/ Questões Tipo de aula Habilidades e Competências Textos, filmes

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina DIR321 Direito Empresarial - Direto Societário

Programa Analítico de Disciplina DIR321 Direito Empresarial - Direto Societário 0 Programa Analítico de Disciplina Departamento de Direito - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes Número de créditos: 3 Teóricas Práticas Total Duração em semanas: 5 Carga horária semanal 3 Períodos

Leia mais

Disciplina: CCJ DIREITO FINANCEIRO E TRIBUTÁRIO I. Matéria: 11 - GRADUAÇÃO. Curso(s): 1 - DIREITO. Tipo Curso: Campo: 0. Prática: 0.

Disciplina: CCJ DIREITO FINANCEIRO E TRIBUTÁRIO I. Matéria: 11 - GRADUAÇÃO. Curso(s): 1 - DIREITO. Tipo Curso: Campo: 0. Prática: 0. Disciplina: CCJ0030 - DIREITO FINANCEIRO E TRIBUTÁRIO I Matéria: 11 - GRADUAÇÃO Curso(s): 1 - DIREITO Tipo Curso: Campo: 0 Prática: 0 Teórica: 88 Carga Horária Total Versão Plano de Disciplina: 1 Vigência:

Leia mais

PARTE GERAL CONTRATO DE SOCIEDADE

PARTE GERAL CONTRATO DE SOCIEDADE PARTE GERAL CONTRATO DE SOCIEDADE 1 CONTRATO DE SOCIEDADE 1 Elementos contratuais 2 Sociedades simples e empresárias 3 Sociedades não personificadas 4 Sociedade em comum 4.1 Patrimônio social e responsabilidade

Leia mais

CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria no de 05/12/02 DOU de 06/12/02

CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria no de 05/12/02 DOU de 06/12/02 CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria no 3.355 de 05/12/02 DOU de 06/12/02 Componente Curricular: Direito Empresarial I Código: DIR-461 Pré-requisito: - CH Total: 60 h Período Letivo: 2016.1 Turma:

Leia mais

Centro Universitário Serra dos Órgãos Recredenciamento Portaria nº de 7 de outubro de 2011 PROGRAMA DIDÁTICO CURSO: GRADUAÇÃO EM DIREITO

Centro Universitário Serra dos Órgãos Recredenciamento Portaria nº de 7 de outubro de 2011 PROGRAMA DIDÁTICO CURSO: GRADUAÇÃO EM DIREITO PROGRAMA DIDÁTICO CURSO: GRADUAÇÃO EM DIREITO COMPONENTE CURRICULAR: Direito Empresarial e Societário (Quinta-feira - 18:50 às 22:20) CÓDIGO: CARGA HORÁRIA: 80 horas PROFESSOR (ES): CAROLINE DA ROSA PINHEIRO

Leia mais

1 Classificação das sociedades

1 Classificação das sociedades 1 Classificação das sociedades Qto à forma de exploração do objeto Qto à personificação Qto ao regime de constituição Qto à forma de constituição Qto à nacionalidade Qto ao capital Qto à responsabilidade

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA Faculdade Anísio Teixeira de Feira de Santana Autorizada pela Portaria Ministerial nº 552 de 22 de março de 2001 e publicada no Diário Oficial da União de 26 de março de 2001. Endereço: Rua Juracy Magalhães,

Leia mais

IUS RESUMOS. Empresário. Organizado por: Samille Lima Alves

IUS RESUMOS. Empresário. Organizado por: Samille Lima Alves Organizado por: Samille Lima Alves SUMÁRIO I. EMPRESÁRIO... 3 1. Caracterizando o empresário... 3 1.1 Conceito... 3 1.2 Elementos essenciais de caracterização do empresário... 4 1.3 Classificação do empresário...

Leia mais

EMENTÁRIO Curso: Direito Disciplina: DIREITO EMPRESARIAL IV EMENTA

EMENTÁRIO Curso: Direito Disciplina: DIREITO EMPRESARIAL IV EMENTA EMENTÁRIO Curso: Direito Disciplina: DIREITO EMPRESARIAL IV Período: 6 Carga Horária: 72 h/a EMENTA Teoria geral do direito falimentar. Evolução histórica. Processo falimentar: Requisitos. Fases do processo

Leia mais

TÍTULO I CARACTERÍSTICAS GERAIS DAS SOCIEDADES COMERCIAIS

TÍTULO I CARACTERÍSTICAS GERAIS DAS SOCIEDADES COMERCIAIS INTRODUÇÃO 5 ABREVIATURAS 7 TÍTULO I CARACTERÍSTICAS GERAIS DAS SOCIEDADES COMERCIAIS CAPÍTULO I - A SOCIEDADE COMO ORGANIZAÇÃO JURÍDICA DA EMPRESA 11 1) Definição de contrato de sociedade 12 a) Elemento

Leia mais

A SOCIEDADE SIMPLES E AS SOCIEDADES MENORES

A SOCIEDADE SIMPLES E AS SOCIEDADES MENORES A SOCIEDADE SIMPLES E AS SOCIEDADES MENORES 1 TIPOS DE SOCIEDADES NO DIREITO BRASILEIRO SOCIEDADE EM COMUM não tem personalidade jurídica os sócios são ilimitadamente responsáveis SOCIEDADE SIMPLES atividades

Leia mais

EMENTÁRIO Curso: Direito Disciplina: DIREITO EMPRESARIAL II Período: 4 Período. Carga Horária: 72H/a: EMENTA

EMENTÁRIO Curso: Direito Disciplina: DIREITO EMPRESARIAL II Período: 4 Período. Carga Horária: 72H/a: EMENTA EMENTÁRIO Curso: Direito Disciplina: DIREITO EMPRESARIAL II Período: 4 Período Carga Horária: 72H/a: EMENTA A disciplina busca introduzir o aluno no âmbito do direito societário: abordando a sua evolução

Leia mais

DIREITOS DOS ACIONISTAS

DIREITOS DOS ACIONISTAS DO GRUPO DE ESTUDOS DE DIREITO EMPRESARIAL FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS DIREITO SOCIETÁRIO APLICADO Mário Tavernard Martins de Carvalho Patrocinadores: 2 Direitos essenciais

Leia mais

SUMÁRIO PARTE I TEORIA GERAL DO DIREITO EMPRESARIAL

SUMÁRIO PARTE I TEORIA GERAL DO DIREITO EMPRESARIAL SUMÁRIO PARTE I TEORIA GERAL DO DIREITO EMPRESARIAL CAPÍTULO 1 Do Direito Comercial ao Direito Empresarial 3 1. Origem do Direito Comercial... 3 2. Teoria dos atos de comércio (sistema francês)... 4 3.

Leia mais

I INTRODUÇÃO CAPÍTULO I A EVOLUÇÃO HISTÓRICA DAS SOCIEDADES

I INTRODUÇÃO CAPÍTULO I A EVOLUÇÃO HISTÓRICA DAS SOCIEDADES FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE LISBOA DIREITO COMERCIAL II (SOCIEDADES COMERCIAIS) ANO LETIVO 2015/2016, TURMA A Regência: Prof. Doutor António Menezes Cordeiro Colaboradores: Profs. Doutores

Leia mais

COMPONENTE CURRICULAR: Fundamentos do Direito Privado CÓDIGO: ADM 160 PRÉ-REQUISITO: ---- PERÍODO LETIVO: PLANO DE CURSO

COMPONENTE CURRICULAR: Fundamentos do Direito Privado CÓDIGO: ADM 160 PRÉ-REQUISITO: ---- PERÍODO LETIVO: PLANO DE CURSO C U R S O D E A D M I N I S T R A Ç Ã O Autorizado pela Portaria nº 1.399 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 COMPONENTE CURRICULAR: Fundamentos do Direito Privado CÓDIGO: ADM 160 PRÉ-REQUISITO: ---- PERÍODO LETIVO:

Leia mais

Direito Empresarial Procurador Legislativo 3ª fase

Direito Empresarial Procurador Legislativo 3ª fase CEM CADERNO DE EXERCÍCIOS MASTER Direito Empresarial Procurador Legislativo 3ª fase 1) CESPE - Proc (BACEN)/BACEN/2009 Com relação à emissão de debêntures nas sociedades anônimas, assinale a opção correta.

Leia mais

1. Dentre as sociedades empresariais abaixo elencadas, aponte aquela que não possui personalidade jurídica:

1. Dentre as sociedades empresariais abaixo elencadas, aponte aquela que não possui personalidade jurídica: 1. Dentre as sociedades empresariais abaixo elencadas, aponte aquela que não possui personalidade jurídica: a) sociedade em nome coletivo b) sociedade em comandita simples c) sociedade de capital e indústria

Leia mais

FACULDADE ESCOLA PAULISTA DE DIREITO. Curso de Direito - Bacharelado

FACULDADE ESCOLA PAULISTA DE DIREITO. Curso de Direito - Bacharelado 1 Faculdade Escola Paulista de Direito Curso de Direito - Bacharelado Professor: Ementa: José Moisés Ribeiro C/H: 40 h/a Disciplina: Direito Empresarial II ANO: 2014 PLANO DE ENSINO Período: 2 Semestre

Leia mais

PLANO DE CURSO. CURSO DE DIREITO Componente Curricular: Direito Empresarial II Código: DIR-467

PLANO DE CURSO. CURSO DE DIREITO Componente Curricular: Direito Empresarial II Código: DIR-467 CURSO DE DIREITO Componente Curricular: Direito Empresarial II Código: DIR-467 CH Total: 60 h Pré-requisito: Direito Empresarial I Período Letivo: 2016.2 Turma: 8º semestre Professor: Luciana de Oliveira

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL DIREITO EMPRESARIAL

DIREITO EMPRESARIAL DIREITO EMPRESARIAL A SOCIEDADE NO CÓDIGO CIVIL DE 2002 Art. 981. Celebram contrato de sociedade as pessoas que reciprocamente se obrigam a contribuir, com bens ou serviços, para o exercício de atividade econômica e a partilha,

Leia mais

Rever os conhecimentos básicos de vetores, matrizes e trigonometria; Entender o conceito de função e sua importância no contexto da engenharia;

Rever os conhecimentos básicos de vetores, matrizes e trigonometria; Entender o conceito de função e sua importância no contexto da engenharia; BASES MATEMÁTICAS PARA ENGENHARIA - CCE1005 BASES MATEMÁTICAS PARA ENGENHARIA (16/07/2015) Contextualização O mundo defronta-se com um novo cenário de dimensões políticas, filosóficas, sociais, econômicas,

Leia mais

PLANO DE ENSINO LUIZ FERNANDO RODRIGUES TAVARES DEPARTAMENTO CÓDIGO CRÉDITOS CIÊNCIAS JURÍDICAS JUR 1021 04 EMENTA

PLANO DE ENSINO LUIZ FERNANDO RODRIGUES TAVARES DEPARTAMENTO CÓDIGO CRÉDITOS CIÊNCIAS JURÍDICAS JUR 1021 04 EMENTA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA PLANO DE ENSINO UNIDADE JUR DISCIPLINA DIREITO EMPRESARIAL I TURMA A08 PROFESSOR

Leia mais

Curso Direito Empresarial Ciências Contábeis

Curso Direito Empresarial Ciências Contábeis AULA 5 Sociedades. Empresárias ou simples. Personificadas e não personificadas. Sociedades empresárias, espécies. 5.1. Desconsideração da personalidade jurídica da empresa Em algumas situações, o patrimônio

Leia mais

Índice Sistemático NOTA EXPLICATIVA

Índice Sistemático NOTA EXPLICATIVA Índice Sistemático NOTA EXPLICATIVA CAPÍTULO I FORMAÇÃO DO DIREITO DE EMPRESA 1. Origens da sociedade 2. A formação da sociedade com finalidades econômicas 3. O início das relações comerciais 4. As primeiras

Leia mais

TECNOLOGIA WEB. Formação: o Bacharel em Sistemas de Informações (SI); o MBA em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC).

TECNOLOGIA WEB. Formação: o Bacharel em Sistemas de Informações (SI); o MBA em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC). DOCENTE PROFESSOR CELSO CANDIDO Formação: o Bacharel em Sistemas de Informações (SI); o MBA em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC). Conhecimentos: o Web Designer; o Arquitetura de Máquina; o Implementação

Leia mais

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO EMPRESARIAL

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO EMPRESARIAL P á g i n a 1 PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO EMPRESARIAL 1. A recuperação extrajudicial é uma modalidade prevista na Lei Nº 11.101/2005, e pode ser adotada pelo empresário em dificuldade e com

Leia mais

SECÇÃO III - Regime da sociedade antes do registo. Invalidade do contrato

SECÇÃO III - Regime da sociedade antes do registo. Invalidade do contrato Legislação Comercial Ficha Técnica Código das Sociedades Comerciais TÍTULO I - Parte geral CAPÍTULO I - Âmbito de aplicação CAPÍTULO II - Personalidade e capacidade CAPÍTULO III - Contrato de sociedade

Leia mais

AULA 16. Tem como obrigação integralizar a quota-parte dele (aquilo que foi subscrito por ele).

AULA 16. Tem como obrigação integralizar a quota-parte dele (aquilo que foi subscrito por ele). Turma e Ano: Regular/2015 Matéria / Aula: Direito Empresarial Professor: Carolina Lima Monitor: André Manso AULA 16 Dos Acionistas Tem como obrigação integralizar a quota-parte dele (aquilo que foi subscrito

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 2º semestre EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 2º semestre EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Gestão e Negócios Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Administração FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( x ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

FORMULÁRIO CONSOLIDADO Negociação de Administradores e Pessoas Ligadas Art. 11 Instrução CVM nº 358/2002

FORMULÁRIO CONSOLIDADO Negociação de Administradores e Pessoas Ligadas Art. 11 Instrução CVM nº 358/2002 Negociação de Administradores e Art. 11 Instrução CVM nº 358/2002 Denominação da Companhia: KLABIN S.A (X) Controladores ( ) Diretoria ( ) Conselho Fiscal ( ) Órgãos Técnicos ou Ações Ordinárias Nominativas

Leia mais

ENEVA S/A /

ENEVA S/A / Conforme disposto no Estatuto Social da Companhia, ela própria, seus acionistas e administradores obrigam-se a resolver por meio de arbitragem toda e qualquer disputa ou controvérsia que possa surgir entre

Leia mais

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e / ou da Coordenação.

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e / ou da Coordenação. Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e / ou da Coordenação. PLANO DE CURSO 2009/02 DISCIPLINA: DIREITO COMERCIAL II PROFESSOR: RICARDO BARROS BRUM TURMA: 9ºDM e 9ºEN UNIDADES

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO 2. EMENTA 3. OBJETIVOS 4. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

1. IDENTIFICAÇÃO 2. EMENTA 3. OBJETIVOS 4. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1. IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DA DISCIPLINA: D-39 PERÍODO: 8º CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: DIREITO CIVIL VI CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 NOME DO CURSO: DIREITO 2. EMENTA Direito das

Leia mais

RESUMO. A responsabilidade da sociedade é sempre ilimitada, mas a responsabilidade de cada sócio é restrita ao valor de suas quotas.

RESUMO. A responsabilidade da sociedade é sempre ilimitada, mas a responsabilidade de cada sócio é restrita ao valor de suas quotas. RESUMO 1)Sociedade Limitada Continuação 1.1) Responsabilidade do sócio dentro da sociedade limitada. A responsabilidade da sociedade é sempre ilimitada, mas a responsabilidade de cada sócio é restrita

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina DIR320 Direito Empresarial I - Parte Geral

Programa Analítico de Disciplina DIR320 Direito Empresarial I - Parte Geral Catálogo de Graduação 06 da UFV 0 Programa Analítico de Disciplina Departamento de Direito - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes Número de créditos: 4 Teóricas Práticas Total Duração em semanas:

Leia mais

ESTATUTOS CAPÍTULO I. Denominação, sede, objecto e duração da sociedade ARTIGO 1º

ESTATUTOS CAPÍTULO I. Denominação, sede, objecto e duração da sociedade ARTIGO 1º ESTATUTOS CAPÍTULO I Denominação, sede, objecto e duração da sociedade ARTIGO 1º A sociedade anónima que, por força do Decreto-Lei nº 93/93, de 24 de Março, continua a personalidade jurídica da empresa

Leia mais

DIREITO DAS OBRIGAÇÕES

DIREITO DAS OBRIGAÇÕES DIREITO DAS OBRIGAÇÕES PROF. VICTOR EDUARDO S. LUCENA E-MAIL: VICTORLUCENA84@GMAIL.COM 2016.2 APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA 1. Objetivo; 2. Ementa; 3. Programa da Disciplina; 4. Bibliografia; 5. Avaliação;

Leia mais

AREZZO INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. (Companhia Aberta) CNPJ/MF nº / NIRE AVISO AOS ACIONISTAS

AREZZO INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. (Companhia Aberta) CNPJ/MF nº / NIRE AVISO AOS ACIONISTAS AREZZO INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. (Companhia Aberta) CNPJ/MF nº 16.590.234/0001-76 NIRE 31.300.025.91-8 AVISO AOS ACIONISTAS AREZZO INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. ( Companhia ), COMUNICA aos seus acionistas

Leia mais

ENEVA S/A / OUTRAS INFORMAÇÕES QUE A COMPANHIA ENTENDA RELEVANTES

ENEVA S/A / OUTRAS INFORMAÇÕES QUE A COMPANHIA ENTENDA RELEVANTES Conforme disposto no Estatuto Social da Companhia, ela própria, seus acionistas e administradores obrigam-se a resolver por meio de arbitragem toda e qualquer disputa ou controvérsia que possa surgir entre

Leia mais

Capítulo 5. Quem serão os meus aliados?

Capítulo 5. Quem serão os meus aliados? PESSOA FÍSICA OU PESSOA JURÍDICA Pessoa física É o indivíduo ou pessoa individual com seus direitos e obrigações perante o Estado. Pessoa jurídica Éaassociaçãodeduasoumaispessoasemumaentidade,comseus direitos

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso nº 246 aprovado pela portaria Cetec nº 181 de 26/09/2013 Etec Paulino Botelho Código:091 Município: São Carlos/SP Eixo Tecnológico: Gestão e

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular (FUC) de Direito das Sociedades

Ficha de Unidade Curricular (FUC) de Direito das Sociedades INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA INSTITUTO SUPERIOR DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÂO DE COIMBRA Aprovação do Conselho Pedagógico / / Aprovação do Conselho Técnico-Científico / / Ficha de Unidade Curricular

Leia mais

Curso Direito Empresarial Administração

Curso Direito Empresarial Administração AULA 4 Sociedades. Empresárias ou simples. Personificadas e não personificadas. Sociedades empresárias, espécies. 4.1. As sociedades empresárias A pessoa jurídica Sociedade empresária é um agrupamento

Leia mais

As sociedades empresárias no Código Civil. José Rodrigo Dorneles Vieira

As sociedades empresárias no Código Civil. José Rodrigo Dorneles Vieira As sociedades empresárias no Código Civil José Rodrigo Dorneles Vieira jrodrigo@portoweb.com.br 1. A LEGISLAÇÃO EMPRESARIAL: ANÁLISE GERAL 2. CARACTERIZAÇÃO DO EMPRESÁRIO Conceito de empresário A questão

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEAcc-SP 2/2005

RESOLUÇÃO CONSEAcc-SP 2/2005 RESOLUÇÃO CONSEAcc-SP 2/2005 ALTERA AS EMENTAS E CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DAS DISCIPLINAS CH1301 - COMERCIAL I, CH1306 - COMERCIAL II E CH1308 - COMERCIAL III, DO CURSO DE, DO CÂMPUS DE SÃO PAULO, DA UNIVERSIDADE

Leia mais

BRASIL INSURANCE PARTICIPAÇÕES E ADMINISTRAÇÃO S.A. CNPJ/MF: / NIRE: Companhia Aberta

BRASIL INSURANCE PARTICIPAÇÕES E ADMINISTRAÇÃO S.A. CNPJ/MF: / NIRE: Companhia Aberta BRASIL INSURANCE PARTICIPAÇÕES E ADMINISTRAÇÃO S.A. CNPJ/MF: 11.721.921/0001-60 NIRE: 35.300.442.377 Companhia Aberta ATA SUMÁRIA DE ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA REALIZADA EM 16 DE DEZEMBRO DE 2013

Leia mais

1. Justificação da Incorporação da Tivit Investimentos pela Softway

1. Justificação da Incorporação da Tivit Investimentos pela Softway Instrumento de Justificação e Protocolo de Incorporação da Tivit Investimentos S.A. pela Softway Contact Center Serviços de Teleatendimento a Clientes S.A., celebrado em [---] de junho de 2008 Pelo presente

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE FINANÇAS

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE FINANÇAS REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE FINANÇAS I DEFINIÇÃO Este Regimento Interno, organizado em conformidade com o Estatuto Social da Ser Educacional S.A. ( Companhia ), estabelece procedimentos a serem observados

Leia mais

PROGRAMA CARGA HORÁRIA: 60 HORAS PERÍODO: 6º PROFESSOR: ALEXANDRE WERNERSBACH NEVES SEMESTRE: 2015/1

PROGRAMA CARGA HORÁRIA: 60 HORAS PERÍODO: 6º PROFESSOR: ALEXANDRE WERNERSBACH NEVES SEMESTRE: 2015/1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas Departamento de Administração Curso de Administração Av. Fernando Ferrari, 514 - Campus Universitário - Goiabeiras CEP.

Leia mais

TELINI Advogados Associados

TELINI Advogados Associados ATA DE REUNIÃO OU DE ASSEMBLEIA DE SÓCIOS Fundamento Legal Todas as empresas, exceto as sociedades anônimas e cooperativas que têm legislação própria, devem, através de reunião ou assembleia de sócios,

Leia mais

FORMULÁRIO CONSOLIDADO Negociação de Administradores e Pessoas Ligadas Art. 11 Instrução CVM nº 358/2002

FORMULÁRIO CONSOLIDADO Negociação de Administradores e Pessoas Ligadas Art. 11 Instrução CVM nº 358/2002 FORMULÁRIO CONSOLIDADO Negociação de Administradores e Art. 11 Instrução CVM nº 358/2002 Em fevereiro de 2016, ocorreram operações com valores mobiliários e derivativos, de acordo com o artigo 11 da Instrução

Leia mais

AULA 04 QUAL O MELHOR TIPO SOCIETÁRIO PARA SEGURANÇA DOS SÓCIOS? SOCIEDADES PERSONIFICADAS EMPRESÁRIAS SOCIEDADES PERSONIFICADAS OBJETO

AULA 04 QUAL O MELHOR TIPO SOCIETÁRIO PARA SEGURANÇA DOS SÓCIOS? SOCIEDADES PERSONIFICADAS EMPRESÁRIAS SOCIEDADES PERSONIFICADAS OBJETO SOCIEDADES PERSONIFICADAS AULA 04 4.1 TIPOS SOCIETÁRIOS REGISTRO CIVIL DE PESSOAS JURÍDICAS OBJETO REGISTRO PÚBLICO EMPRESAS MERCANTIS SOCIEDADES PERSONIFICADAS EMPRESÁRIAS QUAL O MELHOR TIPO SOCIETÁRIO

Leia mais

ANEXO I Circular SUSEP nº 07/94

ANEXO I Circular SUSEP nº 07/94 ANEXO I Circular SUSEP nº 07/94 1. Sociedades Seguradoras Nacionais, Sociedades de Capitalização e Sociedades de Previdência Privada Aberta com fins lucrativos. 1.1- ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA - AGE

Leia mais

JUSTIFICAÇÃO DA INCORPORAÇÃO DA MOINHO SANTA LÚCIA S/A PELA M. DIAS BRANCO S/A INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE ALIMENTOS

JUSTIFICAÇÃO DA INCORPORAÇÃO DA MOINHO SANTA LÚCIA S/A PELA M. DIAS BRANCO S/A INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE ALIMENTOS JUSTIFICAÇÃO DA INCORPORAÇÃO DA MOINHO SANTA LÚCIA S/A PELA M. DIAS BRANCO S/A INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE ALIMENTOS M. DIAS BRANCO S/A INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE ALIMENTOS, sociedade anônima constituída e existente

Leia mais

Direito Empresarial

Direito Empresarial www.uniestudos.com.br Direito Empresarial Helder Goes Professor de Direito Empresarial do Universo de Estudos Advogado e Consultor Jurídico Graduado em Direito pela Universidade Tiradentes Especialista

Leia mais

PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DA S.A. FÁBRICA DE PRODUTOS ALIMENTÍCIOS VIGOR PELA VIGOR ALIMENTOS S.A.

PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DA S.A. FÁBRICA DE PRODUTOS ALIMENTÍCIOS VIGOR PELA VIGOR ALIMENTOS S.A. PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DA S.A. FÁBRICA DE PRODUTOS ALIMENTÍCIOS VIGOR PELA VIGOR ALIMENTOS S.A. Pelo presente instrumento particular, os administradores das partes abaixo qualificadas:

Leia mais

MMX MINERAÇÃO E METÁLICOS S.A. CNPJ/MF n / NIRE Companhia Aberta

MMX MINERAÇÃO E METÁLICOS S.A. CNPJ/MF n / NIRE Companhia Aberta MMX MINERAÇÃO E METÁLICOS S.A. CNPJ/MF n 02.762.115/0001-49 NIRE 3.33.002.6111-7 Companhia Aberta ANEXO 14 DA INSTRUÇÃO CVM 481/2009 AUMENTO DE CAPITAL Em conformidade com o artigo 14 da Instrução CVM

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA. OBJETIVOS GERAIS: Caracterizar o Direito Civil em seus elementos básicos, modalidades, atos, inter-relações e implicações.

PROGRAMA DE DISCIPLINA. OBJETIVOS GERAIS: Caracterizar o Direito Civil em seus elementos básicos, modalidades, atos, inter-relações e implicações. PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: DIREITO CIVIL I Código da Disciplina: JUR 326 Curso: DIREITO Semestre de Oferta da Disciplina: 2º Faculdade Responsável: DIREITO Programa em vigência a partir de: 2015

Leia mais

ÍNDICE. Nota Prévia à 4: edição 1 Nótu1a à 2: edição 3 Abreviaturas 5

ÍNDICE. Nota Prévia à 4: edição 1 Nótu1a à 2: edição 3 Abreviaturas 5 ÍNDICE Nota Prévia à 4: edição 1 Nótu1a à 2: edição 3 Abreviaturas 5 TIPOS DE SOCIEDADES COMERCIAIS 1. Princípio da tipicidade 7 1.1. Sentido 7 1.2. Justificação 9 2. Caracterização geral dos tipos legais

Leia mais

TEORIA GERAL DO DIREITO SOCIETÁRIO

TEORIA GERAL DO DIREITO SOCIETÁRIO TEORIA GERAL DO DIREITO SOCIETÁRIO Armindo de Castro Júnior E-mail: armindocastro@uol.com.br Homepage: www.armindo.com.br Facebook: Armindo Castro Celular/WhatsApp: (82) 99143-7312 1. SOCIEDADE EMPRESÁRIA

Leia mais

INSTRUÇÃO CVM Nº 547, DE 5 DE FEVEREIRO DE 2014

INSTRUÇÃO CVM Nº 547, DE 5 DE FEVEREIRO DE 2014 Altera dispositivos da Instrução CVM nº 358, de 3 de janeiro de 2002, e da Instrução CVM nº 480, de 7 de dezembro de 2009. O PRESIDENTE DA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS - CVM torna público que o Colegiado,

Leia mais

A PETROBRAS E A GOVERNANÇA CORPORATIVA. Desenvolvimento de Sistemas de Gestão. Comunicação Institucional

A PETROBRAS E A GOVERNANÇA CORPORATIVA. Desenvolvimento de Sistemas de Gestão. Comunicação Institucional A PETROBRAS E A GOVERNANÇA CORPORATIVA Desenvolvimento de Sistemas de Gestão Comunicação Institucional A Petrobras já integra o grupo das grandes companhias que adotam as melhores práticas de governança

Leia mais

1. A sociedade tem por objecto:.

1. A sociedade tem por objecto:. CONTRATO DE SOCIEDADE ANÓNIMA Artigo 1.º Tipo e firma 1. A sociedade é [civil] OU [comercial], adopta o tipo de sociedade anónima e a firma. 2. A sociedade tem o número de pessoa colectiva e o número de

Leia mais

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e / ou da Coordenação.

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e / ou da Coordenação. Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e / ou da Coordenação. PLANO DE CURSO 2009/02 DISCIPLINA: DIREITO CIVIL V PROFESSOR: CLARA DE SOUZA MARTINS BOECHAT TURMA: 7ºDM e 7ºEN

Leia mais

Conceito de Empresário

Conceito de Empresário Conceito de Empresário Requisitos (Art. 966,caput,CC): a) Profissionalismo; b) Atividade Econômica; c) Organização; d) Produção/Circulação de bens/serviços; Não Empresário Requisitos (Art. 966, único,

Leia mais

1) Não personificada * Doutrina DE FATO (contrato verbal) IRREGULAR (contrato escrito sem registro)

1) Não personificada * Doutrina DE FATO (contrato verbal) IRREGULAR (contrato escrito sem registro) 1 DIREITO EMPRESARIAL PONTO 1: SOC. EM COMUM; CONTA DE PARTICIPAÇÃO; EM COMANDITA SIMPLES E POR AÇÕES; PONTO 2: SOCIEDADE LIMITADA PONTO 3: SOCIEDADE ANÔNIMA SOCIEDADE EM COMUM: 1) Não personificada *

Leia mais

PROTOCOLO DE INCORPORAÇÃO E INSTRUMENTO DE JUSTIFICAÇÃO LABS CARDIOLAB EXAMES COMPLEMENTARES S.A FLEURY S.A. POR DATADO DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011

PROTOCOLO DE INCORPORAÇÃO E INSTRUMENTO DE JUSTIFICAÇÃO LABS CARDIOLAB EXAMES COMPLEMENTARES S.A FLEURY S.A. POR DATADO DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011 PROTOCOLO DE INCORPORAÇÃO E INSTRUMENTO DE JUSTIFICAÇÃO DE LABS CARDIOLAB EXAMES COMPLEMENTARES S.A POR FLEURY S.A. DATADO DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011 1 PROTOCOLO DE INCORPORAÇÃO E INSTRUMENTO DE JUSTIFICAÇÃO

Leia mais

POLÍTICA DE VOTO CA INDOSUEZ WEALTH (BRAZIL) S.A DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS

POLÍTICA DE VOTO CA INDOSUEZ WEALTH (BRAZIL) S.A DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS POLÍTICA DE VOTO CA INDOSUEZ WEALTH (BRAZIL) S.A DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS A CA INDOSUEZ WEALTH (BRAZIL) S.A DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS ( Gestora ), gestora de

Leia mais

CASOS DE DESCONSIDERAÇÃO DA PESSOA JURÍDICA PREVISTOS NO DIREITO BRASILEIRO

CASOS DE DESCONSIDERAÇÃO DA PESSOA JURÍDICA PREVISTOS NO DIREITO BRASILEIRO 1 CASOS DE DESCONSIDERAÇÃO DA PESSOA JURÍDICA PREVISTOS NO DIREITO BRASILEIRO Gustavo Rocha Leite 1 Resumo: A Desconsideração da Personalidade Jurídica foi inserida no artigo 50 do Novo Código Civil, suscitando

Leia mais

A RELATIVIZAÇÃO DA RESPONSABILIDADE DOS SÓCIOS DA SOCIEDADE LIMITADA E SUAS IMPLICAÇÕES NO DIREITO PRIVADO BRASILEIRO RESUMO

A RELATIVIZAÇÃO DA RESPONSABILIDADE DOS SÓCIOS DA SOCIEDADE LIMITADA E SUAS IMPLICAÇÕES NO DIREITO PRIVADO BRASILEIRO RESUMO A RELATIVIZAÇÃO DA RESPONSABILIDADE DOS SÓCIOS DA SOCIEDADE LIMITADA E SUAS IMPLICAÇÕES NO DIREITO PRIVADO BRASILEIRO 35 Alexandre Nogueira Falcão Mestre em Direito Empresarial. Professor do curso de Direito

Leia mais

Pessoas Jurídicas. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Pessoas Jurídicas. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Pessoas Jurídicas Pessoas Jurídicas Pessoas jurídicas são entidades criadas para a realização de um fim e reconhecidas pela ordem jurídica como sujeitos de direitos e deveres. Pessoas Jurídicas Características:

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Disciplina: DIREITO EMPRESARIAL B Código: DV 450

PLANO DE ENSINO. Disciplina: DIREITO EMPRESARIAL B Código: DV 450 PLANO DE ENSINO Disciplina: DIREITO EMPRESARIAL B Código: DV 450 Pré-requisito: Direito Civil A, B. Carga horária: 90 (noventa) horas aula Créditos: 6 (seis) Natureza: anual Docente: EMENTA Sociedades

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Etec Ensino Técnico ETEC: PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ-SP Eixo Tecnológico: GESTÃO E NEGÓCIOS Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio em

Leia mais

COMERCIAL REVISTADOS. Avançado de MARCELO M. BERTOLDI MARCIA CARLA PEREIRA RIBEIRO. Curso TRIBUNAIS~ 9. G edição revista. atualizada e ampliada

COMERCIAL REVISTADOS. Avançado de MARCELO M. BERTOLDI MARCIA CARLA PEREIRA RIBEIRO. Curso TRIBUNAIS~ 9. G edição revista. atualizada e ampliada MARCELO M. BERTOLDI MARCIA CARLA PEREIRA RIBEIRO Curso Avançado de COMERCIAL Teoria Geral do Direito Comercial Direito Societário Empresa Individuai de Responsabilidade Limitada Títulos de Crédito Falência

Leia mais

A responsabilidade pessoal dos sócios nas sociedades empresárias. Michele Schwan Advogada OAB/RS

A responsabilidade pessoal dos sócios nas sociedades empresárias. Michele Schwan Advogada OAB/RS A responsabilidade pessoal dos sócios nas sociedades empresárias Michele Schwan Advogada OAB/RS 86.749 As três modalidades de constituição de empresa mais utilizadas no Rio Grande do Sul, conforme a Junta

Leia mais

Caderno de Debêntures

Caderno de Debêntures Caderno de Debêntures DIBN15 Dibens Leasing Valor Nominal na Emissão: R$ 100,00 Quantidade Emitida: 50.000.000 Emissão: 01/10/2007 Vencimento: 01/10/2022 Classe: Não Conversível Forma: Escritural Espécie:

Leia mais

Questões relevantes no processo de M&A envolvendo companhias abertas

Questões relevantes no processo de M&A envolvendo companhias abertas Questões relevantes no processo de M&A envolvendo companhias abertas 12.11.2015 Timeline Usual para Operações de M&A envolvendo Companhias Abertas Início das Tratativas 2 Divulgação da Operação Celebração

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DIREITO PROCESSUAL CIVIL

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DIREITO PROCESSUAL CIVIL PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DIREITO PROCESSUAL CIVIL 1. APRESENTAÇÃO A Pós-Graduação em Direito Processual Civil da FAACZ visa à conjugação das referidas áreas em meio à atualização da legislação em vigor,

Leia mais

MAUÁ CAPITAL INVESTIMENTOS IMOBILIÁRIOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS ( POLÍTICA DE VOTO )

MAUÁ CAPITAL INVESTIMENTOS IMOBILIÁRIOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS ( POLÍTICA DE VOTO ) MAUÁ CAPITAL INVESTIMENTOS IMOBILIÁRIOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS ( POLÍTICA DE VOTO ) MAIO 2016 OBJETO O presente documento tem por objetivo estabelecer os princípios,

Leia mais

BRF S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ / NIRE CVM

BRF S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ / NIRE CVM 1. DATA, HORÁRIO E LOCAL: Realizada virtualmente no dia 29 do mês de junho de 2015, às 18h00min, conforme faculta o Parágrafo Segundo do Artigo 17 do Estatuto Social. 2. COMPOSIÇÃO DA MESA: Presidente:

Leia mais

CONSTRUTORA TENDA S.A.

CONSTRUTORA TENDA S.A. CONSTRUTORA TENDA S.A. CNPJ/MF n 71.476.527/0001-35 NIRE 31300013863 Ata da Assembléia Geral Extraordinária realizada em 31 de julho de 2007, lavrada em forma de sumário: DATA, HORÁRIO E LOCAL: No dia

Leia mais

FUNDAMENTOS DE ECONOMIA - GST0261 FUNDAMENTOS DE ECONOMIA (11/11/2015) Perfil Docente. Contextualização

FUNDAMENTOS DE ECONOMIA - GST0261 FUNDAMENTOS DE ECONOMIA (11/11/2015) Perfil Docente. Contextualização FUNDAMENTOS DE ECONOMIA - GST0261 FUNDAMENTOS DE ECONOMIA (11/11/2015) Perfil Docente O docente, necessariamente, deve possuir graduação em Economia e, ainda, Pós- Graduação Stricto Sensu (Mestrado e/ou

Leia mais

Exercícios - ESAF Direito Empresarial Exercício Giovani Magalhães Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

Exercícios - ESAF Direito Empresarial Exercício Giovani Magalhães Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Exercícios - ESAF Direito Empresarial Exercício Giovani Magalhães 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. AEP FISCAL: DIREITO EMPRESARIAL Questões Esaf Prof. Giovani

Leia mais

Santo André > Av. Industrial, Bairro Jardim (11) Santos > Av. Conselheiro Nébias, 159 (13)

Santo André > Av. Industrial, Bairro Jardim (11) Santos > Av. Conselheiro Nébias, 159 (13) DIREITO E MERCADO FINANCEIRO: OPERAÇÕES BANCÁRIAS E MERCADO DE CAPITAIS OBJETIVOS: O curso busca fornecer embasamento ao profissional jurídico que pretenda atuar na área do Mercado Financeiro (operações

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE ATOS INTEGRANTES DA TABELA DE PREÇOS DOS SERVIÇOS PERTINENTES AO REGISTRO PÚBLICO DE EMPRESAS MERCANTIS E ATIVIDADES AFINS.

ESPECIFICAÇÃO DE ATOS INTEGRANTES DA TABELA DE PREÇOS DOS SERVIÇOS PERTINENTES AO REGISTRO PÚBLICO DE EMPRESAS MERCANTIS E ATIVIDADES AFINS. S ESPECIFICAÇÃO DE INTEGRANTES DA TABELA DE S DOS SERVIÇOS PERTINENTES AO REGISTRO PÚBLICO DE EMPRESAS MERCANTIS E ATIVIDADES AFINS. Resolução Plenária n.º 006/2016, que reajustou a tabela de preços da

Leia mais

Anexo I REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE GESTÃO DE PESSOAS E GOVERNANÇA CORPORATIVA

Anexo I REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE GESTÃO DE PESSOAS E GOVERNANÇA CORPORATIVA Anexo I REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE GESTÃO DE PESSOAS E GOVERNANÇA CORPORATIVA Artigo 1 : O Comitê de Gestão de Pessoas e Governança Corporativa ( Comitê ) é um órgão de apoio ao Conselho de Administração

Leia mais

KRONOS ASSET MANAGEMENT GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS

KRONOS ASSET MANAGEMENT GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS KRONOS ASSET MANAGEMENT GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS Abril/2016 INTRODUÇÃO A Kronos Asset Management Ltda. ( Gestora ou Kronos Asset ), na qualidade

Leia mais

IR: Lei /2014 e a Tributação do Ágio, dos Juros sobre Capital Próprio e da Incorporação de Ações

IR: Lei /2014 e a Tributação do Ágio, dos Juros sobre Capital Próprio e da Incorporação de Ações IR: Lei 12.973/2014 e a Tributação do Ágio, dos Juros sobre Capital Próprio e da Incorporação de Ações Ricardo Antonio Carvalho Barbosa AFRFB/DRJ/FOR Ágio - Instrução CVM nº 01 de 1978 a) Ágio ou deságio

Leia mais

EUCATEX S.A. INDÚSTRIA E COMÉRCIO COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF / NIRE Nº

EUCATEX S.A. INDÚSTRIA E COMÉRCIO COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF / NIRE Nº EUCATEX S.A. INDÚSTRIA E COMÉRCIO COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF. 56.643.018/0001-66 NIRE Nº 35300028015 ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA NO DIA 31 DE MAIO DE 2012 DATA, HORA E LOCAL Dia

Leia mais

PENHORA ONLINE SOBRE O FATURAMENTO DE EMPRESAS RESUMO

PENHORA ONLINE SOBRE O FATURAMENTO DE EMPRESAS RESUMO PENHORA ONLINE SOBRE O FATURAMENTO DE EMPRESAS RESUMO Pretende-se com este artigo fazer uma analise simplificada, do que se trata a penhora online e o seu relacionamento com as empresas. O risco existente

Leia mais

PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DE AÇÕES DE EMISSÃO DA LIGHT SERVIÇOS DE ELETRICIDADE S.A. PELA LIGHT S.A.

PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DE AÇÕES DE EMISSÃO DA LIGHT SERVIÇOS DE ELETRICIDADE S.A. PELA LIGHT S.A. PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DE AÇÕES DE EMISSÃO DA LIGHT SERVIÇOS DE ELETRICIDADE S.A. PELA LIGHT S.A. Pelo presente instrumento particular, os administradores das seguintes sociedades: a.

Leia mais

Direito Empresarial

Direito Empresarial www.uniestudos.com.br Direito Empresarial Helder Goes Professor de Direito Empresarial do Universo de Estudos Advogado e Consultor Jurídico Graduado em Direito pela Universidade Tiradentes Especialista

Leia mais

PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DA PROVENCE PARTICIPAÇÕES S.A. PELA COMPANHIA DE GÁS DE SÃO PAULO COMGÁS

PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DA PROVENCE PARTICIPAÇÕES S.A. PELA COMPANHIA DE GÁS DE SÃO PAULO COMGÁS PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DA PROVENCE PARTICIPAÇÕES S.A. PELA COMPANHIA DE GÁS DE SÃO PAULO COMGÁS Pelo presente instrumento particular, I. PROVENCE PARTICIPAÇÕES S.A., sociedade por ações,

Leia mais

SUPLEMENTO AO REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITÓRIOS BANCO GMAC - FINANCIAMENTO A CONCESSIONÁRIAS

SUPLEMENTO AO REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITÓRIOS BANCO GMAC - FINANCIAMENTO A CONCESSIONÁRIAS SUPLEMENTO AO REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITÓRIOS BANCO GMAC - FINANCIAMENTO A CONCESSIONÁRIAS Os termos e expressões estabelecidos abaixo terão os mesmos significados a eles atribuídos

Leia mais

PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DO BANCO POPULAR DO BRASIL S.A. PELO BANCO DO BRASIL S.A.

PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DO BANCO POPULAR DO BRASIL S.A. PELO BANCO DO BRASIL S.A. PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DO BANCO POPULAR DO BRASIL Pelo presente instrumento particular, as partes abaixo qualificadas: BANCO DO BRASIL S.A., pessoa jurídica de direito privado, sociedade

Leia mais

Materiais de Avaliação

Materiais de Avaliação Materiais de Avaliação Índice Hipóteses Legais Código Civil Lei de S/A Outras Hipóteses Critérios de Avaliação Competência para a Escolha Deveres e Responsabilidades Principais Discussões Hipóteses Previstas

Leia mais

ESTUDO DE CASO. Os Novos Ajustes da Lei

ESTUDO DE CASO. Os Novos Ajustes da Lei ESTUDO DE CASO Os Novos Ajustes da Lei 11.638 Os Novos Ajustes da Lei 11.638 As demonstrações financeiras foram elaboradas com base nas práticas contábeis adotadas no Brasil e normas da Comissão de Valores

Leia mais

ANEXO II. Da Instrução CVM Nº 404, de 13 de fevereiro de Rendimento pelo IGP-M + Juros

ANEXO II. Da Instrução CVM Nº 404, de 13 de fevereiro de Rendimento pelo IGP-M + Juros ANEXO II Da Instrução CVM Nº 404, de 13 de fevereiro de 2004 Rendimento pelo IGP-M + Juros TERMO DE ADITAMENTO À ESCRITURA DA [N.º de ordem da emissão] EMISSÃO DE DEBÊNTURES SIMPLES DA [Nome da Companhia

Leia mais