Unidade: Desenvolvimento de cursos, produção de material didático para o ensino virtual. Unidade I:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Unidade: Desenvolvimento de cursos, produção de material didático para o ensino virtual. Unidade I:"

Transcrição

1 Unidade: Desenvolvimento de cursos, produção de material didático para o ensino virtual Unidade I: 0

2 Unidade: Desenvolvimento de cursos, produção de material didático para o ensino virtual A distância entre o sucesso e fracasso de um curso a distância para o ensino virtual 1 é uma linha muito tênue e frágil. Assim como no ensino presencial, o fato de planejarmos um curso seguindo todos os cuidados metodológicos e didáticos, buscarmos os recursos mais variados e utilizarmos instrumentos de avaliação pertinentes, não temos a garantia de que os objetivos propostos serão alcançados. Um bom curso a distância possibilita em que aconteça uma química, algo de diferente entre os participantes. O bom curso nessa modalidade de ensino gera situações que permitem contribuições significativas e põe em contato as pessoas, as experiências e as idéias interessantes. Um bom curso a distância depende de termos professores e tutores preparados intelectual e emocionalmente, abertos para o novo, para o desafio, que saibam motivar e dialogar, que consigam atrair os participantes não só pelas suas idéias, mas pelo contato pessoal. É preciso que eles conheçam e considerem as principais características a Educação a Distância 2 ao longo do planejamento e execução do curso. Um bom curso a distância depende também dos alunos. Alunos curiosos, motivados, disciplinados em seus estudos facilitam enormemente o processo e contribuem significativamente para o desenvolvimento do curso e para o alcance dos objetivos, pois tornam-se parceiros do professor e dos tutores. 1 A palavra virtual pode ser entendida, segundo Piere Lévy, em diferentes sentidos: na acepção filosófica é virtual aquilo que existe apenas em potência e não em ato; no uso corrente, a palavra virtual é empregada, muitas vezes, para significar a irrealidade, enquanto a "realidade" pressupõe uma efetivação material, uma presença tangível. A rigor, em termos filosóficos, o virtual não se opõe ao real, mas ao atual. É virtual, então, para o autor toda entidade "desterritorializada" capaz de gerar diversas manifestações concretas em diferentes momentos e locais determinados, sem contudo estar ela mesma presa a algum lugar ou tempo em particular. No centro das redes digitais, a informação certamente se encontra fisicamente situada em algum lugar, em determinado suporte, mas ela também está virtualmente presente em cada ponto da rede onde seja pedida (Lévy, 1999, pág. 2 Slide 3 do ppt anexo 1

3 Além disso, para o sucesso de um bom curso, é importante a presença de um corpo técnico que garanta habilmente as ferramentas tecnológicas necessárias para o acesso e desenvolvimento de um curso virtual. Nesse contexto, o papel do material didático 3 é o de contribuir para a constituição de ambientes virtuais ricos e com recursos e possibilidades diversificadas e que favoreçam o aprendizado dos alunos e o desenvolvimento das atividades planejadas pelos professores. Embora o ato de planejar já seja uma ação conhecida e do cotidiano dos professores no ensino presencial, quando se trata de ambientes virtuais e elaboração de um curso a distância o processo exige uma mudança nas práticas 4 em função de vivermos no tempo do ciberespaço. 5 Para um bom planejamento, é preciso considerar inicialmente o perfil do aluno, nesse caso especificamente, o perfil do aluno que participa de cursos em ambientes virtuais. Os objetivos do curso devem ser bem claros para o professor, uma vez que tais objetivos nortearão a definição do conteúdo e das ferramentas e recursos que serão utilizados para desenvolvimento do curso. Sugerimos que algumas estratégias sejam seguidas no processo de planejamento de um curso a distância: Estratégias de organização 6 Estratégias hipertextuais 7 Estratégias cooperativas 8 Estratégias de avaliação 9 Estratégias de organização são aquelas que garantem uma lógica na seqüência didática do curso, uma unicidade e a coerência entre as atividades por meio de ações de entrada, desenvolvimento e saída. Pensar tais estratégias implica em desenhar o curso, considerando que todo planejamento precisa ser flexível. É preciso prever momentos ao longo do processo que necessitem de ajustes e redirecionamentos em função do nível dos alunos com relação aos conhecimentos anteriormente adquiridos sobre a 3 Slide 11 4 Slide 7 e 8 5 Slide 6 6 Slide 17 7 Slide 18 8 Slide 19 9 Slide 20 2

4 temática em estudo, com relação à participação e intervenção dos alunos e possíveis dificuldades de ordem tecnológica, de modo a não perder-se o foco nos objetivos do curso. Estratégias hipertextuais são aquelas usadas para a apresentação e desenvolvimento dos conteúdos a serem trabalhados ao longo do curso. Os materiais podem ser na forma de hipertextos ou de diferentes mídias como teleconferências, vídeos e cd, entre outros. O hipertexto é o principal recurso utilizado nos cursos em ambientes virtuais e ele possibilita a articulação com outros materiais ou etapas dos do processo de aprendizagem do aluno. As estratégias cooperativas referem-se às atividades propostas que favorecem a interação nas seguintes dimensões: entre os participantes, os professores e os tutores por meio das ferramentas de comunicação; entre os usuários e as ferramentas através de um ambiente virtual criativo e eficiente ou entre os alunos, os professores e o acesso aos materiais do curso, de modo a incentivar a participação e produção em fóruns, blogs, portfólios e outras ferramentas interativas. Por fim, as estratégias avaliativas são as que possibilitam, ao longo do processo, a retomada dos objetivos, identificação dos avanços e limites a serem transpostos. Nesse sentido, o professor pode de forma criativa e sempre coerente com os objetivos elaborar e aplicar diferentes instrumentos de avaliação para verificar a aprendizagem os alunos. Também é possível e importante prever diferentes instrumentos de avaliação para os alunos darem retorno acerca do curso, dos materiais, das experiências vividas. O material didático precisa ser avaliado ao longo do curso. O material didático deve ser pensado de forma estratégica, pois tem papel primordial no contexto da relação educativa. Suas funções são inúmeras e entre elas destacamos o apoio ao esforço de mediação e de atribuição de significados por parte do professor, o auxílio na organização das intervenções pedagógicas ou o estabelecimento de um fio condutor para a construção de conhecimentos por parte dos alunos. 3

5 Como funções do material didático, podemos destacar: 1. proporcionar a transferência de conhecimentos; 2. facilitar a comunicação formador-aluno; 3. subsidiar a organização dos processos de ensino e aprendizagem; 4. explicitar projeto comunicacional do formador; 5. criar espaço para a interatividade cognitiva. Para que o material didático cumpra as funções apresentadas é preciso levar em consideração as seguintes recomendações: delimitar a situação problema que solicita, demanda uma ação educativa; identificar e caracterizar o público-alvo; formular concepção de EaD e definir o suporte a ser utilizado; definir os objetivos do curso e, conseqüentemente do material didático; elaborar auxílios internos e externos ao material didático; formular atividades finais de avaliação e revisão de conteúdo; adaptar linguagem e estilo e comunicação ao público alvo (Lembrem-se das disciplinas desenvolvidas pela Profa. Ana Lúcia!); desenvolver material com equipe multidisciplinar. Qualquer que seja sua função na equipe multidisciplinas, a elaboração ou a seleção do material didático corresponde a um procedimento complexo de tomada de decisão com relação aos auxílios internos e externos aos quais os professores precisam recorrer para a organização do trabalho pedagógico. Sendo estrategicamente pensado, o material didático e sua relação didática com o professor, devem "funcionar" em consonância, articulados, com de objetivos de aprendizagem. A produção de material didático adequado e interativo constitui-se em um grande desafio para o professor formador. Existe uma diversidade de textos impressos e hipertextos já produzidos e disponíveis nas bibliotecas e Internet, todavia, a articulação entre os conhecimentos produzidos e o aluno necessita ser mediada pelo professor através de um texto produzido por ele e da seqüência didática proposta. 4

6 Articular as diferentes mídias, próprias de ambiente virtual com as práticas de leitura, os diferentes estilos de aprendizagem e os objetivos do curso é uma habilidade a ser apreendida e desenvolvida por meio do exercício de reflexão-ação reflexão. Para que de fato seja possível fazer uso das várias ferramentas disponíveis na Web, dois aspectos precisam ser enfatizados: a necessidade de buscar fundamentos teóricos, metodológicos e tecnológicos para o desenvolvimento dos cursos e, principalmente, a vivência de experiências significativas no ambiente virtual. 5

7 Referências ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini de. Educação a distância na internet: abordagens e contribuições dos ambientes digitais de aprendizagem. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 29, n. 2, AUTHIER, Michel. Le bel avenir du parent pauvre. In Apprendre à distance. Le Monde de L Éducation, de la Culture et de la Formation Hors-série France, Septembre, LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Editora 34,

8 7 Responsável pelo Conteúdo: Profª. Dra. Rita Maria Lino Tarcia Campus Liberdade Rua Galvão Bueno, São Paulo SP Brasil Tel: (55 11)

Formando profissionais de saúde com as novas tecnologias: a experiência da ENSP/Fiocruz na educação à distância

Formando profissionais de saúde com as novas tecnologias: a experiência da ENSP/Fiocruz na educação à distância Seminário de Educação a Distância na Administração Pública: Cursos Mistos e Redes Virtuais Formando profissionais de saúde com as novas tecnologias: a experiência da ENSP/Fiocruz na educação à distância

Leia mais

ROBÓTICA PEDAGÓGICA LIVRE E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: UMA EXPERIÊNCIA FORMATIVA

ROBÓTICA PEDAGÓGICA LIVRE E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: UMA EXPERIÊNCIA FORMATIVA ROBÓTICA PEDAGÓGICA LIVRE E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: UMA EXPERIÊNCIA FORMATIVA Lorena Bárbara da R. Ribeiro [UNEB] Mary Valda Souza Sales [UNEB] Tarsis de Carvalho Santos [UNEB] O processo educativo cada

Leia mais

A utilização do IDEB na gestão e na avaliação de programas e projetos no 3º setor. Patrícia Diaz Carolina Glycerio

A utilização do IDEB na gestão e na avaliação de programas e projetos no 3º setor. Patrícia Diaz Carolina Glycerio A utilização do IDEB na gestão e na avaliação de programas e projetos no 3º setor Patrícia Diaz Carolina Glycerio Quem somos A Comunidade Educativa CEDAC possibilita que profissionais da educação pratiquem

Leia mais

CURSO: ACOMPANHAMENTO DA PRÁTICA EDUCATIVA

CURSO: ACOMPANHAMENTO DA PRÁTICA EDUCATIVA CURSO: ACOMPANHAMENTO DA PRÁTICA EDUCATIVA Introdução Uma pesquisa realizada pela Fundação Carlos Chagas indica que a maioria dos coordenadores pedagógicos deixam de fazer o acompanhamento da prática educativa

Leia mais

ANEXO PLANO DE AÇÃO PROFESSOR

ANEXO PLANO DE AÇÃO PROFESSOR ANEXO 5.2.2. PLANO DE AÇÃO PROFESSOR Rua Bruxelas, nº 169 São Paulo - SP CEP 01259-020 Tel: (11) 2506-6570 escravonempensar@reporterbrasil.org.br www.escravonempensar.org.br O que é o plano de ação? O

Leia mais

A TECNOLOGIA COMO PROPULSORA DE APRENDIZAGENS SIGNIFICATIVAS. Aline Reis de Camargo Universidade Federal de Pelotas - UFPEL

A TECNOLOGIA COMO PROPULSORA DE APRENDIZAGENS SIGNIFICATIVAS. Aline Reis de Camargo Universidade Federal de Pelotas - UFPEL A TECNOLOGIA COMO PROPULSORA DE APRENDIZAGENS SIGNIFICATIVAS Aline Reis de Camargo Universidade Federal de Pelotas - UFPEL Município: São Francisco de Paula COOPESERRA - Colégio Expressão INTRODUÇÃO O

Leia mais

Metodologia do Ensino

Metodologia do Ensino Metodologia do Ensino Prof. Eduardo Henrique de M. Lima Definições: - Planejamento é uma necessidade constatnte em todas as áreas da atividade humana; - Planejar é analisar uma dada realidade, refletindo

Leia mais

SÍNTESE DO PERFIL E DAS ATRIBUIÇÕES DOS COORDENADORES DAS UNIDADES SOCIOASSISTENCIAIS. Perfil e principais atribuições do Coordenador do CREAS

SÍNTESE DO PERFIL E DAS ATRIBUIÇÕES DOS COORDENADORES DAS UNIDADES SOCIOASSISTENCIAIS. Perfil e principais atribuições do Coordenador do CREAS SÍNTESE DO PERFIL E DAS ATRIBUIÇÕES DOS COORDENADORES DAS UNIDADES SOCIOASSISTENCIAIS Perfil e principais atribuições do Coordenador do CREAS Escolaridade de nível superior de acordo com a NOB/RH/2006

Leia mais

Atribuições do professor-tutor da Seed/PR

Atribuições do professor-tutor da Seed/PR GESTÃO EM FOCO Programa de Fortalecimento da Gestão Escolar Secretaria de Estado da Educação do Paraná Governo do Paraná Atribuições do professor-tutor da Seed/PR Pauta da Reunião a) Edital de seleção

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL IRMAN RIBEIRO DE ALMEIDA SILVA PLANO DE AÇÃO 2014

ESCOLA ESTADUAL IRMAN RIBEIRO DE ALMEIDA SILVA PLANO DE AÇÃO 2014 ESCOLA ESTADUAL IRMAN RIBEIRO DE ALMEIDA SILVA PLANO DE AÇÃO 2014 NOVA ANDRADINA MS DEZEMBRO/2013 ESCOLA IRMAN RIBEIRO DE ALMEIDA SILVA PLANO DE AÇÃO 2014 Plano de ações previstas a serem executadas no

Leia mais

NOME DO CURSO: Acessibilidade na Atividade Física Escolar Nível: Aperfeiçoamento Modalidade: A distância

NOME DO CURSO: Acessibilidade na Atividade Física Escolar Nível: Aperfeiçoamento Modalidade: A distância NOME DO CURSO: Acessibilidade na Atividade Física Escolar Nível: Aperfeiçoamento Modalidade: A distância Parte 1 Código / Área Temática Código / Nome do Curso Etapa de ensino a que se destina Educação

Leia mais

Planejamento Anual 2015 Disciplina: Língua Portuguesa: Ação Série: 3º ano Ensino: Médio Professor: André

Planejamento Anual 2015 Disciplina: Língua Portuguesa: Ação Série: 3º ano Ensino: Médio Professor: André Objetivos Gerais: Planejamento Anual 2015 Disciplina: Língua Portuguesa: Ação Série: 3º ano Ensino: Médio Professor: André # Promover as competências necessárias para as práticas de leitura e escrita autônomas

Leia mais

Formação de professores de Educação Infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental: a experiência de validação de objetos de aprendizagem

Formação de professores de Educação Infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental: a experiência de validação de objetos de aprendizagem Formação de professores de Educação Infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental: a experiência de validação de objetos de aprendizagem Profa. Dra. Patricia Alejandra Behar Ms. Daisy Schneider Mestranda

Leia mais

MEDIAÇÃO DA APRENDIZAGEM PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE RELATO DE EXPERIÊNCIA

MEDIAÇÃO DA APRENDIZAGEM PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE RELATO DE EXPERIÊNCIA MEDIAÇÃO DA APRENDIZAGEM PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE RELATO DE EXPERIÊNCIA Gisele Cristina Tertuliano RESUMO Este artigo é um relato de experiência sobre o processo de aprendizagem de aprendizagem para

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E A NA EDUCAÇÃO

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E A NA EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E A INTEGRAÇÃO DAS TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO Teresa Avalos Pereira UNIFESP teresa.bc@epm.br Rita Maria Lino Tarcia UNIFESP rtarcia@unifesp.br if Daniel Sigulem UNIFESP sigulem@dis.epm.br

Leia mais

Aula. Ensino e Aprendizagem: os dois lados da formação docente. Profª. Ms. Cláudia Benedetti

Aula. Ensino e Aprendizagem: os dois lados da formação docente. Profª. Ms. Cláudia Benedetti Aula Ensino e Aprendizagem: os dois lados da formação docente Profª. Ms. Cláudia Benedetti Profa. M.a. Cláudia Benedetti Graduada em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso n.º 206 aprovado pela portaria Cetec nº 733 de 10/09/2015 Etec PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão de

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR 2016/2017 A AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR 1 INTRODUÇÃO Enquadramento Normativo Avaliar o processo e os efeitos, implica

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL TENENTE JOSÉ LUCIANO Projeto: JOGAR, DIVERTIR E APRENDER COM A DONA MATEMÁTICA

ESCOLA ESTADUAL TENENTE JOSÉ LUCIANO Projeto: JOGAR, DIVERTIR E APRENDER COM A DONA MATEMÁTICA ESCOLA ESTADUAL TENENTE JOSÉ LUCIANO Projeto: JOGAR, DIVERTIR E APRENDER COM A DONA MATEMÁTICA - 2015...o brinquedo desperta interesse e curiosidade... Rubem Alves Autora: Rita Siqueira Público alvo: alunos

Leia mais

PLANO INSTRUCIONAL I. IDENTIFICAÇÃO DO DOCENTE II. IDENTIFICAÇÃO DA AÇÃO EDUCACIONAL

PLANO INSTRUCIONAL I. IDENTIFICAÇÃO DO DOCENTE II. IDENTIFICAÇÃO DA AÇÃO EDUCACIONAL PLANO INSTRUCIONAL I. IDENTIFICAÇÃO DO DOCENTE Instrutores Vide página de inscrição II. IDENTIFICAÇÃO DA AÇÃO EDUCACIONAL Título Modalidade Carga horária Data(s) Horário Público-Alvo CURSO DE GESTÃO INTEGRADA

Leia mais

República Federativa do Brasil Governo Federal. Educação a Distância. e as novas tecnologias

República Federativa do Brasil Governo Federal. Educação a Distância. e as novas tecnologias República Federativa do Brasil Governo Federal Ministério da Educação Educação a Distância e as novas tecnologias Educação Personalizada Vencendo as Barreiras Geográficas e Temporais EAD NO ENSINO PRESENCIAL

Leia mais

NA EDUCAÇÃO INFANTIL, A TAREFA DE ENSINAR É MUITO SÉRIA. entusiasmo pela

NA EDUCAÇÃO INFANTIL, A TAREFA DE ENSINAR É MUITO SÉRIA. entusiasmo pela NA EDUCAÇÃO INFANTIL, A TAREFA DE ENSINAR É MUITO SÉRIA. desco entusiasmo pela berta só o é anglo. ENSINAR É UMA TAREFA MUITO SÉRIA. MAS ISSO NÃO QUER DIZER QUE NÃO POSSA VIR ACOMPANHADA DE AFETO E DE

Leia mais

TRABALHO DE PROJETO ORGANIZAÇÃO E TRATAMENTO DE DADOS

TRABALHO DE PROJETO ORGANIZAÇÃO E TRATAMENTO DE DADOS TRABALHO DE PROJETO ORGANIZAÇÃO E TRATAMENTO DE DADOS Num trabalho de projeto, normalmente, são consideradas as seguintes etapas: 1- Identificação da Área do Problema 2- Identificação e formulação de problemas

Leia mais

NORMATIVA PARA OFERTA DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA E TECNOLÓGICA PRESENCIAIS DO IFNMG

NORMATIVA PARA OFERTA DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA E TECNOLÓGICA PRESENCIAIS DO IFNMG Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal do Norte de Minas Gerais Pró-Reitoria de Ensino NORMATIVA PARA OFERTA DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS

Leia mais

Alfabetização digital: o uso efetivo das tecnologias de informação e comunicação

Alfabetização digital: o uso efetivo das tecnologias de informação e comunicação 22-24 October, 2012 Washington, DC - USA Alfabetização digital: o uso efetivo das tecnologias de informação e comunicação Teresa Avalos Pereira; Sueli Mitiko Yano Suga; Rita Maria Lino Tarcia; Daniel Sigulem

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Estágio Curricular Supervisionado em Educação Infantil I Código da Disciplina: EDU Curso: Pedagogia Semestre de oferta da disciplina: 5º Faculdade responsável: Pedagogia

Leia mais

introdução ao marketing - gestão do design

introdução ao marketing - gestão do design introdução ao marketing - gestão do design Universidade Presbiteriana Mackenzie curso desenho industrial 3 pp e pv profa. dra. teresa riccetti Fevereiro 2009 A gestão de design, o management design, é

Leia mais

Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS. Uma instituição do grupo

Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS. Uma instituição do grupo Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS F U T U R O T E N D Ê N C I A S I N O V A Ç Ã O Uma instituição do grupo CURSO 2 OBJETIVOS Discutir e fomentar conhecimentos sobre a compreensão das potencialidades,

Leia mais

GRADE CURRICULAR E CORPO DOCENTE. Carga horária total: 420h. Introdução à EaD e ao Ambiente Virtual de Aprendizagem. 20h Sabrina Bleicher, Dra.

GRADE CURRICULAR E CORPO DOCENTE. Carga horária total: 420h. Introdução à EaD e ao Ambiente Virtual de Aprendizagem. 20h Sabrina Bleicher, Dra. Especialização em Gestão Pública na Educação Profissional e Tecnológica CENTRO DE REFERÊNCIA EM FORMAÇÃO E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (CERFEAD) Resolução CEPE nº XX/2016 e Resolução CONSUP nº XX/2016 GRADE CURRICULAR

Leia mais

SUPERVISÃO EDUCACIONAL

SUPERVISÃO EDUCACIONAL SUPERVISÃO EDUCACIONAL OBJETIVO: Subsidiar o trabalho nas Diretorias Regionais da Educação e as Unidades Escolares, de modo a observar, analisar, orientar, intervir e encaminhar as demandas nas seguintes

Leia mais

Aluno(a): / / Cidade Polo: CPF: Curso: ATIVIDADE AVALIATIVA PESQUISA E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (PED)

Aluno(a): / / Cidade Polo:   CPF: Curso: ATIVIDADE AVALIATIVA PESQUISA E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (PED) Aluno(a): / / Cidade Polo: E-mail: CPF: Curso: ATIVIDADE AVALIATIVA PESQUISA E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (PED) Preencha o GABARITO: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Observação: Nesta atividade há 10 (dez) questões de múltipla

Leia mais

A Educação Profissional e Tecnológica. Conceituação Princípios Objetivos Características

A Educação Profissional e Tecnológica. Conceituação Princípios Objetivos Características A Educação Profissional e Tecnológica Conceituação Princípios Objetivos Características Conceituação A educação profissional tecnológica, integrada às diferentes formas de educação, ao trabalho, a ciência

Leia mais

Fundamentos Metodologia do Ensino dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental III (Educação Física/Ciências) (Educação Física): (Ciências):

Fundamentos Metodologia do Ensino dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental III (Educação Física/Ciências) (Educação Física): (Ciências): Disciplina: Fundamentos Metodologia do Ensino dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental III (Educação Física/Ciências) Código da Disciplina: EDU333 Curso: Pedagogia Semestre de oferta da disciplina: 6º P

Leia mais

18/06/2015. Didática Aula 3. O que é PLANEJAR? O que é PLANEJAR?

18/06/2015. Didática Aula 3. O que é PLANEJAR? O que é PLANEJAR? Didática Aula 3 Planejamento de Ensino O que é PLANEJAR? Planejar é analisar dada realidade, refletindo sobre as condições existentes, e prever as formas alternativas de ação para superar as dificuldades

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso nº 246 aprovado pela portaria Cetec nº 181 de 26/09/2013 Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Informação

Leia mais

FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CURSO DE PEDAGOGIA. PORTARIA NORMATIVA 3, de 18 de fevereiro de 2010.

FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CURSO DE PEDAGOGIA. PORTARIA NORMATIVA 3, de 18 de fevereiro de 2010. FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CURSO DE PEDAGOGIA PORTARIA NORMATIVA 3, de 18 de fevereiro de 2010. Institui as orientações e as atividades aprovadas para a realização da carga horária de Estágio Supervisionado

Leia mais

PLANEJAMENTO ESCOLAR. Dra. Regina Magna Bonifácio de Araújo Disciplina DEEDU 517 ICHS - UFOP

PLANEJAMENTO ESCOLAR. Dra. Regina Magna Bonifácio de Araújo Disciplina DEEDU 517 ICHS - UFOP PLANEJAMENTO ESCOLAR Dra. Regina Magna Bonifácio de Araújo Disciplina DEEDU 517 ICHS - UFOP Planejamento e Plano Planejar é uma necessidade constante em todas as áreas da atividade humana. Planejar é analisar

Leia mais

Curso Tutoria em EAD Cursista: Ana Maria Di Santos Atividade 02 Data: 20/04/2015 Tutora: Aldizia DESFIO VIRTUAL

Curso Tutoria em EAD Cursista: Ana Maria Di Santos Atividade 02 Data: 20/04/2015 Tutora: Aldizia DESFIO VIRTUAL DESAFIO VIRTUAL Curso Tutoria em EAD Cursista: Ana Maria Di Santos Atividade 02 Data: 20/04/2015 Tutora: Aldizia DESFIO VIRTUAL A Docência Online Desde que as tecnologias de comunicação e informação começaram

Leia mais

Oficina de Formação A Utilização do Microsoft Excel na Atividade Docente (Data de início: 29/06/ Data de fim: 30/06/2015)

Oficina de Formação A Utilização do Microsoft Excel na Atividade Docente (Data de início: 29/06/ Data de fim: 30/06/2015) Oficina de Formação A Utilização do Microsoft Excel na Atividade Docente (Data de início: 29/06/2015 - Data de fim: 30/06/2015) I - Autoavaliação (formandos) A- Motivação para a Frequência da Ação 1- Identifique,

Leia mais

Formulário de Registro Anual do Plano de AEE

Formulário de Registro Anual do Plano de AEE GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL Formulário de Registro Anual do Plano de AEE I - Dados referentes ao estudante

Leia mais

MÍDIAS EDUCACIONAIS: ferramentas pedagógicas como mediadoras da produção de conhecimentos

MÍDIAS EDUCACIONAIS: ferramentas pedagógicas como mediadoras da produção de conhecimentos 400 MÍDIAS EDUCACIONAIS: ferramentas pedagógicas como mediadoras da produção de conhecimentos Andréa KOCHHANN Amanda Gonçalves da LUZ Alice Carlos FELICIANO Herick José Rodrigues CHAVEIRO Vanessa Amélia

Leia mais

Marta Lima Gerente de Políticas Educacionais de Educação em Direitos Humanos, Diversidade e Cidadania.

Marta Lima Gerente de Políticas Educacionais de Educação em Direitos Humanos, Diversidade e Cidadania. Marta Lima Gerente de Políticas Educacionais de Educação em Direitos Humanos, Diversidade e Cidadania. FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS DEMOCRACIA REGIME PAUTADO NA SOBERANIA POPULAR E NO RESPEITO

Leia mais

Programa de Formação Continuada para Docentes

Programa de Formação Continuada para Docentes Programa de Formação Continuada para Docentes Objetivos do programa Consolidar a identidade didático-pedagógica da instituição realizando reflexões com seus docentes sobre as diretrizes educacionais da

Leia mais

CEI MUNDO PARA TODO MUNDO. Bases pedagógicas e de gestão

CEI MUNDO PARA TODO MUNDO. Bases pedagógicas e de gestão CEI MUNDO PARA TODO MUNDO Bases pedagógicas e de gestão BASES PEDAGÓGICAS Garantir educaçao inclusiva como fundamento de toda açao pedagógica. Garantir o acesso a educação de qualidade como direito de

Leia mais

Programa MenteInovadora. Introdução à Metodologia Mind Lab

Programa MenteInovadora. Introdução à Metodologia Mind Lab Programa MenteInovadora Introdução à Metodologia Mind Lab Bem-vindos ao Programa MenteInovadora! Sobre a Mind Lab A missão da Mind Lab é preparar as próximas gerações para os complexos desafios do século

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL - PRPDI Orientação Geral O Plano de Desenvolvimento Institucional -PDI, elaborado para um período de 5

Leia mais

PRINCIPIOS NORTEADORES PARA ELABORAÇAO DO TRABALHO

PRINCIPIOS NORTEADORES PARA ELABORAÇAO DO TRABALHO PRINCIPIOS NORTEADORES PARA ELABORAÇAO DO TRABALHO Identificar situação-problema : no âmbito das atribuições de coordenar, acompanhar e monitorar o processo de educação integral na Secretaria de Educação.

Leia mais

Israel 1994 mundo 2004 Brasil 2006

Israel 1994 mundo 2004 Brasil 2006 AS ORIGENS Os primeiros estudos e aplicações de uma metodologia para desenvolvimento de habilidades cognitivas, sociais, emocionais e éticas por meio de jogos de raciocínio foram iniciados em Israel em

Leia mais

Educar pela Pesquisa?

Educar pela Pesquisa? UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO Rede de estudos e colaboração para inclusão social e desenvolvimento da cultura científica Projeto nº: 67049. Aprovado pelo Edital 055/2012 Programa Novos Talentos Capes

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Ensino Médio Etec Plano de Curso nº aprovado pela portaria Cetec nº de / / Etec: Código: 208 Município: São Paulo Eixo Tecnológico: Habilitação Profissional:

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plano de Trabalho Docente 2015 ETEC de Mairiporã Código: 271 Município: Mairiporã EE: Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional:

Leia mais

PRÊMIO DE INCENTIVO À EDUCAÇÃO

PRÊMIO DE INCENTIVO À EDUCAÇÃO PRÊMIO DE INCENTIVO À EDUCAÇÃO 1. OBJETIVO O Prêmio de Incentivo à Educação é uma iniciativa das empresas do Polo Industrial, através do Comitê de Fomento Industrial de Camaçari - COFIC. Tem por objetivo

Leia mais

Unidade: Planejamento de Marketing. Unidade I:

Unidade: Planejamento de Marketing. Unidade I: Unidade: Planejamento de Marketing Unidade I: 0 Unidade: Planejamento de Marketing Planejar é definir procedimentos de atuação com o objetivo de atingir determinada situação. No caso de um planejamento

Leia mais

Acreditamos no seu envolvimento e dedicação à sua realização e confiamos no seu sucesso.

Acreditamos no seu envolvimento e dedicação à sua realização e confiamos no seu sucesso. ATIVIDADE INTEGRADORA CURSO: LICENCIATURA EM PEDAGOGIA DISCIPLINA: ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM GESTÃO ESCOLAR CIRCUITO: 9 PERIODO: 7º Caro (a) aluno (a), Esta atividade deverá ser desenvolvida individualmente

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Professor: Alessandra Scalise Lopes

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Professor: Alessandra Scalise Lopes Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico Etec Professor Massuyuki Kawano Código: 136 Município: Tupã Eixo Tecnológico: Infraestrutura Habilitação Profissional: Técnico em Desenho de Construção Civil

Leia mais

Relatório CRI Minas 16/05/13 Inovação e Comportamento Humano Hérica Righi,Raoni Pereira e Flávia Carvalho

Relatório CRI Minas 16/05/13 Inovação e Comportamento Humano Hérica Righi,Raoni Pereira e Flávia Carvalho Relatório CRI Minas 16/05/13 Inovação e Comportamento Humano Hérica Righi,Raoni Pereira e Flávia Carvalho Relatório CRI Minas 16/05/13 Inovação e Comportamento Humano Muitos são os desafios encontrados

Leia mais

Limites e possibilidades de uma política pública de avaliação da educação profissional e tecnológica na perspectiva emancipatória

Limites e possibilidades de uma política pública de avaliação da educação profissional e tecnológica na perspectiva emancipatória Limites e possibilidades de uma política pública de avaliação da educação profissional e tecnológica na perspectiva emancipatória Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Brasília/DF, jun. 2015

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso nº 246 aprovado pela portaria Cetec nº 181 de 26/09/2013 Etec: Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Informação

Leia mais

Prof. Dr. Paulo Gomes Lima Faculdade de Educação U F G D

Prof. Dr. Paulo Gomes Lima Faculdade de Educação U F G D Prof. Dr. Paulo Gomes Lima Faculdade de Educação U F G D - 2009 1. construção qualitativa do processo educacional como um todo; 2. a escola, como instituição de formação de indivíduos deve priorizar o

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso nº 246 aprovado pela portaria Cetec nº 181 de 26/09/2013 Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios

Leia mais

REGULAMENTO DE EXTENSÃO DA FACULDADE ASCES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E OBJETIVOS

REGULAMENTO DE EXTENSÃO DA FACULDADE ASCES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E OBJETIVOS REGULAMENTO DE EXTENSÃO DA FACULDADE ASCES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E OBJETIVOS Art 1º. A Extensão Acadêmica se constitui em uma prática permanente de interação universidade-sociedade, articulada ao ensino

Leia mais

INFORMATIVO UNEB - PROEX AÇÕES PREPARATÓRIAS PARA EXECUÇÃO PROEXT/2015/MEC/SESu

INFORMATIVO UNEB - PROEX AÇÕES PREPARATÓRIAS PARA EXECUÇÃO PROEXT/2015/MEC/SESu INFORMATIVO UNEB - PROEX AÇÕES PREPARATÓRIAS PARA EXECUÇÃO PROEXT/2015/MEC/SESu O PROEXT, programa de extensão de âmbito nacional patrocinado pela Secretaria de Ensino Superior (SESU), vinculada ao Ministério

Leia mais

INFLUÊNCIAS NA GESTÃO DE REDES

INFLUÊNCIAS NA GESTÃO DE REDES INFLUÊNCIAS NA GESTÃO DE REDES Vera M. L. Ponçano Rede de Saneamento e Abastecimento de Água Aracaju, 10 dezembro 2015 REDES: TECNOLÓGICAS TEMÁTICAS - PÚBLICAS FATORES DE INFLUÊNCIA: PESSOAL, SOCIAL, TECNOLÓGICO,

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Didática I Carga Horária Semestral: 40 horas Semestre do Curso: 4º 1 - Ementa (sumário, resumo) A Didática e os fundamentos educacionais

Leia mais

SOFTWARE EDUCACIONAL PARA ELABORAÇÃO DE PROVAS E EXERCÍCIOS

SOFTWARE EDUCACIONAL PARA ELABORAÇÃO DE PROVAS E EXERCÍCIOS SUZETE KEINER SOFTWARE EDUCACIONAL PARA ELABORAÇÃO DE PROVAS E EXERCÍCIOS CIOS Orientador: Prof.. Carlos Eduardo Negrão Bizzotto ROTEIRO Introdução Objetivos Informática na Educação Etapas de Implantação

Leia mais

Claudia Reyes Setembro, 2012

Claudia Reyes Setembro, 2012 Claudia Reyes Setembro, 2012 Apresentar informações sobre o papel da Secretaria de Educação a Distância (SEaD) na UFSCar e de suas coordenadorias para a organização, qualidade e sustentabilidade Apontar

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Avaliação Educacional Código da Disciplina: EDU 340 Curso: Pedagogia Semestre de oferta da disciplina: 7º Faculdade responsável: Pedagogia Programa em vigência a partir

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL TIA ANA

CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL TIA ANA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BRUSQUE - UNIFEBE CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL TIA ANA Coordenador Institucional: Marcilene Pöpper Gomes Coordenadora de Área: Clarice Pires Professor(a) Supervisor(a): Fabiana Veríssimo

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Médio ETEC MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ/SP Área de conhecimento: CIÊNCIAS DA NATUREZA E SUAS TECNOLOGIAS Componente Curricular: FÍSICA Série: 3º C.

Leia mais

Psicologia e Educação

Psicologia e Educação Psicologia e Educação 2016.2 Profª. MSc. Fernanda Lima. Unidade III: O que pode fazer o psicólogo na escola. Psicólogo escolar: Papéis e funções na escola. Escola é um espaço social onde pessoas convivem

Leia mais

FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA ATUAÇÃO NA EAD EXPERIÊNCIA DA EAD/UFMS. Prof. MSc. Hercules da Costa Sandim EAD/UFMS

FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA ATUAÇÃO NA EAD EXPERIÊNCIA DA EAD/UFMS. Prof. MSc. Hercules da Costa Sandim EAD/UFMS FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA ATUAÇÃO NA EAD EXPERIÊNCIA DA EAD/UFMS EAD/UFMS Prof. MSc. Hercules da Costa Sandim EAD/UFMS FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM TIC s EXTENSÃO/ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO FOMENTO

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Médio ETEC MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ/SP Área de conhecimento: CIÊNCIAS DA NATUREZA E SUAS TECNOLOGIAS Componente Curricular: FÍSICA Série: 3º C.

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: LIBRAS Código da Disciplina: NDC139 Curso: Faculdade de Pedagogia Semestre de oferta da disciplina: 7 período Faculdade responsável: NDC Programa em vigência a partir

Leia mais

Formação Pedagógica Inicial de Formadores blearning 90 Horas. Programa do Curso.

Formação Pedagógica Inicial de Formadores blearning 90 Horas. Programa do Curso. Formação Pedagógica Inicial de Formadores blearning 90 Horas Programa do Curso www.areapedagogica.com 2 Programa do Curso de Formação Pedagógica de Formadores blearning 90 Horas Objetivos Gerais No final

Leia mais

CURRÍCULO. Profª. Paula Regina Costa Ribeiro Profª. Raquel Pereira Quadrado

CURRÍCULO. Profª. Paula Regina Costa Ribeiro Profª. Raquel Pereira Quadrado FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SISTEMA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL ESPECIALIZAÇÃO EM TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA EDUCAÇÃO CURRÍCULO Profª. Paula Regina Costa Ribeiro Profª.

Leia mais

Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo PLANO DE INTERVENÇÃO. Avaliação Interna da EPDRR

Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo PLANO DE INTERVENÇÃO. Avaliação Interna da EPDRR Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo PLANO DE INTERVENÇÃO Avaliação Interna da EPDRR Ano Letivo 2015/2016 ÍNDICE INTRODUÇÃO 3 COMISSÃO DE TRABALHO 4 METODOLOGIA DE TRABALHO ADOTADA 4 DOMÍNIOS

Leia mais

Características Educação SESI

Características Educação SESI EDUCAÇÃO SESI Características Educação SESI Atendimento prioritário ao Trabalhador da indústria e seus dependentes Gratuidade nos cursos EJA Atuação nas 27 Unidades Federativas 32% de evasão na EJA Cenário

Leia mais

PCN - PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS

PCN - PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS PCN - PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS 01. Os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN) são referências para o ensino fundamental e médio de todo Brasil, tendo como objetivo: (A) Garantir, preferencialmente,

Leia mais

INDEPAC MISSÃO VISÃO

INDEPAC MISSÃO VISÃO O INDEPAC é especializado em serviços de Consultoria e Assessoria Educacional, nas dimensões: administrativa, jurídica e pedagógica, além de oferecer cursos de formação em serviço, voltados para o aprimoramento

Leia mais

COMO ELABORAR RESPOSTAS DE QUESTÕES DISSERTATIVAS

COMO ELABORAR RESPOSTAS DE QUESTÕES DISSERTATIVAS COMO ELABORAR RESPOSTAS DE QUESTÕES DISSERTATIVAS By Prof. Ms. Deborah Costa - 2014 INTRODUÇÃO 1 Este e-book discutirá sobre as questões dissertativas propostas em diferentes avaliações : universidade,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL COLÉGIO DE APLICAÇÃO/UFRGS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL COLÉGIO DE APLICAÇÃO/UFRGS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL COLÉGIO DE APLICAÇÃO/UFRGS ASSESSORIA DE JOGOS 2009 PROJETO AMORA (CAP/UFRGS) PROCESSOS DE APROPRIAÇÃO DAS AÇÕES E DE CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTOS. Orientadora:

Leia mais

Você na EAD. Conteudista: Equipe Multidisciplinar. Campus Virtual Cruzeiro do Sul

Você na EAD. Conteudista: Equipe Multidisciplinar. Campus Virtual Cruzeiro do Sul Você no EAD Você na EAD Conteudista: Equipe Multidisciplinar Campus Virtual Cruzeiro do Sul Você na EAD Perfil e Perspectiva de Desenvolvimento Considerando que uma das características da educação a

Leia mais

Museu da Chapelaria São João da Madeira. 20 a 23 de setembro. Organização:

Museu da Chapelaria São João da Madeira. 20 a 23 de setembro. Organização: Museu da Chapelaria São João da Madeira 20 a 23 de setembro Organização: Coordenadoras formadoras: Ana Rita Canavarro e Sara Barriga Formadoras: Sara Franqueira, Susana Gomes da Silva Objetivos: Relacionar

Leia mais

Unidade: Pesquisa Operacional e a Tomada de

Unidade: Pesquisa Operacional e a Tomada de Unidade: Pesquisa Operacional e a Tomada de Unidade I: Decisão 0 Unidade: Pesquisa Operacional e a Tomada de Decisão Pesquisa Operacional é um ramo da ciência administrativa que fornece instrumentos para

Leia mais

X Ciclo de Sábados- Falando Com Quem Faz Santarém, 12 de março

X Ciclo de Sábados- Falando Com Quem Faz Santarém, 12 de março X Ciclo de Sábados- Falando Com Quem Faz Santarém, 12 de março isabelfernandeslopes@gmail.com SUMÁRIO» Conceito NEE/ NEEcp» Medidas educativas -Adequações do processo de ensino e de aprendizagem CEI» Construção

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Avaliação do Ensino Aprendizagem Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 8º 1 - Ementa (sumário, resumo) Contextualização histórica

Leia mais

A internet pode levar o aluno a lugares aonde, talvez, ele jamais chegaria, ou não tão rapidamente; propicia o acesso a bibliotecas internacionais,

A internet pode levar o aluno a lugares aonde, talvez, ele jamais chegaria, ou não tão rapidamente; propicia o acesso a bibliotecas internacionais, TEDI INTERAMERICA TEDI- INTERAMÉRICA A TEDI foi concebida com o conceito de se utilizar a tecnologia como uma ferramenta e instrumento pedagógico para que se alcance melhores resultados na educação. Este

Leia mais

Parte 1 Código / Área Temática. Educação Especial

Parte 1 Código / Área Temática. Educação Especial NOME DO CURSO: O Ensino de Língua Portuguesa como segunda língua para estudantes surdos e/ou com deficiência auditiva Nível: Especialização Modalidade: A distância Parte 1 Código / Área Temática Código

Leia mais

CURSO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM. AULA 1 Busca de materiais pedagógicos na Internet e sua aplicação em sala de aula

CURSO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM. AULA 1 Busca de materiais pedagógicos na Internet e sua aplicação em sala de aula CURSO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM Lisiane Cristina Amplatz CRTE Toledo AULA 1 Busca de materiais pedagógicos na Internet e sua aplicação em sala de aula Navegando pelo Portal Dia a dia Educação www.diaadia.pr.gov.br

Leia mais

A FORMAÇÃO DOCENTE: PIBID E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO

A FORMAÇÃO DOCENTE: PIBID E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO A FORMAÇÃO DOCENTE: PIBID E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO Regina Célia Cola Rodrigues Mestranda em Educação: Currículo PUC/SP Profª Drª Neide de Aquino Noffs Professora Orientadora da Pesquisa Resumo O presente

Leia mais

2 FAÇA A ESCOLHA CERTA E SEJA PERSISTENTE

2 FAÇA A ESCOLHA CERTA E SEJA PERSISTENTE Educação a distância: ruptura temporal do processo de educação; mediação por um aparato tecnológico; flexibilidade na estruturação dos conteúdos e ênfase na autonomia do aluno. (1) A educação a distância

Leia mais

Curso de extensão: Advocacy e Controle Social em Políticas Públicas de Saúde edição 2016

Curso de extensão: Advocacy e Controle Social em Políticas Públicas de Saúde edição 2016 Curso de extensão: Advocacy e Controle Social em Políticas Públicas de Saúde edição 2016 O curso Advocacy e Controle Social em Políticas Públicas de Saúde tem por finalidade capacitar Organizações de apoio

Leia mais

O AUTISMO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

O AUTISMO NA EDUCAÇÃO INFANTIL O AUTISMO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Carmen Lucia Lopes Galvão Universidade Estadual do Rio de Janeiro - lumiar13@yahoo.com.br INTRODUÇÃO Este estudo buscará refletir sobre o autismo e o papel do educador na

Leia mais

3. ORIENTAÇÕES IDEB E POSSÍVEIS ANÁLISES

3. ORIENTAÇÕES IDEB E POSSÍVEIS ANÁLISES 3. ORIENTAÇÕES IDEB E POSSÍVEIS ANÁLISES O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) é o indicador nacional que reflete a situação da unidade escolar a partir do resultado de dois componentes:

Leia mais

Oficina de Apropriação de Resultados PAEBES 2013

Oficina de Apropriação de Resultados PAEBES 2013 Oficina de Apropriação de Resultados PAEBES 2013 Oficina de Apropriação de Resultados de BIOLOGIA Dinâmica Eu não sou eu.sou o momento:passo. Mario Quintana Objetivos: Interpretar os resultados da avaliação

Leia mais

LANÇAMENTOS DE LIVROS

LANÇAMENTOS DE LIVROS PROGRAMAÇÃO PRELIMINAR (SUJEITA A ALTERAÇÕES) - 01/Ago/2016 LANÇAMENTOS DE LIVROS EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: IMPACTOS NOS PLANOS PROFISSIONAL E PESSOAL PACO EDITORIAL Autor: LETÍCIA MACHADO DOS SANTOS A OBRA

Leia mais

II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação

II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação 25 de maio de 2016 EIXO 1: PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Dimensão 8: Planejamento e avaliação Fragilidades Melhorar as reuniões da CPA e reestruturar

Leia mais

Gestão Estratégica de Projetos Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva

Gestão Estratégica de Projetos Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

ANEXO I ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS FMIG 2016

ANEXO I ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS FMIG 2016 ANEXO I ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS FMIG 2016 Cada projeto deve conter no máximo 20 páginas 1. APRESENTAÇÃO Faça um resumo claro e objetivo do projeto, considerando a situação do idoso, os dados

Leia mais

MATRICIAMENTO PELOS NÚCLEOS DE APOIO À SAÚDE DA FAMÍLIA

MATRICIAMENTO PELOS NÚCLEOS DE APOIO À SAÚDE DA FAMÍLIA MATRICIAMENTO PELOS NÚCLEOS DE APOIO À SAÚDE DA FAMÍLIA INTRODUÇÃO Neste Caso Didático vamos relatar a experiência de organização dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF) de um município de grande

Leia mais