Seminário Mercado de Tintas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Seminário 2013. Mercado de Tintas"

Transcrição

1 Seminário 2013 Mercado de Tintas Luso - 22 de Março de 2013

2 Transferência de riqueza do Ocidente para o Oriente

3 Evolução do Consumo da Classe Média 2000 a 2050 Outros países 2012 União Europeia EUA Japão Outros países asiáticos Índia China Outros Países União Europeia Índia China Fonte OCDE 2010 wp 285 Outros países asiáticos

4 Existem 3 países europeus entre as 7 maiores potências mundiais. Se os actuais ritmos de crescimento económico se mantiverem... Dentro de 10 anos, estarão apenas 2 países europeus. Em 2030, apenas a Alemanha estará no Top 7. Em 2050, não estará nenhum país europeu no Top 7. Apenas os Estados Unidos representarão o Ocidente Fonte Javier Solana Artigo no Brookings Institution Fev 2013

5 Evolução do PIB dos BRIC Anos 2000 a % Unidades - Biliões de $US Fonte: Banco Mundial

6 Evolução do PIB dos BRIC Anos 2000 a 2010 Rússia Índia Em 2011, os 4 BRIC adicionaram à economia mundial mais 2,2 triliões de US$, o equivalente a uma economia italiana. 5% Brasil % China Unidades - Biliões de $US Fonte: Banco Mundial

7 Comércio Externo Português

8 Razões da Internacionalização Crescimento c/ aumento potencial do volume de vendas Economias de escala e de aprendizagem (inovação) Menos dependência do mercado interno português Aumento do ciclo de vida dos bens e serviços Diminui o impacto dos ciclos económicos Acompanhar grandes clientes no estrangeiro

9 Internacionalização das empresas industriais Proximidade geográfica Proximidade cultural

10 União Europeia 500 milhões de consumidores

11 União Europeia 500 milhões de consumidores 2,0%

12 2,0% 98% dos consumidores da União Europeia estão fora das nossas fronteiras

13 Evolução das exportações portuguesas de Bens 1971 a Outros Países - 69,9% CEE- 33,1% Fonte INE Instituto Nacional de Estatística

14 Evolução das exportações portuguesas de Bens 1971 a Outros Países - 69,9% CEE- 33,1% Outros Países -29,0% UE - 71,0% Fonte INE Instituto Nacional de Estatística

15 5 Principais parceiros comerciais de Portugal 1985 a 2012 (exportações + importações) Milhões de euros

16 1985 Alemanha R. Unido França Espanha Itália Fonte INE Instituto Nacional de Estatística Unidades Milhões de euros

17 1985 Alemanha Espanha R. Unido Alemanha França França Espanha R. Unido Itália Itália Fonte INE Instituto Nacional de Estatística Unidades Milhões de euros

18 1985 Alemanha Espanha R. Unido Alemanha França França Espanha R. Unido Itália Itália Fonte INE Instituto Nacional de Estatística Unidades Milhões de euros

19 1985 Alemanha Espanha Espanha R. Unido Alemanha Alemanha França França França Espanha R. Unido R. Unido Itália Itália Itália Fonte INE Instituto Nacional de Estatística Unidades Milhões de euros

20 Alemanha Espanha Espanha Espanha R. Unido Alemanha Alemanha Alemanha França França França França Espanha R. Unido R. Unido Angola Itália Itália Itália Itália Fonte INE Instituto Nacional de Estatística Unidades Milhões de euros

21 Alemanha Espanha Espanha Espanha R. Unido Alemanha Alemanha Alemanha França França França França Espanha R. Unido R. Unido Angola Itália Itália Itália Itália Fonte INE Instituto Nacional de Estatística Unidades Milhões de euros

22 30 25 Evolução das exportações para Espanha 1971 a 2012 % do total das exportações Adesão à CEE em Fonte INE Instituto Nacional de Estatística

23 Principais Mercados de Exportação de Bens Fonte INE

24 ,3% 50 Principais Mercados de Exportação de Bens Fonte INE

25 Principais mercados para as exportações portuguesas Ano de Mercados da União Europeia Espanha, Alemanha, França, Reino Unido, Holanda e Itália representam cerca de 62,8% do total Fonte INE 0 Espanha Alemanha França Angola Reino Unido Países Baixos EUA Itália Bélgica China

26 Evolução do Comércio Internacional Português (Bens + Serviços) a Exportações Importações Saldo Fonte INE

27 Exportações Portuguesas por Mercados 2011,e 2012, em Valor e em % do Total Espanha Alemanha França Angola Reino Unido Países Baixos EUA Itália Bélgica China Fonte: INE

28 Exportações Portuguesas por Mercados 2011 e 2012, em Valor e em % do Total Espanha Alemanha França Angola Reino Unido Países Baixos 6,6 % 5,4 % 5,3 % 5,2 % 12,3 % 13,6 % 12,2 % 11,8 % ,5 % 24,9 % EUA Itália Bélgica China Fonte: INE

29 Máquinas, Aparelhos Veículos, Outro Material de Transporte Combustíveis Minerais Metais Comuns Plásticos, Borracha Químicos Exportações Portuguesas por Produtos 2011 e 2012, em Valor e em % do Total Vestuário Agrícolas Alimentares Pastas Celulósicas, Papel Minerais, Minérios Matérias Têxteis Calçado Madeira, Cortiça Óptica e Precisão Fonte: INE

30 Veículos, Outro Material de Transporte Exportações Portuguesas por Produtos Máquinas, Aparelhos Combustíveis Minerais Metais Comuns Plásticos, Borracha Químicos 2011 e 2012, em Valor e em % do Total 6,8 % 6,8 % 8,5 % 7,2 % 8,2 % 8,0 % 11,7 % 13,0 % 15,1 % 14,6 % Vestuário Agrícolas Alimentares Pastas Celulósicas, Papel Minerais, Minérios Matérias Têxteis Calçado Madeira, Cortiça Óptica e Precisão Fonte: INE

31 Exportações Portuguesas de Tintas a Fonte: INE Valores em Milhares de Euros Exportações Importações

32 Exportações Portuguesas de Tintas Principais mercados 2008 a Espanha Angola Alemanha França Itália Turquia Holanda Reino Unido Dinamarca Cabo Verde Fonte: INE Valores em Milhares de Euros

33 Exportações Portuguesas de Tintas Principais mercados 2008 a Espanha Angola Alemanha França Itália Turquia Holanda Reino Unido Dinamarca Cabo Verde Fonte: INE Valores em Milhares de Euros

34 Exportações de Produtos Industriais Transformados por Graus de Intensidade Tecnológica 60,0 55,0 50,0 45,9 46,4 48,1 50,3 52,8 52,9 53,9 52,9 54,8 56,8 45,0 40,0 35,0 30,0 43,8 41,9 39,4 37,6 35,7 35,9 35,7 39,1 37,4 35,4 25,0 20,0 Baixa Média Alta 15,0 10,0 10,3 11,7 12,4 12,1 11,5 11,2 10,5 8,1 7,8 7,8 5,0 0, Fonte: GEE / MEE Unid.: % Total Prod. Ind. Transformados

35 Evolução da Balança Tecnológica Portuguesa 2000 a Export Import Saldo Fonte: Banco de Portugal Unid.: Milhares de euros Jan/Junho 2012 Jan/Junho

36 Repartição das Exportações Portuguesas em 2012 em % do total Exportações de Serviços 30% Exportações de Bens 70% Fonte: INE

37 Exportações Portuguesas de Serviços Ano de 2012 Transportes; 28,1 Viagens e turismo; 45,9 Operações governamentais; 1,3 Serviços de natureza pessoal, cultural e recreativa; 1,4 Outros serviços fornecidos por empresas; 13,8 Direitos de utilização; 0,2 Serviços de informação e de informática; 2,3 Serviços de construção; 2,8 Seguros; 0,5 Serviços financeiros; 1,2 Serviços de comunicação; 2,6 Fonte: Banco de Portugal

38 Caracterização das empresas exportadoras

39 Evolução do número de empresas exportadoras Fonte INE

40 Distribuição das Empresas Exportadoras Volume de Exportação Nº de Empresas % do total das Exportações > 50 Milhões euros % 44% 38% 45% 47% Entre 25 e 50 Milhões euros % 12% 14% 12% 12% Entre 1 e 25 Milhões % 38% 42% 38% 36% euros Menos de 1 Milhão euros % 6% 6% 6% 5% Total de Empresas* Fonte: INE, Operadores Comércio Internacional

41 Distribuição das Empresas Exportadoras Volume de Exportação Nº de Empresas % do total das Exportações > 50 Milhões euros % 44% 38% 45% 47% Entre 25 e 50 Milhões euros % 12% 14% 12% 12% Entre 1 e 25 Milhões % 38% 42% 38% 36% euros Menos de 1 Milhão euros % 6% 6% 6% 5% Total de Empresas* Fonte: INE, Operadores Comércio Internacional

42 Distribuição das Empresas Exportadoras Volume de Exportação Nº de Empresas % do total das Exportações > 50 Milhões euros % 44% 38% 45% 47% Entre 25 e 50 Milhões euros % 12% 14% 12% 12% Entre 1 e 25 Milhões % 38% 42% 38% 36% euros Menos de 1 Milhão euros % 6% 6% 6% 5% Total de Empresas* Fonte: INE, Operadores Comércio Internacional

43 Distribuição das Empresas Exportadoras Volume de Exportação Nº de Empresas % do total das Exportações > 50 Milhões euros % 44% 38% 45% 47% Entre 25 e 50 Milhões euros % 12% 14% 12% 12% Entre 1 e 25 Milhões % 38% 42% 38% 36% euros Menos de 1 Milhão euros % 6% 6% 6% 5% Total de Empresas* Fonte: INE, Operadores Comércio Internacional

44 Mais Empresas de Dimensão Média Mais Cooperação Empresarial Mais Parcerias Com oferta complementar de Bens e Serviços Que tenham recursos suficientes para Inovar Que tenham maior capacidade de oferta Que tenham maior capacidade de negociação Que possam repartir o risco do negócio

45 Necessidade de Diversificação de Mercados

46 Perspectivas de crescimento económico Emerging Asia Sub-Saharan Africa Middle East & North Africa Latin America US Eurozone Fonte Oxford Economics

47 Perspectivas de crescimento económico Emerging Asia Sub-Saharan Africa Middle East & North Africa Latin America US Eurozone 91% - Investimento Directo Estrangeiro 81% - Investimento no Estrangeiro Fonte Oxford Economics

48 Perspectivas de crescimento económico Emerging Asia Sub-Saharan Africa Middle East & North Africa Latin America US Eurozone 69,4 % das exportações portuguesas Fonte Oxford Economics

49 Situação em 2012 América do Norte Bens + Serviços 5,1% União Europeia Bens + Serviços 69,4% Ásia Bens + Serviços 10,1% América Latina África Bens + Serviços 4,5% Bens + Serviços 10,9% Fonte: Banco de Portugal

50 Situação em 2012 União Europeia Bens + Serviços 69,4% empresas África Bens + Serviços 10,9% empresas Fonte: Banco de Portugal

51 Nº de Empresas Exportadoras em 2011 UE Fonte: INE

52 Nº de Empresas Exportadoras em 2011 UE PALOP Fonte: INE

53 Nº de Empresas Exportadoras em ,5 mil milhões UE ,8 mil milhões PALOP Fonte: INE

54 Instrumentos de apoio à internacionalização.

55 Recursos Humanos Inovação, diferenciação. As Marcas A Cultura - A língua portuguesa Instrumentos de apoio à internacionalização. Diplomacia económica A aicep Portugal Global Apoios Comunitários / QREN

56 A Língua Portuguesa como Recurso Económico O Triângulo Virtuoso Portugal Cabo Verde S.Tomé e Príncipe 10% das exportações portuguesas Brasil Moçambique Angola

57 Diplomacia económica ao serviço das empresas portuguesas com negócios internacionais

58 A crescente influência do Estado nas economias emergentes. Nos mercados emergentes. Economias centralizadas. (tradição e cultura). Empresas controladas pelos Estados (state-owned enterprises). Os fundos soberanos. (Representam 15% do IDE mundial). Proximidade entre governantes e empresários. Gerar prosperidade económica vs. poder político.

59 A crescente influência do Estado nas economias emergentes. Nos mercados emergentes. Economias centralizadas. (tradição e cultura). Empresas controladas pelos Estados (state-owned enterprises). Os fundos soberanos. (Representam 15% do IDE mundial). Proximidade entre governantes e empresários. Gerar prosperidade económica vs. poder político. Nos mercados desenvolvidos. Crise financeira e abrandamento económico nos EUA e na Europa. Intervenção nos sectores: financeiro, segurador, automóvel, etc.

60 A Diplomacia económica portuguesa. Internacionalização no centro da política externa. Embaixadas relações bilaterais políticas e multilaterais. (empresariais) Conhecimento empresarial e conhecimento institucional. Resolução de custos de contexto. Brasil, Peru, Cazaquistão, etc. Aicep na tutela do MNE, em coordenação com MEE. Colocalização e planos de actividades conjuntos com Embaixadas Articulação entre sector público e privado. CEIE Conselho Estratégico de Internacionalização da Economia. Plano único de promoção externa. (mais coordenação na acção externa)

61 aicep Portugal Global é uma agência pública de natureza empresarial, cuja missão é: Atrair investimento estrangeiro para Portugal, acompanhando os investidores internacionais e nacionais em todos os seus contactos com a administração pública, facilitando todo o processo do investimento. Apoiar a expansão internacional dos negócios das empresas portuguesas, posicionando-nos como facilitadores Lógica de proximidade às empresas Promueve una negociación directa con las empresas, a través de un contacto personalizado: una oferta global de apoyo / incentivos que mejor satisfagan las necesidades del inversor

62 aicep Portugal Global é uma agência pública de natureza empresarial, cuja missão é: Atrair investimento estrangeiro para Portugal, acompanhando os investidores internacionais e nacionais em todos os seus contactos com a administração pública, facilitando todo o processo do investimento. Apoiar a expansão internacional dos negócios das empresas portuguesas, posicionando-nos como facilitadores Lógica de proximidade às empresas Gestor de Cliente como contacto privilegiado na AICEP Promueve una negociación directa con las empresas, a través de un contacto personalizado: una oferta global de apoyo / incentivos que mejor satisfagan las necesidades del inversor

63 aicep Portugal Global é uma agência pública de natureza empresarial, cuja missão é: Atrair investimento estrangeiro para Portugal, acompanhando os investidores internacionais e nacionais em todos os seus contactos com a administração pública, facilitando todo o processo do investimento. Apoiar a expansão internacional dos negócios das empresas portuguesas, posicionando-nos como facilitadores Promueve una negociación directa con Lógica de proximidade às empresas Gestor de Cliente como contacto privilegiado na AICEP Apoio personalizado durante todo o processo de internacionalzação las empresas, a través de un contacto personalizado: una oferta global de apoyo / incentivos que mejor satisfagan las necesidades del inversor

64 aicep Portugal Global é uma agência pública de natureza empresarial, cuja missão é: Atrair investimento estrangeiro para Portugal, acompanhando os investidores internacionais e nacionais em todos os seus contactos com a administração pública, facilitando todo o processo do investimento. Apoiar a expansão internacional dos negócios das empresas portuguesas, posicionando-nos como facilitadores Lógica de proximidade às empresas Gestor de Cliente como contacto privilegiado na AICEP Apoio personalizado durante todo o processo de internacionalzação Uma Promueve Rede Externa una negociación reforçada com directa a con las integração empresas, nas a través de un contacto personalizado: Embaixadas de Portugal una oferta global de apoyo / incentivos que mejor satisfagan las necesidades del inversor

65 AICEP Rede Externa Europa Estocolmo Helsínquia Copenhaga Moscovo Dublin Berlim Londres Haia Varsóvia Bruxelas Praga Paris Viena Zurique Budapeste Milão Vigo Bucareste Porto Barcelona Lisboa Madrid Centro de Negócios Mérida Atenas Escritório Representação Ancara

66 AICEP Rede Externa Fora da Europa Toronto São Francisco Cidade do México Nova Iorque Caracas Bogotá Praia Porto Lisboa Rabat São Paulo Argel Luanda Tunes Tripoli Abu Dhabi Benguela Maputo Nova Deli Pequim Tóquio Xangai Macau Kuala-Lumpur Singapura Jacarta Centro de Negócios Escritório Representação Buenos Aires Santiago do Chile Joanesburgo

67 Apoio no Processo de Internacionalização/Exportação Segmentos de Clientes Com Potencial Regulares Investem no exterior

68 Apoio no Processo de Internacionalização/Exportação Segmentos de Clientes Com Potencial Regulares Investem no exterior Canais de Relacionamento Gestores de Cliente Lojas da Exportação Contact Center / Site

69 Apoio no Processo de Internacionalização/Exportação Segmentos de Clientes Com Potencial Regulares Investem no exterior Canais de Relacionamento Gestores de Cliente Lojas da Exportação Contact Center / Site Produtos / Serviços Oportunidades Negócio Capacitação Listas de Importadores Feiras Internacionais Informação / Mercados Contacto c/ Capital Risco Missões Empresariais Estudos Setorias

70 Apoio no Processo de Internacionalização/Exportação Segmentos de Clientes Com Potencial Regulares Investem no exterior Canais de Relacionamento Gestores de Cliente Lojas da Exportação Contact Center / Site Produtos / Serviços Oportunidades Negócio Capacitação Listas de Importadores Feiras Internacionais Informação / Mercados Contacto c/ Capital Risco Missões Empresariais Estudos Setorias Recursos Os Quadros da Aicep A Rede Externa Os Apoios Comunitários

71 Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME

72 Sistemas de Incentivos às Empresas (QREN) SI Qualificação e Internacionalização de PME Visa a promoção da competitividade das PME através do aumento da produtividade, da flexibilidade e da capacidade de resposta e presença activa no mercado global Apoio a projectos de investimento em factores dinâmicos da competitividade Beneficiários: Empresas, Associações, Entidades Públicas e Entidades do SCT (Sistema Científico e Tecnológico) Despesas elegíveis - Internacionalização Acções de prospecção e presença em mercados externos: prospecção de mercados, participação em concursos internacionais, participação em certames internacionais nos mercados externos, acções de promoção e contacto directo com a procura internacional Acções de promoção e marketing internacional: concepção e elaboração de material promocional e informativo e concepção de programas de marketing internacional

73 Sistemas de Incentivos às Empresas (QREN) SI Qualificação e Internacionalização de PME Visa a promoção da competitividade das PME através do aumento da produtividade, da flexibilidade e da capacidade de resposta e presença activa no mercado global Apoio a projectos de investimento em factores dinâmicos da competitividade Beneficiários: Empresas, Associações, Entidades Públicas e Entidades do SCT (Sistema Científico e Tecnológico) Despesas elegíveis - Internacionalização Acções de prospecção e presença em mercados externos: prospecção de mercados, participação em concursos internacionais, participação em certames internacionais nos mercados externos, acções de promoção e contacto directo com a procura internacional Acções de promoção e marketing internacional: concepção e elaboração de material promocional e informativo e concepção de programas de marketing internacional Alugueres de equipamentos e espaço de exposição Contratação de serviços especializados Deslocações e alojamento Aquisição de informação e documentação especifica

74 Obrigado

A importância da internacionalização no desenvolvimento de base tecnológica e industrial de defesa nacional

A importância da internacionalização no desenvolvimento de base tecnológica e industrial de defesa nacional A importância da internacionalização no desenvolvimento de base tecnológica e industrial de defesa nacional Lisboa, 25 de Janeiro de 2013 A crescente influência dos Estados nas economias emergentes. A

Leia mais

Alentejo no horizonte 2020 Desafios e Oportunidades

Alentejo no horizonte 2020 Desafios e Oportunidades Alentejo no horizonte 2020 Desafios e Oportunidades Vendas Novas - 02 de julho de 2013 aicep Portugal Global é uma agência pública de natureza empresarial, cuja missão é: Atrair investimento estrangeiro

Leia mais

INTERNACIONALIZAÇÃO Programas de Estimulo e Medidas de Apoio

INTERNACIONALIZAÇÃO Programas de Estimulo e Medidas de Apoio INTERNACIONALIZAÇÃO Programas de Estimulo e Medidas de Apoio Viseu, 18 de Junho de 2012 A aicep Portugal Global A aicep Portugal Global aicep Portugal Global missão é: é uma agência pública de natureza

Leia mais

Náutica. Desenvolvimento Económico e Cultura Marítima. Lisboa, 8 de Fevereiro de 2012

Náutica. Desenvolvimento Económico e Cultura Marítima. Lisboa, 8 de Fevereiro de 2012 Náutica Desenvolvimento Económico e Cultura Marítima Lisboa, 8 de Fevereiro de 2012 Aicep Portugal Global é uma agência pública de natureza empresarial, cuja missão é: Atrair investimento estrangeiro para

Leia mais

A AICEP e os Apoios à Internacionalização. Porto, 27 de maio de 2014

A AICEP e os Apoios à Internacionalização. Porto, 27 de maio de 2014 A AICEP e os Apoios à Internacionalização Porto, 27 de maio de 2014 Índice 1. A aicep Portugal Global 2. Produtos e serviços AICEP 3. O Processo de Internacionalização A aicep Portugal Global A aicep Portugal

Leia mais

1ª Semana Europeia das PME Workshop Internacionalização

1ª Semana Europeia das PME Workshop Internacionalização 1ª Semana Europeia das PME Workshop Internacionalização Faro, 7 de Maio de 2009 Índice Posicionamento AICEP AICEP - Produtos e Serviços Apoios à Internacionalização Posicionamento AICEP Posicionamento

Leia mais

Conferência Internet, Negócio e Redes Sociais

Conferência Internet, Negócio e Redes Sociais Conferência Internet, Negócio e Redes Sociais 24 de maio de 2012 Auditório ISEGI - UNL Patrocínio Principal Apoios Patrocinadores Globais APDSI A AICEP e os apoios à internacionalização das empresas Lisboa,

Leia mais

Apoio à Internacionalização. CENA 3 de Julho de 2012

Apoio à Internacionalização. CENA 3 de Julho de 2012 Apoio à Internacionalização CENA 3 de Julho de 2012 Enquadramento Enquadramento Comércio Internacional Português de Bens e Serviços Var. 13,3% 55,5 68,2 57,1 73,4 48,3 60,1 54,5 66,0 67,2 61,7 Exportação

Leia mais

A AICEP e os apoios à internacionalização das empresas

A AICEP e os apoios à internacionalização das empresas A AICEP e os apoios à internacionalização das empresas A aicep Portugal Global A aicep Portugal Global aicep Portugal Global missão é: é uma agência pública de natureza empresarial, cuja Atrair investimento

Leia mais

A AICEP e os apoios à internacionalização das empresas. Porto, 25 de Setembro de 2012

A AICEP e os apoios à internacionalização das empresas. Porto, 25 de Setembro de 2012 A AICEP e os apoios à internacionalização das empresas Porto, 25 de Setembro de 2012 A aicep Portugal Global A aicep Portugal Global aicep Portugal Global missão é: é uma agência pública de natureza empresarial,

Leia mais

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas 7 de Novembro de 2014 Internacionalização - Desafios Diversificar Mercados Alargar a Base Exportadora Enquadramento Evolução Recente Comércio

Leia mais

A internacionalização das empresas portuguesas

A internacionalização das empresas portuguesas A internacionalização das empresas portuguesas O Paradoxo da Globalização Motor de crescimento e aproximação de culturas 350 milhões de pessoas sairam da pobreza Fonte de instabilidade e de incerteza Pressão

Leia mais

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas Porto, 28 de Janeiro de 2014 Índice 1. Enquadramento 2. A aicep Portugal Global 3. Produtos e serviços AICEP Enquadramento Enquadramento

Leia mais

A AICEP e os Apoios à Internacionalização

A AICEP e os Apoios à Internacionalização A AICEP e os Apoios à Internacionalização Guimarães, 12 de junho de 2015 Índice 1. Enquadramento / Desafios 2. A aicep Portugal Global 3. Produtos e serviços AICEP 4. O Processo de Internacionalização

Leia mais

Internacionalização Empresarial e Atração de Investimento. Valença, 12 de Julho de 2012

Internacionalização Empresarial e Atração de Investimento. Valença, 12 de Julho de 2012 Internacionalização Empresarial e Atração de Investimento Valença, 12 de Julho de 2012 A aicep Portugal Global A aicep Portugal Global aicep Portugal Global missão é: é uma agência pública de natureza

Leia mais

Serviços da AICEP no apoio à internacionalização de empresas QUIDGEST Dia do Parceiro 2011. Lisboa, 2 de Junho de 2011

Serviços da AICEP no apoio à internacionalização de empresas QUIDGEST Dia do Parceiro 2011. Lisboa, 2 de Junho de 2011 Serviços da AICEP no apoio à internacionalização de empresas QUIDGEST Dia do Parceiro 2011 Lisboa, 2 de Junho de 2011 1. A aicep Portugal Global 2. Rede Nacional e Lojas da Exportação 3. Rede Externa 4.

Leia mais

Desafios da Internacionalização O papel da AICEP. APAT 10 de Outubro, 2015

Desafios da Internacionalização O papel da AICEP. APAT 10 de Outubro, 2015 Desafios da Internacionalização O papel da AICEP APAT 10 de Outubro, 2015 Internacionalização - Desafios Diversificar Mercados Alargar a Base Exportadora 38º PORTUGAL TEM MELHORADO A SUA COMPETITIVIDADE

Leia mais

Uma aposta na Internacionalização

Uma aposta na Internacionalização Uma aposta na Internacionalização Mercados Emergentes Que Oportunidades? Seminário Engenharia e Arquitectura Futuro da Prestação de Serviços 13 de Abril 2011 Índice A aicep Portugal Global Produtos e Serviços

Leia mais

Começar Global e Internacionalização

Começar Global e Internacionalização Começar Global e Internacionalização Artur Alves Pereira Assessor do Conselho de Administração, AICEP Portugal Global Fevereiro 06, 2014 1 A aicep Portugal Global Missão. A aicep Portugal Global é uma

Leia mais

BANCO POPULAR. Parceiro na Internacionalização

BANCO POPULAR. Parceiro na Internacionalização BANCO POPULAR Parceiro na Internacionalização Um Banco Ibérico com Presença Internacional Escritórios de representação Banco Popular Genebra Milão Munique Santiago do Chile Xangai Banco Pastor Buenos Aires

Leia mais

Portugal Leaping forward

Portugal Leaping forward Portugal Leaping forward Dr. Pedro Reis Presidente da AICEP Lisboa, 16 de Março 2012 Enquadramento internacional Fonte: EIU (Fev 2012) Nota: PIB a preços de mercado Variação (%) Enquadramento internacional

Leia mais

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas 16 de Novembro de 2015 Internacionalização - Desafios Diversificar Mercados Alargar a Base Exportadora 38º PORTUGAL TEM MELHORADO A SUA

Leia mais

Missão Empresarial EUA Flórida. 21 a 26 de Março 2015

Missão Empresarial EUA Flórida. 21 a 26 de Março 2015 Missão Empresarial EUA Flórida 21 a 26 de Março 2015 Apoiamos empresas a ter sucesso nos mercados internacionais Sobre nós Na Market Access prestamos serviços de apoio à exportação e internacionalização.

Leia mais

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A ALEMANHA

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A ALEMANHA Expedições 4.646.753 4.957.528 4.954.299 4.099.667 4.771.584 1,4 16,4 Chegadas 8.054.468 8.367.508 8.594.931 6.813.091 7.886.527 0,4 15,8 Saldo -3.407.716-3.409.980-3.640.632-2.713.423-3.114.943 -- --

Leia mais

PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução 2005-2011 Actualizado em Setembro de 2011. Unid. Fonte 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Notas 2011

PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução 2005-2011 Actualizado em Setembro de 2011. Unid. Fonte 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Notas 2011 Evolução 2005-2011 Actualizado em Setembro de 2011 Unid. Fonte 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Notas 2011 População a Milhares Hab. INE 10.563 10.586 10.604 10.623 10.638 10.636 10.643 2º Trimestre

Leia mais

Breve síntese sobre os mecanismos financeiros de apoio à internacionalização e cooperação

Breve síntese sobre os mecanismos financeiros de apoio à internacionalização e cooperação Breve síntese sobre os mecanismos financeiros de apoio à internacionalização e cooperação 1 Incentivos financeiros à internacionalização Em 2010 os incentivos financeiros à internacionalização, não considerando

Leia mais

EXPORTAÇÃO DE PEQUENA ESCALA: ABORDAGEM AOS MERCADOS INTERNACIONAIS

EXPORTAÇÃO DE PEQUENA ESCALA: ABORDAGEM AOS MERCADOS INTERNACIONAIS EXPORTAÇÃO DE PEQUENA ESCALA: ABORDAGEM AOS MERCADOS INTERNACIONAIS 1.º Encontro Jovem Produtor de Queijo Serra da Estrela Gouveia, 14 de Dezembro de 2011 Enquadramento A aicep Portugal Global Canais de

Leia mais

Apoios à Internacionalização. Lisboa, 27 de Março de 2014

Apoios à Internacionalização. Lisboa, 27 de Março de 2014 Apoios à Internacionalização Lisboa, 27 de Março de 2014 Tópicos Sistemas de Incentivos às Empresas (QREN) Novo Quadro (2014-2020) Gestão do Risco Instrumentos de Financiamento Multilaterais Financeiras

Leia mais

Internacionalização da Economia Portuguesa e a Transformação da Indústria Portuguesa. Coimbra, 19 de Novembro de 2010

Internacionalização da Economia Portuguesa e a Transformação da Indústria Portuguesa. Coimbra, 19 de Novembro de 2010 Internacionalização da Economia Portuguesa e a Transformação da Indústria Portuguesa Coimbra, 19 de Novembro de 2010 Enquadramento Enquadramento A importância da Internacionalização na vertente das exportações

Leia mais

FIT FOR A NEW ERA ECONOMIA DAS LÍNGUAS PORTUGUESA E ESPANHOLA LÍNGUA, COMÉRCIO EXTERNO E INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PERSPECTIVAS EMPRESARIAIS

FIT FOR A NEW ERA ECONOMIA DAS LÍNGUAS PORTUGUESA E ESPANHOLA LÍNGUA, COMÉRCIO EXTERNO E INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PERSPECTIVAS EMPRESARIAIS LÍNGUA, COMÉRCIO EXTERNO E Paternoster Square Londres ECONOMIA DAS LÍNGUAS PORTUGUESA E ESPANHOLA INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PERSPECTIVAS EMPRESARIAIS Francisco Cary 19 de Maio de 2011 O Mercado dos Países

Leia mais

Apoio a fornecedores Palmela 14 de Abril de 2011

Apoio a fornecedores Palmela 14 de Abril de 2011 Apoio a fornecedores Palmela 14 de Abril de 2011 1.A aicep Portugal Global 2.Portfolio de Produtos e Serviços 3.Programa Qualificar para Exportar 4.Estudo de caso Agência de Desenvolvimento de Negócios

Leia mais

ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014

ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014 ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014 REPÚBLICA DA COLÔMBIA POPULAÇÃO 48 Milhões SUPERFÍCIE 1.141.748 Km2 CAPITAL Bogotá 7,3 milhões PRINCIPAIS CIDADES

Leia mais

Sessão de Apresentação. Barcelos On Road 2010 Barcelos On Road 2011

Sessão de Apresentação. Barcelos On Road 2010 Barcelos On Road 2011 Sessão de Apresentação Barcelos On Road 2010 Barcelos On Road 2011 Apoio ACIB: - Preparação das visitas, através da realização de sessões de trabalho com a equipa de consultores; - Organização das viagens,

Leia mais

A SUA EMPRESA PRETENDE EXPORTAR? - CONHEÇA O ESSENCIAL E GARANTA O SUCESSO DA ABORDAGEM AO MERCADO EXTERNO

A SUA EMPRESA PRETENDE EXPORTAR? - CONHEÇA O ESSENCIAL E GARANTA O SUCESSO DA ABORDAGEM AO MERCADO EXTERNO A SUA EMPRESA PRETENDE EXPORTAR? - CONHEÇA O ESSENCIAL E GARANTA O SUCESSO DA ABORDAGEM AO MERCADO EXTERNO PARTE 03 - MERCADOS PRIORITÁRIOS Introdução Nas últimas semanas dedicamos a nossa atenção ao

Leia mais

Conferência Alemanha Europeia / Europa Alemã. 26 de novembro de 2014

Conferência Alemanha Europeia / Europa Alemã. 26 de novembro de 2014 Conferência Alemanha Europeia / Europa Alemã 26 de novembro de 2014 1. Empresas Alemãs em Portugal 2. Investimento Direto Alemão em Portugal 3. Exportação / Importação 1. Empresas Alemãs em Portugal Perspetiva

Leia mais

O SEU PROJECTO É ELEGÍVEL PARA ESTES INCENTIVOS?

O SEU PROJECTO É ELEGÍVEL PARA ESTES INCENTIVOS? O SEU PROJECTO É ELEGÍVEL PARA ESTES INCENTIVOS? O ISQ e a ASK querem ajudar empreendedores e empresários à procura de financiamento a obterem o apoio de que necessitam para lançar ou desenvolver os seus

Leia mais

Espanha continuou a ser o país com maior peso nas transações comerciais de bens com o exterior (23,5% nas exportações e de 32,5% nas importações).

Espanha continuou a ser o país com maior peso nas transações comerciais de bens com o exterior (23,5% nas exportações e de 32,5% nas importações). Estatísticas do Comércio Internacional 214 7 de julho de 215 Resultados preliminares do Comércio Internacional em 214: em termos nominais, as exportações aumentaram 1,8% e as importações aumentaram 3,2%

Leia mais

Apoios ao Turismo Lições do QREN, desafios e oportunidades

Apoios ao Turismo Lições do QREN, desafios e oportunidades Apoios ao Turismo Lições do QREN, desafios e oportunidades Piedade Valente Comissão Diretiva do COMPETE Sintra, 9 de outubro de 2014 Agenda da Competitividade (2007-2013): instrumentos de apoio eficiência

Leia mais

Soluções de Financiamento para a Internacionalização

Soluções de Financiamento para a Internacionalização Soluções de Financiamento para a Internacionalização por João Real Pereira Internacionalização para Moçambique Oportunidades e Financiamento 15 de Março de 2012 Braga Sumário 1. O que é a SOFID? Estrutura

Leia mais

SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR. Viana do Castelo, 11de Fevereiro

SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR. Viana do Castelo, 11de Fevereiro SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR Viana do Castelo, 11de Fevereiro www.cosec.pt COSEC Companhia de Seguro de Créditos, S.A. 2014 Índice Sobre a COSEC Seguro de Créditos Soluções à medida em resumo

Leia mais

INOVAÇÃO, EMPREENDEDORISMO E O FUTURO MINISTÉRIO DA ECONOMIA

INOVAÇÃO, EMPREENDEDORISMO E O FUTURO MINISTÉRIO DA ECONOMIA INOVAÇÃO, EMPREENDEDORISMO E O FUTURO MINISTÉRIO DA ECONOMIA Empresas INOVAÇÃO PRODUTOS DIMENSÃO MERCADO PRODUÇÃO MARKETING GESTÃO LIDERANÇA FINANCIAMENTO RH COMPETÊNCIAS Empreendedorismo VISÃO ESTRUTURADA

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS CENTRO DE PROMOÇÃO DE INVESTIMENTOS CLIMA DE INVESTIMENTOS EM MOÇAMBIQUE

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS CENTRO DE PROMOÇÃO DE INVESTIMENTOS CLIMA DE INVESTIMENTOS EM MOÇAMBIQUE REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS CENTRO DE PROMOÇÃO DE INVESTIMENTOS CLIMA DE INVESTIMENTOS EM MOÇAMBIQUE CONTEÚDO 1 Razões para investir em Moçambique 2 Evolução do Investimento

Leia mais

Barreiras à Exportação: Quem Faz o Quê? ALIMENTARIA

Barreiras à Exportação: Quem Faz o Quê? ALIMENTARIA Barreiras à Exportação: Quem Faz o Quê? ALIMENTARIA Lisboa, 29 de Março de 2011 1. A aicep Portugal Global 2. Acompanhamento Integrado 3. Intervenção da aicep A aicep Portugal Global A aicep Portugal Global

Leia mais

Sociedade de Geografia de Lisboa

Sociedade de Geografia de Lisboa Sociedade de Geografia de Lisboa Tema A internacionalização das empresas portuguesas para os Países da Europa Central e Oriental (PECO) Autor Rui Paulo Almas Data Lisboa, 25 de Junho de 2012 1 A internacionalização

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 03 março 2012 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia e do Emprego G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais

Leia mais

Angola Breve Caracterização. Julho 2007

Angola Breve Caracterização. Julho 2007 Breve Caracterização Julho 2007 I. Actividade e Preços. Após o final da guerra civil em 2002, e num contexto de relativa estabilidade política, tornou-se numa das economias de mais elevado crescimento

Leia mais

Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas

Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas Da União Europeia vão chegar até 2020 mais de 20 mil milhões de euros a Portugal. Uma pipa de massa, nas palavras do ex-presidente da Comissão

Leia mais

A AICEP e os Apoios à Internacionalização. S. João da Madeira, 24 de novembro de 2015

A AICEP e os Apoios à Internacionalização. S. João da Madeira, 24 de novembro de 2015 A AICEP e os Apoios à Internacionalização S. João da Madeira, 24 de novembro de 2015 Índice 1. A aicep Portugal Global 2. Produtos e serviços AICEP 3. Portugal 2020 4. O Processo de Internacionalização

Leia mais

FRANCISCO MANTERO - PWC - CPLP 23/01/2013. 1. Título "Opções de financiamento para a CPLP" não é meu.

FRANCISCO MANTERO - PWC - CPLP 23/01/2013. 1. Título Opções de financiamento para a CPLP não é meu. FRANCISCO MANTERO - PWC - CPLP 23/01/2013 1. Título "Opções de financiamento para a CPLP" não é meu. Poderia dar ideia que há opções de financiamento específicas para a CPLP em si mesma e para os Estados

Leia mais

Percepção de Portugal no mundo

Percepção de Portugal no mundo Percepção de Portugal no mundo Na sequência da questão levantada pelo Senhor Dr. Francisco Mantero na reunião do Grupo de Trabalho na Aicep, no passado dia 25 de Agosto, sobre a percepção da imagem de

Leia mais

Factores Determinantes para o Empreendedorismo. Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008

Factores Determinantes para o Empreendedorismo. Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008 Factores Determinantes para o Empreendedorismo Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008 IAPMEI Instituto de Apoio às PME e à Inovação Principal instrumento das políticas económicas para Micro e Pequenas

Leia mais

Inovação no Brasil nos próximos dez anos

Inovação no Brasil nos próximos dez anos Inovação no Brasil nos próximos dez anos XX Seminário Nacional de Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas XVIII Workshop ANPROTEC Rodrigo Teixeira 22 de setembro de 2010 30/9/2010 1 1 Inovação e

Leia mais

INCENTIVOS ÀS EMPRESAS

INCENTIVOS ÀS EMPRESAS INCENTIVOS ÀS EMPRESAS Gestão de Projectos info@ipn-incubadora.pt +351 239 700 300 BEST SCIENCE BASED INCUBATOR AWARD Incentivos às Empresas Objectivos: - Promoção do up-grade das empresas de PME; - Apoiar

Leia mais

Oportunidades a explorar

Oportunidades a explorar Oportunidades a explorar 1. Candidatura ao reconhecimento da Dieta Mediterrânica de PORTUGAL (liderada por Tavira) 2. Notoriedade do ALGARVE nos principais mercados turísticos europeus [Reino Unido, Alemanha,

Leia mais

Instituto Politécnico de Santarém Gabinete de Mobilidade e Cooperação Internacional Documento de orientação estratégica

Instituto Politécnico de Santarém Gabinete de Mobilidade e Cooperação Internacional Documento de orientação estratégica Instituto Politécnico de Santarém Gabinete de Mobilidade e Cooperação Internacional Documento de orientação estratégica 1. Introdução Assume-se que a internacionalização do IPSantarém não deve consistir

Leia mais

APEX- APOIO À PROMOÇÃO DA EXPORTAÇÃO DAS PME 2012

APEX- APOIO À PROMOÇÃO DA EXPORTAÇÃO DAS PME 2012 APEX- APOIO À PROMOÇÃO DA EXPORTAÇÃO DAS PME 2012 A aposta no apoio à internacionalização tem sido um dos propósitos da AIDA que, ao longo dos anos, tem vindo a realizar diversas acções direccionadas para

Leia mais

African Development Bank

African Development Bank OPORTUNIDADES E DESAFIOS BANCO AFRICANO DE DESENVOLVIMENTO Lisboa, 18 de Abril 2008 1 2 O que investidores e empresas querem saber 1. O que é o BAD? 2. Instrumentos de financiamento 3. Áreas de negócios

Leia mais

Portugal 2020. CCILC, Junho 2014

Portugal 2020. CCILC, Junho 2014 Portugal 2020 CCILC, Junho 2014 Internacionalização: Quando? Para Quem? PME Organizações Onde? Regiões Como valorizar? + RH +Inovação O Quê? Que Investimentos? Quais? Temas Prioridades Objetivos Internacionalização:

Leia mais

19ª Edição FIC Feira Internacional de Cabo Verde Ilha de S. Vicente Cidade do Mindelo Laginha 18-22 de Nov.

19ª Edição FIC Feira Internacional de Cabo Verde Ilha de S. Vicente Cidade do Mindelo Laginha 18-22 de Nov. 19ª Edição FIC Feira Internacional de Cabo Verde Ilha de S. Vicente Cidade do Mindelo Laginha 18-22 de Nov. Stop-over Ilha de Santiago Cidade da Praia 16-17 de Nov. Proj. Conjunto Internacionalização PT2020

Leia mais

Alemanha - Síntese País

Alemanha - Síntese País Informação Geral sobre a Alemanha Área (km 2 ): 356 970 km 2 Chanceler Federal: Angela Merkel População (milhões hab.): 81 (estimativa 2014) Risco de crédito (*): Capital: Berlim Risco do país: A (AAA

Leia mais

MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS INSTITUTO DIPLOMÁTICO VAGAS PARA ESTÁGIOS SERVIÇOS EXTERNOS 2º SEMESTRE DE 2012/2013

MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS INSTITUTO DIPLOMÁTICO VAGAS PARA ESTÁGIOS SERVIÇOS EXTERNOS 2º SEMESTRE DE 2012/2013 VAGAS PARA ESTÁGIOS SERVIÇOS EXTERNOS 2º SEMESTRE DE 2012/2013 SERVIÇO VAGAS PERFIL DO ESTAGIÁRIO DESCRIÇÃO DAS FUNÇÕES A DESEMPENHAR OBSERVAÇÕES Consulado Geral de Portugal em Londres VagaE-1/2S/1213

Leia mais

AVISO Nº 01/SI/2014 - INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DAS PME PROJETOS CONJUNTOS INTERNACIONALIZAÇÃO

AVISO Nº 01/SI/2014 - INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DAS PME PROJETOS CONJUNTOS INTERNACIONALIZAÇÃO AVISO Nº 01/SI/2014 - Janeiro de 2015 Objetivo Estratégico Beneficiários Ações globais do Programa Abrir novos horizontes às PME nacionais, fomentando a sua entrada no mercado-alvo de África do Sul e impulsionado

Leia mais

Jornadas de Diplomacia Económica. Humberto Casanova Direção Internacional de Negócio

Jornadas de Diplomacia Económica. Humberto Casanova Direção Internacional de Negócio Jornadas de Diplomacia Económica Humberto Casanova Direção Internacional de Negócio ISEG, 5 de Dezembro de 2012 1 Índice I. Estratégia e Presença Internacional II. Apoio financeiro à Internacionalização

Leia mais

Apoio à Internacionalização

Apoio à Internacionalização Apoio à Internacionalização Incentivos QREN Castelo Branco, 4 de outubro 2012 YUNIT Corporate: João Esmeraldo QREN - Sistema Incentivos Empresas I&DT - Investigação e Desenvolvimento Qualificação - Investimentos

Leia mais

Agenda Internacional 2009

Agenda Internacional 2009 Agenda Internacional 2009 CNI: estratégia institucional Visão Estratégica Mapa Estratégico Uma visão sobre o futuro do país e da indústria (2007-2015) Identifica prioridades estratégicas Participação de

Leia mais

Gerido pelo CIN Centro Internacional de Negócios / Sistema FIEB e Sebrae, através do acompanhamento e apoio individualizado às empresas, com foco na

Gerido pelo CIN Centro Internacional de Negócios / Sistema FIEB e Sebrae, através do acompanhamento e apoio individualizado às empresas, com foco na Gerido pelo CIN Centro Internacional de Negócios / Sistema FIEB e Sebrae, através do acompanhamento e apoio individualizado às empresas, com foco na competitividade e acesso a mercados, através da articulação

Leia mais

INCENTIVOS ÀS EMPRESAS NO ÂMBITO DO QREN ABERTURA DE CONCURSOS

INCENTIVOS ÀS EMPRESAS NO ÂMBITO DO QREN ABERTURA DE CONCURSOS INCENTIVOS ÀS EMPRESAS NO ÂMBITO DO QREN ABERTURA DE CONCURSOS SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO (SI INOVAÇÃO) - INOVAÇÃO PRODUTIVA Objectivos e Prioridades O presente concurso destina-se a apoiar investimentos

Leia mais

SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS

SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS Sistema de Incentivos às Empresas O que é? é um dos instrumentos fundamentais das políticas públicas de dinamização económica, designadamente em matéria da promoção da

Leia mais

Internacionalização. Países lusófonos - Survey. Janeiro de 2015

Internacionalização. Países lusófonos - Survey. Janeiro de 2015 Internacionalização Países lusófonos - Survey Janeiro de 2015 1 Índice 1. Iniciativa Lusofonia Económica 2. Survey Caracterização das empresas participantes 3. Empresas não exportadoras 4. Empresas exportadoras

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Identidade, Competitividade, Responsabilidade Acordo de Parceria Consagra a política de desenvolvimento económico, social, ambiental e territorial Define

Leia mais

POLÓNIA Relações bilaterais Polónia - Portugal

POLÓNIA Relações bilaterais Polónia - Portugal POLÓNIA Relações bilaterais Polónia - Portugal Visita da missão de PPP do Ministério da Economia da Polónia a Portugal Bogdan Zagrobelny Primeiro Conselheiro EMBAIXADA DA POLÓNIA DEPARTAMENTO DE PROMOÇÃO

Leia mais

Integração Produtiva Brasil/Argentina Setor de Lácteos Cândida Maria Cervieri SECEX/MDIC Brasília, 03 de agosto de 2010

Integração Produtiva Brasil/Argentina Setor de Lácteos Cândida Maria Cervieri SECEX/MDIC Brasília, 03 de agosto de 2010 Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio Exterior Integração Produtiva Brasil/Argentina Setor de Lácteos Cândida Maria Cervieri SECEX/MDIC Brasília, 03 de agosto

Leia mais

Soluções de seguro de créditos no apoio à exportação. COSEC - Estamos onde estiver o seu negócio. www.cosec.pt

Soluções de seguro de créditos no apoio à exportação. COSEC - Estamos onde estiver o seu negócio. www.cosec.pt Soluções de seguro de créditos no apoio à exportação. COSEC - Estamos onde estiver o seu negócio. www.cosec.pt COSEC Companhia de Seguro de Créditos 2012 1 2 Sobre a COSEC O que é o Seguro de Créditos

Leia mais

MISSÕES EMPRESARIAIS

MISSÕES EMPRESARIAIS EXPORT 2º SEMESTRE 2014 1º SEMESTRE 2015 MISSÕES EMPRESARIAIS ÁFRICA ARGÉLIA TUNÍSIA MOÇAMBIQUE ÁSIA AMÉRICA CHINA CUBA PERU EQUADOR ESTADOS UNIDOS EUROPA POLÓNIA CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO 1 DESCRIÇÃO

Leia mais

Apoio à Internacionalização das Empresas

Apoio à Internacionalização das Empresas Apoio à Internacionalização das Empresas 26 de Novembro de 2009 Apoio à internacionalização das empresas Moçambique: Dados Gerais O Sector Financeiro em Moçambique O Grupo Caixa Geral de Depósitos Soluções

Leia mais

Fundos para a Internacionalização

Fundos para a Internacionalização Fundos para a Internacionalização Fundos de apoio às empresas O que são? São sistemas de incentivos vocacionados para o apoio às empresas, financiados por fundos comunitários e/ou nacionais. 2 Fundos de

Leia mais

Arial Bold Alinhado esquerda 27 pt

Arial Bold Alinhado esquerda 27 pt Aspectos Relevantes para Investidores Arial Bold Alinhado esquerda 27 pt Portugueses em Angola Arial Bold (Orador) Alinhado esquerda 17 pt Arial (Data) Alinhado esquerda 14 pt Partilhamos a Experiência.

Leia mais

MISSÃO DO GRUPO DE TRABALHO

MISSÃO DO GRUPO DE TRABALHO 4 de Agosto de 2011 MISSÃO DO GRUPO DE TRABALHO Apresentar um novo modelo de organização de serviços e organismos do Estado vocacionados para: - Promoção e captação de investimento estrangeiro; - Internacionalização

Leia mais

Bélgica - Síntese País

Bélgica - Síntese País Informação Geral sobre a Bélgica Área (km 2 ): 30 528 Primeiro-Ministro: Charles Michel População (milhões hab.): 11,1 (estimativa 2014) Risco de crédito: (*) Capital: Bruxelas Risco do país: A2 (AAA =

Leia mais

Uma Rede Europeia ao Serviço das Empresas Vanda Narciso IAPMEI. Inovação PME ATEC, 18 de Janeiro 2011. European Commission Enterprise and Industry

Uma Rede Europeia ao Serviço das Empresas Vanda Narciso IAPMEI. Inovação PME ATEC, 18 de Janeiro 2011. European Commission Enterprise and Industry Uma Rede Europeia ao Serviço das Empresas Vanda Narciso IAPMEI Inovação PME ATEC, 18 de Janeiro 2011 European Commission Enterprise and Industry Quem somos? A maior rede de apoio às empresas e à inovação;

Leia mais

Espírito Santo Investment Bank Overview FIT FOR A NEW ERA

Espírito Santo Investment Bank Overview FIT FOR A NEW ERA Espírito Santo Investment Bank Overview FIT FOR A NEW ERA December 2011 Espírito Santo Investment Bank Somos: A unidade de Banca de Investimento do Grupo Banco Espírito Santo O Banco de Investimento de

Leia mais

A Indústria Portuguesa de Moldes

A Indústria Portuguesa de Moldes A Indústria Portuguesa de Moldes A Indústria Portuguesa de Moldes tem vindo a crescer e a consolidar a sua notoriedade no mercado internacional, impulsionada, quer pela procura externa, quer por uma competitiva

Leia mais

Lusoflora 2015. Crédito Agrícola. Santarém, 27 de Fevereiro

Lusoflora 2015. Crédito Agrícola. Santarém, 27 de Fevereiro Lusoflora 2015 Crédito Agrícola Santarém, 27 de Fevereiro Agenda 1. Quem somos 2. Proposta Valor 3. Soluções Crédito Agrícola para EMPRESAS/ ENI 4. CA Seguros 2 Quem somos O Grupo Crédito Agrícola é um

Leia mais

INTERNACIONALIZAR EM PARCERIA

INTERNACIONALIZAR EM PARCERIA INTERNACIONALIZAR EM PARCERIA 2 PROGRAMA INTERNACIONALIZAR EM PARCERIA A Portugal Ventures, Caixa Capital e Mota-Engil Industria e Inovação celebraram um acordo para a concretização de um Programa, designado

Leia mais

Redes de apoio às empresas portuguesas no estrangeiro

Redes de apoio às empresas portuguesas no estrangeiro SERVIÇOS DE INTELIGÊNCIA ECONÓMICA Documento de Inteligência Económica TEMA: Redes de apoio às empresas portuguesas no estrangeiro 1. Importância para as empresas em processo de internacionalização A ação

Leia mais

Grupo de Trabalho Internacionalização e Desenvolvimento (I&D) PROJECTO DE RELATÓRIO 25 de Agosto de 2011

Grupo de Trabalho Internacionalização e Desenvolvimento (I&D) PROJECTO DE RELATÓRIO 25 de Agosto de 2011 Grupo de Trabalho Internacionalização e Desenvolvimento (I&D) PROJECTO DE RELATÓRIO 25 de Agosto de 2011 SUMÁRIO 1.OS CINCO PONTOS DE CONSENSO E TRÊS CENÁRIOS APRESENTADOS A SEGUIR FORAM NEGOCIADOS APÓS

Leia mais

NewVision Enquadramento do projecto de Qualificação e Internacionalização de PME

NewVision Enquadramento do projecto de Qualificação e Internacionalização de PME NewVision Enquadramento do projecto de Qualificação e Internacionalização de PME 15.06.2010 Institucional \ Breve Introdução A NEWVISION é uma empresa Portuguesa de base tecnológica, que tem como objectivo

Leia mais

RELAÇÕES TRANSATLÂNTICAS NO CONTEXTO ACTUAL

RELAÇÕES TRANSATLÂNTICAS NO CONTEXTO ACTUAL RELAÇÕES TRANSATLÂNTICAS NO CONTEXTO ACTUAL José Joaquim de Oliveira Presidente da Câmara de Comércio Americana VII Conferência Risco País da Coface 22 de Maio de 2012 A Economia Transatlântica éa maior

Leia mais

ÁFRICA DO SUL AERLIS - Oeiras 31.03.2011

ÁFRICA DO SUL AERLIS - Oeiras 31.03.2011 ÁFRICA DO SUL AERLIS - Oeiras 31.03.2011 Alguns factos históricos 1487 Bartolomeu Dias chega ao Cabo da Boa Esperança 1652 Holandeses, ao serviço da Dutch East India Company, instalam-se no Cabo. Colónia

Leia mais

MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO

MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO Ambiente de Inovação em Saúde EVENTO BRITCHAM LUIZ ARNALDO SZUTAN Diretor do Curso de Medicina Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo SOCIEDADES CONHECIMENTO

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO DAS PME SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO

SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO DAS PME SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 09/2009 SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO DAS PME SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO LIMITES À ELEGIBILIDADE DE DESPESAS, CONDIÇÕES ESPECÍFICAS DE APLICAÇÃO DAS DESPESAS ELEGÍVEIS

Leia mais

INTERVENÇÃO Dr. José Vital Morgado Administrador Executivo da AICEP ****

INTERVENÇÃO Dr. José Vital Morgado Administrador Executivo da AICEP **** INTERVENÇÃO Dr. José Vital Morgado Administrador Executivo da AICEP **** Gostaria de começar por agradecer o amável convite da CIP para participarmos nesta conferência sobre um tema determinante para o

Leia mais

O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior

O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior Alessandro Golombiewski Teixeira Secretário-Executivo São Paulo, agosto de 2012 Introdução 1 Contexto Econômico Internacional;

Leia mais

A Indústria Portuguesa de Moldes

A Indústria Portuguesa de Moldes A Indústria Portuguesa de Moldes A Indústria Portuguesa de Moldes tem vindo a crescer e a consolidar a sua notoriedade no mercado internacional, impulsionada, quer pela procura externa, quer pelo conjunto

Leia mais

QREN. 2007-2013 Agenda de Competitividade

QREN. 2007-2013 Agenda de Competitividade 1 QREN. 2007-2013 Conhecimento e inovação Produção transaccionável QREN 2007-2013 Competitividade Financiamento Empresarial Eficiência da Administração Pública Convergência com a UE Perfil de especialização

Leia mais

Por Paulo Lopes. Viana do Castelo, Fevereiro 2014 Seminário Exportar, exportar, exportar A Experiência dos Principais Clusters Regionais

Por Paulo Lopes. Viana do Castelo, Fevereiro 2014 Seminário Exportar, exportar, exportar A Experiência dos Principais Clusters Regionais Por Paulo Lopes Viana do Castelo, Fevereiro 2014 Seminário Exportar, exportar, exportar A Experiência dos Principais Clusters Regionais A SOFID Critérios de Elegibilidade Produtos e Serviços Atividade

Leia mais

de Investimento em Angola e Cabo Verde

de Investimento em Angola e Cabo Verde Conferência Client Perspectivas name appearse Oportunidades here de Investimento em Angola e Cabo Verde PwC Conferência Estruturas de Investimento: Cabo Verde Leendert Verschoor Agenda Introdução 1 Ficha

Leia mais

Porque é que o Turismo. é essencial para a Economia Portuguesa?

Porque é que o Turismo. é essencial para a Economia Portuguesa? Porque é que o Turismo é essencial para a Economia Portuguesa? 14 milhões de hóspedes Vindos do Reino Unido, Alemanha, Espanha, França, Brasil, EUA Num leque de países que alarga ano após ano. 9,2 % do

Leia mais

SEMINÁRIO Exportar para o México

SEMINÁRIO Exportar para o México SEMINÁRIO Exportar para o México Gonçalo Gaspar Diretor Direção Internacional de Negócio da CGD Porto, 26 de Setembro de 2012 1 Índice México: relacionamento comercial com Portugal Grupo CGD: Presença

Leia mais

PORTUGALPLUS - Investimento e Exportação

PORTUGALPLUS - Investimento e Exportação 1 PORTUGALPLUS - Investimento e Exportação Excelência na execução como alavanca de crescimento no mercado Alemão Apresentação das primeiras conclusões do estudo Maio, 2013 FÓRUM PARA A COMPETITIVIDADE

Leia mais