Certificação Profissional

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Certificação Profissional"

Transcrição

1 Certificação Profissional Marise Theodoro da Silva Gasparini 24 de maio de 2010

2 SOBRE O ICSS O ICSS, agora, INSTITUTO DE CERTIFICAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE SEGURIDADE SOCIAL, promoveu alteração em seu Estatuto Social para atuar na difusão da cultura de qualificação e certificação profissional da seguridade. A certificação é processo de aferição de conhecimento e/ou habilidade de pessoas, em determinadas áreas, para atestar a competência para o exercício de cargo ou função. O mercado necessita de algo quantificável e verificável para confirmar a experiência.

3 SOBRE O ICSS O ICSS está estruturado para: Aplicar exames de qualificação técnica e certificar os profissionais de seguridade social; Desenvolver e promover a manutenção da certificação, por meio de processo de educação continuada ou exame (prova). O ICSS não irá atuar em treinamento ou indicará cursos para o exame de certificação.

4 O ICSS é administrado pelos seguintes órgãos: SOBRE O ICSS Assembléia Geral; Conselho Diretor constituído por 3 membros indicados pela Assembléia Geral, sendo um deles, Presidente; Conselho Fiscal. O ICSS é totalmente autônomo dos demais órgãos estatutários da Abrapp, administrado por um Diretor Técnico contratado no mercado, e com dedicação exclusiva à Certificação. O modelo de Certificação proposto observa princípios de autorregulação e da legislação em vigor.

5 OBJETIVO Difusão da Cultura de Qualificação Profissional Certificação com base nas Competências como reconhecimento da Qualificação Profissional Promoção do Processo de Educação Continuada

6 A QUEM SE DESTINA Profissionais de Investimentos (ênfase em Finanças) Administradores em geral (ênfase em Gestão e Previdência)

7 MODELAGEM DA CERTIFICAÇÃO Primeira Certificação: - Exame de Qualificação por Prova - Exame de Qualificação por Experiência (Análise Documental) Renovação da Certificação: - Exame do Histórico do Programa de Educação Continuada - Exame de Qualificação por Prova

8 GRADE DE COMPETÊNCIAS Construção Temática por Áreas de Competências: - Administração Geral - Administração Atuarial - Financeira - Contábil - Jurídica - Fiscalização e Auditoria Conteúdo da Grade: - Referências: regulamentação e certificações do mercado - Montagem multidisciplinar em etapas evolutivas

9 MODELAGEM DA PROVA Exame de Qualificação por meio de Prova Gestão e Previdência Investimento Níveis de Complexidade das Questões: Básico Médio Avançado Linha de corte: estimativa inicial 60% de aproveitamento global 40% de aproveitamento em cada módulo

10 MODELAGEM DA PROVA Ênfase em Investimentos 60 Questões distribuídas em dois módulos conforme áreas temáticas e nível de complexidade: básico (b), médio (m) e avançado (a). (25 questões) (35 questões) Adm: 3b - 6m - 1a Módulo Gestão e Previdência Jur: 2b 3m Fis/Aud: 3b 2m Atu: 2b - 3m Módulo Invest. Fin: 6b 18m 6a Con: 2b 3m {18b - 35m - 7a}

11 60 Questões distribuídas em dois módulos conforme áreas temáticas e nível de complexidade: básico (b), médio (m) e avançado (a). (45) (15) MODELAGEM DA PROVA Ênfase Administrador Adm: 3b - 9m - 3a Módulo Gestão e Previdência Jur: 4b 6m Fis/Aud: 2b 3m Atu: 3b - 9m 3a Módulo Invest. Fin: 3b 6m 1a Con: 3b 2m {18b - 35m - 7a}

12 FORMAS DE AVALIAÇÃO Análise de Currículo Exame de Qualificação Por Experiência Profissional Memorial Recomendações Entrevista Referência nas práticas do mercado Foco na trajetória Profissional do Candidato: últimos 10 anos Necessidade de Adesão ao Código de Conduta Exigência mínima para inscrição: pré-requisitos

13 PRÉ-REQUISITOS PARA A INSCRIÇÃO POR EXPERIÊNCIA Os mesmos exigidos pela legislação comprovada experiência no exercício de atividades nas áreas financeira, administrativa, contábil, jurídica, de fiscalização ou de auditoria; não ter sofrido condenação criminal transitada em julgado; não ter sofrido penalidade administrativa por infração da legislação da seguridade social ou como servidor público; ter formação de nível superior.

14 PRÉ-REQUISITOS PARA A INSCRIÇÃO POR EXPERIÊNCIA Contemplar ao menos 1 das seguintes situações (considerar os últimos 10 anos): - Mínimo de 2 anos desempenhando ou tendo desempenhado função diretiva (Conselheiro ou Diretor) de EFPC; - Mínimo de 3 anos desempenhando ou tendo desempenhado função de gestor relaciona à uma das áreas de referência (conforme definidas na lei) EFPCs, em empresas de capital aberto ou nas patrocinadoras de EFPC; - Mínimo de 5 anos desempenhando ou tendo desempenhado função de gestor relacionada à uma das áreas de referência (conforme definidas na lei) em organizações relacionadas à seguridade social.

15 MODELO DE CURRÍCULO PADRONIZADO Informações Gerais Formação Acadêmica (++) Formação Acadêmica Complementar(+) Cargos e Funções Exercidas (+++) Certificações de Competências (++) Produção Autoral (+) Premiações Profissionais (+) Anexos Comprobatórios Dados gerais de identificação Escolarização nos níveis de graduação e pós-graduação Cursos Livres e de Extensão Experiência comprovada por meio de vínculo formal de trabalho Certificações emitidas por entidades reconhecidas pelo mercado Produção de trabalhos acadêmicos, livros e artigos pertinentes ao setor Prêmios relacionados com sua atividade profissional Documentos que comprovem as informações dadas

16 FORMAS DE AVALIAÇÃO Exame de Qualificação por meio de Prova Gestão e Previdência Investimento Análise de Currículo Exame de Qualificação Por Experiência Profissional Memorial Recomendações Entrevista Renovação da certificação por meio do Programa de Educação Continuada Análise do Histórico do PEC (Programa de Educação Continuada)

17 PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA Análise do Histórico do Programa de Educação Contínua (PEC): para atualização do Certificado (válido por 3 anos) Objetivo: Direcionar e estimular o auto-desenvolvimento Profissional dos profissionais das EFPC Métrica: Créditos por eventos, classificados segundo critérios de correlação de escopo, extensão (carga-horária), nível de participação e tipo de instituição promotora

18 INSCRIÇÕES Certificação por experiência: Primeiro semestre. Certificação por prova: Segundo semestre.

19

20 Contatos: Telefone: (11) Site:

REGULAMENTO DA CERTIFICAÇÃO POR EXPERIÊNCIA

REGULAMENTO DA CERTIFICAÇÃO POR EXPERIÊNCIA REGULAMENTO DA CERTIFICAÇÃO POR EXPERIÊNCIA 2016 1 1. Este Regulamento contém as regras adotadas pelo ICSS para a Certificação por Experiência de Profissionais, através do reconhecimento da sua capacitação

Leia mais

O PAPEL DOS CONSELHEIROS NOS FUNDOS DE PENSÃO

O PAPEL DOS CONSELHEIROS NOS FUNDOS DE PENSÃO O PAPEL DOS CONSELHEIROS NOS FUNDOS DE PENSÃO Carlos Marne Dias Alves Diretor de Análise Técnica Superintendência Nacional de Previdência Complementar Curitiba, 11 de agosto de 2016 SUMÁRIO 1. Estrutura

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA PEC REGULAMENTO

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA PEC REGULAMENTO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA PEC REGULAMENTO 2017 1. Este Regulamento define as regras adotadas pelo Instituto de Certificação Institucional e dos Profissionais de Seguridade Social () para o Programa

Leia mais

( )Assistido ( ) Ativo Superintendência Gerência Área/Local. Telefone Ramal Nascimento Admissão

( )Assistido ( ) Ativo Superintendência Gerência Área/Local. Telefone Ramal Nascimento Admissão REQUERIMENTO DE INSCRIÇÃO, DECLARAÇÃO E AUTORIZAÇÃO ELEIÇÃO DO CONSELHO FISCAL - 2017 Participante Matrícula ( )Assistido ( ) Ativo Superintendência Gerência Área/Local Telefone Ramal Nascimento Admissão

Leia mais

REGULAMENTO DA CERTIFICAÇÃO POR PROVA PARA TÉCNICOS 2012

REGULAMENTO DA CERTIFICAÇÃO POR PROVA PARA TÉCNICOS 2012 REGULAMENTO DA CERTIFICAÇÃO POR PROVA PARA TÉCNICOS 2012 1 1. Este Regulamento traz as regras adotadas pelo ICSS para a Certificação por Prova para Técnicos, através da aplicação de exame de conhecimentos

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DE PROFISSIONAIS DO RPPS. Parecer Técnico

CERTIFICAÇÃO DE PROFISSIONAIS DO RPPS. Parecer Técnico CERTIFICAÇÃO ICSS CERTIFICAÇÃO DE PROFISSIONAIS DO RPPS Parecer Técnico 2013 1 1. Introdução O objetivo do texto é analisar a possibilidade de certificação de profissionais de entidades do Regime Próprio

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DAS ELEIÇÕES PREVI 2016

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DAS ELEIÇÕES PREVI 2016 EDITAL DE CONVOCAÇÃO DAS ELEIÇÕES PREVI 2016 DO PROCESSO ELEITORAL Art. 1º No período de 13 a 27.05.2016 será realizado processo de consulta aos participantes e assistidos dos Planos de Benefícios administrados

Leia mais

ATO DELIBERATIVO 30/2017. O Conselho Deliberativo da Fundação CELESC de Seguridade Social - CELOS, no uso de suas atribuições,

ATO DELIBERATIVO 30/2017. O Conselho Deliberativo da Fundação CELESC de Seguridade Social - CELOS, no uso de suas atribuições, ATO DELIBERATIVO 30/2017 O Conselho Deliberativo da Fundação CELESC de Seguridade Social - CELOS, no uso de suas atribuições, CONSIDERANDO o que dispõe o 2 do Art. 24 e o 2º do Art. 31 da versão 6 do Estatuto

Leia mais

HEALTH WEALTH CAREER PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EM PREVIDÊNCIA

HEALTH WEALTH CAREER PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EM PREVIDÊNCIA HEALTH WEALTH CAREER PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EM PREVIDÊNCIA 2017 QUEM SOMOS O programa de Desenvolvimento em Previdência conta com os mais de 30 anos de expertise da Mercer para promover treinamentos

Leia mais

NICOLAU RODRIGUES DA SILVEIRA Advogado OAB/RS nº Mantenedora das Faculdades Integradas de Taquara FACCAT

NICOLAU RODRIGUES DA SILVEIRA Advogado OAB/RS nº Mantenedora das Faculdades Integradas de Taquara FACCAT VIII SEMINÁRIO SUL BRASILEIRO DE PREVIDÊNCIA PÚBLICA CONSELHO FISCAL DO RPPS OBRIGAÇÕES E RESPONSABILIDADE S NICOLAU RODRIGUES DA SILVEIRA Advogado OAB/RS nº 29383 Presidente do Conselho Deliberativo da

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO

EDITAL DE CONVOCAÇÃO EDITAL DE CONVOCAÇÃO A COMISSÃO ELEITORAL, constituída pela Diretoria Executiva, nos termos do disposto em ata de reunião ocorrida na data de 09/11/2016, vem convocar os participantes dos Planos de Benefícios

Leia mais

7 A 9 DE OUTUBRO DE 2015 CICB CENTRO INTERNACIONAL DE CONVENÇÕES DO BRASIL BRASÍLIA DF

7 A 9 DE OUTUBRO DE 2015 CICB CENTRO INTERNACIONAL DE CONVENÇÕES DO BRASIL BRASÍLIA DF 7 A 9 DE OUTUBRO DE 2015 CICB CENTRO INTERNACIONAL DE CONVENÇÕES DO BRASIL BRASÍLIA DF CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL Vitor Paulo C. Gonçalves Diretor Presidente [2] CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL A certificação

Leia mais

POSITION PAPER O SUBSTITUTIVO DO DEPUTADO MARCUS PESTANA AO PLP 268/2016 REPRESENTA UM AVANÇO A SER CONSOLIDADO.

POSITION PAPER O SUBSTITUTIVO DO DEPUTADO MARCUS PESTANA AO PLP 268/2016 REPRESENTA UM AVANÇO A SER CONSOLIDADO. POSITION PAPER O SUBSTITUTIVO DO DEPUTADO MARCUS PESTANA AO PLP 268/2016 REPRESENTA UM AVANÇO A SER CONSOLIDADO. MAS AINDA SÃO NECESSÁRIOS OUTROS AJUSTES PONTUAIS. Como representante das entidades fechadas

Leia mais

Seminário Carreiras. Certificação e Educação Continuada

Seminário Carreiras. Certificação e Educação Continuada Seminário Carreiras Certificação e Educação Continuada A ANBIMA Existimos para representar todos os tipos de instituições que atuam no mercado de capitais brasileiro Gestoras / Administradoras 41% Bancos

Leia mais

PROPOSTA DE REVISÃO ORÇAMENTÁRIA PARA 2012

PROPOSTA DE REVISÃO ORÇAMENTÁRIA PARA 2012 PROPOSTA DE REVISÃO ORÇAMENTÁRIA PARA 2012 REUNIÃO DO CONSELHO DIRETOR 3 DE MAIO DE 2012 PREMISSAS I RECEITAS E DESPESAS DE CERTIFICAÇÃO 1.1 RECEITAS DE CERTIFICAÇÃO Taxas de inscrição Administradores

Leia mais

Programa de Certificação de Conselheiros IBGC

Programa de Certificação de Conselheiros IBGC São Paulo, 12 de maio de 2009. Programa de Certificação de Conselheiros IBGC Referência: Abertura das inscrições para o processo de certificação por experiência para conselheiros de administração 1. Modalidades

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DA FUNDAÇÃO ATLÂNTICO DE SEGURIDADE SOCIAL ELEIÇÃO 2013

REGULAMENTO ELEITORAL DA FUNDAÇÃO ATLÂNTICO DE SEGURIDADE SOCIAL ELEIÇÃO 2013 REGULAMENTO ELEITORAL DA FUNDAÇÃO ATLÂNTICO DE SEGURIDADE SOCIAL ELEIÇÃO 2013 DO REGULAMENTO Art. 1º Este Regulamento Eleitoral tem por objetivo definir as normas procedimentais que regerão a Eleição de

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ELEIÇÕES

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ELEIÇÕES EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ELEIÇÕES 1. DO OBJETO A Comissão Eleitoral designada pela Resolução nº 03/2017, do Conselho Deliberativo da, para organizar o processo de eleição dos membros do Conselho Deliberativo

Leia mais

INVESTIMENTOS E PARTICIPAÇÕES EM INFRAESTRUTURA S.A. - INVEPAR. CNPJ nº / NIRE nº Código CVM COMPANHIA ABERTA

INVESTIMENTOS E PARTICIPAÇÕES EM INFRAESTRUTURA S.A. - INVEPAR. CNPJ nº / NIRE nº Código CVM COMPANHIA ABERTA INVESTIMENTOS E PARTICIPAÇÕES EM INFRAESTRUTURA S.A. - INVEPAR CNPJ nº 03.758.318/0001-24 NIRE nº 33.3.002.6.520-1 Código CVM 18775 COMPANHIA ABERTA Em cumprimento ao disposto no artigo 30, II da Instrução

Leia mais

Sumário Estatístico dos Exames ANBIMA. Certificação Dados obtidos até: Relatório Gerado em:

Sumário Estatístico dos Exames ANBIMA. Certificação Dados obtidos até: Relatório Gerado em: Sumário Estatístico dos Exames ANBIMA Certificação Dados obtidos até: 30.06.2016 Relatório Gerado em: 13.07.2016 Números consolidados dos Exames de Certificação ANBIMA CPA-10 CPA-20 CGA* CEA Total Inscrições

Leia mais

CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA CPA-10 E CPA-20 PROPOSTA

CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA CPA-10 E CPA-20 PROPOSTA CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA CPA-10 E CPA-20 PROPOSTA 1608274 Pano de fundo Previc reconhece certificações ANBIMA para dirigentes de fundos de pensão As Certificações ANBIMA passam a ser aceitas pela

Leia mais

Regulamento Para Eleição Dos Representantes dos Participantes e Assistidos nos Conselhos Deliberativo e Fiscal da Mendesprev

Regulamento Para Eleição Dos Representantes dos Participantes e Assistidos nos Conselhos Deliberativo e Fiscal da Mendesprev Regulamento Para Eleição Dos Representantes dos Participantes e Assistidos nos Conselhos Deliberativo e Fiscal da Mendesprev 1. DEFINIÇÕES: Para fins deste Regulamento considera-se: Aposmendes - Associação

Leia mais

Sumário Estatístico dos Exames da ANBIMA. Certificação 1º semestre de 2015

Sumário Estatístico dos Exames da ANBIMA. Certificação 1º semestre de 2015 Sumário Estatístico dos Exames da ANBIMA Certificação 1º semestre de 2015 NÚMEROS CONSOLIDADOS DOS EXAMES DE CERTIFICAÇÃO DA ANBIMA CPA-10 CPA-20 CGA* CEA Total Inscrições 579.244 140.367 1.145 3.341 724.097

Leia mais

MANUAL DE ADESÃO CÓDIGO DE AUTORREGULAÇÃO EM GOVERNANÇA DE INVESTIMENTOS

MANUAL DE ADESÃO CÓDIGO DE AUTORREGULAÇÃO EM GOVERNANÇA DE INVESTIMENTOS MANUAL DE ADESÃO CÓDIGO DE AUTORREGULAÇÃO EM GOVERNANÇA DE INVESTIMENTOS Prezados (as) Senhores (as), Para conhecimento de V.Sas., apresentamos o Manual de Adesão (Manual) do Código de Autorregulação

Leia mais

PROPOSTA ORÇAMENTÁRIA PARA 2013 REUNIÃO DO CONSELHO DIRETOR 19 DE DEZEMBRO DE 2012

PROPOSTA ORÇAMENTÁRIA PARA 2013 REUNIÃO DO CONSELHO DIRETOR 19 DE DEZEMBRO DE 2012 PROPOSTA ORÇAMENTÁRIA PARA 2013 REUNIÃO DO CONSELHO DIRETOR 19 DE DEZEMBRO DE 2012 1.000 800 600 400 729 CERTIFICAÇÃO ADM. EM GERAL E PROFISSIONAIS DE INVESTIMENTOS Número de Inscritos Clique para 816

Leia mais

EDITAL Nº 01, 09 DE MARÇO DE 2017.

EDITAL Nº 01, 09 DE MARÇO DE 2017. PROCESSO DE ELEIÇÃO PARA ESCOLHA DO REPRESENTANTE DOS PARTICIPANTES E ASSISTIDOS PARA DIRETOR DE BENEFÍCIOS, CONSELHEIRO FISCAL E CONSELHEIRO ADMINISTRATIVO EDITAL Nº 01, 09 DE MARÇO DE 2017. Pelo presente

Leia mais

Política Sucessão de Cargos da Alta Administração das Cooperativas Singulares

Política Sucessão de Cargos da Alta Administração das Cooperativas Singulares Administração das Cooperativas Singulares Responsável Adriane Maria Tesser Parissi Cargo Gerente de Desenvolvimento de Pessoas Substitui e revoga Área Desenvolvimento de Pessoas Abrangência Sistêmico Período

Leia mais

SYNGENTA PREVI SOCIEDADE DE PREVIDENCIA PRIVADA. Regimento Eleitoral aprovado pelo Conselho Deliberativo da Syngenta Previ em 22/09/2015

SYNGENTA PREVI SOCIEDADE DE PREVIDENCIA PRIVADA. Regimento Eleitoral aprovado pelo Conselho Deliberativo da Syngenta Previ em 22/09/2015 SYNGENTA PREVI SOCIEDADE DE PREVIDENCIA PRIVADA Regimento Eleitoral aprovado pelo Conselho Deliberativo da Syngenta Previ em 22/09/2015 Regimento Eleitoral A Diretoria-Executiva resolve expedir o presente

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO ESCOLA PAULISTA DE POLÍTICA, ECONOMIA E NEGÓCIOS CURSO DE CIÊNCIAS ATUARIAIS REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES BACHARELADO EM CIÊNCIAS ATUARIAIS Regulamento das

Leia mais

Sumário Estatístico dos Exames ANBIMA. Certificação Dados obtidos até: Relatório Gerado em:

Sumário Estatístico dos Exames ANBIMA. Certificação Dados obtidos até: Relatório Gerado em: Sumário Estatístico dos Exames ANBIMA Certificação Dados obtidos até: 30.06.2017 Relatório Gerado em: 13.07.2017 Números consolidados dos Exames de Certificação ANBIMA CPA-10 CPA-20 CGA* CEA Total Inscrições

Leia mais

Sumário Estatístico dos Exames ANBIMA. Certificação Dados obtidos até: Relatório Gerado em:

Sumário Estatístico dos Exames ANBIMA. Certificação Dados obtidos até: Relatório Gerado em: Sumário Estatístico dos Exames ANBIMA Certificação Dados obtidos até: 31.12.2016 Relatório Gerado em: 13.01.2017 Números consolidados dos Exames de Certificação ANBIMA CPA-10 CPA-20 CGA** CEA Total Inscrições

Leia mais

Entidades de Fiscalização do Exercício das Profissões Liberais CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE

Entidades de Fiscalização do Exercício das Profissões Liberais CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE Entidades de Fiscalização do Exercício das Profissões Liberais CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE Resolução CFC nº 1.018/05 Aprova a NBC P 5 Norma sobre o Exame de Qualificação Técnica para Registro no

Leia mais

Assunto: Consulta Pública da Minuta do Código de Autorregulação em Governança de Investimentos Comentários do IBGC

Assunto: Consulta Pública da Minuta do Código de Autorregulação em Governança de Investimentos Comentários do IBGC Para: ABRAPP Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar SINDAPP Sindicato Nacional das Entidades Fechadas de Previdência Complementar ICSS Instituto de Certificação dos Profissionais

Leia mais

Edital de Convocação Eleições 2017 Gestão 2017/2020

Edital de Convocação Eleições 2017 Gestão 2017/2020 Edital de Convocação Eleições 2017 Gestão 2017/2020 Eleição de representantes dos participantes e assistidos no Conselho Deliberativo e Fiscal da Vikingprev Sociedade de Previdência Privada, nos termos:

Leia mais

Art. 2º- O Comitê Gestor será composto por 4 (quatro) membros titulares e seus respectivos suplentes. Sendo:

Art. 2º- O Comitê Gestor será composto por 4 (quatro) membros titulares e seus respectivos suplentes. Sendo: Regimento Interno Regimento Interno do Comitê Gestor de Investimento do Plano de Suplementação de Aposentadoria e Pensão da Bandeirante Energia S.A. PSAP/Bandeirante 26/2/2015 CAPÍTULO I - DA FINALIDADE

Leia mais

PROGRAMA DETALHADO COM BIBLIOGRAFIA

PROGRAMA DETALHADO COM BIBLIOGRAFIA CERTIFICAÇÃO DE TÉCNICOS DA ÁREA CONTÁBIL DAS EFPC PROGRAMA DETALHADO COM BIBLIOGRAFIA Versão 31/05/2012 1 I. Administração Geral 1 Governança e Gestão das Entidades Fechadas de Previdência Complementar

Leia mais

Paulo Wanderson Moreira Martins

Paulo Wanderson Moreira Martins TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO Paulo Wanderson Moreira Martins Lotação completa: PROC-RML Matrícula: 10214-8 Sigla da unidade: PROC-RML Sigla do cargo: AUFC Função: Chefe de Gabinete Telefone: 61-3316-5109

Leia mais

EDITAL DAS ELEIÇÕES SERPROS 2016

EDITAL DAS ELEIÇÕES SERPROS 2016 EDITAL DAS ELEIÇÕES SERPROS 2016 O Serpros Fundo Multipatrocinado vem pelo presente Edital, considerando os artigos 11, 19 e 38 do Estatuto do Serpros, o disposto no parágrafo 1º do artigo 11, da Lei Complementar

Leia mais

O Conselho Federal de Contabilidade, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

O Conselho Federal de Contabilidade, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, Resolução CFC n.º 1.109/07 Dispõe sobre a NBC P 5 Norma sobre o Exame de Qualificação Técnica para Registro no Cadastro Nacional de Auditores Independentes (CNAI) do Conselho Federal de Contabilidade (CFC).

Leia mais

2 -Qual o prazo máximo para estas certificações?

2 -Qual o prazo máximo para estas certificações? CERTIFICAÇÃO DE CONSELHEIROS PRAZO RECUSA OU IMPOSSIBILIDADE PROVIDÊNCIAS 1. Associada encaminha consulta com o seguinte teor: Nosso Fundo de Pensão tem como patrocinadora empresa estatal - economia mista

Leia mais

DESCRIÇÃO COMPLETA DA ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DO RISCO DE MERCADO

DESCRIÇÃO COMPLETA DA ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DO RISCO DE MERCADO DESCRIÇÃO COMPLETA DA ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DO RISCO DE MERCADO COOPERATIVA DE CRÉDITO MÚTUO DOS EMPREGADOS E SERVIDORES DA DERSA, SUBORDINADOS DO ESTADO DE SÃO PAULO - 1. Sistema Sicoob A estrutura

Leia mais

PROGAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA: RENOVAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO

PROGAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA: RENOVAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO CERTIFICAÇÃO PROGAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA: RENOVAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO Parecer Técnico Junho/2013 1 1. Introdução O objetivo do texto é analisar a situação atual dos profissionais certificados que se encontram

Leia mais

RESOLUÇÃO ATRICON Nº 01/2013

RESOLUÇÃO ATRICON Nº 01/2013 RESOLUÇÃO ATRICON Nº 01/2013 Estabelece RECOMENDAÇÕES aos Tribunais de Contas sobre procedimentos e ações de orientação, fiscalização e julgamento da transparência dos órgãos jurisdicionados, especialmente

Leia mais

PROPOSTA ORÇAMENTÁRIA PARA 2013 REUNIÃO DO CONSELHO DIRETOR

PROPOSTA ORÇAMENTÁRIA PARA 2013 REUNIÃO DO CONSELHO DIRETOR PROPOSTA ORÇAMENTÁRIA PARA 2013 REUNIÃO DO CONSELHO DIRETOR 19 DE DEZEMBRO DE 2012 PREMISSAS I RECEITAS E DESPESAS DE CERTIFICAÇÃO 1.1 RECEITAS DE CERTIFICAÇÃO Taxas de inscrição: Certificação por experiência:

Leia mais

MANUAL DE ADESÃO CÓDIGO DE AUTORREGULAÇÃO EM GOVERNANÇA DE INVESTIMENTOS

MANUAL DE ADESÃO CÓDIGO DE AUTORREGULAÇÃO EM GOVERNANÇA DE INVESTIMENTOS MANUAL DE ADESÃO CÓDIGO DE AUTORREGULAÇÃO EM GOVERNANÇA DE INVESTIMENTOS ATUALIZADO EM ABRIL DE 2017 MANUAL DE ADESÃO CÓDIGO DE AUTORREGULAÇÃO EM GOVERNANÇA DE INVESTIMENTOS - ATUALIZADO EM ABRIL DE 2017

Leia mais

CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO SEMESTRALIZADO 10 SEMESTRES

CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO SEMESTRALIZADO 10 SEMESTRES CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO SEMESTRALIZADO 10 SEMESTRES Situação Legal: Reconhecido Integralização: Mínimo 5 anos / Máximo 8 anos Carga Horária: 2.820h (188 créditos)

Leia mais

ATIVIDADES COMPLEMENTARES

ATIVIDADES COMPLEMENTARES ATIVIDADES COMPLEMENTARES O que são as atividades complementares? - as atividades complementares são um componente curricular obrigatório segundo as Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Graduação

Leia mais

SEMINÁRIO PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DOS SERVIDORES DA UNIÃO. Superior Tribunal de Justiça Junho de 2007

SEMINÁRIO PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DOS SERVIDORES DA UNIÃO. Superior Tribunal de Justiça Junho de 2007 SEMINÁRIO PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DOS SERVIDORES DA UNIÃO Superior Tribunal de Justiça Junho de 2007 Premissas na estruturação do regime complementar Criar um regime previdenciário orientado principalmente

Leia mais

Regimento Interno do Conselho Consultivo

Regimento Interno do Conselho Consultivo Regimento Interno do Conselho Consultivo 2 3 Regimento Interno do Conselho Consultivo REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO CONSULTIVO CAPÍTULO I DO OBJETIVO Art. 1º - Este Regimento Interno tem por objetivo estabelecer

Leia mais

Programa de Certificação de Conselheiros IBGC

Programa de Certificação de Conselheiros IBGC Programa de Certificação de Conselheiros IBGC Contínuo aprimoramento das Boas Práticas de Governança Corporativa no Brasil leva ao conhecimento sólido, a um conselheiro atuante e de desempenho eficiente.

Leia mais

DOCUMENTO CONFIDÊNCIAL REGULAMENTO PARA CAPACITAÇÃO E CERTIFICAÇÃO EM OUVIDORIAS PÚBLICAS E PRIVADAS

DOCUMENTO CONFIDÊNCIAL REGULAMENTO PARA CAPACITAÇÃO E CERTIFICAÇÃO EM OUVIDORIAS PÚBLICAS E PRIVADAS DOCUMENTO CONFIDÊNCIAL 2011 REGULAMENTO PARA CAPACITAÇÃO E CERTIFICAÇÃO EM OUVIDORIAS PÚBLICAS E PRIVADAS A Presidente da Associação Brasileira de Ouvidores ABO Nacional e os Presidentes das Seccionais

Leia mais

RESOLUÇÃO CNSP N o 81, de 2002.

RESOLUÇÃO CNSP N o 81, de 2002. RESOLUÇÃO CNSP N o 81, de 2002. Dispõe sobre a atividade dos corretores de seguros de ramos elementares e dos corretores de seguros de vida, capitalização e previdência, bem como seus prepostos. A SUPERINTENDÊNCIA

Leia mais

Manual de Atividades Complementares

Manual de Atividades Complementares CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Manual de Atividades Complementares Belo Horizonte 1 Prezado(a) aluno(a): Este é o Manual de Atividades Complementar

Leia mais

2.2. Candidatos Externos, observando-se os limites conforme disposto no item 6.4.

2.2. Candidatos Externos, observando-se os limites conforme disposto no item 6.4. 1. OBJETIVO 1.1. Selecionar profissionais para desempenharem as funções de Conselheiro de Administração ou Fiscal, titulares ou suplentes, por indicação da PREVI, de acordo com as diretrizes de Governança

Leia mais

CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL DE INVESTIMENTOS, GESTOR DOS RECURSOS E COMITÊ DE INVESTIMENTOS

CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL DE INVESTIMENTOS, GESTOR DOS RECURSOS E COMITÊ DE INVESTIMENTOS PARECER DE INVESTIMENTO Nº. 088/2016 Cuiabá MT, 11 de maio de 2016 CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL DE INVESTIMENTOS, GESTOR DOS RECURSOS E COMITÊ DE INVESTIMENTOS Prezados senhores diretores executivos; Enviamos

Leia mais

Participe das eleições

Participe das eleições Fundação Itaú Unibanco Edição Especial Eleições Fundação Itaú Unibanco Maio 2017 Participe das eleições De 19 a 27 de julho, você poderá eleger seus representantes no Conselho Deliberativo, no Conselho

Leia mais

FPC Par Corretora de Seguros S.A. Assembleia Geral Extraordinária 03 de maio de 2017 (11hs) Proposta da Administração

FPC Par Corretora de Seguros S.A. Assembleia Geral Extraordinária 03 de maio de 2017 (11hs) Proposta da Administração FPC Par Corretora de Seguros S.A. Assembleia Geral Extraordinária 03 de maio de 2017 (11hs) Proposta da Administração 1 ÍNDICE 1. Edital de Convocação... 3 2. Proposta da Administração... 5 2.1. Substituição

Leia mais

PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR PÚBLICA EFEITOS NAS CARREIRAS DE ESTADO. Guilherme Guimarães Feliciano

PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR PÚBLICA EFEITOS NAS CARREIRAS DE ESTADO. Guilherme Guimarães Feliciano PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR PÚBLICA EFEITOS NAS CARREIRAS DE ESTADO Guilherme Guimarães Feliciano I FUNPRESP: A ENTIDADE 2 FUNPRESP a entidade Lei n. 12.618, de 30.04.2012. Institui o regime de previdência

Leia mais

Executive Education Ranking 2016 PÓS-MBA

Executive Education Ranking 2016 PÓS-MBA Executive Education Ranking 2016 PÓS-MBA 2017 2018 O CURSO O Advanced Boardroom Program for Women ABP-W desenvolve de forma diferenciada e aprofundada, conhecimentos sobre as melhores práticas em governança

Leia mais

Art. 1º - Ficam criados os cargos públicos de Agente Comunitário de Saúde, nos terem desta Lei.

Art. 1º - Ficam criados os cargos públicos de Agente Comunitário de Saúde, nos terem desta Lei. LEI nº 455/2008 de 22 de dezembro de 2008. "Dispõe sobre a criação de Cargos Públicos de Agente Comunitário de Saúde, com requisitos, atribuições e competências e dá outras providências". A PREFEITA MUNICIPAL

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I - DA NATUREZA Art. º Consideram-se como Atividades Complementares do Engenharia de Produção, todas as atividades relacionadas com projetos de pesquisa,

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA REGULAMENTO DAS ATIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA REGULAMENTO DAS ATIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA DA CAPÍTULO I DAS FINALIDADES Art. 1º - Este regulamento

Leia mais

REDE METROLÓGICA DE ALAGOAS

REDE METROLÓGICA DE ALAGOAS ASSEMBLÉIA DE CONSTITUIÇÃO 22 de Março de 2005 LANÇAMENTO DA RMAL 29 de Março de 2005 MISSÃO Promover a cultura e a credibilidade dos serviços metrológicos, de forma a estimular a competitividade dos setores

Leia mais

RESOLUÇÃO COLEGFCC 001/2006 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA UFBA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS

RESOLUÇÃO COLEGFCC 001/2006 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA UFBA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS RESOLUÇÃO COLEGFCC 001/2006 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA UFBA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Artigo 1º - As Atividades Complementares têm por finalidade proporcionar

Leia mais

GERDAU SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA PRIVADA CNPJ Nº / Regimento Eleitoral

GERDAU SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA PRIVADA CNPJ Nº / Regimento Eleitoral GERDAU SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA PRIVADA CNPJ Nº 92.326.818/0001-17 Regimento Eleitoral A Diretoria-Executiva resolve expedir o presente Regimento Eleitoral, o qual regulamentará o processo eleitoral para

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS Eleição para os Conselhos Deliberativo e Fiscal da Fundação Sabesp de Seguridade Social SABESPREV

PERGUNTAS E RESPOSTAS Eleição para os Conselhos Deliberativo e Fiscal da Fundação Sabesp de Seguridade Social SABESPREV I. Introdução Os Conselhos Deliberativo e Fiscal das Entidades Fechadas de Previdência Complementar (EFPC), regidas pela Lei Complementar nº 108/2001, tal como a SABESPREV, são compostos paritariamente

Leia mais

Para o exercício de sua atividade o Agente Autônomo de Investimentos deve:

Para o exercício de sua atividade o Agente Autônomo de Investimentos deve: Procedimento Data da última atualização Agente Autônomo de Investimento 02.09.2016 1. Objetivo: Este procedimento visa regular as atividades dos Agentes Autônomos de Investimento no ambiente da Guide Investimentos

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE FISIOTERAPÊUTA

EDITAL DE SELEÇÃO DE FISIOTERAPÊUTA EDITAL DE SELEÇÃO DE FISIOTERAPÊUTA O Presidente da Associação dos Auditores Fiscais do Estado da Paraíba, no uso das atribuições conferidas através do artigo 51, inciso XXI, alínea a, do Estatuto Social

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE FONOAUDIÓLOGOS

EDITAL DE SELEÇÃO DE FONOAUDIÓLOGOS EDITAL DE SELEÇÃO DE FONOAUDIÓLOGOS O Presidente da Associação dos Auditores Fiscais do Estado da Paraíba, no uso das atribuições conferidas através do artigo 51, inciso XXI, alínea a, do Estatuto Social

Leia mais

NORMAS INTERNACIONAIS E CPC S - APLICABILIDADE PARA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR FECHADA NO BRASIL E RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES - RAI

NORMAS INTERNACIONAIS E CPC S - APLICABILIDADE PARA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR FECHADA NO BRASIL E RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES - RAI NORMAS INTERNACIONAIS E CPC S - APLICABILIDADE PARA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR FECHADA NO BRASIL E RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES - RAI Paulo Macêdo Coordenador de Orientação de Contabilidade COC/CGAC

Leia mais

DIRETORIA DE ENSINO DEPARTAMENTO DE ENSINO SUPERIOR COORDENAÇÃO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE INTERIORES

DIRETORIA DE ENSINO DEPARTAMENTO DE ENSINO SUPERIOR COORDENAÇÃO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE INTERIORES DIRETORIA DE ENSINO DEPARTAMENTO DE ENSINO SUPERIOR COORDENAÇÃO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE INTERIORES EDITAL Nº 01, DE 29 DE JANEIRO DE 2013 PROCESSO DE RECONHECIMENTO DE COMPETÊNCIAS/CONHECIMENTOS

Leia mais

CHAMADA INTERNA SIMPLIFICADA PARA CONTRATAÇÃO DE BOLSISTA - REDE ETEC BRASIL EDITAL 21/2017

CHAMADA INTERNA SIMPLIFICADA PARA CONTRATAÇÃO DE BOLSISTA - REDE ETEC BRASIL EDITAL 21/2017 CHAMADA INTERNA SIMPLIFICADA PARA CONTRATAÇÃO DE BOLSISTA - REDE ETEC BRASIL EDITAL 21/2017 A presente chamada interna visa contratar bolsista para atuar nos cursos técnicos, na modalidade educação a distância,

Leia mais

CÓDIGO DE AUTORREGULAÇÃO EM GOVERNANÇA DE INVESTIMENTOS

CÓDIGO DE AUTORREGULAÇÃO EM GOVERNANÇA DE INVESTIMENTOS CÓDIGO DE AUTORREGULAÇÃO EM GOVERNANÇA DE INVESTIMENTOS SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 CAPÍTULO I PROPÓSITO... 6 CAPÍTULO II OBRIGAÇÕES... 8 CAPÍTULO III GOVERNANÇA DO CÓDIGO... 11 CAPÍTULO IV DISPOSIÇÕES

Leia mais

REDENTOR ENERGIA S.A COMPANHIA ABERTA CNPJ / NIRE ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA CONVOCAÇÃO

REDENTOR ENERGIA S.A COMPANHIA ABERTA CNPJ / NIRE ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA CONVOCAÇÃO REDENTOR ENERGIA S.A COMPANHIA ABERTA CNPJ 12.126.500/0001-53 - NIRE 31.3.0010645-4 ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA CONVOCAÇÃO Ficam os senhores acionistas convocados para se reunirem em Assembleia Geral

Leia mais

Data da última atualização Agente Autônomo de Investimento

Data da última atualização Agente Autônomo de Investimento Procedimento Data da última atualização Agente Autônomo de Investimento 10.05.2017 1. Objetivo: O objetivo deste procedimento é estabelecer as regras e diretrizes das atividades dos Agentes Autônomos de

Leia mais

Eleição de Membro do Conselho de Administração LIGHT ENERGIA S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO. ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DE 30 DE OUTUBRO de 2014

Eleição de Membro do Conselho de Administração LIGHT ENERGIA S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO. ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DE 30 DE OUTUBRO de 2014 LIGHT ENERGIA S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DE 30 DE OUTUBRO de 2014 Prezados Senhores, A administração da Light Energia S.A. ( Companhia ) vem submeter a seguinte proposta

Leia mais

Manual de Governança Corporativa

Manual de Governança Corporativa Documento: Área Emitente: Manual de Governança Corporativa Assessoria de Planejamento, Orçamento, Controle e Regulatório HISTÓRICO DAS REVISÕES Rev. nº. Data Descrição 01 19/12/2012 Segregação do Manual

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO OCUPACIONAL

APRESENTAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO OCUPACIONAL APRESENTAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO OCUPACIONAL A Agência de Certificação Ocupacional (ACERT) é parte integrante da Fundação Luís Eduardo Magalhães (FLEM) Centro de Modernização e Desenvolvimento da Administração

Leia mais

A INDEPENDÊNCIA PATRIMONIAL NOS PLANOS DE BENEFÍCIOS: ASPECTOS CONTÁBEIS

A INDEPENDÊNCIA PATRIMONIAL NOS PLANOS DE BENEFÍCIOS: ASPECTOS CONTÁBEIS A INDEPENDÊNCIA PATRIMONIAL NOS PLANOS DE BENEFÍCIOS: ASPECTOS CONTÁBEIS AGENDA EVOLUÇÃO DA LEGISLAÇÃO SOBRE INDEPENDÊNCIA PATRIMONIAL NAS EFPC REGISTRO CONTÁBIL DA INDEPENDÊNCIA PATRIMONIAL FRAGILIDADE

Leia mais

Departamento de Teologia Programa de Pós-Graduação em Teologia Doutorado em Teologia. Edital 2018/1

Departamento de Teologia Programa de Pós-Graduação em Teologia Doutorado em Teologia. Edital 2018/1 Departamento de Teologia Programa de Pós-Graduação em Teologia Doutorado em Teologia DOUTORADO EM TEOLOGIA Este edital se destina especificamente a candidatos ao Doutorado em Teologia, para início do curso

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (ANO LETIVO 2014)

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (ANO LETIVO 2014) (35) 3690-8900 / 3690-8958 (fax) REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (ANO LETIVO 2014) 1 Caracterização Os cursos de Engenharia de Produção do Brasil são regidos pelas

Leia mais

Os desafios de capacitação dos profissionais certificados Workshop de Certificação

Os desafios de capacitação dos profissionais certificados Workshop de Certificação Os desafios de capacitação dos profissionais certificados Workshop de Certificação 01.10.2015 A promoção da Educação Financeira é um das prioridades da ANBIMA Fortalecer o mercado de capitais no Brasil

Leia mais

REGIMENTO PARA ELEIÇÃO DE MEMBROS DO COMITÊ DE PLANO ACMV DA FUNDAÇÃO ITAÚ UNIBANCO PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR CAPÍTULO I DA FINALIDADE

REGIMENTO PARA ELEIÇÃO DE MEMBROS DO COMITÊ DE PLANO ACMV DA FUNDAÇÃO ITAÚ UNIBANCO PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR CAPÍTULO I DA FINALIDADE REGIMENTO PARA ELEIÇÃO DE MEMBROS DO COMITÊ DE PLANO ACMV DA FUNDAÇÃO ITAÚ UNIBANCO PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR CAPÍTULO I DA FINALIDADE Art. 1º - O presente Regimento estabelece procedimentos que regem a

Leia mais

POLITICA DE SUCESSÃO - UNIPRIME XXX

POLITICA DE SUCESSÃO - UNIPRIME XXX POLITICA DE SUCESSÃO - UNIPRIME XXX 1- Objetivo A presente Política de Sucessão dos Administradores estabelece o processo de recrutamento, de promoção, de eleição e de retenção de administradores na forma

Leia mais

Anexo I. Modelo de Boletim de voto à distância AGE da BM&FBOVESPA S.A. Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de 14/6/2017

Anexo I. Modelo de Boletim de voto à distância AGE da BM&FBOVESPA S.A. Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de 14/6/2017 Anexo I Modelo de Boletim de voto à distância AGE da BM&FBOVESPA S.A. Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de 14/6/2017 1. Nome do acionista 2. CNPJ ou CPF do acionista 3. Endereço de e-mail para envio

Leia mais

DESPACHO N. GR.03/05/2011

DESPACHO N. GR.03/05/2011 DESPACHO N. GR.03/05/2011 Regulamento Estatuto de Trabalhador-Estudante da Universidade do Porto No uso da competência que me é consagrada na alínea o) do n 1 do artigo 400 dos Estatutos da Universidade

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal de São Paulo Campus Osasco

Ministério da Educação Universidade Federal de São Paulo Campus Osasco Ministério da Educação Universidade Federal de São Paulo Campus Osasco UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO UNIFESP ESCOLA PAULISTA DE POLÍTICA, ECONOMIA E NEGÓCIOS CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS ATUARIAIS

Leia mais

ANEXO VIII CRITÉRIOS DE CLASSIFICAÇÃO E JULGAMENTO DAS PROPOSTAS

ANEXO VIII CRITÉRIOS DE CLASSIFICAÇÃO E JULGAMENTO DAS PROPOSTAS ANEXO VIII CRITÉRIOS DE CLASSIFICAÇÃO E JULGAMENTO DAS PROPOSTAS 1. CONSIDERAÇÕES BÁSICAS Cada proposta receberá duas notas de julgamento: 1.1 Uma Nota Técnica (NT), obtida da documentação apresentada

Leia mais

POLÍTICA DE DELEGAÇÃO DE AUTORIDADE

POLÍTICA DE DELEGAÇÃO DE AUTORIDADE POLÍTICA DE DELEGAÇÃO DE AUTORIDADE POLÍTICA DE DELEGAÇÃO DE AUTORIDADE A Fundação de Previdência do Instituto EMATER FAPA considera que a autoridade flui em sentido decrescente ao passo que a responsabilidade

Leia mais

Resolução CFC nº 1.109/07. O Conselho Federal de Contabilidade, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

Resolução CFC nº 1.109/07. O Conselho Federal de Contabilidade, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, NOTA - A Resolução CFC n.º 1.329/11 alterou a sigla e a numeração desta Norma de NBC P 5 para NBC PA 13. Resolução CFC nº 1.109/07 Dispõe sobre a NBC PA 13 Norma sobre o Exame de Qualificação Técnica para

Leia mais

Padrões de Desempenho Profissional Parte 1 Modelo de Competências. Visão de Negócios. Educação continuada do. candidato. Competência Técnica

Padrões de Desempenho Profissional Parte 1 Modelo de Competências. Visão de Negócios. Educação continuada do. candidato. Competência Técnica IBCO Instituto Brasileiro dos Consultores de Organização ICMCI - TheInternational Council of Management Consulting Institutes Professional Standards Committee (PSC) Modelo de Competências e de Verificação

Leia mais

ESCOLA NACIONAL DE FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DE MAGISTRADOS DO TRABALHO RESOLUÇÃO N.º 14, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2013

ESCOLA NACIONAL DE FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DE MAGISTRADOS DO TRABALHO RESOLUÇÃO N.º 14, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2013 ESCOLA NACIONAL DE FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DE MAGISTRADOS DO TRABALHO RESOLUÇÃO N.º 14, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2013 Estabelece os critérios de pontuação ou valoração de atividades formativas de aperfeiçoamento

Leia mais

PROCEDIMENTO DE CONTRATAÇÕES E GESTÃO DE CONTRATOS DA FACEPI

PROCEDIMENTO DE CONTRATAÇÕES E GESTÃO DE CONTRATOS DA FACEPI PROCEDIMENTO DE CONTRATAÇÕES E GESTÃO DE CONTRATOS DA FACEPI SUMÁRIO 1 Objetivo... 03 2 Competência e responsabilidade... 03 3 Forma de execução... 03 4 - Cadastro de fornecedores... 04 5 Documentação

Leia mais

REGULAMENTO ATIVIDADES COMPLENTARES CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

REGULAMENTO ATIVIDADES COMPLENTARES CURSO DE ENGENHARIA CIVIL REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLENTARES CURSO DE ENGENHARIA CIVIL COLABORADORES Prof. Roque Hudson da Silveira - coordenador Prof. Marcus Vinícius dos Santos Prof. Ricardo José de Castro Ottero Prof. Sebastião

Leia mais

Programa Escola de Gestores Apresentação

Programa Escola de Gestores Apresentação Programa Escola de Gestores Apresentação PRODEGESP PPGAU APRESENTAÇÃO - A Escola de Gestores É um Programa de Capacitação vinculado a Linha de Gestão promovido pela PRODEGESP, por meio: Departamento de

Leia mais

Termo de Referência. Incluindo LC 123/06 e LC 147/14 e o Novo Decreto 8538 de 06/10/2015. Destaques deste Treinamento

Termo de Referência. Incluindo LC 123/06 e LC 147/14 e o Novo Decreto 8538 de 06/10/2015. Destaques deste Treinamento CAPACITAÇÃO E FORMAÇÃO DE PREGOEIROS TREINAMENTO COMPLETO + + Pregão Termo de Referência Sistema de Registro de Preços Incluindo LC 123/06 e LC 147/14 e o Novo Decreto 8538 de 06/10/2015 SIMULAÇÃO DO PREGÃO

Leia mais

REGIMENTO ELEITORAL PARA ELEIÇÃO DE MEMBROS DO CONSELHO DELIBERATIVO E DO CONSELHO FISCAL DA OABPREV-PR

REGIMENTO ELEITORAL PARA ELEIÇÃO DE MEMBROS DO CONSELHO DELIBERATIVO E DO CONSELHO FISCAL DA OABPREV-PR REGIMENTO ELEITORAL PARA ELEIÇÃO DE MEMBROS DO CONSELHO DELIBERATIVO E DO CONSELHO FISCAL DA OABPREV-PR Este regimento estabelece instruções para a eleição com vistas ao provimento dos cargos para os órgãos

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES BIOMEDICINA - BACHARELADO

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES BIOMEDICINA - BACHARELADO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES BIOMEDICINA - BACHARELADO Ji-Paraná Rondônia Junho, 2014 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES BIOMEDICINA - BACHARELADO TÍTULO I CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO ÉTICO DO PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ELOTECH - CPQ

TERMO DE COMPROMISSO ÉTICO DO PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ELOTECH - CPQ TERMO DE COMPROMISSO ÉTICO DO PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ELOTECH - CPQ INTRODUÇÃO 1. As presentes regras que integram o programa de Certificação Profissional Elotech, instituído pela Diretoria

Leia mais