FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO"

Transcrição

1 Sist. Nac. de Informações Culturais SNIC FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO Depto.de Identificação e Documentação-DID Nome do Sítio: AREAL II Outras designações ou siglas: CNSA : (campo reservado) Município: JAPERI - RJ Localidade: UF RJ Distrito de ENGENHEIRO PEDREIRA Outras designações da localidade: Descrição sumária: Localizado em 2008 quando do procedimento de Diagnóstico Arqueológico Interventivo realizado pela equipe do LAB- Laboratório de Arqueologia Brasileira, coordenado pela arqueóloga Jeanne Cordeiro que, segundo relatório do local, identificou fragmentos de louça, vidro, telha e ferro, dispersos na superfície e facilmente visualizados. No Boletim encaminhado informou que o entorno do sítio já se encontrava bastante impactado em função da retirada de gramíneas e de extração de areia. O IAB Instituto de Arqueologia Brasileira - assumiu a pesquisa para resgate do sítio em Refez as coordenadas e constatou somente a existência de algum material contemporâneo em superfície. Foram efetivadas então 450 sondagens no terreno, sem que houvesse ocorrência de material cultural antigo conforme o assinalado e recolhido pela equipe de prospecção. Apesar da inexistência de material indicada pelas sondagens, procedeu-se o resgate com a abertura de trincheiras longitudinais objetivando estabelecer de forma mais clara as características estratigráficas do sítio e os parâmetros de distribuição do material que poderia ter escapado à rede de sondagens. Durante a escavação, os raros vestígios de cultura material apareceram esparsos em superfície e foram distribuídos entre cerâmicas, vidros, telhas, louças, grés e metal. Desta maneira os artefatos que podem caracterizar o sítio são aqueles que se encontram na posse do LAB quando da prospecção e registrariam a existência de uma ocupação histórica representada, principalmente, pelas louças descritas pela equipe de prospecção que, infelizmente, não foi confirmada pelo resgate. Frente às características que assomaram após as escavações, este conjunto é formado por um sítio mais antigo e de significado próprio e três recentes e muito impactados. Dos três recentes, o Sítio Areal II (Nº 26) se encontrava destruído a ponto de não ter revelado acervo arqueológico, confiando-se quaisquer possíveis relações históricas ao material relatado pelos Boletins da Equipe do LAB responsável pelas prospecções, que o situaria em meados do século XIX. Sítios relacionados: Rio Morto e Santa Amélia Proximidade física. Rio Morto, Santa Amélia e Ary Schiavo - Filiação Cultural. Nome do proprietário do terreno: Fundação Departamento de Estradas de Rodagem DER-RJ - José Novaes Mendes vice-presidente Cidade: Endereço: UF Avenida Presidente Vargas, º andar- centro Rio de Janeiro. CEP: Fone/Fax Ocupante atual: Acesso ao sítio: Seguir pela estrada de Adrianópolis, entrar na Estrada de Rio D Ouro. Após a divisa entre Nova Iguaçu e Japeri, entrar à direita, próximo a uma Olaria.

2 Medidas do sítio: Comprimento: 150 Largura: 70m Altura máxima: m (a partir do nível do solo) Área: 9.800m2 Medição: Estima Passo Mapa Instrumento Nome e sigla do documento cartográfico: Imagem de Satélite Ano de edição: 2008 Órgão: IBGE DSG OUTRO Escala: Delimitação da área/coordenadas UTM: dados atualizados na escavação Zona: 23 K E: N: GPS Em mapa DATUM: WGS 84 Margem de erro 3 m Perímetro: Zona: Zona: Zona: Zona: 23 K 23 K 23 K 23 K E: E: E: E: N: N: N: N: Unidade geomorfológica: (vide tabela) Compartimento topográfico: (vide tabela) Serra - Mar de Morros Altitude: (com relação ao nivel do mar) 52 m Agua mais próxima: Rio d ouro Base de vertente Distância: Rio: 750m Guandu Bacia: Guandu / Baia de Sepetiba Outras referência de localização: Vegetação atual: Floresta ombrófita Campinarana Savana-estépica (caatinga Capoeira Floresta estacional Savana (cerrado) Estepe Outra: Uso atual do terreno: Atividade urbana Estrutura da fazenda Plantio Via pública Pasto Área não utilizada Outro: Propriedade da terra: Área pública Área privada Área militar Área indígena Outra: Proteção legal: Unidade de conservação ambiental Municipal Estadual Federal Patrimônio da humanidade/unesco Categoria: Exposição: Contexto de deposição: Uniconponencial Multicomponencial Pré-colonial De contato Histórico Céu aberto Gruta Abrigo sob rocha Submerso Outra: Em superfície Em profundidade Tipo de sítio: Forma: (vide tabela) Tipo de solo Estratigrafia: (indicar o número, espessura e profundidade das camadas arqueológicas) Vide resumo arenoso

3 Estruturas Área de refugo Vestígios de mineração Buracos de estacas De Lascamento Fossas Alinhamento de pedras De Combustão (fogueira, forno, fogão) Manchas pretas Muros de Pedra Funerárias Canais tipo trincheira, valetas Palafitas Vestígios de edificação Círculo de pedra Paliçadas Concentrações cerâmicas Quantidades Outras: Artefatos: Lítico lascado Lítico político Cerâmico Sobre concha Sobre material orgânico Outros vestígios líticos: Material histórico: Louça, cerâmica, vidro e grés. Outros vestígios orgânicos: Outros vestígios inorgânicos: Acervo: Instituições: (em que se encontra o material coletado) Números de catálogo: Vide Lista Inventario Museu Nacional (prospecção) IAB (escavação) Arte rupestre: Pintura Gravura Ausente Artefatos líticos - Filiação cultural: Tradições: Fases: Complementos: Outras atribuições: Artefatos cerâmicos - Filiação cultural: Tradições: Fases: Complementos: Outras atribuições: Arte rupestre - Filiação cultural: Tradições: Fases: Complementos: Outras atribuições: Datações absolutas:

4 Datações relativas: Grau de integridade: mais de 75% entre 25 e 75% Sim menos de 25% Fatores de destruição: Erosão eólica Erosão pluvial Construção de estradas Vandalismo Erosão Fluvial Atividades agrícolas Construções de moradias Outros fatores naturais: Outros fatores antrópicos: Exploração clandestina de areia e grama Possibilidades de destruição: Total Construção da BR493 - Arco Metropolitano do Rio de Janeiro Medidas para preservação: Resgate Arqueológico dos remanescentes culturais Relevância do sítio: Alta Média Baixa Atividades desenvolvidas no local: Registro Coleta de Superfície Sondagem ou Corte estratigráfico Escavação de grande superfície Levantamento de gráficos rupestres Responsável pelo registro: Encontrado durante atividades de Prospecção Arqueológica nas proximidades da faixa de domínio da obra Por Jeanne Cordeiro Arqueóloga (LAB) Registros no Iphan - Ondemar Ferreira Dias Junior e Josefa Jandira Neto Ferreira Dias Endereço: Cidade: Belford Roxo UF Estrada Sarapui, 3199 Vila Santa Tereza CEP Telefone RJ Nome do projeto: Projeto de Monitoramento, Salvamento Arqueológico e Valorização do Patrimônio Cultural nas Obras da Estrada RJ 493/ RJ Trecho C do Arco Metropolitano. Nome da instituição: INSTITUTO DE ARQUEOLOGIA BRASILEIRA (IAB) Endereço: Cidade: UF Belford Roxo Estrada da Cruz Vermelha Nº 45 Vila Santa Tereza CEP Fone/Fax: (21) RJ

5 Documentação produzida: (quantidade) Mapa com sítio plotado: Planta baixa dos locais afetados: Perfil topográfico: Foto preto e branco: Cópia total de arte rupestre: Caderneta de campo: Croqui: Planta baixa de estrutura: Foto aérea: Reprografia de imagem: Cópia parcial de arte rupestre: Video/filme: Planta baixa do sítio: Perfil estratigráfico: Foto colorida: Imagem de satélite: Ilustração de imagem: Outra: Quantidade de imagens anexadas à Ficha de registro para inclusão no Banco de imagens: 07 fotos Bibliografia: Boletim 6 Projeto de Prospecção do Arco Metropolitano do Rio de Janeiro LAB Relatório Final no IPHAN Observações: 1. O salvamento deste sítio foi determinado pelo IPHAN e acatado pelos empreendedores em Todos os processos de atividades de Educação Patrimonial e Estudos de Patrimônio Cultural Imaterial desenvolvidos ao longo de cinco anos se encontram no Relatório Final Atenção! Esta Ficha de Registro foi refeita ao final da pesquisa e deverá substituir a anterior no CNA. Belford Roxo, Data: 01/08 /2014 Assinatura: Mapas e fotos, abaixo: Mapas

6 Fotos Panorâmica - Sítio Areal II Panorâmica - Sítio Areal II - Sítio Areal II tradagem e setorização

7 Sítio Areal II - escavação Sítio Areal II - escavação Sítio Areal II - escavação

8 Sítio Areal II - escavação

FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO

FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO Sist. Nac. de Informações Culturais SNIC FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO Depto.de Identificação e Documentação-DID Nome do Sítio: MORRO DA OLARIA Outras designações ou siglas: Município: SEROPÉDICA

Leia mais

FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO

FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO Sist. Nac. de Informações Culturais SNIC FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO Depto.de Identificação e Documentação-DID Nome do Sítio: SÍTIO SÃO SEBASTIÃO I Outras designações ou siglas: Município:

Leia mais

FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO

FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO Sist. Nac. de Informações Culturais SNIC FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO Depto.de Identificação e Documentação-DID Nome do Sítio: JOSÉ GRANDE Outras designações ou siglas: ZÉ GRANDE Município:

Leia mais

FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO

FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO Sist. Nac. de Informações Culturais SNIC FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO Depto.de Identificação e Documentação-DID Nome do Sítio: ENGENHO DO ALTO Outras designações ou siglas: CNSA: (campo reservado)

Leia mais

FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO

FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO Sist. Nac. de Informações Culturais SNIC FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO Depto.de Identificação e Documentação-DID Nome do Sítio: SÍTIO ALDEIA DAS IGAÇABAS Outras designações ou siglas: SÍTIO DAS

Leia mais

FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO

FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO Sist. Nac. de Informações Culturais SNIC FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO Depto.de Identificação e Documentação-DID Nome do Sítio: SÍTIO SANTA ÂNGELA Outras designações ou siglas: Município: SEROPÉDICA

Leia mais

FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO

FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO Sist. Nac. de Informações Culturais SNIC FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO Depto.de Identificação e Documentação-DID Nome do Sítio: SAMBAQUI DE IGUAÇU Outras designações ou siglas: CNSA : (campo

Leia mais

FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO

FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO Sist. Nac. de Informações Culturais SNIC FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO Depto.de Identificação e Documentação-DID Nome do Sítio: SÍTIO DA BAIXADA Outras designações ou siglas: RJ-LP-03 Município:

Leia mais

FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO

FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO Sist. Nac. de Informações Culturais SNIC FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO Depto.de Identificação e Documentação-DID Nome do Sítio: SÍTIO DO MORRO Outras designações ou siglas: ALDEIA 2 Município:

Leia mais

FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO

FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO Sist. Nac. de Informações Culturais SNIC FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO Depto.de Identificação e Documentação-DID Nome do Sítio: K 4 Outras designações ou siglas: Município: DUQUE DE CAXIAS Localidade:

Leia mais

FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO

FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO Sist. Nac. de Informações Culturais SNIC FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO Depto.de Identificação e Documentação-DID Nome do Sítio: SÍTIO DO CRUZEIRO Outras designações ou siglas: CNSA : (campo reservado)

Leia mais

FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO

FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO Sist. Nac. de Informações Culturais SNIC FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO Depto.de Identificação e Documentação-DID Nome do Sítio: CNSA : (campo reservado) SÍTIO SAMBAQUI DA MARQUESA Outras designações

Leia mais

FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO

FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO Sist. Nac. de Informações Culturais SNIC FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO Depto.de Identificação e Documentação-DID Nome do Sítio: SITIO OLARIA SÃO JOÃO Outras designações ou siglas: Município:

Leia mais

FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO

FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO Sist. Nac. de Informações Culturais SNIC FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO Depto.de Identificação e Documentação-DID Nome do Sítio: SÍTIO DAS PALMEIRAS Outras designações ou siglas: Município: NOVA

Leia mais

FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO

FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO Sist. Nac. de Informações Culturais SNIC FICHA DE REGISTRO DE SÍTIO ARQUEOLÓGICO Depto.de Identificação e Documentação-DID Nome do Sítio: CNSA : (campo reservado) SITIO MADAME PICUCHA - RJ LP - 1 Outras

Leia mais

Anexo II.5.3-4 Ficha de Sítios Cadastrados por Daivisson Santos Durante a Etapa de Campo para Confecção do Diagnóstico Arquelógico do Gasoduto do

Anexo II.5.3-4 Ficha de Sítios Cadastrados por Daivisson Santos Durante a Etapa de Campo para Confecção do Diagnóstico Arquelógico do Gasoduto do Anexo II.5.3-4 Ficha de Sítios Cadastrados por Daivisson Santos Durante a Etapa de Campo para Confecção do Diagnóstico Arquelógico do Gasoduto do Pará Nome do sítio: Ilha da Montanha Outras designações

Leia mais

Aula 1 de 4 Versão Aluno

Aula 1 de 4 Versão Aluno Aula 1 de 4 Versão Aluno O QUE É ARQUEOLOGIA? Arqueologia é a ciência que busca entender as culturas humanas a partir do estudo do registro arqueológico, que é o conjunto de todos os traços materiais da

Leia mais

Arqueologia e Patrimônio

Arqueologia e Patrimônio Arqueologia e Patrimônio O que você precisa saber sobre Arqueologia no Licenciamento Ambiental Felipe S. Sales, Arqueólogo Sócio-Diretor Núcleo de Arqueologia e Patrimônio CRN-Bio Consultoria Sócio-Ambiental

Leia mais

Relatório mergulho Nossa Senhora do Rosário e Santo André (1737) Baía de Todos os Santos/BA

Relatório mergulho Nossa Senhora do Rosário e Santo André (1737) Baía de Todos os Santos/BA Projeto Naufrágios do Brasil Colonial: Relatório mergulho Nossa Senhora do Rosário e Santo André (1737) Baía de Todos os Santos/BA Salvador, 5 de agosto de 2001. Índice: Introdução:... 3 Localização:...

Leia mais

PROGRAMA DE SALVAMENTO ARQUEOLÓGICO DA USINA HIDRELÉTRICA FUNDÃO

PROGRAMA DE SALVAMENTO ARQUEOLÓGICO DA USINA HIDRELÉTRICA FUNDÃO PROGRAMA DE SALVAMENTO ARQUEOLÓGICO DA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELO PROGRAMA DE SALVAMENTO ARQUEOLÓGICO DA VALE DO RIO JORDÃO PARANÁ PERÍODO: JANEIRO - DEZEMBRO/2006. CURITIBA FEVEREIRO

Leia mais

Relatório de prospecção arqueológica. Dr. Marcos Albuquerque Arqueólogo, Coordenador do Projeto SAB Nº 12

Relatório de prospecção arqueológica. Dr. Marcos Albuquerque Arqueólogo, Coordenador do Projeto SAB Nº 12 Prospecção arqueológica de superfície e de subsuperfície na área de instalação da Jazida E2D (Povoado Salomezinho), no município de Porto Real do Colégio, estado de Alagoas. Relatório de prospecção arqueológica

Leia mais

Casas subterrâneas: a arqueologia nas regiões Sul e Sudeste do Brasil

Casas subterrâneas: a arqueologia nas regiões Sul e Sudeste do Brasil Universidade de São Paulo Biblioteca Digital da Produção Intelectual - BDPI Museu de Arqueologia e Etnologia - MAE Livros e Capítulos de Livros - MAE 2014 Casas subterrâneas: a arqueologia nas regiões

Leia mais

Licenciamento Ambiental nos Sítios de Interesse Histórico Andrey Rosenthal Schlee, IPHAN

Licenciamento Ambiental nos Sítios de Interesse Histórico Andrey Rosenthal Schlee, IPHAN Licenciamento Ambiental nos Sítios de Interesse Histórico Andrey Rosenthal Schlee, IPHAN Charge de Quino (s.d.) MÉXICO Leopoldo Batres (1852-1926), arqueólogo e antropólogo mexicano. Pesquisou em Teotihuacan,

Leia mais

N1a Levantamento, Histórico e Danos. patrimônio arquitetônico prof. lucas jordano

N1a Levantamento, Histórico e Danos. patrimônio arquitetônico prof. lucas jordano N1a Levantamento, Histórico e Danos conteúdo 1. Levantamento plani-altimétrico - plantas, um corte (passando pela escada social principal) e fachada principal 2. Ficha de identificação no padrão do IPHAN

Leia mais

Kit educativo da Amazônia Central

Kit educativo da Amazônia Central Universidade de São Paulo Biblioteca Digital da Produção Intelectual - BDPI Museu de Arqueologia e Etnologia - MAE Livros e Capítulos de Livros - MAE 2014 Kit educativo da Amazônia Central http://www.producao.usp.br/handle/bdpi/47564

Leia mais

A arqueologia como elemento indispensável nos processos de licenciamento ambiental. O papel da consultoria

A arqueologia como elemento indispensável nos processos de licenciamento ambiental. O papel da consultoria A arqueologia como elemento indispensável nos processos de licenciamento ambiental O papel da consultoria Arqueologia aplicada O bem arqueológico como direito difuso: Direito ao passado. Arqueologia como

Leia mais

Associação de Desenvolvimento da Microbacia do Ribeirão das Pedras Taió (SC)

Associação de Desenvolvimento da Microbacia do Ribeirão das Pedras Taió (SC) Associação de Preservação do Meio Ambiente do Alto Vale do Itajaí Rua XV de Novembro, 218 sala 27 Rio do Sul (SC) Fone/fax: (47) 3521-0326 Email: info@apremavi.org.br Associação de Desenvolvimento da Microbacia

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO. Ref.: ICP / TAC n.º 006/2008 de 29 de setembro de Participaram da vistoria os seguintes representantes:

RELATÓRIO TÉCNICO. Ref.: ICP / TAC n.º 006/2008 de 29 de setembro de Participaram da vistoria os seguintes representantes: PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE CRICIÚMA RELATÓRIO TÉCNICO RELATÓRIO N.º 004/2011 Origem: ATEC PRM/Criciúma Destino: Darlan Airton Dias Procurador da República Ref.: ICP 1.33.003.001011/2005-01

Leia mais

1.1 - PORCENTAGEM DAS ESTRADAS PAVIMENTADAS E NÃO-PAVIMENTADAS (MUNICIPAIS E ESTADUAIS) NO ESTADO DE SÃO PAULO...2

1.1 - PORCENTAGEM DAS ESTRADAS PAVIMENTADAS E NÃO-PAVIMENTADAS (MUNICIPAIS E ESTADUAIS) NO ESTADO DE SÃO PAULO...2 vii Lista de Figuras Figura n o Página 1.1 - PORCENTAGEM DAS ESTRADAS PAVIMENTADAS E NÃO-PAVIMENTADAS (MUNICIPAIS E ESTADUAIS) NO ESTADO DE SÃO PAULO....2 2.1 - PORCENTAGEM DOS TIPOS DE SOLOS DAS ESTRADAS

Leia mais

Instituto Estadual do Patrimônio Cultural. Inventário de Identificação dos Reservatórios da CEDAE. Secretaria de Estado de Cultura - RJ

Instituto Estadual do Patrimônio Cultural. Inventário de Identificação dos Reservatórios da CEDAE. Secretaria de Estado de Cultura - RJ Instituto Estadual do Patrimônio Cultural Secretaria de Estado de Cultura - RJ Inventário de Identificação dos Reservatórios da CEDAE Denominação: Reservatório Localização: Avenida do Morro da Viúva. Rui

Leia mais

Educação Patrimonial e Arqueologia: uma proposta metodológica para o Ensino Médio

Educação Patrimonial e Arqueologia: uma proposta metodológica para o Ensino Médio Educação Patrimonial e Arqueologia no Vale do Macacu Programa de Capacitação para o ensino de Arqueologia Cachoeiras de Macacu Turma 1 Colégio Estadual Maria Zulmira Tôrres Educação Patrimonial e Arqueologia:

Leia mais

AVALIAÇÃO AMBIENTAL A PARTIR DO USO DO SOLO NOS BAIRROS ROQUE E MATO GROSSO EM PORTO VELHO RO

AVALIAÇÃO AMBIENTAL A PARTIR DO USO DO SOLO NOS BAIRROS ROQUE E MATO GROSSO EM PORTO VELHO RO AVALIAÇÃO AMBIENTAL A PARTIR DO USO DO SOLO NOS BAIRROS ROQUE E MATO GROSSO EM PORTO VELHO RO 1 Tito José de Barba Avaroma Universidade Federal de Rondônia - UNIR tito.geo.ro@gmail.com Introdução Porto

Leia mais

Núcleo de Pesquisas Arqueológicas do Alto Rio Grande

Núcleo de Pesquisas Arqueológicas do Alto Rio Grande Núcleo de Pesquisas Arqueológicas do Alto Rio Grande Relatório de Visita a Sítio Arqueológico Pinturas da Princesa Mar de Espanha Este relatório pode ser reproduzido total ou parcialmente, desde que citada

Leia mais

Brasil: características naturais - litosfera. Páginas 12 à 27

Brasil: características naturais - litosfera. Páginas 12 à 27 Brasil: características naturais - litosfera Páginas 12 à 27 Refúgio Ecológico Caiman Miranda - MS Parque Nacional do Monte Roraima - RR Serra dos Órgãos Teresópolis - RJ Parque Nacional dos Aparados da

Leia mais

Sítio Oficina Lítica em Caxias do Sul 1

Sítio Oficina Lítica em Caxias do Sul 1 Sítio Oficina Lítica em Caxias do Sul 1 Cláudio Baptista Carle 2 RESUMO: O objetivo do estudo era de reconhecer os locais de ocupação pretérita em área no Município de Caxias do sul, no sentido de possibilitar

Leia mais

Instituto Estadual do Patrimônio Cultural. Inventário de Identificação dos Reservatórios da CEDAE. Secretaria de Estado de Cultura - RJ

Instituto Estadual do Patrimônio Cultural. Inventário de Identificação dos Reservatórios da CEDAE. Secretaria de Estado de Cultura - RJ Instituto Estadual do Patrimônio Cultural Secretaria de Estado de Cultura - RJ Inventário de Identificação dos Reservatórios da CEDAE Denominação: Represa do Camorim Localização: Parque Estadual da Pedra

Leia mais

Moita do Ourives: O Neolítico médio na Bacia do Tejo

Moita do Ourives: O Neolítico médio na Bacia do Tejo O Neolítico médio na Bacia do Tejo Filipa Rodrigues Sítio identificado no âmbito da construção da A 13 (Auto estrada Almeirim/ Marateca) Intervenção de emergência Delimitação e limpeza a colherim de um

Leia mais

PORTARIA 193/2014 RESOLVE:

PORTARIA 193/2014 RESOLVE: PORTARIA 193/2014 CONSIDERANDO os termos da Portaria 067/2011 do Diretor do Instituto de Ciências Humanas que regulamenta a concessão de Endosso Institucional pelo Instituto de Ciências Humanas para a

Leia mais

Volume páginas 1.ª edição1995 Vários Apoios 500 exemplares. Volume páginas 1.ª edição1993 Vários Apoios 500 exemplares

Volume páginas 1.ª edição1995 Vários Apoios 500 exemplares. Volume páginas 1.ª edição1993 Vários Apoios 500 exemplares Volume 2 120 páginas 1.ª edição1995 Vários Apoios 500 exemplares Volume 3 299 páginas 1.ª edição1993 Vários Apoios 500 exemplares 1 2 Peça obrigatória nos processos de planeamento, estudo, avaliação e

Leia mais

CADASTRO AMBIENTAL RURAL - CAR

CADASTRO AMBIENTAL RURAL - CAR CADASTRO AMBIENTAL RURAL - CAR Instituto Estadual do Ambiente - INEA Diretoria de Biodiversidade e Áreas Protegidas - DIBAP Gerência do Serviço Florestal - GESEF CADASTRO AMBIENTAL RURAL - CAR BASE LEGAL

Leia mais

OS INCÊNDIOS DE 2010 NOS PARQUES NACIONAIS DO CERRADO

OS INCÊNDIOS DE 2010 NOS PARQUES NACIONAIS DO CERRADO 1 OS INCÊNDIOS DE 2010 NOS PARQUES NACIONAIS DO CERRADO Dra. Helena França Centro de Engenharia e Ciências Sociais Aplicadas Universidade Federal do ABC email: helena.franca@ufabc.edu.br Este relatório

Leia mais

Segurança em escavações e fundações. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho

Segurança em escavações e fundações. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Segurança em escavações e fundações Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho A área de trabalho deve ser previamente limpa, devendo ser retirados ou escorados solidamente árvores,

Leia mais

LAVAGEM AUTOMOTIVA. Bairro: Município: CEP: CNPJ/CPF: Telefone: Fax:

LAVAGEM AUTOMOTIVA. Bairro: Município: CEP: CNPJ/CPF: Telefone: Fax: LAVAGEM AUTOMOTIVA 1. Identificação Empresa/Interessado: Endereço: Bairro: Município: CEP: CNPJ/CPF: Telefone: Fax: E-mail: Atividade: Localização do empreendimento (Endereço): Bairro: CEP: Contato: Cargo/Função:

Leia mais

Data: /08/2014 Bimestre: 2. Nome: 6 ANO B Nº. Disciplina: Geografia Professor: Geraldo

Data: /08/2014 Bimestre: 2. Nome: 6 ANO B Nº. Disciplina: Geografia Professor: Geraldo Data: /08/2014 Bimestre: 2 Nome: 6 ANO B Nº Disciplina: Geografia Professor: Geraldo Valor da Atividade: 2,0 (Dois) Nota: GRUPO 3 1- (0,5) Embora haja dificuldade em oficializar a data do primeiro mapa

Leia mais

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO OBJETIVO DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO Definir diretrizes para implantação do Sistema de Manutenção, Recuperação e Proteção da Reserva Florestal Legal e Áreas de Preservação Permanente SISLEG nos imóveis,

Leia mais

EUVG PARQ 5 TECNOLOGIAS E MATERIAIS E TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO III

EUVG PARQ 5 TECNOLOGIAS E MATERIAIS E TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO III EUVG PARQ 5 TECNOLOGIAS E MATERIAIS E TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO III EUVG PARQ 5 TMTC III 24.10 ESTABILIZAÇÃO DE TALUDES TÉCNICA DE ENGENHARIA NATURAL AMRP-AP NATURAIS E ARTIFICIAIS: TALUDE NATURAL é aquele

Leia mais

Sistema de Catalogação de Bens Culturais do Município de Nova Esperança-PR

Sistema de Catalogação de Bens Culturais do Município de Nova Esperança-PR Sistema de Catalogação de Bens Culturais do Município de Nova Esperança-PR Página 1 de 9 Como entender o Sistema de Catalogação de Bens Culturais do Município de Nova Esperança-PR Em 08 de julho de 2016

Leia mais

CÁLCULO DOS TEORES DE CARBONO NO SOLO NA ZONA DE TRANSIÇÃO DO BIOMA DE MATA ATLÂNTICA COM O CERRADO BRASILEIRO

CÁLCULO DOS TEORES DE CARBONO NO SOLO NA ZONA DE TRANSIÇÃO DO BIOMA DE MATA ATLÂNTICA COM O CERRADO BRASILEIRO CÁLCULO DOS TEORES DE CARBONO NO SOLO NA ZONA DE TRANSIÇÃO DO BIOMA DE MATA ATLÂNTICA COM O CERRADO BRASILEIRO Renata Soares Pinto (*), Carlos Fernando Lemos Universidade Federal de Santa Maria- renatasoares261@gmail.com

Leia mais

TT70 CONTROVÉRSIA NO TRAÇADO DA LINHA DE PREAMAR DE 1831

TT70 CONTROVÉRSIA NO TRAÇADO DA LINHA DE PREAMAR DE 1831 TT70 CONTROVÉRSIA NO TRAÇADO DA LINHA DE PREAMAR DE 1831 MARCELO GADELHA CAVALCANTE MARCELO GADELHA CAVALCANTE É ENGENHEIRO CIVIL COM ESPECIALIZAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO E MESTRADO EM ENGENHARIA CIVIL

Leia mais

Aula 5 Recursos Minerais

Aula 5 Recursos Minerais Aula 5 Recursos Minerais Conceitos Mineral: conjunto de elementos químicos. Metal: minerais com características específicas (brilho, dureza). Rocha: aglomerado de um ou mais minerais. Minério: rocha contendo

Leia mais

Uma abordagem sobre a preservação da paisagem urbana do 4º Distrito. Secretaria Municipal de Urbanismo Secretaria Municipal da Cultura

Uma abordagem sobre a preservação da paisagem urbana do 4º Distrito. Secretaria Municipal de Urbanismo Secretaria Municipal da Cultura Uma abordagem sobre a preservação da paisagem urbana do 4º Distrito Secretaria Municipal de Urbanismo Secretaria Municipal da Cultura 1916 Acervo IHGRGS Reconversão Econômica do 4º Distrito Bairros Floresta,

Leia mais

BASE CARTOGRÁFICA PARA LICENCIAMENTO AMBIENTAL

BASE CARTOGRÁFICA PARA LICENCIAMENTO AMBIENTAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE CIENCIAS NATURAIS E EXATAS DEPARTAMENTO DE GEOCIENCIAS CURSO DE GEOGRAFIA III JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA: MEIO AMBIENTE PROMOÇÃO FEPAM / FZB BASE CARTOGRÁFICA

Leia mais

2. CARACTERIZAÇÃO GEOLÓGICA DAS ÁREAS EM ESTUDO

2. CARACTERIZAÇÃO GEOLÓGICA DAS ÁREAS EM ESTUDO 2. CARACTERIZAÇÃO GEOLÓGICA DAS ÁREAS EM ESTUDO O presente trabalho foi efectuado em três áreas, que se situam na região do Minho, no NW de Portugal (Fig. 2.1.). Fig. 2.1. Localização geográfica das áreas

Leia mais

FOTOGRAMETRIA E FOTOINTERPRETAÇÃO

FOTOGRAMETRIA E FOTOINTERPRETAÇÃO FOTOGRAMETRIA E FOTOINTERPRETAÇÃO GENERALIDADES Fotogrametria => é o processo de derivação de informação métrica de um objeto através de medições feitas em fotografias desse objeto Foto-interpretação =>

Leia mais

DIAGNÓSTICO DE RISCOS AMBIENTAIS E ALTERNATIVAS PARA RECUPERAÇÃO AMBIENTAL DE TRECHO DO RIO GUANDU

DIAGNÓSTICO DE RISCOS AMBIENTAIS E ALTERNATIVAS PARA RECUPERAÇÃO AMBIENTAL DE TRECHO DO RIO GUANDU DIAGNÓSTICO DE RISCOS AMBIENTAIS E ALTERNATIVAS PARA RECUPERAÇÃO AMBIENTAL DE TRECHO DO RIO GUANDU Albieri, Rafael 1 ; Firmino, Felipe 2 ; Ribeiro, Ariel 2 1 Colégio Técnico da Universidade Federal Rural

Leia mais

Planejamento de Uso Integrado da Terra Disciplina de Classificação de Solos

Planejamento de Uso Integrado da Terra Disciplina de Classificação de Solos Planejamento de Uso Integrado da Terra Disciplina de Classificação de Solos Para um planejamento de uso é necessário que se conheça informações do ambiente como os solos, clima, relevo, vegetação, drenagem

Leia mais

Projeto de Monitoramento do Desmatamento nos Biomas Brasileiros por Satélite. Silvia Viana

Projeto de Monitoramento do Desmatamento nos Biomas Brasileiros por Satélite. Silvia Viana Projeto de Monitoramento do Desmatamento nos Biomas Brasileiros por Satélite Silvia Viana Introdução Introdução Objetivos do Projeto de Monitoramento do Desmatamento nos Biomas Brasileiros por Satélite,

Leia mais

Projeto de Monitoramento do Desmatamento nos Biomas Brasileiros por Satélite

Projeto de Monitoramento do Desmatamento nos Biomas Brasileiros por Satélite Projeto de Monitoramento do Desmatamento nos Biomas Brasileiros por Satélite Humberto Mesquita Chefe do Centro de Sensoriamento Remoto Introdução Introdução Objetivos do Projeto de Monitoramento do Desmatamento

Leia mais

A AMEAÇA QUE VEM DO MAR: A ÁREA DE RISCO DA PRAIA DE ATAFONA (RJ-BRASIL)

A AMEAÇA QUE VEM DO MAR: A ÁREA DE RISCO DA PRAIA DE ATAFONA (RJ-BRASIL) I Seminário da Rede Incêndios-Solo e I Simpósio Ibero-Afro-Americano de Riscos 4 a 7 Nov 2015 A AMEAÇA QUE VEM DO MAR: A ÁREA DE RISCO DA PRAIA DE ATAFONA (RJ-BRASIL) Cláudio Henrique Reis Departamento

Leia mais

LEVANTAMENTO DE ÁREAS AGRÍCOLAS DEGRADADAS NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

LEVANTAMENTO DE ÁREAS AGRÍCOLAS DEGRADADAS NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO LEVANTAMENTO DE ÁREAS AGRÍCOLAS DEGRADADAS NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Documento Resumo Vitória ES Setembro de 2012 1 COORDENAÇÃO AUTORES Phablo Barreto Eng. Agr. MS Solos Linha de Pesquisa: Áreas Degradadas

Leia mais

Mapeamento Costeiro. Métodos e técnicas para configurar espacialmente feições costeiras para interpretações geológicas e geomorfológicas

Mapeamento Costeiro. Métodos e técnicas para configurar espacialmente feições costeiras para interpretações geológicas e geomorfológicas Mapeamento Costeiro Métodos e técnicas para configurar espacialmente feições costeiras para interpretações geológicas e geomorfológicas Gilberto Pessanha Ribeiro 1,2 1 Universidade do Estado do Rio de

Leia mais

Agricultura. Integra um grande número de formatos de imagens aéreas, satélite, radar ou térmicas;

Agricultura. Integra um grande número de formatos de imagens aéreas, satélite, radar ou térmicas; Aplicações O software ENVI é usado por inúmeras organizações e instituições em todo o mundo. Abaixo apresentamos alguns exemplos das diferentes aplicações. Verifique a sua área de interesse! Agricultura

Leia mais

19 uma centena de sítios com pinturas e gravuras rupestres, entre abrigos sob rocha e simples blocos de granito e de arenito, gravados ou pintados ao longo de cursos d'água, distribuídos, irregularmente,

Leia mais

Aula 1 de 4 Versão Professor

Aula 1 de 4 Versão Professor Aula 1 de 4 Versão Professor O QUE É ARQUEOLOGIA? O objetivo da Arqueologia é entender as culturas no passado e no presente. Conhecer seus modos de vida, costumes, sistemas sociais, econômicos, políticos

Leia mais

Arqueologia e História Indígena em Museu de Território

Arqueologia e História Indígena em Museu de Território Arqueologia e História Indígena em Museu de Território 154 vaso de cerâmica reconstituído pelo MAC / (200 a 500 anos antes do presente) Sede do MAC em Pains, MG Na cidade de Pains, MG, encontra-se o Museu

Leia mais

BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE CABANAS DE VIRIATO

BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE CABANAS DE VIRIATO BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE CABANAS DE VIRIATO RELATÓRIO GEOTÉCNICO (REFª 72/2008/08/GER - 1126) Agosto de 2008 QUARTEL DOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE CABANAS DE VIRIATO ÍNDICE 1- INTRODUÇÃO... 2 2- ENQUADRAMENTO

Leia mais

DOI: /4CIH.PPHUEM.063

DOI: /4CIH.PPHUEM.063 DOI: 10.4025/4CIH.PPHUEM.063 INVENTÁRIO DA COLEÇÃO ARQUEOLOGICA BENEDITO ALVES DE ALMEIDA (CABAA) DO MUSEU HISTÓRICO DE SANTO INÁCIO MHSI: UM PATRIMÔNIO ARQUEOLÓGICO DA REDUÇÃO JESUITICA DE SANTO INÁCIO

Leia mais

Luis Edmundo Prado de Campos Professor Titular - Escola Politécnica da UFBA

Luis Edmundo Prado de Campos Professor Titular - Escola Politécnica da UFBA Luis Edmundo Prado de Campos Professor Titular - Escola Politécnica da UFBA Comentários sobre a Norma NBR-11682 Estabilidade de Encosta Pouca contribuição da comunidade geotécnica na discussão, apesar

Leia mais

Procedimentos para a obtenção de extractos de cartografia de apoio ao levantamento topográfico Georreferenciado

Procedimentos para a obtenção de extractos de cartografia de apoio ao levantamento topográfico Georreferenciado Procedimentos para a obtenção de extractos de cartografia de apoio ao levantamento topográfico Georreferenciado FORNECIMENTO DO EXTRACTO DA CARTOGRAFIA O requerente solicitará no balcão de atendimento

Leia mais

Autor: Anne-Marie Pessis Editora: FUMDHAM Ano: 2003 ISBN: Páginas: 307. Sinopse:

Autor: Anne-Marie Pessis Editora: FUMDHAM Ano: 2003 ISBN: Páginas: 307. Sinopse: Imagens da Pré-história. Parque Nacional Serra da Capivara Autor: Anne-Marie Pessis Editora: FUMDHAM Ano: 2003 85-89313026 Páginas: 307 O Parque Nacional Serra da Capivara guarda informações muito importantes

Leia mais

Metodologia para elaboração de diagnóstico físico e ambiental no Programa de Gestão de Solo e Água em Microbacias com uso do gvsig

Metodologia para elaboração de diagnóstico físico e ambiental no Programa de Gestão de Solo e Água em Microbacias com uso do gvsig Metodologia para elaboração de diagnóstico físico e ambiental no Programa de Gestão de Solo e Água em Microbacias com uso do gvsig Milton Satoshi Matsushita Instituto Emater e Facsul Curitiba Paraná Brasil

Leia mais

DESPACHO. O Secretário de Estado da Cultura, Elísio Summavielle. Por delegação Desp. N.º 431/2010 DR 2ª série n.º 4 de 7/01/10

DESPACHO. O Secretário de Estado da Cultura, Elísio Summavielle. Por delegação Desp. N.º 431/2010 DR 2ª série n.º 4 de 7/01/10 DESPACHO Em consonância com as novas competências orgânicas decorrentes do Programa de Reestruturação da Administração Central do Estado (PRACE), veio o Decreto-Lei n.º 309/2009, de 23 de Outubro, clarificar

Leia mais

USO DA TERRA, EROSÃO ACELERADA E ASSOREAMENTO NA MICROBACIA DO CÓRREGO DOS GÓIS, ANÁPOLIS (GO) Karine Vicência Souto 1 ; Homero Lacerda 2

USO DA TERRA, EROSÃO ACELERADA E ASSOREAMENTO NA MICROBACIA DO CÓRREGO DOS GÓIS, ANÁPOLIS (GO) Karine Vicência Souto 1 ; Homero Lacerda 2 USO DA TERRA, EROSÃO ACELERADA E ASSOREAMENTO NA MICROBACIA DO CÓRREGO DOS GÓIS, ANÁPOLIS (GO) 1 Bolsista PBIC/UEG; Karine Vicência Souto 1 ; Homero Lacerda 2 2 Orientador, Curso de Geografia, Unidade

Leia mais

MAPEAMENTO DE AMBIENTES DA PLANÍCIE COSTEIRA DE SOURE (ILHA DE MARAJÓ), A PARTIR DE IMAGENS IKONOS: UMA ABORDAGEM DE CLASSIFICAÇÃO ORIENTADA A OBJETO

MAPEAMENTO DE AMBIENTES DA PLANÍCIE COSTEIRA DE SOURE (ILHA DE MARAJÓ), A PARTIR DE IMAGENS IKONOS: UMA ABORDAGEM DE CLASSIFICAÇÃO ORIENTADA A OBJETO MAPEAMENTO DE AMBIENTES DA PLANÍCIE COSTEIRA DE SOURE (ILHA DE MARAJÓ), A PARTIR DE IMAGENS IKONOS: UMA ABORDAGEM DE CLASSIFICAÇÃO ORIENTADA A OBJETO Diogo Corrêa Santos 1 ; Wilson da Rocha Nascimento

Leia mais

Exercícios de Azimutes, Rumos e Estaqueamento

Exercícios de Azimutes, Rumos e Estaqueamento UNICAP Universidade Católica de Pernambuco Exercícios de Azimutes, Rumos e Estaqueamento Autores: Prof. Fernando José de Lima Botelho Prof. Eduardo Oliveira Barros Prof. Glauber Carvalho Costa Prof. Diogo

Leia mais

Denominação / localização. Igreja Matriz de Nossa Senhora de Consolação Praça Alferes José Pinto de Oliveira, s/n o, Centro.

Denominação / localização. Igreja Matriz de Nossa Senhora de Consolação Praça Alferes José Pinto de Oliveira, s/n o, Centro. RELAÇÃO BENS CULTURAIS PROTEGIDOS PATRIMÔNIO TOMBADO NÍVEL DE PROTEÇÃO: Municipal Estrutura Arquitetônica e Urbanística EAU Denominação / localização Igreja Matriz de Nossa Senhora de Consolação s/n o,

Leia mais

Prospecção arqueológica e sistemas geomorfológicos em áreas urbanas: o caso da estação Vila Prudente do metrô, São Paulo, SP

Prospecção arqueológica e sistemas geomorfológicos em áreas urbanas: o caso da estação Vila Prudente do metrô, São Paulo, SP R. Museu Arq. Etn., São Paulo, n. 21, p. 335-343, 2011. Prospecção arqueológica e sistemas geomorfológicos em áreas urbanas: o caso da estação Vila Prudente do metrô, São Paulo, SP Rodolfo Alves da Luz*

Leia mais

DIAGNÓSTICOS DE PROCESSOS EROSIVOS NO MUNICÍPIO DE NOVA ANDRADINA MS

DIAGNÓSTICOS DE PROCESSOS EROSIVOS NO MUNICÍPIO DE NOVA ANDRADINA MS DIAGNÓSTICOS DE PROCESSOS EROSIVOS NO MUNICÍPIO DE NOVA ANDRADINA MS Celma Basilio da Silva Acadêmica da 4ª série do curso de Geografia do CPNA-UFMS - celma_nina@hotmail.com.br Ary Tavares Rezende Filho

Leia mais

Aldeia de Banrezes Levantamento do Existente 1 / USO 1.1. original 1.2. actual 2. TIPOLOGIA

Aldeia de Banrezes Levantamento do Existente 1 / USO 1.1. original 1.2. actual 2. TIPOLOGIA Aldeia de Banrezes Levantamento do Existente 1 / 6 Edificação 1 N Vias Caminhos de terra batida Curso de Água Planta de Localização Escala 1:5000 1. USO 1.1. original habitação 1.2. actual armazém 2. TIPOLOGIA

Leia mais

QUEM SOMOS. Empresa de tecnologia e engenharia, especializada em mapeamento 3D, que visa facilitar a gestão e. acompanhamento com precisão - da

QUEM SOMOS. Empresa de tecnologia e engenharia, especializada em mapeamento 3D, que visa facilitar a gestão e. acompanhamento com precisão - da QUEM SOMOS Empresa de tecnologia e engenharia, especializada em mapeamento 3D, que visa facilitar a gestão e acompanhamento com precisão - da execução de projetos. TOPOGRAFIA Ciência que estuda todos os

Leia mais

1º Período Conteúdos Habilidades Atividades desenvolvidas

1º Período Conteúdos Habilidades Atividades desenvolvidas 1º Período Conteúdos Habilidades Atividades desenvolvidas UNIDADE 1 O Planeta Terra Tema 1: O planeta onde vivemos; Tema 2: Conhecendo a Terra; Tema 3: Continentes e oceanos; Tema 4: Trabalhando com mapas..

Leia mais

Geoprocessamento na delimitação de áreas de conflito em áreas de preservação permanente da sub-bacia do Córrego Pinheirinho

Geoprocessamento na delimitação de áreas de conflito em áreas de preservação permanente da sub-bacia do Córrego Pinheirinho 1 Geoprocessamento na delimitação de áreas de conflito em áreas de preservação permanente da sub-bacia do Córrego Pinheirinho A preservação da mata ciliar é importante para a manutenção do equilíbrio natural

Leia mais

Coord. Geográficas

Coord. Geográficas Ficha de Sítio 9 ID 17 Designação Moinho Topónimo Moinhos Freguesia/Concelho Coordenadas CMP nº Vilarinho da Castanheira 41 11 782-7 11 899 Coord. Geográficas Tipologia Cronologia Moinho de rodízio Enquadramento

Leia mais

TOMBAMENTO DA APA DA ESCARPA DEVONIANA: ANÁLISE DE REQUERIMENTOS MINERARIOS NO MUNICÍPIO DE BALSA NOVA, PR

TOMBAMENTO DA APA DA ESCARPA DEVONIANA: ANÁLISE DE REQUERIMENTOS MINERARIOS NO MUNICÍPIO DE BALSA NOVA, PR 107 TOMBAMENTO DA APA DA ESCARPA DEVONIANA: ANÁLISE DE REQUERIMENTOS MINERARIOS NO MUNICÍPIO DE BALSA NOVA, PR LETENSKI, Ricardo 1. Introdução A Escarpa Devoniana é uma importante região biogeográfica,

Leia mais

Trabalho prático de Reconhecimento Geológico

Trabalho prático de Reconhecimento Geológico Trabalho prático de Reconhecimento Geológico LOCALIZAÇÃO Av. Duarte Pacheco Local de encontro - Bombas da TOTAL- Oeste das Amoreiras Obras Geotécnicas Mestrado Integrado em Engenharia Civil (4º Ano) Instituto

Leia mais

A Redução de São Miguel Arcanjo

A Redução de São Miguel Arcanjo 1 Leia o texto a seguir, observe a imagem e responda às questões. A Redução de São Miguel Arcanjo A Redução de São Miguel Arcanjo foi fundada em 1632 na região do Tape. Porém, devido aos ataques de paulistas

Leia mais

O RELEVO DA TERRA Capítulo 2

O RELEVO DA TERRA Capítulo 2 O RELEVO DA TERRA Capítulo 2 Ciclo da erosão RETIRADA TRANSPORTE SEDIMENTAÇÃO OU DEPOSIÇÃO A EROSÃO É UM PROCESSO NATURAL De uma forma simplificada, existe uma tendência em considerar a erosão como algo

Leia mais

Ariel Rodrigues, Ian Pozzobon e Marcos Reco Borges (levantamento de campo); Jovina Coli (AutoCad)

Ariel Rodrigues, Ian Pozzobon e Marcos Reco Borges (levantamento de campo); Jovina Coli (AutoCad) Parceria: denominação Fazenda do Coqueiro códice AI - F05 - Res localização Boca do Leão município Resende época de construção século XIX estado de conservação detalhamento no corpo da ficha uso atual

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO PORTARIA DECEA Nº 186 /DGCEA, DE 14 DE OUTUBRO DE 2014.

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO PORTARIA DECEA Nº 186 /DGCEA, DE 14 DE OUTUBRO DE 2014. MINISTÉRIO DA DEFESA DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO PORTARIA DECEA Nº 186 /DGCEA, DE 14 DE OUTUBRO DE 2014. Aprova o Plano Básico de Zona de Proteção de Heliponto (PBZPH) para o Heliponto HOSPITAL

Leia mais

FICHA DE CADASTRO DE SÍTIOS ARQUEOLÓGICOS

FICHA DE CADASTRO DE SÍTIOS ARQUEOLÓGICOS 127 FICHA DE CADASTRO DE SÍTIOS ARQUEOLÓGICOS CADASTRO N : 061 Coordenadas Planas: N-S = 381900 E-VV = 6980200 01. NOME DO SÍTIO: José DeI Posso 02. LOCALIDADE: Linha Poço Rico 03. MUNICÍPIO: Concórdia

Leia mais

AGENTES EXTERNOS DO RELEVO

AGENTES EXTERNOS DO RELEVO AGENTES EXTERNOS DO RELEVO INTEMPERISMO QUÍMICO FÍSICO ou MECÂNICO BIOLÓGICO ou ORGÂNICO 1 INTEMPERISMO: QUÍMICO FÍSICO e BIOLÓGICO (FUVEST) Intemperismo é o nome que se dá ao conjunto de processos que

Leia mais

ANÁLISE GEOMORFOLÓGICA DO MUNICÍPIO DE JARDIM OLINDA - PR

ANÁLISE GEOMORFOLÓGICA DO MUNICÍPIO DE JARDIM OLINDA - PR ANÁLISE GEOMORFOLÓGICA DO MUNICÍPIO DE JARDIM OLINDA - PR 17 Luiz Giovanni Bornia Acadêmico 4º Geografia - UEM luiz.bornia@cocamar.com.br Wérica Cardoso de Oliveira Acadêmica 1º Geografia - UEM wericaco@gmail.com

Leia mais

RIO PARANÁ: PRIMEIROS RESULTADOS DO PROJETO DE SALVAMENTO ARQUEOLÓGICO DE PORTO PRIMAVERA ETAPA II SP

RIO PARANÁ: PRIMEIROS RESULTADOS DO PROJETO DE SALVAMENTO ARQUEOLÓGICO DE PORTO PRIMAVERA ETAPA II SP RIO PARANÁ: PRIMEIROS RESULTADOS DO PROJETO DE SALVAMENTO ARQUEOLÓGICO DE PORTO PRIMAVERA ETAPA II SP Ruth KÜNZLI Jean Ítalo de ARAÚJO CABRERA Resumo: Trata-se, no presente artigo, de fazer uma retrospectiva

Leia mais

INFORMAÇÃO BÁSICA PARA EDIFICAÇÕES

INFORMAÇÃO BÁSICA PARA EDIFICAÇÕES 1 / 4 IDENTIFICAÇÃO DO LOTE Índice Cadastral do IPTU: 120.076.009.001-0 Regional: CENTRO-SUL Zona Fiscal: 120 Quarteirão: 076 Lote: 009 Planta de Parcelamento do Solo (CP): Cadastro Técnico Municipal (CTM)

Leia mais

LIMPEZA DO TERRENO E DESTOCAMENTO

LIMPEZA DO TERRENO E DESTOCAMENTO LIMPEZA DO TERRENO E DESTOCAMENTO Especificação Particular C D T - CENTRO DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO Dezembro de 2015 DESIGNAÇÃO - ARTERIS ES 104 Rev.00 12/2015 ES 104 Rev0 pg. 1 - Centro de Desenvolvimento

Leia mais

INQUÉRITO À UTILIZAÇÃO DE OBRAS CONCLUÍDAS (Q4)

INQUÉRITO À UTILIZAÇÃO DE OBRAS CONCLUÍDAS (Q4) INSTRUMENTO DE NOTAÇÃO DO SISTEMA ESTATÍSTICO NACIONAL (LEI Nº 22/2008 DE 13 DE MAIO) DE RESPOSTA CONFIDENCIAL E OBRIGATÓRIA, REGISTADO NO INE SOB O Nº 10118 VÁLIDO ATÉ 2015/03/31 Contactos para resposta

Leia mais

Art. 1º A exploração florestal em qualquer modalidade, no Estado de Santa Catarina,

Art. 1º A exploração florestal em qualquer modalidade, no Estado de Santa Catarina, PORTARIA INTERSETORIAL N 01/96 PORTARIA INTERSETORIAL N 01/96. O SECRETÁRIO DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO URBANO E MEIO AMBIENTE, e o DIRETOR GERAL DA FUNDAÇÃO DO MEIO AMBIENTE FATMA, com fundamento nas

Leia mais

Relatório de Ocorrência de Incêndio Florestal N. 009 /2015

Relatório de Ocorrência de Incêndio Florestal N. 009 /2015 Relatório de Ocorrência de Incêndio Florestal N. 009 /2015 UNIDADE DE CONSERVAÇÃO: PARQUE ESTADUAL DA PEDRA AZUL Municípios envolvidos: Domingos Martins Nome do gestor: MARCELO NASCIMENTO DA SILVA Responsável

Leia mais

Arquitetura moderna residencial

Arquitetura moderna residencial UFPB Arquitetura e Urbanismo Estágio Supervisionado V Arquitetura moderna residencial Felipe Mazzaro Thaisa Oashi Orientadora: Roberta Xavier Julho/2009 * Acervo moderno em João Pessoa: descaso e destruição

Leia mais

RELATÓRIO PARCIAL DE PESQUISA XXIII

RELATÓRIO PARCIAL DE PESQUISA XXIII 1 HABITUS ASSESSORIA & CONSULTORIA LTDA. CONSÓRCIO CRUZEIRO DO SUL - CECS RELATÓRIO PARCIAL DE PESQUISA XXIII SALVAMENTO ARQUEOLÓGICO UHE MAUÁ - PR PORTARIAS IPHAN Nº 7/88 E 230/02 EVERSON PAULO FOGOLARI

Leia mais