Efeitos do Stress Térmico em Vacas Leiteiras

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Efeitos do Stress Térmico em Vacas Leiteiras"

Transcrição

1 Efeitos do Stress Térmico em Vacas Leiteiras GEA Farm Technologies 2º Simpósio de Bovinocultura de Leite Unesp Campus de Dracena

2 Stress Térmico 2

3 Stress Térmico- Animais de alto metabolismo Estudos provam que vacas de leite começam a reduzir a ingestão de alimentos com temperaturas acima de 20 graus Celsius. Produção de leite, performance reprodutiva e saúde animal são prejudicadas. Vacas de alta produção são mais propensas a sofrer estes efeitos. O grau de stress térmico que a vaca sofre dependerá de uma combinação de condições ambientais temperatura do ar, umidade relativa, movimento de ar e radiação solar. Os produtores de leite devem utilizar sombreamento e farta disponibilidade de água para auxiliar no combate ao calor, mas somente sombra e ventilação não são suficientes. O maior impacto não é na produção de leite e sim reprodução

4 Stress Térmico Limites de temperatura x grau sanguíneo # raças Gir - 28 C Girolando ½ - 26 C Girolando ¾ - 24 C Girolando 7/8 22 C Holandesas 18 C Jersey 21 C

5 Stress Térmico Aumentado: Taxa Respiratória; Temperatura Retal; Problemas reprodutivos pos parto ( retenção de placenta); Ingestão de agua; Sudorese. Reduzindo: Taxa de passagem dos alimentos; Ingestão de MS; Fluxo sanguíneo por órgãos importantes; Produção de leite. Em longo prazo desencadeiam os principais fatores com impacto financeiro; Redução da produção de leite durante a lactação completa; Redução da eficiência reprodutiva, reabsorção embrionária; Saúde glândula mamário; Laminite.

6 Stress Térmico

7 Stress Térmico- Animais de alto metabolismo

8 Stress Térmico TE IA 10

9 Stress Térmico TE IA 11

10 Stress Térmico TE IA 12

11 Stress Térmico Sabe se que as vacas tem menor troca de calor via pele e que invariavelmente temos que usar de ferramentas para facilitar essa troca e proporcionar melhores condições para as vacas produzirem e reproduzirem. Temos algumas formas de potencializar essa troca calórica: Refrigerar as vacas Aspersores e ventiladores Refrigerar o ar Cross Ventilation Placas Evaporativas Pressão negativa Combinação Refrigerar as vacas Refrigerar o ar 13

12 Stress Térmico Refrigerando a vaca: Molhar e secar a vaca Combinação de aspersores e ventiladores Controle automatico de ciclos Funciona em climas úmidos e secos Reduz excesso de uso de agua Melhora conforto dos animais 14

13 Stress Térmico 15

14 Stress Térmico Design Experimental Efeito de ciclo de aspersão na linha de alimentação Freqüência e Ventilação Suplementar sobre taxas de respiração e temperatura corporal das vacas lactantes. Vacas lactantes ~ 41 kg/vaca/dia leite Novilhas lactantes ~ 36 kg/vaca/dia leite Periodo de trabalho 13:00 hs 17:30 hs 22 de Agosto 5 de Setembro, 2001 Condições térmicas 31º C 57% Umidade Relativa do Ar 80 THI M.J. Brouk, J.F. Smith e J.P. Harner, III Kansas State University 16

15 Stress Térmico Ventilação e Aspersão 17

16 Efeitos do Stress térmico em vacas de alta produção Tratamentos: 1 0 sem aspersores e sem ventiladores (0) 2 sem aspersores com ventiladores (0 + F) 3 ciclo de 5 minutos aspersão (1 aspergindo 4 sem aspersão) (5) 4 - ciclo de 5 min (1 asp 4 sem asp) + ventiladores (5+F) 5 ciclo aspersão 10 min (1 asp + 9 sem asp) (10) 6 - ciclo de 10 min (1 asp + 9 sem asp) + ventiladores (10 + F) 7 ciclo de 15 min ( 1 asp + 14 min sem asp) (15) 8 - ciclo de 15 min ( 1 asp + 14 min sem asp) + ventiladores (15 + F) Dados apresentados Workshop Fazenda Colorado Mr J Smith Kansas University 18 Aspersor -3.4 l/min ou.17 l/ft2 Vent. 3 m/seg

17 Taxa Respiratória (Suspiros/min) Efeitos do Tratamento de Refrigeração na taxa respiratória acima de 95 minutos Minutos 19

18 Temperatura Corporal (ºC) Efeitos do Tratamento de Refrigeração na temperatura corporal acima de 95 minutos Períodos de tempo 5 minutos 20

19 Taxa Respiratória (Suspiros/min) Relação entre taxa respiratória e temperatura corporal do gado de leite Temperatura Corporal (ºC) 21

20 GEA Farm Equipment Sistema de Ventilação Cross Ventilation Ventilador Galvanizado 52pol com cone de descarga e quadro de montagem com proteção para exterior/interior Eficiência na relação CFM/Watt baixo consumo de energia Performance aprovada pelo laboratório BESS da Universidade de Illinois (Bioenvironmental and Structural Systems Lab) 22

21 GEA Farm Equipment Sistema de Refrigeração Evaporativa Células evaporativas Refrigeração substancial do ar pela passagem através de células saturadas com água 23

22 Sistemas de Ventilação

23 Sistema de Cortinas

24 Sistemas de Ventilação

25 Células para Refrigeração

26 Sistema de Ventilação Cruzada - Eficiência

27 Stress Térmico Pontos a serem melhorados em qualquer propriedade 1. Aumentar a disponibilidade de água 2. Fornecer sombra nos galpões e curral de espera 3. Reduzir distâncias de deslocamento 4. Reduzir o tempo no curral de espera 5. Melhorar a ventilação e aspersão no curral de espera 6. Associar resfriamento no curral de espera e corredores de saída 7. Melhorar a ventilação e aspersão no free stall ou linha de cocho 8. Resfriar as vacas no pré parto (3 semanas antes de parir) 9. Resfriar vacas em fase intermediária & final de lactação. 29

28 Stress Térmico 31

29 Stress Térmico Conforto térmico para o rebanho Melhores índices reprodutivos Maior consumo de alimento Melhor saúde animal Maior produção Lucratividade

30 Conforto e Ambiência em rebanhos leiteiros de alta performance Proporcionar aos animais ambiente favorável para alta performance; Bem estar animal; Saúde animal; Eficiência reprodutiva; Eficiência produtiva; Melhores índices dentro do rebanho. 33

31 Alexandre Galucci Toloi (19) Muito obrigado!

EFEITOS AMBIENTAIS NO BEM-ESTAR ANIMAL: EXEMPLO NA BOVINOCULTURA LEITEIRA. Em que devemos pensar???

EFEITOS AMBIENTAIS NO BEM-ESTAR ANIMAL: EXEMPLO NA BOVINOCULTURA LEITEIRA. Em que devemos pensar??? EFEITOS AMBIENTAIS NO BEM-ESTAR ANIMAL: EXEMPLO NA BOVINOCULTURA LEITEIRA Em que devemos pensar??? Clima Instalação Manejo Animal Foto: Internet 1 REGIÃO INTERTROPICAL Trópico de Câncer Trópico de Capricórnio

Leia mais

Com relação ao desempenho reprodutivo, a fertilidade e a manifestação do cio podem ser afetadas em vacas em lactação sob estresse térmico.

Com relação ao desempenho reprodutivo, a fertilidade e a manifestação do cio podem ser afetadas em vacas em lactação sob estresse térmico. PRODUÇÃO DE LEITE EM AMBIENTE TROPICAL Maria da Graça Pinheiro Zoot., Dr., PqC do Polo Regional Centro Leste/APTA mgpinheiro@apta.sp.gov.br 1. Introdução O Brasil possui cerca de dois terços de seu território

Leia mais

O verão está por perto tenha certeza de que suas vacas não ficarão estressadas

O verão está por perto tenha certeza de que suas vacas não ficarão estressadas O verão está por perto tenha certeza de que suas vacas não ficarão estressadas Ines Rivelli e Dr. Phil Cardoso As principais funções dos sistemas de ventilação são remover o ar velho e úmido e trazer para

Leia mais

Pesquisa: resfriamento bem-sucedido de vacas leiteiras na Itália

Pesquisa: resfriamento bem-sucedido de vacas leiteiras na Itália Pesquisa: resfriamento bem-sucedido de vacas leiteiras na Itália Os produtores de leite em regiões quentes estão familiarizados com o impacto negativo do estresse calórico sobre o desempenho de suas vacas.

Leia mais

ESTRESSE CALÓRICO E SUA INFLUÊNCIA NA PRODUÇÃO DO LEITE REVISÃO DE LITERATURA 1

ESTRESSE CALÓRICO E SUA INFLUÊNCIA NA PRODUÇÃO DO LEITE REVISÃO DE LITERATURA 1 ESTRESSE CALÓRICO E SUA INFLUÊNCIA NA PRODUÇÃO DO LEITE REVISÃO DE LITERATURA 1 Emanuelle Bortolotto Degregori 2, Denize Da Rosa Fraga 3, Lisandre De Oliveira 4. 1 Revisão de literatura realizada no curso

Leia mais

Impacto do pré e pós parto no resultado produtivo e reprodutivo em fazendas leiteiras

Impacto do pré e pós parto no resultado produtivo e reprodutivo em fazendas leiteiras Impacto do pré e pós parto no resultado produtivo e reprodutivo em fazendas leiteiras Rafael Augusto Águido Técnico da Equipe Leite Rehagro Consultor SEBRAE-CE Período de Transição O que é o período de

Leia mais

AMBIÊNCIA E PRODUÇÃO DE LEITE

AMBIÊNCIA E PRODUÇÃO DE LEITE AMBIÊNCIA E PRODUÇÃO DE LEITE DAVID RAMOS DA ROCHA Zootecnista AIRTON ALENCAR DE ARAÚJO Médico veterinário rio NOV/2006 INTRODUÇÃO Brasil: 23 bilhões de litros de leite/ano; Estado do Ceará: 363 milhões

Leia mais

Criação de Novilhas Leiteiras

Criação de Novilhas Leiteiras Criação de Novilhas Leiteiras Introdução Tópicos Objetivos da criação de novilhas Estimativa do número de novilhas no rebanho Manejo da Novilha Considerações Econômicas (Criar ou Terceirizar?) Salvador,

Leia mais

Importância Reprodutiva em Gado de Leiteiro

Importância Reprodutiva em Gado de Leiteiro Importância Reprodutiva em Gado de Leiteiro Prof. Me.: Whelerson Luiz Vitro vitro@fea.br Disciplina de Bovinocultura FEA Andradina 2015 Introdução O desempenho adequado de qualquer sistema de produção

Leia mais

Ventilação Natural VENTILAÇÃO 1/47

Ventilação Natural VENTILAÇÃO 1/47 Ventilação Natural 1/47 Ventilação Natural CARACTERÍSTICAS GERAIS É uma das mais antigas estratégias de resfriamento passivo. É resultante de movimentos de ar, através de trocas entre ar interno e externo

Leia mais

ZAZ 5817 Projeto de Instalações Zootécnicas Assistido por Computador

ZAZ 5817 Projeto de Instalações Zootécnicas Assistido por Computador Disciplina : PG/2013 ZAZ 5817 Projeto de Instalações Zootécnicas Assistido por Computador Aula: Princípios de Bioclimatologia Docente: Luciane S. Martello 22 de outubro de 2013 Sumário Importância da produção

Leia mais

REPETIBILIDADE. O termo repetibilidade refere-se a expressão de um mesmo caráter em épocas distintas na vida do animal.

REPETIBILIDADE. O termo repetibilidade refere-se a expressão de um mesmo caráter em épocas distintas na vida do animal. REPETIBILIDADE O termo repetibilidade refere-se a expressão de um mesmo caráter em épocas distintas na vida do animal. Produção de leite e gordura, produção de lã, comprimento da lã, peso e forma do ovo,

Leia mais

CRIAÇÃO DE NOVILHAS DESMAMA AO PRIMEIRO PARTO 34) TAXA DE CRESCIMENTO Michel A. Wattiaux Babcock Institute

CRIAÇÃO DE NOVILHAS DESMAMA AO PRIMEIRO PARTO 34) TAXA DE CRESCIMENTO Michel A. Wattiaux Babcock Institute Instituto Babcock para Pesquisa e Desenvolvimento da Pecuária Leiteira Internacional University of Wisconsin-Madison Essenciais em Gado de Leite CRIAÇÃO DE NOVILHAS DESMAMA AO PRIMEIRO PARTO 34) TAXA DE

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina AGF473 Produção de Ruminantes

Programa Analítico de Disciplina AGF473 Produção de Ruminantes Catálogo de Graduação 016 da UFV 0 Programa Analítico de Disciplina AGF7 Produção de Ruminantes Campus de Florestal - Campus de Florestal Número de créditos: Teóricas Práticas Total Duração em semanas:

Leia mais

MAIORES PRODUTORES DE LEITE DO MUNDO

MAIORES PRODUTORES DE LEITE DO MUNDO MAIORES PRODUTORES DE LEITE DO MUNDO Anualpec, 2010 1 O - UNIÃO EUROPÉIA (27) 2 O - ÍNDIA 3 O - EUA 4 O - RÚSSIA 5 O - CHINA 6 O - BRASIL PRODUÇÃO MUNDIAL DE LEITE PERSPECTIVA MAIORES PRODUTORES DE LEITE

Leia mais

Importância Reprodutiva em Gado de Leiteiro

Importância Reprodutiva em Gado de Leiteiro Importância Reprodutiva em Gado de Leiteiro Prof. Me.: Whelerson Luiz Vitro vitro@fea.br Disciplina de Bovinocultura FEA Andradina 2015 Introdução O desempenho adequado de qualquer sistema de produção

Leia mais

EFEITOS DO AMBIENTE CLIMÁTICO SOBRE AS RESPOSTAS FISIOLÓGICAS DO ANIMAL

EFEITOS DO AMBIENTE CLIMÁTICO SOBRE AS RESPOSTAS FISIOLÓGICAS DO ANIMAL EFEITOS DO AMBIENTE CLIMÁTICO SOBRE AS RESPOSTAS FISIOLÓGICAS DO ANIMAL SCHMITT, Clederson Idenio 1 ; RICKES, Rutiele Nolaco 2 ; DE MATTOS, Raine Fonseca 3 ; SILVEIRA, Isabella Dias Barbosa da Silveira

Leia mais

Projeto e Construção Sustentável. Estratégias bioclimáticas aplicadas ao clima de Sinop-MT

Projeto e Construção Sustentável. Estratégias bioclimáticas aplicadas ao clima de Sinop-MT O ProjetEEE (http://www.projeteee.ufsc.br/) foi desenvolvido a partir do questionamento "Como proporcionar menor consumo energético e maior conforto interno ao usuário". O resultado é uma ferramenta gratuita

Leia mais

Fatores de risco específicos da vaca para retenção de placenta, metrite e mastite clínica da raça Holandês

Fatores de risco específicos da vaca para retenção de placenta, metrite e mastite clínica da raça Holandês UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE VETERINÁRIA DEPARTAMENTO DE CLÍNICAS VETERINÁRIA www.ufpel.edu.br/nupeec Fatores de risco específicos da vaca para retenção de placenta, metrite e mastite clínica

Leia mais

Suplementação de gordura para vacas leiteiras em pasto

Suplementação de gordura para vacas leiteiras em pasto Suplementação de gordura para vacas leiteiras em pasto A produção de leite no Brasil está baseada principalmente em sistemas que exploram pastagens tropicais ao longo da maior parte do ano. Quando essas

Leia mais

Climatização. Prof. Ramón Eduardo Pereira Silva Engenharia de Energia Universidade Federal da Grande Dourados Dourados MS 2014

Climatização. Prof. Ramón Eduardo Pereira Silva Engenharia de Energia Universidade Federal da Grande Dourados Dourados MS 2014 Climatização Prof. Ramón Eduardo Pereira Silva Engenharia de Energia Universidade Federal da Grande Dourados Dourados MS 2014 Efeitos do Movimento do Ar no Conforto de uma Pessoa Energia Solar Térmica

Leia mais

Efeitos do resfriamento de vacas leiteiras

Efeitos do resfriamento de vacas leiteiras ESPECIAL ESTRESSE TÉRMICO Texto: Dr. Israel Flamenbaum Efeitos do resfriamento de vacas leiteiras Um grande número de estudos foi reali- tores localizados nas regiões quentes a água e, à medida que a água

Leia mais

Paulo Giovanni de Abreu

Paulo Giovanni de Abreu Paulo Giovanni de Abreu Paulo.g.abreu@embrapa.br https://www.embrapa.br/suinos-e-aves Homeotermia Energia utilizada pelos homeotermos 20% 80% Produção homeotermia Morte por frio HIPOTERMIA ZONA DE CONFORTO

Leia mais

VAPOR DE ÁGUA NA ATMOSFERA / UMIDADE DO AR

VAPOR DE ÁGUA NA ATMOSFERA / UMIDADE DO AR VAPOR DE ÁGUA NA ATMOSFERA / UMIDADE DO AR Umidade: Termo geral usado para descrever a presença de vapor d água no ar atmosférico. AR ÚMIDO = AR SECO + VAPOR D AGUA Importância: Transporte e distribuição

Leia mais

DE HIGIENE INDUSTRIAL EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL AO CALOR

DE HIGIENE INDUSTRIAL EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL AO CALOR CURSO BÁSICO B DE HIGIENE INDUSTRIAL EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL AO CALOR MECANISMOS DE TROCA TÉRMICA CONDUÇÃO CONTATO ENTRE DOIS CORPOS CONVECÇÃO CONTATO ENTRE DOIS CORPOS SENDO UM FLUIDO RADIAÇÃO EMISSÃO DE

Leia mais

Sistemas de Automação em Dark House para Ambiência de Frango de Corte. Workshop Embrapa Suínos e Aves Eng Agrícola Paulo Verdi.

Sistemas de Automação em Dark House para Ambiência de Frango de Corte. Workshop Embrapa Suínos e Aves Eng Agrícola Paulo Verdi. Sistemas de Automação em Dark House para Ambiência de Frango de Corte Workshop Embrapa Suínos e Aves Eng Agrícola Paulo Verdi. 1 Dark House BRASIL... Como ocorreu a nossa Evolução Histórica DÉCADA DE 90:

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2017/1 Mestrado Nutrição e Produção Animal Campus Rio Pomba ORIENTAÇÕES SOBRE A PROVA. Leia, com atenção, antes de começar!

PROCESSO SELETIVO 2017/1 Mestrado Nutrição e Produção Animal Campus Rio Pomba ORIENTAÇÕES SOBRE A PROVA. Leia, com atenção, antes de começar! ORIENTAÇÕES SOBRE A PROVA Leia, com atenção, antes de começar! 1. Este Caderno de Prova contém 10 (dez) questões: 5 (cinco) questões: Linha de Pesquisa 1. Nutrição e Produção de Bovinos; 5 (cinco) questões:

Leia mais

Manejo Nutricional e suas Influências na Qualidade do Leite. Gabriel Candido Bandeira RC DSM TORTUGA

Manejo Nutricional e suas Influências na Qualidade do Leite. Gabriel Candido Bandeira RC DSM TORTUGA Manejo Nutricional e suas Influências na Qualidade do Leite Gabriel Candido Bandeira RC DSM TORTUGA Atender exigências dos animais; Produção; Custo de produção? Vacas; Bezerras; Novilhas; Machos.? Curva

Leia mais

O papel da suplementação na Pecuária Leiteira

O papel da suplementação na Pecuária Leiteira O papel da suplementação na Pecuária Leiteira Nutrição e Suplementação... São a mesma coisa? Nutrição / Desnutrição Nutrição / Desnutrição Nutrição / Desnutrição Nutrição É o processo biológico pelo qual

Leia mais

Custos de produção e Planejamento do rebanho

Custos de produção e Planejamento do rebanho Custos de produção e Planejamento do rebanho A estimativa dos custos de produção permite avaliar a viabilidade do negócio. Custo Operacional (CO) Despesas de custeio / produção de leite. Custo Operacional

Leia mais

Aula 02. Variáveis. Organização e Apresentação dos Dados

Aula 02. Variáveis. Organização e Apresentação dos Dados Aula 02 Variáveis Organização e Apresentação dos Dados Stela Adami Vayego - DEST/UFPR 1 1. Variável - É qualquer quantidade ou característica que pode possuir diferentes valores numéricos (Young). - É

Leia mais

Condensadores. Principais Tipos. Resfriados a ar sistema de ar condicionado e refrigeração comercial

Condensadores. Principais Tipos. Resfriados a ar sistema de ar condicionado e refrigeração comercial Condensadores Principais Tipos Resfriados a ar sistema de ar condicionado e refrigeração comercial Condensadores Resfriados a água sistema de ar condicionado e refrigeração comercial Trocador casco e tubo

Leia mais

EQUILIBRIO TÉRMICO ENTRE O HOMEM E O MEIO

EQUILIBRIO TÉRMICO ENTRE O HOMEM E O MEIO EQUILIBRIO TÉRMICO ENTRE O HOMEM E O MEIO Conforto térmico conforto térmico de um ambiente pode ser definido como a sensação de bem-estar experimentada por uma e/ou pela maioria das pessoas. Está relacionada

Leia mais

Câmaras Frigoríficas

Câmaras Frigoríficas Câmaras Frigoríficas 1. Definição É um recinto utilizado para condições controladas de armazenamento com auxílio da refrigeração; Empregadas em dois níveis básicos de armazenamento: Instalações com temperatura

Leia mais

ERGONOMIA. Variáveis ambientais: CALOR RUÍDOS UMIDADE VIBRAÇÕES LUZ CORES

ERGONOMIA. Variáveis ambientais: CALOR RUÍDOS UMIDADE VIBRAÇÕES LUZ CORES ERGONOMIA AULA 8: O O Ambiente de Trabalho Variáveis ambientais: CALOR RUÍDOS UMIDADE VIBRAÇÕES LUZ CORES Estas condições influenciam o desempenho humano e a saúde dos trabalharores. TEMPERATURA TEMPERATURA

Leia mais

Fonte: KAWAKAMI (2009)

Fonte: KAWAKAMI (2009) Fonte: KAWAKAMI (2009) Fonte: KAWAKAMI (2009) Fonte: KAWAKAMI (2009) Fonte: KAWAKAMI (2009) Fonte: KAWAKAMI (2009) Fonte: KAWAKAMI (2009) Fonte: KAWAKAMI (2009) Fonte: KAWAKAMI (2009) 4 LEED s no Brasil

Leia mais

MANEJO E ALIMENTAÇÃO DE VACAS EM LACTAÇÃO

MANEJO E ALIMENTAÇÃO DE VACAS EM LACTAÇÃO AZ042 Bovinocultura de Leite Aula 09 MANEJO E ALIMENTAÇÃO DE VACAS EM LACTAÇÃO Prof. Rodrigo de Almeida Ciclo de Produção - Curva de Lactação - Consumo de Matéria Seca - Escore de Condição Corporal - Desenvolvimento

Leia mais

5Cs. Criação de Bezerras. do sucesso para AGRIPOINT. por: Carla Maris Machado Bittar. agripoint.com.br/curso CURSOS ONLINE

5Cs. Criação de Bezerras. do sucesso para AGRIPOINT. por: Carla Maris Machado Bittar. agripoint.com.br/curso CURSOS ONLINE 5Cs do sucesso para por: Carla Maris Machado Bittar agripoint.com.br/curso Você sabia que muitas propriedades de sucesso na criação de bezerras utilizam protocolos baseados nos 5 Cs da criação? Para auxiliar

Leia mais

TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS. Estratégias por TRY e Normais Climatológicas. M.Sc. Arq. Elena M. D. Oliveira

TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS. Estratégias por TRY e Normais Climatológicas. M.Sc. Arq. Elena M. D. Oliveira TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS ARQUITETURA BIOCLIMÁTICA Estratégias por TRY e Normais Climatológicas M.Sc. Arq. Elena M. D. Oliveira CARTA PSICROMÉTRICA CARTA BIOCLIMÁTICA CARTA BIOCLIMÁTICA CARTA

Leia mais

AMÉRICA LATINA ROSS 308 AP (AP95) Objetivos de Desempenho FRANGOS. An Aviagen Brand

AMÉRICA LATINA ROSS 308 AP (AP95) Objetivos de Desempenho FRANGOS. An Aviagen Brand AMÉRICA LATINA FRANGOS ROSS 308 AP (AP95) Objetivos de Desempenho An Aviagen Brand Introdução Este encarte contém os objetivos de desempenho para o frango Ross 308 AP (AP95) e deve ser utilizado em conjunto

Leia mais

Conforto Humano. Acústico; antropométrico; olfativo; tátil; térmico; visual.

Conforto Humano. Acústico; antropométrico; olfativo; tátil; térmico; visual. 1 Conforto Humano 2 Acústico; antropométrico; olfativo; tátil; térmico; visual. Conforto Térmico Interação Térmica entre o Corpo Humano e o Ambiente Radiação Convecção Ar ambiente Perda de Calor Sensível

Leia mais

JÁ IMAGINOU UMA SOLUÇÃO COM 100% DE MELHORAMENTO GENÉTICO PRONTA PARA ACELERAR O FUTURO DO SEU REBANHO?

JÁ IMAGINOU UMA SOLUÇÃO COM 100% DE MELHORAMENTO GENÉTICO PRONTA PARA ACELERAR O FUTURO DO SEU REBANHO? JÁ IMAGINOU UMA SOLUÇÃO COM 100% DE MELHORAMENTO GENÉTICO PRONTA PARA ACELERAR O FUTURO DO SEU REBANHO? DESEMPENHO PRODU TIVI DADE A ABS está lançando um novo conceito no mercado de genética bovina: o

Leia mais

Guia de Utilização Bovinfor

Guia de Utilização Bovinfor Guia de Utilização Bovinfor ASSOCIAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA ESTAÇÃO DE APOIO À BOVINIVULTURA LEITEIRA BOVINFOR O BOVINFOR é a Base de Dados Nacional para o armazenamento da informação produtiva, reprodutiva

Leia mais

RESPOSTAS FISIOLÓGICAS DE VACAS HOLANDESAS FRENTE A RECURSO DE VENTILAÇÃO EM ESTABULAÇÃO LIVRE 1

RESPOSTAS FISIOLÓGICAS DE VACAS HOLANDESAS FRENTE A RECURSO DE VENTILAÇÃO EM ESTABULAÇÃO LIVRE 1 RESPOSTAS FISIOLÓGICAS DE VACAS HOLANDESAS FRENTE A RECURSO DE VENTILAÇÃO EM ESTABULAÇÃO LIVRE 1 PHYSIOLOGICAL RESPONSES OF HOLSTEIN COW S FACE TO RESOURCE OF FAN IN FREE-STALL REÍSSA ALVES VILELA 2,6

Leia mais

Nutrição e Manejo de Vacas de leite no pré-parto

Nutrição e Manejo de Vacas de leite no pré-parto FCA-UNESP-FMVZ Empresa Júnior de Nutrição de Ruminantes NUTRIR Departamento de Melhoramento e Nutrição Animal-DMNA Site: www.gruponutrir.com.br diretorianutrir@gmail.com Nutrição e Manejo de Vacas de leite

Leia mais

Tabela 3.37: Constantes da Equação

Tabela 3.37: Constantes da Equação C R = [(a) + (b X AU amb ) + (c X CT baixa ) + (d X α par ) + (e X PD/AU amb ) + (f X somb) + (g X CT cob ) + (h X Ab S ) + (i X SomA parext X CT par ) + (j X cob) + (k X U cob X α cob X cob X AU amb )

Leia mais

Influências da primiparidade no tamanho ao nascimento, crescimento, eixo somatotrófico e fertilidade em novilhas leiteiras.

Influências da primiparidade no tamanho ao nascimento, crescimento, eixo somatotrófico e fertilidade em novilhas leiteiras. Influências da primiparidade no tamanho ao nascimento, crescimento, eixo somatotrófico e fertilidade em novilhas leiteiras. Apresentadores: Guilherme Nunes Bolzan Igor Santa Bárbara Araújo Orientação:

Leia mais

65 dias de 3rlab, o que as VACAS estão nos dizendo. Marcelo Hentz Ramos PhD Diretor 3rlab, consultor Rehagro

65 dias de 3rlab, o que as VACAS estão nos dizendo. Marcelo Hentz Ramos PhD Diretor 3rlab, consultor Rehagro 65 dias de 3rlab, o que as VACAS estão nos dizendo Marcelo Hentz Ramos PhD Diretor 3rlab, consultor Rehagro O QUE É NIRS? NIRS FUNCIONA? Análise Fase 1 Técnico entender o PODER da análise bromatológica

Leia mais

ESCORE DE CONDIÇÃO CORPORAL EM BUBALINOS

ESCORE DE CONDIÇÃO CORPORAL EM BUBALINOS Disciplina de Bubalinocultura ESCORE DE CONDIÇÃO CORPORAL EM BUBALINOS Prof. Dr. André M. Jorge UNESP-FMVZ-Botucatu Depto. Produção e Exploração Animal A quantidade de reservas corporais que uma búfala

Leia mais

RESULTADOS TÉCNICOS E ECONÔMICOS URT DE COMBINADO FAZENDA PARAISO

RESULTADOS TÉCNICOS E ECONÔMICOS URT DE COMBINADO FAZENDA PARAISO RESULTADOS TÉCNICOS E ECONÔMICOS URT DE COMBINADO FAZENDA PARAISO Equipe Técnica Responsável técnico RURALTINS Carlos Rodrigo Xavier Oliveira Técnico/Tecnólogo em Agropecuária Responsável técnico EMBRAPA

Leia mais

Curso Online: Índices Zootécnicos: como calcular, interpretar, agir

Curso Online: Índices Zootécnicos: como calcular, interpretar, agir Texto Complementar 1a Raça Holandesa: Pontos fortes e limitações de hoje, oportunidades no futuro Prof. Dr. Rodrigo de Almeida UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Observação: Artigo publicado no site MilkPoint

Leia mais

Equilíbrio térmico durante o exercício

Equilíbrio térmico durante o exercício Equilíbrio térmico durante o exercício Objetivo da termorregulação? - Manutenção da temperatura interna constante - Manter a proporção em produção e perda de calor Centro de controle da temperatura? -

Leia mais

Cruzamentos. Noções de melhoramento parte 3. Cruzamentos. Cruzamento X Seleção. Como decidir o cruzamento? EXEMPLOS

Cruzamentos. Noções de melhoramento parte 3. Cruzamentos. Cruzamento X Seleção. Como decidir o cruzamento? EXEMPLOS Noções de melhoramento parte 3 Cruzamentos Profa. Renata de Freitas F. Mohallem Cruzamentos Acasalamento: Troca de Gametas que resulta em concepção, gestação e nascimento de filhos. Explora as diferenças

Leia mais

Avaliação do Conforto Térmico de Frangos de Corte de Forma Direta e Prática

Avaliação do Conforto Térmico de Frangos de Corte de Forma Direta e Prática Avaliação do Conforto Térmico de Frangos de Corte de Forma Direta e Prática Marília Lessa de Vasconcelos Queiroz, José Antonio Delfino Barbosa Filho, Frederico Márcio Corrêa Vieira Núcleo de Estudos em

Leia mais

06/05/2015 AULA 8 CONFORTO AMBIENTAL & BIOCLIMATISMO EDI 64 ARQUITETURA E URBANISMO_ 20. Profa. Dra. Giovanna M. Ronzani Borille

06/05/2015 AULA 8 CONFORTO AMBIENTAL & BIOCLIMATISMO EDI 64 ARQUITETURA E URBANISMO_ 20. Profa. Dra. Giovanna M. Ronzani Borille AULA 8 CONFORTO AMBIENTAL & 015 EDI 64 ARQUITETURA E URBANISMO_ 20 BIOCLIMATISMO Profa. Dra. Giovanna M. Ronzani Borille 1 ATENÇÃO: AJUSTE NA PROGRAMAÇÃO (CONTEÚDO) Data ANTES DEPOIS 06/05 Bioclimatismo

Leia mais

TERMOGRAFIA COMO FERRAMENTA DE AVALIAÇÃO DO ESTRESSE TÉRMICO EM VACAS LEITEIRAS.

TERMOGRAFIA COMO FERRAMENTA DE AVALIAÇÃO DO ESTRESSE TÉRMICO EM VACAS LEITEIRAS. TERMOGRAFIA COMO FERRAMENTA DE AVALIAÇÃO DO ESTRESSE TÉRMICO EM VACAS LEITEIRAS. Aline Francelina de Queiros ¹; Francisco Roserlândio Botão Nogueira ²; Marília da Piedade Roque de Araújo ³; Maria Evelaine

Leia mais

CONTROLE ZOOTÉCNICO - TÉCNICA EFICIENTE E NECESSÁRIA

CONTROLE ZOOTÉCNICO - TÉCNICA EFICIENTE E NECESSÁRIA 1 CONTROLE ZOOTÉCNICO - TÉCNICA EFICIENTE E NECESSÁRIA O mercado de leite no Brasil é historicamente conhecido por apresentar tendências instáveis e impondo, principalmente, estreitas margens ao produtor.

Leia mais

Características da vaca O que esperar de uma vaca. que afetam a economia. de produção de leite. leiteira. Vidal Pedroso de Faria.

Características da vaca O que esperar de uma vaca. que afetam a economia. de produção de leite. leiteira. Vidal Pedroso de Faria. Características da vaca O que esperar de uma vaca que afetam a economia leiteira de produção de leite Vidal Pedroso de Faria vpdfaria@gmail.com A responsabilidade das vacas em lactação na fazenda leiteira

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE VETERINÁRIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE VETERINÁRIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE VETERINÁRIA EFEITOS DO ESTRESSE TÉRMICO EM REBANHOS LEITEIROS DE ALTA PRODUÇÃO Autora: Laura da Nova Cruz Pegorini PORTO ALEGRE 2011/02 UNIVERSIDADE

Leia mais

Inseminação Artificial em Tempo Fixo em Vacas Leiteiras

Inseminação Artificial em Tempo Fixo em Vacas Leiteiras Inseminação Artificial em Tempo Fixo em Vacas Leiteiras Serviços em Pecuária de Leite Avaliação Ginecológica e Diagnóstico de Gestação com Aparelho de Ultrassonografia Exames Laboratoriais IATF Inseminação

Leia mais

TESTE DE TOLERÂNCIA AO CALOR E SUA CORRELAÇÃO COM VARIÁVEIS FISIOLÓGICAS EM BOVINOS NA REGIÃO CENTRO-OESTE DO BRASIL 1

TESTE DE TOLERÂNCIA AO CALOR E SUA CORRELAÇÃO COM VARIÁVEIS FISIOLÓGICAS EM BOVINOS NA REGIÃO CENTRO-OESTE DO BRASIL 1 TESTE DE TOLERÂNCIA AO CALOR E SUA CORRELAÇÃO COM VARIÁVEIS FISIOLÓGICAS EM BOVINOS NA REGIÃO CENTRO-OESTE DO BRASIL 1 BARROS, Bruno de Carvalho 2 ; MACENA, Tânia Cristina 3 ; JACINTO, Renato Jesus 4 ;

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Bovinocultura de Corte e Leite Código: VET244 Curso: Medicina Veterinária Semestre de oferta: 7 p Faculdade responsável: Medicina Veterinária Programa em vigência a partir

Leia mais

Nutrição e Eficiência Reprodutiva de Vacas Leiteiras. Profa. Ricarda Maria dos Santos FAMEV Universidade Federal de Uberlândia

Nutrição e Eficiência Reprodutiva de Vacas Leiteiras. Profa. Ricarda Maria dos Santos FAMEV Universidade Federal de Uberlândia Nutrição e Eficiência Reprodutiva de Vacas Leiteiras Profa. Ricarda Maria dos Santos FAMEV Universidade Federal de Uberlândia Por que devemos nos preocupar com Eficiência Reprodutiva? Eficiência Reprodutiva

Leia mais

Pedido nacional de Invenção, Modelo de Utilidade, Certificado de Adição de Invenção e entrada na fase nacional do PCT

Pedido nacional de Invenção, Modelo de Utilidade, Certificado de Adição de Invenção e entrada na fase nacional do PCT 19/05/2016 870160021388 17:08 00.000.2.2.16.0322907.2 Pedido nacional de Invenção, Modelo de Utilidade, Certificado de Adição de Invenção e entrada na fase nacional do PCT Número do Processo: BR 10 2016

Leia mais

O conforto humano. O Homem e suas necessidade higrotérmicas

O conforto humano. O Homem e suas necessidade higrotérmicas O conforto humano O Homem e suas necessidade higrotérmicas O que é conforto térmico O conforto térmico é definido como uma condição mental que expressa satisfação com o ambiente térmico circunjacente.

Leia mais

ARQUITETURA BIOCLIMÁTICA

ARQUITETURA BIOCLIMÁTICA ARQUITETURA BIOCLIMÁTICA CLIMA E ARQUIETURA >>> Como a arquitetura pode contribuir na redução do consumo energético de uma edificação mantendo suas condições de conforto? Estratégias de projeto arquitetônico

Leia mais

NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO. Recria - Gestação Lactação. Cachaço 08/06/2014. Levar em consideração: Exigências nutricionais de fêmeas suínas

NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO. Recria - Gestação Lactação. Cachaço 08/06/2014. Levar em consideração: Exigências nutricionais de fêmeas suínas NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO Recria - Gestação Lactação Cachaço Msc. Daniela Junqueira Rodrigues Exigências nutricionais de fêmeas suínas 1. Linhagem 2. Estágio de desenvolvimento do animal 3. Consumo de ração

Leia mais

FATORES QUE INFLUENCIAM NA ESCOLHA DA ESTRUTURA E EQUIPAMENTOS A SEREM IMPLANTADOS

FATORES QUE INFLUENCIAM NA ESCOLHA DA ESTRUTURA E EQUIPAMENTOS A SEREM IMPLANTADOS FATORES QUE INFLUENCIAM NA ESCOLHA DA ESTRUTURA E EQUIPAMENTOS A SEREM IMPLANTADOS OBJETIVO DA CRIAÇÃO ALTA PRODUTIVIDADE OU PRODUTIVIDADE NORMAL DURABILIDADE- VIDA ÚTIL DO CONJUNTO ESTRUTURA +EQUIPAMENTOS

Leia mais

Aditivo Nutracêutico

Aditivo Nutracêutico Bem Vindos Dia de Campo Fazenda True Type Aditivo Nutracêutico Rico em Ácidos Graxos Essenciais Linolêico Ômega 6 Linolênico Ômega 3 Ação Reprodução Saúde Animal Fontes de Ômega-3 e 6 400g de ingestão

Leia mais

MANUAL DE CAMPO RELATÓRIOS RELATÓRIO 4 SUMÁRIO DO REBANHO

MANUAL DE CAMPO RELATÓRIOS RELATÓRIO 4 SUMÁRIO DO REBANHO MANUAL DE CAMPO RELATÓRIOS RELATÓRIO 4 SUMÁRIO DO REBANHO Este relatório tem por finalidade apresentar mensalmente os índices do rebanhos para o controle atual, medias dos últimos 12 meses e de 12 a 24

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Bovinocultura de Corte e Leite Código da Disciplina: AGR 361 Curso: Agronomia Semestre de oferta da disciplina: 7 p Faculdade responsável: Agronomia Programa em vigência

Leia mais

Entendendo os Resultados

Entendendo os Resultados Entendendo os Resultados Clarifide são marcadores de DNA que predizem o potencial genético de cada animal. Clarifide Dairy é um painel de 6.000 marcadores (6K) para 30 características de produção, saúde

Leia mais

Uma simples técnica para detectar metrite

Uma simples técnica para detectar metrite Uma simples técnica para detectar metrite Stephanie Stella, Anne Rosi Guadagnin, Angelica Petersen Dias, and Dr. Phil Cardoso Não existem dúvidas que o parto é uma situação estressante para a vaca e seu

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PROGRAMA DE DISCIPLINA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PROGRAMA DE DISCIPLINA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PROGRAMA DE DISCIPLINA DEPARTAMENTO: ZOOTECNIA IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA: CÓDIGO NOME ( T - P ) ZOT 1050 BOVINOCULTURA DE LEITE (2-1) OBJETIVOS - ao término da disciplina

Leia mais

VACAS DE ALTA PRODUÇÃO: DESAFIOS E POTENCIALIDADES

VACAS DE ALTA PRODUÇÃO: DESAFIOS E POTENCIALIDADES VACAS DE ALTA PRODUÇÃO: DESAFIOS E POTENCIALIDADES Marcos Neves Pereira Universidade Federal de Lavras Departamento de Zootecnia Maior potencial Eficiência Utilização energética Energia bruta Energia fecal

Leia mais

AVALIAÇÃO DO ÍNDICE DE TEMPERATURA E UMIDADE PARA VACAS LEITEIRAS DA RAÇA HOLANDESA EM RIO DO SUL, SC.

AVALIAÇÃO DO ÍNDICE DE TEMPERATURA E UMIDADE PARA VACAS LEITEIRAS DA RAÇA HOLANDESA EM RIO DO SUL, SC. AVALIAÇÃO DO ÍNDICE DE TEMPERATURA E UMIDADE PARA VACAS LEITEIRAS DA RAÇA HOLANDESA EM RIO DO SUL, SC Leonardo de Oliveira NEVES 1, Evandro Chaves de OLIVEIRA 2, Katiani ELI 3, Sabrina Rohdt da Rosa 4

Leia mais

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM SISTEMAS E INSTALAÇÕES

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM SISTEMAS E INSTALAÇÕES EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM SISTEMAS E INSTALAÇÕES PROF. RAMÓN SILVA Engenharia de Energia Dourados MS - 2013 2 Coeficiente de Performance do Ciclo (COP) - É um parâmetro importante na análise das instalações

Leia mais

SERT ANÁLISE: CONFORTO AMBIENTAL

SERT ANÁLISE: CONFORTO AMBIENTAL SERT ANÁLISE: CONFORTO AMBIENTAL A casa Sert localiza-se na cidade de Cambridge no condado de Middlesex, no estado de Massachusetts, nos Estados Unidos. Encontra-se no Hemisfério Norte, numa latitude de

Leia mais

AfiAct II. A solução da próxima geração para a detecção de cio mais precisa

AfiAct II. A solução da próxima geração para a detecção de cio mais precisa AfiAct II A solução da próxima geração para a detecção de cio mais precisa AfiAct II A solução da próxima geração para a detecção de cio mais precisa Uma boa gestão da fertilidade significa que as vacas

Leia mais

De propriedade da Sra. Edda Aulicino atualmente quem administra a fazenda é seu filho Eduardo Aulicino.

De propriedade da Sra. Edda Aulicino atualmente quem administra a fazenda é seu filho Eduardo Aulicino. Aftermarket NEWS! Edição nº 26 21/08/2009 A Fazenda Sucupira, localizada em Uberlândia/MG, já possui algumas décadas de história, mas recentemente renovou seus equipamentos e investiu na área leiteira.

Leia mais

Melhoramento Genético de Bovinos Leiteiros na Fazenda

Melhoramento Genético de Bovinos Leiteiros na Fazenda Melhoramento Genético de Bovinos Leiteiros na Fazenda Fazenda FINI, Castro, Paraná. Hans Jan Groenwold, Produtor, Presidente da Associação Paranaense de Criadores de Bovinos da Raça Holandesa. Agenda:

Leia mais

AGRICULTURA I Téc. Agroecologia

AGRICULTURA I Téc. Agroecologia AGRICULTURA I Téc. Agroecologia CULTURA DO MILHO IFSC CÂMPUS LAGES FENOLOGIA DO MILHO Etapas de desenvolvimento: 1.Germinação e emergência: Semeadura até o efetivo aparecimento da plântula, Duração pode

Leia mais

MELHORAMENTO DE BOVINOS DE LEITE. Profa. Dra. Sandra Aidar de Queiroz Departamento de Zootecnia FCAV - UNESP

MELHORAMENTO DE BOVINOS DE LEITE. Profa. Dra. Sandra Aidar de Queiroz Departamento de Zootecnia FCAV - UNESP MELHORAMENTO DE BOVINOS DE LEITE Profa. Dra. Sandra Aidar de Queiroz Departamento de Zootecnia FCAV - UNESP O BOM MOMENTO DO LEITE MERCADO INTERNACIONAL US$ 3.000/ton Leite Pó ~ R$ 0,70/litro PRODUÇÃO

Leia mais

Efeitos do estresse calórico sobre a produção e reprodução do gado leiteiro

Efeitos do estresse calórico sobre a produção e reprodução do gado leiteiro 1 Núcleo de Pesquisa, Ensino e Extensão em Pecuária www.ufpel.edu.br/nupeec Efeitos do estresse calórico sobre a produção e reprodução do gado leiteiro Marcelo Moreira Antunes Graduando em Medicina Veterinária

Leia mais

espécies de caule lenhoso, oferecerá o isolamento acústico necessário,

espécies de caule lenhoso, oferecerá o isolamento acústico necessário, 26.(TRT-8/CESPE/2013) A respeito de conforto térmico, assinale a opção correta. A) Em climas secos (desérticos ou semidesérticos), em que a temperatura é elevada, o uso de pouca roupa garante condições

Leia mais

I SIMPÓSIO BRASILEIRO DE MICROBIOLOGIA DO RÚMEN 06 e 07 de Novembro de 2015

I SIMPÓSIO BRASILEIRO DE MICROBIOLOGIA DO RÚMEN 06 e 07 de Novembro de 2015 I SIMPÓSIO BRASILEIRO DE MICROBIOLOGIA DO RÚMEN 06 e 07 de Novembro de 2015 Realização: Universidade Federal de Mato Grosso UFMT Empresa Matogrossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural EMPAER Instituto

Leia mais

MANEJO DE MATRIZES PARTE I

MANEJO DE MATRIZES PARTE I FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E VETERINÁRIAS DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS AVÍCOLAS Disciplina de Avicultura LAVINESP/FCAV MANEJO DE MATRIZES PARTE I Prof. Edney Pereira da Silva Jaboticabal

Leia mais

TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS. CONFORTO AMBIENTAL Aula 11

TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS. CONFORTO AMBIENTAL Aula 11 TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS CONFORTO AMBIENTAL Aula 11 USO RACIONAL DA ENERGIA Identificar onde, na edificação, ocorrem os maiores gastos. Geralmente consegue-se reduzir o gasto energético reduzindo

Leia mais

SECADORES CEREAIS JOSCIL

SECADORES CEREAIS JOSCIL SECADORES CEREAIS JOSCIL SÃO EQUIPAMENTOS TÉRMICO-MECÂNICOS, DESTINADOS A REDUZIR O TEOR DE UMIDADE DE PRODUTOS AGRICOLA, PERMITINDO A MANUTENÇÃO E QUALIDADE DURANTE O SEU ARMAZENAMETO. PARA CONDIÇÕES

Leia mais

EFEITO DOS ELEMENTOS CLIMÁTICOS SOBRE A PRODUÇÃO DE ANIMAIS NOS TRÓPICOS

EFEITO DOS ELEMENTOS CLIMÁTICOS SOBRE A PRODUÇÃO DE ANIMAIS NOS TRÓPICOS EFEITO DOS ELEMENTOS CLIMÁTICOS SOBRE A PRODUÇÃO DE ANIMAIS NOS TRÓPICOS Fabíola Franklin de Medeiros (1); Bonifácio Benicio de Souza (2) 1, 2 Universidade Federal de Campina Grande, vet.fabiolafranklin@gmail.com,

Leia mais

Flushing. Flushing 07/04/2014. Aspectos reprodutivos dos suínos. Aspectos reprodutivos dos suínos

Flushing. Flushing 07/04/2014. Aspectos reprodutivos dos suínos. Aspectos reprodutivos dos suínos DIESTRO 14 dias Corposlúteosmaduros prod.progesterona Útero recebe óvulos fertilizados embriões Fêmeanão-prenhe luteóliseerecomeçodo ciclo Flushing > aportede energiaparaa fêmea10 diasantes dadata prevista

Leia mais

DJAYCKSON ALTEA MORATTO GARCIA JULIANO APARECIDO PERDIGÃO LUIZ OTÁVIO FOGAÇA MIRANDA DIÁRIO DE BORDO CÂMARA FRIA COM CÉLULAS DE PELTIER CONTROLADAS

DJAYCKSON ALTEA MORATTO GARCIA JULIANO APARECIDO PERDIGÃO LUIZ OTÁVIO FOGAÇA MIRANDA DIÁRIO DE BORDO CÂMARA FRIA COM CÉLULAS DE PELTIER CONTROLADAS DJAYCKSON ALTEA MORATTO GARCIA JULIANO APARECIDO PERDIGÃO LUIZ OTÁVIO FOGAÇA MIRANDA DIÁRIO DE BORDO CÂMARA FRIA COM CÉLULAS DE PELTIER CONTROLADAS Tatuí/SP 1º Semestre/2017 1 DATA: 13/08/2016 DESCRIÇÃO:

Leia mais

Umidade do ar Definições UMIDADE DO AR. Umidade relativa do ar e orvalho Definições

Umidade do ar Definições UMIDADE DO AR. Umidade relativa do ar e orvalho Definições AC33F AGROCLIMATOLOGIA UMIDADE DO AR PROF. DR. FREDERICO M. C. VIEIRA Umidade relativa do ar e orvalho Definições Definições Importância da água: desempenha diversas funções em diversos processos físicos

Leia mais

Equilíbrio térmico durante o exercício

Equilíbrio térmico durante o exercício Equilíbrio térmico durante o exercício Objetivo da termorregulação? - Manutenção da temperatura interna constante - Manter a proporção em produção e perda de calor Centro de controle da temperatura? -

Leia mais

TECNOLOGIA E CONFIABILIDADE DOS COLETORES DE AMOSTRAS INDIVIDUAIS DE LEITE DOS ANIMAIS IV CBQL FLORIANÓPOLIS - SC

TECNOLOGIA E CONFIABILIDADE DOS COLETORES DE AMOSTRAS INDIVIDUAIS DE LEITE DOS ANIMAIS IV CBQL FLORIANÓPOLIS - SC TECNOLOGIA E CONFIABILIDADE DOS COLETORES DE AMOSTRAS INDIVIDUAIS DE LEITE DOS ANIMAIS IV CBQL FLORIANÓPOLIS - SC JOSÉ AUGUSTO HORST horst@holandesparana.com.br (41) 2105-1723 Gerente PARLPR ASSOCIAÇÃO

Leia mais

Mastite ou mamite é um processo inflamatório da glândula mamária causada pelos mais diversos agentes. Os mais comuns são as bactérias dos gêneros

Mastite ou mamite é um processo inflamatório da glândula mamária causada pelos mais diversos agentes. Os mais comuns são as bactérias dos gêneros 1 Mastite ou mamite é um processo inflamatório da glândula mamária causada pelos mais diversos agentes. Os mais comuns são as bactérias dos gêneros estreptococos e estafilococos, além dos coliformes. A

Leia mais

Cana-de-açúcar na alimentação de vacas leiteiras. Lucas Teixeira Costa Doutor em Zootecnia

Cana-de-açúcar na alimentação de vacas leiteiras. Lucas Teixeira Costa Doutor em Zootecnia Cana-de-açúcar na alimentação de vacas leiteiras Lucas Teixeira Costa Doutor em Zootecnia ltcosta80@yahoo.com.br Capacidade agrícola Balança comercial Brasileira Qual o objetivo com sua empresa rural?

Leia mais

Menor custo de Produção de Bezzeras Mais leite para a indústria

Menor custo de Produção de Bezzeras Mais leite para a indústria Menor custo de Produção de Bezzeras Mais leite para a indústria Os Produtos Neolac é uma linha de sucedâneos de leite para bezerras lactantes. São produtos completos, com 20% de proteína bruta e alta energia,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS DE DOM PEDRITO CURSO ZOOTECNIA. Aula - Período seco

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS DE DOM PEDRITO CURSO ZOOTECNIA. Aula - Período seco UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS DE DOM PEDRITO CURSO ZOOTECNIA Aula - Período seco Prof. Luciane Rumpel Segabinazzi Bovinocultura de Leite II 1º sem. 2016 Secagem da vaca 1. O que é o secar a vaca??

Leia mais

SISTEMAS DE CONDICIONAMENTO AMBIENTAL MARCELO DE ANDRADE ROMERO

SISTEMAS DE CONDICIONAMENTO AMBIENTAL MARCELO DE ANDRADE ROMERO SISTEMAS DE CONDICIONAMENTO AMBIENTAL MARCELO DE ANDRADE ROMERO QUANDO PRECISAMOS DE AR CONDICIONADO? DIAGRAMA BIOCLIMATICO DE GIVONI 30 30 zon Estratégias mais eficientes a 1 Conforto higrotérmico 10

Leia mais