CURRÍCULO, FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLA E AS TENDÊNCIAS DE EDUCAÇÃO. India Mara Ap.Dalavia de Souza Holleben NRE PONTA GROSSA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CURRÍCULO, FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLA E AS TENDÊNCIAS DE EDUCAÇÃO. India Mara Ap.Dalavia de Souza Holleben NRE PONTA GROSSA"

Transcrição

1 CURRÍCULO, FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLA E AS TENDÊNCIAS DE EDUCAÇÃO India Mara Ap.Dalavia de Souza Holleben NRE PONTA GROSSA

2 TEORIAS CRÍTICAS NA FORMULAÇÃO DAS TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS Concepção Dialética de educação sistematizada na Pedagogia Histórico-Crítica em Educação como via de emancipação humana e transformação das bases sociais. Currículo como conjunto das atividades nucleares da escola recuperação da especificidade da função social da escola e do papel do conteúdo historicamente sistematizado e construído pelo conjunto da humanidade.

3 Quadro das tendências pedagógicas ESQUERDA socialista materialismo dialético Críticoreprodutivistas Teoria da Escola Dualista Teoria da Escola como Violência Simbólica Teoria da Escola como Aparelho Ideológico do Estado DIREITA capitalista neo liberalismo positivismo Não críticas Escola Tradicional Escola Nova Tecnicismo Para além da crítica Pedagogia Histórico-Crítica

4 Quadro das tendências pedagógicas ESQUERDA socialista materialismo dialético Críticoreprodutivistas Teoria da Escola Dualista Teoria da Escola como Violência Simbólica Teoria da Escola como Aparelho Ideológico do Estado DIREITA capitalista neo liberalismo positivismo Não críticas Escola Tradicional Escola Nova Tecnicismo Para além da crítica Pedagogia Histórico-Crítica

5 Teorias não críticas Escola Tradicional Excluído é o sujeito ignorante de conhecimento enciclopédico. Repassa conteúdos em quantidade, estanques, e sem articulação conceitual que permita a crítica.

6 Teorias não críticas Escola Nova Excluído é o sujeito deslocado socialmente, frente às instituições democráticas. Desloca o eixo do conteúdo para os processos de aprendizagem. Promete a inclusão total e promove uma pseudoinclusão social. Além de não efetivar o que prometeu, ainda eliminou o que se tinha antes, ou seja, a valorização do conteúdo.

7 Teorias não críticas Tecnicismo Excluído é o sujeito incompetente para as funções produtivas sofisticadas. Enfoca a capacitação instrumental de pensamento e de ação corporal. Promove a disciplinarização do comportamento de acordo com o modelo industrial. Destitui a importância dos conteúdos humanísticos em favor da hipervalorização ds ciências exatas.

8 A função social da escola é vista de maneiras diferentes nas diversas tendências pedagógicas Teorias não críticas Função social da escola Escola Tradicional Escola Nova Ensinar conteúdos para combater a ignorância enciclopédica. Ensinar para incluir socialmente. Escola Tecnicista Ensinar para capacitar tecnicamente para o setor produtivo.

9 Teorias crítico-reprodutivistas seguem orientação marxista e foram concebidas no campo da sociologia por teóricos europeus. Descrevem mecanismos sociais de segregação, de alienação e de dominação, destacando o papel reprodutivista da educação na escola: a escola reproduz a segregação em uma sociedade dividida em classes opostas e caracterizadas pela posse dos meios de produção pela burguesia dominante e da força de trabalho pelo proletariado dominado. São as teorias: O Sistema de Ensino como Violência Simbólica A Escola como Aparelho Ideológico do Estado A Escola Dualista

10 Teorias crítico-reprodutivistas O Sistema de Ensino como Violência Simbólica Bourdieu e Passeron. São marginalizados os membros de grupos ou de classes sociais dominados. A marginalização é dupla: é SOCIAL porque não possuem força material (capital financeiro) é SIMBÓLICA porque não possuem força axiológica (capital cultural). A escola repassa a todos os valores da classe dominante, negligenciando os valores do proletariado. O efeito é um contingente de educados pobres financeira e culturalmente, dados a desejar a condição impossível do dominador.

11 Teorias crítico-reprodutivistas A Escola como Aparelho Ideológico do Estado Louis Althusser São marginalizados os expropriados, a classe trabalhadora. O Estado mantém aparelhos ideológicos que agem pela força da ideologia e depois pela repressão (escolas, igrejas, meios de comunicação social...) e também aparelhos repressivos que agem antes pela repressão e depois pela ideologia (polícia, exército...) Os aparelhos ideológicos do Estado são utilizados pelo Estado a favor do capital pelo convencimento (ideologia) ou pela força (repressão) e colaboram para manter (reproduzir) a divisão social em classes econômicas.

12 Teorias crítico-reprodutivistas A Escola Dualista Baudelot e Stablet São marginalizados os expropriados, a classe trabalhadora. A escola é organizada em dois níveis básicos: Secundário Superior (SS): os trabalhadores que gerenciam Primário Profissional (PP): os trabalhadores que executam Critica a divisão do trabalho, que reproduz na escola e nos locais de trabalho a mesma estrutura social, dividida em classes, em que uns mandam e outros obedecem.

13 A função social da escola é vista de maneiras diferentes nas diversas tendências pedagógicas Teorias críticoreprodutivistas Função social da escola Teoria da Escola como Violência Simbólica Teoria da Escola como Aparelho Ideológico do Estado Teoria da Escola Dualista Denunciam que a função social da escola é a de atender ao capitalismo, excluindo conteúdos críticos, formando mão-de-obra especializada e dócil e reproduzindo a estrutura de classes.

14 Comparando: Teorias não críticas Escola Tradicional Escola Nova Tecnicismo Teorias crítico-reprodutivistas Sistema de Ensino como Violência Simbólica A Escola como Aparelho Ideológico do Estado A Escola Dualista Mantêm a idéia de que a escola é uma instituição isolada da sociedade. Colaboram para manter a estrutura de classes. Apresentam propostas de ação (PPP). Consideram a escola como uma instituição articulada na sociedade. Fazem a crítica do capitalismo e de suas estratégias educacionais de reprodução da estrutura de classes. Apesar de fazerem a crítica, não apresentam proposta de ação (PPP).

15 Prosseguindo: Teorias não críticas Escola Tradicional Escola Nova Tecnicismo Teorias crítico-reprodutivistas Sistema de Ensino como Violência Simbólica A Escola como Aparelho Ideológico do Estado A Escola Dualista Teoria para além da crítica Pedagogia Histórico-Crítica Faz a crítica da educação capitalista Apresenta proposta de ação (PPP) Considera a escola como instituição articulada à sociedade

16 A função social da escola é vista de maneiras diferentes nas diversas tendências pedagógicas Teoria para além da crítica Pedagogia Histórico-Crítica Função social da escola Ensinar os conteúdos referentes ao conhecimento produzido e acumulado pela humanidade, articular educação, trabalho e cidadania em perspectiva politécnica e onilateral, proporcionar a ascensão dialética do senso comum à consciência filosófica.

17 Não confundir!!! Para Libâneo: Tendências liberais Escola Tradicional Escola Nova Tecnicismo Tendências progressistas Libertadora (Paulo Freire) Libertária (anarquista) Crítico-Social dos Conteúdos (PHC) Libâneo erra: 1. ao colocar a PHC na mesma categoria da Pedagogia Libertadora (Freireana) 2. ao negligenciar aspectos políticos e econômicos ligados às teorias pedagógicas; tais aspectos revelas as relações entre educação, trabalho e cidadania

18 Não confundir!!! A PHC, de Dermeval Saviani, é DIALÉTICA. A Pedagogia Libertadora, de Paulo Freire, é DIALÓGICA. DEBATE DIÁLOGO luta de classes concessão solidariedade

19

SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO ROSILDA SILVIO SOUZA

SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO ROSILDA SILVIO SOUZA SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO ROSILDA SILVIO SOUZA A consciência de nossa humanidade nesta era planetária deveria conduzir-nos à solidariedade e à comiseração recíproca, de indivíduo para indivíduo, de todos

Leia mais

TENDÊNCIAS PEDAGÓGICASRELAÇÃO EDUCAÇÃO E SOCIEDADE

TENDÊNCIAS PEDAGÓGICASRELAÇÃO EDUCAÇÃO E SOCIEDADE TENDÊNCIAS PEDAGÓGICASRELAÇÃO EDUCAÇÃO E SOCIEDADE Pedagogia Liberal TRADICIONAL ESCOLA NOVA (OU ATIVA) RENOVADA, RENOVADORA TECNICISTA PROGRESSIVISTA (OU PROGRESSIVA) NÃO DIRETIVA Hora de cantarolar Na

Leia mais

UMA RETROSPECTIVA DIDÁTICA E LEGAL

UMA RETROSPECTIVA DIDÁTICA E LEGAL UMA RETROSPECTIVA DIDÁTICA E LEGAL A educação é um fenômeno próprio dos seres humanos significa afirmar que ela é, ao mesmo tempo, uma exigência do e para o processo de trabalho, bem como é, ela própria,

Leia mais

Tendências Pedagógicas Brasileiras

Tendências Pedagógicas Brasileiras Tendências Pedagógicas Brasileiras O professor não deve usar apenas uma tendência pedagógica isoladamente, mas se apropriar de todas para saber qual será a mais eficaz de acordo com cada situação e para

Leia mais

RESUMO DO LIVRO: PENSAMENTO PEDAGOGICO BRASILEIRO MOACIR GADOTTI

RESUMO DO LIVRO: PENSAMENTO PEDAGOGICO BRASILEIRO MOACIR GADOTTI FACNORTE - FACULDADE DO NORTE DO PARANÁ INSTITUTO QUALIFIQUE & CONSULTORIA IQC POLO: SÃO LUIS - MA DEPARTAMENTO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISAS PÓS-GRADUAÇÃO MESTRADO PROFISINALIZANTE EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE A CRISE DA UNIVERSIDADE: O NEODUALISMO

REFLEXÕES SOBRE A CRISE DA UNIVERSIDADE: O NEODUALISMO REFLEXÕES SOBRE A CRISE DA UNIVERSIDADE: O NEODUALISMO Marcos Luiz Ribeiro Faculdade Sumaré Formação de Docentes para o Ensino Superior marcoslribeiro@msn.com Reflexões sobre a Crise da Universidade: o

Leia mais

Processos Pedagógicos em Enfermagem TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS

Processos Pedagógicos em Enfermagem TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS Processos Pedagógicos em Enfermagem TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS Aprender é apropriar-se ativamente do conteúdo da experiencia humana, daquilo que seu grupo social conhece. (DAVIS & OLIVEIRA, 1992) Ato de produzir,

Leia mais

PROGRAD / COSEAC PEDAGOGIA - Angra dos Reis - Gabarito

PROGRAD / COSEAC PEDAGOGIA - Angra dos Reis - Gabarito Prova de Conhecimentos Específicos 1 a QUESTÃO: (2,0 pontos) A profissão docente, embora pouco prestigiada na sociedade brasileira, é muito importante, pois ser professor significa, entre outros aspectos,

Leia mais

DIMENSÕES PEDAGÓGICAS DO PPP

DIMENSÕES PEDAGÓGICAS DO PPP Programa Escola de Conselhos PREAE/UFMS Formação continuada de socioeducadores Escola de Conselhos PREAE/UFM S DIMENSÕES PEDAGÓGICAS DO PPP Profa. Maria F. Adimari mfadimari@hotmail.com O QUE É EDUCAÇÃO?

Leia mais

O que nós entendemos por PEDAGOGIA

O que nós entendemos por PEDAGOGIA O que nós entendemos por PEDAGOGIA paidos=crian =criança; a; agoigen=conduzir, levar Pedagogia: Levar as crianças as (à( escola) Pedagogia: Conjunto de meios, técnicas, t de recursos que auxiliam o professor

Leia mais

Hellen de Andrade Lira Márcia Maria de Carvalho

Hellen de Andrade Lira Márcia Maria de Carvalho Hellen de Andrade Lira Márcia Maria de Carvalho Este livro não pretende trazer uma visão ontológica sobre o currículo, tendo em vista que segundo o autor as definições nos revelam o que determinada teoria

Leia mais

A NECESSIDADE DO ESTUDO DO MARXISMO E DA COMPREENSÃO DA SOCIEDADE

A NECESSIDADE DO ESTUDO DO MARXISMO E DA COMPREENSÃO DA SOCIEDADE EDUCAÇÃO E MARXISMO A NECESSIDADE DO ESTUDO DO MARXISMO E DA COMPREENSÃO DA SOCIEDADE A DOMINAÇÃO DE TEORIAS CONSERVADORAS NA ACADEMIA AS IDÉIAS DOMINANTES DE CADA ÉPOCA SÃO AS IDÉIAS DA CLASSE DOMINANTE

Leia mais

Karl Marx ( ) Alunos: Érick, Lucas e Pedro Profª: Neusa

Karl Marx ( ) Alunos: Érick, Lucas e Pedro Profª: Neusa Karl Marx (1818-1883) Alunos: Érick, Lucas e Pedro Profª: Neusa Vida Nasceu em Trèves - Prússia (Reino alemão). Em 1835 e 18h36, estudou Direito, História, Filosofia, Arte, e Literatura na Universidade

Leia mais

LIBERDADE E POLÍTICA KARL MARX

LIBERDADE E POLÍTICA KARL MARX LIBERDADE E POLÍTICA KARL MARX MARX Nasceu em Tréveris (na época pertencente ao Reino da Prússia) em 5 de Maio de 1818 e morreu em Londres a 14 de Março de 1883. Foi filósofo, jornalista e revolucionário

Leia mais

10 Ensinar e aprender Sociologia no ensino médio

10 Ensinar e aprender Sociologia no ensino médio A introdução da Sociologia no ensino médio é de fundamental importância para a formação da juventude, que vive momento histórico de intensas transformações sociais, crescente incerteza quanto ao futuro

Leia mais

Currículo Escolar. Contextualização. Instrumentalização. Teleaula 2. Refletir sobre currículo. Profa. Me. Inge R. F. Suhr

Currículo Escolar. Contextualização. Instrumentalização. Teleaula 2. Refletir sobre currículo. Profa. Me. Inge R. F. Suhr Currículo Escolar Teleaula 2 Contextualização Profa. Me. Inge R. F. Suhr Que realidade se põe? Como isso afeta a questão do currículo? Refletir sobre currículo Expansão industrial X finalidade da educação

Leia mais

Comparação entre as abordagens de classe marxiana e weberiana

Comparação entre as abordagens de classe marxiana e weberiana Comparação entre as abordagens de classe marxiana e weberiana 1. Semelhanças: 1a. classes são categorias historicamente determinadas (sociedades divididas em classe x sociedades de classe); 1b. propriedade

Leia mais

Profa. Pos.doc. Hortência de Abreu Gonçalves

Profa. Pos.doc. Hortência de Abreu Gonçalves Profa. Pos.doc. Hortência de Abreu Gonçalves PRÁTICA PEDAGÓGICA O século XXI trouxe consigo, posturas diferenciadas na educação brasileira, em decorrência das transformações sociais, políticas e econômicas

Leia mais

O objectivo da escola não é unificar mas dividir.

O objectivo da escola não é unificar mas dividir. Alice Mendonça / Universidade da Madeira Baudelot e Establet L École Capitaliste en France Ao longo de todo o percurso escolar, verifica-se uma oposição entre dois canais o Secundário Superior (SS), frequentado

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E tecnologia PARAÍBA. Ministério da Educação

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E tecnologia PARAÍBA. Ministério da Educação INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E tecnologia PARAÍBA Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba - Campus Cajazeiras Diretoria de Ensino / Coord. do Curso

Leia mais

ESCOLA E DEMOCRACIA: TEORIAS METODOLÓGICAS DE ENSINO NA ABORDAGEM DE DERMEVAL SAVIANI

ESCOLA E DEMOCRACIA: TEORIAS METODOLÓGICAS DE ENSINO NA ABORDAGEM DE DERMEVAL SAVIANI ESCOLA E DEMOCRACIA: TEORIAS METODOLÓGICAS DE ENSINO NA ABORDAGEM DE DERMEVAL SAVIANI Resumo Edna Luzia Cavalari Barbosa 1 IFPR Sandra Regina Gavasso Amarantes 2 IFPR Grupo de Trabalho - Didática: Teorias,

Leia mais

A TEORIA DA ESCOLA DUALISTA E A EXPANSÃO DO ENSINO TÉCNICO PRONATEC - DA EDUCAÇÃO BÁSICA

A TEORIA DA ESCOLA DUALISTA E A EXPANSÃO DO ENSINO TÉCNICO PRONATEC - DA EDUCAÇÃO BÁSICA A TEORIA DA ESCOLA DUALISTA E A EXPANSÃO DO ENSINO TÉCNICO PRONATEC - DA EDUCAÇÃO BÁSICA MACEDO, Georgina Marcia Negrão (UEPA) marciamacedo45@yahoo.com.br CARNEIRO, Juliana Furtado (UEPA) anailuj.furtado@gmail.com

Leia mais

Palavras-chave: Educação, tendências pedagógicas, prática pedagógica.

Palavras-chave: Educação, tendências pedagógicas, prática pedagógica. REFLEXÕES SOBRE AS TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS E A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO PROFESSOR NA EDUCAÇÃO SUPERIOR Kelly Cristiny Martins Evangelista 1 Claudisom Martins de Oliveira 2 Jeferson Moreira dos Santos 3 RESUMO

Leia mais

PROPOSTA TRANSFORMADORA FINALIDADE DA EDUCAÇÃO

PROPOSTA TRANSFORMADORA FINALIDADE DA EDUCAÇÃO FINALIDADE DA EDUCAÇÃO Proporcionar aos homens e as mulheres o desenvolvimento da vivacidade, da invenção e reinvenção, a participação política, a sua condição de sujeito histórico. O saber sistematizado

Leia mais

EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO NO SISTEMA CAPITALISTA

EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO NO SISTEMA CAPITALISTA EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO NO SISTEMA CAPITALISTA Mariana Montagnini Cardozo UEL Universidade Estadual de Londrina RESUMO O presente trabalho tem como objetivo analisar a natureza e a especificidade da educação,

Leia mais

EDUCAÇÃO INTEGRAL, PEDAGOGIA HISTÓRICO CRÍTICA E MARXISMO

EDUCAÇÃO INTEGRAL, PEDAGOGIA HISTÓRICO CRÍTICA E MARXISMO EDUCAÇÃO INTEGRAL, PEDAGOGIA HISTÓRICO CRÍTICA E MARXISMO Introdução Gonçalves, Elaine Cristina S. Melo (Unicamp) elaynemellog@hotmail.com Essa pesquisa de mestrado, que se encontra em fase inicial, pretende

Leia mais

A partir de nossas análises e estudos, preencha adequadamente as lacunas da sentença abaixo, na respectiva ordem:

A partir de nossas análises e estudos, preencha adequadamente as lacunas da sentença abaixo, na respectiva ordem: Questão 1 A partir de nossas análises e estudos, preencha adequadamente as lacunas da sentença abaixo, na respectiva ordem: O desconhecimento das condições histórico-sociais concretas em que vivemos, produzidas

Leia mais

MARX. Prof. Fabiano Rosa de Magalhães

MARX. Prof. Fabiano Rosa de Magalhães MARX. Prof. Fabiano Rosa de Magalhães MARX Contexto A Perspectiva socialista se desenvolvia na Europa: autores como Thomas Paine (1737-1809), William Godwin (1756-1836) e Robert Owen (1771-1858) na Inglaterra;

Leia mais

IDEOLOGIA: ENSINO DE FILOSOFIA E DIFICULDADES DO PENSAMENTO ANTI-IDEOLÓGICO NA ESCOLA INTRODUÇÃO

IDEOLOGIA: ENSINO DE FILOSOFIA E DIFICULDADES DO PENSAMENTO ANTI-IDEOLÓGICO NA ESCOLA INTRODUÇÃO IDEOLOGIA: ENSINO DE FILOSOFIA E DIFICULDADES DO PENSAMENTO ANTI-IDEOLÓGICO NA ESCOLA Caio Felipe Varela Martins 1 Universidade Estadual de Paraíba (UEPB) INTRODUÇÃO O seguinte texto aborda as dificuldades

Leia mais

Sociologia Geral e da Educação

Sociologia Geral e da Educação Sociologia Geral e da Educação Objetivo:Discutir a função social da escola Conteúdos: capítulos 7, 8 e 9 Metodologia: Aula expositiva dialogada Apresentação do vídeo Para que serve a escola Apresentação

Leia mais

DESAFIOS DOS ESTUDOS CURRICULARES CRÍTICOS:

DESAFIOS DOS ESTUDOS CURRICULARES CRÍTICOS: DESAFIOS DOS ESTUDOS CURRICULARES CRÍTICOS: RETOMADA DOS DIÁLOGOS COM OS MARXISMOS NO SÉCULO XXI Christiane Caetano M. Fernandes PPGEdu/UFMS DESAFIOS DOS ESTUDOS CURRICULARES CRÍTICOS: RETOMADA DOS DIÁLOGOS

Leia mais

As Tendências Pedagógicas. gicas

As Tendências Pedagógicas. gicas 2ª Aula Teórica de Fundamentos Históricos, Filosóficos e Sociológicos da Educação A Educação no Século S XX As Tendências Pedagógicas gicas Profª.. Cláudia T. Nascimento A Educação no Século S XX No início

Leia mais

Documentos de Identidade

Documentos de Identidade ISSN 1981-1225 Dossiê Foucault N. 3 dezembro 2006/março 2007 Organização: Margareth Rago & Adilton L. Martins Osvaldo Mariotto Cerezer Professor Departamento de História UNEMAT Correio eletrônico: omcerezer@hotmail.com

Leia mais

A Sociologia da Educação no currículo dos cursos de formação do(a) educador(a) 1 BATISTA, M. do Socorro Xavier 2 CORREIA, Deyse Morgana das Neves 3

A Sociologia da Educação no currículo dos cursos de formação do(a) educador(a) 1 BATISTA, M. do Socorro Xavier 2 CORREIA, Deyse Morgana das Neves 3 A Sociologia da Educação no currículo dos cursos de formação do(a) educador(a) 1 BATISTA, M. do Socorro Xavier 2 CORREIA, Deyse Morgana das Neves 3 1. A Sociologia da Educação como campo de conhecimento

Leia mais

Os Herdeiros Pierre Bourdieu e Jean-Claude Passeron

Os Herdeiros Pierre Bourdieu e Jean-Claude Passeron Pierre Bourdieu e Jean-Claude Passeron A escola transforma as desigualdades sociais (culturais) em desigualdades escolares. Os estudantes mais favorecidos, não só devem ao meio de origem os hábitos, o

Leia mais

Educação e ensino na obra de Marx e Engels 1 Education and training in the work of Marx and Engels

Educação e ensino na obra de Marx e Engels 1 Education and training in the work of Marx and Engels Resenha Educação e ensino na obra de Marx e Engels 1 Education and training in the work of Marx and Engels José Claudinei LOMBARDI (AUTOR) 2 Cláudio Rodrigues da SILVA 3 O livro Educação e ensino na obra

Leia mais

O Marxismo de Karl Marx. Professor Cesar Alberto Ranquetat Júnior

O Marxismo de Karl Marx. Professor Cesar Alberto Ranquetat Júnior O Marxismo de Karl Marx Professor Cesar Alberto Ranquetat Júnior Karl Marx (1818-1883). Obras principais: Manifesto Comunista (1847-1848). O Capital em 3 volumes.volume 1(1867) Volume 2 e 3 publicado por

Leia mais

LATIM ORIGEM E ABRANGÊNCIA CURSO, PERCURSO, ATO DE CORRER

LATIM ORIGEM E ABRANGÊNCIA CURSO, PERCURSO, ATO DE CORRER O CURRÍCULO O que é currículo? Etimologicamente o termo currículo encontra a sua raiz na palavra latina curriculum, derivada do verbo currere, que significa caminho ou percurso a seguir. CURRICULUM = LATIM

Leia mais

ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO. Edital nº 10/2007 GS/SEED. Prova 25/11/2007 PROFESSOR PEDAGOGO FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO

ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO. Edital nº 10/2007 GS/SEED. Prova 25/11/2007 PROFESSOR PEDAGOGO FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO Edital nº 10/2007 GS/SEED Prova 25/11/2007 PROFESSOR PEDAGOGO FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO 01 - A Educação Brasileira, ao longo de sua história, foi marcada por diferentes pedagogias. Correlacione cada educador

Leia mais

6MOR001 ANATOMIA DO APARELHO LOCOMOTOR Estudo dos aparelhos - locomotor e cárdio-respiratório e sua relação com a cultura corporal do movimento.

6MOR001 ANATOMIA DO APARELHO LOCOMOTOR Estudo dos aparelhos - locomotor e cárdio-respiratório e sua relação com a cultura corporal do movimento. 1ª Série 6MOR001 ANATOMIA DO APARELHO LOCOMOTOR Estudo dos aparelhos - locomotor e cárdio-respiratório e sua relação com a cultura corporal do movimento. 6DES002 ASPECTOS TEÓRICO-METODOLOGICOS DE MODALIDADES

Leia mais

KARL MARX E A EDUCAÇÃO. Ana Amélia, Fernando, Letícia, Mauro, Vinícius Prof. Neusa Chaves Sociologia da Educação-2016/2

KARL MARX E A EDUCAÇÃO. Ana Amélia, Fernando, Letícia, Mauro, Vinícius Prof. Neusa Chaves Sociologia da Educação-2016/2 KARL MARX E A EDUCAÇÃO Ana Amélia, Fernando, Letícia, Mauro, Vinícius Prof. Neusa Chaves Sociologia da Educação-2016/2 BIOGRAFIA Karl Heinrich Marx (1818-1883), nasceu em Trier, Alemanha e morreu em Londres.

Leia mais

P L A N O DE C U R S O DISCIPLINA SOCIOLOGIA I. CARGA HORÁRIA TU: 50 horas TC: 30 horas Total: 80 horas. Professora Doutora Márcia Maria de Oliveira

P L A N O DE C U R S O DISCIPLINA SOCIOLOGIA I. CARGA HORÁRIA TU: 50 horas TC: 30 horas Total: 80 horas. Professora Doutora Márcia Maria de Oliveira Curso: LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO DO CAMPO CÓDIGO DRP30156 P L A N O DE C U R S O DISCIPLINA SOCIOLOGIA I HABILITAÇÃO: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS PERÍODO 3 CRÉDITOS 06 CARGA HORÁRIA TU: 50 horas TC: 30 horas

Leia mais

DIÁLOGO SOBRE O CURRÍCULO: UMA LEITURA NA PERSPECTIVA DA

DIÁLOGO SOBRE O CURRÍCULO: UMA LEITURA NA PERSPECTIVA DA DIÁLOGO SOBRE O CURRÍCULO: UMA LEITURA NA PERSPECTIVA DA INTRODUÇÃO TEORIA CRÍTICA CAINELLI, Clívia Martins de Oliveira Universidade Nove de Julho Email: cliviammcainelli@yahoo.com.br TEIXEIRA, Rosiley

Leia mais

Práxis Educativa (Brasil) ISSN: Universidade Estadual de Ponta Grossa Brasil

Práxis Educativa (Brasil) ISSN: Universidade Estadual de Ponta Grossa Brasil Práxis Educativa (Brasil) ISSN: 1809-4031 praxiseducativa@uepg.br Universidade Estadual de Ponta Grossa Brasil Ditzel Mattioli, Daniele SAVIANI, Dermeval. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações.

Leia mais

A PEDAGOGIA HISTÓRICO-CRÍTICA NO BOJO DAS TEORIAS EDUCACIONAIS

A PEDAGOGIA HISTÓRICO-CRÍTICA NO BOJO DAS TEORIAS EDUCACIONAIS A PEDAGOGIA HISTÓRICO-CRÍTICA NO BOJO DAS TEORIAS EDUCACIONAIS Elisângela Zarpelon Aksenen 1 - PUCPR Grupo de Trabalho Didática: Teorias, Metodologias e Práticas Agência Financiadora: não contou com financiamento

Leia mais

A escola de Frankfurt. Profª Karina Oliveira Bezerra

A escola de Frankfurt. Profª Karina Oliveira Bezerra A escola de Frankfurt Profª Karina Oliveira Bezerra Uma teoria crítica contra a opressão social Escola de Frankfurt é o nome dado ao grupo de pensadores alemães do Instituto de Pesquisas Sociais de Frankfurt,

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DO ENSINO DE GEOGRAFIA PARA A FORMAÇÃO DO CIDADÃO ATIVO EM ESCOLAS DE URUAÇU-GO

CONTRIBUIÇÕES DO ENSINO DE GEOGRAFIA PARA A FORMAÇÃO DO CIDADÃO ATIVO EM ESCOLAS DE URUAÇU-GO CONTRIBUIÇÕES DO ENSINO DE GEOGRAFIA PARA A FORMAÇÃO DO CIDADÃO ATIVO EM ESCOLAS DE URUAÇU-GO Gabriella Aguiar Valente IFG-Campus Uruaçu-GO, e-mail: gabiaguiarv@hotmail.com Rafaela Gomes Araujo IFG-Campus

Leia mais

Universidade de São Paulo Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto Enf. Psiquiátrica e Ciências Humanas. Profa. Karina de M. Conte

Universidade de São Paulo Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto Enf. Psiquiátrica e Ciências Humanas. Profa. Karina de M. Conte Universidade de São Paulo Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto Enf. Psiquiátrica e Ciências Humanas Profa. Karina de M. Conte 2017 DIDÁTICA II Favorecer a compreensão do processo de elaboração, gestão,

Leia mais

CONSOLIDADOR DA SOCIOLOGIA ALEMÃ MAX WEBER ( )

CONSOLIDADOR DA SOCIOLOGIA ALEMÃ MAX WEBER ( ) CONSOLIDADOR DA SOCIOLOGIA ALEMÃ MAX WEBER (1864-1920) Via o capitalismo como expressão da modernização e da racionalização MAS acreditava que essa racionalização levaria a um mundo cada vez mais tecnicista

Leia mais

O Currículo Escolar O mais antigo e persistente significado que se associa «curriculum»

O Currículo Escolar O mais antigo e persistente significado que se associa «curriculum» O Currículo Escolar O mais antigo e persistente significado que se associa a «curriculum» é o de matérias, geralmente organizadas como disciplinas escolares que foram escolhidas para serem ensinadas a

Leia mais

Análise Social 3. Desigualdades Sociais ESCS Sistemas de desigualdades

Análise Social 3. Desigualdades Sociais ESCS Sistemas de desigualdades Análise Social 3 Desigualdades Sociais ESCS 2016-17 Sistemas de desigualdades Historicamente, os tipos de desigualdade, definidos formalmente ou não, apresentaram-se de modos diferentes Tipos de sistemas

Leia mais

A EDUCAÇÃO COMO INSTRUMENTO DE DOMINAÇÃO DAS MASSAS: UMA ANÀLISE A PARTIR DO PENSAMENTO DE KARL MARX.

A EDUCAÇÃO COMO INSTRUMENTO DE DOMINAÇÃO DAS MASSAS: UMA ANÀLISE A PARTIR DO PENSAMENTO DE KARL MARX. A EDUCAÇÃO COMO INSTRUMENTO DE DOMINAÇÃO DAS MASSAS: UMA ANÀLISE A PARTIR DO PENSAMENTO DE KARL MARX. Maria Catarina Ananias de Araújo Universidade Estadual da Paraíba mariacatarinaan@gmail.com GT1 - História

Leia mais

CONHECIMENTOS COMPLEMENTARES Julgue os itens que se seguem, tendo como referência os documentos legais que regulamentam a educação.

CONHECIMENTOS COMPLEMENTARES Julgue os itens que se seguem, tendo como referência os documentos legais que regulamentam a educação. CONHECIMENTOS COMPLEMENTARES Julgue os itens que se seguem, tendo como referência os documentos legais que regulamentam a educação. 41 Conforme as Diretrizes Nacionais Gerais para a Educação Básica, a

Leia mais

Profª Karina Oliveira Bezerra Aula 05 Unidade 1, capítulo 5: p. 63 Unidade 8, capítulo 5: p. 455 Filme: Germinal

Profª Karina Oliveira Bezerra Aula 05 Unidade 1, capítulo 5: p. 63 Unidade 8, capítulo 5: p. 455 Filme: Germinal Profª Karina Oliveira Bezerra Aula 05 Unidade 1, capítulo 5: p. 63 Unidade 8, capítulo 5: p. 455 Filme: Germinal No século XIX, em decorrência do otimismo trazido pelas idéias de progresso (positivismo),

Leia mais

P á g i n a 1. Caderno de formação #4

P á g i n a 1. Caderno de formação #4 P á g i n a 1 P á g i n a 2 REDEFININDO O ANARQUISMO: Este caderno de formação como os anteriores está baseado teoricamente na dissertação de mestrado do militante anarquista Felipe Corrêa intitulada:

Leia mais

UM DICIONÁRIO CRÍTICO DE EDUCAÇÃO 1

UM DICIONÁRIO CRÍTICO DE EDUCAÇÃO 1 176 UM DICIONÁRIO CRÍTICO DE EDUCAÇÃO 1 Evandro de Carvalho Lobão 2 Temos recentemente disponível a segunda edição (a primeira foi publicada em 2012) do Dicionário da Educação do Campo, elaborado por autores

Leia mais

OS OBJETIVOS E CONTEÚDOS DE ENSINO. In: LIBÂNEO, J. C. (1994). Didática. São Paulo: Cortez.

OS OBJETIVOS E CONTEÚDOS DE ENSINO. In: LIBÂNEO, J. C. (1994). Didática. São Paulo: Cortez. OS OBJETIVOS E CONTEÚDOS DE ENSINO In: LIBÂNEO, J. C. (1994). Didática. São Paulo: Cortez. Objetivos e conteúdos de ensino Conteúdos: base objetiva da instrução referidos aos objetivos e viabilizados pelos

Leia mais

ANÁLISE DOS CONCEITOS EDUCACIONAIS NAS TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS LIBERAIS E PROGRESSISTAS

ANÁLISE DOS CONCEITOS EDUCACIONAIS NAS TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS LIBERAIS E PROGRESSISTAS SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO LICENCIATURA EM MATEMÁTICA ELISANDRO RAFAEL BAUMGARTEN ANÁLISE DOS CONCEITOS EDUCACIONAIS NAS TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS LIBERAIS E PROGRESSISTAS Horizontina 2015 ELISANDRO

Leia mais

TEMA: EDUCAÇÃO POPULAR E EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

TEMA: EDUCAÇÃO POPULAR E EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE METODOLOGIA PROJETO FORMAÇÃO DE PROFESSORES E EJA: TEMAS PARA A PRÁTICA EDUCATIVA TEMA: EDUCAÇÃO POPULAR E EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

Leia mais

Rede global de interações

Rede global de interações ECONOMIA INFORMACIONAL E GLOBAL ou Rede global de interações Sociedade em rede ( Manuel Castells ) Informacional: a produtividade e a competitividade ( de empresas, regiões e nações ) dependerão basicamente

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Curso: Pedagogia. Disciplina: Filosofia da Educação I. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º

PLANO DE ENSINO. Curso: Pedagogia. Disciplina: Filosofia da Educação I. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º PLANO DE ENSINO 2016 Curso: Pedagogia Disciplina: Filosofia da Educação I Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º 1 - Ementa (sumário, resumo) Conceitos básicos: filosofia, filosofia da educação

Leia mais

SOCIOLOGIA PRINCIPAIS CORRENTES.

SOCIOLOGIA PRINCIPAIS CORRENTES. SOCIOLOGIA PRINCIPAIS CORRENTES Augusto Comte 1798-1 857 Lei dos três estados: 1ª) Explicação dos fenômenos através de forças comparáveis aos homens. 2ª) Invocação de entidades abstratas (natureza). 3ª)

Leia mais

Sociologia 23/11/2015 PRODUÇÃO & MODELOS ECONÔMICOS TIPOS DE MODOS DE PRODUÇÃO

Sociologia 23/11/2015 PRODUÇÃO & MODELOS ECONÔMICOS TIPOS DE MODOS DE PRODUÇÃO Sociologia Professor Scherr PRODUÇÃO & MODELOS ECONÔMICOS TIPOS DE MODOS DE PRODUÇÃO Comunismo primitivo os homens se unem para enfrentar os desafios da natureza. Patriarcal domesticação de animais, uso

Leia mais

PEDAGOGIA HISTÓRICO-CRÍTICA: A FUNÇÃO SOCIAL DA EDUCAÇÃO ESCOLAR

PEDAGOGIA HISTÓRICO-CRÍTICA: A FUNÇÃO SOCIAL DA EDUCAÇÃO ESCOLAR PEDAGOGIA HISTÓRICO-CRÍTICA: A FUNÇÃO SOCIAL DA EDUCAÇÃO ESCOLAR BATILANI, Italo GASPARIN, João Luiz RESUMO Este trabalho apresenta elementos que indicam a função social da educação escolar na pedagogia

Leia mais

TENDÊNCIA HISTÓRICO-CRÍTICA: UMA PROPOSTA PARA A PRÁTICA DOS PROFESSRES NO MUNICÍPIO DE APUCARANA

TENDÊNCIA HISTÓRICO-CRÍTICA: UMA PROPOSTA PARA A PRÁTICA DOS PROFESSRES NO MUNICÍPIO DE APUCARANA TENDÊNCIA HISTÓRICO-CRÍTICA: UMA PROPOSTA PARA A PRÁTICA DOS PROFESSRES NO MUNICÍPIO DE APUCARANA SILVA, R.L.; MALDONADO, S.B. RESUMO Este trabalho teve como objetivo analisar a presença da tendência históricocrítica

Leia mais

Profª Drª Gisele Masson Departamento de Educação Universidade Estadual de Ponta Grossa

Profª Drª Gisele Masson Departamento de Educação Universidade Estadual de Ponta Grossa SOCIOLOGIA: ORIGEM E DESENVOLVIMENTO Profª Drª Gisele Masson Departamento de Educação Universidade Estadual de Ponta Grossa ORIGEM DA SOCIOLOGIA A Sociologia germina no século XVIII, com as grandes Revoluções

Leia mais

MATERIALISMO HISTÓRICO (Marx e Engels)

MATERIALISMO HISTÓRICO (Marx e Engels) MATERIALISMO HISTÓRICO (Marx e Engels) ...as mudanças sociais que se passam no decorrer da história de uma sociedade não são determinadas por ideias ou valores. Na verdade, essas mudanças são influenciadas

Leia mais

ALGUMAS REFLEXÕES SOBRE AS PROPOSTAS EDUCACIONAIS DE JOHN DEWEY PARA UMA SOCIEDADE DEMOCRÁTICA

ALGUMAS REFLEXÕES SOBRE AS PROPOSTAS EDUCACIONAIS DE JOHN DEWEY PARA UMA SOCIEDADE DEMOCRÁTICA PENSAMENTO PEDAGÓGICO NA ÉPOCA CONTEMPORÂNEA Escola Nova e sua Teoria: - Dewey: aprender fazendo da ed. tradicional à ed. nova; A Pedagogia Tecnicista de Tendência Liberal O pensamento pedagógico antiautoritário

Leia mais

TEORIAS SOCIALISTAS MOVIMENTOS OPERÁRIOS NO SÉCULO XIX.

TEORIAS SOCIALISTAS MOVIMENTOS OPERÁRIOS NO SÉCULO XIX. TEORIAS SOCIALISTAS MOVIMENTOS OPERÁRIOS NO SÉCULO XIX 1. DEFINIÇÃO Ideais críticos ao capitalismo industrial. Crítica à propriedade privada (meios de produção). Crítica à desigualdade na distribuição

Leia mais

A FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA O MERCADO CAPITALISTA DA EDUCAÇÃO

A FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA O MERCADO CAPITALISTA DA EDUCAÇÃO A FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA O MERCADO CAPITALISTA DA EDUCAÇÃO Maria Claudia Coutinho Henrique (1); José Cândido Rodrigues Neto (2); Maria Aparecida Silva Bezerra (3); Valmir Pereira (4); José Hélio Henrique

Leia mais

APRENDENDO A PROFISSÃO. Grupo: Aline Chima, Arthur Silva e Francielly Morais

APRENDENDO A PROFISSÃO. Grupo: Aline Chima, Arthur Silva e Francielly Morais DIDÁTICA E DOCÊNCIA APRENDENDO A PROFISSÃO Grupo: Aline Chima, Arthur Silva e Francielly Morais Autoras Isabel Maria Sabino de Farias Josete de Oliveira Castelo Branco Sales Maria Margarete Sampaio de

Leia mais

ATIVIDADES ONLINE 8º ANO

ATIVIDADES ONLINE 8º ANO ATIVIDADES ONLINE 8º ANO 1) Observe a charge a seguir. Que característica do capitalismo está sendo retratada na imagem? Cite outras duas características desse sistema político-econômico. 2) Leia atentamente:

Leia mais

I Fórum da Educação de Jovens e Adultos. Região das Águas. Roda de conversa nº 3: Matriz Curricular e Livro Didático para EJA

I Fórum da Educação de Jovens e Adultos. Região das Águas. Roda de conversa nº 3: Matriz Curricular e Livro Didático para EJA I Fórum da Educação de Jovens e Adultos Região das Águas Roda de conversa nº 3: Matriz Curricular e Livro Didático para EJA Professora: Dinorá de Castro Gomes gomes.diza@gmail.com Itumbiara Agosto de 2010

Leia mais

AS METODOLOGIAS DE ENSINO DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: A METODOLOGIA CRÍTICO SUPERADORA

AS METODOLOGIAS DE ENSINO DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: A METODOLOGIA CRÍTICO SUPERADORA AS METODOLOGIAS DE ENSINO DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: A METODOLOGIA CRÍTICO SUPERADORA Gabriel Pereira Paes Neto LEPEL-UFPA/SEDUC-PA gabrieledfisica@hotmail.com Ney Ferreira França LEPEL-UFPA/SEDUC-PA

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Currículo escolar. Desafios e potencialidades. Formação dos jovens.

PALAVRAS-CHAVE: Currículo escolar. Desafios e potencialidades. Formação dos jovens. 01470 CURRÍCULO ESCOLAR: DESAFIOS E POTENCIALIDADES NA FORMAÇÃO DOS JOVENS Maria Perpétua do Socorro Beserra Soares 1 Eixo Temático: Didática e Prática de Ensino na Relação com a Sociedade Subeixo: Temas

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DE MARX E ENGELS PARA O ENSINO E EDUCAÇÃO

CONTRIBUIÇÕES DE MARX E ENGELS PARA O ENSINO E EDUCAÇÃO CONTRIBUIÇÕES DE MARX E ENGELS PARA O ENSINO E EDUCAÇÃO Flavio Pereira de Jesus Centro Universitário Norte do Espírito Santo (Ceunes/Ufes) flavio2128@yahoo.com.br Introdução É certo que Karl Marx e Friedrich

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO PROFISSIONAL INTEGRADA À EDUCAÇÃO BÁSICA NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO PROFISSIONAL INTEGRADA À EDUCAÇÃO BÁSICA NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO PROFISSIONAL INTEGRADA À EDUCAÇÃO BÁSICA NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Descrição do Curso O curso tem duração de 360 horas sendo

Leia mais

BOLETIM PRESENÇA ANO II, nº 05, 1995

BOLETIM PRESENÇA ANO II, nº 05, 1995 BOLETIM PRESENÇA ANO II, nº 05, 1995 UNIR IDEOLOGIA NA EDUCAÇÃO Fabíola Lins Caldas Resumo A realidade social ser dividida em classes, ordenada pelo modo de produção capitalista, onde determinada ordem

Leia mais

Teorias do Currículo. Teorias Críticas

Teorias do Currículo. Teorias Críticas Teorias do Currículo Teorias Críticas A essência do currículo: o professor como mais do que um técnico de ensino As Teorias Críticas centradas na escola abordam o currículo como resultado de determinada

Leia mais

Ideias e movimentos sociais e políticos no século XIX

Ideias e movimentos sociais e políticos no século XIX Ideias e movimentos sociais e políticos no século XIX O LIBERALISMO ECONÔMICO Adam Smith Pai da economia Obra: A riqueza das nações defesa da propriedade privada, livre iniciativa, livre contrato de trabalho,

Leia mais

Católicos e protestantes disputam a primazia na organização racional do ensino. o ensino, cria - A Didática Magna - arte de ensinar

Católicos e protestantes disputam a primazia na organização racional do ensino. o ensino, cria - A Didática Magna - arte de ensinar DIDÁTICA sistema virtual.udesc.br DIDÁTICA Arte de instruir, ensinar. Técnica de dirigir e orientar a aprendizagem. Ciência auxiliar da Pedagogia. ORIGEM DA DIDÁTICA França (1231-1256) - surgem os Colégios

Leia mais

TEORIAS SOCIALISTAS MOVIMENTOS OPERÁRIOS NO SÉCULO XIX. h4p://historiaonline.com.br

TEORIAS SOCIALISTAS MOVIMENTOS OPERÁRIOS NO SÉCULO XIX. h4p://historiaonline.com.br TEORIAS SOCIALISTAS MOVIMENTOS OPERÁRIOS NO SÉCULO XIX 1. DEFINIÇÃO Ideais crílcos ao capitalismo industrial. CríLca à propriedade privada (meios de produção). CríLca à desigualdade na distribuição da

Leia mais

DIDÁTICA A DIDÁTICA E AS TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS

DIDÁTICA A DIDÁTICA E AS TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS DIDÁTICA A DIDÁTICA E AS TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS Comenius registra sua ideias na primeira obra clássica, chamada Didática Magna. Os demais pensadores e teóricos como Rousseau, Pestalozzi e Herbart formaram

Leia mais

PRECEPTORIA DE TERRITÓRIO: Trabalho de Natureza Pedagógica na Gestão e Atenção em Saúde da Família

PRECEPTORIA DE TERRITÓRIO: Trabalho de Natureza Pedagógica na Gestão e Atenção em Saúde da Família PRECEPTORIA DE TERRITÓRIO: Trabalho de Natureza Pedagógica na Gestão e Atenção em Saúde da Família Carmem Leitão; Odorico Andrade; Rocineide Ferreira; Inês Amaral; Rosani Pagani; Juliana de Paula; Ivana

Leia mais

PEDAGOGIA HISTÓRICO-CRÍTICA: UMA POSSIBILIDADE PARA A PRÁTICA PEDAGÓGICA DE UM PROFESSOR DE GEOGRAFIA

PEDAGOGIA HISTÓRICO-CRÍTICA: UMA POSSIBILIDADE PARA A PRÁTICA PEDAGÓGICA DE UM PROFESSOR DE GEOGRAFIA PEDAGOGIA HISTÓRICO-CRÍTICA: UMA POSSIBILIDADE PARA A PRÁTICA PEDAGÓGICA DE UM PROFESSOR DE GEOGRAFIA Eixo 02: Formação continuada e desenvolvimento profissional de Professores da Educação Básica 1. Introdução

Leia mais

Gabriel de Abreu Gonçalves de Paiva 1

Gabriel de Abreu Gonçalves de Paiva 1 COSTA, Áurea. FERNANDES NETO, Edgard. SOUZA, Gilberto. A proletarização do professor: neoliberalismo na educação. São Paulo: Editora Instituto José Luís e Rosa Sundermann, 2009, 144p. Gabriel de Abreu

Leia mais

Movimentos Políticoideológicos XIX

Movimentos Políticoideológicos XIX Movimentos Políticoideológicos séc. XIX SOCIALISMO UTÓPICO Refere-se à primeira fase do pensamento socialista que se desenvolveu entre as guerras napoleônicas e as revoluções de 1848 ( Primavera dos povos

Leia mais

KARL JENSEN E OS MOVIMENTOS SOCIAIS

KARL JENSEN E OS MOVIMENTOS SOCIAIS KARL JENSEN E OS MOVIMENTOS SOCIAIS Nildo Viana Sociólogo, Filósofo, Professor da Faculdade de Ciências Sociais e do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de Goiás, Doutor em

Leia mais

A construção das concepções de homem nas teorias pedagógicas de Dermeval Saviani

A construção das concepções de homem nas teorias pedagógicas de Dermeval Saviani 1 A construção das concepções de homem nas teorias pedagógicas de Dermeval Saviani Aline de Paiva Morales (CTESOP) alinepmorales@yahoo.com.br Juliandrea Maria Delai (CTESOP) juli_mdelais@hotmail.com Wanessa

Leia mais

São Paulo, Marcelo Feres

São Paulo, Marcelo Feres Discussão IItinerários Formativos na Educação Profissional: Articulação entre Ensino Médio e Educação Profissional e Tecnológica São Paulo, 14-06-16 Marcelo Feres Agenda Ensino Médio (EM) Articulação Ensino

Leia mais

AS TEORIAS DA EDUCAÇÃO E SUAS CONTRIBUIÇÕES NA CONSOLIDAÇÃO DO CONCEITO DE EDUCAÇÃO

AS TEORIAS DA EDUCAÇÃO E SUAS CONTRIBUIÇÕES NA CONSOLIDAÇÃO DO CONCEITO DE EDUCAÇÃO AS TEORIAS DA EDUCAÇÃO E SUAS CONTRIBUIÇÕES NA CONSOLIDAÇÃO DO CONCEITO DE EDUCAÇÃO Douglas Gonçalves da Silva (PG-UEMS) Msc. Maria Silvia Rosa Santana (UEMS) Resumo: O artigo nos remete, por meio da leitura

Leia mais

O TRABALHO COMO PRINCÍPIO EDUCATIVO EM PISTRAK. Eduardo G. Pergher Mestrando TRAMSE/PPGEDU FACED/UFRGS CAPES

O TRABALHO COMO PRINCÍPIO EDUCATIVO EM PISTRAK. Eduardo G. Pergher Mestrando TRAMSE/PPGEDU FACED/UFRGS CAPES O TRABALHO COMO PRINCÍPIO EDUCATIVO EM PISTRAK Eduardo G. Pergher Mestrando TRAMSE/PPGEDU FACED/UFRGS CAPES Resumo O objetivo desse trabalho 1 é fazer uma primeira sistematização acerca da formulação acerca

Leia mais

A CONSTITUIÇÃO DE UMA CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO LIBERTADORA EM PAULO FREIRE

A CONSTITUIÇÃO DE UMA CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO LIBERTADORA EM PAULO FREIRE 1 A CONSTITUIÇÃO DE UMA CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO LIBERTADORA EM PAULO FREIRE Antonio Oziêlton de Brito Sousa Universidade Estadual do Ceará - UECE Paulo Martins Pio Universidade Estadual do Ceará - UECE RESUMO:

Leia mais

Bacharelado Interdisciplinar em Ciências Humanas

Bacharelado Interdisciplinar em Ciências Humanas UNIVERSIDADE DA INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL DA LUSOFONIA AFRO-BRASILEIRA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE ENSINO COORDENAÇÃO DE CURSO Bacharelado Interdisciplinar em Ciências Humanas 1. Perfil do

Leia mais

24/07/2014. As origens da Sociologia. A questão do conhecimento

24/07/2014. As origens da Sociologia. A questão do conhecimento Tema 1: O enfoque do Positivismo para a Educação Professora Ma. Mariciane Mores Nunes As origens da Sociologia Sociologia: ciência que explica a dinâmica das sociedades contemporâneas. Envolve: herança

Leia mais

A FILOSOFIA NA FORMAÇÃO DO EDUCADOR... PARA QUÊ? * Palavras-chave Filosofia da Educação ; Educação e emancipação ; Formação de professores

A FILOSOFIA NA FORMAÇÃO DO EDUCADOR... PARA QUÊ? * Palavras-chave Filosofia da Educação ; Educação e emancipação ; Formação de professores A FILOSOFIA NA FORMAÇÃO DO EDUCADOR... PARA QUÊ? * ARTIGO Simone dos Santos Resumo O texto aborda a importância da Filosofia na formação de professores a partir de um referencial teórico crítico. Discute

Leia mais

E nas aulas anteriores... O que é História? Quem produz História? O que são fontes Históricas?

E nas aulas anteriores... O que é História? Quem produz História? O que são fontes Históricas? E nas aulas anteriores... O que é História? Quem produz História? O que são fontes Históricas? História e Pedagogia História: É a interpretação da ação transformadora do homem no tempo; Pedagogia: Teoria

Leia mais

Evolução do capitalismo

Evolução do capitalismo Evolução do capitalismo EVOLUÇÃO DO CAPITALISMO Prof. JÚLIO CÉSAR GABRIEL http://br.groups.yahoo.com/group/atualidadesconcursos Modo de produção Maneira como o seres humanos se organizam para produzirem

Leia mais

DCM TREINAMENTO CONHECIMENTOS PEDAGÓGICOS PARTE II

DCM TREINAMENTO CONHECIMENTOS PEDAGÓGICOS PARTE II CONHECIMENTOS PEDAGÓGICOS PARTE II Agora é hora de questões de múltiplas escolhas modelo da prova do concurso da secretaria da criança, portanto, você deve optar pela questão correta ou incorreta a depender

Leia mais

FUNDAMENTOS DA SUPERVISÃO ESCOLAR

FUNDAMENTOS DA SUPERVISÃO ESCOLAR FUNDAMENTOS DA SUPERVISÃO ESCOLAR Profª. Carla Verônica AULA 03 SUPERVISÃO E PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO Identificar os princípios da gestão participativa; Analisar a dialética do ambiente escolar; Perceber

Leia mais