AGÊNCIA PARA A MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA CONCURSO PÚBLICO N.º 17/14/GJ/DSI/EQUIPAMENTOS DE REDE CADERNO DE ENCARGOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AGÊNCIA PARA A MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA CONCURSO PÚBLICO N.º 17/14/GJ/DSI/EQUIPAMENTOS DE REDE CADERNO DE ENCARGOS"

Transcrição

1 AGÊNCIA PARA A MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA CONCURSO PÚBLICO N.º 17/14/GJ/DSI/EQUIPAMENTOS DE REDE CONCURSO PÚBLICO PARA CELEBRAÇÃO DE CONTRATO DE FORNECIMENTO DE EQUIPAMENTOS DE REDE E DE COMUNICAÇÕES DE DADOS E VOZ 1 DE 38

2 ÍNDICE CLÁUSULAS JURÍDICAS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS 1. Objet 2. Dispsições e cláusulas pr que se rege a aquisiçã de bens 3. Duraçã CAPÍTULO II OBRIGAÇÕES CONTRATUAIS SECÇÃO I OBRIGAÇÕES DO ADJUDICATÁRIO SUBSECÇÃO I DISPOSIÇÕES GERAIS 4. Caracterizaçã 5. Cnfrmidade e peracinalidade ds bens 6. Md de execuçã d frneciment 7. Prazs de entrega 8. Respnsabilidade 9. Cndições de transprte e entrega 10. At de entrega e instalaçã ds prduts 11. Verificaçã e aceitaçã ds equipaments 12. Garantia e suprte d equipament 13. Emissã de Relatóris de Gestã SUBSECÇÃO II DEVER DE SIGILO 14. Objet d dever de sigil 15. Praz d dever de sigil SECÇÃO II OBRIGAÇÕES DA AMA 16. Preç cntratual 17. Preç base 18. Cndições de pagament 19. Adiantaments e revisã de preçs 20. Dispensa de cauçã e retenções CAPÍTULO III PENALIDADES CONTRATUAIS E RESOLUÇÃO 2 DE 38

3 21. Penalidades cntratuais 22. Cass de Frça Mair 23. Resluçã pr parte da AMA 24. Resluçã pr parte d adjudicatári CAPÍTULO IV SEGUROS 25. Segurs 26. Fr cmpetente CAPÍTULO V RESOLUÇÃO DE LITÍGIOS CAPÍTULO VI DISPOSIÇÕES FINAIS 27. Subcntrataçã e cessã da psiçã cntratual 28. Cessã de Crédits 29. Publicidade 30. Direits de Prpriedade Intelectual 31. Cmunicações e ntificações 32. Cntagem ds prazs 33. Legislaçã aplicável CLÁUSULAS TÉCNICAS 1. Enquadrament 2. Âmbit 3. Equipaments 4. Serviçs 5. Garantias 6. Prazs 7. Gestã de Prjet 8. Testes 3 DE 38

4 CLÁUSULAS JURÍDICAS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS CLÁUSULA PRIMEIRA OBJETO 1. O presente Cadern de Encargs cmpreende as cláusulas a incluir n cntrat a celebrar na sequência d prcediment pré-cntratual que tem pr bject principal a aquisiçã de equipaments de rede e de cmunicações de dads e vz, cm as quantidades, características e especificações cnstantes n presente cadern de encargs. 2. O frneciment bjet d cntrat a celebrar cmpreende também s serviçs melhr descrits nas cláusulas técnicas d presente cadern de encargs. CLÁUSULA SEGUNDA DISPOSIÇÕES E CLÁUSULAS POR QUE SE REGE A AQUISIÇÃO DE BENS 1. O cntrat é cmpst pel respectiv clausulad cntratual e seus anexs. 2. O cntrat a celebrar integra ainda s seguintes elements: a) Os supriments ds errs e das missões d Cadern de Encargs identificads pels cncrrentes, desde que esses errs e missões tenham sid expressamente aceites pel órgã cmpetente para a decisã de cntratar; b) Os esclareciments e as rectificações relativs a Cadern de Encargs; c) O presente Cadern de Encargs; d) A prpsta adjudicada; e) Os esclareciments sbre a prpsta adjudicada prestads pel adjudicatári. 3. Em cas de divergência entre s dcuments referids n númer anterir, a respectiva prevalência é determinada pela rdem pela qual aí sã indicads. 4. Em cas de divergência entre s dcuments referids n n.º 2.2 anterir e clausulad d cntrat e seus anexs, prevalecem s primeirs, salv quant as ajustaments prpsts de acrd cm dispst n artig 99.º d Códig ds Cntrats Públics e aceites pel adjudicatári ns terms d dispst n artig 101.º desse mesm diplma legal. CLÁUSULA TERCEIRA DURAÇÃO 1. O cntrat manter-se-á em vigr até à integral execuçã de tdas as suas prestações, que se estima que crra até a final d an de 2014, sem prejuíz das brigações acessórias que devam perdurar para além da cessaçã d cntrat. 2. Os equipaments terã uma garantia de 3 ans, ns terms melhr descrits nas cláusulas técnicas d presente cadern de encargs, cntads da data de aceitaçã. CAPÍTULO II OBRIGAÇÕES CONTRATUAIS 4 DE 38

5 SECÇÃO I OBRIGAÇÕES DO ADJUDICATÁRIO SUBSECÇÃO I DISPOSIÇÕES GERAIS CLÁUSULA QUARTA CARACTERIZAÇÃO 1. Sem prejuíz de utras brigações previstas na legislaçã aplicável, n presente cadern de encargs u nas cláusulas cntratuais, da celebraçã d cntrat decrrem para adjudicatári as seguintes brigações principais: a) Frnecer à AMA s bens cuja aquisiçã é bjet d presente cadern de encargs, ns prazs e mldes estabelecids, em cnfrmidade cm as especificações, s requisits técnics e funcinais mínims de frneciment definids n presente cadern de encargs e demais dcuments cntratuais; b) Entregar s bens bjet cuja aquisiçã é bjet d presente cadern de encargs nas instalações que a AMA vier a determinar, em qualquer pnt d territóri nacinal cntinental c) Instalar e cnfigurar s bens cuja aquisiçã é bjet d presente cadern de encargs; d) Analisar e levar em cnsideraçã tdas as situações e circunstâncias relativas e/u relevantes para a execuçã d frneciment ds bens, incluind, entre utras e a títul meramente exemplificativ, a infrmaçã prévia necessária, as circunstâncias de md, temp e lugar e s meis, de frma a salvaguardar que s bens serã frnecids ns terms cntratads, sem hiats, falhas u interrupções que pudessem ter sid previstas; e) Assumir tds s riscs inerentes a frneciment ds equipaments, bem cm aqueles que, em cncret, apenas sejam u pssam ser d cnheciment d adjudicatári u pr este gerids em primeira linha; f) Cmunicar pr escrit à AMA, lg que deles tenha cnheciment, quaisquer facts, situações, crrências u vicissitudes que trnem ttal u parcialmente impssível frneciment ds equipaments, bem cm cumpriment de qualquer utra das suas brigações, ns terms d presente cadern de encargs e d cntrat a celebrar; g) Nã alterar, pr qualquer md, as cndições cntratuais fra ds cass prevists n presente cadern de encargs e demais dcuments cntratuais; h) Cmunicar qualquer fact que crra durante a execuçã d cntrat, designadamente, quaisquer alterações a pact scial, à sua denminaçã scial, a seu endereç da sede scial, ds seus representantes legais cm relevância para frneciment, da sua situaçã jurídica e da sua situaçã cmercial; i) Cmunicar pr escrit à AMA a nmeaçã d gestr de cliente respnsável, pel cntrat e quaisquer alterações relativamente à sua nmeaçã; e j) Infrmar pr escrit a AMA relativamente a qualquer situaçã pr esta indicada referente à execuçã d cntrat, n praz que lhe vier a ser fixad pela AMA, qual nã pderá ser inferir a 5 (cinc) dias, except em cas de urgência. k) O adjudicatári deverá entregar à AMA, sempre que slicitad, s dcuments cmprvativs da inexistência de dívidas à Segurança Scial e à Administraçã Fiscal. 5 DE 38

6 2. O adjudicatári fica ainda brigad, designadamente, a recrrer a tds s meis humans, materiais e infrmátics que sejam necessáris e adequads a frneciment, bem cm a estabeleciment d sistema de rganizaçã necessári à perfeita e cmpleta execuçã das prestações cntratuais a que está brigad, ns terms d artig 452.º d Códig ds Cntrats Públics. CLÁUSULA QUINTA CONFORMIDADE E OPERACIONALIDADE DOS BENS 1. O adjudicatári briga-se a entregar à AMA s bens bject d cntrat nas quantidades requeridas e cm s requisits técnics e funcinais prevists n presente cadern de encargs, sem prejuíz d dispst ns númers seguintes. 2. Os bens bject d cntrat devem ser entregues em perfeitas cndições de serem utilizads para s fins a que se destinam e dtads de td material de api necessári à sua entrada em funcinament. 3. É aplicável, cm as necessárias adaptações, dispst na lei que disciplina s aspects relativs à venda de bens de cnsum e das garantias a ela relativas, n que respeita à cnfrmidade ds bens. 4. O adjudicatári é respnsável perante a AMA pr qualquer defeit u discrepância ds bens bject d cntrat que existam n mment em que s bens lhe sã entregues. CLÁUSULA SEXTA MODO DE EXECUÇÃO DO FORNECIMENTO 1. Sem prejuíz da AMA pder dirigir md de execuçã das prestações cntratuais, adjudicatári deverá aplicar s mecanisms para acmpanhament da execuçã d cntrat. 2. N final da execuçã d cntrat, adjudicatári deve ainda elabrar um relatóri final, discriminand s principais acnteciments e actividades crrids durante a execuçã d cntrat. 3. O adjudicatári deverá realizar tdas as actividades e apresentar tds s dcuments mencinads n presente Cadern de Encargs. 4. Tds s relatóris, regists, cmunicações, actas e demais dcuments elabrads pel adjudicatári devem ser integralmente redigids em Prtuguês. CLÁUSULA SÉTIMA PRAZOS DE ENTREGA 1. O adjudicatári briga-se a entregar, instalar e cnfigurar s bens cuja aquisiçã é bjet d presente cadern de encargs, ns lcais indicads pela AMA, n praz máxim de 10 dias úteis, cntads de requisiçã da AMA, em qualquer pnt d territóri nacinal cntinental. 2. O adjudicatári fica brigad a cumprir tds s prazs determinads nas cláusulas técnicas d presente cadern de encargs. 3. Sempre que crra um cas de frça mair, devidamente cmprvad e que implique a suspensã da entrega, deve adjudicatári, lg que dele tenha cnheciment, requerer à AMA que lhes seja cncedida uma prrrgaçã d respectiv praz, fundamentand adequadamente pedid. 6 DE 38

7 CLÁUSULA OITAVA RESPONSABILIDADE 1. O adjudicatári assume integral respnsabilidade pel frneciment cntratad, send únic respnsável perante a AMA pela ba execuçã d mesm. 2. O adjudicatári respnde nmeadamente pr quaisquer errs, deficiências u missões na execuçã d cntrat, qualquer que seja a sua rigem e qualquer que seja mment em que frem detectads, salv se adjudicatári prvar que s mesms decrreram de dads frnecids pr escrit pela AMA. 3. Sempre que s errs, deficiências u missões n frneciment resultem de dads frnecids pela AMA, apurament das respnsabilidades far-se-á de acrd cm previst n artig 378.º d Códig ds Cntrats Públics. 4. Em qualquer altura e lg que slicitad pela AMA, adjudicatári briga-se a crrigir s errs, as deficiências u missões n praz razável que lhe vier a ser fixad, sb pena de esta mandar executá-ls pr cnta d adjudicatári, sempre que a respnsabilidades ds mesms lhe seja imputável. 5. As acções de supervisã e cntrl da AMA em nada alteram u diminuem a respnsabilidade d adjudicatári n que se refere a frneciment ds equipaments. CLÁUSULA NONA CONDIÇÕES DE TRANSPORTE E ENTREGA 1. Os equipaments serã entregues, mediante requisiçã expressa e escrita, ns lcais que a AMA vier a indicar, situads em qualquer lugar d territóri nacinal cntinental. 2. O adjudicatári deverá cmunicar previamente a data de entrega e as cndições necessárias à instalaçã física ds equipaments, em cndições nrmais de us, designadamente, s limites de variaçã de temperatura e humidade ambientes, s dispsitivs de segurança, as características de instalaçã d quadr eléctric e utras, cm vista a garantir perfeit funcinament d equipament. 3. Tdas as despesas e custs cm transprte ds bens bject d cntrat e respectivs dcuments para lcal de entrega e cm a respectiva mntagem, instalaçã, cnfiguraçã e testes sã da respnsabilidade d adjudicatári. 4. Os riscs na fase de transprte, de acndicinament, da embalagem, da carga e da descarga da entrega, sã da exclusiva respnsabilidade d adjudicatári, sem quaisquer encargs adicinais para a AMA. 5. Os equipaments deverã incrprar tdas as peças e ser acmpanhadas d certificad de garantia, ds manuais, das instruções técnicas e utrs elements necessáris a garantir seu funcinament em cndições nrmais de us e que estã incluídas n respectiv preç. 6. Os prduts devem apresentar-se nas seguintes cndições: a) Cm etiquetagem cntend, n mínim, a marca, a rigem d fabric, númer de série e utras indicações de segurança; b) Cm a marcaçã prevista na legislaçã aplicável. 7. As embalagens ds prduts devem ser cnservadas fechadas e seladas pel adjudicatári até à instalaçã ds mesms em cndições nrmais de us. 8. Os equipaments serã instalads ns lcais definids pela AMA, em cndições nrmais de us. 9. Após a instalaçã, as embalagens ficarã na psse da AMA e devem cnter etiquetagem cm as referências d adjudicatári, d fabricante, da marca, d mdel, d lte de fabric/an, d númer de série, d númer de 7 DE 38

8 inventári e de tdas as indicações necessárias à sua segurança. CLÁUSULA DÉCIMA ATO DE ENTREGA E INSTALAÇÃO DOS BENS A entrega ds bens é sempre acmpanhada de guia de remessa/transprte da qual deve cnstar, designadamente: a) A data de entrega; b) Identificaçã d adjudicatári; c) Identificaçã da AMA e lcal de entrega; d) Data da encmenda e númer da requisiçã emitida pela AMA; e) Númer d cntrat a abrig d qual é realizad frneciment; f) Indicaçã ds equipaments, cntend mdel, marca e númer de série; e g) Preç de venda previst n cntrat. CLÁUSULA DÉCIMA PRIMEIRA VERIFICAÇÃO E ACEITAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS 1. Efetuada a mntagem e instalaçã ds equipaments, acmpanhada da respectiva guia de remessa, a AMA, pr si u através de terceir designad para efeit, prcede, n praz de 30 (trinta) dias, à inspecçã quantitativa e qualitativa ds mesms, cm vista a verificar, respectivamente, se s mesms crrespndem às quantidades estabelecidas na requisiçã e se reúnem s requisits técnics e funcinais definids nas cláusulas técnicas d presente cadern de encargs e na prpsta adjudicada, bem cm utrs requisits exigids pr lei. 2. Durante a fase de inspecçã ds bens bject d cntrat, adjudicatári deve prestar tda a cperaçã e tds s esclareciments necessáris. 3. Find praz de 1 (um) mês, referid n númer um da presente cláusula, em cas de silênci da AMA, s bens cuja aquisiçã é bjet d presente cadern de encargs cnsideram-se aceites, crrend a transferência da psse e da prpriedade ds mesms para a AMA, bem cm d risc de deteriraçã u pereciment ds mesms, sem prejuíz das brigações de garantia e assistência técnica que impendem sbre adjudicatári. 4. N cas de a inspecçã, referida n númer um da presente cláusula, nã cmprvar a ttal peracinalidade ds bens cuja aquisiçã é bjet d presente cadern de encargs, bem cm a sua cnfrmidade cm as exigências legais, u n cas de existirem defeits u discrepâncias cm s requisits técnics e funcinais definids nas cláusulas técnicas d presente cadern de encargs, a AMA, pr si u através de terceir designad para efeit, deve diss infrmar, pr escrit, adjudicatári. 5. N cas previst n númer anterir, adjudicatári deve prceder, à sua custa e n praz razável que fr determinad pela AMA, às reparações u substituições necessárias para garantir a peracinalidade ds bens e cumpriment das exigências legais e ds requisits técnics e funcinais exigíveis. 6. Após a realizaçã das reparações u substituições necessárias pel adjudicatári, n praz respetiv, a AMA prcede à realizaçã de nva inspecçã, ns terms ds númers anterires. 7. A aceitaçã ds bens bjet d cntrat nã implica a aceitaçã de eventuais defeits u de discrepâncias ds equipaments bject d cntrat cm as exigências legais u cm s requisits técnics e funcinais prevists nas 8 DE 38

9 cláusulas técnicas d presente cadern de encargs. 8. Os encargs cm a inspecçã ds bens, devidamente cmprvads, sã da respnsabilidade d adjudicatári. 9. A rejeiçã ds prduts dispnibilizads, ns terms da presente cláusula, nã cnfere a adjudicatári direit a qualquer indemnizaçã. 10. A rejeiçã ds prduts pr parte da AMA, cnfere-lhe direit a ser indemnizada pels custs incrrids e prejuízs sfrids, sem prejuíz da aplicaçã das devidas penalidades. CLÁUSULA DÉCIMA SEGUNDA GARANTIA E SUPORTE DO EQUIPAMENTO 1. A aquisiçã de bens bjet d presente cadern de encargs cntempla uma garantia cm s níveis de serviç mínims de suprte referids n pnt 5. das cláusulas técnicas d presente cadern de encargs, e ns númers seguintes. 2. Tds s equipaments estã sujeits a garantia, cm a duraçã de 3 ans a cntar da aceitaçã de cada equipament frnecid. 3. Cnsidera-se incluíd na garantia ds equipaments: a) As perações de natureza preventiva, designadamente, revisões, afinações, limpezas e testes necessáris à reduçã ds riscs de avaria ds equipaments, de frma a garantir, em temp, a manutençã das respectivas características a um nível semelhante às iniciais; b) As perações de natureza crrectiva, que têm cm bjectiv repr s prduts em cndições nrmais de funcinament sempre que crram falhas u avarias; c) O frneciment e substituiçã de peças u utrs materiais pr peças u elements de rigem, necessárias a funcinament ds equipaments em cndições nrmais de us; d) A reinstalaçã em cndições nrmais de us, n cas de transprte, ds equipaments avariads; e) A substituiçã ds equipaments n cas de avaria nã reparável; f) Os custs de mã-de-bra e restantes encargs cm pessal, incluind transprte, para efeit das prestações previstas nas alíneas anterires; g) Tds s encargs cm transprte d material necessári à execuçã das prestações previstas nas alíneas anterires; e h) Indemnizaçã pr prejuízs eventualmente causads a pessas u bens decrrentes de equipaments defeituss. 4. As reparações terã lugar n lcal de funcinament d equipament em causa. 5. A permanência d adjudicatári nas instalações referidas n númer anterir que implique paragem ds bens instalads deverá crrer fra das hras nrmais de serviç d lcal de funcinament d equipament em causa, salv em situações necessárias à resluçã das anmalias verificadas, u nutras devidamente justificadas. 6. Em cass em que manifestamente se verifique ser impssível a resluçã d prblema reprtad n lcal dentr d praz, deverá adjudicatári prceder à substituiçã temprária d equipament avariad enquant decrrer a reparaçã em instalações próprias deste, mediante autrizaçã escrita da AMA. 7. Durante períd de garantia, deverá existir um centr de atendiment telefónic (CAT) cm cntacts específics, que assegure um pnt únic de cntat para a receçã e qualificaçã ds pedids de intervençã remetids pela AMA, que deverá assegurar: 9 DE 38

10 a) Temp de espera para atendiment, pr semestre, inferir a 15 minuts; b) Um endereç de crrei electrónic para cmunicaçã das crrências; e c) Qualquer crrência cmunicada a CAT deve ser registada cm identificadr únic e cnstar ns relatóris de gestã, na infrmaçã prevista n númer 4. da Cláusula Décima Terceira d presente cadern de encargs. 8. O adjudicatári briga-se, cm a peridicidade e n frmat definid, apresentar s relatóris de gestã acrdads, ns terms da Cláusula Décima Terceira d presente cadern de encargs. CLÁUSULA DÉCIMA TERCEIRA EMISSÃO DE RELATÓRIOS DE GESTÃO 1. É brigaçã d adjudicatári elabrar e enviar relatóris de gestã para a AMA, até a dia 20 d mês subsequente a final d semestre d an civil a que diz respeit (20 de Janeir e 20 de Julh), até à integral execuçã de tdas as prestações cntempladas n cntrat, incluind as brigações acessórias de garantia e suprte ds bens. 2. Os relatóris de gestã referids n númer anterir cntêm: a) Infrmaçã sbre frneciment; e b) Infrmaçã sbre a garantia e suprte ds bens. 3. A infrmaçã sbre frneciment, a que se refere a alínea a) númer anterir, deve incluir s seguintes dads: a) Infrmaçã agregada d frneciment (valr das faturas), n que se refere às aquisições; e b) Infrmaçã sbre tip de prduts frnecids e serviçs prestads, nmeadamente: i. Descriçã qualitativa d frneciment (tip de prdut, marca, mdel, numer de série e referência); ii. Descriçã quantitativa d frneciment; iii. Garantia e suprte assciads; iv. Preç de aquisiçã unitári; e v. Datas das entregas durante frneciment. 4. A infrmaçã sbre a garantia e suprte, a que se refere a alínea b), d númer 2, da presente cláusula, deve incluir s seguintes dads: a) Cumpriment e vilaçã ds níveis de serviç assciads à garantia; b) Indicaçã de crrências (avarias, incidentes, anmalias) e perações realizadas até à respectiva resluçã; e c) Indicaçã ds equipaments cm garantia activa, incluind a seguinte infrmaçã: i. Data de iníci d períd de garantia e ds serviçs assciads; ii. Data de cessaçã d períd de garantia e ds serviçs assciads. 5. Cnsidera-se nã apresentaçã definitiva ds relatóris de gestã, seu nã envi para a AMA para além de 60 (sessenta) dias a cntar ds prazs prevists n númer um da presente cláusula. 6. Os relatóris referids ns númers anterires deverã ser frnecids em frmat electrónic aprpriad indicad para efeit pela AMA. SUBSECÇÃO II DEVER DE SIGILO 10 DE 38

11 CLÁUSULA DÉCIMA QUARTA OBJETO DO DEVER DE SIGILO 1. O adjudicatári deve guardar sigil sbre tda a infrmaçã e dcumentaçã, técnica e nã técnica, cmercial u utra, relativa à AMA, de que pssa ter cnheciment a abrig u em relaçã cm a execuçã d cntrat. 2. A infrmaçã e a dcumentaçã cbertas pel dever de sigil nã pdem ser transmitidas a terceirs, nem ser bject de qualquer us u md de aprveitament que nã destinad directa e exclusivamente à execuçã d cntrat. 3. Exclui-se d dever de sigil previst, a infrmaçã e a dcumentaçã que fssem cmprvadamente d dmíni públic à data da respetiva btençã pel adjudicatári u que este seja legalmente brigad a revelar, pr frça da lei, de prcess judicial u a pedid de autridades reguladras u utras entidades administrativas cmpetentes. CLÁUSULA DÉCIMA QUINTA PRAZO DO DEVER DE SIGILO O dever de sigil mantém-se em vigr até a term d praz de 5 (cinc) ans a cntar d cumpriment u cessaçã, pr qualquer causa, d cntrat, sem prejuíz da sujeiçã subsequente a quaisquer deveres legais relativs, designadamente, à prtecçã de segreds cmerciais u da credibilidade, d prestígi u da cnfiança devids às pessas clectivas. SECÇÃO II OBRIGAÇÕES DA AMA CLÁUSULA DÉCIMA SEXTA PREÇO CONTRATUAL 1. Pel frneciment ds equipaments bjet d cntrat, bem cm pel cumpriment das demais brigações cnstantes d presente Cadern de Encargs, a AMA deve pagar a adjudicatári valr resultante da aplicaçã ds preçs unitáris cnstantes da prpsta, acrescid de IVA à taxa legal em vigr. 2. O preç referid n númer anterir inclui tds s custs, encargs e despesas cuja respnsabilidade nã esteja expressamente atribuída à AMA. 3. Sã, nmeadamente, suprtads pel adjudicatári s seguintes encargs: 4. Tdas as despesas relativas à aquisiçã, a transprte, armazenagem e garantia d equipament; 5. Tds s encargs decrrentes da utilizaçã de marcas registadas, patentes u licenças; 6. Tdas as deslcações, estadias e despesas de alimentaçã; 7. Encargs cm telecmunicações e crreis; 8. Traduçã de dcuments; 9. Reprduçã de dcuments; 10. Equipament e cnsumíveis de escritóri; 11. Quaisquer utrs relativs à execuçã d cntrat. 12. Tds s encargs derivads da apresentaçã da prpsta e assinatura d cntrat sã igualmente da cnta d adjudicatári. 13. Sem prejuíz d preç cntratual cnstante da prpsta adjudicada, a AMA só se briga a pagar a adjudicatári s 11 DE 38

12 equipaments efetivamente entregues e aceites. 14. Tds s encargs derivads da apresentaçã da prpsta, assinatura d cntrat, prestaçã de garantias e segurs sã igualmente da cnta d adjudicatári. 15. N âmbit d presente frneciment nã haverá lugar a revisã de preçs. CLÁUSULA DÉCIMA SÉTIMA PREÇO BASE O preç base é de EUR, nã incluind Impst sbre Valr Acrescentad. CLÁUSULA DÉCIMA OITAVA CONDIÇÕES DE PAGAMENTO 1. As quantias devidas pela AMA, ns terms da Cláusula Décima Sexta d presente cadern de encargs, devem ser pagas n praz de 30 (trinta) dias após a recepçã pela AMA das respetivas faturas, as quais só pdem ser emitidas após venciment da brigaçã respectiva e devem ser acmpanhadas de tds s elements descritivs e justificativs que permitam a sua cnferência. 2. Para s efeits d númer anterir, a brigaçã cnsidera-se vencida cm a aceitaçã ds equipaments instalads, ns terms d dispst na Cláusula Décima Primeira. 3. Em cas de discrdância pr parte da AMA quant as valres indicads nas faturas, devem estes cmunicar a adjudicatári, pr escrit, s respectivs fundaments, ficand adjudicatári brigad a prestar s esclareciments necessáris, também pr escrit, u prceder à emissã de nva factura crrigida. 4. As faturas devem discriminar a aquisiçã a que se reprtam, númer de referência d prcediment e d cntrat bem cm númer de cmprmiss financeir assciad, qual será indicad pela AMA, sb pena de devluçã a adjudicatári. 5. Só serã devids s valres referentes as bens efectivamente entregues e serviçs efectivamente prestads. 6. As faturas pderã revestir a frma eletrónica, cas em que deverã ser remetidas à AMA através de mei de transmissã escrita e eletrónica de dads, para endereç 7. Em cas de atras n pagament serã devids jurs de mra, à taxa legal fixada ns terms d 3 d artig 102.º d Códig Cmercial, em cumpriment d n.º 5 d artig 5.º d Decret-Lei n.º 62/2013, de 10 de mai, e d artig 1.º da Lei n.º 3/2010, de 27 de Abril. CLÁUSULA DÉCIMA NONA ADIANTAMENTOS E REVISÃO DE PREÇOS 1. N âmbit da presente prestaçã de serviçs nã há lugar a adiantaments. 2. Os preçs acrdads n at da adjudicaçã sã válids, sem revisã de preçs, para s serviçs prestads durante a vigência d cntrat. CLÁUSULA VIGÉSIMA DISPENSA DE CAUÇÃO E RETENÇÕES 1. Ns terms d n.º 2 d artig 88.º d CCP, nã é exigível a prestaçã de cauçã. 2. Face a preç cntratual, a AMA reserva-se na faculdade de reter 10% d valr ds pagaments a efetuar, para 12 DE 38

13 garantia d exat e pntual cumpriment das brigações que assume cm a celebraçã d cntrat. CAPÍTULO III PENALIDADES CONTRATUAIS E RESOLUÇÃO CLÁUSULA VIGÉSIMA PRIMEIRA PENALIDADES CONTRATUAIS 1. A AMA pde exigir d adjudicatári pagament de uma sançã pecuniária, de mntante a fixar em funçã da gravidade d incumpriment ds SLAs acrdads, ns seguintes terms: a) Pel incumpriment ds prazs de entrega d equipament, as seguintes penalidades, até a limite de 20% d valr d equipament: Penalidade [ ] = (nº de dias em atras) x (valr d equipament) x 0,05 b) Pel incumpriment d praz glbal para a cnclusã d serviç de transprte/mntagem, as seguintes penalidades até a limite de 20% d valr d serviç: Penalidade [ ] = (nº de dias em atras) x (valr glbal d serviç) x 0,05 2. Em cas de resluçã d cntrat pr incumpriment d adjudicatári, a AMA pde exigir-lhe uma pena pecuniária até 20% d valr d cntrat, sem prejuíz d ressarciment ds demais dans sfrids pela AMA e ressarcíveis ns terms legais, sem prejuíz d dispst n n.º 3 d artig 329.º d Códig ds Cntrats Públics. 3. A valr da pena pecuniária prevista n númer anterir sã deduzidas as imprtâncias pagas pel adjudicatári a abrig das alíneas d n.º 1 da presente cláusula, relativamente a incumpriment que tenha determinad a resluçã d cntrat. 4. Na determinaçã da gravidade d incumpriment, a AMA tem em cnta, nmeadamente, a duraçã da infracçã, a sua eventual reiteraçã, grau de culpa d adjudicatári e as cnsequências d incumpriment. 5. A aplicaçã das sanções previstas na presente cláusula será bject de audiência prévia, ns terms prevists n n.º 2 d artig 308.º d Códig ds Cntrats Públics. 6. A cbrança das eventuais sanções em que adjudicatári incrra, pderá ser efetuada, a critéri da AMA, através de descnt n pagament u pagaments subsequentes à verificaçã d fact que tenha dad rigem à penalidade u pr accinament das garantias em pder da AMA. 7. As sanções pecuniárias previstas na presente cláusula nã bstam a que a AMA exija uma indemnizaçã pel dan excedente. CLÁUSULA VIGÉSIMA SEGUNDA CASOS DE FORÇA MAIOR 1. Nã pdem ser impstas penalidades a adjudicatári, nem é havida cm incumpriment, a nã realizaçã pntual das prestações cntratuais a carg de qualquer das partes que resulte de cas de frça mair, entendend-se cm tal as circunstâncias que impssibilitem a respectiva realizaçã, alheias à vntade da parte afectada, que ela nã pudesse cnhecer u prever à data da celebraçã d cntrat e cujs efeits nã lhe fsse razavelmente exigível cntrnar u evitar. 13 DE 38

14 2. Para efeits d dispst n númer anterir, cnstituem cass de frça mair, tremres de terra, inundações, incêndis, epidemias, sabtagens, greves, embargs u blqueis internacinais, acts de guerra u terrrism, mtins e determinações gvernamentais u administrativas injuntivas. 3. Nã cnstituem frça mair, designadamente: a) Circunstâncias que nã cnstituam frça mair para s subcntratads d adjudicatári, na parte em que intervenham; b) Greves u cnflits labrais limitads às sciedades d adjudicatári u a grups de sciedades em que este se integre, bem cm a sciedades u grups de sciedades ds seus subcntratads; c) Determinações gvernamentais, administrativas, u judiciais de natureza sancinatória u de utra frma resultantes d incumpriment pel adjudicatári de deveres u ónus que sbre ele recaiam; d) Manifestações ppulares devidas a incumpriment pel adjudicatári de nrmas legais; e) Incêndis u inundações cm rigem nas instalações d adjudicatári cuja causa, prpagaçã u prprções se devam a culpa u negligência sua u a incumpriment de nrmas de segurança; f) Avarias ns sistemas infrmátics u mecânics d adjudicatári nã devidas a sabtagem; g) Events que estejam u devam estar cberts pr segurs. 4. A crrência de circunstâncias que pssam cnsubstanciar cass de frça mair deve ser imediatamente cmunicada à utra parte. 5. A frça mair determina a prrrgaçã ds prazs de cumpriment das brigações cntratuais afectadas pel períd de temp cmprvadamente crrespndente a impediment resultante da frça mair, except se tal nã fr viável n livre entendiment da AMA. CLÁUSULA VIGÉSIMA TERCEIRA RESOLUÇÃO POR PARTE DA AMA 1. A AMA pderá reslver cntrat em cas de incumpriment definitiv pel adjudicatári das suas brigações cntratuais, ns terms d dispst na parte final d n.º 1 d artig 325.º e ainda d dispst ns artigs 333.º e 448.º, tds d Códig ds Cntrats Públics. 2. O exercíci d direit de resluçã previst ns númers anterires pela AMA nã exclui direit de a mesma vir a ser ressarcida pels prejuízs que lhe advierem da cnduta d adjudicatári e da resluçã. 3. A AMA, independentemente da cnduta d adjudicatári, reserva-se direit de reslver cntrat ns terms e cm s fundaments prevists ns artigs 334.º e 335.º, ambs d Códig ds Cntrats Públics. 4. O direit de resluçã exerce-se mediante declaraçã escrita enviada a adjudicatári e nã determina a repetiçã das prestações já realizadas, a mens que tal seja determinad pela AMA. CLÁUSULA VIGÉSIMA QUARTA RESOLUÇÃO POR PARTE DO ADJUDICATÁRIO O adjudicatári pde reslver cntrat ns terms ds artigs 332.º e 449.º, ambs d Códig ds Cntrats Públics. CAPÍTULO IV SEGUROS 14 DE 38

15 CLÁUSULA VIGÉSIMA QUINTA SEGUROS 1. Sem que iss cnstitua limitaçã das suas brigações e respnsabilidades, ns terms d cntrat e deste Cadern de Encargs, adjudicatári deverá ser tmadr das seguintes apólices de segurs: a) Segur de acidentes de trabalh; b) Segurs inerentes a transprte, cm cbertura sbre s equipaments a transprtar; c) Segur de respnsabilidade civil prfissinal que cubra valr d cntrat e as perações a executar pel adjudicatári a abrig d mesm. 2. A AMA pderá exigir a td mment a adjudicatári a apresentaçã das apólices de segur e s recibs cmprvativs d pagament ds prémis respectivs. 3. Qualquer deduçã efectuada pela seguradra a títul de franquia em cas de sinistr indemnizável será pr cnta d adjudicatári. CAPÍTULO V RESOLUÇÃO DE LITÍGIOS CLÁUSULA VIGÉSIMA SEXTA FORO COMPETENTE Para resluçã de tds s litígis decrrentes da interpretaçã, validade u execuçã d cntrat fica estipulada a cmpetência d Tribunal Administrativ de Círcul de Lisba, cm expressa renúncia a qualquer utr. CAPÍTULO VI DISPOSIÇÕES FINAIS CLÁUSULA VIGÉSIMA SÉTIMA SUBCONTRATAÇÃO E CESSÃO DA POSIÇÃO CONTRATUAL A subcntrataçã pel adjudicatári e a cessã da psiçã cntratual pr qualquer das partes depende da autrizaçã da utra, ns terms d Códig ds Cntrats Públics. CLÁUSULA VIGÉSIMA OITAVA CESSÃO DE CRÉDITOS Carece de autrizaçã prévia e escrita pr parte da AMA, qualquer cessã a terceirs, de crédits que adjudicatári venha a ter direit n âmbit da execuçã d cntrat a que der rigem presente prcediment. CLÁUSULA VIGÉSIMA NONA PUBLICIDADE O adjudicatári nã pderá fazer u cnsentir qualquer espécie de publicidade relacinada cm cntrat a celebrar na sequência d presente prcediment, sem a prévia autrizaçã da AMA. 15 DE 38

16 CLÁUSULA TRIGÉSIMA DIREITOS DE PROPRIEDADE INTELECTUAL 1. Crrem inteiramente pr cnta d adjudicatári, s encargs e respnsabilidades decrrentes da utilizaçã, na execuçã d frneciment ds equipaments, de materiais, de elements de cnstruçã, de hardware, de sftware u de utrs a que respeitem quaisquer patentes, licenças, marcas, desenhs registads e utrs direits de prpriedade industrial u direits de autr u cnexs. 2. Se a AMA vier a ser demandada pr ter sid infringid, na execuçã d frneciment ds equipaments, qualquer ds direits mencinads n pnt anterir, adjudicatári respnderá ns terms d dispst n artig 447.º, n.º 2, d Códig ds Cntrats Públics. CLÁUSULA TRIGÉSIMA PRIMEIRA COMUNICAÇÕES E NOTIFICAÇÕES 1. Sem prejuíz de pderem ser acrdadas utras regras quant às ntificações e cmunicações entre as partes d cntrat, estas devem ser dirigidas, ns terms d Códig ds Cntrats Públics, para dmicíli u sede cntratual de cada uma, identificads n cntrat. 2. Qualquer alteraçã das infrmações de cntact cnstantes d cntrat deve ser cmunicada à utra parte. CLÁUSULA TRIGÉSIMA SEGUNDA CONTAGEM DOS PRAZOS Os prazs prevists n cntrat sã cntínus, crrend em sábads, dmings e dias feriads, salv indicaçã expressa em cntrári. O cntrat é regulad pela legislaçã prtuguesa. CLÁUSULA TRIGÉSIMA TERCEIRA LEGISLAÇÃO APLICÁVEL 16 DE 38

17 PARTE II CLÁUSULAS TÉCNICAS 1. ENQUADRAMENTO Dada a imprtância das Ljas e ds futurs Cndmínis d Cidadã para a cncretizaçã da estratégia de mdernizaçã da administraçã pública n seu td e cm parte da visã estratégica da AMA para a melhria ds serviçs a prestar a cidadã, impõe-se um cnjunt de exigências de negóci que exigem um alinhament e suprte integral das tecnlgias de infrmaçã, as quais deverã ser capazes de dar respsta, em terms de rbustez, fiabilidade e dispnibilidade. Face a expst, a AMA tem necessidade de adquirir equipaments de rede e telefnia para renvar as ljas de cidadã de 1ª geraçã, de frma a garantir a capacidade, desempenh e dispnibilidade que se espera de um serviç critic para bm funcinament de tda a rganizaçã. Pr utr lad a nva rede Espaçs d Cidadã que representa 1000 espaçs a serem implementads até final de 2015, clca necessidades de renvaçã e rbusteciment de alguns ativs de rede crítics d datacenter. 2. ÂMBITO N âmbit da renvaçã das ljas d cidadã de 1ª geraçã e d datacenter central, pretende-se prceder à aquisiçã de equipaments de cmunicações de dads e vz e respetivs serviçs de instalaçã que permitam respnder a estas necessidades e exigências de nível de serviç. 3. EQUIPAMENTOS N quadr abaix inserims as tiplgias de equipaments e as respetivas quantidades a frnecer. # Designaçã Qtd. 1 Pnt de acess sem fis 37 2 Gateway 16 3 Ruter ADSL Analógic 10 4 Ruter ADSL RDIS 10 5 Switch sem gestã 5 6 Switch cm gestã e PE 22 7 Telefne básic Telefne Operadra 2 9 Telefne sem fis Telefne intermédi Gateway de vz cm 4 prtas analógicas Painel de distribuiçã para gateway de vz cm 24 prtas 3 13 Firewall de datacenter 2 14 Switch de datacenter 2 15 Switch Virtual 1 16 Balanceadr de rede 2 Ns subcapítuls seguintes deste pnt descrevem-se as características técnicas mínimas ds equipaments. 17 DE 38

18 É da ttal respnsabilidade d adjudicatári, frneciment de eventual licenciament necessári para cumpriment ds requisits abaix indicads e/u para crret funcinament ds equipaments a frnecer Tiplgia 1 - Pnt de acess sem fis O equipament identificad, d tip Pnt de acess sem fis, deverá crrespnder a tds s requisits abaix, devend ser um equipament únic, nã pdend ser substituíd pr um cnjunt de equipaments distints. Uma prta de rede, cm interface RJ-45 e velcidade de 1Gbps Dis interfaces de rádi Frequências 2.4 e 5 GHz Nrmas a/ac/b/g/n Mínim de 4 antenas internas Suprte para um mínim de 5 SSIDs Suprte para autenticaçã de clientes WPA2 pre-shared key WPA2 cm 802.1x WEP Prtal web cativ Suprtes para mntagem em parede e tet Alimentaçã elétrica via PE (802.3af) "Fast Raming" Layer 7 QS Deteçã e mitigaçã de pnts de acess nã autrizads (rgue APs) Ttal suprte e integraçã cm platafrma de gestã wifi identificada em 3.2 Suprte para funcinament ds equipaments telefónics referids em Tiplgia 2 Gateway O equipament identificad, d tip Gateway, deverá crrespnder a tds s requisits abaix, devend ser um equipament únic, nã pdend ser substituíd pr um cnjunt de equipaments distints. Duas prtas físicas cm suprte para rteament de pactes (WAN): Prta 1 1 Interface físic d tip RJ-45 Standard Gb ethernet Suprte para vlan segund standard IEEE 802.1Q. Prta 2 1 Interface físic d tip RJ-45 Standard Gb ethernet Suprte para vlan segund standard IEEE 802.1Q. 18 DE 38

19 14 prtas de switch para rede lcal, cm: Velcidade mínima de 1Gbps Suprte para standard IEEE 802.1Q Prtas cm suprte para tráfeg de múltiplas vlan (vulg trunk). Prtas de switch cm suprte para agregaçã e transprte de tráfeg (layer 2) entre 2 u mais trunks a elas ligads. Suprte para ruting: Prtcl BGP Prtcl OSPF Rtas estáticas Rtas estáticas cm base n endereçament de rigem/destin. Suprte para VPN IPSec: Tip site-t-site Autenticaçã cm chaves partilhadas e certificads Algritms de cifra 3DES e AES Algritms de autenticaçã SHA NAT Traversal Débit de 1Gbps Suprte para VPN SSL Suprte para túneis GRE Suprte para NAT: Estátic Dinâmic Traversal Suprte para DHCP: Md relay Md servidr cm pssibilidade de atribuiçã de leases estáticas e definiçã de pções standard Md cliente Suprte para regras de segurança cm base ns seguintes parâmetrs: Endereçament de rigem Endereçament de destin Prts Débit de 3,5Gbps Suprte para 500 mil sessões TCP simultâneas Suprte para 2000 nvas sessões TCP pr segund Suprte para marcaçã e pririzaçã de tráfeg (QS), cm pssibilidade de definiçã e cnfiguraçã de diversas categrias de tráfeg cm base ns seguintes parâmetrs: 19 DE 38

20 Endereçament de rigem, Endereçament de destin Prt u prtcl de tráfeg. Suprte para NTP Serviç de gestã integrad de pnts de acess wifi (Access Pints) externs Gestã d espectr de rádi Detecçã de pnts de acess wifi nã autrizads (Rgue Access Pints) Gestã de SSID Mnitrizaçã de clientes sem-fis Segregaçã d tráfeg wifi Prtecções anti DS d serviç wifi Gestã de pel mens 10 pnts de acess externs Suprte para utilizaçã de serviç centralizad de regists (lgs). Autenticaçã centralizada, para efeits de gestã, utilizand prtcl Radius. Interface série e/u usb para acess lcal de gestã (acess a cnsla). Gestã e cnfiguraçã lcal d equipament: Interface gráfic (web) Cnsla de text via telnet e/u ssh. Mnitrizaçã remta através d prtcl SNMP (versã 2 e 3) ds seguintes parâmetrs: Ocupaçã de CPU Ocupaçã de memória Ocupaçã de largura de banda ds interfaces de rede fisics Taxa de errs ds interfaces de rede físics 3.3. Tiplgia 3 Ruter ADSL analógic O equipament identificad, d tip Ruter ADSL analógic, deverá crrespnder a tds s requisits abaix, devend ser um equipament únic, nã pdend ser substituíd pr um cnjunt de equipaments distints. Duas prtas físicas cm suprte para rteament de pactes (WAN): Prta 1 1 Interface físic d tip RJ-45 Standard ethernet Suprte para vlan segund standard IEEE 802.1Q. Prta 2 1 Interface fisic RJ-11 Suprte para VDSL/ADSL2+ Anex A/M Débit mínim de 10Mbits/seg em cenári de cnfiguraçã cmpleta 20 DE 38

H. Problemas/outras situações na ligação com a Segurança Social;

H. Problemas/outras situações na ligação com a Segurança Social; Mdel de Cmunicaçã Certificads de Incapacidade Temprária Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes n âmbit ds CIT Certificads de Incapacidade Temprária.

Leia mais

OBJECTIVO. Ligação segura às redes públicas de telecomunicações, sob o ponto de vista dos clientes e dos operadores;

OBJECTIVO. Ligação segura às redes públicas de telecomunicações, sob o ponto de vista dos clientes e dos operadores; Prcediments de Avaliaçã das ITED ANACOM, 1ª ediçã Julh 2004 OBJECTIVO De acrd cm dispst n nº 1, d artº 22º, d Decret Lei nº 59/2000, de 19 de Abril (adiante designad cm DL59), a cnfrmidade da instalaçã

Leia mais

Em qualquer situação, deve ser incluída toda a informação que seja relevante para a análise e resolução da questão/problema.

Em qualquer situação, deve ser incluída toda a informação que seja relevante para a análise e resolução da questão/problema. Mdel de Cmunicaçã Prescriçã Eletrónica de Medicaments Revisã 2 Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes da Prescriçã Eletrónica de Medicaments

Leia mais

PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO

PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO MUNICÍPIO DE PAREDES DE COURA Fund Lcal n Cncelh de Paredes de Cura PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO Entre: O Municípi de Paredes de Cura, pessa clectiva nº 506

Leia mais

Procedimentos para aceitação de materiais e equipamentos fornecidos à EDP Distribuição

Procedimentos para aceitação de materiais e equipamentos fornecidos à EDP Distribuição Julh 2010 Prcediments para aceitaçã de materiais e equipaments frnecids à EDP Distribuiçã DGF/Departament Gestã de Materiais e Equipaments Prcediments para aceitaçã de materiais e equipaments frnecids

Leia mais

MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA

MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA Página 1 de 10 3/2014 CP APROV CADERNO DE ENCARGOS Concurso Público para aquisição de uma desumidificadora para as Piscinas Municipais de Condeixa-a-Nova Página 2 de 10 CADERNO DE ENCARGOS Capítulo I Disposições

Leia mais

Cursos Profissionais de Nível Secundário (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março)

Cursos Profissionais de Nível Secundário (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março) REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Curss Prfissinais de Nível Secundári (Decret-Lei n.º 74/2004, de 26 de Març) Família Prfissinal: 07 - Infrmática 1. QUALIFICAÇÕES / SAÍDAS PROFISSIONAIS As qualificações de nível

Leia mais

Software Development Kit (SDK) do Microsoft Kinect para Windows

Software Development Kit (SDK) do Microsoft Kinect para Windows Sftware Develpment Kit (SDK) d Micrsft Kinect para Windws Os presentes terms de licenciament cnstituem um cntrat entre a Micrsft Crpratin (u dependend d país em que reside uma das respetivas empresas afiliadas)

Leia mais

Resumo Executivo - Funcionalidades 1 INTRODUÇÃO

Resumo Executivo - Funcionalidades 1 INTRODUÇÃO 1 INTRODUÇÃO A crescente cmplexidade ds prjets, a quantidade de infrmaçã que lhes está assciada e aument d númer de intervenientes n prcess cnstrutiv, transfrmaram a indústria da cnstruçã numa indústria

Leia mais

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000 ISO 9001:2008 alterações à versã de 2000 Já passaram quase it ans desde que a versã da ISO 9001 d an 2000 fi publicada, que cnduziu à necessidade de uma grande mudança para muitas rganizações, incluind

Leia mais

Âmbito do Documento. Modelo de Comunicação. Modelo de Comunicação. Prescrição Eletrónica Médica - Aplicação

Âmbito do Documento. Modelo de Comunicação. Modelo de Comunicação. Prescrição Eletrónica Médica - Aplicação Mdel de Cmunicaçã Prescriçã Eletrónica Médica - Aplicaçã Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes da aplicaçã de Prescriçã Eletrónica Médica

Leia mais

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO UC_REQ-MK_ACF-001 27/01/2015 00 1 / 12 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 2 Objetiv... 2 Públic Alv... 2 Escp... 2 Referências... 2 DESCRIÇÃO GERAL DO PRODUTO... 2 Características d Usuári... 2 Limites, Supsições e

Leia mais

FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO PORTO

FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO PORTO FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO PORTO C e n t r d e I n f r m á t i c a NORMAS DE UTILIZAÇÃO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA A FMUP dispõe de salas e labratóris de infrmática gerids pel Centr

Leia mais

MANUAL dos LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA

MANUAL dos LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA MANUAL ds LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA Objetiv 1. Oferecer as aluns a infra-estrutura e suprte necessári à execuçã de tarefas práticas, slicitadas pels prfessres, bservand s prazs estabelecids. 2. Oferecer

Leia mais

Direitos e Obrigações no âmbito dos Acidentes Profissionais e Doenças Profissionais

Direitos e Obrigações no âmbito dos Acidentes Profissionais e Doenças Profissionais Cmunicaçã Direits e Obrigações n âmbit ds Acidentes Prfissinais e Denças Prfissinais Direits e Obrigações n âmbit ds Acidentes Prfissinais e Denças Prfissinais (Lei nº 98/2009 de 4 de Setembr) 1- QUEM

Leia mais

EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 2

EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 2 EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL REGULAMENTO ESPECÍFICO: EQUIPAMENTOS PARA A COESÃO LOCAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 2 Ns terms d regulament específic Equipaments para a Cesã Lcal,

Leia mais

Promover a obtenção de AIM (Autorização de Introdução no Mercado) no estrangeiro de medicamentos criados e desenvolvidos em Portugal.

Promover a obtenção de AIM (Autorização de Introdução no Mercado) no estrangeiro de medicamentos criados e desenvolvidos em Portugal. SIUPI SISTEMA DE INCENTIVOS À UTILIZAÇÃO DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL FICHA DE MEDIDA Apia prjects que visem estimular investiment em factres dinâmics de cmpetitividade, assciads à invaçã tecnlógica, a design

Leia mais

Modelo de Comunicação. Programa Nacional para a Promoção da Saúde Oral

Modelo de Comunicação. Programa Nacional para a Promoção da Saúde Oral Mdel de Cmunicaçã Prgrama Nacinal para a Prmçã da Saúde Oral Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e utilizadres d Sistema de Infrmaçã para a Saúde Oral

Leia mais

GUIA RÁPIDO DE CONFIGURAÇÃO PARA WINDOWS

GUIA RÁPIDO DE CONFIGURAÇÃO PARA WINDOWS GUIA RÁPIDO DE CONFIGURAÇÃO PARA WINDOWS CONTEÚDO 1. Intrduçã... 3 2. Requisits de Sftware e Hardware:... 3 3. Usuári e Grups:... 3 3.1. Cnfigurand cm Micrsft AD:... 3 3.2. Cnfigurand s Grups e Usuáris:...

Leia mais

INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR

INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR A pertinência e valr demnstrad das valências d Cartã de Saúde Cfre, em razã d flux de adesões e pedids de esclareciment, trnam essencial dar evidência e respsta a algumas situações

Leia mais

CAE Rev_3: 47990 VENDAS AUTOMÁTICAS (VENDING)

CAE Rev_3: 47990 VENDAS AUTOMÁTICAS (VENDING) O cnteúd infrmativ dispnibilizad pela presente ficha nã substitui FUNCHAL CAE Rev_3: 47990 VENDAS AUTOMÁTICAS (VENDING) ÂMBITO A atividade de venda autmática deve bedecer à legislaçã aplicável à venda

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para Prcediment de Cmercializaçã. Inserid

Leia mais

Excluídas as seguintes definições:

Excluídas as seguintes definições: Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações Entre PM AM.08 APLICAÇÃO DE PENALIDADE POR INSUFICIÊNCIA DE CONTRATAÇÃO E PENALIDADE POR INSUFICIÊNCIA DE LASTRO DE VENDA & PdC AM.10 MONITORAMENTO DE INFRAÇÃO

Leia mais

Processos de Apoio do Grupo Consultivo 5.5 Suporte Informático Direito de Acesso à Rede

Processos de Apoio do Grupo Consultivo 5.5 Suporte Informático Direito de Acesso à Rede Prcesss de Api d Grup Cnsultiv 5.5 Suprte Infrmátic Direit de Acess à Rede Suprte Infrmátic - Dcuments 5.5 Âmbit e Objectiv Frmuláris aplicáveis Obrigatóris Obrigatóris, se aplicável Frmulári de Mapa de

Leia mais

PROCESSO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE DO GRUPO HISPASAT

PROCESSO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE DO GRUPO HISPASAT PROCESSO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE DO GRUPO HISPASAT GRUPO HISPASAT Mai de 2014 PRIVADO PRIVADO E CONFIDENCIAL E Dcument Dcument prpriedade prpriedade HISPASAT,S.A. da 1 Prcess de atendiment a cliente

Leia mais

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde Anex V Sftware de Registr Eletrônic em Saúde Implantaçã em 2 (duas) Unidades de Saúde Índice 1 INTRODUÇÃO... 3 2 ESTRATÉGIAS E PROCEDIMENTOS DE IMPLANTAÇÃO... 3 4 INFRAESTRUTURA NAS UNIDADES DE SAÚDE -

Leia mais

IARC Oferta de Infra-estruturas aptas ao Alojamento de Redes de Comunicações Eletrónicas

IARC Oferta de Infra-estruturas aptas ao Alojamento de Redes de Comunicações Eletrónicas IARC Oferta de Infra-estruturas aptas a Aljament de Redes de Cmunicações Eletrónicas Versã 1.1 08 de Julh de 2015 Índice 1. Intrduçã 3 2. Objet e Âmbit 3 3. Obrigações e respnsabilidades ds Clientes 3

Leia mais

UNIDADE ORGÂNICA DE GESTÃO FINANCEIRA E DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO SUBUNIDADE ORGÂNICA DE APROVISIONAMENTO CADERNO DE ENCARGOS AJUSTE DIRETO

UNIDADE ORGÂNICA DE GESTÃO FINANCEIRA E DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO SUBUNIDADE ORGÂNICA DE APROVISIONAMENTO CADERNO DE ENCARGOS AJUSTE DIRETO SUBUNIDADE ORGÂNICA DE APROVISIONAMENTO CADERNO DE ENCARGOS AJUSTE DIRETO Contrato de Prestação de Serviço por Avença, de uma Dietista, com duração de 12 meses = SUBUNIDADE ORGÂNICA DE APROVISIONAMENTO

Leia mais

2. Condições a Observar pelas Empresas Beneficiárias. Síntese dos termos e condições gerais da Linha de Crédito PME Crescimento. Condições genéricas:

2. Condições a Observar pelas Empresas Beneficiárias. Síntese dos termos e condições gerais da Linha de Crédito PME Crescimento. Condições genéricas: 2. Cndições a Observar pelas Empresas Beneficiárias Síntese ds terms e cndições gerais da Linha de Crédit PME Cresciment ( presente dcument identifica as principais características da Linha de Crédit PME

Leia mais

Responsabilidade Civil Responsabilidade Civil Geral

Responsabilidade Civil Responsabilidade Civil Geral Respnsabilidade Civil Respnsabilidade Civil Geral Infrmações Pré-Cntratuais Seguradr AIG Eurpe Limited Sucursal em Prtugal, entidade legalmente autrizada a exercer a atividade Seguradra e que, mediante

Leia mais

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco Orientações e Recmendações Orientações relativas à infrmaçã periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de ntaçã de risc 23/06/15 ESMA/2015/609 Índice 1 Âmbit de aplicaçã... 3 2 Definições... 3 3 Objetiv

Leia mais

INSTITUTO DOS VINHOS DO DOURO E DO PORTO, I.P. Aluguer Operacional de Viaturas CADERNO DE ENCARGOS Capítulo I Disposições gerais Clausula 1.

INSTITUTO DOS VINHOS DO DOURO E DO PORTO, I.P. Aluguer Operacional de Viaturas CADERNO DE ENCARGOS Capítulo I Disposições gerais Clausula 1. INSTITUTO DOS VINHOS DO DOURO E DO PORTO, I.P. Aluguer Operacional de Viaturas CADERNO DE ENCARGOS Capítulo I Disposições gerais Clausula 1.ª Objecto O presente Caderno de Encargos compreende as cláusulas

Leia mais

Concurso público para a aquisição de redes remotas por links wireless para o Município do Funchal

Concurso público para a aquisição de redes remotas por links wireless para o Município do Funchal Concurso público para a aquisição de redes remotas por links wireless para o Município do Funchal CADERNO DE ENCARGOS - 1 - Índice Cláusula 1ª - Objecto... Cláusula 2ª - Contrato... Cláusula 3ª - Prazo...

Leia mais

Agenda: 2015 Sage Software, Inc. All rights reserved. 2/1/2016 3 2015 Sage Software, Inc. All rights reserved. 2/1/2016 5

Agenda: 2015 Sage Software, Inc. All rights reserved. 2/1/2016 3 2015 Sage Software, Inc. All rights reserved. 2/1/2016 5 Agenda: Event Sage AEBB Legislaçã inventári permanente (reduçã ds limites) Cnfigurações inventári permanente (ligaçã à CTB) O inventári a 31 de dezembr (imprtância d cntrl stcks, sage inventáris cntagem

Leia mais

Alteração à Linha de Crédito para apoio às Empresas de Produção, Transformação e Comercialização de Produtos Agrícolas, Pecuários e Florestais

Alteração à Linha de Crédito para apoio às Empresas de Produção, Transformação e Comercialização de Produtos Agrícolas, Pecuários e Florestais Inf - Estruturas Infrmaçã Mensal d Sectr Linha de Crédit PME 2009 Alteraçã à Linha de Crédit para api às Empresas de Prduçã, Transfrmaçã e Cmercializaçã de Prduts Agríclas, Pecuáris e Flrestais A Linha

Leia mais

Número de cédula profissional (se médico); Nome completo; 20/06/2014 1/7

Número de cédula profissional (se médico); Nome completo; 20/06/2014 1/7 Mdel de Cmunicaçã Sistema Nacinal de Vigilância Epidemilógica Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes d Sistema Nacinal de Vigilância Epidemilógica.

Leia mais

AGÊNCIA PARA A MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA CONCURSO PÚBLICO N.º 13/14/GJ/DGE/WEBSITE PGETIC CADERNO DE ENCARGOS

AGÊNCIA PARA A MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA CONCURSO PÚBLICO N.º 13/14/GJ/DGE/WEBSITE PGETIC CADERNO DE ENCARGOS AGÊNCIA PARA A MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA CONCURSO PÚBLICO N.º 13/14/GJ/DGE/WEBSITE/PGETIC CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE DESENVOLVIMENTO E IMPLEMENTAÇÃO DE WEBSITE PARA COMUNICAR O PGETIC 1 DE 33 CLÁUSULAS

Leia mais

Requisitos técnicos de alto nível da URS para registros e registradores

Requisitos técnicos de alto nível da URS para registros e registradores Requisits técnics de alt nível da URS para registrs e registradres 17 de utubr de 2013 Os seguintes requisits técnics devem ser seguids pels peradres de registr e registradres para manter a cnfrmidade

Leia mais

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30)

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30) UNIP Brasília - Crdenaçã CG/CW/GR/AD Senhres Aluns, Seguem infrmações imprtantes sbre PIM: 1. O QUE É? - Os PIM (Prjet Integrad Multidisciplinar) sã prjets brigatóris realizads els aluns ds curss de graduaçã

Leia mais

^i * aesíqn e=> ~omunícc3ç:c30

^i * aesíqn e=> ~omunícc3ç:c30 ^i * aesíqn e=> ~munícc3ç:c30 CONTRATO DE LICENÇA DE USO DO SISTEMA - SUBMIT CMS Web Site da Prefeitura de Frei Martinh - Paraíba 1. IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTE Prefeitura Municipal de Frei Martinh

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL EDITAL CANDIDATURA AOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS (CTeSP) 2015 CONDIÇÕES DE ACESSO 1. Pdem candidatar-se a acess de um Curs Técnic Superir Prfissinal (CTeSP) da ESTGL tds s que estiverem

Leia mais

ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS

ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS 1 Os Estads-Membrs devem garantir que tdas as cndições u restrições relativas

Leia mais

UNIDADE ORGÂNICA DE GESTÃO FINANCEIRA E DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO SUBUNIDADE ORGÂNICA DE APROVISIONAMENTO CADERNO DE ENCARGOS AJUSTE DIRETO

UNIDADE ORGÂNICA DE GESTÃO FINANCEIRA E DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO SUBUNIDADE ORGÂNICA DE APROVISIONAMENTO CADERNO DE ENCARGOS AJUSTE DIRETO SUBUNIDADE ORGÂNICA DE APROVISIONAMENTO CADERNO DE ENCARGOS AJUSTE DIRETO Contrato de Prestação de Serviço por Tarefa, de um Eletricista, com duração de 12 meses SUBUNIDADE ORGÂNICA DE APROVISIONAMENTO

Leia mais

PROCEDIMENTO ESPECÍFICO OPERAÇÕES DE DESMATAÇÃO, DESARBORIZAÇÃO E APLICAÇÃO DE FITOFARMACÊUTICOS

PROCEDIMENTO ESPECÍFICO OPERAÇÕES DE DESMATAÇÃO, DESARBORIZAÇÃO E APLICAÇÃO DE FITOFARMACÊUTICOS Página 1 de 9 0 CONTROLO DE REVISÕES... 2 1 OBJECTIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO... 2 2 REFERÊNCIAS... 2 3 DEFINIÇÕES... 2 4 ABREVIATURAS... 3 5 PROCEDIMENTO... 3 5.1 NECESSIDADE DE DESARBORIZAÇÃO OU DESMATAÇÃO...

Leia mais

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal d Ceará Campus de Sbral Curs de Engenharia da Cmputaçã Regulament para realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs Intrduçã Este dcument estabelece as regras básicas para funcinament das

Leia mais

III.3. SISTEMAS HÍBRIDOS FIBRA/COAXIAL (HFC)

III.3. SISTEMAS HÍBRIDOS FIBRA/COAXIAL (HFC) 1 III.3. SISTEMAS HÍBRIDOS FIBRA/COAXIAL (HFC) III.3.1. DEFINIÇÃO A tecnlgia HFC refere-se a qualquer cnfiguraçã de fibra ótica e cab caxial que é usada para distribuiçã lcal de serviçs de cmunicaçã faixa

Leia mais

GUIA DOS CARTÕES DE CREDITO BUSINESS / BUSINESS TRADE / BUSINESS GOLD

GUIA DOS CARTÕES DE CREDITO BUSINESS / BUSINESS TRADE / BUSINESS GOLD GUIA DOS CARTÕES DE CREDITO BUSINESS / BUSINESS TRADE / BUSINESS GOLD Índice Identificaçã e Utilizaçã Infrmações Úteis Segurs Assciads Serviçs Assciads Telefnes úteis Cuidads a ter cm seu cartã Identificaçã

Leia mais

Legenda da Mensagem de Resposta à Verificação de Elegibilidade (respostaelegibilidade)

Legenda da Mensagem de Resposta à Verificação de Elegibilidade (respostaelegibilidade) Legenda da Mensagem de Respsta à Verificaçã de Elegibilidade (respstaelegibilidade) Mensagem : Respta à verificaçã de elegibilidade (respstaelegibilidade) - Flux : Operadra para Prestadr Códig da mensagem

Leia mais

UMG 100. User Media Gateway to E1 and VoIP. Transcoding nos 30 canais. Cancelamento de eco. Suporte SNMP. CDR personalizável

UMG 100. User Media Gateway to E1 and VoIP. Transcoding nos 30 canais. Cancelamento de eco. Suporte SNMP. CDR personalizável UMG 100 User Media Gateway t E1 and VIP Transcding ns 30 canais Cancelament de ec Suprte SNMP CDR persnalizável Design Clean e facilidade de instalaçã O UMG 100 é um user gateway da linha de Media Gateways

Leia mais

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO 1 de 7 1. OBJETIVO Este prcediment estabelece prcess para cncessã, manutençã, exclusã e extensã da certificaçã de sistema de segurança cnfrme ABNT NBR 15540. 2. DOCUMENTOS COMPLEMENTARES - ABNT NBR 15540:2013:

Leia mais

CURSO DE TRIPULANTE DE AMBULÂNCIA DE SOCORRO

CURSO DE TRIPULANTE DE AMBULÂNCIA DE SOCORRO EA.TAS.6.1.13 HELPCARE CURSO DE TRIPULANTE DE AMBULÂNCIA DE SOCORRO Prpsta Curs de Tripulante de Ambulância de Scrr Fundamentaçã O scrr e transprte de vítimas de dença súbita e/u trauma é executad pr váris

Leia mais

SDK (Software Development Kit) do Microsoft Kinect para Windows

SDK (Software Development Kit) do Microsoft Kinect para Windows SDK (Sftware Develpment Kit) d Micrsft Kinect para Windws Os presentes terms de licença cnstituem um acrd entre a Micrsft Crpratin (u, dependend d lcal n qual vcê esteja dmiciliad, uma de suas afiliadas)

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR 1. Históric da Jrnada AGIR Ns ambientes crprativs atuais, a adçã de um mdel de gestã integrada é uma decisã estratégica n api às tmadas

Leia mais

CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO

CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO Cnteúd prgramátic CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO Este é cnteúd prgramátic d curs preparatóri n nv prgrama CDO-0001 para a certificaçã CmpTIA CDIA+. CONCEITUAL ECM Apresentaçã ds cnceits envlvids

Leia mais

Especificação do Projecto

Especificação do Projecto MERC 2010/11 RCM/TRC/SIRS Grup nº: 4 Especificaçã d Prject Turn (e campus): RCM(2ªFeira) SIRS e TRC(ªFeira) - Taguspark Nme Númer Carls Simões 7771 Jã Salada 7849 Marc Alves 7846 1 Nme d Prject DynStck

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalaçã Prdut: n-hst Versã d prdut: 4.1 Autr: Aline Della Justina Versã d dcument: 1 Versã d template: Data: 30/07/01 Dcument destinad a: Parceirs NDDigital, técnics de suprte, analistas de

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE RESOLUÇÃO N 379, DE 19 DE OUTUBRO DE 2006 Cria e regulamenta sistema de dads e infrmações sbre a gestã flrestal n âmbit d Sistema Nacinal

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs)

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs) MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE Técnics de Instalaçã e Manutençã de Edifícis e Sistemas (TIMs) NO SISTEMA INFORMÁTICO DO SISTEMA NACIONAL DE CERTIFICAÇÃO ENERGÉTICA NOS EDIFÍCIOS (SCE) 17/07/2014

Leia mais

Lista de verificação do conteúdo do Plano de Emergência Interno

Lista de verificação do conteúdo do Plano de Emergência Interno Intrduçã Lista de verificaçã d cnteúd d Plan de Emergência Intern (artig 18.º d Decret-Lei n.º 254/2007, de 12 de julh) O Decret-Lei n.º 254/2007, de 12 de julh, estabelece regime de prevençã de acidentes

Leia mais

Manual de Instalação e Configuração

Manual de Instalação e Configuração Manual de Instalaçã e Cnfiguraçã Prdut:n-ReleaserEmbedded fr Lexmark Versã 1.2.1 Versã d Dc.:1.0 Autr: Lucas Machad Santini Data: 14/04/2011 Dcument destinad a: Clientes e Revendas Alterad pr: Release

Leia mais

Índice Artigo 1.º Objecto... 3. Artigo 2.º Contrato... 3. Artigo 3.º Obrigações principais do adjudicatário... 4. Artigo 4.º Prazo...

Índice Artigo 1.º Objecto... 3. Artigo 2.º Contrato... 3. Artigo 3.º Obrigações principais do adjudicatário... 4. Artigo 4.º Prazo... Concurso Público para a elaboração do Inventário de Referência das Emissões de CO2 e elaboração do Plano de Acção para a Energia Sustentável do Município do Funchal CADERNO DE ENCARGOS Índice Artigo 1.º

Leia mais

Procedimento n.º 09/2015/DGF-A. Caderno de Encargos para Aquisição de Serviços de Patrocínio Judiciário e Assessoria Jurídica na Modalidade de Avença

Procedimento n.º 09/2015/DGF-A. Caderno de Encargos para Aquisição de Serviços de Patrocínio Judiciário e Assessoria Jurídica na Modalidade de Avença Procedimento n.º 09/2015/DGF-A Caderno de Encargos para Aquisição de Serviços de Patrocínio Judiciário e Assessoria Jurídica na Modalidade de Avença Índice Cláusulas Jurídicas... 4 Capitulo I - Disposições

Leia mais

verb@ Plataforma Windows

verb@ Plataforma Windows verb@ Platafrma Windws Sbre prgrama: Este prgrama infrmátic de gestã ferece a garantia de atualizaçã pel períd de um an, frmalizada através de um Cntrat Anual de Atualizaçã. Uma vez terminada a garantia

Leia mais

INDICE DE PREÇOS TURISTICO. Desenvolvido no quadro do Programa Comum de Estatística CPLP com o apoio técnico do INE de Portugal

INDICE DE PREÇOS TURISTICO. Desenvolvido no quadro do Programa Comum de Estatística CPLP com o apoio técnico do INE de Portugal INDICE DE PREÇOS TURISTICO Desenvlvid n quadr d Prgrama Cmum de Estatística CPLP cm api técnic d INE de Prtugal Estrutura da Apresentaçã INTRODUÇÃO. METODOLOGIA. FORMA DE CÁLCULO. PROCESSO DE TRATAMENTO.

Leia mais

Consulta Serviços de conceção e desenvolvimento criativo, produção e montagem do Fórum PORTUGAL SOU EU

Consulta Serviços de conceção e desenvolvimento criativo, produção e montagem do Fórum PORTUGAL SOU EU Cnsulta Serviçs de cnceçã e desenvlviment criativ, prduçã e mntagem d Fórum PORTUGAL SOU EU Julh 2014 Cnteúd 1. Intrduçã... 2 2. Enquadrament... 2 3. Públic-Alv... 2 4. Objetivs da Cnsulta... 3 5. Cndições

Leia mais

Manual de configuração de equipamento Huawei G73. Huawei G73. Pagina 1

Manual de configuração de equipamento Huawei G73. Huawei G73. Pagina 1 Manual de cnfiguraçã de equipament Huawei G73 Huawei G73 Pagina 1 Índice 1. Breve intrduçã... 3 2. Guia rápid de utilizaçã...errr! Bkmark nt defined. 3. Serviçs e Funcinalidades suprtads...errr! Bkmark

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS REALIZAR MANUTENÇÃO PREDIAL

MANUAL DE PROCEDIMENTOS REALIZAR MANUTENÇÃO PREDIAL Códig: MAP-DILOG-002 Versã: 00 Data de Emissã: 01/01/2013 Elabrad pr: Gerência de Instalações Aprvad pr: Diretria de Lgística 1 OBJETIVO Estabelecer cicl d prcess para a manutençã predial crretiva e preventiva,

Leia mais

CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI

CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI 6.1 Requisits de Capacidade e Experiência d Prestadr A ANEEL deveria exigir um puc mais quant a estes requisits, de frma a garantir uma melhr qualificaçã da empresa a ser cntratada.

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSESSORIA CONTÁBIL

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSESSORIA CONTÁBIL CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSESSORIA CONTÁBIL Cntratante: O CONSELHO REGIONAL DE SERVIÇO SOCIAL - 12º REGIÃO, pessa jurídica de direit públic cnstituída sb a frma de autarquia fiscalizadra,

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL Intrduçã O presente Regulament cnstitui um dcument intern d curs de Ciências Cntábeis e tem pr bjetiv reger as atividades relativas a Estági de Iniciaçã

Leia mais

EIKON DOCUMENTS - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

EIKON DOCUMENTS - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA EIKON DOCUMENTS - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA VERSÃO Eikn Dcuments 2007 Service Pack 5 (2.9.5) Fevereir de 2010 DATA DE REFERÊNCIA DESCRIÇÃO Sftware para implantaçã de sistemas em GED / ECM (Gerenciament Eletrônic

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA REQUISITOS TECNICOS O Prgrama de Api as Actres Nã Estatais publica uma slicitaçã para prestaçã

Leia mais

CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL

CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL SECRETARIA DA RECEITA PREVIDENCIÁRIA - SRP DEPARTAMENTO DE FISCALIZAÇÃO - DEFIS CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL

Leia mais

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil;

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil; TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE ANÁLISE DA REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVO PARA CÁLCULOS DO VALOR DO IMPAIRMENT E VIDA ÚTIL RESIDUAL, EM CONFORMIDADE COM O DISPOSTO

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÕES ON-LINE

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÕES ON-LINE MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÕES ON-LINE N prcess de renvaçã de matrículas para an lectiv 2010/2011, e na sequência d plan de melhria cntínua ds serviçs a dispnibilizar as aluns, IPVC ferece, pela

Leia mais

INFORMAÇÃO GAI. Apoios às empresas pela contratação de trabalhadores

INFORMAÇÃO GAI. Apoios às empresas pela contratação de trabalhadores INFORMAÇÃO GAI Apis às empresas pela cntrataçã de trabalhadres N âmbit das plíticas de empreg, Gvern tem vind a criar algumas medidas de api às empresas pela cntrataçã de trabalhadres, n entant tem-se

Leia mais

- APRESENTAÇÃO - Central de Pabx Alcatel OmniPCX Office. Pabx Alcatel - PRINCIPAIS BENEFÍCIOS Tudo que você precisa em um único equipamento

- APRESENTAÇÃO - Central de Pabx Alcatel OmniPCX Office. Pabx Alcatel - PRINCIPAIS BENEFÍCIOS Tudo que você precisa em um único equipamento Pabx Alcatel - APRESENTAÇÃO - Central de Pabx Alcatel OmniPCX Office A Cnintel apresenta para mercad a linha de prduts cnvergentes PABX Alcatel OmniPCX Office. Pabx Alcatel Mdular, escalável, pders, flexível,

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO. Brasília/DF neste ato legalmente representado por sua Ordenadora de Despesas, Senhora SÔNIA

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO. Brasília/DF neste ato legalmente representado por sua Ordenadora de Despesas, Senhora SÔNIA TERMO DE CONTRATO CNMP N. 003 / 2010 PutlIced tle 30 CI II d OS. / 0 21/4900 J,(108,Lt.tt_ CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS QUE ENTRE SI CELEBRAM O CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO E A PESSOA JURÍDICA

Leia mais

ANEXO II TEMRO DE REFERÊNCIA

ANEXO II TEMRO DE REFERÊNCIA ANEXO II TEMRO DE REFERÊNCIA. OBJETO Cntrataçã de empresa especializada na prestaçã de serviçs de rganizaçã e execuçã de lgística em geral d Seminári Internacinal sbre Justiça Fiscal, a ser realizad n

Leia mais

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA FAZENDA Crdenadria da Administraçã Tributária Diretria Executiva da Administraçã Tributária Manual d DEC Dmicíli Eletrônic d Cntribuinte Manual DEC (dezembr

Leia mais

AEPSA. Audição sobre as PPL 123/XII (GOV) e 125/XII (GOV) COMISSÃO DE AMBIENTE, ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E PODER LOCAL

AEPSA. Audição sobre as PPL 123/XII (GOV) e 125/XII (GOV) COMISSÃO DE AMBIENTE, ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E PODER LOCAL AEPSA Audiçã sbre as PPL 123/XII (GOV) e 125/XII (GOV) COMISSÃO DE AMBIENTE, ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E PODER LOCAL 13 de Març de 2013 AGENDA 1. Apresentaçã da AEPSA a) A AEPSA em Prtugal b) Estratégia

Leia mais

3. TIPOS DE MANUTENÇÃO:

3. TIPOS DE MANUTENÇÃO: 3. TIPOS DE MANUTENÇÃO: 3.1 MANUTENÇÃO CORRETIVA A manutençã crretiva é a frma mais óbvia e mais primária de manutençã; pde sintetizar-se pel cicl "quebra-repara", u seja, repar ds equipaments após a avaria.

Leia mais

Workshop Nova Legislação que regula a aplicação de Produtos Fitofarmacêuticos (PF)

Workshop Nova Legislação que regula a aplicação de Produtos Fitofarmacêuticos (PF) Wrkshp Nva Legislaçã que regula a aplicaçã de Prduts Fitfarmacêutics (PF) Quinta d Vallad, Vilarinh ds Freires Branca Teixeira 23 de mai de 2013 Nva Legislaçã Lei nº26/2013 de 11 de abril Regula as actividades

Leia mais

COORDENADORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Suporte técnico

COORDENADORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Suporte técnico COORDENADORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Suprte técnic O serviç de suprte técnic tem pr bjetiv frnecer atendiment as usuáris de prduts e serviçs de infrmática da Defensria Pública. Este serviç é prvid

Leia mais

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas Perguntas frequentes sbre Prgrama Banda Larga nas Esclas 1. Qual bjetiv d Prgrama Banda Larga nas Esclas? O Prgrama Banda Larga nas Esclas tem cm bjetiv cnectar tdas as esclas públicas à internet, rede

Leia mais

AGÊNCIA PARA A MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA CONCURSO PÚBLICO N.º 19/14/GJ/DSI-IT/SUPORTE PLATAFORMA PMC CADERNO DE ENCARGOS

AGÊNCIA PARA A MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA CONCURSO PÚBLICO N.º 19/14/GJ/DSI-IT/SUPORTE PLATAFORMA PMC CADERNO DE ENCARGOS AGÊNCIA PARA A MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA CONCURSO PÚBLICO N.º 19/14/GJ/DSI-IT/SUPORTE PLATAFORMA PMC CADERNO DE ENCARGOS CONTRATAÇÃO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO E SUPORTE DA PLATAFORMA TECNOLÓGICA

Leia mais

Essentra BAX Application Server IPCentrex (SoftSwitch, Classe 5)

Essentra BAX Application Server IPCentrex (SoftSwitch, Classe 5) Essentra BAX Applicatin Server IPCentrex (SftSwitch, Classe 5) O Applicatin Server Essentra BAX tem cm tarefa principal dar máxim de facilidades para usuári de uma rede de telecm prvend serviçs que vã

Leia mais

WORKSHOP 1 Critérios ambientais e sociais na contratação: Como fazer?

WORKSHOP 1 Critérios ambientais e sociais na contratação: Como fazer? WORKSHOP 1 Critéris ambientais e sciais na cntrataçã: Cm fazer? Paula Trindade Investigadra LNEG Crdenadra Building SPP Helena Esteván EcInstitut Tratad da Uniã Eurpeia Princípis: Livre mviment de bens

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA 1. Intrduçã e Objetivs a) O Cncurs de Ideias OESTECIM a minha empresa pretende ptenciar apareciment de prjets invadres na regiã d Oeste sempre numa perspetiva de desenvlviment ecnómic e scial. b) O Cncurs

Leia mais

WWW.CLICK-MENTAL.COM

WWW.CLICK-MENTAL.COM Fidelity Uma estratégia de fidelizaçã de clientes WWW.CLICK-MENTAL.COM Criad pr: Click Mental - Sistemas de Infrmaçã, Lda. Fidelity Uma estratégia de fidelizaçã de clientes O que é? O Fidelity é um sftware

Leia mais

Administração de Redes Servidores de Aplicação

Administração de Redes Servidores de Aplicação 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS SÃO JOSÉ SANTA CATARINA Administraçã de Redes Servidres de Aplicaçã

Leia mais

Protecção Dados Digitais Formação

Protecção Dados Digitais Formação Març, 2012 Prtecçã Dads Digitais Frmaçã Tips de Prteçã de Dads Digitais Existem dis tips de Prteçã de Dads Digitais: Març, 2012 Prtecçã Dads Digitais Frmaçã 2 Quais s prduts elegíveis? A Prteçã de Dads

Leia mais

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA GUARDA NACIONAL REPUBLICANA COMANDO-GERAL COMANDO DA ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS INTERNOS

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA GUARDA NACIONAL REPUBLICANA COMANDO-GERAL COMANDO DA ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS INTERNOS MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA GUARDA NACIONAL REPUBLICANA COMANDO-GERAL COMANDO DA ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS INTERNOS DIRECÇÃO DE RECURSOS LOGÍSTICOS DIVISÃO DE AQUISIÇÕES CONCURSO PÚBLICO N.º 21/DRL/DA/2009

Leia mais

Definições Relacionadas à Política de Segurança da Informação

Definições Relacionadas à Política de Segurança da Informação Definições Relacinadas à Plítica de Segurança da Infrmaçã Área respnsável Versã Data de emissã Data de revisã Data de vigência Infrmática Crprativa - Segurança 1.2 20/08/2009 30/10/2013 01/02/2014 Objetiv

Leia mais

5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO:

5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO: 5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO: 5.1 INTRODUÇÃO A rganizaçã da manutençã era cnceituada, até há puc temp, cm planejament e administraçã ds recurss para a adequaçã à carga de trabalh esperada.

Leia mais

Cm Criar Seu Própri Empreg em Apenas 5 Passs 1 1º Pass: A IDEIA 2º Pass: O CONTACTO COM VÁRIAS INSTITUIÇÕES E ENTIDADES 3º Pass: PLANO DE NEGÓCIOS 4º Pass: CRIAÇÃO DA EMPRESA E INÍCIO DE ACTIVIDADE 5º

Leia mais

Supply Chain Game. EXERCÍCIOS PRÁTICOS DE LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS Autor: Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves

Supply Chain Game. EXERCÍCIOS PRÁTICOS DE LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS Autor: Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves Supply Chain Game EXERCÍCIOS PRÁTICOS DE LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS Autr: Prf. Dr. Daniel Bertli Gnçalves Exercíci Prátic 1 Simuland uma Cadeia e planejand seus estques Lcal: em sala de aula Material

Leia mais

Projecto Cartão de Cidadão

Projecto Cartão de Cidadão Prject Cartã de Cidadã Especificações Leitr Base 14 de Junh de 2007 Versã 1.0 SEMA/UMIC/AMA ÍNDICE 1. I TRODUÇÃO... 3 2. CARACTERÍSTICAS TÉC ICAS DO CARTÃO DE CIDADÃO... 4 2.1. FORMATO E DIMENSÕES... 4

Leia mais

MANUAL DO PRODUTO GERGERAISISTÊNCI SEGURO APP INVEST

MANUAL DO PRODUTO GERGERAISISTÊNCI SEGURO APP INVEST MANUAL DO PRODUTO GERGERAISISTÊNCI SEGURO APP INVEST A MANUAL DO PRODUTO SEGURO DE ACIDENTES PESSOAIS DE PASSAGEIROS E/OU TRIPULANTE (APP) INVEST O presente Manual d Prdut cntém: SEGURO APP INVEST 1. VANTAGENS

Leia mais

MIT Kerberos V5 Diogo Dias João Soares

MIT Kerberos V5 Diogo Dias João Soares MIT Kerbers V5 Dig Dias Jã Sares Objectiv Case Study de uma pssível utilizaçã d Kerbers Verificaçã das ferramentas existentes Estad da tecnlgia (nmeadamente, Open Surce) Alguma aplicaçã na rede FEUPNET

Leia mais