Atividade prática: Criando e rodando um programa assembly

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Atividade prática: Criando e rodando um programa assembly"

Transcrição

1 Atividade prática: Criando e rodando um programa assembly Fluxogramas (ou diagramas de fluxo): Descrevem algoritmos (idéias) quanto à sequência de operações realizadas. Ajudam a estruturar a solução de um problema passo-a-passo. Símbolo Função INICIO FIM Início ou fim Caminho XXXxxx Execução de atividade SIM Yy? NÃO Teste ou decisão Página 1 de 8

2 Exemplo 1: Configurar um computador para receber uma senha numérica, compará-la com uma senha verdadeira e, se forem iguais, permitir o acesso a uma porta. Inicio Ler uma senha a partr do teclado N Senha OK? S Exibir uma mensagem de erro Destravar a porta Fim Página 2 de 8

3 Exemplo 2: Modificar o exemplo anterior para permitir 3 tentativas. Se após 3 tentativas a senha não estiver correta, travar o sistema por 1 hora. Inicio Ler uma senha a partr do teclado N Senha OK? S Exibir uma mensagem de erro Destravar a porta Fim Página 3 de 8

4 A especificação do programa ECO DO TECLADO NA TELA: - iniciar - apresentar um prompt ao usuário - ler um caracter do teclado - exibir o caracter lido na próxima linha da tela do monitor - terminar O fluxograma: Início Apresentar um prompt Ler um caracter do teclado Mudar de linha Exibir caracter lido Fim Página 4 de 8

5 O programa ECO completo: TITLE PROGRAMA DE ECO DO TECLADO NA TELA.MODEL SMALL.STACK 100h.CODE MAIN PROC apresentacao do prompt? MOV AH,2 funcao DOS para exibir caracter MOV DL,? caracter? exibir entrada do caracter pelo teclado MOV AH,1 funcao DOS para leitura de caracter caracter e lido em AL MOV BL,AL salvando-o temporariamente em BL movendo de linha MOV AH,2 funcao DOS para exibir caracter MOV DL,0Dh caracter ASCII <CR> - return executando MOV DL,0Ah caracter ASCII <LF> - line feed executando exibindo na tela o caracter lido: efeito de ECO MOV DL,BL recuperando o caracter salvo exibir retorno ao DOS MOV AH,4Ch funcao DOS para saida saindo MAIN ENDP END MAIN Página 5 de 8

6 Explicando as partes: a) O programa inicia sua operação ao ser lançado pelo DOS. b) O usuário é estimulado a interagir pela apresentação de um? : MOV AH,2 MOV DL,'?' funcao DOS para exibir caracter caracter '?' exibir c) Lendo o caracter teclado pelo usuário e salvando-o em num registrador: MOV AH,1 MOV BL,AL funcao DOS para leitura de caracter caracter e' lido em AL salvando-o em BL d) Movendo o cursor da tela para o início da próxima linha: MOV AH,2 MOV DL,0Dh MOV DL,0Ah funcao DOS para exibir caracter caracter ASCII <CR> - return executando caracter ASCII <LF> - line feed executando e) Recuperando o caracter lido e exibindo-o: MOV DL,BL recuperando o caracter salvo exibir f) O programa termina devolvendo controle ao DOS: MOV AH,4Ch funcao DOS para saida saindo Página 6 de 8

7 TECLADO O que ocorre no computador Registrador que especifica a função de entrada ou 4Ch 2 1 AH 2 BH AL K BL Registrador que recebe caracter digitado no teclado Registrador temporário CPU K CH CL Unidade de Controle (executa o programa) DH DL? 0Dh 0Ah K Registrador de saída para o monitor MONITOR Memória (armazena programa e dados) Página 7 de 8

8 Como obter o programa ECO.EXE executável. 1. Edite o program ECO utilizando um editor de texto simples, com saída em texto ASCII. Sugestão: use o EDIT do DOS ou o Bloco de Notas (NOTEPAD) do Windows. Sugere-se que o arquivo (texto ASCII) tenha a extensão.asm C:\ > EDIT ECO.ASM <enter> 2. Rode o programa Montador TASM (Borland). Como resultado, aparece em seu diretório de trabalho um arquivo ECO.OBJ C:\ > TASM ECO. ASM <enter> 3. Rode o programa Lincador TLINK. Como resultado, aparece em seu diretório de trabalho um arquivo ECO.EXE. C:\ > TLINK ECO.OBJ <enter> 4. Rode o programa ECO.EXE, respondendo ao? com uma letra K, por exemplo. C:\ > ECO.EXE <enter>?k <- letra K digitada pelo usuário K <- eco da letra K aparece na tela C:\ > <- note que o controle retorna ao DOS Tente com outras letras ou procure modificar o programa para obter outros efeitos com caracteres digitados no teclado. Página 8 de 8

Atividade prática: Rodando o programa SOMA

Atividade prática: Rodando o programa SOMA Atividade prática: Rodando o programa SOMA Representação de caracteres ASCII: Letras e pontuação não são representáveis diretamente em computadores e circuitos lógicos. Utiliza-se alguns códigos binários

Leia mais

Aula Prática 1 Introdução à programação Assembly no DOS usando TASM Bruno Silva bs@cin.ufpe.br lauro Moura lauromoura@gmail.com

Aula Prática 1 Introdução à programação Assembly no DOS usando TASM Bruno Silva bs@cin.ufpe.br lauro Moura lauromoura@gmail.com Interface Hardware Software Aula Prática 1 Introdução à programação Assembly no DOS usando TASM Bruno Silva bs@cin.ufpe.br lauro Moura lauromoura@gmail.com Conteúdo Visão geral do processo TASM / TLINK

Leia mais

Ferramentas Programação. UDESC - Prof. Juliano Maia 1

Ferramentas Programação. UDESC - Prof. Juliano Maia 1 Ferramentas Programação UDESC - Prof. Juliano Maia 1 Índice Seção 1 Linguagens de Programação Seção 2 Interpretador Seção 3 Compilador / Linkeditor Seção 4 Ambientes de Desenvolvimento UDESC - Prof. Juliano

Leia mais

CURSO BÁSICO DE PROGRAMAÇÃO AULA 16. Manipulação de arquivos.

CURSO BÁSICO DE PROGRAMAÇÃO AULA 16. Manipulação de arquivos. CURSO BÁSICO DE PROGRAMAÇÃO AULA 16 Manipulação de arquivos. Retrospectiva Estrutura: Coleção de campos que podem ser referenciados pelo mesmo nome. A estrutura permite que informações relacionadas mantenham-se

Leia mais

Programando em Assembly

Programando em Assembly Programando em Assembly (Aula 16) Linguagem Assembly do 8086/8088 Roberta Lima Gomes - LPRM/DI/UFES Sistemas de Programação I Eng. Elétrica 2007/2 Introdução Para construirmos os programas em Assembly,

Leia mais

Trabalho de Programação 2 Processador CESAR

Trabalho de Programação 2 Processador CESAR Trabalho de Programação 2 Processador CESAR 1. Descrição Geral A empresa TABLETEROS S.A. assinou um contrato milionário de fornecimento de ultrabooks e teve que aumentar o número de estantes. Agora, a

Leia mais

Exercícios Repetição. 8.3 Exercícios

Exercícios Repetição. 8.3 Exercícios Curso de Graduação em Ciência da Computação Disciplina: Algoritmos Professor: Marcelo Cendron Exercícios Repetição 8.3 Exercícios 1. Faça um programa utilizando o comando while, que fica lendo números

Leia mais

Exercícios Repetição

Exercícios Repetição Curso de Engenharia de Controle e Automação Disciplina: Informática para a Automação Professor: Marcelo Cendron Exercícios Repetição 1.1 8.3 Exercícios 1. Faça um programa utilizando o comando while, que

Leia mais

LISTA DE ATIVIDADES ...

LISTA DE ATIVIDADES ... LISTA DE ATIVIDADES - Apresentar os quadrados dos números inteiros de 0 a 50. 2- Apresentar o resultado de uma tabuada de um número qualquer. 3- Elaborar um diagrama que apresente o somatório dos valores

Leia mais

LABORATÓRIO DE LINGUAGEM DE MONTAGEM. MACROS e GERENCIAMENTO DE MEMÓRIA

LABORATÓRIO DE LINGUAGEM DE MONTAGEM. MACROS e GERENCIAMENTO DE MEMÓRIA LABORATÓRIO DE LINGUAGEM DE MONTAGEM MACRO: MACROS e GERENCIAMENTO DE MEMÓRIA Capítulos 13 e 14 do livro-texto, págs. 257 a 308 é um bloco de texto que recebe um nome especial consiste de instruções, diretivas,

Leia mais

Laboratório de Sistemas Processadores e Periféricos

Laboratório de Sistemas Processadores e Periféricos Laboratório de Sistemas Processadores e Periféricos Sistema de Interrupções do 8086 Prática 11 Gustavo G. Parma Assunto: sistema de interrupcões do 8086. Interrupções do DOS Objetivos: Apresentação do

Leia mais

PROTOCOLO DE COMUNICAÇÃO PARA LMI-FCPU IBRACON (IMM)

PROTOCOLO DE COMUNICAÇÃO PARA LMI-FCPU IBRACON (IMM) PROTOCOLO DE COMUNICAÇÃO PARA LMI-FCPU IBRACON (IMM) O LMI-FCPU permite seis tipos de mensagem via rede de dados RS 485 configurada como 1200/9600 baud, sem paridade e 8 bits mais um start bit (1200,N,8,1)/(9600,N,8,1),

Leia mais

Linguagem de Programação

Linguagem de Programação Linguagem de Programação aula 4 Engenharia Elétrica e Engenharia de Automação Introdução à Computação 1.o sem/2013 Profa Suely (e-mail: smaoki@yahoo.com) Programas Programas são seqüências de instruções

Leia mais

Tratamento de Caracteres

Tratamento de Caracteres Tratamento de Caracteres Notas de Aula Prof. Francisco Rapchan www.geocities.com/chicorapchan A tabela ASCII Se os computadores manipulam apenas números, como eles podem armazenar os caracteres de um nome

Leia mais

408 - Windows XP Plano de Aula - 16 Aulas (Aulas de 1 Hora)

408 - Windows XP Plano de Aula - 16 Aulas (Aulas de 1 Hora) 408 - Windows XP Plano de Aula - 16 Aulas (Aulas de 1 Hora) Aula 1 Capítulo 1 - Introdução ao Windows XP 1.1. O Ambiente de Trabalho... 11 1.1.1. A Barra de Tarefas...... 11 1.1.2. O Menu Iniciar... 11

Leia mais

Aula 6. Conceitos Fundamentais ) Byte / Nible / Word / Double Word / Quad Word

Aula 6. Conceitos Fundamentais ) Byte / Nible / Word / Double Word / Quad Word Aula 6 Conceitos Fundamentais 8086 1) Byte / Nible / Word / Double Word / Quad Word Word Valores inteiros e deslocamentos de segmento Double Word Valores inteiros de 32 bits, valores ponto flutuante de

Leia mais

No Windows há basicamente dois tipos de programas de usuário:

No Windows há basicamente dois tipos de programas de usuário: Introdução O que vem a ser um programa em C? Você talvez já tenha ouvido falar que um compilador é um programa ou ferramenta que transforma um programa fonte escrito em uma linguagem de programação de

Leia mais

INT 5h - Print screen Modo Resolução Caract. INT 10h - Vídeo INT 10h - Vídeo

INT 5h - Print screen Modo Resolução Caract. INT 10h - Vídeo INT 10h - Vídeo BIOS Basic Input/Output System BIOS e System Calls Prof. Eduardo Tavares eagt@cin.ufpe.br Primeira instrução a ser executada (0xFFFF0-0xFFFFF) Configuração inicial do sistema Inicialização do boot loader

Leia mais

Transferência de Arquivo: Protocolo FTP

Transferência de Arquivo: Protocolo FTP Para iniciar uma sessão FTP (File Transfer Protocol) típica e acessar uma conta, o usuário deve fornecer uma identificação e uma senha; Após a identificação o usuário pode realizar operações de transferência

Leia mais

Fundamentos de Programação. Turma CI-240-EST. Josiney de Souza.

Fundamentos de Programação. Turma CI-240-EST. Josiney de Souza. Fundamentos de Programação Turma CI-240-EST Josiney de Souza josineys@inf.ufpr.br Agenda do Dia Aula 3 (12/08/15) Saídas Entradas Operadores Atribuição Aritméticos Expressões Aritméticas Saída Permite

Leia mais

UFRJ IM - DCC. Sistemas Operacionais I. Unidade IV Gerência de Recursos Entrada e Saída. 02/12/2014 Prof. Valeria M. Bastos

UFRJ IM - DCC. Sistemas Operacionais I. Unidade IV Gerência de Recursos Entrada e Saída. 02/12/2014 Prof. Valeria M. Bastos UFRJ IM - DCC Sistemas Operacionais I Unidade IV Gerência de Recursos Entrada e Saída 02/12/2014 Prof. Valeria M. Bastos 1 ORGANIZAÇÃO DA UNIDADE Gerência de Entrada e Saída Fundamentos Evolução Estrutura

Leia mais

Manual Webmail GUIA GERAL UNIVERSIDADE TECNOLÓGIA FEDERAL DO PARANÁ DIRETORIA DE GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - DIRGTI 2015

Manual Webmail GUIA GERAL UNIVERSIDADE TECNOLÓGIA FEDERAL DO PARANÁ DIRETORIA DE GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - DIRGTI 2015 2015 Manual Webmail GUIA GERAL UNIVERSIDADE TECNOLÓGIA FEDERAL DO PARANÁ DIRETORIA DE GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - DIRGTI 2015 2 Sumário 1 Acessando o Correio Eletrônico... 4 1.1 Cota de e-mail...

Leia mais

Professor: M. Sc. Cristiano Mariotti

Professor: M. Sc. Cristiano Mariotti Professor: M. Sc. Cristiano Mariotti http://www.mscmariotti.pro.br As informações processadas nos computadores são compostas por caracteres, sendo que cada caractere, representado por 0 ou 1, é chamado

Leia mais

8. Instruções de multiplicação e divisão

8. Instruções de multiplicação e divisão Cap8.1 8. Instruções de multiplicação e divisão 8.1 Instruções de multiplicação MUL fonte IMUL fonte MUL (multiply) -> usada com números em representação não-sinalizada IMUL (integer multiply) -> usada

Leia mais

LABORATÓRIO DE LINGUAGEM DE MONTAGEM INTERRUPÇÕES DO DOS E DA BIOS

LABORATÓRIO DE LINGUAGEM DE MONTAGEM INTERRUPÇÕES DO DOS E DA BIOS LABORATÓRIO DE LINGUAGEM DE MONTAGEM INTERRUPÇÕES DO DOS E DA BIOS Capítulo 15 do livro-texto, págs. 309 a 330 Impressora Scanner Monitor Flop Disk Modem Floppy drive "CPU" HD CD ROM Teclado Mouse Dispositivos

Leia mais

Figura 1: Operações para gerar um programa executável.

Figura 1: Operações para gerar um programa executável. Uma jornada de mil milhas começa sempre com um simples passo. Lao Tse. PRIMEIROS PASSOS Para poder construir programas em C é necessário utilizar um ambiente de desenvolvimento. Por ambiente de desenvolvimento

Leia mais

CMD. Prompt de comando do Win 10. Professor Jorge Maestre Carvalho

CMD. Prompt de comando do Win 10. Professor Jorge Maestre Carvalho CMD Prompt de comando do Win 10 Professor Jorge Maestre Carvalho Tela Iniciando A partir do Windows ME o DOS foi substituído por um emulador do DOS. Para entrar no programa, vá em Iniciar -> Executar.

Leia mais

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PARA ENGENHARIA INTRODUÇÃO À LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PARTE II. Prof. Dr. Daniel Caetano

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PARA ENGENHARIA INTRODUÇÃO À LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PARTE II. Prof. Dr. Daniel Caetano LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PARA ENGENHARIA INTRODUÇÃO À LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PARTE II Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 Material de Estudo Material Notas de Aula Apresentação Material Didático Acesso ao Material

Leia mais

EXERC EXAME DISCIPLINA: ALG ESTRUTURA DE DADOS I

EXERC EXAME DISCIPLINA: ALG ESTRUTURA DE DADOS I EXERC EXAME DISCIPLINA: ALG ESTRUTURA DE DADOS I CURSO: ENG CIVIL PROFESSOR: ANDRÉ LUÍS DUARTE PERÍODO 1º BIMESTRE 1 1) Identifique as afirmações como verdadeira (V) ou falsa (F): a) Existem três tipos

Leia mais

Solucionando a Perda de Registro do MakeMoney 10

Solucionando a Perda de Registro do MakeMoney 10 Solucionando a Perda de Registro do MakeMoney 10 Como se manifesta: O cliente faz o registro e recebe uma mensagem confirmando que a operação foi executada com sucesso: Todavia, logo em seguida recebe

Leia mais

EAD CR CAMPEIRO 7 Instruções Básicas de Instalação do

EAD CR CAMPEIRO 7 Instruções Básicas de Instalação do EAD CR CAMPEIRO 7 Instruções Básicas de Instalação do Sistema CR Campeiro Prof. Dr. Enio Giotto Departamento de Engenharia Rural Centro de Ciências Rurais Universidade Federal de Santa Maria Instalação:

Leia mais

Faculdade de Estudos Avançados do Pará Disciplina: Algoritmos Professor: Armando Hage Algoritmos- continuação

Faculdade de Estudos Avançados do Pará Disciplina: Algoritmos Professor: Armando Hage Algoritmos- continuação Faculdade de Estudos Avançados do Pará Disciplina: Algoritmos Professor: Armando Hage Algoritmos- continuação Situação Problema Cálculos Decisão Verdadeiro Falso Diagrama de Bloco O diagrama de bloco é

Leia mais

Fluxograma Pseudocódigo Estruturas de decisão. Professor Leandro Augusto Frata Fernandes

Fluxograma Pseudocódigo Estruturas de decisão. Professor Leandro Augusto Frata Fernandes Programação de Computadores III Aula 4 Professor Leandro Augusto Frata Fernandes laffernandes@ic.uff.br Material disponível em http://www.ic.uff.br/~laffernandes/teaching/2011.1/tcc-03.063 Roteiro da Aula

Leia mais

ITENS FUNDAMENTAIS Programando em C++

ITENS FUNDAMENTAIS Programando em C++ INFORMÁTICA E COMPUTAÇÃO - CMP 1060 AULA 3 ITENS FUNDAMENTAIS Programando em C++ 1. Constantes São valores que são mantidos fixos pelo compilador. Tipo de Dado Exemplos de Constantes char b \n \0 int 2

Leia mais

Programação de Computadores IV. Introdução a Linguagens de Programação Simone Martins SLIDES CEDIDOS POR BRUNO MARQUES 1

Programação de Computadores IV. Introdução a Linguagens de Programação Simone Martins SLIDES CEDIDOS POR BRUNO MARQUES 1 Programação de Computadores IV Introdução a Linguagens de Programação Simone Martins simone@ic.uff.br SLIDES CEDIDOS POR BRUNO MARQUES 1 Arquitetura de programação 2 O Que é um Dado? Dado é o elemento

Leia mais

Linguagens de Programação. Programação Funcional e Haskell Programação Interativa Thiago Alves

Linguagens de Programação. Programação Funcional e Haskell Programação Interativa Thiago Alves Linguagens de Programação Programação Funcional e Haskell Programação Interativa Thiago Alves 1 Introdução Vimos como Haskell pode ser usado para escrever programas batch que recebem todas suas entradas

Leia mais

Classes o Objetos. Classes, objetos, métodos e variáveis de instância

Classes o Objetos. Classes, objetos, métodos e variáveis de instância Classes o Objetos Um recurso comum de cada aplicativo feito até agora é que todas as instruções que realizavam tarefas localizavam-se no método main. Se você tornar parte de uma equipe de desenvolvimento

Leia mais

Cerne Tecnologia e Treinamento

Cerne Tecnologia e Treinamento Cerne Tecnologia e Treinamento Tutorial de Instalação da Placa X-Control I E-mail: Sumário Configurando o PC 3 Conectando a Placa 6 Conectores e Pinagem da Placa 7 Comandos para comunicação 13 2 Obs: A

Leia mais

Computação Eletrônica

Computação Eletrônica Computação Eletrônica Pascal e compiladores O Computador Memória RAM Nota: Por causa de algumas animações, veja todos slides em tela cheia (pressione F5) Dispositivo de Entrada (teclado) Unidade de Processamento

Leia mais

Sistemas Operacionais e Introdução à Programação. Redirecionamentos Editor vi

Sistemas Operacionais e Introdução à Programação. Redirecionamentos Editor vi Sistemas Operacionais e Introdução à Programação Redirecionamentos Editor vi 1 Objetivos: 1. Exercitar o uso de redirecionamentos de entrada e saída padrão 2. Usar o editor de texto vi 2 Entrada e saída

Leia mais

Disciplina de Algoritmos e Programação

Disciplina de Algoritmos e Programação Disciplina de Algoritmos e Programação Aula Passada Prática com declaração e inicialização de variáveis Capacidade de representação (estouro de representação) Tamanho ocupado pela variável na memória (comando

Leia mais

Aula 9: Shell Script

Aula 9: Shell Script FIC Configuração de Redes de Computadores Linux 23/05/2017 Aula 9: Shell Script Professor: Emerson Ribeiro de Mello http://docente.ifsc.edu.br/mello 1 O interpretador de comandos O shell consiste em um

Leia mais

PROGRAMAÇÃO I E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S

PROGRAMAÇÃO I E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S PROGRAMAÇÃO I VA R I Á V E I S, C O N S TA N T E S, O P E R A D O R E S E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S Variáveis 2 Variáveis são locais onde são armazenados os valores na memória. Toda variável é

Leia mais

Existem três formas básicas de efectuar operações de entrada/saída:

Existem três formas básicas de efectuar operações de entrada/saída: Unidades de I/O Interface Entrada/Saída Existem três formas básicas de efectuar operações de entrada/saída entrada/saída isoladaas instruções IN e OUT transferem dados entre o registo AX ou a memória e

Leia mais

MC404 - Organização de Computadores. e Linguagem de Montagem Instituto de Computação. Universidade Estadual de Campinas

MC404 - Organização de Computadores. e Linguagem de Montagem Instituto de Computação. Universidade Estadual de Campinas MC404 - Organização de Computadores Lab. e Linguagem de Montagem Instituto de Computação 01 Universidade Estadual de Campinas 1 Objetivo O objetivo deste laboratório é fazer com que o aluno se familiarize

Leia mais

Projeto de Algoritmos

Projeto de Algoritmos Projeto de Algoritmos Introdução aos Sistemas Computacionais Prof. Ernani Viriato de Melo / Reginaldo Costa http://www.ernani.eti.br http://reginaldofazu.blogspot.com 2º Semestre - 2008 Conceitos Básicos

Leia mais

COMO: Impedir usuários de executar programas específicos do Windows no Windows 2000

COMO: Impedir usuários de executar programas específicos do Windows no Windows 2000 COMO: Impedir usuários de executar programas específicos do Windo... http://support.microsoft.com/kb/323525/pt-br 1 de 1 12-04-2012 10:52 ID do artigo: 323525 - Última revisão: segunda-feira, 30 de outubro

Leia mais

Ambiente de desenvolvimento

Ambiente de desenvolvimento Linguagem C Ambiente de desenvolvimento Um programa em C passa por seis fases até a execução: 1) Edição 2) Pré-processamento 3) Compilação 4) Linking 5) Carregamento 6) Execução Etapa 1: Criação do programa

Leia mais

Algoritmos e Programação de Computadores Profs: Ronaldo Castro de Oliveira Anilton Joaquim da Silva

Algoritmos e Programação de Computadores Profs: Ronaldo Castro de Oliveira Anilton Joaquim da Silva Algoritmos e Programação de Computadores Profs: Ronaldo Castro de Oliveira ronaldo.co@ufu.br Anilton Joaquim da Silva anilton@ufu.br 1 A linguagem C++ A linguagem C foi desenvolvida no fim da década de

Leia mais

Fábio Rodrigues / Israel Lucania

Fábio Rodrigues / Israel Lucania Fábio Rodrigues / Israel Lucania Variável é um local na memória principal, isto é, um endereço que armazena um conteúdo. Em linguagem de alto nível nos é permitido dar nomes a esse endereço, facilitando

Leia mais

algoritmo "exercício 5" var x, y, aux: inteiro inicio escreva ("Entre com um valor inteiro p/ variável x: ") leia (x) escreva ("Entre com um valor

algoritmo exercício 5 var x, y, aux: inteiro inicio escreva (Entre com um valor inteiro p/ variável x: ) leia (x) escreva (Entre com um valor algoritmo "exercício 5" var x, y, aux: inteiro inicio escreva ("Entre com um valor inteiro p/ variável x: ") leia (x) escreva ("Entre com um valor inteiro p/ variável y: ") leia (y) aux

Leia mais

Computação remota interativa

Computação remota interativa Computação remota interativa Protocolos como o TCP permitem o uso interativo de máquinas remotas EXEMPLO: Servidor que permite a edição remota de texto O cliente estabelece uma conexão TCP com o servidor,

Leia mais

Computação 1 - Python Aula 11 - Teórica. programa principal. João Carlos, Carla Delgado, Ana Luisa Duboc 1/ 29

Computação 1 - Python Aula 11 - Teórica. programa principal. João Carlos, Carla Delgado, Ana Luisa Duboc 1/ 29 Computação 1 - Python Aula 11 - Teórica Interação com o usuário e programa principal 1/ 29 print: Usado para imprimir informações na tela. >>> print "Qual o seu nome?" Qual o seu nome? # Função que soma

Leia mais

Informática básica. Professor: Francisco Ary

Informática básica. Professor: Francisco Ary Informática básica Professor: Francisco Ary O que vimos na ultima aula: O que é informática? O que é um computador? Evolução; Computadores eletrônicos: Válvulas; Transistor; Circuito integrado;e Microprocessador;

Leia mais

Programação de Computadores Profa Jacqueline 1

Programação de Computadores Profa Jacqueline 1 Programação de Computadores Profa Jacqueline 1 REVISÃO Construção de Algoritmos Estruturas de Controle Objetivo: Abordar as técnicas para entrada e saída de dados e as estruturas para controle do fluxo

Leia mais

Vejamos agora as ferramentas mais utilizadas para criação de imagens:

Vejamos agora as ferramentas mais utilizadas para criação de imagens: Vejamos agora as ferramentas mais utilizadas para criação de imagens: Lápis: Apenas mantenha pressionado o botão do mouse sobre a área em branco, e arraste para desenhar. Pincel: Tem a mesma função do

Leia mais

Utilitário de configuração

Utilitário de configuração Utilitário de configuração Guia do Usuário Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Microsoft é uma marca registrada da Microsoft Corporation nos Estados Unidos. As informações contidas

Leia mais

OTermo Assembly significa montagem, ou seja, linguagem

OTermo Assembly significa montagem, ou seja, linguagem Linguagem Assembly Roteiro N o 01 Fundação Universidade Federal de Rondônia, Núcleo de Ciência e Tecnologia, Departamento de Engenharia - DEE Curso de Bacharelado em Engenharia Elétrica - Disciplina de

Leia mais

MESTRADO EM MACROECONOMIA e FINANÇAS Disciplina de Computação. Aula 01. Prof. Dr. Marco Antonio Leonel Caetano

MESTRADO EM MACROECONOMIA e FINANÇAS Disciplina de Computação. Aula 01. Prof. Dr. Marco Antonio Leonel Caetano MESTRADO EM MACROECONOMIA e FINANÇAS Disciplina de Computação Aula 01 Prof. Dr. Marco Antonio Leonel Caetano 1 Critérios de Avaliação da Disciplina Composição do Curso - 08 aulas de programação ( prof.

Leia mais

Capítulo 10. MATRIZES

Capítulo 10. MATRIZES Capítulo 10. MATRIZES OBJETIVOS DO CAPÍTULO Conceitos de: conjunto multidimensional (matriz), ciclo implícito, ciclo duplo Comandos do FORTRAN: DIMENSION(:,:), MATMUL 10.1 programa10a.f90 Para inicializar

Leia mais

Linguagem C: Introdução

Linguagem C: Introdução Linguagem C: Introdução Linguagem C É uma Linguagem de programação genérica que é utilizada para a criação de programas diversos como: Processadores de texto Planilhas eletrônicas Sistemas operacionais

Leia mais

Como ativar o logon automático no Windows XP

Como ativar o logon automático no Windows XP Como ativar o logon automático no Windows XP http://support.microsoft.com/kb/315231/pt-br 1 de 2 24-11-2011 12:57 ID do artigo: 315231 - Última revisão: sexta-feira, 29 de outubro de 2010 - Revisão: 2.0

Leia mais

FONTE DE ALIMENTAÇÃO DC PROGRAMÁVEL ITAE-8000

FONTE DE ALIMENTAÇÃO DC PROGRAMÁVEL ITAE-8000 FONTE DE ALIMENTAÇÃO DC PROGRAMÁVEL ITAE-8000 Por favor, leia este manual cuidadosamente para evitar lesões ou perda de vida e também para prevenir danos ao aparelho. Terminal Terra Este aparelho passou

Leia mais

Informática. Backup do Windows. Professor Márcio Hunecke.

Informática. Backup do Windows. Professor Márcio Hunecke. Informática Backup do Windows Professor Márcio Hunecke www.acasadoconcurseiro.com.br Informática BACKUP DO WINDOWS Para ajudar a assegurar que você não perderá os arquivos, você deverá fazer o backup

Leia mais

Classificação das linguagens de programação

Classificação das linguagens de programação Introdução Linguagem É um meio de comunicação entre pessoas. Faculdade de expressão audível e articulada do homem. Conjunto de sinais falados, escritos ou gesticulados de que se serve o homem para demonstrar

Leia mais

Universidade Federal de Minas Gerais. Sistemas Operacionais. Aula 19. Sistema de Entrada/Saída

Universidade Federal de Minas Gerais. Sistemas Operacionais. Aula 19. Sistema de Entrada/Saída Aula 19 Sistema de Entrada/Saída Sistema de E/S Por que estudar? Essenciais! Muitos tipos: - mouse - discos - impressora - scanner - rede - modem Cada fabricante complica de um jeito diferente. Tempos

Leia mais

Aula 2 - Programação de Computadores - CI208 1/21

Aula 2 - Programação de Computadores - CI208 1/21 Aula 2 - Programação de Computadores - CI208 Professor: Leonardo Gomes leonardog@inf.ufpr.br Universidade Federal do Paraná Brazil 2016 - Segundo semestre Aula 2 - Programação de Computadores - CI208 1/21

Leia mais

Linguagem de Programação

Linguagem de Programação Linguagem de Programação Aula 2 Introdução Universidade Federal de Santa Maria Colégio Agrícola de Frederico Westphalen Curso Técnico em Informática Prof. Bruno B. Boniati www.cafw.ufsm.br/~bruno O que

Leia mais

Introdução a Programação de Jogos

Introdução a Programação de Jogos Introdução a Programação de Jogos Aula 03 Introdução a Linguagem C Edirlei Soares de Lima Estrutura de um Programa C Inclusão de bibliotecas auxiliares: #include Definição

Leia mais

Exercícios: Arquivos

Exercícios: Arquivos Universidade Federal de Uberlândia - UFU Faculdade de Computação - FACOM Lista de exercícios de programação em linguagem C Exercícios: Arquivos 1. Codifique, compile e execute um programa que: (a) crie/abra

Leia mais

Estrutura de um Algoritmo, Variáveis, Comandos de Entrada e Saída e Expressões Aritméticas

Estrutura de um Algoritmo, Variáveis, Comandos de Entrada e Saída e Expressões Aritméticas Estrutura de um Algoritmo, Variáveis, Comandos de Entrada e Saída e Expressões Aritméticas Estrutura de um Programa em Linguagem Algorítmica Nesse curso nós vamos utilizar a linguagem algorítmica para

Leia mais

Introdução à Programação de Computadores Fabricação Mecânica

Introdução à Programação de Computadores Fabricação Mecânica Introdução à Programação de Computadores Fabricação Mecânica Edilson Hipolito da Silva edilson.hipolito@ifsc.edu.br - http://www.hipolito.info Aula 06 - Introdução a algoritmos Roteiro Algoritmos Formas

Leia mais

Requisitos do sistema... 3 Produzindo Imagens de Código de Barras... 4 Gerando imagem de código de barras de forma manual... 4 Gerando imagens de

Requisitos do sistema... 3 Produzindo Imagens de Código de Barras... 4 Gerando imagem de código de barras de forma manual... 4 Gerando imagens de Manual do Usuário Requisitos do sistema... 3 Produzindo Imagens de Código de Barras... 4 Gerando imagem de código de barras de forma manual... 4 Gerando imagens de código de barras sequenciais... 7 A Gerando

Leia mais

Arquitetura Von Neumann Dados e instruções são obtidos da mesma forma, simplificando o desenho do microprocessador;

Arquitetura Von Neumann Dados e instruções são obtidos da mesma forma, simplificando o desenho do microprocessador; 1 Microprocessador Um microprocessador é um circuito eletrônico capaz de realizar diversas tarefas conforme os comandos específicos. Para isso ele deve ler esses comandos da memória de programa (ROM) e

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS

SISTEMAS OPERACIONAIS SISTEMAS OPERACIONAIS Introdução a Processos Andreza Leite andreza.leite@univasf.edu.br Plano da Aula 2 Introdução a Processos Threads vs Processos Características dos Processos Estados dos Processos 3

Leia mais

Módulo I. Desejamos boa sorte e bom estudo! Em caso de dúvidas, contate-nos pelo site Atenciosamente Equipe Cursos 24 Horas

Módulo I. Desejamos boa sorte e bom estudo! Em caso de dúvidas, contate-nos pelo site  Atenciosamente Equipe Cursos 24 Horas AutoCad 2D Módulo I Parabéns por participar de um curso dos Cursos 24 Horas. Você está investindo no seu futuro! Esperamos que este seja o começo de um grande sucesso em sua carreira. Desejamos boa sorte

Leia mais

FUNDAMENTOS DE ARQUITETURAS DE COMPUTADORES SISTEMAS DE COMPUTAÇÃO. Cristina Boeres

FUNDAMENTOS DE ARQUITETURAS DE COMPUTADORES SISTEMAS DE COMPUTAÇÃO. Cristina Boeres FUNDAMENTOS DE ARQUITETURAS DE COMPUTADORES SISTEMAS DE COMPUTAÇÃO Cristina Boeres Sistema de Computação! Conjunto de componentes integrados com o objetivo de manipular dados e gerar informações úteis.

Leia mais

INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SISTEMA OPERACIONAL: PROCESSOS E ARQUIVOS PROFESSOR CARLOS MUNIZ

INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SISTEMA OPERACIONAL: PROCESSOS E ARQUIVOS PROFESSOR CARLOS MUNIZ INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA DA PROFESSOR CARLOS MUNIZ O QUE SÃO PROCESSOS Um sistema operacional não executa somente os programa que podemos ver. Imagine que os aplicativos que você roda reúnem diversas instruções

Leia mais

Introdução à Computação II AULA 08 BCC Noturno - EMA896115B

Introdução à Computação II AULA 08 BCC Noturno - EMA896115B Introdução à Computação II AULA 08 BCC Noturno - EMA896115B Prof. Rafael Oliveira olivrap@gmail.com Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho UNESP Rio Claro 2014 (Sem 2) O ambiente de execução

Leia mais

Configurar Thin Client X1 e X1W

Configurar Thin Client X1 e X1W Configurar Thin Client X1 e X1W Vamos mostrar como você pode utilizar os Thin Client s (clientes remotos) X1 e X1W em seu callcenter de forma muito simples. Primeiro Passo: Prepare o Servidor Remoto -

Leia mais

Apostila de Algoritmo e Programação I

Apostila de Algoritmo e Programação I Apostila de Algoritmo e Programação I Prof. Luthiano Venecian Adaptação Prof. Cava Versão: 1.0 SUMÁRIO 1. CONCEITOS BÁSICOS... 3 1.1. FORMAS DE REPRESENTAÇÃO DE ALGORITMOS... 4 1.2. EXERCÍCIOS... 4 1.3.

Leia mais

Noções de algoritmos - Aula 1

Noções de algoritmos - Aula 1 Noções de algoritmos - Aula 1 Departamento de Física UFPel Definição de algoritmo Sequência ordenada e finita de operações para a realização de uma tarefa. Tarefa: Experimento de Física I. Passo 1: Reunir

Leia mais

Algoritmos. Introdução à Computação para a Engenharia Ambiental. Prof. Jó Ueyama

Algoritmos. Introdução à Computação para a Engenharia Ambiental. Prof. Jó Ueyama Algoritmos Introdução à Computação para a Engenharia Ambiental Prof. Jó Ueyama Self-driving cars 2 Algoritmo Computador não tem senso próprio deve receber instruções explícitas (algoritmos) Um algoritmo

Leia mais

Tipos de Dados, Variáveis e Entrada e Saída em C. DCC 120 Laboratório de Programação

Tipos de Dados, Variáveis e Entrada e Saída em C. DCC 120 Laboratório de Programação Tipos de Dados, Variáveis e Entrada e Saída em C DCC 120 Laboratório de Programação Variáveis Uma variável representa um espaço na memória do computador para armazenar um determinado tipo de dado. Em C,

Leia mais

PLANILHA ELETRÔNICA EXCEL

PLANILHA ELETRÔNICA EXCEL 1 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPUS JOÃO CÂMARA PLANILHA ELETRÔNICA EXCEL Nickerson Fonseca Ferreira nickerson.ferreira@ifrn.edu.br Conceitos básicos de

Leia mais

LINGUAGEM C: ARQUIVOS

LINGUAGEM C: ARQUIVOS LINGUAGEM C: ARQUIVOS Prof. André Backes ARQUIVOS Por que usar arquivos? Permitem armazenar grande quantidade de informação; Persistência dos dados (disco); Acesso aos dados poder ser não seqüencial; Acesso

Leia mais

Lógica e Linguagem de Programação Convertendo um algoritmo em pseudocódigo para a linguagem C Professor: Danilo Giacobo

Lógica e Linguagem de Programação Convertendo um algoritmo em pseudocódigo para a linguagem C Professor: Danilo Giacobo Lógica e Linguagem de Programação Convertendo um algoritmo em pseudocódigo para a linguagem C Professor: Danilo Giacobo Este documento explica como transformar um algoritmo escrito na forma pseudocódigo

Leia mais

Manipulação de Streams e arquivos

Manipulação de Streams e arquivos Manipulação de Streams e arquivos Prof. Leandro Tonietto Estruturas de Dados em C++ - Unisinos ltonietto@unisinos.br http://www.inf.unisinos.br/~ltonietto mar-09 Introdução Streams: Área de memória intermediária

Leia mais

Programas Interativos

Programas Interativos Programação Funcional DECOM UFOP 2012-1 Aula prática Capítulo 8 Prof. José Romildo Malaquias Programas Interativos Resumo Nesta aula pretende-se explorar construção de programas interativos usando ações

Leia mais

Unidade II. Organização de Computadores. Prof. Renato Lellis

Unidade II. Organização de Computadores. Prof. Renato Lellis Unidade II Organização de Computadores Prof. Renato Lellis Ciclo de Execução da Instrução 1. Trazer a próxima instrução da memória até o registrador 2. Alterar o contador de programa para indicar a próxima

Leia mais

Fundamentos de Programação. Linguagem C++ Introdução, identificadores, tipos de dados. Prof. Bruno E. G. Gomes IFRN

Fundamentos de Programação. Linguagem C++ Introdução, identificadores, tipos de dados. Prof. Bruno E. G. Gomes IFRN Fundamentos de Programação Linguagem C++ Introdução, identificadores, tipos de dados Prof. Bruno E. G. Gomes IFRN 1 Linguagem de Programação Constituída por símbolos e por regras para combinar esses símbolos

Leia mais

Tutorial Modem. O recurso poderá ser acessado a partir das seguintes telas do sistema:

Tutorial Modem. O recurso poderá ser acessado a partir das seguintes telas do sistema: Tutorial Modem O Que é? O Modem GSM é um equipamento que possui o recurso de utilização de CHIP de celular para envio de SMS (Short Message Service), ou seja, o usuário poderá realizar o envio de promoções,

Leia mais

AGT0001 Algoritmos Aula 01 O Computador

AGT0001 Algoritmos Aula 01 O Computador AGT0001 Algoritmos Aula 01 O Computador Karina Girardi Roggia karina.roggia@udesc.br Departamento de Ciência da Computação Centro de Ciências Tecnológicas Universidade do Estado de Santa Catarina 2016

Leia mais

Data Logger Shellby. Gradual Tecnologia Ltda. Manual Terminal Shellby Gradual Junho/2012 1

Data Logger Shellby. Gradual Tecnologia Ltda. Manual Terminal Shellby Gradual Junho/2012 1 Data Logger Shellby Gradual Tecnologia Ltda. Manual Terminal Shellby Gradual Junho/2012 1 Índice Apresentação... 3 Especificações Técnicas... 3 Características Mecânicas... 4 Funcionamento... 4 Cartão

Leia mais

Manual Converte-MV S_Line

Manual Converte-MV S_Line Sumário 1. Introdução... 2 2. Novo Cliente... 2 2.1. Inserir Dados... 2 2.2. Login... 2 3. Configuração Inicial... 2 3.1 Parâmetros de Conversão... 2 3.1.1. Conversão para o padrão S_Line...3 3.1.2. Responsável

Leia mais

ProdCert Módulo Certificador. Manual de Instalação e configuração

ProdCert Módulo Certificador. Manual de Instalação e configuração Módulo Certificador 29/11/2016 Página 2/9 1. Avisos importantes 1. 32 ou 64 bits? O ProdCert foi desenvolvido para sistemas operacionais Windows 32-bits, mas pode ser instalado e executado em Windows 64-bits

Leia mais

Manual de Operação e Configuração

Manual de Operação e Configuração Manual de Operação e Configuração LEITOR DE CÓDIGO DE BARRAS BIVISON modelo LZ-1000 Sem fio Tecnologia ZigBee Exclusivo alcance de até 100 metros Versão 321 Dezembro de 2011 4 1 Conteúdo Pg 01 Sobre este

Leia mais

14/05/2017. Conceitos de Processos. Conceitos de Processos. Conceito de processo

14/05/2017. Conceitos de Processos. Conceitos de Processos. Conceito de processo Conceito de processo Os computadores executam várias operações ao mesmo tempo. - Compilar um programa; - Enviar um arquivo para a impressora; - Exibir uma página web; - Reproduzir músicas; - Receber mensagens

Leia mais

Processos. Prof. Gustavo Leitão

Processos. Prof. Gustavo Leitão Processos Prof. Gustavo Leitão Campus Natal Central Disciplina Programação para Ambiente de Redes Baseada na Aula do Prof. Ricardo Valentim 5/3/2010 Objetivo da Aula 5/3/2010 PLANO DE AULA Processos Processos:

Leia mais

Linguagens de Programação Classificação

Linguagens de Programação Classificação Classificação Classificação A proximidade que a linguagem de programação tem com a humana determina sua classe (o nível): Linguagem de máquina (primeira geração) Linguagem assembly - de montagem (segunda

Leia mais