COMPORTAMENTO DOS PREÇOS DAS TANGERINAS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COMPORTAMENTO DOS PREÇOS DAS TANGERINAS"

Transcrição

1 COMPORTAMENTO DOS PREÇOS DAS TANGERINAS MARGARETE BOTEON CEPEA/ESALQ-USP 10º DiadaTangerina(10/05)

2 ://cepea.esalq.usp.br/citros

3

4 TANGERINAS 1. Análise da Oferta de Tangerinas em SP 2. Comportamento dos preços 3. Comércio Externo 4. Considerações Gerais

5 OFERTA PAULISTA DE TANGERINAS 2001 x 2006 Todos os dados de produção paulista descritos a seguir são do IEA e a produção municipal foi agregada em 4 regiões: norte, nordeste, sudoeste e sudestes (a mesma utilizada nos trabalhos do PENSA/MarketStratat MarketStratat)

6 Barretos, Catanduva, Fernandópolis, General Salgado, Jales, SJ Rio Preto e Votuporanga. Araraquara, Franca Jaboticabal, Riberão Preto, SãoJoãodaBoa Vista Avaré, Bauru, Botucatu, Dracena, Itapeva, Jaú, Lins, Marília e Ourinhos. Bragança Paulista, Campinas, Itapetininga, Limeira, Mogi Mirim, Piracicaba e Sorocaba

7 PRODUÇÃO DECRESCENTE PONKAN - SP CAIXAS (2001 para 2006): - 20% 12 para 9.6 milhões cx PÉS EM PRODUÇÃO (2001 para 2006): - 20% 5 para 4 milhões de pés Fonte: IEA NOVOS PÉS (2001 para 2006): - 50% 600 mil para 300 mil pés

8 PONKAN - SP NORDESTE 2006/total (NORDESTE) NORTE 2006/total (NORTE) PRODUÇÃO 23% -18% PRODUÇÃO 17% 6% PÉS EM PRODUCAO 17% 0% PÉS NOVOS 12% -72% PÉS EM PRODUCAO 24% -5% PÉS NOVOS 29% -54% SUDESTE 2006/total (SUDESTE) SUDOESTE 2006/total (NORTE) PRODUÇÃO 32% -35% PRODUÇÃO 21% 0% PÉS EM PRODUCAO 21% 4% PÉS NOVOS 20% -18% *distribuição nas principais regiões PÉS EM PRODUCAO 31% -45% PÉS NOVOS 38% -49%

9 PONKAN - SP Pico de Safra MédiaAnual 2.00 Fonte: Cepea MédiaAnual Pico de Safra

10 PONKAN PONKAN - SP Fonte: Cepea

11 MURCOT redução no longo prazo +26% CAIXAS (2001 para 2006): +26% 3,8 para 4,8 milhões cx +27% PÉS EM PRODUÇÃO (2001 para 2006): +27% 1,5 para 1,9 milhões de pés NOVOS PÉS (2001 para 2006): - 24% 340 mil para 260 mil pés Fonte: IEA

12 MURCOT redução no longo prazo NORTE %2006/TOTAL %( ) NORTE NORDESTE %2006/TOTAL %( ) NORDESTE PRODUÇÃO 18% 15% PÉS EM PRODUÇÃO 16% 22% PÉS NOVOS 11% -68% PRODUÇÃO 16% -8% PÉS EM PRODUÇÃO 18% 20% PÉS NOVOS 49% 104% SUDOESTE %2006/TOTAL %( ) SUDOESTE SUDESTE %2006/TOTAL %( ) SUDESTE PRODUÇÃO 39% 25% PÉS EM PRODUÇÃO 36% 14% PÉS NOVOS 24% -53% Fonte: IEA PRODUÇÃO 25% 83% PÉS EM PRODUÇÃO 28% 45% PÉS NOVOS 17% -30%

13 MURCOT VALORIZAÇÃO ANUAL PICO DE PRODUÇÃO MÉDIA ANUAL ,001 2,002 2,003 2,004 2,005 2,006 MÉDIA ANUAL PICO DE PRODUÇÃO Fonte: Cepea

14 OUTRAS MEXERICA/SATSUMA/CRAVO CAIXAS (2001 para 2006): -28% 3,8 para 2,8 milhões cx 28% PÉS EM PRODUÇÃO (2001 para 2006): -31% 1,6 para 1,1 milhões de pés 31% NOVOS PÉS (2001 para 2006): -18% 170 mil para 140 mil pés 18% Fonte: IEA

15 OUTRAS MEXERICA/SATSUMA/CRAVO NORTE %TOTAL %( ) NORTE PRODUÇÃO 8% 19% PÉS PRODUÇÃO 8% -2% PÉS NOVOS 5% -78% NORDESTE %TOTAL %( ) NORDESTE PRODUÇÃO 24% -39% PÉS PRODUÇÃO 24% -32% PÉS NOVOS 9% -57% SUDOESTE %TOTAL %( ) SUDOESTE PRODUÇÃO 13% -20% PÉS PRODUÇÃO 18% -9% PÉS NOVOS 70% 3% SUDESTE %TOTAL %( ) SUDESTE PRODUÇÃO 34% 11% PÉS PRODUÇÃO 31% 8% PÉS NOVOS 14% 59% Fonte: IEA

16 PRINCIPAIS TANGERINAS - SP Ponkan: : 9,6 milhões de caixas Murcot: : 4,8 milhões de caixas Mexerica: : < 1,0 milhão de caixas Satsuma/Cravo Cravo: : 1,8 milhões de caixas Fonte: IEA TOTAL DA PRODUÇÃO: 17 milhões de cx (2006) (- 12% em relação a 2001) ÁRVORES EM PRODUÇÃO: - 15% (2006/01) ÁRVORES NOVAS: - 39% 39%(2006/01)

17 PERSPECTIVAS DE REDUÇÃO DA OFERTA A. preocupação por parte dos produtores com a incidência de pragas e doenças na citricultura; B. menor interesse da indústria de suco em absorver e processar tangerinas a partir de 1999, coincidindo com colheitas recordes. C. Dólar como fator inibidor das exportações. D. Preços atrativos da laranja para indústria/mesa em relação as tangerinas.

18 PERSPECTIVAS DOS PRODUTORES paulistas A OFERTA É MENOR NO FUTURO. DIVISÃO DE EXPECTATIVAS: Uma parcela acha que é difícil trabalhar com este mercado e não creem numa recuperação de mercado. Outros acreditam que numa recuperação e pretendem investir em outras variedades além das tradicionais. A pesquisa AINDA NÃO conseguiu AVALIAR O DIFERENCIAL DE PREÇOS EM RELAÇÃO A OUTRAS VARIEDADES. Fonte: Cepea

19 OUTROS ESTADOS (produção de tangerina em t) 2,001 2,002 2,003 2,004 2,005 Brasil 1,125, ,262, ,304, ,163, ,232, São Paulo 594, , , , , Outros 530, , , , , Outros 47% 52% 50% 47% 56% Principais estados Paraná 204, , , , , Rio Grande do Sul 173, , , , , Minas Gerais 43, , , , , Fonte: IBGE

20 COMÉRCIO GLOBAL PRINCIPAIS TENDÊNCIAS

21 PERSPECTIVAS MUNDIAIS Tangerines, Fresh Country 2001/ /2007 % Production (1000 MT) World 13,372 16,123 21% Exports, Fresh (1000 MT) World 2,017 2,641 31% Fresh Dom. Consumption (1000 MT) World 10,305 12,114 18% For Processing (1000 MT) World 1,190 1,626 37% Fonte: FAS

22 PERSPECTIVAS MUNDIAIS Production (1000 MT) 2001/ /2007 Var% World 13,372 16, % China, Peoples Republic of 6,268 9,000 56% Spain 1,800 2,150 13% Japan 1,527 1,096 7% Outros 3,777 3,877 24% Fonte: FAS

23 PERSPECTIVAS MUNDIAIS Exports, Fresh (1000 MT) 2001/ /2007 Var% World 2,017 2, % Spain 1,262 1,400 53% China, Peoples Republic of % Morocco % Others % Fonte: FAS

24 COMÉRCIO EXTERNO EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS Ano Milhões US$ FOB Mil t US$/kg ( ) -15% -38% 37% 2006 PRINCIPAIS COMPRADORES 30% NAFTA 21% UE 33% ÁSIA Fonte: Secex

25 COMÉRCIO EXTERNO IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS Ano Mil US$ FOB t US$/kg , ( ) 259% 112% 69% 2006 PRINCIPAIS exportadores 30% NAFTA 21% UE 33% ÁSIA Fonte: Secex

26 CONSIDERAÇÕES FINAIS Produtores paulistas investem menos na produção de tangerinas. A oferta deverá reduzir nos próximos anos em SP (principalmente da Ponkan) em função do menor número de árvores. Em média, ao ano, os preços recebidos pelos produtores paulistas devem ser melhores em função da menor oferta da Ponkan.

27 CONSIDERAÇÕES FINAIS Os picos de colheita ainda devem pressionar os valores das tangerinas, especialmente da Ponkan. As oportunidades ainda se concentram na comercialização fora do pico de safra. No caso da ponkan, principalmente antes de maio. A diversificação das variedades ainda tem um efeito pequeno no mercado.

28 Obrigada, Contato:

Cidade de Prova - 01 ADAMANTINA. Cidade de Prova - 02 AMERICANA. Cidade de Prova - 03 ANDRADINA. Cidade de Prova - 04 APIAI

Cidade de Prova - 01 ADAMANTINA. Cidade de Prova - 02 AMERICANA. Cidade de Prova - 03 ANDRADINA. Cidade de Prova - 04 APIAI Cidade de Prova - 01 ADAMANTINA 001-029 - Agente de Organização Escolar - Adamantina 2.195 Total na Cidade 2.195 Cidade de Prova - 02 AMERICANA 001-030 - Agente de Organização Escolar - Americana 1.115

Leia mais

15ª Região Campinas/SP Ano de 2011

15ª Região Campinas/SP Ano de 2011 1ª de Adamantina 895 714 519 1ª de Americana 2.093 2.606 2.217 2ª de Americana 2.113 2.407 2.141 P. Avanç. de Américo Brasiliense 539 668 289 1ª de Amparo 667 776 252 1ª de Andradina 1.605 1.182 1.948

Leia mais

Tabela 1 - Preços da gasolina nos municípios do Estado de São Paulo

Tabela 1 - Preços da gasolina nos municípios do Estado de São Paulo Tabela 1 - Preços da gasolina nos municípios do Estado de São Paulo Nº DE POSTOS PREÇO AO CONSUMIDOR MARGEM DO PREÇO DE VENDA DA DISTRIBUIDORA AMOSTRADOS PREÇO MÉDIO PREÇO MÍNIMO PREÇO MÁXIMO POSTO PREÇO

Leia mais

O Desafio de Unificar o Atendimento ao Cidadão

O Desafio de Unificar o Atendimento ao Cidadão O Desafio de Unificar o Atendimento Julio Semeghini Subsecretaria de Tecnologia e Secretaria de Governo Governo do Estado de São Paulo 11 de agosto 2015 Governo do Estado de São Paulo - Secretaria de Governo

Leia mais

Programa de Educação Tutorial PET Departamento de Estatística-UFSCar

Programa de Educação Tutorial PET Departamento de Estatística-UFSCar UMA AVALIAÇÃO DA TAXA DE CONSUMO DE ENERGIA NO ESTADO DE SÃO PAULO Flavia Da Silva Costa Julia Pettan Victor de Andrade Corder Victor José Sanches de Souza Pedro Ferreira Filho Programa de Educação Tutorial

Leia mais

NORTE PTA. FRANCA ALTA MOGIANA BEBEDOURO BATATAIS PITANGUEIRAS SERTÃOZINHO MONTE ALTO RIBEIRÃO PRETO JABOTICABAL MOCOCA S.

NORTE PTA. FRANCA ALTA MOGIANA BEBEDOURO BATATAIS PITANGUEIRAS SERTÃOZINHO MONTE ALTO RIBEIRÃO PRETO JABOTICABAL MOCOCA S. Presença no Estado de São Paulo VICE- DRACENA ANDRADINA PRESIDENTE PRUDENTE JALES BIRIGUI ADAMANTINA ARAÇATUBA PENÁPOLIS TUPÃ ASSIS FERNANDÓPOLIS VOTUPORANGA MARÍLIA LINS OURINHOS S. JOSÉ DO RIO PRETO

Leia mais

Cadeia Agroindustrial de Citros

Cadeia Agroindustrial de Citros Cadeia Agroindustrial de Citros O impulso da citricultura no Brasil, especialmente em sua principal região produtora São Paulo -, deveu-se à instalação das indústrias de suco de laranja concentrado na

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 740/2016. O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO, por seu ÓRGÃO ESPECIAL, no uso de suas atribuições legais,

RESOLUÇÃO Nº 740/2016. O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO, por seu ÓRGÃO ESPECIAL, no uso de suas atribuições legais, caderno 1 ADMINISTRATIVO Presidente: Paulo Dimas de Bellis Mascaretti Ano IX Edição 2104 São Paulo, quinta-feira, 28 de abril de 2016 www.dje.tjsp.jus.br TRIBUNAL DE JUSTIÇA SEMA - Secretaria da Magistratura

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: FEVEREIRO/2012 CEPEA - SOJA I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Diferenciais de preços 2. Estimativa do valor das alternativas

Leia mais

Onde Estão as Micro e Pequenas Empresas em São Paulo. Observatório das MPEs SEBRAE-SP 2007

Onde Estão as Micro e Pequenas Empresas em São Paulo. Observatório das MPEs SEBRAE-SP 2007 Onde Estão as Micro e Pequenas Empresas em São Paulo Observatório das MPEs SEBRAE-SP 2007 1 Características do estudo OBJETIVO: Elaborar um mapeamento das MPEs no Estado de São Paulo: - por setores e segmentos

Leia mais

Onde Estão as Micro e Pequenas Empresas em São Paulo. Observatório das MPEs SEBRAE-SP 2007

Onde Estão as Micro e Pequenas Empresas em São Paulo. Observatório das MPEs SEBRAE-SP 2007 Onde Estão as Micro e Pequenas Empresas em São Paulo Observatório das MPEs SEBRAE-SP 2007 1 Características do estudo OBJETIVO: Elaborar um mapeamento das MPEs no Estado de São Paulo: - por setores e segmentos

Leia mais

15ª. Região Ano 2014. Resíduo em Dez/2014 1.159 1.310 1.944 2.259 1.901 2.399 965 1.923 813 2.265 297 270 798 890 1.370 1.435 1.202 1.261 1.375 1.

15ª. Região Ano 2014. Resíduo em Dez/2014 1.159 1.310 1.944 2.259 1.901 2.399 965 1.923 813 2.265 297 270 798 890 1.370 1.435 1.202 1.261 1.375 1. 1ª de Adamantina 1ª de Americana 2ª de Americana Américo Brasiliense - Posto Avançado 1ª de Amparo 1ª de Andradina 1ª de Aparecida 1ª de Araçatuba 2ª de Araçatuba 3ª de Araçatuba 1ª de Araraquara 2ª de

Leia mais

MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR INFORMAÇÃO MENSAL

MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR INFORMAÇÃO MENSAL MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR INFORMAÇÃO MENSAL Ano: 20 Mês: Outubro 1. Resumo Global Mercados internacionais de grãos permaneceram voláteis em Outubro. Enquanto os preços do milho, soja e

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO: 1ª, 2ª, 3ª, 4ª e 5ª Fase

CLASSIFICAÇÃO: 1ª, 2ª, 3ª, 4ª e 5ª Fase Fase 1 17º CAMPEONATO ESTADUAL DE FUTEBOL DE CAMPO OAB SP/CAASP - 2016 CLASSIFICAÇÃO: 1ª, 2ª, 3ª, 4ª e 5ª Fase GRUPO A Última atualização : 05/09 às 13 horas 1º ARAÇATUBA \ BIRIGUI \ GUARARAPES \ VALPARAISO

Leia mais

O MERCADO DE SOJA 1. INTRODUÇÃO

O MERCADO DE SOJA 1. INTRODUÇÃO O MERCADO DE SOJA 1. INTRODUÇÃO A cultura da soja apresenta relevante importância para a economia brasileira, sendo responsável por uma significativa parcela na receita cambial do Brasil, destacando-se

Leia mais

ANEXO I - Edital 01/2012 VAGAS PREVISTAS PARA NÍVEL EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE NÍVEL MÉDIO

ANEXO I - Edital 01/2012 VAGAS PREVISTAS PARA NÍVEL EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE NÍVEL MÉDIO ANEXO I - Edital 01/2012 PARA NÍVEL EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE NÍVEL MÉDIO ÁREA DO CURSO Técnico em Administração ADAMANTINA 1 Técnico em Administração ARARAQUARA 1 Técnico em Administração ATIBAIA 4 Técnico

Leia mais

O DEPRN atua em todo o território do Estado por meio de 7 divisões regionais compostas por Equipes Técnicas.

O DEPRN atua em todo o território do Estado por meio de 7 divisões regionais compostas por Equipes Técnicas. ANEXO - Relação das Diretorias e Equipes Técnicas do DEPRN Diretoria Geral Rua Anete Queiroz Lacerda, 80 Vila Gomes, São Paulo - SP CEP 05591-080 Atendimento ao Público: entrada pela Av. Prof. Lucas de

Leia mais

MERCADO DE CAQUI: variedades, estacionalidade e preços

MERCADO DE CAQUI: variedades, estacionalidade e preços MERCADO DE CAQUI: variedades, estacionalidade e preços Waldemar Pires de Camargo Filho 1 Antonio Roger Mazzei 2 Humberto Sebastião Alves 3 1 - INTRODUÇÃO 1 2 3 O caqui Diospyrus kaki, literalmente denominado

Leia mais

Reunião Comitê Dengue. Situação Epidemiológica www.cve.saude.sp.gov.br. Situação Entomológica do Aedes aegypti. no Estado de São Paulo

Reunião Comitê Dengue. Situação Epidemiológica www.cve.saude.sp.gov.br. Situação Entomológica do Aedes aegypti. no Estado de São Paulo Reunião Comitê Dengue Situação Epidemiológica www.cve.saude.sp.gov.br Situação Entomológica do Aedes aegypti no Estado de São Paulo NÚMERO DE CASOS AUTÓCTONES DE DENGUE NO ÚLTIMOS ANOS, ESTADO DE SP 2007-2015*

Leia mais

ANEXO I - Edital 001/2013 Atualizado em 18/02/2013

ANEXO I - Edital 001/2013 Atualizado em 18/02/2013 EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Técnico em Administração ADAMANTINA 2 EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Técnico em Administração ARARAQUARA 1 EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Técnico em Administração ATIBAIA 1 EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Técnico

Leia mais

PRINCIPAIS PRODUTORES DE FRUTAS NO MUNDO

PRINCIPAIS PRODUTORES DE FRUTAS NO MUNDO ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL FRUTICULTURA PANORAMA MUNDIAL As estatísticas da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

Guia da internet 2013

Guia da internet 2013 Guia da internet 2013 Guia da internet 2013 1 2 Guia da internet 2013 Guia da internet 2013 3 Região Metropolitana de São Paulo Cajamar Santana de Parnaíba Carapicuíba Presidente Prudente Embu Teodoro

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ARROZ NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ARROZ NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ARROZ NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

São Paulo Têxtil 2014 Relatório Setorial da Indústria Têxtil e Confecção no Estado de São Paulo

São Paulo Têxtil 2014 Relatório Setorial da Indústria Têxtil e Confecção no Estado de São Paulo apresenta: São Paulo Têxtil 2014 Relatório Setorial da Indústria Têxtil e Confecção no Estado de São Paulo Dezembro de 2014 São Paulo Têxtil Polo Americana e Região Visão da Indústria Têxtil Paulista Principal

Leia mais

MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR INFORMAÇÃO MENSAL

MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR INFORMAÇÃO MENSAL MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR INFORMAÇÃO MENSAL Ano: 20 Mês: Setembro 1. Resumo Global Preços globais dos grãos mantiveram firmes em Setembro, com os preços do trigo atingindo novos picos relativamente

Leia mais

Fecundidade continua em queda em São Paulo

Fecundidade continua em queda em São Paulo Resenha de Estatísticas Vitais do Estado de São Paulo Ano 11 nº 5 Julho 211 Fecundidade continua em queda em São Paulo Em 29, era de 1,7 o número médio de filhos por mulher residente no Estado de São Paulo,

Leia mais

ANEXO I - Edital 004/2012 VAGAS PREVISTAS PARA NÍVEL SUPERIOR

ANEXO I - Edital 004/2012 VAGAS PREVISTAS PARA NÍVEL SUPERIOR ANEXO I - Edital 004/2012 PARA NÍVEL SUPERIOR ÁREA Administração ADAMANTINA 2 2 Administração AMERICANA 5 5 Administração AMPARO 1 1 Administração ANDRADINA 7 7 Administração APARECIDA 1 1 Administração

Leia mais

LOCAIS DE VOTAÇÃO CAPITAL E GRANDE SÃO PAULO. POSTO DE VOTAÇÃO - SEDE DA APESP Rua Líbero Badaró, 377 9º andar conj. 906 Centro Tel.

LOCAIS DE VOTAÇÃO CAPITAL E GRANDE SÃO PAULO. POSTO DE VOTAÇÃO - SEDE DA APESP Rua Líbero Badaró, 377 9º andar conj. 906 Centro Tel. LOCAIS DE VOTAÇÃO CAPITAL E GRANDE SÃO PAULO POSTO DE VOTAÇÃO - SEDE DA APESP Rua Líbero Badaró, 377 9º andar conj. 906 Centro Tel.: (11) 3293-0800 Sede da PR 1 - Procuradoria Regional da Grande São Paulo

Leia mais

MAPEAMENTO DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE CARNE BOVINA

MAPEAMENTO DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE CARNE BOVINA MAPEAMENTO DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE CARNE BOVINA - Objetivos Analisar e mapear as exportações brasileiras de carne bovina. Verificar se o foco atual da nossa política exportadora está atenta às mudanças

Leia mais

TV Câmara / TV Assembleia / TV Senado / TV Câmara Municipal

TV Câmara / TV Assembleia / TV Senado / TV Câmara Municipal TV Câmara / TV Assembleia / TV Senado / TV Câmara Municipal Acordo Câmara / Senado Capitais Em funcionamento: São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Fortaleza, Porto Alegre, Cuiabá, Goiânia, Florianópolis,

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ALGODÃO DEZEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ALGODÃO DEZEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ALGODÃO DEZEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

LEITE E DERIVADOS SETEMBRO / 2014 /2014/2009

LEITE E DERIVADOS SETEMBRO / 2014 /2014/2009 LEITE E DERIVADOS SETEMBRO / 2014 /2014/2009 1. Mercado nacional 1.1 Preços pagos ao produtor Os preços nominais médios brutos 1 pagos ao produtor em setembro, ponderados pela produção, dos sete estados

Leia mais

Quadro I - Produção, Consumo, Comércio e Stock

Quadro I - Produção, Consumo, Comércio e Stock MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR INFORMAÇÃO MENSAL Ano: 20 Mês: Janeiro 1. Resumo Global Os preços internacionais dos grãos e oleaginosas aumentaram fortemente em Dezembro e novamente em Janeiro,

Leia mais

Características do candidato a Empreendedor Individual (MEI) no Brasil. SEBRAE-SP/Planejamento Abril de 2009

Características do candidato a Empreendedor Individual (MEI) no Brasil. SEBRAE-SP/Planejamento Abril de 2009 Características do candidato a Empreendedor Individual (MEI) no Brasil SEBRAE-SP/Planejamento Abril de 2009 1 Metodologia do trabalho Definição de candidato a MEI: Consideramos como proxy de candidato

Leia mais

SECRETARIA DA JUSTIÇA E DA DEFESA DA CIDADANIA FUNDAÇÃO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR Diretoria de Relações Institucionais

SECRETARIA DA JUSTIÇA E DA DEFESA DA CIDADANIA FUNDAÇÃO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR Diretoria de Relações Institucionais OF/FP/DRI/CIRCULAR/74/10 São Paulo, 15 de junho de 2010. Assunto: Relatórios de Atividades de Procons Municipais Dezembro/09 - RETIFICAÇÃO Senhor(a) Coordenador(a), Senhor(a) Representante Regional Reiteramos

Leia mais

Manual de Renovação do Certificado Digital OAB

Manual de Renovação do Certificado Digital OAB 1 Manual de Renovação do Certificado Digital OAB Caro(a) Advogado(a), Renove sua certificação digital OAB antes que complete (três) anos. A renovação do certificado, enquanto não expirado, poderá ser realizada

Leia mais

ANEXO I NÍVEL SUPERIOR

ANEXO I NÍVEL SUPERIOR ÁREA DO CURSO MUNICÍPIO ANEXO I NÍVEL SUPERIOR PARA ESTUDANTES CURSANDO DO 1º AO PENÚLTIMO SEMESTRE DO CURSO VAGAS PREVISTAS SOMENTE PARA ESTUDANTES CURSANDO OS 2 ÚLTIMOS ANOS DO CURSO Administração ADAMANTINA

Leia mais

Repasses mensais do Programa Pró-Santas Casas

Repasses mensais do Programa Pró-Santas Casas Repasses mensais do Programa Pró-Santas Casas GRANDE S. PAULO MOGI DAS CRUZES HOSP N SENHORA APARECIDA SUZANO 175.000,00 2 ARAÇATUBA ANDRADINA 35.000,00 HOSPITAL DE BASE ILHA SOLTEIRA 35.000,00 ARACATUBA

Leia mais

Mogi das Cdr_mogi_das_cruzes 21 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE MOGI DAS CRUZES. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação

Mogi das Cdr_mogi_das_cruzes 21 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE MOGI DAS CRUZES. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação Mogi das Cdr_mogi_das_cruzes 21 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE MOGI DAS CRUZES Informações Econômicas e da Indústria de Última atualização em 16 de dezembro de 2016 A Diretoria Regional do CIESP de Mogi

Leia mais

Projeto do Licenciamento Ambiental Unificado

Projeto do Licenciamento Ambiental Unificado Projeto do Licenciamento Ambiental Unificado Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Estado do Meio Ambiente CETESB - Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental Dr. Fernando Rei - Presidente

Leia mais

LEITE E DERIVADOS NOVEMBRO / 2015

LEITE E DERIVADOS NOVEMBRO / 2015 LEITE E DERIVADOS NOVEMBRO / 2015 1. Mercado nacional 1.1 Preços pagos ao produtor O preço nominal médio bruto 1 pago ao produtor em novembro, média nacional ponderada pela produção dos sete estados pesquisados

Leia mais

PRESIDENTE PRES. Assessoria da Presidência AS. Gabinete da Presidência GP. Consultoria Jurídica CJ. Planejamento Estratégico PE

PRESIDENTE PRES. Assessoria da Presidência AS. Gabinete da Presidência GP. Consultoria Jurídica CJ. Planejamento Estratégico PE PRESIDENTE PRES Assessoria da Presidência AS Ouvidoria OV Gabinete da Presidência GP Secretaria Geral SG Consultoria Jurídica CJ Informática IF Planejamento Estratégico PE Controle Interno CI Superintendência

Leia mais

VALOR DA PRODUÇÃO DE FLORES E PLANTAS ORNAMENTAIS DO ESTADO DE SÃO PAULO, POR REGIÃO, 2003

VALOR DA PRODUÇÃO DE FLORES E PLANTAS ORNAMENTAIS DO ESTADO DE SÃO PAULO, POR REGIÃO, 2003 VALOR DA PRODUÇÃO DE FLORES E PLANTAS ORNAMENTAIS DO ESTADO DE SÃO PAULO, POR REGIÃO, 2003 Ikuyo Kiyuna 1 Paulo José Coelho 2 Denise Viani Caser 3 Malimiria Norico Otani 4 Roberto de Assumpção 5 RESUMO:

Leia mais

SOJA Período: 11 a 15/05/ meses mês semana. Períodos anteriores. Paridade Exportação Centro de Referência Unid Efetivo (1)

SOJA Período: 11 a 15/05/ meses mês semana. Períodos anteriores. Paridade Exportação Centro de Referência Unid Efetivo (1) SOJA Período: 11 a 15/05/2015 Centro de Produção Quadro I - PREÇO PAGO AO PRODUTOR (em R$) Unid Períodos anteriores 12 1 1 meses mês semana Média mercado Semana atual Composto atacado Preço Mínimo SORRISO-MT

Leia mais

PRÊMIO ABF-AFRAS DE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2010 CATEGORIA FRANQUEADOR MASTER

PRÊMIO ABF-AFRAS DE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2010 CATEGORIA FRANQUEADOR MASTER PRÊMIO ABF-AFRAS DE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2010 CATEGORIA FRANQUEADOR MASTER Seus Dados Nome empresa Água Doce Data de fundação 1990 Número de funcionários 28 colaboradores Localização (cidade e estado

Leia mais

ESTRATÉGIA DE CONTROLE PARA O ESTADO

ESTRATÉGIA DE CONTROLE PARA O ESTADO 1º CURSO DE CONTROLE DA RAIVA SILVESTRE (D. rotundus) ) NO BRASIL ESTRATÉGIA DE CONTROLE PARA O ESTADO Med Vet Vladimir de Souza Nogueira Filho Coordenadoria de Defesa Agropecuária ria vnogueira@cda.sp.gov.br

Leia mais

O Panorama da Citricultura no Mundo Paraná 17/02/2011. Christian Lohbauer Presidente da CitrusBR

O Panorama da Citricultura no Mundo Paraná 17/02/2011. Christian Lohbauer Presidente da CitrusBR O Panorama da Citricultura no Mundo Paraná 17/02/2011 Christian Lohbauer Presidente da CitrusBR A CitrusBR Fundada em Junho de 2009 por quatro empresas cuja produção conjunta de suco de laranja corresponde

Leia mais

TRANSPORTE DAS URNAS PARA CENTRAL DE APURAÇÃO: TABELA DE CER/CRR:

TRANSPORTE DAS URNAS PARA CENTRAL DE APURAÇÃO: TABELA DE CER/CRR: RESPONSABILIDADE PELA ORGANIZAÇÃO DO PLEITO ELEITORAL: - A Comissão Eleitoral Estadual informa que o processo eleitoral em cada subsede é de responsabilidade única e exclusiva da Comissão Eleitoral Regional.

Leia mais

INFORMAÇÃO SOBRE O MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR. Perspectivas 2010

INFORMAÇÃO SOBRE O MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR. Perspectivas 2010 Agência Nacional de Segurança Alimentar INFORMAÇÃO SOBRE O MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR Perspectivas 2010 Ano: 2010 Mês: Janeiro 1. Resumo Global As perspectivas para a produção mundial de

Leia mais

REGIÃO - GRANDE SÃO PAULO

REGIÃO - GRANDE SÃO PAULO REGIÃO - SÃO PAULO CENTRO LOCAL: ADJ XAVIER DE TOLEDO 3º ANDAR. ENDEREÇO: R. CEL. XAVIER DE TOLEDO, 290 REPÚBLICA HORÁRIO: 12:00 horas LESTE LOCAL: GERENCIA DO INSS TATUAPÉ. ENDEREÇO: R. EUCLIDES PACHECO

Leia mais

SUCO DE LARANJA NOVEMBRO DE 2016

SUCO DE LARANJA NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SUCO DE LARANJA NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Dezembro de 2010 ETANOL HIDRATADO

RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Dezembro de 2010 ETANOL HIDRATADO CDC - Coordenadoria de Defesa da Concorrência RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Dezembro de 2010 ETANOL HIDRATADO 1. Introdução Neste relatório será analisado o comportamento do mercado de

Leia mais

EXPORTAÇÕES DE AÇÚCAR PARA A CHINA SOBEM 82% EM FEVEREIRO

EXPORTAÇÕES DE AÇÚCAR PARA A CHINA SOBEM 82% EM FEVEREIRO Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Ano XVIII 21/março/2016 n. 617 EXPORTAÇÕES DE AÇÚCAR PARA A CHINA SOBEM 82% EM FEVEREIRO Os dados mais atualizados sobre as exportações de açúcar bruto, refinado

Leia mais

Trabalho da Disciplina de Economia Internacional e Geopolítica. Professor: Fernando Seabra Alunos: Ricieri Pereira Francisco Paulini

Trabalho da Disciplina de Economia Internacional e Geopolítica. Professor: Fernando Seabra Alunos: Ricieri Pereira Francisco Paulini Trabalho da Disciplina de Economia Internacional e Geopolítica. Professor: Fernando Seabra Alunos: Ricieri Pereira Francisco Paulini Produtos Exportados por Santa Catarina: 2002 e 2009 e Análise de Mercados

Leia mais

Produção e Comércio Mundial de Vinhos. Loiva Maria Ribeiro de Mello¹

Produção e Comércio Mundial de Vinhos. Loiva Maria Ribeiro de Mello¹ Produção e Comércio Mundial de Vinhos Loiva Maria Ribeiro de Mello¹ Produção Mundial A produção mundial de vinhos em 22 foi de 26,8 bilhões de litros. Como pode ser observado pela Figura 1, esta produção

Leia mais

LEITE E DERIVADOS JULHO / 2015

LEITE E DERIVADOS JULHO / 2015 LEITE E DERIVADOS JULHO / 2015 1. Mercado nacional 1.1 Preços pagos ao produtor Os preços nominais médios brutos 1 pagos ao produtor em ho, ponderados pela produção, dos e estados pesquisados pelo Centro

Leia mais

Balanço 2016 Perspectivas Aves

Balanço 2016 Perspectivas Aves Aves 129 130 Balanço 2016 Perspectivas 2017 Perspectivas 2017 OFERTA E EXPORTAÇÃO EM CRESCIMENTO E QUEDA DOS CUSTOS DE PRODUÇÃO A produção brasileira de frango continuará crescendo em torno de 5% ao ano

Leia mais

Programa Compete Brasil

Programa Compete Brasil Programa Compete Brasil Situação atual dos projetos Agosto de 2013 1. Funding: Covered Bonds Parceria com ABECIP Inclusão de Letra Financeira Imobiliária LFI na Lei nº 12.249/10 ( Letra Financeira : títulos

Leia mais

!"#$%!&'()!*$ + 231-4 /.0 2562567522

!#$%!&'()!*$ + 231-4 /.0 2562567522 !"#$%!&'()!*$ +,+ -./0 1 231-4 /.0 2562567522 1 4+ 2 81 4 92:; 2:

Leia mais

Fechamento dos Mercados Segunda-feira 07/11/16 granoeste.com.br (45) Atual Ant. Dif.

Fechamento dos Mercados Segunda-feira 07/11/16 granoeste.com.br (45) Atual Ant. Dif. COMPLEXO SOJA CBOT - Soja (U$/Bushel = 27,216) Máx Min NOV 989,25 981,50 7,75 992,00 981,75 JAN 998,50 990,75 7,75 1.001,75 990,00 MAR 1005,50 997,25 8,25 1.007,75 996,25 MAI 1012,25 1004,00 8,25 1.014,25

Leia mais

DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE EXECUTIVO PÚBLICO

DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE EXECUTIVO PÚBLICO DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE EXECUTIVO PÚBLICO O Diretor do Departamento de Recursos Humanos, nos termos das Instruções

Leia mais

ANEXO I VAGAS PREVISTAS DE ESTÁGIO PRA NÍVEL MÉDIO E NÍVEL TÉCNICO. Órgão. Adamantina 16 Centro Paula Souza Ensino Médio Açúcar e Alcool.

ANEXO I VAGAS PREVISTAS DE ESTÁGIO PRA NÍVEL MÉDIO E NÍVEL TÉCNICO. Órgão. Adamantina 16 Centro Paula Souza Ensino Médio Açúcar e Alcool. Município ANEXO I VAGAS PREVISTAS DE ESTÁGIO PRA NÍVEL MÉDIO E NÍVEL TÉCNICO Nº Vagas Órgão Nível Médio Curso ou Área de Formação Adamantina 16 Ensino Médio Açúcar e Alcool Nível Técnico Administração

Leia mais

Ranking da criminalidade nos maiores municípios Paulistas

Ranking da criminalidade nos maiores municípios Paulistas Ranking da criminalidade nos maiores municípios Paulistas Este trabalho desenvolvido pelo pesquisador estatístico José Peres Netto, cria um ranking de criminalidade nos 60 maiores municípios de São Paulo

Leia mais

MERCADO DE MANGA NO BRASIL: contexto mundial, variedades e estacionalidade 1

MERCADO DE MANGA NO BRASIL: contexto mundial, variedades e estacionalidade 1 MERCADO DE MANGA NO BRASIL: contexto mundial, variedades e estacionalidade 1 Waldemar Pires de Camargo Filho 2 Humberto Sebastião Alves 3 Antonio Roger Mazzei 4 1 - APRESENTAÇÃO E OBJETIVOS 1234 A mangueira

Leia mais

CARNE BOVINA Período: JULHO/2011

CARNE BOVINA Período: JULHO/2011 CARNE BOVINA Período: JULHO/2011 MERCADO INTERNO BOVINO Quadro I - PREÇOS PAGOS AOS PRODUTORES - R$/unidade PERÍODOS ANTERIORES PRAÇA UF UNID 12 MESES 6 MESES 1 MÊS Barretos SP @ 81,55 104,88 100,70 97,27

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS. Sede Nacional - SP

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS. Sede Nacional - SP ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Sede Nacional - SP Fundação: 1937 - origem em um sindicato têxtil; Possui 1.200 empresas associadas e representa 4,5 mil empresas; Sede nacional

Leia mais

Perfil dos exportadores brasileiros para a China

Perfil dos exportadores brasileiros para a China Perfil dos exportadores brasileiros para a China Fernanda De Negri Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) Objetivos e estrutura EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS PARA A CHINA Apresentar a estrutura tecnológica

Leia mais

Programa de Imersão no Agronegócio

Programa de Imersão no Agronegócio Programa de Imersão no Agronegócio São Paulo, 29 de Novembro de 2010 Christian Lohbauer www.citrusbr.com A CITRUSBR Fundada em Junho de 2009 por quatro empresas cuja produção conjunta de suco de laranja

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio Exterior. Balança Comercial Brasileira 2005

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio Exterior. Balança Comercial Brasileira 2005 Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio Exterior Balança Comercial Brasileira 2005 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA 2005 / 2004 US$ MILHÕES 2005 2004 % 2005/2004

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

Consumo aumenta e preços alcançam maior alta de 14 meses

Consumo aumenta e preços alcançam maior alta de 14 meses Consumo aumenta e preços alcançam maior alta de 14 meses Em junho, a recuperação dos preços foi expressiva. Simultaneamente, o real do Brasil ganhou valor em relação ao dólar dos EUA e o período em que

Leia mais

DESEMPENHO DA CARNE DE FRANGO EM 2007 E PERSPECTIVAS PARA 2008

DESEMPENHO DA CARNE DE FRANGO EM 2007 E PERSPECTIVAS PARA 2008 DESEMPENHO DA CARNE DE FRANGO EM 2007 E PERSPECTIVAS PARA 2008 MERCADO INTERNACIONAL O Brasil é o terceiro maior produtor mundial de frangos, precedido pelos Estados Unidos e pela China e é o quarto consumidor,

Leia mais

MAÇÃ NO BRASIL E CADEIA LOGISTICA NA EXPORTAÇÃO

MAÇÃ NO BRASIL E CADEIA LOGISTICA NA EXPORTAÇÃO MAÇÃ NO BRASIL E CADEIA LOGISTICA NA EXPORTAÇÃO PR 6% Outros 0% SC 51% RS 43% Repar ção Área Plantada por Estado FONTE: ABPM Safra 2013/2014 Fuji 34% Gala 59% FONTE: ABPM Outras 7% Produção por variedade

Leia mais

Relatório final da safra 2013/2014. Região Centro-Sul

Relatório final da safra 2013/2014. Região Centro-Sul Relatório final da safra 2013/2014 Região Centro-Sul Tabela 1. Balanço final da safra 2013/2014 na região Centro-Sul Comparativo com a safra 2012/2013 Produtos Safra 2012/2013 2013/2014 Var. (%) Cana-de-açúcar

Leia mais

FERTILIZANTES HERINGER S/A

FERTILIZANTES HERINGER S/A FERTILIZANTES HERINGER S/A 4,5 bilhões de anos Área + de 51 BILHOES de hectares 71% H2O Somente 3% agua doce +- 15 bilhoes de hectares de terra + de 1 BILHÃO HECTARES PLANTADOS 6.6 BILHOES HABITANTES Previsão

Leia mais

Estudo da Indústria de Artefatos de Cimento no Estado de São Paulo

Estudo da Indústria de Artefatos de Cimento no Estado de São Paulo SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE SÃO PAULO SEBRAE-SP PESQUISA E PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Estudo da Indústria de Artefatos de Cimento no Estado de São Paulo Realização: Junho de 2002 Índice

Leia mais

FIESP - 8º Encontro de Logística e Transportes A Hora do Investimento Privado

FIESP - 8º Encontro de Logística e Transportes A Hora do Investimento Privado FIESP - 8º Encontro de Logística e Transportes A Hora do Investimento Privado Painel: Logística e Competitividade Mineração e Agronegócio: Superando Obstáculos para o Escoamento da Produção (São Paulo-SP,

Leia mais

Associação Brasileira dos Produtores de Soja

Associação Brasileira dos Produtores de Soja Associação Brasileira dos Produtores de Soja De acordo com o 5 Levantamento de safra 2015/16, publicado em fevereiro pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), a área plantada deve crescer 3,6%

Leia mais

Santa Maria - RS

Santa Maria - RS MERCADO INTERNO E DE EXPORTAÇÃO DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL XXVI CONGRESSO BRASILEIRO DE ZOOTECNIA ZOOTEC 2016 SIMPÓSIO III: MARKETING E EMPREENDEDORISMO Santa Maria - RS 13-05-2016 POSIÇÃO DO BRASIL

Leia mais

INFORMAÇÃO SOBRE O MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR

INFORMAÇÃO SOBRE O MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR Agência Nacional de Segurança Alimentar INFORMAÇÃO SOBRE O MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR Ano: 2010 Mês: Junho 1. Resumo Global O mercado global dos grãos começou o mês de Junho em baixa, dominado

Leia mais

CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA RELAÇÃO CANDIDATO/VAGA 2015 CIDADE CURSOS TURNO INSCRITO VAGA C/V

CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA RELAÇÃO CANDIDATO/VAGA 2015 CIDADE CURSOS TURNO INSCRITO VAGA C/V FATECs CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA RELAÇÃO CANDIDATO/VAGA 2015 CIDADE CURSOS TURNO INSCRITO VAGA C/V Análise e Desenvolvimento de Sistemas Manhã 130 40 3,25 Análise e Desenvolvimento

Leia mais

INDÚSTRIA DE ALIMENTOS NOVEMBRO DE 2016

INDÚSTRIA DE ALIMENTOS NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INDÚSTRIA DE ALIMENTOS NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

Apoio à Citricultura Paulista: subvenção ao prêmio de seguro de sanidade 1

Apoio à Citricultura Paulista: subvenção ao prêmio de seguro de sanidade 1 Análises e Indicadores do Agronegócio ISSN 1980-0711 Apoio à Citricultura Paulista: subvenção ao prêmio de seguro de sanidade 1 A expansão do agronegócio brasileiro nos últimos anos tem sido marcante,

Leia mais

Insumos Agropecuários: Fertilizantes. Cadeias Produtivas Agrícolas

Insumos Agropecuários: Fertilizantes. Cadeias Produtivas Agrícolas Insumos Agropecuários: Fertilizantes Cadeias Produtivas Agrícolas Insumos Agropecuários Segundo dados da Associação Nacional dos Distribuidores de Insumos Agrícolas e Veterinários, o mercado distribuidor

Leia mais

Mamona Período: janeiro de 2016

Mamona Período: janeiro de 2016 Mamona Período: janeiro de 2016 Quadro I: preço pago ao produtor Centro de Produção UF Unidade 12 meses (a) Média de Mercado 1 mês (b) Mês atual (c) Preço mínimo Var % (c/a) Irecê BA 60kg 78,96 93,13 88,33

Leia mais

GIRASSOL Período: Julho de 2012

GIRASSOL Período: Julho de 2012 GIRASSOL Período: Julho de 2012 QUADRO I PREÇOS PAGO AO PRODUTOR (R$ 60/Kg) Centro de Referência Un Período Anteriores Período atual Variação (%) Julho/11 Julho/12 Preços Mínimos (60/Kg) Centro Sul 60

Leia mais

ALHO. Mariano Cesar Marques 1 - PANORAMA INTERNACIONAL

ALHO. Mariano Cesar Marques 1 - PANORAMA INTERNACIONAL ALHO Mariano Cesar Marques 1 - PANORAMA INTERNACIONAL A taxa média percentual de crescimento da produção mundial de alho, quando se comparam os dois últimos qüinqüênios disponibilizados pela FAO tabela

Leia mais

EVOLUÇÃO DO CULTIVO DA CANA-DE-AÇÚCAR NO ESTADO DE SÃO PAULO E A CLASSIFICAÇÃO DE ÁREA PRODUTORAS.

EVOLUÇÃO DO CULTIVO DA CANA-DE-AÇÚCAR NO ESTADO DE SÃO PAULO E A CLASSIFICAÇÃO DE ÁREA PRODUTORAS. EVOLUÇÃO DO CULTIVO DA CANA-DE-AÇÚCAR NO ESTADO DE SÃO PAULO E A CLASSIFICAÇÃO DE ÁREA PRODUTORAS. EVOLUTION OF SUGARCANE FARMING IN SÃO PAULO STATE AND CLASSIFICATION OF PRODUCING AREA. Antonio Cano DEP-UFSCAR

Leia mais

3ª Passeata Paulista da Saúde vai reunir mais de 10 mil pessoas no Estado

3ª Passeata Paulista da Saúde vai reunir mais de 10 mil pessoas no Estado DINO - Divulgador de Notícias 3ª Passeata Paulista da Saúde vai reunir mais de 10 mil pessoas no Estado Evento realizado pela Federação dos Trabalhadores da Saúde do Estado de São Paulo acontece no dia

Leia mais

PANORAMA & PERSPECTIVAS DE MERCADO DE FOLHOSAS EQUIPE: LARISSA PAGLIUCA RENATA POZELLI MARIANA COUTINHO

PANORAMA & PERSPECTIVAS DE MERCADO DE FOLHOSAS EQUIPE: LARISSA PAGLIUCA RENATA POZELLI MARIANA COUTINHO PANORAMA & PERSPECTIVAS DE MERCADO DE FOLHOSAS EQUIPE: LARISSA PAGLIUCA RENATA POZELLI MARIANA COUTINHO PROJETO HORTIFRUTI/CEPEA O Hortifruti/Cepea é um dos grupos do Centro de Estudos Avançados em Economia

Leia mais

EVOLUÇÃO DA CULTURA E DO MERCADO MUNDIAL DE MAMÃO

EVOLUÇÃO DA CULTURA E DO MERCADO MUNDIAL DE MAMÃO EVOLUÇÃO DA CULTURA E DO MERCADO MUNDIAL DE MAMÃO Papaya Brasil - 2005 Adelaide de Fátima Santana da Costa, David dos Santos Martins, Aureliano Nogueira da Costa, Levy Heleno Fassio 1 Instituto Capixaba

Leia mais

Distribuição e Consumo de Tomate no Brasil. Renata Pozelli Sabio Pesquisadora do Cepea

Distribuição e Consumo de Tomate no Brasil. Renata Pozelli Sabio Pesquisadora do Cepea Distribuição e Consumo de Tomate no Brasil Renata Pozelli Sabio Pesquisadora do Cepea renatapozelli@cepea.org.br Agenda 1 Grupo Hortifruti/Cepea 2 Cenário de Demanda 3 Perspectivas para o mercado de tomate

Leia mais

FATEC FACULDADE DE TECNOLOGIA RELAÇÃO CANDIDATO/VAGA

FATEC FACULDADE DE TECNOLOGIA RELAÇÃO CANDIDATO/VAGA FATEC FACULDADE DE TECNOLOGIA RELAÇÃO CANDIDATO/VAGA CURSOS VAGAS 2013/2.º INSCRITOS C/V FATEC AMERICANA Análise e Desenvolvimento de Sistemas Manhã 40 112 2,80 Análise e Desenvolvimento de Sistemas Tarde

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO PROJETO OBJETIVOS

APRESENTAÇÃO DO PROJETO OBJETIVOS APRESENTAÇÃO DO PROJETO OBJETIVOS REDUZIR A ASSIMETRIA DE INFORMAÇÃO NO MERCADO AVALIAR AS CONDIÇÕES DA SAFRA 2014/15 DE SOJA E MILHO NO BRASIL APRESENTAÇÃO DO PROJETO FORMATO 95 MIL KM PERCORRIDOS 135

Leia mais

NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA Uma avaliação dos indicadores da economia brasileira em 2007

NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA Uma avaliação dos indicadores da economia brasileira em 2007 NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA Uma avaliação dos indicadores da economia brasileira em 2007 Lucas Lautert Dezordi * Guilherme R. S. Souza e Silva ** Introdução O presente artigo tem

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MILHO NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MILHO NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MILHO NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

Conheça as 50 melhores cidades brasileiras para viver

Conheça as 50 melhores cidades brasileiras para viver Conheça as 50 melhores cidades brasileiras para viver 1ª São Caetano do Sul (SP) IDHM 0,862 Educação: 0,811 Expectativa de vida: 0,887 (78,2 anos) Renda: 0,891 (2.043,74) IDHM Final: 0,862 Posição (2000):

Leia mais

ANO 6 NÚMERO 54 NOVEMBRO DE 2016 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO

ANO 6 NÚMERO 54 NOVEMBRO DE 2016 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO ANO 6 NÚMERO 54 NOVEMBRO DE 2016 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO 1 - CONSIDERAÇÕES INICIAIS Aos poucos a quase totalidade da parte da sociedade brasileira que acreditava no impeachment

Leia mais