DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL. André Ricardo Hadlich, Msc. Eng

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL. André Ricardo Hadlich, Msc. Eng"

Transcrição

1 DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL André Ricardo Hadlich, Msc. Eng

2 ENGENHARIA CIVIL E TRANSPORTES CONFEA Resolução N.º 218 (Art. 7.º) Art. 7º - Compete ao ENGENHEIRO CIVIL ou ao ENGENHEIRO DE FORTIFICAÇÃO e CONSTRUÇÃO: I - o desempenho das atividades 01 a 18 do artigo 1º desta Resolução, referentes a edificações, estradas, pistas de rolamentos e aeroportos; sistema de transportes, de abastecimento de água e de saneamento; portos, rios, canais, barragens e diques; drenagem e irrigação; pontes e grandes estruturas; seus serviços afins e correlatos.

3 TRANSPORTE

4 LOGÍSTICA A Logística é a área da gestão responsável por prover recursos, equipamentos e informações para execução de todas as atividades de uma empresa.

5 TRANSPORTE E LOGÍSTICA A Logística cresce em todos os ramos, está em voga. Antigamente, com a inflação, o que importava era o preço da produção. Agora, com preços estabilizados, as empresas procuram reduzir todos os custos para se manterem no mercado. O transporte é responsável por grande parte do custo dos produtos. É possível reduzir esse custo com o auxílio de sistemas de transportes integrados e lógicos.

6 PLANEJAMENTO EM TRANSPORTE E LOGÍSTICA

7 CASO DA PIZZA

8 CASO EXPORTAÇÃO GRÃOS x x 20t 40t 3 x 15 x t 60 vg 4.000t x t Logística reversa 40t

9 1. Histórico 2. Infraestrutura 3. Objetivo 4. Foco 5. Áreas de atuação 6. Projetos e Tecnologias desenvolvidas 7. Parceiros Nacionais e Internacionais 8. Aprendizados 9. Como ingressar no LabTrans? 10. Sites sobre transportes

10 1998 INÍCIO UFSC AMIR MATTAR VALENTE PROFESSOR FUNDADOR E COORDENADOR GERAL ATIVIDADES: ENSINO PESQUISA EXTENSÃO Map data Google

11 INFRAESTRUTURA FAPEU - UFSC Departamento de Engenharia Civil - UFSC SC 401 Corporate Park Parque Tecnológico Alfa Florianópolis

12 OBJETIVO DO LABTRANS Contribuir com a melhoria na qualidade de ensino da graduação, pós-graduação, pesquisa e extensão no setor de transportes da Universidade Federal de Santa Catarina, formando assim engenheiros aptos a executar trabalhos de alta complexidade e relevância técnica de acordo com as necessidades do mercado. Ensino Pesquisa OBJETIVOS Formação de Engenheiros para Setor de Transportes Extensão

13 FOCO ESTUDOS E PROJETOS: ÁREAS DE TRANSPORTES E LOGÍSTICA RODOVIAS FERROVIAS HIDROVIAS PORTOS AEROPORTOS MEIO AMBIENTE PLANEJAMENTO GOVERNAMENTAL LOGÍSTICA EMPRESARIAL

14 ÁREAS DE ATUAÇÃO ENGENHARIA DE TRÁFEGO FRETES INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES MODAL FERROVIÁRIO MODAL HIDROVIÁRIO MODAL RODOVIÁRIO LOGÍSTICA PORTOS TRANSPORTE DE PASSAGEIROS

15 ÁREAS DE ATUAÇÃO ENGENHARIA DE TRÁFEGO Microssimulador de Tráfego Melhoria da trafegabilidade e segurança da BR 101 Imagem da microssimulação de tráfego 3D - Via Expressa (BR 282) Trecho da rodovia em estudo na BR 101

16 ÁREAS DE ATUAÇÃO FRETES Sistema de Acompanhamento de Fretes Sistema de Previsão de Fretes Prevfretes Tela principal de consultas de fretes

17 ÁREAS DE ATUAÇÃO INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTE Avaliação e Elaboração de Estratégias dos Projetos da Carteira IIRSA no Brasil Projeto Brasil Central Sistema de Informações para Planejamento SIG-PAC Restituidor as built Mapa Brasil Central

18 ÁREAS DE ATUAÇÃO LOGÍSTICA Simulador Logístico SISLOG Sistema de Análise Logística de Mercados SIAM Sistema de Informação Geográfica do Banco do Nordeste do Brasil SIGBNB Alocação direcionada, gerada através do SisLog Municípios que recebem combustível da base de Araucária Telas de cadastro do sistema

19 ÁREAS DE ATUAÇÃO MODALIDADE AÉREA Estudos para a Atualização do Plano Aeroviário do Paraná Planejamento Aeroviário SAC/PR Sistema de Gerenciamento de Informações de Aeroportos para a SAC/PR HÓRUS Hórus Módulo Gerencial HOTRAN Sistema estadual de aeroportos Infraestrutura atual - Aeroporto de Bonito

20 ÁREAS DE ATUAÇÃO MODALIDADE FERROVIÁRIA Sistema de Acompanhamento e Fiscalização de Transporte Ferroviário SAFF Apoio à fiscalização da infraestrutura e à apuração de acidentes graves no transporte ferroviário Módulos do SAFF Museu Ferroviário Nacional Revitalização do patrimônio histórico ferroviário Sistema de Custos Operacionais Ferroviários SICOF Tabela tarifária do SICOF

21 ÁREAS DE ATUAÇÃO MODALIDADE FERROVIÁRIA Projeto piloto do centro de supervisão das concessões ferroviárias Centro de Supervisão Simulação operacional de trens Projeto ANTT PIL Mapa da malha ferroviária brasileira com as ferrovias contidas no PIL Terminais Intermodais VALEC Exemplo de diagrama de desempenho do trem

22 ÁREAS DE ATUAÇÃO MODALIDADE HIDROVIÁRIA Transporte hidroviário na Baía de Babitonga Sistema de Informações do Transporte Aquaviário SINTAQ Sistema de Informações Geográficas do Transporte Aquaviário SIGTAQ Gráfico da movimentação de cargas Resultado de alocações de caminhos mínimos

23 ÁREAS DE ATUAÇÃO MODALIDADE HIDROVIÁRIA Desenvolvimento de estudos e análises das hidrovias brasileiras e suas instalações portuárias Levantamento das potencialidades das hidrovias do Estado do Paraná Localização de sete travessias do estado do Paraná

24 ÁREAS DE ATUAÇÃO MODALIDADE RODOVIÁRIA Sistema de Análise de Rede SAR Sistema de Pesagem em Movimento MS WIM Sistema Georreferenciado de Informações Viárias SGV Resultado de uma alocação de carga Variação do volume de tráfego de um trecho da malha rodoviária federal

25 ÁREAS DE ATUAÇÃO MODALIDADE RODOVIÁRIA Ações preventivas e corretivas de segurança rodoviária por meio de identificação de segmentos críticos Plano Nacional de Contagem de Tráfego Equipamento de contagem sendo instalado

26 ÁREAS DE ATUAÇÃO PORTOS Estudos de demanda do Porto de Itapoá Sistema de Informação Geográfica da SEP SIGSEP Plano de trabalho para operação do controle de acesso ao Porto de Vitória Janela de abertura do SIGSEP e janela de simulação logística WebPortos Ambiente Brasil do WebPortos

27 ÁREAS DE ATUAÇÃO PORTOS Elaboração de Planos Mestres Master Plans Plano Nacional de Logística Portuária PNLP Plano de Desenvolvimento e Zoneamento PDZ do Porto Organizado de Paranaguá Parametrização e sistematização de custos portuários Portos inseridos no Plano Mestre Portuário

28 ÁREAS DE ATUAÇÃO PORTOS Plano de Desenvolvimento e Zoneamento PDZ do Porto Organizado de Antonina Cadeia Logística Portuária Inteligente Mapa de zoneamento do Porto de Antonina Layout Cadeia Logística Portuária Inteligente

29 ÁREAS DE ATUAÇÃO PORTOS Anteprojetos de Arquitetura e Engenharia para a Cadeia Logística Portuária Sistema de Gerenciamento e Informação do Tráfego de Embarcações VTMIS Diagnóstico de infraestrutura de TI nas Companhias Docas Desenho conceitual de uma portaria pública e do entorno imediato Desenho conceitual de ponto de controle intermediário

30 ÁREAS DE ATUAÇÃO TRANSPORTE DE PASSAGEIROS Sistema de Viabilidade e Monitoramento de Linhas Rodoviárias SIMOV Sistema de Cálculo Tarifário SCT Sistema SCT Suporte à implantação de sistema de bilhetagem eletrônica no entorno do Distrito Federal Revisão Tarifária AGETRANSP/RJ Sistema SIG-T: cadastro de Terminais

31 ÁREAS DE ATUAÇÃO TRANSPORTE DE PASSAGEIROS Transporte Coletivo Rodoviário Intermunicipal de Passageiros do Estado de Mato Grosso STCRIP Novo Modelo de Reajuste Tarifário para Transporte Aquaviário de Passageiros AGETRANSP/RJ Trens Regionais Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica, Financeira, Social e Ambiental:. Caxias do Sul (RS) Bento Gonçalves (RS). Pelotas (RS) Rio Grande (RS). Londrina (PR) Maringá (PR) Mercados de transporte do Estado do Mato Grosso Fonte: AGER/MT

32 ÁREAS DE ATUAÇÃO TRANSPORTE DE PASSAGEIROS Análise da Política Tarifária DETER/SC Política de Transportes de Passageiros DETER/SC Sistema de Passageiros SISPASS Área de Influência entre Rio de Janeiro e Minas Gerais

33 TECNOLOGIAS DESENVOLVIDAS Algumas das tecnologias já desenvolvidas e em uso: Framework SIG/Desktop: biblioteca geográfica e interface próprios Framework SIG/Web: biblioteca open source adaptada e interface web próprios Biblioteca matemática: conjunto de funções matemáticas Algumas ferramentas utilizadas:

34 PARCEIROS NACIONAIS

35 PARCEIROS INTERNACIONAIS Estados Unidos da América (EUA) Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) Alemanha Mobility Networks Logistics (DB) Holanda Erasmus University Rotterdam Suíça International Society for Weigh In Motion (ISWIM) França L'Institut français des sciences et technologies des transports, de l'aménagement et des réseaux (IFSTTAR) Estados Unidos da América (EUA) Michigan Technological University (MTU) Holanda Port of Rotterdam Estados Unidos da América (EUA) Transportation Research Board (TRB) Espanha Universitat de València Eslovênia Slovenian National Building and Civil Engineering Institute (ZAG)

36 APRENDIZADOS Embasamento no setor de Transporte e Logística; Trabalho em equipe; Participação em projetos; Desenvolvimento de relatórios; Reuniões com clientes; Ferramentas MS Office:

37 COMO INGRESSAR NO LABTRANS? Currículo + Histórico Universitário Avaliação Entrevista Seleção Banco de currículos André Ricardo Hadlich, Msc. Eng

38 SITES SOBRE TRANSPORTES LabTrans GOVERNO TRANSPORTE E LOGÍSTICA Ministério Transportes, Portos e Aviação Civil Transportes Terrestres Inteligência Logística Logística e Transportes Transportes Ferroviários Transportes Aquaviários

39 OBRIGADO André Ricardo Hadlich, Msc. Eng

LABORATÓRIO DE TRANSPORTES E LOGÍSTICA

LABORATÓRIO DE TRANSPORTES E LOGÍSTICA LABORATÓRIO DE TRANSPORTES E LOGÍSTICA Departamento de Engenharia Civil Universidade Federal de Santa Catarina Engenheiro André Ricardo Hadlich andre.labtrans@yahoo.com.br Maio de 2014 Engenharia Civil

Leia mais

Laboratório de Transportes e Logística. Portfólio UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

Laboratório de Transportes e Logística. Portfólio UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DE SANTA 2016 Portfólio CATARINA DE SANTA CATARINA Coordenador Geral: Amir Mattar Valente, Dr. Sumário Apresentação... 01 1 Engenharia de Tráfego... 02 1.1 Microsimulador de Tráfego... 02 1.2 Estudo para

Leia mais

Março/2012. Portfólio. Laboratório de Transportes e Logística T I A UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

Março/2012. Portfólio. Laboratório de Transportes e Logística T I A UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA TA Março/2012 Laboratório de Transportes e Logística Portfólio N D E S A TA AR T C A I A N UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA TA N DE SA TA AR T C A I A N Laboratório de Transportes e Logística Coordenador

Leia mais

OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA

OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA - 2014 Índice Santa Catarina 1 Infraestrutura de Transportes Modal Rodoviário 2 Infraestrutura de Transportes Modal

Leia mais

Trabalhar em Transportes

Trabalhar em Transportes Trabalhar em Transportes João Fortini Albano, Dr. Lastran/Deprot/Ufrgs albano@producao.ufrgs.br Transportes? Transportes é uma atividade meio que viabiliza de forma econômica os deslocamentos para satisfação

Leia mais

Serviços de consultoria e engenharia para o setor de logística de transportes:

Serviços de consultoria e engenharia para o setor de logística de transportes: PERFIL EMPRESARIAL Fundada em 1995 por um grupo de especialistas com ampla experiência no setor de transportes, a SYSFER iniciou suas atividades realizando projetos de consultoria de engenharia e de desenvolvimento

Leia mais

III CIDESPORT CONGRESSO INTERNACIONAL DE DESEMPENHO PORTUÁRIO. Florianópolis novembro 2016

III CIDESPORT CONGRESSO INTERNACIONAL DE DESEMPENHO PORTUÁRIO. Florianópolis novembro 2016 III CIDESPORT CONGRESSO INTERNACIONAL DE DESEMPENHO PORTUÁRIO Florianópolis novembro 2016 3 NOVO ARRANJO INSTITUCIONAL DO SETOR PORTUÁRIO Atribuições dos Atores-Chave no Setor Lei nº 8.630/1993: Poder

Leia mais

Plano Mestre do Porto de Santos I Seminário sobre Planejamento Portuário na Baixada Santista. Santos-SP, 28 de março de 2017

Plano Mestre do Porto de Santos I Seminário sobre Planejamento Portuário na Baixada Santista. Santos-SP, 28 de março de 2017 Plano Mestre do Porto de Santos I Seminário sobre Planejamento Portuário na Baixada Santista Santos-SP, 28 de março de 2017 Plano de apresentação 1. Instrumentos de Planejamento Base Legal Missão & Desafio

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CREA-SP

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CREA-SP INFORMAÇÃO 113/2012 DAP/SUPCOL PROTOCOLO Nº 179163/2012 176799/2012 INTERESSADO: FRANCISCO JOSÉ VELA ASSUNTO: CONSULTA TÉCNICA 1. IDENTIFICAÇÃO E HISTÓRICO O profissional Engenheiro Civil Francisco José

Leia mais

OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA SUGESTÕES AO PLO 2013

OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA SUGESTÕES AO PLO 2013 OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA SUGESTÕES AO PLO 2013 Índice 10 Santa Catarina 10 Infraestrutura de Transportes Modal Rodoviário 17 Infraestrutura

Leia mais

Andamento das principais obras Agosto/2009

Andamento das principais obras Agosto/2009 Infraestrutura e Logística do Agronegócio Andamento das principais obras Agosto/2009 Principais Tendências da Produção RODOVIA BR 163 1. 2. 3. 4. Obras em andamento Restauração de 266 km entre Lucas do

Leia mais

Panorama das Ferrovias Brasileiras

Panorama das Ferrovias Brasileiras Panorama das Ferrovias Brasileiras Fernanda Rezende Coordenadora de Desenvolvimento do Transporte - CNT 17/10/2017 O Processo de Concessão das Ferrovias Evolução dos investimentos das concessionárias ferroviárias

Leia mais

LAURENCE CASAGRANDE LOURENÇO

LAURENCE CASAGRANDE LOURENÇO FÓRUM RAC 2017 Caminhos da Retomada LAURENCE CASAGRANDE LOURENÇO Campinas, 21 de agosto de 2017 Malha Rodoviária Paulista (km) Malha Estadual Federal Total Pista Simples 13.237 438 13.675 Pista Dupla 5.335

Leia mais

Infraestrutura de Santa Catarina para o Desenvolvimento

Infraestrutura de Santa Catarina para o Desenvolvimento Infraestrutura de Santa Catarina para o Desenvolvimento Ministério dos Transportes PAULO SÉRGIO PASSOS Ministro de Estado dos Transportes Florianópolis, 27 de fevereiro de 2013 ASPECTOS NACIONAIS INFRAESTRUTURA

Leia mais

Mineração e Agronegócio:

Mineração e Agronegócio: Mineração e Agronegócio: Superando Obstáculos para o Escoamento da Produção 8º Encontro de Logística e Transportes - FIESP Produção e Exportação Soja e Milho Produção de soja e milho > 5 mil toneladas

Leia mais

AVANÇOS E DESAFIOS AO SETOR PORTUÁRIO BRASILEIRO. DANIEL MACIEL Secretário de Infraestrutura Portuária

AVANÇOS E DESAFIOS AO SETOR PORTUÁRIO BRASILEIRO. DANIEL MACIEL Secretário de Infraestrutura Portuária AVANÇOS E DESAFIOS AO SETOR PORTUÁRIO BRASILEIRO DANIEL MACIEL Secretário de Infraestrutura Portuária 1 Lei N. 13.341/2016 Ministério definido pela Lei N. 13.341/2016, que ampliou as competências da Pasta,

Leia mais

Lei de criação da EPL

Lei de criação da EPL Lei de criação da EPL Lei nº 12.743 de 19 de dezembro de 2012 Altera as Leis nos 10.233, de 5 de junho de 2001, e 12.404, de 4 de maio de 2011, para modificar a denominação da Empresa de Transporte Ferroviário

Leia mais

SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE MOBILIDADE O PLANEJAMENTO DO TRANSPORTE SOBRE TRILHOS NO BRASIL

SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE MOBILIDADE O PLANEJAMENTO DO TRANSPORTE SOBRE TRILHOS NO BRASIL SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE MOBILIDADE O PLANEJAMENTO DO TRANSPORTE SOBRE TRILHOS NO BRASIL HÉLIO MAURO FRANÇA Empresa de Planejamento e Logística S/A Belo Horizonte 12/03/2013 Logística e Desenvolvimento

Leia mais

SECRETARIA DOS TRANSPORTES CENÁRIOS DA INFRAESTRUTURA DO RS

SECRETARIA DOS TRANSPORTES CENÁRIOS DA INFRAESTRUTURA DO RS SECRETARIA DOS TRANSPORTES ST CENÁRIOS DA INFRAESTRUTURA DO RS CENÁRIOS INFRAESTRUTURA DO RIO GRANDE DO SUL Cenário encontrado e dificuldades Estradas em más condições 76 municípios sem acesso asfáltico

Leia mais

Promoção da competitividade e desenvolvimento da economia brasileira

Promoção da competitividade e desenvolvimento da economia brasileira Objetivo Promoção da competitividade e desenvolvimento da economia brasileira Fim das barreiras à entrada Estímulo à expansão dos investimentos do setor privado Modernização da infraestrutura e da gestão

Leia mais

Projetos Portuários - Perspectivas

Projetos Portuários - Perspectivas Projetos Portuários - Perspectivas Workshop de Logística e Transportes Federação das Indústrias do Estado de São Paulo 27 de Junho de 2017 Fábio Lavor ROTEIRO I. Sistema Portuário Nacional II. Planejamento

Leia mais

História Ferroviária

História Ferroviária História Ferroviária A Estrada de Ferro em SC E. F. Tereza Cristina Felisberto Caldeira Brant Pontes consegue em 1874 a concessão para a construção da ferrovia. A Estrada de Ferro The Donna Thereza Christina

Leia mais

Plano de Trabalho ESTUDO DE VIABILIDADE TÉCNICA, ECONÔMICA, FINANCEIRA, SOCIAL E AMBIENTAL

Plano de Trabalho ESTUDO DE VIABILIDADE TÉCNICA, ECONÔMICA, FINANCEIRA, SOCIAL E AMBIENTAL FOLHA 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA UFSC Laboratório de Transportes e Logística LabTrans Plano de Trabalho ESTUDO DE VIABILIDADE TÉCNICA, ECONÔMICA, FINANCEIRA, SOCIAL E AMBIENTAL SISTEMA DE

Leia mais

01 de setembro de Belém - PA. Adalberto Tokarski Diretor

01 de setembro de Belém - PA. Adalberto Tokarski Diretor 01 de setembro de 2015. Belém - PA Adalberto Tokarski Diretor AGENDA 1. AS HIDROVIAS BRASILEIRAS 2. COMPLEXO HIDROVIÁRIO REGIÃO AMAZÔNICA 3. EVOLUÇÃO DA PRODUÇÃO DE GRÃOS 4. NOVOS INVESTIMENTOS Região

Leia mais

EVTEA - H Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental das Hidrovias

EVTEA - H Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental das Hidrovias EVTEA - H Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental das Hidrovias Descrição geral - Trabalho técnico de Economia, Engenharia, Ciências do Meio Ambiente, Estatística, Geografia, Ciências Sociais

Leia mais

A regulação no setor aquaviário brasileiro

A regulação no setor aquaviário brasileiro A regulação no setor aquaviário brasileiro Fernando Antonio Brito Fialho Diretor-Geral da ANTAQ Mare Forum South America 2011 Rio de Janeiro, outubro 2011 Aspectos institucionais da ANTAQ 2 Criada pela

Leia mais

TÍTULO: MULTIMODALIDADE APLICADA AO ESCOAMENTO DAS PRINCIPAIS MASSA ECONOMICAS BRASILEIRAS DESTINADAS À EXPORTAÇÃO PELO PORTO DE SANTOS

TÍTULO: MULTIMODALIDADE APLICADA AO ESCOAMENTO DAS PRINCIPAIS MASSA ECONOMICAS BRASILEIRAS DESTINADAS À EXPORTAÇÃO PELO PORTO DE SANTOS Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: MULTIMODALIDADE APLICADA AO ESCOAMENTO DAS PRINCIPAIS MASSA ECONOMICAS BRASILEIRAS DESTINADAS

Leia mais

Posto Integrado Automatizado de Fiscalização. 15 de setembro de 2015

Posto Integrado Automatizado de Fiscalização. 15 de setembro de 2015 Posto Integrado Automatizado de Fiscalização 15 de setembro de 2015 Objetivos da apresentação Visão Geral do PIAF Alteração da Legislação de pesagem Modelo de Contratação Anteprojeto Implementação e Futuro

Leia mais

- Rumos da Cabotagem - Pontos Fortes e Pontos Fracos

- Rumos da Cabotagem - Pontos Fortes e Pontos Fracos - Rumos da Cabotagem - Pontos Fortes e Pontos Fracos BENEFÍCIOS ECONÔMICOS, ENERGÉTICOS E AMBIENTAIS Cabotagem Brasileira o mundo cresceu no entorno das baias abrigadas População mundial regiões costeiras

Leia mais

Apresentação. IAtenção:

Apresentação. IAtenção: Apresentação A coleção Panorama Logístico CEL/COPPEAD é um conjunto de relatórios que têm como objetivo apresentar de forma detalhada os resultados das pesquisas desenvolvidas pelo Centro de Estudos em

Leia mais

Seminário IBRE Infraestrutura no Brasilperspectivas. nas áreas de construção, saneamento, transporte e logística

Seminário IBRE Infraestrutura no Brasilperspectivas. nas áreas de construção, saneamento, transporte e logística Seminário IBRE Infraestrutura no Brasilperspectivas e desafios nas áreas de construção, saneamento, transporte e logística Projetos e Programas de Investimentos para o Setor de Infraestrutura no Brasil

Leia mais

3. O transporte no Brasil

3. O transporte no Brasil 47 3. O transporte no Brasil Neste capítulo, faz-se uma breve descrição do sistema de transporte de cargas no Brasil, onde são apresentados os investimentos programados pelo Governo Federal no setor, a

Leia mais

Regulação do Transporte Aquaviário Navegação Interior

Regulação do Transporte Aquaviário Navegação Interior 5º SEMINÁRIO INTERNACIONAL EM LOGÍSTICA AGROINDUSTRIAL O Transporte Hidroviário(Fluvial e Cabotagem)de Granéis Agrícolas Cenário Atual do Transporte Hidroviário Brasileiro JOSÉ ALEX BOTÊLHO DE OLIVA,M.Sc.

Leia mais

Universidade do Estado de Mato Grosso UNEMAT. Estradas 1 Projeto geométrico. 1- Organização do Setor Rodoviário

Universidade do Estado de Mato Grosso UNEMAT. Estradas 1 Projeto geométrico. 1- Organização do Setor Rodoviário Universidade do Estado de Mato Grosso UNEMAT Faculdade de Ciências Exatas e Tecnológicas FACET Curso: Bacharelado em Engenharia Civil Estradas 1 Projeto geométrico 1- Organização do Setor Rodoviário Prof.

Leia mais

Curso de Aperfeiçoamento em Gestão e Operação Portuária

Curso de Aperfeiçoamento em Gestão e Operação Portuária Curso de Aperfeiçoamento em Gestão e Operação Portuária Carga Horária: 48 horas Coordenador: Prof. Dr. João Ferreira Neto Conteúdo Programático: 1.1 Introdução aos Sistemas Portuários (4 h) Apresentação

Leia mais

O Papel Estratégico das Ferrovias para a Implementação da Intermodalidade no Brasil. Jose Luis Demeterco Neto

O Papel Estratégico das Ferrovias para a Implementação da Intermodalidade no Brasil. Jose Luis Demeterco Neto O Papel Estratégico das Ferrovias para a Implementação da Intermodalidade no Brasil Jose Luis Demeterco Neto joseluis@brado.com.br Brasília, 05 de Setembro de 2012 O INÍCIO Duas empresas pioneiras que

Leia mais

Investimentos em Infraestrutura de Transportes

Investimentos em Infraestrutura de Transportes Investimentos em Infraestrutura de Transportes AGOSTO/2015 Superintendência Regional do DNIT em Santa Catarina O DNIT é responsável por implementar a política de infraestrutura do Sistema Federal de Viação,

Leia mais

Currículos dos Cursos do CCE UFV ENGENHARIA CIVIL. COORDENADOR DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Délio Porto Fassoni

Currículos dos Cursos do CCE UFV ENGENHARIA CIVIL. COORDENADOR DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Délio Porto Fassoni 132 ENGENHARIA CIVIL COORDENADOR DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Délio Porto Fassoni delio@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2002 133 ATUAÇÃO Ao Engenheiro Civil compete o desempenho das atividades profissionais

Leia mais

ANÁLISE DO POTENCIAL DE TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE PASSAGEIROS NA REGIÃO DE BAURU

ANÁLISE DO POTENCIAL DE TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE PASSAGEIROS NA REGIÃO DE BAURU ANÁLISE DO POTENCIAL DE TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE PASSAGEIROS NA REGIÃO DE BAURU Eng. Thiago Teixeira de Castro Piovan Prof. Dr. Gustavo Garcia Manzato 23ª Semana de Tecnologia Metroferroviária AUTORES

Leia mais

EMPRESA DE TRENS URBANOS DE PORTO ALEGRE S.A. Obra de Expansão da Linha 1. São Leopoldo / Novo Hamburgo

EMPRESA DE TRENS URBANOS DE PORTO ALEGRE S.A. Obra de Expansão da Linha 1. São Leopoldo / Novo Hamburgo EMPRESA DE TRENS URBANOS DE PORTO ALEGRE S.A. Obra de Expansão da Linha 1 São Leopoldo / Novo Hamburgo ESCRITÓRIO DE FISCALIZAÇÃO Coordenação de Planejamento Coordenação de Medições, Controle Financeiro

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL-AERONÁUTICA. São José dos Campos, 20 de Agosto de 2014

RELATÓRIO DE ESTÁGIO INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL-AERONÁUTICA. São José dos Campos, 20 de Agosto de 2014 INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL-AERONÁUTICA RELATÓRIO DE ESTÁGIO São José dos Campos, 20 de Agosto de 2014 Felipe Moreira Ribeiro FOLHA DE APROVAÇÃO Relatório Final de Estágio

Leia mais

Secretaria de Portos. Ministério dos Transportes. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Secretaria de Portos. Ministério dos Transportes. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de s Ministério dos Transportes Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Principais Corredores para Escoamento da Safra de Grãos CE Velho PE RN PB SE AL Salvador Ilhéus Hidrovias

Leia mais

55º Fórum Nacional de Secretários de Planejamento INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA

55º Fórum Nacional de Secretários de Planejamento INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA 55º Fórum Nacional de Secretários de Planejamento INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA Salvador/BA, 06 de Setembro de 2013 PREMISSA BÁSICA O setor de Transportes como catalisador do desenvolvimento nacional Estruturando

Leia mais

DNIT. Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes. Ministério dos Transportes

DNIT. Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes. Ministério dos Transportes PROGRAMA PRIORITÁRIO DNIT Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes Ministério dos Transportes PLANO DE REVITALIZAÇÃO DAS FERROVIAS Fundamentos Pequena participação ferroviária na matriz

Leia mais

XXIII Oficina de Trabalho do Espírito Santo em Ação. Vitória, 27/01/2010

XXIII Oficina de Trabalho do Espírito Santo em Ação. Vitória, 27/01/2010 XXIII Oficina de Trabalho do Espírito Santo em Ação Vitória, 27/01/2010 Introdução Os BENEFÍCIOS do SINGLE WINDOW BENEFÍCIOS do Setor Privado na Operação em SINGLE WINDOW 1 ANUÊNCIAS mais RÁPIDAS 2 REDUÇÃO

Leia mais

12º Congresso Brasileiro do Agronegócio Infraestrutura e Logística Painel 3 As oportunidades e as dificuldades para o aumento da oferta

12º Congresso Brasileiro do Agronegócio Infraestrutura e Logística Painel 3 As oportunidades e as dificuldades para o aumento da oferta 12º Congresso Brasileiro do Agronegócio Infraestrutura e Logística Painel 3 As oportunidades e as dificuldades para o aumento da oferta Jorge Karl Presidente da Cooperativa Agrária e Diretor da Ocepar

Leia mais

Apresentação Institucional. Engenharia de Infraestrutura

Apresentação Institucional. Engenharia de Infraestrutura Apresentação Institucional Engenharia de Infraestrutura Líder de Mercado em Engenharia de Infraestrutura 24 anos de atuação, desenvolvendo projetos nas áreas de: Transporte e Mobilidade Desenvolvimento

Leia mais

Regional Nordeste Concessões e Parcerias. Ampliação das Oportunidades de Negócios 01 de Outubro de 2015 Fortaleza

Regional Nordeste Concessões e Parcerias. Ampliação das Oportunidades de Negócios 01 de Outubro de 2015 Fortaleza Regional Nordeste Concessões e Parcerias Ampliação das Oportunidades de Negócios 01 de Outubro de Fortaleza Programa de Gestão de PPPs do Estado do Piauí Viviane Moura Bezerra Superintendente de Parcerias

Leia mais

Para mim é sempre uma honra vir ao Congresso Nacional, lugar que frequentei durante alguns anos como senador.

Para mim é sempre uma honra vir ao Congresso Nacional, lugar que frequentei durante alguns anos como senador. DISCURSO DO MINISTRO DOS TRANSPORTES, ANTONIO CARLOS RODRIGUES, NA COMISSÃO GERAL DA CÂMARA DOS DEPUTADOS, EM 13 DE AGOSTO DE 2015 Senhor presidente. Senhoras e senhores. Bom dia. Para mim é sempre uma

Leia mais

EIXO TRANSPORTES. garantindo maior integração da malha brasileira de Transportes.

EIXO TRANSPORTES. garantindo maior integração da malha brasileira de Transportes. EIXO TRANSPORTES Para integrar as diferentes regiões do Brasil, eliminar gargalos logísticos e garantir que a produção nacional tenha custos mais baixos para os mercados interno e externo, o PAC 2 realiza

Leia mais

DISCIPLINAMENTO DA CIRCULAÇÃO DE VEÍCULOS DE CARGA CENTRO HISTÓRICO DE PORTO ALEGRE

DISCIPLINAMENTO DA CIRCULAÇÃO DE VEÍCULOS DE CARGA CENTRO HISTÓRICO DE PORTO ALEGRE DISCIPLINAMENTO DA CIRCULAÇÃO DE VEÍCULOS DE CARGA CENTRO HISTÓRICO DE PORTO ALEGRE Diagnóstico Perturbações na fluidez Grandes dimensões Manobras lentas Raio de giro restrito Remoção difícil em caso de

Leia mais

ESTUDIO DE REGULACIÓN, VENTAJAS COMPETITIVAS Y DE LA OFERTA Y LA DEMANDA DE CARGA DE LA HIDROVIA PARAGUAY-PARANÁ

ESTUDIO DE REGULACIÓN, VENTAJAS COMPETITIVAS Y DE LA OFERTA Y LA DEMANDA DE CARGA DE LA HIDROVIA PARAGUAY-PARANÁ ESTUDIO DE REGULACIÓN, VENTAJAS COMPETITIVAS Y DE LA OFERTA Y LA DEMANDA DE CARGA DE LA HIDROVIA PARAGUAY-PARANÁ 16 de Junio de 2016. Rosario, Argentina. JOSÉ RENATO RIBAS FIALHO Gerente de Desarrollo

Leia mais

,8% ,7% ,4% ,7% ,4%

,8% ,7% ,4% ,7% ,4% Fernando Seabra Mundo (mi. US$) Brasil (mi. US$) MarketShare 2010 39.719 11.043 27,8% 2011 45.698 16.327 35,7% 2012 53.183 17.248 32,4% 2013 57.444 22.810 39,7% 2014 59.005 23.277 39,4% Fonte: comtrade.un.org

Leia mais

ESTRUTURA INSTITUCIONAL ANTT MAIO/2011

ESTRUTURA INSTITUCIONAL ANTT MAIO/2011 ESTRUTURA INSTITUCIONAL ANTT MAIO/2011 TEMAS ESTRUTURA/ORGANOGRAMA DA ANTT DIRETORIA (composição e relação com grupos de interesse) PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO (Informações) SISTEMA DE INFORMAÇÃO ( Gerenciamento,

Leia mais

OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DA REGIÃO SUL

OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DA REGIÃO SUL OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DA REGIÃO SUL - 2014 Índice 3 Paraná Infraestrutura de Transportes Modal Rodoviário Infraestrutura de Transportes Modal Aquaviário Infraestrutura

Leia mais

Os BENEFÍCIOS do SINGLE WINDOW

Os BENEFÍCIOS do SINGLE WINDOW Introdução Os BENEFÍCIOS do SINGLE WINDOW BENEFÍCIOS do Setor Privado na Operação em SINGLE WINDOW 1 ANUÊNCIAS mais RÁPIDAS 2 REDUÇÃO dos CUSTOS 3 PREVISIBILIDADE das REGRAS BENEFÍCIOS 4 5 RACIONALIDADE

Leia mais

SCPar PORTO DE IMBITUBA S.A.

SCPar PORTO DE IMBITUBA S.A. SCPar PORTO DE IMBITUBA S.A. O Porto de Imbituba está localizado numa enseada aberta junto à Ponta de Imbituba, no litoral Sul de Santa Catarina, a cerca de 90 km da capital Florianópolis. Arrendatários:

Leia mais

Rio Grande do Sul. Dinâmicas Territoriais E Planejamento Logístico. Com Dados SEPLAG RS

Rio Grande do Sul. Dinâmicas Territoriais E Planejamento Logístico. Com Dados SEPLAG RS Rio Grande do Sul Dinâmicas Territoriais E Planejamento Logístico Com Dados SEPLAG RS Principais Dinâmicas Territoriais Esvaziamento do Arco de Fronteira Expansão da concentração Porto Alegre - Caxias

Leia mais

UFPR DEPARTAMENTO DE TRANSPORTES SISTEMAS DE TRANSPORTES TT 046. Aula 01

UFPR DEPARTAMENTO DE TRANSPORTES SISTEMAS DE TRANSPORTES TT 046. Aula 01 UFPR DEPARTAMENTO DE TRANSPORTES SISTEMAS DE TRANSPORTES TT 046 Prof. Djalma Pereira Prof. Eduardo Ratton Profa. Gilza Fernandes Blasi Profa. Márcia de Andrade Pereira Aula 01 OBJETIVOS 1.Adquirir subsídios

Leia mais

Infra-estrutura de transportes

Infra-estrutura de transportes Infra-estrutura de transportes Prof. Adm. Denilton Macário de Paula Modal Rodoviário No modal rodoviário podemos encontrar tanto o transporte de passageiros como o transporte de cargas. A infra-estrutura

Leia mais

PROJETO DE DRAGAGEM DOS PORTOS BRASILEIROS METAS E REALIZAÇÕES

PROJETO DE DRAGAGEM DOS PORTOS BRASILEIROS METAS E REALIZAÇÕES Presidência da República Secretaria Especial de Portos I CONFERÊNCIA HEMISFÉRICA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL PROJETO DE DRAGAGEM DOS PORTOS BRASILEIROS METAS E REALIZAÇÕES Eng MARCOS PAGNONCELLI Coordenador-Geral

Leia mais

RESOLUÇÃO. Currículo revogado conforme Res. CONSEPE 71/2002, de 18 de dezembro de 2002.

RESOLUÇÃO. Currículo revogado conforme Res. CONSEPE 71/2002, de 18 de dezembro de 2002. RESOLUÇÃO CONSEPE 44/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL, DO CÂMPUS ITATIBA. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso da atribuição que

Leia mais

Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos

Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos XVII Assembleia Geral da CIT 27 e 28/06/2012 - Manaus/AM Sávio Neves Diretor Institucional ANPTrilhos Presidente ABOTTc

Leia mais

Infraestrutura Logística para otimização da cadeia farmacêutica. Frederico Bussinger

Infraestrutura Logística para otimização da cadeia farmacêutica. Frederico Bussinger Infraestrutura Logística para otimização da cadeia farmacêutica Frederico Bussinger BRASIL NO MUNDO LOGÍSTICA: FATOR CRÍTICO DE SUCESSO Área > 4 mi Km 2 População > 100 mi Paquistão USA Bangladesh China

Leia mais

POT- Plano Operacional de Transportes

POT- Plano Operacional de Transportes SUMÁRIO 1. Objetivo 2. EAP Estrutura Analítica do Projeto 3. Descrição das Atividades 3.1- Escopo do Trabalho 3.2- Demanda Atual por Transporte 3.3 O Sistema de Transporte 3.4 Comportamento Futuro do Setor

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - CAMPUS AGRESTE CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL GRADE VÁLIDA PARA OS INGRESSANTES EM 2006.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - CAMPUS AGRESTE CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL GRADE VÁLIDA PARA OS INGRESSANTES EM 2006. 1 o ANO 2 o ANO 3 o ANO 4 o ANO 5 o ANO 1 o Semestre 2 o Semestre 3 o Semestre 4 o Semestre 5 o Semestre 6 o Semestre 7 o Semestre 8 o Semestre 9 o Semestre 10 o Semestre e integral 1 CIVL 0080 Geometria

Leia mais

COSAN DAY 2013 JULIO FONTANA

COSAN DAY 2013 JULIO FONTANA COSAN DAY 2013 JULIO FONTANA 2 DISCLAIMER Esta apresentação contém estimativas e declarações sobre operações futuras a respeito de nossa estratégia e oportunidades de crescimento futuro. Essas informações

Leia mais

Mário Povia Diretor da ANTAQ

Mário Povia Diretor da ANTAQ III CIDESPORT Congresso Internacional de Desempenho Portuário A ANTAQ e a Regulação do Setor Portuário Mário Povia Diretor da ANTAQ Florianópolis, 16 de novembro de 2016 ORGANIZAÇÃO DO SETOR TRANSPORTES

Leia mais

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA AGENDA PORTOS CATARINENSES. Período 2015/2017

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA AGENDA PORTOS CATARINENSES. Período 2015/2017 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA AGENDA PORTOS CATARINENSES Período 2015/2017 Julho 2015 Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina Glauco José Côrte Presidente Câmara de

Leia mais

Agenda. 1. Rompendo bloqueios: A Xícara Mental. 2. Governança Brasileira em Transportes. 4. Potenciais fluviais de integração Sul Americana

Agenda. 1. Rompendo bloqueios: A Xícara Mental. 2. Governança Brasileira em Transportes. 4. Potenciais fluviais de integração Sul Americana Agência Nacional de Transportes Aquaviários ANTAQ - Brasil Agenda 1. Rompendo bloqueios: A Xícara Mental 2. Governança Brasileira em Transportes 3. Números do Brasil e dimensões das hidrovias 4. Potenciais

Leia mais

O Uso da Água para a Navegação

O Uso da Água para a Navegação O Uso da Água para a Navegação JOSÉ ALEX BOTÊLHO DE OLIVA, M.Sc. Superintendente de Navegação Interior Rio de Janeiro, 09 de Dezembro de 2008. Rodovias RODOVIAS - Malha Rodoviária Brasileira 1.700 milhão

Leia mais

Planejamento de Transportes: Introdução à Logística

Planejamento de Transportes: Introdução à Logística UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Planejamento de Transportes: Introdução à Logística ESTRATÉGIAS DE LOCALIZAÇÃO Profª. Daniane F. Vicentini Atividades com a maior parcela do custo total de logística: Transportes:

Leia mais

Concessões RODOVIAS FERROVIAS PORTOS AEROPORTOS

Concessões RODOVIAS FERROVIAS PORTOS AEROPORTOS Concessões RODOVIAS FERROVIAS PORTOS AEROPORTOS Retomada do Planejamento em Logística O Programa de Investimentos em Logística (PIL) é a integração de 2 ações de planejamento do Governo Federal nos últimos

Leia mais

TERMINAL DE CONTÊINERES DO PORTO DE BELÉM (TECONBEL)

TERMINAL DE CONTÊINERES DO PORTO DE BELÉM (TECONBEL) UFPA Universidade Federal do Pará UFPA Instituto de Tecnologia - Faculdade de Engenharia Naval TERMINAL DE CONTÊINERES DO PORTO DE BELÉM (TECONBEL) AUDIÊNCIA PÚBLICA Belém PA, MAIO / 2012 Localização TERMINAL

Leia mais

Ferrovias do Nordeste

Ferrovias do Nordeste Ferrovias do Nordeste Agosto 2013 ELABORAÇÃO: TLSA A Transnordestina Logística S/A, antiga Companhia Ferroviária do Nordeste CFN, obteve a concessão da Malha Nordeste SR (Recife), SR (Fortaleza) e SR (São

Leia mais

José Roberto Correia Serra Diretor Presidente Autoridade Portuária Santos, 02 de fevereiro de 2010

José Roberto Correia Serra Diretor Presidente Autoridade Portuária Santos, 02 de fevereiro de 2010 José Roberto Correia Serra Diretor Presidente Autoridade Portuária Santos, 02 de fevereiro de 2010 Estudo de Expansão BID Estudo de Acessibilidade USP/FDTE Planejamento Estratégico da CODESP Estudo da

Leia mais

COMUNICAÇÕES TÉCNICAS 21º CONGRESSO BRASILEIRO DE TRANSPORTE E TRÂNSITO SÃO PAULO 28, 29 E 30 DE JUNHO DE 2017

COMUNICAÇÕES TÉCNICAS 21º CONGRESSO BRASILEIRO DE TRANSPORTE E TRÂNSITO SÃO PAULO 28, 29 E 30 DE JUNHO DE 2017 COMUNICAÇÕES TÉCNICAS 21º CONGRESSO BRASILEIRO DE TRANSPORTE E TRÂNSITO SÃO PAULO 28, 29 E 30 DE JUNHO DE 2017 A ANTP convida a todos os integrantes das entidades associadas, seus membros individuais e

Leia mais

2 o. Relatório de Acompanhamento dos Estudos BR-101/ES, BR-101/BA e BR-470/SC. 22 de abril de 2009

2 o. Relatório de Acompanhamento dos Estudos BR-101/ES, BR-101/BA e BR-470/SC. 22 de abril de 2009 2 o. Relatório de Acompanhamento dos Estudos BR-101/ES, BR-101/BA e BR-470/SC 22 de abril de 2009 Fases e principais atividades dos estudos Estudo de tráfego Estudo de engenharia Estudo jurídicoregulatório

Leia mais

Concessões Rodoviárias em Santa Catarina

Concessões Rodoviárias em Santa Catarina Concessões Rodoviárias em Santa Catarina Concessões Rodoviárias em Santa Catarina Secretaria de Estado do Planejamento Secretaria de Estado da Infraestrutura SCPar DEINFRA Programa Estadual de Concessões

Leia mais

Comitê dos Usuários dos Portos e Aeroportos do Estado de São Paulo

Comitê dos Usuários dos Portos e Aeroportos do Estado de São Paulo Comitê dos Usuários dos Portos e Aeroportos do Estado de São Paulo 27/03/2014 Renato Ferreira Barco DIRETOR PRESIDENTE VISÃO GERAL PORTO DE SANTOS / BRASIL ÁREA DE INFUÊNCIA PORTO DE SANTOS 75 67% 56%

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Secretaria de Aviação Civil Secretaria de Política Regulatória de Aviação Civil

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Secretaria de Aviação Civil Secretaria de Política Regulatória de Aviação Civil PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Secretaria de Aviação Civil Secretaria de Política Regulatória de Aviação Civil CRESCIMENTO DO MERCADO BRASILEIRO DE AVIAÇÃO Gustavo Pacheco Fortes Fleury Gerente de Projeto do

Leia mais

Seminário ABRAEX/UDF 2016

Seminário ABRAEX/UDF 2016 Associação Brasiliense de Ex-Bolsistas Brasil-Japão Centro Universitário do Distrito Federal Seminário ABRAEX/UDF 2016 Infraestrutura: o desenvolvimento brasileiro a partir da experiência japonesa Realização:

Leia mais

2º Congresso Brasileiro de Geração Distribuída. Auditório da FIEC. 25 a 26 de outubro de 2017

2º Congresso Brasileiro de Geração Distribuída. Auditório da FIEC. 25 a 26 de outubro de 2017 2º Congresso Brasileiro de Geração Distribuída Auditório da FIEC 25 a 26 de outubro de 2017 SISTEMA CONFEA / CREA É o sistema que fiscaliza o exercício das profissões na área tecnológica. Lei Federal 5.194/66

Leia mais

CLIPPING DE NOTÍCIAS

CLIPPING DE NOTÍCIAS Governo amplia plano contra filas em portos Entre as medidas está o aperfeiçoamento do sistema de agendamento nos terminais de Santos (SP) e Paranaguá (PR), que no ano passado ajudou a reduzir o custo

Leia mais

Sr. Presidente, A Lei /2010, em seu art. 2º, prevê que as atividades e atribuições dos arquitetos e urbanistas consistem em:

Sr. Presidente, A Lei /2010, em seu art. 2º, prevê que as atividades e atribuições dos arquitetos e urbanistas consistem em: Parecer: 14/2012-AJU Interessado: CAU-DF. Assunto: Consulta. Atribuições de Arquitetos e Urbanistas. Elaboração de projetos de arquitetura. Atividade exclusiva de Arquitetos. Ementa: Direito Civil. Atribuições

Leia mais

Movimento Pró Logística do Estado de Mato Grosso Diretoria Executiva do Movimento Pró Logística

Movimento Pró Logística do Estado de Mato Grosso Diretoria Executiva do Movimento Pró Logística Relatório Mensal do MPL: Maio/2016 Brasília, 01 de junho de 2016. 1. Agenda e Atividades: Data Cidade Local Evento 01/05/16 Cuzco - Puerto Maldonado Peru Estradeiro Pacífico 02/05/16 Puerto Maldonado -

Leia mais

A Contribuição da Regulação para o Desempenho Portuário: o Caso ANTAQ

A Contribuição da Regulação para o Desempenho Portuário: o Caso ANTAQ A Contribuição da Regulação para o Desempenho Portuário: o Caso ANTAQ Congresso Internacional de Desempenho Portuário Florianópolis, 02 de dezembro de 2015 Agência Nacional de Transportes Aquaviários ANTAQ

Leia mais

INTRODUÇÃO À LOGISTICA

INTRODUÇÃO À LOGISTICA INTRODUÇÃO À LOGISTICA Danillo Tourinho Sancho da Silva, MSc VAMOS NOS CONHECER Danillo Tourinho Sancho da Silva, M.Sc Bacharel em Administração, UNEB Especialista em Gestão da Produção e Logística, SENAI

Leia mais

Logística Vale Bienal dos Negócios da Agricultura 21/08/2009

Logística Vale Bienal dos Negócios da Agricultura 21/08/2009 Logística Vale Bienal dos Negócios da Agricultura 21/08/2009 Logística Vale Corredores Logísticos Legenda Ferrovias Estrada de Ferro Carajás - EFC Ferrovia Norte Sul FNS Ferrovia Norte Sul FNS (em construção)

Leia mais

UFV Catálogo de Graduação ENGENHARIA CIVIL. COORDENADOR José Carlos Bohnenberg

UFV Catálogo de Graduação ENGENHARIA CIVIL. COORDENADOR José Carlos Bohnenberg UFV Catálogo de Graduação 2013 103 ENGENHARIA CIVIL COORDENADOR José Carlos Bohnenberg bohnen@ufv.br 104 Currículos dos Cursos UFV Engenheiro Civil ATUAÇÃO Ao Engenheiro Civil compete o desempenho das

Leia mais

REUNIÃO DE TRABALHO DOS GTE S

REUNIÃO DE TRABALHO DOS GTE S IIRSA REUNIÃO DE TRABALHO DOS GTE S PLANO NACIONAL DE LOGÍSTICA E TRANSPORTES PNLT Santa Cruz de la Sierra Bolívia/2009 Engº Luiz Carlos R. Ribeiro Coordenador Geral de Planejamento Resgate do processo

Leia mais

Ministério dos Transportes

Ministério dos Transportes Ministério dos Transportes VI Congresso Internacional de Transportes da Amazônia Política Nacional de Transportes Belém, 01 de setembro de 2015 Ministério dos Transportes - Competências Possui como principais

Leia mais

1 INTRODUÇÃO. Tabela 1 Valor exportado do agronegócio brasileiro

1 INTRODUÇÃO. Tabela 1 Valor exportado do agronegócio brasileiro 1 INTRODUÇÃO O Brasil encontra-se num ambiente favorável de crescimento econômico nos últimos anos. A economia brasileira tem como principais forças o comércio, o setor industrial e o agronegócio. O agronegócio,

Leia mais

Modal Ferroviário. Equipe: Docemar M. Borges Felipe Cordova Leonardo F. Heinz Wivian Neckel

Modal Ferroviário. Equipe: Docemar M. Borges Felipe Cordova Leonardo F. Heinz Wivian Neckel Modal Ferroviário Equipe: Docemar M. Borges Felipe Cordova Leonardo F. Heinz Wivian Neckel O que é modal? O modal ferroviário caracteriza-se, especialmente, por sua capacidade de transportar grandes volumes,

Leia mais

Política de Combate a Inundações de Belo Horizonte. Prefeitura de Belo Horizonte

Política de Combate a Inundações de Belo Horizonte. Prefeitura de Belo Horizonte Política de Combate a Inundações de Belo Horizonte Prefeitura de Belo Horizonte Belo Horizonte, fevereiro/2011 ASPECTOS GERAIS DA CIDADE DE BELO HORIZONTE Área superficial : 330 km 2 População : 2,5 milhões

Leia mais

INFORMAÇÃO 111/2012 DAP/SUPCOL PROTOCOLO Nº /2012 INTERESSADO: SAAE Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Guarulhos ASSUNTO: CONSULTA TÉCNICA

INFORMAÇÃO 111/2012 DAP/SUPCOL PROTOCOLO Nº /2012 INTERESSADO: SAAE Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Guarulhos ASSUNTO: CONSULTA TÉCNICA INFORMAÇÃO 111/2012 DAP/SUPCOL PROTOCOLO Nº 170480/2012 INTERESSADO: SAAE Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Guarulhos ASSUNTO: CONSULTA TÉCNICA 1. IDENTIFICAÇÃO E HISTÓRICO O SAAE- Serviço Autônomo

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES SINALIZAÇÃO E SEGURANÇA NO TRANSPORTE FERROVIÁRIO

AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES SINALIZAÇÃO E SEGURANÇA NO TRANSPORTE FERROVIÁRIO AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES SINALIZAÇÃO E SEGURANÇA NO TRANSPORTE FERROVIÁRIO São Paulo 14 de Agosto de 2007 HISTÓRICO DO SETOR FERROVIÁRIO DE TRANSPORTES - ATÉ A DÉCADA DE 40: FERROVIA

Leia mais

LOGÍSTICA DE TRANSPORTES DE CARGAS

LOGÍSTICA DE TRANSPORTES DE CARGAS LOGÍSTICA DE TRANSPORTES DE CARGAS Jean Carlos Pejo J C PEJO CONSUTORES ASSOCIADOS S/C LTDA Mapa da Produção de Soja no Brasil Projeção da Produção de Soja no Brasil Safra Produção Exportação 2009/2010

Leia mais

Porto Multimodal de São Luís. Seminário Caminhos da Engenharia Brasileira Atividade Portuária

Porto Multimodal de São Luís. Seminário Caminhos da Engenharia Brasileira Atividade Portuária Seminário Caminhos da Engenharia Brasileira Atividade Portuária Outubro, 2016 Visão geral do processo Nova Lei dos Portos Agilidade na decisão de investimento Dificuldades Conjuntura Econômica Inicio da

Leia mais

CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE SANTA CECÍLIA

CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE SANTA CECÍLIA TÍTULO: TRANSPORTE HIDROVIÁRIO X INTERFERÊNCIAS DE OBRAS DE ARTE ESPECIAIS DE ENGENHARIA NA REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA - UMA PROPOSTA DE SOLUÇÃO CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS

Leia mais