CBPF UERJ UFABC UNESP CEFET UFRGS UNIFESP

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CBPF UERJ UFABC UNESP CEFET UFRGS UNIFESP"

Transcrição

1 CBPF UERJ UFABC UNESP CEFET UFRGS UNIFESP

2 CMS Brasil Composição 7 Ins=tuições em 3 Estados 41 membros: 18 professores e pesquisdores 23 estudantes e técnicos Análises Físicas Física Difra=va Física Exó=ca Física do Higgs Física Eletrofraca Física de Íons Pesados Desenvolvimento de Detectores Castor Infraestrutura de Processamento Tier2 UERJ Tier2 SPRACE Desenvolvimento de SoWware Alpgen FastSim Serviços à Colaboração Produção de Alpgen Plantões Centrais: 1544 h Qualidade dos Dados: 400 h Calorímetro Hadrônico: 208 h Coordenação: 72 h Computação: 864 h 17/12/2010 Renafae 1

3 Equipe em 2010/2011 Professores e Pesquisadores com M&O (18) UERJ (9) Alberto Santoro André Sznajder Carley Mar=ns Helio Nogima Luiz Mundim Vitor Oguri Wanda Prado Wagner Carvalho Sandro Fonseca CBPF (4) Gilvan Alves Maria Elena Pol Moacyr Souza Dilson Damião UNESP/UFABC (5) Sergio Novaes Sandra Padula Franciole Marinho Eduardo Gregores Pedro Mercadante Estudantes, Pesquisadores e Professores sem M&O (29) UERJ/UFRGS/CEFET (16) Eduardo Revoredo José Afonso Samyr Cury Fabiana Fortes Sheila Mara Ana Thereza Diego Figueiredo Eliza Melo Jordan Mar=ns Luana Soares Walter Alda Analu Custódio Marko Petek Diego Gomes Alan Malta Alexandre Zachi CBPF (4) - Marília Carneiro - Lucas Cavalcan= - Marcos Correa Mar=ns Jr - Thiago dos Reis Mar=ns UNESP/UFABC/UNIFESP (9) - Sérgio Liem - Marco Dias - Rogério Iope - Jadir Silva - Thiago Tomei - Flavia Dias - Cesar Bernardes - Tiago dos Anjos - Caio Laganá 17/12/2010 Renafae 2

4 Status do LHC Colisões p+p a 7 TeV De 03/2010 a 11/2010. Luminosidade Integrada de ~ 50 pb - 1. Luminosidade instantânea crescente com injeção de trens de bunches. Operação estável e confiável. Colisões Pb+Pb a 2,76 TeV/par de nucleon De 11/2010 a 12/2010. Luminosidade integrada de ~ 8 μb - 1. Apenas 3 dias entre run de protons e run de Heavy Ions. Opções para 2011/2012 Opção A 1 ano de run a 7 TeV Luminosidade acumulada de 1 v TeV em 2013 Opção B 2 anos de run a 8 TeV Luminosidade acumulada de 4 v TeV em /12/2010 Renafae 3

5 Status do CMS Todos os sistemas funcionando extremamente bem. Modelo Padrão inteiramente redescoberto. Novidades em p+p Primeira observação de correlação de longa distância em distribuição azimutal. Novidades em Pb+Pb Produção de Z 0. 17/12/2010 Renafae 4

6 Análises em Física Difra=va CASTOR Situado a 14,3 m Dentro do CMS FP420 Roman Pots Situados a 147, 220 e 420 m. ZDC Calorímetro com cobertura a zero grau Situado entre os feixes a 140 m. Tópicos de Análise: Produção difra=va de dijatos Produção difra=va de mésons B decaindo em J/ψ + Κ. Estudo de processos difra=vos em eventos de minimum bias. Produção exclusiva de méson χ C0, dijatos e γγ. 17/12/2010 Renafae 5

7 Análises em Física Difra=va: Dijatos Difra=vos Procura por eventos de Dijatos caracterizados por um Gap de Pseudorapidez. PRELIMINAR Seleção de Eventos no Bin(0,0): mínima a'vidade nas torres dos calorímetros e produção de dijatos no lado oposto ao Gap. PRELIMINAR Status Atual: análise de eficiências, teste de triggers e comparação com monte- carlo. 17/12/2010 Renafae 6

8 Análises em Física Difra=va: Gap de Rapidez entre Jatos Troca de um singleto de cor no espalhamento partônico Ausência de par=culas no intervalos de rapidez entre os dois jatos de maior pt; Foi observado no Tevatron como um excesso de eventos com baixa mul=plicidade entre os jatos; A fração de eventos de dijatos de singleto de cor é de ~1% dos eventos de dijatos inclusivos (na energia do Tevatron); Mo=vação: Background do canal de descoberta do Higgs Higgs invisivel; HARDCOL Monte- Carlo Implementa o espalhamento partônico para altos valores de momentum transferido pela troca de um pomeron de BFKL; 17/12/2010 Renafae 7

9 Análises em Física Difra=va: Razão da produção difra=va e total de B + J/Ψ + K + Presença de múl=plos traços carregados na região central do detector para a seleção de eventos difra=vos, Separação entre estes eventos e os não difra=vos Resultado compa vel com o CDF. Monte Carlo HF x CASTOR RB+ = [0,42 0,04 (est) 0,08 (sis)] % HF x HF RB+ = [0,56 0,04 (est) 0,11 (sis)] % 17/12/2010 Renafae 8

10 Análises em Física Difra=va: Dijatos Exclusivos Inves=gação do trigger de dijatos exlusivos Dijatos com o gap de rapidez Dijatos com pt > 20 GeV Distribuições de pt, eta e phi Comparação de dados com MC PYTHIA6 Triggers: HLT_ExclusiveDijetsHFAND HLT_ExclusiveDijetsHFOR HLT_Jet30U Análise do perfil dos jatos: Cortes em Δη e Δφ Picos em torno do eixo dos jatos; Cortes: Energia do HF+, HF- EHF<4 e EHF = 0; 17/12/2010 Renafae 9

11 Análises em Física Difra=va: Produção Exclusiva Central de χ C0, dijatos e γγ Semelhante à produção de Higgs mas com maior seção de choque Análise em andamento Estudo de cortes Efeito do pile- up Trigger para eventos exclusivos 17/12/2010 Renafae 10

12 Análises em Física Exó=ca: Dimensões Extras de Randall Sundrum Procura por Gráviton de RS Ressonância no canal S decaindo em par de Z s. Parâmetros da análise: Jet 1 pt > 150 GeV, η < 3.0 MET > 150 GeV N jets < 3 Veto de traços isolados (léptons) Massa invariante do jato > 70 GeV Estudo feito com MC para 300 pb - 1. Luminosidade mínima requerida: Exclusão a 95% CL: 3.1 ± 0.2 v - 1 Evidência a 3 sigmas: 18.6 ± 1.0 v - 1 Graviton Transverse Mass 17/12/2010 Renafae 11

13 Análises em Física Exó=ca: Dimensões Extras Universais Produção de pares de modos de Kaluza- Klein Busca por dois leptons de mesma carga. Alta a=vidade hadrônica Fenomelogia semelhante a de Susy Conservação de paridade de KK Candidato a matéria escura: fóton- KK Estudos de Monte Carlo Sinal esperado: ~ 70 eventos (35/pb) Diferentes fontes de ruído analizadas QCD é a componente do ruído dominante Redução da contaminação é viável Ruído W+Jets Z+Jets VV+Jets WW WZ ZZ Single top Número de Eventos 6.6 ± ± ± ± ± ± ± /12/2010 Renafae 12

14 Análises em Física Exó=ca: Procura de Ressonâncias no Modelo /12/2010 Renafae 13

15 Análises em Física do Higgs: Método do Elemento de Matriz 17/12/2010 Renafae 14

16 Análises em Física do Higgs: Fusão de Bósons Vetoriais 17/12/2010 Renafae 15

17 Análises em Física de Íons Pesados: Correlações de Bose- Einstein Identificação de partículas usando de/dx Correlações de Bose-Einstein p+p a s = 0.9 TeV Futura análise: Colisões Pb+Pb a s = 2.76 TeV por par de nucleon 17/12/2010 Renafae 16

18 Análises em Física de Íons Pesados: Produção de Geradores de Eventos Gerador de eventos de MC para colisões A+A rela=vís=cas Combina duas componentes: SoW: parametrização hidrodinâmica Hard: fragmentação mul=partônica Proposta: Subs=tuir simulador sow por cálculo real da expansão hidrodinâmica em 3- D SPheRIO (Takeshi Kodama & Yogiro Hama) SPheRIO: Versá=l, explica bem a Física do RHIC Flow de par culas Ellip=c flow (v2) Efeitos de ridge Alterna=vas a mach cone Correlações de par culas HBT Flutuações, etc. A ser adaptado para a Física do LHC. Estágio atual: Página Twiki no SPRACE h p://www.sprace.org.br/twiki/bin/ view/main/ SPheRIO#Presenta=on_and_history/ Código SPheRIO, com algumas condições iniciais Manual de Instruções e descrição do SPheRIO Manual de instalação A ser implantada a par=r de 02/ /12/2010 Renafae 17

19 Desenvolvimento e Construção de Detectores: CASTOR Centauro And STrange Object Research Calorímetro de Tungstênio e Quartzo Situado a 14.3 m do centro do CMS 17/12/2010 Renafae 18

20 CASTOR: Biblioteca de chuveiros Reproduz os perfis longitudinal e transversal dos chuveiros, a energia total e as flutuações, para chuveiros eletromagné=cos e hadrônicos. Essencial para a produção em grande escala de eventos MC com simulação da resposta do CASTOR, possibilitando o uso deste detector nas análises. Dentro da simulação oficial do CMS desde novembro de /12/2010 Renafae 19

21 CASTOR: Banco de Dados do Detector Concluído Elaboração de sowware dentro do programa de reconstrução de eventos para a leitura do DB Adaptação de sowware existente para escrita e teste das condições do CASTOR no DB Permanente Gerenciamento do Banco de Dados do CASTOR Em andamento Redefinição da atualização das condições, nos diferentes estágios do processamento dos dados Online/Trigger de alto nível (HLT) Processamento express Primeiro processamento Reprocessamentos Monte Carlo 17/12/2010 Renafae 20

22 CASTOR: Centauro Analysis Code Iden=ficação de eventos com deposição anômala de energia nos setores e anéis do calorímetro Dados de Simulação Análise de um evento 17/12/2010 Renafae 21

23 CASTOR: Operação com Íons Pesados Energy- flow no HF (Hadronic Forward Calorimeter) Energy flow no HF + CASTOR Trabalho em andamento Usados 1000 eventos Normalizado pelo número de eventos. 17/12/2010 Renafae 22

24 Desenvolvimento de SoWware: FastSim h ps://twiki.cern.ch/twiki/bin/view/cms/fastsimneeds h ps://twiki.cern.ch/twiki/bin/view/cms/muombremfastsim 17/12/2010 Renafae 23

25 Processamento de Dados: Desenvolvimento e Produção de Eventos do ALPGEN Interface FORTRAN / C++ para a execução de ALPGEN na Framework de SoWware do CMS 47.9 milhões de eventos simulados produzidos no São Paulo Regional Analysis Center (SPRACE) desde Setembro de 2009 Produção de documentação oficial / suporte aos usuários para o uso de ALPGEN no CMS 17/12/2010 Renafae 24

26 Infraestrutura de Processamento: UERJ Cluster 50 servidores de processamento 4 switches de rede; Servidores adicionais dedicados a disponibilização dos serviços de Grid Tranferência de dados (PhEDEx + GridFTPs) Submissão de jobs (computer elements + Condor); Armazenamento distribuído (dcache); Servidor web; Servidor de nomes; Servidor de contas dos usuários; Servidor de auten=cação dos usuários da Grid; Servidor de monitoramento; Sala de Controle Sala de controle e de terminais do CMS Dois monitores de grande visibilidade Quatro estações de monitoramento com monitores de 22 polegadas Seis terminais de submissão e análise de jobs 17/12/2010 Renafae 25

27 Infraestrutura de Processamento: UERJ Total de jobs para o CMS na T2-UERJ (12/09 a 12/10) Afetaram os resultados: Falhas do sistema de refrigeração an=go; Instalação do novo sistema de refrigeração - 20 dias; Seis ocasiões de indisponibilidade da rede externa, sendo duas de longa duração Atualização/melhoria das instalações elétricas. 17/12/2010 Renafae 26

28 Infraestrutura de Processamento: SPRACE Hospedado no Núcleo de Computação Cien fica - NCC da Unesp. Integrante oficial do WordWide LHC Compu=ng Grid WLCG. Site de processamento e armazenamento do Open Science Grid OSG. Operação compar=lhada com o GridUnesp. Descrição do Equipamento: Nós de Processamento: 80 Core (Batch Slots): 320 Memória/Core: 1,8 Gb Servidores Dedicados: 7 Armazenamento: 120 TB Conec=vidade: CERN: 5 Gbps Rede Kyatera: 10 Gbps 17/12/2010 Renafae 27

29 Infraestrutura de Processamento: SPRACE Transferência de Dados via Phedex 70 TB transferidos / semana Organizações Virtuais que usam o SPRACE Média de 300 jobs simultâneos CMS em vermelho Disponibilidade e Confiabilidade situada entre as melhores do mundo Responde por 30% de toda a produção de ALPGEN da colaboração. Mais de 200M de eventos oficiais de ALPGEN armazenados no SPRACE 17/12/2010 Renafae 28

30 Produção Bibliográfica Notas Internas ALPGEN VB + jets: Valida=on Studies, CMS AN- 2008/091 The Z - > e e + jets data candle, CMS AN- 2008/092 The Z - > μ μ + jets data candle, CMS AN- 2008/095 The Ra=o of W - > e nu + N jets to Z - > e e + N jets Versus N, CMS AN- 2008/096 The Ra=o of W - > μ nu + N jets to Z - > μ μ + N jets Versus N, CMS AN- 2008/105 The W + jets / Z + jets Ra=o at CMS with p+p collisions at center- of- mass energy 10 TeV, CMS AN- 2009/045 The Z + jets candle in dielectron + jets and dimuon+ jets final states at CMS with p+p collisions at center- of- mass energy 10 TeV, CMS AN /092 Search for High- Mass Resonances Decaying to Muon Pairs with 40/pb of collisions gathered at s = 7 TeV, CMS AN- 2010/317 Exploring the Minimal 331 Model in the Search for New High Mass Dimuon Resonances in the CMS Experiment, CMS AN- 2010/442 Measurement of Bose Einstein Correla=ons in proton- proton Collisions at s = 7 TeV at the LHC, CMS AN- 2010/239 Measurement of the Forward- Backward Asymmetry (A_FB) in Z/gamma*- - >mumu events in CMS at s = 7 TeV, CMS AN- 2010/161 Ar=gos Publicados em Periódicos: 28 Physical Review Le ers: 2 Physics Le ers B: 1 Journal of High Energy Physics: 2 Journal of Instrumenta=on: 23 Ar=gos em Tramitação na Colaboração: 49 Subme=dos: 9 Collabora=on Wide Review: 10 Analysis Review Commi ee: 20 Pre- approval: 10 17/12/2010 Renafae 29

CMS RENAFAE 21/6/2010!

CMS RENAFAE 21/6/2010! CMS RENAFAE 21/6/2010! 2010! 8 com M&O! Alberto Santoro! André Sznajder! Carley Martins! Helio Nogima! Luiz Mundim! Vitor Oguri! Wanda Prado! Wagner Carvalho! 16 sem M&O! Eduardo Revoredo! José Afonso!

Leia mais

CMS CBPF/UERJ/CEFET-RJ/UNICAMP/UNA

CMS CBPF/UERJ/CEFET-RJ/UNICAMP/UNA CMS CBPF/UERJ/CEFET-RJ/UNICAMP/UNA RENAFAE 29/11/2012 2012 4 com M&O Gilvan Alves Maria Elena Pol Moacyr Souza Dilson Damião (05/12) 4 sem M&O Mario Vaz Lucas Cavalcanti Marcos Correa Thiago Martins CBPF

Leia mais

São Paulo UFABC UNESP USP

São Paulo UFABC UNESP USP São Paulo UFABC UNESP USP CMS São Paulo Composição: 3 Ins:tuições no Estado 24 membros (5 M&O) 0,36% da Colaboração (1388 M&O) Análises Físicas: Física Exó:ca Física de Íons Pesados Desenvolvimento de

Leia mais

Projeto Temático: Processo 2008/02799-8 Vigência: 01/Dezembro/2008 a 30/Novembro/2012 Relatório: 01/Dezembro/2009 a 30/Novembro/2010

Projeto Temático: Processo 2008/02799-8 Vigência: 01/Dezembro/2008 a 30/Novembro/2012 Relatório: 01/Dezembro/2009 a 30/Novembro/2010 Projeto Temático: Processo 2008/02799-8 Vigência: 01/Dezembro/2008 a 30/Novembro/2012 Relatório: 01/Dezembro/2009 a 30/Novembro/2010 Relatório Científico Centro Regional de Análise de São Paulo: Participação

Leia mais

Aumento da Capacidade de Armazenamento do SPRACE

Aumento da Capacidade de Armazenamento do SPRACE Julho 2010 Aumento da Capacidade de Armazenamento do SPRACE São Paulo Regional Analysis Center Sergio Ferraz Novaes Sumário I. IDENTIFICAÇÃO DA PROPOSTA... 3 II. QUALIFICAÇÃO DO PROBLEMA... 3 III. OBJETIVOS

Leia mais

Status da T2-UERJ. Equipe técnica: Douglas Milanez Eduardo Revoredo José Afonso Sanches. Estagiários Luiz Gustavo Dornellas Renata Salles

Status da T2-UERJ. Equipe técnica: Douglas Milanez Eduardo Revoredo José Afonso Sanches. Estagiários Luiz Gustavo Dornellas Renata Salles Status da T2-UERJ Equipe técnica: Douglas Milanez Eduardo Revoredo José Afonso Sanches Estagiários Luiz Gustavo Dornellas Renata Salles Colaboração CERN: Alan Malta e Ana Franco Cluster Infraestrutura

Leia mais

Lista de Atividades dos Autores do ATLAS

Lista de Atividades dos Autores do ATLAS Lista de Atividades dos Autores do ATLAS 1. Andre Asevedo Nepomuceno (UFF) Membro do grupo de física exótica do ATLAS, em particular na busca de novas ressonâncias que decaem em um par de elétrons ou muons.

Leia mais

A"vidades e planos dos novos integrantes do CMS/CBPF

Avidades e planos dos novos integrantes do CMS/CBPF A"vidades e planos dos novos integrantes do CMS/CBPF (FSQ,SuSy,LPC WW lνjj,hcal) Arthur Moraes Carsten Hensel Patricia R. Teles Clemencia Mora H. Introdução Novos integrantes vindos do ATLAS ou de teoria/fenomenologia

Leia mais

SPRACE Group@CMS. Maria Spiropulu. Wednesday, August 28, 13

SPRACE Group@CMS. Maria Spiropulu. Wednesday, August 28, 13 SPRACE Group@CMS Maria Spiropulu SPRACE on V+jets, tt+jets 2007-2010 SPARCE Support to CMS generators group: ALPGEN production and validation with the resources of the Sao Paolo T2 in Brazil. Team: Maurizio

Leia mais

Experimento do DZero (CMS?) Pedro Mercadante (UNESP)

Experimento do DZero (CMS?) Pedro Mercadante (UNESP) Guia para Análises Experimento do DZero (CMS?) Pedro Mercadante (UNESP) Sumário Dados Sinal Simulação por MC Definição dos objetos Físicos Background Simulação por MC Estimativa a partir dos dados Comparação

Leia mais

Upgrade do calorímetro frontal do CMS/LHC

Upgrade do calorímetro frontal do CMS/LHC Upgrade do calorímetro frontal do CMS/LHC Unidade: Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF) Coordenador: Gilvan Augusto Alves I Introdução II Descrição da área de pesquisa em Física de Altas Energias

Leia mais

Planejamento para Implantação do GridUnesp. II Workshop GridUnesp Outubro de 2006

Planejamento para Implantação do GridUnesp. II Workshop GridUnesp Outubro de 2006 Planejamento para Implantação do GridUnesp II Workshop GridUnesp Outubro de 2006 2 Roteiro O que é Grid Porque Grid? Conceitos gerais. Componentes de um Grid. Exemplo: o SPRACE (São Paulo Regional Analysis

Leia mais

Universidade do Estado do Rio de Janeiro Centro de Tecnologia e Ciências Instituto de Física Armando Dias Tavares

Universidade do Estado do Rio de Janeiro Centro de Tecnologia e Ciências Instituto de Física Armando Dias Tavares Universidade do Estado do Rio de Janeiro Centro de Tecnologia e Ciências Instituto de Física Armando Dias Tavares Eliza Melo da Costa Estudo do impacto do empilhamento em eventos na difração simples dura

Leia mais

Operações do SPRACE: DØD

Operações do SPRACE: DØD Operações do SPRACE: DØD Sergio M. Lietti I Workshop do SPRACE Sumário O Experimento DØ O Cluster SPRACE suas três fases Operações para o DØ durante a primeira fase Simulação de MC (mcfarm) Operações para

Leia mais

Observação de uma nova partícula com uma massa de 125 GeV

Observação de uma nova partícula com uma massa de 125 GeV Observação de uma nova partícula com uma massa de 125 GeV Experiência CMS, CERN 4 de Julho de 2012 Resumo Num seminário conjunto do CERN e da conferência ICHEP 2012 [1], em Melbourne, os colaboradores

Leia mais

23-27 novembro de 2009 Alberto Santoro 1

23-27 novembro de 2009 Alberto Santoro 1 23-27 novembro de 2009 Alberto Santoro 1 Feira Internacional da Amazonia Manaus Amazonas 23 27 de novembro de 2009 Roteiro Alberto Santoro UERJ 23-27 novembro de 2009 Alberto Santoro 2 A Energia é por

Leia mais

Grid Computing: Processamento de Alto Desempenho em Rede

Grid Computing: Processamento de Alto Desempenho em Rede Grid Computing: Processamento de Alto Desempenho em Rede José Roberto B. Gimenez Coordenador de TI do GridUNESP jr@unesp.br Estrutura da apresentação Motivação para uso de Grid Discussão sobre problemas

Leia mais

Introdução à Física de Altas Energias SPRACE

Introdução à Física de Altas Energias SPRACE Desafios para o Futuro São Paulo Regional Analysis Center Introdução à Física de Altas Energias SPRACE Até ~1973 Perspectiva Formulação teórica do Modelo Padrão Renormalizabilidade do SU(2) U(1) com o

Leia mais

Detectores de Partículas: Tiago dos Anjos

Detectores de Partículas: Tiago dos Anjos Detectores de Partículas: Uma Introdução ao CMS Tiago dos Anjos Sumário Aceleradores Circulares LHC O Detector CMS - Sistema de Trajetórias - Sistema de Múons - Calorímetro Eletromagnético - Calorímetro

Leia mais

Lista de Atividades Realizadas dos Autores do ATLAS (Dezembro/2011 a Novembro/2012)

Lista de Atividades Realizadas dos Autores do ATLAS (Dezembro/2011 a Novembro/2012) Lista de Atividades Realizadas dos Autores do ATLAS (Dezembro/2011 a Novembro/2012) 1. Andre Asevedo Nepomuceno (UFF) Membro do grupo de física exótica do ATLAS, em particular na busca de novas ressonâncias

Leia mais

O Experimento CMS Parte 2/2

O Experimento CMS Parte 2/2 O Experimento CMS Parte 2/2 Thiago Tomei 29/03/2007 7/5/2007 Thiago Tomei 1 Sumário Parte 1: O Experimento CMS Large Hadron Collider LHC Compact Muon Solenoid CMS Estrutura de Hardware do CMS: Detector

Leia mais

Dimensões Extras Universais

Dimensões Extras Universais Dimensões Extras Universais Parte 2: Experimento do DZero Pedro Mercadante (UNESP) Sumário Detector Simulação Pythia ued DZero Monte Carlo Cafe Alguns objetos: Missing E T e Muon 2006 P. Mercadante 2 The

Leia mais

Computação no Alice e grid. Alexandre Suaide IF-USP

Computação no Alice e grid. Alexandre Suaide IF-USP Computação no Alice e grid Alexandre Suaide IF-USP 1 Resumo Alguns números importantes Requerimentos (dados e simulações) Processamente Armazenamento Estrutura computacional GRID Nossas necessidades 2

Leia mais

Sistemas de computação e análise de dados

Sistemas de computação e análise de dados Sistemas de computação e análise de dados I Workshop RENAFAE Eduardo Gregores LHC: Uma nova escala em computação 20 MByte/s 100 MByte/s 1500 MByte/s Stored (After Level 3) 2 Processamento Distribuído 3

Leia mais

Projeto Temático. Centro Regional de Análise de São Paulo: Participação nos Experimentos DZero e CMS

Projeto Temático. Centro Regional de Análise de São Paulo: Participação nos Experimentos DZero e CMS São Paulo Regional Analysis Center SPRACE Abril 2008 Projeto Temático Centro Regional de Análise de São Paulo: Participação nos Experimentos DZero e CMS Universidade de São Paulo (USP) Universidade Estadual

Leia mais

Universidade do Estado do Rio de Janeiro Centro de Tecnologia e Ciência Instituto de Física Armando Dias Tavares. Eliza Melo da Costa

Universidade do Estado do Rio de Janeiro Centro de Tecnologia e Ciência Instituto de Física Armando Dias Tavares. Eliza Melo da Costa Universidade do Estado do Rio de Janeiro Centro de Tecnologia e Ciência Instituto de Física Armando Dias Tavares Eliza Melo da Costa Estudo dos processos de dijatos exclusivos a s = 7 T ev no CMS/LHC Rio

Leia mais

Uma Breve Introdução à Física de Partículas O DEE-UFBA na Colaboração do Detector ATLAS do LHC

Uma Breve Introdução à Física de Partículas O DEE-UFBA na Colaboração do Detector ATLAS do LHC no do do no Uma Breve à Física de Partículas O na Colaboração do Detector do LHC Prof. (eduardo.simas@ufba.br) Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Universidade Federal da Bahia Colaboração

Leia mais

GridUNESP: Status do Projeto

GridUNESP: Status do Projeto GridUNESP: Status do Projeto S. F. Novaes UNESP IV Workshop do GridUNESP Dezembro 2008 Objetivos do Workshop Apresentar o status do projeto Apresentar a equipe técnica Discutir as próximas etapas da implementação

Leia mais

Diego Matos Figueiredo

Diego Matos Figueiredo Universidade do Estado do Rio de Janeiro Centro de Tecnologia e Ciências Instituto de Física Armando Dias Tavares Diego Matos Figueiredo Análise da produção de dijatos de difração simples no experimento

Leia mais

Ana Carolina dos Santos Assis Jesus

Ana Carolina dos Santos Assis Jesus Universidade do Estado do Rio de Janeiro Instituto de Física Armando Dias Tavares Pós-Graduação em Física Dissertação de Doutorado PPGF-D.03/07 Produção Difrativa de J/ψ no Experimento DØ Ana Carolina

Leia mais

IFT. Busca por Dimensões Extras no Detector CMS do Large Hadron Collider. Thiago Rafael Fernandez Perez Tomei. Orientador. Sérgio Ferraz Novaes

IFT. Busca por Dimensões Extras no Detector CMS do Large Hadron Collider. Thiago Rafael Fernandez Perez Tomei. Orientador. Sérgio Ferraz Novaes IFT Instituto de Física Teórica Universidade Estadual Paulista TESE DE DOUTORAMENTO IFT T.006/12 Busca por Dimensões Extras no Detector CMS do Large Hadron Collider Thiago Rafael Fernandez Perez Tomei

Leia mais

Participação Brasileira no Experimento ALICE do LHC USP-UNICAMP

Participação Brasileira no Experimento ALICE do LHC USP-UNICAMP Participação Brasileira no Experimento ALICE do LHC USP-UNICAMP O Experimento ALICE do LHC Experimento do LHC dedicado ao estudo de colisões entre íons pesados relativísticos Detector: Total weight: 10,000

Leia mais

IFT. Busca por Dimensões Extras no Detector CMS do Large Hadron Collider. Thiago Rafael Fernandez Perez Tomei. Orientador. Sérgio Ferraz Novaes

IFT. Busca por Dimensões Extras no Detector CMS do Large Hadron Collider. Thiago Rafael Fernandez Perez Tomei. Orientador. Sérgio Ferraz Novaes IFT Instituto de Física Teórica Universidade Estadual Paulista TESE DE DOUTORAMENTO IFT T.006/12 Busca por Dimensões Extras no Detector CMS do Large Hadron Collider Thiago Rafael Fernandez Perez Tomei

Leia mais

Proposta de um Novo Calorímetro Eletromagnético para o Experimento ALICE - LHC

Proposta de um Novo Calorímetro Eletromagnético para o Experimento ALICE - LHC Universidade de São Paulo Instituto de Física Proposta de um Novo Calorímetro Eletromagnético para o Experimento ALICE - LHC Camila de Conti Orientador: Prof. Dr. Marcelo Gameiro Munhoz Dissertação de

Leia mais

Detectores de Partículas: Tiago dos Anjos

Detectores de Partículas: Tiago dos Anjos Detectores de Partículas: Uma Introdução ao CMS Tiago dos Anjos Sumário Aceleradores Circulares LHC O Detector CMS - Sistema de Trajetórias - Detector de múons - Calorímetro Eletromagnético - Calorímetro

Leia mais

Colaboração na experiência ATLAS (LHC)

Colaboração na experiência ATLAS (LHC) Colaboração na experiência ATLAS (LHC) em parceria com FCTUC CFNUL/FCUL e ainda UNL IDMEC/IST UCatFF UM Colaboração internacional ANL (Chicago) Barcelona Clermont-Ferrand Michigan St. Univ. Pisa Praga

Leia mais

CERN-THESIS-2011-322

CERN-THESIS-2011-322 CERN-THESIS-2011-322 Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas - CBPF Dissertação de Mestrado Estudo da Produção Exclusiva do Méson χ c0 no experimento CMS/LHC Marília da Silva Ramos Carneiro Orientador:

Leia mais

Large Hadron Collider

Large Hadron Collider Rede Nacional de Física de Altas Energias Setembro 2008 Large Hadron Collider Participação Brasileira nos Experimentos do CERN Sumário I. CERN: BREVE HISTÓRICO...3 II. PARTICIPAÇÃO BRASILEIRA NO LHC...5

Leia mais

4 OexperimentoLHCb 4.1

4 OexperimentoLHCb 4.1 4 OexperimentoLHCb 4.1 Introdução Numa visão idealista de uma reação entre partículas elementares, poderíamos acessar todas as etapas de seu processo. No entanto, a única informação que coletamos é proveniente

Leia mais

em grid como ferramenta essencial na investigação da estrutura do universo

em grid como ferramenta essencial na investigação da estrutura do universo Computação em grid como ferramenta essencial na investigação da estrutura do universo Alexandre Suaide Marcelo Gameiro Munhoz 19 dossiê Computação em nuvem RESUMO Movidos pela curiosidade e a necessidade

Leia mais

Administrando um Tier do LHC

Administrando um Tier do LHC SPRACE 10 de setembro de 2008 1 2 3 Vericar se cluster está em pé: [mdias@osg-ce ~]. /OSG/setup.sh ;/OSG/verify/site_verify.pl Problemas podem vir da autenticação. Tente reiniciar o Gums server: [root@osg-ce

Leia mais

aceleradores e detectores na física de partículas elementares

aceleradores e detectores na física de partículas elementares aceleradores e detectores na física de partículas elementares joão carvalho LIP e departamento de física da universidade de coimbra S. Tomé 05 de setembro de 2009 1 estudar as partículas produzir feixes

Leia mais

Aceleradores e Detectores

Aceleradores e Detectores Aceleradores e Detectores São Paulo Regional Analysis Center Como explorar o mundo sub-atômico? 1910 Rutherford α... 1995 Tevatron, Fermilab 2008 LHC, CERN 2012 ILC,?... 2 Por que altas energias? de Broglie:

Leia mais

Estratégia de Implantação do GridUNESP. II Brazilian LHC Computing Workshop - GridUNESP

Estratégia de Implantação do GridUNESP. II Brazilian LHC Computing Workshop - GridUNESP Estratégia de Implantação do GridUNESP II Brazilian LHC Computing Workshop - GridUNESP O que é Grid? Grid é um sistema que coordena recursos computacionais geograficamente distribuídos. Usa protocolos

Leia mais

1. Resumo. 2. Introdução

1. Resumo. 2. Introdução 1. Resumo O exercício proposto consiste na busca de partículas estranhas, que são produzidas à partir de colisões entre partículas no acelerador LHC e medidas pelo experimento ALICE. Este exercício se

Leia mais

Alberto Santoro. LNCC - 13 de Setembro de 2000. Alberto Santoro. Lafex/CBPF 2000

Alberto Santoro. LNCC - 13 de Setembro de 2000. Alberto Santoro. Lafex/CBPF 2000 Lafex/CBPF 2000 LNCC - 13 de Setembro de 2000 1 Ciência & Tecnologia Roteiro: I II - INTRODUÇÃO Modelos - Visão Global - CIÊNCIA E TECNOLOGIA Um Casamento Estratégico III - EXEMPLOS DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Leia mais

um experimento dedicado a estudar a composição de partículas primárias de raios cósmicos e interações hadrônicas de altas energias.

um experimento dedicado a estudar a composição de partículas primárias de raios cósmicos e interações hadrônicas de altas energias. Uma análise sobre diferentes parametrizações da atmosfera em simulações de chuveiros atmosféricos extensos de raios cósmicos Stefano Castro TOGNINI; Ricardo Avelino GOMES Instituto de Física Universidade

Leia mais

1 Instituições. 2 Pesquisadores Autores: 3 Pesquisadores Colaboradores. 4 PosDocs Colaboradores. 5 Estudantes:

1 Instituições. 2 Pesquisadores Autores: 3 Pesquisadores Colaboradores. 4 PosDocs Colaboradores. 5 Estudantes: Relatório ATLAS Janeiro a Dezembro de 2013 1 Instituições Oficialmente no ATLAS: 1.Universidade Federal do Rio de Janeiro 2.Universidade de São Paulo 3.Universidade Federal de Juiz de Fora 4.Universidade

Leia mais

Raios Cósmicos: Fundamentos e técnicas de detecção. Carla Bonifazi Instituto de Física - UFRJ

Raios Cósmicos: Fundamentos e técnicas de detecção. Carla Bonifazi Instituto de Física - UFRJ Raios Cósmicos: Fundamentos e técnicas de detecção Carla Bonifazi Instituto de Física - UFRJ Aula 17/07 X Escola do CBPF - 2015 Conteúdo do Curso Introdução: historia e primeiros detectores Medições diretas

Leia mais

Uma discussão presente de modo

Uma discussão presente de modo Uma discussão presente de modo bastante atual na área de ensino de física está relacionada à importância da inserção de temas mais atuais de física nas aulas dessa disciplina no Ensino Médio [1,2]. Nesse

Leia mais

Grupos e suas atividades no país

Grupos e suas atividades no país Grupos e suas atividades no país INTERAÇÕES EM CONDIÇÕES EXTREMAS - UFRJ Temas: Interação pp, Diagrama de Fase da QCD, Estrelas Compactas, Dinâmica da QCD, Física de Íons Pesados e Condições Iniciais,

Leia mais

Ricardo Avelino Gomes 1

Ricardo Avelino Gomes 1 artigos Olhando o céu do fundo de um poço Ricardo Avelino Gomes 1 No início havia um múon que atravessou toda a atmosfera e chegou na superfície da Terra. Na viagem, desafiou e desdenhou a mecânica de

Leia mais

ATA DO WORKSHOP E REUNIÃO DO CTC. 07 e 08 de Dezembro de 2011. RENAFAE Rede Nacional de Física de Altas Energias

ATA DO WORKSHOP E REUNIÃO DO CTC. 07 e 08 de Dezembro de 2011. RENAFAE Rede Nacional de Física de Altas Energias ATA DO WORKSHOP E REUNIÃO DO CTC 07 e 08 de Dezembro de 2011 RENAFAE Rede Nacional de Física de Altas Energias O Presidente da RENAFAE, Prof. Ricardo Galvão convocou o Workshop para todos os membros da

Leia mais

FILTRAGEM ONLINE DE EVENTOS RAROS E/OU EXÓTICOS BASEADA EM DADOS DE CALORIMETRIA DE ALTA ENERGIA EM UM DETECTOR FINAMENTE SEGMENTADO

FILTRAGEM ONLINE DE EVENTOS RAROS E/OU EXÓTICOS BASEADA EM DADOS DE CALORIMETRIA DE ALTA ENERGIA EM UM DETECTOR FINAMENTE SEGMENTADO FILTRAGEM ONLINE DE EVENTOS RAROS E/OU EXÓTICOS BASEADA EM DADOS DE CALORIMETRIA DE ALTA ENERGIA EM UM DETECTOR FINAMENTE SEGMENTADO Danilo Lima de Souza Tese de Doutorado apresentada ao Programa de Pós-graduação

Leia mais

Estudo do grande colisor de hádrons

Estudo do grande colisor de hádrons Estudo do grande colisor de hádrons Felipe BERNARDO MARTINS 1 ; Mayler MARTINS 2 1 Estudante do Curso Técnico em Manutenção Automotiva. Instituto Federal Minas Gerais (IFMG) campus Bambuí. Rod. Bambuí/Medeiros

Leia mais

IFT. Femtoscopia em colisões próton-próton no Detector CMS do Large Hadron Collider. Caio Laganá Fernandes. Orientadora. Prof. Dr. Sandra S.

IFT. Femtoscopia em colisões próton-próton no Detector CMS do Large Hadron Collider. Caio Laganá Fernandes. Orientadora. Prof. Dr. Sandra S. IFT Instituto de Física Teórica Universidade Estadual Paulista DISSERTAÇÃO DE MESTRADO IFT D.003/12 Femtoscopia em colisões próton-próton no Detector CMS do Large Hadron Collider Caio Laganá Fernandes

Leia mais

Roteiro: Alberto Santoro Lafex/CBPF LISHEP2001. - INTRODUÇÃO Novos Parâmetros - Novos Desafios. - Novas Iniciativas Participação na GRID

Roteiro: Alberto Santoro Lafex/CBPF LISHEP2001. - INTRODUÇÃO Novos Parâmetros - Novos Desafios. - Novas Iniciativas Participação na GRID 1 Roteiro: I II III Alberto Santoro Lafex/CBPF LISHEP2001 - INTRODUÇÃO Novos Parâmetros - Novos Desafios - Novas Iniciativas Participação na GRID - CONCLUSÃO Ciência & Tecnologia 8-12 Janeiro 2001 2 Nós

Leia mais

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software.

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software. 1 - Sumário 1 - Sumário... 2 2 O Easy Chat... 3 3 Conceitos... 3 3.1 Perfil... 3 3.2 Categoria... 4 3.3 Ícone Específico... 4 3.4 Janela Específica... 4 3.5 Ícone Geral... 4 3.6 Janela Geral... 4 4 Instalação...

Leia mais

REUNIÃO DO GRUPÃO 18-01-12

REUNIÃO DO GRUPÃO 18-01-12 REUNIÃO DO GRUPÃO 18-01-12 LOCAL: SALA 3017-3o. Andar - Bloco A UERJ Inicio 10 horas da manhã Thanks to Edu, Para colocar seus slides: https://indico.cern.ch/conferencedisplay.py?confid=168442 Para acesso

Leia mais

Localização Online do Vértice Primário de Colisão Utilizando a Transformada de Hough Adaptativa com Condição de Parada Dinâmica

Localização Online do Vértice Primário de Colisão Utilizando a Transformada de Hough Adaptativa com Condição de Parada Dinâmica CENTRO BRASILEIRO DE PESQUISAS FÍSICAS COORDENAÇÃO DE ATIVIDADES TÉCNICAS - CAT LABORATÓRIO DE PROCESSAMENTO DIGITAL DE SINAIS E IMAGENS - LPDSI Localização Online do Vértice Primário de Colisão Utilizando

Leia mais

II INTERNATIONAL MASTERCLASSES UFABC - HANDS ON IN PARTICLE PHYSICS

II INTERNATIONAL MASTERCLASSES UFABC - HANDS ON IN PARTICLE PHYSICS Conselho de Centro do CCNH Proposta de ação extensionista II INTERNATIONAL MASTERCLASSES UFABC - HANDS ON IN PARTICLE PHYSICS Giselle Watanabe Caramello (coordenador) Pedro Galli Mercadante (vice-coordenador)

Leia mais

A Antimateria e outros Misterios Estudados no Experimento ATLAS

A Antimateria e outros Misterios Estudados no Experimento ATLAS A Antimateria e outros Misterios Estudados no Experimento ATLAS Antimatéria e outros mistérios : da fantasia à realidade... O Experimento ATLAS no Grande Colisor de Hádrons (Large Hadron Collider LHC)

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE FÍSICA

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE FÍSICA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE FÍSICA PARTÍCULAS ELEMENTARES: A PROCURA DAS PARTÍCULAS W E Z. Aluno: Reinaldo Augusto da Costa Bianchi. Professor: Gil da Costa Marques. São Paulo, 1992. Esta ilustração

Leia mais

IFT. Procura de Sinais de Dimensões Extras Universais em Colisões Próton-Antipróton. Angelo de Souza Santos. Orientador Sérgio Ferraz Novaes

IFT. Procura de Sinais de Dimensões Extras Universais em Colisões Próton-Antipróton. Angelo de Souza Santos. Orientador Sérgio Ferraz Novaes IFT Instituto de Física Teórica Universidade Estadual Paulista TESE DE DOUTORAMENTO IFT T.0/12 Procura de Sinais de Dimensões Extras Universais em Colisões Próton-Antipróton Angelo de Souza Santos Orientador

Leia mais

Análise Estatística do Espectro de Neutrinos do Reator de Angra e Estudo da Sensibilidade Temporal do Detector

Análise Estatística do Espectro de Neutrinos do Reator de Angra e Estudo da Sensibilidade Temporal do Detector Análise Estatística do Espectro de Neutrinos do Reator de Angra e Estudo da Sensibilidade Temporal do Detector Thiago J. C. Bezerra e Bruno S. R. Miguez CBPF 11 de Dezembro de 2007 O que será apresentado:

Leia mais

A Teoria de Cordas e a Unificação das Forças da Natureza p. 1/29

A Teoria de Cordas e a Unificação das Forças da Natureza p. 1/29 A Teoria de Cordas e a Unificação das Forças da Natureza Victor O. Rivelles Instituto de Física Universidade de São Paulo rivelles@fma.if.usp.br http://www.fma.if.usp.br/ rivelles/ Simpósio Nacional de

Leia mais

Programas de Professores no CERN inspiram a próxima geração de cientistas

Programas de Professores no CERN inspiram a próxima geração de cientistas Programas de Professores no CERN inspiram a próxima geração de cientistas Profª. Mainara Biazati Gouveia SEDUC/ MT Profº. Wanderson Breder CEFET/ NF/RJ Centro Europeu de Investigação Nuclear Seleção Objetivo

Leia mais

Uma idéia para o Trigger 0 e um Redutor dinâmico de Dados. Luis Fernando Gomez Gonzalez IFGW Unicamp APC Universidade de Paris 7

Uma idéia para o Trigger 0 e um Redutor dinâmico de Dados. Luis Fernando Gomez Gonzalez IFGW Unicamp APC Universidade de Paris 7 Uma idéia para o Trigger 0 e um Redutor dinâmico de Dados Luis Fernando Gomez Gonzalez IFGW Unicamp APC Universidade de Paris 7 Uma idéia para um Trigger 0 Trigger 0 O primeiro passo para determinar a

Leia mais

Portal GridUNESP. I Workshop do SPRACE. Guilherme Rippi Araújo Leandro Junqueira Garcia Miserani

Portal GridUNESP. I Workshop do SPRACE. Guilherme Rippi Araújo Leandro Junqueira Garcia Miserani Portal GridUNESP I Workshop do SPRACE Guilherme Rippi Araújo Leandro Junqueira Garcia Miserani Março/2007 2 Sumário Portal; Arquitetura; Ambiente de Desenvolvimento; Portal GridUNESP; Avaliação; Conclusão.

Leia mais

SISTEMA NEURAL SEGMENTADO DE DETECÇÃO ONLINE DE ELÉTRONS UTILIZANDO PRÉ-PROCESSAMENTO ESTATÍSTICO

SISTEMA NEURAL SEGMENTADO DE DETECÇÃO ONLINE DE ELÉTRONS UTILIZANDO PRÉ-PROCESSAMENTO ESTATÍSTICO SISTEMA NEURAL SEGMENTADO DE DETECÇÃO ONLINE DE ELÉTRONS UTILIZANDO PRÉ-PROCESSAMENTO ESTATÍSTICO Diego C. Teles, Fabio Batista, Edmar E. P. de Souza, Eduardo F. Simas Filho, P. C. M. A. Farias, José M.

Leia mais

PROGRAMA DE PUBLICAÇÃO DE TESES PROQUEST. Andréa Gonçalves Training & Consulting Partner

PROGRAMA DE PUBLICAÇÃO DE TESES PROQUEST. Andréa Gonçalves Training & Consulting Partner PROGRAMA DE PUBLICAÇÃO DE TESES PROQUEST Andréa Gonçalves Training & Consulting Partner Agenda ProQuest Dissertations and Theses Histórico da UMI e PQDT Como e por que usar a PQDT? Processo de publicação

Leia mais

Aceleradores e Princípios de Detecção de Partículas. 12 / Nov. / 2009 algumas imagens de Oliver Brüning/CERN, Fernando Barão/LIP, CERN Photo archives

Aceleradores e Princípios de Detecção de Partículas. 12 / Nov. / 2009 algumas imagens de Oliver Brüning/CERN, Fernando Barão/LIP, CERN Photo archives Aceleradores e Princípios de Detecção de Partículas 12 / Nov. / 2009 algumas imagens de Oliver Brüning/CERN, Fernando Barão/LIP, CERN Photo archives Breve história dos aceleradores CERN 1928: Cockcroft-Walton

Leia mais

3 Um Framework Orientado a Aspectos para Monitoramento e Análise de Processos de Negócio

3 Um Framework Orientado a Aspectos para Monitoramento e Análise de Processos de Negócio 32 3 Um Framework Orientado a Aspectos para Monitoramento e Análise de Processos de Negócio Este capítulo apresenta o framework orientado a aspectos para monitoramento e análise de processos de negócio

Leia mais

A SUPERCONDUTIVIDADE DE COR COM DOIS E TRÊS SABORES NO MODELO CROMODIELÉTRICO

A SUPERCONDUTIVIDADE DE COR COM DOIS E TRÊS SABORES NO MODELO CROMODIELÉTRICO Anais do 14 O Encontro de Iniciação Científica e Pós Graduação do ITA XIV ENCITA / 2008 Instituto Tecnológico de Aeronáutica São José dos Campos SP Brasil Outubro 20 a 23 2008. A SUPERCONDUTIVIDADE DE

Leia mais

Estrutura da Matéria II. Stefan-Boltzmann

Estrutura da Matéria II. Stefan-Boltzmann Universidade do Estado do Rio de Janeiro Instituto de Física Departamento de Física Nuclear e Altas Energias Estrutura da Matéria II Stefan-Boltzmann Versão 1.1 (2006) Carley Martins, Jorge Molina, Wagner

Leia mais

O Projeto GridUNESP: Integrando a Capacidade Computacional da UNESP. S. F. Novaes

O Projeto GridUNESP: Integrando a Capacidade Computacional da UNESP. S. F. Novaes O Projeto GridUNESP: Integrando a Capacidade Computacional da UNESP S. F. Novaes GridUNESP: Proposta Inicial A UNESP Estrutura multicampi Perfil ideal para implementação da arquitetura Grid de processamento

Leia mais

1 Redes de comunicação de dados

1 Redes de comunicação de dados 1 Redes de comunicação de dados Nos anos 70 e 80 ocorreu uma fusão dos campos de ciência da computação e comunicação de dados. Isto produziu vários fatos relevantes: Não há diferenças fundamentais entre

Leia mais

Alberto Santoro. 1 Alberto Santoro: uma vida de conquistas. Publicação de celebração na ocasião do seu 70 aniversário.

Alberto Santoro. 1 Alberto Santoro: uma vida de conquistas. Publicação de celebração na ocasião do seu 70 aniversário. Alberto Santoro Graduado em Física pela UnB e pela UFRJ, com pós-graduação no Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF) e doutorado pela Université Paris VII, Santoro trabalhou cinco anos nos Estados

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL I. O ZOO das Partículas Elementares. Origem das Partículas Elementares. O Modelo Padrão e a Origem das Partículas e das Forças Fundamentais. O Modelo Padrão é a teoria que explica a origem das partículas

Leia mais

Natanael Nunes de Moura Junior

Natanael Nunes de Moura Junior MODELO NEURAL PARA CORREÇÃO DA ESTIMAÇÃO DE ENERGIA PARA UM DETECTOR DE PARTÍCULAS DE PROPÓSITO GERAL Natanael Nunes de Moura Junior Dissertação de Mestrado apresentada ao Programa de Pós-graduação em

Leia mais

Busca por um campo de torção em colisões pp e + e + X com s = 8 TeV no ATLAS/LHC. Simão Paulo Silva

Busca por um campo de torção em colisões pp e + e + X com s = 8 TeV no ATLAS/LHC. Simão Paulo Silva Busca por um campo de torção em colisões pp e + e + X com s = 8 TeV no ATLAS/LHC Simão Paulo Silva 25 de junho de 2014 Abstract In the present work a search for a torsion field was performed and restrictive

Leia mais

A SOCIALIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE PREVIDÊNCIA DO MUNICÍPIO DE PIRAÍ ACESSO A INFORMAÇÃO PARA TODOS

A SOCIALIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE PREVIDÊNCIA DO MUNICÍPIO DE PIRAÍ ACESSO A INFORMAÇÃO PARA TODOS A SOCIALIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE PREVIDÊNCIA DO MUNICÍPIO DE PIRAÍ ACESSO A INFORMAÇÃO PARA TODOS Autores: MONTES, Magno de Carvalho; NASCIMENTO, Marcelo Soares do; BARROS, Victor Hugo Rodrigues de. Orientadores:

Leia mais

Fuelbox F100. Injeção eletrônica programável

Fuelbox F100. Injeção eletrônica programável Fuelbox F100 Injeção eletrônica programável Descrição A Fuelbox F100 é uma unidade de gerenciamento eletrônico de motores com até 12 cilindros, indicada para veículos de alto desempenho, veículos de competição,

Leia mais

Avaliação de dependabilidade em infraestruturas Eucalyptus geograficamente distribuídas

Avaliação de dependabilidade em infraestruturas Eucalyptus geograficamente distribuídas Avaliação de dependabilidade em infraestruturas Eucalyptus geograficamente distribuídas Jonathan Brilhante(jlgapb@cin.ufpe), Bruno Silva(bs@cin.ufpe) e Paulo Maciel(prmm@cin.ufpe) Agenda 1. 2. 3. 4. 5.

Leia mais

ALUNOS QUE DEVEM DOCUMENTOS PARA REGISTRO DE DIPLOMA NA REITORIA DA UEMG:

ALUNOS QUE DEVEM DOCUMENTOS PARA REGISTRO DE DIPLOMA NA REITORIA DA UEMG: ALUNOS QUE DEVEM DOCUMENTOS PARA REGISTRO DE DIPLOMA NA REITORIA DA UEMG: CURSO: ADMINISTRAÇÃO 1. Christofer de Carvalho Machado - Certificado de Reservista ou Dispensa de Incorporação(Não serve o de Alistamento

Leia mais

II Encontro do Projeto Neutrinos Angra

II Encontro do Projeto Neutrinos Angra Eletrônica de front-end e teste de PMT s no CBPF II Encontro do Projeto Neutrinos Angra Laudo Barbosa, Rogério Machado (10 de Dezembro, 2007) 1 V(t) 30µs evento PMT cintilador sinal t 2 Sinal típico na

Leia mais

ALUNOS QUE DEVEM DOCUMENTOS PARA REGISTRO DE DIPLOMA NA REITORIA DA UEMG:

ALUNOS QUE DEVEM DOCUMENTOS PARA REGISTRO DE DIPLOMA NA REITORIA DA UEMG: ALUNOS QUE DEVEM DOCUMENTOS PARA REGISTRO DE DIPLOMA NA REITORIA DA UEMG: CURSO: ADMINISTRAÇÃO 1. Ana Gabriela Gonçalves Pereira Amorim - Registro Civil Legível (certidão de casamento ou nascimento) 2.

Leia mais

Corrente Elétrica. e a carga máxima armazenada em suas

Corrente Elétrica. e a carga máxima armazenada em suas Corrente Elétrica 1. (G1 - cftmg 2013) O meio que conduz melhor a eletricidade é a(o) a) ar, devido à facilidade de propagar o relâmpago. b) metal, porque possui maior número de cargas livres. c) plástico,

Leia mais

Laboratório de Processamento de Sinais (LPS), Escola Politécnica/COPPE, UFRJ 1. E-mails: {xavier,seixas}@lps.ufrj.br 2. Universidade de Wisconsin.

Laboratório de Processamento de Sinais (LPS), Escola Politécnica/COPPE, UFRJ 1. E-mails: {xavier,seixas}@lps.ufrj.br 2. Universidade de Wisconsin. DISCRIMINAÇÃO NEURAL DE PARTÍCULAS PARA UM DETECTOR SUBMETIDO A UMA ALTA TAXA DE EVENTOS Thiago Ciodaro Xavier1, José Manoel de Seixas1, André Rabello dos Anjos2 1 Laboratório de Processamento de Sinais

Leia mais

Testando a Comunicação e Transferindo o Código de Máquina

Testando a Comunicação e Transferindo o Código de Máquina Testando a Comunicação e Transferindo o Código de Máquina Todas as etapas do fluxograma da figura x.x foram realizada no PC. O código de máquina foi criado no PC na pasta Resource. O arquivo a ser transferido

Leia mais

Partículas Elementares no Ensino Médio: uma abordagem a partir do LHC.

Partículas Elementares no Ensino Médio: uma abordagem a partir do LHC. Partículas Elementares no Ensino Médio: uma abordagem a partir do LHC. WAGNER FRANKLIN BALTHAZAR & ALEXANDRE LOPES DE OLIVEIRA Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro, Campus

Leia mais

O Large Hadron Collider e a Física de Partículas Elementares. Rogério Rosenfeld Instituto de Física Teórica UNESP

O Large Hadron Collider e a Física de Partículas Elementares. Rogério Rosenfeld Instituto de Física Teórica UNESP O Large Hadron Collider e a Física de Partículas Elementares Rogério Rosenfeld Instituto de Física Teórica UNESP www.ift.unesp.br Escola Móbile - 13/05/2010 Tópicos da palestra: O que é o LHC? Como funciona

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DE E-LABS NA INTRODUÇÃO DA FÍSICA MODERNA E CONTEMPORÂNEA NO ENSINO MÉDIO

A UTILIZAÇÃO DE E-LABS NA INTRODUÇÃO DA FÍSICA MODERNA E CONTEMPORÂNEA NO ENSINO MÉDIO A UTILIZAÇÃO DE E-LABS NA INTRODUÇÃO DA FÍSICA MODERNA E CONTEMPORÂNEA NO ENSINO MÉDIO Amanda Correia 1, Wagner Carvalho 2 1 Universidade do Estado do Rio de Janeiro, correia.amanda@gmail.com 2 Universidade

Leia mais

Oracle Grid Engine. Thiago Marques Soares. Pós-Graduação em Modelagem Computacional Universidade Federal de Juiz de Fora. 8 de abril de 2015

Oracle Grid Engine. Thiago Marques Soares. Pós-Graduação em Modelagem Computacional Universidade Federal de Juiz de Fora. 8 de abril de 2015 Oracle Grid Engine Thiago Marques Soares Pós-Graduação em Modelagem Computacional Universidade Federal de Juiz de Fora 8 de abril de 2015 Thiago Marques Soares Algoritmos e E.D. 8 de abril de 2015 1 /

Leia mais

BANCO DE DADOS DE EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO. Sérgio Possato Superintendente de Gestão de Informações e Dados Técnicos

BANCO DE DADOS DE EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO. Sérgio Possato Superintendente de Gestão de Informações e Dados Técnicos BANCO DE DADOS DE EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO Sérgio Possato Superintendente de Gestão de Informações e Dados Técnicos Dados coletados pela Petrobras durante o monopólio: 988.366 km Sísmica 2D 19.176 Poços 28.482

Leia mais

SETIS- III Seminário de Tecnologia Inovação e Sustentabilidade 4 e 5 de novembro de 2014.

SETIS- III Seminário de Tecnologia Inovação e Sustentabilidade 4 e 5 de novembro de 2014. Sistema de Monitoramento Zabbix Eduardo Jonck jonck.info@gmail.com Jeferson Catarina catarinajeferson@gmail.com Resumo: O Sistema Zabbix é um código aberto free lançado em 2001. Em 2005 foi fundada a Empresa

Leia mais

Rede Social e En-dades de Ensino. Laércio Cosen-no Mai/2011

Rede Social e En-dades de Ensino. Laércio Cosen-no Mai/2011 Rede Social e En-dades de Ensino Laércio Cosen-no Mai/2011 Relembrando o III Congresso... Educação Tradicional Conhecimento centralizado Ensino presencial Mundo com fronteiras Professor - > célula de conhecimento

Leia mais

Quarta-feira, 09 de janeiro de 2008

Quarta-feira, 09 de janeiro de 2008 Quarta-feira, 09 de janeiro de 2008 ÍNDICE 3 4 RECOMENDAÇÕES DE HARDWARE PARA O TRACEGP TRACEMONITOR - ATUALIZAÇÃO E VALIDAÇÃO DE LICENÇAS 2 1. Recomendações de Hardware para Instalação do TraceGP Este

Leia mais

ARQUITETURA DE SISTEMAS DISTRIBUÍDOS. Aula 2- Aplicações distribuídas e TI VERDE

ARQUITETURA DE SISTEMAS DISTRIBUÍDOS. Aula 2- Aplicações distribuídas e TI VERDE Aula 2- Aplicações distribuídas e TI VERDE ESTRUTURA DA DISCIPLINA AULA 1 Introdução AULA 2 Aplicações Distribuídas AULA 3 Tratamento de Falhas AULA 4 Classificação de Flynn AULA 5 Modelo Cliente/Servidor

Leia mais