Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários por Administradores, Empregados, Colaboradores e pela Própria Empresa

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários por Administradores, Empregados, Colaboradores e pela Própria Empresa"

Transcrição

1 CAPÍTULO I INTRODUÇÃO Apresentação 1.1. A ABM Gestora de Recursos Ltda. ( ABM Capital ) é uma sociedade limitada dedicada à prestação de serviços de administração de carteiras de valores mobiliários, notadamente a gestão de carteiras de valores mobiliários No exercício de suas atividades, a ABM Capital está sujeita às regras que regem o funcionamento do mercado de capitais brasileiro, especialmente às normas editadas pela Comissão de Valores Mobiliários ( CVM ), que atualmente regula o exercício da atividade de administração de carteiras por meio da Instrução CVM n 558, de 26 de março de 2015 ( Instrução CVM 558 ). Objetivo 1.3. A presente Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários por Administradores, ( Política ) tem por objetivo estabelecer as normas, procedimentos e controles internos a serem observados pelos sócios, administradores e funcionários da ABM Capital ( Colaboradores ) relacionados à negociação, direta ou indireta, de valores mobiliários por parte dos Colaboradores, seus respectivos cônjuges ou companheiros, dependentes, regularmente incluídos como tal em sua declaração de imposto de renda, bem como por parte da ABM Capital. Responsabilidade 1.4. O Diretor de Risco e de Compliance será o responsável por verificar o cumprimento desta Política por parte dos Colaboradores, bem como fornecer a estes os treinamentos necessários, nos termos do Capítulo V abaixo Previamente ao início do exercício de suas funções junto à ABM Capital, os seus Colaboradores deverão receber uma cópia desta Política e firmar um Termo de Adesão. O departamento de Compliance manterá em arquivo, na sede da ABM Capital, pelo prazo 1

2 mínimo de 5 (cinco) anos, uma via original do Termo de Adesão devidamente assinado por cada Colaborador Em caso de dúvidas acerca da interpretação das regras contidas nesta Política, ou havendo necessidade de aconselhamento, o Colaborador deverá buscar auxílio junto ao departamento de Compliance O descumprimento das regras previstas nesta Política será considerado infração contratual e ensejará a imposição de penalidades, nos termos do Capítulo VI abaixo, sem prejuízo das eventuais medidas legais cabíveis. CAPÍTULO II CONFLITO DE INTERESSES 2.1. As aplicações e os investimentos realizados pelos Colaboradores em benefício próprio no mercado financeiro e de capitais devem ser orientados no sentido de não interferir negativamente no desempenho de suas atividades profissionais Os investimentos devem ser totalmente segregados das operações realizadas em nome da ABM Capital, de modo a serem evitadas situações que possam configurar conflito de interesses, nos termos da legislação em vigor Para fins desta Política, situação de potencial conflito de interesses significa qualquer situação em que haja a possível incompatibilidade entre o interesse pessoal do Colaborador e o interesse coletivo da ABM Capital, de modo que a atuação do Colaborador nesta situação possa comprometer ou influenciar, de maneira imprópria, o desempenho da sociedade Tais situações podem ser verificadas em atividades, condutas e investimentos realizados pelo Colaborador que poderiam (a) ser contrários às atividades realizadas pela ABM Capital; ou (b) afetar adversamente o seu julgamento e desempenho nas atividades realizadas. 2

3 2.3. Os Colaboradores devem exercer um julgamento sólido antes de ser comprometerem em qualquer atividade ou participarem de qualquer negociação que possa potencialmente acarretar em um conflito de interesses com a ABM Capital. Qualquer atividade correlata que gere dúvidas deve ser submetida à aprovação prévia do departamento de Compliance Os Colaboradores não poderão se envolver em investimentos que acarretem benefícios próprios em detrimento do benefício da ABM Capital ou de seus clientes Tendo isso em vista, os Colaboradores deverão: (i) (ii) (iii) abster-se de agir em nome da ABM Capital em qualquer transação que envolva pessoas ou sociedades com as quais tenham qualquer interesse financeiro; abster-se de usar, em benefício próprio ou de outrem, com ou sem prejuízo à ABM Capital, oportunidades de negócios de que tenha conhecimento em razão do exercício do seu cargo na sociedade, sendo estritamente proibido privar a ABM Capital de qualquer oportunidade relacionada aos seus negócios de que tenha conhecimento; e evitar situações de defesa de interesses de terceiros que possam gerar conflito de interesses na hora da tomada de decisão e implicar em algum tipo de prejuízo à ABM Capital ou aos seus clientes Todos os Colaboradores, ao anuírem e aderirem à presente Política, reconhecem e concordam que sua tomada de decisão em relação a investimentos estará limitada e deverá ser feita em estrita observância à legislação nacional e às regras aqui estabelecidas. CAPÍTULO III NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS Investimentos Pessoais 3.1. Os Colaboradores, respeitados os parâmetros elencados nesta Política e de acordo com a legislação em vigor, poderão realizar, direta ou indiretamente, negociações com valores mobiliários, no Brasil e no exterior. 3

4 3.2. Os Colaboradores poderão investir em: (i) (ii) (iii) cotas de fundos de investimento em geral geridos de forma discricionária, pela ABM Capital ou por terceiros, desde que (a) estes fundos sejam destinados ao público em geral, ou seja, sejam fundos não exclusivos, e (b) o Colaborador se enquadre nos critérios estabelecidos pelo fundo, incluindo os critérios relativos ao públicoalvo; cotas de fundos de investimentos que invistam em títulos públicos e privados de renda fixa; e ações, certificados de depósito de ações (units) ou depósito de ações (ADRs ou BDRs) de emissão de companhias abertas ( Ações ), bem como quaisquer valores mobiliários ou instrumentos financeiros conversíveis ou permutáveis em Ações que não estejam em lista restrita de negociação, nos termos da Cláusula 3.3. abaixo A ABM Capital deverá manter uma lista de companhias abertas que estão sendo analisadas, impondo restrições a operações pessoais com esses ativos (restricted list) Durante o período de 24 (vinte e quatro) horas no qual as ordens do fundo estiverem sendo executadas, as operações pessoais com os ativos em questão estarão proibidas (blackout period) Não obstante o disposto acima, os Colaboradores deverão consultar o Diretor de Risco de Compliance previamente à realização de qualquer negociação com Ações, de modo a averiguar a sua regularidade Cada Colaborador deverá apresentar anualmente ao departamento de Compliance a Declaração Anual de Investimento e Endividamento Pessoal, afirmando que seu portfólio pessoal não apresenta divergência com esta Política e que sua carteira pessoal ou de seus respectivos cônjuges ou companheiros não possuem nenhum conflito com as posições da ABM Capital, além da informação sobre o respectivo nível de endividamento, se aplicável. 4

5 Investimentos pela ABM Capital 3.5. A ABM Capital não irá figurar como contraparte, direta ou indiretamente, em qualquer negócio jurídico com carteiras de valores mobiliários por si administradas A vedação prevista acima não se aplica quando realizada por meio de fundo de investimento, devendo constar do regulamento do fundo, se for o caso, a possibilidade de a ABM Capital, na qualidade de gestora, atuar como contraparte do fundo A ABM Capital não poderá obter qualquer tipo de benefício em detrimento dos direitos e expectativas legítimas (i) de seus clientes; (ii) de cotistas dos fundos de investimento por si geridos; e (iii) do mercado em geral. Gestão de Caixa 3.7. A ABM Capital não realiza, em nome próprio, investimentos em ativos de renda variável, muito menos de ativos dessa natureza que façam parte do portfólio de fundos de investimento geridos por si. A gestão de caixa da ABM Capital é feita de forma conservadora. Disposição Geral 3.8. Nesta Política, são excluídas compras de instrumentos de renda fixa de boa liquidez e negociados espontaneamente no mercado financeiro e de capitais, independentemente dos seus prazos (CDBs, títulos públicos, etc.). CAPÍTULO IV INFORMAÇÃO PRIVILEGIADA 4.1. Pode-se considerar como informação privilegiada qualquer informação relevante a respeito de alguma sociedade que ainda não tenha sido divulgada ao mercado, obtida de maneira privilegiada, em consequência da (i) ligação profissional ou pessoal mantida com um cliente, com colaboradores de sociedades estudadas ou investidas ou com terceiros; ou (ii) da condição de funcionário. 5

6 4.2. São exemplos de informações privilegiadas: informações verbais ou documentadas referentes a resultados financeiro e operacionais de uma sociedade, alterações societárias (fusões, cisões e incorporações), informações sobre compra e venda de participações relevantes de uma sociedade, bem como qualquer outro acontecimento possível de ser caracterizado como confidencial de uma sociedade A utilização de informação privilegiada com o objetivo de auferir lucro ou vantagem no mercado, para si ou para outrem, constitui ilícito administrativo e penal, nos termos das Leis n 6.385/76 e 6.404/ Ainda que não exista certeza quanto ao caráter privilegiado da informação, ou quanto ao teor da mesma, o Colaborador deverá comunicar tal fato imediatamente ao departamento de Compliance para que as sociedades das quais se obtenha informação privilegiada sejam incluídas na lista de ativos com restrições para negociação (restricted list) Não obstante o disposto na Cláusula 4.4. acima, o departamento de Compliance é obrigado a manter a referida informação sob sigilo. CAPÍTULO V TREINAMENTOS Programas de Treinamento 5.1. Todos os Colaboradores da ABM Capital, inclusive seus sócios e administradores, deverão obrigatoriamente participar dos programas de treinamento descritos neste Capítulo V ( Programas de Treinamento ) Os Programas de Treinamento serão de dois tipos: (i) o programa de treinamento inicial ( Programa de Treinamento Inicial ) e (ii) os programas de reciclagem contínua ( Programas de Reciclagem Contínua ). 6

7 5.3. Os Programas de Treinamento serão conduzidos pelo Diretor de Risco e de Compliance, responsável por supervisionar os Colaboradores quanto à sua assiduidade e dedicação Os Colaboradores deverão obrigar-se, por meio do Termo de Adesão a participar dos Programas de Reciclagem Contínua eventualmente realizados pela ABM Capital, em conformidade com as orientações do Diretor de Risco e de Compliance. Programa de Treinamento Inicial 5.5. O Programa de Treinamento Inicial será realizado ao tempo da contratação de novos Colaboradores, antes do início efetivo de suas funções na ABM Capital O Programa de Treinamento Inicial terá por objetivo principal apresentar aos novos Colaboradores a atividade desenvolvida pela ABM Capital e sua filosofia de investimento, bem como prestar esclarecimentos sobre as disposições constantes desta Política e das demais normas internas adotadas pela sociedade, inclusive no que diz respeito às funções exercidas pelo Diretor de Risco e de Compliance. Programas de Reciclagem Contínua 5.7. Os Programas de Reciclagem Contínua serão realizados periodicamente e envolverão a participação dos Colaboradores em cursos, palestras e treinamentos sobre temas relacionados à atividade desenvolvida pela ABM Capital, objetivando promover constante atualização do conhecimento dos Colaboradores sobre a legislação, regulamentação e auto-regulamentação aplicável e sobre quaisquer outros temas relevantes ao exercício de suas funções e às atividades da sociedade. CAPÍTULO VI PENALIDADES 6.1. O descumprimento total ou parcial das regras contidas nesta Política e na legislação vigente constitui violação dos padrões éticos, técnicos e operacionais, conforme o caso, que regem o funcionamento da ABM Capital. 7

8 Neste sentido, o conhecimento de condutas em violação a esta Política deve ser imediatamente comunicado ao departamento de Compliance, acompanhado de elementos que permitam a apuração de sua veracidade. Para este fim, serão observados os procedimentos que objetivem resguardar os direitos do denunciante e do denunciado, respeitando sempre a legislação local A verificação de descumprimento das normas contidas nesta Política ensejará a aplicação de penalidades pelo Diretor de Risco e de Compliance. Tais penalidades podem variar entre advertência, multas (em espécie ou em perda direta de benefícios ou de pontos de avaliação para fins de remuneração variável), suspensão, destituição ou demissão por justa causa do Colaborador infrator sem prejuízo das demais consequência legais Os Colaboradores reconhecem o direito da ABM Capital de exercer direito de regresso caso venha a ser responsabilizada, sofra prejuízo ou venha a arcar com ônus de qualquer espécie em decorrência de atos ilícitos ou infrações cometidas por seus Colaboradores no exercício de suas funções. 8

Política de Rateio e Divisão de Ordens entre Carteiras de Valores Mobiliários

Política de Rateio e Divisão de Ordens entre Carteiras de Valores Mobiliários CAPÍTULO I INTRODUÇÃO Apresentação 1.1. A ABM Gestora de Recursos Ltda. ( ABM Capital ) é uma sociedade limitada dedicada à prestação de serviços de administração de carteiras de valores mobiliários, notadamente

Leia mais

REAG GESTORA DE RECURSOS LTDA.

REAG GESTORA DE RECURSOS LTDA. REAG GESTORA DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE SELEÇÃO, CONTRATAÇÃO E SUPERVISÃO DE GESTORES E FUNDOS DE TERCEIROS PARA ALOCAÇÃO MAIO DE 2017 Página 1 de 5 CAPÍTULO I INTRODUÇÃO APRESENTAÇÃO 1.1. A REAG Gestora

Leia mais

Política de Investimentos Pessoais

Política de Investimentos Pessoais Política de Investimentos Pessoais Skopos Investimentos Ltda. Ficha Técnica: Título: Política de Investimentos Pessoais. Área responsável: Compliance. Descrição do documento: A presente Política traz as

Leia mais

Política de Investimentos Pessoais POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS

Política de Investimentos Pessoais POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS 1 ÍNDICE 1. Considerações iniciais... 3 1.2 Aplicabilidade da Política de Investimentos Pessoais... 4 2. Política de Investimentos Pessoais... 4 2.1 Restrição para Negociações...

Leia mais

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS MANUAL DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICAS & NORMAS INTERNAS Versão: 1- Objetivo O objetivo desta Política de Investimento Pessoal (ou Política) é estabelecer procedimentos e regras para os investimentos pessoais

Leia mais

Procedimentos aplicáveis à realização de investimentos pessoais

Procedimentos aplicáveis à realização de investimentos pessoais POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS Esta política estabelece os procedimentos e normas aplicáveis a todo e qualquer investimento pessoal que venha a ser realizado pelos sócios, diretores, empregados, funcionários,

Leia mais

POLÍTICA DE COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS POR ADMINISTRADORES, EMPREGADOS, COLABORADORES E PELA GUARDA INVESTIMENTOS

POLÍTICA DE COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS POR ADMINISTRADORES, EMPREGADOS, COLABORADORES E PELA GUARDA INVESTIMENTOS POLÍTICA DE COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS POR ADMINISTRADORES, EMPREGADOS, COLABORADORES E PELA GUARDA INVESTIMENTOS Versão 1 Junho de 2016 INTRODUÇÃO Com esta Política de Compra e Venda de Valores

Leia mais

POLÍTICAS - INVESTIMENTOS PESSOAIS

POLÍTICAS - INVESTIMENTOS PESSOAIS Procedimento: MOPD-009 Revisão: 2 Data: 20/03/2015 Página: 1 de 7 POLÍTICAS INVESTIMENTOS PESSOAIS Março / 2015 Procedimento: MOPD-009 Revisão: 2 Data: 20/03/2015 Página: 2 de 7 1. Introdução 1.1 Esta

Leia mais

Manual de Normas Internas Páginas:

Manual de Normas Internas Páginas: 1 de 7 Visando manter a SLW Corretora de Valores e Câmbio Ltda., em conformidade com os princípios de Controles Internos de acordo com a Resolução 2554/98 e Circular 3467/09 do Banco Central do Brasil,

Leia mais

Politica de Investimento para Negociação de Ativos pelos Colaboradores

Politica de Investimento para Negociação de Ativos pelos Colaboradores Política de Investimentos para Negociação de Ativos Pelos Colaboradores ( Politica de Investimentos Pessoais ) www.moreinvest.com.br POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PARA NEGOCIAÇÃO DE ATIVOS PELOS COLABORADORES

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTO PESSOAL

POLÍTICA DE INVESTIMENTO PESSOAL POLÍTICA DE INVESTIMENTO PESSOAL Versão: Abri/2016 1. Introdução POLÍTICA DE INVESTIMENTO PESSOAL 1.1 Esta política visa determinar procedimentos e normas para os investimentos pessoais dos colaboradores

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS ESTÁTER ASSESSORIA FINANCEIRA LTDA. JUNHO/2016

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS ESTÁTER ASSESSORIA FINANCEIRA LTDA. JUNHO/2016 POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS da ESTÁTER ASSESSORIA FINANCEIRA LTDA. JUNHO/2016 ÍNDICE 1. Introdução... 3 2. Política de Investimentos Pessoais... 4 2 1. Introdução 1.1 Sumário Esta Política de Investimentos

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTO PESSOAL

POLÍTICA DE INVESTIMENTO PESSOAL POLÍTICA DE INVESTIMENTO PESSOAL Agosto/2016 Esta política de investimento pessoal da MAGNETIS GESTORA DE RECURSOS LTDA. ( Magnetis ) visa determinar procedimentos e normas para os investimentos pessoais

Leia mais

Índice. 005/1 - Investimentos Pessoais Página 1 de 5. Referência: 01 Corporativas Código: 005/1

Índice. 005/1 - Investimentos Pessoais Página 1 de 5. Referência: 01 Corporativas Código: 005/1 Índice 1. Definição... 2 2. Público Alvo... 2 3. Operações Vedadas... 2 4. Deveres do Funcionário... 2 4.1. Restrição à Negociação de Valores Mobiliários... 3 4.2. Exclusões... 3 4.3. Sanções... 3 5. Normas

Leia mais

ATHENA CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA

ATHENA CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA ATHENA CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS Data de Vigência : Junho de 2016 VERSÃO VIGENTE 1. Introdução 1.1 A Athena Capital Gestão de Recursos Ltda ( Athena Capital ),

Leia mais

DUNAMIS TRADING GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS 06/07/2017

DUNAMIS TRADING GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS 06/07/2017 DUNAMIS TRADING GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS 06/07/2017 1 1. Objetivo A presente Política de Investimentos Pessoais ( Política ) tem como objetivo determinar procedimentos

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS E NEGOCIAÇÃO COM VALORES MOBILIÁRIOS SUMÁRIO

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS E NEGOCIAÇÃO COM VALORES MOBILIÁRIOS SUMÁRIO POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS E NEGOCIAÇÃO COM VALORES MOBILIÁRIOS SUMÁRIO I - Objetivo... 2 II - Aplicação... 2 III - Regras de Conduta... 3 IV - Disposições Gerais... 6 ANEXO A - Declaração Anual

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS. Março de 2017

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS. Março de 2017 POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS Março de 2017 Sumário 1. Objetivo... 4 2. Diretrizes de Investimentos... 4 3. Declaração Inicial... 5 4. Declaração Anual... 5 5. Termo de Compromisso e Considerações

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS BRASIL PLURAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA.

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS BRASIL PLURAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS BRASIL PLURAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. I - Definição e Finalidade 1. A presente Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias Gerais

Leia mais

Política de Investimentos Pessoais BAHIA AM RENDA VARIÁVEL LTDA

Política de Investimentos Pessoais BAHIA AM RENDA VARIÁVEL LTDA Política de Investimentos Pessoais BAHIA AM RENDA VARIÁVEL LTDA 1. OBJETIVO:... 2 2. CONCEITUAÇÃO / DEFINIÇÃO:... 2 3. ABRANGÊNCIA/ÁREAS ENVOLVIDAS:... 2 4. RESPONSABILIDADES:... 2 04.01. Responsáveis

Leia mais

Política de Investimento Pessoal. Junho/2016 Edge Brasil Gestão de Ativos Ltda.

Política de Investimento Pessoal. Junho/2016 Edge Brasil Gestão de Ativos Ltda. Política de Investimento Pessoal Junho/2016 Edge Brasil Gestão de Ativos Ltda. 1. Disposições Gerais A filosofia da Edge Brasil Gestão de Ativos ( Edge Investimentos ) reside em uma dedicação integral

Leia mais

II. Receber dos funcionários os avisos de movimentação nos ativos sujeitos a monitoramento e verificar sua adequação às disposições desta Política;

II. Receber dos funcionários os avisos de movimentação nos ativos sujeitos a monitoramento e verificar sua adequação às disposições desta Política; Sistemas de Controles Internos Categoria: Políticas e Conceitos Gerais Códigos: NCO 01 Título : Política de Investimentos Próprios 1. APRESENTAÇÃO A Icatu Gestão Patrimonial Ltda. ( IGP ), instituição

Leia mais

POLÍTICA DE COMPRA E DE VENDAS POR RELACIONADOS. Elaboração: Controles internos Aprovação: Diretoria Versão: 01

POLÍTICA DE COMPRA E DE VENDAS POR RELACIONADOS. Elaboração: Controles internos Aprovação: Diretoria Versão: 01 POLÍTICA DE COMPRA E DE VENDAS POR RELACIONADOS Elaboração: Controles internos Aprovação: Diretoria Versão: 01 Código: MCICCVRG-0116 Vigente desde: 01/2016 Data de referência: 11/2015 2 1. DISPOSIÇÕES

Leia mais

POLÍTICA DE COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS

POLÍTICA DE COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS POLÍTICA DE COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS Sumário 1. A Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários 3 2. Termo de compromisso com a Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários 4 Anexo

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS Atualização Junho de 2016 Índice POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS... 3 Introdução... 3 Objetivo... 3 Regras de Investimentos Pessoais... 3 Membros com Exercício de

Leia mais

POLÍTICA DE COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS. Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários

POLÍTICA DE COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS. Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários Versão 2016.1 Editada em Junho de 2016 1. OBJETIVO Esta Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários define os padrões de condutas internas exigidas

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS. Março 2017

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS. Março 2017 POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS Março 2017 Esta política é propriedade da V.S. Serviços Financeiros Ltda. É proibida a cópia, distribuição ou uso indevido deste documento sem expressa

Leia mais

Manual de Política de Investimento Pessoal

Manual de Política de Investimento Pessoal Manual de Política de Investimento Pessoal A Mach investimentos acredita que um dos principais pilares para uma gestão eficiente e com bons resultados seja o alinhamento de objetivos entre os gestores

Leia mais

Política de Investimento Pessoal

Política de Investimento Pessoal Política de Investimento Pessoal Novembro 2015 Objetivo O objetivo desta Política de Investimento Pessoal (ou Política) é estabelecer procedimentos e regras para os investimentos pessoais dos Colaboradores

Leia mais

Código de Ética Elaborado em Janeiro de 2016 Atualizado em Junho de 2016 1. INTRODUÇÃO Este Código de Ética estabelece as regras e princípios que nortearão os padrões éticos e de conduta profissional,

Leia mais

Política de Negociação Colaboradores Venturestar

Política de Negociação Colaboradores Venturestar Política de Negociação Colaboradores Venturestar (versão 05.2016) 1 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO... 4 2 INTRODUÇÃO Esta Política de Negociação dos Colaboradores da Venturestar Gestão de

Leia mais

Política de Investimentos Pessoais Pessoas Vinculadas

Política de Investimentos Pessoais Pessoas Vinculadas Política de Investimentos Pessoais Pessoas Vinculadas JURISDIÇÃO GEOGRÁFICA AND BAH BRA ESP ISR LUX MEX MON PAN SUI URU USA X A informação contida neste documento é de uso interno e propriedade do Grupo

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS Propriedade da CARPA GESTORA DE RECURSOS LTDA. Proibida a reprodução total ou parcial deste código sem a devida autorização prévia. Controle de Versões Versão Data Elaborado/Modificado

Leia mais

POLÍTICAS DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO

POLÍTICAS DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO POLÍTICAS DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS FEVEREIRO DE 2015 ÍNDICE GERAL 1. DEFINIÇÃO E FINALIDADE... 3 2. Princípios Gerais... 3 3. Matérias Relevantes Obrigatórias... 4 4. Processo

Leia mais

Política de Investimentos Pessoais

Política de Investimentos Pessoais Política de Investimentos Pessoais JUNHO DE 2016 Este documento, ou qualquer parte dele, não pode ser reproduzido ou transmitido, em qualquer formato ou por quaisquer meios, sejam eletrônicos ou mecânicos,

Leia mais

MAUÁ INVESTIMENTOS LTDA. POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS

MAUÁ INVESTIMENTOS LTDA. POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS MAUÁ INVESTIMENTOS LTDA. POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS MAIO 2016 Introdução O objetivo desta Política é estabelecer procedimentos e regras para os investimentos pessoais dos sócios, associados, dirigentes,

Leia mais

POLÍTICA. Investimentos Pessoais

POLÍTICA. Investimentos Pessoais POLÍTICA Investimentos Pessoais Junho/2016 SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. PÚBLICO ALVO... 3 3. DEFINIÇÕES... 3 4. DIRETRIZES... 4 4.1. INVESTIMENTOS PERMITIDOS E VEDADOS... 5 4.2. INVESTIMENTOS DAS EMPRESAS

Leia mais

MANUAL DO ANALISTA DE VALORES MOBILIÁRIOS

MANUAL DO ANALISTA DE VALORES MOBILIÁRIOS MANUAL DO ANALISTA DE VALORES MOBILIÁRIOS Atualizado em: Jan/12 Última atualização em: Out/13 Este documento rege as atividades desemprenhas pelos Analistas de Valores Mobiliários vinculados a Um Investimentos,

Leia mais

POLÍTICA DE COMPRA E DE VENDAS POR RELACIONADOS. Elaboração: Controles internos Aprovação: Diretoria Versão: 01

POLÍTICA DE COMPRA E DE VENDAS POR RELACIONADOS. Elaboração: Controles internos Aprovação: Diretoria Versão: 01 POLÍTICA DE COMPRA E DE VENDAS POR RELACIONADOS Elaboração: Controles internos Aprovação: Diretoria Versão: 01 Código: MCICCVRC-0116 Vigente desde: 01/2016 Data de referência: 11/2015 2 1. DISPOSIÇÕES

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS NORTE INVESTIMENTOS ADMINISTRADORA DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS Versão 2.0 Vigência Agosto / 2016 Classificação das Informações [ X ] Uso Interno [ ] Uso Público Conteúdo 1. Objetivo

Leia mais

INVESTMENT ONE PARTNERS GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS JULHO/2017

INVESTMENT ONE PARTNERS GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS JULHO/2017 INVESTMENT ONE PARTNERS GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS JULHO/2017 1DOCS - 65516v1 1. INTRODUÇÃO A INVESTMENT ONE PARTNERS GESTÃO DE RECURSOS LTDA. ( INVESTMENT ONE ) baseará

Leia mais

MOSAICO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS

MOSAICO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS MOSAICO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS I. OBJETO Esta Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias ( Política ) tem por objetivo estabelecer

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS POLO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. CAPÍTULO I Definição e Finalidade

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS POLO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. CAPÍTULO I Definição e Finalidade POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS POLO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA CAPÍTULO I Definição e Finalidade Versão 01-Ago-13 Artigo 1º A presente Política de Exercício de Direito

Leia mais

POLÍTICA DE VOTO MARÇO 2017

POLÍTICA DE VOTO MARÇO 2017 POLÍTICA DE VOTO MARÇO 2017 Esta Política é propriedade da Canvas Capital S.A. e não está autorizada a cópia, uso ou distribuição deste documento e seu conteúdo, sob nenhuma hipótese. Rua Professor Atílio

Leia mais

Política de Negociação em Contas Pessoais

Política de Negociação em Contas Pessoais Política de Negociação em Contas Pessoais Junho/2016 1. INTRODUÇÃO E OBJETIVO Dois fatores devem ser levados em consideração, antes da apresentação dessa política: negociação baseada em Informação Privilegiada

Leia mais

Agosto de Política de Voto COMPLIANCE MANUAL. Policies and Procedures. Gávea Investimentos Ltda. Gávea Jus I Ltda.

Agosto de Política de Voto COMPLIANCE MANUAL. Policies and Procedures. Gávea Investimentos Ltda. Gávea Jus I Ltda. 2014 Agosto de 2014 Política de Voto COMPLIANCE MANUAL Policies and Procedures Gávea Investimentos Ltda. Gávea Jus I Ltda. POLÍTICA DE VOTO... 3 1. INTRODUÇÃO E OBJETIVO... 3 2. EXCLUSÕES... 3 3. PRINCÍPIOS

Leia mais

Brasil AM - Exercício de Direito de Voto

Brasil AM - Exercício de Direito de Voto Brasil AM - Exercício de Direito de Voto Classificação: Legal, Compliance, Governance & Ethics Objetivo da Política: O objetivo desta política é estabelecer princípios que deverão ser observados pela BTG

Leia mais

BRASIL - BTG Pactual Serviços Financeiros S.A. DTVM - Exercício de Direito de Voto

BRASIL - BTG Pactual Serviços Financeiros S.A. DTVM - Exercício de Direito de Voto BRASIL - BTG - Exercício de Direito de Voto Classificação: Legal, Compliance, Governance & Ethics Objetivo da Política: O objetivo desta política é estabelecer princípios que deverão ser observados pela

Leia mais

BRPP GESTÃO DE PRODUTOS ESTRUTURADOS LTDA

BRPP GESTÃO DE PRODUTOS ESTRUTURADOS LTDA POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO BRPP Gestão de Produtos Estruturados Ltda. Fevereiro de 2017 I. Definição e Finalidade 1. A presente Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias Gerais

Leia mais

POLÍTICA DE COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS. Política de Investimentos Pessoais

POLÍTICA DE COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS. Política de Investimentos Pessoais POLÍTICA DE COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS Política de Investimentos Pessoais Versão 2017.1 Editada em Junho de 2017 1. OBJETIVO Esta Política define os padrões de condutas internas aplicáveis aos

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTO PESSOAL KAPITALO INVESTIMENTOS LTDA.

POLÍTICA DE INVESTIMENTO PESSOAL KAPITALO INVESTIMENTOS LTDA. POLÍTICA DE INVESTIMENTO PESSOAL KAPITALO INVESTIMENTOS LTDA. Junho de 2016 Sumário POLÍTICA DE INVESTIMENTO PESSOAL... 3 1.1. Objetivo... 3 1.2. Princípios... 3 1.3. Regras Gerais... 3 1.4. Disposições

Leia mais

I. OBJETO PRINCÍPIOS GERAIS

I. OBJETO PRINCÍPIOS GERAIS POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO E COMPANHIAS EMISSORAS DE ATIVOS FINANCEIROS QUE CONTEMPLEM O DIREITO DE VOTO E INTEGREM AS CARTEIRAS DOS FUNDOS

Leia mais

Código de Ética e Padrões de Conduta Profissional

Código de Ética e Padrões de Conduta Profissional Código de Ética e Padrões de Conduta Profissional Samba Investimentos Página1 Este manual de operações estabelece princípios e regras de conduta aplicáveis a todos colaboradores da Samba Investimentos

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto

Política de Exercício de Direito de Voto Política de Exercício de Direito de Voto 1 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO E OBJETIVO 3 2. EXCLUSÕES 3 3. PRINCÍPIOS GERAIS 3 4. POTENCIAIS SITUAÇÕES DE CONFLITO DE INTERESSE 3 5. DA POLÍTICA DE VOTO. 4 6. MATÉRIAS

Leia mais

Controles Internos POLÍTICA DE SIGILO E CONFIDENCIALIDADE

Controles Internos POLÍTICA DE SIGILO E CONFIDENCIALIDADE Controles Internos POLÍTICA DE SIGILO E CONFIDENCIALIDADE 1. O presente Código de Conduta tem também como objetivo estabelecer a política de sigilo e confidencialidade e de proteção propriedade intelectual

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DA ODONTOPREV S.A.

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DA ODONTOPREV S.A. POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DA ODONTOPREV S.A. 1. Objetivos e Abrangência 1.1. O objetivo da presente Política de Negociação é estabelecer as regras que deverão ser observadas pelos acionistas

Leia mais

REAG GESTORA DE RECURSOS LTDA. JULHO DE 2016

REAG GESTORA DE RECURSOS LTDA. JULHO DE 2016 REAG GESTORA DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE DISTRIBUIÇÃO DE COTAS E SUITABILITY JULHO DE 2016 1 1. OBJETIVO 1.1. A REAG Gestora de Recursos Ltda. ( REAG Gestora ) não exercerá outras atividades no mercado

Leia mais

Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários

Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários (Revisão: Junho 2016) Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 1.1. Grupo Stratus:... 3 1.2. Atividades do Grupo Stratus:... 3 1.3. A Política:... 3 1.4. Conhecimento

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS CANEPA ASSET MANAGEMENT - CAM BRASIL GESTAO DE RECURSOS LTDA.

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS CANEPA ASSET MANAGEMENT - CAM BRASIL GESTAO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS CANEPA ASSET MANAGEMENT - CAM BRASIL GESTAO DE RECURSOS LTDA. Versão: Junho/2016 CAPÍTULO I Definição e Finalidade 1.1 A presente Política

Leia mais

MANUAL DO ANALISTA DE VALORES MOBILIÁRIOS

MANUAL DO ANALISTA DE VALORES MOBILIÁRIOS MANUAL DO ANALISTA DE VALORES MOBILIÁRIOS Este documento vem em atendimento a Instrução CVM 483, de 06 de Julho de 2010, que dispõe sobre a atividade do profissional de Análise de Valores Mobiliários.

Leia mais

Política de Direito de Voto

Política de Direito de Voto Política de Direito de Voto Julho/2012 1 de 5 POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO E COMPANHIAS EMISSORAS DE VALORES MOBILIÁRIOS QUE INTEGREM AS CARTEIRAS

Leia mais

POLÍTICAS DE COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS POR ADMINISTRADORES, EMPREGADOS E COLABORADORES

POLÍTICAS DE COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS POR ADMINISTRADORES, EMPREGADOS E COLABORADORES POLÍTICAS DE COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS POR ADMINISTRADORES, EMPREGADOS E COLABORADORES Última atualização: 20/06/2016 A reprodução e a distribuição deste Manual fora do MODAL sem a devida autorização

Leia mais

Política de Exercício do Direito de Voto em Assembléias Gerais

Política de Exercício do Direito de Voto em Assembléias Gerais Política de Exercício do Direito de Voto em Assembléias Gerais POLÍTICA DE EXERCÍCIO DO DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS 1. Objetivo A presente Política tem por objetivo estabelecer os princípios gerais,

Leia mais

Brasil AM - Exercício de Direito de Voto

Brasil AM - Exercício de Direito de Voto Brasil AM - Exercício de Direito de Voto Classificação: Legal, Compliance, Governance & Ethics Objetivo da Política: O objetivo desta política é estabelecer princípios que deverão ser observados pela BTG

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias Gerais Legal Brasil e Uruguai

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias Gerais Legal Brasil e Uruguai Nível 3 Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias Gerais Brasil e Uruguai 23/08/2016 1 ÍNDICE 1. Definição e Finalidade... 3 2. Princípios Gerais... 3 3. Matérias Relevantes Obrigatórias...

Leia mais

POLÍTICA DE VOTO I APLICAÇÃO, OBJETO E PRINCÍPIOS GERAIS

POLÍTICA DE VOTO I APLICAÇÃO, OBJETO E PRINCÍPIOS GERAIS POLÍTICA DE VOTO I APLICAÇÃO, OBJETO E PRINCÍPIOS GERAIS 1.1. O Modal Asset Management Ltda. ( Gestor ), em conformidade ao Código de Auto- Regulação da ANBIMA para os Fundos de Investimento, vem, através

Leia mais

HAMILTON LANE INVESTIMENTOS LTDA. POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO PESSOAL. Rio de Janeiro, Junho de SP v1

HAMILTON LANE INVESTIMENTOS LTDA. POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO PESSOAL. Rio de Janeiro, Junho de SP v1 HAMILTON LANE INVESTIMENTOS LTDA. POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO PESSOAL Rio de Janeiro, Junho de 2016. POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO PESSOAL 1.1. Introdução O objetivo desta política é descrever as normas e procedimentos

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS Início da Vigência: Julho/2016 Versão 001 Propriedade do Conglomerado Financeiro PETRA Proibida a reprodução total ou parcial sem prévia autorização. Área Responsável:

Leia mais

Política de Exercício de Voto

Política de Exercício de Voto Política de Exercício de Voto Atualizado em: Junho/2016 www.cadnc.com.br POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS I. Definição e Finalidade A presente Política de Exercício de Direito

Leia mais

CFO Política de Voto

CFO Política de Voto POLÍTICA DE VOTO ÍNDICE POLÍTICA DE VOTO... 1 1. Introdução e Objetivo... 2 2. Exclusões... 2 3. Princípios Gerais... 2 4. Potencias situações de Conflito de Interesse... 2 5. Da Política de Voto... 3

Leia mais

Política de Investimento Pessoal

Política de Investimento Pessoal Política de Investimento Pessoal Introdução Com fundamento no art. 16, IX, da Instrução CVM n.º 558/15, o objetivo da política de investimento pessoal é estabelecer procedimentos e regras para os investimentos

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS E CONTROLE DE INFORMAÇÕES PRIVILEGIADAS DA SOMMA INVESTIMENTOS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS E CONTROLE DE INFORMAÇÕES PRIVILEGIADAS DA SOMMA INVESTIMENTOS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS E CONTROLE DE INFORMAÇÕES PRIVILEGIADAS DA SOMMA INVESTIMENTOS INTRODUÇÃO Esta política, com fundamento no art. 16, IX, da Instrução CVM n 558/15, visa determinar procedimentos

Leia mais

ANEXO II. Política de Divulgação de Negociação com Valores Mobiliários da Investimentos e Participações em Infra-Estrutura S.A.

ANEXO II. Política de Divulgação de Negociação com Valores Mobiliários da Investimentos e Participações em Infra-Estrutura S.A. ANEXO II Política de Divulgação de Negociação com Valores Mobiliários da Investimentos e Participações em Infra-Estrutura S.A. INVEPAR I. DO OBJETO 1.1. Em atendimento à Instrução da Comissão de Valores

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS MOGNO CAPITAL INVESTIMENTOS LTDA.

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS MOGNO CAPITAL INVESTIMENTOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS MOGNO CAPITAL INVESTIMENTOS LTDA. Política de Exercício do Direito de Voto em Assembleias gerais relativas a ativos detidos pelos fundos de

Leia mais

Manual de Regras, Procedimentos e Controles Internos Instrução CVM 558

Manual de Regras, Procedimentos e Controles Internos Instrução CVM 558 1. Objetivo A administração de carteiras de valores mobiliários é o exercício profissional de atividades relacionadas, direta ou indiretamente, ao funcionamento, à manutenção e à gestão de uma carteira

Leia mais

POL-006 Política de Investimentos Pessoais

POL-006 Política de Investimentos Pessoais POL-006 Política de Investimentos Pessoais POL-006 Política de Investimentos Pessoais (versão 01/2016) Sumário 1. Objetivo... 1 2. Âmbito de Aplicação... 1 3. Considerações Gerais... 1 4. Vínculos... 1

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS 1. Objetivo A Política de Investimentos Pessoais da Kinea tem por objetivo proteger a Empresa e o Conglomerado Itaú Unibanco de riscos legais e de imagem decorrentes da eventual utilização de informações

Leia mais

Operações de Pessoas Vinculadas

Operações de Pessoas Vinculadas Operações de Pessoas Vinculadas Ouvidoria: 0800-724-4010 ouvidoria@spinelli.com.br 1 Índice 1. Objetivo 3 2. Conceitos 4 3. Vedações, procedimentos e autorizações 5 4. Monitoramento 6 5. Responsabilidade

Leia mais

Administração de Carteiras de Valores Mobiliários

Administração de Carteiras de Valores Mobiliários Administração de Carteiras de Valores I. Objetivo 1. Este Código de Ética de Administração de Carteiras de Valores ( Código de Ética ) comunica os valores e concretiza os deveres que orientam a atuação

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO COM VALORES MOBILIÁRIOS Vigência 20/12/ /12/2018

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO COM VALORES MOBILIÁRIOS Vigência 20/12/ /12/2018 Página 1/7 TÍTULO: VALORES MOBILIÁRIOS CLASSIFICAÇÃO: FINALIDADE: ELABORAÇÃO: APROVAÇÃO: NORMA ESTRATÉGICA Estabelecer a conduta dos administradores sobre a negociação com valores mobiliários do BRB Banco

Leia mais

XP Investimentos CCTVM SA

XP Investimentos CCTVM SA Política de Exercício de Direito de voto XP Investimentos CCTVM SA POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO E COMPANHIAS EMISSORAS DE VALORES MOBILIÁRIOS

Leia mais

POLÍTICA DE VOTO Atualização Junho de 2016

POLÍTICA DE VOTO Atualização Junho de 2016 POLÍTICA DE VOTO Atualização Junho de 2016 Índice CAPÍTULO I Definição e Finalidade... 3 CAPÍTULO II Princípios Gerais... 3 CAPÍTULO III Matérias Relevantes Obrigatórias... 4 CAPÍTULO IV Processo Decisório...

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS NORMANDIA INVESTIMENTOS LTDA.

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS NORMANDIA INVESTIMENTOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS NORMANDIA INVESTIMENTOS LTDA. CAPÍTULO I Definição e Finalidade Artigo 1º A presente Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias

Leia mais

SP VENTURES CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA

SP VENTURES CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA SP VENTURES CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA Junho/2016 SP VENTURES GESTORA DE RECURSOS S.A. ( Sociedade ) CNPJ: 09.594.756/0001-80 Av. Brigadeiro Faria Lima, 1.485, 19ª andar, conj. 181 ala oeste Jardim Paulistano,

Leia mais

Manual de Compliance

Manual de Compliance Manual de Compliance 1. Introdução Este manual visa descrever as regras que regem o funcionamento das atividades da Alive Investimentos (a Alive ), assim como os controles e procedimentos utilizados para

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS SAMI / SAGA

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS SAMI / SAGA São Paulo, Janeiro de 2017 POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS SAMI / SAGA Aos Funcionários da SulAmérica Investimentos Esta Política de Investimentos Pessoais e Informações Privilegiadas se aplica à todos

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembléias

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembléias POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS Sul América Investimentos Gestora de Recursos S.A Elaborado ou Revisado por: Fabio Traldi Próxima Revisão: 16/05/2019 Aprovado por: Gustavo

Leia mais

BC GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS

BC GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS BC GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS CAPÍTULO I Definição 1.1 A presente Política, adotada em conformidade com o Código de Auto-Regulação da ANBID para os Fundos de Investimento,

Leia mais

Política de Negociação de Títulos e Valores Mobiliários

Política de Negociação de Títulos e Valores Mobiliários 1/7 CONTROLE DE APROVAÇÃO ELABORADOR REVISOR APROVADOR Olympia Baptista Gerência de Controles Internos e Compliance Julia Costa Diretora Corporativa Luiz Eduardo Franco de Abreu Diretor Presidente 2/7

Leia mais

POLÍTICAS QUANTO À COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS POR PARTE DE FUNCIONÁRIOS, DIRETORES E ADMINISTRADORES

POLÍTICAS QUANTO À COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS POR PARTE DE FUNCIONÁRIOS, DIRETORES E ADMINISTRADORES POLÍTICAS QUANTO À COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS POR PARTE DE FUNCIONÁRIOS, DIRETORES E ADMINISTRADORES ÍNDICE I - POLÍTICAS QUANTO À COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS POR PARTE DE FUNCIONÁRIOS,

Leia mais

Política de Confidencialidade Colaboradores Venturestar

Política de Confidencialidade Colaboradores Venturestar Política de Confidencialidade Colaboradores Venturestar (versão 05.2016) 1 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 POLÍTICA DE CONFIDENCIALIDADE... 4 2 INTRODUÇÃO Esta Política de Confidencialidade dos Colaboradores da

Leia mais

POLÍTICAS INTERNAS POLÍTICA DE COMPLIANCE

POLÍTICAS INTERNAS POLÍTICA DE COMPLIANCE POLÍTICAS INTERNAS POLÍTICA DE COMPLIANCE POLÍTICAS INTERNAS POLÍTICA DE COMPLIANCE JUNHO/2016 01. OBJETIVO A presente Política tem por objetivo estabelecer normas e procedimentos internos para a consecução

Leia mais

GLP BRASIL GESTÃO DE RECURSOS E ADMINISTRAÇÃO IMOBILIÁRIA LTDA. POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS FEVEREIRO/2017

GLP BRASIL GESTÃO DE RECURSOS E ADMINISTRAÇÃO IMOBILIÁRIA LTDA. POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS FEVEREIRO/2017 GLP BRASIL GESTÃO DE RECURSOS E ADMINISTRAÇÃO IMOBILIÁRIA LTDA. POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS FEVEREIRO/2017 1. INTRODUÇÃO A presente Política de Investimentos Pessoais ( Política ) visa determinar

Leia mais

POLÍTICA DE VOTO. Emissão Revisão Aprovação Página Junho/2008 Maio/2014 Sócios / Administração 1 / 7

POLÍTICA DE VOTO. Emissão Revisão Aprovação Página Junho/2008 Maio/2014 Sócios / Administração 1 / 7 POLÍTICA DE VOTO Junho/2008 Maio/2014 Sócios / Administração 1 / 7 Sumário 1. OBJETO... 3 2. PRINCÍPIOS GERAIS... 3 3. EXERCÍCIOS DA POLÍTICA DE VOTO... 4 a. Matérias Relevantes Obrigatórias... 4 b. Voto

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS G5 ADMINISTRADORA DE RECURSOS LTDA. CAPÍTULO I Definição e Finalidade

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS G5 ADMINISTRADORA DE RECURSOS LTDA. CAPÍTULO I Definição e Finalidade POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS G5 ADMINISTRADORA DE RECURSOS LTDA. CAPÍTULO I Definição e Finalidade Artigo 1º A presente Política de Exercício de Direito de Voto em Assembléias

Leia mais

Departamento de Controles Internos e de Compliance

Departamento de Controles Internos e de Compliance Departamento de Controles Internos e de Compliance Política de Exercício de Direito de Voto Proxy Voting Angá Asset Management 1 1. OBJETIVO Esta Política, em conformidade com o Código de Regulação e Melhores

Leia mais

POLÍTICA DE COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS POR ADMINISTRADORES, EMPREGADOS, COLABORADORES E PELA PRÓPRIA EMPRESA

POLÍTICA DE COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS POR ADMINISTRADORES, EMPREGADOS, COLABORADORES E PELA PRÓPRIA EMPRESA POLÍTICA DE COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS POR ADMINISTRADORES, EMPREGADOS, COLABORADORES E PELA PRÓPRIA EMPRESA (política de investimentos pessoais) OURO PRETO GESTÃO DE RECURSOS S.A. ( Gestora

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA UNIDAS S.A. CAPÍTULO I OBJETO CAPÍTULO II DEFINIÇÕES

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA UNIDAS S.A. CAPÍTULO I OBJETO CAPÍTULO II DEFINIÇÕES POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA UNIDAS S.A. CAPÍTULO I OBJETO Cláusula 1.1 Objeto. Esta Política de Negociação de Valores Mobiliários de Emissão da UNIDAS S.A. ( Companhia )

Leia mais

P3 Código MANUAL DE CONTROLES INTERNOS FATOR CORRETORA COR-MOC.013. Atividade de Analista de Valores Mobiliários - Inst.

P3 Código MANUAL DE CONTROLES INTERNOS FATOR CORRETORA COR-MOC.013. Atividade de Analista de Valores Mobiliários - Inst. de Analista de Valores Mobiliários - Inst. CVM nº 483 1. CONTEÚDO DESTE DOCUMENTO MANUAL DE CONTROLES INTERNOS Contêm os requisitos e diretrizes básicas para o credenciamento e as responsabilidades de

Leia mais