The Construction Products Regulation (CPR) 1 de Julho 2016

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "The Construction Products Regulation (CPR) 1 de Julho 2016"

Transcrição

1 The Construction Products Regulation (CPR) 1 de Julho 2016

2 CPR Objectivo? Livre circulação de materiais de construção na UE. Uniformização da linguagem técnica na UE. Conformidade dos produtos através da marca CE. O CPR entra em vigor a 1 de Julho de Fase de transição de 1 ano. 2

3 CPD / CPR Marca CE 1989: Directiva de Produtos de Construção (CPD) - 89/106/EEC 2013: a CPD foi substítuida pelo Regulamento de Produtos de Construção (CPR) - 305/2011/EU) Aplicação obrigatória em todos os países abrangidos. Sem alterações técnicas significativas, mas a terminologia modificada, procedimentos e aspectos jurídicos 3

4 CPR & Cabos Todos os cabos que se destinam à construção: Energia e Controlo, todos os níveis de tensão Telecom e Dados, cobre e ópticos Cabos para aplicações fora do âmbito da construção (ex. rolling stock, OGP, ships ) ou para exportações fora da UE, não estão abrangidos pelo CPR. 4

5 CPR & Cabos Para os cabos o CPR só estipula características em relação à segurança em caso de incêndio. As características envolvidas são: Reação ao fogo: comportamento durante a combustão e potencial contribuição para o desenvolvimento de um incêndio e as suas consequências nocivas. 5

6 CPR & Cabos A aplicação do CPR inicia-se somente com a Reação ao Fogo. A Resistência ao Fogo será aplicada mais tarde, daqui a 2-3 anos. 6

7 Reação ao Fogo Classificação e Sistemas de Certificação Mudança de abordagem em relação ao comportamento melhorado ao fogo com a aplicação do CPR. Até agora: não propagação do incêndio e fumos emitidos (opacidade, acidez). O CPR aumenta a exigência, com a introdução do calor libertado e a queda de partículas incandescentes. 7

8 Reação ao Fogo Classificação e Sistemas de Certificação Reação ao Fogo classificação: 7 classes («Euroclasses») Classificação baseada na não propagação de incêndio e calor libertado. As Euroclasses superiores apresentam critérios adicionais: densidades de fumos, acidez e gotículas flamejantes. 8

9 Reação ao Fogo Classificação e Sistemas de Certificação - 3 sistemas de AVCP (Assessment and Verification of Constancy of Performance): Sistemas 1+: vigilância contínua por um organismo certificado (ex. AENOR) Sistema 3: ensaios iniciais realizados por um laboratório independente. Sistema 4: Ensaios e controlo de produção somente realizados pelo fabricante. 9

10 Reação ao Fogo Classificação e Sistemas de Certificação Classe Sistema AVCP A ca B1 ca 1+ Vigilância contínua por um organismo certificado. B2 ca C ca D 3 ca Ensaios iniciais realizados por um laboratório independente. E ca 4 Ensaios e controlo de produção somente realizados pelo F ca fabricante. 10

11 Euroclasses - Parâmetros de Classificação Classe Método de ensaio Critérios de classificação A ca EN ISO 1716 PCS 2,0 MJ/kg B1 ca B2 ca C ca D ca EN Fonte de chama de 30 kw Montagem especial EN EN Fonte de chama de 20,5 kw EN EN Fonte de chama de 20,5 kw EN EN Fonte de chama de 20,5 kw EN FS 1,75 m THR 1200s 10 MJ HRR máx. 20 kw FIGRA 120 W/s H 425 mm FS 1,5 m THR 1200s 15 MJ HRR máx. 30 kw FIGRA 150 W/s H 425 mm FS 2,0 m THR 1200s 30 MJ HRR máx. 60 kw FIGRA 300 W/s H 425 mm THR 1200s 70 MJ HRR máx. 400 kw FIGRA 1300 W/s H 425 mm E ca EN H 425 mm F ca EN H > 425 mm Classificação complementar Produção de fumo Queda de partículas incandescentes Acidez (ph e condutividade) Parâmetros de Classificação PCS: Calor Bruto de Combustão FS: Extensão Cabo Danificado. THR 1200s : Libertação total de calor durante um período. Peak HRR: Máx. taxa de libertação de calor. FIGRA: Índice da taxa de crescimento do incêndio. H: Propagação da chama(ensaio IEC/EN

12 Reação ao Fogo Critério adicionais Classificação: Fumos Classe s1 EN s1a Método de ensaio EN Critérios de classificação adicional TSP 1200s 50 m 2 Peak SPR 0,25 m 2 /s TSP 1200s 50 m 2 Peak SPR 0,25 m 2 /s EN Transmitância 80 % Parâmetros de Classificação TSP: Produção total de fumo SPR: Taxa de produção de fumo s1b EN TSP 1200s 50 m 2 Peak SPR 0,25 m 2 /s EN Transmitância 60 % s2 EN TSP 1200s 50 m 2 Peak SPR 0,25 m 2 /s s3 EN Nem s1, nem s2 12

13 Reação ao Fogo Classificação complementar Classificação de queda de partículas incandescentes Classe Método de ensaio d0 EN d1 EN Critérios de classificação complememtar Inexistência de partículas incandescentes em 1200 s Não se observa a persistência de partículas incandescentes por mais de 10 s durante 1200 s d2 EN Nem d0, nem d1 13

14 Reação ao Fogo Critério complementares Classificação de acidez Classe Método de ensaio Critérios de classificação complementar a1 EN Condutividade < 2,5 µs/mm ph > 4,3 a2 EN Condutividade < 10 µs/mm ph > 4,3 a3 EN Nem a1, nem a2 14

15 Reação ao Fogo Exemplos de Classes A tendência é para simplificar em 3 níveis, por exemplo: Nível Classe mínima a exigir Aplicação típica Alto B2 ca -s1a,d2,a1 Tunéis ferroviários Médio C ca -s1b,d2,a1 Locais de afluência de público Mínimo E ca Restantes Cada país deve estabelecer as classes mínimas a aplicar em cada tipo de instalação, adaptando para isso os regulamentos nacionais. 15

16 CPR - Obrigações do Fabricante Realizar as Declarações de Desempenho (DoP). As DoP têm de estar disponíveis em formato digital e em papel. Podem ser inseridas no Website. Implementar o sistema de certificação. A documentação têm de ser mantida durante 10 anos. Colocar a marca CE, que consiste não só no logotipo CE, mas contêm informações detalhadas de acompanhamento relativos ao fabricante, ao produto e do sistema de certificação. 16

17 Exemplo de uma DoP 17

18 Marca CE Etiqueta. Não é inserido na bainha do cabo. 18

19 Obrigada!

Os cabos elétricos no Regulamento dos Produtos de Construção (CPR, RPC) Fev. 2017

Os cabos elétricos no Regulamento dos Produtos de Construção (CPR, RPC) Fev. 2017 Os cabos elétricos no Regulamento dos Produtos de Construção (CPR, RPC) Fev. 2017 Agenda Agenda 1. Introdução ao CPR 2. Os Cabos no CPR 3. Requisitos para a Classificação dos Cabos 4. Adaptação na Legislação

Leia mais

Regulamento dos Produtos de Construção (RPC, ou CPR)

Regulamento dos Produtos de Construção (RPC, ou CPR) COMPROMISSO COM A SEGURANÇA DOS UTILIZADORES GC Julho/17 Rev. 02 Regulamento dos Produtos de Construção (RPC, ou CPR) Portal CPR 1. CONCEITOS BÁSICOS.. 2 2. A QUEM AFETA O RPC. 2 a. OBRIGAÇÕES DO FABRICANTE..

Leia mais

Regulamento dos Produtos de Construção (RPC, ou CPR)

Regulamento dos Produtos de Construção (RPC, ou CPR) COMPROMISSO COM A SEGURANÇA DOS UTILIZADORES GC Julho/17 Rev. 03 Regulamento dos Produtos de Construção (RPC, ou CPR) Portal CPR 1. CONCEITOS BÁSICOS.. 2 2. A QUEM AFETA O RPC. 2 a. OBRIGAÇÕES DO FABRICANTE..

Leia mais

Conformidade dos Cabos Legrand relativamente ao Regulamento dos Produtos de Construção (RPC)

Conformidade dos Cabos Legrand relativamente ao Regulamento dos Produtos de Construção (RPC) Newsletter # 2 Carcavelos, 27 de Junho de 2017 Conformidade dos Cabos Legrand relativamente ao Regulamento dos Produtos de Construção (RPC) (Regulamento UE N.º 305/2011 do Parlamento Europeu e do Conselho)

Leia mais

GUIA TÉCNICO DAS CLASSES DE REAÇÃO AO FOGO DOS CABOS ELÉTRICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO

GUIA TÉCNICO DAS CLASSES DE REAÇÃO AO FOGO DOS CABOS ELÉTRICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO ELETROTÉCNICA CTE 64 GUIA TÉCNICO DAS CLASSES DE REAÇÃO AO FOGO DOS CABOS ELÉTRICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO (INCLUI A ADAPTAÇÃO DAS RTIEBT:2006 AO REGULAMENTO DELEGADO (UE) 2016/364,

Leia mais

Declaração de Conformidade N.º 2007/00/02

Declaração de Conformidade N.º 2007/00/02 1 de 5 Declaração de Conformidade N.º Produtor Gabelex Morada: Monte Largo Aldão Apartado 113 Código Postal: 4801-910 Guimarães Telefone: (+351) 253 424 540 Fax: (+351) 253 414 804 Website: www.gabelex.pt

Leia mais

Exemplos de Certificados de Conformidade CE e de Certificados do Controlo da Produção na Fábrica

Exemplos de Certificados de Conformidade CE e de Certificados do Controlo da Produção na Fábrica GNB-CPD AG Guidance from the Group of Notified Bodies for the Construction Products Directive 89/106/EEC NB-CPD/AG/04/082r2 Issued: 30 August 2004 APPROVED Exemplos de Certificados de Conformidade CE e

Leia mais

CPR. Novo regulamento da UE para materiais da construção.

CPR. Novo regulamento da UE para materiais da construção. CPR Novo regulamento da UE para materiais da construção www. Índice Regulamento de produtos para a construção (CPR).... 4 O que é o Regulamento de produtos para a construção (CPR)?.... 4 Qual é o objetivo

Leia mais

Declaração de Conformidade N.º 2008/00/08

Declaração de Conformidade N.º 2008/00/08 1 de 5 Declaração de Conformidade N.º Produtor Gabelex Monte Largo Aldão - Apartado 113 Código Postal: 4801-910 Guimarães Telefone: (+351) 253 424 540 Fax: (+351) 253 414 804 Website: www.gabelex.pt E-mail:gabelex@saint-gobain.com

Leia mais

DECLARAÇÃO DE DESEMPENHO

DECLARAÇÃO DE DESEMPENHO Hilti. Melhor desempenho. Maior duração. EN 170 DECLARAÇÃO DE DESEMPENHO em conformidade com o Anexo III do Regulamento (UE) n.º 305/2011 (Regulamento dos Produtos de Construção) 1. Código de identificação

Leia mais

REQUERENTE: CLASSIFICAÇÃO DA REAÇÃO AO FOGO CONFORME A NORMA UNE-EN :2007+A1:2010 SAINT-GOBAIN TRANSFORMADOS, S.A.U.

REQUERENTE: CLASSIFICAÇÃO DA REAÇÃO AO FOGO CONFORME A NORMA UNE-EN :2007+A1:2010 SAINT-GOBAIN TRANSFORMADOS, S.A.U. REQUERENTE: SAINT-GOBAIN TRANSFORMADOS, S.A.U. CLASSIFICAÇÃO DA REAÇÃO AO FOGO CONFORME A NORMA UNE-EN 13501-1:2007+A1:2010 Produto: Fabricante: Saint-Gobain Transformados, S.A.U. Gama de produto: Segundo

Leia mais

Autoridade de Segurança Alimentar e Económica

Autoridade de Segurança Alimentar e Económica Autoridade de Segurança Alimentar e Económica UNO/DEPO CONFERÊNCIA: PROTEÇÃO PASSIVA NO REGIME JURÍDICO DE SCIE MARCAÇÃO «CE» DOS PRODUTOS DE CONSTRUÇÃO LIGADOS À PROTEÇÃO PASSIVA JUNHO 2016 FISCALIZAÇÃO

Leia mais

WWW.PAINEISTERMOISOLANTES.COM.BR Novas tecnologias para isolamento térmico na construção civil: PIR e PUR Rodnei Massamiti Abe Gerente Técnico em Eficiência Energética Dow Brasil Painéis Termoisolantes

Leia mais

Aparelhagem eléctrica BT Requisitos legais e normativos. Paulo Cabral Esaú Cardoso Jornadas CERTIEL 2012

Aparelhagem eléctrica BT Requisitos legais e normativos. Paulo Cabral Esaú Cardoso Jornadas CERTIEL 2012 Aparelhagem eléctrica BT Requisitos legais e normativos Paulo Cabral Esaú Cardoso Jornadas CERTIEL 2012 Objectivo Enquadrar as regras actuais em matéria de qualificação da aparelhagem eléctrica de baixa

Leia mais

REGULAMENTOS. Tendo em conta o Tratado sobre o Funcionamento da União Europeia,

REGULAMENTOS. Tendo em conta o Tratado sobre o Funcionamento da União Europeia, 28.5.2014 L 159/41 REGULAMENTOS REGULAMENTO DELEGADO (UE) N. o 574/2014 DA COMISSÃO de 21 de fevereiro de 2014 que altera o anexo III do Regulamento (UE) n. o 305/2011 do Parlamento Europeu e do Conselho

Leia mais

A «marcação CE» dos equipamentos sob pressão

A «marcação CE» dos equipamentos sob pressão Seminário A nova directiva dos Equipamentos Sob Pressão e a marcação CE Ordem dos Engenheiros Lisboa, 2015-11-11 A «marcação CE» dos equipamentos sob pressão Alberto Fonseca A ESTRUTURA LEGAL E NORMATIVA

Leia mais

DECLARAÇÃO DE DESEMPENHO N.º Hilti HKD (Parte 6)_0672-CPR-0137

DECLARAÇÃO DE DESEMPENHO N.º Hilti HKD (Parte 6)_0672-CPR-0137 PT DECLARAÇÃO DE DESEMPENHO N.º Hilti HKD (Parte 6)_0672-CPR-0137 1. Código de identificação único do tipo de produto: Ancoragem de embutir Hilti HKD 2. Utilização(ões) prevista(s): Produto Ancoragens

Leia mais

Apresentação da NP EN 12004: A1:2012

Apresentação da NP EN 12004: A1:2012 Joaquim Valente de Almeida LEP/ccMCS materials.habitat Seminário Colagem de Produtos Cerâmicos segundo a NP EN 12004:2008 (Colas para ladrilhos) CTCV/Coimbra 13/11/2013 1 Objectivo e campo de aplicação

Leia mais

Resistencia mecanica e estabilidade Segurança contra incêndio Higiene, Saude e Ambiente Segurança e acessibilidade na utilização Protecção conta o

Resistencia mecanica e estabilidade Segurança contra incêndio Higiene, Saude e Ambiente Segurança e acessibilidade na utilização Protecção conta o 1 2 Resistencia mecanica e estabilidade Segurança contra incêndio Higiene, Saude e Ambiente Segurança e acessibilidade na utilização Protecção conta o ruido Econonomia de energia e isolamento termico 3

Leia mais

Colagem de Cerâmicos e Rochas Ornamentais Enquadramento normativo - Marcação CE

Colagem de Cerâmicos e Rochas Ornamentais Enquadramento normativo - Marcação CE Colagem de Cerâmicos e Rochas Ornamentais Enquadramento normativo - Marcação CE Workshop AICCOPN, Porto,13/03/2014 Baio Dias baiodias@ctcv.pt Diretor Adjunto Técnico 1 Enquadramento Normativo Normas aplicáveis

Leia mais

Marcação CE e Certificação de Produtos da Construção

Marcação CE e Certificação de Produtos da Construção Marcação CE e Certificação de Produtos da Construção (Fileira do Cimento) Joana Vaz, Gestora de Processo CERTIF APFAC/CTCV Porto, Outubro 2009 Iniciou a sua actividade em 1999 Constituída por 24 associados

Leia mais

O que muda em 1 de julho de 2013

O que muda em 1 de julho de 2013 Regulamento dos Produtos de Construção Novas exigências para a Marcação CE O que muda em 1 de julho de 2013 Armando Mendes 27desetembrode2012 1 Tópicos Regulamento (UE) nº 305/2011 Diretiva -Regulamento:

Leia mais

Declaração de Desempenho

Declaração de Desempenho Edição de Fevereiro 2015 Nº identificação: 010812050030000022 EN 1504-2:2004 14 0866 DECLARAÇÃO DE DESEMPENHO EN 1504-2:2004 Sikafloor Topcoat-PT 01 08 12 05 003 0 000022 1049 1. Tipo de produto: Código

Leia mais

Ficha técnica. Molduras em cor branco. Descrição. Marcas de qualidade (1)

Ficha técnica. Molduras em cor branco. Descrição. Marcas de qualidade (1) Descrição Utilização Calha de pequenas dimensões com tampa exterior, para montag saliente sobre parede ou teto e destinada à distribuição de cabos instalações elétricas e de telecomunicações. Dispõe de

Leia mais

DECLARAÇÃO DE DESEMPENHO

DECLARAÇÃO DE DESEMPENHO PT DECLARAÇÃO DE DESEMPENHO em conformidade com o Anexo III do Regulamento (UE) N.º 305/2011 (Regulamento dos Produtos de Construção) Fita Intumescente Hilti CFS-W N.º Hilti CFS 0843-CPD-0103 1. Código

Leia mais

L 92/28 Jornal Oficial da União Europeia

L 92/28 Jornal Oficial da União Europeia L 92/28 Jornal Oficial da União Europeia 3.4.2008 REGULAMENTO (CE) N. o 308/2008 DA COMISSÃO de 2 de Abril de 2008 que estabelece, nos termos do Regulamento (CE) n. o 842/2006 do Parlamento Europeu e do

Leia mais

DECLARAÇÃO DE DESEMPENHO

DECLARAÇÃO DE DESEMPENHO EN 1504-2:2004 09 0866 EN 13813 EN 1504-2:2004 1. Tipo de produto: Código de identificação do produto-tipo DECLARAÇÃO DE DESEMPENHO 161 2. Tipo Número do tipo, do lote ou da série, ou quaisquer outros

Leia mais

DECLARAÇÃO DE DESEMPENHO

DECLARAÇÃO DE DESEMPENHO PT DECLARAÇÃO DE DESEMPENHO em conformidade com o Anexo III do Regulamento (UE) N.º 305/2011 (Regulamento dos Produtos de Construção) Vedante Antifogo em Silicone Hilti CFS-S SIL N.º Hilti CFS 0761-CPD-0177

Leia mais

TAFIPAN P2 FR. Descrição. Aplicações. Recomendações. Técnico. TAFIPAN P2 FR - aglomerado para uso interior, incluindo mobiliário, com comportamento ao

TAFIPAN P2 FR. Descrição. Aplicações. Recomendações. Técnico. TAFIPAN P2 FR - aglomerado para uso interior, incluindo mobiliário, com comportamento ao Propriedades Disponível com pigmento vermelho Fácil maquinabilidade Permite uma grande variedade de revestimentos Ignífugo Técnico TAFIPAN P2 FR TAFIPAN P2 FR - aglomerado para uso interior, incluindo

Leia mais

NOVA LEGISLAÇÃO PARA MARCAÇÃO CE

NOVA LEGISLAÇÃO PARA MARCAÇÃO CE NOVA LEGISLAÇÃO PARA MARCAÇÃO CE Sandra C. N. Lopes Engenheira Geóloga XIII 1 INTRODUÇÃO A marcação CE nos produtos de construção, ou seja, a aposição da marca CE em todos os produtos de construção destinados

Leia mais

SEMINÁRIO DESEMPENHO DAS EDIFICAÇÕES SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO SINDUSCON MG / SENAI / FIEMG 29/04/16

SEMINÁRIO DESEMPENHO DAS EDIFICAÇÕES SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO SINDUSCON MG / SENAI / FIEMG 29/04/16 SEMINÁRIO DESEMPENHO DAS EDIFICAÇÕES SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO SINDUSCON MG / SENAI / FIEMG 29/04/16 TEMA: ESCOPO E ANÁLISE CRÍTICA DE PROJETOS DE INCÊNDIO Definir o escopo de contratação de projetos de

Leia mais

ACEPE ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL DO POLIESTIRENO EXPANDIDO

ACEPE ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL DO POLIESTIRENO EXPANDIDO ACEPE ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL DO POLIESTIRENO EXPANDIDO EPS POLIESTIRENO EXPANDIDO NO ETICS A ESCOLHA PARA UM ISOLAMENTO EFICIENTE, ECONÓMICO E SUSTENTÁVEL NICOLAU TIRONE SEMINÁRIO APFAC/ ITeCons FACHADAS

Leia mais

A obrigatoriedade da marcação CE

A obrigatoriedade da marcação CE Adesivos cimentícios e a EN 12004: A obrigatoriedade da marcação CE Rogério Tomás, Cimentos Cola, Lda. Concreta 2004 1 Adesivos cimentícios, o que são? Argamassas para a colagem de peças cerâmicas, pedra

Leia mais

PLACA TÉCNICA PLANA DE MADEIRA E CIMENTO. Indicado para: Decoração de Interiores, Pavimentos e Aplicações Industriais.

PLACA TÉCNICA PLANA DE MADEIRA E CIMENTO. Indicado para: Decoração de Interiores, Pavimentos e Aplicações Industriais. PLC TÉCNIC PLN DE MDEIR E CIMENTO Indicado para: Decoração de Interiores, Pavimentos e plicações Industriais. PLC TÉCNIC PLN DE MDEIR E CIMENTO PR DECORÇÃO DE INTERIORES DESCRIÇÃO: aglomerada de madeira

Leia mais

CTCV. centro tecnológico da cerâmica e do vidro coimbra portugal

CTCV. centro tecnológico da cerâmica e do vidro coimbra portugal Ação de sensibilização para a adoção de ferramentas de melhoria dos Sistemas de Controlo da Produção e promoção da sua implementação como fator crítico de competitividade Marta Ferreira CTCV 09-02-2017

Leia mais

Marcação CE em colas para construção. Saint-Gobain Weber Cimenfix César Correia

Marcação CE em colas para construção. Saint-Gobain Weber Cimenfix César Correia Marcação CE em colas para construção Saint-Gobain Weber Cimenfix César Correia Conforme Requisitos Essenciais Resistência mecânica e estabilidade Segurança em caso de incêndio Higiene, saúde e ambiente

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE

A IMPORTÂNCIA DA AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE A IMPORTÂNCIA DA AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE Regulamento dos Produtos da Construção CTCV/APFAC CONCRETA, 2011-10-20 Marta Silva Gestora de Processo Temas Aspectos gerais da Marcação CE Directiva Produtos

Leia mais

ACEPE ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL DO POLIESTIRENO EXPANDIDO

ACEPE ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL DO POLIESTIRENO EXPANDIDO ACEPE ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL DO POLIESTIRENO EXPANDIDO EPS POLIESTIRENO EXPANDIDO NO ISOLAMENTO TÉRMICO PELO EXTERIOR ETICS NICOLAU TIRONE SEMINÁRIO APFAC FACHADAS ENERGETICAMENTE EFICIENTES LNEC, LISBOA

Leia mais

TAFIPAN MR P3. Descrição. Aplicações. Recomendações. Técnico

TAFIPAN MR P3. Descrição. Aplicações. Recomendações. Técnico Propriedades Disponível com pigmento verde Fácil maquinabilidade Permite uma grande variedade de revestimentos Técnico TAFIPAN MR P3 TAFIPAN MR P3 aglomerado para aplicações não estruturais em ambientes

Leia mais

AS EXIGÊNCIAS DE REAÇÃO E RESISTÊNCIA AO FOGO DA LEGISLAÇÃO DE SEGURANÇA AO INCÊNDIO PARA OS PRODUTOS DA CONSTRUÇÃO"

AS EXIGÊNCIAS DE REAÇÃO E RESISTÊNCIA AO FOGO DA LEGISLAÇÃO DE SEGURANÇA AO INCÊNDIO PARA OS PRODUTOS DA CONSTRUÇÃO AS EXIGÊNCIAS DE REAÇÃO E RESISTÊNCIA AO FOGO DA LEGISLAÇÃO DE SEGURANÇA AO INCÊNDIO PARA OS PRODUTOS DA CONSTRUÇÃO" António Leça Coelho alcoelho@lnec.pt LABORATÓRIO NACIONAL DE ENGENHARIA CIVIL Departamento

Leia mais

PRODUTOS DE CONSTRUÇÃO Novo Regulamento, o que Muda

PRODUTOS DE CONSTRUÇÃO Novo Regulamento, o que Muda 1 PRODUTOS DE CONSTRUÇÃO Novo Regulamento, o que Muda Regulamento (UE) nº 305/2011 versus Diretiva nº 89/106/CEE Melo Arruda Encontro promovido pelo Bureau Veritas e IPQ 6 de novembro de 2012 2 Tópicos

Leia mais

Reação e Resistência ao Fogo

Reação e Resistência ao Fogo Exigências de segurança contra incêndio aplicadas aos perfis pultrudados: Reação e Resistência ao Fogo Antonio Fernando Berto afberto@ipt.br Reação ao Fogo dos Materiais Comportamento dos materiais em

Leia mais

CTCV Serviços de Apoio às s Empresas

CTCV Serviços de Apoio às s Empresas centro tecnológico da cerâmica e do vidro coimbra portugal Implementação de um SCP Marcação CE de Vigotas NP EN 15037-1 Helena Teixeira Sistemas de Gestão e Melhoria 1 CTCV 09/DEZ/2010 centro tecnológico

Leia mais

Modelo Brasileiro de Avaliação da Conformidade de Produtos para Telecomunicações

Modelo Brasileiro de Avaliação da Conformidade de Produtos para Telecomunicações Superintendência de Radiofrequência e Fiscalização Gerência de Certificação Modelo Brasileiro de Avaliação da Conformidade de Produtos para Telecomunicações Brasília, Brasília, 04 de 17 setembro de agosto

Leia mais

Calhas sem halogéneos

Calhas sem halogéneos Sistema de condução em armários e equipamentos com 88 matéria-prima cor U43X 88 U43X Para a condução de cabos em quadros elétricos e de comunicações Sistema robusto. Fácil montagem e desmontagem da tampa,

Leia mais

UL do Brasil Certificações

UL do Brasil Certificações UL do Brasil Certificações UL and the UL logo are trademarks of UL LLC 2015 Quem somos? 2 Quem somos? 22,000,000,000 marcas UL em produtos 570,088 inspeções de follow up 84,994 avaliações de produtos 66,149

Leia mais

Directiva Equipamentos sob Pressão. Nova Directiva 2014/68/UE

Directiva Equipamentos sob Pressão. Nova Directiva 2014/68/UE Uma Rede de Tecnologia e Qualidade Directiva Equipamentos sob Pressão Nova Directiva 2014/68/UE instituto de soldadura e qualidade Apresentação: Mário Sapatinha ISQ Visão geral Fundado em 1965; Cerca de

Leia mais

Nova Diretiva de Equipamentos sob Pressão (2014/ 68/UE)

Nova Diretiva de Equipamentos sob Pressão (2014/ 68/UE) Nova Diretiva de Equipamentos sob Pressão (2014/ 68/UE) Mª Teresa Souto López Technical Manager Energy Working together for a safer world Nova Diretiva de Equipamentos sob Pressão (2014/68/UE) Quais os

Leia mais

Cabo de controle blindado, livre de halogênio, com características contra o fogo melhoradas

Cabo de controle blindado, livre de halogênio, com características contra o fogo melhoradas INFORMAÇÕES SOBRE O PRODUTO Cabo de controle blindado, livre de halogênio, com características contra o fogo melhoradas -halogen-free control cable, HFFR, flexible and screened for various applications,

Leia mais

Avaliação da Conformidade aplicada às. Partículas (PFF)

Avaliação da Conformidade aplicada às. Partículas (PFF) Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia Avaliação da Conformidade aplicada às Peças Semifaciais Filtrante para Partículas (PFF) Carlos E. de L. Monteiro Inmetro / Dconf / Dipac Fundacentro,

Leia mais

DECLARAÇÃO DE DESEMPENHO

DECLARAÇÃO DE DESEMPENHO PT DECLARAÇÃO DE DESEMPENHO em conformidade com o Anexo III do Regulamento (UE) n.º 305/2011 (Regulamento dos Produtos de Construção) Almofada intumescente Hilti CFS-CU N.º Hilti CFS "1121-CPD-EA0001"

Leia mais

Global Standard for Food Safety Issue 5 - BRC

Global Standard for Food Safety Issue 5 - BRC Global Standard for Food Safety Issue 5 - BRC http://www.brc.org.uk/standards Luísa Pestana Bastos 1 Referencial Global para a Segurança Alimentar 2 OBJECTIVO Desenvolvido para ajudar as empresas a cumprir

Leia mais

Tubos PVC U Saneamento

Tubos PVC U Saneamento Mar. 13 Tubos PVC U Saneamento Tubos em PVC destinados a saneamento básico para escoamento de águas sem pressão. Especificação Técnica Produto Aplicação Matéria Prima Embalagem Dimensões (mm) Marcação

Leia mais

WORKSHOP. Certificação de produtos, empresas e serviços

WORKSHOP. Certificação de produtos, empresas e serviços WORKSHOP Certificação de produtos, empresas e serviços PROJETO CERTIFICAÇÃO Qual o caminho que quero/devo seguir? MARCA identidade PATENTE Proteção do design / modelo EMPRESA Produtos CERTIFICAÇÃO Implementação

Leia mais

Ficha técnica. Calhas em cor branco. Descrição. Marcas de qualidade (1)

Ficha técnica. Calhas em cor branco. Descrição. Marcas de qualidade (1) Descrição Utilização Calha de tampa interior desenhada para a adaptação de mecanismos e condução de cabos instalações elétricas e de telecomunicações. Compartimentação fixa, com tampas independentes e

Leia mais

Marcação CE obrigatória em Argamassas: uma garantia de Qualidade. Argamassas de Reboco

Marcação CE obrigatória em Argamassas: uma garantia de Qualidade. Argamassas de Reboco Marcação CE obrigatória em Argamassas: uma garantia de Qualidade Argamassas de Reboco João Garcia Lisboa, 18 de Março de 2005 O que é uma argamassa de reboco? 2 Argamassa de Reboco Mistura de um ou mais

Leia mais

EU MEPS Para motores eléctricos de baixa tensão

EU MEPS Para motores eléctricos de baixa tensão EU MEPS Para motores eléctricos de baixa tensão EU MEPS em resumo O esquema EU MEPS (Norma Europeia de Desempenho Mínimo de Energia) define níveis mínimos obrigatórios de eficiência para motores electrónicos

Leia mais

A intervenção da APSEI no âmbito da Proteção Ativa Contra Incêndio - Como certificar o serviço de acordo com a NP 4513

A intervenção da APSEI no âmbito da Proteção Ativa Contra Incêndio - Como certificar o serviço de acordo com a NP 4513 A intervenção da APSEI no âmbito da Proteção Ativa Contra Incêndio - Como certificar o serviço de acordo com a NP 4513 3 ÂMBITO Proteção Contra Incêndio 230 membros 2 ASSOCIADOS Manutenção Consultoria

Leia mais

RSQM-DO DECLARAÇÃO_DOCUMENTADA_PROCESSO_DE_CERTIFICAÇÃO-ELETRODOMÉSTICOS

RSQM-DO DECLARAÇÃO_DOCUMENTADA_PROCESSO_DE_CERTIFICAÇÃO-ELETRODOMÉSTICOS Processo de Certificação Eletrodomésticos e Similares O que é OCC? Organismos de Certificação Credenciado (Acreditado) pelo INMETRO Conduzem e concedem a certificação de conformidade, com base em normas

Leia mais

Marcação CE de Janelas e Portas Pedonais Exteriores

Marcação CE de Janelas e Portas Pedonais Exteriores Marcação CE de Janelas e Portas Pedonais Exteriores Experiência de um Instalador na Implementação da Marcação CE CCIPD Ponta Delgada 7 de Abril C. PINHEIRO SISTEMAS POSIÇÃO DE VANGUARDA NO MERCADO PERFORMANCE

Leia mais

Calhas sem halogéneos 93

Calhas sem halogéneos 93 Sistema de alimentação de postos de trabalho com 93 matéria-prima cor 93 Para a adaptação de mecanismos Liberdade de escolha de mecanismos. Possibilidade de encostar ou encastrar em paredes e mobiliário.

Leia mais

REGULAMENTO DO PARLAMENTO E DO CONSELHO QUE ESTABELECE CONDIÇÕES HARMONIZADAS PARA A COMERCIALIZAÇÃO DOS PRODUTOS DA CONSTRUÇÃO (RPC)

REGULAMENTO DO PARLAMENTO E DO CONSELHO QUE ESTABELECE CONDIÇÕES HARMONIZADAS PARA A COMERCIALIZAÇÃO DOS PRODUTOS DA CONSTRUÇÃO (RPC) REGULAMENTO DO PARLAMENTO E DO CONSELHO QUE ESTABELECE CONDIÇÕES HARMONIZADAS PARA A COMERCIALIZAÇÃO DOS PRODUTOS DA CONSTRUÇÃO (RPC) M. J. Esteves Ferreira Na União Europeia, a comercialização dos produtos

Leia mais

(Texto relevante para efeitos do EEE)

(Texto relevante para efeitos do EEE) L 301/22 P 18.11.2015 REGULAMENO DE EXECUÇÃO (UE) 2015/2066 DA COMISSÃO de 17 de novembro de 2015 que estabelece, nos termos do Regulamento (UE) n. o 517/2014 do Parlamento Europeu e do Conselho, os requisitos

Leia mais

Ficha técnica. Rodapé. Descrição

Ficha técnica. Rodapé. Descrição Rodapé em Descrição Utilização Rodapé técnico para equipar, com instalações elétricas e de telecomunicações, as habitações e pequenos escritórios. Instalações acessíveis de montagem superficial, oferecendo

Leia mais

Marcação CE nas Argamassas para Pavimentos - Betonilhas

Marcação CE nas Argamassas para Pavimentos - Betonilhas Argamassas Industriais na Construção de Qualidade Marcação CE nas Argamassas para Pavimentos - Betonilhas LISBOA, 18 de Março de 2005 José Costa 1 Definição EN 13318:2000 Screed (Betonilha / Revestimento

Leia mais

Número: EMP Rev.: 0 Fl. 1/7

Número: EMP Rev.: 0 Fl. 1/7 Número: EMP-82301 Rev.: 0 Fl. 1/7 REV DATA HISTÓRICO DAS REVISÕES EMITIDO APROVADO 0 11/06/2013 Emissão inicial Sebastião Carvalho Engª de Produto Daniel Pedrosa Engª de Processo Número: EMP-82301 Rev.:

Leia mais

FICHA TÉCNICA Nº5. AGLOMERADO NEGRO ( ou AGLOMERADO PURO EXPANDIDO) AN STANDARD

FICHA TÉCNICA Nº5. AGLOMERADO NEGRO ( ou AGLOMERADO PURO EXPANDIDO) AN STANDARD FICHA TÉCNICA Nº5 AGLOMERADO NEGRO ( ou AGLOMERADO PURO EXPANDIDO) Referências: AN STANDARD Para Isolamento Térmico Regranulados Calibre 2 / 9 e 4,5 / 15 mm Nota: Por encomenda, fabricam-se ainda outros

Leia mais

SENSOR DE MONITORIZAÇÃO DE ATUAÇÃO DA VÁLVULA DE ESCAPE ATMOSFÉRICO (VEA)

SENSOR DE MONITORIZAÇÃO DE ATUAÇÃO DA VÁLVULA DE ESCAPE ATMOSFÉRICO (VEA) ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA (VEA) ET 449 18 de novembro de 2013 Página 2 de 10 ÍNDICE Registo das revisões... 3 1. Objetivo... 4 2. Âmbito... 4 3. Referências... 4 4. Definições / Siglas... 5 5. Requisitos...

Leia mais

Sessão Técnica ECODESIGN e o setor de AVAC em Portugal

Sessão Técnica ECODESIGN e o setor de AVAC em Portugal Sessão Técnica ECODESIGN e o setor de AVAC em Portugal Diretiva Ecodesign e Etiquetagem Energética Parlamento europeu, no conselho de 21 de Outubro 2009 1 Diretiva ECODESIGN 2009/125/CE Define um quadro

Leia mais

Notas Técnicas ANPC vs Requisitos regulamentares

Notas Técnicas ANPC vs Requisitos regulamentares Notas Técnicas ANPC vs Requisitos regulamentares Contextualização Nota Técnica n.º 09 [Sistemas de Proteção Passiva] Selagem de vãos Aberturas para passagem de cablagens e condutas Nota Técnica n.º 10

Leia mais

O tritubo é aplicado nas condutas subterrâneas para proteção de fibras ópticas. O seu interior estriado melhora a passagem da fibra óptica.

O tritubo é aplicado nas condutas subterrâneas para proteção de fibras ópticas. O seu interior estriado melhora a passagem da fibra óptica. Mar.13 Tritubo O tritubo é aplicado nas condutas subterrâneas para proteção de fibras ópticas. O seu interior estriado melhora a passagem da fibra óptica. Especificações técnicas do produto Documento Produto

Leia mais

Ficha técnica. Calhas em cor branco. Descrição. Marcas de qualidade (1)

Ficha técnica. Calhas em cor branco. Descrição. Marcas de qualidade (1) Descrição Utilização Calha de tampa exterior e de montag saliente sobre parede ou teto para a distribuição de cabos instalações elétricas e de telecomunicações. Aplicações interiores e exteriores. Bom

Leia mais

DECLARAÇÃO DE DESEMPENHO

DECLARAÇÃO DE DESEMPENHO PT DECLARAÇÃO DE DESEMPENHO em conformidade com o Anexo III do Regulamento (UE) Nr.º 305/2011 (Regulamento dos Produtos de Construção) Tampão Antifogo Hilti CFS-PL N.º Hilti CFS 0761-CPD-0271 1. Código

Leia mais

RZ1-K - BS EN XLPE LSZH Cabo Flexível

RZ1-K - BS EN XLPE LSZH Cabo Flexível RZ1-K - BS EN 50267 XLPE LSZH Cabo Flexível APLICAÇÕES Para instalação onde o fogo, emissão de fumos e gases tóxicos são uma potencial ameaça à vida e equipamentos. Cabo flexível de potência ou controlo

Leia mais

CERTIFICAÇÃO PEDRAS NATURAIS

CERTIFICAÇÃO PEDRAS NATURAIS Indústria Extractiva e Transformadora de Rocha CERTIFICAÇÃO PEDRAS NATURAIS Empresas - Agregados Rocha Ornamental 1 Certificação de Empresas Referenciais (exemplos): NP EN ISO 9001 (Sistemas de Gestão

Leia mais

Disjuntores Automáticos Modulares Disjuntores Automáticos modulares 1. Informações gerais

Disjuntores Automáticos Modulares Disjuntores Automáticos modulares 1. Informações gerais Aparelhagem Modular em calha DIN Disjuntores Automáticos modulares. formações gerais. Função Protecção contra correntes de curto-circuito Protecção contra sobreintensidades Corte Isolamento. Selecção Dados

Leia mais

A intervenção da APSEI no âmbito da Proteção Passiva Contra Incêndio - Como certificar o serviço de acordo com a NP 4513

A intervenção da APSEI no âmbito da Proteção Passiva Contra Incêndio - Como certificar o serviço de acordo com a NP 4513 A intervenção da APSEI no âmbito da Proteção Passiva Contra Incêndio - Como certificar o serviço de acordo com a NP 4513 3 ÂMBITO Proteção Contra Incêndio Proteção Ativa Proteção Passiva 163 membros 2

Leia mais

Manual abreviado Unidade de iluminação O3M950 O3M /00 03/2016

Manual abreviado Unidade de iluminação O3M950 O3M /00 03/2016 Manual abreviado Unidade de iluminação O3M950 O3M960 80236594/00 03/2016 Índice 1 Relativo a este manual 4 1.1 Símbolos usados 4 1.2 Advertências utilizadas 4 2 Instruções de segurança 4 2.1 Instrução

Leia mais

Procedimento interno que regula o processo de integração dos Organismos que prestam serviços de Avaliação da conformidade no Sistema Nacional da

Procedimento interno que regula o processo de integração dos Organismos que prestam serviços de Avaliação da conformidade no Sistema Nacional da 2016 Procedimento interno que regula o processo de integração dos Organismos que prestam serviços de Avaliação da conformidade no Sistema Nacional da Qualidade de Cabo Verde (SNQC) SUMÁRIO: O presente

Leia mais

PLACAS DE VOZ E DADOS

PLACAS DE VOZ E DADOS PLACAS DE VOZ E DADOS ÍNDICE Descrição Aplicações Referências Instalação Informação ténica Dimensões Descrição As placas de voz e dados são especialmente concebidos para montagem em invólucros 500 CIMA.

Leia mais

O Enquadramento Legal da Manutenção de Sistemas de Proteção Ativa (passiva) contra Incêndio (ANPC)

O Enquadramento Legal da Manutenção de Sistemas de Proteção Ativa (passiva) contra Incêndio (ANPC) O Enquadramento Legal da Manutenção de O Enquadramento Legal da Manutenção de Sistemas de Proteção Ativa (passiva) contra O Enquadramento Legal da Manutenção de Sistemas de Proteção Ativa (passiva) contra

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE CERTIFICAÇÃO DE PRODUTO, PROCESSO E SERVIÇO Modo Produção Biológico CONDIÇÕES PARTICULARES EN 694

REGULAMENTO GERAL DE CERTIFICAÇÃO DE PRODUTO, PROCESSO E SERVIÇO Modo Produção Biológico CONDIÇÕES PARTICULARES EN 694 REGULAMENTO GERAL DE CONDIÇÕES CERTIFICAÇÃO DE PRODUTO, PARTICULARES PROCESSO E SERVIÇO Modo Produção Biológico CONDIÇÕES PARTICULARES EN 694 ÍNDICE 1. PREÂMBULO... 3 2. ÂMBITO... 3 3. ALTERAÇÕES... 4

Leia mais

Sistema da Indústria Responsável Entidades Acreditadas

Sistema da Indústria Responsável Entidades Acreditadas 2013-01-22 Sistema da Indústria Responsável Entidades Acreditadas DL 169/2012, de 1 de agosto Artº 10 - Entidades acreditadas 1 As entidades acreditadas pelo IPAC, I. P., podem, nos termos do disposto

Leia mais

Conversores de frequência componentes ABB ACS50, 0,18 a 2,2 kw

Conversores de frequência componentes ABB ACS50, 0,18 a 2,2 kw Conversores de frequência componentes ABB ACS50, 0,18 a 2,2 kw Catálogo técnico PERFIL INDÚSTRIAS PRODUTOS APLICAÇÕES EXPERIÊNCIA PARCEIROS SERVIÇOS Conversores de frequência componentes ABB O que é um

Leia mais

Adaptador de Alimentação CA/CC 65W, para Notebook

Adaptador de Alimentação CA/CC 65W, para Notebook Adaptador de Alimentação CA/CC 65W, para Notebook Manual DA-10170 Em primeiro lugar, obrigado por comprar os nossos produtos. Este produto é especialmente concebido para carregar e fornecer alimentação

Leia mais

JANELAS E PORTAS PEDONAIS EXTERIORES GUIA PARA A MARCAÇÃO CE (EN :2006+A1:2010) ÍNDICE

JANELAS E PORTAS PEDONAIS EXTERIORES GUIA PARA A MARCAÇÃO CE (EN :2006+A1:2010) ÍNDICE ÍNDICE NOTA PRELIMINAR... 1 1 OBJECTIVO... 1 2 ENQUADRAMENTO... 3 3 CAMPO DE APLICAÇÃO DA PUBLICAÇÃO... 8 4 PROCEDIMENTOS DE HARMONIZAÇÃO... 9 4.1 Identificação de produtos e materiais... 9 4.2 Características

Leia mais

Adaptador de Alimentação CA/CC 90W, para Notebook

Adaptador de Alimentação CA/CC 90W, para Notebook Adaptador de Alimentação CA/CC 90W, para Notebook Manual DA-10190 Em primeiro lugar, obrigado por adquirir o nosso novo produto ultra-fino de 90W, especialmente concebido para o fornecimento de alimentação

Leia mais

OE Lei 3-B/ de Abril

OE Lei 3-B/ de Abril OE 2010 Lei 3-B/2010 28 de Abril ALTERAÇÕES EM MATÉRIA DE IVA 1 Alterações ao Código do IVA Art.º 93.º Autorizações Legislativas no âmbito do Código do IVA Art.º 94.º Alterações ao artigo 6.º do Decreto-Lei

Leia mais

(5) A fim de garantir uma transição harmoniosa e evitar perturbações, devem ser previstas medidas de transição adequadas.

(5) A fim de garantir uma transição harmoniosa e evitar perturbações, devem ser previstas medidas de transição adequadas. L 106/18 REGULAMENTO (UE) 2015/640 DA COMISSÃO de 23 de abril de 2015 relativo a especificações de aeronavegabilidade adicionais para um determinado tipo de operações e que altera o Regulamento (UE) n.

Leia mais

CALHAS TÉCNICAS FICHA TÉCNICA SÉRIE 10 - MOLDURAS (SELEÇÃO DE CALHAS) CALHAS. 12x7 (IK05) 12x7 Adesiva (IK05) 16x10. 16x10 Adesiva.

CALHAS TÉCNICAS FICHA TÉCNICA SÉRIE 10 - MOLDURAS (SELEÇÃO DE CALHAS) CALHAS. 12x7 (IK05) 12x7 Adesiva (IK05) 16x10. 16x10 Adesiva. TÉCNICAS SÉRIE 0 - MOLDURAS (SELEÇÃO DE ) Interiores Comp. Útil (Su) (m) (S:,4),5mm,5mm 4mm 6mm x7 (IK05) x7 Adesiva (IK05) 000 CBR 000 FBR 0x5,0 6, 44 5 5 4 3 6x0 6x0 Adesiva 000 CBR 000 FBR x8,0 86 8

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO NA ÁREA ESPECÍFICA DE SCIE

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO NA ÁREA ESPECÍFICA DE SCIE CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO NA ÁREA ESPECÍFICA DE SCIE ASPECTOS GERAIS O curso com uma duração de 128 horas é constituído pelas sessões a seguir indicadas. 1 Parte I Teórico prática 1.1

Leia mais

19/02/2013. RSQM-DC MASTER- Apresentação-ANATEL-Processos- Português

19/02/2013. RSQM-DC MASTER- Apresentação-ANATEL-Processos- Português RSQM-DC-007-02-MASTER- Apresentação-ANATEL-Processos- Português DESIGNAÇÃO Ato nº 57.860, de 26 de abril de 2006 Exerce, em nome da Agência Nacional de Telecomunicações ANATEL, as funções de Organismo

Leia mais

Clique para editar o estilo. Marcação CE Estruturas Metálicas EN Trofa, 06/05/2014. Orador: Local e Data:

Clique para editar o estilo. Marcação CE Estruturas Metálicas EN Trofa, 06/05/2014. Orador: Local e Data: Clique para editar o estilo Marcação CE Estruturas Metálicas EN 1090-1 Trofa, 06/05/2014 OBJETIVO Enquadramento legal Regulamento Produtos da Construção EN 1090-1 Introdução Descrição do processo de certificação

Leia mais

Instruções de operação

Instruções de operação Instruções de operação Pressostato diferencial modelo A2G-40 Pressostato diferencial modelo A2G-40 Instruções de operação modelo A2G-40 Páginas 3-10 06/2017 WIKA Alexander Wiegand SE & Co. KG Todos os

Leia mais

DECLARAÇÃO DE DESEMPENHO

DECLARAÇÃO DE DESEMPENHO PT DECLARAÇÃO DE DESEMPENHO em conformidade com o Anexo III do Regulamento (UE) N.º 305/2011 (Regulamento dos Produtos de Construção) Vedante Antifogo de Acrílico Hilti CFS-S ACR N.º Hilti CFS 0761-CPD-0174

Leia mais

Proposta de Ação de Formação (AF) Regulamento REACH e Regulamento CLP

Proposta de Ação de Formação (AF) Regulamento REACH e Regulamento CLP Proposta de Ação de Formação (AF) Regulamento REACH e Regulamento CLP Nome do proponente: Lizete Heleno / Silvia Monteiro Departamento: Eng. do Ambiente Data de apresentação da proposta: 19/abril/2017

Leia mais

REGRAS PARA O USO DA MARCA DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO

REGRAS PARA O USO DA MARCA DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO 1. OBJETIVO Estabelecer regras que regulamentam o uso da marca de certificação, propriedade da APCER, para sistemas de gestão certificados pela APCER. 2. ÂMBITO Aplicável a todas as organizações com sistemas

Leia mais