Empreendedorismo. Prof. MSc. Márcio Rogério de Oliveira

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Empreendedorismo. Prof. MSc. Márcio Rogério de Oliveira"

Transcrição

1 Empreendedorismo Prof. MSc. Márcio Rogério de Oliveira

2 Unidades da Disciplina: As Empresas; Mortalidade, Competitividade e Inovação Empresarial; Empreendedorismo; Processo Empreendedor; Instituições de Apoio, e; Plano de Negócios.

3 Objetivos da Disciplina: Conhecer os diversos tipos de empresas; Identificar a importância do empreendedorismo em um ambiente competitivo; Conhecer as características comportamentais de um empreendedor e de um intraempreendedor;

4 Objetivos da Disciplina: Enumerar os passos para a operacionalização de um empreendimento; Conhecer as principais entidades de apoio ao empreendedor; Identificar a importância de um plano de negócios e suas partes.

5 Unidade I As Empresas

6 Conteúdo da Aula: O que é uma empresa; Quem são os parceiros das empresas; Classificando as empresas; Microempresas e suas vantagens.

7 Objetivos da Aula: Conceituar Empresa; Identificar que são os parceiros da empresa; Classificar a empresa quanto ao ramo e porte; Analisar as vantagens de uma microempresa.

8 Na sequência No próximo bloco veremos o Contexto!

9 Introdução

10 Introdução DESEMPREGO

11 Introdução HABILIDADE

12 Na sequência No próximo bloco discutiremos sobre as Empresas.

13 Empresas/Organizações - Funcionamento: Recursos Operação Resultados Pessoas Equipamentos Materiais Informação Conhecimento Móveis Capital Lucro Satisfação do cliente Outros

14 Tipos de Organizações 1º Setor 2º Setor 3º Setor Governo (Federal, Estadual e Municipal) Ex.: Bombeiros, Polícia etc. Organizações com fins lucrativos Ex.: Empresas em geral que visam lucro dos mais variados ramos de atividade. Sociedade Civil Organizada (sem fins lucrativos) Ex.: Ongs, Institutos, Fundações etc.

15 O que é uma empresa? Uma empresa é uma iniciativa que tem o objetivo de fornecer produtos e serviços para atender a necessidade de pessoas, ou de mercados, e com isso obter lucro. (Maximiano, 2006, p.22)

16 O que é uma empresa? Produção e Comercialização Bens (Tangíveis) Bens de produção Bens de consumo Máquinas, Galpões, Semiacabados, Componentes Etc. Alimentos, Roupas, Móveis, Carros, Etc. Serviços (Intangíveis) Cinemas, Hospitais, Bancos, Escolas, Restaurantes, Etc.

17 Empresa - Parceiros: Governo Comunidade Empreendedor Empresa Empregado Colaborador Cliente Investidor Acionista Fornecedor

18 Empresa - Classificação: Pelo Porte: Funcionários PORTE INDUSTRIA COMÉRCIO E SERVIÇOS Microempresa Até 19 pessoas Até 9 pessoas Pequena Empresa 20 a 99 pessoas 10 a 49 pessoas Média Empresa 100 a 499 pessoas 50 a 99 pessoas Grande Empresa Acima de 500 pessoas Acima de 100 pessoas

19 Empresa - Classificação: Pelo Porte: Faturamento PORTE FATURAMENTO Micro Empreendedor Individual Até R$ ,00 anuais Microempresa Até ,00 anuais Empresa de Pequeno Porte De R$ ,00 a R$ ,00

20 Empresa - Classificação: Quanto a propriedade MEI Microempreendedor Individual; Empresário Individual; Empresa Individual de Responsabilidade Limitada; Sociedade Limitada; Sociedade Anônima; Cooperativa; Outras.

21 Empresa - Classificação: Quanto a propriedade Microempreendedor Individual (MEI) é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário. Para ser um microempreendedor individual, é necessário faturar no máximo até R$ ,00 por ano e não ter participação em outra empresa como sócio ou titular. O MEI também pode ter um empregado contratado que receba o salário mínimo ou o piso da categoria.

22 Empresa - Classificação: Quanto a propriedade Empresário Individual O empresário individual (anteriormente chamado de firma individual) é aquele que exerce em nome próprio uma atividade empresarial. É a pessoa física (natural) titular da empresa. O patrimônio da pessoa natural e o do empresário individual são os mesmos, logo o titular responderá de forma ilimitada pelas dívidas.

23 Empresa - Classificação: Quanto a propriedade Empresa Individual de Responsabilidade Limitada; A empresa individual de responsabilidade limitada (EIRELI) é aquela constituída por uma única pessoa titular da totalidade do capital social, devidamente integralizado, que não poderá ser inferior a 100 (cem) vezes o maior salário-mínimo vigente no País. O titular não responderá com seus bens pessoais pelas dívidas da empresa.

24 Empresa - Classificação: Quanto a propriedade Sociedade Limitada; Formada por dois ou mais sócios que contribuem com moeda ou bens avaliáveis em dinheiro para formação do capital social. A responsabilidade dos sócios é restrita ao valor do capital social, porém respondem solidariamente pela integralização da totalidade do capital, ou seja, cada sócio tem obrigação com a sua parte no capital social, no entanto poderá ser chamado a integralizar as quotas dos sócios que deixaram de integralizá-las.

25 Empresa - Classificação: Quanto a propriedade Sociedade Anônima A sociedade anônima, também chamada de companhia, é pessoa jurídica de direito privado composta por dois ou mais acionistas, de natureza eminentemente empresarial, independentemente da atividade econômica desenvolvida por ela (art. 13 da Lei n /76), em que o capital social é dividido em ações de igual valor nominal, que são de livre negociabilidade; limitando-se a responsabilidade do acionista ao preço de emissão das ações subscritas ou adquiridas. A companhia poderá ser classificada em aberta ou fechada

26 Empresa - Classificação: Quanto a propriedade Cooperativa A cooperativa é sociedade de pessoas, com forma e natureza jurídica própria e, independentemente de seu objeto; Não sujeita à falência e não tem finalidade lucrativa Exige-se, para constituição de uma cooperativa singular, o concurso de associados, pessoas físicas, em número mínimo necessário para compor a administração da sociedade, órgão de administração e conselho fiscal (inciso II, art. 1094, CC 2002), levando em conta a necessidade de renovação desses órgãos.

27 Empresa - Classificação: Quanto a atividade (TERCIÁRIO) Empresas Comerciais e Prestadores de Serviço (SECUNDÁRIO) Empresas Industriais/ Transformação (PRIMÁRIO) Primárias ou extrativistas

28 Empresa - Classificação: Quanto a ramo (Exemplos) Comércio Atacadista Comércio Varejista Construção Serviços Finanças Mineração Transportes e utilidade Pública Manufatura

29 Na sequência No próximo bloco discutiremos sobre as vantagens de ser MEI e Microempresas.

30 MEI - Vantagens Registro no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), o que facilita a abertura de conta bancária, o pedido de empréstimos e a emissão de notas fiscais. MEI será enquadrado no Simples Nacional e ficará isento dos tributos federais (Imposto de Renda, PIS, Cofins, IPI e CSLL).

31 MEI - Vantagens pagará apenas o valor fixo mensal de R$ 40,40 (comércio ou indústria), R$ 44,40 (prestação de serviços) ou R$ 45,40 (comércio e serviços), que será destinado à Previdência Social e ao ICMS ou ao ISS.

32 Microempresas - Vantagens Simplificação do processo de abertura, alteração e encerramento das MPEs; Facilitação do acesso ao crédito e ao mercado; Preferência nas compras públicas; Estímulo à inovação tecnológica; Incentivo ao associativismo na formação de consórcios para fomentação de negócios;

33 Microempresas - Vantagens incentivo à formação de consórcios para acesso a serviços de segurança e medicina do trabalho; Regulamentação da figura do pequeno empresário, criando condições para formalização; Parcelamento de dívidas tributárias para adesão ao Simples Nacional.

34 Na sequência No próximo bloco veremos o resumo dos assuntos abordados nesta aula no Em síntese!

35 Síntese da Aula: A empresa é uma iniciativa que visa oferecer produtos e serviços; A empresa tem muitos parceiros; Seu resultado pode impactar na comunidade; As empresas são classificadas de diversas formas: pela atividade, porte, ramo etc.; Os MEI e as pequenas empresas tem vantagens ofertadas pela lei geral da MPE.

36 Recado: Dúvidas? Envie seu através do Tira dúvidas.

37 Recado: Para fixar o conteúdo, leia seu material e faça as atividades no AVA! ead.sociesc.org.br

vamos agora estudar e classificar as empresas de acordo com o seu faturamento:

vamos agora estudar e classificar as empresas de acordo com o seu faturamento: Depois de estudar - a evolução do direito empresarial; - os conceitos de empregador, empresário e empresa; - O empresário e a sociedade empresária irregular (Diferente da Sociedade Simples); - A teoria

Leia mais

Curso Direito Empresarial Economia

Curso Direito Empresarial Economia AULA 7 Empresário Individual: principais aspectos, características, responsabilidades do empresário e limites de faturamento: 7.1. Empresa Individual (pessoa física); 7.2. Microempreendedor Individual

Leia mais

11/08/2016. Breve histórico do tratamento. GOVERNO: Federal Estadual Municipal. Tratamento diferenciado. Art. 179 GESTÃO DE MICROS E PEQUENAS EMPRESAS

11/08/2016. Breve histórico do tratamento. GOVERNO: Federal Estadual Municipal. Tratamento diferenciado. Art. 179 GESTÃO DE MICROS E PEQUENAS EMPRESAS GESTÃO DE MICROS E PEQUENAS EMPRESAS Breve histórico do tratamento Profa. MsC. Célia Regina Beiro da Silveira celiabeiro@expresso.com.br GOVERNO: Federal Estadual Municipal Tratamento diferenciado A Lei

Leia mais

Ebook. Abra Sua Empresa. Tudo o que você precisa saber sobre abertura e legalização de empresa.

Ebook. Abra Sua Empresa. Tudo o que você precisa saber sobre abertura e legalização de empresa. Ebook Abra Sua Empresa Tudo o que você precisa saber sobre abertura e legalização de empresa. Índice Introdução Procedimentos, Natureza Jurídica e Consulta Comercial Busca de nome e marca, Solicitação

Leia mais

O que é um plano de negócio. Prof. Marcio Cardoso Machado

O que é um plano de negócio. Prof. Marcio Cardoso Machado O que é um plano de negócio Prof. Marcio Cardoso Machado Planejamento Definição Um plano de negócio é um documento que descreve por escrito os objetivos de um negócio e quais passos devem ser dados para

Leia mais

ELTON ORRIS GESTÃO EMPRESARIAL ÊNFASE EM MARKETING FATEC PÓS GRADUAÇÃO GESTÃO DE CUSTOS FACULDADE INTERNACIONAL DE CURITIBA

ELTON ORRIS GESTÃO EMPRESARIAL ÊNFASE EM MARKETING FATEC PÓS GRADUAÇÃO GESTÃO DE CUSTOS FACULDADE INTERNACIONAL DE CURITIBA ELTON ORRIS GESTÃO EMPRESARIAL ÊNFASE EM MARKETING FATEC PÓS GRADUAÇÃO GESTÃO DE CUSTOS FACULDADE INTERNACIONAL DE CURITIBA GESTOR EMPRESARIAL SETOR DE SERVIÇOS GESTOR DE PROJETOS SETOR DE SERVIÇOS CURSO

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora. O que são

Leia mais

Terminei o curso. E agora?

Terminei o curso. E agora? Terminei o curso. E agora? É a pergunta que todos devem estar se fazendo neste momento, mas a escola está aqui como sua aliada para te orientar, informando qual é o papel da Instituição de ensino e o do

Leia mais

Contabilidade Básica I Seção 2 Definições

Contabilidade Básica I Seção 2 Definições Contabilidade Básica I Seção 2 Definições Prof. Me. Hélio Esperidião Objetivos: Compreender os princípios elementares da contabilidade. Capital social Capital social é o montante necessário para se constituir

Leia mais

Introdução ao Estudo do Direito Empresarial.

Introdução ao Estudo do Direito Empresarial. Introdução ao Estudo do Direito Empresarial. DAR INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO EMPRESARIAL E ÀS EMPRESAS INDIVIDUAIS. AUTOR(A): PROF. PEDRO LUIZ ZARANTONELLI INDRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO EMPRESARIAL.

Leia mais

Microempreendedor Individual MEI: Constituição e Tributação

Microempreendedor Individual MEI: Constituição e Tributação Microempreendedor Individual MEI: Constituição e Tributação Quem é o Microempreendedor Individual? É a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário. Para ser um microempreendedor

Leia mais

IUS RESUMOS. Empresário. Organizado por: Samille Lima Alves

IUS RESUMOS. Empresário. Organizado por: Samille Lima Alves Organizado por: Samille Lima Alves SUMÁRIO I. EMPRESÁRIO... 3 1. Caracterizando o empresário... 3 1.1 Conceito... 3 1.2 Elementos essenciais de caracterização do empresário... 4 1.3 Classificação do empresário...

Leia mais

O EMPRESÁRIO NO DIREITO BRASILEIRO

O EMPRESÁRIO NO DIREITO BRASILEIRO 1 O EMPRESÁRIO NO DIREITO BRASILEIRO 1 CONCEITO DE EMPRESA 3 a) EMPRESA : unidade econômica que combinando capital e trabalho, produz ou comercializa bens ou presta serviços, com a finalidade de lucro

Leia mais

Direito Empresarial Econômico

Direito Empresarial Econômico Direito Empresarial Econômico Os sistemas econômicos e o Direito empresarial A ordem econômica valorização do trabalho humano e na livre iniciativa assegurar a todos existência digna soberania nacional

Leia mais

Instituições de Direito Pessoas Jurídicas (i)

Instituições de Direito Pessoas Jurídicas (i) Instituições de Direito Pessoas Jurídicas (i) CAMILA VILLARD DURAN! Pessoa jurídica! Personalidade! Capacidade para adquirir direitos e contrair obrigações! Registro dos atos constitutivos 1 ! Pessoas

Leia mais

Firma : Nome usado pelo comerciante ou industrial no exercício de suas atividades; razão social. Empresa : 1. empreendimento ;

Firma : Nome usado pelo comerciante ou industrial no exercício de suas atividades; razão social. Empresa : 1. empreendimento ; x Firma : Nome usado pelo comerciante ou industrial no exercício de suas atividades; razão social Empresa : 1. empreendimento ; 2. organização econômica destinada à produção ou venda de mercadoria ou serviços,

Leia mais

GUIA DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL. Tudo o que você precisa saber para formalizar o seu negócio.

GUIA DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL. Tudo o que você precisa saber para formalizar o seu negócio. GUIA DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL Tudo o que você precisa saber para formalizar o seu negócio. 2 Apresentação Milhões de brasileiros já estão aproveitando os benefícios de ser um Microempreendedor Individual.

Leia mais

Instituições de Direito FEA

Instituições de Direito FEA Instituições de Direito FEA MÓDULO II INTRODUÇÃO AO DIREITO EMPRESARIAL! Pessoa jurídica vs. Pessoa física! Personalidade jurídica! Registro dos atos constitutivos! Empresa e empresário! EIRELI e sociedade

Leia mais

As sociedades empresárias no Código Civil. José Rodrigo Dorneles Vieira

As sociedades empresárias no Código Civil. José Rodrigo Dorneles Vieira As sociedades empresárias no Código Civil José Rodrigo Dorneles Vieira jrodrigo@portoweb.com.br 1. ESPÉCIES DE EMPRESÁRIO 2. SOCIEDADES EMPRESÁRIAS TIPOS SOCIETÁRIOS Sociedade em Comum Sociedade em Conta

Leia mais

Direito Societário IV. Prof. Henrique Subi

Direito Societário IV. Prof. Henrique Subi Direito Societário IV Prof. Henrique Subi 1 8. Sociedades institucionais 8.1. Sociedade em comandita por ações - Tem o capital dividido em ações - Os diretores possuem responsabilidade ilimitada pelas

Leia mais

Direito Empresarial e Trabalhista

Direito Empresarial e Trabalhista Profa. Dra. Silvia Bertani Direito Empresarial e Trabalhista As sociedades organização formada por duas ou mais pessoas, por meio de um contrato com ou sem o registro, para o exercício de uma atividade

Leia mais

O caminho da Geração de Renda. Lua Nova

O caminho da Geração de Renda. Lua Nova O caminho da Geração de Renda Lua Nova O início A Lua Nova iniciou as atividades de geração de renda com a formação de um pequeno grupo produtivo que fazia artesanato com tecido. O grupo funcionava muito

Leia mais

artesanato Cartilha do Empreendedor Individual

artesanato Cartilha do Empreendedor Individual artesanato Cartilha do Empreendedor Individual 1 1. 5. Bom dia, Luiza! você que é artesã já pensou em ser uma empresária? Ser empresária para quê? E, como artesã, posso me registrar? Claro, existe uma

Leia mais

A Lei Geral da MPE. SEBRAE Rio de Janeiro 05 de outubro de 2004

A Lei Geral da MPE. SEBRAE Rio de Janeiro 05 de outubro de 2004 A Lei Geral da MPE A Lei Geral da MPE SEBRAE Rio de Janeiro 05 de outubro de 2004 Ricardo Tortorella: Economista, Mestrado em Finanças Públicas, Consultor do Fundo Monetário Internacional, do Banco Mundial

Leia mais

SIMPLES NACIONAL. Corretor de Imóveis

SIMPLES NACIONAL. Corretor de Imóveis SIMPLES NACIONAL Corretor de Imóveis MARIA RICARTE CRC-CE: 016078/O-9 Contadora, graduada em Ciências Contábeis pela Universidade Estadual do Ceará UECE. Profissional com vastos conhecimentos nas áreas:

Leia mais

COMO ABRIR UMA EMPRESA

COMO ABRIR UMA EMPRESA COMO ABRIR UMA EMPRESA Introdução Ideia do negócio Tipos de sociedades Regimes tributários Formalização da empresa Custos da abertura de uma empresa A importância da contratação de uma assessoria contábil

Leia mais

Práticas Administrativas

Práticas Administrativas Faculdades Integradas de Botucatu Campus de Botucatu Práticas Administrativas Curso de Graduação em Administração de Empresas Prof. Esp. Robson Diaz Baptista robsondiaz@hotmail.com UNIFAC Faculdades Integradas

Leia mais

[WEBINAR 22/02/2017] FORMALIZAÇÃO DO NEGÓCIO, ABERTURA DE EMPRESA E SEUS BENEFÍCIOS. Vanessa Fortin, PMP

[WEBINAR 22/02/2017] FORMALIZAÇÃO DO NEGÓCIO, ABERTURA DE EMPRESA E SEUS BENEFÍCIOS. Vanessa Fortin, PMP [WEBINAR 22/02/2017] FORMALIZAÇÃO DO NEGÓCIO, ABERTURA DE EMPRESA E SEUS BENEFÍCIOS Vanessa Fortin, PMP vanessa.fortin@gmail.com 1 COMO APROVEITAR BEM O WEBINAR? Interaja no chat, compartilhe suas experiências

Leia mais

ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS

ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS 98,5% do total de empresas no País MICRO E PEQUENAS NA ECONOMIA BRASILEIRA O QUE É CONSIDERADO PEQUENO NEGÓCIO NO BRASIL MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI) Receita bruta

Leia mais

ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS

ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS 98,5% do total de empresas no País MICRO E PEQUENAS NA ECONOMIA BRASILEIRA O QUE É CONSIDERADO PEQUENO NEGÓCIO NO BRASIL MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI) Receita bruta

Leia mais

SEÇÕES Sumário executivo Análise de mercado Plano de marketing Plano operacional Plano financeiro

SEÇÕES Sumário executivo Análise de mercado Plano de marketing Plano operacional Plano financeiro SEÇÕES Sumário executivo Análise de mercado Plano de marketing Plano operacional Plano financeiro Sumário executivo É a principal seção do plano de negócio, pois sintetiza sua essência, devendo ser capaz

Leia mais

EMPREENDEDORES EMPREENDEDOR INDIVIDUAL. Funk FORMALIZADOS 11 LOCAL: RIO DE JANEIRO

EMPREENDEDORES EMPREENDEDOR INDIVIDUAL. Funk FORMALIZADOS 11 LOCAL: RIO DE JANEIRO ANO PROGRAMA 20 11 LOCAL: RIO DE JANEIRO EMPREENDEDOR INDIVIDUAL EMPREENDEDORES do Funk FORMALIZADOS 1. 2. 3. O que é o Empreendedor Individual? O Empreendedor Individual é a pessoa que trabalha por conta

Leia mais

Caminho Jurídico do Empreendedor

Caminho Jurídico do Empreendedor Caminho Jurídico do Empreendedor Introdução Início de Atividade Empresária requer: Modelo de empresas/tipos societários; Contrato social, Registro de marcas e patentes; Elaboração e estudo de contratos

Leia mais

Direito & Startups Módulo I: Introdução

Direito & Startups Módulo I: Introdução Direito & Startups Módulo I: Introdução Pedro Ramos Mestre pela FGV/SP, Graduado pela USP. Expesquisador visitante do InternetLab e do Center of Internet and Society Stanford. Sócio do Baptista Luz Advogados

Leia mais

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO EMPRESARIAL

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO EMPRESARIAL P á g i n a 1 PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO EMPRESARIAL 1. A recuperação extrajudicial é uma modalidade prevista na Lei Nº 11.101/2005, e pode ser adotada pelo empresário em dificuldade e com

Leia mais

GUIA PRÁTICO DO CONTABILISTA O DIA A DIA NA CONTABILIDADE

GUIA PRÁTICO DO CONTABILISTA O DIA A DIA NA CONTABILIDADE GUIA PRÁTICO DO CONTABILISTA O DIA A DIA NA CONTABILIDADE Mário Sebastião de Azevedo Pereira Consultor empresarial que atua há mais de 20 anos nas áreas Contábil e Administrativa. É autor dos livros Excel

Leia mais

Microempreendedor Individual Aspectos Tributários

Microempreendedor Individual Aspectos Tributários Microempreendedor Individual Aspectos Tributários SILAS SANTIAGO CÂMARA DOS DEPUTADOS/CFT Audiência PúblicaP Brasília, 26 de maio de 2009. Gestão o do Simples Nacional Gestão o do Simples Nacional Comitê-Gestor

Leia mais

SOBRE O MEI. EXPERIENCIA Quem supera grandes desafios tem muito a ensinar. GUIA DEFINITIVO GRADUAÇÃO TRADICIONAL DIREITO ADMINISTRAÇÃO

SOBRE O MEI. EXPERIENCIA Quem supera grandes desafios tem muito a ensinar. GUIA DEFINITIVO GRADUAÇÃO TRADICIONAL DIREITO ADMINISTRAÇÃO VESTIBULAR 2017/1 EXPERIENCIA Quem supera grandes desafios tem muito a ensinar. GUIA DEFINITIVO SOBRE O MEI 1 GRADUAÇÃO TRADICIONAL DIREITO ADMINISTRAÇÃO vestibulararnaldo.com.br 3524-5151 / 99391-1115

Leia mais

Slide 1 O CRUZAMENTO DE INFORMAÇÕES FISCAIS ATRAVÉS DAS OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS. Slide 2. Slide 3 DADOS DISPONÍVEIS AO FISCO

Slide 1 O CRUZAMENTO DE INFORMAÇÕES FISCAIS ATRAVÉS DAS OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS. Slide 2. Slide 3 DADOS DISPONÍVEIS AO FISCO Slide 1 O CRUZAMENTO DE INFORMAÇÕES FISCAIS ATRAVÉS DAS OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS Nilson José Goedert Contador 2016 Slide 2 Obrigações Federais para Pessoas Jurídicas em Geral: 1. SPED Sistema Público de Escrituração

Leia mais

EMPREENDEDOR INDIVIDUAL

EMPREENDEDOR INDIVIDUAL EMPREENDEDOR INDIVIDUAL 1 Oportunidade de regularização para os empreendedores individuais, desde a vendedora de cosméticos, da carrocinha de cachorro-quente ao pipoqueiro. 2 Receita Bruta de até R$ 36

Leia mais

ASPECTOS JURÍDICOS E TRIBUTÁRIOS ABERTURA DA EMPRESA 12/10/ VIABILIDADE LEGAL (E LOCAL)

ASPECTOS JURÍDICOS E TRIBUTÁRIOS ABERTURA DA EMPRESA 12/10/ VIABILIDADE LEGAL (E LOCAL) ASPECTOS JURÍDICOS E TRIBUTÁRIOS Danillo Tourinho Sancho da Silva, MSc ABERTURA DA EMPRESA 1. VIABILIDADE LEGAL (E LOCAL) Levantamento de fatores que influenciam na atuação da empresa Estudo da legislação

Leia mais

As sociedades empresárias no Código Civil. José Rodrigo Dorneles Vieira

As sociedades empresárias no Código Civil. José Rodrigo Dorneles Vieira As sociedades empresárias no Código Civil José Rodrigo Dorneles Vieira jrodrigo@portoweb.com.br 1. A LEGISLAÇÃO EMPRESARIAL: ANÁLISE GERAL 2. CARACTERIZAÇÃO DO EMPRESÁRIO Conceito de empresário A questão

Leia mais

CIDADE ALTA 1 PERFIL DOS EMPREENDIMENTOS. Tabela 1 Tipo de empreendimento

CIDADE ALTA 1 PERFIL DOS EMPREENDIMENTOS. Tabela 1 Tipo de empreendimento 1 PERFIL DOS EMPREENDIMENTOS Tabela 1 Tipo de empreendimento Forma de Funcionamento Número de negócios Percentual (%) Associação ou Sindicato 31 3,33 Cooperativa 5 0,54 Empresa Individual (Antiga Firma

Leia mais

As sociedades empresárias no Código Civil. José Rodrigo Dorneles Vieira

As sociedades empresárias no Código Civil. José Rodrigo Dorneles Vieira As sociedades empresárias no Código Civil José Rodrigo Dorneles Vieira jrodrigo@portoweb.com.br 1. A LEGISLAÇÃO EMPRESARIAL: ANÁLISE GERAL 2. CARACTERIZAÇÃO DO EMPRESÁRIO Conceito de empresário A questão

Leia mais

Sociedade Anônima DIREITO SOCIETÁRIO V. Características: Características: Responsabilidade dos sócios... Nome empresarial 13/11/2012

Sociedade Anônima DIREITO SOCIETÁRIO V. Características: Características: Responsabilidade dos sócios... Nome empresarial 13/11/2012 Sociedade Anônima Destinada aos grandes empreendimentos. Regida pela Lei de S/A, Lei 6.404/76 (LSA). Pessoa jurídica com objeto empresarial, de natureza capitalista, cuja responsabilidade dos sócios se

Leia mais

COMO FORMALIZAR SEU NEGÓCIO E OS BENEFÍCIOS DE SER UM MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL

COMO FORMALIZAR SEU NEGÓCIO E OS BENEFÍCIOS DE SER UM MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL EMPREENDER EM ALIMENTOS E BEBIDAS VOLUME 2 COMO FORMALIZAR SEU NEGÓCIO E OS BENEFÍCIOS DE SER UM MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL PROJETO DE DESENVOLVIMENTO DO SETOR DE PANIFICAÇÃO E CONFEITARIA COM ATUAÇÃO

Leia mais

Porto Alegre (RS), 20 de junho de 2016.

Porto Alegre (RS), 20 de junho de 2016. Slide 1 EIRELI: Análise Legal e os Resultados Práticos Porto Alegre (RS), 20 de junho de 2016. Slide 2 Conteúdo Programático: - Análise Histórica da Introdução das EIRELI s no Direito Brasileiro; - Conceito

Leia mais

Sumário. Nota Preliminar, xvii. Introdução, 1

Sumário. Nota Preliminar, xvii. Introdução, 1 Nota Preliminar, xvii Introdução, 1 1 Comentários gerais, 3 1.1 Finalidade, 3 1.2 Do patrimônio, 4 1.3 Dos fatos, 5 1.3.1 Do fato administrativo permutativo, 5 1.3.2 Do fato administrativo modificativo,

Leia mais

PIS e COFINS. Aspectos conceituais. Universidade de São Paulo Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto

PIS e COFINS. Aspectos conceituais. Universidade de São Paulo Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto Universidade de São Paulo Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto PIS e COFINS Aspectos conceituais Núcleo de Estudos em Controladoria e Contabilidade Tributária Prof. Amaury

Leia mais

Tipos de Sociedades. Código Civil (Lei 10406/2002) prevê vários tipos. Os tipos mais relevantes. Sociedade Limitada (Ltda.) Sociedade Anônima (S.A.

Tipos de Sociedades. Código Civil (Lei 10406/2002) prevê vários tipos. Os tipos mais relevantes. Sociedade Limitada (Ltda.) Sociedade Anônima (S.A. INVESTIR NO BRASIL Os Modelos Societários no Sistema Jurídico Brasileiro e a sua Regulamentação 12 de Abril de 2012 Marco Ferreira Orlandi Sócio BOCCUZZI Advogados Tipos de Sociedades Código Civil (Lei

Leia mais

Unidade III CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA. Prof. Carlos Barretto

Unidade III CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA. Prof. Carlos Barretto Unidade III CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA Prof. Carlos Barretto Capacitar os estudantes a adquirir conhecimentos necessários para o desenvolvimento das seguintes competências: enfatizar a consciência ética

Leia mais

Capítulo 5. Quem serão os meus aliados?

Capítulo 5. Quem serão os meus aliados? PESSOA FÍSICA OU PESSOA JURÍDICA Pessoa física É o indivíduo ou pessoa individual com seus direitos e obrigações perante o Estado. Pessoa jurídica Éaassociaçãodeduasoumaispessoasemumaentidade,comseus direitos

Leia mais

FUNDAÇÃO DE APOIO A EDUCAÇÃO PESQUISA DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO FLUMINENSE-PRO-IFF CNPJ SOB O Nº /

FUNDAÇÃO DE APOIO A EDUCAÇÃO PESQUISA DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO FLUMINENSE-PRO-IFF CNPJ SOB O Nº / FUNDAÇÃO DE APOIO A EDUCAÇÃO PESQUISA DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO FLUMINENSE-PRO-IFF 1 Contexto operacional CNPJ SOB O Nº 04.016.579/0001-31 NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM

Leia mais

Direito Empresarial. Professora Carolina Lima. (facebook idem)

Direito Empresarial. Professora Carolina Lima. (facebook idem) Turma e Ano: Regular/2015 Matéria / Aula: Direito Empresarial Professora: Carolina Lima AULA 01 Direito Empresarial Professora Carolina Lima (facebook idem) Bibliografia: a professora recomenda ler o caderno.

Leia mais

Boletim Mensal AGOSTO/2016

Boletim Mensal AGOSTO/2016 Boletim Mensal AGOSTO/2016 Fiscal Contábil RH Calendário Obrigações Fiscal Informe da Receita: Débitos de ISS e ICMS encaminhas para inscrição em Dívida Ativa. Receita Federal: Informamos que os débitos

Leia mais

SIMPLES NACIONAL PROF. DR. AMAURY JOSE REZENDE

SIMPLES NACIONAL PROF. DR. AMAURY JOSE REZENDE SIMPLES NACIONAL PROF. DR. AMAURY JOSE REZENDE SIMPLES NACIONAL Tributo federal Lei Complementar 123/2006 e 128/2008 Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas

Leia mais

A função social da empresa

A função social da empresa A função social da empresa Considerações iniciais A função social da empresa tem como fundamento fornecer a sociedade bens e serviços que possam satisfazer suas necessidades. A propriedade privada é um

Leia mais

EMPREENDEDORISMO PROF. LUCIANO SCANDELARI PPGEB-UTFPR

EMPREENDEDORISMO PROF. LUCIANO SCANDELARI PPGEB-UTFPR EMPREENDEDORISMO PROF. LUCIANO SCANDELARI PPGEB-UTFPR EMENTA DA DISCIPLINA 3 créditos / 45 aulas Conceitos e características do empreendedor e intraempreendedor. As características do empreendedor O empreendedor

Leia mais

Núcleo Interdisciplinar de Estudos Independentes

Núcleo Interdisciplinar de Estudos Independentes Núcleo Interdisciplinar de Estudos Independentes Universidade Estadual de Goiás - UEG Professor: Célio de Sousa Ramos Acadêmico: Samuel Filipe Mendonça Curso: Ciências Contábeis (3 Ano) Anápolis 2012 EIRELI

Leia mais

GOVERNADOR DIX-SEPT ROSADO

GOVERNADOR DIX-SEPT ROSADO 1 DADOS GERAIS - Data de emancipação: 04/04/1963 - Distância da capital: 320 km - Área: 1.129 Km 2 - Localização Mesorregião: Oeste Potiguar Microrregião: Chapada do Apodi - População: 12.374 (IBGE/2007)

Leia mais

1 Classificação das sociedades

1 Classificação das sociedades 1 Classificação das sociedades Qto à forma de exploração do objeto Qto à personificação Qto ao regime de constituição Qto à forma de constituição Qto à nacionalidade Qto ao capital Qto à responsabilidade

Leia mais

O EMPRESÁRIO NO DIREITO BRASILEIRO

O EMPRESÁRIO NO DIREITO BRASILEIRO 1 O EMPRESÁRIO NO DIREITO BRASILEIRO 1 CONCEITO DE EMPRESA 3 a) EMPRESA : unidade econômica que combinando capital e trabalho, produz ou comercializa bens ou presta serviços, com a finalidade de lucro

Leia mais

PEDRA PRETA 1 DADOS GERAIS 2 PERFIL DOS EMPREENDIMENTOS

PEDRA PRETA 1 DADOS GERAIS 2 PERFIL DOS EMPREENDIMENTOS 1 DADOS GERAIS - Data de emancipação: 19/01/1963 - Distância da capital: 149 km - Área: 295 Km 2 - Localização Mesorregião: Central Potiguar Microrregião: Angicos - População: 2.659 (IBGE/2007) - Número

Leia mais

CDD: 657 AC:

CDD: 657 AC: Fonseca, Alan Sales da. F676c Contabilidade : revisão balanço patrimonial e DRE / Alan Sales da Fonseca. Varginha, 2015. 17 slides; il. Sistema requerido: Adobe Acrobat Reader Modo de Acesso: World Wide

Leia mais

Etapas do Plano de Negócios

Etapas do Plano de Negócios Etapas do Plano de Negócios Etapa 7. Plano financeiro Detalhes Investimentos Projeção de resultados Ponto de equilíbrio Projeção fluxo de caixa Vendas Despesas Mão de obra Etapa 7 Plano Financeiro Investimento

Leia mais

Orientações sobre Micro Empreendedor Individual

Orientações sobre Micro Empreendedor Individual Orientações sobre Micro Empreendedor Individual Micro Empreendedor individual Definição Microempreendedor Individual (MEI) é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário.

Leia mais

Etapa 7 Plano Financeiro

Etapa 7 Plano Financeiro 17/10/12 Etapas do Plano de Negócios Etapa Detalhes 7. Plano financeiro Investimentos Projeção de resultados Ponto de equilíbrio Projeção fluxo de caixa Vendas Despesas Mão de obra Investimento é tudo

Leia mais

Direito Societário. Quais são as minhas opções para abrir uma empresa criativa?

Direito Societário. Quais são as minhas opções para abrir uma empresa criativa? Direito Societário Quais são as minhas opções para abrir uma empresa criativa? Ficha Técnica Universidade de Brasília UnB Reitor Prof Dr. Ivan Marques de Toledo Camargo Núcleo de multimídia e internet

Leia mais

Brasília, 20 de julho de 2011

Brasília, 20 de julho de 2011 PLP 578/2011 - Alterações na Sociedade de Propósito Específico para Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (art. 56, LC nº 123/2006) Brasília, 20 de julho de 211 Unidade de Políticas Públicas 1 Nota

Leia mais

Modelo de Plano de Contas Detalhado

Modelo de Plano de Contas Detalhado Modelo de Plano de Contas Detalhado Código da Conta Descrição da Conta 1. A T I V O 1.1 ATIVO CIRCULANTE 1.1.01 DISPONÍVEL 1.1.01.01 Caixa 1.1.01.02 Bancos c/ Movimento 1.1 01.03 Aplicações Financeiras

Leia mais

Direito Empresarial. Prof. Dr. Érico Hack

Direito Empresarial. Prof. Dr. Érico Hack Direito Empresarial Aula 7 Empresário e estabelecimento empresarial Prof. Dr. Érico Hack PUCPR Evolução - Empresa Teoria subjetiva Corporações de ofício Teoria objetiva atos de comércio lista taxativa

Leia mais

O Microempreendedor Individual MEI é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário.

O Microempreendedor Individual MEI é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário. 1) O QUE É? O Microempreendedor Individual MEI é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário. A Lei Complementar nº 128 de 19/12/2008 que criou condições especiais

Leia mais

CONTABILIDADE. O OBJETO da Contabilidade é o patrimônio das entidades. Patrimônio administrável e em constante alteração.

CONTABILIDADE. O OBJETO da Contabilidade é o patrimônio das entidades. Patrimônio administrável e em constante alteração. 1 CONTABILIDADE 1.1 CONCEITO É a ciência que tem como objetivo observar, registrar e informar os fatos econômico-financeiros acontecidos dentro de um patrimônio pertencente a uma entidade; mediante a aplicação

Leia mais

MPE INDICADORES Pequenos Negócios

MPE INDICADORES Pequenos Negócios MPE INDICADORES Pequenos Negócios no Brasil Categorias de pequenos negócios no Brasil MPE Indicadores MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI) Receita bruta anual de até R$ 60 mil MICROEMPRESA Receita bruta

Leia mais

Contabilidade Básica I Seção 1 Definições

Contabilidade Básica I Seção 1 Definições Contabilidade Básica I Seção 1 Definições Prof. Me. Hélio Esperidião Objetivos: Compreender os princípios elementares da contabilidade. Surgimento A Contabilidade teve seu surgimento reconhecido durante

Leia mais

MEI Micro Empresário Individual

MEI Micro Empresário Individual MEI Micro Empresário Individual MEI Micro Empresário Individual Microempreendedor Individual (MEI) é a pessoa que trabalha por conta própria e que deseja se legalizar como pequeno empresário. Para ser

Leia mais

Direito Empresarial Procurador Legislativo 3ª fase

Direito Empresarial Procurador Legislativo 3ª fase CEM CADERNO DE EXERCÍCIOS MASTER Direito Empresarial Procurador Legislativo 3ª fase 1) Com. Exam. (TRT 2) - JT TRT2/TRT 2/2006 As sociedades por ações são um tipo de sociedade empresarial, regulada pela

Leia mais

Disciplina: Prática Contábil I Docente: Luciana Alencar

Disciplina: Prática Contábil I Docente: Luciana Alencar UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE FACULDADE DE CAMPINA GRANDE-FAC-CG COMPONENTE CURRICULAR: PRÁTICA CONTÁBIL I PROFESSORA: LUCIANA ALENCAR FIRMO MACEDO Disciplina: Prática Contábil I Docente:

Leia mais

TÍTULO: GERAÇÃO DE VAGAS DE EMPREGO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS (MPE`S) DE ITAJUBÁ MG NO PERÍODO DE 2001 A 2011.

TÍTULO: GERAÇÃO DE VAGAS DE EMPREGO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS (MPE`S) DE ITAJUBÁ MG NO PERÍODO DE 2001 A 2011. TÍTULO: GERAÇÃO DE VAGAS DE EMPREGO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS (MPE`S) DE ITAJUBÁ MG NO PERÍODO DE 2001 A 2011. CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS INSTITUIÇÃO:

Leia mais

SUMÁRIO. Apresentação O que é MEI? Requisitos legais Como me formalizar?...10

SUMÁRIO. Apresentação O que é MEI? Requisitos legais Como me formalizar?...10 SUMÁRIO Apresentação...3 1. O que é MEI?...6 2. Requisitos legais...8 3. Como me formalizar?...10 4. Benefícios e vantagens...12 4.1. Previdência Social...13 4.1.1. Benefícios para o empreendedor...14

Leia mais

Disciplina: Noções de Contabilidade para Administradores (EAC0111) Turmas: 01 e 02 Tema 4: Balanço Patrimonial Prof.: Márcio Luiz Borinelli

Disciplina: Noções de Contabilidade para Administradores (EAC0111) Turmas: 01 e 02 Tema 4: Balanço Patrimonial Prof.: Márcio Luiz Borinelli USP/FEA/EAC Curso de Graduação em Administração Disciplina: Noções de Contabilidade para Administradores (EAC0111) Turmas: 01 e 02 Tema 4: Balanço Patrimonial Prof.: Márcio Luiz Borinelli 1 DEMONSTRAÇÕES

Leia mais

Aspetos legais e fiscais a ter em conta aquando da abertura do seu negócio

Aspetos legais e fiscais a ter em conta aquando da abertura do seu negócio Aspetos legais e fiscais a ter em conta aquando da abertura do seu negócio 1-Forma jurídica da entidade a Constituir 2 -Vantagens e desvantagens para cada tipo de entidade 1 Forma jurídica da entidade

Leia mais

Paggo - Mobile Money / Payment 3º. Fórum de Tecnologia e Inovação

Paggo - Mobile Money / Payment 3º. Fórum de Tecnologia e Inovação Paggo - Mobile Money / Payment 3º. Fórum de Tecnologia e Inovação Massayuki Fujimoto 13 de Dezembro de 2012 Paggo Quem somos Empresa de Mobile Payment A Paggo viabiliza pagamentos de compras nas máquinas

Leia mais

Os sistemas econômicos e o Direito empresarial

Os sistemas econômicos e o Direito empresarial Os sistemas econômicos e o Direito empresarial Os sistemas econômicos e o Direito Empresarial A ordem econômica no Brasil é disciplinada por um conjunto de princípios estabelecidos na Constituição Federal

Leia mais

Documentos necessários para LIBERAÇÃO DO CRÉDITO ao CONSORCIADO CONTEMPLADO e para TRANSFERÊNCIA DE COTA até o Grupo 69.

Documentos necessários para LIBERAÇÃO DO CRÉDITO ao CONSORCIADO CONTEMPLADO e para TRANSFERÊNCIA DE COTA até o Grupo 69. Documentos necessários para LIBERAÇÃO DO CRÉDITO ao CONSORCIADO CONTEMPLADO e para TRANSFERÊNCIA DE COTA até o Grupo 69. 1. PESSOA FÍSICA ASSALARIADO CONSORCIADO / DOCUMENTAÇÃO Ficha Cadastral atualizada*;

Leia mais

Esquemas de financiamento utilizados na expansão de cobertura

Esquemas de financiamento utilizados na expansão de cobertura Esquemas de financiamento utilizados na expansão de cobertura Financiamento da Previdência e da Seguridade Social no Brasil Paulo Tafner e Fabio Giambiagi Buenos Aires, maio/2010 Estrutura da Seguridade

Leia mais

Planejamento Tributário Empresarial

Planejamento Tributário Empresarial Planejamento Tributário Empresarial 21/02/2016 Profa. Silvia Bertani M O M E N T O D E R E F L E X Ã O 21/02/2016 Profa. Silvia Bertani 21/02/2016 Profa. Silvia Bertani Planejamento Tributário atividade

Leia mais

TABELA REFERENCIAL DE HONORÁRIOS GERAL

TABELA REFERENCIAL DE HONORÁRIOS GERAL ANEXO I Tabela 1 EDICONTA CONTABILIDADE & GESTÃO EMPRESARIAL TABELA REFERENCIAL DE HONORÁRIOS GERAL VIGÊNCIA: 01/06/2013 até 31/12/2013 PISO BASE: R$ 678,00 1.0 SERVIÇOS CONTRATUAIS - MANUTENÇÃO E ESCRITURAÇÃO

Leia mais

Função e Funcionamento das principais contas

Função e Funcionamento das principais contas 2017/09/22 13:54 1/15 e das principais contas e das principais contas 1.1.1.1 CAIXA Registrar a movimentação de dinheiro, cheques e outros documentos compensáveis em poder da empresa. Debita-se pelo recebimento

Leia mais

Balanço Patrimonial consolidado Cia Camilo e Santos S.A e Cia Silva e Silva S.A 31/3/2016 Em R$ Controladora Cia Camilo e Santos S.

Balanço Patrimonial consolidado Cia Camilo e Santos S.A e Cia Silva e Silva S.A 31/3/2016 Em R$ Controladora Cia Camilo e Santos S. O balanço em sequência apresenta a posição final de duas entidades, na data do dia. Cia R$ 200,000,00 Fornecedores - Terceiros R$ 450,000,00 Clientes - Terceiros R$ 150,000,00 R$ 200,000,00 R$ 400,000,00

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE E ATUÁRIA

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE E ATUÁRIA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE E ATUÁRIA CURSO: ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS DISCIPLINA: EAC0111 NOÇÕES DE CONTABILIDADE PARA

Leia mais

Documentos necessários para LIBERAÇÃO DO CRÉDITO ao CONSORCIADO CONTEMPLADO e para TRANSFERÊNCIA DE COTA a partir do Grupo 70.

Documentos necessários para LIBERAÇÃO DO CRÉDITO ao CONSORCIADO CONTEMPLADO e para TRANSFERÊNCIA DE COTA a partir do Grupo 70. Documentos necessários para LIBERAÇÃO DO CRÉDITO ao CONSORCIADO CONTEMPLADO e para TRANSFERÊNCIA DE COTA a partir do Grupo 70. 1. PESSOA FÍSICA ASSALARIADO CONSORCIADO / DOCUMENTAÇÃO Ficha Cadastral atualizada*;

Leia mais

LABORATÓRIO DE CONTABILIDADE Prof. Cássio Marques LABORATÓRIO DE CONTABILIDADE

LABORATÓRIO DE CONTABILIDADE Prof. Cássio Marques LABORATÓRIO DE CONTABILIDADE LABORATÓRIO DE CONTABILIDADE 2017 O PROCESSO DE CONSTITUIÇÃO DE EMPRESAS - PROCEDIMENTOS INICIAIS - O PROCESSO DE CONSTITUIÇÃO DE EMPRESAS A decisão de se abrir um negócio, através da constituição de uma

Leia mais

A SOCIEDADE SIMPLES E AS SOCIEDADES MENORES

A SOCIEDADE SIMPLES E AS SOCIEDADES MENORES A SOCIEDADE SIMPLES E AS SOCIEDADES MENORES 1 TIPOS DE SOCIEDADES NO DIREITO BRASILEIRO SOCIEDADE EM COMUM não tem personalidade jurídica os sócios são ilimitadamente responsáveis SOCIEDADE SIMPLES atividades

Leia mais

Documentos necessários para LIBERAÇÃO DO CRÉDITO ao CONSORCIADO CONTEMPLADO e para TRANSFERÊNCIA DE COTA até o Grupo 69.

Documentos necessários para LIBERAÇÃO DO CRÉDITO ao CONSORCIADO CONTEMPLADO e para TRANSFERÊNCIA DE COTA até o Grupo 69. Documentos necessários para LIBERAÇÃO DO CRÉDITO ao CONSORCIADO CONTEMPLADO e para TRANSFERÊNCIA DE COTA até o Grupo 69. 1. PESSOA FÍSICA ASSALARIADO CONSORCIADO / DOCUMENTAÇÃO Ficha Cadastral atualizada*;

Leia mais

2/8/2012. Tema 1: O Que É Administração Financeira

2/8/2012. Tema 1: O Que É Administração Financeira Tema 1: O Que É Administração Financeira Profa. Ma. Ivonete Melo de Carvalho Conteúdo O conceito de administração financeira e suas funções básicas. A função do administrador financeiro nas empresas. A

Leia mais

Formas Básicas de organização Empresarial. - Firma individual. - Sociedades

Formas Básicas de organização Empresarial. - Firma individual. - Sociedades Demonstrações Financeiras Formas de rganização Professor: Roberto César Formas Básicas de organização Empresarial - Firma individual - Sociedades Firma individual É uma empresa de propriedade de uma única

Leia mais

OS PROCESSOS DE ABERTURA DE UMA EMPRESA E SUAS TRIBUTAÇÕES

OS PROCESSOS DE ABERTURA DE UMA EMPRESA E SUAS TRIBUTAÇÕES OS PROCESSOS DE ABERTURA DE UMA EMPRESA E SUAS TRIBUTAÇÕES RESUMO Dagmar Lucia dos Passos Ripinski, Edenilson Baum de Souza, Juliana Carolini Hahn Lietz, e Marcia Tatiane Fadini. Orientador Prof. Alex

Leia mais

99% do total de empresas no País MICRO E PEQUENAS NA ECONOMIA BRASILEIRA

99% do total de empresas no País MICRO E PEQUENAS NA ECONOMIA BRASILEIRA ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS 99% do total de empresas no País MICRO E PEQUENAS NA ECONOMIA BRASILEIRA O QUE É CONSIDERADO PEQUENO NEGÓCIO NO BRASIL MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI) Receita bruta

Leia mais

ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS

ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS 99% do total de empresas no País MICRO E PEQUENAS NA ECONOMIA BRASILEIRA O QUE É CONSIDERADO PEQUENO NEGÓCIO NO BRASIL MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI) Receita bruta

Leia mais