ARGAMASSAS E CONCRETOS ARGAMASSAS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ARGAMASSAS E CONCRETOS ARGAMASSAS"

Transcrição

1 ARGAMASSAS E CONCRETOS ARGAMASSAS

2 HISTÓRICO Acredita-se que a argamassa surgiu na Pérsia antiga, onde usava-se alvenaria de tijolos secos ao sol, com assentamento de argamassas de cal. Seu desenvolvimento como sistema construtivo, entretanto, ocorreu em Roma.

3 HISTÓRICO Durante o Império Romano os homens tiveram a idéia de misturar um material aglomerante, a pozolana (cinzas vulcânicas), com materiais inertes, dando origem às primeiras argamassas. No Brasil, a argamassa passou a ser utilizada no primeiro século de nossa colonização, para assentamento de alvenaria de pedra (largamente utilizada na época). A cal que constituía tal argamassa era obtida através da queima de conchas e mariscos. O óleo de baleia era também muito utilizado como aglomerante, no preparo de argamassas para assentamento.

4 DEFINIÇÃO Argamassa é um material constituído pela mistura de aglomerantes, agregados miúdos e água, podendo também conter aditivos com a finalidade de melhorar suas propriedades, que após tratamento de cura endurece atendendo às propriedades e desempenhos especificados.

5 DEFINIÇÃO Quando recém misturadas, possuem boa plasticidade; enquanto que, quando endurecidas, possuem rigidez, resistência e aderência. As argamassas são normalmente constituídas por cal ou cimento, areia e água.

6 DEFINIÇÃO A areia funciona como material inerte, para dar solidez. Nas argamassas de cimento, sua aplicação reduz a menos de 1/3 a quantidade de aglomerante reduzindo custo e variação volumétrica. Nas argamassas de cal, a areia facilita a passagem de anidrido carbônico do ar, que produz a recarbonatação do hidróxido de cálcio, com conseqüente solidificação do conjunto.

7 DEFINIÇÃO Conforme a necessidade, pode-se adicionar outros componentes para melhorar ou dar outra propriedade ao material. Aditivos para argamassas: Plastificantes - aumentam a resistência com menos água no preparo; Fluidificantes - mesmo efeito do plastificante, porém mais efetivo; Incorporadores de ar - incorporam bolhas de ar, aumentando a impermeabilidade; Impermeablizantes - repelem a água; Retardadores - retardam a pega; Aceleradores - aceleram a pega.

8 CLASSIFICAÇÃO QUANTO AO EMPREGO 1- Argamassas comuns 2- Argamassas refratárias

9 CLASSIFICAÇÃO QUANTO AO EMPREGO 1- Argamassas comuns Assentamento de pedras, tijolos e blocos em alvenarias, onde favorecem a distribuição dos esforços. Revestimentos argamasssados como chapisco, camada única, emboço e reboco. Assentamentos de placas de revestimento para paredes e pisos. Reparos de obras de concreto. Injeções.

10 CLASSIFICAÇÃO QUANTO AO EMPREGO Argamassas de assentamento Propriedades Trabalhabilidade: uma argamassa tem boa trabalhabilidade quando distribui-se com facilidade ao ser assentada, preenchendo todos os vazios. Não separa-se ao ser transportada, agarra a colher do pedreiro, não endurece quando toca blocos de sucção alta, e permanece plástica por um bom tempo. Retentividade de água: está relacionada com a manutenção da consistência da argamassa. É a propriedade da argamassa de não perder a água que possui para o elemento onde foi assentada. Aderência: não é uma característica própria da argamassa. Depende das condições da mesma, e da unidade da alvenaria. A aderência é um processo mecânico; a argamassa se ancora na alvenaria pela penetração nas suas reentrâncias. Resistência mecânica: o principal esforço que a argamassa de assentamento sofre é o de compressão. Também sofre flexão e cisalhamento por esforços laterais nas paredes, porém em menor quantidade.

11 CLASSIFICAÇÃO QUANTO AO EMPREGO Argamassas de revestimento Revestimento é o recobrimento de uma superfície lisa ou áspera com uma ou mais camadas superpostas de argamassa em espessura via de regra uniforme, apta a receber, sem danos, uma decoração final. Aderência é a propriedade do revestimento de resistir a tensões normais ou tangenciais nas superfícies de interface com o substrato. Entre outros usos importantes dos revestimentos argamassados, podemos citar: estanqueidade à água; conforto térmico; isolamento acústico; resistência ao fogo; regularização da base; aparência e decoração; proteção da base.

12 CLASSIFICAÇÃO QUANTO AO EMPREGO Argamassas de revestimento Propriedades da argamassa de revestimento Quando fresca Adesão inicial: é a propriedade que a argamassa fresca de revestimento possui de permanecer adequadamente unida à base de aplicação, após o seu lançamento. Consistência e plasticidade: são os principais fatores condicionantes da trabalhabilidade das argamassas, a qual pode garantir que o revestimento fique adequadamente aderido ao substrato e dar o acabamento superficial conforme prescrito. Retenção de água de consistência: define-se retenção de água de uma argamassa como a propriedade que a mesma possui de reter mais ou menos água de amassamento ao entrar em contato com uma superfície de maior nível de absorção.

13 CLASSIFICAÇÃO QUANTO AO EMPREGO Argamassas de revestimento Propriedades da argamassa de revestimento Quando endurecida Resistência mecânica (capacidade de absorver deformações): É a propriedade das argamassas endurecidas de acompanhar a deformação gerada por esforços internos ou externos e de retornar à dimensão original quando cessam esse esforços sem se romperem. As solicitações às quais encontram-se submetidas as argamassas de revestimento são: Movimentação volumétrica da base; Deformação da base; Movimentação do revestimento; Retração do revestimento.

14 CLASSIFICAÇÃO QUANTO AO EMPREGO 2- Argamassas refratárias Possuem a característica de resistir à elevadas temperaturas e são feitas com agregados especiais e cimento aluminoso.

15 CLASSIFICAÇÃO QUANTO AO TIPO DE AGLOMERANTE Argamassas aéreas: compostas por cal aérea ou gesso. A cal dá à argamassa uma boa trabalhabilidade e capacidade de reter água, entretanto, quando está endurecida, apresenta baixa resistência. Argamassas hidráulicas: compostas de cal hidráulica ou cimento portland. As argamassas de cimento e areia são indicadas para suportar maiores cargas, pois possuem alta resistência. Argamassas mistas: compostas por um aglomerante aéreo e um hidráulico (cal e cimento).

16 CLASSIFICAÇÃO QUANTO AO NÚMERO DE ELEMENTOS ATIVOS Argamassas simples: possuem apenas um elemento ativo. Argamassas compostas: possuem mais de um elemento ativo.

17 CLASSIFICAÇÃO QUANTO A SUA DOSAGEM Argamassas pobres ou magras: O volume de aglomerante é insuficiente para preencher os vazios entre os grãos do agregado. Argamassas cheias: Os vazios são preenchidos perfeitamente pela pasta. Argamassas ricas ou gordas: Quando há excesso de pasta.

18 CLASSIFICAÇÃO QUANTO A SUA CONSISTÊNCIA Secas - A pasta aglomerante somente preenche os vazios entre os agregados, deixando-os ainda em contato. Existe o atrito entre as partículas que resulta em uma massa áspera. Plásticas - Uma fina camada de pasta aglomerante molha a superfície dos agregados, dando uma boa adesão entre eles com uma estrutura pseudo-sólida. Fluidas - As partículas de agregado estão imersas no interior da pasta aglomerante, sem coesão interna e com tendência de depositar-se por gravidade (segregação). Os grãos de areia não oferecem nenhuma resistência ao deslizamento, mas a argamassa é tão líquida que se espalha sobre a base, sem permitir a execução adequada do trabalho.

19 CLASSIFICAÇÃO QUANTO A SUA CONSISTÊNCIA

20 CLASSIFICAÇÃO QUANTO A SUA PRODUÇÃO Argamassas produzidas no canteiro de obras Argamassas produzidas em centrais Argamassas industrializadas

21 CLASSIFICAÇÃO QUANTO A SUA PRODUÇÃO Argamassas industrializadas Argamassas colantes: A argamassa colante industrializada e composta por cimento, areia e aditivos que retém agua e promovem aderência. Quando misturados com agua, esses itens formam uma massa viscosa, plástica e adesiva. As argamassas colantes são diferenciadas pela quantidade e tipos de aditivos e também pelo consumo de cimento.

22 CLASSIFICAÇÃO QUANTO A SUA PRODUÇÃO Argamassas industrializadas AC-l (INTERIOR): Argamassa com características de resistência às solicitações mecânicas e termohigrométricas típicas de revestimentos internos, com exceção daqueles aplicados em saunas, churrasqueiras, estufas e outros revestimentos especiais.

23 CLASSIFICAÇÃO QUANTO A SUA PRODUÇÃO Argamassas industrializadas AC-II (EXTERIOR): Argamassas com características de adesividade que permitem absorver os esforços existentes em revestimentos de pisos e paredes externas decorrentes de ciclos de flutuação térmica e higrométrica, da ação da chuva e/ou vento, da ação de cargas como as decorrentes do movimento de pedestres em áreas públicas e de máquinas ou equipamentos leves sobre rodízios não metálicos.

24 CLASSIFICAÇÃO QUANTO A SUA PRODUÇÃO Argamassas industrializadas AC- III (ALTA RESISTÊNCIA): Argamassa que apresenta propriedades de modo a resistir a altas tensões de cisalhamento nas interfaces substrato/adesivo e placa cerâmica/adesivo, juntamente com uma aderência superior entre as interfaces em relação às argamassas dos tipos I e II: é especialmente indicada para uso em fachadas que durante o assentamento não estejam submetidas à insolação direta, em saunas, em piscinas e em ambientes similares.

25 CLASSIFICAÇÃO QUANTO A SUA PRODUÇÃO Argamassas industrializadas AC-III-E (ESPECIAL): Argamassa que atende aos requisitos dos tipos I e II, com tempo em aberto estendido. Especialmente indicada para fachadas que durante o assentamento estejam submetidas à insolação direta.

26 CLASSIFICAÇÃO QUANTO A SUA PRODUÇÃO Argamassas industrializadas Rejuntamento: Rejuntamento Tipo I: Uso em ambientes internos e externos, desde que observados as seguintes informações: a) Aplicação restrita a locais de trânsito de pedestres / transeuntes, não intenso; b) Aplicação restrita a placas cerâmicas com absorção de água acima de 3%; c) Aplicação em ambientes externos, piso ou parede, desde que não excedam 20 m² e 18m², respectivamente.

27 CLASSIFICAÇÃO QUANTO A SUA PRODUÇÃO Argamassas industrializadas Rejuntamento: Rejuntamento Tipo II: Uso em ambientes internos e externos, desde que observados as seguintes informações: a) Todas as condições do tipo I; b) Aplicação em locais de trânsito intenso de pedestres / transeuntes; c) Aplicação em placas cerâmicas com absorção de água inferior a de 3%; d) Aplicação em ambientes externos, piso ou parede, de qualquer dimensão, ou sempre que se exijam as juntas de movimentação; e) Ambientes internos ou externos com presença de água estancada.

28 CLASSIFICAÇÃO QUANTO A SUA PRODUÇÃO Argamassas industrializadas Assentamento: - Argamassa indicada para ligação de componentes de vedação no assentamento em alvenaria, com função de vedação. - Argamassa indicada para ligação de componentes de vedação no assentamento em alvenaria, com função estrutural. - Argamassa para complementação da alvenaria (encunhamento).

29 CLASSIFICAÇÃO QUANTO A SUA PRODUÇÃO Argamassas industrializadas Revestimento: - Argamassa para revestimento interno: indicada para revestimento de ambientes internos da edificação, caracterizando-se como camada de regularização. - Argamassa para revestimento externo: indicada para revestimento de fachadas, muros e outros elementos da edificação em contato com o meio externo, caracterizandose como camada de regularização.

30 CLASSIFICAÇÃO QUANTO A SUA PRODUÇÃO Argamassas industrializadas Revestimento: - Argamassa para revestimento interno monocamada: indicada para revestimento de ambientes internos de edificação, aplicada em camadas únicas ou sobre emboço, proporcionando uma superfície extralisa pronta para pintura. - Argamassa de uso geral: indicada para assentamento de alvenaria sem função estrutural e revestimento de paredes e tetos internos e externos.

31 CLASSIFICAÇÃO QUANTO A SUA PRODUÇÃO Argamassas industrializadas Revestimento: - Argamassa para reboco: indicada para cobrimento de emboço, proporcionando uma superfície fina que permita receber o acabamento, também denominada massa fina. - Argamassa decorativa bicamada pigmentada: indicada para revestimento com fins decorativos, pigmentada, que permite variados acabamentos em camada fina.

32 CLASSIFICAÇÃO QUANTO A SUA PRODUÇÃO Argamassas industrializadas Revestimento: - Argamassa decorativa monocamada pigmentada: indicada para revestimento de fachadas, muros e outros elementos de edificação em contato com o meio externo, com fins decorativos, pigmentada, hidrofugada e que permite variados acabamentos em camada úmida.

33 CLASSIFICAÇÃO QUANTO A SUA PRODUÇÃO

34 CLASSIFICAÇÃO QUANTO A SUA PRODUÇÃO

35 CLASSIFICAÇÃO QUANTO A SUA PRODUÇÃO Argamassas industrializadas Atualmente dispõe-se de uma infinidade de opções de argamassas texturizadas. Muitas são encontradas prontas para a aplicação, algumas necessitam de preparo. Resina Acrílica: Assemelha-se às massas corridas, seu uso é indispensável. É diluída em água. Hidrorrepelente: Tem função de repelir a água, funcionando como uma espécie de impermeabilizante. Biocida: Usados em misturas onde não há cal. Evitam o surgimento de fungos e bactérias que causam mofo. Minerais: São os agregados da argamassa, as texturas são formadas conforme as dimensões dos grânulos. Pigmento: É o que confere cor à argamassa, conforme a resina acrílica utilizada, dispõe-se de um certo número de cores oferecidas pelo fabricante.

36 QUALIDADE DAS ARGAMASSAS Propriedades reológicas estado fresco Resistência mecânica Compacidade /massa específica Impermeabilidade / Permeabilidade / Isolação Aderência Constância de volume Durabilidade

37 QUALIDADE DAS ARGAMASSAS Qualidade e quantidade do aglomerante. Qualidade e quantidade do agregado. Quantidade de água.

38 QUALIDADE DAS ARGAMASSAS Os grãos do agregado miúdo devem estar totalmente envolvidos e aderidos à pasta. Os vazios entre os grãos do agregado devem ser inteiramente completados pela pasta. Caso contrário, sua resistência à tração será baixa e apresentará grande permeabilidade. Dosagem adequada.

39 CONDIÇÕES PARA UMA BOA ADERÊNCIA a) Os grãos dos agregados devem ser hidrófilos (que absorvem bem a água). b) Os grãos devem ser molhados pela água diretamente, ou pela pasta, permitindo a aderência entre os grãos de aglomerante e os grãos do agregado em fase de endurecimento.

40 CONDIÇÕES PARA UMA BOA ADERÊNCIA c) A relação de aderência entre aglomerante e agregado deve ser de afinidade (ações moleculares individuais). Estas ações necessitam de deslocamentos de moléculas (íons) que são diferentes dependendo da quantidade de água próxima aos grãos.

41 CONDIÇÕES PARA UMA BOA ADERÊNCIA d) A limpeza dos grãos do agregado é fundamental para a aderência entre eles e o aglomerante. As interposições sob a forma de película, de argila e matérias orgânicas, caulinização ou alteração superficial de alguns agregados torna o contato dos grãos inertes com os elementos ativos do aglomerante aleatório ou ilusório prejudicando a aderência.

42 FUNÇÕES DAS ARGAMASSAS a) Unir os elementos construtivos e resistir aos esforços. b) Distribuir os esforços. c) Absorver as deformações. d) Selar as juntas. e) Regularizar superfícies de vedação. f) Servir de base para acabamentos (pintura, cerâmica, pedras). g) Proteger os elementos portantes dos edifícios contra ação do intemperismo e agentes agressivos ambientais.

43 FUNÇÕES DAS ARGAMASSAS h) Integrar o sistema de vedação dos edifícios. Isolamento acústico. Isolamento térmico. Resistência ao fogo. Estanqueidade de águas e gases,e resistência ao desgaste. Abalos superficiais. Fixação e chumbamento de peças.

44 ARGAMASSA NO ESTADO FRESCO O estado fresco da argamassa é o período decorrido entre a mistura de aglomerantes e agregado miúdo com a água e o início das reações de pega. Entende-se como a condição na qual a argamassa ainda é trabalhável ou deformável plasticamente sob a ação de pequenas solicitações (ABCI, 1990).

45 ARGAMASSA NO ESTADO FRESCO PROPRIEDADES: 1- Consistência É a propriedade de uma argamassa ter maior ou menor facilidade de opor resistência a uma dada deformação. As argamassas são classificadas segundo sua consistência em secas, plásticas ou fluidas, porém os limites destas consistências não são bem definidos.

46 ARGAMASSA NO ESTADO FRESCO PROPRIEDADES: 2- Retenção da Consistência É a propriedade da argamassa de manter sua consistência após entrar em contato com um substrato. Esta propriedade é importante para argamassas de assentamento das alvenarias e peças cerâmicas de revestimento e dependem de outra propriedade, a retenção de água.

47 ARGAMASSA NO ESTADO FRESCO PROPRIEDADES: 3- Coesão É a propriedade da argamassa de manter seus constituintes homogêneos, sem segregação. As argamassas de assentamento e revestimento de alvenaria devem possuir uma boa coesão.

48 ARGAMASSA NO ESTADO FRESCO PROPRIEDADES: 4- Tixotropia Esta propriedade está relacionada com a coesão, numa escala bem acentuada. As argamassas tixotrópicas exigem uma baixa energia para alterarem sua forma, que uma vez alterada, consegue mantê-la mesmo sob ação da gravidade. A tixotropia é exigida nas argamassas de assentamento de peças cerâmicas e argamassas de recuperação.

49 ARGAMASSA NO ESTADO FRESCO PROPRIEDADES: 5- Plasticidade É a propriedade que permite à argamassa deformarse e reter certas deformações após a redução das tensões que lhe foram impostas. Esta propriedade está ligada diretamente a sua coesão, consistência e retenção de água.

50 ARGAMASSA NO ESTADO FRESCO PROPRIEDADES: 6- Retenção de água Define-se retenção de água como a capacidade da argamassa fresca de manter sua consistência ou trabalhabilidade quando sujeita a solicitações que provoquem perda de água (evaporação ou sucção do substrato).

51 ARGAMASSA NO ESTADO FRESCO PROPRIEDADES: 7- Adesão inicial É a propriedade que a argamassa possui de permanecer adequadamente unida ao substrato após seu lançamento. Esta propriedade é fortemente influenciada pela plasticidade e coesão da argamassa e pelas propriedades do substrato onde é aplicada (absorção inicial e rugosidade).

52 ARGAMASSA NO ESTADO FRESCO PROPRIEDADES: 8- Tempo em aberto É o período de tempo após o espalhamento da argamassa sobre o substrato, em que é possível o assentamento da cerâmica obtendo-se a resistência de aderência adequada, definida pela NBR (ABNT, 1998) como maior ou igual a 0,5 MPa.

53 ARGAMASSA NO ESTADO ENDURECIDO A argamassa no estado endurecido já ultrapassou a idade necessária para lhe conferir resistência mecânica suficiente para resistir a esforços (ABCI, 1990).

54 ARGAMASSA NO ESTADO ENDURECIDO PROPRIEDADES: 1- Resistência mecânica Seja qual for a aplicação de uma argamassa, após seu endurecimento sempre será submetida a algum tipo de esforço mecânico. As argamassas de assentamento são solicitadas à compressão, as de revestimento à abrasão superficial, impacto, tensões de cisalhamento decorrentes de movimentações do substrato ou variações térmicas/higrométricas.

55 ARGAMASSA NO ESTADO ENDURECIDO PROPRIEDADES: 1- Resistência mecânica A resistência mecânica depende do tipo e teor de aglomerante. Em misturas convencionais, o cimento Portland é o principal responsável pela garantia desta propriedade. Entretanto misturas muito ricas em cimento provocam uma alta retração volumétrica e também diminuem a capacidade do material absorver pequenas deformações sem fissurar.

56 ARGAMASSA NO ESTADO ENDURECIDO PROPRIEDADES: 2- Deformabilidade Na maioria das aplicações das argamassas, é interessante que possuam a capacidade de se deformarem sem que isto possa gerar tensões importantes no material. Isto é de vital importância no caso de revestimentos e assentamentos de unidades de alvenaria.

57 ARGAMASSA NO ESTADO ENDURECIDO PROPRIEDADES: 2- Deformabilidade A deformabilidade de uma argamassa pode ser aumentada pelo uso da cal hidratada. Atualmente os fabricantes de argamassas prontas têm formulado seus produtos baseando-se não apenas na resistência mecânica, mas também em deformabilidades máximas.

58 ARGAMASSA NO ESTADO ENDURECIDO PROPRIEDADES: 3- Permeabilidade É a propriedade de um material de se deixar atravessar por líquidos e gases. A permeabilidade de uma argamassa pode ser controlada pela quantidade e tipo de aglomerante empregado. O cimento Portland usado em proporções adequadas pode diminuir bastante a permeabilidade de um revestimento argamassado. Porém se o cimento for utilizado em teores excessivos podem levar à fissuração por retração hidráulica o que compromete esta propriedade.

59 ARGAMASSA NO ESTADO ENDURECIDO PROPRIEDADES: 4- Retração volumétrica Após seu endurecimento, as argamassas sofrem um processo de retração resultante da reação química dos aglomerantes e remoção da água adsorvida nos produtos de hidratação, durante o processo de secagem.

60 ARGAMASSA NO ESTADO ENDURECIDO PROPRIEDADES: 4- Retração volumétrica a) Teor de aglomerante: O aumento do teor de cimento eleva o potencial de retração da argamassa b) Volume de água: Quanto maior o volume de água empregado na confecção de uma argamassa, maior será sua retração final devido ao aumento do volume de pasta.

61 ARGAMASSA NO ESTADO ENDURECIDO PROPRIEDADES: 4- Retração volumétrica c) Granulometria dos agregados: O agregado tem um papel importante no controle de retração uma vez que o fenômeno ocorre na pasta. d) Condições ambientais: A temperatura e a umidade do ambiente onde uma argamassa é aplicada influenciam sua retração.

62 ARGAMASSA NO ESTADO ENDURECIDO PROPRIEDADES: 5- Aderência É a capacidade de uma argamassa se fixar no substrato onde é aplicada. A aderência é basicamente um fenômeno físico. Logo que a argamassa entra em contato com o substrato, existe uma migração de água de um material para outro, carreando materiais cimentícios. Este material ao se hidratar se fixa nos poros superficiais do substrato promove a aderência da argamassa.

63 ENSAIOS EM ARGAMASSAS ESTADO FRESCO: Consistência Flow-Table Squzeeze Flow

64 ENSAIOS EM ARGAMASSAS ESTADO FRESCO: Densidade de massa e Teor de ar incorporado Densidade Ar incorporado

65 ENSAIOS EM ARGAMASSAS ESTADO FRESCO: Retenção de água

66 ENSAIOS EM ARGAMASSAS ESTADO ENDURECIDO: 1 Densidade de massa aparente Densidade

67 ENSAIOS EM ARGAMASSAS ESTADO ENDURECIDO: 1 Resistência à tração na flexão e compressão Tração na flexão Compressão

68 ENSAIOS EM ARGAMASSAS ESTADO ENDURECIDO: 1 Resistência de aderência

69 ENSAIOS EM ARGAMASSAS ESTADO ENDURECIDO: 1 Resistência de aderência

MACO II PUC GO Professora Mayara Moraes

MACO II PUC GO Professora Mayara Moraes MACO II PUC GO Professora Mayara Moraes Argamassas NBR13281 Histórico 1º. registro de emprego na construção: Pré-História Piso polido de 180 m² feito com pedras e argamassa cal e areia: ~ 7000 a 9000

Leia mais

Prof. Aline Fernandes de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010

Prof. Aline Fernandes de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010 de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010 DEFINIÇÃO. Mistura de aglomerantes e agregados com água, possuindo capacidade de endurecimento (NBR 7200).. São materiais de construção constituídos por uma mistura

Leia mais

AULA 6 ARGAMASSA. Disciplina: Materiais de Construção I Professora: Dra. Carmeane Effting. 1 o semestre 2015

AULA 6 ARGAMASSA. Disciplina: Materiais de Construção I Professora: Dra. Carmeane Effting. 1 o semestre 2015 AULA 6 ARGAMASSA Disciplina: Materiais de Construção I Professora: Dra. Carmeane Effting 1 o semestre 2015 Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Engenharia Civil ARGAMASSAS DEFINIÇÃO Materiais

Leia mais

Capítulo 26. Argamassas

Capítulo 26. Argamassas Capítulo 26 Argamassas Helena Carasek Universidade Federal de Goiás Definição Argamassas são materiais de construção, com propriedades de aderência e endurecimento, obtidos a partir da mistura homogênea

Leia mais

Argamassas de Revestimento

Argamassas de Revestimento Argamassas de Revestimento q Argamassa de revestimento é utilizada para revestir paredes, muros e tetos, os quais, geralmente, recebem acabamentos como pintura, cerâmicos, laminados, etc; q O revestimento

Leia mais

Argamassas e Revestimento

Argamassas e Revestimento Introdução 2/26 Argamassas e Revestimento Argamassa é o resultado da mistura de aglomerante, agregado miúdo, água e às vezes aditivos, usada para assentamento de alvenarias e revestimentos. Aglomerante:

Leia mais

AULA 6 ARGAMASSA continuação

AULA 6 ARGAMASSA continuação AULA 6 ARGAMASSA continuação Disciplina: Materiais de Construção I Professora: Dra. Carmeane Effting 1 o semestre 2014 Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Engenharia Civil ARGAMASSAS - PROPRIEDADES

Leia mais

Disciplina: Materiais de Construção I Assunto: Argamassas no estado seco e fresco Prof. Ederaldo Azevedo Aula 6 e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br 1.1 Conceitos Básicos: Argamassa é um material composto,

Leia mais

Materiais de Construção Civil. Aula 06. Aglomerantes e Cal

Materiais de Construção Civil. Aula 06. Aglomerantes e Cal Materiais de Construção Civil Aula 06 Aglomerantes e Cal Taciana Nunes Arquiteta e Urbanista Definição Aglomerante é o material ativo, ligante, cuja principal função é formar uma pasta que promove a união

Leia mais

Universidade Federal do Ceará. Curso de Engenharia Civil. Aula 3: Argamassa. Prof. Eduardo Cabral

Universidade Federal do Ceará. Curso de Engenharia Civil. Aula 3: Argamassa. Prof. Eduardo Cabral Universidade Federal do Ceará Curso de Engenharia Civil Aula 3: Argamassa Prof. Eduardo Cabral Definição e Histórico Piso de 180m 2 no sul da Galiléia entre 7.000a.C. e 9.000a.C. Laje de 25cm de espessura

Leia mais

Argamassas mistas. Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira

Argamassas mistas. Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira Argamassas mistas Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira Argamassas mistas de cimento, cal e areia destinadas ao uso em alvenarias e revestimentos Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira Fonte: NBR 7200:1998 NBR 13529:2013

Leia mais

Revestimentos de Argamassa Conceitos P R O M O Ç Ã O

Revestimentos de Argamassa Conceitos P R O M O Ç Ã O Revestimentos de Argamassa Conceitos P R O M O Ç Ã O TECNOLOGIA DA ARGAMASSA Conceitos Sistema de Revestimento de Argamassa Desempenho do sistema Materiais Constituintes Dosagem Escolha do Sistema de Revestimento

Leia mais

PROJETO E EXECUÇÃO DE REVESTIMENTOS CERÂMICOS

PROJETO E EXECUÇÃO DE REVESTIMENTOS CERÂMICOS Fundação Carmelitana Mário Palmério Materiais de Construção Civil PROJETO E EXECUÇÃO DE REVESTIMENTOS CERÂMICOS Professor: Yuri Cardoso Mendes Revestimentos cerâmicos Para realizar um bom projeto de revestimento

Leia mais

REVESTIMENTOS VERTICAIS. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

REVESTIMENTOS VERTICAIS. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I REVESTIMENTOS VERTICAIS Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I O CONCEITO FUNCIONAL É um elemento funcional do edifício com funções bem

Leia mais

Argamassa TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES ARGAMASSA. Elizeth Neves Cardoso Soares 2016

Argamassa TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES ARGAMASSA. Elizeth Neves Cardoso Soares 2016 TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES ARGAMASSA Elizeth Neves Cardoso Soares 2016 Definições Pastas Resulta das reações químicas do cimento com a água. Quando há água em excesso, denomina-se nata. Argamassa São misturas

Leia mais

8/2/2011 AGLOMERANTES. Definição: Exemplos: Aglomerantes. Nomenclatura. Relação Pega x Endurecimento. Propriedades. Argila Gesso Cal Cimento Betume

8/2/2011 AGLOMERANTES. Definição: Exemplos: Aglomerantes. Nomenclatura. Relação Pega x Endurecimento. Propriedades. Argila Gesso Cal Cimento Betume Definição: AGLOMERANTES Aglomerantes são materiais ativos, geralmente pulverulentos, que entram na composição das pastas, argamassas e concretos. Nomenclatura Exemplos: Aglomerantes Aglomerantes = materiais

Leia mais

NBR 14081/2004. Argamassa colante industrializada para assentamento de placas cerâmicas Requisitos

NBR 14081/2004. Argamassa colante industrializada para assentamento de placas cerâmicas Requisitos NBR 14081/2004 Argamassa colante industrializada para assentamento de placas cerâmicas Requisitos OBJETIVO: Fixar as condições exigíveis para argamassas colantes industrializadas destinadas ao assentamento

Leia mais

Soluções Completas Para o Seu Projeto.

Soluções Completas Para o Seu Projeto. Soluções Completas Para o Seu Projeto. Há mais de 50 anos a Argatex oferece soluções para construção civil, sempre com os princípios de oferecer produtos de alta qualidade que simplifiquem e otimizem a

Leia mais

Prof. Marcos Valin Jr. Prof. Marcos Valin Jr. Qual a definição de. Argamassa. Argamassa. Prof. Marcos Valin Jr.

Prof. Marcos Valin Jr. Prof. Marcos Valin Jr. Qual a definição de. Argamassa. Argamassa. Prof. Marcos Valin Jr. Qual a definição de www.mvalin.com.br 1 Material de construção, com propriedade de aderência e endurecimento, obtida a partir da mistura homogênea de um ou mais aglomerantes, agregados miúdos (areia) e

Leia mais

TECNOLOGIA DE ARGAMASSAS

TECNOLOGIA DE ARGAMASSAS TECNOLOGIA DE ARGAMASSAS Prof. Dr a Marienne do Rocio M.Maron da Costa mariennecosta@uol.com.br Tópico da Disciplina TC 034 Materiais III Departamento de Construção Civil- DCC Universidade Federal do Paraná

Leia mais

TECNOLOGIA DE ARGAMASSAS (Parte II)

TECNOLOGIA DE ARGAMASSAS (Parte II) UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Departamento de Construção Civil TC 034 Materiais de Construção III TECNOLOGIA DE ARGAMASSAS (Parte II) Aulas: Prof a. Marienne R.M.Maron da Costa colaboração Prof.Eduardo

Leia mais

Argamassas e Equipamentos

Argamassas e Equipamentos Componentes: Argamassas e Equipamentos Engº Fábio Campora Argamassa Equipamentos Logística de obra Equipe de aplicação Argamassa Definição Argamassa Mistura homogênea de agregados miúdos, aglomerantes

Leia mais

Técnicas de Construção Civil 3 Revestimento Interno e Externo

Técnicas de Construção Civil 3 Revestimento Interno e Externo Curso Técnico em Edificações Disciplina Técnicas de Construção Civil 3 Revestimento Interno e Externo Docente: Profa. Priscila B. Alves TCCC3 O que é? Pra que serve? Quais os tipos? Introdução Nada mais

Leia mais

Revestimentos de Argamassa. Tecnologia da Argamassa P R O M O Ç Ã O

Revestimentos de Argamassa. Tecnologia da Argamassa P R O M O Ç Ã O Revestimentos de Argamassa Tecnologia da Argamassa P R O M O Ç Ã O Revestimento de Argamassa Material Projeto Equipamentos e ferramentas inadequado Problemas no revestimento Planejamento Treinamento Roteiro

Leia mais

PROPRIEDADES DO. Trabalhabilidade e Consistência CONCRETO FRESCO

PROPRIEDADES DO. Trabalhabilidade e Consistência CONCRETO FRESCO Universidade Paulista Instituto de Ciências Exatas e Tecnologia Departamento de Engenharia Civil Materiais de Construção Civil Professora Moema Castro, MSc. CONCRETO FRESCO CONCRETO ENDURECIDO TECNOLOGIA

Leia mais

REVESTIMENTOS Escolha do Sistema de Revestimento

REVESTIMENTOS Escolha do Sistema de Revestimento 200888 Técnicas das Construções I REVESTIMENTOS Escolha do Sistema de Revestimento Prof. Carlos Eduardo Troccoli Pastana pastana@projeta.com.br (14) 3422-4244 AULA 13 EXERCÍCIO 1 ESCOLHA DO SISTEMA DE

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL Concreto translúcido M.Sc. Arq. Elena M. D. Oliveira Concreto Translúcido Uma empresa húngara desenvolveu um tipo de concreto que, misturado a uma pequena porcentagem de fibras

Leia mais

FQ-PD-05 FICHA TÉCNICA. Rev.: 02 Pág.: 1/5. Criado: 11/08/2016. Atualizado: 05/06/ PRODUTO: Multi Porcelanato Interno

FQ-PD-05 FICHA TÉCNICA. Rev.: 02 Pág.: 1/5. Criado: 11/08/2016. Atualizado: 05/06/ PRODUTO: Multi Porcelanato Interno Rev.: 02 Pág.: 1/5 1. PRODUTO: Multi Porcelanato Interno 2. DESCRIÇÃO: A Multi Porcelanato Interno é uma argamassa colante especial para assentamento de peças cerâmicas tipo porcelanato em áreas internas.

Leia mais

TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO II CÓDIGO: IT837 CRÉDITOS: T2-P2 INSTITUTO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMO

TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO II CÓDIGO: IT837 CRÉDITOS: T2-P2 INSTITUTO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMO TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO II CÓDIGO: IT837 CRÉDITOS: T2-P2 INSTITUTO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMO OBJETIVO DA DISCIPLINA: Fornecer ao aluno as informações necessárias sobre a constituição,

Leia mais

AGLOMERANTES. FMC Profª Bárbara Silvéria

AGLOMERANTES. FMC Profª Bárbara Silvéria AGLOMERANTES FMC Profª Bárbara Silvéria Aglomerantes Definição Aglomerante é o material ativo, ligante, em geral pulverulento, cuja principal função é formar uma pasta que promove a união entre os grãos

Leia mais

Tecnologia das construções

Tecnologia das construções Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Engenharia Civil Tecnologia da Construção Civil I Revestimentos argamassados Execução de edificações Revestimentos argamassados

Leia mais

Argamassa Colante. Argamassa Colante. Areia fina. Aditivos. Adições

Argamassa Colante. Argamassa Colante. Areia fina. Aditivos. Adições Argamassa Colante Argamassa Colante q As argamassas colantes são formadas pela composição de agregados, aglomerantes, aditivos, água e eventualmente adições. Cimento Portland Areia fina Argamassa Colante

Leia mais

Aula 06: Revestimentos Verticais

Aula 06: Revestimentos Verticais Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Construção Civil PCC-2436 Tecnologia da Construção de Edifícios II Aula 06: Revestimentos Verticais Comportamento do Revestimento

Leia mais

TECNOLOGIA DE ARGAMASSAS (Partes I e II)

TECNOLOGIA DE ARGAMASSAS (Partes I e II) UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Departamento de Construção Civil TC 034 Materiais de Construção III TECNOLOGIA DE ARGAMASSAS (Partes I e II) Aulas: Prof a. Marienne R.M.Maron da Costa colaboração Prof.Eduardo

Leia mais

FQ-PD-05 FICHA TÉCNICA. Rev.: 02 Pág.: 1/5 Criado: 11/08/2016 Atualizado: 03/04/ PRODUTO: Arga Plus Externa AC III (Arga Plus ACIII)

FQ-PD-05 FICHA TÉCNICA. Rev.: 02 Pág.: 1/5 Criado: 11/08/2016 Atualizado: 03/04/ PRODUTO: Arga Plus Externa AC III (Arga Plus ACIII) Rev.: 02 Pág.: 1/5 1. PRODUTO: Arga Plus Externa AC III (Arga Plus ACIII) 2. DESCRIÇÃO: A Arga Plus Externa é uma argamassa colante tipo AC III para assentamentos especiais que exigem alta flexibilidade

Leia mais

REVESTIMENTO EM ARGAMASSAS

REVESTIMENTO EM ARGAMASSAS REVESTIMENTOS Ministério EM ARGAMASSAS da Educação Universidade Federal do Paraná Setor de Tecnologia Construção Civil II ( TC-025) REVESTIMENTO EM ARGAMASSAS Prof. José de Almendra Freitas Jr. freitasjose@terra.com.br

Leia mais

FQ-PD-05 FICHA TÉCNICA. Rev.: 02 Pág.: 1/5. Criado: 11/08/2016. Atualizado: 03/07/ PRODUTO: Piso sobre Piso Externo

FQ-PD-05 FICHA TÉCNICA. Rev.: 02 Pág.: 1/5. Criado: 11/08/2016. Atualizado: 03/07/ PRODUTO: Piso sobre Piso Externo Rev.: 02 Pág.: 1/5 1. PRODUTO: Piso sobre Piso Externo 2. DESCRIÇÃO: A Piso sobre Piso Externo é uma argamassa colante especial, para assentamento de piso sobre piso e azulejo sobre azulejo em áreas internas

Leia mais

Bibliografia recomendada

Bibliografia recomendada Associação Educativa Evangélica UniEvangélica Curso de Engenharia Civil Professora Moema Castro, MSc. MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL I CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND Anápolis, 2017/1. Capitulo 5 Bibliografia

Leia mais

ARGAMASSAS E CONCRETOS AGLOMERANTES

ARGAMASSAS E CONCRETOS AGLOMERANTES ARGAMASSAS E CONCRETOS AGLOMERANTES DEFINIÇÃO São materiais ligantes, em geral pulverulentos, que promovem a união entre os grãos de agregados. Estes materiais sofrem transformações químicas, por isso

Leia mais

Associação Educativa Evangélica UniEvangélica Curso de Engenharia Civil Professora Moema Castro, MSc.

Associação Educativa Evangélica UniEvangélica Curso de Engenharia Civil Professora Moema Castro, MSc. Associação Educativa Evangélica UniEvangélica Curso de Engenharia Civil Professora Moema Castro, MSc. M A T E R I A I S D E C O N S T R U Ç Ã O C I V I L I I AGREGADOS ARGAMASSA A n á p o l i s, 2 0 1

Leia mais

ANÁLISE EXPERIMENTAL DA RESISTÊNCIA DE ADERÊNCIA À TRAÇÃO EM REVESTIMENTOS ARGAMASSADOS

ANÁLISE EXPERIMENTAL DA RESISTÊNCIA DE ADERÊNCIA À TRAÇÃO EM REVESTIMENTOS ARGAMASSADOS ANÁLISE EXPERIMENTAL DA RESISTÊNCIA DE ADERÊNCIA À TRAÇÃO EM REVESTIMENTOS ARGAMASSADOS RESUMO Lucas Borsatto Schmitz (1), Jakson Fábio Bitencourt Araújo (2) UNESC Universidade do Extremo Sul Catarinense

Leia mais

FQ-PD-05 FICHA TÉCNICA. Rev.: 02 Pág.: 1/5. Criado: 11/08/2016. Atualizado: 03/04/ PRODUTO: Arga Cozinhas e Banheiros

FQ-PD-05 FICHA TÉCNICA. Rev.: 02 Pág.: 1/5. Criado: 11/08/2016. Atualizado: 03/04/ PRODUTO: Arga Cozinhas e Banheiros Rev.: 02 Pág.: 1/5 1. PRODUTO: Arga Cozinhas e Banheiros 2. DESCRIÇÃO: A Arga Cozinhas e Banheiros é uma argamassa colante especial para assentamento de placas cerâmicas em áreas internas, com ação hidro-repelente

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Mestrado Acadêmico Aderência à base Deficiência de Aderência Características do Substrato Dosagem da Argamassa Técnica de Execução Argamassa 2 Ok Ok Ok Ok 2 Subidas

Leia mais

Revestimentos de Argamassa. Tecnologia de Argamassa P R O M O Ç Ã O

Revestimentos de Argamassa. Tecnologia de Argamassa P R O M O Ç Ã O Revestimentos de Argamassa Tecnologia de Argamassa P R O M O Ç Ã O TECNOLOGIA DA ARGAMASSA Conceitos Sistema de Revestimento de Argamassa Desempenho do sistema Materiais Constituintes Dosagem Escolha do

Leia mais

Sumário. 1 Concreto como um Material Estrutural 1. 2 Cimento 8

Sumário. 1 Concreto como um Material Estrutural 1. 2 Cimento 8 Sumário 1 Concreto como um Material Estrutural 1 O que é o concreto? 2 O bom concreto 3 Materiais compósitos 4 Papel das interfaces 5 Forma de abordagem do estudo do concreto 6 2 Cimento 8 Produção do

Leia mais

Aditivos para argamassas e concretos

Aditivos para argamassas e concretos Histórico Aditivos para argamassas e concretos Romanos e incas: albumina (sangue e clara de ovos); álcalis (cal); Brasil: óleo de baleia; gesso cru e cloreto de cálcio; Alemanha e França: graxa de cal.

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS II PATOLOGIAS EM REVESTIMENTOS DE ARGAMASSA

CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS II PATOLOGIAS EM REVESTIMENTOS DE ARGAMASSA PATOLOGIAS EM REVESTIMENTOS DE ARGAMASSA AS FISSURAS NOS REVESTIMENTOS RESPONDEM EM MÉDIA POR 15% DOS CHAMADOS PARA ATENDIMENTO PÓS-OBRA DENTRO DO PRAZO DE GARANTIA ORIGEM E INCIDÊNCIA DAS MANIFESTAÇÕES

Leia mais

aditivo para rejuntamento

aditivo para rejuntamento 01 Descrição: votomassa deve ser misturado ao votomassa flexível ou similar. Usado em substituição à água na mistura, o produto melhora a impermeabilidade e a resistência do, proporcionando um rejunte

Leia mais

Técnicas de construção. Vedações Verticais. Profa. Keila Bento

Técnicas de construção. Vedações Verticais. Profa. Keila Bento Técnicas de construção Vedações Verticais Profa. Keila Bento Vedações verticais Definição UM SUBSISTEMA DOS EDIFÍCIOS CONSTITUÍDO PELOS ELEMENTOS QUE: DEFINEM E LIMITAM VERTICALMENTE O EDIFÍCIO E SEUS

Leia mais

EXERCÍCIOS DE REVISÃO PARA A VF

EXERCÍCIOS DE REVISÃO PARA A VF a) Descreva a ruptura do concreto, relatando o seu comportamento quando submetido à tensões de compressão até 30% da ruptura, entre 30 e 50%, entre 50% e 75% e de 75% até o colapso. b) Defina cura do concreto,

Leia mais

TECNOLOGIA EM CONCRETOS ESPECIAIS

TECNOLOGIA EM CONCRETOS ESPECIAIS TECNOLOGIA EM CONCRETOS ESPECIAIS Renato Vitti Coordenador Técnico DTM.. Somos parte do Grupo Votorantim Um dos maiores grupos de negócios do Brasil VID - Votorantim Industrial VF - Votorantim Finanças

Leia mais

5. Limitações: A argamassa 1201 Matrix Assentamento de Vedação e Encunhamento não deve ser utilizada para assentamento de blocos silico-calcário.

5. Limitações: A argamassa 1201 Matrix Assentamento de Vedação e Encunhamento não deve ser utilizada para assentamento de blocos silico-calcário. 1. Descrição: A argamassa 1201 Matrix Assentamento de Vedação e Encunhamento é indicado para o assentamento de blocos para alvenaria de vedação e fixação de alvenarias (blocos de concreto, cerâmicos, e

Leia mais

Tecnologia da Construção Civil - I Revestimento. Roberto dos Santos Monteiro

Tecnologia da Construção Civil - I Revestimento. Roberto dos Santos Monteiro Tecnologia da Construção Civil - I Revestimento Reves%mento NBR 7200 - Execução de revestimento de paredes e tetos de argamassas inorgânicas Procedimento. Esta Norma fixa o procedimento de execução de

Leia mais

FQ-PD-05 FICHA TÉCNICA. Rev.: 02 Pág.: 1/5. Criado: 11/08/2016. Atualizado: 03/04/ PRODUTO: Arga Flash Branco

FQ-PD-05 FICHA TÉCNICA. Rev.: 02 Pág.: 1/5. Criado: 11/08/2016. Atualizado: 03/04/ PRODUTO: Arga Flash Branco Rev.: 02 Pág.: 1/5 1. PRODUTO: Arga Flash Branco 2. DESCRIÇÃO: A Arga Flash Branco é uma argamassa colante de secagem rápida especial para assentamentos de piso sobre piso e azulejo sobre azulejo. É produzida

Leia mais

Universidade de Pernambuco Escola Politécnica de Pernambuco DISCIPLINA. Construção Civil II

Universidade de Pernambuco Escola Politécnica de Pernambuco DISCIPLINA. Construção Civil II Curso: Engenharia Civil Universidade de Pernambuco Escola Politécnica de Pernambuco DISCIPLINA Construção Civil II Aula 01 Vedações verticais Alvenaria de vedação e Gesso acartonado Prof. Dr. Alberto Casado

Leia mais

Aplicabilidade de argamassas de revestimento: avaliação empírica e comportamento reológico por squeeze-flow

Aplicabilidade de argamassas de revestimento: avaliação empírica e comportamento reológico por squeeze-flow Aplicabilidade de argamassas de revestimento: avaliação empírica e comportamento reológico por squeeze-flow Fábio L. Campora fabio.campora@abai.org.br Associação Brasileira de Argamassas Industrializadas

Leia mais

FQ-PD-05 FICHA TÉCNICA. Rev.: 02 Pág.: 1/5. Criado: 11/08/2016. Atualizado: 05/06/ PRODUTO: Multi Porcelanato Externo

FQ-PD-05 FICHA TÉCNICA. Rev.: 02 Pág.: 1/5. Criado: 11/08/2016. Atualizado: 05/06/ PRODUTO: Multi Porcelanato Externo Rev.: 02 Pág.: 1/5 1. PRODUTO: Multi Porcelanato Externo 2. DESCRIÇÃO: A Multi Porcelanato Externo é uma argamassa colante especial para assentamento de peças cerâmicas tipo porcelanato em áreas internas

Leia mais

rejuntamento flexível

rejuntamento flexível 01 Descrição: O votomassa é uma argamassa a base de cimento Portland indicado para rejuntar revestimentos cerâmicos, em pisos e paredes, com juntas de 2 a 10 mm em áreas internas e externas. 02 Classificação

Leia mais

Agregados para argamassas e concreto

Agregados para argamassas e concreto Agregados para argamassas e concreto Agregados Materiais em forma de grãos, geralmente inertes, sem tamanho e forma definidos, que têm por objetivo compor argamassas e concretos. Funções dos agregados:

Leia mais

CONCRETO. FMC Profª Bárbara Silvéria

CONCRETO. FMC Profª Bárbara Silvéria CONCRETO FMC Profª Bárbara Silvéria Concreto - conceito O concreto é um material de construção resultante da mistura de aglomerante, agregados e água, formando um bloco monolítico; Concreto conceito A

Leia mais

REVESTIMENTOS DE PAREDE

REVESTIMENTOS DE PAREDE REVESTIMENTOS DE PAREDE REVESTIMENTO DE PAREDES CHAPISCO EMBOÇO REBOCO CHAPISCO SUPERFÍCIE ÁSPERA ENTRE A ALVENARIA E O EMBOÇO ARGAMASSA DE CIMENTO E AREIA 1:3, CONSISTÊNCIA BEM PLÁSTICA COLHER DE PEDREIRO

Leia mais

Aditivos. Disciplina: Materiais de Construção Civil: Concreto. Curso: Engenharia Civil Período: Noturno Prof. Thiago Dias do Espírito Santo

Aditivos. Disciplina: Materiais de Construção Civil: Concreto. Curso: Engenharia Civil Período: Noturno Prof. Thiago Dias do Espírito Santo Unida Ensino 3: Aditivos Disciplina: Materiais Construção Civil: Concreto Curso: Engenharia Civil Período: Noturno 2016.2 Prof. Thiago Dias do Espírito Santo Definição e uso Produtos adicionados em pequenas

Leia mais

BIANCO é uma resina sintética, de alto desempenho, que proporciona excelente aderência das argamassas aos mais diversos substratos.

BIANCO é uma resina sintética, de alto desempenho, que proporciona excelente aderência das argamassas aos mais diversos substratos. BIANCO é uma resina sintética, de alto desempenho, que proporciona excelente aderência das argamassas aos mais diversos substratos. Confere maior plasticidade e, assim, maior resistência ao desgaste e

Leia mais

Prof. Msc. Jerônimo Cabral. Dra. Kay Loh Msc. Gilberto R. Cavani

Prof. Msc. Jerônimo Cabral. Dra. Kay Loh Msc. Gilberto R. Cavani Promoção Realização 21 a 25 de setembro de 2009 Hotel Maksoud Plaza São Paulo Anomalias em Fachadas de Edificações Dra. Kay Loh Msc. Gilberto R. Cavani Msc. Jerônimo Cabral P. Fagundes Neto Comunicados

Leia mais

Aula 03: Aplicação de argamassas colantes e suas Patologias

Aula 03: Aplicação de argamassas colantes e suas Patologias Engenharia Civil - 9 P. Manutenção e estudos de Patologias I Aula 03: Aplicação de argamassas colantes e suas Patologias Prof.: Engenheiro Civil ESP, William Torres Histórico das Argamassas No início,

Leia mais

TECNOLOGIA DE ARGAMASSAS (Parte II)

TECNOLOGIA DE ARGAMASSAS (Parte II) UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Departamento de Construção Civil TC 034 Materiais de Construção III TECNOLOGIA DE ARGAMASSAS (Parte II) Aulas: Prof a. Marienne R.M.Maron da Costa colaboração Prof.Eduardo

Leia mais

ARGAMASSA BELACOLA AC-II BRANCA

ARGAMASSA BELACOLA AC-II BRANCA 1. Descrição A Argamassa Belacola AC-II Branca é recomendada para o assentamento de peças cerâmicas em pisos e paredes de áreas internas e externas. Revestimentos de até 60x60 cm. S 2. Classificação A

Leia mais

REVESTIMENTOS. Curso Técnico em Edificações Disciplina: Técnicas de Construção Civil 3 Profª Nayra Y. Tsutsumoto

REVESTIMENTOS. Curso Técnico em Edificações Disciplina: Técnicas de Construção Civil 3 Profª Nayra Y. Tsutsumoto REVESTIMENTOS Curso Técnico em Edificações Disciplina: Técnicas de Construção Civil 3 Profª Nayra Y. Tsutsumoto REVESTIMENTOS O que é revestimento? Revestimentos mais comuns Argamassas Cerâmicos Pedra

Leia mais

Conheça os produtos industrializados existentes no mercado e veja dicas para compra, recebimento e armazenamento

Conheça os produtos industrializados existentes no mercado e veja dicas para compra, recebimento e armazenamento Argamassas de revestimento Conheça os produtos industrializados existentes no mercado e veja dicas para compra, recebimento e armazenamento Reportagem: Gisele C. Cichinelli As argamassas de revestimento

Leia mais

FQ-PD-05 FICHA TÉCNICA. Rev.: 02 Pág.: 1/5. Criado: 11/08/2016. Atualizado: 14/08/ PRODUTO: Arga Super Formatos e Pedras Especiais

FQ-PD-05 FICHA TÉCNICA. Rev.: 02 Pág.: 1/5. Criado: 11/08/2016. Atualizado: 14/08/ PRODUTO: Arga Super Formatos e Pedras Especiais Rev.: 02 Pág.: 1/5 1. PRODUTO: Arga Super Formatos e Pedras Especiais 2. DESCRIÇÃO: A Arga Super Formatos e Pedras Especiais é uma argamassa colante tipo ACIII D E para assentamentos especiais de placas

Leia mais

TECNOLOGIA DO CONCRETO CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO

TECNOLOGIA DO CONCRETO CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO CEULP/ULBRA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL TECNOLOGIA DO CONCRETO CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO Prof. Fábio Henrique de Melo Ribeiro, MSc. Eng. Civil e Eng. Seg. Trab. CAR X CAD CONCEITOS CAD - concreto de alto

Leia mais

Oque é? Conjunto estabelecido pela associação da tinta de acabamento a respectivas massas e fundos, através de ferramentas/utensílios específicos.

Oque é? Conjunto estabelecido pela associação da tinta de acabamento a respectivas massas e fundos, através de ferramentas/utensílios específicos. Sistemas de pintura Oque é? Conjunto estabelecido pela associação da tinta de acabamento a respectivas massas e fundos, através de ferramentas/utensílios específicos. Sua aplicação resulta em uma película

Leia mais

FQ-PD-05 FICHA TÉCNICA. Rev.: 02 Pág.: 1/5. Criado: 11/08/2016. Atualizado: 30/06/ PRODUTO: Rejunte Cerâmicas

FQ-PD-05 FICHA TÉCNICA. Rev.: 02 Pág.: 1/5. Criado: 11/08/2016. Atualizado: 30/06/ PRODUTO: Rejunte Cerâmicas Rev.: 02 Pág.: 1/5 1. PRODUTO: Rejunte Cerâmicas 2. DESCRIÇÃO: O Rejunte Cerâmicas é uma argamassa de rejuntamento Tipo I para placas cerâmicas, de fácil aplicação, excelente aderência e resistência mecânica.

Leia mais

FQ-PD-05 FICHA TÉCNICA. Rev.: 02 Pág.: 1/5. Criado: 11/08/2016. Atualizado: 02/10/ PRODUTO: Arga Super Formatos e Pedras Especiais

FQ-PD-05 FICHA TÉCNICA. Rev.: 02 Pág.: 1/5. Criado: 11/08/2016. Atualizado: 02/10/ PRODUTO: Arga Super Formatos e Pedras Especiais Rev.: 02 Pág.: 1/5 1. PRODUTO: Arga Super Formatos e Pedras Especiais 2. DESCRIÇÃO: A Arga Super Formatos e Pedras Especiais é uma argamassa colante tipo ACIII D E para assentamentos especiais de placas

Leia mais

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC ENSAIO

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC ENSAIO ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO Norma de Origem: NIT-DICLA-016 Folha: 1 Total de Folhas: 5 RAZÃO SOCIAL/DESIGNAÇÃO DO LABORATÓRIO INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS DO ESTADO DE SÃO

Leia mais

CONSTRUÇÃO CIVIL II ENG 2333 (2016/1)

CONSTRUÇÃO CIVIL II ENG 2333 (2016/1) ENG 2333 (2016/1) Aula 07 Revestimentos cerâmicos de paredes REVESTIMENTOS DE PAREDES Conjunto de camadas que recobre as vedações e a estrutura de um edifício com as funções de complementar as funções

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina CIV360 Materiais de Construção Civil I

Programa Analítico de Disciplina CIV360 Materiais de Construção Civil I Catálogo de Graduação 016 da UFV 0 Programa Analítico de Disciplina Departamento de Engenharia Civil - Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Número de créditos: 4 Teóricas Práticas Total Duração em

Leia mais

ARGAMASSAS E CONCRETOS ADITIVOS

ARGAMASSAS E CONCRETOS ADITIVOS ARGAMASSAS E CONCRETOS ADITIVOS CONCEITUAÇÃO Definição: São materiais adicionados ao concreto (que não sejam comento, água ou agregados) em quantidades inferiores a 5% da massa de cimento. CONCEITUAÇÃO

Leia mais

FQ-PD-05 FICHA TÉCNICA. Rev.: 02 Pág.: 1/5. Criado: 11/08/2016. Atualizado: 03/04/ PRODUTO: REVEST LISO Camada Fina.

FQ-PD-05 FICHA TÉCNICA. Rev.: 02 Pág.: 1/5. Criado: 11/08/2016. Atualizado: 03/04/ PRODUTO: REVEST LISO Camada Fina. Rev.: 02 Pág.: 1/5 1. PRODUTO: REVEST LISO Camada Fina. 2. DESCRIÇÃO: O REVESTLISO CAMADA FINA é uma argamassa branca, mineral, de alta resistência e aderência, para acabamento de paredes e tetos com camada

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL ESTUDO COMPARATIVO ENTRE AS ARGAMASSAS DE REVESTIMENTO EXTERNO: PREPARADA EM OBRA, INDUSTRIALIZADA FORNECIDA EM SACOS, E ESTABILIZADA

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Núcleo de Gestão de Atividades de Pesquisa INFORMAÇÕES GERAIS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Núcleo de Gestão de Atividades de Pesquisa INFORMAÇÕES GERAIS Título do projeto: Influência da temperatura da água de cura na resistência à compressão axial das argamassas estruturais Coordenador (a): Cleidson Carneiro Guimarães Vice-Coordenador (a): -- PPGCI: 1691

Leia mais

f xm - Resistência média das amostras f xk ALVENARIA ESTRUTURAL Blocos: Propriedades desejáveis : Resistência à compressão: MATERIAIS

f xm - Resistência média das amostras f xk ALVENARIA ESTRUTURAL Blocos: Propriedades desejáveis : Resistência à compressão: MATERIAIS Alvenaria Ministério Estruturalda Educação Universidade Federal do Paraná Setor de Tecnologia Construção Civil II ( TC-025) Blocos: Propriedades desejáveis : Resistência à compressão: Função da relação

Leia mais

multiuso COLA MUITO ficha técnica do produto

multiuso COLA MUITO ficha técnica do produto 01 DESCRIÇÃO: votomassa branca é uma argamassa que proporciona alta aderência e flexibilidade no assentamento de uma ampla variedade de revestimentos 02 CLASSIFICAÇÃO TÉCNICA: ANTES Colante Branca ACIII

Leia mais

FICHA TECNICA. Produto: ARGAMASSA MACX/FLEX ACIII BRANCA - MÁRMORES E GRANITOS

FICHA TECNICA. Produto: ARGAMASSA MACX/FLEX ACIII BRANCA - MÁRMORES E GRANITOS Página 1 de 6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Argamassa Macx/Flex ACIII Branca Mármores e Nome do produto: Granitos Nome da empresa: Endereço: Rebofort Indústria de Argamassas Ltda. R. Dr. Adalberto

Leia mais

BAUCRYL AC PLUS aditivação de argamassas colantes abril / 2006

BAUCRYL AC PLUS aditivação de argamassas colantes abril / 2006 BAUCRYL AC PLUS aditivação de argamassas colantes abril / 2006 POR QUE ADITIVAR ARGAMASSAS COLANTES? A utilização de argamassas colantes bi componentes é prática comum nos países da Europa, nos Estados

Leia mais

FICHA TECNICA. 3 INDICAÇÕES DE USO - Assentamento de pisos e revestimentos cerâmicos em pisos e paredes internas.

FICHA TECNICA. 3 INDICAÇÕES DE USO - Assentamento de pisos e revestimentos cerâmicos em pisos e paredes internas. Página 1 de 5 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Argamassa Macx/Cola interiores ACI Nome da empresa: Endereço: Rebofort Indústria de Argamassas Ltda. R. Dr. Adalberto F. de Paula

Leia mais

CONSTRUÇÃO CIVIL II ENG 2333 (2016/1)

CONSTRUÇÃO CIVIL II ENG 2333 (2016/1) ENG 2333 (2016/1) Aula 05 Revestimentos Argamassados de Paredes ARGAMASSA NBR 13281: Mistura homogênea de agregados miúdos, aglomerantes inorgânicos e água, contendo ou não aditivos químicos, com propriedades

Leia mais

ANÁLISE EXPERIMENTAL DE COMPATIBILIDADE DAS ARGAMASSAS DE REVESTIMENTO E ENCUNHAMENTO

ANÁLISE EXPERIMENTAL DE COMPATIBILIDADE DAS ARGAMASSAS DE REVESTIMENTO E ENCUNHAMENTO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL Carla Louise Henz ANÁLISE EXPERIMENTAL DE COMPATIBILIDADE DAS ARGAMASSAS DE REVESTIMENTO E ENCUNHAMENTO Porto

Leia mais

Revestimentos de Paredes com Placoplast

Revestimentos de Paredes com Placoplast PÁGINA 1/7 Revestimentos de Paredes com Placoplast Revestimento para construção civil é uma camada executada com um material específico, que permite proteger, cobrir e/ou decorar uma superfície (paredes,

Leia mais

Materiais constituintes do Concreto. Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira

Materiais constituintes do Concreto. Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira Materiais constituintes do Concreto Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira Aditivos para concreto Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira Fonte: Rubens Curti, ABCP www.basf-cc.com.br www.sika.com.br Cement Concrete& Aggregates

Leia mais

DOSAGEM DE CONCRETO. DOSAGEM é o proporcionamento adequado. e mais econômico dos materiais: Cimento Água Areia Britas Aditivos

DOSAGEM DE CONCRETO. DOSAGEM é o proporcionamento adequado. e mais econômico dos materiais: Cimento Água Areia Britas Aditivos DOSAGEM DE CONCRETO DEFINIÇÃO DOSAGEM é o proporcionamento adequado e mais econômico dos materiais: Cimento Água Areia Britas Aditivos 2 1 DOSAGEM Ingredientes Execução 3 MATERIAIS CONSTITUINTES ou a receita

Leia mais

Curso Superior em Tecnologia em Produção da Construção Civil. Materiais de Construção Civil. Prof. Marcos Alyssandro. Natal, 2013

Curso Superior em Tecnologia em Produção da Construção Civil. Materiais de Construção Civil. Prof. Marcos Alyssandro. Natal, 2013 Curso Superior em Tecnologia em Produção da Construção Civil Materiais de Construção Civil Prof. Marcos Alyssandro Natal, 2013 Conteúdos 1) Generalidades sobre materiais de construção; 2) Introdução à

Leia mais

O que são agregados? Agregados 2

O que são agregados? Agregados 2 AGREGADOS O que são agregados? Agregados 2 O que são agregados? Agregados 3 O que são agregados? Agregados 4 O que são agregados? ABNT NBR 9935/2005: Material sem forma ou volume definido, geralmente inerte,

Leia mais

MACO II PUC GO Professora Mayara Moraes

MACO II PUC GO Professora Mayara Moraes MACO II PUC GO Professora Mayara Moraes Argamassas NBR13281 Histórico 1º. registro de emprego na construção: Pré-História Piso polido de 180 m² feito com pedras e argamassa cal e areia: ~ 7000 a 9000

Leia mais

TECNOLOGIA DE ARGAMASSAS (Parte I)

TECNOLOGIA DE ARGAMASSAS (Parte I) UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Departamento de Construção Civil TC 034 Materiais de Construção III TECNOLOGIA DE ARGAMASSAS (Parte I) Aulas: Profa. Marienne R.M.Maron da Costa colaboração Prof.Eduardo

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO Nº Ensaios de caracterização e desempenho de argamassa para chapisco colante

RELATÓRIO TÉCNICO Nº Ensaios de caracterização e desempenho de argamassa para chapisco colante RELATÓRIO TÉCNICO Nº 113 595-205 Ensaios de caracterização e desempenho de argamassa para chapisco colante CENTRO DE TECNOLOGIA DE OBRAS DE INFRAESTRUTURA Laboratório de Materiais de Construção Civil Cliente:

Leia mais

FICHA TECNICA. - Revestimentos cerâmicos em fachadas de até 30x30cm e absorção de água de 0,5% a 6%;

FICHA TECNICA. - Revestimentos cerâmicos em fachadas de até 30x30cm e absorção de água de 0,5% a 6%; Página 1 de 5 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Nome da empresa: Endereço: Argamassa Macx/Flex ACIII Multiuso Rebofort Indústria de Argamassas Ltda. R. Dr. Adalberto F. de Paula

Leia mais

FICHA TECNICA. 3 INDICAÇÕES DE USO - Assentamento de pisos e revestimentos cerâmicos em áreas externas e/ou internas especiais.

FICHA TECNICA. 3 INDICAÇÕES DE USO - Assentamento de pisos e revestimentos cerâmicos em áreas externas e/ou internas especiais. Página 1 de 5 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Nome da empresa: Endereço: Argamassa Macx/Cola Plus Exteriores ACII Rebofort Indústria de Argamassas Ltda. R. Dr. Adalberto F. de

Leia mais

MONOCOLOR CHICAGO>MARSALA DESIGN DA TRANSFORMAÇÃO. Código 185

MONOCOLOR CHICAGO>MARSALA DESIGN DA TRANSFORMAÇÃO. Código 185 DESIGN DA TRANSFORMAÇÃO FICHA TÉCNICA MONOCOLOR CHICAGO>MARSALA Código 185 Marsala, famoso vinho tinto italiano é o nome dado ao produto inspirado na agitada vida noturna da cidade de Chicago. A cidade

Leia mais

Eduardo Pereira(A), Lucas Peres de Souza(A), Isac José da Siva(B), Marienne do R. M. M. da Costa(A)

Eduardo Pereira(A), Lucas Peres de Souza(A), Isac José da Siva(B), Marienne do R. M. M. da Costa(A) Influência do comportamento reológico de argamassas colantes na resistência de aderência de placas cerâmicas assentadas sobre revestimentos cerâmicos antigos Eduardo Pereira(A), Lucas Peres de Souza(A),

Leia mais