PROFMAT - UNIRIO COORDENADOR GLADSON ANTUNES ALUNO JOÃO CARLOS CATALDO ANÁLISE COMBINATÓRIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROFMAT - UNIRIO COORDENADOR GLADSON ANTUNES ALUNO JOÃO CARLOS CATALDO ANÁLISE COMBINATÓRIA"

Transcrição

1 PROFMAT - UNIRIO COORDENADOR GLADSON ANTUNES ALUNO JOÃO CARLOS CATALDO ANÁLISE COMBINATÓRIA Questão 1: Entre duas cidades A e B existem três empresas de avião e cinco de ônibus. Uma pessoa precisa fazer a viagem de ida e volta. Ela vai de avião e deve voltar em outra qualquer dessas empresas, de avião ou de ônibus. Calcule o número total de pares de empresas que podem ser escolhidas. Suponha que as empresas de ônibus sejam 0 1 ; 0 2 ; 0 3 ; 0 4 ; 0 5 e as de aviação A 1 ; A 2 ; A 3. Se a pessoa escolhe a empresa A 1 para ir, poderá voltar então por qualquer outra de avião (A 2 e A 3 ) ou de ônibus (0 1 ; 0 2 ; 0 3 ; 0 4 ; 0 5 ) tendo neste caso, escolhas diferentes. Se escolher A 2 para ir, igualmente terá escolhas para a voltar (A 1, A 3, 0 1, 0 2, 0 3, 0 4, 0 5 ). Como para ida pode ser escolhida qualquer empresa de aviação, temos opções; para cada uma delas, a volta pode ser feita de modos. Portanto, o número total de pares de empresas que ele tem disponível é: x = Atenção! O problema anterior ilustra um princípio fundamental da Análise Combinatória, que é conhecido por Princípio da Multiplicação. Consideremos um acontecimento formado por 2 etapas sucessivas. Suponhamos que a 1ª etapa possa ocorrer de p modos distintos e que, para cada resultado da 1ª, a 2ª etapa possa ocorrer de q modos distintos. Então o acontecimento pode ocorrer de modos distintos. Questão 2: Considere os algarismos 0,1,2,3,4. Usando apenas esses algarismos calcule: a) a quantidade de números inteiros de 4 algarismos distintos que podemos formar. b) a quantidade de números pares de 4 algarismos diferentes que podemos escrever. (a) Observe que na ordem das unidades de milhar o zero não pode ser utilizado pois 0267 é considerado um número de três algarismos. Assim temos: ordem das unidades de milhares: escolhas. ordem das centenas simples: escolhas. ordem das dezenas simples: escolhas. ordem das unidades simples: escolhas. Esquematizando: Um Cs Ds Us 1

2 Logo, pelo princípio multiplicativo temos números. Outra solução: Podemos calcular a quantidade números com ou sem o zero nas unidades de milhares e, em seguida, subtrair aqueles que começam por zero. Esquematizando: 1º) com ou sem o zero na unidade de milhares: Um Cs Ds Us 2º) com o zero na unidade de milhares: Um Cs Ds Us Assim, o total de números inteiros com 4 algarismos distintos é: (b) solução: Dividiremos o problema em duas etapas: 1º) Números com algarismos das unidades zero. unidade de milhar: escolhas centenas simples: escolhas dezenas simples: escolhas Esquematicamente: Um Cs Ds 0 Total 1: 2º) Números com algarismos das unidades diferentes de zero. unidades simples: escolhas (só ou ) unidades de milhar: escolhas centenas simples: escolhas dezenas simples: escolhas Esquematicamente: Um Cs Ds Us Total 2 : Total Geral: Atenção! O problema anterior ilustra outro princípio fundamental da Análise Combinatória, que é conhecido por Princípio Aditivo. Considere dois conjuntos disjuntos A e B, isto é, conjuntos cuja interseção é vazia. O número de elementos de A B é igual à soma do número de elementos de A com o número de elementos de B. Que relação existe se a interseção não é vazia? 2

3 Questão 3: Quatro pessoas vão entrar em fila. Quantas filas diferentes podem ser formadas? Devemos formar a fila sem repetir uma pessoa em duas posições diferentes da fila. 1ª posição escolhas 2ª posição escolhas 3ª posição escolhas 4ª posição escolhas Logo, pelo princípio multiplicativo, o número de filas é. Atenção! Cada fila formada por n elementos, escolhidos em um conjunto que possui n elementos, será chamada de permutação simples desses n elementos. Conforme o problema anterior, o número de permutações simples de n objetos é igual a: P n = n!, ou seja, P n = n.(n 1).(n 2).(n 3) Questão 4: Marta, Nicole e João podem escolher entre cinco bebidas: café, mate, guaraná, laranjada ou limonada. Se cada um vai escolher apenas uma bebida, calcule o número total de resultados possíveis das três escolhas dessas pessoas: a) sem mais restrições; b) considerando as três bebidas diferentes. (a) solução: 1º para bebida de Marta escolhas 2º para bebida de Nicole escolhas 3º para bebida de João escolhas Esquematizando 1º 2º 3º Logo, pelo princípio multiplicativo, o número de resultado dessas escolhas é:. (b) solução: 1º para bebida de Marta escolhas 2º para bebida de Nicole escolhas 3º para bebida de João escolhas Esquematizando 1º 2º 3º Logo, pelo princípio multiplicativo, o número de resultado dessas escolhas é:. Atenção! Até agora calculamos o número de grupos que são ordenados, isto é, os elementos que formam cada grupo tem uma ordem estabelecida. Vamos chamar esses grupos de listas ou sequências. Por exemplo: no item (b) do problema anterior, a lista (café, mate, laranjada) é diferente de (mate, café, laranjada) porque na primeira a Marta 3

4 escolhe café enquanto na segunda a opção dela é mate. No próximo problema vamos calcular o número de grupos não ordenados. Questão 5: Considere o conjunto M { a, b, c, d, e} = de 5 elementos distintos. Calcule o número de subconjuntos de M que podemos formar com apenas 2 elementos. _; _ Cada subconjunto tem a forma: { } De quantos modos podemos escolher dois elementos de M para ocupar os dois espaços? 1º espaço escolhas 2º espaço escolhas pois não podemos repetir elemento Esquematizando {_; _} Pelo princípio multiplicativo, temos modos de preencher, porém, nesse cálculo há repetições, isto é, estamos contando o mesmo subconjunto duas vezes. ab ; = ba ; ; logo, esses grupos de dois elementos não são ordenados. Observe que { } { } Como cada subconjunto foi contado duas vezes, é preciso dividir por dois. Portanto, o número de subconjuntos é. Questão 6: Considere um sorteio de 3 pessoas em um grupo de 6. Cada uma dentre as sorteadas vai receber uma caneta. Se as canetas são iguais, calcule o número de resultados diferentes dessa premiação. Para premiação devemos escolher três pessoas nesse conjunto de seis. É claro que não pode haver, nessa escolha, repetições, então temos: 1ª pessoa escolhas 2ª pessoa escolhas 3ª pessoa escolhas Esquematizando 1ª 2ª 3ª Pelo princípio multiplicativo, temos modos de escolher as três pessoas. Porém, nessa escolha, há grupos de pessoas repetidos. Observe que fixando três pessoas A, B e C podemos escrever os grupos ABC = ACB = BCA = BAC = CBA = CAB que correspondem a mesma premiação e são as permutações simples de 3 elementos. Isto significa que, usando o princípio multiplicativo, cada grupo premiado é contado P 3 = vezes. Portanto, é preciso dividir por 3! = 6. Logo o número de triângulos é. 4

5 Questão 7: De uma urna com 7 bolas de cores distintas, retiram-se um grupo de 4 bolas. Dois grupos são considerados diferentes quando têm ao menos uma cor diferente. Calcule o número total de extrações distintas que podemos obter. Considere que as cores são A, B, C, D, E, F e G. Temos que formar grupos de 4 elementos escolhidos entre esses sete. Note que cada grupo é um subconjunto do conjunto de bolas, porque a ordem das cores não altera o grupo. 1ª bola escolhas 2ª bola escolhas 3ª bola escolhas 4ª bola escolhas Esquematizando 1ª 2ª 3ª 4ª Pelo princípio multiplicativo, temos grupos de 4 bolas. Porém, note que as extrações ABCD e DCBA que têm apenas ordens diferentes, constituem a mesma retirada, isto é, a ordem não importa. Dessa forma, usando o princípio multiplicativo, estamos contando o mesmo grupo extraído, tantas vezes quantos são as permutações simples de 4 elementos: P 4 = ; assim, temos que dividir por. Logo, o número de extrações das 4 bolas dessa urna é:. Atenção! O número de grupos ordenados de p elementos escolhidos em um conjunto de n elementos corresponde ao número de subconjuntos de p elementos extraídos de um conjunto com n elementos. Cada subconjunto será chamado de combinação simples de n elementos tomados p a p. Esse número de combinações simples será indicado por: C!!. Conforme os problemas anteriores C! n. n 1. n 2 (n p + 1)! = p! Multiplicando-se o numerador e o denominador por n p! obtemos o seguinte resultado C! n!! = p! n p! Com isso podemos concluir que C!! = C!!!!. Questão 8: Quantos são os subconjuntos de um conjunto com 7 elementos? Este problema pode ser resolvido diretamente pelo princípio multiplicativo. Basta perceber que qualquer dos 7 elementos pode ou não pertencer ao subconjunto; assim, temos sempre 2 escolhas para cada elemento: 5

6 Esquematizando {,,,,,, } Pelo principio multiplicativo, o número de subconjuntos é:. Outra solução: O número de subconjuntos é igual ao número de combinações simples, então: - Subconjuntos com 0 elementos (conjunto vazio ) C = 1 - Subconjuntos com 1 elemento C 7 = - Subconjuntos com 2 elementos - Subconjuntos com 3 elementos - Subconjuntos com 4 elementos - Subconjuntos com 5 elementos - Subconjuntos com 6 elementos - Subconjunto com 7 elementos 0 7 Total : C + c + C + C + C + C + c + c = subconjuntos Atenção! O número total de subconjuntos de um conjunto de m elementos distintos é 2!. Questão 9: Numa embaixada trabalham oito brasileiros e seis estrangeiros. Quantas comissões de cinco funcionários podem ser escolhidas, de modo que cada uma seja formada por três brasileiros e dois estrangeiros? A formação de comissões nas condições pedidas, pode ser desmembrada em 2 etapas: 1ªetapa: escolha de 3 brasileiros. 2ªetapa: escolha de 2 estrangeiros. Ora, cada escolha de 3 brasileiros corresponde a um grupo não ordenado de 3 elementos distintos, obtidos dos oito brasileiros existentes, isto é, cada escolha de 3 brasileiros corresponde a uma combinação simples dos 8 brasileiros, 3 a 3. Assim, o número de escolhas dos 3 brasileiros é igual ao número de combinações simples de 8 elementos, 3 a 3. Raciocínio análogo se aplica à escolha dos 2 estrangeiros. Esquematizando 1ª etapa: escolhas 2ª etapa: escolhas. Como para cada subconjunto de três brasileiros escolhidos há sempre o mesmo número de escolhas dos dois estrangeiros, obtemos, pelo princípio multiplicativo, o n o de comissões igual a: =. 6

7 Questão 10: Uma urna contém 12 bolas idênticas, das quais 7 são pretas e 5 brancas. De quantos modos podemos tirar 5 bolas da urna, das quais pelo menos 3 são brancas? Devemos retirar 3, 4 ou 5 bolas brancas. Usando o raciocínio do problema anterior temos as seguintes possibilidades de retiradas: _3_ brancas e _2_ pretas escolhas, _4_ brancas e pretas escolhas ou brancas e pretas escolhas. Logo, o número total de modos e tirar, nessas condições, as 5 bolas é. Questão 11 Em um congresso de professores há 5 professores de Física e 5 de matemática. Quantas comissões de 3 professores podem ser formadas: a) sem restrições? b) havendo pelo menos um professor de matemática? a) b) Para se obter as comissões em que há pelo menos um professor de matemática, basta subtrair do total de comissões (item a) aquelas em que não há professores de matemática; assim, temos: pelo menos um professor de matemática Questão 12: Dispomos de 10 pontos dos quais 6 são colineares e pertencem a reta r. Considere que três desses pontos são colineares apenas se estão em r. Calcule o número máximo de triângulos que podemos formar com os vértices nesses pontos. Podemos imaginar, inicialmente, que para cada 3 pontos escolhidos poderemos construir um triângulo. Dessa forma teríamos: triângulos. Mas é fácil observar que se os 3 pontos escolhidos estiverem sobre a reta r, não estaremos formando triângulo algum. Logo, devemos subtrair deste total, o número de combinações dos 6 pontos da reta r, tomados 3 a 3. Portanto, o número de triângulos é igual a: - = Questão 13: Uma empresa distribui, para cada candidato a emprego, um questionário com três perguntas. Na primeira o candidato deve declarar sua escolaridade escolhendo uma entre cinco alternativas. Na segunda deve escolher, com ordem de preferências, três das seis filiais onde gostaria de trabalhar. Na última, deve escolher os dois dias da semana em que quer folgar. Quantos questionários, com conjuntos diferentes de respostas, o examinador pode encontrar? 7

8 Questão 14: Quantos são os números de 3 algarismos em que figura o algarismo 1? Questão 15: João que trabalha de 2ª a 6ª feira, pode ir para o trabalho e dele regressar de ônibus, de trem ou no seu próprio carro. É claro que quando vai de carro, ele obrigatoriamente volta nele também. Para programar os meios de transportes que usará na próxima semana, com quantas opções João poderá contar? Questão 16: Jogar em uma loteria consiste em escolher de 6 até 10 entre 50 números. O apostador leva o prêmio, se todos os seis números sorteados estiverem entre as suas escolhas. Um jogo simples corresponde à escolha de apenas 6 números. João escolheu 10 números, o que corresponde a vários jogos simples, pagando R$ 525,00. Calcule o valor correspondente de cada aposta simples. Questão 17: Um cartão de Loteria Esportiva tem 13 jogos e cada jogo pode dar os seguintes resultados: vitória do 1º time, empate ou vitória do 2º. Quando o apostador marca dois ou três possíveis resultados para um mesmo jogo dizemos que foi feita uma aposta dupla ou tripla, dizemos ainda que ele teve um palpite duplo ou triplo, respectivamente. Calcule o número total de cartões distintos que podem ser preenchidos com a) todas as apostas simples; b) apenas um palpite duplo; c) com exatamente três palpites duplos e dois triplos. Questão 18: Um carro de montanha russa é formado por 3 bancos de dois lugares cada. Considerando apenas as posições relativas entre as pessoas, de quantos modos três rapazes e três moças podem ocupar este carro de modo que em cada banco fique um rapaz e uma moça? Questão 19: Francisco pegou em seu laboratório frascos com oito compostos químicos distintos, etiquetados com números de 1 a 8. Ele sabe que os compostos 2 e 4, quando misturados, explodem. De quantas maneiras ele pode misturar três compostos, de maneira que não ocorra explosão? Questão 20: Um experimento consiste em lançar uma moeda 6 vezes. Considera-se um resultado desse experimento à sequência das faces obtidas no 1º, 2º, 3º, 4º, 5º e 6º lançamento, respectivamente. Calcule o número de resultados possíveis desse experimento apresentando 4 caras e 2 coroas. Questão 21: Uma fila única vai ser formada por um grupo com dez clientes de um banco. Cinco mulheres desse grupo vão ficar juntas, isto é, em posições consecutivas. Calcule o número de modos de posicionar as 10 pessoas nessa fila. 8

9 Questão 22: Calcule o total de números formados com algarismos distintos maiores que 5000 e menores que 9000 e que são divisíveis por 5. Vamos separar dois casos: 1º) o número termina em zero: 5000 < 0_ < 9000 Para o algarismo das unidades de milhar há escolhas (5, 6, 7, ou 8). Para o das centenas simples há escolhas ( qualquer algarismo exceto 0 e o já escolhido). Para as dezenas simples há escolhas. Pelo princípio multiplicativo temos: = números. 2º) o número termina em 5: 5000 < 5_ < 9000 Para o algarismo das unidades de milhar há escolhas (6, 7, ou 8). Para o das centenas simples há escolhas ( qualquer algarismo exceto 5 e o já escolhido). Para as dezenas simples há escolhas. Pelo princípio multiplicativo temos: = números. O total de números é: + = Questão 23: Calcular a soma de todos os números de 5 algarismos distintos formados com os algarismos 1, 3, 5, 7 e 9. O número de parcelas é igual ao número de permutações de 5 algarismos: P 5 =. Escrevendo em coluna todos os números para soma-los: Temos 5 colunas de algarismos e em qualquer coluna, cada algarismo aparece tantas vezes quanto são as permutações dos outros 4, isto é, ; Isso significa que a soma dos algarismos em cada coluna é: ( ) + ( ) ( ) = 24.( ) = vezes 24 vezes 24 vezes A soma das colunas em cada ordem corresponde aos seguintes valores: - coluna das unidades simples coluna das dezenas simples coluna das centenas simples Total = - coluna das unidades de milhar - coluna das dezenas de milhar 9

10 Outra solução Observe que em particular, nesse problema, os algarismos estão em P.A. (1, 3, 5, 7, 9) de modo que = = 5 + 5, então pode-se sempre arrumar duas permutações do seguinte modo: Isto significa que a soma de duas permutações convenientemente escolhidas é sempre a mesma. Então a soma de todas as permutações é: Questão 24: Um tabuleiro especial de xadrez possui 16 casas dispostas em 4 linhas e 4 colunas. Um jogador deseja colocar 4 peças iguais no tabuleiro, de tal forma que, em cada linha e cada coluna, seja colocada apenas uma peça. De quantas maneiras as quatro peças poderão ser colocadas? Questão 25: Um conjunto tem 8 pessoas, das quais vamos escolher - um grupo de 4. Calcule o número total de grupos diferentes que podemos escolher. - dois grupos de 4. Calcule o número total de pares diferentes de grupos que podemos escolher. Questão 26: Um grupo de oito amigos vai acampar. Para isto, levarão duas barracas de três lugares e uma barraca de dois lugares. Quantas distribuições diferentes dos amigos podem ser organizadas para ocupar as barracas? Questão 27: De quantos modos podemos decompor 12 objetos distintos em três grupos de quatro objetos? Questão 28: De quantos modos pode-se organizar a tabela da 1ª rodada de um campeonato de futebol com apenas 8 clubes, que vão jogar domingo? Questão 29: Sete bolas iguais devem ser colocadas em 3 caixas diferentes sem que nenhuma caixa fique vazia. A figura abaixo ilustra uma dessas possíveis arrumações. Calcule o número total de resultados possíveis dessas arrumações. Questão 30: Em um plano, 6 retas paralelas são cortadas por 5 retas também paralelas. Determine o número de paralelogramos, cujos lados estão contidos nessas retas. 10

11 Questão 31: Cem mil candidatos compareceram a uma prova do vestibular, que tinha 25 questões de múltipla escolha com 5 alternativas por questão. Considere a afirmação pelo menos 2 candidatos responderam de modo idêntico as k primeiras questões da prova. Qual é o maior valor de k para o qual podemos garantir que a afirmação acima é verdadeira? (Considere log 5 = 0,70) Para a primeira questão, há 5 opções de resposta. Para cada uma dessas 5, a segunda questão também apresentará 5 opções e assim por diante. Utilizando o princípio multiplicativo, vemos que há (k fatores iguais a 5), logo são 5 k modos de responder k questões. Para haver, com certeza, pelo menos 2 pessoas com as mesmas respostas, é necessário que haja no mínimo (5 k +1) pessoas fazendo a prova. Portanto, 5 k k < log 5 k < log k.log 5 < 5 k < k < k < 7,142 log 5 0,70 Como o número de questões é inteiro, o maior k que satisfaz a condição acima é k = 7. Questão 32: Suponha que todos os anagramas da palavra ROLHA tenham sido colocados em ordem alfabética. Nessa sequência, qual é a posição da palavra OLHAR? Palavras que começam com A _A há palavras. - Palavras que começam com H _H há palavras. - Palavras que começam com L _L há palavras. - Palavras que começam com O _O há escolhas para 2ª letra (A ou H) e 3! = 6 modos de escolher as outras. Logo há palavras. - Palavras que começam com OL _O L há 1 escolha para 3ª letra (A) e 2! = 2 modos de escolher as outras. Logo há 2 6 = 12 palavras. - Palavras que começam com OLH _O L H há 1 escolha para as outras duas letras (AR). Portanto, o número de palavras até OLHAR é igual a = 87, então a palavra olhar é a 87ª; Questão 33: Deseja-se transmitir sinais luminosos de um farol, representado pela figura abaixo. Em cada um dois seis pontos de luz do farol existem uma lâmpada branca e uma vermelha. Sabe-se que em cada ponto de luz não pode haver mais que uma lâmpada acesa e que pelo menos três pontos de luz devem ficar iluminados. Determine o número total de configurações que podem ser obtidas. 11

12 Questão 34: Cada uma de dez crianças vai receber um presente. Os presentes são diferentes e foram colocados em fila. A regra é que depois da primeira criança pegar seu presente, as seguintes só podem escolher aquele que está ao lado de um que já foi retirado. Calcule o número total de modos de ocorrer essa premiação. Respostas ) C 7 ; 14) 252; 15) 5 ; 16) C apostas simples e cada uma custa R$ 2, ) a) 3, b) 13 3, c) C13 3 C ; 18) 288; 19) 56 6 = 50; 2 6! 20) C 6 = ; 4!2! 21) 5! 6!; 22) = 392 ; 23) ; 24) = 576 ; 4 4 C8 25) C8 e ) C C C ! C C C 27) 3! C8 C6 C4 C2 28) = 105 4! )C ; 30) C C = 150; ) C 2 + C 2 + C 2 + C 2 = )

Análise Combinatória. Prof. Thiago Figueiredo

Análise Combinatória. Prof. Thiago Figueiredo Análise Combinatória Prof. Thiago Figueiredo (Escola Naval) Um tapete de 8 faixas deve ser pintado com cores azul, preta e branca. A quantidade de maneiras que podemos pintar esse tapete de modo que as

Leia mais

Projeto Rumo ao ITA Exercícios estilo IME

Projeto Rumo ao ITA Exercícios estilo IME Exercícios estilo IME PROGRAMA IME ESPECIAL ANÁLISE COMBINATÓRIA PROF. PAULO ROBERTO 01. Em um baile há seis rapazes e dez moças. Quantos pares podem ser formados para a dança: a) sem restrição; b) se

Leia mais

Teoria das Probabilidades

Teoria das Probabilidades Teoria das Probabilidades Qual a probabilidade de eu passar no vestibular? Leandro Augusto Ferreira Centro de Divulgação Científica e Cultural Universidade de São Paulo São Carlos - Abril / 2009 Sumário

Leia mais

INSTITUTO DE APLICAÇÃO FERNANDO RODRIGUES DA SILVEIRA (CAp/UERJ) MATEMÁTICA ENSINO MÉDIO - PROF. ILYDIO SÁ CÁLCULO DE PROBABILIDADES PARTE 1

INSTITUTO DE APLICAÇÃO FERNANDO RODRIGUES DA SILVEIRA (CAp/UERJ) MATEMÁTICA ENSINO MÉDIO - PROF. ILYDIO SÁ CÁLCULO DE PROBABILIDADES PARTE 1 1 INSTITUTO DE APLICAÇÃO FERNANDO RODRIGUES DA SILVEIRA (CAp/UERJ) MATEMÁTICA ENSINO MÉDIO - PROF. ILYDIO SÁ CÁLCULO DE PROBABILIDADES PARTE 1 1. Origem histórica É possível quantificar o acaso? Para iniciar,

Leia mais

Revisão de combinatória

Revisão de combinatória A UA UL LA Revisão de combinatória Introdução Nesta aula, vamos misturar os vários conceitos aprendidos em análise combinatória. Desde o princípio multiplicativo até os vários tipos de permutações e combinações.

Leia mais

C Curso destinado à preparação para Concursos Públicos e Aprimoramento Profissional via INTERNET www.concursosecursos.com.br RACIOCÍNIO LÓGICO AULA 7

C Curso destinado à preparação para Concursos Públicos e Aprimoramento Profissional via INTERNET www.concursosecursos.com.br RACIOCÍNIO LÓGICO AULA 7 RACIOCÍNIO LÓGICO AULA 7 TEORIA DAS PROBABILIDADES Vamos considerar os seguintes experimentos: Um corpo de massa m, definida sendo arrastado horizontalmente por uma força qualquer, em um espaço definido.

Leia mais

AV2 - MA 12-2012. (a) De quantos modos diferentes posso empilhá-los de modo que todos os CDs de rock fiquem juntos?

AV2 - MA 12-2012. (a) De quantos modos diferentes posso empilhá-los de modo que todos os CDs de rock fiquem juntos? Questão 1. Num porta-cds, cabem 10 CDs colocados um sobre o outro, formando uma pilha vertical. Tenho 3 CDs de MPB, 5 de rock e 2 de música clássica. (a) De quantos modos diferentes posso empilhá-los de

Leia mais

Módulo VIII. Probabilidade: Espaço Amostral e Evento

Módulo VIII. Probabilidade: Espaço Amostral e Evento 1 Módulo VIII Probabilidade: Espaço Amostral e Evento Suponha que em uma urna existam cinco bolas vermelhas e uma branca. Extraindo-se, ao acaso, uma das bolas, é mais provável que esta seja vermelha.

Leia mais

Este material traz a teoria necessária à resolução das questões propostas.

Este material traz a teoria necessária à resolução das questões propostas. Inclui Teoria e Questões Inteiramente Resolvidas dos assuntos: Contagem: princípio aditivo e multiplicativo. Arranjo. Permutação. Combinação simples e com repetição. Lógica sentencial, de primeira ordem

Leia mais

Professor Mauricio Lutz PROBABILIDADE

Professor Mauricio Lutz PROBABILIDADE PROBABILIDADE Todas as vezes que se estudam fenômenos de observação, cumpre-se distinguir o próprio fenômeno e o modelo matemático (determinístico ou probabilístico) que melhor o explique. Os fenômenos

Leia mais

Disciplina: Matemática Data da entrega: 18/04/2015.

Disciplina: Matemática Data da entrega: 18/04/2015. Lista de Exercícios - 02 Aluno (a): Nº. Professor: Flávio Turma: 2ª série (ensino médio) Disciplina: Matemática Data da entrega: 18/04/2015. Observação: A lista deverá apresentar capa, enunciados e as

Leia mais

MAT 461 Tópicos de Matemática II Aula 3: Resumo de Probabilidade

MAT 461 Tópicos de Matemática II Aula 3: Resumo de Probabilidade MAT 461 Tópicos de Matemática II Aula 3: Resumo de Probabilidade Edson de Faria Departamento de Matemática IME-USP 19 de Agosto, 2013 Probabilidade: uma Introdução / Aula 3 1 Probabilidade Discreta: Exemplos

Leia mais

Contagem (2) Anjolina Grisi de Oliveira. 2007.1 / CIn-UFPE. Centro de Informática Universidade Federal de Pernambuco

Contagem (2) Anjolina Grisi de Oliveira. 2007.1 / CIn-UFPE. Centro de Informática Universidade Federal de Pernambuco 1 / 24 Contagem (2) Anjolina Grisi de Oliveira Centro de Informática Universidade Federal de Pernambuco 2007.1 / CIn-UFPE 2 / 24 O princípio da multiplicação de outra forma O princípio da multiplicação

Leia mais

QUESTÃO 1 ALTERNATIVA B

QUESTÃO 1 ALTERNATIVA B 1 QUESTÃO 1 Marcos tem 10 0,25 = 2,50 reais em moedas de 25 centavos. Logo ele tem 4,30 2,50 = 1,80 reais em moedas de 10 centavos, ou seja, ele tem 1,80 0,10 = 18 moedas de 10 centavos. Outra maneira

Leia mais

Módulo 1 Combinações Completas

Módulo 1 Combinações Completas Professor: Rômulo Garcia Email: machadogarcia@gmail.com Conteúdo Programático: Análise Combinatória - Outros Métodos de Contagem Material exclusivo para preparação do vestibular para o IME Módulo 1 Combinações

Leia mais

Matemática. Atividades. complementares. 9-º ano. Este material é um complemento da obra Matemática 9. uso escolar. Venda proibida.

Matemática. Atividades. complementares. 9-º ano. Este material é um complemento da obra Matemática 9. uso escolar. Venda proibida. 9 ENSINO 9-º ano Matemática FUNDAMENTAL Atividades complementares Este material é um complemento da obra Matemática 9 Para Viver Juntos. Reprodução permitida somente para uso escolar. Venda proibida. Samuel

Leia mais

Simulado OBM Nível 2

Simulado OBM Nível 2 Simulado OBM Nível 2 Gabarito Comentado Questão 1. Quantos são os números inteiros x que satisfazem à inequação? a) 13 b) 26 c) 38 d) 39 e) 40 Entre 9 e 49 temos 39 números inteiros. Questão 2. Hoje é

Leia mais

Contagem II. Neste material vamos aprender novas técnicas relacionadas a problemas de contagem. 1. Separando em casos

Contagem II. Neste material vamos aprender novas técnicas relacionadas a problemas de contagem. 1. Separando em casos Polos Olímpicos de Treinamento Curso de Combinatória - Nível 2 Prof. Bruno Holanda Aula 5 Contagem II Neste material vamos aprender novas técnicas relacionadas a problemas de contagem. 1. Separando em

Leia mais

Soluções Nível 1 5 a e 6 a séries (6º e 7º anos) do Ensino Fundamental

Soluções Nível 1 5 a e 6 a séries (6º e 7º anos) do Ensino Fundamental a e 6 a séries (6º e 7º anos) do Ensino Fundamental 1. (alternativa C) Os números 0,01 e 0,119 são menores que 0,12. Por outro lado, 0,1 e 0,7 são maiores que 0,. Finalmente, 0,29 é maior que 0,12 e menor

Leia mais

Prof. Paulo Henrique Raciocínio Lógico

Prof. Paulo Henrique Raciocínio Lógico Prof. Paulo Henrique Raciocínio Lógico Comentário da prova de Agente Penitenciário Federal Funrio 01. Uma professora formou grupos de 2 e 3 alunos com o objetivo de conscientizar a população local sobre

Leia mais

I. Experimentos Aleatórios

I. Experimentos Aleatórios A teoria do azar consiste em reduzir todos os acontecimentos do mesmo gênero a um certo número de casos igualmente possíveis, ou seja, tais que estejamos igualmente inseguros sobre sua existência, e em

Leia mais

A probabilidade representa o resultado obtido através do cálculo da intensidade de ocorrência de um determinado evento.

A probabilidade representa o resultado obtido através do cálculo da intensidade de ocorrência de um determinado evento. Probabilidade A probabilidade estuda o risco e a ocorrência de eventos futuros determinando se existe condição de acontecimento ou não. O olhar da probabilidade iniciou-se em jogos de azar (dados, moedas,

Leia mais

Contagem I. Figura 1: Abrindo uma Porta.

Contagem I. Figura 1: Abrindo uma Porta. Polos Olímpicos de Treinamento Curso de Combinatória - Nível 2 Prof. Bruno Holanda Aula 4 Contagem I De quantos modos podemos nos vestir? Quantos números menores que 1000 possuem todos os algarismos pares?

Leia mais

01) 551 02) 552 03) 553 04) 554 05) 555

01) 551 02) 552 03) 553 04) 554 05) 555 Questão 01 PROVA DE MATEMÁTICA - TURMAS DO 3 o ANO DO ENSINO MÉDIO COLÉGIO ANCHIETA-BA - SETEMBRO DE 011. ELABORAÇÃO: PROFESSORES OCTAMAR MARQUES E ADRIANO CARIBÉ. PROFESSORA MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA (FUVEST010)

Leia mais

Francisco Ramos. 100 Problemas Resolvidos de Matemática

Francisco Ramos. 100 Problemas Resolvidos de Matemática Francisco Ramos 100 Problemas Resolvidos de Matemática SUMÁRIO Questões de vestibulares... 1 Matrizes e Determinantes... 25 Geometria Plana e Espacial... 39 Aritmética... 61 QUESTÕES DE VESTIBULARES

Leia mais

TÓPICOS DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS: COMBINATÓRIA

TÓPICOS DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS: COMBINATÓRIA TÓPICOS DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS: COMBINATÓRIA Heitor Achilles Dutra da Rosa CEFET RJ heitorachilles@aolcom Introdução Entendemos por Combinatória o ramo da Matemática que nos permite resolver problemas

Leia mais

MATEMÁTICA COMBINATÓRIA: INTRODUÇÃO

MATEMÁTICA COMBINATÓRIA: INTRODUÇÃO INSTITUTO DE APLICAÇÃO FERNANDO RODRIGUES DA SILVEIRA 2ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Prof. Ilydio Pereira de Sá www.magiadamatematica.com MATEMÁTICA COMBINATÓRIA: INTRODUÇÃO Princípio Fundamental da Contagem

Leia mais

O conceito de probabilidade

O conceito de probabilidade A UA UL LA O conceito de probabilidade Introdução Nesta aula daremos início ao estudo da probabilidades. Quando usamos probabilidades? Ouvimos falar desse assunto em situações como: a probabilidade de

Leia mais

Faculdade Tecnológica de Carapicuíba Tecnologia em Logística Ênfase em Transportes Notas da Disciplina de Estatística (versão 8.

Faculdade Tecnológica de Carapicuíba Tecnologia em Logística Ênfase em Transportes Notas da Disciplina de Estatística (versão 8. Faculdade Tecnológica de Carapicuíba Tecnologia em Logística Ênfase em Transportes Notas da Disciplina de Estatística (versão 8.) PROBABILIDADE Dizemos que a probabilidade é uma medida da quantidade de

Leia mais

Raciocínio Lógico Exercícios. Prof. Pacher A B P(A B) P(A/B) = P(B) n(a) P(A) = n(s) PROBABILIDADE DECORRÊNCIA DA DEFINIÇÃO

Raciocínio Lógico Exercícios. Prof. Pacher A B P(A B) P(A/B) = P(B) n(a) P(A) = n(s) PROBABILIDADE DECORRÊNCIA DA DEFINIÇÃO PROBBILIDDE Introdução teoria da probabilidade é o ramo da matemática que cria, desenvolve e em geral pesquisa modelos que podem ser utilizados para estudar experimentos aleatórios ou não determinísticos.

Leia mais

I. Princípio Fundamental da Contagem (P.F.C.)

I. Princípio Fundamental da Contagem (P.F.C.) ANÁLISE OMBINATÓRIA A principal finalidade da Análise ombinatória é estabelecer métodos de contagem. I. Princípio Fundamental da ontagem (P.F..) O P.F.., ou princípio multiplicativo, determina o número

Leia mais

Exercícios de Análise Combinatória ano: 2013

Exercícios de Análise Combinatória ano: 2013 Página1 Exercícios de Análise Combinatória ano: 2013 1. (Pucrj) Em uma sorveteria há sorvetes nos sabores morango, chocolate, creme e flocos. De quantas maneiras podemos montar uma casquinha com duas bolas

Leia mais

Princípio Fundamental da Contagem

Princípio Fundamental da Contagem Princípio Fundamental da Contagem 1. (Uem 2013) Seja A o seguinte conjunto de números naturais: A {1, 2, 4, 6, 8}. Assinale o que for correto. 01) Podem ser formados exatamente 24 números ímpares com 4

Leia mais

B 01. Combinações e Permutações

B 01. Combinações e Permutações IME ITA Apostila ITA B 0 Combinações e Permutações Introdução Neste capítulo são apresentadas as ferramentas básicas que nos permitem determinar o número de elementos de conjuntos formados de acordo com

Leia mais

a soma dois números anteriores da primeira coluna está na segunda coluna: (3m +1) + (3n +1) = 3(m + n) + 2.

a soma dois números anteriores da primeira coluna está na segunda coluna: (3m +1) + (3n +1) = 3(m + n) + 2. OBMEP 01 Nível 3 1 QUESTÃO 1 ALTERNATIVA A Basta verificar que após oito giros sucessivos o quadrado menor retorna à sua posição inicial. Como 01 = 8 1+ 4, após o 01º giro o quadrado cinza terá dado 1

Leia mais

CAPÍTULO 04 NOÇÕES DE PROBABILIDADE

CAPÍTULO 04 NOÇÕES DE PROBABILIDADE CAPÍTULO 0 NOÇÕES DE PROBABILIDADE. ESPAÇO AMOSTRAL É o conjunto de todos os possíveis resultados de um experimento aleatório. No lançamento de uma moeda perfeita (não viciada) o espaço amostral é S =

Leia mais

RESOLUÇÃO DAS QUESTÕES DE RACIOCÍNIO LÓGICO-MATEMÁTICO

RESOLUÇÃO DAS QUESTÕES DE RACIOCÍNIO LÓGICO-MATEMÁTICO RESOLUÇÃO DAS QUESTÕES DE RACIOCÍNIO LÓGICO-MATEMÁTICO Caro aluno, Disponibilizo abaixo a resolução das questões de Raciocínio Lógico- Matemático das provas para os cargos de Técnico do TRT/4ª Região (Rio

Leia mais

100 QUESTÕES DE PROBABILIDADE PARA CONCURSOS

100 QUESTÕES DE PROBABILIDADE PARA CONCURSOS 100 QUESTÕES DE PROBABILIDADE PARA CONCURSOS R E S O L U Ç Ã O D E E X E R C ÍC IO S R A C IO C ÍN IO L Ó G IC O M A T E M Á T IC A F ÍS IC A /Q U ÍM IC A E m a il g a b a r ito c e rto @ h o tm a il.c

Leia mais

CURSO ANUAL DE MATEMÁTICA REVISÃO ENEM RETA FINAL

CURSO ANUAL DE MATEMÁTICA REVISÃO ENEM RETA FINAL CURSO ANUAL DE MATEMÁTICA REVISÃO ENEM RETA FINAL Tenho certeza que você se dedicou ao máximo esse ano, galerinha! Sangue no olho, muita garra nessa reta final! Essa vaga é de vocês! Forte abraço prof

Leia mais

Exercícios Análise Combinatória

Exercícios Análise Combinatória Exercícios Análise Combinatória 1. (Uemg 2014) Na Copa das Confederações de 2013, no Brasil, onde a seleção brasileira foi campeã, o técnico Luiz Felipe Scolari tinha à sua disposição 23 jogadores de várias

Leia mais

MATEMÁTICA E RACIOCÍNIO LÓGICO

MATEMÁTICA E RACIOCÍNIO LÓGICO ANÁLISE COMBINATÓRIA ARRANJO SIMPLES PRINCÍPIO FUNDAMENTAL DA CONTAGEM (PFC) Importa a ordem dos elementos (PFC) n 1.n 2.n 3... total de possibilidades A p n ( n p)! Supondo que 5 colegas vão sair de carro,

Leia mais

RESOLUÇÃO: RESPOSTA: Alternativa 01. Questão 03. (UEFS BA)

RESOLUÇÃO: RESPOSTA: Alternativa 01. Questão 03. (UEFS BA) RESOLUÇÃO DA a AVALIAÇÃO DE MATEMÁTICA COLÉGIO ANCHIETA-BA - UNIDADE II-013 ELABORAÇÃO: PROF. ADRIANO CARIBÉ e WALTER PORTO. PROFA, MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA Questão 01. (UEPB) Dados os conjuntos A = {1,

Leia mais

Cálculo das Probabilidades e Estatística I

Cálculo das Probabilidades e Estatística I Cálculo das Probabilidades e Estatística I Prof a. Juliana Freitas Pires Departamento de Estatística Universidade Federal da Paraíba - UFPB juliana@de.ufpb.br Introdução a Probabilidade Existem dois tipos

Leia mais

Métodos de Contagem e Probabilidade. Paulo Cezar Pinto Carvalho

Métodos de Contagem e Probabilidade. Paulo Cezar Pinto Carvalho Métodos de Contagem e Probabilidade Paulo Cezar Pinto Carvalho 3 Sobre o Autor Paulo Cezar Pinto Carvalho é formado em Engenharia pelo Instituto Militar de Engenharia, Mestre em Estatística pelo IMPA

Leia mais

Princ ıpios b asicos Exemplo 1. Exemplo 2. Exemplo 3.

Princ ıpios b asicos Exemplo 1. Exemplo 2. Exemplo 3. Capítulo 6 Combinatória 1 Princípios básicos O princípio fundamental da contagem diz que se há x modos de tomar uma decisão D ½ e, tomada a decisão D ½,há y modos de tomar a decisão D ¾, então o número

Leia mais

Considerando-se a expressão trigonométrica x = 1 + cos 30, um dos possíveis produtos que a representam é igual a

Considerando-se a expressão trigonométrica x = 1 + cos 30, um dos possíveis produtos que a representam é igual a Comentadas pelo professor: Vinicius Werneck Raciocínio Lógico 1- Prova: ESAF - 2012 - Receita Federal - Auditor Fiscal da Receita Federal Sabendo-se que o conjunto X é dado por X = {x R x² 9 = 0 ou 2x

Leia mais

Colégio Adventista Portão EIEFM MATEMÁTICA Análise Combinatória 2º Ano APROFUNDAMENTO/REFORÇO

Colégio Adventista Portão EIEFM MATEMÁTICA Análise Combinatória 2º Ano APROFUNDAMENTO/REFORÇO Colégio Adventista Portão EIEFM MATEMÁTICA Análise Combinatória 2º Ano APROFUNDAMENTO/REFORÇO Professor: Hermes Jardim Disciplina: Matemática Lista 5 3º Bimestre/2013 Aluno(a): Número: Turma: 1) Resolva

Leia mais

Módulo de Probabilidade Miscelânea de Exercícios. Cálculo de Probabilidades. Professores Tiago Miranda e Cleber Assis

Módulo de Probabilidade Miscelânea de Exercícios. Cálculo de Probabilidades. Professores Tiago Miranda e Cleber Assis Módulo de Probabilidade Miscelânea de Exercícios Cálculo de Probabilidades a série E.M. Professores Tiago Miranda e Cleber Assis Probabilidade Miscelânea de Exercícios Cálculo de Probabilidades 1 Exercícios

Leia mais

. Para que essa soma seja 100, devemos ter 56 + 2x donde 2x = 44 e então x = 22, como antes.

. Para que essa soma seja 100, devemos ter 56 + 2x donde 2x = 44 e então x = 22, como antes. OBMEP 008 Nível 3 1 QUESTÃO 1 Carlos começou a trabalhar com 41-15=6 anos. Se y representa o número total de anos que ele trabalhará até se aposentar, então sua idade ao se aposentar será 6+y, e portanto

Leia mais

PROBABILIDADE PROFESSOR: ANDRÉ LUIS

PROBABILIDADE PROFESSOR: ANDRÉ LUIS PROBABILIDADE PROFESSOR: ANDRÉ LUIS 1. Experimentos Experimento determinístico: são aqueles em que o resultados são os mesmos, qualquer que seja o número de ocorrência dos mesmos. Exemplo: Um determinado

Leia mais

Prova da segunda fase - Nível 1

Prova da segunda fase - Nível 1 Caro Aluno, Parabéns pela sua participação na nona edição da Olimpíada de Matemática de São José do Rio Preto! Lembre-se de que uma Olimpíada é diferente de uma prova escolar. Muitas vezes, as questões

Leia mais

(A) é Alberto. (B) é Bruno. (C) é Carlos. (D) é Diego. (E) não pode ser determinado apenas com essa informação.

(A) é Alberto. (B) é Bruno. (C) é Carlos. (D) é Diego. (E) não pode ser determinado apenas com essa informação. 1. Alberto, Bruno, Carlos e Diego beberam muita limonada e agora estão apertados fazendo fila no banheiro. Eles são os únicos na fila, e sabe se que quem está imediatamente antes de Carlos bebeu menos

Leia mais

Exemplos de Problemas Aplicando o Princípio Fundamental da Contagem. Professor: Flávio dos Reis Moura Skype; mineironegrogalo75

Exemplos de Problemas Aplicando o Princípio Fundamental da Contagem. Professor: Flávio dos Reis Moura Skype; mineironegrogalo75 Exemplos de Problemas Aplicando o Princípio Fundamental da Contagem Professor: Flávio dos Reis Moura Skype; mineironegrogalo75 Este material tem por objetivo ajudar o aluno a aplicar o Princípio Fundamental

Leia mais

SOLUÇÕES DOS EXERCÍCIOS PROPOSTOS. 1. Com 5 homens e 5 mulheres, de quantos modos se pode formar um casal?

SOLUÇÕES DOS EXERCÍCIOS PROPOSTOS. 1. Com 5 homens e 5 mulheres, de quantos modos se pode formar um casal? SOLUÇÕES DOS EXERCÍCIOS PROPOSTOS 1. Com 5 homens e 5 mulheres, de quantos modos se pode formar um casal? Temos 5 grupos com 5 possibilidades cada uma, então: 5.5=25 casais Se fossem duplas: Teríamos 10

Leia mais

ANÁLISE COMBINATÓRIA. 9 9 8 7 4536 números, já que os algarismos PRÍNCIPIO FUNDAMENTAL DA CONTAGEM

ANÁLISE COMBINATÓRIA. 9 9 8 7 4536 números, já que os algarismos PRÍNCIPIO FUNDAMENTAL DA CONTAGEM 1 ANÁLISE COMBINATÓRIA Considere os dois problemas abaixo: Em uma corrida envolvendo quatro corredores, quantas são as possibilidades de pódio? Para cada possível 1º lugar, existem três possíveis 2ºs lugares

Leia mais

PROBABILIDADE ESTATÍSTICA

PROBABILIDADE ESTATÍSTICA PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA (1000 ton) 2500 Gráfico 4.1. Produção de Arroz do Município X - 1984-1994 2000 1500 1000 500 0 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 M. Bastos 2005 SUMÁRIO 1 TEORIA DOS CONJUNTOS

Leia mais

O Problema do Troco Principio da Casa dos Pombos. > Princípios de Contagem e Enumeração Computacional 0/48

O Problema do Troco Principio da Casa dos Pombos. > Princípios de Contagem e Enumeração Computacional 0/48 Conteúdo 1 Princípios de Contagem e Enumeração Computacional Permutações com Repetições Combinações com Repetições O Problema do Troco Principio da Casa dos Pombos > Princípios de Contagem e Enumeração

Leia mais

Combinação. Calcule o número de mensagens distintas que esse sistema pode emitir.

Combinação. Calcule o número de mensagens distintas que esse sistema pode emitir. Combinação 1. (Uerj 2013) Um sistema luminoso, constituído de oito módulos idênticos, foi montado para emitir mensagens em código. Cada módulo possui três lâmpadas de cores diferentes vermelha, amarela

Leia mais

QUESTÃO 1 ALTERNATIVA D

QUESTÃO 1 ALTERNATIVA D OBMEP 015 Nível 3 1 QUESTÃO 1 Como,5 = 5 x 0,5, o tempo que o frango deve ficar no forno é 5 x 1 = 60 minutos. Logo, Paula deve colocar o frango no forno às 19 h, mas 15 minutos antes deve acender o forno.

Leia mais

Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada Programa de Aperfeiçoamento para Professores de Matemática do Ensino Médio PROPORCIONALIDADE

Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada Programa de Aperfeiçoamento para Professores de Matemática do Ensino Médio PROPORCIONALIDADE Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada Programa de Aperfeiçoamento para Professores de Matemática do Ensino Médio PROPORCIONALIDADE 1. Por um trabalho adicional a seu emprego, Álvaro deve descontar

Leia mais

XXXVI OLIMPÍADA PAULISTA DE MATEMÁTICA Prova da Primeira Fase (11 de agosto de 2012) Nível (6 o e 7 o anos do Ensino Fundamental)

XXXVI OLIMPÍADA PAULISTA DE MATEMÁTICA Prova da Primeira Fase (11 de agosto de 2012) Nível (6 o e 7 o anos do Ensino Fundamental) Instruções: XXXVI OLIMPÍADA PAULISTA DE MATEMÁTICA Prova da Primeira Fase (11 de agosto de 2012) Nível (6 o e 7 o anos do Ensino Fundamental) Folha de Perguntas A duração da prova é de 3h30min. O tempo

Leia mais

Introdução à Probabilidade e Estatística

Introdução à Probabilidade e Estatística Professor Cristian F. Coletti Introdução à Probabilidade e Estatística (1 Para cada um dos casos abaixo, escreva o espaço amostral correspondente e conte seus elementos. a Uma moeda é lançada duas vezes

Leia mais

, podemos afirmar que:

, podemos afirmar que: PROOFMATH WWW.PROOFMATH.WORDPRESS.COM MAIS UM BLOG DE MATEMÁTICA FOLHA DE TRABALHO º ANO DE ESCOLARIDADE PREPARAR EXAME NACIONAL. Considere as seguintes sucessões a n, b n Sendo a lim an, b limbn e c lim

Leia mais

QUESTÃO 1 ALTERNATIVA B

QUESTÃO 1 ALTERNATIVA B 1 QUESTÃO 1 ALTERNATIVA B A diferença entre o que há na primeira balança e o que há a balança do meio é exatamente o que há na última balança; logo, na última balança deve aparecer a marcação 64 41 = 23

Leia mais

Métodos de Contagem e Probabilidade

Métodos de Contagem e Probabilidade page 1 Métodos de Contagem e Probabilidade Paulo Cezar Pinto Carvalho page 2 Sobre o autor. Paulo Cezar Pinto Carvalho é formado em Engenharia pelo Instituto Militar de Engenharia, Mestre em Estatística

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS VARIÁVEIS ALEATÓRIAS

LISTA DE EXERCÍCIOS VARIÁVEIS ALEATÓRIAS LISTA DE EXERCÍCIOS VARIÁVEIS ALEATÓRIAS 1. Construir um quadro e o gráfico de uma distribuição de probabilidade para a variável aleatória X: número de coroas obtidas no lançamento de duas moedas. 2. Fazer

Leia mais

Resolverei neste artigo a prova de Raciocínio Lógico do concurso para a SEFAZ-SP 2009 organizada pela FCC.

Resolverei neste artigo a prova de Raciocínio Lógico do concurso para a SEFAZ-SP 2009 organizada pela FCC. Olá pessoal! Resolverei neste artigo a prova de Raciocínio Lógico do concurso para a SEFAZ-SP 2009 organizada pela FCC. 01. (SEFAZ-SP 2009/FCC) Considere o diagrama a seguir, em que U é o conjunto de todos

Leia mais

Unidade 11 - Probabilidade. Probabilidade Empírica Probabilidade Teórica

Unidade 11 - Probabilidade. Probabilidade Empírica Probabilidade Teórica Unidade 11 - Probabilidade Probabilidade Empírica Probabilidade Teórica Probabilidade Empírica Existem probabilidade que são baseadas apenas uma experiência de fatos, sem necessariamente apresentar uma

Leia mais

Probabilidade. Contagem

Probabilidade. Contagem Probabilidade Contagem Problema da Contagem no Estudo da Probabilidade Conforme definição clássica, podemos determinar uma probabilidade calculando a relação entre o total de eventos de sucesso e o total

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CAMPUS SERRA BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ALUNO(A): COMBINATÓRIA

INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CAMPUS SERRA BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ALUNO(A): COMBINATÓRIA INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CAMPUS SERRA BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ALUNO(A): COMBINATÓRIA A Combinatória é a parte da Matemática responsável pelo estudo de estruturas e relações discretas.

Leia mais

AV1 - MA 12-2012. (b) Se o comprador preferir efetuar o pagamento à vista, qual deverá ser o valor desse pagamento único? 1 1, 02 1 1 0, 788 1 0, 980

AV1 - MA 12-2012. (b) Se o comprador preferir efetuar o pagamento à vista, qual deverá ser o valor desse pagamento único? 1 1, 02 1 1 0, 788 1 0, 980 Questão 1. Uma venda imobiliária envolve o pagamento de 12 prestações mensais iguais a R$ 10.000,00, a primeira no ato da venda, acrescidas de uma parcela final de R$ 100.000,00, 12 meses após a venda.

Leia mais

PROF. LUIZ CARLOS MOREIRA SANTOS. Questão 01)

PROF. LUIZ CARLOS MOREIRA SANTOS. Questão 01) Questão 01) O jogo da Mega-Sena consiste no sorteio de 6 números distintos entre 1 e 60. Um apostador escolhe 20 números distintos e faz todos os C 20,6 jogos possíveis de serem realizados com os 20 números.

Leia mais

Existe, mas não sei exibir!

Existe, mas não sei exibir! Existe, mas não sei exibir! Você já teve aquela sensação do tipo ei, isso deve existir, mas não sei exibir um exemplo quando resolvia algum problema? O fato é que alguns problemas existenciais são resolvidos

Leia mais

A B C F G H I. Apresente todas as soluções possíveis. Solução

A B C F G H I. Apresente todas as soluções possíveis. Solução 19a Olimpíada de Matemática do Estado do Rio Grande do Norte - 008 Segunda Etapa Em 7/09/008 Prova do Nível I (6 o ou 7 o Séries) (antigas 5ª ou 6ª séries) 1 a Questão: Substitua as nove letras da figura

Leia mais

PROPOSTAS DE TRABALHO PARA OS ALUNOS A PARTIR DE JOGOS 2º ANO. Adriana da Silva Santi Coordenação Pedagógica de Matemática

PROPOSTAS DE TRABALHO PARA OS ALUNOS A PARTIR DE JOGOS 2º ANO. Adriana da Silva Santi Coordenação Pedagógica de Matemática PROPOSTAS DE TRABALHO PARA OS ALUNOS A PARTIR DE JOGOS 2º ANO Adriana da Silva Santi Coordenação Pedagógica de Matemática Piraquara Abril/214 1 JOGOS E PROPOSTAS DE TRABALHO PARA OS ALUNOS JOGO DOS 6 PALITOS

Leia mais

EXERCÍCIOS DE REVISÃO MATEMÁTICA CONTEÚDO: PROBABILIDADE 3 a SÉRIE ENSINO MÉDIO

EXERCÍCIOS DE REVISÃO MATEMÁTICA CONTEÚDO: PROBABILIDADE 3 a SÉRIE ENSINO MÉDIO EXERCÍCIOS DE REVISÃO MATEMÁTICA CONTEÚDO: PROBABILIDADE a SÉRIE ENSINO MÉDIO ======================================================================= ) (UF SC) Em uma caixa há 8 bombons, todos com forma,

Leia mais

Aula 8. Acesse: http://fuvestibular.com.br/

Aula 8. Acesse: http://fuvestibular.com.br/ Acesse: http://fuvestibular.com.br/ Aula 8 A multiplicação nada mais é que uma soma de parcelas iguais. E a divisão, sua inversa, "desfaz o que a multiplicação faz". Quer ver? Vamos pensar nas questões

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO 1º Ciclo Planificação Anual de Matemática 1º ano Ano Letivo 2015/2016

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO 1º Ciclo Planificação Anual de Matemática 1º ano Ano Letivo 2015/2016 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO 1º Ciclo Planificação Anual de Matemática 1º ano Ano Letivo 2015/2016 1º Trimestre Domínios Números e Operações Números naturais Contar até cinco Correspondências

Leia mais

3.ª e 4.ª SÉRIES/4.º e 5.º ANOS

3.ª e 4.ª SÉRIES/4.º e 5.º ANOS 3.ª e 4.ª SÉRIES/4.º e 5.º ANOS 1) Qual das planificações abaixo não é a planificação de um cubo? Resposta: I Existem 11 planificações diferentes para o cubo, indicadas pelas letras A, B, C, D, E, F, G,

Leia mais

Domínio Subdomínio Conteúdos Metas

Domínio Subdomínio Conteúdos Metas Escola Básica e Secundária da Graciosa Planificação Anual de Matemática de 1º ano Ano letivo 2014/2015 Períodos Domínio Subdomínio Conteúdos Metas Situar-se e situar objetos no espaço - Relações de posição

Leia mais

Problemas de Jogos e Tabuleiros

Problemas de Jogos e Tabuleiros Problemas de Jogos e Tabuleiros Professor Emiliano Augusto Chagas Para esquentar! 01) Duas crianças se revezam em turnos quebrando uma barra retangular de chocolate, com seis quadrados de altura e oito

Leia mais

CURSO ONLINE RACIOCÍNIO LÓGICO. AULA ONZE: Análise Combinatória (Parte II)

CURSO ONLINE RACIOCÍNIO LÓGICO. AULA ONZE: Análise Combinatória (Parte II) 1 AULA ONZE: Análise Combinatória (Parte II) Olá, amigos! Tudo bem com vocês? Esta é nossa décima primeira aula, e ainda sequer chegamos à metade de nosso curso! Longo é o caminho do Raciocínio Lógico...

Leia mais

37ª OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA PRIMEIRA FASE NÍVEL 1 (6º e 7º anos do Ensino Fundamental) GABARITO

37ª OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA PRIMEIRA FASE NÍVEL 1 (6º e 7º anos do Ensino Fundamental) GABARITO GABARITO NÍVEL 1 37ª OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA PRIMEIRA FASE NÍVEL 1 (6º e 7º anos do Ensino Fundamental) GABARITO 1) C 6) A 11) D 16) C 2) D 7) C 12) C 17) D 3) E 8) B 13) E 18) A 4) E 9) B 14)

Leia mais

SISTEMA CLÁSSICO DE REDUÇÃO

SISTEMA CLÁSSICO DE REDUÇÃO Page 1 of 6 SISTEMA CLÁSSICO DE REDUÇÃO Este documento irá ensinar-lhe como pode fazer um desdobramento reduzido, segundo o processo clássico (italiano) para qualquer sistema 5/50, em particular para o

Leia mais

RESUMO TEÓRICO. n(a) P(A) = n(u) 0 P(A) 1

RESUMO TEÓRICO. n(a) P(A) = n(u) 0 P(A) 1 RESUMO TEÓRICO Experimentos aleatórios: são aqueles que, mesmo repetidos várias vezes sob condições semelhantes, apresentam resultados imprevisíveis. Exemplo: Lançar um dado e verificar qual é a face voltada

Leia mais

Conselho de Docentes do 1.º Ano PLANIFICAÇÃO Anual de Matemática Ano letivo de 2015/2016

Conselho de Docentes do 1.º Ano PLANIFICAÇÃO Anual de Matemática Ano letivo de 2015/2016 Conselho de Docentes do 1.º Ano PLANIFICAÇÃO Anual de Matemática Ano letivo de 2015/2016 Domínios/Subdomínios Objetivos gerais Descritores de desempenho Avaliação Números e Operações Números naturais Contar

Leia mais

Coordenadoria de Educação CADERNO DE REVISÃO-2011. Matemática Aluno (a) 5º ANO

Coordenadoria de Educação CADERNO DE REVISÃO-2011. Matemática Aluno (a) 5º ANO CADERNO DE REVISÃO-2011 Matemática Aluno (a) 5º ANO Caderno de revisão FICHA 1 COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO examesqueiros Os Números gloriabrindes.com.br noticias.terra.com.br cidadesaopaulo.olx... displaypaineis.com.br

Leia mais

Solução da prova da 1 a fase OBMEP 2008 Nível 1

Solução da prova da 1 a fase OBMEP 2008 Nível 1 OBMEP 00 Nível 1 1 QUESTÃO 1 Como Leonardo da Vinci nasceu 91 anos antes de Pedro Américo, ele nasceu no ano 14 91 = 145. Por outro lado, Portinari nasceu 451 anos depois de Leonardo da Vinci, ou seja,

Leia mais

Permutação. Série Matemática na Escola

Permutação. Série Matemática na Escola Permutação Série Matemática na Escola Objetivos 1. Ensinar o conceito de permutação; 2. Deduzir a fórmula para permutações; 3. Apresentar usos da permutação no cotidiano. Permutação Série Matemática na

Leia mais

Gabarito de Matemática do 7º ano do E.F.

Gabarito de Matemática do 7º ano do E.F. Gabarito de Matemática do 7º ano do E.F. Lista de Exercícios (L10) a Colocarei aqui algumas explicações e exemplos de exercícios para que você possa fazer todos com segurança e tranquilidade, no entanto,

Leia mais

UFRN 2013 Matemática Álgebra 3º ano Prof. Afonso

UFRN 2013 Matemática Álgebra 3º ano Prof. Afonso UFRN 203 Matemática Álgebra 3º ano Prof. Afonso 3 2. (Ufrn 203) Considere a função polinomial f ( x) = x 3x x + 3. a) Calcule os valores de f ( ), f ( ) e f ( 3 ). b) Fatore a função dada. c) Determine

Leia mais

C O L É G I O F R A N C O - B R A S I L E I R O

C O L É G I O F R A N C O - B R A S I L E I R O C O L É G I O F R A N C O - B R A S I L E I R O Nome: N.º: Turma: Professor: Ano: 6º Data: / 07 / 2014 EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO DE MATEMÁTICA 1) Numa divisão, qual é o dividendo, se o divisor for 12,

Leia mais

OFICINA DE JOGOS APOSTILA DO PROFESSOR

OFICINA DE JOGOS APOSTILA DO PROFESSOR OFICINA DE JOGOS APOSTILA DO PROFESSOR APRESENTAÇÃO Olá professor, Essa apostila apresenta jogos matemáticos que foram doados a uma escola de Blumenau como parte de uma ação do Movimento Nós Podemos Blumenau.

Leia mais

Aula 1: Introdução à Probabilidade

Aula 1: Introdução à Probabilidade Aula 1: Introdução à Probabilidade Prof. Leandro Chaves Rêgo Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção - UFPE Recife, 07 de Março de 2012 Experimento Aleatório Um experimento é qualquer processo

Leia mais

Gabarito da 17ª Olimpíada Estudantil Astra de Matemática 2012 2ª Fase

Gabarito da 17ª Olimpíada Estudantil Astra de Matemática 2012 2ª Fase 01) No alvo representado pela figura abaixo, uma certa pontuação é dada para a flecha que cai na região sombreada S e outra para a flecha que cai no círculo central R. Diana obteve 17 pontos, lançando

Leia mais

9xy yx9 = (9 100+x 10+y) (y 100+x 10+9) = (8 y) 100+9 10+(y+1)

9xy yx9 = (9 100+x 10+y) (y 100+x 10+9) = (8 y) 100+9 10+(y+1) Gabarito da Prova do Nível II Primeira Questão: ANULADA- Com três algarismos distintos, formamos três números: O primeiro número é obtido ordenando-se os algarismos em ordem decrescente, da esquerda para

Leia mais

UNITAU APOSTILA PROBABILIDADES PROF. CARLINHOS

UNITAU APOSTILA PROBABILIDADES PROF. CARLINHOS ESCOLA DE APLICAÇÃO DR. ALFREDO JOSÉ ALI UNITAU APOSTILA PROAILIDADES ibliografia: Curso de Matemática Volume Único Autores: ianchini&paccola Ed. Moderna Matemática Fundamental - Volume Único Autores:

Leia mais

I.INTRODUÇÃO A MATEMÁTICA.

I.INTRODUÇÃO A MATEMÁTICA. I.INTRODUÇÃO A MATEMÁTICA. 1. HISTÓRIA DA MATEMÁTICA Matemática é uma ciência que foi criada a fim de contar e resolver problemas com uma razão de existirem, foi criada a partir dos primeiros seres racionais

Leia mais

Material Teórico - Aplicações das Técnicas Desenvolvidas. Exercícios e Tópicos Relacionados a Combinatória. Segundo Ano do Ensino Médio

Material Teórico - Aplicações das Técnicas Desenvolvidas. Exercícios e Tópicos Relacionados a Combinatória. Segundo Ano do Ensino Médio Material Teórico - Aplicações das Técnicas Desenvolvidas Exercícios e Tópicos Relacionados a Combinatória Segundo Ano do Ensino Médio Prof Cícero Thiago Bernardino Magalhães Prof Antonio Caminha Muniz

Leia mais

Frações. Números Racionais

Frações. Números Racionais Frações Números Racionais Consideremos a operação 4:5 =? onde o dividendo não é múltiplo do divisor. Vemos que não é possível determinar o quociente dessa divisão no conjunto dos números porque não há

Leia mais