ÁGUA NA HORTICULTURA: NOVAS ATITUDES E USO SUSTENTÁVEL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ÁGUA NA HORTICULTURA: NOVAS ATITUDES E USO SUSTENTÁVEL"

Transcrição

1 49º CONGRESSO BRASILEIRO DE OLERICULTURA ÁGUA NA HORTICULTURA: NOVAS ATITUDES E USO SUSTENTÁVEL José Geraldo Eugênio de França Diretor-Executivo Águas de Lindóia - SP Agosto/2009

2 OS DEZ MAIORES PROBLEMAS DA HUMANIDADE NOS PRÓXIMOS CINQÜENTA ANOS Ano 2003: 6,3 bilhões de pessoas Ano 2050: 10 bilhões de pessoas Água; Alimentos; Energia; Meio Ambiente; População; Educação; Pobreza; Doenças; Democracia; Terrorismo e Guerra. (IAN MACDIARMID, SÃO CARLOS, SP, ABRIL DE 2005)

3 ALGUMAS EVIDÊNCIAS DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS GLOBAIS SEGUNDO O IPCC: AS TEMPERATURAS MUNDIAIS ELEVARAM-SE EM TORNO DE 0,6OC NO CURSO DO SÉCULO XX; COBERTURA DE NEVE DIMINUIU CERCA DE 10% DEPOIS DO FINAL DA DÉCADA DE 1960 NAS MÉDIAS E ALTAS LATITUDES DO HEMISFÉRIO NORTE. AUMENTO DO NÍVEL DO MAR: ELEVAÇÃO MÉDIA DO NÍVEL DO MAR DE 9 À 88 CM ATÉ O ANO 2100; INUNDAÇÃO DE ZONAS COSTEIRAS E ILHAS; AGRAVAMENTO DAS EROSÕES COSTEIRAS; A ÁGUA SALGADA PODERÁ INVADIR AS RESERVAS COSTEIRAS DE ÁGUA DOCE; ECOSSISTEMAS COSTEIROS E OCEÂNICOS SERÃO AMEAÇADOS. FONTE: IPCC

4 ALGUMAS CONSEQÜÊNCIAS DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS GLOBAIS RECURSOS HÍDRICOS: A MODIFICAÇÃO DOS PADRÕES DE PRECIPITAÇÃO AFETARÃO OS SUPRIMENTOS DE ÁGUA; EVAPORAÇÕES SERÃO MAIS ABUNDANTES; ENCHENTES. AGRICULTURA: MAIORES TEMPERATURAS INFLUENCIARÃO OS PADRÕES DE PRODUÇÃO; A UMIDADE DOS SOLOS SERÁ AFETADA PELA MUDANÇA DO REGIME DE CHUVAS; A PRODUTIVIDADE DAS LAVOURAS E PASTAGENS SERÁ ALTAMENTE AFETADA. FONTE: IPCC

5 DISPONIBILIDADE MUNDIAL DE ÁGUA Disponibilidade per capita de água (1950 = 100) Países desenvolvidos Países em desenvolvimento, úmidos Países em desenvolvimento, áridos FONTE: PITMAN, 2002.

6 INTENSIFICAÇÃO DO DÉBITO MUNDIAL DE ÁGUA População Mundial com problema de disponibilidade de água (bilhões) Falta de água: menos de 1000 metros cúbicos por pessoa/ano Deficiência de água: entre m³ por pessoa/ano FONTE: HUMAN DEVELOPMENT REPORT/FAO, 2006.

7 EFICIÊNCIA DO USO DA ÁGUA NA AGRICULTURA transpiração 60 a 90% Chuva e Irrigação eficiência da transpiração 1 a 7% biomassa 10% infiltração e escorrimento superficial 0 a 30% alimento Resíduos Agrícolas index de colheita 5 a 15%

8 Aspectos Socioeconômicos das Hortaliças Valor da Produção: US$ 10 bilhões Área cultivada anual: ha Produção: 16 milhões ton Empregos diretos: 4 milhões Principais Hortaliças: Área (ha) Pimentão Cenoura Alho Melão Cebola Batata Batata doce Tomate (mesa) Tomato (processamento industrial) Melancia (*) Estimativa da Embrapa Hortaliças Irrigada (%)*

9 Consumo de Hortaliças no Brasil Renda mensal (R$) Aquisição domiciliar (Kg/per capita/ano) Proporção* (%) Até ,7-54,1 Mais de 400 a ,4-77,2 Mais 600 a ,7-88,6 Mais de 1000 a ,2 +7,6 Mais de 1600 a ,2 +24,8 Mais de ,3 +45,9 Fonte: IBGE Pesquisas de Orçamento Familiares (POF), Disponível em: acesso em 20/11/2006. *Aquisição média do Brasil = 29,0 kg/per capita/ano. FONTE: Vieira, 2008

10 HORTALIÇAS Mais de 80 espécies cultivadas Plantas de ciclo curto Requerem, em geral, alta disponibilidade de água no solo 80-90% de água da constituição Irrigação: prática essencial para o sucesso da horticultura Foco das pesquisas em irrigação de hortaliças: hortaliças Aprimoramento do manejo de irrigação como forma de maximizar a produtividade e a qualidade das hortaliças e minimizar o gasto de água e de energia, como forma de aumentar a lucratividade do produtor e reduzir os impactos ambientais Marouelli et al, 2008

11 Marco Legal das Águas Recursos Hídricos (RH) / Irrigação Decreto nº /1934 Código das águas Lei nº 9.433/ Institui a PNRH, cria o SNGRH - Lei das Águas Fundamentos: A água é um bem de domínio público; A água é um recurso natural limitado, dotado de valor econômico; Em situações de escassez, o uso prioritário dos RH é o consumo humano e a dessedentação de animais; A gestão dos RH deve sempre proporcionar o uso múltiplo das águas; A bacia hidrográfica é a unidade territorial para a implementação da PNRH e atuação do SNGRH; A gestão dos RH deve ser descentralizada e contar com a participação do Poder Público, dos usuários e das comunidades.

12 Clima: Balanço Hídrico Climatológico Exemplos da variação climática regional Petrolina (Região Semi-árida) Curitiba (Região Sudeste)

13 Uso consuntivo de água 9% 9% 10% Animal Indústria Urbano 70% Rural Irrigação 2% FONTE: ANA, 2008.

14 Evolução da superfície irrigada do Brasil 3,54 3,65 3,76 3, : Criação PRONI/PROINE 3,08 3, , ,87 2,59 2,6 2, ,60 2,10 2, : Criação Provárzeas MG Profeijão SP 194 2, ,24 3,4 3, : Criação Provárzeas Nacional/PROFIR FONTE: Silva et. Al , , ,32 0,5 lhõs) uperfícigad,(m S 0,8 1, : Criação GEIDA

15 Necessidade de Água Necessidade (mm/ciclo) Hortaliça Necessidade (mm/ciclo) Alho Melancia Batata Melão Batata-doce Pimentão Beterraba Repolho Cebola Tomate Cenoura Vagem Ervilha Folhosas Hortaliça

16 Principais Hortaliças Irrigadas Tomate de mesa Cultivo Protegido Gotejamento + fertirrigação (100%) Campo Aberto Gotejamento + fertirrigação(30%) Sulco (60%) Aspersão (10%)

17 Principais Hortaliças Irrigadas Tomate Industrial 80% Pivô central 15% Aspersão convencional 5% Gotejamento (Fertirrigação) <1%Sulco (Nordeste)

18 Principais Hortaliças Irrigadas Pimentão Sulco Gotejamento (mulching, cultivo protegido) Pivô Central (paprika)

19 Principais Hortaliças Irrigadas Melão 85 % Gotejamento com fertirrigação 15 % Sulco

20 Principais Hortaliças Irrigadas Melancia 50% Sulco 20 % Pivô Central 20 % Aspersão Convencional 10 % Subsuperficial (manejo do lençol freático)

21 Principais Hortaliças Irrigadas Cenoura 50% Aspersão Convencional 30% Pivô Central 20 % Aspersão com mangueira perfurada

22 Principais Hortaliças Irrigadas Cebola 25% Aspersão Convencional 30 % Pivô Central 20 % Sulco 25% Microbacias em nível

23 Principais Hortaliças Irrigadas Batata 45% Aspersão Convencional 40 % Pivô Central 15 % Sulco

24 Principais Hortaliças Irrigadas Alho 35% Aspersão Convencional 40% Pivô Central 25% Sulco

25 PERDAS DE ÁGUA Vazamentos Furo na mangueira Vazamento na ligação Vazamento no acoplamento

26 Perdas para fora da área irrigada

27 Perdas por aplicação em excesso Excesso de água além da capacidade de infiltração do solo

28 Efeitos do Mau Gerenciamento ou Manutenção Uso de equipamento de alta aplicação em solo arenoso Aspersor entupido Aspersor inclinado afeta a distribuição de água Gerenciamento é a chave para o sucesso!

29 Conservação de Água e Energia Cultivares mais adaptadas e população de plantas Manejo da irrigação: (quando e quanto irrigar, suspensão da irrigação) Plantio direto (economia de até 20% no uso de água) Época de plantio e adubação adequada Uso da irrigação localizada Melhoria na eficiência de irrigação (1% Eficiência de uso de água = economia de 200 mil litros de água, por agricultor, por hectare/ano. O suficiente para matar a sede de 150 pessoas, nesse período)

30 Algumas demandas para um uso mais eficiente de água em hortaliças Pesquisas com enfoque em: Cultivares mais eficientes no uso de água Sistemas mais eficientes e específicos para os tipos de cultura Qualidade da água para irrigação Uso de águas residuárias (níveis de tratamento) Impactos ambientais da irrigação Efeito no meio ambiente (solo, água, ar, flora e fauna) Efeito na qualidade dos produtos

31 MUITO OBRIGADO!!!

Recursos Hídricos: situação atual e perspectivas

Recursos Hídricos: situação atual e perspectivas Recursos Hídricos: situação atual e perspectivas IX Simpósio Nacional Cerrado II Simpósio Internacional Savanas Tropicas Desafios e estratégias para o equilíbrio entre sociedade, agronegócio e recursos

Leia mais

Irrigação de Fruteiras

Irrigação de Fruteiras Fruticultura Geral Irrigação de Fruteiras Alessandra Alves Rodrigues DCR / FAPESQ / CNPq Prof a Railene Hérica Carlos Rocha UAGRA / CCTA / UFCG Introdução Definição de irrigação: é a aplicação artificial

Leia mais

Definição de irrigação: Aplicação de água no solo mediante o uso de. total, com o objetivo de suprir as

Definição de irrigação: Aplicação de água no solo mediante o uso de. total, com o objetivo de suprir as Parte 1: Técnicas de irrigação Definição de irrigação: Aplicação de água no solo mediante o uso de técnicas artificiais, de forma complementar ou total, com o objetivo de suprir as necessidades d hídricas

Leia mais

GESTÃO AMBIENTAL X GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS ÁGUA COMO FATOR LIMITANTE DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL. Edmilson Costa Teixeira GEARH-DEA-CT

GESTÃO AMBIENTAL X GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS ÁGUA COMO FATOR LIMITANTE DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL. Edmilson Costa Teixeira GEARH-DEA-CT GESTÃO AMBIENTAL X GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS ÁGUA COMO FATOR LIMITANTE DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL Edmilson Costa Teixeira GEARH-DEA-CT USOS DA ÁGUA DISPONIBILIDADE HÍDRICA NO PLANETA ESTADOS Sólido.

Leia mais

Prof. Vital Pedro da Silva Paz

Prof. Vital Pedro da Silva Paz Universidade Federal do Recôncavo da Bahia Centro de Ciência Agrárias, Ambientais e Biológicas Núcleo de Engenharia de Água e Solo Disciplina: CCA 039 - Irrigação e Drenagem Prof. Vital Pedro da Silva

Leia mais

IRRIGAÇÃO. Importância e Aspectos Técnicos

IRRIGAÇÃO. Importância e Aspectos Técnicos IRRIGAÇÃO Importância e Aspectos Técnicos IRRIGAÇÃO Breve histórico Povos antigos Egito (Rio Nilo) Mesopotâmia (Rios Tigre e Eufrates) Índia (Rio Indo) Século XX Estados Unidos Israel IRRIGAÇÃO Situação

Leia mais

Agricultura e Recursos Hídricos

Agricultura e Recursos Hídricos Agricultura e Recursos Hídricos Uma visão territorial José Dilcio Rocha, Eng. Qui. Dr. Área de Transferência de Tecnologia Rafael Mingoti, Eng. Agr. Dr. Supervisor do Núcleo de Análises Técnicas Embrapa

Leia mais

Prof o. LER IRRIGAÇÃO Dr. Marcos Vinícius Folegatti Aula 02

Prof o. LER IRRIGAÇÃO Dr. Marcos Vinícius Folegatti Aula 02 Prof o LER 1571 - IRRIGAÇÃO Dr. Marcos Vinícius Folegatti Aula 02 LER - 1571 Irrigação DISPONIBILIDADE DE RECURSOS HÍDRICOS E DESENVOLVIMENTO DA IRRIGAÇÃO Marcos Vinícius Folegatti DISTRIBUIÇÃO DAS ÁGUAS

Leia mais

Estudos dos impactos da agricultura na quantidade e qualidade da água no solo e nos rios

Estudos dos impactos da agricultura na quantidade e qualidade da água no solo e nos rios Estudos dos impactos da agricultura na quantidade e qualidade da água no solo e nos rios Universidade Federal de Santa Maria Professores: Jean P.G. Minella, José Miguel Reichert, Dalvan J. Reinert Universidade

Leia mais

Centro de Ciências Agrárias Dom Pedrito Curso de Zootecnia. Forrageiras II. Irrigação

Centro de Ciências Agrárias Dom Pedrito Curso de Zootecnia. Forrageiras II. Irrigação Centro de Ciências Agrárias Dom Pedrito Curso de Zootecnia Forrageiras II Irrigação Prof. José Acélio Fontoura Júnior acelio.fontoura@unipampa.edu.br Irrigação é uma técnica utilizada na agricultura que

Leia mais

Irrigação. Irrigação. Escoamento ou gravidade 09/03/2011. Infiltração, utilizando canais abertos entre fileiras de plantas

Irrigação. Irrigação. Escoamento ou gravidade 09/03/2011. Infiltração, utilizando canais abertos entre fileiras de plantas Irrigação Irrigação Prof. Luciane Costa de Oliveira Fonte: Eng. Agrônomo Lucas de Paula Mera É uma técnica utilizada na agricultura que tem por objetivo o fornecimento controlado de água para as plantas

Leia mais

Hortaliças: Importância e Cultivo. Werito Fernandes de Melo

Hortaliças: Importância e Cultivo. Werito Fernandes de Melo Hortaliças: Importância e Cultivo Werito Fernandes de Melo Importância do agronegócio para o Brasil. Algodão produção de 1,2 milhões/t em 2004 (5º); cresceu 22% em 2003; exportações em de 400 mil t (3º);

Leia mais

Política Nacional de Recursos Hídricos

Política Nacional de Recursos Hídricos Política Nacional de Recursos Hídricos João Bosco Senra Diretor de Recursos Hídricos SRHU/MMA Workshop Sobre Contas de Água, Energia, Terra e Ecossistemas Rio de Janeiro, 23 a 25 de setembro de 2009 BRASIL

Leia mais

MÉTODOS DE MANEJO DA IRRIGAÇÃO NO CULTIVO DA ALFACE AMERICANA

MÉTODOS DE MANEJO DA IRRIGAÇÃO NO CULTIVO DA ALFACE AMERICANA MÉTODOS DE MANEJO DA IRRIGAÇÃO NO CULTIVO DA ALFACE AMERICANA VIEIRA, T.A. 1 ; SANTANA, M.J. 2 ; BIULCHI, P.A. 2 ; VASCONCELOS, R.F. 3 1 Estudante de Agronomia do CEFET Uberaba MG, bolsista FAPEMIG, e-mail:

Leia mais

file://e:\arquivos\poster\451.htm

file://e:\arquivos\poster\451.htm Página 1 de 5 LIXIVIAÇÃO DE NITRATO EM MANEJOS DO SOLO PARA A CULTURA DO FUMO (1) KAISER, D.R. (2); BRAGA, F.V.A.(3); REINERT, D.J. (4); REICHERT, J.M.(4) ; AITA, C.(4) 1 Pesquisa executada com recursos

Leia mais

Estande em Cebola: fator fundamental para o sucesso do empreendimento.

Estande em Cebola: fator fundamental para o sucesso do empreendimento. Estande em Cebola: fator fundamental para o sucesso do empreendimento. Nuno R. Madeira e Valter R. Oliveira 1 O sucesso na produção de cebola depende de vários fatores, a começar pela escolha da variedade,

Leia mais

COMPARATIVOS ENTRE SISTEMAS DE IRRIGAÇÃO NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO RIBEIRÃO PRETO - SP

COMPARATIVOS ENTRE SISTEMAS DE IRRIGAÇÃO NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO RIBEIRÃO PRETO - SP COMPARATIVOS ENTRE SISTEMAS DE IRRIGAÇÃO NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO RIBEIRÃO PRETO - SP 17 DE JULHO DE 2012 CARACTERIZAÇÃO DO AMBIENTE O clima semiárido está presente no Brasil nas regiões Nordeste e Sudeste.

Leia mais

Uma rápida visão da cadeia produtiva de hortaliças no Brasil

Uma rápida visão da cadeia produtiva de hortaliças no Brasil II CONFERÊNCIA NACIONAL DEFESA AGROPECUARIA. Uma rápida visão da cadeia produtiva de hortaliças no Brasil Maio 28,2010 ESALQ 1973 CONSULTORIA PROJETO ESPECIAL QUEM É A ABCSEM? - ABCSEM ABCSEM - Defesa

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DA POLÍTICA ESTADUAL DE RECURSOS HÍDRICOS

IMPLEMENTAÇÃO DA POLÍTICA ESTADUAL DE RECURSOS HÍDRICOS SEM ARH SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS IMPLEMENTAÇÃO DA POLÍTICA ESTADUAL DE RECURSOS HÍDRICOS JOSÉ DE PAULA MORAES FILHO SECRETÁRIO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS RECURSOS

Leia mais

SISEMA. Sistema Estadual de Meio Ambiente. POLÍCIA MILITAR D E M I N A S G E R A I S Nossa profissão, sua vida.

SISEMA. Sistema Estadual de Meio Ambiente. POLÍCIA MILITAR D E M I N A S G E R A I S Nossa profissão, sua vida. SISEMA Sistema Estadual de Meio Ambiente POLÍCIA ALTERNATIVAS AMBIENTAIS COMO SOLUÇÃO PARA O ENFRENTAMENTO DA ESCASSEZ HIDRICA Luiz Henrique Ferraz Miranda Engenheiro Florestal Chefe do Escritório Regional

Leia mais

POLITICAS PÚBLICAS NO CONTEXTO DOS EVENTOS EXTREMOS

POLITICAS PÚBLICAS NO CONTEXTO DOS EVENTOS EXTREMOS POLITICAS PÚBLICAS NO CONTEXTO DOS EVENTOS EXTREMOS Eventos Hidrológicos Extremos: a crise como oportunidade para transformações nas Bacias PCJ Consórcio PCJ e Petrobrás SESC, Piracicaba/SP, 07 de maio

Leia mais

DISPONIBILIDE DE ÁGUA NO PLANETA

DISPONIBILIDE DE ÁGUA NO PLANETA DISPONIBILIDE DE ÁGUA NO PLANETA ¾ do planeta terra é água 3/4/2008 DISPONIBILIDE DE ÁGUA NO PLANETA UNIFORMIDADE DE DISTRIBUIÇÃO O Brasil possui 13,7% da água doce do planeta. x 80% das águas brasileiras

Leia mais

Otimização do Uso da Água na Agricultura Irrigada

Otimização do Uso da Água na Agricultura Irrigada São Mateus, ES 02 de setembro de 2016 Otimização do Uso da Água na Agricultura Irrigada Prof. Ds. Robson Bonomo Programa de Pós-graduação em Agricultura Tropical Departamento de Ciências Agrárias e Biológicas

Leia mais

Viabilidade da Irrigação de Salvamento nas Culturas de Verão. Goiânia, 20 a 22 de setembro de 2016

Viabilidade da Irrigação de Salvamento nas Culturas de Verão. Goiânia, 20 a 22 de setembro de 2016 Viabilidade da Irrigação de Salvamento nas Culturas de Verão Goiânia, 20 a 22 de setembro de 2016 Tópicos da palestra Desafios da agricultura e produçao de alimento Irrigaçao e seus desafios Regiões críticas

Leia mais

Experiências práticas e inovadoras na gestão da água em microbacias. Eng Agr Me Paulo José Alba

Experiências práticas e inovadoras na gestão da água em microbacias. Eng Agr Me Paulo José Alba Experiências práticas e inovadoras na gestão da água em microbacias. Eng Agr Me Paulo José Alba COOPERATIVA AGRÁRIA / FAPA COOPERATIVA AGRÁRIA / FAPA Estado - Paraná Meso Região Centro - Sul Município

Leia mais

Geografia. Claudio Hansen (Rhanna Leoncio) A Questão Ambiental

Geografia. Claudio Hansen (Rhanna Leoncio) A Questão Ambiental A Questão Ambiental A Questão Ambiental 1. (UNESP) Desde 1957 o mar de Aral, localizado entre o Cazaquistão e o Uzbequistão, teve uma redução de 50% de área e de mais 66% de volume, em boa parte por causa

Leia mais

IMPORTÂNCIA DO REUSO DE ESGOTO DOMÉSTICO NA PRESERVAÇÃO DOS ECOSSISTEMAS AGRÁRIOS

IMPORTÂNCIA DO REUSO DE ESGOTO DOMÉSTICO NA PRESERVAÇÃO DOS ECOSSISTEMAS AGRÁRIOS IMPORTÂNCIA DO REUSO DE ESGOTO DOMÉSTICO NA PRESERVAÇÃO DOS ECOSSISTEMAS AGRÁRIOS Prof. Dr. Rodrigo M. Sánchez-Román FCA UNESP - Botucatu IV WINOTEC INOVAGRI Fortaleza, CE - 2012 INTRODUÇÃO Oceano 97,5%

Leia mais

Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz

Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Produtos Hortícolas Da fazenda ao consumidor M.Sc. Gustavo Quesada Roldán Universidad de Costa Rica Doutorando em Fitotecnia ESALQ/USP

Leia mais

IT AGRICULTURA IRRIGADA

IT AGRICULTURA IRRIGADA 4 Manejo da irrigação 4.1 Introdução A água é fator limitante para o desenvolvimento agrícola, sendo que tanto a falta ou excesso afetam o crescimento, a sanidade e a produção das plantas. O manejo racional

Leia mais

ASPECTOS LEGAIS DA POLÍTICA DE SANEAMENTO BÁSICO E DE RECURSOS HÍDRICOS

ASPECTOS LEGAIS DA POLÍTICA DE SANEAMENTO BÁSICO E DE RECURSOS HÍDRICOS AILTON FRANCISCO DA ROCHA Superintendente de Recursos Hídricos Secretaria de Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos de Sergipe 09 DE DEZEMBRO DE 2015 POLÍTICA NACIONAL DE RECURSOS HÍDRICOS (LEI Nº 9.433/1997):

Leia mais

Padrão: água pura isenta de sais, submetida a condições normais de pressão (pressão relativa = 0) e sobre a superfície do solo.

Padrão: água pura isenta de sais, submetida a condições normais de pressão (pressão relativa = 0) e sobre a superfície do solo. 7 POTENCIAIS DE ÁGUA NO SOLO Potencial de água no solo define o estado de energia em que a água se encontra no solo em relação a um potencial padrão Padrão: água pura isenta de sais, submetida a condições

Leia mais

VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DO CULTIVO DO TOMATEIRO IRRIGADO *

VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DO CULTIVO DO TOMATEIRO IRRIGADO * VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DO CULTIVO DO TOMATEIRO IRRIGADO * VIEIRA, T.A. 1 ; SANTANA, M.J. 2 ; BARRETO, A.C. 2 * Projeto financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG).

Leia mais

Desafios e Perspectivas da Agricultura Irrigada. Eng. Agro. Marcos Brandão Braga

Desafios e Perspectivas da Agricultura Irrigada. Eng. Agro. Marcos Brandão Braga Desafios e Perspectivas da Agricultura Irrigada Eng. Agro. Marcos Brandão Braga Fundamentos sólidos para o aumento do consumo de alimentos Crescimento populacional, urbanização e participação dos países

Leia mais

Disponibilidade Hídrica do Sistema Elétrico Brasileiro

Disponibilidade Hídrica do Sistema Elétrico Brasileiro Disponibilidade Hídrica do Sistema Elétrico Brasileiro Maio/2003 A Água no Mundo Desse volume: 97,2% águas dos mares 2,15% geleiras e calotas polares 3/4 3/4 do do globo globo terrestre são são cobertos

Leia mais

Manejo de água em cultivo orgânico de banana nanica

Manejo de água em cultivo orgânico de banana nanica Manejo de água em cultivo orgânico de banana nanica Water management in organic cultivation of banana nanica PINTO, José Maria. Embrapa Semiárido, Petrolina, PE, jmpinto@cpatsa.embrapa.br; GALGARO, Marcelo.

Leia mais

Introdução 31/03/2017 INTRODUÇÃO A IRRIGAÇÃO E DRENAGEM: HISTÓRICO E IMPORTÂNCIA. Centro Universitário do Triângulo.

Introdução 31/03/2017 INTRODUÇÃO A IRRIGAÇÃO E DRENAGEM: HISTÓRICO E IMPORTÂNCIA. Centro Universitário do Triângulo. Centro Universitário do Triângulo INTRODUÇÃO A IRRIGAÇÃO E DRENAGEM: HISTÓRICO E IMPORTÂNCIA Disciplina: Irrigação e Drenagem Curso: Engenharia Agronômica - 6º período Professor: João Eduardo Ribeiro da

Leia mais

Subsídios à Gestão Territorial dos Recursos Hídricos. José Dilcio Rocha Embrapa Gestão Territorial

Subsídios à Gestão Territorial dos Recursos Hídricos. José Dilcio Rocha Embrapa Gestão Territorial Subsídios à Gestão Territorial dos Recursos Hídricos José Dilcio Rocha Embrapa Gestão Territorial Conteúdo A sinergia agricultura, água e energia A importância da irrigação Produção de alimentos e uso

Leia mais

MANEJO DA IRRIGAÇÃO MANEJO DA

MANEJO DA IRRIGAÇÃO MANEJO DA MANEJO DA IRRIGAÇÃO Prof o Dr. Marcos Vinícius Folegatti LER 1571 Irrigação EVAPOTRANSPIRAÇÃO E O MANEJO DA IRRIGAÇÃO ETP, ETo & ETR Penman Monteith (FAO56) Tanque Classe A Thornthwaite Camargo Hangreves

Leia mais

Técnica que dá RESULTADO

Técnica que dá RESULTADO Técnica que dá RESULTADO Cristine Pires cristine@agranja.com Os números não deixam dúvidas quanto aos benefícios da irrigação. Os 260 milhões de hectares cultivados com manejo de água no mundo representam

Leia mais

A Água nos Oceanos e a Relação com o Território

A Água nos Oceanos e a Relação com o Território 1. (Enem 2007) O artigo 1º, da Lei Federal no. 9.433/1997 (Lei das Águas) estabelece, entre outros, os seguintes fundamentos: I) a água é um bem de domínio público; II) a água é um recurso natural limitado,

Leia mais

Recursos Hídricos. Racionalização do uso da água no meio rural. Anexo III-f. Prospecção Tecnológica. Síntese de Painel de Especialistas

Recursos Hídricos. Racionalização do uso da água no meio rural. Anexo III-f. Prospecção Tecnológica. Síntese de Painel de Especialistas Centro de Gestão e Estudos Estratégicos Ciência, Tecnologia e Inovação Prospecção Tecnológica Recursos Hídricos Anexo III-f Racionalização do uso da água no meio rural Síntese de Painel de Especialistas

Leia mais

Balanço 2016 Perspectivas Hortaliças

Balanço 2016 Perspectivas Hortaliças Hortaliças 99 100 Balanço 2016 Perspectivas 2017 Perspectivas 2017 DESTAQUE PARA MAIS INVESTIMENTOS EM SISTEMAS DE CULTIVO DAS HORTALIÇAS Com área cultivada de aproximadamente 837 mil hectares e volume

Leia mais

Gestão Ambiental, Uso e Manejo de Dejetos Animais no Estado de Carolina do Norte. Regiões Fisiográficas do Estado

Gestão Ambiental, Uso e Manejo de Dejetos Animais no Estado de Carolina do Norte. Regiões Fisiográficas do Estado Gestão Ambiental, Uso e Manejo de Dejetos Animais no Estado de Carolina do Norte Jot Smyth Departamento de Ciências do Solo Universidade Estadual de Carolina do Norte Regiões Fisiográficas do Estado Bacias

Leia mais

Práticas conservacionistas e sua importância para os recursos hídricos

Práticas conservacionistas e sua importância para os recursos hídricos Práticas conservacionistas e sua importância para os recursos hídricos IX Simpósio de Pesquisa dos cafés do Brasil Curitiba, 24 a 26 de junho de 2015 Resumo Desafios da agricultura; Água disponível e utilizada

Leia mais

DEPARTAMENTO DE PRODUÇÃO VEGETAL

DEPARTAMENTO DE PRODUÇÃO VEGETAL DEPARTAMENTO DE PRODUÇÃO VEGETAL CHEFE DO DEPARTAMENTO: PROF. PEDRO CHRISTOFOLLETTI DISCIPLINA LPV 0480 FLORICULTURA E PLANTAS ORNAMENTAIS : PROF. PAULO HERCÍLIO OLERICULTURA : PROF. PAULO CESAR PROF.

Leia mais

Importância da cadeia produtiva brasileira de hortaliças

Importância da cadeia produtiva brasileira de hortaliças 13ª Reunião Ordinária da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Hortaliças / MAPA Brasília, DF - 22/11/2007 Importância da cadeia produtiva brasileira de hortaliças as Paulo César C Tavares de Melo, D.Sc.

Leia mais

IMPORTÂNCIA DO REUSO DE ESGOTO DOMÉSTICO NA PRESERVAÇÃO DOS ECOSSISTEMAS AGRÁRIOS

IMPORTÂNCIA DO REUSO DE ESGOTO DOMÉSTICO NA PRESERVAÇÃO DOS ECOSSISTEMAS AGRÁRIOS IMPORTÂNCIA DO REUSO DE ESGOTO DOMÉSTICO NA PRESERVAÇÃO DOS ECOSSISTEMAS AGRÁRIOS Rodrigo M. Sánchez-Román Departamento de Engenharia Rural FCA UNESP - Botucatu IV WINOTEC INOVAGRI Fortaleza, CE - 2012

Leia mais

DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM IRRIGAÇÃO NO CERRADO - PPGIC DISCIPLINAS CRÉDITOS CH MATRIZ CURRICULAR CARACTERÍSTICA

DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM IRRIGAÇÃO NO CERRADO - PPGIC DISCIPLINAS CRÉDITOS CH MATRIZ CURRICULAR CARACTERÍSTICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO GERÊNCIA DE PÓSGRADUAÇÃO, PESQUISA E INOVAÇÃO PROGRAMA DE PÓSGRADUAÇÃO EM IRRIGAÇÃO NO CERRADO DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓSGRADUAÇÃO EM IRRIGAÇÃO

Leia mais

HISTÓRICO DE ATUAÇÃO E DEMANDAS TECNOLÓGICAS DO SETOR AGROPECUÁRIO DO DF

HISTÓRICO DE ATUAÇÃO E DEMANDAS TECNOLÓGICAS DO SETOR AGROPECUÁRIO DO DF HISTÓRICO DE ATUAÇÃO E DEMANDAS TECNOLÓGICAS DO SETOR AGROPECUÁRIO DO DF Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal SETEMBRO 2016 O QUE É A EMATER-DF? Empresa Pública, criada em

Leia mais

Cultivo do Milho. Sumário. Irrigação. Viabilidade de irrigação de milho

Cultivo do Milho. Sumário. Irrigação. Viabilidade de irrigação de milho Embrapa Milho e SorgQ Sistemas de Produção, 2 ISSN 1679-012X Versão Eletrônica - 3 U edição SetJ2007 Cultivo do Milho Camilo de Lelis Teixeira de Andrade Ricardo A, l, Brito Sumário Irrigação Apresentação

Leia mais

Importância do Manejo de Solos

Importância do Manejo de Solos CENTRO UNIVERSITÁRIO DO TRIÂNGULO IMPORTÂNCIA DO SOLO O seu uso adequado, além de garantir o suprimento de água para Importância do Manejo de Solos as culturas, criações e comunidades; previne a erosão

Leia mais

Figura 1 - Evolução das Áreas Irrigadas no Brasil (Christofidis, 2002a).

Figura 1 - Evolução das Áreas Irrigadas no Brasil (Christofidis, 2002a). 6.4. Agricultura irrigada 6.4.1. Situação Atual A agricultura irrigada é o maior consumidor de recursos hídricos. Caracteriza-se pelo uso consuntivo, onde a quase a totalidade da água destinada à produção

Leia mais

PLANO DE ENSINO EMENTA

PLANO DE ENSINO EMENTA PLANO DE ENSINO DADOS DO COMPONENTE CURRICULAR Nome do COMPONENTE CURRICULAR : Olericultura e Plantas Medicinais Curso: Curso Superior de Tecnologia em Agroecologia Série/Período: 2015.2 Carga Horária:

Leia mais

COEFICIENTES DE CULTURA PARA O ALHO IRRIGADO

COEFICIENTES DE CULTURA PARA O ALHO IRRIGADO COEFICIENTES DE CULTURA PARA O ALHO IRRIGADO RESENDE, B.P.M.C. 1 ; SANTANA, M.J. de 2 ; SILVEIRA, A.L. da 3 ; TAVARES, W.A. 1 ; BARRETO, A.C. 2 ; CRUZ, O.C. 2 1 Estudante de Tecnologia de Irrigação e Drenagem

Leia mais

Situação atual e perspectivas da produção de cebola no Brasil

Situação atual e perspectivas da produção de cebola no Brasil XXII Seminário Nacional da Cebola XIII Seminário da Cebola do Mercosul Situação atual e perspectivas da produção de cebola no Brasil Prof. Dr. Paulo César C Tavares de Melo USP/ESALQ Associação Brasileira

Leia mais

Recursos Hídricos. A interação do saneamento com as bacias hidrográficas e os impactos nos rios urbanos

Recursos Hídricos. A interação do saneamento com as bacias hidrográficas e os impactos nos rios urbanos 74 a Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia Recursos Hídricos A interação do saneamento com as bacias hidrográficas e os impactos nos rios urbanos SECRETARIA DE RECURSOS HÍDRICOS E QUALIDADE AMBIENTAL

Leia mais

CONCEITOS FUNDAMENTAIS

CONCEITOS FUNDAMENTAIS CONCEITOS FUNDAMENTAIS José Antonio Tosta dos Reis Departamento de Engenharia Ambiental Universidade Federal do Espírito Santo A palavra HIDROLOGIA é originada das palavras gregas HYDOR (que significa

Leia mais

Analise Comparativa de Manejo e Sistemas de Irrigação Geraldo Antonio Ferreguetti Engenheiro Agrônomo

Analise Comparativa de Manejo e Sistemas de Irrigação Geraldo Antonio Ferreguetti Engenheiro Agrônomo Analise Comparativa de Manejo e Sistemas de Irrigação Geraldo Antonio Ferreguetti Engenheiro Agrônomo Presidente da SEEA Sociedade Espiritossantense de Engenheiros Agrônomos Sumario Crise hídrica Vilões

Leia mais

Nexo água-alimentoenergia: produzir com sustentabilidade. Brasília, 27 de julho de 2016

Nexo água-alimentoenergia: produzir com sustentabilidade. Brasília, 27 de julho de 2016 Nexo água-alimentoenergia: o desafio de produzir com sustentabilidade Brasília, 27 de julho de 2016 Desafios para produção de alimentos Multifuncionalidade A Agricultura será, cada vez mais, pressionada

Leia mais

MANEJO DE BACIAS HIDROGRÁFICAS PARA PRODUÇÃO DE ÁGUA. Profª Celme Torres F da Costa

MANEJO DE BACIAS HIDROGRÁFICAS PARA PRODUÇÃO DE ÁGUA. Profª Celme Torres F da Costa MANEJO DE BACIAS HIDROGRÁFICAS PARA PRODUÇÃO DE ÁGUA Profª Celme Torres F da Costa MOTIVAÇÃO Estamos diante de um cenário onde é imprescindível observar os impactos das atividades humanas sobre a Terra,

Leia mais

Hidrologia Aplicada - Profª Ticiana Marinho de Carvalho Studart. Introdução - Aula 02 - Pág. 15

Hidrologia Aplicada - Profª Ticiana Marinho de Carvalho Studart. Introdução - Aula 02 - Pág. 15 Introdução - Aula 02 - Pág. 15 Introdução - Aula 02 - Pág. 14 DIVISORES Primeiro passo - delimitação do seu contorno Linha de separação que divide as precipitações em bacias vizinhas SÃO 3 OS DIVISORES

Leia mais

MANEJO DA MANCHA DE RAMULÁRIA E MOFO BRANCO

MANEJO DA MANCHA DE RAMULÁRIA E MOFO BRANCO MANEJO DA MANCHA DE RAMULÁRIA E MOFO BRANCO Luiz Gonzaga Chitarra Fitopatologista Embrapa Algodão Luiz.chitarra@embrapa.br ASPECTOS GERAIS MANCHA DE RAMULARIA Causada pelo fungo Ramularia areola Atk.;

Leia mais

Manejo da adubação nitrogenada na cultura do milho

Manejo da adubação nitrogenada na cultura do milho Manejo da adubação nitrogenada na cultura do milho Atualmente, pode-se dizer que um dos aspectos mais importantes no manejo da adubação nitrogenada na cultura do milho refere-se à época de aplicação e

Leia mais

IRRIGAÇÃO NA CULTURA DA CANA

IRRIGAÇÃO NA CULTURA DA CANA IRRIGAÇÃO NA CULTURA DA CANA Discentes: Andrews Molnar Alcalde Nádia Maria Poloni Gabriel Otávio Di Santi Pinheiro Docente: Prof. Dr. Fernando Braz Tangerino Hernandez Panorama do setor canavieiro brasileiro

Leia mais

PANORAMA DA CAFEICULTURA ARABICA NO BRASIL

PANORAMA DA CAFEICULTURA ARABICA NO BRASIL PANORAMA DA CAFEICULTURA ARABICA NO BRASIL Rodrigo Ticle Ferreira Projeto Educampo Café - Capal/Sebrae Campo Experimental de Café da Capal Triângulo/Alto Paranaíba ALTO PARANAÍBA-MG REGIÕES POLO ALTO PARANAÍBA-MG

Leia mais

ANÁLISE DO CONSUMO DE ÁGUA DE TRÊS SISTEMAS SUSTENTÁVEIS DE IRRIGAÇÃO POR GOTEJAMENTO EM CULTURAS DE CAPSICUM FRUTESCENS

ANÁLISE DO CONSUMO DE ÁGUA DE TRÊS SISTEMAS SUSTENTÁVEIS DE IRRIGAÇÃO POR GOTEJAMENTO EM CULTURAS DE CAPSICUM FRUTESCENS ANÁLISE DO CONSUMO DE ÁGUA DE TRÊS SISTEMAS SUSTENTÁVEIS DE IRRIGAÇÃO POR GOTEJAMENTO EM CULTURAS DE CAPSICUM FRUTESCENS Sávio Túlio de Sá Aguiar Silva ¹, Mayk Douglas Vilar Gambarra¹, Maria Daniely Oliveira

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA. Disciplina: Olericultura Geral Código da Disciplina: AGR 355. Semestre de oferta da disciplina: I e II

PROGRAMA DE DISCIPLINA. Disciplina: Olericultura Geral Código da Disciplina: AGR 355. Semestre de oferta da disciplina: I e II PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Olericultura Geral Código da Disciplina: AGR 355 Curso: Agronomia Semestre de oferta da disciplina: I e II Faculdade responsável: Agronomia Programa em vigência a partir

Leia mais

RELAÇÃO SOLO, ÁGUA, PLANTA. Engº Agrº Nilton Brittos da Silva ESREG- ESTRELA JUNHO/07

RELAÇÃO SOLO, ÁGUA, PLANTA. Engº Agrº Nilton Brittos da Silva ESREG- ESTRELA JUNHO/07 RELAÇÃO SOLO, ÁGUA, PLANTA Engº Agrº Nilton Brittos da Silva ESREG- ESTRELA JUNHO/07 RELAÇÃO SOLO-ÁGUA-CLIMA E PLANTA A irrigação não deve ser considerada, apenas, como a captação, condução e o fornecimento

Leia mais

Irrigação e fertirrigação em fruteiras e hortaliças

Irrigação e fertirrigação em fruteiras e hortaliças Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Cocais Embrapa Hortaliças Embrapa Mandioca e Fruticultura Embrapa Semiárido Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Irrigação e fertirrigação

Leia mais

Produção de Folhosas sem desperdício de água. Palestra 2 Tecnologia de Cultivo e Gotejamento. Regina Célia de Matos Pires -

Produção de Folhosas sem desperdício de água. Palestra 2 Tecnologia de Cultivo e Gotejamento. Regina Célia de Matos Pires - Produção de Folhosas sem desperdício de água Palestra 2 Tecnologia de Cultivo e Gotejamento Regina Célia de Matos Pires - IAC Campinas, 10 agosto de 2016 Economia de água - importância População mundial

Leia mais

8º Congresso Brasileiro da Associação Brasileira de Educação Agrícola Superior 7 a 11 de outubro de 2013 Cascavel - PR

8º Congresso Brasileiro da Associação Brasileira de Educação Agrícola Superior 7 a 11 de outubro de 2013 Cascavel - PR 8º Congresso Brasileiro da Associação Brasileira de Educação Agrícola Superior 7 a 11 de outubro de 2013 Cascavel - PR Jorge Miguel Samek Diretor-Geral Brasileiro ITAIPU BINACIONAL A ÁGUA DO MUNDO A ÁGUA

Leia mais

HIDROLOGIA AULA semestre - Engenharia Civil. ESCOAMENTO SUPERFICIAL 1 Profª. Priscila Pini

HIDROLOGIA AULA semestre - Engenharia Civil. ESCOAMENTO SUPERFICIAL 1 Profª. Priscila Pini HIDROLOGIA AULA 10 5 semestre - Engenharia Civil ESCOAMENTO SUPERFICIAL 1 Profª. Priscila Pini prof.priscila@feitep.edu.br Geração do Escoamento em uma bacia 1. Durante as chuvas intensas Água da chuva

Leia mais

Controle de Enchentes e Colheita de Chuva em Microbacia Urbana

Controle de Enchentes e Colheita de Chuva em Microbacia Urbana 3º - Simpósio Internacional em Microbacias Sustentabilidade da Água e Serviços Ambientais Controle de Enchentes e Colheita de Chuva em Microbacia Urbana Valdemir Antonio Rodrigues 17 e 18 de junho de 2010

Leia mais

Irrigação por Aspersão em Hortaliças

Irrigação por Aspersão em Hortaliças Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Hortaliças Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Irrigação por Aspersão em Hortaliças Qualidade da Água, Aspectos do Sistema e Método Prático

Leia mais

Caracterização Técnico-Econômica da Cultura do Milho Verde no Brasil em 2006 Alfredo Tsunechiro 1 e Maximiliano Miura 1

Caracterização Técnico-Econômica da Cultura do Milho Verde no Brasil em 2006 Alfredo Tsunechiro 1 e Maximiliano Miura 1 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Caracterização Técnico-Econômica da Cultura do Milho Verde no Brasil em 2006 Alfredo Tsunechiro 1 e Maximiliano Miura

Leia mais

Irrigação por Aspersão em Hortaliças. Qualidade da Água, Aspectos do Sistema e Método Prático de Manejo

Irrigação por Aspersão em Hortaliças. Qualidade da Água, Aspectos do Sistema e Método Prático de Manejo Irrigação por Aspersão em Hortaliças Qualidade da Água, Aspectos do Sistema e Método Prático de Manejo Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Hortaliças Ministério da Agricultura, Pecuária

Leia mais

9 IRRIGAÇÃO POR ASPERSÃO CONVENCIONAL

9 IRRIGAÇÃO POR ASPERSÃO CONVENCIONAL 9 IRRIGAÇÃO POR ASPERSÃO CONVENCIONAL 9.1 TIPOS DE SISTEMAS FIXOS PERMANENTES FIXOS TEMPORÁRIOS SEMIFÍXOS PORTÁTEIS 9.2 VANTAGENS, LIMITAÇÕES E PESRPECTIVAS VANTAGENS Dispensa sistematização ou uniformização

Leia mais

MUDANÇAS CLIMÁTICAS E SEUS EFEITOS SOBRE OS PLANTIOS DE EUCALIPTO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS E SEUS EFEITOS SOBRE OS PLANTIOS DE EUCALIPTO MUDANÇAS CLIMÁTICAS E SEUS EFEITOS SOBRE OS PLANTIOS DE EUCALIPTO FERNANDO BERTOLUCCI Seminários Valor Econômico Impacto das Mudanças Climáticas no Agronegócio Brasileiro Copyright 2014 Fibria todos os

Leia mais

LANÇAMENTO DO PROGRAMA DE APROVEITAMENTO DA ÁGUA DAS CHUVAS 3 DE OUTUBRO DE 2014, MAPUTO DIMENSÃO ENERGÉTICA DA EXPLORAÇÃO DA ÁGUA DAS CHUVAS PARA IRRIGAÇÃO DE PEQUENA ESCALA EM MOÇAMBIQUE boaventura.cuamba@gmail.com

Leia mais

José do Egito Sales Andrade

José do Egito Sales Andrade PREFEITURA DE GENERAL SAMPAIO SECRETARIA DO DESENVOLVIMENTO RURAL E MEO AMBIENTE José do Egito Sales Andrade Mestre em Manejo e Conservação de Solo e Água Junho/2016 Técnicas Práticas de Manejo e Solo

Leia mais

Apoio Institucional 2

Apoio Institucional 2 Cap-Net Brasil - Rede Brasileira de Capacitação em Recursos HídricosH 2 Apoio Institucional Apresentação 1. Contextualização para GIRH 2. Rede Mundial de Capacitação em GIRH (Cap-Net) 2.1 Estrutura Organizacional

Leia mais

Planejamento e instalação de pomares

Planejamento e instalação de pomares Universidade Federal de Rondônia Curso de Agronomia Fruticultura I Planejamento e instalação de pomares Emanuel Maia emanuel@unir.br www.lahorta.acagea.net Perguntas iniciais O que plantar? Qual o mercado?

Leia mais

eventos extremos ligados a recursos hídricos

eventos extremos ligados a recursos hídricos Mudanças climáticas e eventos extremos ligados a recursos hídricos JOAQUIM GONDIM SUPERINTENDENTE DE USOS MÚLTIPLOS Brasília, 4 de agosto de 2009 AS INUNDAÇÕES E AS SECAS TÊM CADA VEZ MAIS CHAMADO A ATENÇÃO

Leia mais

Mesa Redonda Desafios da captação de água de chuva no Semi-Árido brasileiro

Mesa Redonda Desafios da captação de água de chuva no Semi-Árido brasileiro Mesa Redonda Desafios da captação de água de chuva no Semi-Árido brasileiro Luiza Teixeira de Lima Brito Embrapa Semi-Árido Campina Grande-PB, 05 a 07 de maio de 2009 Nordeste Brasileiro Grande diversidade

Leia mais

Planejamento e Manejo da Água na Agricultura Irrigada 17 a 21 de outubro de 2011 UNL (Esperanza/Santa Fe) 4 Planejamento e manejo da irrigação

Planejamento e Manejo da Água na Agricultura Irrigada 17 a 21 de outubro de 2011 UNL (Esperanza/Santa Fe) 4 Planejamento e manejo da irrigação Planejamento e Manejo da Água na Agricultura Irrigada 17 a 21 de outubro de 2011 UNL (Esperanza/Santa Fe) 4 Planejamento e manejo da irrigação Planejamento e Manejo da Água na Agricultura Irrigada 17 a

Leia mais

E SUSTENTABILIDADE. Baseado no material de aula da disciplina ciências do ambiente das profa.. Márcia M Marinho (DEA-UFBA) e Ângela Lima (IFBA)

E SUSTENTABILIDADE. Baseado no material de aula da disciplina ciências do ambiente das profa.. Márcia M Marinho (DEA-UFBA) e Ângela Lima (IFBA) E SUSTENTABILIDADE Baseado no material de aula da disciplina ciências do ambiente das profa.. Márcia M Marinho (DEA-UFBA) e Ângela Lima (IFBA) Disponibilidade de água Toda a água Água doce Águas subterrâneas

Leia mais

VIABILIDADE ECONÔMICA DO SISTEMA DE PRODUÇÃO SOJA- MILHO SAFRINHA 1.INTRODUÇÃO

VIABILIDADE ECONÔMICA DO SISTEMA DE PRODUÇÃO SOJA- MILHO SAFRINHA 1.INTRODUÇÃO VIABILIDADE ECONÔMICA DO SISTEMA DE PRODUÇÃO SOJA- MILHO SAFRINHA Alceu Richetti 1 1.INTRODUÇÃO No cenário nacional, o Estado de Mato Grosso do Sul é o terceiro maior produtor de milho safrinha e o quinto

Leia mais

CLASSIFICAÇÕES TÉCNICAS OU INTERPRETATIVAS

CLASSIFICAÇÕES TÉCNICAS OU INTERPRETATIVAS CLASSIFICAÇÕES TÉCNICAS OU INTERPRETATIVAS Introdução: Objetivos: a) ajudar os agricultores e técnicos nas interpretações e utilização de mapas de solos; b) apresentar aos usuários, os detalhes dos mapas

Leia mais

Os avanços e as lacunas do sistema de gestão sustentável dos Recursos Hídricos no Brasil

Os avanços e as lacunas do sistema de gestão sustentável dos Recursos Hídricos no Brasil Os avanços e as lacunas do sistema de gestão sustentável dos Recursos Hídricos no Brasil Palestrante: Rafael F. Tozzi Belém, 10 de agosto de 2017 1 Contexto Geral A seca e escassez no Sudeste, as inundações

Leia mais

Eficiência técnica e econômica de irrigação de pastagens. Barreiras, 25 de Agosto de 2017

Eficiência técnica e econômica de irrigação de pastagens. Barreiras, 25 de Agosto de 2017 Eficiência técnica e econômica de irrigação de pastagens Barreiras, 25 de Agosto de 2017 Introdução Uma das estratégias para lidar com a sazonalidade de produção de forragens é a utilização de irrigação

Leia mais

Cadeia Produtiva da Silvicultura

Cadeia Produtiva da Silvicultura Cadeia Produtiva da Silvicultura Silvicultura É a atividade que se ocupa do estabelecimento, do desenvolvimento e da reprodução de florestas, visando a múltiplas aplicações, tais como: a produção de madeira,

Leia mais

Saneamento Urbano I TH052

Saneamento Urbano I TH052 Universidade Federal do Paraná Arquitetura e Urbanismo Saneamento Urbano I TH052 Aula 03 Ciclo hidrológico, usos do solo e da água Profª Heloise G. Knapik 1 Surgimento das cidades Planejamento Conflitos

Leia mais

Foto: Salada de Espinafre Popeye com Frango Grelhado e Manga.

Foto: Salada de Espinafre Popeye com Frango Grelhado e Manga. Foto: Salada de Espinafre Popeye com Frango Grelhado e Manga. 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 Plantio e Consumo de Sementes As informações abaixo são indicativos gerais

Leia mais

Hidrologia, Pedologia e Geologia

Hidrologia, Pedologia e Geologia CONCURSO PETROBRAS ENGENHEIRO(A) DE MEIO AMBIENTE JÚNIOR PROFISSIONAL DE MEIO AMBIENTE JÚNIOR PROFISSIONAL JR - ENG. DE MEIO AMBIENTE JÚNIOR Hidrologia, Pedologia e Geologia Questões Resolvidas QUESTÕES

Leia mais

ZONEAMENTO AMBIENTAL E PRODUTIVO ZAP INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE EM AGROECOSISTEMAS -ISA PAULO AFONSO ROMANO SECRETÁRIO ADJUNTO

ZONEAMENTO AMBIENTAL E PRODUTIVO ZAP INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE EM AGROECOSISTEMAS -ISA PAULO AFONSO ROMANO SECRETÁRIO ADJUNTO ZONEAMENTO AMBIENTAL E PRODUTIVO ZAP INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE EM AGROECOSISTEMAS -ISA PAULO AFONSO ROMANO SECRETÁRIO ADJUNTO C E N Á R I O S - A G R O N E G Ó C I O 2 3 CRESCIMENTO POPULACIONAL

Leia mais

O Rio Grande do Sul e o enfrentamento da escassez de água. Fernando Meirelles IPH/UFRGS DRH/SEMA

O Rio Grande do Sul e o enfrentamento da escassez de água. Fernando Meirelles IPH/UFRGS DRH/SEMA O Rio Grande do Sul e o enfrentamento da escassez de água Fernando Meirelles IPH/UFRGS DRH/SEMA Nós Nós Osca Variabilidade climática Precipitações 1943-2012 Novembro Antônio Prado Bagé Camaquã Erechim

Leia mais

FOLHA DE PROVA. Tabela 1: Características operacionais de campo. Operação Aração 1,20 5,50 78 Gradagem 3,40 7,10 80 Semeadura 3,50 6,00 65

FOLHA DE PROVA. Tabela 1: Características operacionais de campo. Operação Aração 1,20 5,50 78 Gradagem 3,40 7,10 80 Semeadura 3,50 6,00 65 CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGO EFETIVO Tema 01: MÁQUINAS E IMPLEMENTOS AGRÍCOLAS Um produtor rural realizará a semeadura de soja em um área de 35 ha, após o preparo do solo. O preparo do solo

Leia mais

Universidade de Aveiro Departamento de Física. Evaporação. Elsa Vieira Mafalda Morais Rita Soares 31157

Universidade de Aveiro Departamento de Física. Evaporação. Elsa Vieira Mafalda Morais Rita Soares 31157 Universidade de Aveiro Departamento de Física Evaporação Elsa Vieira 26297 Mafalda Morais 31326 Rita Soares 31157 Introdução A evaporação é um fenómeno no qual, os átomos ou moléculas no estado líquido

Leia mais

Roberto Botelho Ferraz Branco Eng. Agr. Dr., PqC do Pólo Regional Centro Leste/APTA Sally Ferreira Blat.

Roberto Botelho Ferraz Branco Eng. Agr. Dr., PqC do Pólo Regional Centro Leste/APTA Sally Ferreira Blat. SISTEMA DE CULTIVO NA PRODUÇÃO DE HORTALIÇAS Roberto Botelho Ferraz Branco Eng. Agr. Dr., PqC do Pólo Regional Centro Leste/APTA branco@apta.sp.gov.br Sally Ferreira Blat Eng. Agr. Dr., PqC do Pólo Regional

Leia mais

Características Ecológicas dos Açudes (Reservatórios) do Semi-Árido

Características Ecológicas dos Açudes (Reservatórios) do Semi-Árido Características Ecológicas dos Açudes (Reservatórios) do Semi-Árido Reservatórios ocupam hoje cerca de 600.000 km 2 de águas represadas em todo o planeta. A construção de reservatórios tem origem muito

Leia mais