CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE CFC. Exame de Suficiência Edição nº 1/2016. Contabilidade Aplicada ao Setor Público

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE CFC. Exame de Suficiência Edição nº 1/2016. Contabilidade Aplicada ao Setor Público"

Transcrição

1 CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE CFC Exame de Suficiência Edição nº 1/2016 Contabilidade Aplicada ao Setor Público Aula 06 Prof. Marcio José Assumpção 1

2 Despesa pública: conceito, etapas, estágios e categorias econômicas. 2

3 Modalidades de Saídas de Recursos Despesa Orçamentária Caixa Devolução de DDO (Passivo) Restituição 3

4 Modalidades de Dispêndios Dispêndios Orçamentários: estão previstos no orçamento anual onde estão destacadas as despesas correntes (Pessoal, Juros da Dívida e Outras Correntes) e despesas de capital (Investimento, Inversão Financeira e Amortização da Dívida). 4

5 Modalidades de Dispêndios Dispêndios Extra-Orçamentários: não estão previstos no orçamento e correspondem a fatos de natureza financeira decorrentes da própria gestão pública (devolução de depósitos). 5

6 DESPESA ORÇAMENTÁRIA Despesa orçamentária é fluxo que deriva da utilização de crédito consignado no orçamento da entidade, podendo ou não diminuir a situação líquida patrimonial. (MCASP Parte I Procedimentos Contábeis Orçamentários) VISÃO ORÇAMENT. NA LEI 4.320/64: Art. 35. Pertencem ao exercício financeiro:... II as despesas nele legalmente empenhadas; 6

7 Enfoques da despesa: Patrimonial x Orçamentária VARIAÇÃO PATRIMONIAL DIMINUTIVA Despesas são decréscimos nos benefícios econômicos durante o período contábil sob a forma de saída de recursos ou redução de ativos ou incremento em passivos, que resultem em decréscimo do patrimônio líquido e que não sejam provenientes de distribuição aos proprietários da entidade. (Res. CFC 1.121/2008) 7

8 Classificações da Despesa Orçamentária 8

9 Categoria Econômica: identifica se o gasto vai contribuir para formação ou aquisição de um bem de capital. DESPESA CORRENTE DESPESA DE CAPITAL CATEGORIA ECONÔMICA Não contribui para formação ou aquisição bem de capital Contribui para formação ou aquisição de bem de capital ou amortização de dívida. Pode provocar registro em ATIVOS ou PASSIVOS CIRCULANTES. Provoca, em geral, registro no ATIVO ou no PASSIVO NÃO CIRCULANTE. 9

10 GRUPO DA NATUREZA DA DESPESA Identifica de forma sintética o objeto de gasto. Agrega os elementos de despesa de mesma natureza. GRUPO DE DESPESA 1 PESSOAL E ENCARGOS SOCIAIS DESPESAS CORRENTES DESPESAS DE CAPITAL 2 JUROS E ENCARGOS DA DÍVIDA 3 OUTRAS DESPESAS CORRENTES 4 INVESTIMENTOS 5 INVERSÕES FINANCEIRAS 6 AMORTIZAÇÃO DA DÍVIDA 10

11 Etapas da Despesa Orçamentária PLANEJAMENTO EXECUÇÃO FIXAÇÃO EMPENHO LIQUIDAÇÃO ORDINÁRIO GLOBAL ESTIMATIVA LEI / 1964 PAGAMENTO 11

12 Etapas da Despesa Orçamentária Empenho - Lei 4.320/64 Art. 58. O empenho de despesa é o ato emanado de autoridade competente que cria para o Estado obrigação de pagamento pendente ou não de implemento de condição. Art O empenho da despesa não poderá exceder o limite dos créditos concedidos. Ordinário Estimativo (Cujo montante não se possa determinar) Global (Sujeitas a Parcelamento) 12

13 Etapas da Despesa Orçamentária - Empenho Lei 4.320/64 Art. 60. É vedada a realização de despesa sem prévio empenho. 1º Em casos especiais, previstos na legislação específica, será dispensada a emissão da nota de empenho. Capítulo 10 13

14 Liquidação Lei 4.320/1964 Art. 63 (4.320/64 com adaptações do Decreto /86). A liquidação da despesa consiste na verificação do direito adquirido pelo credor ou entidades beneficiárias tendo por base os títulos e documentos comprobatórios do respectivo crédito ou habilitação do benefício. Capítulo 10 14

15 Liquidação Lei 4.320/1964 Art Essa verificação tem por fim apurar: I - a origem e o objeto do que se deve pagar; II - a importância exata a pagar; III - a quem se deve pagar a importância, para extinguir a obrigação. Capítulo 10 15

16 Liquidação Art Lei 4.320/1964 2º A liquidação da despesa por fornecimentos feitos ou serviços prestados terá por base: I - o contrato, ajuste ou acordo respectivo; II - a nota de empenho; III - os comprovantes da entrega de material ou da prestação efetiva do serviço. Capítulo 10 16

17 Pagamento Lei 4.320/1964 (Artigos 65) O pagamento da despesa será efetuado por tesouraria ou pagadoria regularmente instituídos por estabelecimentos bancários credenciados e, em casos excepcionais, por meio de adiantamento. O regime de adiantamento é aplicável aos casos de despesas expressamente definidos em lei e consiste na entrega de numerário a servidor, sempre precedida de empenho na dotação própria para o fim de realizar despesas, que não possam subordinar-se ao processo normal de aplicação. 17

18 Encerramento do Exercício e Restos a Pagar Lei 4.320/1964 Inscrevem-se em restos a pagar as despesas empenhadas e não pagas até 31 de dezembro Não Processados Processados (Art. 36 da Lei 4.320/1964) 18

FASES DA DESPESA. Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado

FASES DA DESPESA. Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado FASES DA DESPESA Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado FASES DA DESPESA Empenho Liquidação Pagamento EMPENHO Conceito: reserva de dotação orçamentária Dotação orçamentária: valor autorizado para a despesa constante

Leia mais

Acompanhamento da Contabilidade e Tesouraria. Edilmar Oliveira Carlos Antonio Hulle Alves Naiara Cristina

Acompanhamento da Contabilidade e Tesouraria. Edilmar Oliveira Carlos Antonio Hulle Alves Naiara Cristina Acompanhamento da Contabilidade e Tesouraria Edilmar Oliveira Carlos Antonio Hulle Alves Naiara Cristina Classificação da Receita Art. 11 - A receita classificar-se-á nas seguintes categorias econômicas:

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA Legislação Prof. Cláudio Alves São créditos adicionais, as autorizações de despesa não computadas ou insuficientemente dotadas na Lei de Orçamento. Os créditos adicionais

Leia mais

Receitas e Despesas Públicas. Prof. Ms Paulo Dantas

Receitas e Despesas Públicas. Prof. Ms Paulo Dantas Receitas e Despesas Públicas Prof. Ms Paulo Dantas Considera-se, como receita pública, todo o recurso obtido pelo Estado para atender às despesas públicas. As receitas públicas efetiva provem dos serviços

Leia mais

FASES DA DESPESA. Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado

FASES DA DESPESA. Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado FASES DA DESPESA Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado FASES DA DESPESA Empenho Liquidação Pagamento EMPENHO Conceito: reserva de dotação orçamentária Dotação orçamentária: valor autorizado para a despesa constante

Leia mais

Contabilidade Aplicada ao Setor Público Receitas e Despesas Públicas. Profa.: Patrícia Siqueira Varela

Contabilidade Aplicada ao Setor Público Receitas e Despesas Públicas. Profa.: Patrícia Siqueira Varela Contabilidade Aplicada ao Setor Público Receitas e Despesas Públicas Profa.: Patrícia Siqueira Varela Receita Pública Conceito: todo e qualquer recolhimento feito aos cofres públicos. Receita Orçamentária:

Leia mais

CONTABILIDADE PÚBLICA

CONTABILIDADE PÚBLICA CONTABILIDADE PÚBLICA Ingressos e Dispêndios Públicos Prof. Cláudio Alves PPA LDO LOA Programação Financeira e Cronograma de Desembolso Declaração do Ordenador de Despesas + Impacto Orçamentário e Financeiro

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA Despesa Pública. Estágios da Despesa Orçamentária Parte 1 Prof. Cláudio Alves

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA Despesa Pública. Estágios da Despesa Orçamentária Parte 1 Prof. Cláudio Alves ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA Despesa Pública Prof. Cláudio Alves PPA LDO LOA Programação Financeira e Cronograma de Desembolso Declaração do Ordenador de Despesas + Impacto Orçamentário e Financeiro

Leia mais

Estágios da Despesa Pública Fixação Programação Descentralização Licitação

Estágios da Despesa Pública Fixação Programação Descentralização Licitação PAULO LACERDA AFO Estágios da Despesa Pública Fixação Programação Descentralização Licitação pré-empenho Empenho Contrato Liquidação Pagamento Controle Estágios da Despesa Pública Fixação Programação Descentralização

Leia mais

DIREITO FINANCEIRO. A Despesa Pública. Conceito e requisitos da Despesa Pública Parte 2. Prof. Thamiris Felizardo

DIREITO FINANCEIRO. A Despesa Pública. Conceito e requisitos da Despesa Pública Parte 2. Prof. Thamiris Felizardo DIREITO FINANCEIRO A Despesa Pública Parte 2 Prof. Thamiris Felizardo ESTÁGIOS DA DESPESA Os estágios da despesa são: fixação, programação, empenho, liquidação e pagamento. a)fixação: é o montante da despesa

Leia mais

Portaria da Diretoria de Administração

Portaria da Diretoria de Administração 004/2002-DIRAD 01 14/06/2002 A Diretoria de Administração, no uso de suas atribuições, RESOLVE: 1.0 PROPÓSITO finir os conceitos utilizados nas Portarias de Normatização dos procedimentos administrativos

Leia mais

Prova de Contabilidade Pública Comentada Agente de Fiscalização TCE-SP

Prova de Contabilidade Pública Comentada Agente de Fiscalização TCE-SP Prova de Contabilidade Pública Comentada Agente de Fiscalização TCE-SP - 2017 A seguir comentamos a prova aplicada para Agente de Fiscalização no concurso do TCE-SP! A prova foi mais fácil do que esperávamos,

Leia mais

FAPAN FACULDADE DE AGRONEGÓCIO DE PARAÍSO DO NORTE CONTABILIDADE PÚBLICA

FAPAN FACULDADE DE AGRONEGÓCIO DE PARAÍSO DO NORTE CONTABILIDADE PÚBLICA FAPAN FACULDADE DE AGRONEGÓCIO DE PARAÍSO DO NORTE CONTABILIDADE PÚBLICA FAPAN FACULDADE DE AGRONEGÓCIO DE PARAÍSO DO NORTE 1. EVOLUÇÃO DOS ORÇAMENTOS. 2. REGIME CONTÁBIL APLICADO A CONTABILIDADE PÚBLICA.

Leia mais

CONTABILIDADE PÚBLICA

CONTABILIDADE PÚBLICA CONTABILIDADE PÚBLICA Demonstrações Contábeis Balanço Orçamentário Parte 1 Prof. Cláudio Alves O Balanço Orçamentário, definido pela Lei nº 4.320/1964, demonstra as receitas e despesas previstas em confronto

Leia mais

Administração Financeira e Orçamentária Prof. Evandro França

Administração Financeira e Orçamentária Prof. Evandro França Administração Financeira e Orçamentária Prof. Evandro França www.masterjuris.com.br Questões de Concursos: 1) (TCE/SP/2017) São consideradas receitas correntes, de acordo com a Lei no 4.320/1964: (A) recursos

Leia mais

Orçamento Público. Despesas x Receitas

Orçamento Público. Despesas x Receitas FINANÇAS Missão A Seção Técnica de Finanças tem a missão de Controlar e Executar os recursos orçamentários e financeiros, fornecendo informações técnicas e legais que fundamentem as decisões gerenciais

Leia mais

AULA 13: ETAPAS E ESTÁGIOS DA DESPESA PÚBLICA

AULA 13: ETAPAS E ESTÁGIOS DA DESPESA PÚBLICA 1 AULA 13: ETAPAS E ESTÁGIOS DA DESPESA PÚBLICA João Pessoa 2016 Profª Ma. Ana Karla Lucena aklucenagomes@gmail.com Etapas da Receita e da Despesa Orçamentária 2 As etapas da receita e da despesa são as

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA Estágios da Receita e Despesa Parte 4 Professor Sergio Barata 20) (VUNESP Agente de Fiscalização Administração TCE/SP 2017) A fase da execução da despesa que consiste

Leia mais

DESPESA PÚBLICA. 1 acepção conjunto dos dispêndios do Estado, ou de outra pessoa de direito público, para funcionamento dos serviços públicos

DESPESA PÚBLICA. 1 acepção conjunto dos dispêndios do Estado, ou de outra pessoa de direito público, para funcionamento dos serviços públicos Conceito 1 acepção conjunto dos dispêndios do Estado, ou de outra pessoa de direito público, para funcionamento dos serviços públicos autorização para gastos estatais integra o orçamento público distribuição

Leia mais

Tópico 4. Classificação econômica da Despesa. Conceito e estágios da Despesa pública.

Tópico 4. Classificação econômica da Despesa. Conceito e estágios da Despesa pública. Tópico 4. Classificação econômica da Despesa. Conceito e estágios da Despesa pública. 1. (CGU/2008/Área geral) Sobre os conceitos e classificações relacionados com Despesa Pública, assinale a opção correta.

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA Estágios da Receita e Despesa Reconhecimento da Receita e Despesa Parte 1 Professor Sergio Barata Enfoque Orçamentário Reconhecimento da Receita e Despesa No setor

Leia mais

02. (FCC MPE-RN/2012). A receita extraorçamentária em 31.12.2011, em reais, era: (A) 50.000,00 (B) 60.000,00 (C) 100.000,00

02. (FCC MPE-RN/2012). A receita extraorçamentária em 31.12.2011, em reais, era: (A) 50.000,00 (B) 60.000,00 (C) 100.000,00 SEMANA 10 - Despesa Pública: Dispêndios orçamentários (Despesa orçamentária) e Extra- Orçamentários; 01. (ESTILO-ESAF/2012) Os dispêndios públicos podem ser de natureza orçamentária ou extraorçamentária.

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA Despesa Pública Restos a Pagar - Parte 1 Prof. Cláudio Alves Lei 4.320/1964 Art. 36 Inscrevem-se em restos a pagar as despesas empenhadas e não pagas até 31 de dezembro

Leia mais

Direito Financeiro. Estágios das Despesas Públicas. Professor Fábio Furtado.

Direito Financeiro. Estágios das Despesas Públicas. Professor Fábio Furtado. Direito Financeiro Estágios das Despesas Públicas Professor Fábio Furtado www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Financeiro Aula XX ESTÁGIOS DAS DESPESAS PÚBLICAS Conteúdo da Aula Estágios Etapas Fases

Leia mais

Sumário. Apresentação, xv. Prefácio à 6ª Edição, xix. Prefácio à 5ª Edição, xxi. Prefácio à 4ª Edição, xxiii. Prefácio à 3ª Edição, xxv

Sumário. Apresentação, xv. Prefácio à 6ª Edição, xix. Prefácio à 5ª Edição, xxi. Prefácio à 4ª Edição, xxiii. Prefácio à 3ª Edição, xxv Sumário Apresentação, xv Prefácio à 6ª Edição, xix Prefácio à 5ª Edição, xxi Prefácio à 4ª Edição, xxiii Prefácio à 3ª Edição, xxv Prefácio à 2ª Edição, xxvii Prefácio à 1ª Edição, xxix Agradecimentos,

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA NELSON ROCHA

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA NELSON ROCHA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA NELSON ROCHA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA ORÇAMENTO PÚBLICO: P (Instrumento de Programação) Ciclo Orçament amentário: ELABORAÇÃO EXECUÇÃO PRESTAÇÃO DE CONTAS Exercício cio Financeiro:

Leia mais

Prova de Contabilidade Pública Comentada Analista Judiciário Administrativa TRF 1ª Região

Prova de Contabilidade Pública Comentada Analista Judiciário Administrativa TRF 1ª Região Prova de Contabilidade Pública Comentada Analista Judiciário Administrativa TRF 1ª Região Pessoal, a seguir comentamos a prova de Contabilidade Pública aplicada hoje (26/11/2017) para o cargo Analista

Leia mais

Despesa: Classificações e etapas. Restos a Pagar. Despesas de Exercícios anteriores. Suprimento de Fundos.

Despesa: Classificações e etapas. Restos a Pagar. Despesas de Exercícios anteriores. Suprimento de Fundos. Despesa: Classificações e etapas. Restos a Pagar. Despesas de Exercícios anteriores. Suprimento de Fundos. 1. (TCE-ES/2013/Contador) Ainda sob o enfoque orçamentário, integram parte dos dispêndios financeiros

Leia mais

Despesa: Classificações e etapas. Restos a Pagar. Despesas de Exercícios anteriores. Suprimento de Fundos.

Despesa: Classificações e etapas. Restos a Pagar. Despesas de Exercícios anteriores. Suprimento de Fundos. Despesa: Classificações e etapas. Restos a Pagar. Despesas de Exercícios anteriores. Suprimento de Fundos. 1. (TCE-ES/2013/Contador) Ainda sob o enfoque orçamentário, integram parte dos dispêndios financeiros

Leia mais

Despesa Pública (RP DEA SF)

Despesa Pública (RP DEA SF) Despesa Pública (RP DEA SF) DESPESA SOB O ENFOQUE PATRIMONIAL Simplesmente de despesa e não deve ser confundida com a despesa orçamentária. De acordo com o princípio contábil da COMPETÊNCIA, a despesa

Leia mais

Análise das Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público. Luiz Carlos Wisintainer

Análise das Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público. Luiz Carlos Wisintainer Análise das Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público Luiz Carlos Wisintainer Sistemas da Contabilidade Pública SUBSISTEMAS DE CONTAS ORÇAMENTÁRIO PATRIMONIAL CUSTOS COMPENSAÇÃO Fonte: MCASP Subsistema

Leia mais

Unidade II CONTABILIDADE PÚBLICA E. Prof. Walter Dominas

Unidade II CONTABILIDADE PÚBLICA E. Prof. Walter Dominas Unidade II CONTABILIDADE PÚBLICA E GOVERNAMENTAL Prof. Walter Dominas Conteúdo programático Unidade I 1. Objetivo e ambiente da contabilidade pública e governamental 2. Breve histórico do controle orçamentário

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ARAPUÃ ESTADO DO PARANÁ

PREFEITURA MUNICIPAL DE ARAPUÃ ESTADO DO PARANÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE ARAPUÃ ESTADO DO PARANÁ Notas Explicativas Das Demonstrações Contábeis Exercício financeiro de 2016 As Demonstrações Contábeis do Município de Arapuã foram elaboradas de acordo

Leia mais

DIREITO FINANCEIRO. O Orçamento: Aspectos Gerais. Elaboração do orçamento. Prof. Thamiris Felizardo

DIREITO FINANCEIRO. O Orçamento: Aspectos Gerais. Elaboração do orçamento. Prof. Thamiris Felizardo DIREITO FINANCEIRO O Orçamento: Aspectos Gerais Elaboração do orçamento Prof. Thamiris Felizardo O ciclo orçamentário, também conhecido como processo orçamentário, pode ser definido como um procedimento

Leia mais

Despesa: classificações e etapas. Restos a Pagar. Despesas de Exercícios anteriores. Suprimento de Fundos.

Despesa: classificações e etapas. Restos a Pagar. Despesas de Exercícios anteriores. Suprimento de Fundos. Despesa: classificações e etapas. Restos a Pagar. Despesas de Exercícios anteriores. Suprimento de Fundos. 1. (CGU/2008/Área geral) Sobre os conceitos e classificações relacionados com Despesa Pública,

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA Despesa Pública Restos a Pagar - Parte 2 Prof. Cláudio Alves Liquidado RP Processado Empenho Não existe condição deve-se inscrever em restos a pagar, pois já existe

Leia mais

DESPESA PÚBLICA. Conceito: Abrangem além das despesas ORÇAMENTÁRIAS, as despesas EXTRAORÇAMENTÁRIAS. Sentido Amplo latu sensu

DESPESA PÚBLICA. Conceito: Abrangem além das despesas ORÇAMENTÁRIAS, as despesas EXTRAORÇAMENTÁRIAS. Sentido Amplo latu sensu Conceito: Sentido Amplo latu sensu Abrangem além das despesas ORÇAMENTÁRIAS, as despesas EXTRAORÇAMENTÁRIAS. DESPESA PÚBLICA Sentido Restrito strictu sensu São as despesas ORÇAMENTÁRIAS, que somente poderão

Leia mais

Prefeitura Municipal de Souto Soares publica:

Prefeitura Municipal de Souto Soares publica: Prefeitura Municipal de 1 Ano IX Nº 692 Prefeitura Municipal de publica: Decreto Nº 142/2015 Decreto Nº 143/2015 Portaria Nº 005/2015 Portaria Nº 006/2015 Portaria Nº 007/2015 Portaria Nº 008/2015 Portaria

Leia mais

CONTABILIDADE PÚBLICA

CONTABILIDADE PÚBLICA CONTABILIDADE PÚBLICA Ingressos e Dispêndios Públicos Prof. Cláudio Alves Conceito: Designa o conjunto dos dispêndios do Estado, ou de outra pessoa de direito público, para funcionamento dos serviços públicos.

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO BALANÇO ORÇAMENTÁRIO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2016

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO BALANÇO ORÇAMENTÁRIO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2016 BALANÇO ORÇAMENTÁRIO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2016 RECEITAS ORÇAMENTÁRIAS PREVISÃO INICIAL PREVISÃO ATUALIZADA RECEITAS REALIZADAS RECEITAS CORRENTES 726.542.722,00 726.542.722,00 820.611.017,71 94.068.295,71

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO PARANÁ CNPJ: / BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO PARANÁ CNPJ: / BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO PASSIVO ESPECIFICAÇÃO ESPECIFICAÇÃO 2013 2013 1.1 ATIVO CIRCULANTE 12.953.861,17 10.297.108,29 2.1 PASSIVO CIRCULANTE 1.967.406,53 1.674.360,78 1.1.1 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA. Valores em R$

ESTADO DE SANTA CATARINA. Valores em R$ Balanço Financeiro - Fundação Universidade do Estado de Santa Catarina Gestão Geral Anexo 13 - Lei Federal nº 4.320/64 RECEITAS DESPESAS Receita Orçamentária 6.072.993,65 Receitas Correntes 6.073.293,65

Leia mais

1-QUANTO À REPERCUSSÃO FINANCEIRA

1-QUANTO À REPERCUSSÃO FINANCEIRA A DESPESA PÚBLICA A despesa pública pode ser definida como sendo o gasto ou o compromisso de gasto dos recursos governamentais, devidamente autorizados pelo poder competente, com o objetivo de atender

Leia mais

Despesas de Exercícios Anteriores (DEA). Conteúdo da Aula

Despesas de Exercícios Anteriores (DEA). Conteúdo da Aula Despesas de Exercícios Anteriores (DEA). Conteúdo da Aula Lei nº 4.320/64: D.E.A. Despesas de Exercícios Anteriores Art. 37. As despesas de exercícios encerrados, para as quais o orçamento respectivo consignava

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO BALANÇO ORÇAMENTÁRIO Exercício 2017

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO BALANÇO ORÇAMENTÁRIO Exercício 2017 BALANÇO ORÇAMENTÁRIO RECEITAS ORÇAMENTÁRIAS PREVISÃO INICIAL PREVISÃO IZADA RECEITAS REALIZADAS RECEITAS CORRENTES 666.820.933,00 666.820.933,00 827.128.690,84 160.307.757,84 Receita Patrimonial 4 95.114.270,00

Leia mais

Questões de CASP para ANAC IGEPP 2016 Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli. Tópico 6

Questões de CASP para ANAC IGEPP 2016 Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli. Tópico 6 Tópico 6 1. (ESAF/APO/2010) Assinale a opção cujo fato administrativo é objeto da contabilidade aplicada ao setor público e que afeta positivamente a situação patrimonial líquida do ente. a) Recebimento,

Leia mais

O Enfoque Patrimonial e a Adoção do Regime de Competência na Contabilidade Aplicada ao Setor Público

O Enfoque Patrimonial e a Adoção do Regime de Competência na Contabilidade Aplicada ao Setor Público O Enfoque Patrimonial e a Adoção do Regime de Competência na Contabilidade Aplicada ao Setor Público Coordenação Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação STN/CCONF Característica dos Sistemas

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2016 (Em Reais)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2016 (Em Reais) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2016 (Em Reais) 1. CONTEXTO OPERACIONAL O Conselho Regional de Odontologia de São Paulo, Autarquia Federal nos termos da Lei n 4.324/64

Leia mais

Portal da Transparência - WebService Manual Técnico

Portal da Transparência - WebService Manual Técnico - WebService Manual Técnico ÍNDICE 1. Introdução...2 2. Descrição do Serviço...3 2.1 Autenticação...4 2.2 Operação Consulta Despesas Liquidadas...5 2.3 Operação Consulta Despesas Pagas...6 2.4 Operação

Leia mais

Portal da Transparência - WebService Manual Técnico

Portal da Transparência - WebService Manual Técnico - WebService Manual Técnico ÍNDICE 1. Introdução...2 2. Descrição do Serviço...3 2.1 Autenticação...4 2.2 Operação Consulta Despesas Liquidadas...5 2.3 Operação Consulta Despesas Pagas...6 2.4 Operação

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE SAS Quadra 05 Bloco J Ed. CFC - CNPJ: / SALDO PATRIMONIAL

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE SAS Quadra 05 Bloco J Ed. CFC - CNPJ: / SALDO PATRIMONIAL CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE SAS Quadra 05 Bloco J Ed. CFC - CNPJ: 33.618.570/0001-08 BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO PASSIVO ESPECIFICAÇÃO ESPECIFICAÇÃO 2010 2009 2010 2009 1.1 ATIVO CIRCULANTE 22.898.568,85

Leia mais

TRT-MG Técnico Especialidade Contabilidade

TRT-MG Técnico Especialidade Contabilidade TRT-MG Técnico Especialidade Contabilidade Pessoal, vou comentar as questões da prova. 29. Patrimônio Público é o conjunto de direitos e bens, tangíveis ou intangíveis, onerados ou não, adquiridos, formados,

Leia mais

PAINEL 3: "Desafios e Perspectivas face a Nova lei de finanças públicas e o processo de Convergência aos padrões internacionais"

PAINEL 3: Desafios e Perspectivas face a Nova lei de finanças públicas e o processo de Convergência aos padrões internacionais PAINEL 3: "Desafios e Perspectivas face a Nova lei de finanças públicas e o processo de Convergência aos padrões internacionais" PLS 229: Inovações, Riscos e oportunidades NATAL - RN 20 de Outubro de 2016

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2018 (Em Reais)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2018 (Em Reais) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2018 (Em Reais) 1. CONTEXTO OPERACIONAL O Conselho Regional de Odontologia de São Paulo, Autarquia Federal nos termos da Lei n 4.324/64

Leia mais

Contabilidade Pública

Contabilidade Pública Contabilidade Pública Lei nº 4.320/64 Controle da Execução Orçamentária Contabilidade Orçamentária, Financeira e Patrimonial das Autarquias e de Outras Entidades Professor Gabriel Antunes www.acasadoconcurseiro.com.br

Leia mais

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PARANÁ BALANÇO ORÇAMENTÁRIO ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL Exercício: 2015

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PARANÁ BALANÇO ORÇAMENTÁRIO ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL Exercício: 2015 DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PARANÁ BALANÇO ORÇAMENTÁRIO ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL Exercício: 2015 RECEITAS ORÇAMENTÁRIAS Previsão Previsão Receitas Saldo Inicial Atualizada Realizadas

Leia mais

Administração Financeira e Orçamentária Prof. Evandro França

Administração Financeira e Orçamentária Prof. Evandro França Administração Financeira e Orçamentária Prof. Evandro França www.masterjuris.com.br Enfoque Orçamentário X Enfoque Patrimonial: Inicialmente, vamos analisar os seguintes conceitos: Regime de Caixa: Sob

Leia mais

CONTABILIDADE PÚBLICA. Balanço Orçamentário

CONTABILIDADE PÚBLICA. Balanço Orçamentário CONTABILIDADE PÚBLICA Balanço Orçamentário DEMONSTRAÇÃO CONTÁBIL BALANÇO ORÇAMENTÁRIO BALANÇO FINANCEIRO DEMONSTRAÇÃO DAS VARIAÇÕES PATRIMONIAIS BALANÇO PATRIMONIAL FINALIDADE AVALIAÇÃO DA GESTÃO ORÇAMENTÁRIA

Leia mais

CONTABILIDADE PÚBLICA

CONTABILIDADE PÚBLICA CONTABILIDADE PÚBLICA Ingressos e Dispêndios Públicos Restos a Pagar - Parte 1 Prof. Cláudio Alves Lei 4.320/1964 Art. 36 Inscrevem-se em restos a pagar as despesas empenhadas e não pagas até 31 de dezembro

Leia mais

Conselho Federal de Contabilidade Vice-presidência de Controle Interno INSTRUÇÃO DE TRABALHO INT/VPCI Nº 003/2012

Conselho Federal de Contabilidade Vice-presidência de Controle Interno INSTRUÇÃO DE TRABALHO INT/VPCI Nº 003/2012 Conselho Federal de Contabilidade Vice-presidência de Controle Interno INSTRUÇÃO DE TRABALHO INT/VPCI Nº 003/2012 Brasília-DF Janeiro/2012 INSTRUÇÃO DE TRABALHO INT/VPCI Nº 003/2012 Processo CFC n.º 2012/000008

Leia mais

Sumário. Prefácio à Décima Quinta Edição, xv. Prefácio à Décima Quarta Edição, xvi. Prefácio à Décima Terceira Edição, xvii

Sumário. Prefácio à Décima Quinta Edição, xv. Prefácio à Décima Quarta Edição, xvi. Prefácio à Décima Terceira Edição, xvii Sumário Prefácio à Décima Quinta Edição, xv Prefácio à Décima Quarta Edição, xvi Prefácio à Décima Terceira Edição, xvii Prefácio à Décima Segunda Edição, xviii Prefácio à Décima Primeira Edição, xix Prefácio

Leia mais

Direito Financeiro. Restos a Pagar. Professor Fábio Furtado.

Direito Financeiro. Restos a Pagar. Professor Fábio Furtado. Direito Financeiro Professor Fábio Furtado www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Financeiro Aula XX RESTOS A PAGAR Conteúdo da Aula. 1 Conceito: Despesas EMPENHADAS, mas NÃO PAGAS até 31/12. Lei nº 4.320/64:

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2017 (Em Reais)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2017 (Em Reais) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2017 (Em Reais) 1. CONTEXTO OPERACIONAL O Conselho Regional de Odontologia de São Paulo, Autarquia Federal nos termos da Lei n 4.324/64

Leia mais

Informações de Impressão

Informações de Impressão Questão: 592252 Em cada um dos itens seguintes, é apresentada uma situação hipotética acerca de pagamentos de prestações e empréstimos, seguida de uma assertiva a ser julgada. Um empréstimo no valor de

Leia mais

Conteúdo da Aula. Restos a Pagar.

Conteúdo da Aula. Restos a Pagar. Conteúdo da Aula Restos a Pagar. 1 Restos a Pagar Conceito: Despesas EMPENHADAS, mas NÃO PAGAS até 31/12. Lei nº 4.320/64: Art. 36. Consideram-se Restos a Pagar as despesas empenhadas mas não pagas até

Leia mais

Administração Pública Brasileira II Manual Técnico de Orçamento - MTO-2014. Fabio Furtado O Manual Técnico de Orçamento - MTO é um instrumento de apoio aos processos orçamentários da União. Conforme proposição

Leia mais

DECRETO Nº 8.598, DE 08 DE NOVEMBRO DE 2016.

DECRETO Nº 8.598, DE 08 DE NOVEMBRO DE 2016. DECRETO Nº 8.598, DE 08 DE NOVEMBRO DE 2016. Dispõe sobre o empenho de despesas, a inscrição de restos a pagar e o encerramento das atividades com repercussão orçamentária, financeira e patrimonial do

Leia mais

22 Considere as seguintes dotações financeiras e suas destinações:

22 Considere as seguintes dotações financeiras e suas destinações: Questões Comentadas de AFO (Administração Financeira e Orçamentária) Tribunal Regional Federal 5ª Região Prova de Analista Judiciário Área Administrativa Tipo 001-2008 Olá, pessoal! No último domingo,

Leia mais

Planejamento na Administração Pública

Planejamento na Administração Pública Planejamento na Administração Pública Organização da Administração Pública DIRETA CHEFE Ministérios Secretarias de Estado Secretarias ou Diretoria Municipal Organização da Administração Pública Art. 175

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA Parte 2 Professor Sergio Barata PRESCRIÇÃO: 5 anos após a data do ato ou fato gerador. MCASP São despesas cujos fatos geradores ocorreram em exercícios anteriores

Leia mais

Pag. 297 CAPÍTULO 4 DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO. Professor João Eudes Bezerra Filho

Pag. 297 CAPÍTULO 4 DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO. Professor João Eudes Bezerra Filho Pag. 297 CAPÍTULO 4 DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO Professor João Eudes Bezerra Filho Pag. 298 OS NOVOS DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS DO SETOR PÚBLICO Decreto nº 6.976/2009, Art. 7º, XXIV,

Leia mais

1 - O GRUPO DE TRABALHO INICIALMENTE ESTUDARAM AS NORMAS E CONVERGIRAM O NOVO PLANO DE CONTAS

1 - O GRUPO DE TRABALHO INICIALMENTE ESTUDARAM AS NORMAS E CONVERGIRAM O NOVO PLANO DE CONTAS 1 - O GRUPO DE TRABALHO INICIALMENTE ESTUDARAM AS NORMAS E CONVERGIRAM O NOVO PLANO DE CONTAS 2 ASSOCIAÇÃO DE CONTAS E TESTES SIMULANDO BALANCETES NO NOVO PADRÃO. 3 DESENVOLVIMENTO DE TODOS OS EVENTOS

Leia mais

Os candidatos quando da solicitação da pré-inscrição deverão optar pela escolha de pacotes.

Os candidatos quando da solicitação da pré-inscrição deverão optar pela escolha de pacotes. PACOTES OFERTADOS Os candidatos quando da solicitação da pré-inscrição deverão optar pela escolha de pacotes. Pacote I: 07 Procedimentos Contábeis Específicos - PCE 04 Plano de Contas Aplicado ao Setor

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE ORÇAMENTO E FINANÇAS - SOF

SUPERINTENDÊNCIA DE ORÇAMENTO E FINANÇAS - SOF SUPERINTENDÊNCIA DE ORÇAMENTO E FINANÇAS - SOF Objetivos principais: Elaboração da Proposta Orçamentária Controle e a Gestão dos recursos públicos. Acompanhamento e a execução da Programação Orçamentária,

Leia mais

Orçamento Público. Curso. Apostila 3 Execução Orçamentária. Centro de Estudos Jurídicos da Presidência Subchefia para Assuntos Jurídicos da Casa Civil

Orçamento Público. Curso. Apostila 3 Execução Orçamentária. Centro de Estudos Jurídicos da Presidência Subchefia para Assuntos Jurídicos da Casa Civil Curso Orçamento Público Apostila 3 Execução Orçamentária Organização: Centro de Estudos Jurídicos da Presidência Subchefia para Assuntos Jurídicos da Casa Civil Casa Civil da Presidência da República

Leia mais

Saldo Inicial Do Período. Do Exercício

Saldo Inicial Do Período. Do Exercício 001.003 - CAMARA MUNICIPAL DE CONCEICAO DO COITE - CAMARA 1.0.0.0.0.00.00.00.00.00-0001 ATIVO 204.722,00 204.722,00 174.189,99 174.189,99 130.622,20 D 1.1.0.0.0.00.00.00.00.00-0002 ATIVO CIRCULANTE 199.733,34

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL Nº de 23/11/2009

DIÁRIO OFICIAL Nº de 23/11/2009 DIÁRIO OFICIAL Nº. 31550 de 23/11/2009 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 06 DE 17 DE NOVEMBRO DE 2009 Número de Publicação: 45269 O Defensor Público Geral no uso das atribuições que lhe confere o Art. 8º, da Lei

Leia mais

CAMARA DE VEREADORES DE GUAIBA

CAMARA DE VEREADORES DE GUAIBA 1.0.0.0.0.00.00.00.00.00 ATIVO... 3.090.845,31D 1.732.780,42 2.144.812,92 2.678.812,81D 1.1.0.0.0.00.00.00.00.00 ATIVO CIRCULANTE... 883.250,11D 544.565,64 435.584,11 992.231,64D 1.1.1.0.0.00.00.00.00.00

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA Legislação Prof. Cláudio Alves A contabilidade evidenciará perante a Fazenda Pública a situação de todos quantos, de qualquer modo, arrecadem receitas, efetuem despesas,

Leia mais

Anexo 12 - Balanço Orçamentário

Anexo 12 - Balanço Orçamentário Anexo 12 - Balanço Orçamentário BALANÇO ORÇAMENTÁRIO EXERCÍCIO: PERÍODO (MÊS) : DATA DE EMISSÃO: PÁGINA: PREVISÃO PREVISÃO RECEITAS SALDO RECEITAS ORÇAMENTÁRIAS INICIAL ATUALIZADA REALIZADAS (a) (b) c

Leia mais

Conteúdo da Aula. Suprimento de Fundos (Regime de Adiantamento a Servidor).

Conteúdo da Aula. Suprimento de Fundos (Regime de Adiantamento a Servidor). Conteúdo da Aula Suprimento de Fundos (Regime de Adiantamento a Servidor). 1 Lei nº 4.320/64: Art. 68. O regime de adiantamento é aplicável aos casos de despesas expressamente definidos em lei e consiste

Leia mais

DESPESA PÚBLICA. - Generalidades. - Direito financeiro. - Orçamento público. - Receitas. - Legislação: - Conceito

DESPESA PÚBLICA. - Generalidades. - Direito financeiro. - Orçamento público. - Receitas. - Legislação: - Conceito 1 DESPESA PÚBLICA Generalidades Direito financeiro Orçamento público Receitas Legislação: Conceito Aliomar Baleeiro: aplicação de certa quantia, em dinheiro, por parte da autoridade ou agente público competente

Leia mais

03. Para Ativo (A), Passivo (P) e Patrimônio Líquido (PL), observe as sequências lógicas:

03. Para Ativo (A), Passivo (P) e Patrimônio Líquido (PL), observe as sequências lógicas: TÉCNICO EM CONTABILIDADE 1 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS QUESTÕES DE 01 A 20 01. A Contabilidade é uma ciência: a) exata, pois tem como pressuposto a precisão e veracidade apresentada em seus relatórios financeiros

Leia mais

QUESTÕES DE CONCURSOS PÚBLICOS 2016 SUPRIMENTO DE FUNDOS RESTOSS A PAGAR E DESPESAS DE EXERCÍCIOS ANTERIORES

QUESTÕES DE CONCURSOS PÚBLICOS 2016 SUPRIMENTO DE FUNDOS RESTOSS A PAGAR E DESPESAS DE EXERCÍCIOS ANTERIORES QUESTÕES DE CONCURSOS PÚBLICOS 2016 SUPRIMENTO DE FUNDOS RESTOSS A PAGAR E DESPESAS DE EXERCÍCIOS ANTERIORES Prezado estudante, concursando! Desejo-lhe inspiração para a conquista de seus sonhos e o pleno

Leia mais

Questões de CASP para ANAC IGEPP 2016 Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli. Tópico 4

Questões de CASP para ANAC IGEPP 2016 Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli. Tópico 4 Tópico 4 1. (ESAF/CVM/2001/Analista/Adaptada) Para a Contabilidade Pública, variação patrimonial decorre de alteração de valor de qualquer elemento integrante do patrimônio público. Dito isso, não se pode

Leia mais

TEORIA DA CONTABILIDADE QUESTIONÁRIO 6

TEORIA DA CONTABILIDADE QUESTIONÁRIO 6 QUESTIONÁRIO 6 (Questões Exame de Suficiência 1 2013) 2. Relacione os grupos do Ativo descritos, na primeira coluna, com as suas respectivas propriedades, na segunda coluna, e, em seguida, assinale a opção

Leia mais

ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAETÊ

ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAETÊ DECRETO Nº. 063/2018, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2018. Dispõe sobre os procedimentos para o encerramento do exercício financeiro de 2018, no âmbito da Administração Pública Municipal e dá outras providências.

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA Legislação. Lei Estadual n Parte 2 Prof. Cláudio Alves

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA Legislação. Lei Estadual n Parte 2 Prof. Cláudio Alves ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA Legislação Prof. Cláudio Alves Com relação aos créditos adicionais, esta lei segue os mesmos parâmetros da Lei 4.320/64, que da mesma forma são definidos como sendo

Leia mais

MANUAL PRÁTICO DO PORTAL DA TRANSPARÊNCIA

MANUAL PRÁTICO DO PORTAL DA TRANSPARÊNCIA MANUAL PRÁTICO DO PORTAL DA TRANSPARÊNCIA VERSÃO NOVEMBRO/2015 APRESENTAÇÃO O Manual Prático do Portal da Transparência foi criado para possibilitar a população e interessados o acesso a informação, conforme

Leia mais

TRT/PE Banca FCC PPA, LDO E LOA

TRT/PE Banca FCC PPA, LDO E LOA JOÃO LELES AFO TRT/PE Banca FCC PPA, LDO E LOA 1. (FCC TRT14ª/2016 TÉC. JUD. ADMINISTRATIVA) Na Lei Orçamentária Anual do Estado do Rio de Pedras, para o exercício de 2016, consta dotação orçamentária

Leia mais

Dados de Assinatura. Gestor. Contador TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SERGIPE. Prestação de Contas Eletrônica Recibo de Prestação de Contas

Dados de Assinatura. Gestor. Contador TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SERGIPE. Prestação de Contas Eletrônica Recibo de Prestação de Contas TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SERGIPE Prestação de Contas Eletrônica Recibo de Prestação de Contas Numero do Recibo: Data da Entrega: Responsável: Unidade Gestora: Mês de Referência: Tipo de Entrega:

Leia mais

AULA 14: RESTOS A PAGAR, DESPESAS DE EXERCÍCIOS ANTERIORES, SUPRIMENTO DE FUNDO

AULA 14: RESTOS A PAGAR, DESPESAS DE EXERCÍCIOS ANTERIORES, SUPRIMENTO DE FUNDO 1 AULA 14: RESTOS A PAGAR, DESPESAS DE EXERCÍCIOS ANTERIORES, SUPRIMENTO DE FUNDO João Pessoa 2016 Profª Ma. Ana Karla Lucena aklucenagomes@gmail.com 2 Restos a Pagar Restos a Pagar 3 Consideram-se Restos

Leia mais

Curso Contabilidade Pública

Curso Contabilidade Pública Associação Brasileira de Formação e Desenvolvimento Social - ABRAFORDES www.cursosabrafordes.com.br DICA: Tecle Ctrl+s para salvar este PDF no seu computador. Curso Contabilidade Pública Lição 01: Noções

Leia mais

PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS EM FINAL DE MANDATO. Lucy Fátima de Assis Freitas 2016

PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS EM FINAL DE MANDATO. Lucy Fátima de Assis Freitas 2016 PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS EM FINAL DE MANDATO Lucy Fátima de Assis Freitas 2016 ENCERRAMENTO DO MANDATO EXERCÍCIO DE 2016 RESTRIÇÕES DA LRF LC 101/2000 CRISE FINANCEIRA RESTRIÇÕES ELEITORAIS Lei 9504/97

Leia mais

Prefeitura Municipal de Cairu publica:

Prefeitura Municipal de Cairu publica: Prefeitura Municipal de 1 Ano Nº 2569 Prefeitura Municipal de publica: Decreto Nº 2.540, de 28 de novembro de 2017 - Dispõe sobre normas relativas ao encerramento do exercício financeiro do ano de 2017,

Leia mais

Tópico 4 Câmara dos Deputados.

Tópico 4 Câmara dos Deputados. Tópico 4 Câmara dos Deputados. (Cespe/EBC/2011/Analista/Contador) Julgue os próximos itens, relativos a restos a pagar. 1. Todos os empenhos que, ao final do exercício financeiro, não forem liquidados,

Leia mais

PPA, LDO E LOA 1. (FCC TRT14ª/2016 TÉC. JUD. ADMINISTRATIVA)

PPA, LDO E LOA 1. (FCC TRT14ª/2016 TÉC. JUD. ADMINISTRATIVA) JOÃO LELES AFO PPA, LDO E LOA 1. (FCC TRT14ª/2016 TÉC. JUD. ADMINISTRATIVA) Na Lei Orçamentária Anual do Estado do Rio de Pedras, para o exercício de 2016, consta dotação orçamentária para investimento

Leia mais

Prof João Leles REVISÃO AFO #STJ

Prof João Leles REVISÃO AFO #STJ REVISÃO AFO #STJ Oi pessoal! Segue uma lista de questões que abrange todo o conteúdo de AFO previsto no edital do STJ, para fins de revisão na última semana!!! Bons estudos!!! 1. (CESPE Analista Administrativo

Leia mais

Anexo 6 - Balanço Patrimonial Consolidado (em R$)

Anexo 6 - Balanço Patrimonial Consolidado (em R$) 134 Anexo 6 - Balanço Patrimonial Consolidado (em R$) Passivo Circulante 4.119.026.030,21 4.084.465.869,09 Passivo Circulante -917.833.735,13-981.941.747,29 Caixa e Equivalente Caixa Moeda Nacional Créditos

Leia mais