ATO DE CONCENTRAÇÃO. NEWCO Joint Venture SBT, Record e Rede TV! Alexandre Cordeiro

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ATO DE CONCENTRAÇÃO. NEWCO Joint Venture SBT, Record e Rede TV! Alexandre Cordeiro"

Transcrição

1 ATO DE CONCENTRAÇÃO NEWCO Joint Venture SBT, Record e Rede TV! Alexandre Cordeiro

2 APRESENTAÇÃO OBJETO DA NEWCO REGULAÇÃO vs CONCORRÊNCIA ASPECTOS CONCORRENCIAIS MERCADO RELEVANTE ATO DE CONCENTRAÇÃO PODER COMPENSATÓRIO TEORIA DA ANCILARIEDADE CONCLUSÃO

3 OBJETO DA NEWCO Ato de concentração joint venture Negociar conteúdo para televisão por assinatura. A atividade abrange licenciamento do sinal que contém a programação linear dos canais abertos mantidos por cada uma das sócias (SBT, Record e Rede TV!) e também o licenciamento das produções avulsas das sócias que tenham sido empregadas ou não na programação linear (novelas, séries, programas de entrevistas, cobertura de eventos esportivos, etc.);

4 OBJETO DA NEWCO Produzir conjuntamente conteúdo audiovisual, incluindo os de natureza jornalística; Assessorar as sócias de uma forma geral acerca de práticas de marketing e vendas; Participar em outras sociedades. PROBLEMA: negociar conjuntamente o sinal da TV aberta para as Operadoras.

5 REGULAÇÃO vs CONCORRÊNCIA Sobreposição de competências Eliminação da concorrência pela regulação Competência principal do Cade ou residual? State action doctrine e pervasive doctrine Caso concreto o Cade enfrentou aspectos regulatórios? Se o fez invadiu a competência da agência?

6 ASPECTOS CONCORRENCIAIS MERCADO RELEVANTE ATO DE CONCENTRAÇÃO PODER COMPENSATÓRIO TEORIA DA ANCILARIEDADE

7 MERCADO RELEVANTE Regulado pela Lei nº /2011 TV Aberta Radiodifusoras ou Emissoras TV à Cabo, Operadoras de SeAC Distribuidoras Entender o que Radiofusão e Serviço de Acesso Condicionaldo - SeAC

8 MERCADO RELEVANTE RADIOFUSÃO Consiste na transmissão de sinal não codificado em determinada localidade. Serviço público de competência da União, que o presta diretamente ou mediante concessão, autorização ou permissão (art. 21, XII, a, da CRFB/1988). A justificativa pré-jurídica de definir a radiodifusão como um serviço público está associada a justificativas de segurança nacional e às externalidades positivas que sua prestação a contento pode propiciar

9 MERCADO RELEVANTE RADIOFUSÃO Decreto nº /63 estabelece que a radiodifusão em geral deve ter finalidade educativa e cultural, mesmo em seus aspectos informativo e recreativo, e por isso devem ser considerados de interesse nacional. A exploração comercial é permitida apenas na medida em que não prejudique esse interesse e aquela finalidade (art. 3º).

10 MERCADO RELEVANTE RADIODIFUSÃO

11 MERCADO RELEVANTE SeAC Serviço de Acesso Condicionado A operadora de SeAC é basicamente uma empresa de telecomunicações que disponibiliza uma infraestrutura de transporte de conteúdo audiovisual de uma base de distribuição até a localidade em que esteja o cliente. Para realizar este serviço, as operadoras adquirem conteúdo de programadores (ou licenciadores, no caso do video on demand) e usa vários tipos de tecnologia para enviá-lo à tela de exibição do assinante. No Brasil as tecnologias mais comuns são a TV a cabo e a transmissão via satélite (DTH).

12 MERCADO RELEVANTE SeAC Serviço de Acesso Condicionado.

13 MERCADO RELEVANTE A produtora é a empresa que desenvolve atividade de elaboração, composição, constituição ou criação de conteúdos audiovisuais em qualquer meio de suporte (art. 2º, XVII, da Lei nº /2011). Programadora é a empresa que seleciona, organiza e formata canais de programação, que por sua vez são arranjo de conteúdos audiovisuais organizados em sequência linear temporal com horários predeterminados (art. 2º, IV e XX da Lei nº /2011).

14 MERCADO RELEVANTE A empacotadora é a empresa que agrupa canais de programação e oferta este grupo de canais às distribuidoras. Os canais de distribuição obrigatória não são se sujeitam a empacotamento diferente do determinado em lei, dente os quais se incluem os analógicos de TV aberta (art. 2º, XI e XVI e art. 32, I, da Lei nº /2011). A distribuidora é quem faz a entrega, transmissão, veiculação, difusão ou provimento de pacotes ou conteúdos audiovisuais a assinantes por intermédio de meios eletrônicos quaisquer, próprios ou de terceiros (art. 2º, X). O consumidor final de SeAC é chamado assinante e é com a distribuidora que o assinante se relaciona.

15 MERCADO RELEVANTE A transmissora é quem faz a emissão de sinal de radiofrequência para captação direta pelo destinatário, é a entrega da programação ao telespectador que é feita por meio de equipamentos de tecnologia radioelétrica. As outorgas para serviços de televisão aberta têm dimensão geográfica local e, se tiverem objetivo comercial, devem ser precedidas de licitação. Ato do Poder Executivo e de apreciação prévia do Congresso Nacional Cada emissora pode ter no máximo 10 radiodifusoras, sendo apenas 5 VHF e 2 em cada estado. Como a valorização está na faixa VHF, o mais comum é líderes de rede constituam apenas 5 estações geradoras próprias.

16 ESTRUTURA TV ABERTA CABEÇA DE REDE 5 CONTEÚDO CONTRATO AFILIADAS NOS MUNICÍPIOS 5% CONTEÚDO LOCAL LICITAÇÃO LOCAL

17 REGULAÇÃO VS CONCORRÊNCIA O Ato de Concentração ocasionaria uma alteração na relação entre afiliadas e cabeças de rede sob o ponto de vista regulatório e o Cade não teria competência para tratar o assunto.

18 MERCADO RELEVANTE Dimensão produto e geográfica Teste do Monopolista Hipotético

19 ATO DE CONCENTRAÇÃO Tipos de ato de concentração art. 90 Art. 88, 5º, 6º Market share art. 36, 2º. Exercício de poder de mercado Mercado regulado Mercado de dois lados

20 PODER COMPENSATÓRIO Ordem Econômica Constitucional Galbraith Austrália Guia de Colaboração entre Competidores EUA Per se vs Regra da Razão TEORIA DA ANCILARIEDADE

21 CONCLUSÃO Aprovação do Ato de Concentração com restrições. Fundamentos: 1) 6º, art. 88, Lei /11 2) Tese do poder compensatório 3) Ancilariedade

22 OBRIGADO!

ERICSON M. SCORSIM DIREITO DAS COMUNICAÇOES. REGIME JURíDICO: Telecomunicações, Internet Televisão e Publicidade. B18UOTECA DO SENADO FEDERAL

ERICSON M. SCORSIM DIREITO DAS COMUNICAÇOES. REGIME JURíDICO: Telecomunicações, Internet Televisão e Publicidade. B18UOTECA DO SENADO FEDERAL [. ERICSON M. SCORSIM DIREITO DAS - COMUNICAÇOES REGIME JURíDICO: Telecomunicações, Internet Televisão e Publicidade. B18UOTECA DO SENADO FEDERAL SUMÁRIO APRESENTAÇÃO DO DIREITO DAS COMUNICAÇÔES....13

Leia mais

PROGRAMAÇÃO REGIONAL

PROGRAMAÇÃO REGIONAL PROGRAMAÇÃO REGIONAL Quem é a televisão aberta no Brasil? A televisão é o segundo item mais importante na casa do brasileiro(*): Fogão 98,6% Televisão 96,9% Geladeira 95,8% Rádio 83,4% Computador 42,9%

Leia mais

v São Paulo, 13 de agosto de 2015.

v São Paulo, 13 de agosto de 2015. _m E) MUNDO É DOS NETS v São Paulo, 13 de agosto de 2015. Ao limo. Coordenador -Geral de Análise Antitruste 5 Sr. Mário Sérgio Rocha Gordilho Júnior MINISTÉRIO DA JUSTIÇA CONSELHO ADMINISTRATIVO DE DEFESA

Leia mais

Sumário. Capítulo 1 Breve histórico do setor cinematográfico e audiovisual brasileiro e. mundial Introdução...1

Sumário. Capítulo 1 Breve histórico do setor cinematográfico e audiovisual brasileiro e. mundial Introdução...1 Sumário Capítulo 1 Breve histórico do setor cinematográfico e audiovisual brasileiro e mundial... 1 1.1. Introdução...1 1.2. Considerações básicas sobre a estruturação do mercado cinematográfico e audiovisual

Leia mais

A REGULAÇÃO DO WIMAX. WIMAX BRASIL Conference & Expo 2007 Eduardo Ramires

A REGULAÇÃO DO WIMAX. WIMAX BRASIL Conference & Expo 2007 Eduardo Ramires A REGULAÇÃO DO WIMAX WIMAX BRASIL Conference & Expo 2007 Eduardo Ramires 1 Abordagem O que é o WIMAX? A Regulação dos serviços de Telecom. Administração do espectro. A Licitação do Wimax e a Competição

Leia mais

O Ministério das Comunicações e a Radiodifusão Brasileira

O Ministério das Comunicações e a Radiodifusão Brasileira O Ministério das Comunicações e a Radiodifusão Brasileira 1 Secretaria de Serviços de Comunicação Eletrônica Ações 2011. 2 Comunicação Eletrônica A comunicação eletrônica está em fase de transição tecnológica

Leia mais

A ANATEL E O WIMAX Redes comunitárias e redes competitivas

A ANATEL E O WIMAX Redes comunitárias e redes competitivas A ANATEL E O WIMAX Redes comunitárias e redes competitivas PORTO ALEGRE WIRELESS Eduardo Ramires 1 Abordagem As novas tecnologias de acesso sem fio à INTERNET. Regulação da Internet e redes municipais

Leia mais

PROJETO DE LEI N o 4799, DE 2009

PROJETO DE LEI N o 4799, DE 2009 PROJETO DE LEI N o 4799, DE 2009 (Do Sr. Wladimir Costa) Acrescenta o art. 117-A na Lei n.º 4.117, de 27 de agosto de 2002, com o objetivo de assegurar a concessão e autorização de outorga de canal analógico

Leia mais

Regulação e Antitruste no Setor Portuário frente às inovações da Lei n /13 Victor Oliveira Fernandes

Regulação e Antitruste no Setor Portuário frente às inovações da Lei n /13 Victor Oliveira Fernandes Regulação e Antitruste no Setor Portuário frente às inovações da Lei n. 12.815/13 Victor Oliveira Fernandes Regulação e Concorrência: o planejamento de mercados Aproximações e distanciamentos Importância

Leia mais

Seminário Ministério das Comunicações Anatel e Abert

Seminário Ministério das Comunicações Anatel e Abert Seminário Ministério das Comunicações Anatel e Abert O Novo Papel da Anatel na Radiodifusão MARCONI THOMAZ DE SOUZA MAYA Superintendente de Serviços de Comunicação de Massa Recife, 4 de maio de 2012 O

Leia mais

TV SBT Canal 4 de São Paulo ( SBT ), Rádio e Televisão Record S.A. ( Record ) e TV Ômega Ltda. ( Rede TV! ).

TV SBT Canal 4 de São Paulo ( SBT ), Rádio e Televisão Record S.A. ( Record ) e TV Ômega Ltda. ( Rede TV! ). Ministério da Justiça - MJ Conselho Administrativo de Defesa Econômica - CADE SEPN 515 Conjunto D, Lote 4 Ed. Carlos Taurisano, 3º andar - Bairro Asa Norte, Brasília/DF, CEP 70770-504 Telefone: (61) 3221-8516

Leia mais

Prof. Cláudio Henrique Albuquerque Rodrigues

Prof. Cláudio Henrique Albuquerque Rodrigues Prof. Cláudio Henrique Albuquerque Rodrigues As estações terão direito a um outro canal de 6 MHz, permitindo uma transição para a tecnologia digital sem haver interrupção da transmissão de sinais analógicos.

Leia mais

São Paulo, 02 de fevereiro de À Anatel. SAUS Quadra 06 Blocos C, E, F e H. CEP: Brasília DF. Pabx: (0XX61)

São Paulo, 02 de fevereiro de À Anatel. SAUS Quadra 06 Blocos C, E, F e H. CEP: Brasília DF. Pabx: (0XX61) São Paulo, 02 de fevereiro de 2012. À Anatel SAUS Quadra 06 Blocos C, E, F e H CEP: 70.070-940 - Brasília DF Pabx: (0XX61) 2312-2000 Att.: João Batista de Rezende - Presidente presidencia@anatel.gov.br

Leia mais

Negociação de sinal de TV por assinatura

Negociação de sinal de TV por assinatura Negociação de sinal de TV por assinatura Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) Ato de Concentração nº 08700.006723/2015-21 Requerentes: TV SBT Canal 4 de São Paulo ( SBT ), Rádio e Televisão

Leia mais

MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES

MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES SEÇÃO I MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES SUPERINTENDÊNCIA DE RADIOFREQUÊNCIA E FISCALIZAÇÃO ATO N - 1.407, DE 4 DE MARÇO DE 2013 Autorizar RADIO E TELEVISAO RECORD S.A, CNPJ nº 60.628.369/0001-75 a realizar

Leia mais

CONVERSANDO COM A SET

CONVERSANDO COM A SET Departamento de Outorgas CONVERSANDO COM A SET Patrícia Ávila / William Ivo Brasília, agosto de 2012 REGULAMENTO DO SERVIÇOS DE RADIODIFUSÃO E RTV/RpTV Decreto nº 7.670, de 2012 Análise mais rigorosa da

Leia mais

COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA

COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA PROJETO DE LEI Nº 29, DE 2007 (Apensos os Projetos de Lei nº 70, de 2007, nº 332, de 2007, e nº 1.908, de 2007) Dispõe sobre a organização e

Leia mais

COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR. PROJETO DE LEI N o 6.412, DE 2009 (Apensado o PL nº 5.079, de 2013)

COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR. PROJETO DE LEI N o 6.412, DE 2009 (Apensado o PL nº 5.079, de 2013) COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR PROJETO DE LEI N o 6.412, DE 2009 (Apensado o PL nº 5.079, de 2013) Determina a oferta de canais avulsos no serviço de televisão por assinatura. Autor: Deputado Paulo Pimenta

Leia mais

IX Seminário TelComp 2016 Perspectivas para as Telecomunicações em Momento Regulatório

IX Seminário TelComp 2016 Perspectivas para as Telecomunicações em Momento Regulatório IX Seminário TelComp 2016 Perspectivas para as Telecomunicações em 2017 Momento Regulatório Novembro/2016 Aspectos Constitucionais Constituição de 1988: Art. 21. Compete à União: (...) XI - explorar, diretamente

Leia mais

JOÃO BATISTA DE REZENDE Presidente do Conselho

JOÃO BATISTA DE REZENDE Presidente do Conselho AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES RESOLUÇÃO N o 582, DE 26 DE MARÇO DE 2012 Aprova o Modelo de Termo de Autorização do Serviço de Acesso Condicionado (SeAC) O CONSELHO DIRETOR DA AGÊNCIA NACIONAL DE

Leia mais

Ministério das Comunicações. Definições de espectro para o futuro dos serviços digitais

Ministério das Comunicações. Definições de espectro para o futuro dos serviços digitais 56 o Painel Telebrasil O papel das telecomunicações no desenvolvimento do País Definições de espectro para o futuro dos serviços digitais Miriam Wimmer Ministério das Comunicações Brasília, 29 de agosto

Leia mais

TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto e as Resoluções N 38/95, 15/96 e 20/96 do Grupo Mercado Comum.

TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto e as Resoluções N 38/95, 15/96 e 20/96 do Grupo Mercado Comum. MERCOSUL/GMC/RES. N 61/01 PAUTAS NEGOCIADORAS DO SGT N 1 COMUNICAÇÕES TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto e as Resoluções N 38/95, 15/96 e 20/96 do Grupo Mercado Comum. CONSIDERANDO:

Leia mais

Atuação Regulatória da ANATEL e o papel da AGU:

Atuação Regulatória da ANATEL e o papel da AGU: Universidade de Brasília UnB Faculdade de Direito Núcleo de Direito Setorial e Regulatório Atuação Regulatória da ANATEL e o papel da AGU: principais questões jurídicas e seus encaminhamentos PAULO FIRMEZA

Leia mais

PONTOS A SEREM DISCUTIDOS PERANTE CONSELHO SUPERIOR DE CINEMA REGULAMENTAÇÃO DA LEI /2011

PONTOS A SEREM DISCUTIDOS PERANTE CONSELHO SUPERIOR DE CINEMA REGULAMENTAÇÃO DA LEI /2011 PONTOS A SEREM DISCUTIDOS PERANTE CONSELHO SUPERIOR DE CINEMA REGULAMENTAÇÃO DA LEI 12.485/2011 EMENTA:DEFINIÇÕES DE PRODUTORA BRASILEIRA INDEPENDENTE,PROGRAMADORA INDEPENDENTE BRASILEIRA, ESPAÇO QUALIFICADO

Leia mais

COMUNICAÇÃO SOCIAL DANIEL PIMENTEL SLAVIERO CONSELHO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL 09/10/2006 1

COMUNICAÇÃO SOCIAL DANIEL PIMENTEL SLAVIERO CONSELHO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL 09/10/2006 1 O PAPEL DO RÁDIO NA COMUNICAÇÃO SOCIAL CONSELHO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DANIEL PIMENTEL SLAVIERO 09/10/2006 1 A RADIODIFUSÃO EM DATAS 1893 - O padre e cientista brasileiro Roberto Landell de Moura realizou

Leia mais

Mídia, Conteúdo e Telecom: Consolidação Inevitável

Mídia, Conteúdo e Telecom: Consolidação Inevitável Mídia, Conteúdo e Telecom: Consolidação Inevitável Luana Rufino Superintendente de Análise de Mercado da Ancine Setembro/2017 Estrutura do Mercado de TV Paga 20.000.000 Evolução do Número de Assinantes

Leia mais

PROTEÇÃO DO CONTEÚDO NACIONAL E REGIONALIZAÇÃO DA PROGRAMAÇÃO

PROTEÇÃO DO CONTEÚDO NACIONAL E REGIONALIZAÇÃO DA PROGRAMAÇÃO PROTEÇÃO DO CONTEÚDO NACIONAL E REGIONALIZAÇÃO DA PROGRAMAÇÃO Audiência Pública Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática 28 de maio de 2014 Jandira Feghali O mercado audiovisual mundial

Leia mais

Instrução Normativa nº 100 Texto em Vigor Texto Proposto Observações. Lei nº 12.485, de 2011 Lei nº 12.485, de 2011

Instrução Normativa nº 100 Texto em Vigor Texto Proposto Observações. Lei nº 12.485, de 2011 Lei nº 12.485, de 2011 Art. 16. A programadora do canal brasileiro de espaço qualificado que veicule no mínimo 12 (doze) horas diárias, 03 (três) das quais em horário nobre, de conteúdo brasileiro que constitui espaço qualificado

Leia mais

12/2016-GCAD ANÁLISE 26/01/2016 ANÍBAL DINIZ

12/2016-GCAD ANÁLISE 26/01/2016 ANÍBAL DINIZ ANÁLISE NÚMERO E ORIGEM: 12/2016-GCAD DATA: 26/01/2016 CONSELHEIRO RELATOR ANÍBAL DINIZ 1. ASSUNTO Resposta ao CADE para instrução de Ato de Concentração n.º 08700.006723/2015-21. 2. EMENTA ATO DE CONCENTRAÇÃO.

Leia mais

TDT Televisão Digital Terrestre

TDT Televisão Digital Terrestre TDT Televisão Digital Terrestre Carlos Lages DPT/PLT carlos.m.lages@telecom.pt TDT Televisão Digital Terrestre Índice Introdução à tecnologia Desenvolvimento da TDT em Portugal O que vai a PT disponibilizar

Leia mais

RIO CONTENT MARKET 2016 O Futuro da Regulamentação de VOD

RIO CONTENT MARKET 2016 O Futuro da Regulamentação de VOD RIO CONTENT MARKET 2016 O Futuro da Regulamentação de VOD ROSANA ALCÂNTARA Março de 2016 AGENDA O mercado de VOD Desafios Regulatórios Premissas da atuação da ANCINE Benchmark nacional Benchmark internacional

Leia mais

Fórum Alô, Brasil! Estimular e fortalecer a participação social nas telecomunicações. Brasília, 26 de abril de 2011 Ana Beatriz Souza

Fórum Alô, Brasil! Estimular e fortalecer a participação social nas telecomunicações. Brasília, 26 de abril de 2011 Ana Beatriz Souza Fórum Alô, Brasil! Estimular e fortalecer a participação social nas telecomunicações Brasília, 26 de abril de 2011 Ana Beatriz Souza Quem somos? 2 Sindicato que representa todas empresas que operam no

Leia mais

Ações de incentivo ao P&D do Ministério das Comunicações

Ações de incentivo ao P&D do Ministério das Comunicações Ministério das Comunicações Ações de incentivo ao P&D do Ministério das Comunicações Thales Marçal Vieira Netto Economista DEICT/STE/MC 1 Ministério das Comunicações Políticas de apoio ao desenvolvimentos

Leia mais

Sobre a ABPITV. Objetivos. Principais Projetos

Sobre a ABPITV. Objetivos. Principais Projetos Agosto/2011 Sobre a ABPITV Objetivos Criada em 1999 Presença em todas as 5 regiões brasileiras 130 Associados em 2011 Janeiro de 2013 mais de 270 associados Representar produtoras independentes de conteúdo

Leia mais

COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA PROJETO DE LEI Nº 6.915, DE 2006

COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA PROJETO DE LEI Nº 6.915, DE 2006 COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA PROJETO DE LEI Nº 6.915, DE 2006 Estabelece diretrizes para a introdução e operação do Serviço de Radiodifusão de Sons e Imagens (televisão)

Leia mais

Mais de 8,5 milhões de assinantes; Concentração de operadoras de TV por Assinatura; Poucas Programadoras Brasileiras;

Mais de 8,5 milhões de assinantes; Concentração de operadoras de TV por Assinatura; Poucas Programadoras Brasileiras; Mais de 8,5 milhões de assinantes; Concentração de operadoras de TV por Assinatura; Poucas Programadoras Brasileiras; Concentração de programadoras brasileiras; Pouco investimento na produção audiovisual.

Leia mais

XAVIER, BERNARDES, BRAGANÇA, Sociedade de Advogados QUESTÕES ATUAIS SOBRE A APLICAÇÃO EFETIVA DA REGULAMENTAÇÃO, POLÍTICA

XAVIER, BERNARDES, BRAGANÇA, Sociedade de Advogados QUESTÕES ATUAIS SOBRE A APLICAÇÃO EFETIVA DA REGULAMENTAÇÃO, POLÍTICA , Sociedade de Advogados QUESTÕES ATUAIS SOBRE A APLICAÇÃO QuickTime and a TIFF (Uncompressed) decompressor are needed to see this picture. EFETIVA DA REGULAMENTAÇÃO, POLÍTICA QuickTime and a TIFF (Uncompressed)

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES RESOLUÇÃO N o 581, DE 26 DE MARÇO DE 2012 Aprova o Regulamento do Serviço de Acesso Condicionado (SeAC) bem como a prestação do Serviço de TV a Cabo (TVC), do Serviço

Leia mais

TV por Assinatura no Brasil: aspectos econômicos e estruturais

TV por Assinatura no Brasil: aspectos econômicos e estruturais TV por Assinatura no Brasil: aspectos econômicos e estruturais Elaboração Técnica: Bruna Fontes Roppa Magno Maranhão Sérgio Reis Tainá Leandro Coordenação de Estudos Regulatórios e Concorrenciais CER Superintendência

Leia mais

Anuário Estatístico do Município de Belém COMUNICAÇÕES 3-3 COMUNICAÇÕES

Anuário Estatístico do Município de Belém COMUNICAÇÕES 3-3 COMUNICAÇÕES Anuário Estatístico do Município de Belém 2010 3-3 COMUNICAÇÕES 385 3-3 COMUNICAÇÕES Neste item, enfocamos informações referentes às telecomunicações, o serviço via satélite, o tráfego da telefonia local

Leia mais

COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR. PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE N o 101, DE 2005

COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR. PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE N o 101, DE 2005 COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE N o 101, DE 2005 Propõe que a Comissão de Defesa do Consumidor realize ato de fiscalização e controle para verificar a regularidade

Leia mais

COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA SENADO FEDERAL

COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA SENADO FEDERAL COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO, SENADO FEDERAL AS CONSEQUÊNCIAS DA ALOCAÇÃO DA BANDA DE FREQUÊNCIA EM 700 MHz, ATUALMENTE OCUPADA PELA TV ABERTA, E A ELABORAÇÃO DO EDITAL DE LICITAÇÃO PARA OS

Leia mais

CLIPPING ABERT DO DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO - DIA RADIODIFUSÃO SEÇÃO I MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÕES E COMUNICAÇÕES

CLIPPING ABERT DO DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO - DIA RADIODIFUSÃO SEÇÃO I MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÕES E COMUNICAÇÕES SEÇÃO I MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÕES E COMUNICAÇÕES GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 2.409, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2016 no uso da atribuição que lhe confere o artigo 87, parágrafo único,

Leia mais

PARA DEBATER O TEMA CONTEÚDO AUDIOVISUAL EM TEMPOS DE CONVERGÊNCIA TECNOLÓGICA GICA

PARA DEBATER O TEMA CONTEÚDO AUDIOVISUAL EM TEMPOS DE CONVERGÊNCIA TECNOLÓGICA GICA AUDIÊNCIA PÚBLICA P PARA DEBATER O TEMA CONTEÚDO AUDIOVISUAL EM TEMPOS DE CONVERGÊNCIA TECNOLÓGICA GICA COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA DO SENADO FEDERAL. Brasília,

Leia mais

A nova distribuição do audiovisual no Brasil. Ara Apkar Minassian Superintendente de Serviços de Comunicação de Massa

A nova distribuição do audiovisual no Brasil. Ara Apkar Minassian Superintendente de Serviços de Comunicação de Massa A nova distribuição do audiovisual no Brasil Ara Apkar Minassian Superintendente de Serviços de Comunicação de Massa São Paulo, 8 de novembro de 2011 Dados do Setor Base de Assinantes 2011 2010 2008 22%

Leia mais

TV ABERTA, TV PAGA E STREAMING

TV ABERTA, TV PAGA E STREAMING TV ABERTA, TV PAGA E STREAMING Resumo: Alexandre de Sousa Carlos Eduardo Felipe Assis Luciano Vinicius Raoni e Yan Carlos O entretenimento audiovisual está totalmente presente hoje na sociedade, através

Leia mais

CLIPPING ABERT DO DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO - DIA RADIODIFUSÃO SEÇÃO I ATOS DO CONGRESSO NACIONAL

CLIPPING ABERT DO DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO - DIA RADIODIFUSÃO SEÇÃO I ATOS DO CONGRESSO NACIONAL SEÇÃO I ATOS DO CONGRESSO NACIONAL No- 221, DE 2015 Aprova o ato que renova a permissão outorgada à RÁDIO ALMENARA STÉREO FM LTDA. para executar serviço de radiodifusão sonora em frequência modulada na

Leia mais

SUMÁRIO DEVERES E OBRIGAÇÕES DO PROVEDOR

SUMÁRIO DEVERES E OBRIGAÇÕES DO PROVEDOR SUMÁRIO DEVERES E OBRIGAÇÕES DO PROVEDOR 1. CNAE - Serviço de Comunicação Multimídia 2. CREA 3. ANATEL Obrigações Pós Outorga - Ato de Autorização 4. CÁLCULO ESTRUTURAL 5. COMPARTILHAMENTO DE POSTES 6.

Leia mais

36 PAINEL TELE.SÍNTESE

36 PAINEL TELE.SÍNTESE 36 PAINEL TELE.SÍNTESE 4G E A FAIXA DE 700 MHz OS ESTUDOS DE INTERFERÊNCIA Brasília DF, 4 de fevereiro de 2014 HISTÓRICO SOBRE A LIBERAÇÃO DA FAIXA: CONSULTA PÚBLICA N 12/2012 da Anatel: sinalização da

Leia mais

Transmissão do direito de utilização de frequências da Rádio Beira Interior C.R.L. para a titularidade da RACAB - Rádio Castelo Branco, Lda.

Transmissão do direito de utilização de frequências da Rádio Beira Interior C.R.L. para a titularidade da RACAB - Rádio Castelo Branco, Lda. DECISÃO Transmissão do direito de utilização de frequências da Rádio Beira Interior C.R.L. para a titularidade da RACAB - Rádio Castelo Branco, Lda. 1. Pedido Na sequência do pedido de cessão do serviço

Leia mais

Câmara dos Deputados Comissão de Defesa do Consumidor. - Serviço de TV por Assinatura -

Câmara dos Deputados Comissão de Defesa do Consumidor. - Serviço de TV por Assinatura - Agência Nacional de Telecomunicações Superintendência de Serviços de Comunicação de Massa Câmara dos Deputados Comissão de Defesa do Consumidor - Serviço de TV por Assinatura - Ara Apkar Minassian Superintendente

Leia mais

DECISÃO. Transmissão do direito de utilização de frequências da Empresa Rádio Cávado

DECISÃO. Transmissão do direito de utilização de frequências da Empresa Rádio Cávado DECISÃO Transmissão do direito de utilização de frequências da Empresa Rádio Cávado Lda. para a titularidade da GLOBINÓPLIA, Unipessoal, Lda.. 1. Pedido Na sequência do pedido de cessão do serviço de programas

Leia mais

DECISÃO. 1. Pedido. 2. Enquadramento Lei da Rádio

DECISÃO. 1. Pedido. 2. Enquadramento Lei da Rádio DECISÃO Transmissão do direito de utilização de frequências da Cristina Maria da Silva Rede, Lda. ( Rádio Douro Sul ) para a titularidade da Rádio João Bosco, Lda. 1. Pedido Na sequência do pedido de cessão

Leia mais

Encontro NEOTV 2012. Regulamento e Processo de Outorgas do SeAC

Encontro NEOTV 2012. Regulamento e Processo de Outorgas do SeAC Encontro NEOTV 2012 Regulamento e Processo de Outorgas do SeAC José Mares Guia Junior Gerente-Geral de Regulamentação, Outorga e Licenciamento de Serviços por Assinatura Ângela Beatriz Cardoso de Oliveira

Leia mais

Terminal de Uso Privado Aspectos Jurídicos. Odilon Castello Borges Neto Gerente Jurídico da Technip Vitória, 18 de maio de 2016.

Terminal de Uso Privado Aspectos Jurídicos. Odilon Castello Borges Neto Gerente Jurídico da Technip Vitória, 18 de maio de 2016. Terminal de Uso Privado Aspectos Jurídicos Odilon Castello Borges Neto Gerente Jurídico da Technip Vitória, 18 de maio de 2016. Sumário 1. O Grupo Technip 2. Novo Marco Regulatório 3. Contrato de Adesão

Leia mais

Sistema Brasileiro de Televisão. Atualizado em junho/2016

Sistema Brasileiro de Televisão. Atualizado em junho/2016 Sistema Brasileiro de Televisão Atualizado em junho/2016 Dados do Mercado de OTT e VOD no Brasil Tamanho de Mercado Outros México Brasil Argentina Netflix Claro Vídeo Vivendi NetMovies DirecTV Outros

Leia mais

PAINEL REGULATÓRIO DESLIGAMENTO Aspectos Regulatórios e Procedimentais SET/SUL 2016

PAINEL REGULATÓRIO DESLIGAMENTO Aspectos Regulatórios e Procedimentais SET/SUL 2016 PAINEL REGULATÓRIO DESLIGAMENTO 2018 Aspectos Regulatórios e Procedimentais SET/SUL 2016 Aspectos Regulatórios RTV SECUNDÁRIA DIGITAL POLÍTICA INICIAL RTVs secundárias analógicas RTVs primárias digitais

Leia mais

PORTARIA n.º 475 de 12 de dezembro de 2008.

PORTARIA n.º 475 de 12 de dezembro de 2008. Data de Publicação do D.O.U 15 de dezembro de 2008 PORTARIA n.º 475 de 12 de dezembro de 2008. A SECRETÁRIA DE SERVIÇOS DE COMUNICAÇÃO ELETRÔNICA DO MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES, no uso de suas atribuições,

Leia mais

JARBAS JOSÉ VALENTE. Presidente Substituto da Agência Nacional de Telecomunicações

JARBAS JOSÉ VALENTE. Presidente Substituto da Agência Nacional de Telecomunicações JARBAS JOSÉ VALENTE Presidente Substituto da Agência Nacional de Telecomunicações Brasília, 4 de junho de 2013 Agenda Lei da Comunicação Audiovisual de Acesso Condicionado (Lei n. 12.485, de 11/09/2012);

Leia mais

REGULAMENTO REGULAMENTO DE ARRECADAÇÃO DOS DIREITOS AUTORAIS DE EXECUÇÃO PÚBLICA MUSICAL

REGULAMENTO REGULAMENTO DE ARRECADAÇÃO DOS DIREITOS AUTORAIS DE EXECUÇÃO PÚBLICA MUSICAL REGULAMENTO REGULAMENTO DE ARRECADAÇÃO DOS DIREITOS AUTORAIS DE EXECUÇÃO PÚBLICA MUSICAL Aprovado em 16 de setembro de 2015 ÍNDICE Í ndice Í. Princípios Gerais 1 ÍÍ. Crite rios para os va rios tipos de

Leia mais

MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES

MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES SEÇÃO I MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES SUPERINTENDÊNCIA DE RADIOFREQUÊNCIA E FISCALIZAÇÃO GERÊNCIA-GERAL DE FISCALIZAÇÃO ESCRITÓRIO REGIONAL NO ESTADO DO PARÁ DESPACHO DO GERENTE REGIONAL Aplica às entidades,

Leia mais

COMISSÃO ESPECIAL DO DESENVOLVIMENTO NACIONAL

COMISSÃO ESPECIAL DO DESENVOLVIMENTO NACIONAL COMISSÃO ESPECIAL DO DESENVOLVIMENTO NACIONAL TEXTO FINAL PROJETO DE LEI DA CÂMARA Nº 79, DE 2016 (nº 3.453, de 2015, na Casa de origem) Altera as Leis nºs 9.472, de 16 de julho de 1997, para permitir

Leia mais

- REGIMENTO INTERNO. Secretaria de Comunicação. Leis Nº 6.529/05 e Nº 6.551/06, Decretos Nº /06 e Nº

- REGIMENTO INTERNO. Secretaria de Comunicação. Leis Nº 6.529/05 e Nº 6.551/06, Decretos Nº /06 e Nº - REGIMENTO INTERNO Secretaria de Comunicação Leis Nº 6.529/05 e Nº 6.551/06, Decretos Nº 12.659/06 e Nº 15.052 I - Secretaria Executiva: - assessorar o Secretário Municipal no exercício de suas atribuições;

Leia mais

MEIO&MENSAGEM

MEIO&MENSAGEM MEIO&MENSAGEM http://www.meioemensagem.com.br/home/ultimas-noticias/2016/05/12/cade-optou-pelo-equilibrio-diz-neotv.html NEOTV: Cade optou pelo equilíbrio Alex Jucius, presidente da entidade que reúne

Leia mais

Conselho Regulador da Entidade Reguladora para a Comunicação Social. Deliberação 9/AUT-TV/2009

Conselho Regulador da Entidade Reguladora para a Comunicação Social. Deliberação 9/AUT-TV/2009 Conselho Regulador da Entidade Reguladora para a Comunicação Social Deliberação 9/AUT-TV/2009 Pedido de autorização para o exercício da actividade de televisão através de um serviço de programas televisivo

Leia mais

MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES

MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES SEÇÃO I MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES GABINETE DO MINISTRO PORTARIA N - 325, DE 3 DE JULHO DE 2012 O MINISTRO DE ESTADO DAS COMUNICAÇÕES, no uso de suas atribuições, e tendo em vista o que consta do Processo

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA nº 100, de 29 de maio de 2012.

INSTRUÇÃO NORMATIVA nº 100, de 29 de maio de 2012. INSTRUÇÃO NORMATIVA nº 100, de 29 de maio de 2012. Dispõe sobre a regulamentação de dispositivos da Lei nº 12.485/2011 e dá outras providências. A DIRETORIA COLEGIADA DA AGÊNCIA NACIONAL DO CINEMA - ANCINE,

Leia mais

Deliberação 126/2014 (AUT-TV)

Deliberação 126/2014 (AUT-TV) Conselho Regulador da Entidade Reguladora para a Comunicação Social Deliberação 126/2014 (AUT-TV) Pedido de autorização para o exercício da atividade de televisão através de um serviço de programas temático

Leia mais

PODER LEGISLATIVO DE ESTRELA Rua Dr. Tostes, 51 Centro Estrela/RS Fone: (51)

PODER LEGISLATIVO DE ESTRELA Rua Dr. Tostes, 51 Centro Estrela/RS Fone: (51) MENSAGEM JUSTIFICATIVA PROJETO DE LEI Nº 10/2016. PODER LEGISLATIVO DE ESTRELA Senhor Presidente Senhores Vereadores É com satisfação que me dirijo a Vossas Excelências, e ao mesmo tempo estou apresentando

Leia mais

a) a intenção de transmitir ou locar direitos de utilização, bem como a concretização da transmissão ou locação são tornadas públicas;

a) a intenção de transmitir ou locar direitos de utilização, bem como a concretização da transmissão ou locação são tornadas públicas; DECISÃO Transmissão do direito de utilização de frequências da E. D. R. Empresa de Difusão de Rádio para a titularidade da Narrativas & Melodias, Lda. 1. Pedido Na sequência do pedido de cessão do serviço

Leia mais

QUADRO REGULATÓRIO ACTUAL E DESAFIOS FUTUROS & ESPECTRO DE FREQUÊNCIAS RADIOELÉCTRICAS. Eng. Hilário Tamele Director de Radiocomunicações & Tecnologia

QUADRO REGULATÓRIO ACTUAL E DESAFIOS FUTUROS & ESPECTRO DE FREQUÊNCIAS RADIOELÉCTRICAS. Eng. Hilário Tamele Director de Radiocomunicações & Tecnologia QUADRO REGULATÓRIO ACTUAL E DESAFIOS FUTUROS & ESPECTRO DE FREQUÊNCIAS RADIOELÉCTRICAS Eng. Hilário Tamele Director de Radiocomunicações & Tecnologia Estrutura Regulatória Governo Regulador Consumidores

Leia mais

Itens que compõem o planejamento de mídia Informações básicas:

Itens que compõem o planejamento de mídia Informações básicas: 13/02/2012 Itens que compõem o planejamento de mídia Informações básicas: Análises quantitativas: Penetração dos meios: grau de intensidade de consumo dos veículos de comunicação pela população e por um

Leia mais

NÚMEROS DA COMUNICAÇÃO NO BRASIL 2011 / 2012

NÚMEROS DA COMUNICAÇÃO NO BRASIL 2011 / 2012 NÚMEROS DA COMUNICAÇÃO NO BRASIL 2011 / 2012 1 O IBGE MEDE A IMPORTÂNCIA DE TODAS AS EMPRESAS LIGADAS À COMUNICAÇÃO DENTRO DO CENÁRIO ECONÔMICO NACIONAL. 2 3 O IBGE SOMA AS RECEITAS REGISTRADAS EM BALANÇOS

Leia mais

Como. começar a trabalhar com FIBRA ÓPTICA

Como. começar a trabalhar com FIBRA ÓPTICA Como começar a trabalhar com FIBRA ÓPTICA Introdução Sabemos que migrar para uma nova tecnologia traz muitas dúvidas e começar tudo sem nenhuma orientação pode ser trabalhoso. Por isso reunimos neste e-book

Leia mais

O Futuro do Espectro no Brasil: como Atender às Necessidades de Espectro para os Novos Serviços?

O Futuro do Espectro no Brasil: como Atender às Necessidades de Espectro para os Novos Serviços? O Futuro do Espectro no Brasil: como Atender às Necessidades de Espectro para os Novos Serviços? Eng. Maximiliano Salvadori Martinhão Gerente-Geral de Certificação e Engenharia do Espectro maximiliano@anatel.gov.br

Leia mais

O CONGRESSO NACIONAL decreta:

O CONGRESSO NACIONAL decreta: PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 332, DE 2014 Altera a Lei nº 12.485, de 12 de setembro de 2011, para inserir o conceito de Rede Nacional e Estação de Abrangência Nacional e estabelecer obrigação de carregamento

Leia mais

CONTENIDOS de TV DIGITAL y FORO TDT-OTT. La Televisión Universitaria. Experiencias internacionales

CONTENIDOS de TV DIGITAL y FORO TDT-OTT. La Televisión Universitaria. Experiencias internacionales CONTENIDOS de TV DIGITAL y FORO TDT-OTT La Televisión Universitaria. Experiencias internacionales Valderez de Almeida Donzelli Leite 01/10/2014 La Televisión Universitaria - SET Sociedade Brasileira de

Leia mais

VICE-PRESIDÊNCIA COMERCIAL - JUL/16

VICE-PRESIDÊNCIA COMERCIAL - JUL/16 VICE-PRESIDÊNCIA COMERCIAL - JUL/16 O PROGRAMA A informação em tempo real, direta e ao vivo. Apresentado por Reinaldo Gottino na edição da tarde, o Balanço Geral é um jornal dinâmico, com notícias e reportagens

Leia mais

Gestão do Espectro Radioelétrico para Prestação de Serviços de Telecomunicações

Gestão do Espectro Radioelétrico para Prestação de Serviços de Telecomunicações Gestão do Espectro Radioelétrico para Prestação de Serviços de Telecomunicações Regulamentação das Condições de Uso de Faixas de Radiofrequências e Homologação de Equipamentos SEMINÁRIO DE GESTÃO E DEFESA

Leia mais

Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática 08 de outubro de 2013

Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática 08 de outubro de 2013 Marco Regulatório Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática 08 de outubro de 2013 Panorama do Setor Em 1997, na corrida pelo usuário, a telefonia fixa era o destaque

Leia mais

Estratégia mercadológica e comunicação

Estratégia mercadológica e comunicação Estratégia mercadológica e comunicação Agência Nacional do Cinema é uma agência reguladora que tem como atribuições o fomento, a regulação e a fiscalização do mercado do cinema e do audiovisual no Brasil

Leia mais

Deliberação. 160/ /2015 (Parecer) Conselho Regulador da Entidade Reguladora para a Comunicação Social

Deliberação. 160/ /2015 (Parecer) Conselho Regulador da Entidade Reguladora para a Comunicação Social Conselho Regulador da Entidade Reguladora para a Comunicação Social Deliberação 160/ /2015 (Parecer) Parecer relativo ao projeto de alteração do Decreto-lei n.º 272/98, de 2 de setembro Lisboa 24 de agosto

Leia mais

Nota justificativa. Regulamento para operação do sistema de transmissão de dados em radiodifusão (RDS)

Nota justificativa. Regulamento para operação do sistema de transmissão de dados em radiodifusão (RDS) Nota justificativa Regulamento para operação do sistema de transmissão de dados em radiodifusão (RDS) O Decreto-Lei n.º 272/98, de 2 de setembro, que estabelece o regime de instalação e operação do sistema

Leia mais

Operadoras Nov Fev Independentes 33% 20% RBS/NET Sul 23% 10% Globocabo/ NET 20% 8% Abril 14% 10% Outros 10% 52%

Operadoras Nov Fev Independentes 33% 20% RBS/NET Sul 23% 10% Globocabo/ NET 20% 8% Abril 14% 10% Outros 10% 52% Quadro 1 Mercado de TV Paga: nº de Concessionários (em %) Operadoras Nov. 1997 Fev. 2000 Independentes 33% 20% RBS/NET Sul 23% 10% Globocabo/ NET 20% 8% Abril 14% 10% Outros 10% 52% Fonte: anatel Observação:

Leia mais

Cenário sobre Governança, Regulação e Internet

Cenário sobre Governança, Regulação e Internet XIX Congresso Internacional de Direito Constitucional Escola de Direito de Brasília do Instituto Brasiliense de Direito Público (EDB/IDP) Cenário sobre Governança, Regulação e Internet Outubro/2016 Aspectos

Leia mais

IMPACTO DA REVERSIBILIDADE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

IMPACTO DA REVERSIBILIDADE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS IMPACTO DA REVERSIBILIDADE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO ESPECIAL DA LGT BRASÍLIA, 20 DE OUTUBRO DE 2015 MODALIDADES DE SERVIÇOS PREVISTAS NA LGT Serviço Público Outorga: Concessão

Leia mais

REGIÃO METROPOLITANA DE LONDRINA: SERVIÇO DE TELECOMUNICAÇÃO

REGIÃO METROPOLITANA DE LONDRINA: SERVIÇO DE TELECOMUNICAÇÃO REGIÃO METROPOLITANA DE LONDRINA: SERVIÇO DE TELECOMUNICAÇÃO Flávia Navarro dos Santos (PROIC/Fundação Araucária-UEL), Tânia Maria Fresca (Orientadora), e-mail: fresca@uel.br Universidade Estadual de Londrina/Departamento

Leia mais

UBS CEO CONFERENCE. 21 de março de 2006

UBS CEO CONFERENCE. 21 de março de 2006 UBS CEO CONFERENCE 21 de março de 2006 1 Disclaimer Esta apresentação contém considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais e financeiros, e às perspectivas

Leia mais

LEI Nº 8.977, DE 6 DE JANEIRO DE 1995

LEI Nº 8.977, DE 6 DE JANEIRO DE 1995 LEI Nº 8.977, DE 6 DE JANEIRO DE 1995 Dispõe sobre o Serviço de TV a Cabo e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO

Leia mais

Tabela de Preços Válida a partir de Outubro de 2015 Valores em reais. Alteração 2

Tabela de Preços Válida a partir de Outubro de 2015 Valores em reais. Alteração 2 Tabela de Preços Válida a partir de Outubro de 2015 Valores em reais Alteração 2 Tabela de Preços Válida a partir de Outubro de 2015 Valores em reais Alteração 2 DIA INÍCIO FIM GÊNERO PROGRAMA PREÇO NET

Leia mais

- Novo RUE: Resolução nº 671/2016 (DOU 07/11/16) Facilidade de acesso ao espectro: maior ocupação do espectro e aumento do número de prestadoras

- Novo RUE: Resolução nº 671/2016 (DOU 07/11/16) Facilidade de acesso ao espectro: maior ocupação do espectro e aumento do número de prestadoras 1 - Novo RUE: Resolução nº 671/2016 (DOU 07/11/16) Facilidade de acesso ao espectro: maior ocupação do espectro e aumento do número de prestadoras Simplificação do pedido de autorização de uso de RF (documentação)

Leia mais

A TV DA GRANDE VITÓRIA

A TV DA GRANDE VITÓRIA A TV DA GRANDE VITÓRIA ÍNDICE 3 4 5 6 9 10 Introdução Quem Somos Diferencial Programas Colunas Tabela de Preços INTRODUÇÃO Agradecemos a oportunidade de apresentar nossos programas e colunas. A seriedade

Leia mais

Desafios da Regulação do Setor de Saneamento

Desafios da Regulação do Setor de Saneamento Desafios da Regulação do Setor de Saneamento Áreas de indefinição de atribuições regulatórias 30 05 2017 Hélio Luiz Castro Diretor de Regulação Técnica e Fiscalização dos Serviços de Saneamento Básico

Leia mais

CONCURSO Nº 01/2017- PROCESSO INTERNO Nº 03/2017

CONCURSO Nº 01/2017- PROCESSO INTERNO Nº 03/2017 CONCURSO Nº 01/2017- PROCESSO INTERNO Nº 03/2017 EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS DE PRÈ-LICENCIAMENTO DE PRODUÇÕES AUDIOVISUAIS PARA A REDE PÚBLICA DE TELEVISÃO. ESCLARECIMENTO 47 Enviado por e-mail em 07.04.2017

Leia mais

Um show imperdível que a RECORD NEWS irá transmitir com exclusividade, essa arte sobre as águas.

Um show imperdível que a RECORD NEWS irá transmitir com exclusividade, essa arte sobre as águas. Movimentos estéticos durante a queda, flexibilidade, coordenação, força e muita técnica. É assim que os saltos ornamentais conquistam a admiração do público. Através de uma competição de alto nível e precisão,

Leia mais

EM Brasília,6 de 9 de Excelentíssimo Senhor Presidente da República,

EM Brasília,6 de 9 de Excelentíssimo Senhor Presidente da República, MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÔES GABINETE DO MINISTRO mc 0 EM Brasília,6 de 9 de 2002. Excelentíssimo Senhor Presidente da República, Tenho a honra de submeter à elevada consideração de Vossa Excelência, com

Leia mais

A ANEEL e o Marco Regulatório do Brasil. Ivan Camargo Assessor da Diretoria

A ANEEL e o Marco Regulatório do Brasil. Ivan Camargo Assessor da Diretoria A ANEEL e o Marco Regulatório do Brasil Ivan Camargo Assessor da Diretoria Sumário 1. Marco Regulatório Brasileiro. Resultados. 2. Atuação da Agência Nacional de Energia Elétrica. 3. Principais Desafios.

Leia mais

CONFERÊNCIA. O NOVO MARCO LEGAL DA INOVAÇÃO: Desafios e Oportunidades. O impacto do Novo Marco Legal sobre as empresas que se dedicam à Inovação

CONFERÊNCIA. O NOVO MARCO LEGAL DA INOVAÇÃO: Desafios e Oportunidades. O impacto do Novo Marco Legal sobre as empresas que se dedicam à Inovação CONFERÊNCIA O NOVO MARCO LEGAL DA INOVAÇÃO: Desafios e Oportunidades O impacto do Novo Marco Legal sobre as empresas que se dedicam à Inovação Prof. Dr. Spartaco Astolfi Filho spartaco.biotec@gmail.com

Leia mais

VICE-PRESIDÊNCIA COMERCIAL - 24/NOV/16

VICE-PRESIDÊNCIA COMERCIAL - 24/NOV/16 VICE-PRESIDÊNCIA COMERCIAL - 24/NOV/16 O PROGRAMA Confiável, ágil e moderno, o Jornal da Record traz a notícia apurada para o telespectador. Celso Freitas e Adriana Araújo estão na bancada do telejornal

Leia mais

A RECORD NEWS, preocupada com a saúde e bem-estar dos brasileiros, exibirá em sua programação boletins informativos com dicas de saúde e alimentação.

A RECORD NEWS, preocupada com a saúde e bem-estar dos brasileiros, exibirá em sua programação boletins informativos com dicas de saúde e alimentação. A RECORD NEWS, preocupada com a saúde e bem-estar dos brasileiros, exibirá em sua programação boletins informativos com dicas de saúde e alimentação. Os boletins mostrarão a importância dos alimentos para

Leia mais