Estratégias de GCN. Contingências Operacionais John A. Coggan B.Sc Elec Eng, MBA, MBCS, AMBCI

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estratégias de GCN. Contingências Operacionais John A. Coggan B.Sc Elec Eng, MBA, MBCS, AMBCI"

Transcrição

1

2 Estratégias de GCN Contingências Operacionais John A. Coggan B.Sc Elec Eng, MBA, MBCS, AMBCI Hotel Intercontinental Sala Di Cavalcanti 28 de Maio 2013

3 O desafio apresentado Como se dimensiona o tamanho da contingência? considerando que atualmente existe uma alta concentração de atividades num mesmo local Qual o numero de cadeiras requeridas? Qual é o benchmark? 3

4 Conteudo Um pouco de teoria Workplace disruption - Disrupção do local de trabalho. Recuperação de ativos. Estrutura das estratégias. Vectores determinantes. Planejamento. Implementação. Um pouco de prática Análise das estratégias. Recursos para as atividades. Resumo e Conclusões 4

5 Workplace disruption Disrupção do local de trabalho Mantra Um local para todas as atividades. Conluio de fatores naturaleza (geografico e densidade demografica), tecnologicos, practicas de trabalho (conhecimento), flexibilidade (se pode trabalhar remotamente) Posibilidade de recuperação virtual Análises realizados em impactos e não em ameaças. 5

6 Estrategia de transferencia Lembrete: Transferência de operações é uma das opções estratêgicas (Não responder, evitar, mitigar, controlar são outras opções que podem ser adotadas isoladamente ou em conjunto para responder a um incidente isolado ou varios incidentes causadores da disrupção por exemplo ações de contenção). A adoção vai depender da extensão da disrupção. O objetivo é de comprar tempo e permitir a recuperação definitiva das atividades e recursos que foram afetados. Significa ter no minimo duasfrentes para as respostasa uma disrupção: Recuperação dos ativos, recursos e atividades. Atendimentoas obrigações de entrega dos serviços e produtos. Quando consideramos disrupções de longa duração: Eliminação do Backlog. 6

7 Recuperação dos ativos Varios ativos e recursos podem ser afetados por um incidente: Pessoas - Diretores, Gerentes, colaboradores, partes interessadas... Processos comunicação, controle, trading, atendimento... Local predios, agencias, ATM s, infraestrutura, ventilação... Informática plataformas, servidores, rede... Informação banco de dados, processamento... Serviços limpeza, segurança, manutenção... Terceiras partes hosting, colocation, transporte de valores, administradoras... Varias equipes especializadas e/ou híbridas de resposta são necessarios Pessoas tratamentos de feridas, traumas,... Predios limpeza, novas instalações, manutenções da estrutura, acessos, alvara s, testes e provas de equipamentos de proteção, iluminação, ventilação, banheiros, cocina, seguro... Terceiras partes coordenação, communicação, cumprimento, Varias equipes operacionais para atendimento as obrigações. 7

8 Recuperação dos ativos Manter os membros da equipe de recuperação focados nos objetivos de recuperação. Manter os membros da equipe de operação focados nos objetivos de atendimento as obrigações do negocio. Evitar o desvio da atenção para otras atividades. Uma única equipe de coordenação Coordenar os trabalhos das equipes de atendimento e de recuperação Quantas equipes? Depende da extensão e duração da disrupção. No caso de desastres e crisis, multiplas equipes de resposta operacional e de recuperação são accionadas. Nestas situações as atividades de coordenação podem exigir de 3 niveis de atuação chamados de Ouro, Prata e Bronze. 8

9 Extensão das disrupções Duração Os 3 R s meses Horario do dia semanas Alcance de manha dias Regional/nacional A tarde Fim de semana horas bairro distrito/multi local A noite local Pouco interesse Interesse local Interes Nacional Internacional Danos menores/perdas de ativos negação de acesso Sem Danos maiores Destruição e perda total trauma, afastatamento Repercussão ferimentos Amplitude do impacto Morte Impacto no pessoal 9

10 Estructura da estratégia Estrutura basica de atendimento a necesidades de: Pessoas Partes interessadas clientes, accionistas, parceiros, fornecedores... Predios Técnologias Informação Equipamento Serviços Suprimentos 10

11 Novos paradigmas estratêgicos Anterior - Réplica do trabalho operacional Escotamento da estrategia linear do negocio Motivadores de continuidade variam entre empresas e setores Satisfação do cliente entrega dos serviços Cumprimento regulatorio Cumprimento de politicas e metas Exposição a litígio Perda de productividade, de receita... 11

12 A procura de um algoritmo Um procedimento para resolver um problema de matemática em um número finito de passos que freqüentemente envolve a repetição de uma operação; Um procedimento passo-a-passo para resolver um problema ou realizar algum fim - especialmente utilizando um computador. 12

13 Diferentes serviços Perda de receita Impacto Agencia Internet ATM Trading Perda de Produtividade Sensibilidade do cliente Requisitos de Cumprimento Exposição a Litigio Quais as atividades de negocio com a mais urgencia de recuperação? 13

14 Tempo de resposta Vector de calculo Nova descontinuidade e panico Tempo da disrupção 14 Disrupção Tempo de recuperação (RTO) Retorno a normalidade MTA Tempo Intoleravel Tempo toleravel Posicioanar as equipes Recursos de contigencia

15 Estratégias x Estratégias Estrategias de Recuperação diversificação, multiplas localidades, fragmentação de atividades, virtualização. Estratégias do Negocio Os objetivos de negocio mudam como resultado de um desastre regional? Por exemplo com a falta de pessoal? Como que o pessoal reage? é provavel que a primeira prioridade deles sea a familia e não o empregador. Qual a reação dos organismos reguladores? Das autoridades? As exigencias podem afetar a velocidade e efetividade da recuperação? A mantra de centralização é questionada quando se determina a necessidade de sitios e localizações multiplas para melhorar a resiliencia organizacional. (Ref.: The reality of Worst Case Scenarios : Ian Charters (Continuity Vol. 4/4. Business Continuity Institute, Also at 15

16 Planejamento Disponibilidade, Riscos, Custos, Resiliencia, Impacto, Partes Interessadas são conceitos de negócio e não técnicos. Um projeto transforma a complexidade do negócio em elementos técnicos e especificações. Por exemplo para uma rede de TI -Downtime, Velocidad de recuperacion, Testabilidade, Capacidade de prevenção de falhas, Capacidade de isolamento, Capacidade de analises de falhas, Hardware para de-bug, Habilidade de detectar / avaliar o estado do desempeho, Habilidade de responder em tempo (RTO), Habilidade de recuperar em tempo (RTO), Habilidade de restablecer en tempo (RPO), Custos de cada elemento (Passados, Presentes y Futuros). Estes elementos são apresentados em forma de planos. Por exemplo Planos de operação, Plano de Gestão de Riscos, Plano de medição desempenho, Planos de segurança ISERT,Planos de Incidentes CERT, Planos de Continuidade nde Negócios, Planos de Comunicação, Planos de Recursos, Planos de Qualidade e SLA s, Planos de Melhoria... Pag. 16

17 Linguagem de planejamento As veces chamado de Agile planguage Ref: Tom Gilb Book.pdf Pag. 17

18 Implementação A implementação dos planos resultam em direção, instrução e ação. Por exemplo: Declaração automática de incidentes disponivel em todos os locais: O acesso aos locais de trabalho não é possivel por mais de 60 minutos. Telecomunicações indisponíveis á mais de 50%dos colaboradores por mais de 30minutos. Energía elétrica indisponível á mais de 50 % dos locais de trabalho ou em qualquer predio por mais de 50 minutos. Sistemas de informática indisponiveis á mais de 50% dos colaboradores por mais de 2horas. Se qualquer destas condições são provaveis nos próximos 30minutos o Director de Continuidade, o seu substituto (ver lista de contatos yyyyy), debem ser notificados imediatamente no ramal xxxxx, ou celular. Cada numero é resultado de um análise vectorial e dimensionamento. Pag. 18

19 Sitios alternativos Estratégia Hot e Live operacional Predio existente para trabalho alternativo de pessoas ( Warm ) Abrir espaço para pessoas em outros locais Compartilharespaço com fornecedores, parceiros RTO (segs, mins, hrs, dias, sems, meses) Min Hrs Hrs+ Dias Custo relativo (A/M/B/no) MA A B M Riscos, ameaças, dependencias (Threat Assessment) Físico e virtual. Na mesma rede eletrica ede telecom. Regiáo de chuvas, diluvios, deslizamentos. Localização do sitio de comando muito distante. Distancia minima dos back -ups. Físico com possivel virtualização. Atividades de soporte com recursos de reposição prolongados. Geradores plano de reabastecimento. Físico. Queda de eficiencia Físico. Queda de eficacia. Distancia minima de localização. Locação temporaria Dias + M Físico. Start up demorado? Aluguel de locais de contingencias Sems Sem plano M Físico. Start up demorado? 19

20 Estratégias x RTO RTO: Gestão Meses Reconstruir o realocar definitivamente Semanas Coberturas temporarias, edificações prefabricadas Adaptação doslocais para as otras actividades Dias Local de recuperação interna Aproveitamento de espaço em outras areas Trabalho remoto e virtualização Horas Diversos locais e sitios com pessoas de outras funções Imediato Diversos locais para cada actividade Interna Contratada Ad-hoc Extender o contrato de contingencia (desde que concentido) Expandir o sitiode contingencia. Alugar equipamentos e materiais. Sitio de contingencia comercial Acordos reciprocos com parceiros, fornaecedores Processos sub-contratados Re-alocar equipospequenos somente para o sitio de contingencia contratado Iniciar a transferencia somente deti para o contratado. Construção, Aluguel o compara de imoveis e instalações. Escritorias com moveis e instalações Processos subcontratados Aluguel de escritorios gerenciados Nenhum Nenhum 20

21 Análises das estratégias 1. Considerar os requisitos para cada centro de atendimento o operação de contingencia. Por exemplo Call center. 2. Categorizar como Obrigatorio ou Desejavel. 3. Estabelecer um peso para o critério de cada item desejavel (0= irrelevante, 5 = Altamente desejavel). Exemplo: Necessario Desejavel Peso (0-5) Criterio Tamanho Capacidade(seats) 3 (warm+mobile+cold) dia 1, dia 2... Unidades moveis on site Pessoal permanente onsite Localização A 1 hr. de distancia horario pico. 2 Onibus permanente. Equipamento PABX com ACD Rede CAT 5 instalado PC e estações configurados e atual 4 Armarios com fechaduras. Assitencia técnica on site Salas de reunião 2 Ambiente Luz de dia nas areas de trabalho Estação de metro max500 mts. 2 Hoteis proximos 4 Refeitorio interno Estacionamento 50 vagas 21

22 Análises das estratégias Necessario Desejavel Peso (0-5) 3 5 Criterio Custo Custo por cadeira posto de trabalho menor que x1.2 atual. Custo de ativação Risco de não estar Condição financeira e trabalhista disponivel Contrato trimestral Invocação concorrente, simultaneo Tempo de acesso as dependencias apósinvocação menos de 2 horas 5 Zonas de exclusão 3 Indices relativos dos clientes Grupos, região de risco. Outros Nota 1.Qualquer proposta que não atende ao Necessario deve ser desconsiderado Nota 2. As propostas contendo fatores desejaveis recebem puntuação de 5 = ideal até 0 = inútilizável Nota 3. Se multiplica a puntação pelo peso do critério. A proposta com o maior resultado será considerada a melhor 22

23 Sequenciar a transferência Serviço / Produto 1 Serviço / Produto 2 Em operação normal o Serviço 1 contém 12 atividades de realização e monitoreo e 22 atividades de soporte. Tolerancia diurna: 1 horas. Tolerancia noturna: 3 horas. Tempo reação: 2 horas Sitio: Hot site Em operação normal o Serviço contém 7 atividades de realização e monitoreo e 12 atividades de soporte. Tolerancia diurna 4 horas. Tolerancia noturna: 6 horas. Tempo reação: 2 horas Sitio: Warm site Serviço / Produto 3 Em operação normal o Serviço contém 18 atividades de realização e monitoreo e 31 atividades de soporte. Tolerancia diurna 1 dia. Tolerancia noturna: 12 horas. Tempo reação: 2 horas Sitio: Warm site 4) Quais das atividades de realização podem ser 1) Quais das atividades de soporte são comuns a 2 ou virtualizadas? mais atividades? Por exemplo folha de pagamento, 5) Quais atividades novas por exemplo ao soporte reembolso de despesas, compra de material... virtual, atendimento a clientes, imprensa, familiares, 2) Quais destas atividades de soporte podem ser seguros, coordenação com a recuperação são virtualizados? necesssarias? 3) Quais destas atividades de soporte podem ser 6) As atividades novas de soporte, coordenação e realizados nos locais de fornecedores e otros comunicação são virtuais ou em loco por exemplo parceiros? centro de commando? 3o Seminário sobre 7) As Gestão atividades de de soporte utilizam recursos com tempos de reposição prolongados? 23

24 24

25 25

26 26

27 Recursos para as atividades Pessoas numero, habilidades e conhecimentos Processos produtos e serviços Infraestrutura locais, instalações, moveis Tecnologia TI, comunicação, equipamentos Informação dados, metodos, planos, contatos Serviços parceiros,fornecedores, limpeza, segurança Suprimentos material, peças, produtos e serviços de emergencia 27

28 Recursos para as atividades Pessoas numero, habilidades e conhecimentos de contingência Processos produtos e serviços de contingência Infraestrutura locais, instalações, moveis de contingência Tecnologia TI, comunicação, equipamentos de contingência Informação dados, metodos, planos, contatos de contigencia Serviços parceiros,fornecedores, limpeza, segurança de contingência Suprimentos material, peças, produtos e serviços de emergencia de contingência Pag. 28

29 Recursos Sitios Em Ingles: Premises Americano: Facilities Espanhol: Infraestructura Sitios/cadeiras meses Horario do dia semanas Alcance de manha dias Regional/nacional Regional/nacional A tarde Fim de semana horas bairro distrito/região/multi distrito/multi local local A noite local Pouco interesse Interesse local Interes Nacional Internacional Danos menores/perdas de ativos negação de acesso Sem Sem Danos maiores Destruição e perda total trauma, afastatamento Repercussão ferimentos Amplitude do impacto Morte Impacto no pessoal 29

30 Recursos -Pessoas Pessoas meses Horario do dia semanas Alcance de manha dias Regional/nacional A tarde Fim de semana horas bairro distrito/multi local A noite local Pouco interesse Interesse local Interes Nacional Internacional Danos menores/perdas de ativos negação de acesso Sem Danos maiores Destruição e perda total trauma, afastatamento Repercussão ferimentos Amplitude do impacto Morte Impacto no pessoal 30

31 Recursos -Informação Informação meses Horario do dia semanas Alcance de manha dias Regional/nacional A tarde Fim de semana horas bairro distrito/multi local A noite local Pouco interesse Interesse local Interes Nacional Internacional Danos menores/perdas de ativos negação de acesso Sem Danos maiores Destruição e perda total trauma, afastatamento Repercussão ferimentos Amplitude do impacto Morte Impacto no pessoal 31

32 Tecnologia e Comunicação TI meses Horario do dia semanas Alcance de manha dias Regional/nacional A tarde Fim de semana horas bairro distrito/multi local A noite local Pouco interesse Interesse local Interes Nacional Internacional Danos menores/perdas de ativos negação de acesso Sem Danos maiores Destruição e perda total trauma, afastatamento Repercussão ferimentos Amplitude do impacto Morte Impacto no pessoal 32

33 Transferencias -Metodologia 1 2 Identificar Partes interessadas * Determinar estrategias para cada parte Determinar procedimentos, metodos,... * Dimensionar os recursos... 3 Escrever os planos * Testar, provar, exercitar... Estrategias O que fazer? O que não fazer? Para quem? Para quem não? Com que? Com que não? Aonde? Aonde não?... Ignorar não fazer nada Evitar Transferir Mitigar 33

34 As soluções mais comuns 34

35 As praticas comuns de Continuidade de Negocios 1. Temos que continuar 2. Aruma uma solução 3. Deus é Brasileiro 4. É assim a mil anos 5. Não seja pessismista 6. Aqui é diferente 7. Não. aqui não precisa 8. Não precisa de tanto detalhe 35

36 Premisas e suposições Estratégicas Que a transferência é possível e é viavel, em tempo, e os riscos de fracasso são controláveis com todas as partes interessadas. Que exista uma prioridade de movimentação, logística (Just in Time) e de sequencia de activação operacional. Que todos os recursos necessarios esten identificados, quantificados e sequenciados. 36

37 37

38 38

39 39

40 Resumo Como se dimensiona o tamanho da contingência? Com projeto e especificações. Qual o numero de cadeiras requeridas? Com dimensionamento do tamanho do emprestimo de tempo necessario para recuperação final. Qual é o benchmark? Diferente a quem é o benchmark. A metôdologia incluido nas boas práticas. 40

41 Conclusão Para o caso de Serviço 1 que contém 12 atividades de realização e monitoreo e 22 atividades de soporte. Tolerancia diurna: 1 horas. Tolerancia noturna: 3 horas. Tempo reação: 2 horas Sitio: Hot site 1) Quais das atividades de soporte são comuns a 2 ou mais atividades? 14 com 12 pessoas. 2) Quais destas atividades de soporte podem ser virtualizados? 8 com 9 pessoas. 3) Quais destas atividades de soporte podem ser realizados nos locais de fornecedores e otros parceiros? Todas as 14. Restando 8 com 23 pessoas para um warm site. 4) Quais das atividades de realização podem ser virtualizadas? Nenhuma 5) Quais atividades novas por exemplo ao soporte virtual, atendimento a clientes, imprensa, familiares, seguros, coordenação com a recuperação são necesssarias? 22 atividades. 6) As atividades novas de soporte, coordenação e comunicação são virtuais ou em loco por exemplo centro de commando? 11 virtual e 11 remoto 7) As atividades de soporte utilizam recursos com tempos de reposição prolongados? 7 das 14 requerem de peças de reposição e suprimentos posicionados. Pag. 41

42 Conclusão Atividade Tipo Local Pessoas dia 1 dia 2 dia 4 dia8 8 de 22 Soporte Virtual de 22 Soporte Fornecedores de 22 Soporte Warm site de 12 Produção Warm site de 9 Soporte local adicional 5 de 5 Coordenação local Warm site Warm site Bronze 5 Bronze 5 Bronze 5 Prata 3 de 9 Soporte virtual Virtual de 8 Coordenação remota Centro comando Prata e Ouro 4 Prata Total Prata 7 Ouro 4 Prata 8 Ouro Operação normal 89 Recurso addicional de contingencia Pag. 42

43 Obrigado pela participação! 43

44 44

EVOLUÇÃO DO HOME OFFICE NA

EVOLUÇÃO DO HOME OFFICE NA EVOLUÇÃO DO HOME OFFICE NA Palestra Teletrabalho Modelo de Trabalho Home Office Modernização da área de Vendas EVOLUÇÃO DO HOME OFFICE NA 1º Movimento 1999/2000 2º Movimento 2001/2002 3º Movimento 2005-2007

Leia mais

Continuidade de Negócio de TI O Sucesso da sua empresa também depende disso. Qual é sua necessidade...

Continuidade de Negócio de TI O Sucesso da sua empresa também depende disso. Qual é sua necessidade... Continuidade de Negócio de TI O Sucesso da sua empresa também depende disso. Qual é sua necessidade... Reduzir custo de TI; Identificar lentidões no ambiente de TI Identificar problemas de performance

Leia mais

Exame de Fundamentos da ITIL

Exame de Fundamentos da ITIL Exame de Fundamentos da ITIL Simulado A, versão 5.1 Múltipla escolha Instruções 1. Todas as 40 perguntas devem ser respondidas. 2. Todas as respostas devem ser assinaladas na grade de respostas fornecida.

Leia mais

Contrato de Suporte End.: Telefones:

Contrato de Suporte End.: Telefones: Contrato de Suporte Contrato de Suporte Desafios das empresas no que se refere à infraestrutura de TI Possuir uma infraestrutura de TI que atenda as necessidades da empresa Obter disponibilidade dos recursos

Leia mais

Porque Contingência?

Porque Contingência? Porque Contingência? Porque Contingência? Fatores de Riscos Vandalismo Roubo Incêndio Raios Inundação Acesso indevido Distúrbio civil Falha humana Explosão Terrorismo Falhas e panes... Porque Contingência?

Leia mais

Otimização do Gerenciamento de Datacenters com o Microsoft System Center

Otimização do Gerenciamento de Datacenters com o Microsoft System Center Otimização do Gerenciamento de Datacenters com o Microsoft System Center Aviso de Isenção de Responsabilidade e Direitos Autorais As informações contidas neste documento representam a visão atual da Microsoft

Leia mais

Profa. Gislaine Stachissini. Unidade III GOVERNANÇA DE TI

Profa. Gislaine Stachissini. Unidade III GOVERNANÇA DE TI Profa. Gislaine Stachissini Unidade III GOVERNANÇA DE TI Information Technology Infrastructure Library ITIL Criado pelo governo do Reino Unido, tem como objetivo a criação de um guia com as melhores práticas

Leia mais

BANCO CENTRAL DO BRASIL 2009/2010

BANCO CENTRAL DO BRASIL 2009/2010 BANCO CENTRAL DO BRASIL 2009/2010 CONTINUIDADE DE NEGÓCIOS E PLANOS DE CONTINGÊNCIA Professor: Hêlbert A Continuidade de Negócios tem como base a Segurança Organizacional e tem por objeto promover a proteção

Leia mais

Curso Plano de Continuidade de Negócios

Curso Plano de Continuidade de Negócios Curso Plano de Continuidade de Negócios Em um cenário mundial de alto risco e volatilidade, com uma interconexão e interdependência de todas as cadeias de suprimento, a segurança e continuidade dos negócios

Leia mais

Gestão da Continuidade dos Negócios

Gestão da Continuidade dos Negócios Caixa Econômica Federal Gestão da Continuidade dos Negócios Alexandre Guindani CBCP,SBCI A CAIXA em números 80.606 25.031 148 5.564 48 Mi GCN - Estrutura Organizacional Estrutura Organizacional Vice-presidência

Leia mais

Gerenciamento de Incidentes

Gerenciamento de Incidentes Gerenciamento de Incidentes Os usuários do negócio ou os usuários finais solicitam os serviços de Tecnologia da Informação para melhorar a eficiência dos seus próprios processos de negócio, de forma que

Leia mais

Uso dos computadores e a Tecnologia da informação nas empresas: uma visão geral e introdutória

Uso dos computadores e a Tecnologia da informação nas empresas: uma visão geral e introdutória Uso dos computadores e a Tecnologia da informação nas empresas: uma visão geral e introdutória Não há mais dúvidas de que para as funções da administração - planejamento, organização, liderança e controle

Leia mais

MBA em Gestão de Tecnologia da Informação. Governança de TI - Aula 2. Lincoln Herbert Teixeira lincolnherbert@gmail.com

MBA em Gestão de Tecnologia da Informação. Governança de TI - Aula 2. Lincoln Herbert Teixeira lincolnherbert@gmail.com MBA em Gestão de Tecnologia da Informação Governança de TI - Aula 2 Lincoln Herbert Teixeira lincolnherbert@gmail.com Projetos Altos investimentos em TI - importante que tenhamos processos eficazes para

Leia mais

Soluções Inteligentes para regulamentações e negócios em aplicações SAP

Soluções Inteligentes para regulamentações e negócios em aplicações SAP Soluções Inteligentes para regulamentações e negócios em aplicações SAP Uma nova visão no Gerenciamento da Aplicação INDICE 1. A Union IT... 3 2. A importância de gerenciar dinamicamente infra-estrutura,

Leia mais

Outsourcing de TI Field Service

Outsourcing de TI Field Service Outsourcing de TI Field Service Metodologia de Solução As soluções ofertadas pela IT2B são desenvolvidas em compliance com as melhores práticas e metodologias de mercado, visando sempre o sucesso da operação

Leia mais

Governança de TI Evolução e Conceitos de Gestão da TI. Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br

Governança de TI Evolução e Conceitos de Gestão da TI. Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br Governança de TI Evolução e Conceitos de Gestão da TI Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br Agenda Conceitos de Governança de TI Fatores motivadores das mudanças Evolução da Gestão de TI Ciclo da Governança

Leia mais

SOLUÇÕES DE RESILIÊNCIA E SEGURANÇA

SOLUÇÕES DE RESILIÊNCIA E SEGURANÇA SERVIÇO DE RESPOSTA A INCIDENTES D Solução de segurança que fornece orientações para o efetivo controle ou correção de ataques externos causados por vulnerabilidades encontradas no ambiente do cliente.

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015 Reestrutura as unidades vinculadas à Secretaria de Tecnologia da Informação SETIN do Tribunal Superior do Trabalho.

Leia mais

*Os usuários devem possuir um CMA ou um Resource Manager registrado de modo a ativar as capacidades de geração de relatórios.

*Os usuários devem possuir um CMA ou um Resource Manager registrado de modo a ativar as capacidades de geração de relatórios. DESCRITIVO DE SERVIÇOS Serviço Advantage O Serviço Advantage é uma oferta de suporte que proporciona assistência técnica telefônica prioritária 24x7 para clientes de porte médio e corporativos que tenham

Leia mais

Projeto: Implantação de Sistema Objetivo

Projeto: Implantação de Sistema Objetivo Projeto: Implantação de Sistema Objetivo Permitir ao aluno o contato com sistemas de informação gerenciais e com algumas fases de implantação de sistemas, como, análise do sistema, definição da matriz

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Competências Analista 1. Administração de recursos de infra-estrutura de tecnologia da informação 2.

Leia mais

Elaboração de Plano de Continuidade de Negócios

Elaboração de Plano de Continuidade de Negócios Elaboração de Continuidade Objetivo: Oferecer à empresa um Planejamento organizado, completo e integrado para: -Conhecer os Riscos à Continuidade das suas operações -Levantar e ponderar os impactos e probabilidades

Leia mais

Governança Corporativa. A importância da Governança de TI e Segurança da Informação na estratégia empresarial.

Governança Corporativa. A importância da Governança de TI e Segurança da Informação na estratégia empresarial. Governança Corporativa A importância da Governança de TI e Segurança da Informação na estratégia empresarial. A virtualização dos negócios tem impactado diretamente a condição de fazer negócio, conferindo

Leia mais

Administração Judiciária

Administração Judiciária Administração Judiciária Planejamento e Gestão Estratégica Claudio Oliveira Assessor de Planejamento e Gestão Estratégica Conselho Superior da Justiça do Trabalho Gestão Estratégica Comunicação da Estratégia

Leia mais

Rodrigo Gonçalves Dezembro/ 2012

Rodrigo Gonçalves Dezembro/ 2012 Evento Inovação Rodrigo Gonçalves Dezembro/ 2012 Estrutura da Área de Parcerias de Negócios Rodrigo Gonçalves. Diretor Unidade de Expansão de Negócios Cleverson Costa Gerente de Expansão de Negócios -

Leia mais

Gerenciamento de Incidente

Gerenciamento de Incidente Apresentação referente à disciplina de Gestão de Processos de TI Professor: Marcelo Fantinato Alunos: Rafael Antonio Silva Priscila Chi Chun Lo Tamiris Tiemi Perestrelo Thamires Magalhães Dias Qual a Diferença

Leia mais

Glossário Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart.

Glossário Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart. Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart. Versão 1.6 15/08/2013 Visão Resumida Data Criação 15/08/2013 Versão Documento 1.6 Projeto Responsáveis

Leia mais

Soluções Completas. Fundada em 1991, a.compos é pioneira na área de soluções em tecnologia, atuando nas áreas de:

Soluções Completas. Fundada em 1991, a.compos é pioneira na área de soluções em tecnologia, atuando nas áreas de: Soluções Completas Fundada em 1991, a.compos é pioneira na área de soluções em tecnologia, atuando nas áreas de: - Conexões compartilhada (.IP) e dedicada (.LINK); - Data Center com servidores virtuais

Leia mais

M.CASSAB reduz tempo de back up em 71% com CA ARCserve

M.CASSAB reduz tempo de back up em 71% com CA ARCserve CUSTOMER SUCCESS STORY M.CASSAB reduz tempo de back up em 71% com CA ARCserve CUSTOMER PROFILE Empresa: Grupo M.Cassab Indústria: Holding Empregados: 1.200 EMPRESA A M.CASSAB é um grupo empresarial familiar

Leia mais

Segurança Computacional. Rodrigo Fujioka

Segurança Computacional. Rodrigo Fujioka Segurança Computacional Rodrigo Fujioka Segurança Computacional Auditoria da Tecnologia da Informação Auditoria da Tecnologia da Informação A Auditoria da TI é uma auditoria operacional, analisa a gestão

Leia mais

FAMÍLIA EMC VPLEX. Disponibilidade contínua e mobilidade de dados nos datacenters e entre eles

FAMÍLIA EMC VPLEX. Disponibilidade contínua e mobilidade de dados nos datacenters e entre eles FAMÍLIA EMC VPLEX Disponibilidade contínua e mobilidade de dados nos datacenters e entre eles GARANTINDO DISPONIBILIDADE CONTÍNUA E MOBILIDADE DE DADOS PARA APLICATIVOS ESSENCIAIS A infraestrutura de armazenamento

Leia mais

Simulado ITIL V3 Português Sicoob

Simulado ITIL V3 Português Sicoob Simulado ITIL V3 Português Sicoob Dezembro 2009 1 de 40 A Implementação do Gerenciamento de Serviços Baseados na ITIL requer preparação e planejamento do uso eficaz e eficiente de quais dos seguintes?

Leia mais

Controle e Monitoramento Inteligente dos processos e regras de negócios utilizando a Plataforma Zabbix

Controle e Monitoramento Inteligente dos processos e regras de negócios utilizando a Plataforma Zabbix 1/7 Controle e Monitoramento Inteligente dos processos e regras de negócios utilizando a Plataforma Zabbix Navegue: 1/7 > www.alertasecurity.com.br +55 11 3105.8655 2/7 PERFIL ALERTA SECURITY SOLUTIONS

Leia mais

Como usar a nuvem para continuidade dos negócios e recuperação de desastres

Como usar a nuvem para continuidade dos negócios e recuperação de desastres Como usar a nuvem para continuidade dos negócios e recuperação de desastres Há diversos motivos para as empresas de hoje enxergarem o valor de um serviço de nuvem, seja uma nuvem privada oferecida por

Leia mais

Gerenciamento de Serviços em TI com ITIL. Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL

Gerenciamento de Serviços em TI com ITIL. Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL A Filosofia do Gerenciamento de Serviços em TI Avanços tecnológicos; Negócios totalmente dependentes da TI; Qualidade, quantidade e a disponibilidade (infra-estrutura

Leia mais

Como as Boas Práticas de Gestão de Serviços de TI podem ajudar na avaliação de Compliance em Organizações não TI

Como as Boas Práticas de Gestão de Serviços de TI podem ajudar na avaliação de Compliance em Organizações não TI Como as Boas Práticas de Gestão de Serviços de TI podem ajudar na avaliação de Compliance em Organizações não TI Luciano Johnson, CISM, CRISC luciano@iso27000.com.br 9º Encontro do Agenda Conformidade

Leia mais

GESTÃO DE T.I. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com

GESTÃO DE T.I. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com GESTÃO DE T.I. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com Conceito Com base nas definições podemos concluir que: Governança de de TI TI busca o compartilhamento de de decisões de de TI TI com os os demais dirigentes

Leia mais

Curso Plano de Continuidade de Negócios

Curso Plano de Continuidade de Negócios Curso Plano de Continuidade de Negócios Em um cenário mundial de alto risco e volatilidade, com uma interconexão e interdependência de todas as cadeias de suprimento, a segurança e continuidade dos negócios

Leia mais

P l a n o d e G e r e n c i a m e n t o d e R i s c o s d o P r o j e t o

P l a n o d e G e r e n c i a m e n t o d e R i s c o s d o P r o j e t o P l a n o d e G e r e n c i a m e n t o d e R i s c o s d o P r o j e t o I d e n t i f i c a ç ã o Projeto Implantação de Sistema GED Solicitante BB S.A Patrocinador do Projeto Jurandir Toblib Presidente

Leia mais

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Núcleo de Pós Graduação Pitágoras MBA Gestão em TI Disciplina: Administração de Suporte e Automação Gerenciamento de Suporte Professor: Fernando Zaidan Ago-2009 1 2 Contexto Área de TI lugar estratégico

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

Hospedagem Virtualizada

Hospedagem Virtualizada Conheça também Desenvolvimento de sistemas Soluções de Segurança Soluções com o DNA da Administração Pública Há 43 anos no mercado, a Prodesp tem um profundo conhecimento da administração pública e também

Leia mais

Consolidação inteligente de servidores com o System Center

Consolidação inteligente de servidores com o System Center Consolidação de servidores por meio da virtualização Determinação do local dos sistemas convidados: a necessidade de determinar o melhor host de virtualização que possa lidar com os requisitos do sistema

Leia mais

Gerência de Redes NOC

Gerência de Redes NOC Gerência de Redes NOC Cássio D. B. Pinheiro pinheiro.cassio@ig.com.br cassio.orgfree.com Objetivos Apresentar os conceitos fundamentais, assim como os elementos relacionados a um dos principais componentes

Leia mais

Gerenciamento de Serviços de TI e Site Backup

Gerenciamento de Serviços de TI e Site Backup Gerenciamento de Serviços de TI e Site Backup ATIVAS encerra o ano como a empresa que mais cresceu no mercado brasileiro de serviços de TI ATIVAS é formalmente apresentada ao mercado CEMIG Telecom adquire

Leia mais

IT Service Management Foundation Bridge based on ISO/IEC 20000

IT Service Management Foundation Bridge based on ISO/IEC 20000 Exame simulado IT Service Management Foundation Bridge based on ISO/IEC 20000 Edição Novembro, 2013 Copyright 2013 EXIN All rights reserved. No part of this publication may be published, reproduced, copied

Leia mais

I Seminário sobre Segurança da Informação e Comunicações

I Seminário sobre Segurança da Informação e Comunicações I Seminário sobre Segurança da Informação e Comunicações GABINETE DE SEGURANÇA INSTITUCIONAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA (GSI/PR) OBJETIVO Identificar a Metodologia de Gestão de SIC na APF AGENDA Gestão

Leia mais

Especificações da oferta Gerenciamento de dispositivos distribuídos: Gerenciamento de ativos

Especificações da oferta Gerenciamento de dispositivos distribuídos: Gerenciamento de ativos Visão geral do Serviço Especificações da oferta Gerenciamento de dispositivos distribuídos: Gerenciamento de ativos Os Serviços de gerenciamento de dispositivos distribuídos ajudam você a controlar ativos

Leia mais

CLOUD COMPUTING NAS EMPRESAS: NUVEM PÚBLICA OU NUVEM PRIVADA? nubeliu.com

CLOUD COMPUTING NAS EMPRESAS: NUVEM PÚBLICA OU NUVEM PRIVADA? nubeliu.com CLOUD COMPUTING NAS EMPRESAS: NUVEM PÚBLICA OU NUVEM PRIVADA? nubeliu.com SUMÁRIO Introdução... 4 Nuvem pública: quando ela é ideal... 9 Nuvem privada: quando utilizá-la... 12 Alternativas de sistemas

Leia mais

Resumo da solução SAP SAP Technology SAP Afaria. Gestão da mobilidade empresarial como vantagem competitiva

Resumo da solução SAP SAP Technology SAP Afaria. Gestão da mobilidade empresarial como vantagem competitiva da solução SAP SAP Technology SAP Afaria Objetivos Gestão da mobilidade empresarial como vantagem competitiva Simplifique a gestão de dispositivos e aplicativos Simplifique a gestão de dispositivos e aplicativos

Leia mais

Contingência ou Plano de Continuidade de Negócios

Contingência ou Plano de Continuidade de Negócios Contingência ou Plano de Continuidade de Negócios Marcos Aurelio Pchek Laureano laureano@ppgia.pucpr.br Roteiro Conceitos e Definições Tipos Planos de Contingência Justificativas Exemplos de Uso Estudo

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI 1. PI06 TI 1.1. Processos a serem Atendidos pelos APLICATIVOS DESENVOLVIDOS Os seguintes processos do MACROPROCESSO

Leia mais

Simplifique: consolidando a gestão do ambiente de trabalho do usuário final

Simplifique: consolidando a gestão do ambiente de trabalho do usuário final Simplifique: consolidando a gestão do ambiente de trabalho do usuário final Para muitas organizações, a rápida proliferação das tecnologias para o usuário final tem demonstrado uma ambigüidade em seus

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, ORGANIZAÇÕES, ADMINISTRAÇÃO E ESTRATÉGIA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, ORGANIZAÇÕES, ADMINISTRAÇÃO E ESTRATÉGIA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, ORGANIZAÇÕES, ADMINISTRAÇÃO E ESTRATÉGIA 1 OBJETIVOS 1. O que os administradores precisam saber sobre organizações para montar e usar sistemas de informação com sucesso? 2. Que

Leia mais

Módulo 8 Gerenciamento de Nível de Serviço

Módulo 8 Gerenciamento de Nível de Serviço Módulo 8 Gerenciamento de Nível de Serviço Módulo 8 Gerenciamento de Nível de Serviço Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão

Leia mais

Política de Gestão de Riscos

Política de Gestão de Riscos Política de Gestão de Riscos 1 OBJETIVO Fornecer as diretrizes para a Gestão de Riscos da Fibria, assim como conceituar, detalhar e documentar as atividades a ela relacionadas. 2 ABRANGÊNCIA Abrange todas

Leia mais

SIMULADO: Simulado 3 - ITIL Foundation v3-40 Perguntas em Português

SIMULADO: Simulado 3 - ITIL Foundation v3-40 Perguntas em Português 1 de 7 28/10/2012 16:47 SIMULADO: Simulado 3 - ITIL Foundation v3-40 Perguntas em Português RESULTADO DO SIMULADO Total de questões: 40 Pontos: 0 Score: 0 % Tempo restante: 55:07 min Resultado: Você precisa

Leia mais

Simplificando a TECNOLOGIA

Simplificando a TECNOLOGIA 3 Simplificando a TECNOLOGIA SEGURANÇA DESENVOLVIMENTO BANCO DE DADOS S O L U Ç Õ ES E M T E C N O L O G I A MISSÃO VISÃO Contribuir com o sucesso dos Clientes através da Ser a melhor provedora de Soluções

Leia mais

Exame de Fundamentos da ITIL

Exame de Fundamentos da ITIL Exame de Fundamentos da ITIL Simulado B, versão 5.1 Múltipla escolha Instruções 1. Todas as 40 perguntas devem ser respondidas. 2. Todas as respostas devem ser assinaladas na grade de respostas fornecida.

Leia mais

FUNDAMENTOS PARA A ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA

FUNDAMENTOS PARA A ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA FUNDAMENTOS PARA A ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA Abordagem da estratégia Análise de áreas mais específicas da administração estratégica e examina três das principais áreas funcionais das organizações: marketing,

Leia mais

gerenciando o desempenho de serviços em uma empresa conectada na nuvem CA Business Service Insight Julho de 2011

gerenciando o desempenho de serviços em uma empresa conectada na nuvem CA Business Service Insight Julho de 2011 gerenciando o desempenho de serviços em uma empresa conectada na nuvem CA Business Service Insight Julho de 2011 a computação na nuvem está presente em todos os lugares e está crescendo 72% das empresas

Leia mais

Gerência de Redes. Profa. Márcia Salomão Homci mhomci@hotmail.com

Gerência de Redes. Profa. Márcia Salomão Homci mhomci@hotmail.com Gerência de Redes Profa. Márcia Salomão Homci mhomci@hotmail.com Plano de Aula Histórico Introdução Gerenciamento de Redes: O que é Gerenciamento de Redes? O que deve ser gerenciado Projeto de Gerenciamento

Leia mais

Ricardo Scheurer Sonda Supermercado

Ricardo Scheurer Sonda Supermercado Tema: Apresentador: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Ricardo Scheurer Sonda Supermercado Objetivo desta palestra será resolver as seguintes questões: Porque fazer um PDTI? Quais os benefícios

Leia mais

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa Aécio Costa A segurança da informação é obtida a partir da implementação de um conjunto de controles adequados, incluindo políticas, processos, procedimentos, estruturas organizacionais e funções de software

Leia mais

Eficiência operacional no setor público. Dez recomendações para cortar custos

Eficiência operacional no setor público. Dez recomendações para cortar custos Eficiência operacional no setor público Dez recomendações para cortar custos 2 de 8 Introdução Com grandes cortes no orçamento e uma pressão reguladora cada vez maior, o setor público agora precisa aumentar

Leia mais

PLANO DE CONTINUIDADE E CONTINGÊNCIA DE NEGÓCIOS (PCCN) Squadra Tecnologia

PLANO DE CONTINUIDADE E CONTINGÊNCIA DE NEGÓCIOS (PCCN) Squadra Tecnologia PLANO DE CONTINUIDADE E CONTINGÊNCIA DE NEGÓCIOS (PCCN) Squadra Tecnologia Sumário 1 INTRODUÇÃO... 2 2 OBJETIVO... 2 3 REVISÕES E ATUALIZAÇÕES... 2 4 POLÍTICAS E NORMAS DO PCCN... 2 5 COMITÊ DE CONTINUIDADE

Leia mais

Soluções em Segurança

Soluções em Segurança Desafios das empresas no que se refere a segurança da infraestrutura de TI Dificuldade de entender os riscos aos quais a empresa está exposta na internet Risco de problemas gerados por ameaças externas

Leia mais

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar.

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar. C O B I T Evolução Estratégica A) Provedor de Tecnologia Gerenciamento de Infra-estrutura de TI (ITIM) B) Provedor de Serviços Gerenciamento de Serviços de TI (ITSM) C) Parceiro Estratégico Governança

Leia mais

Administração de CPD Internet Data Center

Administração de CPD Internet Data Center Administração de CPD Internet Data Center Cássio D. B. Pinheiro pinheiro.cassio@ig.com.br cassio.orgfree.com Objetivos Apresentar os principais conceitos e elementos relacionados a um dos principais tipos

Leia mais

15/09/2015. Gestão e Governança de TI. Modelo de Governança em TI. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor

15/09/2015. Gestão e Governança de TI. Modelo de Governança em TI. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor Gestão e Governança de TI Modelo de Governança em TI Prof. Marcel Santos Silva PMI (2013), a gestão de portfólio é: uma coleção de projetos e/ou programas e outros trabalhos que são agrupados para facilitar

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos INTERPRETAÇÃO ISO 9001:2008 GESTÃO DE QUALIDADE O que é ISO? ISO = palavra grega que significa Igualdade CAPÍTULO: Preâmbulo ISO 9001:2008 0.1 - Generalidades: foi esclarecido que a conformidade com requisitos

Leia mais

PÚBLICA, PRIVADA OU HÍBRIDA: QUAL É A MELHOR NUVEM PARA SEUS APLICATIVOS?

PÚBLICA, PRIVADA OU HÍBRIDA: QUAL É A MELHOR NUVEM PARA SEUS APLICATIVOS? PÚBLICA, PRIVADA OU HÍBRIDA: QUAL É A MELHOR NUVEM PARA SEUS APLICATIVOS? As ofertas de nuvem pública proliferaram, e a nuvem privada se popularizou. Agora, é uma questão de como aproveitar o potencial

Leia mais

Código de prática para a gestão da segurança da informação

Código de prática para a gestão da segurança da informação Código de prática para a gestão da segurança da informação Edição e Produção: Fabiano Rabaneda Advogado, professor da Universidade Federal do Mato Grosso. Especializando em Direito Eletrônico e Tecnologia

Leia mais

Unidade III FUNDAMENTOS DE SISTEMAS. Prof. Victor Halla

Unidade III FUNDAMENTOS DE SISTEMAS. Prof. Victor Halla Unidade III FUNDAMENTOS DE SISTEMAS OPERACIONAIS Prof. Victor Halla Conteúdo Arquitetura de Processadores: Modo Operacional; Velocidade; Cache; Barramento; Etc. Virtualização: Maquinas virtuais; Gerenciamento

Leia mais

ESTUDO DE VIABILIDADE, PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE UMA REDE VPN (VIRTUAL PRIVATE NETWORK)

ESTUDO DE VIABILIDADE, PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE UMA REDE VPN (VIRTUAL PRIVATE NETWORK) ESTUDO DE VIABILIDADE, PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE UMA REDE VPN (VIRTUAL PRIVATE NETWORK) 1. VPN Segundo TANENBAUM (2003), VPNs (Virtual Private Networks) são redes sobrepostas às redes públicas, mas com

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS Conselho de Administração Diretoria Geral Gerenciamento de Capital Diretoria de Controladoria, Operações, Jurídico, Ouvidoria e Cobrança Diretoria de Tesouraria, Produtos e Novos Negócios Operações Bancárias

Leia mais

Workshop PMBoK. Gerenciamento de Recursos Humanos

Workshop PMBoK. Gerenciamento de Recursos Humanos Workshop PMBoK Gerenciamento de Recursos Humanos Paulo H. Jayme Alves Departamento de Inovação Tecnológica - DeIT Janeiro de 2009 1 Envolvimento da equipe Os membros da equipe devem estar envolvidos: Em

Leia mais

Como a nuvem mudará as operações de liberação de aplicativos

Como a nuvem mudará as operações de liberação de aplicativos DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA Junho de 2013 Como a nuvem mudará as operações de liberação de aplicativos Jacob Ukelson Entrega de aplicativos Sumário Resumo executivo 3 Seção 1: 4 Mudando o cenário de automação

Leia mais

Módulo 07 Gestão de Conhecimento

Módulo 07 Gestão de Conhecimento Módulo 07 Gestão de Conhecimento Por ser uma disciplina considerada nova dentro do campo da administração, a gestão de conhecimento ainda hoje tem várias definições e percepções, como mostro a seguir:

Leia mais

Case de Sucesso. Integrando CIOs, gerando conhecimento. Conjunto de ferramentas permite à Ondunorte o monitoramento proativo dos serviços de TI

Case de Sucesso. Integrando CIOs, gerando conhecimento. Conjunto de ferramentas permite à Ondunorte o monitoramento proativo dos serviços de TI Case de Sucesso Conjunto de ferramentas permite à Ondunorte o monitoramento proativo dos serviços de TI Perfil O Grupo Ondunorte é um dos mais tradicionais do estado de Pernambuco e líder em transformação

Leia mais

Seção 2: Atenção ao Paciente Subseções: Gestão do Acesso, Internação, Atendimento em Emergência e Atendimento Ambulatorial

Seção 2: Atenção ao Paciente Subseções: Gestão do Acesso, Internação, Atendimento em Emergência e Atendimento Ambulatorial Seção 2: Atenção ao Paciente Subseções: Gestão do Acesso, Internação, Atendimento em Emergência e Atendimento Ambulatorial Flávia Soveral Miranda Luciana de Camargo Requisitos necessários a todos as subseções

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ORDEM DE SERVIÇO Nº 1/SETIN, DE 30 DE SETEMBRO DE 2010

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ORDEM DE SERVIÇO Nº 1/SETIN, DE 30 DE SETEMBRO DE 2010 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ORDEM DE SERVIÇO Nº 1/SETIN, DE 30 DE SETEMBRO DE 2010 O SECRETÁRIO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO, no

Leia mais

LINHA CRIATIVA, Informática & Soluções PORTFOLIO

LINHA CRIATIVA, Informática & Soluções PORTFOLIO LINHA CRIATIVA, Informática & Soluções PORTFOLIO 2015 A LINHA CRIATIVA é uma solução de TI focada em produtos inteligentes e simples, actuando no sector de empresas de médio e pequeno porte, nas áreas

Leia mais

Gerenciamento de Problemas

Gerenciamento de Problemas Gerenciamento de Problemas O processo de Gerenciamento de Problemas se concentra em encontrar os erros conhecidos da infra-estrutura de TI. Tudo que é realizado neste processo está voltado a: Encontrar

Leia mais

SUMÁRIO. Sistemas a serem considerados na construção de data centers. A gestão do projeto e a integração dos fornecedores

SUMÁRIO. Sistemas a serem considerados na construção de data centers. A gestão do projeto e a integração dos fornecedores REPORT 04 e fevereiro de 2013 INFRAESTRUTURA FÍSICA E DATA CENTERS SUMÁRIO Introdução O que são data centers Padrões construtivos para data centers Sistemas a serem considerados na construção de data centers

Leia mais

Proteção de ambientes Citrix XenServer com Arcserve

Proteção de ambientes Citrix XenServer com Arcserve Proteção de ambientes Citrix XenServer com Arcserve Desafios do cliente Hoje em dia, você enfrenta desafios como acordos de nível de serviço exigentes e limitações de equipe e orçamento. Você procura maneiras

Leia mais

3. Processos, o que é isto? Encontramos vários conceitos de processos, conforme observarmos abaixo:

3. Processos, o que é isto? Encontramos vários conceitos de processos, conforme observarmos abaixo: Perguntas e respostas sobre gestão por processos 1. Gestão por processos, por que usar? Num mundo globalizado com mercado extremamente competitivo, onde o cliente se encontra cada vez mais exigente e conhecedor

Leia mais

FACILITIES MANAGEMENT

FACILITIES MANAGEMENT MINI MBA Potencialize a sua qualificação profissional Incremente a eficácia e rentabilidade da sua unidade de trabalho Eficiência operacional e redução de custos em FACILITIES MANAGEMENT Mini MBA Mais

Leia mais

2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO As Empresas e os Sistemas Problemas locais - impacto no sistema total. Empresas como subsistemas de um sistema maior. Uma empresa excede a soma de

Leia mais

Terceirização de Serviços de TI

Terceirização de Serviços de TI Terceirização de Serviços de TI A visão do Cliente PACS Quality Informática Ltda. 1 Agenda Terceirização: Perspectivas históricas A Terceirização como ferramenta estratégica Terceirização: O caso específico

Leia mais

Microsoft Azure. Softmanager Soluções em TI. ModernBiz

Microsoft Azure. Softmanager Soluções em TI. ModernBiz Microsoft Azure Softmanager Soluções em TI ModernBiz Programação ModernBiz: seu caminho para a empresa moderna Visão geral do Microsoft Azure Principais soluções de negócios Hospede seus aplicativos na

Leia mais

Objetivos. PDI - Plano Diretor de Informática. O que é? Como é feito? Quanto dura sua elaboração? Impactos da não execução do PDI

Objetivos. PDI - Plano Diretor de Informática. O que é? Como é feito? Quanto dura sua elaboração? Impactos da não execução do PDI Objetivos Assegurar que os esforços despendidos na área de informática sejam consistentes com as estratégias, políticas e objetivos da organização como um todo; Proporcionar uma estrutura de serviços na

Leia mais

A Organização orientada pela demanda. Preparando o ambiente para o Drummer APS

A Organização orientada pela demanda. Preparando o ambiente para o Drummer APS A Organização orientada pela demanda. Preparando o ambiente para o Drummer APS Entendendo o cenário atual As organizações continuam com os mesmos objetivos básicos: Prosperar em seus mercados de atuação

Leia mais

Governança de T.I. Professor: Ernesto Junior Aula IV Unidade II E-mail: egpjunior@gmail.com

Governança de T.I. Professor: Ernesto Junior Aula IV Unidade II E-mail: egpjunior@gmail.com Governança de T.I Professor: Ernesto Junior Aula IV Unidade II E-mail: egpjunior@gmail.com Governança de TI Os modelos atuais para governança partem de processos empresariais serviços prestados, modelos

Leia mais

Plano de con*ngência. @lucianodoll

Plano de con*ngência. @lucianodoll Plano de con*ngência @lucianodoll O que é um plano de con*ngência? É um conjunto de procedimentos definido formalmente para: Manter a integridade de dados Manter operacionais os serviços Prover, se necessário,

Leia mais

Estrutura da Gestão de Risco Operacional

Estrutura da Gestão de Risco Operacional Conceito No Brasil a Resolução n.º 3380, emitida pelo BACEN em 29 de junho de 2006, seguindo as diretrizes estabelecidas pelo Conselho Monetário Nacional, definiu como: A possibilidade de ocorrência de

Leia mais

Cloud Computing: Quando a nuvem pode ser um risco para o negócio. Marco Lima aka Mago Enterprise Technology Specialist

Cloud Computing: Quando a nuvem pode ser um risco para o negócio. Marco Lima aka Mago Enterprise Technology Specialist Cloud Computing: Quando a nuvem pode ser um risco para o negócio Marco Lima aka Mago Enterprise Technology Specialist 05 De onde vem o termo nuvem? Business Servidores SAN WAN SAN LANs Roteador NAS Switch

Leia mais

O que é o Virto ERP? Onde sua empresa quer chegar? Apresentação. Modelo de funcionamento

O que é o Virto ERP? Onde sua empresa quer chegar? Apresentação. Modelo de funcionamento HOME O QUE É TOUR MÓDULOS POR QUE SOMOS DIFERENTES METODOLOGIA CLIENTES DÚVIDAS PREÇOS FALE CONOSCO Suporte Sou Cliente Onde sua empresa quer chegar? Sistemas de gestão precisam ajudar sua empresa a atingir

Leia mais

Tornando acessível a tecnologia e os melhores serviços

Tornando acessível a tecnologia e os melhores serviços Tornando acessível a tecnologia e os melhores serviços A ALEJANDRO Informática No mercado de TI desde 30 de Outubro de 1997. Conta com mais de 30 colaboradores; Especializada em implantação de Banco de

Leia mais

Governança de TI. Focos: Altas doses de Negociação Educação dos dirigentes das áreas de negócios

Governança de TI. Focos: Altas doses de Negociação Educação dos dirigentes das áreas de negócios Governança de TI Parte 3 Modelo de Governança v2 Prof. Luís Fernando Garcia LUIS@GARCIA.PRO.BR Modelo de Governança de TI Modelo adaptação para qualquer tipo de organização Componentes do modelo construídos/adaptados

Leia mais