INSTITUTO FONTE DE VIDA IPSS Instituição Particular de Solidariedade Social

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INSTITUTO FONTE DE VIDA IPSS Instituição Particular de Solidariedade Social"

Transcrição

1 INSTITUTO FONTE DE VIDA IPSS Instituição Particular de Solidariedade Social PLANO DE ACTIVIDADES PARA 2016

2 1 - INTRODUÇÃO Ao longo de dezoito anos, um grupo de voluntários determinados, tem levado adiante, um projeto de amor junto de muitos dos que mais precisam sentir que alguém se importa com eles. Estamos a falar de pessoas adictas às toxicodependências. Queremos congratular-nos, porque durante este período, conseguimos alcançar os seguintes objetivos: abrir um «Café Convívio», que é um espaço de socialização com toxicodependentes e família; enviámos para recuperação em Centros Terapêuticos, cerca de 250 pessoas, dos quais um bom número deles está plenamente recuperado e de volta à sua vida normal. Temos recebido e recuperado uma antiga Escola Primária dos anos 60 (com a ajuda da Câmara Municipal de Lagos), por onde já passaram 19 jovens numa fase de reinserção social. A Casa de Reinserção tem no momento uma senhora com cinco filhas numa fase em que ela está empregada e à espera do marido que ainda está a cumprir uma pena na prisão, mas à espera de sair em liberdade condicional. Apoiamos semanalmente com refeições entre 15 a 25 sem-abrigo e distribuímos cabazes com alimentos a cerca de 30 famílias. Em colaboração com alguns restaurantes e supermercados da cidade, apoiamos semanalmente cerca de setenta pessoas que nos procuram para comerem uma refeição quente e ainda levam comida para as suas casas. Apesar da grande crise financeira que o país atravessa e se reflete também na nossa instituição, pretendemos continuar a ter um técnico, um assistente social, a trabalhar em tempo parcial, que sem dúvida continuará a aportar maior qualidade ao trabalho desenvolvido pela nossa associação. Gostaríamos de agradecer a todos os sócios e colaboradores por se darem permanentemente com o fim de melhorarem as vidas de alguns. 2

3 2 PLANO DE ACTIVIDADES PARA 2016 Pretende-se que o ano de 2016 dê continuidade às atividades realizadas em anos anteriores, e de reforço das estruturas de serviços. Continuamos a notar que ao longo dos últimos anos tem havido um decréscimo do número de utentes motivados para a recuperação em centros terapêuticos, devido a uma conjugação de fatores. A Direção do Instituto Fonte de Vida prevê, em linhas gerais, atingir os seguintes objetivos: Continuar a intervir na Comunidade, apoiando a Câmara Municipal de Lagos, a Junta de Freguesia de S. Gonçalo de Lagos, as Escolas da cidade, sempre que nos solicitem o apoio, como tem acontecido ao longo dos anos. Sem-Abrigo. Respondendo a uma emergência nacional, a existência de cada vez mais sem-abrigo, o Instituto Fonte de Vida em parceria com a Comunidade Evangélica Sara Nossa Terra de Lagos, proporcionam abrigo temporário a oito indivíduos, enviados pela Segurança Social, Câmara Municipal de Lagos e Instituto de Reinserção Social. Distribuir semanalmente (quintas-feiras) uma refeição quente, no nosso Café Convívio, com a colaboração do "Intermarchê", do Restaurante "Adega da Marina", Restaurante "O Charco". Snack Bar Mimar e Mini mercado Familiar. Manter a recolha bimensal de géneros alimentícios junto do hipermercado JUMBO de Portimão. Distribuir algumas refeições a famílias carenciadas mas que têm constrangimentos em deslocar-se ao nosso café convívio. Uma equipa leva pessoalmente a comida a suas casas. Estão sinalizadas algumas famílias. 3

4 Apoiar pessoas idosas e com limitações de mobilidade através do projeto OS GADITAS, cujo propósito é proporcionar boas condições de habitabilidade e higiene no lar. Manter o serviço de atendimento, orientação e encaminhamento semanal e individual, com toxicodependentes e familiares, a fim de prepará-los e encaminhá-los para o programa de recuperação do Desafio Jovem Centro de Recuperação IPSS, com quem temos protocolos de cooperação. Manter o serviço gratuito de consultas terapêuticas à comunidade, feito por uma psicóloga clínica. Apoiar a reinserção de tantos quantos tenham terminado a sua recuperação nas Comunidades Terapêuticas do Desafio Jovem, e que tenham que se inserir laboral e socialmente no concelho de Lagos e Portimão, na prossecução de um projeto total, de inserção do indivíduo na vida ativa. Distribuir cabazes de Natal a famílias carenciadas, apoiadas pelo Instituto Fonte de vida, e encaminhadas pela Comunidade Evangélica Sara Nossa Terra (Lagos) e outras instituições; Apoiamos no momento cerca de 20 famílias. Criar novas parcerias junto do Instituto Fonte de Vida, que visem melhorar e alargar o âmbito da sua intervenção. 3 PROGRAMAS PREVISTOS Ações de formação no sentido de uma melhor intervenção no concelho de Lagos. Estas contemplam a equipa do nosso Café-Convívio e 4

5 equipas de rua. Para o efeito convidaremos um técnico devidamente reconhecido e com vasta experiência na área. Encontros semanais para jovens ex-toxicodependentes em reinserção social. Distribuição de bens alimentares, vestuário e brinquedos a distribuir a famílias carenciadas no Concelho de Lagos e adjacentes. Seminários de formação técnica de intervenção a nível de toxicodependência e alcoolismo aos voluntários do Instituto Fonte de Vida, por técnicos convidados. Acompanhamento aos familiares dos utentes internados em Comunidades Terapêuticas. Visitas a lares carenciados com o objetivo de lhes levar alimentação e suporte emocional. Acções de formação técnica tendo como objectivo o enriquecimento profissional dos técnicos do Instituto Fonte de Vida. A Drª Eunice Rosa, psicóloga do Instituto Fonte de Vida irá fazer ações de sensibilização e promoção de estilos de vida saudável. Serão agendas ações em relação ao consumo de drogas, sessação ou controlo tabágico e prevenção de consumos exagerados de álcool. 5

ASSOCIAÇÃO TODOS PELOS OUTROS - TPO PLANO DE ATIVIDADES

ASSOCIAÇÃO TODOS PELOS OUTROS - TPO PLANO DE ATIVIDADES PLANO DE ATIVIDADES 2014 1. Introdução A ASSOCIAÇÃO TODOS PELOS OUTROS - TPO, é uma Associação sem fins lucrativos, com sede na Rua D. Duarte Nuno, nº 50, 3025-582 São Silvestre, na freguesia de São Silvestre,

Leia mais

O estado de saúde depende em muito de comportamentos saudáveis, como não utilizar drogas (licitas ou ilícitas), alimentar-se correctamente, praticar

O estado de saúde depende em muito de comportamentos saudáveis, como não utilizar drogas (licitas ou ilícitas), alimentar-se correctamente, praticar O estado de saúde depende em muito de comportamentos saudáveis, como não utilizar drogas (licitas ou ilícitas), alimentar-se correctamente, praticar exercício físico, entre outras. No entanto, e o nosso

Leia mais

Liga Nacional Contra a Fome

Liga Nacional Contra a Fome Liga Nacional Contra a Fome IPSS de Utilidade Pública PLANO DE ATIVIDADES 2016-2019 E ORÇAMENTO 2016 NOVEMBRO 2015 Liga Nacional Contra a Fome IPSS de Utilidade Pública A Liga Nacional Contra a Fome é

Leia mais

COMUNIDADE DE INSERÇÃO SOCIAL DE ESPOSENDE REGULAMENTO

COMUNIDADE DE INSERÇÃO SOCIAL DE ESPOSENDE REGULAMENTO COMUNIDADE DE INSERÇÃO SOCIAL DE ESPOSENDE REGULAMENTO ESPOSENDE SOLIDARIO ASSOCIAÇÃO CONCELHIA PARA O DESENVOLVIMENTO INTEGRADO, é uma Organização Não Governamental Sem Fins Lucrativos e de Utilidade

Leia mais

Comportamentos Autodestrutivos

Comportamentos Autodestrutivos Comportamentos Autodestrutivos Pág 2 TRABALHO Exclusão do tipo por comportamentos auto-destrutivos "ComTacto na rua" Projecto para a prevenção da toxicodependência e combate à exclusão social 13-04-2010

Leia mais

CLUBE DE EMPREGO SOCIOHABITAFUNCHAL PLANO DE ACTIVIDADES

CLUBE DE EMPREGO SOCIOHABITAFUNCHAL PLANO DE ACTIVIDADES PLANO DE ACTIVIDADES 2010 2011 Identificação Entidade: Sociohabitafunchal, E.M Animadora: Célia Dantas Localização: Centro Cívico de Santo António Designação O Clube de Emprego é um serviço promovido pelo

Leia mais

CURSO DE TÉCNICO DE ACÇÃO GERIÁTRICA (24ª edição)

CURSO DE TÉCNICO DE ACÇÃO GERIÁTRICA (24ª edição) CURSO DE TÉCNICO DE ACÇÃO GERIÁTRICA (24ª edição) Atendendo ao envelhecimento crescente a que se assiste a nível mundial, é imprescindível os cuidadores, formais e informais, dispensarem a formação neste

Leia mais

CESPA IMPACTOS DA ATIVIDADE

CESPA IMPACTOS DA ATIVIDADE NOVEMBRO 2016 CESPA IMPACTOS DA ATIVIDADE Caros amigos, É com muita alegria que vos dirijo a palavra em nome desta Instituição a que presido enquanto responsável da paróquia da Abóboda. Neste documento,

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede 1. Identificação PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES ANO LECTIVO 2010 - DEPARTAMENTO: 1º Ciclo PCA1 Coordenador(a): Fernando Martins Tel/Tem:

Leia mais

Levantamento de projetos locais no âmbito da alimentação saudável e atividade física

Levantamento de projetos locais no âmbito da alimentação saudável e atividade física Levantamento de projetos locais no âmbito da alimentação saudável e atividade física Concelho Nome do projeto Identificação da instituição promotora Equipa de trabalho/ dinamizadora Parceiros Enquadramento/

Leia mais

CENTRO SOCIAL DE FIGUEIRÓ DO CAMPO

CENTRO SOCIAL DE FIGUEIRÓ DO CAMPO CENTRO SOCIAL DE FIGUEIRÓ DO CAMPO RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2015 Índice INTRODUÇÃO... 3 ÁREA DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS... 3 RESPOSTAS SOCIAIS... 3 SERVIÇO DE APOIO DOMICILIÁRIO... 4 CENTRO DE DIA... 4 CENTRO

Leia mais

Lisboa 2016 FICHA DE CANDIDATURA

Lisboa 2016 FICHA DE CANDIDATURA Lisboa 2016 Refª: 086 mesamiga Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 Lisboa Telefone: 21 322 73 60 Email - bip.zip@cm-lisboa.pt

Leia mais

REDE SOCIAL DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO PLANO DE ACÇÃO PARA 2010

REDE SOCIAL DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO PLANO DE ACÇÃO PARA 2010 REDE SOCIAL DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO PLANO DE ACÇÃO PARA 2010 EIXO I Promoção da Inclusão das famílias com especial enfoque às necessidades dos idosos OBJECTIVO GERAL Melhorar as condições de vida de

Leia mais

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2013

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2013 RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2013 I. Introdução O ano de 2013 foi um ano marcado por grandes investimentos na Comunidade Terapêutica, por forma a criar condições estruturais que possibilitem a formação e integração

Leia mais

Centro Comunitário...1. Índice...1. Centro Comunitário...3. Capítulo I...3. O Estabelecimento: Natureza e Objectivos...3

Centro Comunitário...1. Índice...1. Centro Comunitário...3. Capítulo I...3. O Estabelecimento: Natureza e Objectivos...3 REGULAMENTO INTERNO CENTRO COMUNITÁRIO ÍNDICE Centro Comunitário...1 Índice...1 Centro Comunitário...3 Capítulo I...3 O Estabelecimento: Natureza e Objectivos...3 Artigo 1º - Caracterização e Localização...3

Leia mais

Plano Anual de Atividades

Plano Anual de Atividades Plano Anual de Atividades 2014 / 2015 APAEA Índice 1. NOTA INTRODUTÓRIA... 1 2. RELAÇÃO COM OS PAIS/ENCARREGADOS DE EDUCACAÇÃO E SOCIOS... 2 3. REPRESENTAÇÃO NOS ORGÃOS DO AGRUPAMENTO... 3 4. MELHORIA

Leia mais

BANCO ALIMENTAR CONTRA A FOME. Ir buscar onde sobra para distribuir onde falta

BANCO ALIMENTAR CONTRA A FOME. Ir buscar onde sobra para distribuir onde falta BANCO ALIMENTAR CONTRA A FOME Ir buscar onde sobra para distribuir onde falta O direito à alimentação é um dos mais básicos direitos do Homem. A fome existe no nosso território, na nossa cidade, na nossa

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES SÓCIO CULTURAIS.

PLANO DE ATIVIDADES SÓCIO CULTURAIS. PLANO DE ATIVIDADES SÓCIO CULTURAIS 2017 www.scmbaiao.com O Plano de Actividades Sócio-culturais para o ano de 2017, foi direccionado essencialmente para as valências sociais da Instituição: Terceira Idade

Leia mais

ENCONTRO DE PARCEIROS

ENCONTRO DE PARCEIROS ENCONTRO DE PARCEIROS UDIPSSSetúbal e BANCO ALIMENTAR Setúbal, 18 de Maio de 2016 Ao dirigir-me, em nome da de Solidariedade Social do Distrito de Setúbal, quero em primeiro lugar felicitar todos os presentes

Leia mais

Base de dados I. Questionário de levantamento de recursos institucionais/ 2009

Base de dados I. Questionário de levantamento de recursos institucionais/ 2009 Base de dados I Nº de referência da instituição Nº de registo Questionário de levantamento de recursos institucionais/ 2009 Este questionário tem como objectivo proceder à actualização do Diagnóstico Social,

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO PARA 2017

PROGRAMA DE AÇÃO PARA 2017 PROGRAMA DE AÇÃO PARA 2017 ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA 26 DE NOVEMBRO DE 2016 1 A LATI mantém, apesar das dificuldades de ordem social e económica impostas pelas restrições que obrigatoriamente vive um

Leia mais

Protocolo. Data de. Entidade. Definição de articulação técnica DGSP

Protocolo. Data de. Entidade. Definição de articulação técnica DGSP s Entidade Data de DGSP 01.06.1984 Instituto de Apoio à Emigração e Comunidades Portuguesas 01.08.1993 Fundação para o Desenvolvimento das Tecnologias da Educação 14.02.2004 Ministério da Ciência e Tecnologia

Leia mais

Responsabilidade Social Interna. Porque queremos ir mais longe, chegando MAIS PERTO

Responsabilidade Social Interna. Porque queremos ir mais longe, chegando MAIS PERTO Porque queremos ir mais longe, chegando MAIS PERTO No Município de Oeiras é entendida como: Um agente facilitador do desenvolvimento socioprofissional dos colaboradores Um Instrumento de Criação de Valor

Leia mais

CAPÍTULO VI SAÚDE 54

CAPÍTULO VI SAÚDE 54 CAPÍTULO VI SAÚDE 54 Toxicodependência Número de Toxicodependentes por Sexo e Escalão Etário em Acompanhamento no CAT Escalão Etário Masculino Feminino % Total 0-14 anos 0 0 0 0 15-29 anos 2 3 1,2 5 20-24

Leia mais

SEJA VOLUNTÁRIO! CONTRIBUA PARA O CRESCIMENTO DE UMA NOVA CONSCIÊNCIA SOCIAL

SEJA VOLUNTÁRIO! CONTRIBUA PARA O CRESCIMENTO DE UMA NOVA CONSCIÊNCIA SOCIAL SEJA VOLUNTÁRIO! CONTRIBUA PARA O CRESCIMENTO DE UMA NOVA CONSCIÊNCIA SOCIAL Objectivos: Promover o encontro entre a oferta e a procura de voluntariado; Sensibilizar os cidadãos e as organizações para

Leia mais

CANTINAS SOCIAIS NO MUNICÍPIO DE GONDOMAR

CANTINAS SOCIAIS NO MUNICÍPIO DE GONDOMAR GONDOMAR CANTINAS SOCIAIS NO MUNICÍPIO DE GONDOMAR 2.ª FASE DE IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA DE EMERGÊNCIA ALIMENTAR MARÇO 2014 PREÂMBULO O presente documento procura identificar as repostas atualmente existentes

Leia mais

O Perfil do Psicólogo na Administração Local

O Perfil do Psicólogo na Administração Local CATEGORIA AUTORIA JANEIRO 15 Perfis do Psicólogo Gabinete de Estudos Técnicos O Perfil do Psicólogo na Administração Local Sugestão de Citação Ordem dos Psicólogos Portugueses (2015). O Perfil do Psicólogo

Leia mais

CULTURSOL Apresentação e Plano de Actividades 2010

CULTURSOL Apresentação e Plano de Actividades 2010 CULTURSOL Apresentação e Plano de Actividades 2010 I. APRESENTAÇÃO 2 Objectivos...2 Âmbito de Actuação..3 Projectos para 2010..4 II. PLANO DE ACTIVIDADES PARA 2010.. 5 Actividades de Intervenção Social

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES 2017

PLANO DE ATIVIDADES 2017 PLANO DE ATIVIDADES PLANO DE ATIVIDADES CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE FREAMUNDE - IPSS Instituição Particular de Solidariedade Social Largo de Santo António, nº 33 4590-305 Freamunde Telefone: +351 255878362

Leia mais

Caracterização das Instituições de Solidariedade Social e das Famílias carenciadas apresentação do estudo feito em parceria por

Caracterização das Instituições de Solidariedade Social e das Famílias carenciadas apresentação do estudo feito em parceria por Caracterização das Instituições de Solidariedade Social e das Famílias carenciadas apresentação do estudo feito em parceria por com o apoio: CTT e Sociedade de S. Vicente de Paulo Apresentação Resumo Novembro

Leia mais

Plano de Ação para 2012

Plano de Ação para 2012 Área da Ação Plano de Ação para 2012 CRONOGRAMA ÁREA DE INTERVENÇÃO ATIVIDADES 2012 Recursos Humanos Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro O atendimento

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES 2017

PLANO DE ATIVIDADES 2017 PLANO DE ATIVIDADES PLANO DE ATIVIDADES CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE RAIMONDA - IPSS Instituição Particular de Solidariedade Social Av. Centro Cívico, nº 29 4590-925 Raimonda Telefone: 255881180 centrosocialraimonda@gmail.com

Leia mais

ATENDIMENTO/ACOMPANHAMENTO SOCIAL REGULAMENTO INTERNO

ATENDIMENTO/ACOMPANHAMENTO SOCIAL REGULAMENTO INTERNO ATENDIMENTO/ACOMPANHAMENTO SOCIAL REGULAMENTO INTERNO Setembro/2009 CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS NORMA I Âmbito de Aplicação O Complexo Social de Apoio à Pessoa Idosa designado por Misericórdia da Freguesia

Leia mais

Estás grávida? Podemos ajudar-te.

Estás grávida? Podemos ajudar-te. Estás grávida? Podemos ajudar-te. QUEM SOMOS? O Apoio à Vida é uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) nascida em 1998 com a finalidade de ajudar, acolher e formar adolescentes e mulheres

Leia mais

PROMOÇÃO DA SAÚDE E DO BEM-ESTAR NO TRABALHO

PROMOÇÃO DA SAÚDE E DO BEM-ESTAR NO TRABALHO O início de atividades. 1983 2017 Em 1983, apesar de não obrigado legalmente, o Município criou o Serviço de Saúde Ocupacional e em 1986 foi criado o Serviço de Prevenção, Higiene e Segurança e Apoio Social

Leia mais

Designação do Projeto: Divida Zero

Designação do Projeto: Divida Zero Designação do Projeto: Divida Zero Objetivo Geral C5 (PDS) Objetivos Prevenir e apoiar situações de sobre endividamento pessoal e social. Reduzir o peso percentual de utentes com processos em anos anteriores.

Leia mais

AGIR PARA SOLUCIONAR PLANO DE ACÇÃO PARA 2010

AGIR PARA SOLUCIONAR PLANO DE ACÇÃO PARA 2010 PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL DO MUNICÍPIO DE ARMAMAR AGIR PARA SOLUCIONAR PLANO DE ACÇÃO PARA 2010 Plano de Acção 20010 1 Após elaboração do Plano de Desenvolvimento Social, onde estão definidas as

Leia mais

Prof. Coordenador - Escola Sup. de Enfermagem do Porto. Presidente da Sociedade Port. de Enf. de Saúde Mental

Prof. Coordenador - Escola Sup. de Enfermagem do Porto. Presidente da Sociedade Port. de Enf. de Saúde Mental Estado da Arte em de Saúde Mental Prática Clínica em de Saúde Mental e Psiquiátrica Carlos Sequeira, PhD. Prof. Coordenador - Escola Sup. de do Porto Presidente da Sociedade Port. de Enf. de Saúde Mental

Leia mais

PLANO DE INTERVENÇÃO

PLANO DE INTERVENÇÃO DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES EQUIPA INTERDISCIPLINAR PLANO DE INTERVENÇÃO ANOS LECTIVOS 2009/2010 e 2010/2011 ÍNDICE Nota Introdutória.. 3 Parte I - Caracterização..4 1.1 Caracterização do Ambiente Interno.4

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES PARA O ANO FINANCEIRO DE 2007

PLANO DE ACTIVIDADES PARA O ANO FINANCEIRO DE 2007 PARA O ANO FINANCEIRO 2007 SCRIÇÃO DA CLASSIFICAÇÃO FINIDA 01 EDUCAÇÃO 01 01 EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR 01 02 ENSINO BÁSICO - 1º CICLO DO PROGRAMA 01 0 0 0 56 Refeitórios escolares 0701-020104/05/06-04050102-040701-05010102

Leia mais

Conta de Gerência 2010

Conta de Gerência 2010 3 FREGUESIA DE PORTIMÃO FLUXOS DE CAIXA Ano: Data inicial : 01/01/ Data final : 30/12/ (unidade EUR) PAGAMENTOS Despesas Orçamentais 684.341,92 Correntes 568.157,65 010000.0101010000 Titulares de órgãos

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO Comissão Social de Freguesia de Odivelas. Aderentes à Comissão Social de Freguesia de Odivelas

PLANO DE ACÇÃO Comissão Social de Freguesia de Odivelas. Aderentes à Comissão Social de Freguesia de Odivelas Um Plano de Acção consiste num instrumento componente do Plano de Desenvolvimento Social, que define sistematicamente, as acções a desenvolver, o cronograma, os parceiros responsáveis e os recursos. 1

Leia mais

CULTURSOL Apresentação e Plano de Atividades 2016

CULTURSOL Apresentação e Plano de Atividades 2016 CULTURSOL Apresentação e Plano de Atividades 2016 I. APRESENTAÇÃO 2 Objetivos..2 Âmbito de Actuação...4 Projetos para 2016.5 II. PLANO DE ATIVIDADES PARA 2016.. 6 Atividades de Caráter Cultural (ACC).....6

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO JANEIRO 2008 / DEZEMBRO 2008

PLANO DE ACÇÃO JANEIRO 2008 / DEZEMBRO 2008 PLAN DE ACÇÃ JANEIR 2008 / DEZEMBR 2008 Janeiro de 2008 PLAN DE ACÇÃ 2008 1 ÍNDICE Plano de Acção Introdução Eixos de Intervenção Educação Formação / Qualificação Formação Profissional / Emprego Envelhecimento/

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Social

Plano de Desenvolvimento Social Plano de Desenvolvimento Social 65 6. Planear para Intervir Objectivos e Estratégias Numa fase seguinte, após a consequente identificação das vulnerabilidades concelhias /eixos estratégicos de intervenção

Leia mais

3,11% 3,03% 2,82% 2,76% 2,56% 1,92% 1,62% 1,52% 1,48% 0,00% 1,00% 2,00% 3,00% 4,00% 5,00% 6,00%

3,11% 3,03% 2,82% 2,76% 2,56% 1,92% 1,62% 1,52% 1,48% 0,00% 1,00% 2,00% 3,00% 4,00% 5,00% 6,00% Problemáticas Especificas e Respostas Sociais Famílias e comunidade Rendimento Social de Inserção População Beneficiária de RSI (%) Barreiro Montijo Almada Setúbal Peninsula de Setúbal Portugal Continental

Leia mais

- ALMA ALENTEJANA Associação para o Desenvolvimento Cooperação e Solidariedade Social Laranjeiro

- ALMA ALENTEJANA Associação para o Desenvolvimento Cooperação e Solidariedade Social Laranjeiro - ALMA ALENTEJANA Associação para o Desenvolvimento Cooperação e Solidariedade Social Laranjeiro Área de Intervenção: Idosos - Centros de Convívio, Centros de Dia e Apoio Domiciliário a idosos. NIF: 503776084

Leia mais

Regulamento da Valência Lar de Idosos

Regulamento da Valência Lar de Idosos Associação Cultural e Beneficente de Santa Maria Reconhecida de utilidade pública D. R. III série n.º 249 de 29/10/91 Contribuinte N.º 501 272 690 Sedielos - Peso da Régua Regulamento da Valência Lar de

Leia mais

Lar das Criancinhas da Horta Instituição Particular de Solidariedade Social

Lar das Criancinhas da Horta Instituição Particular de Solidariedade Social PROGRAMA DE AÇÃO PARA 2015 Em cumprimento do estabelecido das alíneas b) do Artigo 34.º e c) do Artigo 38º dos Estatutos do Lar das Criancinhas da Horta, vem esta Direção apresentar à Assembleia Geral,

Leia mais

PROGRAMA PINHAL NOVO PALMELA E QUINTA DO ANJO MARATECA E POCEIRÃO

PROGRAMA PINHAL NOVO PALMELA E QUINTA DO ANJO MARATECA E POCEIRÃO PROGRAMA PINHAL NOVO PALMELA E QUINTA DO ANJO MARATECA E POCEIRÃO A diversidade dos espaços e dos tempos educativos remete cada vez mais para o conceito de Escola - Comunidade, aberta ao diálogo e à educação

Leia mais

MEALHADA DEDICA SEMANA AO COMBATE À POBREZA E EXCLUSÃO SOCIAL

MEALHADA DEDICA SEMANA AO COMBATE À POBREZA E EXCLUSÃO SOCIAL MEALHADA DEDICA SEMANA AO COMBATE À POBREZA E EXCLUSÃO SOCIAL A Câmara Municipal da Mealhada vai dedicar a semana de 15 a 22 de outubro ao combate à pobreza e à exclusão social, promovendo diversas iniciativas,

Leia mais

Como intervir nas instituições da economia social. ProjetoSelo Saudável

Como intervir nas instituições da economia social. ProjetoSelo Saudável Como intervir nas instituições da economia social ProjetoSelo Saudável Projeto Selo Saudável Iniciativa conjunta entre a CML e o Programa Nacional para a Promoção de Alimentação Saudável/DGS. Projeto Selo

Leia mais

Inauguração das instalações cedidas ao Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental do Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental

Inauguração das instalações cedidas ao Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental do Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental INTERVENÇÃO DO SENHOR PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE OEIRAS Dr. Isaltino Afonso Morais Inauguração das instalações cedidas ao Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental do Centro Hospitalar de Lisboa

Leia mais

Chestnut Global Partners do Brasil

Chestnut Global Partners do Brasil O CONTE COMIGO! é um programa fornecido pela empresa que oferece assistência profissional e confidencial quando problemas pessoais comprometem a vida pessoal de seus colaboradores e o seu desempenho no

Leia mais

Europass curriculum vitae

Europass curriculum vitae Europass curriculum vitae Informação pessoal Apelido(s) - Nome(s) Morada(s) Correio(s) eletrónico(s) Carvalho, Rute Alexandra Tomás Rua António Pinheiro Lacerda, N.º 7, 2630-370 Arruda dos Vinhos Telefone(s)

Leia mais

Programa Rede Social Nisa PLANO DE AÇÃO Câmara Municipal de Nisa. Praça do Município Nisa Telefone

Programa Rede Social Nisa PLANO DE AÇÃO Câmara Municipal de Nisa. Praça do Município Nisa Telefone PLANO DE AÇÃO 2017 NOTA PRÉVIA Decorrente do processo de atualização do diagnóstico social e do plano de desenvolvimento social, da Rede Social do Concelho de Nisa e numa perspetiva de continuidade em

Leia mais

Plano de Acção

Plano de Acção - 2 - Nota Prévia A Rede Social afirmou-se ao longo da sua criação como uma medida inovadora e com capacidade de produzir alterações positivas na intervenção social. Esta medida assumiu-se, desde início,

Leia mais

Ficha de Projeto PROGRAMA ODIVELAS SEM TABACO. (em vigor desde maio de 2007)

Ficha de Projeto PROGRAMA ODIVELAS SEM TABACO. (em vigor desde maio de 2007) Ficha de Projeto PROGRAMA ODIVELAS SEM TABACO (em vigor desde maio de 2007) Enquadramento: A Prevenção das Toxicodependências é uma área de intervenção considerada prioritária pela Câmara Municipal de

Leia mais

1 INTRODUÇÃO O PLANO DE ACÇÃO AVALIAÇÃO...14 PLANO DE ACÇÃO DE 2009 PÁGINA 1 DE 15

1 INTRODUÇÃO O PLANO DE ACÇÃO AVALIAÇÃO...14 PLANO DE ACÇÃO DE 2009 PÁGINA 1 DE 15 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO...2 2 O PLANO DE ACÇÃO 2009... 3 3 AVALIAÇÃO....14 PLANO DE ACÇÃO DE 2009 PÁGINA 1 DE 15 INTRODUÇÃO Depois de elaborado o diagnóstico social e o plano de desenvolvimento social surge

Leia mais

A RESPONSABILIDADE SOCIAL E AMBIENTAL PARA UMA INCLUSÃO SUSTENTÁVEL

A RESPONSABILIDADE SOCIAL E AMBIENTAL PARA UMA INCLUSÃO SUSTENTÁVEL A RESPONSABILIDADE SOCIAL E AMBIENTAL PARA UMA INCLUSÃO SUSTENTÁVEL Seminário 19.Novembro.2012 Amadora, Agência Portuguesa do Ambiente PERCURSOS PELO AMBIENTE Organização: CESIS & COOPERACTIVA Autoras:

Leia mais

Oferta Formativa da UDIPSS Aveiro

Oferta Formativa da UDIPSS Aveiro Oferta Formativa da UDIPSS Aveiro Cursos: Formação Pedagógica Inicial de Formadores em Gerontologia homologado pelo IEFP Licenciados Destinatários: Legislação Laboral Contrato Colectivo de Trabalho Direcção

Leia mais

AVISO N.º 1/2016 NÚCLEO DE GESTÃO DOS PROGRAMAS DE APOIOS FINANCEIROS

AVISO N.º 1/2016 NÚCLEO DE GESTÃO DOS PROGRAMAS DE APOIOS FINANCEIROS AVISO N.º 1/2016 NÚCLEO DE GESTÃO DOS PROGRAMAS DE APOIOS FINANCEIROS Abertura do Processo de Candidatura a Financiamento Público a projetos no âmbito do Programa Nacional para a Infeção VIH, SIDA e Tuberculose

Leia mais

A ASSUS Associação de Solidariedade Social da Urbanização do Seixo iniciou a sua atividade em 28 de Novembro de Possui licença de utilização

A ASSUS Associação de Solidariedade Social da Urbanização do Seixo iniciou a sua atividade em 28 de Novembro de Possui licença de utilização A ASSUS Associação de Solidariedade Social da Urbanização do Seixo iniciou a sua atividade em 28 de Novembro de 1991. Possui licença de utilização nº. 102, emitida pela DGEstE DSRN e encontra-se licenciado

Leia mais

Capítulo I Disposições Gerais

Capítulo I Disposições Gerais Preâmbulo Competindo ao Conselho Nacional para a Promoção do Voluntariado (CNPV), conforme art. 21º do Decreto-Lei n.º 389/99, de 30 de Setembro, a promoção, coordenação e qualificação do voluntariado,

Leia mais

Serviço de Educação e Juventude. Projeto de Educação Alimentar. Alimentação Saudável

Serviço de Educação e Juventude. Projeto de Educação Alimentar. Alimentação Saudável Serviço de Educação e Juventude Projeto de Educação Alimentar Alimentação Saudável Ano letivo 2017/2018 Projeto de Educação Alimentar Alimentação Saudável 1- Nota Introdutória: O Município do Cartaxo,

Leia mais

Seminário Ibérico: "Pobreza e estratégias para a sua erradicação" SANTA CASA DA MISERICÓRDIA FERREIRA DO ALENTEJO

Seminário Ibérico: Pobreza e estratégias para a sua erradicação SANTA CASA DA MISERICÓRDIA FERREIRA DO ALENTEJO Seminário Ibérico: "Pobreza e estratégias para a sua erradicação" SANTA CASA DA MISERICÓRDIA FERREIRA DO ALENTEJO Abril 2016 A História da Instituição Os Serviços disponíveis FEAC Cantinas Sociais Pontos

Leia mais

UNIÃO DAS FREGUESIAS DE SÃO JOÃO DAS LAMPAS E TERRUGEM REGULAMENTO DE APOIOS SOCIAIS

UNIÃO DAS FREGUESIAS DE SÃO JOÃO DAS LAMPAS E TERRUGEM REGULAMENTO DE APOIOS SOCIAIS UNIÃO DAS FREGUESIAS DE SÃO JOÃO DAS LAMPAS E TERRUGEM REGULAMENTO DE APOIOS SOCIAIS Outubro de 2014 REGULAMENTO DE APOIOS SOCIAIS Nota justificativa (art.º 116.º do Código do Procedimento Administrativo)

Leia mais

União das Freguesias de Lagoa e Carvoeiro

União das Freguesias de Lagoa e Carvoeiro I Informação do Presidente acerca da sua atividade e da Junta de Freguesia (período compreendido entre 28 de Dezembro de 2013 e 22 de Abril de 2014) SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS Atendimento dos fregueses duas

Leia mais

Os Cuidados de Saúde na Rede Social Solidária. Instituto da Segurança Social, I.P. Centro Distrital do Porto

Os Cuidados de Saúde na Rede Social Solidária. Instituto da Segurança Social, I.P. Centro Distrital do Porto Os Cuidados de Saúde na Rede Social Solidária Instituto da Segurança Social, I.P. Centro Distrital do Porto 1 Caracterização da população >65 anos no Distrito do Porto: Concelho Censos 2001 Censos 2011

Leia mais

PROTOCOLO. Núcleo de Planeamento e Intervenção Sem-Abrigo de Setúbal

PROTOCOLO. Núcleo de Planeamento e Intervenção Sem-Abrigo de Setúbal PROTOCOLO Núcleo de Planeamento e Intervenção Sem-Abrigo de Setúbal Preâmbulo A criação da Estratégia Nacional para a Integração de Pessoas Sem-Abrigo (ENIPSA) 2009-2015 decorreu fundamentalmente da necessidade

Leia mais

Continuar a reforçar a imagem do CCD enquanto instituição cultural e desportiva. Promover ações de carácter cultural, desportivo e recreativo

Continuar a reforçar a imagem do CCD enquanto instituição cultural e desportiva. Promover ações de carácter cultural, desportivo e recreativo MISSÃO 2017 Continuar a reforçar a imagem do CCD enquanto instituição cultural e desportiva Melhorar a qualidade dos serviços prestados Promover ações de carácter cultural, desportivo e recreativo Promover

Leia mais

Saúde Mental e Cuidados de Saúde Primários: Melhorar o tratamento e promover a saúde mental

Saúde Mental e Cuidados de Saúde Primários: Melhorar o tratamento e promover a saúde mental COMEMORAÇÕES DO DIA MUNDIAL DA SAÚDE MENTAL WORLD MENTAL HEALTH DAY Saúde Mental e Cuidados de Saúde Primários: Melhorar o tratamento e promover a saúde mental 9 e 10 de Outubro de 2009 Biblioteca Almeida

Leia mais

ELEIÇÕES / PROGRAMA ELEITORAL LISTA B

ELEIÇÕES / PROGRAMA ELEITORAL LISTA B ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE DOENTES DE PARKINSON ELEIÇÕES / 2012-2014 PROGRAMA ELEITORAL LISTA B Todos juntos somos fortes Não há nada a temer Ao meu lado há um amigo Que é preciso proteger Chico Buarque

Leia mais

Informação Jurídica Gratuita

Informação Jurídica Gratuita Lisboa, 3 de março de Porto, 10 de março de 2 Agradecemos a sua inscrição e participação no Serviço INFORMAÇÃO JURÍDICA GRATUITA. Contamos consigo na sua implementação e melhoria. Não deixe de apresentar

Leia mais

1. Cooperar com as famílias na vivência dos. 2. Prestar aos idosos os cuidados de que. 3. Privilegiar a manutenção dos idosos no seu

1. Cooperar com as famílias na vivência dos. 2. Prestar aos idosos os cuidados de que. 3. Privilegiar a manutenção dos idosos no seu CAPÍTULO I Natureza e Objectivos ARTIGO 1º Caracterização e Localização 1. A Comissão de Melhoramentos de Santo Emilião é uma Instituição Particular de Solidariedade Social, tem sede na rua 25 de Abril

Leia mais

Programa BIP/ZIP 2017

Programa BIP/ZIP 2017 Programa BIP/ZIP 2017 FICHA DE CANDIDATURA Refª: 088 Capacitar Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 Lisboa Telefone: 21

Leia mais

CENTRO DE SAÚDE DE SERPA DIA NACIONAL DE COMBATE À OBESIDADE 19/5/2007

CENTRO DE SAÚDE DE SERPA DIA NACIONAL DE COMBATE À OBESIDADE 19/5/2007 CENTRO DE SAÚDE DE SERPA DIA NACIONAL DE COMBATE À OBESIDADE 19/5/2007 Maio 2007 1-Problema A Obesidade é um importante problema de Pública e uma doença crónica, com génese multifactorial, que requer esforços

Leia mais

Centro de Cultura e Desporto dos Trabalhadores do Município de Ponte de Lima PLANO DE ATIVIDADES E ORÇAMENTO

Centro de Cultura e Desporto dos Trabalhadores do Município de Ponte de Lima PLANO DE ATIVIDADES E ORÇAMENTO PLANO DE ATIVIDADES E ORÇAMENTO 2016 MISSÃO 2016 Continuar a reforçar a imagem do CCD enquanto instituição cultural e desportiva Melhorar a qualidade dos serviços prestados Promover ações de carácter cultural,

Leia mais

Mazda Motor de Portugal inicia parceria com as Aldeias de Crianças SOS

Mazda Motor de Portugal inicia parceria com as Aldeias de Crianças SOS Mazda Motor de Portugal inicia parceria com as Aldeias de Crianças SOS Lisboa, 2 de Julho 2012. A Mazda Motor de Portugal e a Associação das Aldeias de Crianças SOS de Portugal acabam de dar início a uma

Leia mais

ACOLHER, REPARAR E PROMOVER

ACOLHER, REPARAR E PROMOVER GESTÃO E ORGANIZAÇÃO INTERNA Planificação e organização; Elaboração do Plano Anual de Atividades 2016-2017; Definição de calendário de reuniões ordinárias 2016-2017: EE (mensal); ET (semanal), Funcionários

Leia mais

O território. Bairro da Bela Vista; Alameda; Forte; Manteigadas; Quinta de Santo António HABITAÇÕES MORADORES.

O território. Bairro da Bela Vista; Alameda; Forte; Manteigadas; Quinta de Santo António HABITAÇÕES MORADORES. O território Bairro da Bela Vista; Alameda; Forte; Manteigadas; Quinta de Santo António. 1 592 HABITAÇÕES 5 769 MORADORES Objetivos Contribuir para a relação democrática do sistema de saúde com moradores

Leia mais

IMSI16. Contributo para a Democracia. Adriano Neves José Fernandes Luis Silva Paulo Gama

IMSI16. Contributo para a Democracia. Adriano Neves José Fernandes Luis Silva Paulo Gama IMSI16 Contributo para a Democracia Adriano Neves José Fernandes Luis Silva Paulo Gama Instituição Particular de Solidariedade Social Organização de voluntariado que apoia de forma individualizada vítimas

Leia mais

Enquadramento dos Apoios Sociais concedidos pelo Município de Bragança

Enquadramento dos Apoios Sociais concedidos pelo Município de Bragança Enquadramento dos Apoios Sociais concedidos pelo Município de Bragança Cartão de Munícipe Escalões progressivos no pagamento do passe dos Serviços de Transportes Urbanos de Bragança, na utilização das

Leia mais

PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES DA COMISSÃO DE PROTECÇÃO DE CRIANÇAS E JOVENS DO BARREIRO ANO 2009

PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES DA COMISSÃO DE PROTECÇÃO DE CRIANÇAS E JOVENS DO BARREIRO ANO 2009 PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES DA COMISSÃO DE PROTECÇÃO DE CRIANÇAS E JOVENS DO BARREIRO ANO 2009 Introdução A Comissão de Protecção de Crianças e Jovens do Barreiro (adiante designada CPCJ do Barreiro) é

Leia mais

Promover a inserção social de pessoas e grupos mais vulneráveis; Estimular o desenvolvimento de projectos de vida;

Promover a inserção social de pessoas e grupos mais vulneráveis; Estimular o desenvolvimento de projectos de vida; São nossos objectivos: 1ª fase: Promover a inserção social de pessoas e grupos mais vulneráveis; Alargar e consolidar a rede de parcerias de forma a fomentar e a criar novos recursos, propiciando condições

Leia mais

Rede Social de Vila Pouca de Aguiar

Rede Social de Vila Pouca de Aguiar Introdução... 3 Plano de Desenvolvimento Social... 4 O que é o Plano de Desenvolvimento Social?... 4 Para que serve o Plano de Desenvolvimento Social?... 4 O Plano de Desenvolvimento Social como processo

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES 2013 Resposta Social Serviço de Apoio ao Domicílio

PLANO DE ACTIVIDADES 2013 Resposta Social Serviço de Apoio ao Domicílio PLANO DE ACTIVIDADES 2013 Resposta Social Serviço de Apoio ao Domicílio DATA ATIVIDADE OBJETIVOS INTERVENIENTES RECURSOS Fevereiro Dia 12 Carnaval - Baile de Carnaval - - Participação em Festa de Carnaval

Leia mais

EIXO 1: EMPREGO, QUALIFICAÇÃO, EMPREENDEDORISMO E INICIATIVA LOCAL

EIXO 1: EMPREGO, QUALIFICAÇÃO, EMPREENDEDORISMO E INICIATIVA LOCAL EIXO 1: EMPREGO, QUALIFICAÇÃO, EMPREENDEDORISMO E INICIATIVA LOCAL Desenvolver as condições facilitadoras da criação de emprego, combate ao desemprego e incentivo à iniciativa local referente ao empreendedorismo

Leia mais

Lisboa 2015 FICHA DE CANDIDATURA

Lisboa 2015 FICHA DE CANDIDATURA Lisboa 2015 Refª: 070 Gabinete de Apoio Jovem Futuro + Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 Lisboa Telefone: 21 322 73 60

Leia mais

REGULAMENTO DE APOIOS SOCIAIS

REGULAMENTO DE APOIOS SOCIAIS REGULAMENTO DE APOIOS SOCIAIS NOTA JUSTIFICATIVA (art.º 116.º do Código do Procedimento Administrativo) Considerando que: Cada vez mais é imprescindível a intervenção da freguesia no âmbito da Acção Social,

Leia mais

PROJETO DE REGULAMENTO PROGRAMA VIVER SOLIDÁRIO

PROJETO DE REGULAMENTO PROGRAMA VIVER SOLIDÁRIO PROJETO DE REGULAMENTO PROGRAMA VIVER SOLIDÁRIO PROGRAMA VIVER SOLIDÁRIO PROJETO DE REGULAMENTO 1.INTRODUÇÃO A prática regular e sistemática de atividades de animação gera significativas melhorias quer

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES ANO SOCIAL 2008/2009

PLANO DE ACTIVIDADES ANO SOCIAL 2008/2009 PLANO DE ACTIVIDADES ANO SOCIAL 2008/2009 As associações de pais visam a defesa e a promoção dos interesses dos seus associados em tudo quanto respeita à educação e ensino dos seus filhos e educandos que

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES 2010/2011

PLANO DE ACTIVIDADES 2010/2011 PLANO DE ACTIVIDADES 2010/2011 O Plano Anual de Actividades deve ser entendido como o instrumento da planificação das actividades es, para um ano lectivo, no qual estão plasmadas as decisões sobre os objectivos

Leia mais

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO ENTRE A CÂMARA MUNICIPAL DE ODIVELAS E O CENTRO HOSPITALAR LISBOA NORTE, EPE

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO ENTRE A CÂMARA MUNICIPAL DE ODIVELAS E O CENTRO HOSPITALAR LISBOA NORTE, EPE PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO ENTRE A CÂMARA MUNICIPAL DE ODIVELAS E O CENTRO HOSPITALAR LISBOA NORTE, EPE ENTRE: O MUNICÍPIO DE ODIVELAS, com sede na Rua Guilherme Gomes Fernandes, Paços do Concelho Quinta

Leia mais

Unidade de Alcoologia de Coimbra. Maria Lucília Mercês de Mello

Unidade de Alcoologia de Coimbra. Maria Lucília Mercês de Mello Unidade de Alcoologia de Coimbra Maria Lucília Mercês de Mello Unidade de Alcoologia de Coimbra História 1964 - Surge no Hospital Sobral Cid - Serviço de Recuperação de Alcoólicos 1971 - Centro de Recuperação

Leia mais

Universidade Técnica de Lisboa

Universidade Técnica de Lisboa Anexo 1 Inquérito por questionário aplicado às Directoras Técnicas dos organismos de apoio social do concelho de Caldas da Rainha INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS SOCIAIS E POLÍTICAS Universidade Técnica

Leia mais

RELATÓRIO ATIVIDADES 2015

RELATÓRIO ATIVIDADES 2015 RELATÓRIO ATIVIDADES 2015 AURPI Amora 31 DE MARÇO DE 2016 SEDE: RUA DOS VIDREIROS Nº7 2845-456 AMORA Telefone: 212 227 667 Fax: 212276062 Email: aurpiamora@gmail.com Site: www.aurpi-amora.pt Conteúdo 1-Introdução...

Leia mais

Câmara Municipal de Elvas. Plano de Acção. Conselho Local de Acção Social de Elvas

Câmara Municipal de Elvas. Plano de Acção. Conselho Local de Acção Social de Elvas Câmara Municipal de Elvas Plano de Acção 2007 Julho de 2006 Conselho Local de Acção Social de Elvas PROGRAMA REDE SOCIAL Co-financiado pelo Estado Português, Ministério da Segurança Social PLANO DE ACÇÃO

Leia mais

CENTRO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL LUCINDA ANINO DOS SANTOS PLANO DE ACTIVIDADES PARA 2016 PLANO DE ACTIVIDADES

CENTRO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL LUCINDA ANINO DOS SANTOS PLANO DE ACTIVIDADES PARA 2016 PLANO DE ACTIVIDADES CENTRO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL LUCINDA ANINO DOS SANTOS PLANO DE ACTIVIDADES PARA 2016 Em cumprimento da alínea b) do artigo 23 dos Estatutos, vem esta Direcção apresentar para apreciação e votação o Plano

Leia mais