Professor Marlos Pires Gonçalves

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Professor Marlos Pires Gonçalves"

Transcrição

1 Regência A sintaxe de regência estuda as relações entre um nome ou um verbo e seus complementos. Há dois tipos de regência: Regência nominal; Regência verbal. Regência nominal Estuda as relações em que os nomes substantivos, adjetivos e advérbio exigem complemento para completar-lhes o sentido. Geralmente, essa relação entre o nome e seus complementos é estabelecida pela presença de preposição. Ele tem aversão à altura. TR Tr Ficamos contentes por você. TR Tr Os alunos votaram favoravelmente ao projeto. TR Tr Observação: Há nomes que admitem mais de uma preposição.

2 Tenha amor a seus filhos. Renato não morria de amor por Paula. A seguir veremos a relação de alguns nomes e as suas preposições mais usuais: Acostumado com, a. Alheio a. Ansioso para, por. Apto a, para. Contente com, por, de, em. Falta a, com, para com. Inofensivo a, para. Preferível a, para. Próximo a, de. Situado a, em, entre. REGÊNCIA VERBAL É o modo pelo qual o verbo se relaciona com os seus complementos. Todos criticaram a professora. TR Tr Há verbos que admitem mais de uma regência: Ela não esquecia as flores recebidas. Ela não se esquecia das flores recebidas.

3 A seguir veremos a regência de alguns verbos: ABDICAR Pode significar renunciar, desistir. Pode ser um verbo intransitivo, transitivo direto ou transitivo indireto. O rei abdicou. VI Não abdicarei dos meus direitos. VTI AGRADAR No sentido de contentar, satisfazer é transitivo indireto. O jogo não agradou ao técnico. O convite não lhe agradou. Observação: também é possível aparecer com objeto direto.

4 AGRADECER Pode aparecer como transitivo direto, transitivo indireto e transitivo direto e indireto. Agradeci as flores. VTD Agradeci aos diretores. VTI Agradeci o presente ao amigo. VTDI ASPIRAR Será transitivo direto quando significar sorver, respirar. Aspirou gás carbônico. É transitivo indireto no sentido de almejar, pretender.

5 Os trabalhadores aspiravam ao aumento salarial. AJUDAR Aparece como transitivo direto e transitivo direto e indireto. Ela ajudava a minha irmã. VTD Nós ajudávamos papai a limpar o quintal. VTDI ASSISTIR Será transitivo direto quando significar prestar assistência, ajudar. O médico assistiu o pequeno garoto. Será transitivo indireto quando significar presenciar, ver. Nesse sentido o verbo ASSISTIR não admite o uso dos pronomes LHE, LHES.

6 Nós assistimos ao jogo da seleção. Ele assistiu ao espetáculo. Será transitivo indireto quando significar caber, pertencer. Assiste aos governantes o bem-estar social. No sentido de morar, residir pouco utilizado atualmente será intransitivo. Ele assiste no Recife há muito tempo. CHAMAR Será transitivo direto no sentido de convidar, convocar. Nós chamamos todos os presentes. No sentido denominar há 4 construções:

7 Chamaram -no trambiqueiro. à transitivo direto; Chamaram -no de trambiqueiro. à transitivo direto; Chamaram -lhe trambiqueiro. à transitivo indireto; Chamaram -lhe de trambiqueiro. à transitivo indireto. CUSTAR No sentido de ser custoso, ser difícil será transitivo indireto. Custou ao governo aquela difícil meta. No sentido de acarretar será transitivo direto e indireto. A insensatez custou-lhe os bens. ESQUECER LEMBRAR Serão transitivos diretos se não forem pronominais.

8 Esqueci o nome da rua. Lembrei um caso antigo. Serão transitivos indiretos se forem pronominais. Esqueci -me do nome da rua. Lembrei -me de um caso antigo. Transitivos indiretos quando aparecerem nos sentidos de cair no esquecimento e vir à lembrança. Esqueceram -me de alguns fatos marcantes (Eu esqueci de alguns fatos marcantes frase equivalente) OBEDECER DESOBEDECER São transitivos indiretos.

9 O jogador desobedeceu ao regulamento. Os juristas obedecem ao Código Civil. PRECISAR No sentido de marcar com precisão é transitivo direto. Ele precisou a hora e o local da consulta. No sentido de necessitar é transitivo indireto. Nós precisamos de bons políticos. PREFERIR É um verbo transitivo direto e indireto. Preferia o computador ao notebook.

10 Preferia o vinho à cerveja. CONCLUSÃO Nesse tutorial vimos regência nominal e verbal. A regência nominal estuda as relações em que os nomes exigem complementos para completar-lhes o sentido. A regência verbal é o modo pelo qual o verbo se relaciona com seus complementos. Inclusive há verbos que aceitam mais de uma regência, tais como abdicar, agradecer, aspirar, ajudar, obedecer, precisar, preferir. Espero ter alcançado o objetivo desse tutorial, que foi passar algum conhecimento do que vem a ser sintaxe de regência. Utilizamos uma linguagem clara e objetiva, com o intuito de ser mais uma fonte de estudo e aprendizagem para o público interessado em Português. ABREVIAÇÕES UTILIZADAS TR Termo regente; Tr Termo regido; VI Verbo intransitivo; VTD Verbo transitivo direto; VTI Verbo transitivo indireto; VTDI Verbo transitivo direto e indireto.

Quanto à regência verbal, os verbos podem ser: - Transitivo direto - Transitivo indireto - Transitivo direto e indireto - Intransitivo

Quanto à regência verbal, os verbos podem ser: - Transitivo direto - Transitivo indireto - Transitivo direto e indireto - Intransitivo Regência Verbal Dentre os estudos linguísticos inerentes à sintaxe, encontra-se a sintaxe de regência. Ela é responsável pelo estudo das relações de dependência que se estabelecem entre os termos da oração

Leia mais

Regência Verbal. É a relação de um verbo sobre seus complementos (OD, OI) e adjuntos adverbiais.

Regência Verbal. É a relação de um verbo sobre seus complementos (OD, OI) e adjuntos adverbiais. REGÊNCIA VERBAL Regência Verbal É a relação de um verbo sobre seus complementos (OD, OI) e adjuntos adverbiais. Em alguns casos, a variação de regência provoca uma alteração de sentido do verbo. A seguir,

Leia mais

Português 3º ano João J. Regência

Português 3º ano João J. Regência Português 3º ano João J. Regência Regência Regência É a relação sintática que se estabelece entre um termo regente ou subordinante (que admite outro) e o termo regido ou subordinado (termo exigido pelo

Leia mais

REGÊNCIA VERBAL PROF. OSMAR EDUARDO SENS

REGÊNCIA VERBAL PROF. OSMAR EDUARDO SENS REGÊNCIA VERBAL PROF. OSMAR EDUARDO SENS REGÊNCIA VERBAL Para se entender a regência verbal ou nominal é necessário conhecer as preposições. Por isso complete: 1. a) Preposição é uma palavra invariável

Leia mais

Integrado Aulas 38 e 39 Apostila 5; pág. 87 Sintaxe de Regência

Integrado Aulas 38 e 39 Apostila 5; pág. 87 Sintaxe de Regência Integrado Aulas 38 e 39 Apostila 5; pág. 87 Sintaxe de Regência Definições Mecanismo que regula as ligações entre um verbo ou um nome (termos regentes) e os seus complementos (termos regidos). Em termos

Leia mais

Não exige complemento. Ex.: O pássaro cantou. O menino acordou. O bebê nasceu.

Não exige complemento. Ex.: O pássaro cantou. O menino acordou. O bebê nasceu. Retomada Não exige complemento. Ex.: O pássaro cantou. O menino acordou. O bebê nasceu. Obs.: O verbo intransitivo pode vir acompanhado de circunstâncias adverbiais. Ex.: O menino acordou cedo. O homem

Leia mais

ATENÇÃO! Material retirado da Internet, que eu considero de fonte segura e confiável. Os endereços estão no fim de cada assunto. Regência verbal Regência verbal é a relação que existe entre os verbos e

Leia mais

Regência. O estabelecimento de relações de sentido

Regência. O estabelecimento de relações de sentido Regência O estabelecimento de relações de sentido Leia: Ele é acostumado a roubar. acostumado= adjetivo(a) Ele está acostumado com a pobreza. acostumado= adjetivo(com) verbo aspirar No sentido sorver,

Leia mais

Português. Regência Verbal e Nominal. Professor Arthur Scandelari.

Português. Regência Verbal e Nominal. Professor Arthur Scandelari. Português Regência Verbal e Nominal Professor Arthur Scandelari www.acasadoconcurseiro.com.br Português REGÊNCIA VERBAL E NOMINAL 1. (CESGRANRIO IBGE 2016) Observa-se obediência à norma-padrão, no que

Leia mais

Regência verbal. Reger é determinar a flexão de um termo, que neste caso é o complemento, já que o verbo é o termo regente.

Regência verbal. Reger é determinar a flexão de um termo, que neste caso é o complemento, já que o verbo é o termo regente. Regência verbal A regência de um verbo é determinada pela relação do mesmo com seu complemento. Logo, o verbo é o termo regente e o complemento é o termo regido. Observe: Joana assistiu um paciente no

Leia mais

Português. Regência Nominal e Verbal. Professor Carlos Zambeli.

Português. Regência Nominal e Verbal. Professor Carlos Zambeli. Português Regência Nominal e Verbal Professor Carlos Zambeli www.acasadoconcurseiro.com.br Português REGÊNCIA NOMINAL E VERBAL A regência verbal estuda a relação que se estabelece entre os verbos e os

Leia mais

REGÊNCIA VERBAL. & Nominal

REGÊNCIA VERBAL. & Nominal REGÊNCIA VERBAL & Nominal REGÊNCIA Regência é a parte da Gramática Normativa que estuda as relações entre os termos da oração, verificando se um termo serve de complemento a outro. O termo que exige complemento

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA. Prof. Albert Iglésia

LÍNGUA PORTUGUESA. Prof. Albert Iglésia LÍNGUA PORTUGUESA Regência Nominal Relação entre um adjetivo, advérbio ou substantivo abstrato transitivo e seu complemento, por meio de preposição. 1. Os cursos do Ponto têm sido úteis a muitos candidatos.

Leia mais

REGÊNCIA VERBAL. Amanda de Oliveira.

REGÊNCIA VERBAL. Amanda de Oliveira. REGÊNCIA VERBAL. Amanda de Oliveira. Como se classificam os verbos tem e executar quanto à transitividade? Resposta: São transitivos diretos. Que termos funcionam como complemento desses verbos? Resposta:

Leia mais

1. Conceito Estudar regência verbal consiste em estudar a correta transitividade e o uso - de alguns verbos.

1. Conceito Estudar regência verbal consiste em estudar a correta transitividade e o uso - de alguns verbos. Regência 1. Conceito Estudar regência verbal consiste em estudar a correta transitividade e o uso - de alguns verbos. Observe o exemplo: Hoje prefiro cinema do que teatro. (inadequado) Embora a situação

Leia mais

Hoje vamos aprender um pouquinho sobre Regência Verbal, já que em muitos casos a língua espanhola difere muito da portuguesa.

Hoje vamos aprender um pouquinho sobre Regência Verbal, já que em muitos casos a língua espanhola difere muito da portuguesa. Introdução Hoje vamos aprender um pouquinho sobre Regência Verbal, já que em muitos casos a língua espanhola difere muito da portuguesa. Entretanto, antes de passarmos a analisar a regência de alguns verbos,

Leia mais

Chamei-o idiota. Chamei-lhe idiota. Chamei-o de idiota. Chamei-lhe de idiota.

Chamei-o idiota. Chamei-lhe idiota. Chamei-o de idiota. Chamei-lhe de idiota. b) Transitivo seguido de predicativo do objeto, com o sentido de denominar, qualificar, admite quatro regências diferentes: Chamei-o idiota. Chamei-lhe idiota. Chamei-o de idiota. Chamei-lhe de idiota.

Leia mais

e Transitividade Verbal Professora Jaqueline Cappellari

e Transitividade Verbal Professora Jaqueline Cappellari e Transitividade Verbal Professora Jaqueline Cappellari O verbo pode ser: Classifique os complementos verbais a seguir em objeto direto (OD) ou objeto indireto (OI): Verbos intransitivos São os verbos

Leia mais

7 - CESGRANRIO TRANSPETRO - Técnico de Enfermagem do Trabalho Considere a frase. O chefe de vários departamentos identifica a mudança no

7 - CESGRANRIO TRANSPETRO - Técnico de Enfermagem do Trabalho Considere a frase. O chefe de vários departamentos identifica a mudança no 7 - CESGRANRIO - 2011 - TRANSPETRO - Técnico de Enfermagem do Trabalho Considere a frase. O chefe de vários departamentos identifica a mudança no cenário da informática. A palavra identifica pode ser substituída,

Leia mais

Sumário PARTE 1. Apresentação da Coleção Apresentação Sobre português... 23

Sumário PARTE 1. Apresentação da Coleção Apresentação Sobre português... 23 Sumário... 15 Apresentação da Coleção... 17 Apresentação... 19 Sobre português...... 23 PARTE 1 Capítulo 1 MORFOLOGIA 1... 27 Substantivo Adjetivo Advérbio (Pré-requisitos para a concordância nominal)

Leia mais

Profª: Adriana Figueiredo Língua Portuguesa INSS AULAS DE 21 A 25. Língua Portuguesa INSS Professora: Adriana Figueiredo

Profª: Adriana Figueiredo Língua Portuguesa INSS AULAS DE 21 A 25. Língua Portuguesa INSS Professora: Adriana Figueiredo Professora: Adriana Figueiredo 1 de 17 CONCORDÂNCIA NOMINAL 1) É bom, é proibido, é permitido, é necessário...:se o substantivo não vier determinado, o adjetivo fica invariável. Ex.: Entrada é proibido.

Leia mais

Regência Verbal . VERBO INTRANSITIVO . VERBO DE LIGAÇÃO . VERBO TRANSITIVO. Não exige preposição. Exige preposição . VERBO TRANSITIVO DIRETO

Regência Verbal . VERBO INTRANSITIVO . VERBO DE LIGAÇÃO . VERBO TRANSITIVO. Não exige preposição. Exige preposição . VERBO TRANSITIVO DIRETO Regência Verbal VERBO --> ALGO VERBO --> com ALGO / de ALGO por ALGO / em ALGO para ALGO / a ALGO. VERBO INTRANSITIVO. VERBO DE LIGAÇÃO. VERBO TRANSITIVO. VERBO TRANSITIVO DIRETO Não exige preposição.

Leia mais

PORTUGUES CONCORDÂNCIA NOMINAL. O adjetivo novo concorda em número com o substantivo mais próximo (cinema).

PORTUGUES CONCORDÂNCIA NOMINAL. O adjetivo novo concorda em número com o substantivo mais próximo (cinema). CONCORDÂNCIA NOMINAL A concordância nominal estuda as modificações que as palavras que não são verbos devem sofrer para se ajustarem ao nome (substantivo) a que estão relacionadas. REGRA GERAL Veja: O

Leia mais

PREDICADO. Profª Fernanda Colcerniani

PREDICADO. Profª Fernanda Colcerniani PREDICADO Profª Fernanda Colcerniani PREDICADO É o termo que expressa aquilo que se afirma a respeito do sujeito: 1. Jardineiros diplomados regam flores [...] sujeito predicado 2. A luz da tua poesia é

Leia mais

Núcleo de Educação a Distância 1 UVAONLINE. Comunicação Oral e Escrita. Unidade 10. Regência

Núcleo de Educação a Distância 1 UVAONLINE. Comunicação Oral e Escrita. Unidade 10. Regência Núcleo de Educação a Distância 1 UVAONLINE Comunicação Oral e Escrita Unidade 10 Regência Núcleo de Educação a Distância 2 Aviso importante! Este material foi produzido com o objetivo de permitir que você

Leia mais

Resoluções de Atividades

Resoluções de Atividades Resoluções de Atividades Sumário Aula 24 Período composto por subordinação I...1 Aula 25 Período composto por subordinação II Período composto misto e reduzido...2 Aula 26 Regência verbal e nominal...

Leia mais

Sintaxe Regência Verbal e Nominal

Sintaxe Regência Verbal e Nominal Sintaxe Regência Verbal e Nominal 12 Marc Garrido i Puig Edmon Neto de Oliveira Fonte: www.sxc.hu e-tec Brasil Português Instrumental META Apresentar as relações de dependência entre os vocábulos. OBJETIVOS

Leia mais

OLÁ! VAMOS AO ESTUDO DA REGÊNCIA.

OLÁ! VAMOS AO ESTUDO DA REGÊNCIA. OLÁ! VAMOS AO ESTUDO DA REGÊNCIA. 1 Preparação para Concursos REGÊNCIA Seja bem-vindo a este encontro voltado para o concurso do TJDFT e para os principais concursos do país, visto que Língua Portuguesa

Leia mais

- Transitivo direto e indireto O garoto ofereceu. - Verbo intransitivo Ele morreu. A criança dormiu.

- Transitivo direto e indireto O garoto ofereceu. - Verbo intransitivo Ele morreu. A criança dormiu. - Transitivo direto e indireto O garoto ofereceu - Verbo intransitivo Ele morreu. A criança dormiu. COMPLEMENTO NOMINAL É o termo que completa o sentido de uma palavra que não seja verbo. Assim, pode referir-se

Leia mais

PORTUGUÊS. Rua Lúcio José Filho, 27 Parque Anchieta Tel:

PORTUGUÊS. Rua Lúcio José Filho, 27 Parque Anchieta Tel: SEAP MUSTELLA 14-04-2015 PORTUGUÊS REGÊNCIA VERBAL A regência verbal estuda a relação de dependência que se estabelece entre os verbos e seus complementos. Em outras palavras a regência estuda o USO CORRETO

Leia mais

Termos ligados ao nome. adnominal e aposto) e o vocativo. Apostila 2, Capítulo 4 Unidades 21 a 24 (pág. 407 a 417) Professora Simone

Termos ligados ao nome. adnominal e aposto) e o vocativo. Apostila 2, Capítulo 4 Unidades 21 a 24 (pág. 407 a 417) Professora Simone Termos ligados ao nome (complemento nominal, adjunto adnominal e aposto) e o vocativo Apostila 2, Capítulo 4 Unidades 21 a 24 (pág. 407 a 417) Professora Simone 2 Regência Nominal Designa a relação existente

Leia mais

COMENTÁRIO: O verbo visar, no sentido de almejar, é transitivo indireto, exigindo a preposição a.

COMENTÁRIO: O verbo visar, no sentido de almejar, é transitivo indireto, exigindo a preposição a. EXERCÍCIOS 1. Assinale a alternativa em que a regência verbal este em desacordo com a norma culta: a) A iniciativa da acusação desagradou ao cliente. b) Os familiares da vítima aspiram a um resultado justo.

Leia mais

ADJUNTOS E COMPLEMENTOS

ADJUNTOS E COMPLEMENTOS ADJUNTOS E COMPLEMENTOS *A ELE: complemento nominal. a. ADJUNTO ADNOMINAL É o termo da oração que caracteriza, especifica ou delimita o significado de um substantivo. Exemplos: Os alunos estudiosos passaram

Leia mais

Módulo 6. Capítulo 09, p. 163 e 164

Módulo 6. Capítulo 09, p. 163 e 164 LISTA EXERCÍCIOS RECUPERAÇÃO 2.0 ANO 4 O BIMESTRE P1 (Laira) Capítulo 09, p. 163 e 164 Módulo 6 1. Exercício prático. 2. a) Regência verbal com preposição: Zidane [foto] aposta em triunfo de Kaká. Humor:

Leia mais

Complemento nominal Adjunto adnominal Objeto indireto Predicativo do sujeito Predicativo do objeto Adjunto Adverbial Agente da passiva Aposto e

Complemento nominal Adjunto adnominal Objeto indireto Predicativo do sujeito Predicativo do objeto Adjunto Adverbial Agente da passiva Aposto e Complemento nominal Adjunto adnominal Objeto indireto Predicativo do sujeito Predicativo do objeto Adjunto Adverbial Agente da passiva Aposto e Vocativo Tipos de predicado COMPLEMENTO NOMINAL OU ADJUNTO

Leia mais

Complemento nominal. A discriminação aos negros é inaceitável, aliás, toda discriminação é inaceitável.

Complemento nominal. A discriminação aos negros é inaceitável, aliás, toda discriminação é inaceitável. Complemento nominal Termo da oração que completa o sentido de um substantivo, adjetivo ou advérbio, sempre através de uma preposição. Da mesma maneira que o objeto indireto, o complemento nominal é introduzido

Leia mais

Profª.: Elysângela Neves

Profª.: Elysângela Neves Profª.: Elysângela Neves Regência É a relação sintática que se estabelece entre um termo regente ou subordinante (que exige outro) e o termo regido ou subordinado (termo regido pelo primeiro) A regência

Leia mais

Apresentação 11 Lista de abreviações 13. Parte I: NATUREZA, ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DA LINGUAGEM

Apresentação 11 Lista de abreviações 13. Parte I: NATUREZA, ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DA LINGUAGEM Sumário Apresentação 11 Lista de abreviações 13 Parte I: NATUREZA, ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DA LINGUAGEM O homem, a linguagem e o conhecimento ( 1-6) O processo da comunicação humana ( 7-11) Funções da

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA 7 ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª SHEILA RODRIGUES PROF.ª SHIRLEY VASCONCELOS

LÍNGUA PORTUGUESA 7 ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª SHEILA RODRIGUES PROF.ª SHIRLEY VASCONCELOS LÍNGUA PORTUGUESA 7 ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª SHEILA RODRIGUES PROF.ª SHIRLEY VASCONCELOS CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade IV Ciência- O homem na construção do conhecimento 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES

Leia mais

2.8. Alusão histórica 3. A afirmação da tese e a impessoalização do discurso 4. Exercícios 5. Atividade de produção textual

2.8. Alusão histórica 3. A afirmação da tese e a impessoalização do discurso 4. Exercícios 5. Atividade de produção textual SUMÁRIO CAPÍTULO I NOÇÕES GERAIS DE TIPOLOGIA TEXTUAL 1. A definição de tipo textual 1.1. Texto narrativo 1.2. Texto descritivo 1.3. Texto injuntivo 1.4. Texto dialogal 1.5. Texto dissertativo 2. Elaborando

Leia mais

CONCEITOS GRAMATICAIS PARA ESTUDO CARLA FRASE. FRASE VERBAL: é frase que apresenta verbo ou locução verbal.

CONCEITOS GRAMATICAIS PARA ESTUDO CARLA FRASE. FRASE VERBAL: é frase que apresenta verbo ou locução verbal. CONCEITOS GRAMATICAIS PARA ESTUDO CARLA FRASE É uma enunciado (uma mensagem) de sentido completo que estabelece comunicação. Toda frase deve ser pontuada. FRASE VERBAL: é frase que apresenta verbo ou locução

Leia mais

Lista 3 - Língua Portuguesa 1

Lista 3 - Língua Portuguesa 1 Lista 3 - Língua Portuguesa 1 Frase, oração e período; sujeito e predicado LISTA 3 - LP 1 - FRASE, ORAÇÃO E PERÍODO; SUJEITO E PREDICADO Frase, oração e período; sujeito e predicado Na fala ou na escrita,

Leia mais

REVISÃO DE ANÁLISE SINTÁTICA Período composto

REVISÃO DE ANÁLISE SINTÁTICA Período composto REVISÃO DE ANÁLISE SINTÁTICA Período composto Professora Melina 9º. Ano Relembrando... ORAÇÃO Enunciado organizado em torno de um verbo. Você abre a janela. PERÍODO SIMPLES frase formada por uma só oração.

Leia mais

TJ - RS. Língua Portuguesa. Observe, então, que as formas LHE e LHES devem ser substituídas por a ele (s), a ela (s).

TJ - RS. Língua Portuguesa. Observe, então, que as formas LHE e LHES devem ser substituídas por a ele (s), a ela (s). REGÊNCIA A regência verbal estuda a relação existente entre o verbo e seu complemento. Veja: preposição *Todas as crianças gostam de sorvete. verbo transitivo Dizemos, nesse caso, que o verbo gostar rege

Leia mais

Bizu gratuito para o Concurso do TRF 2ª Região

Bizu gratuito para o Concurso do TRF 2ª Região Bizu gratuito para o Concurso do TRF 2ª Região Língua Portuguesa Professor Albert Iglésia 1 - Uso dos porquês 1.1. Por que você não veio? (advérbio interrogativo de causa, usado no início da oração, equivale-se

Leia mais

Coesão e coerência: fatores de textualidade.

Coesão e coerência: fatores de textualidade. Coesão e coerência: fatores de textualidade. Quando lemos um texto, somos capazes de julgá-lo como coerente ou não. Ainda que não façamos uma análise linguística mais apurada, conhecemos a nossa língua

Leia mais

Português. Sintaxe da Oração (Análise Sintática) Professor Carlos Zambeli.

Português. Sintaxe da Oração (Análise Sintática) Professor Carlos Zambeli. Português Sintaxe da Oração (Análise Sintática) Professor Carlos Zambeli www.acasadoconcurseiro.com.br Português SINTAXE DA ORAÇÃO (ANÁLISE SINTÁTICA) Frase: é o enunciado com sentido completo, capaz

Leia mais

Obs.: Essa regra de concordância é excessivamente cobrada por todas as bancas.

Obs.: Essa regra de concordância é excessivamente cobrada por todas as bancas. Obs.: Se o verbo haver, com o sentido de existir, for o principal de uma locução verbal, seu auxiliar também ficará no singular. Ex.: Deve haver reclamações. (Devem existir reclamações) Obs.: Essa regra

Leia mais

AULA DE LÍNGUA PORTUGUESA REGÊNCIA VERBAL CURSO ÁREA TRABALHISTA CALVET PROF. EDUARDO SABBAG 2011

AULA DE LÍNGUA PORTUGUESA REGÊNCIA VERBAL CURSO ÁREA TRABALHISTA CALVET PROF. EDUARDO SABBAG 2011 AULA DE LÍNGUA PORTUGUESA REGÊNCIA VERBAL CURSO ÁREA TRABALHISTA CALVET PROF. EDUARDO SABBAG 2011 CONCEITO. A Regência refere-se ao estudo da relação de dependência ou subordinação que se estabelece entre

Leia mais

JOSÉ ALMIR FONTELLA DORNELLES

JOSÉ ALMIR FONTELLA DORNELLES JOSÉ ALMIR FONTELLA DORNELLES Edição comemorativa de 20 anos. Revista, ampliada, novos exercícios e questões. 20ª edição Brasília 2014 2014 Vestcon Editora Ltda. Todos os direitos autorais desta obra são

Leia mais

Língua Portuguesa Mara Rúbia

Língua Portuguesa Mara Rúbia Língua Portuguesa Mara Rúbia Regência nominal é o nome da relação existente entre um nome (substantivo, adjetivo ou advérbio) e os termos regidos por esse nome. Determina se os seus complementos são acompanhados

Leia mais

ANÁLISE DAS PROVAS DA VUNESP 2-5 QUES. 1-7 QUES.

ANÁLISE DAS PROVAS DA VUNESP 2-5 QUES. 1-7 QUES. GRAMÁTICA TURMA - CTA NOME DO PROFESSOR: SÉRGIO FASCINA AULA 10/20: 04 de março de 2013 ANÁLISE DAS PROVAS DA VUNESP 01 - FUNDAÇÃO CASA - PROVA 09 02- DIADEMA 03- FUNDAÇÃO CASA- AG. ADMINISTRATIVO - PROVA

Leia mais

EXPRESSÃO ESCRITA. O Sumário aqui presente é a continuação do que desenvolvemos na aula anterior: 1. Introdução. 2.

EXPRESSÃO ESCRITA. O Sumário aqui presente é a continuação do que desenvolvemos na aula anterior: 1. Introdução. 2. EXPRESSÃO ESCRITA Sejam bem-vindos à quarta videoaula de Expressão Escrita. Sou a Maj Anna Luiza professora de Português da Seção de Idiomas da ECEME. Esta aula se destina a você, aluno do CP/ECEME e aos

Leia mais

Transitividade Verbal

Transitividade Verbal Transitividade Verbal 1 Predicação Verbal Chama-se predicação verbal o resultado da ligação que se estabelece entre o sujeito e o verbo e entre os verbos e os complementos. Quanto à predicação, os verbos

Leia mais

Odilei França. Este material é parte integrante do acervo do IESDE BRASIL S.A., mais informações

Odilei França. Este material é parte integrante do acervo do IESDE BRASIL S.A., mais informações Odilei França Graduado em Letras pela Fafipar. Graduado em Teologia pela Faculdade Batista. Professor de Língua Portuguesa para concursos públicos há 22 anos. Predicação verbal e sintaxe do período simples

Leia mais

MPU Português Crase Eli Castro Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

MPU Português Crase Eli Castro Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. MPU Português Crase Eli Castro 2013 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Crase O uso do acento grave é, às vezes, produto da contração de duas vogais idênticas; em outras,

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA. No sentido de socorrer, dar assistência é VTD Ex.: A enfermeira assistiu o doente.

LÍNGUA PORTUGUESA. No sentido de socorrer, dar assistência é VTD Ex.: A enfermeira assistiu o doente. LÍNGUA PORTUGUESA PROF. MARCELO BERNARDO MÓDULO 8 REGÊNCIA No sentido de socorrer, dar assistência é VTD Ex.: A enfermeira assistiu o doente. No sentido de ver, observar, presenciar é VTI (A) Ex.: Paulo

Leia mais

ORDEM DIRETA DOS TERMOS DA ORAÇÃO

ORDEM DIRETA DOS TERMOS DA ORAÇÃO ORDEM DIRETA DOS TERMOS DA ORAÇÃO S V C ADJ. ADV. Simples Composto Oculto Indeterm. * oração sem sujeito VI VTD VTI VTDI VL *LV (verbo ser/estar + verbo no particípio) Ø OD OI OD + OI PS AG. da PASSIVA

Leia mais

Cinco maneiras fáceis de diferenciar o Adjunto adnominal do Complemento Nominal

Cinco maneiras fáceis de diferenciar o Adjunto adnominal do Complemento Nominal Os termos da oração ocupam lugar de destaque nas provas de concurso público. Saber diferenciá-los, porém, pode não ser tarefa das mais simples. Com o objetivo de ajudá-los nessa tarefa, proponho algumas

Leia mais

Exemplos adicionais: CERVEJA É BOM. A CERVEJA É BOA. ENTRADA É PROIBIDO. A ENTRADA É PROIBIDA.

Exemplos adicionais: CERVEJA É BOM. A CERVEJA É BOA. ENTRADA É PROIBIDO. A ENTRADA É PROIBIDA. Exemplos adicionais: CERVEJA É BOM. A CERVEJA É BOA. ENTRADA É PROIBIDO. A ENTRADA É PROIBIDA. 11) Haja vista. Ex.: Haja vista os resultados. (invariável) Obs.: Admitem-se também duas outras construções.

Leia mais

PROFESSOR SANDRO LUCENA

PROFESSOR SANDRO LUCENA PROFESSOR SANDRO LUCENA REGÊNCIA / CESPE Julgue os itens abaixo em relação à regência verbal. 01. Considere as frases Conheço a rua onde você corre todas as manhãs. e Vocês irão aonde vestidos assim? É

Leia mais

Professor Marlos Pires Gonçalves

Professor Marlos Pires Gonçalves EMPREGO DE ALGUMAS CLASSES GRAMATICAIS EMPREGO DO ARTIGO I emprega-se o artigo definido em: a) nomes próprios geográficos. A Argentina O Rio de Janeiro as Canárias Observação: Alguns nomes próprios geográficos

Leia mais

ATENÇÃO! Material retirado da Internet, que eu considero de fonte segura e confiável. Os endereços estão no fim de cada assunto. Termos acessórios da oração Apesar de prescindíveis são necessários para

Leia mais

Regência Verbal. Prof. Dr. Alexandre Daniel de Souza Feldman

Regência Verbal. Prof. Dr. Alexandre Daniel de Souza Feldman Regência Verbal Prof. Dr. Alexandre Daniel de Souza Feldman Regência Verbal Análise do verbo e de seus complementos, enfocando o uso ou não de preposições. Os idosos querem tranquilidade. (desejar sem

Leia mais

CAPÍTULO 01 - INTERPRETAÇÃO DE TEXTO TIPOS DE TEXTO GÊNERO DE TEXTO TIPOS DE DISCURSO... 21

CAPÍTULO 01 - INTERPRETAÇÃO DE TEXTO TIPOS DE TEXTO GÊNERO DE TEXTO TIPOS DE DISCURSO... 21 sumário CAPÍTULO 01 - INTERPRETAÇÃO DE TEXTO...14 1.1.TIPOS DE TEXTO... 15 1.2.GÊNERO DE TEXTO... 20 1.3.TIPOS DE DISCURSO... 21 1.3.1. DISCURSO DIRETO... 22 1.3.2. DISCURSO INDIRETO... 22 1.3.3. DISCURSO

Leia mais

PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO

PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO O período composto por coordenação é constituído por orações coordenadas. Chamamos oração coordenada por não exercer nenhuma função sintática em outra oração, daí ser chamada

Leia mais

Solecismo: inadequação ou vício de linguagem?

Solecismo: inadequação ou vício de linguagem? Solecismo: inadequação ou vício de linguagem? Não somente em textos literários (romance, conto, crônica, novela), mas também em textos jornalísticos (jornal, revista, televisão), é muito frequente lermos

Leia mais

4 - FCC INSS - Perito Médico Previdenciário... frase com a menção de que são essenciais à busca da felicidade. A relação de regência

4 - FCC INSS - Perito Médico Previdenciário... frase com a menção de que são essenciais à busca da felicidade. A relação de regência 4 - FCC - 2012 - INSS - Perito Médico Previdenciário... frase com a menção de que são essenciais à busca da felicidade. A relação de regência exemplificada acima NÃO ocorre APENAS em: a) a observância

Leia mais

Telefone: (31) 3352 1272 apostila@apostilasdamasceno.com

Telefone: (31) 3352 1272 apostila@apostilasdamasceno.com REGÊNCIA Regência é o modo pelo qual um termo rege outro que o complementa. A regência pode ser verbal ou nominal, conforme trate do regime dos verbos ou dos nomes (substantivos e adjetivos). 1 REGÊNCIA

Leia mais

GRAU DOS ADJETIVOS Para expressar as variações de intensidade, o adjetivo apresenta-se em dois graus: comparativo e superlativo.

GRAU DOS ADJETIVOS Para expressar as variações de intensidade, o adjetivo apresenta-se em dois graus: comparativo e superlativo. GRAU DOS ADJETIVOS Para expressar as variações de intensidade, o adjetivo apresenta-se em dois graus: comparativo e superlativo. 1. Grau comparativo O grau comparativo estabelece uma comparação entre dois

Leia mais

Concordância Verbal R E G R A G E R A L E C A S O S E S P E C I A I S

Concordância Verbal R E G R A G E R A L E C A S O S E S P E C I A I S Concordância Verbal R E G R A G E R A L E C A S O S E S P E C I A I S CONCORDÂNCIA VERBAL REGRA GERAL VERBO CONCORDA COM O SUJEITO EM NÚMERO E PESSOA. Júnior foi ao cinema Lucas e Carlos foram ao cinema

Leia mais

CURSO TJMG Nível Médio Oficial de Apoio Judiciário Nº

CURSO TJMG Nível Médio Oficial de Apoio Judiciário Nº CURSO TJMG Nível Médio Oficial de Apoio Judiciário Nº DATA 14/06/2016 DISCIPLINA Português - Gramática PROFESSOR Ricardo Erse MONITOR Paula Moura AULA 01/07 Ementa 1 Concordância... 2 a) Concordância nominal:...

Leia mais

Sumário. Edital sistematizado... 15 Apresentação da Coleção... 17 Apresentação... 19 Sobre português... 23 Um novo perfil de prova...

Sumário. Edital sistematizado... 15 Apresentação da Coleção... 17 Apresentação... 19 Sobre português... 23 Um novo perfil de prova... Sumário Edital sistematizado... 15 Apresentação da Coleção... 17 Apresentação... 19 Sobre português... 23 Um novo perfil de prova... PARTE 1 Capítulo 1 MORFOLOGIA 1... 27 Substantivo Adjetivo Advérbio

Leia mais

C Sistema destinado à preparação para Concursos Públicos e Aprimoramento Profissional via INTERNET

C Sistema destinado à preparação para Concursos Públicos e Aprimoramento Profissional via INTERNET 1 CURSO DE PORTUGUÊS ON-LINE AULA 5 Clique aqui para assistir à aula gravada VERBO Verbo é a palavra que exprime ação, estado e fenômenos. 1) AÇÃO, EX. Os estudantes percorreram terras distantes. 2) ESTADO,

Leia mais

Capítulo 2 - Acentuação gráfica Regras gerais...10 Casos especiais...10 Prosódia...12 Exercícios...14

Capítulo 2 - Acentuação gráfica Regras gerais...10 Casos especiais...10 Prosódia...12 Exercícios...14 Sumário Capítulo 1 - Noções de fonética... 2 Fonemas...2 Letra...2 Sílaba...2 Número de sílabas...3 Tonicidade...3 Posição da sílaba tônica...3 Dígrafos...3 Encontros consonantais...3 Encontros vocálicos...4

Leia mais

MORFOLOGIA CLASSE GRAMATICAL. SUBSTANTIVO: é o que dá nome a todos os seres: vivos, inanimados, racionais, irracionais a fim de identificação.

MORFOLOGIA CLASSE GRAMATICAL. SUBSTANTIVO: é o que dá nome a todos os seres: vivos, inanimados, racionais, irracionais a fim de identificação. MORFOLOGIA CLASSE GRAMATICAL SUBSTANTIVO: é o que dá nome a todos os seres: vivos, inanimados, racionais, irracionais a fim de identificação. PREPOSIÇÃO É a classe de palavras que liga palavras entre si;

Leia mais

UDESC 2015/2 PORTUGUÊS. Gabarito do departamento de português sem resposta. Comentário

UDESC 2015/2 PORTUGUÊS. Gabarito do departamento de português sem resposta. Comentário PORTUGUÊS Gabarito do departamento de português sem resposta. a) Incorreta. As orações iniciadas pela partícula se são subordinadas substantivas objetivas diretas do verbo discutir. b) Correta. Todas as

Leia mais

É a relação de dependência existente entre um nome (substantivo, adjetivo, advérbio) e seu complemento:

É a relação de dependência existente entre um nome (substantivo, adjetivo, advérbio) e seu complemento: REGÊNCIA NOMINAL É a relação de dependência existente entre um nome (substantivo, adjetivo, advérbio) e seu complemento: A resolução dos exercícios será feita em sala de aula. subst. compl. nom. (regente)

Leia mais

OBJETO DIRETO E OBJETO INDIRETO EM UM LIVRO DIDÁTICO: GRAMÁTICA NORMATIVA VS. GRAMÁTICA EXPLICATIVA/GERATIVA

OBJETO DIRETO E OBJETO INDIRETO EM UM LIVRO DIDÁTICO: GRAMÁTICA NORMATIVA VS. GRAMÁTICA EXPLICATIVA/GERATIVA OBJETO DIRETO E OBJETO INDIRETO EM UM LIVRO DIDÁTICO: GRAMÁTICA NORMATIVA VS. GRAMÁTICA EXPLICATIVA/GERATIVA Jessé Pantoja SERRÃO (G-UFPA) Antônia Fernanda de Souza NOGUEIRA (UFPA) 120 Resumo Este artigo

Leia mais

Prof. Flaverlei A. Silva REGÊNCIA VERBAL E REGÊNCIA NOMINAL

Prof. Flaverlei A. Silva REGÊNCIA VERBAL E REGÊNCIA NOMINAL REGÊNCIA VERBAL E REGÊNCIA NOMINAL Preposição É a palavra relacional, ou seja, que liga duas outras palavras entre si, de modo que o sentido da primeira é completada pela segunda. As preposições subdividem-se

Leia mais

Odilei França. Este material é parte integrante do acervo do IESDE BRASIL S.A., mais informações

Odilei França. Este material é parte integrante do acervo do IESDE BRASIL S.A., mais informações Odilei França Graduado em Letras pela Fafipar. Graduado em Teologia pela Faculdade Batista. Professor de Língua Portuguesa para concursos públicos há 22 anos. Sintaxe do período composto: parte I Conceitos

Leia mais

REVISÃO CONCEITOS GRAMATICAIS 9º ANO

REVISÃO CONCEITOS GRAMATICAIS 9º ANO REVISÃO CONCEITOS GRAMATICAIS 9º ANO Observe os exemplos... Marisa comprou um carro. São termos essenciais da oração: Sujeito É o termo da oração sobre quem se declara alguma coisa Predicado É tudo aquilo

Leia mais

COMPLEMENTOS PREPOSICIONADOS Aileda de Mattos Oliveira (FGS)

COMPLEMENTOS PREPOSICIONADOS Aileda de Mattos Oliveira (FGS) MORFOSSINTAXE COMPLEMENTOS PREPOSICIONADOS Aileda de Mattos Oliveira (FGS) ailedamo@oi.com.br Desde os primeiros ciclos escolares, por ocasião da iniciação do ensino da sintaxe, os alunos costumam receber

Leia mais

Funções gramaticais: Objeto direto e indireto. Luiz Arthur Pagani (UFPR)

Funções gramaticais: Objeto direto e indireto. Luiz Arthur Pagani (UFPR) Funções gramaticais: Objeto direto e indireto (UFPR) 1 1 Tradição gramatical termos essenciais, mas condicionados ao verbo: Objeto direto é o complemento transitivo direto, ou seja, o complemento que normalmente

Leia mais

Professor Marlos Pires Gonçalves

Professor Marlos Pires Gonçalves PERÍODO COMPOSTO As orações podem ser constituídas da seguinte forma: Períodos simples» são aqueles formados por uma só oração. Exemplo: O mar estava calmo. (Aparece apenas um verbo: estava. Logo, período

Leia mais

Gêneros Textuais Acadêmicocientíficos. 3/6/5AD836_1.jpg

Gêneros Textuais Acadêmicocientíficos.  3/6/5AD836_1.jpg Gêneros Textuais Acadêmicocientíficos http://images.quebarato.com.br/photos/thumbs/ 3/6/5AD836_1.jpg Olá, Pessoal, Vamos acompanhar mais uma aula da prof. Alessandra. Hoje falaremos sobre alguns gêneros

Leia mais

Revisão:Tipos de sujeito

Revisão:Tipos de sujeito Revisão:Tipos de sujeito Sujeito Simples: possui apenas um núcleo. Exemplos: - Deus é perfeito! - A cegueira lhe torturava os últimos dias de vida. Sujeito Composto: possui dois ou mais núcleos. Exemplos:

Leia mais

CURSO ON-LINE PORTUGUÊS TEÓRICO CURSO REGULAR PROFESSORA: CLAUDIA KOZLOWSKI

CURSO ON-LINE PORTUGUÊS TEÓRICO CURSO REGULAR PROFESSORA: CLAUDIA KOZLOWSKI AULA 6 - SINTAXE DE REGÊNCIA Hoje, trataremos do assunto em epígrafe SINTAXE DE REGÊNCIA. Há sempre nas orações elementos regentes e elementos regidos. Chamamos de regentes aos termos que pedem complemento

Leia mais

ELEMENTAR da LÍNGUA PORTUGUESA

ELEMENTAR da LÍNGUA PORTUGUESA GRAMÁTICA ELEMENTAR da LÍNGUA PORTUGUESA A. Gomes Ferreira J. Nunes de Figueiredo 2. CICLO Oo Introdução I. ONDE SE FALA A LÍNGUA PORTUGUESA II. A PALAVRA. A FRASE. SINTAXE E MORFOLOGIA MATÉRIA DAS UNIDADES

Leia mais

Português. Predicação Verbal. Professor Arthur Scandelari.

Português. Predicação Verbal. Professor Arthur Scandelari. Português Predicação Verbal Professor Arthur Scandelari www.acasadoconcurseiro.com.br Português PREDICAÇÃO VERBAL PARTE 1 1. (FCC TRF-3 2016)... tanto o metódico Paul McCartney como o irrequieto John

Leia mais

Escrita (expressiva e lúdica) Texto narrativo Texto poético Texto descritivo Texto instrucional

Escrita (expressiva e lúdica) Texto narrativo Texto poético Texto descritivo Texto instrucional Escola Básica da Madalena Grelha de Conteúdos Língua Portuguesa 6º ano Ano letivo 2012 2013 1º PERIODO CONTEÚDOS Expressão Oral Exposição oral Texto oral Leitura expressiva Leitura coral Dramatização de

Leia mais

Professor Marlos Pires Gonçalves

Professor Marlos Pires Gonçalves COLOCAÇÃO PRONOMINAL Em relação ao verbo os pronomes oblíquos átonos (me, nos, te, vos, o, a, os, as, lhe, lhes, se) podem aparecer em três posições distintas: Antes do verbo PRÓCLISE; No meio do verbo

Leia mais

Prevenir a) Transitivo direto (= evitar dano, mal, etc): A prudência previne as desgraças.

Prevenir a) Transitivo direto (= evitar dano, mal, etc): A prudência previne as desgraças. Prevenir a) Transitivo direto (= evitar dano, mal, etc): A prudência previne as desgraças. b) Transitivo direto e indireto (= avisar com antecedência) Vou prevenir minha irmã de que Teresa de Jesus irá

Leia mais

ebook de Mapas Mentais para concursos públicos Autora: Terezinha N. Rêgo

ebook de Mapas Mentais para concursos públicos  Autora: Terezinha N. Rêgo ebook de Mapas Mentais para concursos públicos www.mapasequestoes.com.br Autora: Terezinha N. Rêgo Conteúdo Ortografia S, SS, Ç e Z... 3 Ortografia G/J e X/CH... 4 Emprego de palavras... 5 Hífen 01 Usa

Leia mais

SUJEITO + PRONOME RELATIVO + VERBO + COMPLEMENTO. Ex.: Este é o assunto que fiz referência semana passada.

SUJEITO + PRONOME RELATIVO + VERBO + COMPLEMENTO. Ex.: Este é o assunto que fiz referência semana passada. PREPOSIÇÃO Ordem Direta da Oração: Sujeito + verbo + Complemento Ex.: Todos gostam de carnaval. Todos gostam carnaval. PREPOSIÇÃO QUEM ALGO ALGUÉM ALGUMA COISA SUJEITO + PRONOME RELATIVO + VERBO + COMPLEMENTO

Leia mais

13) As expressões perto de e cerca de levam o verbo a concordar com o numeral. Ex.: Cerca de vinte pessoas estavam na loja.

13) As expressões perto de e cerca de levam o verbo a concordar com o numeral. Ex.: Cerca de vinte pessoas estavam na loja. 13) As expressões perto de e cerca de levam o verbo a concordar com o numeral. Ex.: Cerca de vinte pessoas estavam na loja. 14) Concordância com mais de e menos de. * Com numeral um: verbo no singular.

Leia mais

Próclise facultativa Há casos em que se pode usar indiferentemente próclise ou ênclise, próclise ou mesóclise. É o que se entende por próclise

Próclise facultativa Há casos em que se pode usar indiferentemente próclise ou ênclise, próclise ou mesóclise. É o que se entende por próclise Próclise facultativa Há casos em que se pode usar indiferentemente próclise ou ênclise, próclise ou mesóclise. É o que se entende por próclise facultativa ou optativa.._ Com os substantivos. Ex.: O garoto

Leia mais

Usa-se ainda, neste caso, sujeito antes do verbo ou a palavra interrogativa no fim da oração: De quem você falava? Ele comprou o quê?

Usa-se ainda, neste caso, sujeito antes do verbo ou a palavra interrogativa no fim da oração: De quem você falava? Ele comprou o quê? Usa-se ainda, neste caso, sujeito antes do verbo ou a palavra interrogativa no fim da oração: De quem você falava? Ele comprou o quê? 7. ) Nas orações exclamativas, de sentido optativo ou não, é frequente

Leia mais

Sumário. Capítulo 1 Comunicação 1

Sumário. Capítulo 1 Comunicação 1 Sumário Capítulo 1 Comunicação 1 1.1 Elementos da comunicação 1 1.2 Linguagem, língua e fala 1 1.3 Significante e significado 2 1.4 Língua escrita e falada 2 1.5 Modalidades da língua 2 1.6 Funções da

Leia mais

ESTÁGIO EM ENSINO DE ANÁLISE LINGUÍSTICA

ESTÁGIO EM ENSINO DE ANÁLISE LINGUÍSTICA ESTÁGIO EM ENSINO DE ANÁLISE LINGUÍSTICA AULA 04: PROPOSTAS DIDÁTICO-PEDAGÓGICAS PARA O ENSINO-APRENDIZAGEM DE ANÁLISE LINGUÍSTICA LIÇÃO 1 REGÊNCIA (Adaptada de uma atividade elaborada para alunos do 9º

Leia mais