Igreja da Penha de França, vista da avenida Almirante Reis (c. 1900)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Igreja da Penha de França, vista da avenida Almirante Reis (c. 1900)"

Transcrição

1 Igreja da Penha de França, vista da avenida Almirante Reis (c. 1900) Projeto dirigido à população idosa e que tem como objetivo recuperar, preservar e divulgar histórias de vida, testemunhos, relatos e memórias importantes sobre os bairros e freguesias de Lisboa.

2 A biblioteca pública deve ser uma instituição chave na comunidade, para recolha, preservação e promoção da cultura local em toda a sua diversidade. Diretrizes da IFLA sobre os serviços da biblioteca pública (2013)

3 As bibliotecas de Lisboa serão importantes parceiras na promoção da cidadania, da multiculturalidade, bem como da inclusão de culturas minoritárias, dos cidadãos com necessidades especiais e idosos. Programa estratégico biblioteca XXI (2012) CML

4 Território Histórias de vida Memória (individual / coletiva) Património (material / imaterial)

5 Território Pode assumir quatro dimensões: a) política, como espaço delimitado fisicamente e controlado políticoadministrativamente; b) cultural, em que o território é entendido como produto histórico, de apropriação/construção cultural e subjetiva de grupos humanos em relação ao espaço que habitam; c) económica, na qual o território aparece como fonte de recursos e de forças produtivas que se traduzem em lutas de classe e conflitos sociais; d) naturalista, baseada na ideia do território a partir das relações que se estabelecem entre a sociedade e a natureza e entre o homem e o meio ambiente.

6 Histórias de Vida São narrativas na primeira pessoa, que traduzem o percurso individual, único e irrepetível de cada um. Nelas se expressa, a partir da sua perspetiva e à luz da sua experiência, o processo vivido por cada ser humano, em que este se propõe narrar as várias etapas da sua vida.

7 Memória (individual / coletiva) A memória individual é aquela que é guardada pela pessoa e refere-se às suas próprias vivências e experiências, mas que contém também aspetos da memória do grupo onde se formou, isto é, onde cresceu e foi socializada. A memória coletiva pode ser definida como a memória de um grupo (família, classe social, grupo religioso, étnico ou outro), passada, normalmente, de geração em geração, assegurando a sua continuidade no espaço e no tempo. A memória coletiva é composta por factos, acontecimentos, valores e outros elementos que esse grupo considera relevantes e compartilha entre os seus membros.

8 Fonte:

9 Compreender as transformações (urbanísticas, sociais, económicas, culturais) de determinado território (bairros e freguesias de Lisboa) através das histórias de vida / biografia das pessoas (mais idosas) que nele habitam.

10 Ampliar e fortalecer o trabalho e serviços das BLX junto da população mais idosa, através da recolha, preservação e divulgação de histórias de vida; Estimular a reflexão em torno do património (material e imaterial) e valorizar esse mesmo património; Criar recursos de informação de base oral mediante o registo vídeo de entrevistas; Implementar um arquivo digital de documentos (fotografias, correspondência, diários, materiais impressos, vídeos); Contribuir para a diminuição do isolamento e solidão da população idosa residente nos bairros e freguesias de Lisboa.

11 1 Convocatória Identificar parceiros estratégicos Contactar entidades / pessoas individuais Sensibilizar a comunidade para preservação e valorização da memória coletiva

12 2 Oficinas comunitárias da memória Sessões de grupo Linha do tempo Materiais usados Hora do chá

13 2 Oficinas comunitárias da memória Sessões de grupo Dinamizadas por elementos da biblioteca. Pretende-se criar durante estas sessões um espaço de diálogo e partilha de memórias e afetos. Da parte dos facilitadores espera-se uma escuta ativa e um interesse genuíno pela história de vida de cada idoso. É nestas sessões que se identificam potenciais entrevistados e se cria uma relação de proximidade e um vínculo de confiança fundamental para a recolha de elementos biográficos, o acesso aos arquivos pessoais e o sucesso das entrevistas.

14 2 Oficinas comunitárias da memória Linha do tempo A linha do tempo é um instrumento que permite fazer um mapeamento rápido de alguns elementos biográficos dos participantes (data e local de nascimento, profissões, mudanças de residência, etc.). Facilita a apresentação dos participantes junto dos outros elementos e a sua integração no grupo.

15 2 Oficinas comunitárias da memória Materiais usados Cada oficina desenvolve-se em torno de um tema relacionado com o património (material ou imaterial) do bairro / freguesia em que é preparada uma breve apresentação em PowerPoint. São usados fotografias antigas, recortes de jornais e revistas, vídeos, músicas e objetos capazes de despertar memórias

16 2 Oficinas comunitárias da memória Hora do chá É importante associar rituais a estas sessões. Por isso, cada oficina termina com chá e bolinhos, momento informal em que se aprofundam mais memórias e se partilham afetos

17 3 Arquivo digital Recolha de documentos Descrição, digitalização e organização dos documentos Produção de registos vídeo

18 3 Arquivo digital Recolha de documentos Fotografias, correspondência, diários, documentos oficiais, recortes de jornais e revistas, registos sonoros, vídeos, objetos pessoais, etc. Descrição, digitalização e organização dos documentos.

19 3 Arquivo digital Produção de registos vídeo Realização de entrevistas semi-estruturadas mediante um guião que estabelece um plano em que são explorados momentos e etapas relevantes tanto da vida do entrevistado como da vida do bairro / freguesia. https://www.youtube.com/watch?v=1fxuziqahs8&list=plk7rgp8qnexttylljecda_otcxc7cyywx&index=2

20 3 Arquivo digital Produção de registos vídeo Guião (estrutura-base) 1. Infância - Alguns pontos-chave: Nascimento: data, lugar, primeiras recordações; Pais / Irmãos / Família: descrição, relação, aspetos relevantes; Jogos, brinquedos, escola, doenças, etc. 2. Adolescência e Juventude - Alguns pontos-chave: Mudanças físicas e afetivas (mudança de escola, de residência, de família, etc.); Tempos livres, primeiro trabalho, amores, amizades; Relação com os adultos (pais, família, professores, etc.). 3. Idade adulta - Alguns pontos-chave: Trabalho : trabalhos mais importantes / profissões, relações laborais; Relações amorosas: namorados, casamento, vida conjugal; Vida doméstica: condições de habitabilidade, higiene pessoal, alimentação, educação dos filhos; Condição feminina: sexualidade, planeamento familiar, maternidade, separação e divórcio; Saúde: problemas de saúde mais frequentes, acesso à saúde, tratamentos; Tempos livres: divertimentos e passatempos, festas e tradições.

21 3 - Arquivo digital Produção de registos vídeos Temáticas propostas Lugares, monumentos e edifícios (inclui ruas, edifícios, praças, jardins, mercados, feiras, santuários e outros espaços simbólicos onde se concentravam e reproduziam práticas culturais coletivas). Religião, celebrações, rituais e festas (inclui práticas e acontecimentos festivos de natureza religiosa, mas também pagã ou civil, bem como celebrações em dias especiais). Saber(es) fazer (inclui tradições, gastronomia, profissões e outros conhecimentos e modos de fazer enraizados no quotidiano das comunidades). Trabalho; Escola; Saúde; Tempos Livres; Vida doméstica; Alimentação; Vestuário; Corpo e sexualidade (inclui aspetos da vida quotidiana, da organização social e da história das mentalidades). Migrações (emigração, imigração, êxodo rural do campo para a cidade).

22 4 Divulgação e circulação Momento fundamental em que a biblioteca torna visível junto da comunidade o trabalho realizado e se desenvolve um novo ciclo reinterpretação e rememoração.

23

24 Velho que morre, biblioteca que arde. Provérbio africano.

Escola Básica do 1º Ciclo de Caia e Nave Longa

Escola Básica do 1º Ciclo de Caia e Nave Longa Escola Básica do 1º Ciclo de Caia e Nave Longa Regresso à Escola "Baptismo" Facilitar a integração dos alunos e encarregados 01-09-2004 Alunos dos alunos do 1.ºano de educação na comunidade escolar Quadros

Leia mais

Disciplina de Cidadania 6º Ano Turma A

Disciplina de Cidadania 6º Ano Turma A Disciplina de Cidadania 6º Ano Turma A Conteúdos programáticos e aulas previstas 1º 2º 3º TOTAIS Nº de aulas previstas 13 12 9 34 Nº de aulas para apresentação e autoavaliação 2 1 1 4 Nº de aulas para

Leia mais

Plano desenvolvimento social

Plano desenvolvimento social Plano desenvolvimento social 2014-2016 Área Intervenção I FAMÍLIA (HABITAÇÃO/EDUCAÇÃO) - Problemas ao nível do parque habitacional; - Falta de expetativas/ objetivos ao nível educativo; - Défice de competências

Leia mais

Plano de Atividades 2017

Plano de Atividades 2017 Plano de Atividades 2017 www.santomamede-ipss.org santomamede@sapo.pt "Definimos a animação de idosos como a maneira de atuar em todos os campos de desenvolvimento da qualidade de vida dos mais velhos,

Leia mais

INTRODUÇÃO PRIMEIRA APROXIMAÇÃO AO PATRIMÓNIO IMATERIAL

INTRODUÇÃO PRIMEIRA APROXIMAÇÃO AO PATRIMÓNIO IMATERIAL INTRODUÇÃO PRIMEIRA APROXIMAÇÃO AO PATRIMÓNIO IMATERIAL Certamente já ouviste falar de Património Cultural, isto é, do conjunto de elementos de uma cultura, produzidos ao longo dos tempos, que recebemos

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO Comissão Social de Freguesia de Odivelas. Aderentes à Comissão Social de Freguesia de Odivelas

PLANO DE ACÇÃO Comissão Social de Freguesia de Odivelas. Aderentes à Comissão Social de Freguesia de Odivelas Um Plano de Acção consiste num instrumento componente do Plano de Desenvolvimento Social, que define sistematicamente, as acções a desenvolver, o cronograma, os parceiros responsáveis e os recursos. 1

Leia mais

Associação dos Amigos da Ludoteca Parque Infantil Jardim Público Évora. Plano Anual de Atividades 2016

Associação dos Amigos da Ludoteca Parque Infantil Jardim Público Évora. Plano Anual de Atividades 2016 dos Amigos da Ludoteca Parque Infantil Jardim Público 7000 763 Évora Plano Anual de Atividades 2016 dos Amigos da Ludoteca de Évora Introdução A dos Amigos da Ludoteca, em parceria com a Câmara Municipal

Leia mais

Centro Social de Santa Maria de Sardoura Plano Anual de Atividades - Prolongamento Escolar

Centro Social de Santa Maria de Sardoura Plano Anual de Atividades - Prolongamento Escolar Ano Letivo: 2015 /2016 Data Comemoração Objetivos Atividades/Local Recursos Humanos e Materiais (Internos/Externos) Observações 01 a 30 de setembro Receção e integração das crianças Promover o conhecimento

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES PLANO DE ATIVIDADES 2016/2017

PLANO DE ATIVIDADES PLANO DE ATIVIDADES 2016/2017 PLANO DE ATIVIDADES 2016/2017 O Plano Anual de Atividades deve ser entendido como o instrumento da planificação das Atividades escolares, para um ano letivo, no qual estão plasmadas as decisões sobre os

Leia mais

PAA 2016/17 PLANO ANUAL DE ATIVIDADES

PAA 2016/17 PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Agrupamento de Escolas de Cabeceiras de Basto PAA 2016/17 PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 1º Período BM BE - Desenvolver nas crianças o espírito crítico, de responsabilidade, a autonomia, a cri e a capacidade

Leia mais

Plano Anual de Actividades do Pré Escolar

Plano Anual de Actividades do Pré Escolar Plano Anual de s do Á época III Quadro do Plano Anual de s Dia 10 Setembro Reunião de Encarregados de Educação Sensibilizar ao Pais para acompanhar e valorizar o ensino Educadora s; ; Encarregados de Educação

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Jardim de Infância

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Jardim de Infância PL ANUAL DE ATIVIDADES Jardim de Infância LETIVO 2016/2017 Para além do trabalho previsto no projeto de sala, não podemos deixar de referir algumas atividades que surgem como comemoração de algumas datas

Leia mais

1.1. Creche Objectivos gerais

1.1. Creche Objectivos gerais 1.1. Creche 1.1.1. Objectivos gerais Os processos de ensino e aprendizagem deverão contribuir nesta primeira etapa da Educação para a Infância, para que as crianças alcancem os seguintes objectivos: -

Leia mais

Sala: 24 aos 36 meses - Sala de 2 ano (2) Educadora: Sofia Rodrigues

Sala: 24 aos 36 meses - Sala de 2 ano (2) Educadora: Sofia Rodrigues Sala: 24 aos 36 meses - Sala de 2 ano (2) Educadora: Sofia Rodrigues SETEMBRO A minha Escola Conhecer a sala Vamos conhecer o outro Conhecer os diferentes espaços da instituição, regras da sala e da escola

Leia mais

Plano Anual de Atividades Centro de Dia/Centro de Convívio/SAD

Plano Anual de Atividades Centro de Dia/Centro de Convívio/SAD Mês Temas Objetivos Atividades Intervenientes Facilitar a integração dos Identificação das necessidades dos Utentes Adaptação dos utentes/clientes no meio utentes/clientes; Equipa Técnica utentes/clientes

Leia mais

Plano Anual de Atividades. Mês Atividade/Tarefa Objetivos Intervenientes

Plano Anual de Atividades. Mês Atividade/Tarefa Objetivos Intervenientes Mês Atividade/Tarefa Objetivos Intervenientes Setembro Integração e adaptação das Crianças Reunião de pais - Promover a (re)integração e adaptação das crianças à creche; - Proporcionar um ambiente que

Leia mais

Plano de atividades 3ª Idade - Janeiro a Agosto de 2017

Plano de atividades 3ª Idade - Janeiro a Agosto de 2017 Plano de atividades 3ª Idade - Janeiro a Agosto de 2017 Atividades Descrição Periodicidade Local Objetivos Recursos Humanos Comemoração dos aniversários dos utentes Realização de um lanche convivio, com

Leia mais

Turismo Histórico-Cultural. diretrizes para o desenvolvimento Ministério do Turismo

Turismo Histórico-Cultural. diretrizes para o desenvolvimento Ministério do Turismo Turismo Histórico-Cultural diretrizes para o desenvolvimento Ministério do Turismo Proposta de Recorte para a Conceituação de Turismo Cultural l o MTur, em parceria com o Ministério da Cultura e o IPHAN,

Leia mais

Plano Anual de Atividades Sociopedagógicas C. A. T. L.

Plano Anual de Atividades Sociopedagógicas C. A. T. L. Ano Letivo: 2015/2016 Data Comemoração Objetivos Atividades/Local 1 a 30 de setembro Receção e integração das crianças Promover o conhecimento entre colegas; Conhecer as regras do C.A.T.L; Conhecer os

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES - ANUAL

PLANO DE ATIVIDADES - ANUAL MÊS ATIVIDADE OBSERVAÇÕES Janeiro Dia 6 Dia de reis -Cantar as janeiras - Relembrar hábitos, costumes, vivências e experiências - Promover o convívio intergeracional Fevereiro Março Dia 13 Visita Pastoral

Leia mais

Centro Social Monsenhor Júlio Martins

Centro Social Monsenhor Júlio Martins Centro Social Monsenhor Júlio Martins Plano Anual de Atividades 2014/2015 Tema do Projeto Educativo: Brincar a Aprender Tema do Projeto Curricular de Turma: Descobrir com as emoções Sala dos 3,4 e 5 anos

Leia mais

Rede Social de Vila Nova de Famalicão 2013 Ano Europeu dos Cidadãos Famalicão promove Fóruns Comunitários nas Comissões Sociais Inter- Freguesias

Rede Social de Vila Nova de Famalicão 2013 Ano Europeu dos Cidadãos Famalicão promove Fóruns Comunitários nas Comissões Sociais Inter- Freguesias Rede Social de Valongo Pais, Mães & Companhia Rede Social de Aveiro Sessões de Sensibilização entre pares na área das demências Rede Social da Covilhã Efemérides e Atividades Atividades 2013 Ano Europeu

Leia mais

Centro de Dia e Convivio. Plano de atividades 2017

Centro de Dia e Convivio. Plano de atividades 2017 Centro de Dia e Convivio Plano de atividades 17 Os Centro de dia e Convivio constituem respostas sociais implementadas com o objetivo de contribuírem para a manutenção das pessoas no seu meio habitacional

Leia mais

Plano Estratégico para a Terceira Idade do Concelho de Santa Maria da Feira ( ) Programa

Plano Estratégico para a Terceira Idade do Concelho de Santa Maria da Feira ( ) Programa Seminário: Os desafios do Envelhecimento Activo Inovar no presente e planear o futuro Plano Estratégico para a Terceira Idade do Concelho de Santa Maria da Feira (2008-2011) Programa e-mili@ Cristina Ribeiro

Leia mais

MEALHADA DEDICA SEMANA AO COMBATE À POBREZA E EXCLUSÃO SOCIAL

MEALHADA DEDICA SEMANA AO COMBATE À POBREZA E EXCLUSÃO SOCIAL MEALHADA DEDICA SEMANA AO COMBATE À POBREZA E EXCLUSÃO SOCIAL A Câmara Municipal da Mealhada vai dedicar a semana de 15 a 22 de outubro ao combate à pobreza e à exclusão social, promovendo diversas iniciativas,

Leia mais

OBJETIVOS ATIVIDADES INTERVENIENTES ESPAÇO

OBJETIVOS ATIVIDADES INTERVENIENTES ESPAÇO CALENDARIZAÇÃO E TEMÁTICA Setembro / Outubro Integração das crianças no Outubro / Novembro O Outono Outubro Dia Mundial da Alimentação OBJETIVOS ATIVIDADES INTERVENIENTES ESPAÇO - Organizar o ambiente

Leia mais

Centro Social de Santa Maria de Sardoura Plano Anual de Atividades Prolongamento Escolar

Centro Social de Santa Maria de Sardoura Plano Anual de Atividades Prolongamento Escolar Data Comemoração Objetivos Atividades/Local 1 a 30 de setembro Receção e integração das crianças Bem-vindos Promover o conhecimento entre colegas; Conhecer as regras do Prolongamento; Conhecer os diferentes

Leia mais

Plano Anual de Actividades do ATL 2016/2017

Plano Anual de Actividades do ATL 2016/2017 Setembro Acolhimento das crianças Organização dos espaços Regras e rotinas Promover a adaptação e readaptação das crianças Criar laços de afecto e confiança entre os adultos, as crianças e as famílias

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES 2010/2011

PLANO DE ACTIVIDADES 2010/2011 PLANO DE ACTIVIDADES 2010/2011 O Plano Anual de Actividades deve ser entendido como o instrumento da planificação das actividades es, para um ano lectivo, no qual estão plasmadas as decisões sobre os objectivos

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS (EMRC) (5ºANO) Unidade letiva 1 (Viver Juntos) Mudar faz parte da vida Os grupos a que pertenço Deus estabelece uma relação com a humanidade A aliança condição facilitadora da relação entre as partes A

Leia mais

Agrupamento De Escolas Bartolomeu Gusmão E.B.1. Rainha Sta. Isabel

Agrupamento De Escolas Bartolomeu Gusmão E.B.1. Rainha Sta. Isabel Agrupamento De s Bartolomeu Gusmão E.B.1. Rainha Sta. Isabel 1 Introdução Planos anual e plurianual de actividades documentos de planeamento, que definem, em função do projecto educativo, os objectivos,

Leia mais

EMPREENDEDO- RISMO E EMPREGABILIDADE

EMPREENDEDO- RISMO E EMPREGABILIDADE EMPREENDEDO- RISMO E EMPREGABILIDADE Programa de Ocupação de Jovens (POJ) Descrição: Programa que proporciona a jovens experiências iniciais de contacto com o mercado de trabalho facilitando o desenvolvimento

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANTÓNIO SÉRGIO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANTÓNIO SÉRGIO Promover a Cidadania e a Educação Multicultural, desenvolvendo as valências conducentes à construção da Escola Inclusiva; ATIVIDADES ANUAIS - OBJETIVO 1 Atividade P.E.A. Objetivos Responsáveis Destinatários

Leia mais

Ressignificação da juventude

Ressignificação da juventude Ressignificação da juventude Seminário de Integração Favela-Cidade Regina Novaes. maio de 2012 MESA 5: Ressignificação da juventude A proliferação de atividades ilegais e o constante isolamento das favelas

Leia mais

Programa Rede Social Nisa PLANO DE AÇÃO Câmara Municipal de Nisa. Praça do Município Nisa Telefone

Programa Rede Social Nisa PLANO DE AÇÃO Câmara Municipal de Nisa. Praça do Município Nisa Telefone PLANO DE AÇÃO 2017 NOTA PRÉVIA Decorrente do processo de atualização do diagnóstico social e do plano de desenvolvimento social, da Rede Social do Concelho de Nisa e numa perspetiva de continuidade em

Leia mais

> Serviço Educativo. Atividades Visitas Oficinas

> Serviço Educativo. Atividades Visitas Oficinas > Serviço Educativo Atividades Visitas Oficinas O Arquivo Municipal de Lisboa guarda documentos sobre a história e a administração da cidade de Lisboa, desde o século XIII até à atualidade. Nele se reúne,

Leia mais

MATRIZ DE REFERÊNCIA DE HISTÓRIA - ENSINO FUNDAMENTAL

MATRIZ DE REFERÊNCIA DE HISTÓRIA - ENSINO FUNDAMENTAL D1 Identificar a constituição de identidades culturais em diferentes contextos Identificar as diferentes representações sociais e culturais no espaço paranaense no contexto brasileiro. Identificar a produção

Leia mais

MAPEAMENTO SOCIOCULTURAL

MAPEAMENTO SOCIOCULTURAL ZL VÓRTICE MAPEAMENTO SOCIOCULTURAL em parceria com o SESC ZL VÓRTICE MAPEAMENTO SOCIOCULTURAL O PERIGO DA HISTÓRIA ÚNICA Se ouvimos somente uma única história sobre uma outra pessoa ou país, corremos

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO E DIVERSIDADE Diretoria de Educação Integral, Direitos Humanos e Cidadania

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO E DIVERSIDADE Diretoria de Educação Integral, Direitos Humanos e Cidadania MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO E DIVERSIDADE Diretoria de Educação Integral, Direitos Humanos e Cidadania UMA ESTRATÉGIA PARA IMPLANTAR A EDUCAÇÃO INTEGRAL NO BRASIL

Leia mais

Plano Anual de Atividades 2016/2017 CENTRO SOCIAL E COMUNITÁRIO DA VARZIELA Creche (Sala 2)

Plano Anual de Atividades 2016/2017 CENTRO SOCIAL E COMUNITÁRIO DA VARZIELA Creche (Sala 2) CALENDARIZAÇÃO TEMA OBJETIVOS ATIVIDADES RECURSOS HUMANOS RECURSOS MATERIAIS AVALIAÇÃO - Conhecer a Instituição, os - educandos, os docentes e funcionários; Setembro Abertura do Ano Letivo - Fomentar a

Leia mais

PLANO DE CURSO. ENSINO: Ensino Religioso ANO: 2016 PROFESSOR (A): Elâine Cristina Bento

PLANO DE CURSO. ENSINO: Ensino Religioso ANO: 2016 PROFESSOR (A): Elâine Cristina Bento Escola Estadual Virgínio Perillo venida José Bernardes Maciel, 471 Marília, Lagoa da Prata-MG Fone: (37) 3261-3222 E-mail: escolavirginioperillo@gmail.com PLNO DE CURSO ENSINO: Ensino Religioso NO: 2016

Leia mais

Plano Anual de Atividades 2016/ 2017

Plano Anual de Atividades 2016/ 2017 Plano Anual de Atividades 2016/ 2017 Setembro Dia 02 Para além de criar um Acolhimento em cada sala, Receção das crianças ambiente acolhedor, fazer de cada criança, dando-lhe a sentir às crianças o conhecer

Leia mais

Foto Carga Horária: 15h presenciais. Facilitador: Sandro Barros. Objetivo:

Foto Carga Horária: 15h presenciais. Facilitador: Sandro Barros. Objetivo: Foto Calabor@tiva Carga Horária: 15h presenciais Facilitador: Sandro Barros Objetivo: O objetivo é estimular crianças e jovens a utilizar a linguagem fotográfica como elemento alternativo e visual, despertando

Leia mais

1º ANO HISTÓRIA SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO DE CURITIBA DEPARTAMENTO DE ENSINO FUNDAMENTAL GERÊNCIA DE CURRÍCULO

1º ANO HISTÓRIA SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO DE CURITIBA DEPARTAMENTO DE ENSINO FUNDAMENTAL GERÊNCIA DE CURRÍCULO 1º ANO 1. Reconhecer a si e ao outro nas relações que se estabelecem nos diferentes grupos sociais com os quais convive, percebendo as diferenças individuais. SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO DE CURITIBA

Leia mais

DICAS - Dinâmicas Comunitárias de Ativação Social

DICAS - Dinâmicas Comunitárias de Ativação Social ADILO PLANO DE AÇÃO CLDS 3G Lordelo do Ouro e Massarelos DICAS - Dinâmicas Comunitárias de Ativação Social 2016-2018 Eixo de Intervenção Objetivos Gerais por Eixo de Intervenção N.º Objetivo Descrição

Leia mais

O QUE AS PEDRAS NOS CONTAM

O QUE AS PEDRAS NOS CONTAM Outubro de 2015 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE LOUSADA O QUE AS PEDRAS NOS CONTAM Referencial APRENDER COM A BIBLIOTECA ESCOLAR 2015/2016 Aprender com a biblioteca escolar: O que as pedras nos contam 1 Porque

Leia mais

Programa BIP/ZIP 2016

Programa BIP/ZIP 2016 Programa BIP/ZIP 2016 FICHA DE CANDIDATURA Refª: 051 BOUTIQUE DO BAIRRO Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 Lisboa Telefone:

Leia mais

ARTE, HISTÓRIA E CULTURA

ARTE, HISTÓRIA E CULTURA 7 ARTE, HISTÓRIA E CULTURA Penas para que te quero (1) Descrição: Apresentação do arquivo e dos suportes de escrita, complementada com uma oficina de escrita durante a qual os participantes copiam e iluminam

Leia mais

Programa Referencial de MUNDO ACTUAL. Introdução

Programa Referencial de MUNDO ACTUAL. Introdução Programa Referencial de MUNDO ACTUAL Introdução 1. Finalidades Os referenciais de Mundo Actual constituem um programa que se pretende aberto e adaptável à especificidade de cada grupo e que tem, como grande

Leia mais

Integridade Familiar na velhice: o caso de ex-emigrantes Portugueses

Integridade Familiar na velhice: o caso de ex-emigrantes Portugueses Integridade Familiar na velhice: o caso de ex-emigrantes Portugueses Filipa Marques e Liliana Sousa Secção Autónoma de Ciências da Saúde - Universidade de Aveiro II Congresso Internacional A voz dos avós:

Leia mais

DEPARTAMENTO PRÉ-ESCOLAR - PLANIFICAÇÃO DAS ATIVIDADES

DEPARTAMENTO PRÉ-ESCOLAR - PLANIFICAÇÃO DAS ATIVIDADES 0 DEPARTAMENTO PRÉ-ESCOLAR - PLANIFICAÇÃO DAS ATIVIDADES Na planificação das atividades daremos continuidade ao projeto Crescer, Brincar e Aprender, do Departamento Pré Escolar que se concretizará também

Leia mais

Sala: 24 aos 36 meses - Sala de 2 ano (1) Educador: Gilberto do Carmo. Infância

Sala: 24 aos 36 meses - Sala de 2 ano (1) Educador: Gilberto do Carmo. Infância Sala: 24 aos 36 meses - Sala de 2 ano (1) Educador: Gilberto do Carmo Infância CALENDARIZAÇÃO TEMAS/CONTEÚDOS OBJETIVOS ATIVIDADES RECURSOS SETEMBRO Receção Medieval A Escola A sala Promover a integração

Leia mais

Outubro de 2015 AGRUPAMENTO LOUSADA DE ESCOLAS DE

Outubro de 2015 AGRUPAMENTO LOUSADA DE ESCOLAS DE Outubro de 2015 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE LOUSADA O QUE AS PEDRAS NOS CONTAM Referencial APRENDER COM A BIBLIOTECA ESCOLAR 2015/2016 1 Porque os poetas místicos dizem que as flores sentem E dizem que as

Leia mais

Associação de Pais, Encarregados de Educação e Amigos dos Alunos da EB1/JI de Pinhal de Frades. Plano de Actividades 2012/2013

Associação de Pais, Encarregados de Educação e Amigos dos Alunos da EB1/JI de Pinhal de Frades. Plano de Actividades 2012/2013 Setembro Recepção dos alunos (dias 03 a 07) Promover a integração/adaptação das crianças Desenvolver atitudes de auto-estima e auto-confiança Conhecer os colegas e a escola Conhecer as regras da sala Recepção

Leia mais

Seminário A infância em debate. Uma leitura a partir de Portugal: resposta educativa para as crianças dos 3 aos 6 anos. Salamanca 27 a 30 Abril 2015

Seminário A infância em debate. Uma leitura a partir de Portugal: resposta educativa para as crianças dos 3 aos 6 anos. Salamanca 27 a 30 Abril 2015 Seminário A infância em debate. Uma leitura a partir de Portugal: resposta educativa para as crianças dos 3 aos 6 anos. Salamanca 27 a 30 Abril 2015 Amélia de Jesus Marchão ameliamarchao@esep.pt 1 Objetivo

Leia mais

Plano Anual de Actividades

Plano Anual de Actividades Plano Anual de Actividades 2015/2016 Dia 02 de Setembro Dias 22 a 25 de Setembro Recepção das crianças à escola Reunião de pais e Encarregados de Educação Promover a integração das crianças que frequentam

Leia mais

DIA DOS AVÓS. Newsletter n.º

DIA DOS AVÓS. Newsletter n.º Newsletter n.º 7 2017 DIA DOS AVÓS A 26 de julho, a celebração do Dia dos Avós no Município reforça o lema Palmela- Município de todas as IDADES e reconhece a importância das Memórias, Histórias, Afetos

Leia mais

OS ARQUIVOS AO SERVIÇO

OS ARQUIVOS AO SERVIÇO OS ARQUIVOS AO SERVIÇO DA REABILITAÇÃO URBANA Os arquivos ao Serviço da Reabilitação Urbana - Sónia Negrão / Isabel Valverde Os arquivos ao Serviço da Reabilitação Urbana - Sónia Negrão / Isabel Valverde

Leia mais

REDE DE PONTOS DE CULTURA DE GOVERNADOR VALADARES - MG

REDE DE PONTOS DE CULTURA DE GOVERNADOR VALADARES - MG TÍTULO DO PROJETO Área Predominante: (Marque um x nas áreas que seu projeto mais se identifica) CULTURAS POPULARES ( ) Tradição Oral ( ) Artesanato ( ) Manifestações culturais ( ) Contador de Histórias

Leia mais

Projeto Curricular do 1.º Ciclo

Projeto Curricular do 1.º Ciclo Projeto Curricular do 1.º Ciclo Tema Caminha de mãos dadas com o Amor 1 Externato de Santa Joana 2016-2017 Introdução Este ano letivo 2016-2017 foi definido o seguinte tema geral: Com Maria refazer o caminho

Leia mais

PLANO DE CURSO DISCIPLINA:História ÁREA DE ENSINO: Fundamental I SÉRIE/ANO: 2 ANO DESCRITORES CONTEÚDOS SUGESTÕES DE PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS

PLANO DE CURSO DISCIPLINA:História ÁREA DE ENSINO: Fundamental I SÉRIE/ANO: 2 ANO DESCRITORES CONTEÚDOS SUGESTÕES DE PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS UNIDADE 1 MUITO PRAZER, EU SOU CRIANÇA. *Conhecer e estabelecer relações entre a própria história e a de outras pessoas,refletindo sobre diferenças e semelhanças. *Respeitar e valorizar a diversidade étnico

Leia mais

Educação Patrimonial - Mais Educação VERSÃO PRELIMINAR. Ficha do Projeto. Título do Projeto: Nome da Escola/Bairro/Município/Estado.

Educação Patrimonial - Mais Educação VERSÃO PRELIMINAR. Ficha do Projeto. Título do Projeto: Nome da Escola/Bairro/Município/Estado. Ficha do Projeto Título do Projeto: Nome da Escola/Bairro/Município/Estado Foto da equipe: 1 Nome e idade dos integrantes da equipe: Nome do monitor: Nome dos professores participantes: Instituições participantes:

Leia mais

SUGESTÕES DE AVALIAÇÃO

SUGESTÕES DE AVALIAÇÃO UNIDADE 1 EU E OS OUTROS *Perceber a diversidade étnica física e de gênero no seu meio de convivência. *Reconhecer mudanças e permanências nas vivências humanas, presentes na sua realidade e em outras

Leia mais

Sumário. O que é um Centro de Referências?

Sumário. O que é um Centro de Referências? Sumário O que é um Centro de Referências? Plano de ação para o Grupo Nacional Cultura Infância Meta 1 - Fundo Nacional da Cultura Infância Meta 3 - Planos Estaduais Articulação com outras redes Articulação

Leia mais

Apresentação para Sala de Aula para alunos de 1ª a 4ª série

Apresentação para Sala de Aula para alunos de 1ª a 4ª série Apresentação para Sala de Aula para alunos de 1ª a 4ª série O que é Patrimônio Cultural? Patrimônio é constituído pelos bens materiais e imateriais que se referem à nossa identidade, nossas ações, costumes,

Leia mais

EIXO 1: EMPREGO, QUALIFICAÇÃO, EMPREENDEDORISMO E INICIATIVA LOCAL

EIXO 1: EMPREGO, QUALIFICAÇÃO, EMPREENDEDORISMO E INICIATIVA LOCAL EIXO 1: EMPREGO, QUALIFICAÇÃO, EMPREENDEDORISMO E INICIATIVA LOCAL Desenvolver as condições facilitadoras da criação de emprego, combate ao desemprego e incentivo à iniciativa local referente ao empreendedorismo

Leia mais

Plano Anual de Atividades das valências Creche e Jardim de Infância Ano Letivo 2014/2015

Plano Anual de Atividades das valências Creche e Jardim de Infância Ano Letivo 2014/2015 Plano Anual de Atividades das valências Creche e Jardim de Infância Ano Letivo 2014/2015 CALENDARIZAÇÃO ATIVIDADES OBJETIVOS RECURSOS HUMANOS Setembro: 01 - Início do ano letivo Preparar o ano letivo.

Leia mais

VOUZELA, um Património a Descobrir

VOUZELA, um Património a Descobrir Concurso Literário VOUZELA, um Património a Descobrir REGULAMENTO Preâmbulo de apresentação Considerando que a leitura e a escrita são competências e ferramentas fundamentais para o bem-estar das pessoas,

Leia mais

Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio Planificação Anual das Atividades Letivas

Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio Planificação Anual das Atividades Letivas Departamento Curricular: 1º ciclo Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio Ano de escolaridade:2º ano Ano letivo: 2015/2016 Oferta Complementar: Educação para a Cidadania Perfil do aluno à saída

Leia mais

Lisboa 2012 FICHA DE CANDIDATURA

Lisboa 2012 FICHA DE CANDIDATURA Lisboa 2012 Refª: 047 Reajustar Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 Lisboa Telefone: 21 322 73 60 Email - bip.zip@cm-lisboa.pt

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DE TRABALHOS COMUNICAÇÃO ORAL

PROGRAMAÇÃO DE TRABALHOS COMUNICAÇÃO ORAL PROGRAMAÇÃO DE TRABALHOS COMUNICAÇÃO ORAL 16/11 QUINTA-FEIRA ASCES-UNITA (CAMPUS II) 14h00-15:00 APRESENTAÇÃO COMUNICAÇÃO ORAL (Prédio Educação Física) GTT Lazer e Epistemologia Sala 201 1. A PRODUÇÃO

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Departamento da Educação Pré-Escolar Planificação Mensal Ano Letivo 2015/2016

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Departamento da Educação Pré-Escolar Planificação Mensal Ano Letivo 2015/2016 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Departamento da Educação Pré-Escolar Planificação Mensal Ano Letivo 2015/2016 MÊS: maio Área de Conteúdo Domínio Objetivos Estratégias Formação Pessoal e Social

Leia mais

Associação de Pais, Encarregados de Educação e Amigos dos Alunos da EB1/JI de Pinhal de Frades. Plano de Atividades 2016/2017

Associação de Pais, Encarregados de Educação e Amigos dos Alunos da EB1/JI de Pinhal de Frades. Plano de Atividades 2016/2017 Setembro Dias 01 a 04 de Setembro Receção e Integração dos alunos v Integrar/adaptar as crianças no CATL; v Desenvolver laços de relação entre criança/criança; equipa do CATL/crianças; v v Atividades relacionadas

Leia mais

Ensinar e aprender História na sala de aula

Ensinar e aprender História na sala de aula Ensinar e aprender História na sala de aula Séries iniciais do Ensino Fundamental Ensino de História nas séries iniciais do Ensino Fundamental Por que estudar História? Quais ideias os educandos possuem

Leia mais

Lisboa 2016 FICHA DE CANDIDATURA

Lisboa 2016 FICHA DE CANDIDATURA Lisboa 2016 Refª: 035 Escola de Avós e Netos Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 Lisboa Telefone: 21 322 73 60 Email -

Leia mais

Escola Básica do 1º Ciclo c/ Jardim de Infância do Reguengo

Escola Básica do 1º Ciclo c/ Jardim de Infância do Reguengo Escola Básica do 1º Ciclo c/ Jardim de Infância do Reguengo Actividades Recepção aos novos alunos - Promover a integração dos novos alunos; Início do ano lectivo 15/09/2003 algumas regras de convivência

Leia mais

Planificações 1º PERÍODO - 3/4 anos Educação Pré-escolar Ano lectivo 2016/2017

Planificações 1º PERÍODO - 3/4 anos Educação Pré-escolar Ano lectivo 2016/2017 Planificações 1º PERÍODO - 3/4 anos Educação Pré-escolar Ano lectivo 2016/2017 ÁREAS COMPONENTES OBJETIVOS ATIVIDADES/ESTRATÉGIAS ÁREA DA FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIA Construção da identidade e da auto estima

Leia mais

REGULAMENTO - INSCRIÇÃO DE FILMES IV Mostra de Filmes Memória em Movimento

REGULAMENTO - INSCRIÇÃO DE FILMES IV Mostra de Filmes Memória em Movimento REGULAMENTO - INSCRIÇÃO DE FILMES IV Mostra de Filmes Memória em Movimento - 2016 1- SOBRE A SEMANA FLUMINENSE DO PATRIMÔNIO A Mostra de Filmes Memória em Movimento é um evento integrante da Semana Fluminense

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2015/2016

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2015/2016 CALENDARIZAÇÃO ATIVIDADE OBJETIVOS RESPONSÁVEIS DESTINATÁRIOS 1º PERÍODO Setembro Acolhimento das crianças - Favorecer a integração e adaptação das crianças ao Centro Infantil; Setembro Reuniões de Pais

Leia mais

EDUCAÇÃO PATRIMONIAL: DIÁLOGOS DA MEMÓRIA COLETIVA NAS CONSTRUÇÕES SIMBÓLICAS

EDUCAÇÃO PATRIMONIAL: DIÁLOGOS DA MEMÓRIA COLETIVA NAS CONSTRUÇÕES SIMBÓLICAS EDUCAÇÃO PATRIMONIAL: DIÁLOGOS DA MEMÓRIA COLETIVA NAS CONSTRUÇÕES SIMBÓLICAS INTRODUÇÃO Maria Cristina Leandro de Oliveira Neves Ferreira Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia IFRN/NATAL

Leia mais

Escola Secundária Dr. Joaquim de Carvalho, Figueira da Foz

Escola Secundária Dr. Joaquim de Carvalho, Figueira da Foz PLANO ANUAL DE TRABALHO 20/205 9ºAno Código 070 Educação para a Cidadania 9º Ano Ano Letivo: 20/ 205 Plano Anual Competências a desenvolver Conteúdos Temas/Domínios Objetivos Atividades / Materiais 3 Períodos

Leia mais

Informativo. Mundo do Trabalho. Rede AICA. Percurso: Abril 2017

Informativo. Mundo do Trabalho. Rede AICA. Percurso: Abril 2017 Informativo Rede de Atendimento Integrado à Criança e ao Adolescente Rede AICA Abril 2017 www.redeaica.org.br facebook/redeaica (27) 3338-5575 Percurso: Mundo do Trabalho O conhecimento sobre o mundo do

Leia mais

FORMULÁRIO DAS AÇÕES DE EXTENSÃO

FORMULÁRIO DAS AÇÕES DE EXTENSÃO FORMULÁRIO DAS AÇÕES DE EXTENSÃO 1. IDENTIFICAÇÃO DA ORIGEM 1.1. TÍTULO DO PROJETO: Laboratório de História 1.2. CURSO: Interdisciplinar 1.3. IDENTIFICAÇÃO DO(A) PROFESSOR(A) /PROPONENTE 1.3.1. NOME: Edinéia

Leia mais

Agrupamento de Escolas José Maria dos Santos - Escola Básica Zeca Afonso Plano Anual de Atividades 2011/2012 Departamento do Pré escolar

Agrupamento de Escolas José Maria dos Santos - Escola Básica Zeca Afonso Plano Anual de Atividades 2011/2012 Departamento do Pré escolar Atividades Objetivos Intervenientes Recursos/Custos Calendário Avaliação Receção na sala de aula (cada sala será identificada por uma fruta) Apresentação das equipes de sala às crianças Exploração de materiais

Leia mais

Jardim de Infância Professor António José Ganhão

Jardim de Infância Professor António José Ganhão Jardim de Infância Professor António José Ganhão Jardim de Infância da Lezíria Jardim de Infância do Centro Escolar de Samora Correia Jardim de Infância do Centro Escolar de Porto Alto Jardim de Infância

Leia mais

Sala: CATL. Educadora: Helena Salazar Professora: Elisabete Oliveira

Sala: CATL. Educadora: Helena Salazar Professora: Elisabete Oliveira Sala: CATL Educadora: Helena Salazar Professora: Elisabete Oliveira CALENDARIZAÇÃO TEMAS/CONTEÚDOS OBJETIVOS ATIVIDADES SETEMBRO Receção e integração das crianças Conhecer os diferentes espaços da instituição

Leia mais

Externato de Santa Margarida. Rua Manuel Ribeiro de Almeida, 141 Quinta da Azenha S. Cosme- Gondomar Tel Fax.

Externato de Santa Margarida. Rua Manuel Ribeiro de Almeida, 141 Quinta da Azenha S. Cosme- Gondomar Tel Fax. Externato de Santa Margarida Rua Manuel Ribeiro de Almeida, 141 Quinta da Azenha 4420-195-S. Cosme- Gondomar Tel. 224830104 Fax. 224837223 Ano Letivo 2016/2017 Plano anual de atividades SETEMBRO Dia 2

Leia mais

Conteúdos Objetivos de aprendizagem Estratégias/Atividades Recursos Tempos

Conteúdos Objetivos de aprendizagem Estratégias/Atividades Recursos Tempos PLANIFICAÇÃO MÓDULOS CIDADANIA E MUNDO ATUAL CURSO EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO ANO LETIVO 17-18 MÓDULO B2 PARTICIPAÇÃO NA DEMOCRACIA: PARA QUE SERVEM OS PARTIDOS Conteúdos Objetivos de aprendizagem Estratégias/Atividades

Leia mais

Promover a inserção social de pessoas e grupos mais vulneráveis; Estimular o desenvolvimento de projectos de vida;

Promover a inserção social de pessoas e grupos mais vulneráveis; Estimular o desenvolvimento de projectos de vida; São nossos objectivos: 1ª fase: Promover a inserção social de pessoas e grupos mais vulneráveis; Alargar e consolidar a rede de parcerias de forma a fomentar e a criar novos recursos, propiciando condições

Leia mais

CALENDARIZAÇÃO ATIVIDADES OBJETIVOS RECURSOS HUMANOS/ FÍSICOS / PARCERIAS. Vivenciar tradições

CALENDARIZAÇÃO ATIVIDADES OBJETIVOS RECURSOS HUMANOS/ FÍSICOS / PARCERIAS. Vivenciar tradições Período de vigência: Ano letivo 2017/2018 CALENDARIZAÇÃO ATIVIDADES OBJETIVOS RECURSOS HUMANOS/ FÍSICOS / PARCERIAS Setembro: 01- Início do ano escolar - Início do ano letivo Preparar o ano letivo Criar

Leia mais

Projeto Pedagógico de Sala Sala dos Mimos - Berçário

Projeto Pedagógico de Sala Sala dos Mimos - Berçário ASSOCIAÇÃO PARA A PROMOÇÃO E DINAMIZAÇÃO DE APOIO À FAMÍLIA Creche O Cantinho dos Mimocas Projeto Pedagógico de Sala Sala dos Mimos - Berçário A Sentir, a Bri ncar e a Partilhar, o mundo v amos explorar!

Leia mais

JANEIRO EXTERNATO DO PARQUE PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2013/2014. Local. Data Ações a desenvolver Turmas envolvidas 6 jan. Início do 2º período

JANEIRO EXTERNATO DO PARQUE PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2013/2014. Local. Data Ações a desenvolver Turmas envolvidas 6 jan. Início do 2º período JANEIRO Turmas envolvidas 6 jan. Início do 2º período Receção dos alunos e diálogo sobre as férias de Natal Elaboração de um texto sobre as mesmas Prof./Educ. e Responsáveis Dia de Reis Comemoração desta

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2017/2018 REV. 00

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2017/2018 REV. 00 Atividades Valências dinamizadoras Calendarização Objetivos Recursos humanos Recursos materiais Adaptação das crianças Jogos de movimento e jogos de socialização Favorecer o desenvolvimento da auto-estima

Leia mais

Plano Anual de Atividades Jardim de Infância. 1º período. Humana

Plano Anual de Atividades Jardim de Infância. 1º período. Humana Plano Anual Atividas Jardim Infância 1º período Ativida/ Ação Visita Estudo Abertura do ano letivo Dia Mundial da Alimentação Dia Internacional Eco-Escolas Objetivos Estratégicos Dimensão Académica Conduzir

Leia mais

REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS

REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS PRIORIDADE DE INVESTIMENTO: INVESTIMENTO NA CONSERVAÇÃO, PROTECÇÃO, PROMOÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO PATRIMÓNIO CULTURAL

Leia mais

Projeto Pedagógico de Sala

Projeto Pedagógico de Sala APDAF ASSOCIAÇÃO PARA A PROMOÇÃO E DINAMIZAÇÃO DE APOIO À FAMÍLIA Creche O Cantinho dos Mimocas Projeto Pedagógico de Sala Sala dos Sorrisos (1 / 2 anos) O Mundo e a Arte através do Educadoras: Ana Gonçalves

Leia mais

Quem é o meu próximo? Proximidade, justiça e responsabilidade

Quem é o meu próximo? Proximidade, justiça e responsabilidade Quem é o meu próximo? Proximidade, justiça e responsabilidade A evolução de um conceito ( próximo ), matriz de uma civilização global. A proximidade, relação que reclama justiça e responsabilidade pelo

Leia mais

Plano de Atividades 2017

Plano de Atividades 2017 Plano de Atividades 2017 MAIA, 09 de novembro de 2016 Plano de Atividades de 2017 O Plano de Atividades é um instrumento de gestão que integra o processo de planeamento e constitui uma peça fundamental,

Leia mais

Lisboa 2015 FICHA DE CANDIDATURA

Lisboa 2015 FICHA DE CANDIDATURA Lisboa 2015 Refª: 065 Possidónio Ativa Comunidade Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 Lisboa Telefone: 21 322 73 60 Email

Leia mais

Respeito ao Meio Ambiente Programa de Educação Ambiental Eco-Social

Respeito ao Meio Ambiente Programa de Educação Ambiental Eco-Social Respeito ao Meio Ambiente Programa de Educação Ambiental Eco-Social Objetivos Objetivos Cognitivos sobre meio ambiente Levar os indivíduos e os grupos sociais a adquirirem largas experiências, contatos

Leia mais