2013 SESI Serviço Social da Indústria DR MG Este livro ou parte dele não pode ser reproduzido por qualquer meio sem autorização escrita do Editor.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "2013 SESI Serviço Social da Indústria DR MG Este livro ou parte dele não pode ser reproduzido por qualquer meio sem autorização escrita do Editor."

Transcrição

1 PROJETO ESCOLA SEGURA PROJETO Belo Horizonte VEREDA EDITORA 2013

2 2013 SESI Serviço Social da Indústria DR MG Este livro ou parte dele não pode ser reproduzido por qualquer meio sem autorização escrita do Editor. Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais Olavo Machado Júnior PRESIDENTE Serviço Social da Indústria DR MG José Maria Meireles Junqueira GESTOR Superintendente Regional do SESI MG DR MG Cláudio Marcassa Gerência de Educação Básica do SESI MG DR MG Elaboração Cláudia Seixas Realização Eisberg Comunicação Ficha Catalográfica P964 Projeto escola segura / Serviço Social da Indústria - DR MG. - Belo Horizonte: SESI-MG, p.: il.; 21 cm. Na capa: Manual do aluno. 2.º série Ensino médio ISBN: Acidentes no trabalho Prevenção - Manuais, guias, etc. 2. Educação para segurança. I. SESI CDU: Sistema Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais Serviço Social da Indústria- DR MG Av. Contorno, Funcionários Belo Horizonte MG Tel.: (31)

3 APRESENTAÇÃO Caro aluno Nesse momento, você está vivenciando uma etapa importante de sua vida; afinal, já está cursando o último nível referente à educação básica. Estar no Ensino Médio, nos dias de hoje, significa que a caminhada rumo a um futuro promissor foi iniciada. O futuro está aí, de braços abertos, aguardando sua inserção em uma sociedade que vem exigindo, cada vez mais, pessoas competentes e compromissadas. Além de sua família, que é de fundamental importância para seu desenvolvimento, nós do SESI MG assumimos o compromisso de contribuir de forma efetiva para sua educação. Para que possamos concretizar esse objetivo de forma competente e responsável, procuramos nos manter antenados em relação às novas demandas da educação. Analisamos, dentro do contexto atual, o que realmente vem qualificando o ensino. Em função disso, estamos desenvolvendo um projeto denominado ESCOLA SEGURA, que vai tratar de um tema que é de extrema importância para cada um de nós e principalmente para você, que está começando a andar com suas próprias pernas. Como o próprio nome diz, o tema central tratado aqui é SEGURANÇA! Neste Manual, vamos abordar a segurança em diferentes contextos. É lógico que, na hora em que o elaboramos, pensamos em você e nas situações com as quais se depara cotidianamente.

4 Este Manual foi organizado em três capítulos, com subtemas distintos. O primeiro capítulo abordará a Segurança no lazer. Ao desenvolver as leituras e atividades propostas ao longo dele, você perceberá como é necessário ficar atento na hora de se divertir. No segundo capítulo, você terá oportunidade de entender um pouco sobre a Segurança no trabalho. Você conhecerá, detalhadamente, a importância da segurança nas indústrias de diversos tipos. Para finalizar, trataremos da Segurança no trânsito. Neste momento em que você deve estar com muita vontade de aprender a dirigir, buscamos contribuir para que você se torne um condutor consciente. Você perceberá, também, que, em cada capítulo, são propostas atividades que têm relação com o que você está aprendendo nas demais disciplinas escolares. Você notará que os conteúdos finais deste Manual são apresentados em forma de situações-problema, que serão articuladas com os conteúdos de todas as áreas do conhecimento. Dessa maneira, além de estudar um tema que é fundamental para sua formação, você poderá perceber de que forma as disciplinas que compõem o seu currículo contribuem para o entendimento das situações vivenciadas no dia a dia. Esse foi o nosso maior desafio na construção deste material. Esperamos que ele sirva, de forma eficaz, como apoio aos seus estudos.

5 PROJETO INTRODUÇÃO...7 CAPÍTULO 1 SEGURANÇA NO LAZER SAIU NA MÍDIA! Incêndio na boate Kiss...9 Adolescente é atingido por fogos e morre durante um jogo do Corinthians...9 PONTO DE PARTIDA Uma tragédia estúpida...13 PARA SABER MAIS! Erros na segurança...15 OPINIÃO! A noite que ainda não terminou...17 Nem todo prazer vale a pena...18 PONTOS DE VISTA! Tipos de sinalizadores...21 Infográfico...22 As consequências do uso dos sinalizadores...23 Sobre o incêndio e suas consequências, o que diz...23 Sobre outras situações e a postura dos envolvidos, o que diz...24 SITUAÇÃO-PROBLEMA...25 CAPÍTULO 2 SEGURANÇA NO TRABALHO SAIU NA MÍDIA! Bangladesh, EUA, República Checa, México, Brasil, China...27 PONTO DE PARTIDA Equipamentos de segurança...31

6 PARA SABER MAIS! Riscos no trabalho e seus agentes...34 Mapa de riscos ambientais...36 OPINIÃO! Novidades na coloração de tecidos...37 Como o óleo essencial é produzido?...37 PONTOS DE VISTA! As consequências do risco físico...41 Sobre algumas dessas consequências, o que diz SITUAÇÃO-PROBLEMA...43 CAPÍTULO 3 SEGURANÇA NO TRÂNSITO SAIU NA MÍDIA! Acidente mata cinco na região metropolitana de Fortaleza...49 Engavetamento com dez carros deixa ferido na Imigrantes...49 PONTO DE PARTIDA...53 PARA SABER MAIS! Estrada ruim aliada a chuva pode ter sido causa de acidente no Juruá...58 Chuva...60 Vento...61 OPINIÃO! O cinto de segurança e o risco de ficar preso dentro da água...65 PONTOS DE VISTA! Educando com valores...69 Sobre esses valores e princípios, o que diz Sobre outros aspectos relacionados ao trânsito, o que dizem...71 SITUAÇÃO-PROBLEMA...73 APROFUNDANDO SEUS CONHECIMENTOS...75

7 INTRODUÇÃO Antes de iniciar o estudo dos temas abordados no capítulo, é fundamental que você entenda o sentido da palavra SEGURANÇA. Essa palavra pode ter vários sentidos, mas vamos trabalhar com um deles apenas. Veja como ele é apresentado no dicionário Aurélio. SEGURANÇA: Estado, qualidade ou condição de seguro. Você deve ter percebido que a palavra segurança está relacionada com a palavra seguro. Então, vamos também ver qual é o sentido dessa palavra? SEGURO: Livre de perigo; livre de risco; protegido, acautelado, garantido. Como podemos perceber, essas palavras estão relacionadas com situações que nos levam a entender que estar em segurança tem a ver com se sentir seguro, isto é, livre de riscos. Então, pense nesta primeira pergunta e formule, junto com seus colegas, uma resposta para ela. É possível ficarmos livres de qualquer risco?

8 8 Acreditamos que você tenha respondido que nem sempre é possível evitarmos os riscos com os quais nos deparamos no dia a dia, até porque alguns deles surgem inesperadamente. Pensando nisso, é que vamos abordar, neste Manual, dois aspectos fundamentais do tema: COMO EVITAR E PREVENIR OS RISCOS. COMO AGIR NOS MOMENTOS DE PERIGO. Segurança é um tema tão importante que a Constituição Federal, em seu artigo 227, estabeleceu: É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança e ao adolescente, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária, além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão. Agora, acredito que você tenha entendido a importância do estudo desse tema. Então, fica o convite para começarmos a estudá-lo já!

9 CAPÍTULO 1 SEGURANÇA NO LAZER SAIU NA MÍDIA! Leia os trechos de notícias a seguir apresentados. INCÊNDIO NA BOATE KISS Um incêndio de grandes proporções deixou mais de 230 mortos na madrugada deste domingo em Santa Maria (RS). O incidente, que começou por volta das 2h e 30, ocorreu na Boate Kiss, na rua dos Andradas, no centro da cidade. O Corpo de Bombeiros acredita que o fogo iniciou com um sinalizador lançado por um integrante da banda que fazia show na festa universitária. [...] Disponível em: Acesso em: 23 jul (Fragmento) ADOLESCENTE É ATINGIDO POR FOGOS E MORRE DURANTE UM JOGO DO CORINTHIANS Um adolescente boliviano de 14 anos, identificado como Kevin Beltrán, morreu na noite desta quarta-feira depois de ser atingido por um sinalizador durante a partida de Corinthians e San José, pela Libertadores, na Bolívia. Ainda durante o decorrer da partida, autoridades tentaram salvar a vida do torcedor ao trasladá-lo para um hospital da cidade, porém o jovem não resistiu e morreu. [...] FOLHA DE S. PAULO. 21 de fevereiro de (Fragmento)

10 10 Você acabou de ler dois trechos de notícias amplamente divulgadas e que, provavelmente, tiveram repercussão mundial. Elas mostram o que ocorreu com vários jovens em seus momentos de lazer. Com base nos textos que você leu e na repercussão desses casos, responda às questões propostas a seguir. 1. O que causou a tragédia nas duas situações apresentadas pelas notícias? 2. Na sua opinião, essas duas tragédias foram fatalidades ou poderiam ter sido evitadas? Formule argumentos em sua resposta.

11 11 3. Que relação você estabelece entre essas situações e o tema segurança? 4. Você viu que as duas notícias apresentaram situações diferentes, mas elas têm elementos comuns. Quais são esses elementos? 5. Com base nesses elementos comuns, crie um título que seja adequado às duas notícias. 6. Na sua opinião, quem foram os culpados pelo que aconteceu a esses jovens?

12 12 7. Selecione, em revistas e jornais, quatro títulos de notícias e reportagens que tratem de acidentes relacionados à falta de segurança no lazer e, depois, transcreva-os no espaço a seguir. 8. De cada uma dessas notícias e reportagens, levante as causas de cada acidente e relacione-as a seguir. 9. Junte-se aos seus colegas de turma para elaborar um gráfico, mostrando quais são, hoje, as principais causas dos acidentes em ambientes de lazer. O gráfico deverá ser elaborado, coletivamente, com a ajuda do professor e exposto em um painel da escola. O gráfico deverá conter os dados que foram levantados por todos os alunos da turma.

13 13 PONTO DE PARTIDA Os trechos das notícias que você leu na página 9 deste material servirão como ponto de partida para uma reflexão sobre a segurança no lazer. Vamos aprofundar seus conhecimentos com a leitura do título e da introdução de uma reportagem publicada na revista semanal Época, da Editora Globo, no dia 4 de fevereiro de Uma tragédia estúpida Uma sequência de erros absurdos causou a morte dos jovens que foram à boate Kiss em busca de diversão 1. Em sua opinião, o título dado a essa reportagem foi adequado? Explique seu ponto de vista.

14 14 2. Para você, quais foram os erros que causaram a morte de tantos jovens? 3. Todos esses erros estavam relacionados à segurança do local? Explique sua opinião.

15 15 PARA SABER MAIS! Analise o esquema abaixo, observando a numeração. Você perceberá que, neste esquema, há um resumo dos erros cometidos em relação à segurança, os quais foram apontados por vários veículos de informação. Depois de analisar o esquema, volte à atividade 2 da seção anterior e veja se você registrou todos os aspectos citados nele. ERROS NA SEGURANÇA 1. USO DE SINALIZADORES 1.1. TETO INFLAMÁVEL 1.2. EXTINTORES COM DEFEITO 2. SUPERLOTAÇÃO 2.1. APENAS UMA SAÍDA 2.2. FALTA DE LUZ DE EMERGÊNCIA 3. FISCALIZAÇÃO 3.1. SEM ALVARÁ 3.2. REFORMAS SEM CUIDADOS TÉCNICOS

16 16 Agora, apresente uma explicação sintética caracterizando cada erro. 1. USO DE SINALIZADORES 2. SUPERLOTAÇÃO 3. FISCALIZAÇÃO

17 17 OPINIÃO! 1. Leia o texto a seguir. A NOITE QUE AINDA NÃO TERMINOU Mirela começou tarde o dia 26 de janeiro de Um sábado branco de sol em Santa Maria, às vésperas da noite que começou e ainda não se foi. Ela dormira até depois do meio-dia e gastara as horas seguintes em mais uma gostosa tarde de verão dos seus 21 anos. Havia ido à boate Kiss na noite anterior, como fazia todo fim de semana, desde os 14 anos. Fora uma bela farra: Mirela chegara em casa com a alvorada, feliz da vida. No fim do dia, Mirela pediu à mãe, Helena Rosa da Cruz, que a levasse ao shopping para passear. Sempre vaidosa, queria um par novo de brincos para usar na festa daquela noite. Quando as duas voltaram para casa, José Manuel, de 18 anos, irmão de Mirela, e, como ela, estudante da Universidade Federal de Santa Maria, já havia saído. Planejava curtir a noite do sábado num churrasco com amigos. Enquanto se arrumava para a balada, Mirela dizia que estava cansada para sair. Então, por que você vai, filha?, perguntou Helena. Ah, a aniversariante de hoje foi ao meu aniversário. Não posso deixar de ir, disse Mirela, antes de partir. Pouco depois, o irmão José Manuel ligou para casa e avisou a mãe: também iria para a Kiss. [...] TAVARES, Flávia. Edição Especial Época. Rio de Janeiro: Globo 4 de fev. de p. 44. (Fragmento)

18 18 2. Na sua opinião, o título dado a esse texto está adequado? Justifique sua resposta. 3. Agora, leia o trecho a seguir. Nem todo prazer vale a pena Regulamentar o divertimento é uma necessidade que enfrenta resistências de todos os lados. A tragédia de Santa Maria obriga o país a enfrentar elementos de sua cultura que impedem uma segurança maior no lazer. [...] Edição Especial Época. Rio de Janeiro: Globo: 4 de fev p. 62. (Fragmento) a) Você concorda que nem todo prazer vale a pena? Explique sua opinião.

19 19 b) Releia o trecho a seguir e explique o que você entendeu. Depois, crie argumentos que justifiquem essa afirmativa. A tragédia de Santa Maria obriga o país a enfrentar elementos de sua cultura que impedem uma segurança maior no lazer. Para relembrar Saber construir uma argumentação consistente significa desenvolver a habilidade de mobilizar conhecimentos, informações, experiências de vida que possibilitem defender uma ideia de modo a convencer outras pessoas de que essa ideia é verdadeira, válida e consistente.

20 20 4. Lendo o texto da atividade 1, você deve ter percebido que, em momento nenhum, Mirela pensou na possibilidade de correr algum risco naquela noite. Afinal, a Kiss era uma boate que ela frequentava desde os 14 anos. E quanto a você? Quando planeja um programa de final de semana, você tem a preocupação de procurar saber sobre a segurança do local? Quais aspectos você leva em consideração no momento de escolher o local para onde ir? Registre suas ideias no espaço a seguir.

21 21 PONTOS DE VISTA! No início deste capítulo, você viu que a causa dos dois acidentes foi a mesma: o uso de sinalizadores. Deve ter observado, também, que em uma das situações o próprio sinalizador matou o adolescente e na outra ele causou o incêndio que vitimou os frequentadores da boate. TIPOS DE SINALIZADORES Você sabia que nos dois casos foram usados sinalizadores inadequados para cada tipo de ambiente? NO CASO DA BOATE Há sinalizadores próprios para ambientes fechados, mas são bem mais caros do que aqueles usados em ambientes abertos. No caso da boate Kiss, foram usados sinalizadores que são encontrados em estádios de futebol. Esses sinalizadores emitem um tipo de luz, que é gerada por faíscas de fogo. NO CASO DO ESTÁDIO DE FUTEBOL Os sinalizadores usados em campos de futebol não disparam. Eles emitem luz e fumaça. O sinalizador usado no acidente dentro do estádio é próprio para navios. Ele possui um disparador que impulsiona o artefato a uma altura de até 300 metros. Na próxima página, conheça detalhes do tipo de sinalizador que matou Kelvin Beltrán.

22 22

23 23 AS CONSEQUÊNCIAS DO USO DOS SINALIZADORES NO CASO DA BOATE A faísca do sinalizador entrou em contato com a espuma de poliuretano do teto, material inflamável, causando o incêndio. NO CASO DO ESTÁDIO DE FUTEBOL O menino teve o rosto perfurado pelo sinalizador, que entrou pela cavidade do seu olho direito, atravessando o crânio e gerando perda de massa encefálica. SOBRE O INCÊNDIO E SUAS CONSEQUÊNCIAS, O QUE DIZ... A QUÍMICA? * Cianeto de hidrogênio: existe a suspeita de que a espuma usada no teto da boate fosse constituída por um material inflamável, o poliuretano. Esse tipo de material libera o gás cianeto de hidrogênio, que leva à inconsciência e pode matar rapidamente. * Monóxido de carbono: é o gás mais comum nos incêndios. Quanto mais escura a fumaça, maior a concentração de monóxido de carbono. Quando inalado, impede a circulação do oxigênio no organismo. A BIOLOGIA? * Monóxido de carbono: quando inalado, o monóxido de carbono percorre no organismo o mesmo caminho do ar, isto é, passa pela laringe, pela traqueia, pelos brônquios, pelos bronquíolos e chega aos alvéolos. Ele entra na corrente sanguínea e, em contato com a hemoglobina, impede a circulação do oxigênio no organismo. Sem oxigênio, a pessoa desfalece e, em poucos minutos, pode entrar em coma e morrer.

24 24 SOBRE OUTRAS SITUAÇÕES E A POSTURA DOS ENVOLVIDOS, O QUE DIZ... A ÉTICA? Viver dentro da ética é agir respeitando a tudo e a todos. No episódio de Santa Maria e em outras tragédias ocorridas nas últimas décadas, fica a sensação de que todas elas poderiam ter sido evitadas se não fossem a impunidade, a negligente atuação de vários órgãos e a cultura do jeitinho brasileiro. Neste contexto social e ético, discute-se a razão para a morte de 242 jovens que estavam começando a viver e, naquele momento específico, simplesmente, aproveitando um momento de lazer. A HISTÓRIA? O incêndio da boate Kiss é considerado, hoje, o mais mortal no país, desde o incêndio do Gran-Circus Norte- -Americano, que vitimou 503 pessoas, sendo que 70% delas eram crianças. Esse acidente aconteceu em Niterói no ano de 1961 e a causa do incêndio foi atribuída a um ex-funcionário, que ateou fogo no circo para se vingar do proprietário, que o havia dispensado dias antes do ocorrido. Fique por dentro Você encontrará no YouTube um vídeo com o título Entenda como o corpo reage à fumaça de um incêndio. Assista a ele para compreender o que ocorreu aos jovens que estavam na boate Kiss. Assista, também, a outro vídeo: O caminho da fumaça. Dessa vez, você terá oportunidade de saber o que acontece ao organismo quando fumaça de cigarro é inalada. Nesse vídeo, você conhecerá a diversidade de substâncias que entram na composição do cigarro.

25 25 SITUAÇÃO-PROBLEMA Analise a situação a seguir e resolva-a de acordo com tudo o que aprendeu até agora sobre segurança no lazer. Caso seja necessário, pesquise mais sobre o assunto e convide mais dois colegas para realizarem essa tarefa junto com você. Você foi contratado como consultor de segurança. A empresa que o contratou está construindo um parque de tamanho médio, com capacidade para receber visitantes por dia. O proprietário quer seguir todas as normas de segurança. Afinal, crianças, jovens e adultos frequentarão seu parque. Crie um planejamento, mostrando a ele quais os principais cuidados a serem observados com relação à segurança no seu parque. Tente se lembrar de todos os aspectos e pensar em todos os detalhes.

26 26 Antes de montar seu planejamento, faça um levantamento de quais aspectos, relacionados à segurança, devem ser observados em um parque de diversões. Liste-os, no espaço a seguir, e depois compare seu levantamento com o de seus colegas. Assim, vocês terão mais chances de identificar os aspectos que são, realmente, fundamentais ao bom funcionamento de um parque. Esse planejamento deverá ser feito em folhas avulsas para ser apresentado como uma atividade em sala de aula.

27 CAPÍTULO 2 27 SEGURANÇA NO TRABALHO SAIU NA MÍDIA! Leia as informações que circularam na mídia sobre acidentes de trabalho. BANGLADESH Desabamento de complexo industrial de 8 andares mata pessoas. EUA Explosão em fábrica de fertilizantes, no Texas, deixa 15 mortos e 200 feridos. REPÚBLICA CHECA Uma explosão destruiu um complexo de escritórios em Praga. A explosão deixou cerca de 40 pessoas feridas. MÉXICO Uma explosão destruiu a sede da empresa Petróleos Mexicanos (Pemex), deixando 37 mortos e centenas de feridos. BRASIL Viga de sustentação de ponte em Piracicaba despenca e três funcionários morrem presos nos escombros. CHINA Abatedouro de aves pega fogo na província de Jilin, deixando 119 mortos e ferindo dezenas de pessoas.

28 28 Você acabou de ler trechos de notícias sobre alguns tipos de acidentes de trabalho. Tomando como referência essas informações e realizando pesquisas, se for necessário, responda às seguintes questões. 1. Cada um dos acidentes citados anteriormente teve uma causa. Para você, quais foram essas causas? CAUSA s.f 1. Aquilo que produz uma ação ou efeito; 2. O que determina um acontecimento; 3. Motivo; 4. Origem, princípio. BANGLADESH EUA REPÚBLICA CHECA MÉXICO BRASIL CHINA

29 29 2. Esses acidentes poderiam ter sido evitados? Como? 3. Agora, leia o trecho a seguir e depois responda às questões propostas. Segurança do trabalho pode ser entendida como o conjunto de medidas que deve ser adotado, visando minimizar os acidentes de trabalho, as doenças ocupacionais, bem como proteger a integridade e a capacidade de trabalho do trabalhador. a) Formule sua própria definição para acidente de trabalho?

30 30 b) O que significa a expressão doenças ocupacionais? c) Em sua opinião, quais medidas deveriam ser tomadas para garantir a integridade dos funcionários em uma indústria?

31 31 PONTO DE PARTIDA Até agora você deve ter observado que as maiores tragédias no trabalho ocorreram por causa de explosões e desabamentos. Esses tipos de acidentes costumam matar e ferir um número grande de trabalhadores, além de causar prejuízos significativos às empresas. Por isso, é preciso preveni-los! Para evitar acidentes, é fundamental que tanto as empresas quanto os trabalhadores fiquem atentos aos procedimentos de segurança. EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA Um dos aspectos mais importantes para a prevenção de acidentes refere-se aos equipamentos de segurança, que podem ser de dois tipos: EPI (Equipamentos de Proteção Individual) e EPC (Equipamentos de Proteção Coletiva). 1. Com base nesses nomes, formule um conceito para cada um dos tipos de equipamentos? a) EPI b) EPC

32 32 2. Dê exemplos de: a) Equipamentos de proteção individual b) Equipamentos de proteção coletiva A legislação trabalhista específica para a indústria prevê que: É obrigação do empregador fornecer os EPI adequados ao trabalho; instruir e treinar quanto ao uso dos EPI; fiscalizar e exigir o uso dos EPI; repor os EPI danificados. É obrigação do trabalhador usar e conservar os EPI.

33 33 PARA SABER MAIS! Na seção anterior, você aprendeu sobre os equipamentos que devem ser utilizados para promover a segurança no ambiente de trabalho. Esses equipamentos podem ser os mais variados, dependendo da profissão. 1. Escolha uma profissão e pesquise sobre os EPI que devem ser usados para que esse profissional tenha total segurança. Além disso, explique o tipo de proteção que cada equipamento oferece para o trabalhador. 2. Para que a escolha dos equipamentos seja adequada, é preciso que o empregador saiba quais os tipos de riscos a que o empregado está sujeito no exercício de suas funções. Veja a seguir os cinco tipos de riscos, de acordo com o Ministério do Trabalho.

34 34 1. RISCO DE ACIDENTE RISCOS NO TRABALHO E SEUS AGENTES Qualquer fator que coloque o trabalhador em situação vulnerável e possa afetar sua integridade e seu bem-estar físico e psíquico. São exemplos de risco de acidente: as máquinas e equipamentos sem proteção, probabilidade de incêndio e explosão, arranjo físico inadequado e armazenamento inadequado. 2. RISCO ERGONÔMICO Qualquer fator que possa interferir nas características psicofisiológicas do trabalhador, causando desconforto ou afetando sua saúde. São exemplos de risco ergonômico: levantamento de peso, ritmo de trabalho excessivo, monotonia, repetitividade e postura inadequada. 3. RISCO FÍSICO Consideram-se agentes de risco físico as diversas formas de energia a que possam estar expostos os trabalhadores, tais como: ruído, calor, frio, pressão, umidade, radiações ionizantes e não ionizantes e vibração. 4. RISCO QUÍMICO Consideram-se agentes de risco químico as substâncias, compostos ou produtos que possam penetrar no organismo do trabalhador pela via respiratória, na forma de poeiras, fumos, gases, neblinas, névoas, vapores, ou que sejam, pela natureza da atividade, de exposição, possam ter contato com o organismo ou ser absorvidos por ele através da pele ou por ingestão. 5. RISCO BIOLÓGICO Consideram-se agentes de risco biológico bactérias, vírus, fungos, parasitos, entre outros. Fonte:

35 35 3. Planeje, junto com seu professor e colegas, uma visita a uma indústria. Nessa visita, você deverá observar os fatores de risco existentes. a) À medida que for visitando cada setor da indústria escolhida, liste esses fatores. b) Agora, você deverá classificar esses fatores de acordo com o quadro apresentado na próxima página. Se na indústria que visitou não houver algum(ns) dos riscos apontados para análise, deixe a linha referente a ele(s) em branco. Veja um exemplo. TIPO DE RISCO FONTE GERADORA POSSÍVEIS CONSEQUÊNCIAS MEDIDAS DE PREVENÇÃO RISCO BIOLÓGICO Vírus e bactérias Contaminação Uso de luvas, máscara cirúrgica, avental e óculos de proteção.

36 36 MAPA DE RISCOS AMBIENTAIS TIPO DE RISCO FONTE GERADORA POSSÍVEIS CONSEQUÊNCIAS MEDIDAS DE PREVENÇÃO RISCO DE ACIDENTE RISCO ERGONÔMICO RISCO FÍSICO RISCO QUÍMICO RISCO BIOLÓGICO

37 37 OPINIÃO! 1. Leia os textos a seguir. TEXTO 1 NOVIDADES NA COLORAÇÃO DE TECIDOS Uma pesquisadora da Universidade de São Paulo (USP), Ticiane Rossi, desenvolveu corantes para o tingimento de tecidos que são mais seguros do ponto de vista ambiental e são considerados, hoje, o processo mais inovador. Esses corantes são resultados de nanopartículas coloridas que permitem poupar mais de 70% de água e energia durante o processo de tingimento de tecidos e do corante têxtil que é obtido a partir de resíduo da produção de óleo essencial de folhas e galhos de eucalipto. Nanotecnologia e nanociência: ramo da ciência que estuda novos materiais ou o comportamento destes, na escala atômica, molecular e macromolecular. TEXTO 2 COMO O ÓLEO ESSENCIAL É PRODUZIDO? O óleo essencial é produzido por destilação, a partir de folhas e pequenos galhos cozidos em água fervente. O vapor gerado é resfriado, permitindo recuperar o resíduo. Com coloração escura, esse resíduo apresenta-se diluído na água. Para aumentar o teor de sólidos e taninos (substâncias efetivamente corantes), seca-se a solução obtida até a redução de 14 vezes do volume do efluente. Ciência Hoje. Rio de Janeiro: SBPC, n. 291, abr. de (Fragmento)

38 38 2. Você acabou de ler dois textos que tratam do tingimento de tecidos: processo importante nas indústrias têxteis. Deve ter percebido que, hoje, os pesquisadores buscam novas alternativas para diminuir o impacto ambiental, que pode ser de grandes proporções. Além de prejuízos ambientais, os corantes sintéticos podem causar danos à saúde dos trabalhadores responsáveis por sua produção industrial. a) Em sua opinião, de que forma isso pode acontecer? Se necessário, pesquise sobre isso. b) E quanto aos corantes naturais, pode-se afirmar que eles são 100% seguros? Explique sua opinião.

39 39 3. Leia o trecho a seguir. Muita gente desconhece o impacto ambiental gerado pelo tingimento de suas roupas. Os corantes usados em escala industrial costumam ser sintéticos e geram resíduos potencialmente tóxicos. Pesquisas recentes mostram que a produção de corantes naturais é uma alternativa viável e mais segura ambientalmente. Ciência Hoje. Rio de Janeiro: SBPC, n. 291, abr. de (Fragmento) Vamos continuar a discussão a respeito do uso de corantes. Você deverá basear-se em seus conhecimentos para responder às questões a seguir apresentadas. a) Descreva o impacto ambiental que esses corantes sintéticos podem causar.

40 40 b) No trecho anterior, você viu que pesquisas recentes mostram que a produção de corantes naturais é mais segura ambientalmente. Qual é a sua opinião sobre isso? 4. No primeiro texto da página 37, você viu que a nanotecnologia está sendo usada na produção do corante natural que foi desenvolvido pela pesquisadora da USP. Você sabia que, além da indústria têxtil, a nanotecnologia e a nanociência têm impactado a competitividade em vários tipos de indústrias? Como você imagina que isso possa acontecer? Fique por dentro No site da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) (www.abdi. com.br), você encontrará uma CARTILHA SOBRE NANOTECNOLOGIA. Lendo esse material, você perceberá qual é a importância dessa tecnologia na indústria de vários setores: eletroeletrônicos, medicina e saúde, higiene, perfumaria, cosméticos, plásticos e muito mais.

41 41 PONTOS DE VISTA! Até agora você viu que são vários os acidentes que podem ocorrer em ambientes de trabalho. Alguns deles podem deixar sequelas no trabalhador, comprometendo definitivamente sua saúde e qualidade de vida. Veja um exemplo concreto de como isso pode acontecer. AS CONSEQUÊNCIAS DO RISCO FÍSICO RUÍDO: SURDEZ A exposição contínua ao ruído elevado pode causar perda auditiva temporária ou permanente. Além disso, um ambiente de trabalho com muitos ruídos pode causar outras consequências como irritabilidade, tensão psicológica e alteração na capacidade de concentração. CALOR: MAL-ESTAR Um trabalhador exposto a muito calor durante muito tempo pode sentir um mal-estar generalizado. Esse mal-estar manifesta-se na forma de desmaios, tonturas, esgotamento, cefaleia, sonolência e alteração da temperatura superficial e interna. VIBRAÇÃO: DESCONFORTO O manuseio de britadeiras pode conduzir a complicações nos vasos sanguíneos e articulações. Além disso, pode causar a diminuição da circulação sanguínea e, com o passar do tempo, problemas de coluna.

42 42 SOBRE ALGUMAS DESSAS CONSEQUÊNCIAS, O QUE DIZ... A FÍSICA? As perdas de audição são derivadas da frequência e intensidade do ruído. A fadiga evidencia-se por uma menor acuidade auditiva. As ondas sonoras transmitem-se tanto pelo ar como por materiais sólidos. Quanto maior for a densidade do meio condutor, menor será a velocidade de propagação do ruído. O ruído é um agente físico que pode afetar de modo significativo a qualidade de vida. Mede-se o ruído utilizando um instrumento denominado medidor de pressão sonora, e a unidade usada como medida é o decibel (db). Manual de formação: higiene e segurança no trabalho. Associação empresarial de Portugal. Portugal, sd, p. 31. A BIOLOGIA? Para escutarmos, as ondas sonoras entram pelas orelhas e batem na membrana do tímpano. Ele começa a vibrar e passa a vibração para os ossículos de dentro da orelha (os menores ossos do corpo humano!), que mandam a vibração para a cóclea (a parte mais dura do nosso corpo!). Como dentro da cóclea tem líquidos, a vibração provoca ondinhas nesses líquidos, e as ondinhas movimentam cílios de umas células muito delicadas que ficam dentro da cóclea. Por causa da movimentação dos cílios, essas células transformam a vibração sonora em impulso elétrico. Essa etapa da audição é muuuito importante, porque os impulsos elétricos passam pelo nervo auditivo e vão em direção à parte do cérebro que analisa e entende os sons. [...] Se o som emitido é fraco, as vibrações provocadas pelo som são fracas. E se o som é forte, as vibrações são fortes. Às vezes, tão fortes que podemos sentir o peito tremer! O problema é que essas vibrações fortes provocam ondas também muito fortes nos líquidos de dentro da cóclea, o que acaba machucando os cílios das células. [...] Ciência Hoje. Rio de Janeiro, SBPC, n 216, set. de (Fragmento)

13. Desatenção e cansaço

13. Desatenção e cansaço 13. Desatenção e cansaço Aula Interdisciplinar Indicação: 6º ao 9º Ano do Ensino Fundamental Ilustração do manual de Direção Defensiva do DENATRAN O ato de dirigir um veículo requer atenção permanente.

Leia mais

Direção Defensiva 1. Plano de Aula Teórica do Curso de Formação de Condutores

Direção Defensiva 1. Plano de Aula Teórica do Curso de Formação de Condutores Direção Defensiva 1 Compreender as principais causas de acidentes de trânsito. Identificar os principais envolvidos em acidentes de trânsito. Introdução Introdução. Estatísticas. Responsabilidade. sobre

Leia mais

CARTILHA DE TRÂNSITO. Dicas para você viver mais e melhor!

CARTILHA DE TRÂNSITO. Dicas para você viver mais e melhor! CARTILHA DE TRÂNSITO Dicas para você viver mais e melhor! Este material foi concebido pela SBOT Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia com o intuito de ser um agente expressivo na prevenção

Leia mais

Riscos Ambientais. Riscos Ambientais

Riscos Ambientais. Riscos Ambientais Riscos Ambientais Riscos Ambientais São os agentes, elementos ou substâncias presentes nos locais de trabalho. A exposição dos trabalhadores a estes agentes pode causar acidentes com lesões ou danos à

Leia mais

DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DE ALAGOAS - DETRAN/AL QUESTÕES SOBRE MEIO AMBIENTE

DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DE ALAGOAS - DETRAN/AL QUESTÕES SOBRE MEIO AMBIENTE A falta de conservação e a desregulagem dos veículos: 1 apenas contribuem para a poluição do solo. 2 não agridem o meio ambiente. 3 acarretam, única e exclusivamente, o desgaste do veículo. 4 contribuem,

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUIÍMICO ( FISPQ )

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUIÍMICO ( FISPQ ) 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Anti Ruído Tradicional Aplicação: Reparação e emborrachamento de veículos. Fornecedor: Nome: Mastiflex Indústria e Comércio Ltda Endereço : Rua

Leia mais

Ver e ser visto no trânsito

Ver e ser visto no trânsito matéria de capa Ver e ser visto no trânsito CESVI realizou estudo para apontar as condições em que pedestres, motos e carros são mais bem visualizados à noite Por José Antonio Oka Segurança Viária Ver

Leia mais

14. Comportamento no trânsito

14. Comportamento no trânsito 14. Comportamento no trânsito Aula Interdisciplinar Indicação: 6º ao 9º Ano do Ensino Fundamental Os usuários não devem somente observar as regras do Código de Trânsito, mas devem também ser solidários.

Leia mais

Dicas para segurança. no trânsito. realização. apoio

Dicas para segurança. no trânsito. realização. apoio Dicas para segurança no trânsito realização apoio 1 Dicas de viagem segura. Viajar sozinho ou com toda a família requer certas responsabilidades. Aqui você encontrará várias recomendações para uma viagem

Leia mais

SABE, ESSA É A MINHA FAMÍLIA. É isso mesmo! A gente nem pensa nisso, não é? Mas vamos ver como acontece. Venha comigo.

SABE, ESSA É A MINHA FAMÍLIA. É isso mesmo! A gente nem pensa nisso, não é? Mas vamos ver como acontece. Venha comigo. Apoio: A Constituição Federal do Brasil diz que: É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança e ao adolescente, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à

Leia mais

ALTO POTENCIAL DE RISCOS DE ACIDENTES

ALTO POTENCIAL DE RISCOS DE ACIDENTES 1 O QUE É ESPAÇO CONFINADO? CARACTERÍSTICAS VOLUME CAPAZ DE PERMITIR A ENTRADA DE EMPREGADOS LIMITAÇÕES E RESTRIÇÕES PARA ENTRADA E SAIDA DE PESSOAL NÃO E PROJETADO PARA OCUPAÇÃO CONTÍNUA POSSUI, EM GERAL,

Leia mais

O que é o Direção Positiva?

O que é o Direção Positiva? Abril - 2014 1 2 O que é o Direção Positiva? O novo projeto da Sirtec busca conscientizar os colaboradores sobre a importância das medidas preventivas no trânsito. Objetivos: Contribuir com a redução dos

Leia mais

5 km/h a mais, uma vida a menos

5 km/h a mais, uma vida a menos 5 a mais, uma vida a menos Respeite os limites de velocidade www.fundacionmapfre.com.br O excesso de velocidade não acontece por acidente, é uma escolha. Na correria do dia-a-dia, vivemos apressados e,

Leia mais

ANÁLISE DOS RISCOS AMBIENTAIS EM POSTO DE REVENDA DE COMBUSTÍVEIS

ANÁLISE DOS RISCOS AMBIENTAIS EM POSTO DE REVENDA DE COMBUSTÍVEIS Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 124 ANÁLISE DOS RISCOS AMBIENTAIS EM POSTO DE REVENDA DE COMBUSTÍVEIS Fernando Henrique Camargo Jardim¹ 1 Engenheiro

Leia mais

TRANSITO CUIDADO. Eliana Cristofolo MOTORISTA TENHA MUITA ATENÇÃO, AO DIRIGIR O SEU CARRÃO. PARE SEMPRE NA ESQUINA PARA VER SE VEM CARRO NÃO.

TRANSITO CUIDADO. Eliana Cristofolo MOTORISTA TENHA MUITA ATENÇÃO, AO DIRIGIR O SEU CARRÃO. PARE SEMPRE NA ESQUINA PARA VER SE VEM CARRO NÃO. CUIDADO NO TRANSITO MOTORISTA TENHA MUITA ATENÇÃO, AO DIRIGIR O SEU CARRÃO. PARE SEMPRE NA ESQUINA PARA VER SE VEM CARRO NÃO. AS CRIANÇAS DEVEM RESPEITAR PARA OS LADOS DEVEM OLHAR. SE NÃO VIER NENHUM AUTOMÓVEL

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade: NBR ISO 9001 Ficha de Segurança de Produto: LAB TIN 3104

Sistema de Gestão da Qualidade: NBR ISO 9001 Ficha de Segurança de Produto: LAB TIN 3104 Código: FSP-261 Revisão: 1 Página: 1/5 1 Informação do produto e da empresa Nome do produto: LAB TIN 3104 Nome da empresa: Lab Analítica e Ambiental Ltda. Endereço: Rodovia Geraldo Scavone, 2300 Condomínio

Leia mais

2 Quais os tipos de cinto de segurança que temos? Qual o cinto é o mais seguro?

2 Quais os tipos de cinto de segurança que temos? Qual o cinto é o mais seguro? 1 Quais são os 5 elementos da direção defensiva? 2 Quais os tipos de cinto de segurança que temos? Qual o cinto é o mais seguro? 3 O que significa DIREÇÃO DEFENSIVA? 4 Cite um exemplo de condição adversa

Leia mais

Segurança do trânsito 9. Velocidade e distância de parada Fevereiro 2010

Segurança do trânsito 9. Velocidade e distância de parada Fevereiro 2010 9. Velocidade e distância de parada Aula Interdisciplinar Indicação: 6º ao 9º Ano do Ensino Fundamental Ilustração do Manual de Direção Defensiva do DENATRAN A velocidade é um dos maiores fatores de risco

Leia mais

CIPA GESTÃO 2013/2014

CIPA GESTÃO 2013/2014 HOSPITAL SÃO PAULO-SPDM Mapa de Risco da Empresa: Questionário auxiliar para elaboração do Mapa de Riscos Mapa de Risco é uma representação gráfica de um conjunto de fatores presentes nos locais de trabalho,

Leia mais

FORMAÇÃO DE MULTIPLICADORES

FORMAÇÃO DE MULTIPLICADORES 1 FORMAÇÃO DE MULTIPLICADORES Londrina (PR) 2009 Caro cidadão londrinense: 2 Londrina quer um trânsito mais seguro. E convida você para entrar nesta campanha. Esta cartilha traz informações sobre como

Leia mais

CURSO PARA CONDUTORES DE VEÍCULOS DE TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS

CURSO PARA CONDUTORES DE VEÍCULOS DE TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS CURSO PARA CONDUTORES DE VEÍCULOS DE TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS Carga horária: 50 (cinqüenta) horas aula Requisitos para matrícula Ser maior de 21 anos; Estar habilitado em uma das categorias B,

Leia mais

Divulgação da importância do transporte para o ensino fundamental

Divulgação da importância do transporte para o ensino fundamental Divulgação da importância do transporte para o ensino fundamental Daniel Rech (DEPROT/UFRGS) João Fortini Albano (DEPROT/UFRGS) Resumo O presente artigo deriva de um projeto direcionado a alunos do ensino

Leia mais

Divisão de Questões Globais PROCLIMA Programa de Prevenção às Mudanças Climáticas CETESB Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental

Divisão de Questões Globais PROCLIMA Programa de Prevenção às Mudanças Climáticas CETESB Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental João Wagner Alves 1 Divisão de Questões Globais PROCLIMA Programa de Prevenção às Mudanças Climáticas CETESB Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental Agradecimentos: Prof. Dr. Ronaldo Balassiano

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º, DE 2007. (Do Sr. Rogerio Lisboa)

PROJETO DE LEI N.º, DE 2007. (Do Sr. Rogerio Lisboa) PROJETO DE LEI N.º, DE 2007. (Do Sr. Rogerio Lisboa) Altera a Lei nº LEI Nº 9.503, DE 23 DE SETEMBRO DE 1997, tornando obrigatória por parte dos fabricantes, importadores e montadores de veículos, a inclusão

Leia mais

INDUFIX FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ 014 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA

INDUFIX FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ 014 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA FISPQ 014 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Indufix Código interno: 2000 Empresa: Indutil Indústria de Tintas Ltda. e-mail: indutil@indutil.com.br

Leia mais

Meio Ambiente: Piloto Automático O Piloto Automático é uma ótima opção e pode economizar gasolina, mas você tem que usá-lo de forma segura.

Meio Ambiente: Piloto Automático O Piloto Automático é uma ótima opção e pode economizar gasolina, mas você tem que usá-lo de forma segura. Visão Geral Família e Passageiros: Roupas Reflexivas Quanto mais claro e brilhante, melhor! É isso mesmo, quanto mais brilhante e clara for sua roupa, melhor são suas chances de ser visto. Segurança Pessoal:

Leia mais

Sinalização. Catálogo de Placas EXTINTOR DE INCÊNDIO 164,2/21,3-2.329-K-W/ 10.513.146/0001-94

Sinalização. Catálogo de Placas EXTINTOR DE INCÊNDIO 164,2/21,3-2.329-K-W/ 10.513.146/0001-94 Sinalização Catálogo de Placas EXTINTOR DE INCÊNDIO 164,2/21,3-2.329-K-W/ 10.513.146/0001-94 Materiais VINIL AUTO-ADESIVO PVC / PS Utilizado em ambientes internos e externos. Pode ser confeccionado com

Leia mais

Olá, Mamãe! Aproveite a leitura e boa viagem!

Olá, Mamãe! Aproveite a leitura e boa viagem! Olá, Mamãe! Esta cartilha é um presente pra você. Uma forma de ajudá-la a desempenhar uma das funções mais importantes da sua vida: justamente a tarefa de ser mãe. Cada vez mais, além de cuidar da saúde

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico - FISPQ

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico - FISPQ Produto: Antiderrapante para Correias Página 1 de 5 1 Informação do Produto e da Empresa Nome do Produto: Antiderrapante para Correias Fornecedor Nome: Ultralub Química Ltda. Endereço: Estrada dos Crisântemos,

Leia mais

Seminário CBCS Inauguração do Comitê Temático Gerenciamento de Riscos Ambientais Riscos no Ambiente de Trabalho no Setor de Construção Civil Elisabete Poiani Delboni HISTÓRICO DA CONSTRUÇÃO Construção

Leia mais

TIPOS DE RISCOS. Riscos Físicos Riscos Químicos Riscos Biológicos Riscos Ergonómicos Riscos de Acidentes

TIPOS DE RISCOS. Riscos Físicos Riscos Químicos Riscos Biológicos Riscos Ergonómicos Riscos de Acidentes RISCO Consideram-se Risco de Trabalho todas as situações, reais ou potenciais, suscetíveis de a curto, médio ou longo prazo, causarem lesões aos trabalhadores ou à comunidade, em resultado do trabalho.

Leia mais

UMA COMPARAÇÃO ESTATÍSTICA SOBRE O TRÂNSITO: ANTES E DEPOIS DA IMPLANTAÇÃO DAOPERAÇÃO BALADA SEGURA NO RIO GRANDE DO SUL

UMA COMPARAÇÃO ESTATÍSTICA SOBRE O TRÂNSITO: ANTES E DEPOIS DA IMPLANTAÇÃO DAOPERAÇÃO BALADA SEGURA NO RIO GRANDE DO SUL ISSN 2177-9139 UMA COMPARAÇÃO ESTATÍSTICA SOBRE O TRÂNSITO: ANTES E DEPOIS DA IMPLANTAÇÃO DAOPERAÇÃO BALADA SEGURA NO RIO GRANDE DO SUL Daniellen Thaianne de Oliveira Severo - daniii_severo@hotmail.com

Leia mais

MURAL SETEMBRO 2015. Compromisso SEMANA NACIONAL DO TRANSITO: SEJA VOCÊ A MUDANÇA

MURAL SETEMBRO 2015. Compromisso SEMANA NACIONAL DO TRANSITO: SEJA VOCÊ A MUDANÇA Compromisso SEMANA NACIONAL DO TRANSITO: SEJA VOCÊ A MUDANÇA O Contran (Conselho Nacional de Trânsito) definiu o tema da Semana Nacional do Trânsito 2015, que será Década Mundial de Ações para a Segurança

Leia mais

Campanha de direção defensiva

Campanha de direção defensiva Riscos, perigos e acidentes Em tudo o que fazemos há uma dose de risco: seja no trabalho,quando consertamos alguma coisa em casa, brincando, dançando,praticando um esporte ou mesmo transitando pelas ruas

Leia mais

EXTRUTOP FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ 017 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA

EXTRUTOP FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ 017 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA FISPQ 017 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Extrutop Código interno: AGM215 e AGM216 Empresa: Indutil Indústria de Tintas Ltda. e-mail: indutil@indutil.com.br

Leia mais

PRESERVAR O MEIO AMBIENTE UMA MISSÃO DE TODOS NÓS

PRESERVAR O MEIO AMBIENTE UMA MISSÃO DE TODOS NÓS PRESERVAR O MEIO AMBIENTE UMA MISSÃO DE TODOS NÓS Meio Ambiente Tudo que está a nossa volta: todas as formas de vida e todos os elementos da natureza. Ecologia Ciência que estuda a relação dos seres vivos

Leia mais

SEGURANÇA VIÁRIA NO TRABALHO. Uma responsabilidade de todos

SEGURANÇA VIÁRIA NO TRABALHO. Uma responsabilidade de todos SEGURANÇA VIÁRIA NO TRABALHO Uma responsabilidade de todos QUEM SOMOS A FUNDACIÓN MAPFRE, instituição criada em 1975 pela MAPFRE, desenvolve atividades de interesse geral na Espanha e em outros países

Leia mais

11. Use sempre o cinto de segurança

11. Use sempre o cinto de segurança 11. Use sempre o cinto de segurança Aula Interdisciplinar Indicação: 6º ao 9º Ano do Ensino Fundamental O funcionamento do cinto foi descrito em detalhe na aula 10. A finalidade desta aula é insistir sobre

Leia mais

SENADO FEDERAL SONO COM QUALIDADE SENADOR CLÉSIO ANDRADE

SENADO FEDERAL SONO COM QUALIDADE SENADOR CLÉSIO ANDRADE SENADO FEDERAL SONO COM QUALIDADE SENADOR CLÉSIO ANDRADE 2 Sono com qualidade apresentação Uma boa noite de sono nos fazer sentir bem e com as forças renovadas. O contrário também vale. Uma péssima noite

Leia mais

GRUPO V 2 o BIMESTRE PROVA A

GRUPO V 2 o BIMESTRE PROVA A Unidade Portugal Série: 6 o ano (5 a série) Período: MANHÃ Data: 8/6/2011 PROVA GRUPO GRUPO V 2 o BIMESTRE PROVA A Nome: Turma: Valor da prova: 3,0 Nota: Leia o texto e faça o que se pede a seguir. Filtro

Leia mais

Poluição do ar. Segundo o pesquisador Paulo Saldiva, coordenador. Deu no jornal. Nossa aula

Poluição do ar. Segundo o pesquisador Paulo Saldiva, coordenador. Deu no jornal. Nossa aula A UU L AL A Poluição do ar Segundo o pesquisador Paulo Saldiva, coordenador do laboratório de poluição atmosférica experimental da Faculdade de Medicina da USP, a relação entre o nível de poluição e a

Leia mais

Combate à poluição: importante como o ar que você respira.

Combate à poluição: importante como o ar que você respira. Combate à poluição: importante como o ar que você respira. Ar A poluição do ar e a sua saúde O que é poluente atmosférico? É toda e qualquer forma de matéria ou energia em quantidade, concentração, tempo

Leia mais

Andreia Vasconcelos Raposo da Silva. PRODUTOS PERIGOSOS

Andreia Vasconcelos Raposo da Silva. PRODUTOS PERIGOSOS Andreia Vasconcelos Raposo da Silva. PRODUTOS PERIGOSOS SÃO LUÍS MA 2014 ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ENSINO Andreia Vasconcelos

Leia mais

Cartilha É COM VOCÊ. Comportamento no Trânsito. Urbanidade / Série: Trânsito Nº 3

Cartilha É COM VOCÊ. Comportamento no Trânsito. Urbanidade / Série: Trânsito Nº 3 Cartilha É COM VOCÊ Comportamento no Trânsito Urbanidade / Série: Trânsito Nº 3 É notório que o comportamento do motorista no trânsito é fator decisivo à segurança dos próprios, bem como das demais pessoas

Leia mais

Por que os peixes não se afogam?

Por que os peixes não se afogam? Por que os peixes não se afogam? A UU L AL A Dia de pescaria! Juntar os amigos para pescar num rio limpinho é bom demais! Você já reparou quanto tempo a gente demora para fisgar um peixe? Como eles conseguem

Leia mais

www.detran.pr.gov.br

www.detran.pr.gov.br www.detran.pr.gov.br INFELIZMENTE, A MAIOR PARTE DOS ACIDENTES COM MORTES NO TRÂNSITO BRASILEIRO ENVOLVEM MOTOCICLISTAS. POR ISSO, O DETRAN PREPAROU ALGUMAS DICAS IMPORTANTES PARA VOCÊ RODAR SEGURO POR

Leia mais

MAPA DE RISCOS COMSAT

MAPA DE RISCOS COMSAT MAPA DE RISCOS COMSAT Comissão de Saúde do Trabalhador 1 - Cores usadas no Mapa de Risco e Tabela de Gravidade GRUPO 1: VERDE GRUPO 2: VERMELHO GRUPO 3: MARROM GRUPO 4: AMARELO GRUPO 5: AZUL Riscos Físicos

Leia mais

Í N D I C E PRÓLOGO 5

Í N D I C E PRÓLOGO 5 Í N D I C E PRÓLOGO 5 CAPÍTULO I - EDUCAÇÃO E SEGURANÇA NO TRÂNSITO Trânsito e transporte II) EDUCAÇÃO E SEGURANÇA NO TRÂNSITO Objetivos da educação e segurança para o trânsito A educação para o trânsito

Leia mais

Programa RespirAr. Asma e bronquite sem crise. RespirAr

Programa RespirAr. Asma e bronquite sem crise. RespirAr Programa RespirAr. Asma e bronquite sem crise. RespirAr Prevenir é o melhor remédio para uma boa saúde, evitando-se as doenças e suas complicações. Problemas respiratórios, por exemplo, podem se tornar

Leia mais

OS EFEITOS DO PÓ NOS PULMÕES

OS EFEITOS DO PÓ NOS PULMÕES OS EFEITOS DO PÓ NOS PULMÕES Introdução É possível que o nível de doenças ocupacionais provocadas pelo pó se encontre em declínio, embora isso não signifique que esteja desaparecendo. Na atualidade, os

Leia mais

Normas gerais de circulação e conduta

Normas gerais de circulação e conduta Normas gerais de circulação e conduta É muito importante a leitura do Capítulo III Normas Gerais de Circulação e Conduta, que vai dos artigos 26 ao 67, contidos no Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - FISPQ

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - FISPQ FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - FISPQ PRODUTO: BATERIA MOURA 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Nome da Empresa: Endereço: Bateria Moura Acumuladores Moura

Leia mais

Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos (MSDS)

Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos (MSDS) Página: 1/5 1 - Identificação do produto e da empresa - Nome do produto: TEMED (N,N,N,N -Tetramethylenediamine) - Código de identificação do produto: 161-0800N - Nome da Empresa: BioAgency Biotecnologia

Leia mais

FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO

FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO Página 1 de 6 FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO Em conformidade com NBR 14725-4/2012 FISPQ n : 223/14 Data: 01/09/14 Revisão: 0 Data Rev.: 01/09/14 1- IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO

Leia mais

Noções de Segurança e Higiene do Trabalho

Noções de Segurança e Higiene do Trabalho Noções de Segurança e Higiene do Trabalho Sinópse Generalidades. Antecedentes Históricos. Conceitos Básicos: - Acidente do Trabalho; - Atividades e Operações Insalúbres; - Riscos Ocupacionais; - Equipamentos

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PARA CONDUÇÃO SEGURAVEICULOS LEVES

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PARA CONDUÇÃO SEGURAVEICULOS LEVES PROCEDIMENTO OPERACIONAL PARA CONDUÇÃO SEGURAVEICULOS LEVES Sumário 1. INTRODUÇÃO... 2 2. OBJETIVO... 2 3. DOCUNTAÇÕES... 2 3.1 DO VEÍCULO... 2 3.2 DO CONDUTOR... 2 4. TREINAMENTOS... 2 5. PRATICAS SEGURAS

Leia mais

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI Equipamento De Proteção Individual - EPI Definição: EPI é todo dispositivo de uso individual, destinado a proteger a integridade física do trabalhador. EPI (s)

Leia mais

GUIA DE SEGURANÇA PARA CICLISTAS

GUIA DE SEGURANÇA PARA CICLISTAS GUIA DE SEGURANÇA PARA CICLISTAS Começar a pedalar é uma ó ma opção para quem se preocupa com o meio ambiente e com a sua própria saúde. Mas, antes das primeiras pedaladas, é preciso seguir alguns passos

Leia mais

SENSOR STK 817 SENSOR DE VAZAMENTO DE GÁS STK 817. www.samtek.com.br SAMTEK

SENSOR STK 817 SENSOR DE VAZAMENTO DE GÁS STK 817. www.samtek.com.br SAMTEK SENSOR DE VAZAMENTO DE GÁS STK 817 www.samtek.com.br Agradecemos a sua preferência por nossos produtos. Nossos produtos possuem vários certificados nacionais e internacionais sendo projetados de modo a

Leia mais

Dicas de Segurança II

Dicas de Segurança II Dicas de Segurança II Ao Viajar Casa ou apartamento Não comente sua viagem com pessoas estranhas por perto. Avise a um vizinho de confiança sobre a sua viagem. Se possível, deixe um número de telefone

Leia mais

ANEXO VII: NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3)

ANEXO VII: NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3) ANEXO VII: NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3) NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3) 9.1. Do objeto e campo de aplicação. 9.1.1. Esta Norma Regulamentadora

Leia mais

Divirta-se com o Clube da Química

Divirta-se com o Clube da Química Divirta-se com o Clube da Química Produzido por Genilson Pereira Santana www.clubedaquimica.com A idéia é associar a Química ao cotidiano do aluno usando as palavras cruzadas, o jogo do erro, o domino,

Leia mais

1.1 Segurança do trabalho

1.1 Segurança do trabalho 1.1 Segurança do trabalho A Segurança do Trabalho pode ser entendida como o conjunto de medidas adotadas, visando minimizar os acidentes de trabalho, doenças ocupacionais, bem como proteger a integridade

Leia mais

Confederação Nacional do Transporte - CNT Diretoria Executiva da CNT. DESPOLUIR Programa Ambiental do Transporte

Confederação Nacional do Transporte - CNT Diretoria Executiva da CNT. DESPOLUIR Programa Ambiental do Transporte Confederação Nacional do Transporte - CNT Diretoria Executiva da CNT DESPOLUIR Programa Ambiental do Transporte Promoção SEST / SENAT Conteúdo Técnico ESCOLA DO TRANSPORTE JULHO/2007 Queimadas: o que

Leia mais

FISPQ. FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO NBR 14725 NOME DO PRODUTO: Solução Titulante

FISPQ. FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO NBR 14725 NOME DO PRODUTO: Solução Titulante NOME DO PRODUTO: Solução Titulante 1/12 FISPQ NRº. 28 1- IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome Comercial do Produto: Solução Titulante Nome Químico: Solução Ácida a 0,1 N Nome da Empresa: Hidroazul

Leia mais

Guia de Boas Práticas para o Ciclista

Guia de Boas Práticas para o Ciclista Guia de Boas Práticas para o Ciclista Sumário Guia de Boas Práticas para o Ciclista Fortaleza - CE Dezembro de 2014 Sindicato da Indústria da Construção Civil do Ceará Sinduscon-CE www.sindusconce.com.br

Leia mais

MANUAL DOS PAIS UM PROJETO DESTINADO ÀS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL E SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

MANUAL DOS PAIS UM PROJETO DESTINADO ÀS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL E SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 UM PROJETO DESTINADO ÀS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL E SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL É hora de promover a segurança e a harmonia no trânsito. E os pais podem dar o exemplo. No Brasil, o índice

Leia mais

Inicie a disciplina apresentando novamente o objetivo geral e agora os específicos para esta aula que estão no Plano

Inicie a disciplina apresentando novamente o objetivo geral e agora os específicos para esta aula que estão no Plano Inicie a disciplina apresentando novamente o objetivo geral e agora os específicos para esta aula que estão no Plano de Aula Teórica da disciplina de Legislação de Trânsito 14, neste material. 115 Para

Leia mais

Prova 1: Leitura, compreensão de textos e formas linguísticas

Prova 1: Leitura, compreensão de textos e formas linguísticas Instruções: A seguir, você encontrará três textos e uma série de perguntas relativas a cada um deles. Há apenas um tipo de questão: múltipla escolha - seleção de uma resposta entre quatro opções: a)...

Leia mais

Concurso de Motorista - 2014

Concurso de Motorista - 2014 PORTUGUÊS MATEMÁTICA 01 QUESTÃO Analise as alternativas abaixo e assinale a alternativa correta na divisão silábica. A ( ) par aná; sá-ba-do. B ( ) ó cu-los; sa-la-da. C ( ) ci-garro; ca-na. D ( ) Todas

Leia mais

usoresponsável dogás energia para crescer Material de apoio

usoresponsável dogás energia para crescer Material de apoio usoresponsável dogás energia para crescer Material de apoio Proteção do meio ambiente O gás é um hidrocarboneto, formado no interior da Terra há milhões de anos. Ele é o produto da decomposição de animais

Leia mais

Equipamentos de segurança

Equipamentos de segurança Equipamentos de segurança Airbag Cinto de segurança Cadeirinha para criança 1 cartilha.indd 1 6/8/2010 19:29:28 Para que correr riscos? O hábito do uso do cinto de segurança no banco da frente já é um

Leia mais

GASES PERIGOSOS NOS ESPAÇOS CONFINADOS

GASES PERIGOSOS NOS ESPAÇOS CONFINADOS GASES PERIGOSOS NOS ESPAÇOS CONFINADOS Nos diversos ambientes, muitos deles existentes no subsolo, como galerias, esgotos, os porões nas edificações, tanques etc., pela natureza de seus projetos e finalidades,

Leia mais

FISPQ - Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico

FISPQ - Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico FISPQ - Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Código interno: Empresa: FLEXOTOM INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE PRODUTOS QUÍMICOS PARA CONSTRUÇÃO

Leia mais

ORDEM DE SERVICO nº 4-2011/PR Unidade Transporte Função: MOTORISTA

ORDEM DE SERVICO nº 4-2011/PR Unidade Transporte Função: MOTORISTA ORDEM DE SERVICO nº 4-2011/PR Unidade Transporte Função: MOTORISTA O Instituto de Assistência dos Servidores Públicos do Estado de Goiás - IPASGO, C.N.P.J. 01.246.693/0001-60, em cumprimento às determinações

Leia mais

Revisão 15 Abril/13 FISPQ N o 0002-13 Página 1 de 5

Revisão 15 Abril/13 FISPQ N o 0002-13 Página 1 de 5 FISPQ N o 0002-13 Página 1 de 5 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA NOME COMERCIAL Thinner 2750 NOME DO FABRICANTE ANJO QUIMICA DO BRASIL LTDA Rodovia SC, 447 Km 02 Criciúma Santa Catarina CEP: 88.817-440

Leia mais

Para aprendermos a combater o fogo, precisamos conhecê-lo muito bem. Fogo - É uma reação em cadeia de três elementos que produz luz e calor.

Para aprendermos a combater o fogo, precisamos conhecê-lo muito bem. Fogo - É uma reação em cadeia de três elementos que produz luz e calor. COMBATE A INCÊNDIO 116 1 Combate a incêndio Para aprendermos a combater o fogo, precisamos conhecê-lo muito bem. Fogo - É uma reação em cadeia de três elementos que produz luz e calor. Os três elementos

Leia mais

Riscos Ambientais MAPA DE RISCOS

Riscos Ambientais MAPA DE RISCOS Riscos Ambientais MAPA DE RISCOS MAPA DE RISCOS Previsto na NR 5. 5.16 A CIPA terá por atribuição: a) identificar os riscos do processo de trabalho, e elaborar o mapa de riscos, com a participação do maior

Leia mais

ÍNDICE DE ACIDENTES NO PERÍMETRO URBANO DE CÁCERES

ÍNDICE DE ACIDENTES NO PERÍMETRO URBANO DE CÁCERES ÍNDICE DE ACIDENTES NO PERÍMETRO URBANO DE CÁCERES Rodrigo Barretto Vila 1 RESUMO Glaidson de Souza Pezavento Tatiani Nascimento Santos Miriam Nascimento Santos Ashley da Silva Costa 2 Com a finalidade

Leia mais

DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DE ALAGOAS - DETRAN/AL QUESTÕES SOBRE INFRAÇÃO

DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DE ALAGOAS - DETRAN/AL QUESTÕES SOBRE INFRAÇÃO O veículo estacionado, afastado da guia da calçada (meio fio) a mais de um metro, faz do seu condutor um infrator cuja punição será: 1 retenção do veículo e multa, infração média. 2 apreensão do veículo

Leia mais

FISPQ. Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico ANTIOXIDANTE BHT ANTIOXIDANTE BHT ANTIOXIDANTE BHT. Utilizado como antioxidante.

FISPQ. Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico ANTIOXIDANTE BHT ANTIOXIDANTE BHT ANTIOXIDANTE BHT. Utilizado como antioxidante. Folha: 1 / 6 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Código Interno: Principais usos recomendados: Utilizado como antioxidante. Cas number: 128-37-0 Empresa: Endereço: Basile Química

Leia mais

Colégio dos Santos Anjos Avenida Iraí, 1330 Planalto Paulista www.colegiosantosanjos.g12.br A Serviço da Vida por Amor

Colégio dos Santos Anjos Avenida Iraí, 1330 Planalto Paulista www.colegiosantosanjos.g12.br A Serviço da Vida por Amor Colégio dos Santos Anjos Avenida Iraí, 1330 Planalto Paulista www.colegiosantosanjos.g12.br A Serviço da Vida por Amor Curso: EF II Ano: 9º ano A/B Componente Curricular: Ciências Naturais Professor: Mario

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE. Ciências Naturais. 5º Ano. Terrestre: Produção do Ecossistema

PLANO DE TRABALHO DOCENTE. Ciências Naturais. 5º Ano. Terrestre: Produção do Ecossistema PLANO DE TRABALHO DOCENTE Ciências Naturais 5º Ano Professora: Mariangela Morais Miguel Celeste: Produção do Universo Terrestre: Produção do Ecossistema Histórico social: Produção da ExistênciaHumana 2.

Leia mais

Combate as alterações climáticas. Reduz a tua pegada e muda o mundo!!

Combate as alterações climáticas. Reduz a tua pegada e muda o mundo!! Combate as alterações climáticas Reduz a tua pegada e muda o mundo!! O dióxido de carbono é um gás naturalmente presente na atmosfera. À medida que crescem, as plantas absorvem dióxido de carbono, que

Leia mais

Noções de Cidadania. Profª Karin

Noções de Cidadania. Profª Karin Noções de Cidadania Profª Karin Meio Ambiente e Saúde Ecologia: estudo seres vivos, ambiente, solo, água, ar, animais e vegetais. Equilíbrio entre o homem e meio ambiente. Avaliar as atitudes e consequências

Leia mais

- Física e Segurança no Trânsito -

- Física e Segurança no Trânsito - - Informações gerais: - Física e Segurança no Trânsito - -No mundo todo, mais de 1 milhão de mortes por ano em acidentes de trânsito. - No Brasil, são mais de 40 mil mortes por ano, incluídas aí mais de

Leia mais

CINTO DE SEGURANÇA. Engº MARCUS ROMARO, MSc Consultoria Automotiva Fone: (19) 9654.8013 E-Mail: mr.romaro@gmail.com

CINTO DE SEGURANÇA. Engº MARCUS ROMARO, MSc Consultoria Automotiva Fone: (19) 9654.8013 E-Mail: mr.romaro@gmail.com CINTO DE SEGURANÇA SEGURANÇA VEICULAR Durante muito tempo, Segurança e Automóvel não eram considerados parceiros Consumidores, vendedores e usuários não se lembravam disto na ocasião da compra de um veículo

Leia mais

DIREÇÃO DEFENSIVA OU PREVENTIVA. Trânsito seguro é um direito de todos

DIREÇÃO DEFENSIVA OU PREVENTIVA. Trânsito seguro é um direito de todos DIREÇÃO DEFENSIVA OU PREVENTIVA Trânsito seguro é um direito de todos TRANSITO LEGAL DIREÇÃO DEFENSIVA Sabem o que significa? Conduzir de modo a evitar acidentes, apesar das ações erradas dos outros e

Leia mais

REGRAS PARA NÃO SE TORNAR UMA VÍTIMA DA VIOLÊNCIA URBANA

REGRAS PARA NÃO SE TORNAR UMA VÍTIMA DA VIOLÊNCIA URBANA SEGURANÇA PESSOAL EM ÁREAS DE ALTO RISCO REGRAS PARA NÃO SE TORNAR UMA VÍTIMA DA VIOLÊNCIA URBANA (Adaptação) BANCO DO BRASIL DILOG/ PRINCIPAIS AMEAÇAS Seqüestro relâmpago Com duração de 1 a 24 horas,

Leia mais

BANCO DO BRASIL GEREL Belo Horizonte (MG) NUSEG - Núcleo de Segurança SEGURANÇA PESSOAL EM ÁREAS DE ALTO RISCO

BANCO DO BRASIL GEREL Belo Horizonte (MG) NUSEG - Núcleo de Segurança SEGURANÇA PESSOAL EM ÁREAS DE ALTO RISCO SEGURANÇA PESSOAL EM ÁREAS DE ALTO RISCO REGRAS PARA NÃO SE TORNAR UMA VÍTIMA DA VIOLÊNCIA URBANA (Adaptação) DILOG/ PRINCIPAIS AMEAÇAS Seqüestro relâmpago Com duração de 1 a 24 horas, geralmente para

Leia mais

COLÉGIO ALEXANDER FLEMING SISTEMA RESPIRATÓRIO. Profª Fernanda Toledo

COLÉGIO ALEXANDER FLEMING SISTEMA RESPIRATÓRIO. Profª Fernanda Toledo COLÉGIO ALEXANDER FLEMING SISTEMA RESPIRATÓRIO Profª Fernanda Toledo RECORDAR Qual a função do alimento em nosso corpo? Por quê comer????? Quando nascemos, uma das primeiras atitudes do nosso organismo

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA ESTADUAL DE DEFESA SOCIAL DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DETRAN/AL

ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA ESTADUAL DE DEFESA SOCIAL DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DETRAN/AL RELATÓRIO COMPARATIVO DE ACIDENTES DE TRÂNSITO DADOS REFERENTES AO DETRAN-AL, POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL (PRF), DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM (DER), BATALHÃO DE POLICIAMENTO RODOVIÁRIO (BPRv) E AO

Leia mais

Vamos falar sobre câncer?

Vamos falar sobre câncer? Vamos falar sobre câncer? O SIEMACO sempre está ao lado dos trabalhadores, seja na luta por melhores condições de trabalho, lazer e educação ou na manutenção da saúde, visando a promoção e ascensão social.

Leia mais

FISPQ. Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico ACELERADOR DE VULCANIZAÇÃO MBTS-80 ACELERADOR DE VULCANIZAÇÃO MBTS-80

FISPQ. Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico ACELERADOR DE VULCANIZAÇÃO MBTS-80 ACELERADOR DE VULCANIZAÇÃO MBTS-80 Folha: 1 / 5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Código Interno: Principais usos recomendados: Master de acelerador de vulcanização de borracha MBTS-80. Acelerador de vulcanização;

Leia mais

1.1 Poluentes atmosféricos. 1.2 Principais Poluentes Atmosféricos

1.1 Poluentes atmosféricos. 1.2 Principais Poluentes Atmosféricos 18 1. Introdução Nos últimos anos, o crescimento econômico dos países desenvolvidos provocou o aumento da demanda mundial por energia. Com esta também veio um forte aumento da dependência do petróleo e

Leia mais

P Ú B L I C O I N T E R N O

P Ú B L I C O I N T E R N O Apresentação O Banrisul valoriza seus colaboradores por entender que estes são a essência do negócio. A promoção da qualidade de vida e da segurança dos funcionários é uma prática constante que comprova

Leia mais

FERNANDO LEAL DA COSTA: "FISCALIZAÇÃO E PUNIÇÃO SÃO DECISIVAS NA NOVA LEI DO ÁLCOOL" 1

FERNANDO LEAL DA COSTA: FISCALIZAÇÃO E PUNIÇÃO SÃO DECISIVAS NA NOVA LEI DO ÁLCOOL 1 FERNANDO LEAL DA COSTA: "FISCALIZAÇÃO E PUNIÇÃO SÃO DECISIVAS NA NOVA LEI DO ÁLCOOL" 1 FERNANDO LEAL DA COSTA: "FISCALIZAÇÃO E PUNIÇÃO SÃO DECISIVAS NA NOVA LEI DO ÁLCOOL" "Fiscalização e punição dos infractores

Leia mais

NOME DO PRODUTO: THINNER F-15

NOME DO PRODUTO: THINNER F-15 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA NOME DO PRODUTO: Thinner F-15 NOME COMERCIAL: Thinner F-15 Código Interno: PA.000001 NOME DO FABRICANTE EMPRESA: VELOZ QUÍMICA DERIVADOS DE PETRÓLEO E SOLVENTES

Leia mais

SUMÁRIO. Localidades da pesquisa, amostra e entrevistas realizadas por Área de Planejamento AP s 2. Caracterização do entrevistado sem carteira 04

SUMÁRIO. Localidades da pesquisa, amostra e entrevistas realizadas por Área de Planejamento AP s 2. Caracterização do entrevistado sem carteira 04 Pesquisa de Opinião Pública sobre as Campanhas Educativas para o Trânsito & da I m a g e m I n s t i t u c i o n a l da CET- RIO Relatório de Pesquisa 2008 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 03 PRINCIPAIS RESULTADOS

Leia mais

Evolução do número de mortes no trânsito em São Paulo

Evolução do número de mortes no trânsito em São Paulo Nota Técnica 232 2014 Evolução do número de mortes no trânsito em São Paulo Max Ernani Borges De Paula Banco de dados de vítimas dos acidentes de trânsito fatais A Companhia de Engenharia de Tráfego realiza

Leia mais