editorial Depois de POR CARMO NETO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "editorial Depois de POR CARMO NETO"

Transcrição

1 editorial 1 tranquilidade #12 DEZ 2010 FEV 2011 POR CARMO NETO Depois de momentos difíceis que condicionaram a regularidade trimestral da Revista oficial da Polícia Nacional, a 12.ª edição de Tranquilidade chega finalmente às mãos dos leitores. Numa perspectiva de 4 edições no ano, esta é a única que saí, pelo que os leitores poderão observar um conjunto de textos que cruzam todo 2010, de Janeiro a Dezembro, em representação do somatório dos vários textos que foram sendo agrupados, pensando-se sempre na sua edição oportuna. Entre os vários factores que condicionaram a saída regular da Tranquilidade, assinalamos a necessidade que foi pensada numa reviravolta do seu layout. Então, o leitor vai ter em mãos não só a única Revista Tranquilidade publicada em 2010 mas também a primeira com uma nova cara, em que procuramos destacar a imagem e textos curtos, O grande destaque é mesmo as várias vertentes do combate à criminalidade, condensado num Dossier, mas também abordados um pouco por todos os outros textos. A escolha deste tema se deve ao crescimento do índice de criminalidade com páginas mais arejadas, para facilitar ainda mais a comunicação e, consequentemente, a leitura. Não variando muito em termos de conteúdos, o grande destaque é mesmo às várias vertentes do combate à criminalidade, condensado num Dossier, mas também abordados um pouco por todos os outros textos. A escolha deste tema se deve ao crescimento do índice de criminalidade que tem merecido a tenção da corporação. E frequentemente, na sociedade, temos vindo a discutir, cada um a seu nível, sobre a tal tendência. São vários os ângulos de abordagem, que circulam pelas causas, métodos policiais de abordagem da criminalidade, consequências e até soluções para se pôr termo a este fenómeno que muitos males tem provocado às comunidades. Relativamente ao Dossier, um dos textos que o abre é o da intervenção do comandante geral da Polícia Nacional, Comissário Geral Ambrósio de Lemos Freire dos Santos. Na ocasião, e como recomendação explícita, Ambrósio de Lemos afirmou que não haveria tréguas para os transgressores, fundamentalmente àqueles que recorrem às armas de fogo no cometimento de crimes. Este Dossier traz várias contribuições de entidades diversas e dos mais distintos ramos do conhecimento, dentre as quais uma entrevista concedida exclusivamente para o Dossier, dada pelo malogrado Frei João Domingos ainda no início de A título póstumo, publicamo-la para homenagear esse filho de Angola que muito defendeu o resgate dos valores morais, um caminho viável para o combate à delinquência juvenil, razão múltipla da criminalidade. Na conversa com o nosso repórter, reconheceu que a Polícia tem uma tarefa extremamente ingrata neste momento, porque há uma responsabilidade que muitos têm e não cumprem. O leitor poderá ainda deliciar-se com as entrevistas concedidas pelo psiquiatra Rui Pires que, entre outros aspectos, afirma que muitos crimes são cometidos em Angola por pessoas mentalmente perturbadas, e a do sociólogo José Lencastre, defendendo que 80 por cento» dos criminosos presos são jovens. Quem também

2 editorial 2 tranquilidade #12 DEZ 2010 FEV 2011 Na sua já habitual viagem pelas províncias do país, Tranquilidade esteve no Bié e no Moxico para fotografar as acções policiais de manutenção da ordem e tranquilidade públicas.» deixou o seu comentário foi o então director dos Serviços Prisionais, actualmente director do Gabinete de Estudos, Informação e Análise do Ministério do Interior, Jorge Mendonça, tendo afirmado que todo o detido em Angola tem acesso ao sistema de ensino. Ainda no percurso do combate à criminalidade, trazemos algumas informações sobre violação sexual de menores, em que a Polícia pede maior envolvimento da sociedade pois, com frequência, o crime ocorre no seio familiar, escolar ou religioso, levando alguns dos seus membros a acobertar o crime por alegada protecção do bom nome da instituição, mas provocando o aumento do sofrimento da vítima e o aumenta do sentido de impunidade do violador. Isso nos levou a apresentar ao leitor um conjunto de conselhos e recomendações às potenciais vítimas e respectivas famílias. Pela actualidade, Tranquilidade conserva os registos das alterações que aconteceram a nível do Ministério, agora dirigido pelo comissário-chefe Sebastião António Martins, em substituição do general Roberto Leal Ramos Monteiro Ngongo, e a nível do Comando Geral da Polícia com a nomeação de novos comandante provinciais e directores nacionais. No espaço dedicado às notícias, o leitor poderá acompanhar alguns passos que marcaram a vida da PN, como a intensa jornada de campo nos municípios do Cazenga e Viana do Comissário Geral Ambrósio de Lemos, o desmantelamento de uma rede de falsificadores de documentos, na vulgarmente conhecida zona do Pau Grande, no Cazenga, e algumas acções de formação em benefício de efectivos dos distintos órgãos da Polícia. Também destacamos nesta edição aspectos relativos ao seguro obrigatório de responsabilidade civil automóvel. Na sua já habitual viagem pelas províncias do país, Tranquilidade esteve no Bié e no Moxico para fotografar as acções policiais de manutenção da ordem e tranquilidade públicas. No Internacional, conduzimos uma entrevista com o segundo comandante da Polícia da República de Moçambique (PRM), o comissário Jaime Basílio Monteiro. Promovido no segundo semestre deste ano a Primeiro Adjunto do Comissário da Polícia no escalão de Oficiais Generais, Jaime Basílio, actualmente Director Nacional da Ordem e Segurança Pública da PRM, disse que também em Moçambique se apregoa que o combate à criminalidade não é um problema exclusivo da Polícia. No espaço de cultura, visitamos a Casa Museu Óscar Ribas e os Museus de Escravatura e o Nacional de História Militar, situado na Fortaleza de São Miguel, onde o último roubo aconteceu em 1992, cujo material roubado foi fundido mesmo cá no país e, depois, comercializado na vizinha República da Namíbia. Mas não ficamos por Angola. Numa viagem por Cabo Verde, fomos ao ex-campo de concentração de Tarrafal, lugar onde muitos nacionalistas angolanos acabaram desterrados por defenderem o fim da colonização de Angola por parte do Portugal Fascista. Para espairecer, o leitor poderá apreciar outros textos sobre este período doirado do Inter Clube de Angola, que se sagrou campeão africano de basquetebol a nível sénior feminino, campeão nacional de Futebol e campeão nacional de andebol em sénior masculino. Esperando sempre que o cidadão exerça os seus direitos e deveres pela manutenção da sua própria segurança e da sua comunidade, Tranquilidade deseja-lhe boa leitura e um ano 2011 cheio de prosperidade.

3

4 Notícias 08 COMISSÁRIO-CHEFE SEBASTIÃO MARTINS Novo ministro do Interior quer ver reforçado o sentimento de segurança dos cidadãos e pede mais fiscalização às unidades e efectivos policiais 12 Comandante geral da Polícia Nacional Comissário geral Ambrósio de Lemos avalia prontidão da tropa Províncias 24 Tranquilidade esteve em reportagem pelo Moxico e Bié e testemunhou como andam a ordem e tranquilidade públicas. Dossier 42 Criminalidade A quem compete combater a criminalidade e como cada um de nós pode contribuir para que o crime não vinque nas nossas comunidades? 50 Dias antes da sua morte, Frei João Domingos falou à Tranquilidade sobre a solução ideal para o combate a criminalidade. Homenagem 56 Sandra Marisa Mariano, a agente reguladora de trânsito trucidada por taxista que conduzia desencartado tem aqui o nosso reconhecimento Viva Com Tranquilidade 58 COMBATE À VIOLAÇÃO SEXUAL DE MENORES Polícia pede maior envolvimento da sociedade e Interpol entra na jogada Internacional 64 Polícia moçambicana redobra esforços para estancar a criminalidade Cultura 66 Tranquilidade radiografa segurança nos museus da Escravatura, o Central das Forças Armadas e a Casa Museu Óscar Ribas, no Museu da Escravatura. 68 Ex-casa de reclusão

5 em Cabo Verde: Há um Tarrafal que poucos angolanos conhecem! Desporto 74 INTERCLUBE CELEBRA 35 ANOS DE EXISTÊNCIA 76 CAMPEÃO Interclube vence Girabola mais competitivo de sempre 78 INTERCLUBE CAMPEÃO AFRICANO FEMININO DE BASQUETEBOL Bizerte coloca África aos pés de Angola 80 ANDEBOL MASCULINO Interclube conquista Taça de Angola Perfil do Agente 84 João António, oficial das Transgressões índice Orgão de Informação e de Cultura do Comando Geral da Polícia Nacional Tranquilidade 12 REVISTA TRANQUILIDADE Publicação do Comando Geral da Polícia Nacional. Ano 9 N.º 12, de Fevereiro de 2011 CONSELHO EDITORIAL: Comandante Geral da Polícia Nacional, Comissário Geral Ambrósio de Lemos, Segundo Comandante Geral para a Ordem Pública, Comissário Chefe Paulo de Almeida, Comissário Paulo Francisco, Comissário Maurício Alexandre, Comissário Carmo Neto, Subcomissário Arnaldo Carlos. Director Geral Comissário Carmo Neto Chefe de redacção: António Quino Redacção: Albertina Eduardo, Jorge Lemos, Hélio Kanda, Yolanda Dias. Colaboradores permanentes: Nhuca Júnior, Adelino Paím, Carlos Miranda, Gaspar Francisco, Manuel Feio, Celestino Andrade. Fotografia: António Pedro, José Roberto, João Barata, Quintiliano dos Santos e João Manuel Administração e secretariado: Filomena Sanches Projecto gráfico e Edição de Arte: Carlos Roque Sede: Bairro da Polícia, Luanda. Telefone: Propriedade: Comando Geral da Polícia Nacional Registo n.º MCS/374/B/2004 Tiragem: exemplares Impressão e acabamento: DAMER, S.A, Luanda Sul, edifício DAMER

6 Viação e Trânsito e a quadra festiva A Direcção Provincial de Viação e Trânsito no Kwanza-Sul vai destacar 300 agentes para trabalharem em acções de prevenção rodoviária durante a quadra festiva, anunciou, no dia 11 de Dezembro, o segundo comandante para a Ordem Pública, Mário Luís tranquilidade #12 DEZ 2010 FEV 2011 on Quadrilhas desmanteladas em Cabinda s A operação Restauro-II, realizada, na segunda quinzena de Novembro de 2010, em Cabinda, pela Polícia Nacional culminou com o desmantelamento de duas quadrilhas que actuavam, com armas de fogo, nos bairros periféricos, anunciou a corporação. Uma nota do Gabinete de Informação e Análise do Comando Provincial de Cabinda da Polícia, citada pela Angop, refere que estão presos elementos dos grupos PM e Puto da Banda. A Polícia estacionada em Cabinda prendeu também indivíduos acusados de crime contra a segurança de Estado e instigação à desobediência colectiva. A operação Restauro-II permitiu igualmente identificar quatro locais de venda de estupefacientes e desmantelar grupos ligados ao auxílio à imigração clandestina e falsificadores de documentos, como assentos de nascimento, cédulas e Bilhetes de Identidade. A Polícia deteve vários cidadãos oeste africanos, sendo dois nigerianos, um ivoiriense, dois camaroneses e dois malianos que aguardam o repatriamento. semáforo

7 armas de diversos calibres, munições, 68 carregadores e 17 explosivos foram recepcionados, no Moxico, no âmbito do processo de desarmamento voluntário da população civil. Durante 2009 foram descobertos três esconderijos que continham granadas M-962, minas anti-pessoal, munições tipo B-10, um míssil e projécteis de RPG-7. 75% de crimes esclarecidos e detidos mais de 25 mil indivíduos indiciados como autores ou suspeitos da sua prática. Recuperados 600 telemóveis roubados, elevadas quantidades de droga no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro e grandes somas de valores em dinheiro a cidadãos estrangeiros e nacionais que pretendiam fazê-las sair do país. É resultado do esforço da PN, segundo Ambrósio de Lemos. de& quando 7 tranquilidade #12 DEZ 2010 FEV 2011 top! postos notíciaspn Na mira da fiscalização Os comerciantes apanhados a especular preços de produtos alimentares durante a quadra festiva vão ser punidos com prisão até dois anos e multa, alertou Cristiano Francisco, da inspecção da Polícia Económica, que criou 70 brigadas distribuídas pelo país, A fiscalização abrange taxistas, que encurtam rotas ou cobrem preços além do estabelecido e de venda de combustíveis e lubrificantes..divisão do Cazenga desmantela rede de falsificadores durante a Cazenga Balumuca Atenção: violência sexual contra menores ocorre no seio familiar, escolar ou religioso 24/25 de Dez 2010: 98 acidentes, 21 mortos, 101 feridos e prejuízos de Kz

8 8 tranquilidade #12 DEZ 2010 FEV 2011 onde& quando notíciaspn Ministério do Interior tem um novo titular O comissário-chefe Sebastião Martins, de 49 anos e natural de Luanda, é o novo ministro do Interior, em substituição a Roberto Leal Monteiro Ngongo. Nomeado por decreto presidencial no dia 4 de Outubro, o novo ministro recebeu no mesmo mês as pastas do Ministério do Interior, numa cerimónia que ficou marcada pela transferência de poder e assistida por altos funcionários do Ministério do Interior. O novo ministro do Interior disse, na ocasião, ser imperioso reforçar o sentimento de segurança dos cidadãos, enfrentando e reprimindo com eficácia o crime. Para Sebastião Martins, é necessário avaliar e melhorar o conceito e acção ligada ao policiamento de proximidade. O novo titular da pasta do Interior garantiu que vai afastar todos aqueles que não se identifiquem com a causa da corporação e que manchem ou obstaculizem os objectivos do Ministério do Interior. RESPONSÁVEIS DO INTERI Ministro pede mais fiscalização às unidades e efectivos policiais: Sebasti O ministro do Interior, comissário-chefe Sebastião Martins, defendeu, em Luanda, a fiscalização sistemática e sem aviso prévio das unidades e esquadras policiais, estruturas dos Serviços de Migração e Estrangeiros (SME) e dos Serviços Prisionais, de modo a aferir a qualidade do atendimento ao cidadão. Usando da palavra na cerimónia de tomada de posse dos novos responsáveis do Ministério do Interior, realizada no dia 1 de Novembro, o titular da pasta defendeu a avaliação permanente da actividade policial e uma maior atenção do comportamento ético e deontológico dos efectivos. Em relação ao Serviço de Migração e Estrangeiros, Sebastião Martins defendeu um combate cerrado à imigração ilegal e ao comportamento promíscuo de alguns funcionários desse órgão. A situação é preocupante disse, acrescentando que não se pode aceitar, nem entender que um asiático atravesse dois continentes para se instalar em Angola, abrir um negócio de tirar fotocópias e fotografias e, com toda a naturalidade, aproveite esse negócio de fachada para praticar ilícitos, como a falsificação de documentos. Não entendemos e muito menos podemos aceitar que um cidadão que na Europa cometeu fraudes, indiciado ou foragido por práticas criminosas, apareça

9 9 tranquilidade #12 DEZ 2010 FEV 2011 Da esquerda para a direita: Ambrósio de Lemos, Eugénio Laborinho, Ângelo Tavares, Sebastião Martins, Bamukina Zau e Margarida Jordão aqui como investidor reclamando privilégios e atenção. Não entendemos nem podemos aceitar que um cidadão africano, alegando que o seu país está com problemas e necessita de apoio OR TOMARAM POSSE ão Martins defende eficácia máxima das forças da ordem ou asilo, atravesse cinco ou mais países, passe por todas essas fronteiras atravessando praticamente todo o continente e só em Angola encontre segurança e se fixe. Argumentou que, de um dia para o outro, esses estrangeiros têm cinco ou dez mil dólares para abrir cantinas ou outros negócios de proximidade, que deveriam estar reservados aos angolanos, tendo referido também aqueles que se deslocam às zonas diamantíferas para se dedicarem ao garimpo e ao tráfico de diamantes. Denunciou ainda a existência no país de um grupo de estrangeiros que, sob capa de vendedores de peças de automóveis, se dedicam ao tráfico de drogas. Sebastião Martins disse que os desafios são grandes e defendeu o empenho de todos no cumprimento das suas missões. Não nos deixemos influenciar por incompreensões ou críticas infundadas, porque a única razão que nos guia e nos move é servir a sociedade e a pátria, rematou. Desafios O ministro do Interior lembrou que a sociedade clama por uma presença mais visível e eficaz das forças da ordem interna, particularmente das policiais que, com a sua capacidade de reacção pró-activa, assumam de facto um papel preventivo, capaz de garantir ou sustentar um verdadeiro sentimento de segurança aos cidadãos, disse. Adiantou que a sociedade clama, também, por um sistema penitenciário que, ao executar as medidas de privação de liberdade aos cidadãos em conflito com a lei, se assuma essencialmente como um sistema modelo pela sua capacidade de ressocializar e formar um homem novo. A sociedade clama por um serviço de bombeiros e protecção civil que, dotado de estruturas de protecção e socorros adequados, seja capaz de

10 10 tranquilidade #12 DEZ 2010 FEV 2011 onde& quando notíciaspn reagir com prontidão e eficácia à ocorrência de qualquer incidente e actue com eficiência no campo da prevenção de sinistros e não de estruturas que se esgotem em acções de charme. Sebastião Martins defendeu o profissionalismo, o espírito de missão e o sentido de cidadania dos agentes da autoridade, obedecendo aos princípios éticos e deontológicos. Tomada de posse O ministro conferiu posse ao general Fernando Torres Vaz da Conceição Mussolo no cargo de inspector-geral, enquanto o comissário Domingos Ferreira de Andrade é o novo director dos Serviços Prisionais. O comissário António Vicente Gimbe tomou posse como comandante dos Serviços de Bombeiros e Protecção Civil, enquanto João Maria de Freitas Neto é o novo director dos Serviços de Migração e Estrangeiros, SME. Foram ainda empossados Jorge Mendonça, no cargo de director do Gabinete de Estudos, Informação e Análise, enquanto o superintendente chefe Paulo Alexandre da Costa foi investido no cargo de director de Planeamento e Finanças. Joaquim Maciel tomou posse como director de Logística e Hermenegildo José Félix é o inspector- -geral adjunto para Área de Finanças. Mário António Rodrigues da Silva Neto foi investido no cargo de director do gabinete do ministro, ao passo que João Lopes de Sousa tomou posse como consultor do titular da pasta e Carlos Alberto Gonçalves como assessor de imprensa. O ministro do Interior considerou crítico o quadro que se vive nos Serviços Prisionais, devido à superlotação dos estabelecimentos penitenciários. Sustentou que os investimentos feitos não são suficientes e, do ponto de vista da estratégia funcional, o desafio é criar condições para a rápida expansão do parque carcerário. Argumentou que a solução não é simplesmente construir mais cadeias, mas integrar os reclusos em processos produtivos bem estruturados, com áreas de artes e ofícios, ensino regular e técnicoprofissional. Não nos deixemos influenciar por incompreensões ou críticas infundadas, porque a única razão que nos guia e nos move é servir a sociedade e a pátria O processo de reestruturação foi extensivo ao Comando Geral da Polícia Nacional, em que se primou pela adequação do grau policial à função. Nessa perspectiva, foram promovidos aos graus de comissário-chefe, Salvador Rodrigues Dodó, Inspector do Comando-Geral da Polícia Nacional, e Alberto Jorge Antunes Jojó, comandante Nacional da Polícia de Guarda Fronteira de Angola. Portanto, juntando-se aos comissário-chefes Sebastião Martins, ministro do Interior, Paulo de Almeida, 2.º comandante geral Oficiais comissários da Polícia renovam votos de fidelidade à Pátria para a Ordem Pública, passam a existir na Polícia Nacional quatro oficiais comissário com tal grau. Foram igualmente promovidos outros oficiais aos graus de comissário da Polícia Nacional, tais como Inocêncio de Brito, Director Nacional de Viação e Trânsito, João Diazayakene Lello, comandante da Esquadra de Helicóptero da Polícia Nacional, Carlos Salgueiro, conselheiro do Comandante- -geral da Polícia Nacional, Elizabety Ranque Franque, segundo comandante provincial de Luanda, Leitão Ribeiro, segundo comandante provincial de Luanda, e Maria Madalena Gambôa, comandante da Polícia Fiscal, António José Bernardo, chefe do Posto Comando Central da Polícia Nacional, Alfredo Quintino Lourenço Nilo, comandante da Polícia de Intervenção Rápida, Rui Gomes, responsável dos Transportes da Polícia Nacional, António Vicente Gimbe, que deixa o comando provincial da Lunda-sul para o Serviço de Bombeiros, e António do Carmo Neto, porta-voz da Polícia Nacional. Renovação na continuidade O Comando geral da Polícia Nacional não ficou alheio às remodelações verificadas no Ministério do Interior. Sendo um processo normal a nível da estrutura policial, Ambrósio de Lemos referiu que a presente remodelação tem a ver com a necessidade de melhorar e inovar a prestação

11 O ministro do Interior considerou crítico o quadro que se vive nos Serviços Prisionais, devido à superlotação dos estabelecimentos penitenciários. dos serviços da Policia Nacional, tendo em conta os novos desafios da corporação. Por seu lado, o ministro do Interior, Sebastião Marins disse que a nomeação, graduação e promoção dos oficiais comissários da Polícia Nacional, assim como a rotatividade de quadros representa um momento importante para cada um dos oficiais. Esperamos também, em relação a esta matéria, que signifique a afirmação de um percurso que se requer de permanente dedicação à corporação, aos seus objectivos, à sua missão e particularmente ao valor que esta farda e patente encerram para vocês e para a corporação, afirmou. Foi assim que o comandante-geral conferiu posse aos novos comandantes provinciais das Lundas-Norte e Sul, e segundos comandantes para o Cunene e o Bengo, nomeadamente os subcomissários Abel Baptista, até então comandante da Brigada Especial de Trânsito (BET), e Gil Famoso da Silva, vindo da Direcção Nacional de Informação e Analise. Vale referir que, nesta altura, são os dois únicos comandante provinciais a ostentar a patente de subcomissário, contra os demais que estão um grau acima (comissário). Para o Cunene e o Bengo foram nomeados os sub-comissários Miguel Adão Francisco e José Alberto, respectivamente. Com a saída do agora subcomissário Abel Baptista da BET, quem passa a comandar aquela força especial é o subcomissário Francisco Abel Hilário, que até à sua nomeação exercia a função de 2º comandante da Unidade Anti-Terror. Por outro lado, o subcomissário Arnaldo Manuel Carlos deixa de coadjuvar a Direcção Nacional de Ordem Pública e passa a director do Gabinete de Estudo, Informação e Análise do Comando Geral da Polícia Nacional. Mas se de um lado houve os que ascenderam ao posto de comandante provincial, a nível dos que já neste escalão se encontravam existiu também reestruturação. Assim, O comissário António Pedro Kandela, deixando Cabinda, foi nomeado para o cargo de comandante Compromisso de honra em nome da ordem e tranquilidade públicas provincial do Namibe, sendo substituído (em Cabinda) pelo comissário Eusébio Domingos Costa. O comissário Eduardo Fernandes Cerqueira sai da DNIC e assume o comando provincial do Bié. Na mesma linha, os comissários Filipe Barros Espanhol (comandante provincial no Moxico), Elias Livulo (comandante provincial do Huambo), Valmir da Cruz Verdades (comandante provincial do Kuanza- -Sul), Francisco Ferreira Paiva (comandante provincial da Polícia Nacional do Bengo), Os subcomissários António de Jesus Miranda Guedes, Lino Jacinto Pedro, Alberto Sebastião Mendes e André Kiala Gato foram nomeados respectivamente para os cargos de comandantes da Unidade Aeroportuária, da Unidade Portuária da Polícia Nacional, do Instituto Médio de Ciências Policiais e segundo comandante provincial do Moxico, bem como o superintendente chefe José Alberto Chiama, como segundo comandante provincial do Moxico, e o superintendente chefe Carlos Alberto Ferraz, segundo comandante provincial do Kuanza-Sul.

12 12 tranquilidade #12 DEZ 2010 FEV 2011 A António Quino companhado de oficiais comissário do Comando geral da PN e da comandante provincial interina, comissário Elisabeth Rank Frank, as visitas visaram especificamente auscultar e baixar orientações de planificação operativo-policial no sentido de melhorar a assistência aos munícipes em termos de segurança pública. No primeiro dia, o comissário geral Ambrósio de Lemos já havia estado de visita à Divisão de Polícia do Cazenga, em companhia do administrador daquele município da capital do país, Victor Nataniel Narciso, tendo passado em revista e constatado o estado de prontidão das forças, dos meios móveis e imóveis. Do que pôde apurar, a Divisão de Polícia do Cazenga comporta 7 esquadras, 10 postos policiais e igual número de esquadras móveis, para atender perto de 39 km² e cerca de 2 milhões de habitantes, pelo que o comandante considerou haver incompatibilidade entre o efectivo policial e a densidade populacional naquele território. Durante as cerca de duas horas que durou a visita, o comandante geral da PN pôde constatar que os índices de criminalidade baixaram, mas que ainda é necessário o apetrechamento das esquadras com mais efectivo e meios para aumentar a cobertura e a mobilidade policial no Cazenga. O comandante geral da PN também observou que algumas unidades policiais no município do Cazenga devem fechar por não oferecerem condições que dignificam o trabalho policial e que, em sua substituição, se deve eronde& quando notíciaspn de Lemos passa em revista unidades policiais. prontidão agradou O comandante geral da Polícia Nacional, comissário geral Ambrósio de Lemos Freire dos Santos, desenvolveu, entre os dias 17 e 18.11, uma intensa jornada de campo nos municípios do Cazenga e Viana, no âmbito das actividades de acompanhamento ao desempenho policial dos órgãos afectos ao Comando Provincial de Luanda da Polícia Nacional (PN).

13 13 tranquilidade #12 DEZ 2010 FEV 2011 Durante as cerca de duas horas que durou a visita, o comandante geral da PN pôde constatar que os índices de criminalidade baixaram guer estruturas mais sólidas e devidamente equipadas com meios humanos e técnicos. Nessa passagem do comissário geral pelo Cazenga, quem também manifestou a sua satisfação é o Administrador municipal, que endereçou palavras de apreço pelo apoio recebido do comando geral da PN. Victor Nataniel Narciso disse na ocasião que, ao contrário do que se diz às vezes, o Cazenga tem um alto índice de segurança pública graças a um esforço conjugado entre Polícia Nacional e Administração Municipal que, com fundos próprios, construiu duas esquadras, uma fixa de raiz e outra móvel. O administrador do Cazenga fez questão de realçar que a questão da segurança pública não é só tarefa da Polícia, pelo que todos devemos trabalhar no sentido de tornarmos a nossa circunscrição o mais seguro possível. Já no território de Viana, o comandante geral da PN visitou a Divisão de Polícia daquele município, que é composta por 9 esquadras, 14 postos, 5 esquadras móveis e 3 destacamentos policiais, visando atender um território com cerca de 1340 km² e com mais de 2 milhões de habitantes. Na sua visita de perto de seis horas à Viana, com realce ao Calumbo, Zangos 1, 2 e 3, Capalanga e Vila, o comissário Geral constatou uma redução substancial do índice de criminalidade, num município cuja aflição consistia sobretudo no fogo posto em viaturas e onde se realçou o registo de homicídios nos estaleiros das empresas de construção ali situadas, fundamentalmente por inobservância dos procedimentos relativos à segurança básica no local de trabalho por parte dos empregados. Contam-se entre os crimes mais assinaláveis a morte por afogamento no rio Kwanza e ofensas corporais simples praticado por pessoas próximas às vítimas. Além disso, o comissário geral Ambrósio de Lemos frisou que o crescimento desordenado das zonas habitacionais tem contribuído significativamente para o aumento da criminalidade, pelo que considerou necessário a população cooperar com as autoridades no sentido de se inverter essa tendência. Juntou a isso a urgência duma maior desburocratização em relação à legalização ou não dos detidos, para acompanhar o projecto do Comando geral da PN que pretende aumentar a celeridade no patrulhamento com mais meios rolantes. Em Viana, a Divisão de Polícia tem apurado também o cometimento de crimes de violação sexual contra menores e cujos perpetradores são familiares e vizinhos das vítimas, impossibilitando a acção policial por os mesmos ocorrerem no interior das residências onde habitam as menores. Daí o apelo do comandante geral no sentido de a comunidade denunciar este tipo de actos e, concomitantemente os transgressores. Outro assunto observado é o do roubo constante de viaturas, mas frequentemente nas portas de restaurantes, notando-se uma clara imprudência dos proprietários das viaturas e dos restaurantes que não criam as condições inerentes a segurança privada para impedir tais actos. Relativamente à acalmia nos bairros do município, observou-se que se deve a uma estreita colaboração entre a Polícia e a Administração Municipal, as autoridades tradicionais e religiosas, em particular no Calumbo. Pelas palavras da administradora adjunta de Viana, Eugenia Silva, que acompanhou a visita, a Administração Municipal tem apoiado a PN e citou como exemplo a cedência de mais espaços para erguer esquadras, prevendo-se, assim, para breve a construção do edifício aonde funcionará a Divisão de Polícia de Viana. Eugenia Silva falou do ambicioso programa de combate a pobreza, um elemento bastante valioso para se aumentar os níveis de segurança pública. O comandante geral da PN, ao despedir-se do efectivo que garante a segurança da população naquele município, aconselhou-os a tirar maior proveito do Pólo Universitário do Capolo 1, a fim de melhor desenvolverem as suas funções profissionais com mais ciência e práticas e atitudes mais modernas. Encontro de balanço da visita, vendo- -se ao fundo o administrador municipal do Cazenga, Tani Narciso, à direita do Comandante Geral da PN

14 14 tranquilidade #12 DEZ 2010 FEV 2011 onde& quando notíciaspn Efectivos da Polícia Fiscal concluem curso de superação destinado a oficiais Um grupo de 24 efectivos da Polícia Fiscal concluiu, no dia 16 de Novembro de 2010, em Luanda, o quarto curso de superação para chefes e oficiais, ministrado por especialistas cubanos. A André dos Anjos formação, que durou seis meses, enquadra-se nas relações de cooperação existente entre os ministérios do Interior de Angola e Cuba. Os formandos receberam aulas sobre táctica de enfrentamento, navegação, fiscalização marítima e trabalho operativo. O chefe do posto do Comando-Geral da Polícia Nacional, comissário António José Bernardo, declarou que a formação dos efectivos reveste-se de grande importância numa altura em que se assiste no país um grande esforço do Executivo para potenciar os órgãos de Defesa e Segurança. A alta patente da Polícia Nacional realçou que o Executivo pretende aumentar a capacidade de defesa da soberania e garantia dos direitos

15 15 tranquilidade #12 DEZ 2010 FEV 2011 CONHECIDA POR PAU GRANDE Polícia Nacional desmantela rede de falsificadores de documentos e liberdade dos angolanos e sublinhou que a Polícia Fiscal é um órgão especializado no controlo de trânsito de mercadoria, prevenção, investigação e repreensão dos delitos e transgressões fiscais e aduaneiras. Na vertente marítima, de acordo com o comissário António José Bernardo, este órgão tem como objectivo combater o contrabando de mercadorias, actos de terrorismo e proteger o comércio internacional marítimo e os navios que aportam nas águas territoriais e portos do país. É nesta finalidade que a direcção do Comando da Polícia Fiscal tem vindo a habilitar os seus efectivos de conhecimentos técnicos e operacionais para melhor executarem as tarefas ligadas ao combate ao tráfico ilegal de mercadorias, entre outras actividades ilícitas, sublinhou. De acordo com o comissário, o curso vai permitir que os efectivos venham a cumprir as missões com elevado espírito de missão, honestidade e coragem. Por sua vez, o chefe de Repartição de Formação do Comando Nacional da Polícia Fiscal, inspector-chefe João Carlos Belo, que considerou positivo o António José Bernardo declarou que a formação dos efectivos reveste-se de grande importância numa altura em que se assiste no país um grande esforço do Executivo para potenciar os órgãos de Defesa e Segurança. curso, disse que, com esta formação, os chefes e oficiais das esquadras marítimas e das unidades de superfície estão capazes de organizar e dirigir o sistema de descobrimento e enfrentamento na fronteira marítima, combater com mais acuidade o tráfico ilegal de mercadorias e a imigração ilegal na fronteira marítima. Na cerimónia foram entregues certificados aos recém-formados e feita demonstração de exercícios tácticos. Assistiram ao encerramento do quarto curso de superação para chefes e oficiais a comandante nacional da Polícia Fiscal, a comissária Maria Madalena Gambôa, e altas entidades da corporação. André da Costa Uma rede de falsificadores de documentos, vulgarmente conhecida por Pau Grande, foi desmantelada, em Março, pela Divisão do Cazenga, no decurso da operação policial Cazenga Balumuca. Ao todo, foram presos 17 indivíduos, incluindo o líder do grupo, identificado por Alberto Francisco Gaspar, também conhecido por Man-Beto, de 46 anos e director de uma escola. O comandante da Divisão do Cazenga, subcomissário Filipe Massala, referiu que a Polícia apreendeu, da rede de falsificadores, 266 documentos falsos, entre cédulas pessoais, bilhete de identidade, atestados médicos, certidões de nascimento, certificados de habilitações literárias e profissionais. O subcomissário Filipe Massala disse, por outro lado, que a Polícia tem apreendido medicamentos comercializados na via pública ao longo do município do Cazenga. A Polícia Nacional deteve, igualmente, quatro cidadãos por crime de venda e posse de droga. Durante a operação, a Polícia desmantelou três grupos de marginais que se dedicavam a assaltos à mão armada e roubos por esticão. A corporação recuperou 28 armas de fogo de diversos calibres, 10 carregadores, três televisores, uma ventoinha, 62 DVD, 1400 discos piratas, 352 carregadores de baterias, 452 disquetes e 12 bidões de gasolina de 20 litros. Cerca de três toneladas de medicamentos diversos, que estavam a ser comercializados em locais impróprios, foram destruídos, segundo o subcomissário Filipe Massala.

16 16 tranquilidade #12 DEZ 2010 FEV 2011 onde& quando notíciaspn Descentralização dos serviços de VIAÇÃO E TRÂNSITO chega ao município de Cacuaco Os Serviços de Inspecção de Veículos no município de Cacuaco, localizado a cerca de 30 quilómetros da zona urbana de Luanda, existem desde o dia 27 de Fevereiro de 2010, altura em que foi inaugurada uma estrutura municipal da Direcção Nacional de Viação e Trânsito. O Yolanda Dias objectivo fundamental da instalação da estrutura em Cacuaco é a descentralização da actividade dos serviços da Direcção Nacional de Viação e Trânsito. Os munícipes de Cacuaco já não têm necessidades de se deslocar à Baixa de Luanda, onde se encontra a sede da direcção, quando quiserem tratar de algum assunto relacionado com os serviços de Viação e Trânsito, comentou, em declarações à Revista Tranquilidade, o inspector-chefe Manuel Adriano Nelito, Director da estrutura montada em Cacuaco pela Direcção Nacional de Viação e Trânsito, Manuel Adriano disse que, além de Cacuaco, os municípios do Cazenga, Viana e Samba também já têm os mesmos serviços descentralizados. A presença desses serviços nos municípios de Luanda provocou um grande desafogamento ao trabalho desenvolvido pela direcção central, reconheceu o inspector-chefe Manuel Adriano. Diariamente, são inspeccionados em Cacuaco entre 45 e 50 viaturas, das quais 25 a 35 são aprovadas, informou a alta patente da Polícia Nacional. Para que um veículo seja inspeccionado, de acordo com o director dos serviços de Viação e Trânsito em Cacuaco, tem de estar em bom estado técnico e deve fazer-se acompanhar dos acessórios de segurança como, por exemplo, o triângulo, pneu de socorro, a chave de rodas, extintor de incêndio e macaco. Para além da inspecção de veículos, os serviços de Viação e Trânsito em Cacuaco executam outros trabalhos como renovação de cartas e troca de cartas estrangeiras levantamento de cartas e livretes apreendidos naquela área de jurisdição, O inspector-chefe Manuel Adriano frisou que a inspecção dos veículos é obrigatória para que sejam identificadas as suas características que vão determinar o registo que resultará na obtenção do livrete. Quando as condições da viatura não permitem a sua aprovação, informamos o proprietário sobre o que deve ser feito para voltar a apresentar a viatura para ser outra vez inspeccionada, acentuou. O alto funcionário da Direcção Nacional de Viação e Trânsito afirmou que algumas viaturas são chumbadas porque reparamos que os seus proprietários não compreendem o que é um bom estado técnico de um carro, que é propriamente o bom estado dos pneus, dos piscas, do limpa para-brisas, do stop, da chaparia, da pintura. Enfim, a conservação da viatura em todos os aspectos. Manuel Adriano salientou ainda que a média de veículos inspeccionados por dia é aceitável, em função da área onde são inspeccionados. Viana, por exemplo, por ser uma zona industrial, com um índice populacional mais elevado, o número de veículos inspec- cionados ultrapassa as nossas estatítiscas, sublinhou o inspector-chefe Manuel Adriano. Samuel Marcos, proprietário de um veículo que estava a ser inspeccionado quando a equipa de reportagem da Revista Tranquilidade esteve no local, reconheceu a importância da inspecção, por dar garantias ao condutor que o seu automóvel pode circular sem causar danos a ninguém. Às vezes, por negligência, podemos provocar um grande acidente na via pelo mau funcionamento dos piscas, situação que se pode evitar se inspeccionarmos com regularidade as nossas viaturas, reconheceu o avisado cidadão. A viatura em causa é nova, mostrou estar em bom estado técnico e se faz acompanhar dos acessórios, apesar de que falta o extintor. Vamos aprová- -la, não porque o extintor seja menos importante, mas porque, desde a aprovação do Código de Estrada, muitas questões ainda estão a ser regulamentadas e, para casos como este, aconselhamos o proprietário a adquirir o acessório em falta durante os próximos dias, explicou o inspector- -chefe Manuel Adriano, referindo-se à viatura pertencente a Samuel Marcos. Para além da inspecção de veículos, os serviços de Viação e Trânsito em Cacuaco executam outros trabalhos como renovação de cartas, troca de cartas estrangeiras, levantamento de cartas e livretes apreendidos naquela área de jurisdição, resultante da aplicação de multas, e a realização de exames de condução para candidatos que pretendam obter pela primeira vez a carta.

17 17 tranquilidade #12 DEZ 2010 FEV 2011 Chegou o seguro obrigatório automóvel Na véspera e nos dias subsequentes ao 11 de Fevereiro de 2010, altura em que entrou em vigor, no país, o seguro obrigatório de responsabilidade civil automóvel, os meios de comunicação social fizeram da matéria tema das mais diversas abordagens. Aliás, o assunto ganhou dimensões de um debate nacional. O seguro obrigatório de responsabilidade civil automóvel deveria, afinal, entrar em vigor em Angola há oito anos. Está previsto no artigo 10.º da Lei n.º 20/03. O Decreto 35/09 surge, apenas, para regular este segmento de seguro, na medida em que fixa as regras e procedimentos a observar pelos vários intervenientes, com vista à sua implementação dentro dos limites legais, afirma a chefe do Gabinete Jurídico do Instituto de Supervisão de Seguros, Luzia Tadeu Major. A jurista socorre-se do preâmbulo do Decreto 35/09 para mostrar as As viaturas pertencentes ao Estado estão isentas da obrigatoriedade do seguro de responsabilidade civil automóvel, desde que não sejam atribuídas para uso pessoal, permanente e regular. motivações que levaram as autoridades a tornar obrigatório o seguro de responsabilidade civil. Numa linha de tomada de consciência mais forte dos valores da pessoa humana e da protecção das vítimas, urge assegurar que todos aqueles cujos interesses forem lesados pela conduta de outrem, tenham garantia de efectiva reparação, sem estarem dependentes da capacidade financeira do causador, cita. Luzia Major lembra que assegurar é, acima de tudo, transferir um ou vários riscos para uma seguradora. Recorda que o exercício de condução encerra riscos que vão desde o atropelamento de peões à colisão entre veículos. No fundo, o fim primeiro e último que o seguro obrigatório de responsabilidade civil automóvel persegue, é o de fazer com que os proprietários de veículos a motor transfiram para as seguradoras os riscos contra terceiros da circulação desses meios na via pública, sublinha. A jurista considera infundados os rumores, segundo os quais o negócio do seguro obrigatório de responsabilidade civil automóvel é uma forma velada encontrada pelas autoridades, para reduzir a presença de agentes privados no mercado de transportes colectivos, nos grandes centros urbanos. Inspecção, fiscalização e penalização O Decreto 35/09 reserva para a Direcção Nacional de Viação e Trânsito um papel preliminar à celebração do contrato de seguro obrigatório de responsabilidade civil automóvel: A inspecção das viaturas. As seguradoras estão obrigadas, por lei, a exigirem o certificado de inspecção do veículo emitido por aquele órgão do Ministério do Interior, quer na decorrência do contrato, quer no momento da sua renovação. À Polícia de Viação e Trânsito cabe, nos termos da lei, a fiscalização do cumprimento do Decreto 35/09 e penalização dos automobilistas que forem apanhados em transgressão. As medidas de penalização vão desde a retirada da circulação de viaturas desprovidas do seguro obrigatório de responsabilidade civil automóvel, até à aplicação de multas, cujos valores são repartidos entre a conta única do Tesouro, o Fundo Rodoviário e a Direcção Nacional de Viação e Trânsito. As viaturas pertencentes ao Estado estão isentas da obrigatoriedade do seguro de responsabilidade civil automóvel, desde que não sejam atribuídas para uso pessoal, permanente e regular.

18 18 tranquilidade #12 DEZ 2010 FEV 2011 onde& quando notíciaspn Combate à criminalidade violenta em Angola é prioridade da Polícia de Intervenção Rápida A Hélio Canda Polícia de Intervenção Rápida (PIR) é um órgão de reserva do Comando- -Geral da Polícia Nacional e foi criada numa época de decisivas transformações políticas do nosso país. A PIR tem como incumbência prevenir e combater a criminalidade violenta, distúrbios e o terrorismo nas suas diversas vertentes. Desde a sua fundação, a PIR desenvolveu uma série de acções tendentes a combater o banditismo armado e manifestação não autorizadas pelos órgãos de soberania do país. Entre essas acções destaca-se a segurança do Papa João Paulo II, durante a visita efectuada ao país em Esta é a apreciação feita pelo comandante da Polícia de Intervenção Rápida, comissário Alfredo Quintino Lourenço Nilo, por ocasião do décimo sétimo aniversário do órgão, que decorreu sob o lema PIR, firme forme na prevenção e combate à criminalidade violenta. Na ocasião, o subcomissário Nilo disse que foram concretizados muitas realizações, com destaque para o início do programa de reequipamento e apetrechamento em meios técnicos e o aumento do nível académico e profissional dos efectivos da PIR a nível nacional. Dos feitos alcançados consta, igualmente, o início do processo de rejuvenescimento das forças. Estas acções, segundo explicou, foram factores que contribuíram para o êxito de todas as missões atribuídas ao órgão, motivo de orgulho e sentimento de dever cumprido. Queremos reafirmar a nossa firme determinação e prontidão para o cumprimento das novas missões, exortando os efectivos a manterem bem alto os níveis de disciplina, treinamento e preparação para darmos resposta às eventuais situações de distúrbios públicos e outros delitos que possam ocorrer, frisou o comandante. Alfredo Lourenço assumiu o compromisso de cuidar, com dedicação e profissionalismo, dos equipamentos e meios adquiridos por representarem uma mais-valia no mudo de actuação das forças, sua articulação, rapidez e manobra.

19

20 20 tranquilidade #12 DEZ 2010 FEV 2011 onde& quando notíciaspn Polícia Nacional reforça valores morais e cívicos o comportamento disciplinar, moral e cívico dos efectivos e a sua influência no cumprimento das orientações policiais estiveram em análise. ciedade afirmou o comissário Zé Manuel. Foram analisados ao longo do encontro o comportamento disciplinar, moral e cívico dos efectivos e a sua influência no cumprimento das orientações policiais. Cconselheiro do Comandante- -Geral para a aréa do Trânsito, o comissário Zé Manuel disse esperar que, depois desse encontro, os efectivos da Polícia reforcem a postura digna durante a missão de garantir a tranquilidade e ordem públicas em todo o país. A alta patente da Polícia Nacional desejou que os delegados provenientes de todas as provincias consigam pôr em prática as recomendações saídas do encontro para que a educação dos efectivos, na vertente moral e cívica, esteja cada vez mais cimentada na corporação. O Etelvina Costa Departamento Nacional de Educação Moral e Cívica da Polícia Nacional realizou, no segundo semestre de 2010, no Instituto Médio de Ciências Policiais Osvaldo Serra Van-Dúnem, a segunda reunião metodológica, com o objectivo de analisar o estado psicológico das forças policiais. Ao presidir à sessão de encerramento, o comissário Zé Manuel, em representação do Comandante-Geral da Polícia Nacional, disse que a realidade política, ecónomica e social angolana é ainda fortemente condicionada pelo passado recente da guerra e desencontro ético moral. Esta realidade faz de nós, Polícia Nacional, o alvo de todas as críticas e raparos por parte da so- Comissário Maurício Alexandre, responsável pela área de moral e cívica da PN Redução das infracções A cerimónia de abertura da segunda reunião metodógica foi presidida pelo inspector-geral da Polícia Nacional, comissário Salvador Rodrigues Dodó. Segundo o inspector-geral, no domínio da situação psico-emocional e disciplinar das forças policiais verificou-se, no primeiro semestre de 2010, uma redução do número de infracções disciplinares e criminais praticadas por alguns membros da corporação. É necessário que sejam analisados, de forma pormenorizada, as questões de ética e dentologia polícial e o civismo dos nossos efectivos no desempenho das suas tarefas, com destaque para os da manutenção da ordem e tranquilidade públicas, afirmou o comissário Salvador Rodrigues.

ESCOLA DE CONDUÇÃO INVICTA (Responsabilidade pelas Infracções)

ESCOLA DE CONDUÇÃO INVICTA (Responsabilidade pelas Infracções) Responsabilidade pelas infracções São responsáveis pelas infracções: o agente sobre o qual recai o facto constitutivo dessa infracção. as pessoas colectivas ou equiparadas. o condutor do veículo quando

Leia mais

A ambulância deve: Avançar, mas apenas se assinalar a marcha de urgência. Avançar. Ceder-me a passagem.

A ambulância deve: Avançar, mas apenas se assinalar a marcha de urgência. Avançar. Ceder-me a passagem. A ambulância deve: Avançar, mas apenas se assinalar a marcha de urgência. Avançar. Ceder-me a passagem. A ambulância deve: Avançar. Ceder a passagem apenas ao meu veículo. Ceder a passagem apenas ao veículo

Leia mais

Decreto-Lei n.º 72-A/2003 de 14 de Abril

Decreto-Lei n.º 72-A/2003 de 14 de Abril Decreto-Lei n.º 72-A/2003 de 14 de Abril A Directiva n.º 2000/26/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 16 de Maio, relativa à aproximação das legislações dos Estados membros respeitantes ao seguro

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO REGULAMENTO DE USO DE VEÍCULOS

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO REGULAMENTO DE USO DE VEÍCULOS APROVADO 25 de Junho de 2010 O Presidente, ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO (Paulo Parente) REGULAMENTO DE USO DE VEÍCULOS Capítulo I Disposições gerais Artigo 1.º Objecto Nos termos do n.º 2 do

Leia mais

Ministério dos Petróleos

Ministério dos Petróleos Ministério dos Petróleos Decreto Lei nº 10/96 De 18 de Outubro A actividade petrolífera vem assumindo nos últimos tempos importância fundamental no contexto da economia nacional, constituindo por isso,

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA. Comando Geral da Polícia Nacional. Direcção Nacional de Viação e Trânsito. Ministério do Interior

REPÚBLICA DE ANGOLA. Comando Geral da Polícia Nacional. Direcção Nacional de Viação e Trânsito. Ministério do Interior REPÚBLICA DE ANGOLA Ministério do Interior Comando Geral da Polícia Nacional Direcção Nacional de Viação e Trânsito 1 2 Sessão de esclarecimento 1. Contexto de surgimento do Novo Código de Estrada 2. Sistematização

Leia mais

Declaração de Princípios.

Declaração de Princípios. POR UMA NOVA ANTRAM MAIS FORTE E INTERVENTIVA Regular o Mercado Fortalecer as Empresas Modernizando e Qualificando o Sector Reforçar o apoio aos associados. Programa eleitoral da Lista A Candidata aos

Leia mais

omo ser um bom cidadão?

omo ser um bom cidadão? C omo ser um bom cidadão? Conhecer os processos para denunciar o crime Cooperação entre polícia e cidadãos 993 Prevenção e combate à criminalidade Índice Quando souber de um crime... P. 2 Como efectuar

Leia mais

SEGURO AUTOMÓVEL. Qual a importância do Seguro Automóvel?

SEGURO AUTOMÓVEL. Qual a importância do Seguro Automóvel? SEGURO AUTOMÓVEL Qual a importância do Seguro Automóvel? O proprietário ou o condutor de um veículo são responsáveis pelos prejuízos que este possa causar e, em caso de acidente, podem incorrer em graves

Leia mais

O que acontece quando o Código Deontológico dos Jornalistas é violado

O que acontece quando o Código Deontológico dos Jornalistas é violado O que acontece quando o Código Deontológico dos Jornalistas é violado Florbela Batalha Ramiro Marques (Orientação) 1. Introdução O Código Deontológico é um documento que reúne um conjunto de regras que

Leia mais

A sustentabilidade da economia requer em grande medida, a criação duma. capacidade própria de produção e fornecimento de bens e equipamentos,

A sustentabilidade da economia requer em grande medida, a criação duma. capacidade própria de produção e fornecimento de bens e equipamentos, REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE -------- MINISTÉRIO DA ENERGIA GABINETE DO MINISTRO INTERVENÇÃO DE S.EXA SALVADOR NAMBURETE, MINISTRO DA ENERGIA, POR OCASIÃO DA INAUGURAÇÃO DA FÁBRICA DE CONTADORES DA ELECTRO-SUL

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE EXERCÍCIO DA ACTIVIDADE DE ARRUMADOR DE AUTOMÓVEIS

REGULAMENTO MUNICIPAL DE EXERCÍCIO DA ACTIVIDADE DE ARRUMADOR DE AUTOMÓVEIS REGULAMENTO MUNICIPAL DE EXERCÍCIO DA ACTIVIDADE DE ARRUMADOR DE AUTOMÓVEIS (Aprovado na 24ª Reunião Ordinária de Câmara Municipal realizada em 16 de Dezembro de 2003, na 2ª Reunião da 5ª Sessão Ordinária

Leia mais

Plano de Prevenção de Riscos de Gestão. Incluindo os de Corrupção e Infracções Conexas

Plano de Prevenção de Riscos de Gestão. Incluindo os de Corrupção e Infracções Conexas Plano de Prevenção de Riscos de Gestão Incluindo os de Corrupção e Infracções Conexas Introdução No âmbito da sua actividade, o Conselho de Prevenção da Corrupção (CPC), aprovou a Recomendação n.º 1/2009,

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO. Regulamento de Uso de Veículos

INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO. Regulamento de Uso de Veículos INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO Regulamento de Uso de Veículos Aprovado em Plenário de CG de 11 de Abril de 2013 1 INDICE Índice - Regulamento de Uso de Veículos 2 Secção I Disposições Gerais Artigo 1.º Objecto.

Leia mais

Decreto-Lei n.º 190/2003 de 22 de Agosto

Decreto-Lei n.º 190/2003 de 22 de Agosto Decreto-Lei n.º 190/2003 de 22 de Agosto Pela Lei n.º 93/99, de 14 de Julho, a Assembleia da República aprovou o diploma que regula a aplicação de medidas para protecção de testemunhas em processo penal,

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DA RIBEIRA GRANDE

CÂMARA MUNICIPAL DA RIBEIRA GRANDE CÂMARA MUNICIPAL DA RIBEIRA GRANDE Proposta de Regulamento do Serviço Municipal de Protecção Civil do Concelho da Ribeira Grande Preâmbulo Atendendo que: A Protecção Civil é, nos termos da Lei de Bases

Leia mais

O Voluntariado e a Protecção Civil. 1. O que é a Protecção Civil

O Voluntariado e a Protecção Civil. 1. O que é a Protecção Civil O Voluntariado e a Protecção Civil 1. O que é a Protecção Civil A 03 de Julho de 2006, a Assembleia da Republica publica a Lei de Bases da Protecção Civil, que no seu artigo 1º dá uma definição de Protecção

Leia mais

ANO de 2013. Sinistralidade Rodoviária. Observatório de Segurança Rodoviária 23-06-2014. Relatório - Anual

ANO de 2013. Sinistralidade Rodoviária. Observatório de Segurança Rodoviária 23-06-2014. Relatório - Anual ANO de Sinistralidade Rodoviária Observatório de Segurança Rodoviária -- ÍNDICE DEFINIÇÕES... EVOLUÇÃO GLOBAL.... Acidentes com : /... ACIDENTES E VÍTIMAS........... Acidentes Acidentes Acidentes Acidentes

Leia mais

Sessã o de Aberturã do VII Congresso dos Portos de Lí nguã Portuguesã

Sessã o de Aberturã do VII Congresso dos Portos de Lí nguã Portuguesã Sessã o de Aberturã do VII Congresso dos Portos de Lí nguã Portuguesã Excelência, Senhor Vice Governador da Província de Benguela, Dr. João Felizardo em representação do Engº Isaac Francisco Maria dos

Leia mais

Regulamento Municipal do Transporte Público de Aluguer em Veículos Automóveis Ligeiros Transportes em Táxi - do Município de Mirandela

Regulamento Municipal do Transporte Público de Aluguer em Veículos Automóveis Ligeiros Transportes em Táxi - do Município de Mirandela Regulamento Municipal do Transporte Público de Aluguer em Veículos Automóveis Ligeiros Transportes em Táxi - do Município de Mirandela Nota justificativa (artigo 116.º do CPA) O Decreto-Lei n.º 251/98,

Leia mais

TEXTO DE APOIO À EXPLORAÇÃO PEDAGÓGICA DO TEMA

TEXTO DE APOIO À EXPLORAÇÃO PEDAGÓGICA DO TEMA TEXTO DE APOIO À EXPLORAÇÃO PEDAGÓGICA DO TEMA TEMA SELECCIONADO A CAMINHO DA ESCOLA IDENTIFICAÇÃO DAS COMPONENTES DA RUA / ESTRADA A Educação Rodoviária é um processo ao longo da vida do cidadão como

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FÉRIAS

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FÉRIAS REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FÉRIAS Aprovado por deliberação da Assembleia Municipal de Azambuja de 19 de Setembro de 2012, publicada pelo Edital n.º 78/2012, de 26 de Outubro de 2012. Em vigor desde 10

Leia mais

Regulamento do controle de acesso automóvel à área pedonal da cidade Braga

Regulamento do controle de acesso automóvel à área pedonal da cidade Braga 1 Regulamento do controle de acesso automóvel à área pedonal da cidade Braga Preâmbulo As condições, sem adequado controle, em que se processa o acesso à vasta área pedonal da cidade de Braga, impõem a

Leia mais

Criança como passageiro de automóveis. Tema seleccionado.

Criança como passageiro de automóveis. Tema seleccionado. www.prp.pt A Educação pré-escolar é a primeira etapa da educação básica e é uma estrutura de apoio de uma educação que se vai desenvolvendo ao longo da vida. Assim, é fundamental que a Educação Rodoviária

Leia mais

DESPACHO ISEP/P/28/2010

DESPACHO ISEP/P/28/2010 DESPACHO DESPACHO ISEP/P/28/2010 REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DE VEÍCULOS DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO PORTO Considerando: 1. O disposto no n.º 2 do artigo 11.º do Decreto-Lei n.º 170/2008, de 26

Leia mais

A auditoria à Conta Geral da. Regiã o Administrativa Especial de Macau. no â mbito da prestaçã o de contas

A auditoria à Conta Geral da. Regiã o Administrativa Especial de Macau. no â mbito da prestaçã o de contas A auditoria à Conta Geral da Regiã o Administrativa Especial de Macau no â mbito da prestaçã o de contas São Tomé e Príncipe, 11-14 de Outubro de 2010 VI Assembleia Geral da OISC/CPLP Índice 1. Introdução

Leia mais

Conferência Internacional OS TRANSPORTES RODOVIÁRIOS, A MOBILIDADE DE PESSOAS E BENS E O DESENVOLVIMENTO DAS ECONOMIAS. 17 de ABRIL 2015 LUANDA

Conferência Internacional OS TRANSPORTES RODOVIÁRIOS, A MOBILIDADE DE PESSOAS E BENS E O DESENVOLVIMENTO DAS ECONOMIAS. 17 de ABRIL 2015 LUANDA Conferência Internacional OS TRANSPORTES RODOVIÁRIOS, A MOBILIDADE DE PESSOAS E BENS E O DESENVOLVIMENTO DAS ECONOMIAS 17 de ABRIL 2015 LUANDA ENQUADRAMENTO Existem, por todo o mundo, inúmeras experiências

Leia mais

REGULAMENTO DOS PARQUES DE ESTACIONAMENTO MUNICIPAIS

REGULAMENTO DOS PARQUES DE ESTACIONAMENTO MUNICIPAIS REGULAMENTO DOS PARQUES DE ESTACIONAMENTO MUNICIPAIS Departamento de Serviços Urbanos e Ambiente/Divisão de Trânsito, Espaço Público e Viaturas Mod. 238/SQ 1 1 PREÂMBULO Considerando a necessidade da Câmara

Leia mais

CONHECER O COMISSARIADO DA AUDITORIA

CONHECER O COMISSARIADO DA AUDITORIA CONHECER O COMISSARIADO DA AUDITORIA PARTE I - MISSÃO, VALORES, VISÃO E LINHAS DE ORIENTAÇÃO ESTRATÉGICA DO COMISSARIADO DA AUDITORIA O Comissariado da Auditoria (CA) funciona como órgão independente na

Leia mais

Regulamento Geral. das Zonas de Estacionamento de Duração Limitada

Regulamento Geral. das Zonas de Estacionamento de Duração Limitada Regulamento Geral das Zonas de Estacionamento de Duração Limitada Capitulo I Dos Princípios Gerais Artigo 1º Lei Habilitante O presente Regulamento é elaborado e aprovado ao abrigo das competências conferidas

Leia mais

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS N. o 88 14 de Abril de 2003 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A 2452-(3) MINISTÉRIO DAS FINANÇAS Decreto-Lei n. o 72-A/2003 de 14 de Abril A Directiva n. o 2000/26/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de

Leia mais

Lei n.º 13/2006 de 17 de Abril. Transporte colectivo de crianças

Lei n.º 13/2006 de 17 de Abril. Transporte colectivo de crianças Lei n.º 13/2006 de 17 de Abril Transporte colectivo de crianças A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo

Leia mais

INSTRUÇÃO 1/2006 INSTRUÇÕES RELATIVAS AOS PROCEDIMENTOS A ADOPTAR PARA CUMPRIMENTO DOS DEVERES DE NATUREZA PREVENTIVA DA PRÁTICA DOS CRIMES DE

INSTRUÇÃO 1/2006 INSTRUÇÕES RELATIVAS AOS PROCEDIMENTOS A ADOPTAR PARA CUMPRIMENTO DOS DEVERES DE NATUREZA PREVENTIVA DA PRÁTICA DOS CRIMES DE INSTRUÇÃO 1/2006 INSTRUÇÕES RELATIVAS AOS PROCEDIMENTOS A ADOPTAR PARA CUMPRIMENTO DOS DEVERES DE NATUREZA PREVENTIVA DA PRÁTICA DOS CRIMES DE BRANQUEAMENTO DE CAPITAIS E DE FINANCIAMENTO AO TERRORISMO

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA TRIBUNAL DE CONTAS 2ª DIVISÃO DOS SERVIÇOS TÉCNICOS DO TRIBUNAL DE CONTAS I FISCALZAÇÃO PREVENTIVA

REPÚBLICA DE ANGOLA TRIBUNAL DE CONTAS 2ª DIVISÃO DOS SERVIÇOS TÉCNICOS DO TRIBUNAL DE CONTAS I FISCALZAÇÃO PREVENTIVA REPÚBLICA DE ANGOLA TRIBUNAL DE CONTAS 2ª DIVISÃO DOS SERVIÇOS TÉCNICOS DO TRIBUNAL DE CONTAS I FISCALZAÇÃO PREVENTIVA 1. LEGISLAÇÃO PERTINENTE: ORGÂNICA DO Tribunal de Contas (LEI Nº 5/96, de 12 de Abril)

Leia mais

A Suécia A Suécia é o país mais seguro da Europa no âmbito da rodovia, mas nem por isso deixa efectuar um debate permanente sobre os problemas do

A Suécia A Suécia é o país mais seguro da Europa no âmbito da rodovia, mas nem por isso deixa efectuar um debate permanente sobre os problemas do RELATÓRIO Resumo das afirmações mais pertinentes efectuadas durante a Conferencia Parlamentar dos Presidentes de Comissão na EU-25, realizada nos dias 10 e 11 de Maio de 2004 no Parlamento Sueco em Estocolmo,

Leia mais

MAPA DE PESSOAL DA JUNTA DE FREGUESIA DE CARNIDE - Ano 2014 Nos termos da Lei n.º 12-A/2008, de 27 de Fevereiro

MAPA DE PESSOAL DA JUNTA DE FREGUESIA DE CARNIDE - Ano 2014 Nos termos da Lei n.º 12-A/2008, de 27 de Fevereiro MAPA DE PESSOAL DA JUNTA DE FREGUESIA DE CARNIDE - Ano 204 Nos termos da Lei n.º 2-A/2008, de 27 de Fevereiro SECÇÃO DE APOIO E DE COORDENAÇÃO GERAL (Capitulo III do Regulamento da Organização dos Serviços)

Leia mais

República de Moçambique. Presidência da República

República de Moçambique. Presidência da República República de Moçambique Presidência da República Discurso de Sua Excelência Filipe Jacinto Nyusi, Presidente da República de Moçambique e Comandante-Chefe das Forças de Defesa e Segurança, por ocasião

Leia mais

Regulamento do Exercício Profissional dos Enfermeiros. Decreto-Lei n.º 161/96, de 4 de Setembro, alterado pelo Decreto-lei n.º 104/98, de 21 de Abril

Regulamento do Exercício Profissional dos Enfermeiros. Decreto-Lei n.º 161/96, de 4 de Setembro, alterado pelo Decreto-lei n.º 104/98, de 21 de Abril REPE Regulamento do Exercício Profissional dos Enfermeiros Decreto-Lei n.º 161/96, de 4 de Setembro, alterado pelo Decreto-lei n.º 104/98, de 21 de Abril 1 - A enfermagem registou entre nós, no decurso

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 359/VIII CRIA O OBSERVATÓRIO DA VIOLÊNCIA ESCOLAR

PROJECTO DE LEI N.º 359/VIII CRIA O OBSERVATÓRIO DA VIOLÊNCIA ESCOLAR PROJECTO DE LEI N.º 359/VIII CRIA O OBSERVATÓRIO DA VIOLÊNCIA ESCOLAR A evidente importância de um ensino condigno para crianças e jovens está a ser seriamente posta em causa por factores de violência

Leia mais

CONTRATO DE ADESÃO AO SERVIÇO MUNICIPAL DE APOIO AO VOLUNTARIADO

CONTRATO DE ADESÃO AO SERVIÇO MUNICIPAL DE APOIO AO VOLUNTARIADO CONTRATO DE ADESÃO AO SERVIÇO MUNICIPAL DE APOIO AO VOLUNTARIADO Considerando que: O voluntariado está a crescer no nosso país, ganhando cada vez mais expressão e importância, tanto para quem o pratica

Leia mais

TACOMINHO. Competência técnica e tecnologia especializada. Data: 3/05/2007

TACOMINHO. Competência técnica e tecnologia especializada. Data: 3/05/2007 Data: 3/05/2007 TACOMINHO Competência técnica e tecnologia especializada A Tacominho é especializada nos serviços de reparação, montagem e aferição de: tacógrafos; taxímetros e limitadores de velocidade,

Leia mais

DESTAQUES LEGISLATIVOS JULHO 2015

DESTAQUES LEGISLATIVOS JULHO 2015 ANGOLA DESTAQUES LEGISLATIVOS AMBIENTE E TURISMO DECRETO EXECUTIVO N.º 469/15 MINISTÉRIO DO AMBIENTE DIÁRIO DA REPÚBLICA Iª SÉRIE N.º 103, DE 13 DE JULHO DE 2015 Sumário: Proíbe o abate em território nacional

Leia mais

Sou obrigado a parar e a ceder a passagem ao veículo de tracção animal. a) Certo. b) Errado. c) d)

Sou obrigado a parar e a ceder a passagem ao veículo de tracção animal. a) Certo. b) Errado. c) d) 39 BA 82.60.9 Sou obrigado a parar e a ceder a passagem ao veículo de tracção animal. 38 BA 82.60.10 Nesta situação, sou obrigado a parar e a ceder a passagem ao velocípede. 40 BA 82.60.11_a Ao saír do

Leia mais

A carta de condução de automóveis pesados habilita a conduzir: Automóveis ligeiros. Motociclos. Qualquer tipo de veículos com motor.

A carta de condução de automóveis pesados habilita a conduzir: Automóveis ligeiros. Motociclos. Qualquer tipo de veículos com motor. A carta de condução de automóveis ligeiros habilita a conduzir: Automóveis de passageiros com lotação até 12 lugares. Motociclos até 125cc. Tractores agrícolas com equipamentos cujo peso máximo não exceda

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE BRAGANÇA

CÂMARA MUNICIPAL DE BRAGANÇA Regulamento n.º 324/2007, publicado no Diário da Republica, II série, n.º 233, de 4 de Dezembro. REGULAMENTO DAS ZONAS DE ESTACIONAMENTO CONDICIONADO DA CIDADE DE BRAGANÇA Tendo em consideração a necessidade

Leia mais

Infracções mais frequentes ao Código da Estrada, coimas e sanções Pág. 1

Infracções mais frequentes ao Código da Estrada, coimas e sanções Pág. 1 Infracções mais frequentes ao Código da Estrada, coimas e sanções Pág. 1 Infracções ÁLCOOL / ESTUPEFACIENTES Condução com uma taxa de álcool no sangue igual ou superior a 0,5 g/l e inferior a 0,8 g/l.

Leia mais

BOLETIM MUNICIPAL CÂMARA MUNICIPAL DA AMADORA. Edição Especial 15 de Junho de 2004

BOLETIM MUNICIPAL CÂMARA MUNICIPAL DA AMADORA. Edição Especial 15 de Junho de 2004 Edição Especial 15 de Junho de 2004 Regulamento Municipal das Zonas de Estacionamento Tarifado e de Du- ração Limitada da Venteira Alterações (Deliberações da CMA de 3 de Dezembro de 2003 e de 7 de Abril

Leia mais

Fórum Jurídico. Julho 2013 Contencioso Penal INSTITUTO DO CONHECIMENTO AB. www.abreuadvogados.com 1/6

Fórum Jurídico. Julho 2013 Contencioso Penal INSTITUTO DO CONHECIMENTO AB. www.abreuadvogados.com 1/6 Julho 2013 Contencioso Penal A Livraria Almedina e o Instituto do Conhecimento da Abreu Advogados celebraram em 2012 um protocolo de colaboração para as áreas editorial e de formação. Esta cooperação visa

Leia mais

Oficiais de Ligação do Ministério da Administração Interna e Oficiais de Ligação de Imigração

Oficiais de Ligação do Ministério da Administração Interna e Oficiais de Ligação de Imigração Oficiais de Ligação do Ministério da Administração Interna e Oficiais de Ligação de Imigração Oficiais de Ligação do Ministério da Administração Interna A existência de Oficiais de Ligação do Ministério

Leia mais

Secretaria de Estado do Sector Empresarial Público. Decreto-Lei nº 7/07 de 2 de Maio

Secretaria de Estado do Sector Empresarial Público. Decreto-Lei nº 7/07 de 2 de Maio Secretaria de Estado do Sector Empresarial Público Decreto-Lei nº 7/07 de 2 de Maio Tendo em conta a história económica do nosso País após a independência, a propriedade pública ainda ocupa um lugar muito

Leia mais

COOPERATIVA DE TRABALHO DOS PROFISSIONAIS DE AGRONOMIA LTDA.

COOPERATIVA DE TRABALHO DOS PROFISSIONAIS DE AGRONOMIA LTDA. Manual de Uso de Veículo Respeito a Vida! TERMO DE RECEBIMENTO R ecebi da Cooperativa de Trabalho dos P r o f i s s i o n a i s d e A g r o n o m i a L t d a. UNICAMPO, o MANUAL DE USO DO VEÍCULO e após

Leia mais

Portugal Seguro. Estratégia de Segurança para 2009

Portugal Seguro. Estratégia de Segurança para 2009 Portugal Seguro Estratégia de Segurança para 2009 Minhas Senhoras e meus Senhores, Em 2008, apresentámos, pela primeira vez, uma estratégia anual que incluiu medidas destinadas a reforçar o sentimento

Leia mais

CONTRA-ORDENAÇÕES RODOVIÁRIAS

CONTRA-ORDENAÇÕES RODOVIÁRIAS FICHA TÉCNICA CONTRA-ORDENAÇÕES RODOVIÁRIAS Níveis GDE Temas Transversais Síntese informativa Nível 1 Nível Atitudinal Tema 1 Conhecimento de si próprio como Condutor; Tema 2 Atitudes e Comportamentos;

Leia mais

Cidadão com Segurança. Respeito mútuo entre Cidadão e Polícia

Cidadão com Segurança. Respeito mútuo entre Cidadão e Polícia Cidadão com Segurança Respeito mútuo entre Cidadão e Polícia Presidente do Conselho Nacional do Ministério Público e Procurador-Geral da República Roberto Monteiro Gurgel Santos Comissão do Sistema Prisional,

Leia mais

Braga, 10 de Janeiro de 2011.

Braga, 10 de Janeiro de 2011. Braga, 10 de Janeiro de 2011. Página 1 de 20 INDICE INTRODUÇÃO... 3 Págs. CARACTERIZAÇÃO DO SERVIÇO DE FORMAÇÃO... 10 BALANÇO DAS ACTIVIDADES DEP. FORMAÇÃO.11 PRIORIDADES DE MELHORIA. 15 CONCLUSÃO.. 16

Leia mais

REGULAMENTO DAS ZONAS DE ESTACIONAMENTO DE DURAÇÃO LIMITADA DO MUNICÍPIO DE AVEIRO CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS. Artigo 1º Leis habilitantes

REGULAMENTO DAS ZONAS DE ESTACIONAMENTO DE DURAÇÃO LIMITADA DO MUNICÍPIO DE AVEIRO CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS. Artigo 1º Leis habilitantes REGULAMENTO DAS ZONAS DE ESTACIONAMENTO DE DURAÇÃO LIMITADA DO MUNICÍPIO DE AVEIRO CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS Artigo 1º Leis habilitantes O presente Regulamento é elaborado e aprovado ao abrigo do disposto

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Os serviços de apoio prestados pela APAV às vítimas são gratuitos e confidenciais.

APRESENTAÇÃO. Os serviços de apoio prestados pela APAV às vítimas são gratuitos e confidenciais. APRESENTAÇÃO A APAV - Associação Portuguesa de Apoio à Vítima é uma instituição particular de solidariedade social, sem fins lucrativos, e pessoa colectiva de utilidade pública reconhecida que tem como

Leia mais

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES ANO DE 2004

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES ANO DE 2004 APD- DELEGAÇÃO LOCAL DE MEM MARTINS RELATÓRIO DE ACTIVIDADES ANO DE 2004 INTRODUÇÃO O ano de 2004 ficou marcado por alguns acontecimentos relevantes, sinal de que, apesar do passar dos anos, a Delegação

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE CEDÊNCIA DE VIATURAS MUNICIPAIS DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS AO MOVIMENTO ASSOCIATIVO, AGENTES CULTURAIS, SOCIAIS E

REGULAMENTO MUNICIPAL DE CEDÊNCIA DE VIATURAS MUNICIPAIS DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS AO MOVIMENTO ASSOCIATIVO, AGENTES CULTURAIS, SOCIAIS E REGULAMENTO MUNICIPAL DE CEDÊNCIA DE VIATURAS MUNICIPAIS DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS AO MOVIMENTO ASSOCIATIVO, AGENTES CULTURAIS, SOCIAIS E INSTITUIÇÕES DE ENSINO DO CONCELHO Aprovado na 3.ª Reunião Ordinária

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA ASSEMBLEIA NACIONAL PROGRAMA DE DIVULGAÇÃO DA CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA DE ANGOLA NOS MUNICÍPIOS DA PROVÍNCIA DE LUANDA

REPÚBLICA DE ANGOLA ASSEMBLEIA NACIONAL PROGRAMA DE DIVULGAÇÃO DA CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA DE ANGOLA NOS MUNICÍPIOS DA PROVÍNCIA DE LUANDA REPÚBLICA DE ANGOLA PROGRAMA DE DIVULGAÇÃO DA CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA DE ANGOLA NOS MUNICÍPIOS DA PROVÍNCIA DE LUANDA N.º DATA DELEGAÇÃO MUNICIPIO ACTIVIDADE 1 FRANCISCO DE CASTRO MARIA- RUTH ADRIANO

Leia mais

www.sef.pt O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras assinalou da Sede do Serviço no Tagus Park.

www.sef.pt O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras assinalou da Sede do Serviço no Tagus Park. NEWSLETTER 0 JULHO 2009 O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras assinalou a comemoração do seu 33º Aniversário com a inauguração das novas instalações da Sede do Serviço no Tagus Park. As novas instalações

Leia mais

Discurso do Presidente da Autoridade da Concorrência. Abertura do 3.º Curso de Formação para Juízes em Direito Europeu da Concorrência

Discurso do Presidente da Autoridade da Concorrência. Abertura do 3.º Curso de Formação para Juízes em Direito Europeu da Concorrência Discurso do Presidente da Autoridade da Concorrência Abertura do 3.º Curso de Formação para Juízes em Direito Europeu da Concorrência 7 de maio de 2014 Senhores Coordenadores do Curso de Formação para

Leia mais

Regulamento de Utilização de Viaturas de Transporte Colectivo de Passageiros

Regulamento de Utilização de Viaturas de Transporte Colectivo de Passageiros Regulamento de Utilização de Viaturas de Transporte Colectivo de Passageiros CAPÍTULO I Generalidades Artigo 1.º Objecto O presente Regulamento tem como objecto disciplinar e regular a utilização das viaturas

Leia mais

Regulamento de Uso de Veículos. Secção I Disposições Gerais

Regulamento de Uso de Veículos. Secção I Disposições Gerais Regulamento de Uso de Veículos Secção I Disposições Gerais Artigo 1.º Objecto Nos termos do n.º 2 do artigo 11.º do Decreto-Lei n.º 170/2008, de 26 de Agosto, que define o novo regime jurídico do Parque

Leia mais

CEDÊNCIA DE PASSAGEM

CEDÊNCIA DE PASSAGEM FICHA TÉCNICA CEDÊNCIA DE PASSAGEM Níveis GDE Temas Transversais Síntese informativa Nível 3 Nível Táctico Tema 5 Conhecimento das Regras de Trânsito; Tema 6 Domínio das Situações de Trânsito Princípio

Leia mais

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES DA 2ª COMISSÃO COMISSÃO DE DEFESA, SEGURANÇA NACIONAL E ORDEM INTERNA

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES DA 2ª COMISSÃO COMISSÃO DE DEFESA, SEGURANÇA NACIONAL E ORDEM INTERNA RELATÓRIO DE ACTIVIDADES DA 2ª COMISSÃO COMISSÃO DE DEFESA, SEGURANÇA NACIONAL E ORDEM INTERNA Após as eleições gerais de 2008 e indicado os Deputados pelo Partido com assento no Parlamento, constituiu-se

Leia mais

RECINTOS DESPORTIVOS - ASSISTENTE DE RECINTO DESPORTIVO

RECINTOS DESPORTIVOS - ASSISTENTE DE RECINTO DESPORTIVO RECINTOS DESPORTIVOS - ASSISTENTE DE RECINTO DESPORTIVO Portaria n.º 1522-B/2002 de 20 de Dezembro Assistente de recinto desportivo...3 Definições...3 Funções...3 Deveres...4 Formação...4 Módulos de formação

Leia mais

Poderão contratar este seguro os colaboradores, incluindo os seus familiares directos.

Poderão contratar este seguro os colaboradores, incluindo os seus familiares directos. Ficha técnica 1. TOMADOR DO SEGURO / SEGURADO Poderão contratar este seguro os colaboradores, incluindo os seus familiares directos. São considerados familiares directos: - o cônjuge, desde que viva em

Leia mais

Locais de Trabalho Seguros e Saudáveis. Enquadramento Legal

Locais de Trabalho Seguros e Saudáveis. Enquadramento Legal AICCOPN Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas Locais de Trabalho Seguros e Saudáveis - Obrigações Gerais do Empregador SERVIÇOS DE ENGENHARIA/SEGURANÇA AICCOPN - 07 de Junho de

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE CUBA LIVRO VIII REGULAMENTO MUNICIPAL DE REMOÇÃO E RECOLHA DE VEÍCULOS. Nota Justificativa

CÂMARA MUNICIPAL DE CUBA LIVRO VIII REGULAMENTO MUNICIPAL DE REMOÇÃO E RECOLHA DE VEÍCULOS. Nota Justificativa CÂMARA MUNICIPAL DE CUBA LIVRO VIII REGULAMENTO MUNICIPAL DE REMOÇÃO E RECOLHA DE VEÍCULOS Nota Justificativa O reconhecido aumento da densidade do parque automóvel, com a consequente rarefacção do espaço

Leia mais

ACORDO DE PARALISAÇÃO 2000

ACORDO DE PARALISAÇÃO 2000 ACORDO DE PARALISAÇÃO 2000 Entre a Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias, Pessoa Colectiva nº 500948470, com sede em Lisboa, na Rua Dr. António Cândido, nº 8, 2º andar,

Leia mais

REGRAS PARA NÃO SE TORNAR UMA VÍTIMA DA VIOLÊNCIA URBANA

REGRAS PARA NÃO SE TORNAR UMA VÍTIMA DA VIOLÊNCIA URBANA SEGURANÇA PESSOAL EM ÁREAS DE ALTO RISCO REGRAS PARA NÃO SE TORNAR UMA VÍTIMA DA VIOLÊNCIA URBANA (Adaptação) BANCO DO BRASIL DILOG/ PRINCIPAIS AMEAÇAS Seqüestro relâmpago Com duração de 1 a 24 horas,

Leia mais

BANCO DO BRASIL GEREL Belo Horizonte (MG) NUSEG - Núcleo de Segurança SEGURANÇA PESSOAL EM ÁREAS DE ALTO RISCO

BANCO DO BRASIL GEREL Belo Horizonte (MG) NUSEG - Núcleo de Segurança SEGURANÇA PESSOAL EM ÁREAS DE ALTO RISCO SEGURANÇA PESSOAL EM ÁREAS DE ALTO RISCO REGRAS PARA NÃO SE TORNAR UMA VÍTIMA DA VIOLÊNCIA URBANA (Adaptação) DILOG/ PRINCIPAIS AMEAÇAS Seqüestro relâmpago Com duração de 1 a 24 horas, geralmente para

Leia mais

REGULAMENTO DE CEDÊNCIA E UTILIZAÇÃO TEMPORÁRIAS DA VIATURA DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS DO COMITÉ PARALÍMPICO DE PORTUGAL

REGULAMENTO DE CEDÊNCIA E UTILIZAÇÃO TEMPORÁRIAS DA VIATURA DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS DO COMITÉ PARALÍMPICO DE PORTUGAL REGULAMENTO DE CEDÊNCIA E UTILIZAÇÃO TEMPORÁRIAS DA VIATURA DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS DO COMITÉ PARALÍMPICO DE PORTUGAL CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Objeto 1. O presente Regulamento estabelece

Leia mais

Regimento do Conselho Municipal de Educação de Odivelas 2010/2013

Regimento do Conselho Municipal de Educação de Odivelas 2010/2013 Regimento do Conselho Municipal de Educação de Odivelas 2010/2013 O Decreto-Lei n.º 7/2003, de 15 de Janeiro, tem por objecto os Conselhos Municipais de Educação, regulando as suas competências e composição,

Leia mais

Decreto-Lei n.º 56/2006, de 15 de Março

Decreto-Lei n.º 56/2006, de 15 de Março Decreto-Lei n.º 56/2006, de 15 de Março EXPLORAÇÃO DE JOGOS SOCIAIS (DISTRIBUIÇÃO DOS RESULTADOS LÍQUIDOS) (LOTARIAS - TOTOBOLA TOTOLOTO TOTOGOLO LOTO 2 JOKER - EUROMILHÕES) A afectação das receitas dos

Leia mais

O PAPEL DA AUTORIDADE MARÍTIMA PORTUÁRIA NA GARANTIA DA SEGURANÇA DA CARGA, NOS NAVIOS E NO ESPAÇO PORTUÁRIO

O PAPEL DA AUTORIDADE MARÍTIMA PORTUÁRIA NA GARANTIA DA SEGURANÇA DA CARGA, NOS NAVIOS E NO ESPAÇO PORTUÁRIO O PAPEL DA AUTORIDADE MARÍTIMA PORTUÁRIA NA GARANTIA DA SEGURANÇA DA CARGA, NOS NAVIOS E NO ESPAÇO PORTUÁRIO Victor Alexandre de Carvalho Director Geral do IMPA Instituto Marítimo Portuário de Angola 1

Leia mais

DOCUMENTO DE TRABALHO

DOCUMENTO DE TRABALHO Página 1 de 1 Oferta formativa 1. Escola Nacional de Bombeiros O Regulamento dos Cursos de Formação do Bombeiro, é o normativo legal que regulamenta os cursos de formação dos elementos do Quadro de Comando

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE INSPECÇÃO DE ASCENSORES, MONTA-CARGAS, ESCADAS MECÂNICAS E TAPETES ROLANTES. Preâmbulo

REGULAMENTO MUNICIPAL DE INSPECÇÃO DE ASCENSORES, MONTA-CARGAS, ESCADAS MECÂNICAS E TAPETES ROLANTES. Preâmbulo REGULAMENTO MUNICIPAL DE INSPECÇÃO DE ASCENSORES, MONTA-CARGAS, ESCADAS MECÂNICAS E TAPETES ROLANTES Preâmbulo O Decreto-Lei n. 295/98, de 22 de Setembro, que transpôs para o direito interno a Directiva

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL

REGULAMENTO MUNICIPAL REGULAMENTO MUNICIPAL INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DE RECINTOS DE ESPECTÁCULOS E DIVERTIMENTOS PÚBLICOS O Decreto-Lei nº 309/2002, de 16 de Dezembro, veio estabelecer uma nova regulamentação sobre a instalação

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE VILA FRANCA DE XIRA

CÂMARA MUNICIPAL DE VILA FRANCA DE XIRA CÂMARA MUNICIPAL DE VILA FRANCA DE XIRA REGULAMENTO Nº 08/2004 REGULAMENTO MUNICIPAL PARA VEÍCULOS ABANDONADOS 1/10 Aprovação nos Órgãos Municipais Câmara Municipal: Regulamento...................... 04/09/29

Leia mais

Resolução 1325(2000) Aprovada pelo Conselho de Segurança na sua 4213 a reunião, em 31 de Outubro de 2000. O Conselho de Segurança,

Resolução 1325(2000) Aprovada pelo Conselho de Segurança na sua 4213 a reunião, em 31 de Outubro de 2000. O Conselho de Segurança, Resolução 1325(2000) Aprovada pelo Conselho de Segurança na sua 4213 a reunião, em 31 de Outubro de 2000 O Conselho de Segurança, Tendo presentes as suas resoluções 1261(1999) de 25 de Agosto de 1999,

Leia mais

Regulamento do Transporte Público de Aluguer em Veículos Automóveis Ligeiros de Passageiros Transportes em Táxi

Regulamento do Transporte Público de Aluguer em Veículos Automóveis Ligeiros de Passageiros Transportes em Táxi Regulamento do Transporte Público de Aluguer em Veículos Automóveis Ligeiros de Passageiros Transportes em Táxi CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1.º Âmbito de aplicação O presente Regulamento aplica-se

Leia mais

Distintos Membros dos Órgãos Sociais da Banca Comercial; Chegamos ao final de mais um ano e, por isso, é oportuno, fazer-se um

Distintos Membros dos Órgãos Sociais da Banca Comercial; Chegamos ao final de mais um ano e, por isso, é oportuno, fazer-se um Sr. Vice-Governador do BNA; Srs. Membros do Conselho de Administração do BNA; Distintos Membros dos Órgãos Sociais da Banca Comercial; Sr Representante das Casas de Câmbios Srs. Directores e responsáveis

Leia mais

Papel e estratégias do Ministério Público na defesa dos direitos das mulheres e principais limitações na aplicação da Lei Sobre Violência Doméstica

Papel e estratégias do Ministério Público na defesa dos direitos das mulheres e principais limitações na aplicação da Lei Sobre Violência Doméstica Papel e estratégias do Ministério Público na defesa dos direitos das mulheres e principais limitações na aplicação da Lei Sobre Violência Doméstica (Síntese a partir dos slides) Por Lúcia Maximiano (Procuradoria

Leia mais

REGULAMENTO DE CIRCULAÇÃO E ESTACIONAMENTO PARA A ZONA DE TRANSITO CONDICIONADO DO CENTRO DA CIDADE DE SÃO JOÃO DA MADEIRA. Nota justificativa

REGULAMENTO DE CIRCULAÇÃO E ESTACIONAMENTO PARA A ZONA DE TRANSITO CONDICIONADO DO CENTRO DA CIDADE DE SÃO JOÃO DA MADEIRA. Nota justificativa REGULAMENTO DE CIRCULAÇÃO E ESTACIONAMENTO PARA A ZONA DE TRANSITO CONDICIONADO DO CENTRO DA CIDADE DE SÃO JOÃO DA MADEIRA Nota justificativa As recentes obras realizadas no Centro Cívico da Cidade de

Leia mais

5948 DIÁRIO DA REPÚBLICA. Decreto Presidencial n.º 232/12 de 4 de Dezembro. administrativa das actividades do Ministério,

5948 DIÁRIO DA REPÚBLICA. Decreto Presidencial n.º 232/12 de 4 de Dezembro. administrativa das actividades do Ministério, 5948 DIÁRIO DA REPÚBLICA Decreto Presidencial n.º 232/12 de 4 de Dezembro Havendo necessidade de se dotar o Ministério do Urbanismo e Habitação do respectivo Estatuto Orgânico, na sequência da aprovação

Leia mais

Road Show Nacional e Prémio Nacional de Segurança Rodoviária. 24 de Setembro a 23 de Dezembro 2003

Road Show Nacional e Prémio Nacional de Segurança Rodoviária. 24 de Setembro a 23 de Dezembro 2003 Road Show Nacional e Prémio Nacional de Segurança Rodoviária 24 de Setembro a 23 de Dezembro 2003 1. Cidadania Empresarial A previsão do aumento de 40% no tráfego rodoviário nos próximos dez anos, exige

Leia mais

SERVIÇO DE ESTRANGEIROS E FRONTEIRAS

SERVIÇO DE ESTRANGEIROS E FRONTEIRAS SERVIÇO DE ESTRANGEIROS E FRONTEIRAS O SEF pretende dar execução à política de imigração e asilo de Portugal, de acordo com as disposições da Constituição e da Lei e as orientações do Governo. O Serviço

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE BRAGANÇA

CÂMARA MUNICIPAL DE BRAGANÇA CÂMARA MUNICIPAL DE BRAGANÇA Regulamento do Processo de Fiscalização das Obras Particulares Sujeitas a Licenciamento Municipal Preâmbulo Estabelece o artigo 24º. do DL 445/91, de 20 Novembro, com a redacção

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DO MUNICÍPIO DA MURTOSA

REGULAMENTO INTERNO CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DO MUNICÍPIO DA MURTOSA REGULAMENTO INTERNO CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DO MUNICÍPIO DA MURTOSA PREÂMBULO Designa-se por rede social o conjunto das diferentes formas de entreajuda, praticadas por entidades particulares sem

Leia mais

Polícia e o Natal das Crianças

Polícia e o Natal das Crianças Nº 4 - Março 2010 Assinatura de Protocolo - SES da PN e SS da PSP Polícia e o Natal das Crianças A o longo de muitos anos, o Serviço Social vem programando, conjuntamente com as unidades policiais e serviços,

Leia mais

ESCOLA DE CONDUÇÃO INVICTA (Conduzir em Segurança)

ESCOLA DE CONDUÇÃO INVICTA (Conduzir em Segurança) Condução consciente A condução consciente e tranquila depende em grande parte de quem está ao volante. Cada um tem a responsabilidade de melhorar a sua segurança e a dos outros. Basta estar atento e guiar

Leia mais

República de Moçambique ---------------- Governo da Província de Maputo REGULAMENTO INTERNO DA SECRETARIA PROVINCIAL PREÂMBULO

República de Moçambique ---------------- Governo da Província de Maputo REGULAMENTO INTERNO DA SECRETARIA PROVINCIAL PREÂMBULO República de Moçambique ---------------- Governo da Província de Maputo REGULAMENTO INTERNO DA SECRETARIA PROVINCIAL PREÂMBULO Havendo necessidade de regulamentar o funcionamento da Secretaria Provincial

Leia mais

DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA O PRIMEIRO-MINISTROMINISTRO DR. RUI MARIA DE ARAÚJO POR OCASIÃO DO 15º ANIVERSÁRIO DA POLÍCIA NACIONAL DE TIMOR-LESTE

DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA O PRIMEIRO-MINISTROMINISTRO DR. RUI MARIA DE ARAÚJO POR OCASIÃO DO 15º ANIVERSÁRIO DA POLÍCIA NACIONAL DE TIMOR-LESTE DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA O PRIMEIRO-MINISTROMINISTRO DR. RUI MARIA DE ARAÚJO POR OCASIÃO DO 15º ANIVERSÁRIO DA POLÍCIA NACIONAL DE TIMOR-LESTE Centro de Formação da Polícia em Comoro, Díli 27 de Março

Leia mais

I - Transportes de passageiros Artigo 2.º

I - Transportes de passageiros Artigo 2.º Decreto n.º 12/95 de 17 de Maio Acordo entre o Governo da República Portuguesa e o Governo do Reino de Marrocos sobre Transportes Internacionais Rodoviários de Passageiros e de Mercadorias Nos termos da

Leia mais

Ministério do Interior

Ministério do Interior Ministério do Interior DECRETO LEI Nº /97 O Ministério do Interior é o órgão do Governo a que incumbe, dentre outras, as tarefas de garantia da segurança e da ordem internas, bem como da defesa dos direitos

Leia mais

REGULAMENTO CONTRA A VIOLÊNCIA ASSOCIADA AO DESPORTO

REGULAMENTO CONTRA A VIOLÊNCIA ASSOCIADA AO DESPORTO REGULAMENTO CONTRA A VIOLÊNCIA ASSOCIADA AO DESPORTO Aprovado em Reunião de Direcção de 4 de Fevereiro de 2010 1 CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º Objecto O presente regulamento estabelece medidas

Leia mais

Sistema Integrado de Operações de Protecção e Socorro (SIOPS)

Sistema Integrado de Operações de Protecção e Socorro (SIOPS) Anteprojecto de decreto-lei Sistema Integrado de Operações de Protecção e Socorro (SIOPS) As acções de protecção civil integram, obrigatoriamente, agentes e serviços que advêm de organismos do Estado,

Leia mais