POLÍTICAS DO ÁLCOOL PARA A REDUÇÃO DE ACIDENTES DE TRÂNSITO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "POLÍTICAS DO ÁLCOOL PARA A REDUÇÃO DE ACIDENTES DE TRÂNSITO"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO ESCOLA PAULISTA DE MEDICINA - UNIFESP-EPM VALDIR RIBEIRO CAMPOS POLÍTICAS DO ÁLCOOL PARA A REDUÇÃO DE ACIDENTES DE TRÂNSITO São Paulo 2012

2 VALDIR RIBEIRO CAMPOS POLÍTICAS DO ÁLCOOL PARA A REDUÇÃO DE ACIDENTES DE TRÂNSITO Tese apresentada à Universidade Federal de São Paulo Escola Paulista de Medicina, como requisito parcial para a obtenção do título de Doutor em Ciências. Orientador: Prof. Dr. Ronaldo Ramos Laranjeira. Coorientadores: Prof. Dr. Sérgio Marsiglia Duailibi e Prof a. Dr a. Ilana Pinsky. São Paulo UNIFESP EPM 2012

3 Campos, Valdir Ribeiro Políticas do álcool para a redução de acidentes de trânsito. / Valdir Ribeiro Campos. -- São Paulo, xviii, 212f. Tese (Doutorado) Universidade Federal de São Paulo. Escola Paulista de Medicina. Programa de Pós-graduação em Psiquiatria. Título em inglês: Alcohol policies for reducing traffic accidents. 1. Consumo de Bebidas Alcoólicas/prevenção e controle. 2. Acidentes de Trânsito/prevenção e controle. 3. Condução de Veículo/legislação e jurisprudência. 4. Formulação de Politica. 5. Humanos.

4 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO ESCOLA PAULISTA DE MEDICINA DEPARTAMENTO DE PSIQUIATRIA E PSICOLOGIA MÉDICA Chefe do Departamento: Profa Dra. Julieta Freitas Ramalho da Silva Coordenador do Curso de Pós-Graduação: Prof. Dr. Jair de Jesus Mari Orientador: Prof. Dr. Ronaldo Ramos Laranjeira Co-orientadores: Prof. Dr. Sérgio Marsiglia Duailibi Profª. Dra. Ilana Pinsky

5 VALDIR RIBEIRO CAMPOS POLÍTICAS DO ÁLCOOL PARA A REDUÇÃO DE ACIDENTES DE TRÂNSITO BANCA EXAMINADORA Presidente da banca: Prof. Dr. Ronaldo Ramos Laranjeira Examinadores: Profª. Drª. Lilian Ratto Profª. Dr. Marcos Zaleski Prof. Dr. Sandro Mitsuhiro Profª. Drª. Vilma Aparecida da Silva Prof. Dr. Frederico Garcia(suplente) Prof. Dr. Marcelo Ribeiro (suplente) Submetido a aprovação em 05 de novembro de 2012

6 DEDICATÓRIA Aos meu pais, por tudo. Agradeço a Deus por ter me colocado no mundo por via deles, pessoas humildes e maravilhosas e que me passaram o sentimento de amor ao próximo. E a todos os meus irmãos.

7 DEDICATÓRIA A Adriana, pelo nosso encontro e pela paciência e aceitação da minha obstinação. E à nossa amiga Debby, que me acompanhou implacavelmente durante as inúmeras horas elaborando hipóteses, planejando e sonhando com algo melhor para a comunidade e a vida.

8 AGRADECIMENTOS Como diria Shakespeare, palavras não pagam dívidas, mas espero que sejam eficazes para expressar toda a minha gratidão e afeto por aqueles que contribuíram para que este trabalho fosse realizado: Ao meu orientador, Professor Ronaldo Ramos Laranjeira, pelo convite e confiança depositada em minha pessoa para conduzir um trabalho de tamanha importância, pelo apoio, autonomia e por ter acreditado em mim o tempo inteiro. Ao meu coorientador, Professor Sérgio Marsiglia Duailibi, pela ajuda em todos os momentos na realização das pesquisas, pela generosidade, disponibilidade e auxílio constante na elaboração dessa tese. À minha coorientadora, Professora Ilana Pinsky, pelo carinho, cuidado e preocupação que sempre teve comigo, pela ajuda na elaboração dos textos, muitas conversas e com quem muito aprendi. À Professora Rebeca de Souza Silva, pela disponibilidade e objetividade nas análises estatísticas deste estudo. Ao Center for the Study of Law and Enforcement and Policy e Prevention Research Center do Pacific Institute for Research and Evaluation (PIRE), pela assessoria científica, em particular ao seu diretor, Joel Grube, PhD. À Professora Ester Palácios, pela condução dos trabalhos em Vitória- ES. À Comissão Municipal Antidrogas de São Paulo, em particular ao presidente, José Florentino dos Santos, pela condução dos trabalhos em São Paulo. À Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), pelo financiamento do projeto (Processo nº. 01/ ).

9 A todos que contribuíram como voluntários, sujeitos deste estudo, sem os quais o mesmo não seria possível de se concretizar; especialmente aos universitários, por disponibilizarem momentos preciosos nessa fase de muito estudo e tempo escasso. À Subsecretaria de Políticas para Drogas (SUPOD) do Governo do Estado de Minas Gerais e a todos os seus diretores e assessores, pela assessoria da logística para a realização das pesquisas, em especial ao subsecretário, Cloves Benevides, pelo seu dinamismo, capacidade e compromisso com a saúde pública. A Associação Brasileira Comunitária para Prevenção do Abuso de Drogas- ABRAÇO e meus colegas de pesquisa Rogério Salgado e Mariela Campos Rocha. Por último e não menos importante, gostaria de registrar meu agradecimento cordial à Unidade de Pesquisa em Álcool e outras Drogas/ Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Políticas Públicas do Álcool e Outras Drogas (UNIAD/INPAD) - Universidade Federal de São Paulo UNIFESP.

10 RESUMO Introdução: acidentes de trânsito de maior gravidade possuem uma relação importante com o consumo de álcool pelos motoristas. No Brasil, os acidentes de trânsito tornaram-se um grave problema de saúde pública. Objetivos: realizar o levantamento de dados referente ao comportamento dos motoristas em relação a beber e dirigir em quatro cidades da região Sudeste e no estado de Minas Gerais, utilizando-se de bafômetros passivos e ativos e verificar o impacto da nova lei de trânsito (Lei /2008- conhecida popularmente como lei seca ) em relação ao beber e dirigir nas cidades de Belo Horizonte e São Paulo- SP. Método: foram entrevistados condutores de veículos automotores em vias públicas de tráfego intenso de quatro cidades da região Sudeste do Brasil: Diadema-SP, Belo Horizonte-MG, Vitória-ES e São Paulo-SP e dez regiões geográficas do Estado de Minas Gerais. Os condutores responderam a um questionário e participaram do teste do bafômetro. O levantamento dos dados foi realizado no período de 2005 a Para isso, foi adotada a metodologia internacional de postos de fiscalização de sobriedade (Sobriety Checkpoints), em todos os períodos da pesquisa. Foi utilizada a análise de regressão logística para avaliar o perfil dos condutores que apresentaram o desfecho bafômetro positivo. Este estudo foi composto de cinco artigos: A prevalência do beber e dirigir em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil (publicado no Cadernos de Saúde Pública Fundação Oswaldo Cruz - FIOCRUZ); Drinking and Driving in Southeastern Brazil: Results From Roadside Surveys (publicado no Addictive Behaviors ); O impacto da lei seca sobre o beber e dirigir em Belo horizonte / MG, Brasil (publicado no periódico Ciência & Saúde Coletiva); The effect of the new traffic law on drinking and driving in São Paulo, Brazil (publicado na revista Accident Analysis and Prevention) e Beber e Dirigir: características de condutores com bafômetro positivo (publicado no periódico Revista de Psiquiatria Clínica). Resultados: os resultados revelaram alta prevalência para a associação álcool e direção a partir do teste do bafômetro nas quatro cidades antes da Lei Seca e após a lei no Estado de Minas Gerais. Após a nova lei ( Lei Seca ) na cidade de Belo Horizonte e São Paulo, houve queda de 50% e 45%, respectivamente, nos índices de condutores que dirigiam sob o efeito do álcool. Conclusão: beber e

11 dirigir é relativamente comum no Brasil e ocorre principalmente em condutores que bebem ocasionalmente. O monitoramento do beber e dirigir feito pelos postos de fiscalização da sobriedade com a adoção do teste do bafômetro têm boa efetividade na construção de uma política específica para o beber e dirigir e na redução dos acidentes e mortes no trânsito. Palavras-chave: Consumo de álcool. Etilômetro (bafômetro). Redução de acidentes de trânsito.

12 ABSTRACT Introduction: traffic accidents of greater severity have an important relationship with the consumption of alcohol by drivers. In Brazil, the traffic accidents have become a serious public health problem. Objectives: perform data collection relating to the behavior of drivers towards drinking and driving in four cities in the Southeast and in the State of Minas Gerais, using passive and active breathalyzers and verify the impact of the new traffic law (law 11,705/2008- popularly known as "Dry Law") with respect to drinking and driving in the cities of Belo Horizonte and São Paulo (SP). Method: drivers of motor vehicles who drive on public heavy traffic roads were interviewed in four cities in the southeastern region of Brazil: Diadema-SP, Belo Horizonte-MG, Vitória-ES and São Paulo-SP and ten geographic regions in the State of Minas Gerais. The drivers responded to a questionnaire and participated in the breathalyzer test. Data collection was carried out during the period from 2005 to For this purpose, it was adopted the international methodology of checkpoints of sobriety (Sobriety Checkpoints), in all periods of the research. It was used the logistic regression analysis to evaluate the profile of drivers who presented the outcome "positive breathalyzer". This study is comprised of five articles: "The prevalence of drinking and driving in Belo Horizonte, Minas Gerais, Brazil" (published in Cadernos de Saúde Pública- Oswaldo Cruz Foundation-FIOCRUZ); "Drinking and Driving in Southeastern Brazil: Results From Roadside Surveys"(published in Addictive Behaviors ); The impact of "dry law" on the drinking and driving in Belo Horizonte/MG, Brazil (published in the periodical Ciência & Saúde Coletiva); "The effect of the new traffic law on drinking and driving in Sao Paulo, Brazil" (published in the journal Accident Analysis and Prevention) and drinking and driving: characteristics of drivers with positive breathalyzer (published in the Journal Revista de Psiquiatria Clinica). Results: the results revealed high prevalence for alcohol association and driving from the breathalyzer test in the four cities before "Dry Law" and after the law in the State of Minas Gerais. After the new law ("Dry Law") in the city of Belo Horizonte and São Paulo, there was a 50% and 45% drop, respectively, in the indexes of drivers who drove under the influence of alcohol. Conclusion: drinking and driving is relatively common in Brazil and it occurs mainly with drivers who

13 drink occasionally. The monitoring of drinking and driving done by checkpoints of sobriety with the adoption of the breathalyzer test has good effectiveness in the construction of a specific policy for drinking and driving and in reducing accidents and deaths in transit. Keywords: Alcohol consumption. Ethylometer (breathalyzer). Reduction of traffic accidents

14 LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS ABDETRAN ABEAD ANTP BAC BHTRANS BRAC CAS CDC CEP CET DENATRAN DML DUI DWI EPM ES EUA EUROCARE FAPESP FHEMIG FIOCRUZ FUMEC g/l IML INPAD IPEA MADD MG NHTSA Associação Brasileira dos Departamentos de Trânsito Associação Brasileira de Estudos do Álcool e Outras Drogas Associação Nacional de Transportes Públicos Blood Alcohol Concentration Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte Concentração de álcool no ar alveolar Concentração de álcool no sangue Centers for Disease Control and Prevention Comitê de Ética em Pesquisa Companhia de Engenharia e Tráfego Departamento Nacional de Trânsito Departamento Médico-Legal Driving Under Influence Driving while influence Escola Paulista de Medicina Espírito Santo Estados Unidos da América Eurocare Report to the European Union Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais Fundação Oswaldo Cruz Fundação Mineira de Educação e Cultura Gramas por litro Instituto Médico-Legal Instituto Nacional de Ciência de Tecnologia para Políticas Públicas do Álcool e Outras Drogas Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada Mothers Against Drunk Driving Minas Gerais National Highway Transportation Safety Administration

15 OMS PAS PIB PIRE RITA SAMU SP SPSS SUPOD UFES UNIAD UNIFESP VIGITEL WHO Organização Mundial de Saúde Passive Alcohol Sensor-Sniffer Produto interno bruto Pacific Institute for Research and Evaluation Research and Innovative Technology Administration Serviço Móvel de Urgência São Paulo Statistical Package for the Social Sciences Subsecretaria de Políticas sobre Drogas Universidade Federal do Espírito Santo Unidade de Pesquisas em Álcool e Drogas Universidade Federal de São Paulo Sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas não Transmissíveis por Inquérito Telefônico World Health Organization

16 LISTA DE ILUSTRAÇÕES Figura FIGURA 1 - Fluxograma da implementação da pesquisa beber e dirigir na região Sudeste Quadros QUADRO 1 - Efeitos da alcoolemia e o desempenho do condutor de veículo automotor QUADRO 2 - Alcoolemia (CAS) autorizada para condutores, por país ou região QUADRO 3 - Medidas de conversão da alcoolemia no bafômetro... 31

17 SUMÁRIO 1 APRESENTAÇÃO INTRODUÇÃO Álcool e acidentes de trânsito Álcool e acidentes de trânsito no Brasil Beber e dirigir, no mundo Beber e dirigir, no Brasil Políticas públicas e o beber e dirigir Reduzindo limites da CAS Garantindo o cumprimento da lei: checagem aleatória ou seletiva? Gravidade da punição Rapidez da punição Justificativas do projeto Objetivos MATERIAL E MÉTODOS Aspectos gerais e comuns da implementação da pesquisa beber e dirigir Fases de implementação da pesquisa Compatibilização do banco de dados único Aspectos gerais e comuns a todas as pesquisas Instrumentos e procedimentos Cuidados éticos Aspectos particulares da metodologia dos artigos Artigo 1 - Prevalência do beber e dirigir em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil Artigo 2 - Drinking and driving in Southeastern Brazil: Results from roadside surveys Este trabalho foi revisado de acordo com as novas regras ortográficas aprovadas pelo Acordo Ortográfico assinado entre os países que integram a Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), em vigor no Brasil desde E foi formatado de acordo com a ABNT NBR de

18 2.4.3 Artigo 3 O impacto da Lei Seca sobre o beber e dirigir em Belo Horizonte Artigo 4 - O efeito da nova lei de trânsito sobre o beber e dirigir na cidade de São Paulo, Brasil Artigo 5 Beber e dirigir: características dos condutores com bafômetro positivo Aspectos éticos Financiamento RESULTADOS E DISCUSSÃO Artigos Limitações do estudo Intervenções para política do beber e dirigir propostas CONCLUSÕES Considerações finais REFERÊNCIAS ANEXOS E APÊNDICES... Anexo A: Aprovação da pesquisa beber e dirigir pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal de São Paulo... Anexo B: Aprovação da pesquisa beber e dirigir pelo Comitê de Ética e Pesquisa da Fundação Hospitalar de Minas Gerais- FHEMIG... Anexo C: Mapeamento das cidades e postos de checagem da sobriedade... Anexo D: Tipos de bafômetros utilizados... Apêndice A: Questionário utilizado nas pesquisas... Apêndice B: Termo de consentimento livre e esclarecido... Apêndice C: Folhetos distribuídos aos condutores e modelo da camisa de identificação do entrevistador... Apêndice D: Manual do pesquisador da pesquisa beber e dirigir no Estado de Minas Gerais

19 Apêndice E: Relatório de campo da pesquisa beber e dirigir no Estado de Minas Gerais... Apêndice F: Capa dos artigos publicados

20 19 APRESENTAÇÃO Desde a minha formação como psiquiatra nasceu o interesse por entender e saber a respeito dos fenômenos relacionados ao consumo de álcool e suas consequências físicas, psicológicas e sociais. Inicialmente, fui em busca dos princípios da pesquisa básica com modelo animal numa tentativa de entender os mecanismos biológicos e os sinais e sintomas do álcool em seres vivos. Entretanto, a minha inquietude se voltava para a minha rotina clínica de atendimento e melhor compreensão fenomenológica em relação ao homem e o uso de álcool. Na procura por melhor formação acadêmica para compreender e melhor atender aos pacientes alcoolistas, em 2003 tomei conhecimento e tive a oportunidade de fazer a especialização em dependência química pela Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas (UNIAD) da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). A partir de então, meu interesse se voltou especificamente para a compreensão e prática clínica no atendimento a dependentes químicos. Em 2005, durante o XVII Congresso da Associação Brasileira de Estudos do Álcool e Outras Drogas (ABEAD) realizado em Ouro Preto - MG, tomei conhecimento de um trabalho pioneiro sobre políticas públicas desenvolvido em Diadema- SP pela UNIAD e não tive dúvidas de que essa seria a pesquisa que sempre sonhara em fazer. Tinha comigo que esse trabalho seria relevante para a minha cidade e que sem sombra de dúvida os dados seriam alarmantes, visto que Belo Horizonte- MG é conhecida internacionalmente como a cidade dos botecos. Salvo alguns poucos dados dos serviços de urgência e anedóticos dos órgãos de trânsito, não se tinha ideia real do assunto álcool e direção no nosso meio. E o bafômetro era, usando linguajar bem regional, um trem pouco conhecido e estranho por aqui. A metodologia dos postos de checagem de sobriedade com uso do bafômetro usada em Diadema seria, então, o ponto de partida para começarmos a caminhada de levantamento de dados reais a respeito da relação álcool e direção na minha cidade. Com o desafio lançado a mim mesmo e a confiança depositada pelos mentores desta pesquisa, os Professores Dr. Ronaldo Laranjeira

21 20 e Dr. Sérgio Duailibi, fui em busca dos meios para viabilizar o tão sonhado trabalho. Um grande desafio estava lançado para mim, já que necessitaria de articular interesses e vencer barreiras burocráticas. Em se tratando de uma pesquisa de interesse público, não haveria como não buscar a parceria com órgãos governamentais. Tinha consciência das barreiras que enfrentaria na malha governamental. Ao procurar o governo do estado, representado pela Subsecretaria de Políticas sobre Drogas (SUPOD), na figura do subsecretário Clóves Benevides, pessoa desprendida, obtive apoio irrestrito e imediato, uma vez que ele não mediu esforços em articular, nas instituições governamentais, todo o processo de viabilização deste trabalho. Após inúmeros encontros e acertos com a subsecretaria, Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte S/A (BHTRANS) e Polícia Militar de Minas Gerais a respeito da implementação da metodologia, questões éticas e jurídicas que permeiam até hoje a relação álcool e direção, os trabalhos em Belo Horizonte foram iniciados em Quase que simultaneamente, as cidades de Vitória e São Paulo realizaram o mesmo trabalho, adotando a mesma metodologia. Não demorou muito e os primeiros dados apresentados geraram amplo debate em todo o país a respeito da associação álcool e direção. Fruto desse debate foi a modificação da lei de trânsito em julho de 2008, em que o limite de alcoolemia para dirigir passou a ser zero, na forma da lei , conhecida popularmente como Lei Seca, gerando inicialmente entre a população um clima social de bem comum em relação ao consumo de álcool e suas consequências. Como resultado desse clima, observaram-se alterações nos índices de acidentes e mortes no trânsito em todo o país. Desde então, com o apoio da UNIAD (cuja excelência científica conquistada foi reconhecida em 2008 pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico - CNPq e criado o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Políticas Públicas do Álcool e Outras Drogas INPAD), temos aperfeiçoado nosso trabalho. E em articulação com instituições governamentais relacionadas a políticas de álcool e drogas, monitoramos o beber e dirigir em todas as nove regionais da cidade de Belo Horizonte e 10 regiões do estado de Minas Gerais, representadas pelas cidades-polos. Partimos então, para uma pesquisa multicêntrica e da interação entre a Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP através da UNIAD/INPAD,

22 21 Universidade Federal do Espírito Santo - UFES e Subsecretaria de Políticas sobre Drogas SUPOD/MG, nasceu o projeto que culminou com o presente estudo. Este trabalho apresenta a situação, até a presente data, do beber e dirigir, com a adoção dos postos de checagem de sobriedade com o uso do bafômetro, baseado nas pesquisas desenvolvidas em Belo Horizonte, Diadema, Vitória e São Paulo. Em função das mudanças ocorridas nesse período, buscou-se avaliar também o impacto da nova lei de trânsito na cidade de Belo Horizonte e São Paulo e o beber e dirigir no estado de Minas Gerais após a nova lei. Por fim, toda pesquisa tem como objetivo final a proposição de alguma medida que seja benéfica para o ser humano. Nesse aspecto, a partir deste trabalho em busca dos fatores relacionados ao álcool e direção, são propostas medidas que visam a uma política do álcool para o bem comum. Acredito que é um pequeno passo para o direcionamento de políticas para o álcool e direção no país, mas um grande esforço da minha parte em contribuir, como cidadão, para o bem de todos nós.

23 22 1 INTRODUÇÃO 1.1 Álcool e acidentes de trânsito Os acidentes de trânsito ocupam papel proeminente nas estatísticas de mortes fatais em todo o mundo. Cerca de 1,2 milhão de pessoas morrem todos os anos em acidentes de trânsito, sobretudo em países de baixa e média renda; e 20 a 50 milhões ficam feridos e incapacitados. Isso representa 2,1% de todas as mortes no mundo e é comparável ao número de mortes causadas por malária e tuberculose (WHO, 2007a). Dessas mortes, 45% ocorrem em pessoas na faixa etária de zero a 25 anos, principalmente em países de média e baixa renda. Os acidentes de trânsito são a segunda causa de morte em jovens na faixa etária de cinco a 25 anos, sendo 75% deles entre o sexo masculino. As mortes nas estradas representam 1 a 1,5% do produto interno bruto (PIB) anual de países de baixa e média renda e 2% do PIB de países de alta renda. Os acidentes de trânsito continuam crescendo e se nenhuma medida drástica for tomada para conter essa tendência, estima-se que em 2030 será a oitava causa de mortes e incapacidade no mundo (WHO, 2007a). Condições de estradas, veículos e humana são os principais fatores associados aos acidentes no trânsito. A condição humana, por si só, tais como erros na percepção, atenção e memória, associada a outros fatores é responsável por mais de 90% dos acidentes de veículos automotores (DURIC; MILADINOV MIKOV, 2008). Além disso, outros fatores, como, por exemplo, o consumo de álcool, podem contribuir para que o condutor tenha suas habilidades comprometidas e aumente ainda mais as chances de acidentes de trânsito. Estima-se que entre um quarto e metade dos acidentes de trânsito esteja associado ao consumo de álcool (PERRINE et al.,1988). Apesar do consumo de álcool na maioria dos países ter importante significado nos planos cultural, religioso e simbólico e ser considerado muitas vezes inócuo, o álcool não é uma substância qualquer, pois produz efeitos tóxicos

24 23 e gera outros tipos de risco, como intoxicação e dependência. Com a globalização, ocorreu o crescimento da indústria do álcool e da motorização e as consequências têm sido o aumento nos problemas relacionados ao consumo de álcool, principalmente em países em desenvolvimento. O aumento da disponibilidade a partir da proliferação de pontos de venda, falta de controle do mercado, baixo preço das bebidas e do pouco empenho governamental em relação aos problemas advindos do consumo do álcool fez com que o consumo per capita de álcool, segundo informações que datam da última metade da década de 80, aumentasse na região das Américas (WHO, 2002). Ao contrário da tendência dos países economicamente desenvolvidos, o aumento do consumo de álcool tem ocorrido em países em desenvolvimento (ROOM et al., 2002). Várias pesquisas têm demonstrado que quanto mais elevado o consumo médio do álcool numa população, mais alta a incidência de problemas relacionados (BABOR et al., 2003; EDWARDS et al., 1994; REHM et al., 2003). Em países como o Brasil, o consumo registrado quase triplicou desde a década de 60 - de 2 litros para 6 litros per capita na população acima de 15 anos de idade (CAETANO; LARANJEIRA, 2006). Além disso, tem sido constatado o início do consumo de álcool cada vez mais precoce na população de jovens brasileiros, especialmente na faixa etária dos 10 aos 12 anos de idade (CARLINI et al., 2010). Dessa forma, quanto mais precoce o início do uso de álcool, maior será o consumo geral, maiores os problemas associados, maior a frequência de beber e dirigir e acidentes no trânsito. O risco de beber e em seguida dirigir ocorre porque o álcool é rapidamente absorvido pelo aparelho gastrintestinal e se dissemina por todo o organismo humano. Em poucos minutos atinge o sistema nervoso central e reduz a atenção, acuidade visual, coordenação motora e compromente o senso crítico do condutor, sua capacidade de julgamento de velocidade, tempo de reação e distância (DURIC; MILADINOV MIKOV, 2008; ROSPA, 2005). Decréscimos no desempenho do condutor aparecem até mesmo na ingestão de um único drinque, apesar de frequentemente a pessoa ficar certa de que seu desempenho, na verdade, melhorou (EDWARDS, 1998). Estudos epidemiológicos mostram que os prejuizos na direção, para freiar, mudar de faixa e no julgamento ocorrem a partir de 0,2 g/l (MOSKOWITZ; FIORENTINO, 2000) e à medida que os níveis de

25 24 alcoolemia aumentam, há tendência do condutor a não usar o cinto de segurança e a dirigir em alta velocidade (SLEET et al., 2009). Além disso, no período noturno, sob o efeito do álcool, o condutor tem reduzido sua visão noturna em 25% e o tempo de reação em até 30% (SHULTS et al., 2001). Diversos estudos têm mostrado que o risco de condutores jovens do sexo masculino se envolverem em acidentes automobilisticos é mais alto quando ingerem qualquer quantidade de álcool e dirigem, principalmente no período noturno, em fins de semana e períodos dedicados ao lazer (ZADOR, 1991; HORWOOD; FERGUSSON, 2000). De modo geral, as pesquisas têm revelado que a maioria dos acidentes fatais relacionados ao uso de bebida alcoólica e direção ocorre na faixa etária dos 21 aos 24 anos e 80% deles são verificados no período das 20 às 4 horas da manhã de qualquer noite da semana (FELL; NASH, 1989). O risco de envolvimento em acidente fatal para um motorista adulto com concentração de álcool no sangue (CAS) entre 0,5 e 0,9 g/l (portanto, dentro do limite permitido em muitos países) é nove vezes mais alto em relação a um motorista que não fez uso de álcool (ROSS, 1992). No caso dos motociclistas, alcoolemia de 0,5 g/l aumenta até 40 vezes o risco de acidentes comparando com alcoolemia igual a zero (HAWORTH; SMITH; BRUMEN, 2002). Do ponto de vista epidemiológico, motorista com idade de 35 anos ou mais e com concentração de álcool de 0,8 g/l tem 11 vezes mais chance de se envolver em acidentes de trânsito fatal do que motorista da mesma idade que não tenha bebido (ZADOR; KRAWCHUK; VOAS, 2000). Pesquisa nos Estados Unidos da América (EUA) desenvolvida por Fell, Tippetts e Voas (2009) sobre os principais achados em relação ao beber e dirigir salientou que o envolvimento em acidentes fatais com a presença de álcool [qualquer condutor com concentração de álcool no sangue (CAS) = 0,01 g/dl ou mais] foi três vezes maior no período noturno (18:00-06:00) do que durante o dia (06:00-18:00 horas) (62% versus 19%). Durante a semana, a prevalência de envolvimento em acidentes de trânsito com álcool foi de 35% na comparação com os finais de semana, que foi de 54%. Quase um em cada quatro motoristas (23%) de veículo de transporte de pessoal (por exemplo, automóveis de passageiros e caminhões leves) e mais de um em cada quatro motociclistas (27%) envolvidos em acidentes fatais estavam intoxicados (ou seja, tinham CAS igual ou superior a 0,08 g/dl- limite ilegal nos Estados Unidos). Motoristas com idade entre 21 e 24 anos (35%) apresentam

26 25 CAS 0,08 g/l seguido do grupo de 25 a 34 anos (29%) (FELL; TIPPETTS; VOAS, 2009). A importância do beber e dirigir pode ser demonstrada pelos elevados custos sociais do consumo de bebidas alcoólicas e suas consequências para os acidentados, podendo ser considerado um problema de saúde pública nos países em desenvolvimento, levando-se em conta o pesado fardo econômico-social resultante da soma dos prejuízos materiais, da assistência à saúde e referentes à perda de produtividade (SHULTS et al., 2001). Apesar das diferenças entre os países desenvolvidos e em desenvolvimento em relação a fatores como infraestrutura de transporte, normas de segurança, taxas de crescimento da motorização e demografia econômica, as estimativas têm revelado dados alarmantes em relação à associação álcool e direção. Em países desenvolvidos, cerca de 20% dos motoristas que se envolveram em acidentes fatais tinham excesso de álcool no sangue, e geralmente acima dos limites legais. Em contraste, em países em desenvolvimento, entre 33 e 69% dos acidentes fatais e 8 e 29% dos acidentes não fatais com motoristas, constatou-se o consumo de álcool antes do acidente. Na Colômbia, 34% dos acidentes fatais com motoristas e 23% das fatalidades com motociclistas estão associados à velocidade e/ou ao uso de álcool. Na África do Sul, entre 26 e 31% dos acidentes com motoristas os níveis de alcoolemia estavam acima de 0,08/100 ml (WHO, 2007a). No Chile, em 1991, o álcool esteve relacionado a 50% dos acidentes de trânsito (EDWARDS et al., 1994). Estudo realizado em serviço de urgência do México encontrou que 13,4% das vítimas de acidentes de carro tinham álcool no sangue e 4,6% das vítimas admitidas haviam consumido álcool seis horas antes do acidente (MONTEIRO, 2007). No que diz respeito aos custos com os acidentes de trânsito relacionados ao álcool, estudo da Organização Mundial de Saúde (OMS) estima valores anuais mundiais em torno de US$ 518 bilhões. Apenas nos EUA, os custos totais de acidentes com veículos motorizados no ano de 2000 foram calculados em US$ 230,6 bilhões, sendo que os acidentes Driving while impaired (DWI) representaram 22% desse valor. Na África do Sul, as estimativas de custos hospitalares atribuídas às colisões nas estradas foram de US$ 46,4 milhões, sendo US$ 14 milhões devidos ao DWI. Na Tailândia, o total de custos com

1 - O QUE DIZ A LEI SECA

1 - O QUE DIZ A LEI SECA INFORMATIVO - N - O QUE DIZ A ANO LEI FEDERAL Nº.7/8. - Fixou tolerância zero à combinação álcool e volante. O motorista flagrado com qualquer quantidade de álcool no organismo é punido. - A lei tornou

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 5512, DE 2013

PROJETO DE LEI Nº 5512, DE 2013 PROJETO DE LEI Nº 5512, DE 2013 (Da Deputada Gorete Pereira) Altera dispositivo da Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997, que institui o Código de Trânsito Brasileiro, para dispor sobre o índice tolerável

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Álcool em vítimas fatais de acidentes de trânsito Vilma Leyton INTRODUÇÃO O uso de álcool está estreitamente ligado às mortes por acidentes de trânsito, homicídios e outras mortes

Leia mais

Uso de Substâncias Psicoativas

Uso de Substâncias Psicoativas Uso de Substâncias Psicoativas X Direção Veicular ALOISIO ANDRADE Psiquiatra e Homeopata XI Jornada Mineira de Medicina de Tráfego Belo Horizonte - MG 18 e 19/07/2014 I-Dados Estatísticos - O Brasil ocupa

Leia mais

Comportamentos de Risco Entre Jovens. Equipe LENAD: Ronaldo Laranjeira Clarice Sandi Madruga Ilana Pinsky Sandro Mitsuhiro

Comportamentos de Risco Entre Jovens. Equipe LENAD: Ronaldo Laranjeira Clarice Sandi Madruga Ilana Pinsky Sandro Mitsuhiro Comportamentos de Risco Entre Jovens Equipe LENAD: Ronaldo Laranjeira Clarice Sandi Madruga Ilana Pinsky Sandro Mitsuhiro 1. Por que esse estudo é relevante? Esse estudo procura investigar o engajamento

Leia mais

UMA COMPARAÇÃO ESTATÍSTICA SOBRE O TRÂNSITO: ANTES E DEPOIS DA IMPLANTAÇÃO DAOPERAÇÃO BALADA SEGURA NO RIO GRANDE DO SUL

UMA COMPARAÇÃO ESTATÍSTICA SOBRE O TRÂNSITO: ANTES E DEPOIS DA IMPLANTAÇÃO DAOPERAÇÃO BALADA SEGURA NO RIO GRANDE DO SUL ISSN 2177-9139 UMA COMPARAÇÃO ESTATÍSTICA SOBRE O TRÂNSITO: ANTES E DEPOIS DA IMPLANTAÇÃO DAOPERAÇÃO BALADA SEGURA NO RIO GRANDE DO SUL Daniellen Thaianne de Oliveira Severo - daniii_severo@hotmail.com

Leia mais

ÁLCOOL E JOVENS. O que um jovem precisa saber. para evitar problemas.

ÁLCOOL E JOVENS. O que um jovem precisa saber. para evitar problemas. ÁLCOOL E JOVENS O que um jovem precisa saber para evitar problemas. Cerveja, vinhos, caipirinha, chope: elementos da vida cotidiana de muita gente. Essas bebidas ajudam a celebrar datas festivas, a selar

Leia mais

Bebida e direção. O Código de Transito Brasileiro (CTB), em seu capítulo XV, artigo 165, afirma que dirigir

Bebida e direção. O Código de Transito Brasileiro (CTB), em seu capítulo XV, artigo 165, afirma que dirigir Bebida e direção O Código de Transito Brasileiro (CTB), em seu capítulo XV, artigo 165, afirma que dirigir sob a influência de álcool, em nível superior a seis decigramas (0,6 gramas) por litro de sangue,

Leia mais

Beber ou Dirigir. Faça a escolha certa

Beber ou Dirigir. Faça a escolha certa Beber ou Dirigir Faça a escolha certa O consumo responsável de bebidas alcoólicas, feito por indivíduos saudáveis com mais de 18 anos, é parte da vida em sociedade. Desde os tempos antigos é utilizado

Leia mais

Prevalência do beber e dirigir em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. Drinking-and-driving prevalence in Belo Horizonte, Minas Gerais State, Brazil

Prevalência do beber e dirigir em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. Drinking-and-driving prevalence in Belo Horizonte, Minas Gerais State, Brazil ARTIGO ARTICLE 829 Prevalência do beber e dirigir em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil Drinking-and-driving prevalence in Belo Horizonte, Minas Gerais State, Brazil Valdir Ribeiro Campos 1 Rogério Salgado

Leia mais

Beber e dirigir: características de condutores com bafômetro positivo

Beber e dirigir: características de condutores com bafômetro positivo Artigo original Beber e dirigir: características de condutores com bafômetro positivo Drinking and driving: characteristics of drivers with positive breathalyzer VALDIR RIBEIRO CAMPOS, ROGÉRIO SALGADO,

Leia mais

Evolução do número de mortes no trânsito em São Paulo

Evolução do número de mortes no trânsito em São Paulo Nota Técnica 232 2014 Evolução do número de mortes no trânsito em São Paulo Max Ernani Borges De Paula Banco de dados de vítimas dos acidentes de trânsito fatais A Companhia de Engenharia de Tráfego realiza

Leia mais

Conhecendo a Lei seca

Conhecendo a Lei seca Conhecendo a Lei seca 1. Qual o conteúdo da "Lei Seca ao volante"? O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) sofreu algumas alterações no final de 2012 com o objetivo de tornar mais rígidas as punições para

Leia mais

LEI SECA. Por Sérgio Sodré 1. 1 Advogado há 17 anos; especializado em Direito do Seguro e pós-graduado em Gestão de Seguros.

LEI SECA. Por Sérgio Sodré 1. 1 Advogado há 17 anos; especializado em Direito do Seguro e pós-graduado em Gestão de Seguros. 1 LEI SECA Por Sérgio Sodré 1 O Código de Trânsito Brasileiro (Lei nº 9.503, de 23.09.1997) teve como fundamento principal a direção defensiva e, para tanto, não deixou de abordar a questão da condução

Leia mais

Augusto Fey 1, Lizandro F. Furlani 2, Ivan Carlos Becker 2, Otto H. M. Saucedo 2, Luiz Carlos Von Bahten 3

Augusto Fey 1, Lizandro F. Furlani 2, Ivan Carlos Becker 2, Otto H. M. Saucedo 2, Luiz Carlos Von Bahten 3 0004-2773/11/40-02/25 Arquivos Catarinenses de Medicina Arquivos Catarinenses de Medicina Vol. 40, n o. 2, de 2011 25 Alcoolemia em vítimas fatais de acidente de trânsito no Alto Vale do Itajaí, Santa

Leia mais

PROGRAMA DE PREVENÇÃO NA EMPRESA: DA IMPLANTAÇÃO À TESTAGEM TOXICOLÓGICA

PROGRAMA DE PREVENÇÃO NA EMPRESA: DA IMPLANTAÇÃO À TESTAGEM TOXICOLÓGICA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Faculdade de Ciências Farmacêuticas Departamento de Análises Clínicas e Toxicológicas Laboratório de Análises Toxicológicas PROGRAMA DE PREVENÇÃO NA EMPRESA: DA IMPLANTAÇÃO À

Leia mais

Consumo de bebidas alcoólicas e seus efeitos

Consumo de bebidas alcoólicas e seus efeitos Comissão Especial Bebidas Alcoólicas Câmara dos Deputados Consumo de bebidas alcoólicas e seus efeitos Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas Consumo per capita de litros puros de álcool entre adultos

Leia mais

SUMÁRIO. Localidades da pesquisa, amostra e entrevistas realizadas por Área de Planejamento AP s 2. Caracterização do entrevistado sem carteira 04

SUMÁRIO. Localidades da pesquisa, amostra e entrevistas realizadas por Área de Planejamento AP s 2. Caracterização do entrevistado sem carteira 04 Pesquisa de Opinião Pública sobre as Campanhas Educativas para o Trânsito & da I m a g e m I n s t i t u c i o n a l da CET- RIO Relatório de Pesquisa 2008 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 03 PRINCIPAIS RESULTADOS

Leia mais

Perfil do usuário de crack no Brasil

Perfil do usuário de crack no Brasil Lígia Bonacim Dualibi Prof. Dr. Marcelo Ribeiro Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira Instituto Nacional de Políticas do Álcool e Drogas - INPAD Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas - UNIAD Universidade Federal

Leia mais

BLOCO DO BAFÔMETRO NAS RODOVIAS

BLOCO DO BAFÔMETRO NAS RODOVIAS BLOCO DO BAFÔMETRO NAS RODOVIAS Brasília, 07 de fevereiro - A Polícia Rodoviária Federal vai intensificar ainda mais a fiscalização de embriaguez ao volante durante a operação Carnaval, que começa à zero

Leia mais

Bafômetro positivo: correlatos do comportamento de beber e dirigir na cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

Bafômetro positivo: correlatos do comportamento de beber e dirigir na cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil ARTIGO ARTICLE 51 Bafômetro positivo: correlatos do comportamento de beber e dirigir na cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil Positive breathalyzer test: factors associated with drinking and driving

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS E SEUS REFLEXOS NA VIOLÊNCIA DOS ACIDENTES DE TRÂNSITO NO ESTADO DE MATO GROSSO

POLÍTICAS PÚBLICAS E SEUS REFLEXOS NA VIOLÊNCIA DOS ACIDENTES DE TRÂNSITO NO ESTADO DE MATO GROSSO POLÍTICAS PÚBLICAS E SEUS REFLEXOS NA VIOLÊNCIA DOS ACIDENTES DE TRÂNSITO NO ESTADO DE MATO GROSSO Mauricio Gomes dos Santos 1 Giancarla Fontes de Almeida 2 Resumo: Dentre as políticas públicas analisadas

Leia mais

PROJETO VIDA NO TRÂNSITO. Maria Audea de Lima e Sousa. Teresina Piaui RESUMO. Palavras chave. Introdução. Diagnóstico. Proposições.

PROJETO VIDA NO TRÂNSITO. Maria Audea de Lima e Sousa. Teresina Piaui RESUMO. Palavras chave. Introdução. Diagnóstico. Proposições. PROJETO VIDA NO TRÂNSITO Maria Audea de Lima e Sousa Teresina Piaui RESUMO Palavras chave Introdução Diagnóstico Proposições Resultados Introdução O projeto Vida no Trânsito está relacionado a instituições

Leia mais

Estágio Curricular I: Cecília de Paula Monnerat Sâmua Regina Camacho Thiago Purger Rodrigues ÁLCOOL

Estágio Curricular I: Cecília de Paula Monnerat Sâmua Regina Camacho Thiago Purger Rodrigues ÁLCOOL Estágio Curricular I: Cecília de Paula Monnerat Sâmua Regina Camacho Thiago Purger Rodrigues ÁLCOOL Atualmente, o consumo de substâncias ilícitas e álcool é indiscriminado entre mulheres e homens adultos

Leia mais

OCDE/ITF - IRTAD 5 6 6.1 6.2 A ANSR

OCDE/ITF - IRTAD 5 6 6.1 6.2 A ANSR Jorge Jacob Agenda: 1 Sinistralidade Rodoviária um flagelo mundial 2 Organização Mundial MACRO 3 WHO The Decade of Action for Road Safety 4 OCDE/ITF - IRTAD 5 UE/Comissão Europeia 6 Portugal: 6.1 Situação

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º, DE 2007. (Do Sr. Rogerio Lisboa)

PROJETO DE LEI N.º, DE 2007. (Do Sr. Rogerio Lisboa) PROJETO DE LEI N.º, DE 2007. (Do Sr. Rogerio Lisboa) Altera a Lei nº LEI Nº 9.503, DE 23 DE SETEMBRO DE 1997, tornando obrigatória por parte dos fabricantes, importadores e montadores de veículos, a inclusão

Leia mais

LEI SECA de trânsito

LEI SECA de trânsito LEI SECA de trânsito Tire algumas dúvidas sobre a nova Lei Seca no trânsito O jornal Zero Hora, de Porto Alegre, está apresentando em sua edição desta segunda-feira (23) um interessante serviço público.

Leia mais

O impacto da Lei Seca sobre o beber e dirigir em Belo Horizonte/MG

O impacto da Lei Seca sobre o beber e dirigir em Belo Horizonte/MG 971 O impacto da Lei Seca sobre o beber e dirigir em Belo Horizonte/MG The Impact of Prohibition on drinking and driving in Belo Horizonte in the State of Minas Gerais TEMAS LIVRES FREE THEMES Rogério

Leia mais

VIOLÊNCIA CONTRA A CRIANÇA ou ADOLESCENTE

VIOLÊNCIA CONTRA A CRIANÇA ou ADOLESCENTE VIOLÊNCIA CONTRA A CRIANÇA ou ADOLESCENTE Equipe LENAD: Ronaldo Laranjeira Clarice Sandi Madruga IlanaPinsky Maria Carmen Viana Divulgação: Maio de 2014. 1. Porque esse estudo é relevante? Segundo a Subsecretaria

Leia mais

PREVALÊNCIA DO USO DE DROGAS PSICOTRÓPICAS POR ESTUDANTES DE MEDICINA NA REGIÃO CENTRAL DO ESTADO DO TOCANTINS

PREVALÊNCIA DO USO DE DROGAS PSICOTRÓPICAS POR ESTUDANTES DE MEDICINA NA REGIÃO CENTRAL DO ESTADO DO TOCANTINS PREVALÊNCIA DO USO DE DROGAS PSICOTRÓPICAS POR ESTUDANTES DE MEDICINA NA REGIÃO CENTRAL DO ESTADO DO TOCANTINS Diego Pereira Alves de Moraes 1 ; Leonardo Rodrigo Baldaçara 2 1 Aluno do Curso de Medicina;

Leia mais

Índice de mortes no Carnaval é o menor em dez anos

Índice de mortes no Carnaval é o menor em dez anos Índice de mortes no Carnaval é o menor em dez anos Brasília, 14 de fevereiro 2013 A Polícia Rodoviária Federal registrou queda nas estatísticas do Carnaval nos 70 mil quilômetros de rodovias federais brasileiras.

Leia mais

Antes de conhecer algumas informações fornecidas pela Epidemiologia, vamos relembrar alguns conceitos:

Antes de conhecer algumas informações fornecidas pela Epidemiologia, vamos relembrar alguns conceitos: Módulo1:: CAPÍTULO 2: Epidemiologia do uso de substâncias psicoativas no Brasil: peculiaridades regionais e populações específicas José Carlos Fernandes Galduróz Antes de conhecer algumas informações fornecidas

Leia mais

Projetos para redução da morbimortalidade por acidentes de trânsito em Belo Horizonte : Vida no Trânsito e TCC BH/BA/Montevideo

Projetos para redução da morbimortalidade por acidentes de trânsito em Belo Horizonte : Vida no Trânsito e TCC BH/BA/Montevideo Projetos para redução da morbimortalidade por acidentes de trânsito em Belo Horizonte : Vida no Trânsito e TCC BH/BA/Montevideo O Município de Belo Horizonte População de Belo Horizonte 2.375.444 hab.

Leia mais

TRÂNSITO E BEBIDAS ALCÓOLICAS: COMO A LESGISLAÇÃO INTERVÉM, E A ACEITAÇÃO SOCIAL SOBRE ESSA INTERVENÇÃO.

TRÂNSITO E BEBIDAS ALCÓOLICAS: COMO A LESGISLAÇÃO INTERVÉM, E A ACEITAÇÃO SOCIAL SOBRE ESSA INTERVENÇÃO. 1 TRÂNSITO E BEBIDAS ALCÓOLICAS: COMO A LESGISLAÇÃO INTERVÉM, E A ACEITAÇÃO SOCIAL SOBRE ESSA INTERVENÇÃO. José Vitor Moysés Mestriner 1 Jozimar Matheus Bernardes da Costa 2 RESUMO O conteúdo desse trabalho

Leia mais

Consumo de álcool por adolescentes e gênero. Tatiane Vilela Coelho Raínne Costa Sousa

Consumo de álcool por adolescentes e gênero. Tatiane Vilela Coelho Raínne Costa Sousa Consumo de álcool por adolescentes e gênero Tatiane Vilela Coelho Raínne Costa Sousa Área de pesquisa Saúde pública Importância do fenômeno Álcool Droga psicotrópica atua no sistema nervoso central Possui

Leia mais

CRIMINALIDADE NO BRASIL DIAGNÓSTICO E CUSTOS

CRIMINALIDADE NO BRASIL DIAGNÓSTICO E CUSTOS CRIMINALIDADE NO BRASIL DIAGNÓSTICO E CUSTOS Ministério da Justiça Departamento de Pesquisa, Análise da Informação e Formação de Pessoal em Segurança Pública DIAGNÓSTICO DA CRIMINALIDADE 24 Evolução dos

Leia mais

MODELAGEM MATEMÁTICA: ÁLCOOL E DIREÇÃO UMA CONSCIENTIZAÇÃO

MODELAGEM MATEMÁTICA: ÁLCOOL E DIREÇÃO UMA CONSCIENTIZAÇÃO MODELAGEM MATEMÁTICA: ÁLCOOL E DIREÇÃO UMA CONSCIENTIZAÇÃO Jéssika Naves de Oliveira Universidade Tecnológica Federal do Paraná Câmpus Cornélio Procópio jessikanaves04@gmail.com Bruna Santana Sotero Universidade

Leia mais

Equipe: Ronaldo Laranjeira Helena Sakiyama Maria de Fátima Rato Padin Sandro Mitsuhiro Clarice Sandi Madruga

Equipe: Ronaldo Laranjeira Helena Sakiyama Maria de Fátima Rato Padin Sandro Mitsuhiro Clarice Sandi Madruga Equipe: Ronaldo Laranjeira Helena Sakiyama Maria de Fátima Rato Padin Sandro Mitsuhiro Clarice Sandi Madruga 1. Por que este estudo é relevante? Segundo o relatório sobre a Carga Global das Doenças (Global

Leia mais

Apresentação. Introdução. Francine Leite. Luiz Augusto Carneiro Superintendente Executivo

Apresentação. Introdução. Francine Leite. Luiz Augusto Carneiro Superintendente Executivo Evolução dos Fatores de Risco para Doenças Crônicas e da prevalência do Diabete Melito e Hipertensão Arterial na população brasileira: Resultados do VIGITEL 2006-2009 Luiz Augusto Carneiro Superintendente

Leia mais

MULTA MULTA VALOR EM R$

MULTA MULTA VALOR EM R$ - Aplicadas pela autoridade de trânsito (posteriormente): I - advertência por escrito; II - multa; III - suspensão do direito de dirigir; IV - apreensão do veículo; V - cassação da Carteira Nacional de

Leia mais

A publicidade de bebidas alcoólicas 3

A publicidade de bebidas alcoólicas 3 Publicação Científica do Curso de Bacharelado em Enfermagem do CEUT. Ano 2011(8). Edição 44 Gerlane Lopes e Silva 1 Gessica de Andrade Fonseca 1 Hanna Kamylla Antonia Soares dos Santos 1 Márcia Andrea

Leia mais

Despesas em Propaganda no Brasil e sua Interligação com a Economia Internacional. Fábio Pesavento ESPM/SUL André M. Marques UFPB

Despesas em Propaganda no Brasil e sua Interligação com a Economia Internacional. Fábio Pesavento ESPM/SUL André M. Marques UFPB Despesas em Propaganda no Brasil e sua Interligação com a Economia Internacional Fábio Pesavento ESPM/SUL André M. Marques UFPB O NÚCLEO DE ECONOMIA EMPRESARIAL ESPM-SUL PESQUISA E APOIO 1. Despesas em

Leia mais

Ações de Prevenção nas empresas, baseadas em evidencias.

Ações de Prevenção nas empresas, baseadas em evidencias. Aspectos Legais, Econômicos e de Saúde Associados aos Programas (Exames Toxicológicos) UFRJ/CEPRAL / Curso: Prevenindo Dependências nas Empresas Ações de Prevenção nas empresas, baseadas em evidencias.

Leia mais

HOMICÍDIOS DE MULHERES NO BRASIL EM 2013

HOMICÍDIOS DE MULHERES NO BRASIL EM 2013 HOMICÍDIOS DE MULHERES NO BRASIL EM 2013 INSTITUTO AVANTE BRASIL Diretor- Presidente: Luiz Flávio Gomes Pesquisadora: Flávia Mestriner Botelho VIOLÊNCIA GLOBAL CONTRA DAS MULHERES - (ONU) De acordo com

Leia mais

Número 1 Violência no trânsito: o goianiense e a Lei Seca. Rua 1.145, 56 Setor Marista Goiânia GO Fone: 62 3541.6556 www.institutoverus.com.

Número 1 Violência no trânsito: o goianiense e a Lei Seca. Rua 1.145, 56 Setor Marista Goiânia GO Fone: 62 3541.6556 www.institutoverus.com. Número 1 Violência no trânsito: o goianiense e a Lei Seca Rua 1.145, 56 Setor Marista Goiânia GO Fone: 62 3541.6556 www.institutoverus.com.br 0 Estudos de Opinião Número 1 Violência no trânsito: o goianiense

Leia mais

DISPOSITIVO DE SEGURANÇA PARA REDUÇÃO DE ACIDENTES POR EMBRIAGUEZ AO VOLANTE

DISPOSITIVO DE SEGURANÇA PARA REDUÇÃO DE ACIDENTES POR EMBRIAGUEZ AO VOLANTE GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, CULTURA E DESPORTO 11ª DIRETORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO E DESPORTO-DIRED ESCOLA ESTADUAL SILVESTRE VERAS BARBOSA Rua alferes Tonho,

Leia mais

CONHEÇA A ADT. A empresa que protege seus bens e sua família.

CONHEÇA A ADT. A empresa que protege seus bens e sua família. CONHEÇA A ADT A empresa que protege seus bens e sua família. NOSSA EMPRESA MAIOR EMPRESA ESPECIALIZADA EM SEGURANÇA E INCÊNDIO A ADT pertence à Tyco, a maior empresa de segurança e incêndio do mundo, com

Leia mais

Ins$tuto Nacional de Ciência e Tecnologia para Polí$cas Públicas do Álcool e Outras Drogas Consumo de Álcool no Brasil: Tendências entre 2006/2012

Ins$tuto Nacional de Ciência e Tecnologia para Polí$cas Públicas do Álcool e Outras Drogas Consumo de Álcool no Brasil: Tendências entre 2006/2012 Ins$tuto Nacional de Ciência e Tecnologia para Polí$cas Públicas do Álcool e Outras Drogas Consumo de Álcool no Brasil: Tendências entre 26/212 Direção: Ronaldo Laranjeira Coordenação: Clarice Sandi Madruga

Leia mais

MULTA VALOR EM UFIR MULTA

MULTA VALOR EM UFIR MULTA MULTA -Imposta e arrecadada pelo órgão com circunscrição sobre a via onde haja ocorrido a infração. -O valor decorre da natureza da infração, assim como a respectiva pontuação. NATUREZA DA INFRAÇÃO MULTA

Leia mais

Álcool e Direção Beber ou Dirigir

Álcool e Direção Beber ou Dirigir Álcool e Direção Beber ou Dirigir Presidente Ruth Guinsburg Conselho Editorial Benjamin Kopelman (representante da Fap) Cynthia A. Sarti (campus Guarulhos) Durval Rosa Borges (presidente da Fap) Erwin

Leia mais

Adultos Jovens no Trabalho em Micro e Pequenas Empresas e Política Pública

Adultos Jovens no Trabalho em Micro e Pequenas Empresas e Política Pública Capítulo 3 Adultos Jovens no Trabalho em Micro e Pequenas Empresas e Política Pública Maria Inês Monteiro Mestre em Educação UNICAMP; Doutora em Enfermagem USP Professora Associada Depto. de Enfermagem

Leia mais

ÁLCOOL. Verdades e Mitos

ÁLCOOL. Verdades e Mitos ÁLCOOL Verdades e Mitos ÁLCOOL Conceitos ÁLCOOL E BEBIDAS ALCOÓLICAS O álcool é uma substância designada de etanol ou álcool etílico e é o álcool que vulgarmente se utiliza em casa. As bebidas que possuem

Leia mais

Documento base do MNDT

Documento base do MNDT DOCUMENTO-BASE Documento base do MNDT CONTEXTUALIZAÇÃO Todos sabemos que nossa sociedade vive atualmente uma realidade de crise, não somente uma crise socioambiental, que se instala com uma grande contribuição

Leia mais

MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO

MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO Ambiente de Inovação em Saúde EVENTO BRITCHAM LUIZ ARNALDO SZUTAN Diretor do Curso de Medicina Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo SOCIEDADES CONHECIMENTO

Leia mais

Educação em Saúde: Dependência Química. Módulo 1: A dimensão do problema das drogas no Brasil

Educação em Saúde: Dependência Química. Módulo 1: A dimensão do problema das drogas no Brasil Educação em Saúde: Dependência Química Módulo 1: A dimensão do problema das drogas no Brasil MODULO 1: A dimensão do problema das drogas no Brasil Epidemiologia do consumo de substâncias psicoativas no

Leia mais

Situação Epidemiológica

Situação Epidemiológica 9. Tabagismo Situação Epidemiológica Doenças e Agravos Não Transmissíveis no Estado do Paraná O tabagismo é a segunda maior causa de morte no planeta, responsável por 8,8% do total de óbitos. São cerca

Leia mais

DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DE ALAGOAS - DETRAN/AL QUESTÕES SOBRE INFRAÇÃO

DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DE ALAGOAS - DETRAN/AL QUESTÕES SOBRE INFRAÇÃO O veículo estacionado, afastado da guia da calçada (meio fio) a mais de um metro, faz do seu condutor um infrator cuja punição será: 1 retenção do veículo e multa, infração média. 2 apreensão do veículo

Leia mais

Desigualdade e pobreza no Brasil 1995-2009. Pedro H. G. Ferreira de Souza

Desigualdade e pobreza no Brasil 1995-2009. Pedro H. G. Ferreira de Souza Desigualdade e pobreza no Brasil 1995-2009 Pedro H. G. Ferreira de Souza Renda domiciliar per capita (R$ setembro/2009) 700 600 500 400 521 1995 2003: 1% a.a. 2003 2009: +4.8% a.a 637 300 200 100 0 1995

Leia mais

Neste manual você também pode consultar todas as penalidades do Código de Trânsito Brasileiro, bem como seus direitos e deveres.

Neste manual você também pode consultar todas as penalidades do Código de Trânsito Brasileiro, bem como seus direitos e deveres. Controle de Multas O smartlist de Controle de Multas destina-se a controlar todas as multas do condutor de veículos. Valores, prazos de pagamento, pontos da Carteira de Habilitação e penalidades recebidas.

Leia mais

14 DE JUNHO DE 2009 DIRIGIR NÃO É UM DIREITO MAS APENAS UMA PERMISSÃO

14 DE JUNHO DE 2009 DIRIGIR NÃO É UM DIREITO MAS APENAS UMA PERMISSÃO 14 DE JUNHO DE 2009 DIRIGIR NÃO É UM DIREITO MAS APENAS UMA PERMISSÃO O problema é trágico quando se trata de acidentes de trânsito, no Brasil, causados por quem dirige alcoolizado. Por isso, foi promulgada

Leia mais

AS POLÍCIAS MILITARES E A REALIZAÇÃO DE TESTES DE ALCOOLEMIA DA CONSTITUCIONALIDADE DAS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELA LEI Nº 11.

AS POLÍCIAS MILITARES E A REALIZAÇÃO DE TESTES DE ALCOOLEMIA DA CONSTITUCIONALIDADE DAS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELA LEI Nº 11. AS POLÍCIAS MILITARES E A REALIZAÇÃO DE TESTES DE ALCOOLEMIA DA CONSTITUCIONALIDADE DAS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELA LEI Nº 11.705/08 (LEI SECA) I - INTRODUÇÃO ABELARDO JULIO DA ROCHA, Capitão PMESP, Chefe

Leia mais

COMISSÃO DE VIAÇÃO E TRANSPORTES. PROJETO DE LEI N o 4.607, DE 2009 I - RELATÓRIO

COMISSÃO DE VIAÇÃO E TRANSPORTES. PROJETO DE LEI N o 4.607, DE 2009 I - RELATÓRIO COMISSÃO DE VIAÇÃO E TRANSPORTES PROJETO DE LEI N o 4.607, DE 2009 Altera dispositivos do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), aumentando a progressividade das penalidades nos casos em que o condutor de

Leia mais

Álcool e Saúde Pública nas Americas Dr Maristela G. Monteiro Assessora Principal Controle de Tabaco, Álcool e Outras Drogas OPAS/OMS

Álcool e Saúde Pública nas Americas Dr Maristela G. Monteiro Assessora Principal Controle de Tabaco, Álcool e Outras Drogas OPAS/OMS .. Álcool e Saúde Pública nas Americas Dr Maristela G. Monteiro Assessora Principal Controle de Tabaco, Álcool e Outras Drogas OPAS/OMS Modelo causal de consumo de alcool, mecanismos intermediarios e consequencias:

Leia mais

Material e Método. Resultados

Material e Método. Resultados Uso de Drogas entre Adolescentes e Jovens Mulheres: uma revisão da literatura Autoras: Patrícia Castro de Oliveira e Silva doutoranda em psicossociologia de comunidades e ecologia social, Universidade

Leia mais

Trânsito Quatro flagrantes todos os dias

Trânsito Quatro flagrantes todos os dias 1/5 Trânsito Quatro flagrantes todos os dias Média de motoristas embriagados parados pelo Detran a cada 24 horas de 2008 aumentou em relação ao ano passado. Condutores costumam reagir de forma agressiva,

Leia mais

Abuso e dependência ao álcool e outras drogas e sua relação com o suicídio

Abuso e dependência ao álcool e outras drogas e sua relação com o suicídio Abuso e dependência ao álcool e outras drogas e sua relação com o suicídio Messiano Ladislau Nogueira de Sousa Médico Psiquiatra com aperfeiçoamento em terapia psicanalítica Abril, 2014 Sumário Conceitos

Leia mais

A GEOGRAFIA DAS MOTOCICLETAS NO PARANÁ: APONTAMENTOS PRELIMINARES 1

A GEOGRAFIA DAS MOTOCICLETAS NO PARANÁ: APONTAMENTOS PRELIMINARES 1 A GEOGRAFIA DAS MOTOCICLETAS NO PARANÁ: APONTAMENTOS PRELIMINARES 1 Priscila Aparecida Olivette Licencianda do Curso de Geografia pela Unicentro e Bolsista Fundação Araucária (PR) pri_xd93@hotmail.com

Leia mais

Principais Resultados Estudo Comparativo: Brasil - 2001 e 2005

Principais Resultados Estudo Comparativo: Brasil - 2001 e 2005 303 Principais Resultados Estudo Comparativo: - 2001 e 2005 304 I ESTUDO COMPARATIVO: BRASIL 2001 E 2005 I Dados Gerais 1. População brasileira: 169.799.170 habitantes*. 2. População das 108 cidades brasileiras

Leia mais

11º GV - Vereador Floriano Pesaro PROJETO DE LEI Nº 371/2011

11º GV - Vereador Floriano Pesaro PROJETO DE LEI Nº 371/2011 PROJETO DE LEI Nº 371/2011 Acrescenta parágrafos ao art. 2º da Lei nº 13.944, de 30 de dezembro de 2004, e dá outras providências. A Câmara Municipal de São Paulo DECRETA: Art. 1º Acrescenta parágrafos

Leia mais

Pontos principais Antecedentes e contexto Políticas e estratégias para o controle da malária Tratamento

Pontos principais Antecedentes e contexto Políticas e estratégias para o controle da malária Tratamento Resumo O Relatório Mundial da Malária de 2009 resume informação recebida de 108 países com malária endêmica e de outras fontes e atualiza a análise apresentada no Relatório de 2008. Destaca o progresso

Leia mais

FERNANDO LEAL DA COSTA: "FISCALIZAÇÃO E PUNIÇÃO SÃO DECISIVAS NA NOVA LEI DO ÁLCOOL" 1

FERNANDO LEAL DA COSTA: FISCALIZAÇÃO E PUNIÇÃO SÃO DECISIVAS NA NOVA LEI DO ÁLCOOL 1 FERNANDO LEAL DA COSTA: "FISCALIZAÇÃO E PUNIÇÃO SÃO DECISIVAS NA NOVA LEI DO ÁLCOOL" 1 FERNANDO LEAL DA COSTA: "FISCALIZAÇÃO E PUNIÇÃO SÃO DECISIVAS NA NOVA LEI DO ÁLCOOL" "Fiscalização e punição dos infractores

Leia mais

Pacto Europeu. para a Saúde. Conferência de alto nível da ue. Bruxelas, 12-13 de junho de 2008

Pacto Europeu. para a Saúde. Conferência de alto nível da ue. Bruxelas, 12-13 de junho de 2008 Pacto Europeu para a Saúde Mental e o Bem-Estar Conferência de alto nível da ue JUNTOS PELA SAÚDE MENTAL E PELO BEM-ESTAR Bruxelas, 12-13 de junho de 2008 Slovensko predsedstvo EU 2008 Slovenian Presidency

Leia mais

A MACONHA: INFORMAÇÃO PARA OS ADOLESCENTES

A MACONHA: INFORMAÇÃO PARA OS ADOLESCENTES Publicação oficial da Secretaria Nacional Antidrogas - SENAD, a partir de textos elaborado pelo... A MACONHA: INFORMAÇÃO PARA OS ADOLESCENTES 1 a Edição SENAD Brasília - DF, 2000 Presidência da República:

Leia mais

A Década da Ação para Segurânça no Trânsito. Dr. Diego González Machín OPAS/Brasil

A Década da Ação para Segurânça no Trânsito. Dr. Diego González Machín OPAS/Brasil A Década da Ação para Segurânça no Trânsito Dr. Diego González Machín OPAS/Brasil Por que uma Década da Ação? O problema está crescendo. Diagnóstico da Situação: Informe Mundial sobre a situação de Segurança

Leia mais

O PAPEL DO SERVIÇO DE EPIDEMIOLOGIA NA REDE DE PROTEÇÃO A CRIANÇA E AO ADOLESCENTE EM SITUACAO DE RISCO PARA A VIOLENCIA NO HOSPITAL DE CLÍNICAS.

O PAPEL DO SERVIÇO DE EPIDEMIOLOGIA NA REDE DE PROTEÇÃO A CRIANÇA E AO ADOLESCENTE EM SITUACAO DE RISCO PARA A VIOLENCIA NO HOSPITAL DE CLÍNICAS. O PAPEL DO SERVIÇO DE EPIDEMIOLOGIA NA REDE DE PROTEÇÃO A CRIANÇA E AO ADOLESCENTE EM SITUACAO DE RISCO PARA A VIOLENCIA NO HOSPITAL DE CLÍNICAS. AREA TEMÁTICA: Saúde. COORDENADORA: Prof.ª Dr.ª Denise

Leia mais

Atualização sobre a violência no trabalho. Profª Andréa Maria Silveira UFMG

Atualização sobre a violência no trabalho. Profª Andréa Maria Silveira UFMG Atualização sobre a violência no trabalho Profª Andréa Maria Silveira UFMG VIOLÊNCIA Uso intencional de força física ou poder em ameaça ou ato, contra si mesmo, outra pessoa, grupo ou comunidade que resulte

Leia mais

PESQUISA IBOPE / INSTITUTO AVON

PESQUISA IBOPE / INSTITUTO AVON PESQUISA IBOPE / INSTITUTO AVON PERCEPÇÕES E REAÇÕES DA SOCIEDADE SOBRE A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER 2009 PARCERIAS INSTITUTO PATRÍCIA GALVÃO Planejamento e supervisão da pesquisa IBOPE INTELIGÊNCIA Campo

Leia mais

Porque a violência e o trauma tornaram-se um problema de Saúde Pública e o que fazer para diminuir sua incidência?

Porque a violência e o trauma tornaram-se um problema de Saúde Pública e o que fazer para diminuir sua incidência? Porque a violência e o trauma tornaram-se um problema de Saúde Pública e o que fazer para diminuir sua incidência? Dados preliminares do sistema de informações de mortalidade do Ministério da Saúde de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 432, DE 23 DE JANEIRO DE 2013.

RESOLUÇÃO Nº 432, DE 23 DE JANEIRO DE 2013. RESOLUÇÃO Nº 432, DE 23 DE JANEIRO DE 2013. Dispõe sobre os procedimentos a serem adotados pelas autoridades de trânsito e seus agentes na fiscalização do consumo de álcool ou de outra substância psicoativa

Leia mais

Celso Alves Mariano Diretor de Educação de Trânsito SETRAN Secretaria Municipal de Trânsito de Curitiba

Celso Alves Mariano Diretor de Educação de Trânsito SETRAN Secretaria Municipal de Trânsito de Curitiba Celso Alves Mariano Diretor de Educação de Trânsito SETRAN Secretaria Municipal de Trânsito de Curitiba Ideias que salvam vidas em Curitiba! 9 Regionais: reúnem, de forma organizada, entidades e movimentos

Leia mais

Ver e ser visto no trânsito

Ver e ser visto no trânsito matéria de capa Ver e ser visto no trânsito CESVI realizou estudo para apontar as condições em que pedestres, motos e carros são mais bem visualizados à noite Por José Antonio Oka Segurança Viária Ver

Leia mais

Desenvolvimento de educação técnica e científica para a operação de centros de PD&I no Brasil. Carlos Arruda, Erika Barcellos, Cleonir Tumelero

Desenvolvimento de educação técnica e científica para a operação de centros de PD&I no Brasil. Carlos Arruda, Erika Barcellos, Cleonir Tumelero Desenvolvimento de educação técnica e científica para a operação de centros de PD&I no Brasil Carlos Arruda, Erika Barcellos, Cleonir Tumelero Empresas Participantes do CRI Multinacionais Instituições

Leia mais

PRIMEIRA SEMANA MUNDIAL DAS NAÇÕES UNIDAS DE SEGURANÇA VIÁRIA 23 a 29 de abril de 2007. Mensagens chave

PRIMEIRA SEMANA MUNDIAL DAS NAÇÕES UNIDAS DE SEGURANÇA VIÁRIA 23 a 29 de abril de 2007. Mensagens chave PRIMEIRA SEMANA MUNDIAL DAS NAÇÕES UNIDAS DE SEGURANÇA VIÁRIA 23 a 29 de abril de 2007 (Documento da OMS traduzido e adaptado pela Coordenação de Doenças e Agravos Não Transmissíveis/Departamento de Análise

Leia mais

Código de Trânsito Brasileiro

Código de Trânsito Brasileiro Código de Trânsito Brasileiro O Código de Trânsito Brasileiro estipula competência a setores federais, estaduais e municipais, para aplicar as penalidades de acordo com as infrações que o cidadão cometeu.

Leia mais

Ranking nacional mostra PI em 6º com mais pessoas flagradas dirigindo sem CNH

Ranking nacional mostra PI em 6º com mais pessoas flagradas dirigindo sem CNH Levantamento divulgado pela Polícia Rodoviária Federal aponta um novo dado preocupante relacionado ao tráfego de veículos em BRs. De acordo com o Departamento Nacional da PRF, somente nos feriados prolongados

Leia mais

RASTREAMENTO DE FROTAS COMO FORMA DE ECONOMIZAR COMBUSTÍVEL E TORNAR MAIS SUSTENTÁVEL O TRANSPORTE

RASTREAMENTO DE FROTAS COMO FORMA DE ECONOMIZAR COMBUSTÍVEL E TORNAR MAIS SUSTENTÁVEL O TRANSPORTE RASTREAMENTO DE FROTAS COMO FORMA DE ECONOMIZAR COMBUSTÍVEL E TORNAR MAIS SUSTENTÁVEL O TRANSPORTE por Cileneu Nunes Painel 3: Tecnologias para monitoramento de risco e produtividade logística O mercado

Leia mais

Governo lança campanha de prevenção dos riscos do consumo de bebidas alcoólicas Resultados das pesquisas:

Governo lança campanha de prevenção dos riscos do consumo de bebidas alcoólicas Resultados das pesquisas: Governo lança campanha de prevenção dos riscos do consumo de bebidas alcoólicas O Ministério da Saúde lançou, nesta sexta-feira (10) no Rio de Janeiro (RJ), uma campanha publicitária alertando sobre os

Leia mais

MATERIAL COMPLEMENTAR PRINCIPAIS ROTAS DO TRÁFICO DE SERES HUMANOS

MATERIAL COMPLEMENTAR PRINCIPAIS ROTAS DO TRÁFICO DE SERES HUMANOS MATERIAL COMPLEMENTAR PRINCIPAIS ROTAS DO TRÁFICO DE SERES HUMANOS 1. PRINCIPAIS ROTAS DO TRÁFICO DE PESSOAS 2. CLASSIFICAÇÃO DOS PAÍSES SEGUNDO AS ROTAS DE TRÁFICO 3. PAÍSES COM MAIOR NÚMERO DE ROTAS

Leia mais

Tropa de Elite Polícia Civil Legislação Penal Especial CBT - Parte Especial Liana Ximenes

Tropa de Elite Polícia Civil Legislação Penal Especial CBT - Parte Especial Liana Ximenes Tropa de Elite Polícia Civil Legislação Penal Especial CBT - Parte Especial Liana Ximenes 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. CTB- Parte Especial Art. 302. Praticar

Leia mais

Desenvolvimento Econômico e Empreendedorismo

Desenvolvimento Econômico e Empreendedorismo Desenvolvimento Econômico e Empreendedorismo Ricardo Chaves Lima 1 Resumo: O empresário inovador é um componente fundamental do processo de desenvolvimento econômico de acordo com a visão schumpeteriana.

Leia mais

SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR. Viana do Castelo, 11de Fevereiro

SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR. Viana do Castelo, 11de Fevereiro SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR Viana do Castelo, 11de Fevereiro www.cosec.pt COSEC Companhia de Seguro de Créditos, S.A. 2014 Índice Sobre a COSEC Seguro de Créditos Soluções à medida em resumo

Leia mais

Brasil como maior exportador mundial de carne bovina: conquistas e desafios

Brasil como maior exportador mundial de carne bovina: conquistas e desafios Brasil como maior exportador mundial de carne bovina: conquistas e desafios João Ricardo Albanez Superintendente de Política e Economia Agrícola, Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA ESTADUAL DE DEFESA SOCIAL DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DETRAN/AL

ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA ESTADUAL DE DEFESA SOCIAL DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DETRAN/AL RELATÓRIO COMPARATIVO DE ACIDENTES DE TRÂNSITO DADOS REFERENTES AO DETRAN-AL, POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL (PRF), DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM (DER), BATALHÃO DE POLICIAMENTO RODOVIÁRIO (BPRv) E AO

Leia mais

SÉRGIO VITÓRIO CANAVESE ACIDENTES RODOVIÁRIOS E USO DE ÁLCOOL NO NORTE DO PARANÁ ANTES E APÓS A LEI SECA

SÉRGIO VITÓRIO CANAVESE ACIDENTES RODOVIÁRIOS E USO DE ÁLCOOL NO NORTE DO PARANÁ ANTES E APÓS A LEI SECA SÉRGIO VITÓRIO CANAVESE ACIDENTES RODOVIÁRIOS E USO DE ÁLCOOL NO NORTE DO PARANÁ ANTES E APÓS A LEI SECA Londrina 2011 SÉRGIO VITÓRIO CANAVESE ACIDENTES RODOVIÁRIOS E USO DE ÁLCOOL NO NORTE DO PARANÁ ANTES

Leia mais

Breathalyzer test and opinions about Operation Dry Law in a sample of drivers stopped in Rio de Janeiro/RJ, 2010 a cross-sectional study

Breathalyzer test and opinions about Operation Dry Law in a sample of drivers stopped in Rio de Janeiro/RJ, 2010 a cross-sectional study Artigo Original Teste do etilômetro e opinião sobre a Operação Lei Seca em amostra de motoristas abordados na cidade do Rio de Janeiro-RJ, 2010 estudo transversal* doi: 10.5123/S1679-49742013000100013

Leia mais

Como Prevenir e Tratar as Dependências Químicas nas Empresas?

Como Prevenir e Tratar as Dependências Químicas nas Empresas? Como Prevenir e Tratar as Dependências Químicas nas Empresas? Hewdy Lobo Ribeiro Psiquiatra Forense Ana Carolina S. Oliveira Psi. Esp. Dependência Química Importância Preocupação permanente de gestores

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2013

Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Volume 40 Ano base 2012 Guia de leitura Guia de leitura O Guia de Leitura tem o propósito de orientar

Leia mais

O Consumo de Tabaco no Brasil. Equipe LENAD: Ronaldo Laranjeira Clarice Sandi Madruga Ilana Pinsky Ana Cecília Marques Sandro Mitsuhiro

O Consumo de Tabaco no Brasil. Equipe LENAD: Ronaldo Laranjeira Clarice Sandi Madruga Ilana Pinsky Ana Cecília Marques Sandro Mitsuhiro O Consumo de Tabaco no Brasil Equipe LENAD: Ronaldo Laranjeira Clarice Sandi Madruga Ilana Pinsky Ana Cecília Marques Sandro Mitsuhiro 1. Porque esse estudo é relevante? Segundo a Organização Mundial de

Leia mais