KLEYTON KAMOGAWA NOTÍCIAS DE BRASILEIROS NO JAPÃO: OS DEKASSEGUIS NA MÍDIA IMPRESSA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "KLEYTON KAMOGAWA NOTÍCIAS DE BRASILEIROS NO JAPÃO: OS DEKASSEGUIS NA MÍDIA IMPRESSA"

Transcrição

1 KLEYTON KAMOGAWA NOTÍCIAS DE BRASILEIROS NO JAPÃO: OS DEKASSEGUIS NA MÍDIA IMPRESSA Londrina 2008

2 KLEYTON KAMOGAWA NOTÍCIAS DE BRASILEIROS NO JAPÃO: OS DEKASSEGUIS NA MÍDIA IMPRESSA Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Departamento de Geociências da Universidade Estadual de Londrina Orientadora: Profª. Dra. Alice Yatiyo Asari Londrina 2008

3 KLEYTON KAMOGAWA NOTÍCIAS DE BRASILEIROS NO JAPÃO: OS DEKASSEGUIS NA MÍDIA IMPRESSA Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Departamento de Geociências da Universidade Estadual de Londrina COMISSÃO EXAMINADORA Profª. Dra. Alice Yatiyo Asari Universidade Estadual de Londrina Profª. Dra. Ruth Youko Tsukamoto Universidade Estadual de Londrina Profª. Dra. Estela Okabayashi Fuzii Universidade Estadual de Londrina Londrina, de de.

4 AGRADECIMENTOS Aos familiares, pelo apoio e incentivo para a conclusão do curso de Geografia. À Prof.Dra. Alice Yatiyo Asari, pelas valiosas orientações, amizade, paciência e dedicação, tanto para a conclusão deste trabalho, quanto na Iniciação Científica. À Prof. Dra. Ruth Youko Tsukamoto e Estela Okabayashi Fuzii pelo aceite na comissão examinadora. Aos amigos(as) do curso: Ana Paula, Andrea, André Quinelato, Daniel Lania, Diogo, Iris, Kelly, Mariana, Silvia, Tatiana, Viviane, pelo apoio e companheirismo em todos os momentos. Aos amigos(as): Alan Leonardo, Edson, Emerson, Fernando, Flávia, Herminia, Lilian, Luciana Vieira, Luis Guilherme, Michelle, Milena, Vander. Aos professores(as) do Departamento de Geociências, pelos ensinamentos durante a graduação. Aos entrevistados, pela disposição, atenção e paciência para responder aos questionários. A todos que, direta ou indiretamente, viabilizaram este trabalho, meus sinceros agradecimentos.

5 Torne-se uma pessoa capaz de suportar todos os reveses da vida, aceitando-os com um sorriso. (Mokiti Okada 25/01/1949)

6 KAMOGAWA, Kleyton. Notícias de brasileiros no Japão: os dekasseguis na mídia impressa f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação de Geografia) Universidade Estadual de Londrina. Londrina, RESUMO A migração de brasileiros rumo ao Japão iniciou-se no fim da década de 1980 e início de 1990 devido à crise econômica que o Brasil enfrentava e o Japão necessitar de mão-de-obra no seu setor produtivo. No entanto, foi a partir da promulgação de Lei de Imigração Japonesa, no dia 1º de junho de 1990, que houve a intensificação da migração, pois os filhos, netos de imigrantes e seus cônjuges poderiam trabalhar no Japão por alguns anos, acumular dinheiro e retornar. Estes são os chamados dekasseguis. Os dekasseguis exercem atividades que exigem pouca ou nenhuma qualificação, realizando tarefas que são desprezadas pelos japoneses, pois estes almejam cargos na diretoria ou gerência nas fábricas. São esses dekasseguis, objeto de noticiários na mídia impressa, que foram analisados no trabalho em foco. Para isso, foram pesquisadas as notícias publicadas em jornais impressos, destinados à comunidade nipo-brasileira, sobre os dekasseguis, verificando o tema da notícia, o local dos acontecimentos, enfim, a imagem dos brasileiros no Japão. O maior número de notícias, sobre brasileiros no Japão, está relacionada aos crimes, como furtos e roubos, seguido pelas comemorações e festas. A quantidade de alguns tipos de notícia, como crimes graves e com morte e acidentes de trânsito, também são significativos. Além disso, foram aplicados questionários para os dekasseguis vinculados à Aliança Cultural Brasil-Japão do Norte do Paraná a fim de conhecer os motivos da emigração, os objetivos, as dificuldades enfrentadas, entre outros, e se conseguiram concretizar seus planos. Palavras-Chave: migração, dekasseguis, trabalho, mídia impressa.

7 LISTA DE GRÁFICOS Gráfico 1 Idade dos entrevistados 49 Gráfico 2 Motivo da viagem 50 LISTA DE QUADROS Quadro 1 - Tipos de visto e status de permanência 14

8 LISTA DE FIGURAS Figura 1 Inconstância no emprego 13 Figura 2 - Sistema de solicitação de atendimento proveniente do Japão 19 Figura 3 - Crimes e Delitos cometidos por Brasileiros 21 Figura 4 - Festas, Hábitos e Comemorações Brasileiras 24 Figura 5 - Acidentes de Trânsito 26 Figura 6 - Tipo e Mercado de Trabalho dos Dekasseguis 27 Figura 7 - Escolas, Creches, Faculdades Brasileiras 30 Figura 8 - Problemas com Empreiteira 31 Figura 9 - Carteira de Motorista e Leis de Trânsito 32 Figura 10 - Brasileiros vítima de crimes, delitos, agressões 33 Figura 11 - Atividade comercial de brasileiros 34 Figura 12 - Acidentes de Trabalho 35 Figura 13 - Mendigos Brasileiros 36 Figura 14 Discriminação 37 Figura 15 - Centro de Atendimento/Agência de emprego para brasileiros 38 Figura 16 - Maus Tratos 39 Figura 17 - Bancos/Igrejas/Novelas/Programa de Rádio para brasileiros 40 Figura 18 Outros 41

9 LISTA DE MAPAS Mapa 1 Número de brasileiros no Japão 06 Mapa 2 Crimes cometidos por brasileiros (2002) 23 Mapa 3 Escolas brasileiras x Número de brasileiros no Japão 29 Mapa 4 Número de notícias de brasileiros 42 Mapa 5 Regiões do Japão 43 Mapa 6 Anúncios de emprego do Jornal Nippo-Brasil 47 Mapa 6 Municípios onde foram realizadas as entrevistas 48 Mapa 7 Províncias de destino dos entrevistados 53

10 LISTA DE TABELAS Tabela 1 Número de brasileiros e taxa de crescimento anual ( ) 05 Tabela 2 - Registro de estrangeiros em províncias onde a maioria dos brasileiros reside 08 Tabela 3 - Entrada de brasileiros no Japão por status de permanência ( ) 15 Tabela 4 - Notícias encontradas nos jornais 20 Tabela 5 - Crimes cometidos por estrangeiros 22 Tabela 6 - Data dos jornais pesquisados 44 Tabela 7 - Anúncios de emprego pesquisados 45 Tabela 8 - Período de permanência no Japão 50 Tabela 9 - Número de viagens ao Japão 51 Tabela 10 - Empregos dos entrevistados 51 Tabela 11 Discriminação 52 Tabela 12 - Dificuldades encontradas 54 Tabela 13 - Conseguiu concretizar seus planos? 55

11 SUMÁRIO INTRODUÇÃO BRASILEIROS NO JAPÃO: OS DEKASSEGUIS E O MERCADO DE TRABALHO A MIDIA IMPRESSA E OS BRASILEIROS NO JAPÃO Crimes e Delitos cometidos por Brasileiros Festas, Hábitos e Comemorações Brasileiras Crimes graves e com morte Acidentes de Trânsito Tipo e Mercado de Trabalho dos Dekasseguis Escolas, Creches, Faculdades Brasileiras Problemas com Empreiteira Carteira de Motorista e Leis de Trânsito Brasileiros vítima de crimes, delitos, agressões Atividade comercial de brasileiros Acidentes de Trabalho Mendigos Brasileiros Discriminação Centro de Atendimento/Agência de emprego para brasileiros Maus Tratos Suicídio Bancos/Igrejas/Novelas/Programa de Rádio para brasileiros Outros Total de Notícias OS ANÚNCIOS DE EMPREGO NO JORNAL NIPPO-BRASIL OS DEKASSEGUIS DO NORTE DO PARANÁ CONCLUSÃO BIBLIOGRAFIA 58

12 ANEXOS 63 Anexo A - Acidente resultante da mudança de emprego 64 Anexo B - Destinação do lixo 65 Anexo C - Obtenção da carteira de motorista 66 Anexo D - Dekassegui vítima de furto 67 Anexo E - Canal de televisão em português 68 Anexo F - Igreja para brasileiros 69 Anexo G - Discriminação entre brasileiros 70

13 1 1 INTRODUÇÃO O Brasil, na década de 1980, enfrentava uma grave crise econômica e estagnação, sendo esta década chamada de década perdida. Muitos brasileiros, descontentes com a situação, começaram a emigrar para outros países, como os Estados Unidos, Japão e países da Europa, buscando melhores condições financeiras. Os brasileiros que partiram rumo ao Japão, os dekasseguis, termo que significa sair de seu país de origem para trabalhar em outro, buscavam trabalhar por curto período, acumular certa quantia de dinheiro e retornar ao Brasil. Em meados da década de 1980 este movimento ainda se mostrava tímido, pois havia dificuldades para se conseguir autorização de desembarque e trabalho no Japão. Porém, a partir de 1990, com a promulgação da Lei de Imigração Japonesa, este movimento de brasileiros rumo ao Japão aumentou drasticamente, sendo cada vez maior o número de brasileiros que partem em busca de melhores condições de vida. Com isso, tem-se como objetivo compreender o processo migratório dos descendentes de japoneses rumo ao Japão, identificando as motivações e perspectivas que levaram estes à emigrar, sobretudo na década de 1990, após a promulgação da Lei de Imigração do Japão e analisar a situação atual deste processo. Além disso, investigar, nos jornais impressos destinados à comunidade japonesa, os anúncios de oferta de emprego, verificando os tipos de trabalho, salário, província, entre outros, e os tipos de reportagens e notícias que são publicados sobre os brasileiros no Japão. Neste trabalho será discutido, no primeiro capítulo, o fenômeno dekassegui, as motivações que levam os brasileiros a migrarem para trabalhar, as dificuldades enfrentadas, a criação de novas territorialidades pelos brasileiros no Japão, os tipos de visto existentes, os trabalhos exercidos pelos dekasseguis, as províncias onde estes se encontram em maior número, os tipos de seguros ao trabalhador, como os de saúde e desemprego, além da contribuição com a previdência. No segundo capítulo serão apresentadas as notícias sobre os brasileiros no Japão que foram divulgadas na mídia impressa, no período de 1990 a 2007, nos jornais destinados à comunidade japonesa, classificando-as em categorias e o

14 2 número total de notícias, sendo possível analisar e observar em quais tipos de notícia é freqüente a aparição dos brasileiros e a sua imagem no Japão. No terceiro capítulo são analisados os anúncios de emprego no Japão que foram divulgados no jornal Nippo-Brasil, nos anos de 2000 a 2006, no qual foram escolhidos dois exemplares por ano, caracterizando o tipo de emprego mais freqüente, a cidade ou província do emprego. No quarto capítulo são apresentados os resultados das entrevistas feitas com dekasseguis do norte do Paraná, identificando os motivos da viagem, a cidade ou província de destino, o tipo de trabalho exercido, tempo de permanência no Japão, as dificuldades encontradas, o número de vezes que foi ao Japão, entre outros.

15 3 2 BRASILEIROS NO JAPÃO: OS DEKASSEGUIS E O MERCADO DE TRABALHO A imigração de japoneses para o Brasil, iniciada em 1908, trouxe milhares de pessoas com a esperança de encontrar melhores condições de vida e fazer fortuna, pois o Brasil era considerado um país promissor. Desejavam trabalhar por alguns anos, economizar uma certa quantia e retornar ao país de origem, não rompendo os laços com o país de origem. Porém, a grande maioria permaneceu no Brasil, por decisão ou por não ter condições financeiras, e hoje sua cultura é reconhecida e admirada por muitos brasileiros. Em meados da década de 1980 e, sobretudo no início da década de 1990, houve inversão no sentido do fluxo migratório, pois o Brasil, que no início do século recebeu grande contingente de imigrantes japoneses, torna-se, posteriormente, um exportador de mão-de-obra para outros países a partir da intensificação de crises políticas e econômicas. Assim, Kawamura (1999) explica que: Nos anos 80, as seqüelas da crise do petróleo; a diminuição dos investimentos estrangeiros no país; o aumento crescente da dívida externa; a desvalorização internacional das matérias-primas para exportação; a elevada inflação e os juros altos; ao lado da rearticulação das forças políticas civis no país e dos movimentos sociais pelas condições de vida, por salários melhores, por saúde, educação e contra a discriminação das mulheres e negros; e outros, de ordem econômica e política, expressaramse na desaceleração da economia interna, nos movimentos sociais, no desemprego e, a partir de meados da década, nas crescentes migrações de brasileiros para o exterior. (KAWAMURA, p.59) Por esses motivos acentuou-se a emigração de brasileiros rumo aos Estados Unidos, alguns países da Europa e o Japão, que se encontrava em pleno desenvolvimento e necessitava cada vez mais de trabalhadores nas fábricas. BENKO (2002, p.24), explica que os países ocidentais atravessaram período difícil nos anos 70 e 80. Muitas regiões industriais outrora prósperas passaram por graves problemas econômicos, acompanhados de desemprego, que lhes acarretaram a estagnação e o declínio. Devido a isso muitos brasileiros migraram para outros países e os japoneses e seus descendentes viram, no Japão, a chance de sair da crise e melhorar a qualidade e condições de vida.

16 4 A inversão e o aumento no fluxo de brasileiros rumo ao Japão deve-se, sobretudo, às mudanças na Lei de Imigração do Japão que ocorreu no ano de 1990, que permitiu a entrada de filhos (nisseis) e netos (sanseis) de imigrantes japoneses e cônjuges não-nikkeis destes. A lei de imigração tinha, como um de seus objetivos, diminuir o número de trabalhadores ilegais, como tailandeses, coreanos, chineses, substituindo estes por descendentes de japoneses, que se encontram em grande número no Brasil. Os isseis, que voltavam ao Japão como dekassegui, não encontravam grandes problemas na adaptação, pois conheciam o modo de vida japonês. Já as outras gerações (nisseis, sanseis e cônjuges não-nikkeis) encontram muitas dificuldades, como YOSHIOKA (1995) explica: Já os nisseis têm um comportamento mais ocidentalizado, têm dificuldade para ler e falar o japonês, são mais expansivos, a despeito de possuírem a cultura japonesa pré-guerra que lhes foi transmitida por seus pais. O sansei é bem mais ocidentalizado e, com raras exceções, consegue comunicar-se em japonês. O cônjuge não-nikkei praticamente desconhece a cultura japonesa. (YOSHIOKA, 1995, p.148) Os descendentes de imigrantes japoneses, mesmo conhecendo a cultura, conversando em japonês com seus pais ou avós, mantendo a alimentação e religião, algumas regras de educação, acabam encontrando muitas diferenças, como na língua, pois algumas palavras que aprenderam com seus pais ou avós já não são mais utilizadas atualmente, na separação do lixo, no rigor ao respeito às leis japonesas, entre outros. Além das dificuldades, os dekasseguis acabam sendo discriminados pelos japoneses justamente por não conhecerem seu modo de vida. Alguns atos normais para os brasileiros, como falar alto, cumprimentos calorosos, demonstrar afetividade em público e o não cumprimento de algumas regras, são motivo para vistas grossas dos japoneses. Porém, a necessidade de mão-de-obra no Japão e o fato do Brasil estar num período de recessão, acabou impulsionando a emigração de brasileiros, que buscavam melhores salários, qualidade de vida e concretização de sonhos, mesmo sabendo das dificuldades e sofrimentos que enfrentariam. Na tabela 1 é possível observar o crescimento no número de brasileiros no Japão.

17 5 TABELA 1: NÚMERO DE BRASILEIROS E TAXA DE CRESCIMENTO ANUAL ( ) Ano Nº de Brasileiros Taxa de Crescimento (%) % % ,80% % % % % % % % % % % % % % % % % % % % Tabela 1: Número de brasileiros no Japão (1985 a 2007) Fonte: Ministério da Justiça do Japão In: Nota-se que o ano de 1990 é o que apresenta o maior índice, justamente no ano em que foi promulgada a nova lei de Imigração Japonesa. Porém, no final dos anos 90, ocorre uma crise no Japão que faz o índice decrescer ao saldo negativo, isto é, muitos dekasseguis retornaram ao Brasil neste ano. A população decresceu de em 1997 para em 1998, ou seja, brasileiros deixaram o Japão devido à crise. Os brasileiros concentram-se, sobretudo, nas imediações da província de Tóquio, conforme mapa 1. A província com maior número de dekasseguis, no ano de 2004, é Aichi, com brasileiros, seguido por Shizuoka, com brasileiros.

18 Mapa 1: Número de brasileiros no Japão (2004). 6

19 7 Segundo OZAKI (2004): Se falarmos com relação à mão-de-obra nikkei, as regiões que possuem maior número de brasileiros registrados são Gunma, Nagano, Shizuoka, Aichi, Mie, Gifu e Shiga, onde estão localizadas as principais fábricas do setor industrial, e em cujo redor serão instaladas as empreendedoras de empreiteiras coligadas. Isto é, a mão-de-obra nikkei está intimamente relacionada com a estrutura empregatícia dessas indústrias. (OZAKI, 2004, p.59) Em função disso os brasileiros concentram-se em determinadas localidades e a tabela 2 mostra as províncias e o número de brasileiros onde se concentra a população de dekasseguis no período de 1993 a 2004.

20 8 TABELA 2: REGISTRO DE ESTRANGEIROS EM PROVÍNCIAS ONDE A MAIORIA DOS BRASILEIROS RESIDE Províncias Aichi Shizuoka Kanagawa Saitama Gunma Gifu Mie Nagano TOTAL Tabela 2: Nas províncias citadas acima estão, em média, 70% do total de brasileiros no Japão. De 1993 a 2004 houve grande aumento da população brasileira, duplicando e/ou triplicando o número de pessoas, com exceção da província de Kanagawa, que manteve-se estável durante os anos. Fonte: (HAYASHI, 2005, p.146)

21 9 A concentração de brasileiros em determinadas cidades propiciou o aparecimento de mercados, restaurantes, comércio, serviços, vestuário, produtos farmacêuticos e perfumaria, destinados aos brasileiros, criando territórios onde predomina a cultura brasileira. Sobre isso, CORRÊA (2002) explica que: Etimologicamente território deriva do latim terra e torium, significando terra pertencente a alguém. Pertencente, entretanto, não se vincula necessariamente à propriedade da terra, mas à sua apropriação. Essa apropriação, por sua vez, tem duplo significado. De um lado associa-se ao controle de fato, efetivo, por vezes legitimado, por parte de instituições ou grupos sobre um dado segmento do espaço. (...) por outro lado, pode assumir uma dimensão afetiva, derivada das práticas espacializadas por parte de grupos distintos definidos segundo renda, raça, religião, sexo, idade ou outros atributos. (CORRÊA, 2002,, p.251) Cria-se, numa determinada localidade das cidades, atividades comerciais destinadas aos brasileiros, apropriando-se de determinada área, uma rua ou bairro, caracterizando esta área pertencente aos brasileiros, da cultura brasileira, enquanto dimensão afetiva, subjetiva. HAESBAERT (2004), propõe quatro vertentes sobre a noção de território: - Política: a mais difundida, onde o território é visto como um espaço delimitado e controlado, através do qual se exerce um determinado poder, na maioria das vezes relacionado ao poder político do Estado. - Cultural: prioriza a dimensão simbólica e mais subjetiva, em que o território é visto, sobretudo, como o produto da apropriação/valorização simbólica de um grupo em relação ao seu espaço vivido. - Econômica: enfatiza a dimensão espacial das relações econômicas, o território como fonte de recursos e/ou incorporando no embate entre classes sociais e na relação capital-trabalho, como produto da divisão territorial do trabalho, por exemplo. - Naturalista: que se utiliza da noção de território com base nas relações entre sociedade e natureza, especialmente no que se refere ao comportamento natural dos homens em relação ao seu ambiente físico. (HAESBAERT, 2004, p.40) Assim, o território pode ter sentido concreto, de dominação, de poder, quanto simbólico, de apropriação e pertencimento, como ocorre nos caso das atividades comerciais destinados aos brasileiros. Os dekasseguis acabam freqüentando estes locais para lembrar do Brasil, para matar a saudade das comidas típicas, músicas, danças, festas, entre outros, pois apesar da distância, ainda sentem-se pertencentes ao seu local de origem, com seu espaço vivido.

22 10 Sobre isto, HAESBAERT (2004) afirma que assim, não é obrigatoriamente por sair de seu território de origem, mesmo no caso das migrações internacionais, que os migrantes se tornam, automaticamente, desterritorializados, o mesmo acontecendo em relação a sua identidade em termos de nacionalidade ou de grupo étnico. (HAESBAERT, 2004, p.249) Não é por estar em outro país que o migrante perde suas raízes, a cultura da terra natal. Este se desterritorializa, deixando seu país, sua cultura, e se reterritorializa no novo país, adquire novas territorialidades, assimilando a nova cultura, o novo estilo de vida, os hábitos e cumprindo regras para conviver em harmonia com a sociedade. A necessidade de mão-de-obra no Japão decorre, principalmente, pela alta escolaridade dos japoneses, o que faz com que estes almejem cargos na diretoria, administração, gerência, entre outros, nas empresas, recusando os serviços braçais, que requerem pouca ou nenhuma qualificação, geralmente encontrados em indústrias de eletro-eletrônicos, automobilísticas e de alimentos, como REIS (2001) coloca: Assim, a sociedade japonesa, que ostenta elevados índices de educação, já reflete a tendência universal do mundo pós-industrial de prestigiar os escalões mais elevados da hierarquia laboral, ainda que em detrimento de maiores salários em atividades menos nobres. Vasto contingente da população, ao lançar-se no mercado de trabalho, busca, de preferência, colocação no setor terciário da economia, privilegiando áreas como finanças, mercado imobiliário, profissões liberais, setor público e serviços em geral. (REIS, 2001, p.55) Ainda segundo Kawamura (1999): Estudos têm mostrado que os trabalhadores internacionais surgem com a falta de mão-de-obra em setores dinâmicos de economias avançadas, devido ao fato de os salários e a natureza do trabalho não serem atraentes para os trabalhadores locais e de o custo-benefício ser maior quando se empregam mais trabalhadores estrangeiros do que se investe em tecnologias. (KAWAMURA, 1999, p. 48) Assim, os tipos de trabalho exercidos pelos dekasseguis são considerados pelos japoneses como kitanai (sujo), kitsui (pesado), kiken (perigoso), conhecido como os 3K s. Posteriormente, os brasileiros adicionaram mais 2K s, que são os trabalhos considerados por estes como kibishii (exigente) e kirai (detestável). Têm-

23 11 se então os trabalhos 5K s, exercidos pelos dekasseguis. Segundo KLAGSBRUNN (1996): Em todos os casos de emigração, uma das poucas vantagens dos imigrantes frente aos naturais do país, é que, nos primeiros tempos, quando predomina a idéia de uma migração temporária, o migrante está disposto a aceitar qualquer tipo de trabalho, muitas vezes fazendo coisas que não aceitaria em seu próprio país. (KLAGSBRUNN, 1996, p.39) Mesmo os dekasseguis que possuem alta escolaridade exercem trabalho de baixa qualificação, pois no Japão sua formação acadêmica não é levada em conta. Certamente, esta pessoa, no Brasil, também recusaria trabalhos que exigem pouca qualificação e são mal-remunerados; porém, no Japão, quando comparados com os salários pagos no Brasil, estes tipos de trabalho são bem-remunerados e suficientes para a manutenção própria e de parentes. Quando há crise na economia ou na empresa, os primeiros a serem demitidos são os dekasseguis, sendo que muitos, por não contribuírem com o sistema de seguros oferecidos, ficam sem renda e podem se ver forçados a retornar ao Brasil. Assim, HARVEY (1989) coloca que a atual tendência dos mercados de trabalho é reduzir o número de trabalhadores centrais e empregar cada vez mais uma força de trabalho que entra facilmente e é demitida sem custos quando as empresas tornam-se deficitárias. Estão sujeitos ainda à mudança no turno ou período de trabalho em determinadas semanas, conforme GAUDEMAR (1977) explica: [...] o operário deve adaptar-se a uma modificação periódica do lugar do seu tempo de trabalho, no decorrer do dia; uma semana, trabalha de manhã, outra à tarde, outra ainda à noite, e conseqüentemente deverá conciliar com esse ritmo a sua vida fora do trabalho. A mobilidade da força de trabalho surge assim como a sua capacidade, não só de ser utilizada durante um máximo de tempo, mas além disso em qualquer momento do dia, apenas segundo as exigências do capital investido, na total indiferença do seu ritmo individual ou familiar de vida. (GAUDEMAR, 1977, p ) Assim, nota-se que o importante é produzir e acumular capital, independente da vontade e disponibilidade do trabalhador, pois este deve se adaptar e cumprir as condições do capital. Pode acontecer, nos serviços considerados perigosos, o dekassegui sofrer acidentes de trabalho, pois pode demorar a adaptar-se ao novo horário de trabalho e ao ritmo de produção (ver anexo A).

24 12 O empregado e o empregador têm obrigação de efetuar, mensalmente, os pagamentos de seguro saúde (kenko hoken), aposentadoria (kosei nenkin hoken) e seguro desemprego (koyo hoken). Segundo YOSHIOKA (1999, p.29), estas contribuições são chamadas de shakai hoken, que totalizam pouco mais de 13% do salário do trabalhador. Ainda segundo o autor, os seguros oferecidos dão direito ao trabalhador à: Kenko Hoken (seguro saúde) dá direito a assistência médica, mediante pagamento de 10% do custo do tratamento. Além disso, a partir da quinta falta por problemas médicos o seguro cobre os vencimentos em 60% da diária. Kosei Nenkin Hoken (aposentadoria) o trabalhador que contribuir por mais de 25 anos, ao atingir 60 ou 65 anos, poderá requerer aposentadoria. Entretanto, dificilmente os trabalhadores contribuirão por tanto tempo. Daí a aprovação da lei no dia 9 de novembro de 1994, determinando a restituição de parte dessa contribuição aos estrangeiros que retornam definitivamente ao seu país, mediante requerimento apresentado no decorrer de dois anos da saída do Japão. Koyo Hoken (seguro desemprego) é o seguro desemprego ao qual tem direito o trabalhador que tenha contribuído por mais de sete meses. O valor do benefício é de 60% do salário. Estes seguros garantem ao dekassegui, caso fique doente e seja demitido, uma renda mensal para sua manutenção, tendo também o auxílio do governo no pagamento das despesas do tratamento. O salário varia de acordo com o tipo de trabalho e o número de horas extras permitidas na empresa, o que faz muitos mudarem constantemente de emprego, buscando sempre aqueles que oferecem maiores salários e vantagens, mesmo que o horário, a jornada de trabalho e o esforço físico sejam grandes. Há casos em que o dekassegui muda de cidade ou de província em busca de melhores oportunidades. Sobre isto, GAUDEMAR (1977, p.191) explica que o dinheiro vem reforçar esta tendência e assim estimular a mobilidade da força de trabalho. Pouco importa o emprego, desde que o salário recebido em troca seja satisfatório. Porém, segundo Reis (2001, p.99), a inconstância no emprego, por outro lado, é apontada como uma característica negativa ao empregado brasileiro. Ainda

25 13 segundo a autora (p.101), a estratégia que os empregadores japoneses conseguiram até agora desenvolver no sentido de contornar a grande mobilidade do trabalhador brasileiro foi a instituição de prêmios por estabilidade no emprego. Uma notícia do Jornal-Nippo-Brasil mostra esta tendência, em que nos anos 1990 era constante a procura e troca de empregos, e atualmente essa prática deixou de ser vantajosa e aceita pelos dekasseguis e japoneses, conforme figura 1: Figura 1: As notícias dos jornais do ano de 1996 e 2003 mostram a mudança no comportamento dos dekasseguis. Fonte: Jornal Nippo-Brasil (02 a 08 de Agosto de 1996) e (03 a 09 de Setembro de 2003). A maioria dos brasileiros possui visto com validade de dois a três anos, com possibilidades de renovação. Os nisseis e sanseis têm um prazo de três anos de estadia legal para trabalhar no país, com possibilidade de prorrogação de sua permanência. De acordo com o Manual da Lei de Imigração Japonesa (1993), existem 7 tipos de visto e 27 status de permanência, conforme quadro 1:

26 14 QUADRO 1: TIPOS DE VISTO E STATUS DE PERMANÊNCIA TIPOS DE VISTO Diplomático Oficial Trabalho Comum Especial Visita Temporária Trânsito STATUS DE PERMANÊNCIA Diplomático Oficial Professores Artistas Atividades Religiosas Imprensa Investimentos e Administração de Empresas Serviços Jurídicos e Contábeis Serviços Médicos e Paramédicos Pesquisadores Educação Engenheiros Especialistas em conhecimentos humanísticos, tecnológicos e prestação de serviços internacionais Transferências internas das empresas Promoções de entretenimento Serviços técnicos especializados Atividades Culturais Estudantes universitários Estudantes de curso médio Estagiários Permanência de dependentes Atividades designadas Residentes em caráter permanente Cônjuges e filhos de japoneses e outros Cônjuges e filhos de residentes em caráter permanente Residentes por longo período Visita Temporária Quadro 1: Tipos de visto e status de permanência. Fonte: Manual da Lei de Imigração Japonesa (1993). Há casos em que a pessoa entra com o visto de visita temporária, que tem duração de 90 dias, podendo ser prorrogado, possibilitando que a pessoa trabalhe como dekassegui. Somente o visto diplomático e o oficial não possuem prazo determinado; o prazo estabelecido é a conclusão das atividades. O visto especial é emitido para os nikkeis brasileiros e seus cônjuges; o visto trabalho é voltado para os prestadores de serviços, profissionais que possuem conhecimento específicos para trabalhar no Japão; o visto comum é emitido para estudantes, estagiários, bolsistas, sua família e dependentes; o visto de visita temporária é emitido para turistas, pessoas que visitam parentes, que permanecem

Resultado da Pesquisa sobre as Condições de Trabalho dos Estrangeiros na Província de Shizuoka (Sumário) Set./2008

Resultado da Pesquisa sobre as Condições de Trabalho dos Estrangeiros na Província de Shizuoka (Sumário) Set./2008 Resultado da Pesquisa sobre as Condições de Trabalho dos Estrangeiros na Província de Shizuoka (Sumário) Set./2008 Em 2007, a Universidade de Arte e Cultura de Shizuoka, a pedido do Governo Provincial,

Leia mais

EB-5 GREEN CARD PARA INVESTIDORES

EB-5 GREEN CARD PARA INVESTIDORES Mude-se para os EUA Hoje! PORT EB-5 GREEN CARD PARA INVESTIDORES Todas as pessoas conhecem clientes, amigos ou parentes que possuem o desejo de se mudar para os Estados Unidos, especialmente para a Flórida.

Leia mais

Guia Multilíngüe de Informações Cotidianas

Guia Multilíngüe de Informações Cotidianas Para poder permanecer em território japonês é necessário ter o visto de permanência. Existem 27 tipos de vistos e, cada qual tem prazos e tipos de atividades permitidas diferenciadas. 1 Tipos de visto

Leia mais

Investimento para Mulheres

Investimento para Mulheres Investimento para Mulheres Sophia Mind A Sophia Mind Pesquisa e Inteligência de Mercado é a empresa do grupo de comunicação feminina Bolsa de Mulher voltada para pesquisa e inteligência de mercado. Cem

Leia mais

01 REGIÃO METROPOLITANA 03 ENDEREÇO

01 REGIÃO METROPOLITANA 03 ENDEREÇO IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística Diretoria de Pesquisas Coordenação de Trabalho e Rendimento Gerência de Pesquisa Mensal PESQUISA MENSAL DE EMPREGO PME 1.0 QUESTIONÁRIO DE MÃO-DE-OBRA

Leia mais

Aqui você vai encontrar esclarecimentos importantes a respeito de seus direitos.

Aqui você vai encontrar esclarecimentos importantes a respeito de seus direitos. ESTIMADO MORADOR, SAUDAÇÕES! ESTA É A CARTILHA QUE A CDHU PREPAROU PARA FALAR DO IMÓVEL QUE VOCÊ ESTÁ ADQUIRINDO, COM INFORMAÇÕES SOBRE O SEU CONTRATO COM A CDHU. Aqui você vai encontrar esclarecimentos

Leia mais

ANÁLISE PSICOLÓGICA DO PERFIL DE CRIANÇAS E PAIS BRASILEIROS NO JAPÃO. Juliana F. de Barros - Psicóloga

ANÁLISE PSICOLÓGICA DO PERFIL DE CRIANÇAS E PAIS BRASILEIROS NO JAPÃO. Juliana F. de Barros - Psicóloga ANÁLISE PSICOLÓGICA DO PERFIL DE CRIANÇAS E PAIS BRASILEIROS NO JAPÃO Juliana F. de Barros - Psicóloga A minha vinda para o Japão em 2014: Projeto coordenado pela Prof.ª Mary Yoko Okamoto chamado: Programa

Leia mais

PLANO DE PROMOÇÃO DA CONVIVÊNCIA MULTICULTURAL DA CIDADE DE TOYOHASHI ASPECTOS GERAIS

PLANO DE PROMOÇÃO DA CONVIVÊNCIA MULTICULTURAL DA CIDADE DE TOYOHASHI ASPECTOS GERAIS PLANO DE PROMOÇÃO DA CONVIVÊNCIA MULTICULTURAL DA CIDADE DE TOYOHASHI ASPECTOS GERAIS PREFEITURA DE TOYOHASHI Obs.: Os termos residentes estrangeiros e moradores estrangeiros utilizados nesse Plano de

Leia mais

Plano de Promoção de Convivência Multicultural de Aichi

Plano de Promoção de Convivência Multicultural de Aichi Plano de Promoção de Convivência Multicultural de Aichi 2013-2017 Viver, brilhar e criar juntos Período Ano fiscal 2013 a 2017 Contexto histórico da formulação do plano O Plano de Promoção de

Leia mais

IMAPCTOS DA CRISE ECONÔMICA NAS EMPRESAS DE GUARAPUAVA

IMAPCTOS DA CRISE ECONÔMICA NAS EMPRESAS DE GUARAPUAVA IMAPCTOS DA CRISE ECONÔMICA NAS EMPRESAS DE GUARAPUAVA Uilson Jose Nepchji eliziane.uilson@gmail.com Pedro Anotonio Laurentino Valdemir Monteiro Sandra Mara Matuik Mattos Professora do Curso Ciências Econômicas/

Leia mais

Síntese do Plano de Promoção de Convivência Multicultural da Província de Shiga (Edição revisada)

Síntese do Plano de Promoção de Convivência Multicultural da Província de Shiga (Edição revisada) <Proposta> ポルトガル 語 Síntese do Plano de Promoção de Convivência Multicultural da Província de Shiga (Edição revisada) Da revisão do plano 1.Contexto e objetivos Tendo como base o ápice do ano de 2008, quando

Leia mais

A INTERDISCIPLINARIDADE DO DIREITO PREVIDENCIÁRIO

A INTERDISCIPLINARIDADE DO DIREITO PREVIDENCIÁRIO A INTERDISCIPLINARIDADE DO DIREITO PREVIDENCIÁRIO * Cibeli Espíndola dos Santos Pós-Graduanda em Direito Previdenciário 1. Introdução Após a Segunda grande guerra o Japão teve um crescimento econômico

Leia mais

A POLÍTICA DE SEGURANÇA PÚBLICA E INFRAESTRUTURA (LIGADA AO QUESITO DE SEGURANÇA) DESENVOLVIDA EM BARÃO GERALDO

A POLÍTICA DE SEGURANÇA PÚBLICA E INFRAESTRUTURA (LIGADA AO QUESITO DE SEGURANÇA) DESENVOLVIDA EM BARÃO GERALDO BE_310 CIÊNCIAS DO AMBIENTE UNICAMP ESTUDO (Turma 2012) Disponível em: http://www.ib.unicamp.br/dep_biologia_animal/be310 A POLÍTICA DE SEGURANÇA PÚBLICA E INFRAESTRUTURA (LIGADA AO QUESITO DE SEGURANÇA)

Leia mais

SUPERENDIVIDAMENTO. Saiba planejar seus gastos e evite dívidas.

SUPERENDIVIDAMENTO. Saiba planejar seus gastos e evite dívidas. SUPERENDIVIDAMENTO Saiba planejar seus gastos e evite dívidas. Nos últimos anos, houve um crescimento significativo de endividados no Brasil. A expansão da oferta de crédito e a falta de controle do orçamento

Leia mais

Perfil de investimentos

Perfil de investimentos Perfil de investimentos O Fundo de Pensão OABPrev-SP é uma entidade comprometida com a satisfação dos participantes, respeitando seus direitos e sempre buscando soluções que atendam aos seus interesses.

Leia mais

Cidade de Nagoya. Plano de Promoção de Coexistência Multicultural. da Cidade de Nagoya. Construção de 3 vínculos. Linguagem Vida Comunidade

Cidade de Nagoya. Plano de Promoção de Coexistência Multicultural. da Cidade de Nagoya. Construção de 3 vínculos. Linguagem Vida Comunidade Plano de Promoção de Coexistência Multicultural da Cidade de Nagoya Linguagem Vida Comunidade ~guia voltado para a construção de 3 vínculos~ Construção de 3 vínculos -Vínculo com a linguagem

Leia mais

Migrações O vaivém da população pelo mundo. Mapa que indica os principais destinos de migrantes (países maiores- distorção)

Migrações O vaivém da população pelo mundo. Mapa que indica os principais destinos de migrantes (países maiores- distorção) Migrações O vaivém da população pelo mundo Mapa que indica os principais destinos de migrantes (países maiores- distorção) Migração ou Movimento Populacional: Ocorre o tempo todo no mundo Pessoas mudam-se

Leia mais

Guia do uso consciente do crédito. O crédito está aí para melhorar sua vida, é só se planejar que ele não vai faltar.

Guia do uso consciente do crédito. O crédito está aí para melhorar sua vida, é só se planejar que ele não vai faltar. Guia do uso consciente do crédito O crédito está aí para melhorar sua vida, é só se planejar que ele não vai faltar. Afinal, o que é crédito? O crédito é o meio que permite a compra de mercadorias, serviços

Leia mais

I. Visto Temporário II (Visto de negócios)

I. Visto Temporário II (Visto de negócios) CARTILHA PARA CONTRATAÇÃO REGULAR DE ESTRANGEIROS NO BRASIL Em se tratando de mão de obra estrangeira, são inúmeras as dúvidas que pairam nos empregadores e tomadores de serviços sobre as responsabilidades

Leia mais

Mensagem do Administrador

Mensagem do Administrador Educação Financeira Índice 1. Mensagem do administrador... 01 2. O Cartão de crédito... 02 3. Conhecendo sua fatura... 03 4. Até quanto gastar com seu cartão... 07 5. Educação financeira... 08 6. Dicas

Leia mais

A legislação determina as seguintes condições para a oficialização do casamento. Os cônjuges devem estar em conformidade com todas essas condições.

A legislação determina as seguintes condições para a oficialização do casamento. Os cônjuges devem estar em conformidade com todas essas condições. 結 婚 と 離 婚 1. Casamento Num casamento internacional (ou seja, o casamento de duas pessoas com nacionalidades diferentes) faz-se necessário obedecer as leis dos países de origem dos cônjuges. É importante

Leia mais

Como proceder à notificação e para onde encaminhá-la?

Como proceder à notificação e para onde encaminhá-la? Se a família não quiser ou não puder assumir a notificação, o educador deverá informar a família que, por força da lei, terá que notificar o fato aos órgãos competentes. Como proceder à notificação e para

Leia mais

As Mulheres e o Trabalho de Cuidar SÃO PAULO,07 DE NOVEMBRO DE 2014.

As Mulheres e o Trabalho de Cuidar SÃO PAULO,07 DE NOVEMBRO DE 2014. As Mulheres e o Trabalho de Cuidar MYRIAN MATSUO II Seminário de Sociologia da FUNDACENTRO: Condições de Trabalho das Mulheres no Brasil SÃO PAULO,07 DE NOVEMBRO DE 2014. Doutora em Sociologia pelo Departamento

Leia mais

FICHA DE CADASTRO EMPRETEC. Município Data: / /

FICHA DE CADASTRO EMPRETEC. Município Data: / / FICHA DE CADASTRO EMPRETEC Município Data: / / Caro Empreendedor, Obrigado por seu interesse pelo Empretec, um dos principais programas de desenvolvimento de empreendedores no Brasil e no Mundo! As questões

Leia mais

PESQUISA DIA DAS CRIANÇAS - NATAL

PESQUISA DIA DAS CRIANÇAS - NATAL PESQUISA DIA DAS CRIANÇAS - NATAL Natal, setembro de 2015 1 Sumário 1. Aspectos Metodológicos... 3 2. Descrição dos Resultados... 4 Itens de comemoração... 4 Gastos com presente... 4 Local e quando compra...

Leia mais

6.Casamento Divórcio Internacional こん り こん

6.Casamento Divórcio Internacional こん り こん 6.Casamento Divórcio Internacional こくさいけっ こん り こん 国 際 結 婚 離 婚 1.Casamento Num casamento internacional (ou seja, o casamento de duas pessoas com nacionalidades diferentes) faz-se necessário obedecer as

Leia mais

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS 1. Sumário Executivo Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso 2. Sumário da Empresa 2.1 Composição da Sociedade Perfil Individual dos sócios, experiência, formação, responsabilidades

Leia mais

PROGRAMA JOVEM APRENDIZ

PROGRAMA JOVEM APRENDIZ JOVEM APRENDIZ Eu não conhecia nada dessa parte administrativa de uma empresa. Descobri que é isso que eu quero fazer da minha vida! Douglas da Silva Serra, 19 anos - aprendiz Empresa: Sinal Quando Douglas

Leia mais

Trabalhando com. Refugiados

Trabalhando com. Refugiados Trabalhando com Refugiados Quem são os refugiados? O refugiado é uma pessoa que está fora do seu país porque foi (ou estava em risco de ser) vítima de graves violações de direitos humanos em razão da sua

Leia mais

M = C. (1 + (i. T)) Juros compostos:- Como calcular juros compostos: montante, capital inicial, fórmula, taxa, tempo, etc.

M = C. (1 + (i. T)) Juros compostos:- Como calcular juros compostos: montante, capital inicial, fórmula, taxa, tempo, etc. Material de Estudo para Recuperação 9 ano. Juros Simples O regime de juros será simples quando o percentual de juros incidirem apenas sobre o valor principal. Sobre os juros gerados a cada período não

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2004

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2004 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2004 Autoriza o Poder Executivo a criar a Poupança Emigrante e o Fundo de Financiamento ao Emigrante Empreendedor (FEE), com vistas a incrementar a entrada de divisas no

Leia mais

COMÉRCIO EXTERIOR. Causas da dívida Empréstimos internacionais para projetar e manter grandes obras. Aquisição de tecnologia e maquinário moderno.

COMÉRCIO EXTERIOR. Causas da dívida Empréstimos internacionais para projetar e manter grandes obras. Aquisição de tecnologia e maquinário moderno. 1. ASPECTOS GERAIS Comércio é um conceito que possui como significado prático, trocas, venda e compra de determinado produto. No início do desenvolvimento econômico, o comércio era efetuado através da

Leia mais

Código de Conduta da Dachser

Código de Conduta da Dachser Código de Conduta da Dachser 1. Introdução A fundação de todas as atividades na Dachser é a nossa adesão a regulamentos juridicamente vinculativos em nível nacional e internacional, assim como a quaisquer

Leia mais

Educação Financeira. Crédito Consignado. Módulo 5: Serviços Bancários

Educação Financeira. Crédito Consignado. Módulo 5: Serviços Bancários Educação Financeira Crédito Consignado Módulo 5: Serviços Bancários Objetivo Conscientizar nossos clientes sobre os serviços bancários e as funções de cada funcionário O conteúdo deste material é baseado

Leia mais

Sobre as Medidas Imediatas (Curto Prazo) de Apoio aos. Estrangeiros Residentes no Japão

Sobre as Medidas Imediatas (Curto Prazo) de Apoio aos. Estrangeiros Residentes no Japão Sobre as Medidas Imediatas (Curto Prazo) de Apoio aos Estrangeiros Residentes no Japão (Tradução Provisória) 30 de janeiro de 2009 Escritório do Gabinete O mercado financeiro e de capitais global passa

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Sua melhor opção em desenvolvimento de sites! Mais de 200 clientes em todo o Brasil. Totalmente compatível com Mobile

APRESENTAÇÃO. Sua melhor opção em desenvolvimento de sites! Mais de 200 clientes em todo o Brasil. Totalmente compatível com Mobile APRESENTAÇÃO Totalmente compatível com Mobile Sua melhor opção em desenvolvimento de sites! Mais de 200 clientes em todo o Brasil APRESENTAÇÃO Muito prazer! Somos uma empresa que presta serviços em soluções

Leia mais

Cartilha de Câmbio. Envio e recebimento de pequenos valores

Cartilha de Câmbio. Envio e recebimento de pequenos valores 2009 Cartilha de Câmbio Envio e recebimento de pequenos valores Apresentação O Banco Central do Brasil criou esta cartilha para orientar e esclarecer você, que precisa negociar moeda estrangeira, sobre

Leia mais

Os sindicatos de professores habituaram-se a batalhar por melhores salários e condições de ensino. Também são caminhos trilhados pelas lideranças.

Os sindicatos de professores habituaram-se a batalhar por melhores salários e condições de ensino. Também são caminhos trilhados pelas lideranças. TEXTOS PARA O PROGRAMA EDUCAR SOBRE A APRESENTAÇÃO DA PEADS A IMPORTÂNCIA SOBRE O PAPEL DA ESCOLA Texto escrito para o primeiro caderno de formação do Programa Educar em 2004. Trata do papel exercido pela

Leia mais

CRESCIMENTO OFERTA LEITOS (%)

CRESCIMENTO OFERTA LEITOS (%) 3.9 Oferta Turística Para análise da oferta turística em Sergipe, o PDITS Costa dos Coqueirais apresenta a evolução da oferta turística no estado no período 1980-2000. Indica ainda o número atual de quartos

Leia mais

RELATÓRIO DA PESQUISA DA QUALIDADE DE VIDA NA CIDADE DE ARACRUZ.

RELATÓRIO DA PESQUISA DA QUALIDADE DE VIDA NA CIDADE DE ARACRUZ. RELATÓRIO DA PESQUISA DA QUALIDADE DE VIDA NA CIDADE DE ARACRUZ. Apresentação Este relatório contém os resultados da 1ª pesquisa de Qualidade de Vida na cidade de Aracruz solicitada pela FACE. O objetivo

Leia mais

Em direção à. Lembre-se de que não é permitido financiar imóveis em áreas não urbanizadas, assim como chácaras e sítios.

Em direção à. Lembre-se de que não é permitido financiar imóveis em áreas não urbanizadas, assim como chácaras e sítios. 24 Dinheiro&Direitos 47 dezembro 2013-janeiro 2014 Bancos Parcelas Em direção à Ilustração: Perkins 1 Tenha em mente o valor da casa ou do apartamento que você deseja comprar. Deve estar de acordo com

Leia mais

Fraternidade e Tráfico Humano: Tráfico Humano é uma Chaga Social

Fraternidade e Tráfico Humano: Tráfico Humano é uma Chaga Social Fraternidade e Tráfico Humano: Tráfico Humano é uma Chaga Social Prof. Casemiro Campos O tráfico de pessoas é uma chaga social. Tem a sua caracterização por se constituir um fenômeno com dimensões complexas

Leia mais

Como saber que meu filho é dependente químico e o que fazer. A importância de todos os familiares no processo de recuperação.

Como saber que meu filho é dependente químico e o que fazer. A importância de todos os familiares no processo de recuperação. Como saber que meu filho é dependente químico e o que fazer A importância de todos os familiares no processo de recuperação. Introdução Criar um filho é uma tarefa extremamente complexa. Além de amor,

Leia mais

Trabalhadores sem fronteiras

Trabalhadores sem fronteiras Trabalhadores sem fronteiras 28 KPMG Business Magazine Autores: Valter Shimidu e Adriana Soares, respectivamente diretor e gerente sênior da área de TAX; Patricia Quintas, sócia da área de International

Leia mais

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos!

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! Documento final aprovado por adolescentes dos Estados do Amazonas, da Bahia, do Ceará, do Mato Grosso,

Leia mais

Patrocínio Institucional Parceria Apoio

Patrocínio Institucional Parceria Apoio Patrocínio Institucional Parceria Apoio InfoReggae - Edição 70 A ONG brasileira está em crise? 06 de fevereiro de 2015 O Grupo AfroReggae é uma organização que luta pela transformação social e, através

Leia mais

Simon Schwartzman. A evolução da educação superior no Brasil diferenças de nível, gênero e idade.

Simon Schwartzman. A evolução da educação superior no Brasil diferenças de nível, gênero e idade. A educação de nível superior superior no Censo de 2010 Simon Schwartzman (julho de 2012) A evolução da educação superior no Brasil diferenças de nível, gênero e idade. Segundo os dados mais recentes, o

Leia mais

Pesquisa sobre o Perfil dos Empreendedores e das Empresas Sul Mineiras

Pesquisa sobre o Perfil dos Empreendedores e das Empresas Sul Mineiras Pesquisa sobre o Perfil dos Empreendedores e das Empresas Sul Mineiras 2012 2 Sumário Apresentação... 3 A Pesquisa Perfil dos Empreendedores Sul Mineiros Sexo. 4 Estado Civil.. 5 Faixa Etária.. 6 Perfil

Leia mais

DA INCUBAÇÃO À ACELERAÇÃO DE NEGÓCIOS: NOVAS ROTAS DE DESENVOLVIMENTO

DA INCUBAÇÃO À ACELERAÇÃO DE NEGÓCIOS: NOVAS ROTAS DE DESENVOLVIMENTO 1 DA INCUBAÇÃO À ACELERAÇÃO DE NEGÓCIOS: NOVAS ROTAS DE DESENVOLVIMENTO Cesar Simões Salim Professor e Autor de livros de empreendedorismo cesar.salim@gmail.com Visite meu blog: http://colecaoempreendedorismo.blogspot.com/

Leia mais

Trabalho apresentado no III Congresso Ibero-americano de Psicogerontologia, sendo de total responsabilidade de seu(s) autor(es).

Trabalho apresentado no III Congresso Ibero-americano de Psicogerontologia, sendo de total responsabilidade de seu(s) autor(es). A QUALIDADE DE VIDA SOB A ÓTICA DAS DINÂMICAS DE MORADIA: A IDADE ENQUANTO UM FATOR DE ACÚMULO DE ATIVOS E CAPITAL PESSOAL DIFERENCIADO PARA O IDOSO TRADUZIDO NAS CONDIÇÕES DE MORADIA E MOBILIDADE SOCIAL

Leia mais

Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas. Núcleo de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas NETP/RS traficodepessoas@ssp.rs.gov.

Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas. Núcleo de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas NETP/RS traficodepessoas@ssp.rs.gov. Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas Núcleo de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas NETP/RS traficodepessoas@ssp.rs.gov.br 51-3288 1936 NETP/RS Secretaria da Segurança Pública do Estado É um dos programas

Leia mais

Educação Financeira PASSATEMPOS. O Paraná Banco traz o assunto de forma divertida para você BOM PRA CABEÇA. Diretox Dominox caça-palavra

Educação Financeira PASSATEMPOS. O Paraná Banco traz o assunto de forma divertida para você BOM PRA CABEÇA. Diretox Dominox caça-palavra Educação Financeira O Paraná Banco traz o assunto de forma divertida para você BOM PRA CABEÇA PASSATEMPOS Diretox Dominox caça-palavra 2 O Paraná Banco propõe um desafio consciente a você! O Paraná Banco,

Leia mais

Redução do Trabalho Infantil e Suas Repercussões no Ceará (2001-2011)

Redução do Trabalho Infantil e Suas Repercussões no Ceará (2001-2011) Enfoque Econômico é uma publicação do IPECE que tem por objetivo fornecer informações de forma imediata sobre políticas econômicas, estudos e pesquisas de interesse da população cearense. Por esse instrumento

Leia mais

UENF Universidade Estadual Do Norte Fluminense. Autora: Aline Viana de Souza

UENF Universidade Estadual Do Norte Fluminense. Autora: Aline Viana de Souza UENF Universidade Estadual Do Norte Fluminense Autora: Aline Viana de Souza O presente trabalho, através da pesquisa realizada com os catadores, tanto de rua como do aterro controlado do município de Campos

Leia mais

A REDE URBANA NO VALE DO PARAÍBA: ESTAGNAÇÃO ECONÔMICA DO MUNÍCIPIO DE REDENÇÃO DA SERRA

A REDE URBANA NO VALE DO PARAÍBA: ESTAGNAÇÃO ECONÔMICA DO MUNÍCIPIO DE REDENÇÃO DA SERRA A REDE URBANA NO VALE DO PARAÍBA: ESTAGNAÇÃO ECONÔMICA DO MUNÍCIPIO DE REDENÇÃO DA SERRA RODRIGO ALEXANDRE PEREIRA CALDERARO 1 e EVÂNIO DOS SANTOS BRANQUINHO 2 calderaro.ro@gmail.com; evanio.branquinho@unifal-mg.edu.br

Leia mais

engenharia de embalagens UMA ABORDAGEM TÉCNICA DO DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE EMBALAGEM Maria Aparecida Carvalho Novatec

engenharia de embalagens UMA ABORDAGEM TÉCNICA DO DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE EMBALAGEM Maria Aparecida Carvalho Novatec engenharia de embalagens UMA ABORDAGEM TÉCNICA DO DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE EMBALAGEM Maria Aparecida Carvalho Novatec capítulo 1 Que é isso, companheiro? Sabíamos que você iria se interessar pelo

Leia mais

Quem somos Em que acreditamos Acreditamos nas pessoas

Quem somos Em que acreditamos Acreditamos nas pessoas Prioridades para 2014-2019 Quem somos Somos o maior grupo político da Europa, orientado por uma visão política de centro-direita. Somos o Grupo do Partido Popular Europeu do Parlamento Europeu. Em que

Leia mais

Jornada de Aprendizado. Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg)

Jornada de Aprendizado. Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg) Jornada de Aprendizado Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg) Promovendo os microsseguros: Educação Financeira Conteúdo

Leia mais

Presenteie parentes ou amigos em qualquer lugar do Brasil.

Presenteie parentes ou amigos em qualquer lugar do Brasil. Compras de Final de Ano Veja as vantagens e como é prático comprar pela internet: Você não sai de casa para comprar; Recebe o produto no conforto do seu lar; Filas? Esqueça; Não precisa bater perna atrás

Leia mais

Nova divisão de classes dos brasileiros

Nova divisão de classes dos brasileiros 1 Olá amigo, Meu nome é Isaac Martins, sou professor e fundador do Instituto Isaac Martins, empresa de consultoria e treinamento que atua na área comercial com foco em televendas. Conheça um pouco mais

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA DIRETRIZ SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA DIRETRIZ SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA DIRETRIZ SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO MAGNA INTERNATIONAL INC. DIRETRIZ SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO Oferecer ou receber presentes e entretenimento é muitas vezes uma

Leia mais

DIREITOS HUMANOS, FEMINISMO E POLÍTICAS PÚBLICAS DE GÊNERO: APLICABILIDADE DA LEI Nº 11.340/06 EM CAMPINA GRANDE/PB

DIREITOS HUMANOS, FEMINISMO E POLÍTICAS PÚBLICAS DE GÊNERO: APLICABILIDADE DA LEI Nº 11.340/06 EM CAMPINA GRANDE/PB DIREITOS HUMANOS, FEMINISMO E POLÍTICAS PÚBLICAS DE GÊNERO: APLICABILIDADE DA LEI Nº 11.340/06 EM CAMPINA GRANDE/PB (ASFORA, R. V. S.) - Raphaella Viana Silva Asfora/Autora ¹ Escola Superior da Magistratura

Leia mais

A IMPORTÃNCIA DO CAPITAL DE GIRO E ALGUMAS SOLUÇÕES PARA O PROBLEMA DE CAPITAL DE GIRO

A IMPORTÃNCIA DO CAPITAL DE GIRO E ALGUMAS SOLUÇÕES PARA O PROBLEMA DE CAPITAL DE GIRO A IMPORTÃNCIA DO CAPITAL DE GIRO E ALGUMAS SOLUÇÕES PARA O PROBLEMA DE CAPITAL DE GIRO Este artigo cientifico, apresenta de maneira geral e simplificada, a importância do capital de giro para as empresas,

Leia mais

Relatório da Pessoa Idosa

Relatório da Pessoa Idosa Relatório da Pessoa Idosa 2012 O Relatório da Pessoa Idosa 2012, com base nos dados de 2011, se destina à divulgação dos dados de criminalidade contra a pessoa idosa (idade igual ou superior a 60 anos),

Leia mais

SUMÁRIO. Localidades da pesquisa, amostra e entrevistas realizadas por Área de Planejamento AP s 2. Caracterização do entrevistado sem carteira 04

SUMÁRIO. Localidades da pesquisa, amostra e entrevistas realizadas por Área de Planejamento AP s 2. Caracterização do entrevistado sem carteira 04 Pesquisa de Opinião Pública sobre as Campanhas Educativas para o Trânsito & da I m a g e m I n s t i t u c i o n a l da CET- RIO Relatório de Pesquisa 2008 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 03 PRINCIPAIS RESULTADOS

Leia mais

1- CONTRATO DE TRABALHO

1- CONTRATO DE TRABALHO 1- CONTRATO DE TRABALHO 1.1 - ANOTAÇÕES NA CARTEIRA DE TRABALHO Quando o empregado é admitido - mesmo em contrato de experiência -, a empresa tem obrigatoriamente que fazer as anotações na carteira de

Leia mais

MATERNIDADE NA ADOLESCÊNCIA

MATERNIDADE NA ADOLESCÊNCIA MATERNIDADE NA ADOLESCÊNCIA Autor: Marusa Fernandes da Silva marusafs@gmail.com Orientadora: Profª. Ms. Mônica Mª N. da Trindade Siqueira Universidade de Taubaté monica.mnts@uol.com.br Comunicação oral:

Leia mais

coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - u s a r Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - u s a r Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - Sou so profes r a, Posso m a s n ão parar d aguento m e ai ensinar s? d a r a u la s Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. A

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Abril 2012

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Abril 2012 Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Abril 2012 O RISCO DOS DISTRATOS O impacto dos distratos no atual panorama do mercado imobiliário José Eduardo Rodrigues Varandas Júnior

Leia mais

Conheça a trajetória da empresa no Brasil através desta entrevista com o Vice- Presidente, Li Xiaotao.

Conheça a trajetória da empresa no Brasil através desta entrevista com o Vice- Presidente, Li Xiaotao. QUEM É A HUAWEI A Huawei atua no Brasil, desde 1999, através de parcerias estabelecidas com as principais operadoras de telefonia móvel e fixa no país e é líder no mercado de banda larga fixa e móvel.

Leia mais

TRANSFORMANDO OPORTUNIDADES EM RESULTADOS:

TRANSFORMANDO OPORTUNIDADES EM RESULTADOS: TRANSFORMANDO OPORTUNIDADES EM RESULTADOS: O Médio Vale do Itajaí é uma das regiões mais desenvolvidas de SC. Um fator primordial para esse potencial econômico é a sua tradição industrial, que faz com

Leia mais

Orçamento Use o Dinheiro com Sabedoria

Orçamento Use o Dinheiro com Sabedoria Orçamento Use o Dinheiro com Sabedoria Use o Dinheiro com Sabedoria Serasa Experian e Educação Financeira O Programa Serasa Experian de Educação Financeira Sonhos Reais é uma iniciativa que alia o conhecimento

Leia mais

OS NEGROS NO MERCADO DE TRABALHO

OS NEGROS NO MERCADO DE TRABALHO OS NEGROS NO MERCADO DE TRABALHO DO DISTRITO FEDERAL Novembro de 2010 OS NEGROS NO MERCADO DE TRABALHO E O ACESSO AO SISTEMA PÚBLICO DE EMPREGO, TRABALHO E RENDA Em comemoração ao Dia da Consciência Negra

Leia mais

Setores químico e petroquímico: as características dos produtos determinam a logística correta -

Setores químico e petroquímico: as características dos produtos determinam a logística correta - Setores químico e petroquímico: as características dos produtos determinam a logística correta - Setores onde um erro pode acarretar sérios danos ao meio ambiente, às pessoas e as próprias instalações

Leia mais

TEMA: O LÚDICO NA APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA

TEMA: O LÚDICO NA APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA TEMA: O LÚDICO NA APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA RESUMO Os educadores têm se utilizado de uma metodologia Linear, que traz uma característica conteudista; É possível notar que o Lúdico não se limita

Leia mais

A PROBLEMÁTICA DA MÃO-DE-OBRA ESTRANGEIRA NO BRASIL E SUAS IMPLICAÇÕES

A PROBLEMÁTICA DA MÃO-DE-OBRA ESTRANGEIRA NO BRASIL E SUAS IMPLICAÇÕES A PROBLEMÁTICA DA MÃO-DE-OBRA ESTRANGEIRA NO BRASIL E SUAS IMPLICAÇÕES Maria Carolina Matias Morales Toda a regulamentação existente em torno da contratação de mão de obra estrangeira para trabalho em

Leia mais

CARTILHA EXPLICATIVA... 2 FUNDO PARANÁ... 3 PATRIMÔNIO... 4 SEGURANÇA... 4 BENEFÍCIO FISCAL... 5 ASFUNPAR... 6 PLANO DENTALUNIPREV...

CARTILHA EXPLICATIVA... 2 FUNDO PARANÁ... 3 PATRIMÔNIO... 4 SEGURANÇA... 4 BENEFÍCIO FISCAL... 5 ASFUNPAR... 6 PLANO DENTALUNIPREV... ÍNDICE CARTILHA EXPLICATIVA... 2 FUNDO PARANÁ... 3 PATRIMÔNIO... 4 SEGURANÇA... 4 BENEFÍCIO FISCAL... 5 ASFUNPAR... 6 PLANO DENTALUNIPREV... 7 CONHEÇA O PLANO DENTALUNIPREV... 8 PARTICIPANTES... 9 Participante

Leia mais

Família. Escola. Trabalho e vida econômica. Vida Comunitária e Religião

Família. Escola. Trabalho e vida econômica. Vida Comunitária e Religião Família Qual era a profissão dos seus pais? Como eles conciliavam trabalho e família? Como era a vida de vocês: muito apertada, mais ou menos, ou viviam com folga? Fale mais sobre isso. Seus pais estudaram

Leia mais

ACORDO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL ENTRE O JAPÃO E A REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL

ACORDO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL ENTRE O JAPÃO E A REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL ACORDO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL ENTRE O JAPÃO E A REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL O Japão e a República Federativa do Brasil, Desejosos de regular suas relações mútuas na área de Previdência Social, Acordaram

Leia mais

SECRETARIA DA JUSTIÇA E DA DEFESA DA CIDADANIA FUNDAÇÃO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR DIRETORIA DE ESTUDOS E PESQUISAS

SECRETARIA DA JUSTIÇA E DA DEFESA DA CIDADANIA FUNDAÇÃO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR DIRETORIA DE ESTUDOS E PESQUISAS Resultados dos estudos sobre a redução de taxas de juros praticadas por bancos públicos e privados. Orientações aos consumidores. Face aos diversos anúncios de redução de juros veiculados na mídia a partir

Leia mais

Manual do Cliente Às vezes é difícil decidir se sua empresa precisa de um serviço profissional de tradução.

Manual do Cliente Às vezes é difícil decidir se sua empresa precisa de um serviço profissional de tradução. Manual do Cliente Às vezes é difícil decidir se sua empresa precisa de um serviço profissional de tradução. Neste guia você vai encontrar informações importantes sobre o que buscar em uma empresa de tradução

Leia mais

Motivos de transferência do negócio por parte dos franqueados

Motivos de transferência do negócio por parte dos franqueados Motivos de transferência do negócio por parte dos franqueados Por Maria Teresa Somma Com o intuito de entender os motivos que levam franqueados a transferir o seu negócio, foi realizada uma pesquisa exploratória

Leia mais

TAG 4/2010 STC-6. Trabalho realizado por: Vera Valadeiro, nº 20

TAG 4/2010 STC-6. Trabalho realizado por: Vera Valadeiro, nº 20 TAG 4/2010 STC-6 Trabalho realizado por: Vera Valadeiro, nº 20 1 Índice Introdução A Migração As Diversas Formas de migração humana As Causas ou motivos de migração humana Os grandes fluxos de migratórios

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler

Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler 2 Introdução A política corporativa de RH da Schindler define as estratégias relacionadas às ações para com seus colaboradores; baseia-se na Missão e nos

Leia mais

FUNDAÇÃO NACIONAL PARA A DEMOCRACIA DIRETRIZES DA PROPOSTA DIRETRIZ ADICIONAL

FUNDAÇÃO NACIONAL PARA A DEMOCRACIA DIRETRIZES DA PROPOSTA DIRETRIZ ADICIONAL Utilize este documento como uma ajuda adicional para escrever um orçamento ou narrativa da proposta. Se tiver outras perguntas, queria enviar um email à equipe regional do NED apropriada ou para proposals@ned.org.

Leia mais

PROGRAMA: A FAMÍLIA (1º ano do 1º ciclo)

PROGRAMA: A FAMÍLIA (1º ano do 1º ciclo) PROGRAMA: A FAMÍLIA (1º ano do 1º ciclo) Duração: 5 Sessões (45 minutos) Público-Alvo: 6 a 7 anos (1º Ano) Descrição: O programa A Família é constituído por uma série de cinco actividades. Identifica o

Leia mais

Uso de Equipamentos de Informática e Telecomunicações

Uso de Equipamentos de Informática e Telecomunicações O SETOR SERVIÇOS DO ESTADO DO ACRE Estrutura Características Setoriais e Regionais A Paer pesquisou as unidades locais, com mais de 20 pessoas ocupadas, do setor serviços do, constatando a presença de

Leia mais

Revista EXAME: As 10 armadilhas da Previdência Complementar

Revista EXAME: As 10 armadilhas da Previdência Complementar Revista EXAME: As 10 armadilhas da Previdência Complementar Os fundos de previdência privada, sejam fechados ou abertos, têm características próprias e vantagens tributárias em relação aos investimentos

Leia mais

Uma empresa é viável quando tem clientes em quantidade e com poder de compra suficiente para realizar vendas que cubram as despesas, gerando lucro.

Uma empresa é viável quando tem clientes em quantidade e com poder de compra suficiente para realizar vendas que cubram as despesas, gerando lucro. Página 1 de 9 2. Análise de Mercado 2.1 Estudo dos Clientes O que é e como fazer? Esta é uma das etapas mais importantes da elaboração do seu plano. Afinal, sem clientes não há negócios. Os clientes não

Leia mais

A todos os cidadãos de nacionalidade estrangeira

A todos os cidadãos de nacionalidade estrangeira A todos os cidadãos de nacionalidade estrangeira Novo sistema de controle de permanência O atual sistema de registro de estrangeiro ( Gaijin-Toroku ) será abolido no dia 9 de julho de 2012, sendo assim

Leia mais

Administrando o Fluxo de Caixa

Administrando o Fluxo de Caixa Administrando o Fluxo de Caixa O contexto econômico do momento interfere no cotidiano das empresas, independente do seu tamanho mercadológico e, principalmente nas questões que afetam diretamente o Fluxo

Leia mais

Condomínios mais Seguros

Condomínios mais Seguros Condomínios mais Seguros Palestra ministrada pelo Capitão Yasui Comandante da 2ª Companhia do 49º Batalhão de Polícia Militar. 13/04/2011 Formulado por um grupo de trabalho composto por policiais civis

Leia mais

VALE ALIMENTAÇÃO PARA FUNCIONÁRIOS

VALE ALIMENTAÇÃO PARA FUNCIONÁRIOS Prezados Senhores, Ref. VALE ALIMENTAÇÃO PARA FUNCIONÁRIOS A Associação Comercial de Ilhabela está disponibilizando para as empresas da cidade, que fornecem para seus funcionários cestas básicas (ou vale-alimentação),

Leia mais

COMO ESCOLHER O NEGÓCIO DE MARKETING MULTINÍVEL QUE MAIS COMBINA COM SEU PERFIL

COMO ESCOLHER O NEGÓCIO DE MARKETING MULTINÍVEL QUE MAIS COMBINA COM SEU PERFIL 1 COMO ESCOLHER O NEGÓCIO DE MARKETING MULTINÍVEL QUE MAIS COMBINA COM SEU PERFIL Celso Silva 2 Sobre o autor Celso Silva é nascido no Rio de Janeiro, em 24 de fevereiro de 1950. Aos 17 anos ingressou

Leia mais

Informações Gerais sobre Vistos Passo a Passo

Informações Gerais sobre Vistos Passo a Passo Informações Gerais sobre Vistos Passo a Passo Se você planeja viajar aos Estados Unidos e precisa solicitar o visto pela primeira vez ou quer renovar um visto que ainda esteja válido ou que tenha expirado

Leia mais

SAIBA TUDO SOBRE O PLANO III DE PREVIDÊNCIA PRIVADA!

SAIBA TUDO SOBRE O PLANO III DE PREVIDÊNCIA PRIVADA! SAIBA TUDO SOBRE O PLANO III DE PREVIDÊNCIA PRIVADA! Prezado participante, 2 Brasil Foods Sociedade de Previdência Privada Cartilha Plano III Um dos grandes objetivos da política de recursos humanos de

Leia mais

Manual de GUIA PRÁTICO ADOÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P. ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/13

Manual de GUIA PRÁTICO ADOÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P. ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/13 Manual de GUIA PRÁTICO ADOÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/13 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Adoção (32 V4.08) PROPRIEDADE Instituto da Segurança Social,

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico Análise externa Roberto César 1 A análise externa tem por finalidade estudar a relação existente entre a empresa e seu ambiente em termos de oportunidades e ameaças, bem como a

Leia mais

Introdução: Código de Conduta Corporativa

Introdução: Código de Conduta Corporativa Transporte Excelsior Ltda Código de Conduta Corporativa Introdução: A Transporte Excelsior através desse Código Corporativo de Conduta busca alinhar e apoiar o cumprimento de nossa Missão, Visão e Valores,

Leia mais