Indústria da Construção Civil:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Indústria da Construção Civil:"

Transcrição

1 Indústria da Construção Civil: Introdução Industria da Construção Civil 1 Construção Civil A construção civil divide-se em três subsetores: 1. edificações, responsável pela construção de edifícios; 2. construção pesada, que objetiva a construção de infraestrutura de transportes, energia, telecomunicações e saneamento; 3. e montagem industrial, responsável pela montagem de estruturas metálicas nos vários setores industriais, sistemas de geração de energia, de comunicações e de exploração de recursos naturais. (Vieira, 2006) Industria da Construção Civil 2 Construção Civil É uma indústria? Indústria: toda atividade humana que, através do trabalho, transforma matéria-prima em outros produtos, que em seguida podem ser, ou não, comercializados. Industria da Construção Civil 3 1

2 Industrialização da Construção Civil É o emprego, de forma racional e mecanizada, de materiais, meios de transporte e técnicas construtivas, para se conseguir uma maior produtividade. Instituto Eduardo Torroja de la Construcción y del Cemento Industria da Construção Civil 4 Unidade Nacional da Construção - UNC Industria da Construção Civil A indústria da construção civil é composta por inúmeras empresas de ramos diversificados, como fornecedores de: materiais; projetos; serviços; mão de obra e engenharia. Cada ramo destas organizações possuem estruturas distintas, que buscam um objetivo comum, entregar algum produto ou serviço que seja necessário para o processo produtivo da construção como um todo. (ETCHALUS et al., 2006). Industria da Construção Civil 5 Unidade Nacional da Construção - UNC Industria da Construção Civil A indústria da construção civil é composta por inúmeras empresas de ramos diversificados, como fornecedores de: materiais; projetos; serviços; mão de obra e engenharia. Cada ramo destas organizações possuem estruturas distintas, que buscam um objetivo comum, entregar algum produto ou serviço que seja necessário para o processo produtivo da construção como um todo. (ETCHALUS et al., 2006). Profª Industria Christiane da Construção Krainer Civil 6 2

3 Tem sido considerada uma indústria atrasada quando comparada a outros ramos industriais!!! Baixa produtividade Grande desperdício Baixo controle de qualidade Morosidade Industria da Construção Civil 7 O macrossetor da Construção Civil representando em torno de 20% do PIB brasileiro (CBIC, 2010). Segundo Nascimento e Santos, 2003: é um dos setores menos desenvolvidos e mais tradicionais da indústria brasileira e mundial. A indústria é caracterizada pelo conservadorismo e tradicionalismo. Industria da Construção Civil 8 Segundo Tortato, 2007: baixa produtividade ocorrência de problemas de qualidade de produtos intermediários e finais da cadeia produtiva elevados custos de correções e manutenção pós-entrega; falta de estímulo ao uso de componentes industrializados devido à alta incidência de impostos falta de conhecimento do mercado consumidor em relação as suas necessidades em termos de produto a ser ofertado Industria da Construção Civil 9 3

4 Segundo Tortato, 2007: falta de capacitação técnica dos agentes da cadeia produtiva para a gestão da produção com base em conceitos e ferramentas que incorporem as novas exigências de qualidade, competitividade custos e a incapacidade dos agentes em fazer uma análise correta das tendências de mercado, cenários econômicos futuros e identificação de novas oportunidades de crescimento. Industria da Construção Civil 10 Para Vieira (2006), o processo produtivo apresenta: descumprimento de prazos, improvisação, retrabalhos, perdas, desperdícios, baixa produtividade e qualidade Industria da Construção Civil 11 Conforme o Programa da Construção Civil, do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, a situação atual do setor da construção civil nos anos de 2008 e 2009 apresenta-se como: forte expansão do mercado brasileiro; entrada de empresas de construção no mercado de capitais; recomposição de fontes de financiamento: do mercado de capitais para o bancário (especialmente público); presença significativa de informalidade e baixa qualificação de mão de obra; Industria da Construção Civil 12 4

5 presença significativa de trabalho informal e de baixa qualificação; elevada demanda reprimida no segmento habitacional e de infraestrutura; execução do PAC e do Programa Habitacional; e em curso processo concentração de mercado. Industria da Construção Civil 13 É uma Industria? Sim Isso torna o projeto da fábrica mais complexo Seriada? Geralmente não!!! Industria da Construção Civil 14 Peculiaridades na construção civil: Natureza única dos projetos (one-of-a-kind); Multi organização temporária; Produção in loco. Processo por Projeto! Industria da Construção Civil 15 5

6 Fonte: Koskela (1992) Industria da Construção Civil 16 Por que geralmente não?????? Fábrica de Pré-moldados Fábrica de cimento Depende da escala de produção Depende do tipo de elemento fabricado São seriadas!!! Industria da Construção Civil 17 Indústria da Construção Civil - Dificuldades O que é a fábrica? Canteiro de obras É preciso projetar a fabrica - Canteiro? SIM!!! Industria da Construção Civil 18 6

7 Indústria da Construção Civil - Dificuldades Dificuldades para Projetar o Canteiro: 1 - Produto fica e a fábrica sai Indústria de automóveis permanece no mesmo lugar durante anos produzindo o mesmo produto Na Construção Civil o produto é finalizado (um só) e a fábrica é desmobilizada. Industria da Construção Civil 19 Indústria da Construção Civil - Dificuldades Dificuldades para Projetar o Canteiro: 2 - Faz-se uso intensivo de mão-de-obra Baixos salários favorecem o uso de grande quantidade de operários. Isso torna a concepção do processo construtivo e áreas de vivência mais complexa. Industria da Construção Civil 20 Indústria da Construção Civil - Dificuldades Dificuldades para Projetar: 3 - As especificações (projetos) são menos detalhadas É mais difícil conceber uma fábrica se o produto e/ou o processo não foram detalhadamente concebidos. 4 - Seriam necessários diferentes projetos de fábrica para um único produto As atividades mudam ao longo do tempo. Escavações / Fundações / Estrutura / Alvenarias / Revestimentos (praticamente feito pelo mesmo profissional). Industria da Construção Civil 21 7

8 Indústria da Construção Civil O Produto Pontes e viadutos Estradas Obras de contenção Obras de saneamento Casas Edifícios Barragens Outros Industria da Construção Civil 22 FUNDAÇÕES Sapatas Industria da Construção Civil 23 FUNDAÇÕES Estacas Industria da Construção Civil 24 8

9 ELEMENTOS PORTANTES (SUPRAESTRUTURAS) Pilares Vigas Industria da Construção Civil 25 ELEMENTOS PORTANTES Alvenaria estrutural Industria da Construção Civil 26 PAREDES E PAINÉIS Paredes Industria da Construção Civil 27 9

10 PAREDES E PAINÉIS Divisórias Industria da Construção Civil 28 ESQUADRIAS Portas e janelas Industria da Construção Civil 29 REVESTIMENTOS E PROTEÇÕES Fôrros Revestimentos Impermeabilização Industria da Construção Civil 30 10

11 REVESTIMENTOS Externos Industria da Construção Civil 31 REVESTIMENTOS Texturas e Pinturas Industria da Construção Civil 32 COBERTURAS Lajes Telhados Industria da Construção Civil 33 11

12 ELEMENTOS PORTANTES Alvenaria estrutural Industria da Construção Civil 34 INSTALAÇÕES COMPLEMENTARES Louças e metais sanitário Sistemas de conforto térmico ativo Instalações elétricas Instalações Hidro-sanitárias Sistema de segurança e controle (Câmaras, alarmes, sensores) Segurança contra incêndio Sistema de comunicação (telefonia, internet) Industria da Construção Civil 35 SISTEMAS DE TRANSPORTE E CIRCULAÇÃO Escadas Escada rolante Industria da Construção Civil 36 12

13 SISTEMAS DE TRANSPORTE E CIRCULAÇÃO Escadas Escada rolante Industria da Construção Civil 37 SISTEMAS DE TRANSPORTE E CIRCULAÇÃO Rampas Corredores Elevadores Industria da Construção Civil 38 TRABALHO Resenha do texto: 9. Construção civil no Brasil: investimentos e desafios Perspectivas de Crescimento BNDES Individual Prazo de entrega: dia 15/08. Industria da Construção Civil 39 13

Disciplina: Engenharia Civil Integrada

Disciplina: Engenharia Civil Integrada Disciplina: Engenharia Civil Integrada Aula 01 Indústria da Construção Civil Professora: Engª Civil Moema Castro, MSc. Notas de aula (bibliografia consultada) do Prof. Dr. Marcelo Medeiros UFPR 2016. É

Leia mais

1. EVOLUÇÃO DA CONSTRUÇÃO INDUSTRIALIZADA

1. EVOLUÇÃO DA CONSTRUÇÃO INDUSTRIALIZADA 1. EVOLUÇÃO DA CONSTRUÇÃO INDUSTRIALIZADA 1.1 INTRODUÇÃO As construções são diferenciadas uma das outras por suas características. Essas características são classificadas quanto a: 1 - localização; 2 -

Leia mais

MANUAL DE OBRAS DE SANEAMENTO MOS 3ª EDIÇÃO

MANUAL DE OBRAS DE SANEAMENTO MOS 3ª EDIÇÃO 3ª EDIÇÃO ÍNDICE GERAL P/ 1/5 0 DISPOSIÇÕES GERAIS DEFINIÇÃO, ORÇAMENTO... 2/39 CONTRATO, SUBCONTRATAÇÃO... 6/39 PRAZO DE EXECUÇÃO, GARANTIA DE SERVIÇO... 7/39 INST. DA OBRA, PESSOAL DA CONTRATADA... 8/39

Leia mais

ASPECTOS DE DESEMPENHO DOS SISTEMAS DE REVESTIMENTOS DE FACHADAS. Enga. Célia Maria Martins Neves DESEMPENHO

ASPECTOS DE DESEMPENHO DOS SISTEMAS DE REVESTIMENTOS DE FACHADAS. Enga. Célia Maria Martins Neves DESEMPENHO ASPECTOS DE DESEMPENHO DOS SISTEMAS DE REVESTIMENTOS DE FACHADAS Enga. Célia Maria Martins Neves cneves@superig.com.br DESEMPENHO 1 70 80 90 materiais tradicionais mdo treinada no canteiro desafios localizados

Leia mais

PRIDE IPIRANGA RELATÓRIO DE ANDAMENTO DAS OBRAS PERÍODO JANEIRO E FEVEREIRO DE 2017

PRIDE IPIRANGA RELATÓRIO DE ANDAMENTO DAS OBRAS PERÍODO JANEIRO E FEVEREIRO DE 2017 PERÍODO JANEIRO E FEVEREIRO DE 2017 Andamento das Obras Realizado Serviços concluídos até 28/02/2017 Instalações hidráulicas nos subsolos, barrilete superior e em todas as unidades residenciais e áreas

Leia mais

Perspectivas de Mercado de Trabalho para o Engenheiro Civil. Professora: Eng. Civil Msc. Mayara Moraes

Perspectivas de Mercado de Trabalho para o Engenheiro Civil. Professora: Eng. Civil Msc. Mayara Moraes Perspectivas de Mercado de Trabalho para o Engenheiro Civil Professora: Eng. Civil Msc. Mayara Moraes NÚMEROS NACIONAIS 1.1 Milhões Profissionais A indústria da engenharia Importância econômica do setor:

Leia mais

PRIDE IPIRANGA RELATÓRIO DE ANDAMENTO DA OBRA PERÍODO JANEIRO E FEVEREIRO DE 2016

PRIDE IPIRANGA RELATÓRIO DE ANDAMENTO DA OBRA PERÍODO JANEIRO E FEVEREIRO DE 2016 RELATÓRIO DE ANDAMENTO DA OBRA PERÍODO JANEIRO E FEVEREIRO DE 2016 Andamento das Obras Civis Serviços concluídos até 12/02/16: Estacas Escavadas são as paredes de concreto com profundidade de 11 metros

Leia mais

Relatório de Acompanhamento LIGIA DE PAULA. 01º Mês Gerado em 08/12/2015

Relatório de Acompanhamento LIGIA DE PAULA. 01º Mês Gerado em 08/12/2015 01º Mês Gerado em 08/12/2015 Acompanhamento de Serviços Mobilização: 8 Preliminares: 8 Fundações: Estrutura: Cobertura: Divisórias: Revestimentos: Mármores e granitos: Esquadrias: Pintura: Instalações:

Leia mais

02 CARACTERÍSTICAS DA CONSTRUÇÃO INDUSTRIALIZADA -ASPECTOS FUNDAMENTAIS -

02 CARACTERÍSTICAS DA CONSTRUÇÃO INDUSTRIALIZADA -ASPECTOS FUNDAMENTAIS - 02 CARACTERÍSTICAS DA CONSTRUÇÃO INDUSTRIALIZADA -ASPECTOS FUNDAMENTAIS - AULA PASSADA Diferenciação das construções com relação as suas características (localização, uso, material, processo produtivo)

Leia mais

LAJES PRÉ-FABRICADAS

LAJES PRÉ-FABRICADAS LAJES PRÉ-FABRICADAS OLIVEIRA, Breno Augusto Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva RESUMO Desde o inicio das construções de concreto, enfrentamos alguns problemas na construção de lajes,

Leia mais

São Paulo, 11 de setembro de 2013

São Paulo, 11 de setembro de 2013 lhceotto@tishmanspeyer.com.br São Paulo, 11 de setembro de 2013 Temos as melhores condições de mercado desde Pedro Álvares Cabral Juízo na condução da política econômica; Visão da importância da solução

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina ECV370 Construção Civil I

Programa Analítico de Disciplina ECV370 Construção Civil I 0 Programa Analítico de Disciplina Campus Rio Paranaíba - Campus Rio Paranaíba Número de créditos: 4 Teóricas Práticas Total Duração em semanas: 15 Carga horária semanal 2 2 4 Períodos - oferecimento:

Leia mais

WWW.PAINEISTERMOISOLANTES.COM.BR Sistema construtivo industrializado alinhado aos critérios da norma de desempenho para empreendimentos habitacionais Giovani Oliveira Gerente do Segmento Revestimentos

Leia mais

INSTITUTO SENAI DE INOVAÇÃO CENTRO EMPRESARIAL DE DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO DA INDÚSTRIA ELÉTRICA E ELETRÔNICA

INSTITUTO SENAI DE INOVAÇÃO CENTRO EMPRESARIAL DE DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO DA INDÚSTRIA ELÉTRICA E ELETRÔNICA INSTITUTO SENAI DE INOVAÇÃO CENTRO EMPRESARIAL DE DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO DA INDÚSTRIA ELÉTRICA E ELETRÔNICA Propriedade: SENAI Área: 217 mil metros quadrados Jan/2015 Mai/2016 Set/2016 Mai/2016 Mai/2016

Leia mais

PRIDE IPIRANGA RELATÓRIO DE ANDAMENTO DAS OBRAS PERÍODO MARÇO A MAIO DE 2017

PRIDE IPIRANGA RELATÓRIO DE ANDAMENTO DAS OBRAS PERÍODO MARÇO A MAIO DE 2017 PERÍODO MARÇO A MAIO DE 2017 Andamento das Obras Serviços concluídos até 31/05/2017 Fachadas Instalações hidráulicas, elétricas, interfones, alarme de incêndio, sistema de monitoramento e controle de acesso;

Leia mais

3. Estruturas pré fabricadas de concreto armado: fabricação e montagem

3. Estruturas pré fabricadas de concreto armado: fabricação e montagem 3. Estruturas pré fabricadas de concreto armado: fabricação e montagem www.projepar.com.br/imagens/prefabricados_foto1.gif Prof a. Ph.D. Jamilla Lutif Teixeira Jamilla.teixeira@ufes.br SUMÁRIO 3.1 INTRODUÇÃO

Leia mais

PRIDE IPIRANGA RELATÓRIO DE ANDAMENTO DA OBRA PERÍODO JANEIRO E FEVEREIRO DE 2016

PRIDE IPIRANGA RELATÓRIO DE ANDAMENTO DA OBRA PERÍODO JANEIRO E FEVEREIRO DE 2016 RELATÓRIO DE ANDAMENTO DA OBRA PERÍODO JANEIRO E FEVEREIRO DE 2016 Andamento das Obras Civis Serviços concluídos até 29/02/16: Estacas Escavadas são as paredes de concreto, composta por estacas executadas

Leia mais

EDITAL DE LICITAÇÃO TOMADA DE PREÇO Nº 2/2016

EDITAL DE LICITAÇÃO TOMADA DE PREÇO Nº 2/2016 Page 1 of 10 Sub. Qtde. Unid. Descrição Marca/Modelo Valor Valor Total 1 1,00 UN INSTALAÇÃO DA OBRA Valor de Referência: 612,55000 1 2,50 M2 PLACA DE OBRA 2,00 m x 1,25 m Valor de Referência: 245,02000

Leia mais

SISTECCON. Sistema Tecnológico de Construção Ltda. Formas plásticas modulares

SISTECCON. Sistema Tecnológico de Construção Ltda. Formas plásticas modulares SISTECCON Sistema Tecnológico de Construção Ltda. Formas plásticas modulares Empresa de base tecnológica com sede em Pelotas/RS, voltada a construção seriada, em grande escala, de casas, edifícios e indústrias,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA DAS BARREIRAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA DAS BARREIRAS PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA DAS BARREIRAS PROJETO DE CONSTRUÇÃO DE GINÁSIO POLIESPORTIVO LOCAL: SEDE DO MUNICÍPIO MEMORIAL DESCRITIVO SANTA MARIA DAS BARREIRAS 2015 1 MEMORIAL DESCRITIVO 1- APRESENTAÇÃO

Leia mais

BIM BUILDING INFORMATION MODELING. Eng. Paulo Sanchez

BIM BUILDING INFORMATION MODELING. Eng. Paulo Sanchez BIM BUILDING INFORMATION MODELING Eng. Paulo Sanchez CBIC - Responsável Desenvolvimento BIM V.P. Tecnologia e Qualidade SINDUSCON SP Diretor de Engenharia Sinco Engenharia 30 Anos no mercado da construção

Leia mais

Aços Longos. Soluções Lajes

Aços Longos. Soluções Lajes Aços Longos Soluções Lajes Soluções Lajes Entre os desafios da engenharia civil, o sistema construtivo de lajes deve atender à eficiência estrutural, visando a soluções seguras, economicamente viáveis

Leia mais

RESIDENCIAL NOVO CAMPECHE

RESIDENCIAL NOVO CAMPECHE RESIDENCIAL NOVO CAMPECHE MEMÓRIA DESCRITIVA RESIDÊNCIA NOVO CAMPECHE 3 Residência unifamiliar, com 158,88 m2 de área construída, 2 pisos, arquitetura contemporânea de alto padrão, implantada em terreno

Leia mais

Gerenciamento da Construção Civil

Gerenciamento da Construção Civil Gerenciamento da Construção Civil FSP - Faculdade Sudoeste Paulista Departamento. Engenharia Civil ENGª. M.Sc. Ana Lúcia de Oliveira Daré Cap. 5 - ORÇAMENTAÇÃO ORÇAMENTO DE OBRAS O que é? É um instrumento

Leia mais

SISTEMA CONSTRUTIVO EM STELL FRAME FICHA CATALOGRÁFICA-4 DATA: DEZEMBRO/2010.

SISTEMA CONSTRUTIVO EM STELL FRAME FICHA CATALOGRÁFICA-4 DATA: DEZEMBRO/2010. Tecnologias, sistemas construtivos e tipologias para habitações de interesse social em reassentamentos. SISTEMA CONSTRUTIVO EM STELL FRAME FICHA CATALOGRÁFICA-4 DATA: DEZEMBRO/2010. Tecnologias, sistemas

Leia mais

Rua Rui Frazao Soares, 81 - Ala Belize, Sala 204/205 - Barra da Tijuca - RJ Tel.: Pág.

Rua Rui Frazao Soares, 81 - Ala Belize, Sala 204/205 - Barra da Tijuca - RJ Tel.: Pág. Rio de Janeiro, 04 de Abril de 2016 Segunda Feira Tempo estável Continuidade no trabalho de escavação Sendo executado estruturas de canteiro tais como: banheiro, vestiário e depósito de cimento Arrumação

Leia mais

1 Desempenho Lumínico

1 Desempenho Lumínico Desempenho Lumínico 1 2 Desempenho Lumínico 11.1 - Níveis requeridos de iluminância natural - processo de simulação CRIT 13.2.1 - PT 1 Contando unicamente com iluminação natural, os níveis gerais de iluminância

Leia mais

RELATÓRIO FOTOGRÁFICO MÊS: Outubro / 2013

RELATÓRIO FOTOGRÁFICO MÊS: Outubro / 2013 RELATÓRIO FOTOGRÁFICO MÊS: Outubro / 2013 OBRA: RESERVA DA LAGOA Informações da Obra: Att. Aos clientes do Reserva da Lagoa A Iguatemi Construções Ltda. tem a satisfação de informar aos nossos clientes

Leia mais

Arte final da fachada frontal em execução.

Arte final da fachada frontal em execução. Arte final da fachada frontal em execução. Arte final da fachada posterior em execução. Detalhe do pórtico da fachada frontal em pedra (Mármore ou granito). São Paulo, 28 de abril de 2017. 14. Informativo

Leia mais

RESIDÊNCIA NOVO CAMPECHE

RESIDÊNCIA NOVO CAMPECHE RESIDÊNCIA NOVO CAMPECHE MEMÓRIAL DESCRITIVO RESIDÊNCIA NOVO CAMPECHE Residência unifamiliar, com 150 m2 de área construída, 2 pisos, arquitetura contemporânea de alto padrão, implantada em terreno com

Leia mais

Construa a casa dos seus sonhos com a Yellowbrick Houses

Construa a casa dos seus sonhos com a Yellowbrick Houses Construa a casa dos seus sonhos com a Yellowbrick Houses 1 Quem é a Yellowbrick Houses Somos uma incorporadora atuando no mercado de casas residenciais em Alphaville/Tamboré desde 2009 Nossos diferenciais:

Leia mais

Indústria da Construção Civil

Indústria da Construção Civil Indústria da Construção Civil Grupo de Materiais de Construção 1 Construção Civil É uma indústria? Indústria: toda atividade humana que, através do trabalho, transforma matéria-prima em outros produtos,

Leia mais

Posição solar Posição solar Posição solar DESCRIÇÃO AMBIENTE ESPECIFICAÇÃO Alvenaria Geral Alvenarias com dimensões conforme projeto Cobertura Lajes de forro Laje impermeabilizada ou telhado

Leia mais

As lajes e seus valores agregados

As lajes e seus valores agregados As lajes e seus valores agregados Por Heloisa Amorim de Medeiros Junto com as mudanças na maneira de construir, influenciada principalmente pela industrialização e racionalização do processo construtivo,

Leia mais

12 INFORMATIVO DE ANDAMENTO DA OBRA ED. COMERCIAL HD SETEMBRO /2016. RUA HENRI DUNANT, SÃO PAULO/SP.

12 INFORMATIVO DE ANDAMENTO DA OBRA ED. COMERCIAL HD SETEMBRO /2016. RUA HENRI DUNANT, SÃO PAULO/SP. São Paulo, 30 setembro de 2016. 12. Informativo de Andamento de Obra. 1) Geral O HD873 foi matéria de capa da conceituada revista "Buildings" neste terceiro trimestre de 2016. Neste informativo reproduzimos

Leia mais

ARQUITETURA. Permitida a reprodução parcial ou total, desde que citada a fonte e não acrescentando qualquer tipo de propaganda comercial.

ARQUITETURA. Permitida a reprodução parcial ou total, desde que citada a fonte e não acrescentando qualquer tipo de propaganda comercial. ARQUITETURA Francisco José d Almeida Diogo Professor da Seção de Engenharia de Fortificação e Construção Instituto Militar de Engenharia IME Praça General Tibúrcio, 80 - Praia Vermelha CEP. 22290-270 Tel:

Leia mais

Alvenaria estrutural

Alvenaria estrutural Estudo exploratório rio sobre a elaboração de projetos arquitetônicos Alvenaria desenvolvidos estrutural para o sistema de alvenaria estrutural Projeto de alvenaria O que é ALVENARIA ESTRUTURAL? Conceito:

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DA 2ª ETAPA DA CONSTRUÇÃO DO BLOCO DE DIREITO

MEMORIAL DESCRITIVO DA 2ª ETAPA DA CONSTRUÇÃO DO BLOCO DE DIREITO MEMORIAL DESCRITIVO DA 2ª ETAPA DA CONSTRUÇÃO DO BLOCO DE DIREITO OBRA: CONSTRUÇÃO-BLOCO DIREITO PROPRIETÁRIO: FUNDAÇAO INTEGRADA MUNICIPAL DE ENSINO SUPERIOR DE MINEIROS (FIMES) ENDEREÇO OBRA:RUA 22 ESQ.

Leia mais

Prefeitura Muncipal de Porto Alegre Escola Municipal Nossa Senhora do Carmo

Prefeitura Muncipal de Porto Alegre Escola Municipal Nossa Senhora do Carmo PORTICO 1. SERVIÇOS INICIAIS 1.1 LOCACAO DE OBRA POR m2 CONSTRUIDO M2 30,67 2,99 91,63 91,63 2. MOVIMENTOS DE TERRA 2.1 ESCAVACAO MANUAL DE VALAS EM MAT.1a CAT.,ATE 2m M3 16,01 22,49 360,02 2.2 ATERRO

Leia mais

Materializando Sonhos. Desde 1980

Materializando Sonhos. Desde 1980 Materializando Sonhos. Desde 1980 Caros do Recanto dos Pássaros: A Iguatemi Construções, com o mesmo respeito, correção e objetividade com que vem se manifestando, vem a público, comunicar o andamento

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA DAS BARREIRAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA DAS BARREIRAS PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA DAS BARREIRAS PROJETO DE CONSTRUÇÃO DE FEIRA COBERTA LOCAL: VILA CASA DE TÁBUA MEMORIAL DESCRITIVO SANTA MARIA DAS BARREIRAS 2015 1 MEMORIAL DESCRITIVO 1- APRESENTAÇÃO

Leia mais

Relatório de Acompanhamento de obra

Relatório de Acompanhamento de obra Prezado(a) Sr. Daniel e Maria Carolina, Relatório de Acompanhamento de obra Nesse período da obra foi realizada a concretagem das vigas, utilizando a bomba-lança. Após este estapa as vigas já prontas,

Leia mais

Todos os Cursos. Nome do curso Tipo de curso Carga horária Descrição

Todos os Cursos. Nome do curso Tipo de curso Carga horária Descrição Confeccionador de esquadrias de 240 horas Profissional Confeccionador de Esquadrias de Madeira capacita você a realizar trabalhos de carpintaria. Com a qualificação você vai conhecer os materiais, ferramentas

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO 1. OBRA/LOCAL/IDENTIFICAÇÃO

MEMORIAL DESCRITIVO 1. OBRA/LOCAL/IDENTIFICAÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO 1. OBRA/LOCAL/IDENTIFICAÇÃO Obra: Construção de um Prédio Residencial Multifamiliar Local: Avenida Maria José Pinheiro Machado x Jorge Calixto nº 570 Planta aprovada nº 174/16 expedida

Leia mais

Limpeza do terreno m 2 Área de ocupação, mais 3m em toda a periferia ou o total. Locação da obra m 2 Área do primeiro pavimento da obra.

Limpeza do terreno m 2 Área de ocupação, mais 3m em toda a periferia ou o total. Locação da obra m 2 Área do primeiro pavimento da obra. CRITÉRIOS PARA MEDIÇÃO DOS SERVIÇOS Limpeza do terreno m 2 Área de ocupação, mais 3m em toda a periferia ou o total. Locação da obra m 2 Área do primeiro pavimento da obra. Em obras muito extensas ou recortadas,

Leia mais

FIM DE TARDE 30/10. 7 PASSOS PARA ATENDER A ABNT NBR Edificações Habitacionais - Desempenho

FIM DE TARDE 30/10. 7 PASSOS PARA ATENDER A ABNT NBR Edificações Habitacionais - Desempenho FIM DE TARDE 30/10 7 PASSOS PARA ATENDER A ABNT NBR 15575 Edificações Habitacionais - Desempenho 1 PASSO: Conhecer a norma Associação brasileira de normas técnicas ABNT www.abnt.org.br 1 PASSO: Conhecer

Leia mais

OBRA CAIXA ECÔNOMICA GOLDEN RESIDENCE

OBRA CAIXA ECÔNOMICA GOLDEN RESIDENCE MEMORIAL DESCRITIVO 1 DADOS INICIAIS: 1.1 ENDEREÇO: Rua Raul Cardoso nº. 110/122 Bairro Fazendinha Campos dos Goytacazes RJ. 1.2 PRÉDIO MULTIFAMILIAR COMPOSTO DE: 1.2.1 TÉRREO Portaria, (01) um elevador,

Leia mais

poder de compra x custo da construção

poder de compra x custo da construção ALVENARIA ESTRUTURAL - introdução e materiais - Engenheiro Civil - Ph.D. 85-3244-3939 9982-4969 la99824969@yahoo.com.br poder de compra: poder de compra x custo da construção custo da construção: tecnologia:

Leia mais

INDUSTRIALIZAÇÃO INDUSTRIALIZAÇÃO E NOVAS TECNOLOGIAS E TECNOLOGIAS ALTERNATIVAS

INDUSTRIALIZAÇÃO INDUSTRIALIZAÇÃO E NOVAS TECNOLOGIAS E TECNOLOGIAS ALTERNATIVAS INDUSTRIALIZAÇÃO E NOVAS TECNOLOGIAS E TECNOLOGIAS ALTERNATIVAS INDUSTRIALIZAÇÃO CONCEITOS É um método produtivo baseado na mecanização e num processo organizado de caráter repetitivo que requer continuidade.

Leia mais

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho MÄdulo 5 VisÇo Geral

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho MÄdulo 5 VisÇo Geral Curso Técnico Segurança do Trabalho Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho MÄdulo 5 VisÇo Geral A NR18 é a norma que regulamenta a Segurança e Medicina do Trabalho na Indústria da Construção

Leia mais

Empresas titulares de alvará de empreiteiro de obras públicas

Empresas titulares de alvará de empreiteiro de obras públicas Empresas titulares de alvará de empreiteiro de obras públicas (O alvará é válido por tempo indeterminado, sem prejuízo do controlo oficioso do cumprimento dos requisitos) Alvará 1747 - PUB Data de inscrição

Leia mais

também de acordo com o Sistema Métrico Internacional e conforme exigência da norma ABNT

também de acordo com o Sistema Métrico Internacional e conforme exigência da norma ABNT STEEL FRAME O Steel Frame é uma alternativa já consolidada e amplamente usada há dezenas de anos em países desenvolvidos. Ao contrário das estruturas convencionais de construção, são usados perfis de aço

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Autor: Prof. Jorge de Brito. Coordenação: Prof. F.A. Branco, Prof. Jorge de Brito, Prof. Pedro Vaz Paulo e Prof. João Ramôa Correia

APRESENTAÇÃO. Autor: Prof. Jorge de Brito. Coordenação: Prof. F.A. Branco, Prof. Jorge de Brito, Prof. Pedro Vaz Paulo e Prof. João Ramôa Correia Autor: Prof. Jorge de Brito Coordenação: Prof. F.A. Branco, Prof. Jorge de Brito, Prof. Pedro Vaz Paulo e Prof. João Ramôa Correia 1/26 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. OBJECTIVOS 3. AVALIAÇÃO 4. ELEMENTOS DE ESTUDO

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO TABELAS DE CUSTOS SIN-RN X SINAPI-RN (JAN-2013)

ESTUDO COMPARATIVO TABELAS DE CUSTOS SIN-RN X SINAPI-RN (JAN-2013) CÓDIGO DESCRIÇ CLA UNIDA SS DE QUANT. 01.0 SEVIÇOS PRELIMINARES PREÇO UNIT. S/ BDI (R$) SINAPI 2013 PREÇO TOTAL S/ BDI (R$) SINAP 2013 REFERÊNC IA SINAPI 2013 PREÇO UNIT. S/ BDI (R$) SIN-RN 2013 PREÇO

Leia mais

Critérios de Medição e Levantamento de Quantitativo

Critérios de Medição e Levantamento de Quantitativo Senai Dendezeiros Área de Construção Civil Critérios de Medição e Levantamento de Quantitativo Unidade Curricular: Orçamento de Obras e Controle de Custos Aula 05 Emanuele Cristian Fer Critério de medição

Leia mais

CANTEIRO DE OBRAS: elementos de projeto

CANTEIRO DE OBRAS: elementos de projeto outubro/2001 AULA 11 CANTEIRO DE OBRAS: elementos de projeto PCC-2302: Gestão da Produção na Construção Civil II Profs. Silvio Melhado e Mercia Barros Assistentes de Ensino: Rita Medeiros; Janayna Aquino;

Leia mais

Aços Longos. Telas Soldadas Nervuradas

Aços Longos. Telas Soldadas Nervuradas Aços Longos Telas Soldadas Nervuradas Registro Compulsório 272/2011 Telas Soldadas Nervuradas Qualidade As Telas Soldadas de Aço Nervurado ArcelorMittal são armaduras pré-fabricadas constituídas por fios

Leia mais

5. Comparação de custo e grau de industrialização com concreto armado

5. Comparação de custo e grau de industrialização com concreto armado ALVENARIA ESTRUTURAL 1. Geometria de bloco e parede; comportamento estrutural 2. Legado histórico 3. Sistema construtivo atual: famílias, dimensões, materiais 4. Interação entre bloco, argamassa, grout

Leia mais

PLANILHA AUXILIAR B DADOS DO IMÓVEL: PROJETO 02. ÁREA TOTAL TERRENO: 336,00m²

PLANILHA AUXILIAR B DADOS DO IMÓVEL: PROJETO 02. ÁREA TOTAL TERRENO: 336,00m² - INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS Abrigo provisório de madeira executada na obra para alojamento e depósitos de materiais e ferramentas. Unidade: m² Critério de medição: Pela área de projeção horizontal do abrigo.

Leia mais

PLANILHA AUXILIAR C DADOS DO IMÓVEL: PROJETO 03. ÁREA TOTAL TERRENO: 325,00m²

PLANILHA AUXILIAR C DADOS DO IMÓVEL: PROJETO 03. ÁREA TOTAL TERRENO: 325,00m² ENDEREÇO: Rua 580, S/Nº - INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS Abrigo provisório de madeira executada na obra para alojamento e depósitos de materiais e ferramentas. Unidade: m² Critério de medição: Pela área de projeção

Leia mais

B) CLASSIFICAÇÃO SEGUNDO TEIXEIRA TRIGO (Portugal)

B) CLASSIFICAÇÃO SEGUNDO TEIXEIRA TRIGO (Portugal) A) CLASSIFICAÇÃO SEGUNDO A JUNTA DEL ACUERDO DE CARTAGENA JUNTA DEL ACUERDO DE CARTAGENA. Manual de diseño para maderas del grupo andino. Lima: Junta del Acuerdo de Cartagena / PADT-REFORT, 1984. (países

Leia mais

Coordenação Modular. Jean Marie Désir

Coordenação Modular. Jean Marie Désir Coordenação Modular Jean Marie Désir http://chasqueweb.ufrgs.br/~jeanmarie/eng01208/eng01208.html Função Coordenação modular Modulação Horizontal Malha modular Cantos e amarrações Ajustes Modulação Vertical

Leia mais

RELATÓRIO GERENCIAL TRIMESTRAL 007 MARÇO/16

RELATÓRIO GERENCIAL TRIMESTRAL 007 MARÇO/16 RELATÓRIO GERENCIAL TRIMESTRAL 007 MARÇO/16 Relatório Gerencial Trimestral elaborado por: Leandro Toré de Castro Diretor de Contrato 61 3878 4718 ltcastro@odebrecht.com Thiago Galvão Diretor de Contrato

Leia mais

Cenário após Finalização do Plano de Nacionalização. Dia do Fornecedor GAMESA. Fevereiro/2016

Cenário após Finalização do Plano de Nacionalização. Dia do Fornecedor GAMESA. Fevereiro/2016 Cenário após Finalização do Plano de Nacionalização Dia do Fornecedor GAMESA Fevereiro/2016 OBJETIVOS Metodologia de Credenciamento para Aerogeradores Eliminação gradativa das diferenças entre as estruturas

Leia mais

CANTEIRO DE OBRA 1. ESPECIFICAÇOES TECNICAS DOS SERVIÇOS

CANTEIRO DE OBRA 1. ESPECIFICAÇOES TECNICAS DOS SERVIÇOS CANTEIRO DE OBRA 1. ESPECIFICAÇOES TECNICAS DOS SERVIÇOS 1.1- FUNDAÇÕES Blocos em concreto simples 0.45mx0,40mx0,24m 1.4- COBERTURA Em telhas recicladas de tetra pack e alumínio. Uma cobertura ecologicamente

Leia mais

Desempenho em serviço Prof. Maristela Gomes da Silva

Desempenho em serviço Prof. Maristela Gomes da Silva Desempenho em serviço Prof. Maristela Gomes da Silva Departamento de Engenharia Civil Bibliografia referência para esta aula ISAIA, G. C. (editor) Materiais de Construção Civil e Princípios de ciência

Leia mais

MEMÓRIA DE CÁLCULO DO ABRIGO DA SUBESTAÇÃO DE 500 KVA

MEMÓRIA DE CÁLCULO DO ABRIGO DA SUBESTAÇÃO DE 500 KVA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DA EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO CIENCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL DIRETORIA DE

Leia mais

índice Fases básicas da obra 3 Importância da estrutura .4 Mapa estrutural 5 Alvenaria 7 Cobertura 8 Acabamento 9 Como escolher o cimento

índice Fases básicas da obra 3 Importância da estrutura .4 Mapa estrutural 5 Alvenaria 7 Cobertura 8 Acabamento 9 Como escolher o cimento índice Fases básicas da obra...3 Importância da estrutura...4 Mapa estrutural...5 Alvenaria...7 Cobertura...8 Acabamento...9 Como escolher o cimento...10 Portfólio...12 Dicas...14 Uma obra passa por dezenas

Leia mais

Grupo de Trabalho sobre Construção Industrializada do Programa Compete Brasil, do DECONCIC-FIESP

Grupo de Trabalho sobre Construção Industrializada do Programa Compete Brasil, do DECONCIC-FIESP Grupo de Trabalho sobre Construção Industrializada do Programa Compete Brasil, do DECONCIC-FIESP Objetivo: discutir conceitos Construção industrializada X Processos construtivos industrializados 2 CONFUSÃO!

Leia mais

VANTAGENS DOS CONSTRUTIVOS ISOTÉRMICOS NA CONSTRUÇÃO INDUSTRIALIZADA

VANTAGENS DOS CONSTRUTIVOS ISOTÉRMICOS NA CONSTRUÇÃO INDUSTRIALIZADA VANTAGENS DOS CONSTRUTIVOS ISOTÉRMICOS NA CONSTRUÇÃO INDUSTRIALIZADA O isolamento térmico proporcionado pelos Construtivos Isotérmicos reduz significativamente o custo de aquisição do sistema de climatização

Leia mais

Universidade Federal de Itajubá Instituto de Recursos Naturais. Cálculo Estrutural EHD 804 MÉTODOS DE CONSTRUÇÃO. Profa.

Universidade Federal de Itajubá Instituto de Recursos Naturais. Cálculo Estrutural EHD 804 MÉTODOS DE CONSTRUÇÃO. Profa. Universidade Federal de Itajubá Instituto de Recursos Naturais Cálculo Estrutural EHD 804 MÉTODOS DE CONSTRUÇÃO Profa. Nívea Pons Objetivo: Projeto e dimensionamento de estruturas estáticas ou dinâmicas

Leia mais

WWW.PAINEISTERMOISOLANTES.COM.BR Novas tecnologias para isolamento térmico na construção civil: PIR e PUR Rodnei Massamiti Abe Gerente Técnico em Eficiência Energética Dow Brasil Painéis Termoisolantes

Leia mais

Questionamento Item da planilha: "Cabo Unipolar (cobre)"favor informar a bitola do cabo. Resposta O CABO UNIPOLAR DE COBRE DEVE SER 35mm²

Questionamento Item da planilha: Cabo Unipolar (cobre)favor informar a bitola do cabo. Resposta O CABO UNIPOLAR DE COBRE DEVE SER 35mm² da empresa Concorrência 007/2009 Item 4.2.37 da planilha: "Luminária tipo calha, de sobrepor, com reator partida rápida e lâmpada fluorescente 4x40w, completa, fornecimento e instalação".esclarecer se

Leia mais

8. INFORMATIVO TRIMESTRAL DE ANDAMENTO DE OBRA EDIFÍCIO AIMBERÊ HOUSE PERDIZES RUA AIMBERÊ, 618 PERDIZES - SÃO PAULO/SP

8. INFORMATIVO TRIMESTRAL DE ANDAMENTO DE OBRA EDIFÍCIO AIMBERÊ HOUSE PERDIZES RUA AIMBERÊ, 618 PERDIZES - SÃO PAULO/SP São Paulo, 31 de outubro de 2016. LW/WA/127/1016. 8. INFORMATIVO TRIMESTRAL DE ANDAMENTO DE OBRA EDIFÍCIO AIMBERÊ HOUSE PERDIZES RUA AIMBERÊ, 618 PERDIZES - SÃO PAULO/SP Prezado (a) cliente, Com relação

Leia mais

Manual do Proprietário

Manual do Proprietário Manual do Proprietário INTRODUÇÃO Prezado Cliente, Este Manual do Proprietário foi elaborada com a finalidade de transmitir, no momento da compra de seu imóvel, todas as informações referentes a sua unidade,

Leia mais

Aços Longos. Telas Soldadas Nervuradas

Aços Longos. Telas Soldadas Nervuradas Aços Longos Telas Soldadas Nervuradas Registro Compulsório 272/2011 Telas Soldadas Nervuradas Qualidade As Telas Soldadas Nervuradas da ArcelorMittal são armaduras pré-fabricadas constituídas por fios

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DO PROJETO DE UMA ESTRUTURA (ETAPA PRELIMINAR)

DESENVOLVIMENTO DO PROJETO DE UMA ESTRUTURA (ETAPA PRELIMINAR) DESENVOLVIMENTO DO PROJETO DE UMA ESTRUTURA (ETAPA PRELIMINAR) DADOS NECESSÁRIOS PARA DEFINIR O PRODUTO (ESTRUTURA): Projeto Arquitetônico Plantas dos pavimentos tipos/subsolo/cobertura/ático Número de

Leia mais

EXECUÇÃO DE REVESTIMENTO EM EDIFICAÇÕES DE ALVENARIA ESTRUTURAL ENGENHEIROS FERNANDO LUCAS MATEUS SOUZA RODRIGO DE MORAES FARIAS

EXECUÇÃO DE REVESTIMENTO EM EDIFICAÇÕES DE ALVENARIA ESTRUTURAL ENGENHEIROS FERNANDO LUCAS MATEUS SOUZA RODRIGO DE MORAES FARIAS EXECUÇÃO DE REVESTIMENTO EM EDIFICAÇÕES DE ALVENARIA ESTRUTURAL ENGENHEIROS FERNANDO LUCAS MATEUS SOUZA RODRIGO DE MORAES FARIAS 25 de setembro de 2009 OBRA CITTÀ LAURO DE FREITAS Perspectiva da entrada

Leia mais

TECNOLOGIA SUSTENTÁVEL DE CONSTRUÇÕES EM CONCRETO E EPS

TECNOLOGIA SUSTENTÁVEL DE CONSTRUÇÕES EM CONCRETO E EPS TECNOLOGIA SUSTENTÁVEL DE CONSTRUÇÕES EM CONCRETO E EPS Somos uma empresa constituída por diferentes profissionais da construção voltados para o emprego do Sistema ICF (INSULATED CONCRETE FORMS) em paredes

Leia mais

Serviço Público Federal Universidade Federal de Goiás Pró-Reitoria de Administração e Finanças Centro de Gestão do Espaço Físico MEMÓRIA DE CÁLCULO

Serviço Público Federal Universidade Federal de Goiás Pró-Reitoria de Administração e Finanças Centro de Gestão do Espaço Físico MEMÓRIA DE CÁLCULO Serviço Público Federal Universidade Federal de Goiás Pró-Reitoria de Administração e Finanças Centro de Gestão do Espaço Físico MEMÓRIA DE CÁLCULO CANTINA DA REITORIA TÉRMINO DA OBRA UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

QUANTITATIVOS, ORÇAMENTO ESTIMATIVO

QUANTITATIVOS, ORÇAMENTO ESTIMATIVO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL QUANTITATIVOS, ORÇAMENTO ESTIMATIVO TC_042 - CONSTRUÇÃO CIVIL IV PROFESSORA: ELAINE SOUZA MARINHO MÉTODOS DE ORÇAMENTO ESTRUTURA ANALÍTICA

Leia mais

REVESTIMENTOS Escolha do Sistema de Revestimento

REVESTIMENTOS Escolha do Sistema de Revestimento 200888 Técnicas das Construções I REVESTIMENTOS Escolha do Sistema de Revestimento Prof. Carlos Eduardo Troccoli Pastana pastana@projeta.com.br (14) 3422-4244 AULA 13 EXERCÍCIO 1 ESCOLHA DO SISTEMA DE

Leia mais

Estudo de Caso: Precon Engenharia S.A.

Estudo de Caso: Precon Engenharia S.A. Estudo de Caso: Precon Engenharia S.A. Instituto Falcão Bauer da Qualidade Rua Aquinos, 111 Prédio III 3º andar Água Branca São Paulo - SP CEP 05036-070 Tel./Fax: (11) 3611-1729 www.ifbq.org.br Painéis

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES DE DESEMPENHO EM EMPREENDIMENTOS DE HIS

ESPECIFICAÇÕES DE DESEMPENHO EM EMPREENDIMENTOS DE HIS ESPECIFICAÇÕES DE DESEMPENHO EM EMPREENDIMENTOS DE HIS 2.1 Diretrizes gerais de projeto para atender aos requisitos de desempenho 2.1.1 Segurança no uso e operação 2.1.2 Segurança contra

Leia mais

Orçamento: RESIDENCIA - ANDRE CONGONHAS

Orçamento: RESIDENCIA - ANDRE CONGONHAS Orçamento: RESIDENCIA - ANDRE CONGONHAS Orçamento parcial nº 1 SERVIÇOS PRELIMINARES 1.1 m2 Corte de capoeira fina a foice 900,000 0,19 171,00 1.2 m2 Raspagem e limpeza manual de terreno 900,000 0,63 567,00

Leia mais

Evolução recente da indústria e importância do varejo de materiais de construção

Evolução recente da indústria e importância do varejo de materiais de construção Evolução recente da indústria e importância do varejo de materiais de construção Walter Cover (Presidente Executivo - ABRAMAT) Evento Fórum Momentos e Tendências do Varejo Brasileiro Para Materiais de

Leia mais

Coordenação: Prof. F.A. Branco, Prof. Jorge de Brito, Eng.º Pedro Vaz Paulo e Eng.º João Pedro Correia

Coordenação: Prof. F.A. Branco, Prof. Jorge de Brito, Eng.º Pedro Vaz Paulo e Eng.º João Pedro Correia I. CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS Coordenação: Prof. F.A. Branco, Prof. Jorge de Brito, Eng.º Pedro Vaz Paulo e Eng.º João Pedro Correia 1/70 5. FASES CONSTRUTIVAS estrutura pórtico sapatas vigas de fundação

Leia mais

PRIDE IPIRANGA RELATÓRIO DE ANDAMENTO DA OBRA PERÍODO MARÇO E ABRIL DE 2016

PRIDE IPIRANGA RELATÓRIO DE ANDAMENTO DA OBRA PERÍODO MARÇO E ABRIL DE 2016 RELATÓRIO DE ANDAMENTO DA OBRA PERÍODO MARÇO E ABRIL DE 2016 Andamento das Obras Civis Serviços concluídos até 29/04/16: Remoção total da terra proveniente das escavações dos subsolos; Escavação, arrasamento

Leia mais

Aula 17- ARQ-011 Desenho Técnico 1: Representação de projetos de arquitetura (seg. NBR-6492: 1994) Antonio Pedro Carvalho

Aula 17- ARQ-011 Desenho Técnico 1: Representação de projetos de arquitetura (seg. NBR-6492: 1994) Antonio Pedro Carvalho Aula 17- ARQ-011 Desenho Técnico 1: Representação de projetos de arquitetura (seg. NBR-6492: 1994) Antonio Pedro Carvalho Técnicas Desenho a mão livre De maneira geral é a representação do projeto nas

Leia mais

ANÁLISE E AVALIAÇÃO DE PROJETOS ARQUITETÔNICOS

ANÁLISE E AVALIAÇÃO DE PROJETOS ARQUITETÔNICOS ANÁLISE E AVALIAÇÃO DE PROJETOS ARQUITETÔNICOS Antonio Pedro Alves de Carvalho Imagem: omnistudio.com.br Qualidades de uma solução arquitetônica: Funcionalidade Economia Beleza Flexibilidade Expansibilidade

Leia mais

FORTALECIMENTO DO PARQUE ESTADUAL DA ILHA GRANDE - OBRAS DE REFORMA DA SEDE ADMINISTRATIVA/CENTRO DE VISITANTES DO PARQUE ESTADUAL DA ILHA GRANDE

FORTALECIMENTO DO PARQUE ESTADUAL DA ILHA GRANDE - OBRAS DE REFORMA DA SEDE ADMINISTRATIVA/CENTRO DE VISITANTES DO PARQUE ESTADUAL DA ILHA GRANDE TERMO DE REFERÊNCIA Nº 01/2011 Projeto: FORTALECIMENTO DO PARQUE ESTADUAL DA ILHA GRANDE - OBRAS DE REFORMA DA SEDE ADMINISTRATIVA/CENTRO DE VISITANTES DO PARQUE ESTADUAL DA ILHA GRANDE Protocolo nº: 20110419160128109

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE CONSTRUÇÃO

MEMORIAL DESCRITIVO DE CONSTRUÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO DE CONSTRUÇÃO 1.0 - ENDEREÇO DA OBRA - Avenida: Av. Alfredo Lisboa - Bairro: Bairro do Recife - Nº: s/n 2.0 - PROPRIETÁRIO - Nome: Ministério da Cultura - Governo Federal Secretario

Leia mais

30 de Junho de Indústria de Artefatos de Concreto. Eng. Eduardo D Ávila ABCP RJ/ES

30 de Junho de Indústria de Artefatos de Concreto. Eng. Eduardo D Ávila ABCP RJ/ES 30 de Junho de 2011 Indústria de Artefatos de Concreto Eng. Eduardo D Ávila ABCP RJ/ES O que é a ABCP?... há 75 anos a ABCP foi fundada hoje presente em 12 capitais brasileiras é mantida pela indústria

Leia mais

GARRAFAS PLÁSTICAS PET (POLITEREFTALATO DE ETILENO) FICHA CATALOGRÁFICA-20- DATA: JUNHO/2011.

GARRAFAS PLÁSTICAS PET (POLITEREFTALATO DE ETILENO) FICHA CATALOGRÁFICA-20- DATA: JUNHO/2011. Tecnologias, sistemas construtivos e tipologias para habitações de interesse social em reassentamentos. GARRAFAS PLÁSTICAS PET (POLITEREFTALATO DE ETILENO) FICHA CATALOGRÁFICA-20- DATA: JUNHO/2011. Tecnologias,

Leia mais

NOÇÕES ESTRUTURAIS. Sistemas Estruturais. Profª Joana Pinheiro

NOÇÕES ESTRUTURAIS. Sistemas Estruturais. Profª Joana Pinheiro NOÇÕES ESTRUTURAIS Sistemas Estruturais Profª Joana Pinheiro Noções estruturais A estrutura é responsável pela sustentação do imóvel. É o sistema que recebe as cargas (peso próprio e adicionais) e às transfere

Leia mais

Anexo IV - ESCOPO DO PROJETO COMPLETO DE EDIFICAÇÕES

Anexo IV - ESCOPO DO PROJETO COMPLETO DE EDIFICAÇÕES 1 Prefeitura do Município de São Paulo - PMSP Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano - SMDU TERRITÓRIOS CEU PLANILHA DE ESCOPO PROJETO EDIFICAÇÕES Produto 1 Plano de Trabalho e Relatório de Viabilidade

Leia mais

VII SEMANA PENSANDO EM ARGAMASSA

VII SEMANA PENSANDO EM ARGAMASSA VII SEMANA PENSANDO EM ARGAMASSA SISTEMAS DE REVESTIMENTO DE ARGAMASSAS PROVOCAÇÕES PARA A QUALIFICAÇÃO Eng. Cláudio Ribeiro Calasans oas empreendimentos s.a. Realização: CETA Centro Tecnológico da Argamassa

Leia mais

PRÉDIO DE ATENDIMENTO COMUNITÁRIO ELEVADORES

PRÉDIO DE ATENDIMENTO COMUNITÁRIO ELEVADORES UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E DO MUCURI CAMPUS JUSCELINO KUBITSCHEK DIAMANTINA - MG PRÉDIO DE ATENDIMENTO COMUNITÁRIO ELEVADORES ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS OUTUBRO / 2013 Página 1 de 6

Leia mais

Experiência Prática na execução de obra em parede de concreto. Arq. Rodrigo Matiello Bairro Novo Empreendimentos Imobiliários

Experiência Prática na execução de obra em parede de concreto. Arq. Rodrigo Matiello Bairro Novo Empreendimentos Imobiliários Experiência Prática na execução de obra em parede de concreto Arq. Rodrigo Matiello Bairro Novo Empreendimentos Imobiliários Agenda 1 Quem Somos 2 Tipologias Disponíveis 3 Escolha do Sistema Construtivo

Leia mais

Telas Soldadas Nervuradas Belgo

Telas Soldadas Nervuradas Belgo Telas Soldadas Nervuradas Belgo As Telas Soldadas de Aço Nervurado são uma armadura pré-fabricada, constituída por fios de aço Belgo 60 nervurado longitudinais e transversais, de alta resistência mecânica,

Leia mais