Ferramentas para Manufatura Enxuta e Produção Inteligente

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ferramentas para Manufatura Enxuta e Produção Inteligente"

Transcrição

1 Ferramentas para Manufatura Enxuta e Prduçã Inteligente

2 Intrduçã Uma prduçã previsível Mas e quand acntecem imprevists? Capacidade,rganizaçã, simplicidade Ferramentas para auxiliar a chegar lá!

3 Dres e Desafis da Indústria Quais as principais precupações relativas à Gestã d Ambiente de Manufatura?

4 Dres e Desafis da Indústria ( Precupações ) Paradas de Máquina Desperdícis de Matérias-Primas Perda de Ltes de Prduçã Excess de Retrabalh Nã atendiment as Prazs de Entrega Fracass n Atendiment às Nrmas Regulatórias Baixa Qualidade Necessidade de Hras Adicinais de Prduçã Escassez de Materiais na Prduçã Excess de Materiais em Prcess Incapacidade de Rastrear Us das Matérias-Primas Reclamações de Clientes e Recall de Prduts

5 Dres e Desafis da Indústria ( Medidas a serem tmadas ) Melhria na Gestã de Recurss (Matérias-Primas, Equipaments, Mã de Obra, Material em Prcess, etc) Reduçã de Desperdícis, Perdas de Ltes e Retrabalhs Reduçã de Custs Indirets (Entradas Manuais de Dads / Quantidade de Papéis) Diminuiçã ds Cicls de Prduçã / Temp de Prcess Melhrias na Qualidade (Prduzir Crretamente na Primeira Vez) Reduçã da Variabilidade d Prcess e Prdut Reduçã ds Custs de Manutençã Atendiment das Nrmas Regulatórias Assegurar Cmpleta Rastreabilidade e Genealgia d Prcess

6 Dres e Desafis da Indústria ( Desafis Crescentes ) Cmpetiçã glbal Pressã sbre preçs Investiments limitads Manufatura hje é um fundament crític para s $ $ nsss acinistas! $ $ $ Perdas de Perda da $ Cnsum de Baixa $ Rendiment lealdade d Alts níveis de Material em Qualidade cliente Reduçã Estque de margem e $ Refugs Aument de vlume $ Excess $ e Perdas $ Prduts fra de Perdas de Falhas em Especificaçã Dispnibilidade Desperdíci Equipaments $ em Energia LUCROS MARGEM POTENCIAIS de de LUCRO $ Aumentar Clabraçã e Agilidade? Reduzir Custs e Melhria de Operaçã? Aumentar Eficiência e Qualidade? COMO Cntrlar e Reagir de frma mais rápida?

7 Chã de Fábrica: próxima frnteira para transfrmar a empresa Fabricantes estã lidand cm desafis significantes entregar mais rapidamente manufatura enxuta, mais flexível execuçã da rdem sem err u cm mens Necessári enxergar a perfrmance da planta e da cadeia de supriments em temp real Perda Perfrmance Baixa Qualidad e Refug Cicls de prduçã perdids Perda de Dispnibilidade Paradas nã planejada s Capacidade Prduçã Cliente mens fiel Cm pririzare aperfeiçarde frma sistemática? Execuçã sem prduçã Atras n Lançament de nvs prduts

8 Cm é pssível realizar iss? Cm base na Análise em Temp Real das Infrmações d Ambiente de Manufatura!!! Cm meta: Aumentar a eficiência e reduzir a variabilidade!!!

9 Lean - Prduçã Enxuta Clar entendiment d cicl de vida da prduçã e na frma cm a clabraçã n us das infrmações d chã de fábrica pde cntribuir Melhrand cntinuamente flux da prduçã sincrnizad cm a demanda em busca da perfeiçã. Uma rganizaçã Lean é aquela que mantém uma abrdagem sistemática para identificar e eliminar desperdíci.

10 Digitalizaçã e mnitrament Objetivs estratégic da empresa Drill-dwn para Métricas Identificar e analisar aprimraments Efficiency % Units # Implementar mudanças de prcesss Time Prductin Cnstraints Cntrlar, Reprtar e Gerenciar

11 Ações em temp real Trnar dads em ações úteis é desafi. Dads sã imprtantes Dads atualizads sã chaves mas, cnheciment d prcess em temp real é ur! A ferramenta crreta é uma arquitetura que acelere e mantenha s ganhs crescentes. Uma abrdagem estratégica de TI é essencial para sucess.

12 GE Fanuc Intelligent Platfrms Manutençã ds Sistemas de Manufatura Sistemas Crprativs CRM MFG HR FIN (ERP) Diverss Sistemas de Api a Gerenciament da Prduçã em diferentes platafrmas Platafrmas de Cntrle (Autmaçã Industrial)

13 GE Fanuc Intelligent Platfrms Capacidades em Gerenciament de Prduçã Sistemas Crprativs CRM MFG HR FIN (ERP) 4 GE Fanuc Sluções Integradas para Gerenciament da Prduçã (MES, EMI, Q&C) Execuçã Qualidade e Nrmas Inteligência 3 Sistemas de Cntrle (Autmaçã Industrial) 0,1,2

14 GE Fanuc Intelligent Platfrms Capacidades em Gerenciament de Prduçã Gerenciament da Prduçã (Capacidades) Manufacturing Executin Systems Enterprise Manufacturing Intelligence Quality & Cmpliance Resultads Impactantes

15 GE Fanuc x ISA- S95 Service & Repair Supply Chain Management Dispatching Prductin Units Labr Management Operatins/ Detailed Scheduling Prduct Tracking & Genealgy Custmer Relatins Management Maintenance Management Resurce Allcatin & Status Perfrm ance Analysis Enterprise Resurce Planning Dcum ent Cntrl Prcess Management Prduct Data Management/ Cllabrative Mfg. Cberts pelas Sluções GE Fanuc GE + Sistemas Crprativs Advanced Planning & Scheduling Quality Management Prduct Life Cycle Management Data Cllectin Acquisitin Autmatin

16 Sftwares para Gerenciament de Prduçã

17 GE Fanuc Intelligent Platfrms Respsta as Desafis GE Fanuc Prficy Integraçã da Planta cm Sistemas Crprativs Integraçã cm Sistemas Crprativs SAP, Oracle Applicatins, JD Edwards, Peplesft Integraçã cm Sistemas de Pesagem, Labratóri, Manutençã e utrs Prtal de Infrmações em Temp Real 100% WEB Agrega Dads de Diverss Sistemas Cria Digital Cckpit Perfrmance, Qualidade e Execuçã Eficiência, Desempenh Gerenciament de Qualidade Genealgia, Rastreabilidade Gerenciament de Ativs Auditria de alterações em sistemas ISO/FDA/ANVISA Repsitóri Industrial de Dads Perfrmance para até pnts/seg Elimine as Ilhas de Infrmaçã HMI/SCADA/Supervisóris Visualizaçã e Otimizaçã Cntrle de Prcess Discret, Cntínu e Híbrid Sluções em Cntrladres

18 GE Fanuc Intelligent Platfrms ISA S95 Mdel Hierárquic (Níveis) (Cntrl Hierarchy Levels accrding t ISA S95.01 Enterprise - Cntrl System Integratin)

19 GE Fanuc Prficy Gerenciament Integrad da Prduçã 4 Sistemas Crprativs ERP 3 Gerenc iament da Prduçã (MES,EMI,Q&C) 0,1,2 Redes Industriais / Ethernet Chã de Fábrica Autmaçã Industrial Entradas Manuais Rbôs Equipaments e Ferramentas Sistemas de Cntrle Bancs de Dads e Cubs Bar Cde; RFID Instruments de Camp

20 4 GE Fanuc Prficy Gerenciament Integrad da Prduçã Applicatins Sieb el Sistemas Crprativs JDEd ward s PepleSft ERP 3 Dispatching Prductin Units Labr Management Operatins/ Detailed Scheduling Prduct Tracking & Genealgy Mainte nance Management Resurce Allcatin & Status Perfrmance Analysis Dcument Cntrl Prcess Management Gerenc iament da Prduçã (MES,EMI,Q&C) 0,1,2 Quality Management Data Cllectin Acquisitin Redes Industriais / Ethernet Chã de Fábrica Autmaçã Industrial Entradas Manuais Rbôs Equipaments e Ferramentas Sistemas de Cntrle Bancs de Dads e Cubs Bar Cde; RFID Instruments de Camp

21 4 GE Fanuc Prficy Gerenciament Integrad da Prduçã CRM MFG HR FIN Sistemas Crprativs ERP 3 Platafrma Prficy MODELAGEM DE DADOS COMPARTILHADA (S95/S88 ) Equipaments : Prduts : Materiais : Pessal : IT Gerenc iament da Prduçã (MES,EMI,Q&C) 0,1,2 HMI/SCADA & Batch GEF & 3rd HW Redes Industriais / Ethernet Chã de Fábrica Autmaçã Industrial Entradas Manuais Rbôs Equipaments e Ferramentas Sistemas de Cntrle Bancs de Dads e Cubs Bar Cde; RFID Instruments de Camp

22 4 GE Fanuc Prficy Gerenciament Integrad da Prduçã CRM MFG HR FIN Sistemas Crprativs ERP 3 PUBLICAÇÃO de INFORMAÇÕES Gerenc iament da Prduçã (MES,EMI,Q&C) BATCH EXECUTION EFICIÊNCIA QUALIDADE PRODUÇÃO GENEALOGIA RASTREABILIDADE ANÁLISE de BATCH HISTORIAN GER. ATIVOS INTEGRAÇÃO de SISTEMAS 0,1,2 Redes Industriais / Ethernet Chã de Fábrica Entradas Manuais Rbôs Bar Equipaments e Ferramentas Sistemas de Cntrle Bancs de Dads e Cubs Cde; RFID Instruments de Camp Autmaçã Industrial

23 4 GE Fanuc Prficy Gerenciament Integrad da Prduçã CRM MFG HR FIN Sistemas Crprativs ERP PrficyPORTAL Gerenc iament da Prduçã (MES,EMI,Q&C) PA EFFICIENCY PA QUALITY PA BATCH ANALISYS Prficy HISTORIAN Prficy CHANGE MANAGEMENT Prficy ENTERPRISE CONNECTOR 3 Prficy BATCH PA PRODUCTION 0,1,2 Redes Industriais / Ethernet Chã de Fábrica Entradas Manuais Rbôs Bar Equipaments e Ferramentas Sistemas de Cntrle Bancs de Dads e Cubs Cde; RFID Instruments de Camp Autmaçã Industrial

24 4 GE Fanuc Prficy Gerenciament Integrad da Prduçã Gerenciament de Eficiência, Análise de KPIs, 3 Events de Planta PA EFFICIENCY PA QUALITY CRM Gerenciament MFG da HR Qualidade d FIN Prcess e d Prdut Prficy PORTAL PA PRODUCTION PA BATCH ANALISYS Prficy HISTORIAN Prficy CHANGE MANAGEMENT Prficy ENTERPRISE CONNECTOR Capacidade avançada ada de geraçã de relatóris ris para análises em tds s Móduls duls. Gerenciament em temp- real de cnteúd e publicaçã ã Sistemas Crprativs ERP Gerenc iament Integraçã cm Sistemas da Prduçã Crprativs (MES,EMI,Q&C) 0,1,2 Entradas Manuais Gerenciament de Prduçã Planejada, Rastreabilidade e Genealgia, Materiais e Flux de prdut. Rbôs Otimizaçã de Prcesss em Batelada cm Análises Avançadas adas Equipaments e Ferramentas Prficy BATCH Execuçã e Cntrle de Prcesss em Batelada Sistemas de Cntrle Bancs de Dads e Cubs Gerenciament ds Mudanças as em Ativs de Chã de Fábrica Cleta de Dads em Temp Real, Históric de Prcess, PIMS (Base de Dads Tempral) Bar Cde; RFID Redes Industriais / Ethernet Instruments de Camp Chã de Fábrica Autmaçã Industrial

25 4 GE Fanuc Prficy Gerenciament Integrad da Prduçã CRM MFG HR FIN Sistemas Crprativs ERP Prficy PORTAL Gerenc iament da Prduçã (MES,EMI,Q&C) PA EFFICIENCY PA QUALITY PA BATCH ANALISYS Prficy HISTORIAN Prficy CHANGE MANAGEMENT Prficy ENTERPRISE CONNECTOR 3 Prficy PLANT APPLICAT IONS Prficy BATCH PA PRODUCTION 0,1,2 Redes Industriais / Ethernet Chã de Fábrica Entradas Manuais Rbôs Bar Equipaments e Ferramentas Sistemas de Cntrle Bancs de Dads e Cubs Cde; RFID Instruments de Camp Autmaçã Industrial

26 Lg Espaç destinad a envi de mensagens a pessal da Operaçã!

27 Análise de dads histórics Plant Applicatins Análise Estatística (SPC) e Dads de Qualidade Status e Ntificações em temp real

28 Dashbard Tela de Gerenciament Status da Planta, Linhas e Equipaments Estatísticas Gerais de Prduçã e de Prcess Infrmações sbre Alarmes de Linha e Prcess Infrmações sbre Falhas e Events de Linha, Acmpanhament das Ordens de Prduçã Infrmações sbre a Eficiência e Perfrmance Infrmações sbre Qualidade

29 Principais Características Basead em dads histórics Permite nvs tips de análise (mudança da regra de negóci) cm base em dads passads Arquitetura aberta e mdular Preserva investiment já realizad e implementaçã gradual que pde ser feita separadamente cm parte de uma sluçã ttalmente integrada Flexibilidade e facilidade de cnfiguraçã Sluçã MES Cnfigurável x Prgramável Segur e auditável Cmpatível cm 21 CFR Part 11 Relatóris e análises integrads via web Dispnibilidade da infrmaçã Suprte à decisã em temp real: Vcê pde analisar e distribuir essas infrmações pr tda a planta e pr td mund.

30 Prficy Plant Applicatins CONFIGURAÇÃO Mdelage m de Planta Árvres de Falhas / Events

31 Prficy Plant Applicatins CONFIGURAÇÃO Rteirs de Prduçã Cadastrament de prduts e Matéria Prima

32 Prficy Plant Applicatins GERENCIAMENTO de EFICIÊNCIA Rastreia e mnitra prduçã e KPIs d seu negóci Identifica dwntime, perdas, cntagem de prduçã, ineficiências e events (ltes, bateladas, etc); Asscia events de frma manual u autmática a uma determinada causa, em temp-real Vantagens: Minimize s events de parada prgramads e nã prgramads. Reduza as perdas e retrabalh: Prduzir mais cm menr cust. Melhre a eficácia d temp de peraçã das máquinas cm uma melhr utilizaçã ds ativs da planta (equipaments, pessal e material), através de um melhr entendiment da eficiência ds equipaments em temp real. Mais d que simples dwntime!

33 Prficy Plant Applicatins GERENCIAMENTO de EFICIÊNCIA Relatóris e dashbards para tmada de decisã em tempreal Visualizaçã das análises na Web; Cnexã cm Micrsft Excel; Agendament de geraçã de relatóris; Dads detalhads de prduçã para análise a lng d temp Mais d que simples dwntime!!!

34 Prficy Plant Applicatins GERENCIAMENTO de EFICIÊNCIA Visibilidade em Temp-Real Equipament, Máquina, Status da Máquina; KPIs de Eficiência: Prduçã, Perdas e Dwntime. Infrmaçã cntextualizada Pr Equipe, Ordem de Prduçã, Turns, Events. Dads Detalhads Causas, Frequências, Razões. A perfrmance de uma determinada linha parece baixa!!! Essa reduçã de velcidade está afetand a prduçã e temp de entrega das rdens crrentes!!! Precis de visibilidade em temp-real na prduçã, apntand s prblemas em temp-real!!! Também precis de análises drill-dwn de events e fatres externs!!! Visualize a Perfrmance, Entenda a Causa. Atue!!!

35 Cálcul de OEE OEE (Overall Equipment Effectiveness) Dispnibilidade Desempenh Qualidade Ajustes de máquina (setup) Reduçã de velcidade Rendiment d Setup Quebra de equipament Paradas curtas (ex: bstruçã) Rendiment Prduçã Eficiência: "quantidade" de bns resultads de uma determinada açã.

36 Análise pr Prdut e Turn 37% 37% d d temp temp de de peraçã é atribuid a a51605-sd2-v % 32.7% d d temp, temp, SM4-G02 estava estavaem emfalha. 51% 51% d d ttal ttal de de paradas crreram durante turn turnda da Equipe EquipeA MTTR MTTR para paraequipe EquipeA fi fide de 12,1 12,1 minuts. MTBF MTBF para paraequipe EquipeA fi fide de 82,2 82,2 minuts events de de dwntime crreram durante turn turnda da Equipe EquipeA. A.

37 Análises de Falha 69% 69% d d ttal ttal de de paradas fi fi atribuíd a falhas falhas de de rede rede Temp Temp médi médi de de repar repar da da rede rede fi fi minuts. Ocrreram 4 falhas falhas de de rede rede Huve Huve falhas falhas de de rede rede a cada cada 6,7 6,7 hras. hras.

38 Análise de Causa 14% 14% d d ttal ttal de de dwntime estava estava relacinad a equipaments. Temp Temp médi médipara reparaçã ds ds equipaments fi fide de 6,6 6,6 minuts. Temp Temp médi médientre as as falhas falhasds equipaments fi fide de 3,5 3,5 hras. hras. Huveram 5 falhas falhas de de equipament n n períd perídreprtad.

39 Análise de Paradas Entrada manual de detalhes de paradas Revisã autmática de paradas detectadas Alteraçã manual mtiv das paradas Adiçã de cmentáris e dcuments à parada

40

41 Prficy Plant Applicatins GERENCIAMENTO de QUALIDADE Rastreia e mnitra a Qualidade d Prdut e d Prcess Cleta dads de diferentes fntes, de frma manual u autmática; Criaçã de especificações e geraçã de alarmes para cndições fra de especificaçã Analise ds dads n cntext de batelada, lte, item, turn etc. Vantagens: Melhr qualidade ds prduts e ds prcesss Reduçã ds custs de qualidade (retrabalh, refug, recall etc.) Faça cert na primeira vez!!

42 Prficy Plant Applicatins GERENCIAMENTO de QUALIDADE Analisa dads para identificar a rigem da causa de áreas cm prblemas Crrelacina dads de qualidade através d prcess e ds prduts Integra dads de prcess e de labratóri Plta e analisa dads de qualidade e de manufatura n cntext de events de prduçã tais cm bateladas, lte, itens, númer de séries, materiais, períd de temp Relatóris e dashbards para tmada de decisã em temp-real Gerenciament de especificaçã de prdut e cnfrmidade de qualidade Integrad cm prcesss de gerenciament de prduçã Regras para detecçã de pnts fra de cntrle Assinaturas eletrônicas

43 Prficy Plant Applicatins GERENCIAMENTO de QUALIDADE Visibilidade em Temp-Real Alarmes de Qualidade Atuais; Cntagem de alarmes em diferentes níveis: Hi, Lw, Medium. Infrmaçã cntextualizada Tendências Históricas, Alarmes e Dwntime. Dads Detalhads Existe um númer de alarmes relacinads à qualidade send gerads em uma área da planta. Iss está gerand muits rejeits na etapa seguinte de prduçã!!! Análise em temp-real ns dads de qualidade ferece visibilidade nas perações e temp para reagir Causas, Frequências, Razões. Análise drill dwn cntextualiza s alarmes de qualidade, variáveis d prcess e fatres relacinads!!!

44 Prficy Plant Applicatins GERENCIAMENTO de PRODUÇÃO Otimizaçã da Execuçã da Manufatura, Rastreabilidade e Genealgia Permite cmpreender cm é flux d prdut na planta através d rastreament da prduçã, cm relaçã às especificações, equipaments e schedules; Permite rastrear etapas anterires e psterires Visualiza prcess de mntagem e desmntagem Permite alterar prgramaçã da prduçã em andament para reduzir WIP e inventári Situaçã em temp-real das rdens de prcess baixadas Libera, rerdena e ativa as rdens de prcess Permite ver múltiplas linhas simultaneamente Mvimenta rdens facilmente de linha para linha Abrangente Lista de Materiais para rdens n chã de fábrica

45 Prficy Plant Applicatins GERENCIAMENTO de PRODUÇÃO Análises e Relatóris Abrangentes de Genealgia de Prdut Relatóri de genealgia de prduts e gráfics de tendência de variáveis relacinadas Prgramaçã de alarmes basead em quantidade e datas de previsã Detalhament de estques de ( WIP / matériasprimas) Agendament de geraçã de relatóris Rastreament detalhad de dads histórics Certificad de nasciment Rastreabilidade e genealgia

46 Prficy Plant Applicatins GERENCIAMENTO de PRODUÇÃO Visibilidade em Temp-Real Status das rdens de prduçã baixadas Temps e quantidades atuais e previsã Vê múltiplas linhas simultaneamente Mvimenta rdens facilmente de linha para linha Dads Detalhads Ordem de Prcess de Prduçã e utilizaçã de Matéria-Prima Quais sã as rdens que eu precis trabalhar hje e qual é a urgência de executar essas rdens Que matérias-primas estu cnsumind e quais as quantidades Visibilidade em temp-real ds níveis atuais de WIP, bem cm baixas de cnsum pela estrutura de prdut Drill dwn permite detalhar rdens e BOM, cm quantidades e datas de entrega

47 Prficy Plant Applicatins GERENCIAMENTO de PRODUÇÃO Visibilidade em Temp-Real Alarmes de WIP; Vlume de prduçã, nível de estque, frequência de abasteciment. Infrmaçã cntextualizada Pr Prdut, Nme da Equipe, Turn Dads Detalhads Eficiência em algumas unidades e linhas estã causand grandes prblemas de prdutividade e atrass na entrega!!! Visibilidade em temp-real sbre s níveis atuais de WIP e alarmes assciads cm estes níveis de prduçã frnecem um sem precedente grau de discerniment sbre as perações!!! Causas, Frequências, Razões. Análises Drill Dwn dispníveis para um entendiment sbre s alarmes de WIP crrentes bem cm sbre as suas razões!!!

48 Prficy Plant Applicatins GERENCIAMENTO de PRODUÇÃO Visibilidade em Temp-Real Flux crrente de materiais em prcess (WIP) e rteir Entende e visualiza em temp real flux d prdut Visualiza e Analisa a Genealgia Executa atividades de rastreament Infrmaçã Cntextualizada e Análises Acmpanhament da execuçã de perações de inspeçã em diferentes estágis da peraçã Auditrias e relatóris de exceçã Existe uma série de prblemas relativs a prduçã e qualidade em minha linha de acabament. Um nv cliente reclamu de um lte ruim d prdut P14A2803. Visibilidade em temp-real na genealgia de prdut permite rastrear facilmente prdut e identificar que prblemas pdem ter causad iss Drill dwn permite relatar prduts que devem ir para quarentena u ter a prduçã interrmpida

49 Prficy Plant Applicatins BATCH ANALYSIS Business Benefits Faster time t market fr NPIs Reduced material and prductin csts Increased prductivity and verall plant utilizatin Better infrmatin fr imprved decisin making In supprt f Six Sigma, Lean and ther imprvement initiatives Reduced implementatin and integratin csts Unified Reprting and Analysis Manufacturing Benefits Pwerful batch reprting platfrm fr ibatch and ther S88-based batch systems Autmatic data cllectin and integratin with plant prcess histrians Imprved prductin thrugh better recrd keeping, reprting and data analysis Industry standards cmpliance: Based upn S88 standards

50 Prficy Plant Applicatins BATCH ANALYSIS Interface with existing S88 Batching Systems ibatch and thers. Extract and Analyze Relevant data in cntext Cntext f Crew, Batch, Schedule Cntext f Extended cre Prficy Slutins Efficiency, Quality, Prductin Specificatins Visualize and Reprt n results Reprts Summary, Batch Time Line Trending and Analysis Cycle Time Analysis, Batch Trending / Cmparisns

51 Prficy Plant Applicatins BATCH ANALYSIS Batch List Tendências da Batelada Análise de Parâmetrs Batch Timeline Detalhe das Bateladas

52 Prficy Plant Applicatins PRODUCTION DASHBOARD Status da Planta, Linhas e Equipaments Estatísticas Gerais de Prduçã e de Prcess Infrmações sbre Alarmes de Linha e Prcess Acmpanhament das Ordens de Prduçã Infrmações sbre Falhas e Events de Linha, Infrmações sbre a Eficiência e Perfrmance Infrmações sbre Qualidade

53 Prficy ENTERPRISE CONNECTOR ISA S95 Mensagens de Integraçã em frmat B2MML (Business t Manufacturing Markup Language)

54 Prficy ENTERPRISE CONNECTOR Interface Certificada Pwered by Netweaver entre GE Fanuc and SAP sftware Utilizaçã ds templates de indústria desenvlvids pela SAP para manufatura

55 Prficy Plant Applicatins PROFICY WORKFLOW

56 GE Fanuc Intelligent Platfrms Enterprise Cnnectr Certificaçã SAP

57 GE Fanuc Intelligent Platfrms Prficy Plant Applicatins 24 de Abril de Prficy Plant Applicatins v4.3 recnhecid cm Prdut d An GE Fanuc Autmatin, unidade de negócis da GE Industrial, anuncia que sua sluçã de Gerenciament da Prduçã, Prficy Plant Applicatins 4.3, fi premiada cm prestigis prêmi de Prdut d An de 2007 pela revista Plant Engineering. Prficy Plant Applicatins v4.3, dedica-se a Eficiência, Qualidade, Execuçã de Manufatura, Genealgia/Rastreabilidade e Análise de Prcesss em Batelada para habilitar visibilidade durante td cicl de vida da prduçã, seja para ambientes de Prcess, Discrets u Híbrids. Cm Prficy Plant Applicatins, cmpanhias pdem ganhar visã sbre as suas perações para eficientemente gerenciar uma significativa timizaçã de perfrmance. Esta nva versã, fi desenhada de frma a auxiliar usuáris e desenvlvedres a gerar sistemas de Gerenciament de Prduçã de frma rápida e facilmente expandir sistema existentes para atingir grandes desafis de negóci cm, Aument de Qualidade, Atendiment de Demanda e Atendiment a Regulamentações e Padrões enquant reduz custs, temps e riscs.

58 GE Fanuc Intelligent Platfrms Prficy - Cbertura ISA S95

59 GE Fanuc Intelligent Platfrms Prficy Análise de Aderência ISA S95 (Prficy & Legads)

60 GE Fanuc Intelligent Platfrms SAP & GE

61 GE Fanuc Intelligent Platfrms Prficy Plant Applicatins - Resum Uma platafrma de sluções que permite as nsss clientes a execuçã de prcesss de melhria cntínua, garantind resultads significativs sbre a perfrmance da Planta e d Negóci. Indústrias CPG, Fd & Beverage, Brewing Specialty Chemical Paper, Steel, Glass, Films (Dimensinal Prducts) Pharmaceuticals Autmtive and Other Repetitive Discrete Usuáris Gerente da Planta, Diretria de Manufatura / Prduçã, Diretria de Operações, Gerente de Qualidade, Gerente de Manu,tençã Engenheirs de Prcess, Operadres. Sluções e Aplicações Identificaçã e Otimizaçã de Áreas respnsáveis pr Ineficiências Operacinais; Aument da Qualidade e da Cnsistência ds Prduts e Prcesss; Aument de receitas, Necessidades d Cliente e Atendiment à Nrmas regulatórias.

62 GE Fanuc Intelligent Platfrms 1000 Plantas em mais de 40 Países Kruger

63 Cas Real: Indústria Autmbilística Objetivs d Cliente Aumentar capacidade de prduçã Reduzir s temps de parada ns gargals cnhecids e em áreas cm baixa prdutividade Abrdagem Manter infra-estrutura existente da planta Instalar sftware de registr históric (PIMS) e mnitrar Eficiência Resultads Obtids Aument da prduçã: 8 veículs a mais prduzids pr dia, sem nvs investiments Aument significativ n temp de dispnibilidade Identificada principal causa: paradas freqüentes de curta duraçã cntribuíam para a mair parte d temp parad Açã crretiva viável: events de parada eram decrrentes de desalinhament mecânic, que antes nã eram registrads devid à curta duraçã

64 Cas Real: 3M d Brasil Objetivs d Cliente Cálcul de OEE da linha de prduçã de abrasivs Entender mtivs de pequenas paradas nã apntadas pel peradr Integraçã ds dads cm sistema crprativ e dipnibilizaçã ds relatóris para manufatura Abrdagem Avaliar prduts dispníveis n mercad (nã queria sluçã persnalizada) Instalar sftware de registr históric (PIMS) cletand diretamente das máquinas (CLPs); nã era necessári sistema supervisóri Apntar mtivs de parada através de IHM n camp Resultads Obtids Instalaçã, mdelagem e desenvlviment de relatóris em 35 dias Manufatura passu a visualizar relatóris via web cm infrmações já cnslidadas e mais cnfiáveis Justificativa de nvs prjets cm base ns dads gerads pel sistema Reduçã de perdas

65 Cas Real: Uma das maires cervejarias d mund Objetivs d Cliente Integrar cm ERP (SAP) Aumentar a eficiência das linhas de envase Aumentar a prduçã Reduzir perdas pr acúmul u falta de prdut Abrdagem Fram avaliads s prduts de mercad X desenvlviment própri Cmprada uma sluçã de mercad Fi instalad na infra estrutura existente Resultads Obtids Integraçã em temp real cm sistema ERP Grande aument na eficiência da linha Aument de mais de 5% na prdutividade Reduçã de 90% em rejeits e errs na embalagem (perdas) Reduçã d estque de prdut acabad Facilidade de cmunicaçã e cmpartilhament de infrmações n time de prduçã

66 Cas Real: Usina de Açúcar e Álcl Objetivs d Cliente Gerenciar a Eficiência da Menda, gargal das fábricas de açúcar e da destilaria de álcl Diminuir as paradas e perar em sua capacidade ttal Prtal web únic para integrar infrmações d prcess, labratóri e sistema ERP Abrdagem Avaliar de prduts dispníveis n mercad Instalar sftware de registr históric (PIMS) aprveitand dads já existentes ds sistemas supervisóris sistema partiu cm 3 ans de dads histórics Resultads Obtids Instalaçã, mdelagem da menda e desenvlviment de relatóris web em apenas 15 dias Aument na eficiência da linha descbrind falhas de peraçã e falta de treinament de pessal Melhr planejament da manutençã Aument na cmunicaçã e cmpartilhament de infrmações n time de prduçã

67 Resumind... Principais Usuáris Diretr da fábrica Gerente de prduçã Gerente de engenharia Gerente de qualidade Engenheirs de prcess Operadres Aplicações e prblemas reslvids Identificar as áreas respnsáveis pr ineficiência peracinal (gargals) Melhrar a qualidade e cnsistência ds prduts e prcesss Aumentar a receita bruta, adequar a exigências d cnsumidr e de agências regulatórias

68 para cntat :

Vensis PCP. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br

Vensis PCP. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br Vensis PCP Vensis PCP O PCP é módul de planejament e cntrle de prduçã da Vensis. Utilizad n segment industrial, módul PCP funcina de frma ttalmente integrada a Vensis ERP e permite às indústrias elabrar

Leia mais

Academia FI Finanças

Academia FI Finanças Academia FI Finanças A Academia é melhr caminh para especializaçã dentr de um tema n ERP da SAP. Para quem busca uma frmaçã cm certificaçã em finanças, mais indicad é participar da próxima Academia de

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação Os nvs uss da tecnlgia da infrmaçã nas empresas Sistemas de Infrmaçã Prf. Marcel da Silveira Siedler siedler@gmail.cm SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Planejament

Leia mais

5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO:

5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO: 5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO: 5.1 INTRODUÇÃO A rganizaçã da manutençã era cnceituada, até há puc temp, cm planejament e administraçã ds recurss para a adequaçã à carga de trabalh esperada.

Leia mais

Proposta. Treinamento Lean Thinking Mentalidade Enxuta. Apresentação Executiva

Proposta. Treinamento Lean Thinking Mentalidade Enxuta. Apresentação Executiva Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta www.masterhuse.cm.br Prpsta Cm Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta Apresentaçã Executiva Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta Cpyright 2011-2012

Leia mais

CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO

CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO Cnteúd prgramátic CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO Este é cnteúd prgramátic d curs preparatóri n nv prgrama CDO-0001 para a certificaçã CmpTIA CDIA+. CONCEITUAL ECM Apresentaçã ds cnceits envlvids

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR 1. Históric da Jrnada AGIR Ns ambientes crprativs atuais, a adçã de um mdel de gestã integrada é uma decisã estratégica n api às tmadas

Leia mais

MASTERCOMP ESCOLA DE INFORMÁTICA

MASTERCOMP ESCOLA DE INFORMÁTICA www.mastercmp.net 1 www.mastercmp.net www.mastercmp.net INFORMAÇO ES ADICIONAIS DO CURSO DE PROMODEL E MS PROJECT Prgramaçã: Carga hrária: 32 Hras Lcal: Sã Sebastiã d Paraís MG Prgramas usads n curs: MS

Leia mais

Universidade Luterana do Brasil Faculdade de Informática. Disciplina de Engenharia de Software Professor Luís Fernando Garcia www.garcia.pro.

Universidade Luterana do Brasil Faculdade de Informática. Disciplina de Engenharia de Software Professor Luís Fernando Garcia www.garcia.pro. Universidade Luterana d Brasil Faculdade de Infrmática Disciplina de Engenharia de Sftware Prfessr Luís Fernand Garcia www.garcia.pr.br EVOLUÇÃO EM ENGENHARIA DE SOFTWARE 10 Sistemas Legads O investiment

Leia mais

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000 ISO 9001:2008 alterações à versã de 2000 Já passaram quase it ans desde que a versã da ISO 9001 d an 2000 fi publicada, que cnduziu à necessidade de uma grande mudança para muitas rganizações, incluind

Leia mais

Autocalibração com erros relacionados ao Sistema, Auto CQ e Troca de Reagente

Autocalibração com erros relacionados ao Sistema, Auto CQ e Troca de Reagente As Clientes ds Sistemas de Química ADVIA. Referente: Ntificaçã Urgente de Segurança em Camp CHSW 13 03 10816443 Rev. A Data Nvembr / 2013 E-mail assunts.regulatris.br@siemens.cm Internet www.siemens.cm

Leia mais

Projetos, Programas e Portfólios

Projetos, Programas e Portfólios Prjets, Prgramas e Prtfólis pr Juliana Klb em julianaklb.cm Prjet Segund PMBOK (2008): um prjet é um esfrç temprári empreendid para criar um nv prdut, serviç u resultad exclusiv. Esta definiçã, apesar

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS. Uma visão geral Baseado nas diretrizes do PMI

GESTÃO DE PROJETOS. Uma visão geral Baseado nas diretrizes do PMI GESTÃO DE PROJETOS Uma visã geral Bead n diretrizes d PMI 1 Intrduçã Objetiv da Apresentaçã O bjetiv é frnecer uma visã geral ds prcesss de Gestã de Prjets aplicads à Gestã de Empreendiments. O que é Prjet?

Leia mais

Principais Informações

Principais Informações Principais Infrmações Quem é Benefix Sistemas? Frmada pr ex-executivs e equipe de tecnlgia da Xerx d Brasil, que desenvlvem e suprtam sluções e estratégias invadras para setr públic, especializada dcuments

Leia mais

Boletim Comercial. Tema: BC003 Plano de Disponibilidade Ilimitada de Recursos UV. Introdução

Boletim Comercial. Tema: BC003 Plano de Disponibilidade Ilimitada de Recursos UV. Introdução Bletim Cmercial Tema: BC003 Plan de Dispnibilidade Ilimitada de Recurss UV Intrduçã Sistemas de cura UV sã cada vez mais presentes em indústrias que imprimem grandes vlumes de materiais, independente d

Leia mais

Supply Chain Game. EXERCÍCIOS PRÁTICOS DE LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS Autor: Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves

Supply Chain Game. EXERCÍCIOS PRÁTICOS DE LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS Autor: Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves Supply Chain Game EXERCÍCIOS PRÁTICOS DE LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS Autr: Prf. Dr. Daniel Bertli Gnçalves Exercíci Prátic 1 Simuland uma Cadeia e planejand seus estques Lcal: em sala de aula Material

Leia mais

táxis compartilhados Shared-transport / Shared-taxi

táxis compartilhados Shared-transport / Shared-taxi Benefícis ds serviçs de transprte de táxis cmpartilhads Shared-transprt / Shared-taxi Reuniã de Especialistas sbre Transprte Urban Sustentável: Mdernizand e Trnand Eclógicas as Frtas de Táxis nas Cidades

Leia mais

3 Formulação da Metodologia 3.1. Considerações Iniciais

3 Formulação da Metodologia 3.1. Considerações Iniciais 53 3 Frmulaçã da Metdlgia 3.1. Cnsiderações Iniciais O presente capítul tem cm finalidade prpr e descrever um mdel de referencia para gerenciament de prjets de sftware que pssa ser mensurável e repetível,

Leia mais

Vensis Manutenção. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br

Vensis Manutenção. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br Vensis Manutençã Vensis Manutençã É módul que permite gerenciament da manutençã de máquinas e equipaments. Prgramaçã de manutenções preventivas u registr de manutenções crretivas pdem ser feits de frma

Leia mais

Gerenciamento do Escopo

Gerenciamento do Escopo Pós-graduaçã Gestã Empresarial Módul GPE Gestã de Prjets Empresariais Prf. MSc Jsé Alexandre Mren prf.mren@ul.cm.br agst_setembr/2009 1 Gerenciament d Escp 3 Declaraçã d escp Estrutura Analítica d Prjet

Leia mais

ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11

ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11 ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11 OBJETIVO Infraestrutura e tecnlgia d Prtheus sã a base de uma sluçã de gestã empresarial rbusta, que atende a tdas as necessidades de desenvlviment, persnalizaçã, parametrizaçã

Leia mais

Plano de curso Planejamento e Controle da Manutenção de Máquinas e Equipamentos

Plano de curso Planejamento e Controle da Manutenção de Máquinas e Equipamentos PLANO DE CURSO MSOBRPCMME PAG1 Plan de curs Planejament e Cntrle da Manutençã de Máquinas e Equipaments Justificativa d curs Nã é fácil encntrar uma definiçã cmpleta para Gestã da manutençã de máquinas

Leia mais

Versão 14.0 Junho 2015 www.psr-inc.com Contato: sddp@psr-inc.com. Representação mais detalhada da operação em cada estágio: 21 blocos

Versão 14.0 Junho 2015 www.psr-inc.com Contato: sddp@psr-inc.com. Representação mais detalhada da operação em cada estágio: 21 blocos Versã 14.0 Junh 2015 www.psr-inc.cm Cntat: sddp@psr-inc.cm SDDP VERSÃO 14.0 Nvidades Representaçã mais detalhada da peraçã em cada estági: 21 blcs Tradicinalmente, a peraçã de cada estági (semana u mês)

Leia mais

Banco Industrial do Brasil S.A. Gerenciamento de Capital

Banco Industrial do Brasil S.A. Gerenciamento de Capital Banc Industrial d Brasil S.A. Gerenciament de Capital 2014 1 Sumári 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL... 4 4. PLANO DE CAPITAL... 5 5. RESPONSABILIDADES... 6

Leia mais

INTRODUÇÃO A LOGICA DE PROGRAMAÇÃO

INTRODUÇÃO A LOGICA DE PROGRAMAÇÃO INTRODUÇÃO A LOGICA DE PROGRAMAÇÃO A Lógica de Prgramaçã é necessária à tdas as pessas que ingressam u pretendem ingressar na área de Tecnlgia da Infrmaçã, send cm prgramadr, analista de sistemas u suprte.

Leia mais

Prefeitura Municipal de Belo Horizonte Vox Mercado Pesquisa e Projetos Ltda. Dados da organização

Prefeitura Municipal de Belo Horizonte Vox Mercado Pesquisa e Projetos Ltda. Dados da organização Data de elabraçã da ficha: Jun 2007 Prefeitura Municipal de Bel Hriznte Vx Mercad Pesquisa e Prjets Ltda. Dads da rganizaçã Nme: Prefeitura Municipal de Bel Hriznte Endereç: Av. Afns Pena, 1212 - Cep.

Leia mais

PROCESSO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE DO GRUPO HISPASAT

PROCESSO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE DO GRUPO HISPASAT PROCESSO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE DO GRUPO HISPASAT GRUPO HISPASAT Mai de 2014 PRIVADO PRIVADO E CONFIDENCIAL E Dcument Dcument prpriedade prpriedade HISPASAT,S.A. da 1 Prcess de atendiment a cliente

Leia mais

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde Anex V Sftware de Registr Eletrônic em Saúde Implantaçã em 2 (duas) Unidades de Saúde Índice 1 INTRODUÇÃO... 3 2 ESTRATÉGIAS E PROCEDIMENTOS DE IMPLANTAÇÃO... 3 4 INFRAESTRUTURA NAS UNIDADES DE SAÚDE -

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO FINANCEIRO

MANUAL DO USUÁRIO FINANCEIRO SIGIO Sistema Integrad de Gestã de Imprensa Oficial MANUAL DO USUÁRIO FINANCEIRO S I G I O M A N U A L D O U S U Á R I O P á g i n a 2 Cnteúd 1 Intrduçã... 3 2 Acess restrit a sistema... 4 2.1 Tips de

Leia mais

Traz para sua empresa:

Traz para sua empresa: Traz para sua empresa: Link Internet para Prfissinais Liberais, Pequenas e Médias Empresas e inclusive as Grandes Empresas Características Nex Cnnect Small Business é serviç de Link Internet destinad às

Leia mais

Supply Chain Game. EXERCÍCIOS PRÁTICOS DE LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS Autor: Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves

Supply Chain Game. EXERCÍCIOS PRÁTICOS DE LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS Autor: Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves Supply Chain Game EXERCÍCIOS PRÁTICOS DE LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS Autr: Prf. Dr. Daniel Bertli Gnçalves Exercíci Prátic Simuland Cadeias de Supriments v2.0 Lcal: em sala de aula Material Necessári:

Leia mais

é a introdução de algo novo, que atua como um vetor para o desenvolvimento humano e melhoria da qualidade de vida

é a introdução de algo novo, que atua como um vetor para o desenvolvimento humano e melhoria da qualidade de vida O que é invaçã? Para a atividade humana: é a intrduçã de alg nv, que atua cm um vetr para desenvlviment human e melhria da qualidade de vida Para as empresas: invar significa intrduzir alg nv u mdificar

Leia mais

Por favor, considere a proteção ao meio ambiente antes de imprimir esse documento

Por favor, considere a proteção ao meio ambiente antes de imprimir esse documento Interbrs Tecnlgia e Sluções de Internet Ltda. Rua Dr. Guilherme Bannitz, 126 2º andar Cnj. 21 /179 Itaim Bibi - Sã Paul- SP - 04532-060 Fne: 55 11 9209-3717 / 55 11 8162-0161 Pr favr, cnsidere a prteçã

Leia mais

REQUISITOS PRINCIPAIS: Regulamentação final sobre controles preventivos de alimentos para consumo humano Visão rápida

REQUISITOS PRINCIPAIS: Regulamentação final sobre controles preventivos de alimentos para consumo humano Visão rápida O FDA ferece esta traduçã cm um serviç para um grande públic internacinal. Esperams que vcê a ache útil. Embra a agência tenha tentad bter uma traduçã mais fiel pssível à versã em inglês, recnhecems que

Leia mais

Channel. Colaboradores. Tutorial. Atualizado com a versão 3.9

Channel. Colaboradores. Tutorial. Atualizado com a versão 3.9 Channel Clabradres Tutrial Atualizad cm a versã 3.9 Cpyright 2009 pr JExperts Tecnlgia Ltda. tds direits reservads. É pribida a reprduçã deste manual sem autrizaçã prévia e pr escrit da JExperts Tecnlgia

Leia mais

1 Índice. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br

1 Índice. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br Vensis ERP 1 Índice 1 Índice... 2 2 Vensis ERP... 3 2.1 Móduls Principais... 4 2.2 Móduls Cmplementares... 4 2.3 Infrmações Gerenciais... 5 3 Apresentaçã Detalhada Móduls Principais... 6 3.1 Características

Leia mais

Tecnologia da Informação: Otimizando Produtividade e Manutenção Industrial

Tecnologia da Informação: Otimizando Produtividade e Manutenção Industrial Tecnologia da Informação: Otimizando Produtividade e Manutenção Industrial Por Christian Vieira, engenheiro de aplicações para a América Latina da GE Fanuc Intelligent Platforms, unidade da GE Enterprise

Leia mais

A Importância de Sistemas de Informação para a Competitividade Logística

A Importância de Sistemas de Informação para a Competitividade Logística A Imprtância de Sistemas de Infrmaçã para a Cmpetitividade Lgística Paul Nazári 1. Intrduçã O avanç da tecnlgia de infrmaçã (TI) ns últims ans vem permitind às empresas executarem perações que antes eram

Leia mais

Os Oito Principais de Sistemas de

Os Oito Principais de Sistemas de Infrme Especial Os Oit Principais in Yur DSD Mits Mbile de Sistemas de Security Strategy Gerenciament de Armazém para empresas de pequen e médi prte. Intrduçã A era das perações manuais em Armazéns está

Leia mais

GERENCIAMENTO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM. Solução de Gestão Eletrônica de Documentos Acadêmicos

GERENCIAMENTO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM. Solução de Gestão Eletrônica de Documentos Acadêmicos GERENCIAMENTO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM Sluçã de Gestã Eletrônica de Dcuments Acadêmics OBJETIVOS DA SOLUÇÃO BENEFÍCIOS GERAIS A Sluçã ECMDOC de Gestã de Dcuments Acadêmics, tem cm principais

Leia mais

Mensagem do atendimento ao cliente

Mensagem do atendimento ao cliente ASSUNTO: Cisc WebEx: Patch padrã a ser aplicad em [[DATA]] para [[WEBEXURL]] Cisc WebEx: Patch padrã em [[DATA]] A Cisc WebEx está enviand esta mensagem para s principais cntats de negóci em https://[[webexurl]]

Leia mais

Diferenciais do QlikView Versus Tecnologias Tradicionais

Diferenciais do QlikView Versus Tecnologias Tradicionais Diferenciais d QlikView Versus Tecnlgias Tradicinais Índice Tecnlgia MOLAP... 3 Demanda criaçã de Datawarehuse... 3 Númer limitad de dimensões... 3 Inflexível... 3 Cnsultas smente nline... 3 Tecnlgia ROLAP...

Leia mais

Desenho centrado em utilização

Desenho centrado em utilização Desenh centrad em utilizaçã Engenharia de Usabilidade Prf.: Clarind Isaías Pereira da Silva e Pádua Departament de Ciência da Cmputaçã - UFMG Desenh centrad em utilizaçã Referências Cnstantine, L.L., &

Leia mais

Projeto de Arquitetura Objetivos. Tópicos abordados. Arquitetura de software. Vantagens da arquitetura explícita

Projeto de Arquitetura Objetivos. Tópicos abordados. Arquitetura de software. Vantagens da arquitetura explícita Prjet de Arquitetura Objetivs Apresentar prjet de arquitetura e discutir sua imprtância Explicar as decisões de prjet de arquitetura que têm de ser feitas Apresentar três estils cmplementares de arquitetura

Leia mais

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30)

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30) UNIP Brasília - Crdenaçã CG/CW/GR/AD Senhres Aluns, Seguem infrmações imprtantes sbre PIM: 1. O QUE É? - Os PIM (Prjet Integrad Multidisciplinar) sã prjets brigatóris realizads els aluns ds curss de graduaçã

Leia mais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais Nvas Salvaguardas Ambientais e Sciais Discussões Técnicas de Gvern ESS1 Avaliaçã e Gerenciament de Riscs e Impacts Sciais e Ambientais 15 de utubr, 2014 Objetivs da ESS1 Identificar, avaliar e gerir s

Leia mais

COORDENADORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Suporte técnico

COORDENADORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Suporte técnico COORDENADORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Suprte técnic O serviç de suprte técnic tem pr bjetiv frnecer atendiment as usuáris de prduts e serviçs de infrmática da Defensria Pública. Este serviç é prvid

Leia mais

SUMÁRIO. A Stavale & CCT oferece treinamentos abertos e in company.

SUMÁRIO. A Stavale & CCT oferece treinamentos abertos e in company. A Stavale & CCT ferece treinaments aberts e in cmpany. Clabradres mais qualificads e empresa mais lucrativa. Sluções mais rápidas e efetivas. Treinaments custmizads para sua empresa. Dispms de sala cm

Leia mais

GESTÃO DE LABORATÓRIOS

GESTÃO DE LABORATÓRIOS Seminári Luanda, 26,27,28,29 e 30 de Mai de 2014 - Htel **** Guia Prática GESTÃO DE LABORATÓRIOS Finanças Assegure uma gestã eficaz de tdas as áreas 40 hras de Frmaçã Especializada Cnceits ecnómic-financeirs

Leia mais

Capítulo VII Projetos de eficiência energética em iluminação pública Por Luciano Haas Rosito*

Capítulo VII Projetos de eficiência energética em iluminação pública Por Luciano Haas Rosito* 20 Api O Setr Elétric / Julh de 2009 Desenvlviment da Iluminaçã Pública n Brasil Capítul VII Prjets de eficiência energética em iluminaçã pública Pr Lucian Haas Rsit* Neste capítul abrdarems s prjets de

Leia mais

Agenda. A interface de Agendamento é encontrada no Modulo Salão de Vendas Agendamento Controle de Agendamento, e será apresentada conforme figura 01.

Agenda. A interface de Agendamento é encontrada no Modulo Salão de Vendas Agendamento Controle de Agendamento, e será apresentada conforme figura 01. Agenda Intrduçã Diariamente cada um ds trabalhadres de uma empresa executam diversas atividades, muitas vezes estas atividades tem praz para serem executadas e devem ser planejadas juntamente cm utras

Leia mais

Modelagem, qualificação e distribuição em um padrão para geoinformações

Modelagem, qualificação e distribuição em um padrão para geoinformações Mdelagem, qualificaçã e distribuiçã em um padrã para geinfrmações Julia Peixt 14h, 14 de junh de 2010. Mtivaçã Acerv de dads desde 1994 em diferentes áreas de pesquisa; Muitas pessas fazend muits trabalhs

Leia mais

Gestão Sindical Eficiente

Gestão Sindical Eficiente Gestã Sindical Eficiente Apresentaçã O Agile Sindical é a sluçã para apiar a implementaçã de uma gestã estruturada das atividades sindicais. A sluçã apresenta móduls para gerenciament ds prcesss-chave

Leia mais

Integração com coletores de ponto, catracas, dispositivos de abertura de portas, fechaduras eletromagnéticas,

Integração com coletores de ponto, catracas, dispositivos de abertura de portas, fechaduras eletromagnéticas, Vsft ids Acess Web Cntrle de acess e pnt A Vsft desenvlveu uma sluçã baseada em sftware e hardware para cntrle de acess e u pnt que pde ser utilizada pr empresas de qualquer prte. Cm us da tecnlgia bimétrica

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PIAUÍ. PROJETO OTIMIZAR Plano do Programa

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PIAUÍ. PROJETO OTIMIZAR Plano do Programa 1. Escp u finalidade d prjet PROJETO OTIMIZAR Plan d Prgrama O Prjet Otimizar visa aprimrar ações implantadas que têm pr bjetiv a reduçã de cnsum de materiais e criar mecanisms de avaliaçã que pssam medir

Leia mais

III.3. SISTEMAS HÍBRIDOS FIBRA/COAXIAL (HFC)

III.3. SISTEMAS HÍBRIDOS FIBRA/COAXIAL (HFC) 1 III.3. SISTEMAS HÍBRIDOS FIBRA/COAXIAL (HFC) III.3.1. DEFINIÇÃO A tecnlgia HFC refere-se a qualquer cnfiguraçã de fibra ótica e cab caxial que é usada para distribuiçã lcal de serviçs de cmunicaçã faixa

Leia mais

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO IX GRUPO DE ESTUDO DE OPERAÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS GOP

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO IX GRUPO DE ESTUDO DE OPERAÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS GOP SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GOP 07 14 a 17 Outubr de 2007 Ri de Janeir - RJ GRUPO IX GRUPO DE ESTUDO DE OPERAÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS GOP SISTEMA DE INFORMAÇÃO

Leia mais

A atuação do Síndico Profissional é a busca do pleno funcionamento do condomínio. Manuel Pereira

A atuação do Síndico Profissional é a busca do pleno funcionamento do condomínio. Manuel Pereira A atuaçã d Síndic Prfissinal é a busca d plen funcinament d cndmíni Manuel Pereira Missã e Atividades Habilidade - Cnhecems prfundamente a rtina ds cndmínis e seus prblemas administrativs. A atuaçã é feita

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS Versã 0.0 25/10/2010 Sumári 1 Objetivs... 3 2 Cnceits... 3 3 Referências... 3 4 Princípis... 3 5 Diretrizes d Prcess... 4 6 Respnsabilidades... 5 7

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL Intrduçã O presente Regulament cnstitui um dcument intern d curs de Ciências Cntábeis e tem pr bjetiv reger as atividades relativas a Estági de Iniciaçã

Leia mais

Apresentação do Curso

Apresentação do Curso At endi m ent acl i ent e Apr es ent aç ãdc ur s Apresentaçã d Curs O curs Atendiment a Cliente fi elabrad cm bjetiv de criar cndições para que vcê desenvlva cmpetências para: Identificar s aspects que

Leia mais

TESTE DE SOFTWARE (Versão 2.0)

TESTE DE SOFTWARE (Versão 2.0) Universidade Luterana d Brasil Faculdade de Infrmática Disciplina de Engenharia de Sftware Prfessr Luís Fernand Garcia www.garcia.pr.br TESTE DE SOFTWARE (Versã 2.0) 9 Teste de Sftware Imprtância Dependência

Leia mais

Novo Sistema Almoxarifado

Novo Sistema Almoxarifado Nv Sistema Almxarifad Instruções Iniciais 1. Ícnes padrões Existem ícnes espalhads pr td sistema, cada um ferece uma açã. Dentre eles sã dis s mais imprtantes: Realiza uma pesquisa para preencher s camps

Leia mais

APLICAÇÃO DO SOFTWARE ELIPSE E3 NAS USINAS HIDRELÉTRICAS ILHA SOLTEIRA E ENGENHEIRO SOUZA DIAS (JUPIÁ)

APLICAÇÃO DO SOFTWARE ELIPSE E3 NAS USINAS HIDRELÉTRICAS ILHA SOLTEIRA E ENGENHEIRO SOUZA DIAS (JUPIÁ) APLICAÇÃO DO SOFTWARE ELIPSE E3 NAS USINAS HIDRELÉTRICAS ILHA SOLTEIRA E ENGENHEIRO SOUZA DIAS (JUPIÁ) Este case apresenta a aplicaçã da sluçã Elipse E3 para aprimrar mnitrament da temperatura encntrada

Leia mais

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal d Ceará Campus de Sbral Curs de Engenharia da Cmputaçã Regulament para realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs Intrduçã Este dcument estabelece as regras básicas para funcinament das

Leia mais

XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica

XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica XVIII Seminári Nacinal de Distribuiçã de Energia Elétrica SENDI 2008-06 a 10 de utubr 7.2 Olinda - Pernambuc - Brasil Autmaçã na Distribuiçã: O Prcess de autmaçã ds equipaments de linha na rede CELPE.

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatóri de Gerenciament de Riscs 2º Semestre de 2014 1 Sumári 1. Intrduçã... 3 2. Gerenciament de Riscs... 3 3. Risc de Crédit... 4 3.1. Definiçã... 4 3.2. Gerenciament... 4 3.3. Limites de expsiçã à

Leia mais

Processos de desumidificação visam manter a Umidade Relativa do Ar em níveis abaixo de 50%.

Processos de desumidificação visam manter a Umidade Relativa do Ar em níveis abaixo de 50%. 1. TEORIA Para prcesss específics de utilizaçã, é necessári manter cndições de temperatura e umidade relativa d ar em cndições específicas para prduçã e u trabalh. Prcesss de desumidificaçã visam manter

Leia mais

Geoprocessamento integrado à gestão de propriedades rurais piloto COCAMAR em Jussara-PR Autor:

Geoprocessamento integrado à gestão de propriedades rurais piloto COCAMAR em Jussara-PR Autor: Geprcessament integrad à gestã de prpriedades rurais pilt COCAMAR em Jussara-PR Autr: Flavi Duran Altimari Geprcessament aplicad a gestã de prpriedades rurais Autres: Flavi D. Altimari 54 Unidades (Entrepsts)

Leia mais

Workflow. José Palazzo Moreira de Oliveira. Mirella Moura Moro

Workflow. José Palazzo Moreira de Oliveira. Mirella Moura Moro Pdems definir Wrkflw cm: Wrkflw Jsé Palazz Mreira de Oliveira Mirella Mura Mr "Qualquer tarefa executada em série u em paralel pr dis u mais membrs de um grup de trabalh (wrkgrup) visand um bjetiv cmum".

Leia mais

GUIA RÁPIDO DE CONFIGURAÇÃO PARA WINDOWS

GUIA RÁPIDO DE CONFIGURAÇÃO PARA WINDOWS GUIA RÁPIDO DE CONFIGURAÇÃO PARA WINDOWS CONTEÚDO 1. Intrduçã... 3 2. Requisits de Sftware e Hardware:... 3 3. Usuári e Grups:... 3 3.1. Cnfigurand cm Micrsft AD:... 3 3.2. Cnfigurand s Grups e Usuáris:...

Leia mais

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 Flrianóplis, 25 de janeir de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 1) Cnsiderações Gerais: A Federaçã Nacinal ds Estudantes de Engenharia Civil

Leia mais

Integração com coletores de ponto, catracas, dispositivos de abertura de portas, fechaduras eletromagnéticas,

Integração com coletores de ponto, catracas, dispositivos de abertura de portas, fechaduras eletromagnéticas, Vsft ids Pnt Web Cntrle de acess e pnt A Vsft desenvlveu uma sluçã baseada em sftware e hardware para cntrle de acess e u pnt que pde ser utilizada pr empresas de qualquer prte. Cm us da tecnlgia bimétrica

Leia mais

Aplicações Clinicas. Patologia Clínica. Luís Lito

Aplicações Clinicas. Patologia Clínica. Luís Lito 0 Aplicações Clinicas Patlgia Clínica Luís Lit 1 Evluçã 1. 1993 - Infrmatizaçã parcial d Lab. de Química Clinica 2. 1996 - Inici da infrmatizaçã d Serviç de Patlgia Clínica Clinidata (sistema UNIX/COBOL

Leia mais

GT-ATER: Aceleração do Transporte de Dados com o Emprego de Redes de Circuitos Dinâmicos. RT3 - Avaliação dos resultados do protótipo

GT-ATER: Aceleração do Transporte de Dados com o Emprego de Redes de Circuitos Dinâmicos. RT3 - Avaliação dos resultados do protótipo GT-ATER: Aceleraçã d Transprte de Dads cm Empreg de Redes de Circuits Dinâmics RT3 - Avaliaçã ds resultads d prtótip Sand Luz Crrêa Kleber Vieira Cards 03/08/2013 1. Apresentaçã d prtótip desenvlvid Nesta

Leia mais

Roteiro de Implantação Estoque

Roteiro de Implantação Estoque Rteir de Implantaçã Estque Revisã: 23/07/2004 Abrangência Versã 7.10 Cadastrs Básics Dicas: Explique a necessidade d preenchiment ds brigatóris (camps na cr azul). Verifique se cliente necessita que mais

Leia mais

Mais segurança para sua empresa conceder crédito a consumidores.

Mais segurança para sua empresa conceder crédito a consumidores. 909 SCPC/SERVIÇO E PROTEÇÃO (SCPC) Mais segurança para sua empresa cnceder crédit a cnsumidres. O SCPC frnece infrmações restritivas de td Brasil para auxiliar a sua empresa a avaliar cnsumidres e realizar

Leia mais

3. TIPOS DE MANUTENÇÃO:

3. TIPOS DE MANUTENÇÃO: 3. TIPOS DE MANUTENÇÃO: 3.1 MANUTENÇÃO CORRETIVA A manutençã crretiva é a frma mais óbvia e mais primária de manutençã; pde sintetizar-se pel cicl "quebra-repara", u seja, repar ds equipaments após a avaria.

Leia mais

SGCT - Sistema de Gerenciamento de Conferências Tecnológicas

SGCT - Sistema de Gerenciamento de Conferências Tecnológicas SGCT - Sistema de Gerenciament de Cnferências Tecnlógicas Versã 1.0 09 de Setembr de 2009 Institut de Cmputaçã - UNICAMP Grup 02 Andre Petris Esteve - 070168 Henrique Baggi - 071139 Rafael Ghussn Can -

Leia mais

Mateiral de Apoio. TOP Mobilidade RM 11.83

Mateiral de Apoio. TOP Mobilidade RM 11.83 Mateiral de Api TOP Mbilidade RM 11.83 Índice 1. Mbilidade... 4 1.1. Avanç Físic... 4 1.1.1. Parâmetrs... 4 1.1.2. Cletres... 5 1.1.2.1. Cadastrs... 5 1.1.2.2. Prcesss de Desativaçã e Inativaçã de Cletres...

Leia mais

Todos os direitos reservados Versão 1.2

Todos os direitos reservados Versão 1.2 Guia de Relatóris Tds s direits reservads Versã 1.2 1 Guia de Relatóris Índice 1 Pedids... 3 1.1 Mnitr de Pedids... 3 1.2 Pedids... 4 1.3 Estatísticas de Pedids... 5 1.4 Acess e Cnsum... 7 1.5 Pedids pr

Leia mais

MODALIDADE DE FORMAÇÃO

MODALIDADE DE FORMAÇÃO CURSO 7855 PLANO DE NEGÓCIO - CRIAÇÃO DE PEQUENOS E MÉDIOS NEGÓCIOS Iníci ------ Duraçã 50h Hrári(s) ------ OBJECTIVOS GERAIS - Identificar s principais métds e técnicas de gestã d temp e d trabalh. -

Leia mais

MONITORIA & AVALIAÇÃO:

MONITORIA & AVALIAÇÃO: MONITORIA & AVALIAÇÃO: Os fundaments para bter resultads Bénédicte de la Briere O Banc Mundial Os bjetivs desta sessã 1 2 3 4 5 Prquê cncentrar-se ns resultads Mnitria u Avaliaçã Utilizar uma cadeia de

Leia mais

PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO

PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO R.M. Infrmática Cmérci e Serviç Ltda CNPJ: 04.831.742/0001-10 Av. Rdrig Otávi, 1866, Módul 22 Distrit Industrial - Manaus - AM Tel./Fax (92) 3216-3884 http://www.amaznit.cm.br e-mail: amaznit@amaznit.cm.br

Leia mais

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas Guia d Prcess de Sftware d MAPA Metdlgia de Desenvlviment de Sistemas Versã 1.0 Dcument cnfidencial e prprietári Versã d mdel: 1.1 Históric das Revisões Data Versã Descriçã Autr 24/03/2008 1.0 Iníci da

Leia mais

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco Orientações e Recmendações Orientações relativas à infrmaçã periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de ntaçã de risc 23/06/15 ESMA/2015/609 Índice 1 Âmbit de aplicaçã... 3 2 Definições... 3 3 Objetiv

Leia mais

Para você que procura o máximo em atendimento!

Para você que procura o máximo em atendimento! Para vcê que prcura máxim em atendiment! Sftware de Gestã Cnsultria em T.I. Manutençã de Equipaments Redes Hspedagem de Sistemas Web Design Distribuidra de Infrmática Nssa Empresa Para vcê que prcura máxim

Leia mais

Essentra BAX Application Server IPCentrex (SoftSwitch, Classe 5)

Essentra BAX Application Server IPCentrex (SoftSwitch, Classe 5) Essentra BAX Applicatin Server IPCentrex (SftSwitch, Classe 5) O Applicatin Server Essentra BAX tem cm tarefa principal dar máxim de facilidades para usuári de uma rede de telecm prvend serviçs que vã

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO ÍNDICE QUE VALORES [MASTERSAF DFE] TRAZEM PARA VOCÊ? 1. VISÃO GERAL E REQUISITOS PARA INSTALAÇÃO... 2 1.1. AMBIENTE... 2 1.2. BANCO DE DADOS... 4 2. BAIXANDO OS INSTALADORES DO DFE MASTERSAF... 5 3. INICIANDO

Leia mais

Vensis Associação Vensis ERP Entidades, Sindicatos e Federações.

Vensis Associação Vensis ERP Entidades, Sindicatos e Federações. Vensis Assciaçã Vensis ERP Entidades, Sindicats e Federações. Vensis Assciaçã O Vensis Assciaçã é um sistema desenvlvid para entidades cm sindicats, assciações, federações, fundações e utras de natureza

Leia mais

Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy

Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy Ricardo Caruso Vieira Aquarius Software Revista Cadware Ed.22 versão online 1. Introdução Há mais de duas décadas, a indústria investe intensamente

Leia mais

Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy

Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy Ricardo Caruso Vieira Aquarius Software 1. Introdução Há mais de duas décadas, a indústria investe intensamente em sistemas ERP (Enterprise Resource

Leia mais

Sistema de Gestão de BPM

Sistema de Gestão de BPM 1/13 ESTA FOLHA ÍNDICE INDICA EM QUE REVISÃO ESTÁ CADA FOLHA NA EMISSÃO CITADA R. 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 R. 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 FL. FL. 01 X 26 02 X 27 03 X 28 04 X 29 05 X 30 06 X

Leia mais

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO UC_REQ-MK_ACF-001 27/01/2015 00 1 / 12 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 2 Objetiv... 2 Públic Alv... 2 Escp... 2 Referências... 2 DESCRIÇÃO GERAL DO PRODUTO... 2 Características d Usuári... 2 Limites, Supsições e

Leia mais

COMO MELHORAR O DESEMPENHO DAS LINHAS DE. Edson Donisete da Silva, Carlos Roberto Sponteado Aquarius Software

COMO MELHORAR O DESEMPENHO DAS LINHAS DE. Edson Donisete da Silva, Carlos Roberto Sponteado Aquarius Software COMO MELHORAR O DESEMPENHO DAS LINHAS DE PRODUÇÃO Edson Donisete da Silva, Carlos Roberto Sponteado Aquarius Software Objetivo Apresentar conceitos e ferramentas atuais para melhorar eficiência da produção

Leia mais

Anexo 01 - Mapeamento Documentos ISO. Mapeamento dos Documentos ISO. Pasta/ forma Sala Supervisão. Pasta documentos da ISO

Anexo 01 - Mapeamento Documentos ISO. Mapeamento dos Documentos ISO. Pasta/ forma Sala Supervisão. Pasta documentos da ISO Item 01 02 03 04 05 06 Refere a dcument PQN-02 PQN-02 07 PQN-05 08 09 10 Identificaçã Nme d registr Cntrle de emissã e distribuiçã de dcuments Matriz ds registrs da qualidade Ficha de cntrle de atualizações

Leia mais

Manual do Novo Pátio. Revenda. Versão 2.0

Manual do Novo Pátio. Revenda. Versão 2.0 Manual d Nv Páti Revenda Versã 2.0 1 Cnteúd INTRODUÇÃO... 3 1.LOGIN... 4 2.ANUNCIANTE... 4 2.1 Listar Usuáris... 4 2.2 Criar Usuári... 5 2.2.1 Permissões:... 6 3.SERVIÇOS... 7 3.1 Serviçs... 7 3.2 Feirã...

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatóri de Gerenciament de Riscs 2º Semestre de 2015 1 Sumári 1. Intrduçã... 3 2. Gerenciament de Riscs... 3 2.1. Organgrama... 4 3. Risc de Crédit... 4 3.1. Definiçã... 4 3.2. Gerenciament... 4 3.3.

Leia mais

Manual de Instalação e Configuração

Manual de Instalação e Configuração Manual de Instalaçã e Cnfiguraçã Prdut:n-ReleaserEmbedded fr Lexmark Versã 1.2.1 Versã d Dc.:1.0 Autr: Lucas Machad Santini Data: 14/04/2011 Dcument destinad a: Clientes e Revendas Alterad pr: Release

Leia mais

1 Institucional. 1.1 Sobre a Vensis. 1.2 Missão, Políticas e Valores. 1.2.1 Missão. 1.2.2 Política da Qualidade

1 Institucional. 1.1 Sobre a Vensis. 1.2 Missão, Políticas e Valores. 1.2.1 Missão. 1.2.2 Política da Qualidade Institucinal 1 Institucinal 1.1 Sbre a Vensis A Vensis é uma empresa especializada n desenvlviment de sluções integradas para gestã de empresas. Atuand n mercad de tecnlgia da infrmaçã desde 1998, a empresa

Leia mais