ANEXO II - TERMOS DE REFERÊNCIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANEXO II - TERMOS DE REFERÊNCIA"

Transcrição

1 ANEXO II - TERMOS DE REFERÊNCIA 1. INTRODUÇÃO Segundo IBGE, 16,27 milhões de pessoas estão abaixo da linha da pobreza. Dessas pessoas, de paulistas, (300 mil famílias) vivem em situação de extrema pobreza. São pessoas vivendo com renda inferior a R$70,00 mensais. Essas famílias estão em um nível de privação social que sequer conseguem acessar serviços públicos básicos como saneamento, educação, saúde, dentre outros. Ciente da importância de se combater esse quadro, o Governo do Estado São Paulo assinou o Pacto Sudeste em , um acordo entre o Estado de São Paulo e os demais Estados da região e o Governo Federal para desenvolverem ações de localização e cadastramento da população com renda inferior ou igual a R$70,00. No caso de São Paulo, além do Pacto foi assinado na mesma data o termo de cooperação dos Programas de transferência de renda Bolsa Família e Renda Cidadã Variável com a finalidade de complementar a renda das famílias que não atingiam R$ 70,00 (Setenta Reais) per capita. Essa bolsa estava vinculada à realização da Agenda da Família Paulista, diferencial da ação de superação da extrema pobreza no Estado, envolvendo os agentes públicos na oferta de serviços, programas e projetos para apoiar as famílias a transpor as condições que as levaram a extrema pobreza. O São Paulo Solidário, hoje, não faz mais Transferência de Renda. É operacionalizado por meio de três eixos macros: Busca Ativa (localização, no campo, das famílias que se encontram em condição de extrema pobreza); Retrato Social (sistematização dos dados identificados na Busca Ativa); e Agenda da Família Paulista (formulário no qual a família indica suas necessidades prioritárias). Por uma questão operacional, optou-se por executar o Programa em etapas, dividindo o estado em três grupos, sendo a 1º composta pelos 97 municípios com menor IDH-M (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal), a 2º etapa por mais 483 municípios e a 3º e última pelos 65 municípios da região metropolitana. Num primeiro momento, identificam-se as privações através de um instrumento de coleta de dados elaborado com base no Índice de Pobreza Multidimensional IPM, criado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PNUD. Essa coleta envolve as Prefeituras, associações e organizações sociais locais para que se estruture a equipe de Visitadores Sociais. Após treinamento, esses visitadores vão a campo, para procurar essas famílias e aplicar um questionário que aborda as áreas da educação, da saúde e do padrão de vida, com base no já citado IPM. Essa ação de coleta é denominada Busca Ativa. Já foi realizada nos municípios com menor IDH-M. O resultado dessa coleta é um diagnóstico denominado Retrato Social. A Agenda da Família Paulista é o terceiro eixo do São Paulo Solidário. Visa combater a extrema pobreza no Estado de São Paulo e representa uma nova forma de viabilizar mudanças sociais às famílias em situação de privações nos municípios do Estado. Page 1 of 15

2 A partir do Retrato Social constrói-se junto às famílias de cada município a Agenda da Família Paulista. O técnico municipal deverá contatar a família para apresentar a proposta do Programa, formalizar o convite para participação e construir a Agenda da Família. Ao apresentar a proposta, o técnico deverá enfatizar que o objetivo maior do Programa é promover a mobilidade social. Para alcançar esse objetivo as famílias serão acompanhadas por um período de até três anos, e receberão o apoio do município e estado na construção e desenvolvimento de seus projetos de vida. Diante deste desafio e com intuito de apoiar as políticas e ações em todos os municípios, tornando mais eficiente e eficaz à aplicação dos recursos públicos na melhoria efetiva da qualidade de vida da população beneficiária, identificou-se a necessidade de construir: A) Um conjunto de indicadores baseados em dados já levantados pela SEDS e em programas sociais das demais secretarias do Estado de São Paulo; B) Uma metodologia de monitoramento do Programa São Paulo Solidário baseada no Índice de Pobreza Multidimensional do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento; C) Um sistema informatizado transacional web para inclusão, edição e geração de relatórios dos dados coletados no monitoramento descrito no item B, com cessão de licença por tempo indeterminado, cuja base de dados servirá para alimentar o sistema de Business Intelligence (BI) da SEDS (Cognos); 2. JUSTIFICATIVA A presença de pessoas (aproximadamente 300 mil famílias) em situação de extrema pobreza, em São Paulo, tem sido uma preocupação constante dos gestores públicos. Diante deste quadro, o Governo do Estado detectou a necessidade de estabelecimento de novos procedimentos operacionais e gerenciais visando contribuir para a significativa redução do índice de extrema pobreza em São Paulo, por meio do Projeto São Paulo Solidário, que tem por meta beneficiar as famílias mais vulneráveis com todas as políticas públicas. Tal desafio requer o desenvolvimento de mecanismos de gestão mais eficientes (metodologia e sistema de informação), que atuem no sentido de consolidar o papel do Estado enquanto agente coordenador das políticas públicas em seu território, partilhando, com as Diretorias Regionais de Assistência e Desenvolvimento Social DRADS 1 e os municípios, a responsabilidade pela melhoria efetiva das condições de vida da população e pela transparência dos indicadores de monitoramento do desempenho dos programas. 3. OBJETO Contratação de empresa especializada, com capacidade técnica e consultiva no desenvolvimento de um sistema de monitoramento composto por: I) Base de indicadores; II) Metodologia de monitoramento; e III) Sistema transacional de inclusão, edição e geração de relatórios dos dados coletados pela SEDS no Programa São Paulo Solidário. Os dados gerados a partir do sistema transacional serão utilizados para alimentar a ferramenta de BI da SEDS (Cognos). A CONTRATADA deverá trabalhar juntamente com equipe especializada em Cognos 1 A SEDS conta atualmente com 26 (vinte e seis) DRADS (Diretoria Regional de Assistência e Desenvolvimento Social), distribuídas pelas diversas regiões do Estado. Page 2 of 15

3 fornecida pela SEDS para garantir a integração e funcionalidade dos dois sistemas, a saber, transacional, objeto desse certame, e Cognos, fornecido pela Secretaria. O objetivo da implantação deste sistema de monitoramento é trazer indicadores de processo, de resultado e de impacto mensuráveis para o acompanhamento da mobilidade social das famílias cadastradas no Programa São Paulo Solidário. O sistema deverá permitir a identificação das particularidades regionais, a fim de auxiliar a SEDS na orientação técnica e gestão das informações referentes aos indicadores sociais e econômicos no Estado. São consideradas particularidades regionais: os ativos dos municípios, suas necessidades e todas as deficiências municipais em relação às políticas públicas. 4. METODOLOGIA A abordagem metodológica que será aplicada no sistema de monitoramento do Programa São Paulo Solidário deve ter por base os parâmetros adotados pela Secretaria de Desenvolvimento Social do Estado de São Paulo. Esses parâmetros consistem, sobretudo, no acompanhamento técnico da melhoria contínua da evolução do desempenho e eficácia dos programas sociais que serão endereçados às famílias extremamente pobres. Essa abordagem deve facilitar a adoção de medidas corretivas para melhorar a operacionalização dos programas sociais do Estado e atingir os objetivos e metas para superação da extrema pobreza no Estado de São Paulo. A metodologia deve considerar duas dimensões fundamentais: a) Identificação de processos que auxiliem na execução dos programas sociais das demais secretarias do Estado de São Paulo que possuem interface com o Programa São Paulo Solidário (revendo desenhos, dimensões organizacionais e institucionais) para a promoção do bem-estar e mobilidade social das famílias inscritas no Programa; b) Análise de resultados dos programas sociais do Estado de São Paulo, no contexto do Programa São Paulo Solidário, para que o Governo do Estado tenha conhecimento quanto à eficácia desses programas em relação à melhoria dos indicadores sociais em todo o território Estadual. Os procedimentos básicos de operacionalização e monitoramento previstos nestes Termos de Referência devem observar, no mínimo, os seguintes pressupostos: A CONTRATADA fará, em conjunto com a equipe técnica da SEDS, o planejamento das ações, definição do modelo e dos ciclos de monitoramento e gestão, além de garantir a compatibilidade dos dados do sistema transacional e métricas/indicadores construídos no escopo deste certame com o sistema de BI da SEDS (Cognos). A CONTRATADA trabalhará junto com equipe especializada em Cognos fornecida pela SEDS. Esse sistema vai auxiliar a gestão das informações pertinentes à execução e resultados alcançados pelos programas executados nos municípios em conjunto com a SEDS; Capacitação dos gestores públicos/técnicos municipais, equipe das DRADS, equipe técnica do Programa e outros atores da SEDS, acerca do uso do sistema e da metodologia de acompanhamento, incluindo métricas, indicadores, relatórios e ciclos de monitoramento. Trabalho em conjunto com a SEDS para definição do formato, da abrangência e dos prazos dos ciclos de monitoramento do Programa São Paulo Solidário utilizando o sistema, objeto do presente certame, a partir de dados já existentes e aqueles a serem levantados para fins de comparação e construção de série histórica. Com base nesses dados e nos ciclos de acompanhamento definidos, o objetivo é estruturar a forma de atuação da SEDS em relação aos beneficiários, por eixos ou agrupamentos pertinentes ao Programa São Paulo Solidário; Page 3 of 15

4 Apoio técnico e consultivo à SEDS para que a equipe da Secretaria possa: realizar o acompanhamento por estrato (faixa de renda, privações etc.) das famílias inseridas nos programas de superação da extrema pobreza do Estado de São Paulo e; fornecer apoio técnico voltado ao aprimoramento do processo de execução dos programas estaduais, visando maximizar seu potencial de transformação da realidade local, sobretudo em relação àqueles municípios que apresentam indicadores sociais mais críticos. 4.1 DESCRIÇÃO TÉCNICA DOS SERVIÇOS DE CONSULTORIA A SEREM CONTRATADOS Definição da base de indicadores de processos, de resultados e de impactos do programa São Paulo Solidário e da periodicidade de atualização, devendo contemplar todos os eixos do Programa; Estudo do perfil dos municípios em relação ao IPM e indicadores definidos no escopo do certame, em cada região atendida pelas DRADS; Apoio na definição das metas, por DRADS, em relação às deficiências apontadas nos subindicadores do IPM; Preparação dos indicadores e metas para alimentação do sistema informatizado (BI Cognos). A modelagem dos dados para exibição de relatórios, visualizações e paineis inteligentes ficará a cargo de equipe especializada em Cognos, fornecida pela SEDS, orientada pela equipe técnica da CONTRATADA; Desenvolvimento de um sistema transacional acessível via web e que permitirá a carga, edição de dados coletados pelos municípios e pela SEDS na sistemática do Programa São Paulo Solidário e a geração de relatórios relacionados; Análise a partir dos dados do Retrato Social, dos Programas Sociais Estaduais e bases de dados presentes na estrutura da SEDS (Via Rápida Emprego, Se Liga da Rede, Educação de Jovens e Adultos, Renda Cidadã, entre outros), alinhados ao Programa São Paulo Solidário, com o objetivo de identificar quais Programas Sociais podem melhorar os resultados das famílias em sua mobilidade social; Análise de dados das famílias (já mapeados pelo Retrato Social e presentes nas bases de posse da SEDS), para identificação de possíveis causas fundamentais que impactam indicadores do Programa São Paulo Solidário; Capacitação das equipes da SEDS (incluindo as DRADS) e dos representantes dos municípios em: Análise de Fenômeno e Análise de Causas; Elaboração de Planos de Ação (Agenda da Família Paulista); Dinâmica de Solução de Problemas; Uso do sistema transacional desenvolvido; Definição da Estratégia de Acompanhamento dos Resultados, determinando os níveis de reunião de acompanhamento, os comitês participantes em cada reunião, seu calendário no Estado e premissas de acompanhamento; Capacitação da equipe da SEDS para que esta equipe dê apoio online (suporte a perguntas, dúvidas e questões em relação ao lançamento, edição de dados e geração de relatórios no sistema transacional) aos representantes municipais na elaboração e atualização da Agenda da Família Paulista; 5 ESCOPO DOS SERVIÇOS 5.1 Apoio Técnico Apoio técnico à SEDS na prestação de serviços mencionados nesses Termos de Referência. Esse apoio abrange a definição de metodologia e transferência de conhecimento para o Page 4 of 15

5 monitoramento, orientação técnica e gestão das informações referentes aos indicadores sociais e econômicos dos municípios do Estado e utilização do sistema transacional. Atividades Produtos Orientar a integração dos dados resultantes do sistema transacional e da Busca Ativa (Retrato Social) na Base de Dados da ferramenta de inteligência de negócio da SEDS (Cognos), de modo a compatibilizá-los Portal de Inteligência com os dados, relatórios com outras bases já existentes e/ou cuja e gráficos das informações do Retrato Social, inserção seja necessária (a decisão será gerados a partir da ferramenta Cognos da tomada entre equipe da CONTRATADA e SEDS, desenvolvido em conjunto com equipe equipe SEDS durante período de construção especializada em Cognos da SEDS. de indicadores) possibilitando cruzamentos que permitam a SEDS e os técnicos municipais usarem estes dados para melhorar a aplicação de políticas sociais. Mapeamento dos fatores impactantes na mobilidade social das famílias, tradução desses fatores em indicadores, identificação da situação atual de cada DRADS e municípios nesses indicadores e auxílio na definição de metas para tais indicadores nos diferentes níveis de acompanhamento. Apoiar tecnicamente a SEDS na implantação de metodologia e procedimentos operacionais para acompanhamento e execução da Agenda da Família Paulista abrangendo a definição dos ciclos de monitoramento e gestão dos programas, integrado ao Cognos da SEDS (com apoio de equipe especializada fornecida pela SEDS) e à ferramenta transacional de inclusão e edição de dados, considerando-se níveis de acesso diferenciados para municípios (alimentadores do sistema transacional), DRADS (supervisão das atividades via Cognos) e Estado (articulador das demandas, também via Cognos). Possibilitar ainda, a geração de relatórios diversos de monitoramento das demandas apresentadas na Agenda da Família Paulista, via Cognos. Orientar equipe especializada em Cognos da SEDS no sentido de padronizar o controle e acompanhamento das Agendas usando o software de BI da Secretaria. Monitorar periodicamente o desenvolvimento das famílias beneficiárias e a evolução dos programas sociais quanto à mobilidade social e ao desempenho das Base de indicadores e metas do Programa São Paulo Solidário definida por município, DRADS etc. Documento com a descrição da metodologia e procedimentos de monitoramento, para diferentes níveis de acesso, aderentes ao software, implantados. Documento com procedimentos necessários para padronização do controle e acompanhamento das Agendas e interfaces definidas e testadas para manter o acompanhamento. Relatórios periódicos (periodicidade será definida entre equipe técnica da SEDS e CONTRATADA na primeira fase de execução do projeto) sobre os Ciclos de Monitoramento Page 5 of 15

6 metas estabelecidas. Definição conceitual de visualizações, paineis e relatórios de inteligência customizados baseados nos dados de monitoramento do Programa São Paulo Solidário, e demais bases de dados já existentes na ferramenta Cognos da SEDS e sua interface com o sistema transacional, possibilitando ao Governo do Estado, através da Secretaria de Desenvolvimento Social, atores municipais, acompanhar a evolução dos programas e políticas sociais para superação da extrema pobreza em todos os municípios do Estado. Através do cruzamento dos dados do Retrato Social com as informações dos Programas Sociais Estaduais e das bases de dados de posse da SEDS( item 5.3) gerar agendas por família que atendam suas principais necessidades de mobilidade social. Organização de oficinas (presenciais para equipe da SEDS, à distância para municípios) de capacitação teórica e prática em análise de fenômeno, análise de causas, elaboração de planos de ação, metodologias de solução de problemas e uso do sistema transacional. executados, registrados no Cognos da SEDS. Documento descrevendo definições conceituais de visualização de dados, paineis e relatórios customizados. Essas definições serão usadas pela equipe especializada da SEDS para customização do Cognos. Agendas da Família Paulista (Planos de Trabalho) elaboradas. Relatório de avaliação de capacitação da equipe da SEDS e dos representantes dos municípios do Estado. 5.2 Ferramentas de gestão A SEDS dispõe de ferramenta de Business Intelligence, qual seja, o IBM Cognos. As bases de dados geradas a partir das atividades previstas no Programa São Paulo Solidário deverão ser geradas por um sistema transacional, apresentado pela CONTRATADA, que permita a inclusão, edição de informações e geração de relatórios customizados, como as Agendas das Famílias e a execução de políticas públicas por parte dos municípios. Essas bases de dados serão utilizadas para dar carga no Cognos da SEDS, que por sua vez, será customizado por equipe especializada, fornecida pela SEDS, de tal forma que possibilite ao Governo do Estado, através da Secretaria de Desenvolvimento Social, e técnicos municipais, visualizarem o Retrato Social numa página da web e acompanhar periodicamente a evolução dos programas e políticas sociais para superação da extrema pobreza em todos os municípios de São Paulo, através de indicadores formulados em conjunto entre a CONTRATADA e a SEDS e calculados pelos dados fornecidos pelos gestores municipais à luz do Índice de Pobreza Multidimensional, o IPM. A customização da ferramenta Cognos será executada pela equipe especializada da SEDS, sob orientação da CONTRATADA, e o desenvolvimento do sistema transacional de inclusão, edição de dados e geração de relatórios customizados, por parte da CONTRATADA, deverão apresentar as funcionalidades básicas solicitadas aqui. O processo se dará em três Fases: 1ª Fase Disponibilização do Retrato Social de todos os municípios pesquisados em portal web: disponibilizar em base dados multidimensional, todos os dados da(s) pesquisa(s) realizada para Construção do Retrato Social. Nesta fase será disponibilizado um Portal Web com os dados em distintos formatos gráficos Page 6 of 15

7 representando as versões da pesquisa e permitindo a comparação entre duas ou mais pesquisas. 2ª Fase Disponibilização das Agendas das Famílias e Ferramentas de Acompanhamento das mesmas: adicionar à base de dados as Agendas das Famílias, via sistema transacional, bem como os programas para os quais cada Município aplicou para receber recursos. Definir as regras de acesso das DRADS e dos municípios a estas informações, bem como disponibilizar as ferramentas para que a SEDS possa acompanhar o andamento das Agendas. 3ª Fase Definição dos Ciclos de Monitoramento e Ferramentas de Inteligência para Efetividade: orientar a equipe especializada da SEDS para que esta possa customizar o Cognos de modo a disponibilizar ferramentas de inteligência que auxiliem na gestão das agendas. Além disso, a ferramenta será customizada para atender aos ciclos de monitoramento definidos pela Consultoria. Este sistema deverá apresentar as informações sintetizadas em telas analíticas, que permitam aos gestores públicos acompanhar a evolução periódica das informações, indicando, sempre que indispensável, a necessidade de apoiar tecnicamente os municípios com maior dificuldade em promover o desenvolvimento social e econômico das famílias por ele atendidas. Deverão ser empregados relatórios eletrônicos (dashboards, gráficos e tabelas dinâmicas etc.), via web, que permitam acompanhar a evolução individual e coletiva da população atendida em cada programa social ao qual está inserido, elaborar relatórios com resultados gerais e sinalizar a necessidade de intervenção, sempre que as metas e objetivos não estiverem sendo atingidos no período de acompanhamento, focando sempre a melhoria da qualidade de vida dos beneficiários que incide, consequentemente, na melhoria dos indicadores sociais de avaliação da pobreza em todo o Estado Customização da ferramenta Cognos A CONTRATADA deverá orientar a equipe especializada da SEDS para que esta possa traduzir as definições conceituais em customizações da ferramenta Cognos. A customização do Cognos da SEDS deverá ser a base de informações para a gestão, permitindo a visualização multidimensional dos dados para apoiar a equipe da Secretaria de Desenvolvimento Social no monitoramento e gestão das informações referentes ao público-alvo do programa, considerando também indicadores sociais e econômicos no Estado e facilitando a experiência do usuário com telas amigáveis e gráficos ricos. A customização do Cognos da SEDS não deverá se caracterizar apenas como um repositório de dados, onde os usuários farão apenas carga (upload) e descarga (download) de dados, mas sim como um sistema onde as funcionalidades estão integradas, dispostas em telas específicas e as informações para tomadas de decisão são geradas/calculadas automaticamente pelo sistema (de modo dinâmico em função da situação do programa ou projeto ou escolha do usuário), possibilitando uma ação corretiva e/ou preventiva por parte das análises dos usuários. O sistema Cognos será configurado para exibir interface web e permitir níveis de acesso, diferentes, de acordo com o perfil de cada usuário, conforme indicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, objetivando segurança e sigilo das informações Funcionalidades básicas da customização do Cognos da SEDS A CONTRATADA deverá orientar a equipe especializada da SEDS para que esta possa traduzir as definições conceituais em customizações da ferramenta Cognos, com base nas seguintes funcionalidades básicas: Page 7 of 15

8 Relativo à família beneficiária Cadastro completo da família (público-alvo), incluindo situação de benefícios e participação em programas sociais e/ou transferência de renda, passível de atualização constante. Dados resultantes do diagnóstico durante a Busca Ativa (IPM 1ª aplicação). Prioridades elencadas para Agenda da Família. Projetos/ações desenvolvidas com a família visando a superação da extrema pobreza. Dados resultantes de reaplicações do IPM. Relativo a projetos Formulário de informações (escopo, justificativa, público-alvo, stakeholders, metas, cronograma, orçamento). Relativo ao município/drads/estado de SP Panorama do município, abrangendo indicadores sociais e econômicos, dados da Busca Ativa, informações dos programas da Secretaria de Desenvolvimento Social e situação dos projetos desenvolvidos para superação da extrema pobreza. Visualização gráfica e analítica sobre a evolução física dos programas e projetos. Criação de Planos de Ação para correção de rota de acordo com os indicadores. Relativo a funcionalidades Cruzamento dos dados carregados na base multidimensional de forma livre e sugerindo que formatos gráficos são aderentes a estrutura de dados resultante. Disponibilizar diversos tipos de gráficos para apresentar os dados em formato HTML5. Notificação automática via , de importantes ocorrências e problemas visando permitir tomada de decisão. Ser baseada em plataforma Web, sem a necessidade de instalação de aplicações cliente (modelo client/server); A interface da ferramenta deve ser em Português do Brasil; Criação de um painel executivo de indicadores que permita a visualização completa de todas as soluções abrangidas pela plataforma (exemplo: Risco, Conformidade, Auditoria, etc), e que permita a definição de controles de acesso diferenciados a este painel. Exemplo: Os mesmos indicadores apresentados no painel apresentarão resultados diferentes dependendo de qual usuário esteja conectado na ferramenta; Criação de usuários na própria plataforma, incluindo a possibilidade de especificar informações de contatos ( s, telefones, cargo, endereço, etc) e definir a quais grupos e papéis estes usuários pertencem; Criação de grupos de usuários de tal forma a utilizá-los em outras funções dentro da plataforma, tais como envio de notificações, fluxos de trabalho, controle de acesso, entre outros; Definição de papeis de acesso, incluindo granularidade que permita definir, para cada aplicação que a plataforma possui, os direitos de criar, ler, atualizar e apagar; Definição de parâmetros de segurança de senhas incluindo, no mínimo, as seguintes opções: a. tamanho mínimo de senha; b. obrigatoriedade de uso de caracteres numéricos, letras maiúsculas e caracteres especiais; c. intervalo para a troca das senhas; d. definição da quantidade de senhas anteriores que não poderão ser reutilizadas; Page 8 of 15

9 e. definição do prazo para envio de lembretes da proximidade da troca das senhas; f. quantidades de tentativas de senhas erradas; g. período de bloqueio após sucessivos erros de autenticação; h. tempo de expiração de sessões; i. desativação automática de usuários após longo período de inatividade. Gerar relatórios referentes a controle de acesso. Os relatórios devem incluir, no mínimo: a. relação de direitos de acesso, filtrados por papeis por aplicações específicas da plataforma; b. relação de falhas de login; c. relação de logins de usuários bloqueados; d. relação de eventos de segurança relativos à plataforma, incluindo, no mínimo: importação de dados; login/logout, criação/deleção/modificação de perfis de acesso, usuários, grupos; modificação de parâmetros de segurança de senhas; deleção dos próprios eventos de segurança, entre outras atividades administrativas, de tal forma a manter uma trilha de auditoria da administração da plataforma; e. Exportação dos relatórios nos seguintes formatos: RTF, PDF, Excel, CSV, HTML. Customização da identidade visual da plataforma através das seguintes características: a. utilização do logotipo da SEDS na plataforma, fornecido pela equipe de comunicação da SEDS; b. aplicação da identidade visual da SEDS, através da customização de quaisquer aspectos como cores das abas, fontes, botões, menus; Modificação de aplicações ou criação de novas aplicações, a partir de modelagens préexistentes, sem a necessidade de conhecimentos de programação; Criação de novas aplicações ou modificação das aplicações pré-existentes através, no mínimo, do uso das seguintes características: a. criação dos seguintes tipos de campos: data, anexo, referência cruzada (que permite acesso a outras tabelas da plataforma), link externo, data de publicação inicial, log histórico, imagem, endereço IP, data da última atualização, numérico, referência a questionário, permissões de registro, status do registro, sub-formulário, texto, lista de valores; b. criação de objetos de layout, tais como: campo de texto pré-formatado, objetos customizáveis através de uso de javascript, e gráficos de tendências que mostrem a modificação de valores de determinados campos numéricos ao longo do tempo; c. customização do layout da aplicação, sem qualquer necessidade de uso de programação, através do uso de recurso de arrastar e soltar (drag&drop); d. granularidade no controle de acesso aos campos, bem como no acesso a objetos de layout como sessões; e. definição dos menus a serem apresentados pelas aplicações disponibilizadas; f. aplicação de layouts condicionais, isto é, dependendo do valor de um campo específico, pode-se exibir ou esconder uma determinada porção do layout (sessão ou campos específicos), de acordo com a necessidade; g. gerar uma notificação a partir da seleção de um determinado valor de um campo. Exemplo: supondo que exista um campo chamado Criticidade, do tipo lista, com os seguintes valores: Alta, Média e Baixa. A plataforma deverá ser capaz de gerar uma notificação, por , caso o usuário selecione a opção Alta e salve o formulário. Adicionalmente, deverá ser possível modificar o layout do a ser enviado permitindo, inclusive, a utilização de logotipo e cores customizadas para manter a identidade visual da SEDS; Page 9 of 15

10 Criar campos calculados que apresentem resultados a partir de fórmulas definidas pelo administrador da plataforma. O editor de fórmulas deverá permitir a utilização de quaisquer campos pré-existentes (incluindo aqueles criados pelo administrador) e deverá validar as fórmulas à procura de inconsistências; Exibição dos resultados das fórmulas aplicadas em formato texto ou através da utilização de imagens (arquivos GIF, BMP, JPG ou PNG) permitindo, desta forma, apresentar os resultados de forma mais intuitiva. Exemplos: semáforos coloridos de cores vermelha, laranja e verde, em vez invés do uso de textos simples como Alta, Média e Baixa ; Atribuição de proprietários para as aplicações criadas ou pré-existentes. Os proprietários deverão visualizar todos os registros e também deverá ser permitido a estes proprietários modificar a estrutura e direitos de acesso; Agendamento das operações de importação de dados através da indicação da frequência (minutos, horas, dias, semanas, meses), incluindo a definição de data e horário iniciais do agendamento, bem como a definição de time zone; Criação de relatórios customizados a partir de templates de arquivos. Estes templates deverão permitir a definição de rodapés, logotipo, identidade visual, e conteúdo variável (tabelas ou gráficos), em layouts 100% customizáveis; Criação de relatórios customizados, a partir da execução de pesquisas nas bases de dados. A criação destes relatórios deverá seguir os seguintes critérios: a. Utilização de qualquer campo que componha uma determinada aplicação, para compor o resultado da pesquisa; b. Filtro de registros a partir de critérios de avaliação compostos por: campo a ser avaliado, operador lógico (ex.: contém/não contém) e o valor a ser filtrado; c. Ordenação dos resultados a partir de um determinado critério a ser definido pelo administrador. Deverá permitir a ordenação ascendente ou descendente; d. Agregação dos resultados de tal forma a permitir a geração de dados estatísticos. Deverá permitir o agrupamento lógico de um determinado campo e a geração de dados estatísticos tais como: média, soma, valores mínimos, valores máximos; Possibilitar a customização dos campos a serem exibidos após a seleção de algum item de tabela ou gráfico (drill down). O conteúdo exibido poderá ser ordenado por qualquer campo a critério do usuário; Criação de relatórios em formato de tabela, gráfico ou ambos; Permitir a utilização dos relatórios (formato de tabela ou gráfico) em paineis customizáveis; Criação de relatórios gráficos, com as seguintes características: a. opções mínimas de tipos de gráficos: Barras Verticais, Barras Horizontais, Linha, Bolha, Radar, Mapa de Calor, Pizza, Donut, Medidor (gauge); b. gráficos em 2D ou 3D; c. customização de cores e transparência; Criação de relatórios em formato de tabela, com as seguintes características: a. customização das colunas (campos), incluindo a definição de filtros e ordenação dos resultados; Possibilitar o controle de acesso aos relatórios e dashboard através da definição de grupos/usuários; Permitir a configuração de aviso de recebimento de (return receipt), quando do uso de notificações; Disponibilizar plataforma tecnológica para suportar o desenvolvimento e a produção de aplicações baseadas no paradigma do geoprocessamento Geographic Information Systems (GIS); Mapear informações geográficas em Banco de Dados Geoespacial; Promover a carga de dados geográficos legados para os bancos de dados geográficos; Page 10 of 15

11 Desenvolver interface ou componentes para manipulação e interação de dados literais e geográficos sobre mapas interativos via web; Analisar, inserir e manusear bases cartográficas e temáticas georreferenciadas em banco de dados espacial; Geração e/ou execução de processamentos de dados geográficos objetivando a construção de relatórios gerenciais; Requisitos básicos para a visualização dos dados: 1. Geração de visualização de dados do Mapa das versões da Busca Ativa existentes nas bases de dados. 2. Registro dos programas e formas de apoio selecionadas por município e disponibilizadas pela SEDS para atender às demandas identificadas para as famílias. 3. Disponibilização de relatórios dinâmicos periódicos de monitoramento das demandas apresentadas na Agenda da Família Paulista de acordo com as informações imputadas por município ou DRADS. 4. Usar os dados do sistema para indicar através de alertas de sistema, sempre que necessário, a necessidade de apoiar tecnicamente os municípios com maior diferença identificadas por agrupamentos dos tipos de necessidades, famílias e municípios Sistema transacional A inclusão, edição de dados e geração de relatórios customizados, no escopo do Programa São Paulo Solidário, ficará a cargo de ferramenta transacional web desenvolvida pela CONTRATADA. Essa ferramenta deverá gerar bases de dados compatíveis com o Cognos da SEDS de modo alimentar o sistema para a visualização e análise de dados já descritas. A operação da ferramenta Cognos ficará a cargo de equipe especializada fornecida pela SEDS. O presente certame fornece informações básicas sobre as funcionalidades do sistema. Contudo, a empresa CONTRATADA deverá fazer um levantamento de requisitos com a equipe da SEDS para definir o formato final da ferramenta. O sistema transacional tem a finalidade exclusiva de incluir, alterar dados e gerar relatórios a partir das informações coletadas durante o Programa São Paulo Solidário, de modo a alimentar a ferramenta de BI da SEDS, Cognos. Este, sim, terá a função de realizar visualizações complexas e análises cruzadas com dados externos. Não é intenção da Secretaria desenvolver uma nova ferramenta de BI com esta finalidade. O sistema transacional web deverá permitir níveis de acesso, diferentes, de acordo com o perfil de cada usuário, conforme indicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, objetivando segurança e sigilo das informações. A infraestrutura de hardware e rede para o sistema transacional será fornecida pela SEDS. O conteúdo dos apontamentos registrados durante o uso do sistema transacional web é de propriedade exclusiva da Secretaria de Desenvolvimento Social Funcionalidades básicas do Sistema Transacional Ser baseada em plataforma Web, sem a necessidade de instalação de aplicações cliente (modelo client/server); A interface da ferramenta deve ser em Português do Brasil; Permitir a criação de um painel executivo de indicadores que permita a visualização completa de todas as soluções abrangidas pela solução e que permita a definição de controles de acesso diferenciados a este painel. Page 11 of 15

12 Permitir a criação de usuários na própria plataforma, incluindo a possibilidade de especificar informações de contatos ( s, telefones, cargo, endereço, etc) e definir a quais grupos e papéis estes usuários pertencem; Permitir a criação de grupos de usuários de tal forma a utilizá-los em outras funções dentro da plataforma, tais como envio de notificações, controle de acesso, entre outros; Permitir definição de papeis de acesso, incluindo granularidade que permita definir, para cada aplicação que a plataforma possui, os direitos de criar, ler, atualizar e apagar; Permitir definição de parâmetros de segurança de senhas incluindo, no mínimo, as seguintes opções: j. tamanho mínimo de senha; k. obrigatoriedade de uso de caracteres numéricos, letras maiúsculas e caracteres especiais; l. intervalo para a troca das senhas; m. definição da quantidade de senhas anteriores que não poderão ser reutilizadas; n. definição do prazo para envio de lembretes da proximidade da troca das senhas; o. quantidades de tentativas de senhas erradas; p. período de bloqueio após sucessivos erros de autenticação; q. tempo de expiração de sessões; r. desativação automática de usuários após longo período de inatividade. Permitir a geração de relatórios referentes a controle de acesso. Os relatórios devem incluir, no mínimo: f. relação de direitos de acesso, filtrados por papeis por aplicações específicas da plataforma; g. relação de falhas de login; h. relação de logins de usuários bloqueados; i. relação de eventos de segurança relativos à plataforma, incluindo, no mínimo: importação de dados; login/logout, criação/deleção/modificação de perfis de acesso, usuários, grupos; modificação de parâmetros de segurança de senhas; deleção dos próprios eventos de segurança, entre outras atividades administrativas, de tal forma a manter uma trilha de auditoria da administração da plataforma; j. Exportação dos relatórios nos seguintes formatos: RTF, PDF, Excel, CSV, HTML. Permitir a customização da identidade visual da plataforma através das seguintes características: c. utilização do logotipo da SEDS na plataforma, fornecido pela equipe de comunicação da SEDS; d. aplicação da identidade visual da SEDS, através da customização de quaisquer aspectos como cores das abas, fontes, botões, menus; Permitir a inclusão dos dados resultantes da Busca Ativa (Retrato Social), dados coletados durante o Programa São Paulo Solidário; Possuir módulos básicos de gerenciamento de cadastro (inclusão, exclusão, alteração e visualização); Conter área para repositório de documentos; Permitir submissão de documentos; Ser baseada em plataforma Web (HTML, CSS3, JavaScript), sem a necessidade de instalação de aplicações cliente (modelo client/server), compatível com as mais recentes versões dos navegadores da web Google Chrome, Mozilla Firefox e Microsoft Internet Explorer; Permitir a inclusão de novos registros ou atualização de registros já existentes, de acordo com um campo chave a ser determinado; Page 12 of 15

13 Customização de telas do sistema A Secretaria de Desenvolvimento Social poderá solicitar a customização de algumas telas e relatórios, que deverão ser realizadas sob responsabilidade da CONTRATADA Carga de dados no Sistema Transacional O sistema deverá permitir que os diversos usuários previamente autorizados pela Secretaria de Desenvolvimento Social possam efetuar a carga de dados no sistema transacional, das informações sob sua responsabilidade, tanto no início, quanto durante o período de execução de cada programa social. Os profissionais autorizados pela Secretaria de Desenvolvimento Social para a carga de dados no sistema serão os únicos responsáveis pelas informações cadastradas no sistema Treinamento para uso do Sistema Transacional Deverá ser realizado em local indicado pela Secretaria de Desenvolvimento Social, na capital de São Paulo, em grupos entre dez e 20 usuários por vez, até, aproximadamente, 100 técnicos apontados pela da SEDS. A plataforma e estratégia de ensino à distância dos técnicos municipais deverão ser oferecidas pela CONTRATADA, por meio da utilização de vídeoaulas, documentação e manuais em texto. A insfraestrutura de hardware para a plataforma de ensino à distância será disponibilizada pela CONTRATADA durante a vigência do contrato. O material de treinamento desenvolvido pela CONTRATADA (vídeos, textos, apostilas, documentação, bases de dados etc) será de posse exclusiva da SEDS e deverá ser disponibilizado em HD externo para a Secretaria até o fim do contrato Assistência Técnica do Sistema Transacional Durante a vigência do contrato, dúvidas deverão ser esclarecidas via sistema de ticket a ser fornecido pela CONTRATADA, durante o período comercial, das 9h às 18h. Problemas técnicos específicos ao funcionamento do sistema transacional deverão ser sanados pela CONTRATADA em regime de prioridade. 5.3 Bases de dados a serem disponibilizadas pela SEDS Ação Jovem Agenda da Família Além da Renda Bolsa Família Bom Prato Busca Ativa Cadastro Único do Governo Federal (CAD Único) Censo Demográfico do IBGE Medidas Socioeducativas Plano Municipal de Assistência Social (PMAS) Programa Recomeço Pró-Social (Instituições e Beneficiários) Renda Cidadã Retrato Social São Paulo Amigo do Idoso Sistema para Gestão da Assistência Social (SIGEAS) Viva Leite Page 13 of 15

14 6 CRITÉRIOS PARA ENTREGA DOS PRODUTOS E EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS 6.1. Critérios Gerais A empresa CONTRATADA terá que manter sigilo total de todas as informações a que tiver acesso durante o projeto; não poderá, em hipótese alguma, divulgar resultados, parciais ou totais, ou fazer qualquer comentário sobre as informações, levantamentos realizados e conteúdo dos produtos gerados Os direitos autorais dos serviços técnicos serão de exclusividade da SEDS, que poderá publicar e/ou divulgar seus resultados, quando considerado pertinente As atividades e as reuniões de trabalho deverão ser realizadas nas instalações da Secretaria de Desenvolvimento Social, São Paulo e nas DRADS, podendo ser realizadas em outros espaços ou de forma remota, conforme solicitação da SEDS. O registro da ata das reuniões de ponto de controle é de responsabilidade da CONTRATADA, ficando sua validação sob responsabilidade da SEDS Para a execução de cada uma das atividades e para a elaboração de cada um dos produtos esperados, a empresa CONTRATADA deverá realizar repasses técnicos e transferência de conhecimento, de modo que, ao final do contrato, a equipe da SEDS esteja apta a dar manutenção, elaborar, administrar e aperfeiçoar, tanto do ponto de vista técnico, quanto de negócio, cada um dos produtos objetos destes Termos de Referência, incluindo o sistema transacional. A CONTRATADA deverá apresentar um plano de repasse técnico e transferência de conhecimento No ato da entrega de cada produto para avaliação a empresa CONTRATADA deverá emitir parecer técnico sobre a absorção de conhecimentos pela equipe da SEDS, de modo a comprovar a transferência de conhecimento, detalhando as atividades que foram realizadas para esse fim e avaliando as atividades e subprodutos delegados às equipes técnica da SEDS. O parecer técnico será considerado parte integrante de cada produto entregue e será considerado, para todos os efeitos, no processo de aceitação dos produtos A empresa CONTRATADA poderá propor alterações e detalhamentos ao processo de trabalho, a serem avaliados e aprovados pela SEDS Critérios para aceitação dos produtos Entrega de todos os componentes de cada produto Clareza e objetividade no conteúdo dos documentos recebidos Transparência durante a elaboração dos produtos Cumprimento de todas as condições estabelecidas para a consecução dos produtos Todos os documentos e arquivos relativos aos produtos deverão ser gravados e entregues em disco de armazenamento de dados USB (pendrive) Aceitação dos produtos pela SEDS. 7. Recursos Humanos, Bens e Serviços A CONTRATADA alocará os profissionais, equipamentos e infraestrutura necessários para o pleno cumprimento do objeto desta contratação, tendo por base as diretrizes fixadas pela Secretaria de Desenvolvimento Social no presente certame. Page 14 of 15

15 8. Condições de Pagamento O pagamento estará condicionado às entregas, com a qualidade esperada, dos produtos descritos neste Termo de Referência. A entrega dos produtos poderá ser antecipada, dentro do cronograma previsto neste documento, desde que esses atendam aos requisitos de qualidade e que seja obedecida a precedência entre produtos estabelecida no planejamento do projeto. 9. Vigência A vigência do contrato será de 11 (onze) meses, iniciando-se a partir da data da assinatura do contrato. 10. Localidade do Trabalho São Paulo-SP Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social. Page 15 of 15

Sistema de Business Intelligence - BI. Coordenadoria de Gestão Estratégica Grupo de Monitoramento e Avaliação São Paulo, 12 de Maio de 2015

Sistema de Business Intelligence - BI. Coordenadoria de Gestão Estratégica Grupo de Monitoramento e Avaliação São Paulo, 12 de Maio de 2015 Sistema de Business Intelligence - BI Coordenadoria de Gestão Estratégica Grupo de Monitoramento e Avaliação São Paulo, 12 de Maio de 2015 Atividade central: Gerenciamento e organização do processo de

Leia mais

Processo Nº 25545/2014 RESPOSTAS A QUESTIONAMENTOS

Processo Nº 25545/2014 RESPOSTAS A QUESTIONAMENTOS Processo Nº 25545/2014 RESPOSTAS A QUESTIONAMENTOS Brasília/DF, 18 de junho de 2014. Objeto Consultoria para desenvolvimento de metodologias e sistemáticas de inteligência para acompanhamento das famílias

Leia mais

PSQT Prêmio SESI Qualidade no Trabalho

PSQT Prêmio SESI Qualidade no Trabalho ANEXO II PSQT Prêmio SESI Qualidade no Trabalho Manutenção Evolutiva Modelo: 4.0 Sistema Indústria, 2008 Página 1 de 18 Histórico da Revisão Data Descrição Autor 06/12/2007 Necessidades para atualização

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES SISTEMA OPERACIONAL MÉTODO QUANTUM 2014

MANUAL DE INSTRUÇÕES SISTEMA OPERACIONAL MÉTODO QUANTUM 2014 MANUAL DE INSTRUÇÕES SISTEMA OPERACIONAL MÉTODO QUANTUM 2014 ÍNDICE Apresentação Principais Botões Login Usúario Resultado Método Quantum Preencher Método Quantum Extrato On-Line Engenharia de Função Grupos

Leia mais

Anexo V - Planilha de Apuração Aquisição de Solução de Redes Sociais

Anexo V - Planilha de Apuração Aquisição de Solução de Redes Sociais Anexo V - Planilha de Apuração Aquisição de Solução de Redes Sociais Será utilizado o seguinte critério: Atende / Não atende (Atende em parte será considerado Não atende) Item Itens a serem avaliados conforme

Leia mais

Guia de Introdução ao Windows SharePoint Services

Guia de Introdução ao Windows SharePoint Services Guia de Introdução ao Windows SharePoint Services - Windows SharePoint Services... Page 1 of 11 Windows SharePoint Services Guia de Introdução ao Windows SharePoint Services Ocultar tudo O Microsoft Windows

Leia mais

A barra de menu a direita possibilita efetuar login/logout do sistema e também voltar para a página principal.

A barra de menu a direita possibilita efetuar login/logout do sistema e também voltar para a página principal. MANUAL DO SISCOOP Sumário 1 Menu de Navegação... 3 2 Gerenciar País... 5 3- Gerenciamento de Registro... 8 3.1 Adicionar um registro... 8 3.2 Editar um registro... 10 3.3 Excluir um registro... 11 3.4

Leia mais

QUAIS INSTRUMENTOS SÃO USADOS NO MONITORAMENTO DE PROGRAMAS SOCIAIS?

QUAIS INSTRUMENTOS SÃO USADOS NO MONITORAMENTO DE PROGRAMAS SOCIAIS? COMO SE FAZ NO BRASIL: PRINCIPAIS INSTRUMENTOS DE MONITORAMENTO DE PROGRAMAS SOCIAIS COMO SE FAZ O MONITORAMENTO? O monitoramento de programas envolve as seguintes etapas:» 1ª etapa: Coleta regular de

Leia mais

1 INTRODUÇÃO. 1.2 Novo modelo operacional do Sistema do Cadastro Único

1 INTRODUÇÃO. 1.2 Novo modelo operacional do Sistema do Cadastro Único Instrução Operacional nº 35 SENARC/MDS Brasília, 15 de abril de 2010. Assunto: Divulga as orientações necessárias para a solicitação de cadastramento de usuários municipais no novo sistema de Cadastro

Leia mais

ESTRUTURA PARA PORTAIS ELETRÔNICOS MUNICIPAIS

ESTRUTURA PARA PORTAIS ELETRÔNICOS MUNICIPAIS ESTRUTURA PARA PORTAIS ELETRÔNICOS MUNICIPAIS 1. Apresentação Os sites e sistemas web desenvolvidos pela Dynamika apresentam um conjunto de critérios de desenvolvimento que visam entregar o projeto de

Leia mais

Apostila da Ferramenta AdminWEB

Apostila da Ferramenta AdminWEB Apostila da Ferramenta AdminWEB Apostila AdminWEB SUMÁRIO OBJETIVO DO CURSO... 3 CONTEÚDO DO CURSO... 4 COMO ACESSAR O SISTEMA... 5 CONHEÇA OS COMPONENTES DA PÁGINA... 6 COMO EFETUAR O LOGIN... 9 MANTER

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Home -------------------------------------------------------------------------------------------------------- 7 2. Cadastros -------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

GLADIADOR INTERNET CONTROLADA v.1.2.3.9

GLADIADOR INTERNET CONTROLADA v.1.2.3.9 GLADIADOR INTERNET CONTROLADA v.1.2.3.9 Pela grande necessidade de controlar a internet de diversos clientes, a NSC Soluções em Informática desenvolveu um novo produto capaz de gerenciar todos os recursos

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA

SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA GUIA DE NAVEGAÇÃO MÓDULO DE TRANSFERÊNCIA DE ARQUIVOS APLICATIVO UPLOAD /DOWNLOAD VERSÃO 1.1 BRASÍLIA DF Agosto/2015 2011 Ministério do Desenvolvimento Social

Leia mais

AVISO. O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio.

AVISO. O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida nem transmitida

Leia mais

Solução de gerenciamento de sistemas Dell KACE K1000 Versão 5.5. Guia de gerenciamento de ativos. Julho de 2013

Solução de gerenciamento de sistemas Dell KACE K1000 Versão 5.5. Guia de gerenciamento de ativos. Julho de 2013 Solução de gerenciamento de sistemas Dell KACE K1000 Versão 5.5 Guia de gerenciamento de ativos Julho de 2013 2004-2013 Dell, Inc. Todos os direitos reservados. Qualquer forma de reprodução deste material

Leia mais

Manual de utilização sistema Comtele SMS

Manual de utilização sistema Comtele SMS Manual de utilização sistema Comtele SMS Login... 3 Dashboard... 4 Envio instantâneo de mensagens SMS... 5 Requisições de envio instantâneo para contatos ou grupos.... 5 Agendamento de envio d e SMS...7

Leia mais

Apresentação 3. Sobre a Módulo Risk Manager Academy 3. Portfólio 4

Apresentação 3. Sobre a Módulo Risk Manager Academy 3. Portfólio 4 2 Apresentação 3 Sobre a Módulo Risk Manager Academy 3 Portfólio 4 RM-01 Conheça o Módulo Risk Manager 4 RM-02 Meu Espaço e Navegação Básica 6 RM-03 Modelando a Organização 8 RM-05 Conhecimentos para Gestão

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA RIO EM DADOS

TERMO DE REFERÊNCIA RIO EM DADOS TERMO DE REFERÊNCIA RIO EM DADOS 1. INTRODUÇÃO O Instituto Municipal de Urbanismo Pereira Passos pretende contratar instituição de pesquisa com a finalidade de produção de análises estatísticas e econômicas

Leia mais

Anexo II Termo de Referência

Anexo II Termo de Referência Anexo II Termo de Referência 1. Antecedentes O Projeto de Restauração e Manutenção de Estradas Federais PREMEF, registrado no PNUD com o código BRA 06/024, tem entre seus objetivos aprimorar a transparência

Leia mais

www.siteware.com.br Versão 2.6

www.siteware.com.br Versão 2.6 www.siteware.com.br Versão 2.6 Sumário Apresentação... 4 Login no PortalSIM... 4 Manutenção... 5 Unidades... 5 Unidades... 5 Grupos de CCQ... 5 Grupos de unidades... 6 Tipos de unidades... 6 Sistema de

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

Version Notes (Notas da versão) Versão 4.11.1.7-26-02-2013

Version Notes (Notas da versão) Versão 4.11.1.7-26-02-2013 Florianópolis, 26 de fevereiro de 2013. Abaixo você confere as características e funcionalidades da nova versão 4.11.1.7 do Channel. Para quaisquer dúvidas ou na necessidade de maiores esclarecimentos,

Leia mais

CSI IT Solutions. WebReport2.5. Relatórios abertos. Acesso controlado Extensibilidade de módulos IMPACTO AMBIENTAL

CSI IT Solutions. WebReport2.5. Relatórios abertos. Acesso controlado Extensibilidade de módulos IMPACTO AMBIENTAL CSI IT Solutions 2.5 solução CSI PrintManager G e s t ã o d e A m b i e n t e d e I m p r e s s ã o O CSI dá aos gestores de TI o poder de uma gestão integral através do acesso fácil às informações gerenciais

Leia mais

Centro de Agricultura Alternativa CAA Manual do Usuário do Portal Ypadê Balaio Digital Tecnologia em Gestão Ltda ME. Manual do Usuário Portal Ypadê

Centro de Agricultura Alternativa CAA Manual do Usuário do Portal Ypadê Balaio Digital Tecnologia em Gestão Ltda ME. Manual do Usuário Portal Ypadê Centro de Agricultura Alternativa CAA Manual do Usuário Portal Ypadê Montes Claros, 16 de Julho de 2011 Revisão 3 Sumário 1. Apresentação do portal e escopo deste documento... 2 2. Acessando o Portal Ypadê...

Leia mais

TeamViewer 9 Manual Management Console

TeamViewer 9 Manual Management Console TeamViewer 9 Manual Management Console Rev 9.2-07/2014 TeamViewer GmbH Jahnstraße 30 D-73037 Göppingen www.teamviewer.com Sumário 1 Sobre o TeamViewer Management Console... 4 1.1 Sobre o Management Console...

Leia mais

XDR. Solução para Big Data.

XDR. Solução para Big Data. XDR Solução para Big Data. ObJetivo Principal O volume de informações com os quais as empresas de telecomunicações/internet têm que lidar é muito grande, e está em constante crescimento devido à franca

Leia mais

Manual do sistema SMARsa WEB

Manual do sistema SMARsa WEB Manual do sistema SMARsa WEB Módulo Solicitação/Ouvidoria SMARsa WEB Solicitação/Ouvidoria Versão 2.7 1 Sumário INTRODUÇÃO...4 OBJETIVOS...4 Bem-vindo ao sistema SMARsa WEB: Módulo solicitação/ouvidoria...5

Leia mais

PRIMAVERA P6 ANALYTICS DA ORACLE

PRIMAVERA P6 ANALYTICS DA ORACLE PRIMAVERA P6 ANALYTICS DA ORACLE O Primavera P6 Analytics da Oracle é um pacote de solução de inteligência de negócios que fornece percepções valiosas sobre seus projetos e portfólios no Primavera P6 Enterprise

Leia mais

SPEKX DATA SHEET. Visão Serviços. Release 4.5

SPEKX DATA SHEET. Visão Serviços. Release 4.5 SPEKX DATA SHEET Visão Serviços Release 4.5 Versão 2.0 ÍNDICE ANALÍTICO 1. Introdução 3 1.1. Solução Única 3 2. Visão Resumida 4 2.1 Diagrama de Etapas de Projetos / Serviços 4 2.2. Resumo Descritivo Etapas

Leia mais

Omega Tecnologia Manual Omega Hosting

Omega Tecnologia Manual Omega Hosting Omega Tecnologia Manual Omega Hosting 1 2 Índice Sobre o Omega Hosting... 3 1 Primeiro Acesso... 4 2 Tela Inicial...5 2.1 Área de menu... 5 2.2 Área de navegação... 7 3 Itens do painel de Controle... 8

Leia mais

Channel. Gerenciamento de Operações. Tutorial. Atualizado com a versão 4.2

Channel. Gerenciamento de Operações. Tutorial. Atualizado com a versão 4.2 Channel Gerenciamento de Operações Tutorial Atualizado com a versão 4.2 Copyright 2011 por JExperts Tecnologia Ltda. todos direitos reservados. É proibida a reprodução deste manual sem autorização prévia

Leia mais

Manual Digifort Evidence Versão 1.0.1 Rev. A

Manual Digifort Evidence Versão 1.0.1 Rev. A Manual Digifort Evidence Versão 1.0.1 Rev. A Índice ANTES DE VOCÊ COMEÇAR... 4 PRÉ-REQUISITOS... 4 SCREEN SHOTS... 4 A QUEM SE DESTINA ESTE MANUAL... 4 COMO UTILIZAR ESTE MANUAL... 4 Introdução... 5 INSTALANDO

Leia mais

Sumário. Conteúdo Certificação OFFICE 2010

Sumário. Conteúdo Certificação OFFICE 2010 Conteúdo Certificação OFFICE 2010 Sumário Access 2010... 2 Excel Core 2010... 3 Excel Expert 2010... 4 Outlook 2010... 5 PowerPoint 2010... 8 Word Core 2010... 9 Word Expert 2010... 10 Access 2010 1. Gerenciando

Leia mais

Diveo Exchange OWA 2007

Diveo Exchange OWA 2007 Diveo Exchange OWA 2007 Manual do Usuário v.1.0 Autor: Cícero Renato G. Souza Revisão: Antonio Carlos de Jesus Sistemas & IT Introdução... 4 Introdução ao Outlook Web Access 2007... 4 Quais são as funcionalidades

Leia mais

Manual de Utilização do PLONE (Gerenciador de página pessoal)

Manual de Utilização do PLONE (Gerenciador de página pessoal) Manual de Utilização do PLONE (Gerenciador de página pessoal) Acessando o Sistema Para acessar a interface de colaboração de conteúdo, entre no endereço http://paginapessoal.utfpr.edu.br. No formulário

Leia mais

Version Notes (Notas da versão) Versão 4.10.1.8-05-12-2012

Version Notes (Notas da versão) Versão 4.10.1.8-05-12-2012 Florianópolis, 05 de dezembro de 2012. Abaixo você confere as características e funcionalidades da nova versão 4.10.1.8-05-12-2012 do Channel. Para quaisquer dúvidas ou na necessidade de maiores esclarecimentos,

Leia mais

IP Office Customer Call Reporter. 04 Novembro 2011

IP Office Customer Call Reporter. 04 Novembro 2011 IP Office Customer Call Reporter 04 Novembro 2011 Agenda Custos de um Serviço ao Cliente deficiente Benefícios do Customer Call Reporter (CCR) Customer Call Reporter Visão Geral do Produto Dashboard do

Leia mais

Introdução a listas - Windows SharePoint Services - Microsoft Office Online

Introdução a listas - Windows SharePoint Services - Microsoft Office Online Page 1 of 5 Windows SharePoint Services Introdução a listas Ocultar tudo Uma lista é um conjunto de informações que você compartilha com membros da equipe. Por exemplo, você pode criar uma folha de inscrição

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA GUIA DE NAVEGAÇÃO APLICATIVO CONTROLE DE ACESSO. Versão do Guia: 1.1

SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA GUIA DE NAVEGAÇÃO APLICATIVO CONTROLE DE ACESSO. Versão do Guia: 1.1 SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA GUIA DE NAVEGAÇÃO APLICATIVO CONTROLE DE ACESSO Versão do Guia: 1.1 Brasília, DF Fevereiro de 2011 2011 Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome

Leia mais

CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS

CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE MODERNIZAÇÃO E INFORMÁTICA CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS MANUAL

Leia mais

Volpe Enterprise Resource Planning

Volpe Enterprise Resource Planning Volpe Enterprise Resource Planning Este manual não pode, em parte ou no seu todo, ser copiado, fotocopiado, reproduzido, traduzido ou reduzido a qualquer mídia eletrônica ou máquina de leitura, sem a expressa

Leia mais

CEP 2 100 99010-640 0 (XX) 54 3316 4500 0 (XX)

CEP 2 100 99010-640 0 (XX) 54 3316 4500 0 (XX) ANEXO 2 INFORMAÇÕES GERAIS VISTORIA 1. É obrigatória a visita ao hospital, para que a empresa faça uma vistoria prévia das condições, instalações, capacidade dos equipamentos, migração do software e da

Leia mais

Programa Bolsa Família e Cadastro Único para Programas Sociais. Guia Rápido. O que os municípios devem fazer nos primeiros 60 dias de gestão

Programa Bolsa Família e Cadastro Único para Programas Sociais. Guia Rápido. O que os municípios devem fazer nos primeiros 60 dias de gestão Programa Bolsa Família e Cadastro Único para Programas Sociais Guia Rápido O que os municípios devem fazer nos primeiros 60 dias de gestão Janeiro de 2013 Apresentação Enfrentar a pobreza e as desigualdades

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

SIAP - Sistema de Apoio ao Professor

SIAP - Sistema de Apoio ao Professor Introdução O SIAP, Sistema de Apoio ao Professor, é um programa que vai contribuir, de forma decisiva, com o cotidiano escolar de alunos, professores, gestores e funcionários administrativos. Com a implantação

Leia mais

WORKSHOP Ferramenta OLAP IBM Cognos

WORKSHOP Ferramenta OLAP IBM Cognos WORKSHOP Ferramenta OLAP IBM Cognos O objetivo deste documento é orientar o usuário final na utilização das funcionalidades da ferramenta OLAP IBM Cognos, referente a licença de consumidor. Sumário 1 Query

Leia mais

Plano de Carreira Sistema de Apoio à Gestão de Planos de Carreira

Plano de Carreira Sistema de Apoio à Gestão de Planos de Carreira Plano de Carreira Sistema de Apoio à Gestão de Planos de Carreira Manual do Usuário Página1 Sumário 1 Configurações Recomendadas... 4 2 Objetivos... 4 3 Acesso ao Sistema... 5 3.1. Acessar 6 3.2. Primeiro

Leia mais

Treinamento Auditor Fiscal. Instrutor: Jaime Naves Gestora: Adriana Nunes

Treinamento Auditor Fiscal. Instrutor: Jaime Naves Gestora: Adriana Nunes Treinamento Auditor Fiscal Instrutor: Jaime Naves Gestora: Adriana Nunes Conceito: O Auditor Fiscal WEB é uma solução que permite a usuários de qualquer segmento empresarial realizar auditorias sobre os

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA SIGPBF

SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA SIGPBF SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA SIGPBF APLICATIVO DE FORMULÁRIOS GUIA DE NAVEGAÇÃO PERFIL MUNICÍPIO Versão do Guia: 1.1 Brasília, DF Abril de 2011 2011 Ministério do Desenvolvimento Social

Leia mais

Manual de Instalação, Configuração e Utilização do MG-Soft Web

Manual de Instalação, Configuração e Utilização do MG-Soft Web Manual de Instalação, Configuração e Utilização do MG-Soft Web V 1.7 www.pinaculo.com.br (51) 3541-0700 Sumário 1. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO MG-SOFT WEB... 3 1.1. INSTALAÇÃO... 3 1.1.1. IIS Express para

Leia mais

DeltaV Logbooks. Benefícios. Introdução. Minimize riscos associados às mudanças de turnos. Documente eletrônicamente eventos, observações e notas.

DeltaV Logbooks. Benefícios. Introdução. Minimize riscos associados às mudanças de turnos. Documente eletrônicamente eventos, observações e notas. Sistema Digital de Controle Distribuido DeltaV Especificação do produto DeltaV Logbooks Minimize riscos associados às mudanças de turnos. Documente eletrônicamente eventos, observações e notas. Melhore

Leia mais

IBM Cognos Business Intelligence Scorecarding

IBM Cognos Business Intelligence Scorecarding IBM Cognos Business Intelligence Scorecarding Unindo a estratégia às operações com sucesso Visão Geral O Scorecarding oferece uma abordagem comprovada para comunicar a estratégia de negócios por toda a

Leia mais

TUTORIAL COLEGIADOS EM REDE

TUTORIAL COLEGIADOS EM REDE TUTORIAL COLEGIADOS EM REDE Brasília/DF Agosto/2015 Sumário Introdução... 2 1 Sistema de Gestão Estratégica... 3 2 Colegiados Em Rede... 5 2.1 Menu Cadastro... 6 2.1.1 Dados do Colegiado... 7 2.1.2 Composição

Leia mais

ProRAE Guardian V1.5 Guia de referência rápida

ProRAE Guardian V1.5 Guia de referência rápida ProRAE Guardian V1.5 Guia de referência rápida Para obter uma descrição completa das funções do programa, consulte o guia do usuário do ProRAE Guardian (incluso no CD de software). SUMÁRIO 1. Principais

Leia mais

Termo de Referência. Anexo II - Especificações Técnicas - Requisitos Funcionais. Diretoria Técnica-Operacional. Gerência de Tecnologia da Informação

Termo de Referência. Anexo II - Especificações Técnicas - Requisitos Funcionais. Diretoria Técnica-Operacional. Gerência de Tecnologia da Informação Diretoria Técnica-Operacional Gerência de Tecnologia da Informação Termo de Referência Anexo II Especificação Técnica 1 - INTRODUÇÃO Página 2 de 9 do TR-007-3700 de Este anexo tem por objetivo detalhar

Leia mais

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DA ACADEMIA

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DA ACADEMIA Página: 1/16 CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DA ACADEMIA Módulo CBDS (Central de Banco de Dados Senior) A quem se destina: Todos que tiverem a necessidade de administrar os dados da base de dados da Senior Sistemas

Leia mais

Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge. Manual do Usuário. Versão 1.1. ExpressoMG

Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge. Manual do Usuário. Versão 1.1. ExpressoMG Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge Manual do Usuário Versão 1.1 ExpressoMG 14/10/2015 Sumário 1. Apresentação... 4 1.1 Objetivos do Manual... 4 1.2 Público Alvo...

Leia mais

Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular

Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular Sumário Apresentação... 2 Instalação do Aplicativo... 2 Localizando o aplicativo no smartphone... 5 Inserindo o link da aplicação... 6 Acessando o sistema...

Leia mais

Documento de Visão do Projeto

Documento de Visão do Projeto Documento de Visão do Projeto 1. Objetivo O propósito deste documento é coletar, analisar e definir as necessidades de alto-nível e características do projeto de software do Módulo Editor de Estruturas

Leia mais

Manual de Utilização Sistema de Gestão de Campanha Módulo Indústria

Manual de Utilização Sistema de Gestão de Campanha Módulo Indústria Manual de Utilização Sistema de Gestão de Campanha Módulo Indústria 2 Índice / Sumário 1. Introdução ao Sistema 2. Fluxo de Adesão 3. Email Cadastro 4. Email Convite 5. Acesso ao Sistema 6. Pagina Inicial

Leia mais

BUSCA ATIVA: A EXPERIÊNCIA DO PROGRAMA SÃO PAULO SOLIDÁRIO. Brasília, 16 de setembro de 2013.

BUSCA ATIVA: A EXPERIÊNCIA DO PROGRAMA SÃO PAULO SOLIDÁRIO. Brasília, 16 de setembro de 2013. BUSCA ATIVA: A EXPERIÊNCIA DO PROGRAMA SÃO PAULO SOLIDÁRIO Brasília, 16 de setembro de 2013. PROGRAMA SÃO PAULO SOLIDÁRIO O que é O Programa São Paulo Solidário foi criado para superar a extrema pobreza

Leia mais

AverbaCTe Averbação Eletrônica Nacional AT&M

AverbaCTe Averbação Eletrônica Nacional AT&M AverbaCTe Averbação Eletrônica Nacional AT&M Versão 1.2 Controle de Versão Versão Controle Data Razões para alteração Responsável 1 0 22/06/2012 Criação do Documento Lucas 1 1 14/08/2012 Ajustes no texto

Leia mais

Business Process Management [BPM] Get Control. Empower People.

Business Process Management [BPM] Get Control. Empower People. Business Process Management [BPM] Get Control. Empower People. O SoftExpert BPM Suite é uma suíte abrangente de módulos e componentes perfeitamente integrados, projetados para gerenciar todo o ciclo de

Leia mais

MANUAL SISTEMA AJG/CJF

MANUAL SISTEMA AJG/CJF MANUAL DO SISTEMA AJG/CJF ÍNDICE 1. SEJA BEM VINDO AO AJG... 3 1.1 Seja Bem-Vindo!... 3 2. SOBRE A AJUDA... 4 2.1 Como navegar no ajuda on-line... 4 3. SOBRE O SISTEMA... 5 3.1 Sobre o sistema... 5 3.2

Leia mais

Cartilha do Gestor de Frota de Unidade / Base Operacional

Cartilha do Gestor de Frota de Unidade / Base Operacional Cartilha do Gestor de Frota de Unidade / Base Operacional SGTA Sistema de Gestão Total de Abastecimento do Governo do Estado de Minas Gerais REV DATA ALTERAÇÃO CRIAÇÃO REVISÃO APROVAÇÃO 01 13/01/14 Versão

Leia mais

Plataforma de Business Intelligence

Plataforma de Business Intelligence Plataforma de Business Intelligence ASTEN TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO A Asten é uma empresa do ramo da tecnologia da informação (TI) que tem seu foco na busca por soluções inovadoras. Nosso slogan criando

Leia mais

Scientific Electronic Library Online Sistema SciELO de Publicação Guia do usuário

Scientific Electronic Library Online Sistema SciELO de Publicação Guia do usuário Scientific Electronic Library Online Sistema SciELO de Publicação Guia do usuário São Paulo, junho de 2007 1º Versão SUMÁRIO 1 Introdução... 3 2 Autor... 5 2.1 Cadastro no sistema (http://submission.scielo.br),

Leia mais

Intranet 2014 - Termo de Referência: Contratação de Pessoa Física para apoio à equipe da STN no projeto de reformulação da intranet corporativa

Intranet 2014 - Termo de Referência: Contratação de Pessoa Física para apoio à equipe da STN no projeto de reformulação da intranet corporativa Intranet 2014 - : Contratação de Pessoa Física para apoio à equipe da STN no projeto de reformulação da intranet corporativa Coordenação-Geral de Desenvolvimento Institucional CODIN Gerência de Informação

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES EDITAL 2015/2016 SELEÇÃO NACIONAL DE PROJETOS CULTURAIS

PERGUNTAS FREQUENTES EDITAL 2015/2016 SELEÇÃO NACIONAL DE PROJETOS CULTURAIS 1. Onde faço a inscrição dos meus projetos? No site www.oifuturo.org.br 2. Há alguma forma de fazer inscrição dos projetos por outro meio? Não, somente online. 3. Não consigo abrir o formulário de inscrição.

Leia mais

FUNCIONALIDADES DO TRACEGP VERSÃO 9. Funcionalidades do TraceGP Versão 9 www.tracegp.com.br

FUNCIONALIDADES DO TRACEGP VERSÃO 9. Funcionalidades do TraceGP Versão 9 www.tracegp.com.br FUNCIONALIDADES DO TRACEGP VERSÃO 9 Funcionalidades do TraceGP Versão 9 FUNCIONALIDADES DO TRACEGP DASHBOARDS Possibilidade de criar dashboards de visualização de gráficos e listagem de informações de

Leia mais

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning www.pwi.com.br 1 Volpe Enterprise Resource Planning Este manual não pode, em parte ou no seu todo, ser copiado, fotocopiado,

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES BANCO INTERAMERICANO DE DESENVOLVIMENTO

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES BANCO INTERAMERICANO DE DESENVOLVIMENTO MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES BANCO INTERAMERICANO DE DESENVOLVIMENTO REPRESENTAÇÃO NO BRASIL SOLICITAÇÃO DE MANIFESTAÇÃO DE

Leia mais

MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO

MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO ÍNDICE Relatórios Dinâmicos... 3 Requisitos de Sistema... 4 Estrutura de Dados... 5 Operadores... 6 Tabelas... 7 Tabelas x Campos... 9 Temas... 13 Hierarquia Relacionamento...

Leia mais

Interact Solutions Apresentação do SA-Performance Manager. Por: Anderson Pereira Diretor de Negócios Unidade Excellence

Interact Solutions Apresentação do SA-Performance Manager. Por: Anderson Pereira Diretor de Negócios Unidade Excellence Interact Solutions Apresentação do SA-Performance Manager Por: Anderson Pereira Diretor de Negócios Unidade Excellence Interact Group Fundação: agosto / 1999 80 Colaboradores diretos 85 Colaboradores nas

Leia mais

Contact Center CPqD. Operação. Manual do Cliente. Versão do produto: 1.0 Edição do documento: 3.0 Março de 2011

Contact Center CPqD. Operação. Manual do Cliente. Versão do produto: 1.0 Edição do documento: 3.0 Março de 2011 Contact Center CPqD Operação Manual do Cliente Versão do produto: 1.0 Edição do documento: 3.0 Março de 2011 Contact Center CPqD Operação Manual do Cliente Versão do produto: 1.0 Edição do documento: 3.0

Leia mais

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09 ÍNDICE Sobre o SabeTelemarketing 03 Ícones comuns à várias telas de gerenciamento Contato Verificar registros 09 Telas de cadastro e consultas 03 Menu Atalho Nova pessoa Incluir um novo cliente 06 Novo

Leia mais

Serviço de mensageria SMS

Serviço de mensageria SMS Termo de Referência Serviço de mensageria SMS Agosto/2014 1 1 OBJETO 1.1 Prestação de serviços de envio de até 1.680.000 (Um milhão seiscentos e oitenta mil) Mensagens de Texto SMS (Short Message Service)

Leia mais

Manual de Operações Bolsa- Formação

Manual de Operações Bolsa- Formação Manual de Operações Bolsa- Formação Este manual destina-se aos usuários do Sistema de Informações da Educação Profissional e Tecnológica SISTEC, no que tange à gestão e operacionalização da Bolsa-Formação,

Leia mais

Ambiente Virtual de Aprendizagem C.S.G. M anual do Professor

Ambiente Virtual de Aprendizagem C.S.G. M anual do Professor Ambiente Virtual de Aprendizagem C.S.G. M anual do Professor Sumário Pré-requisitos para o Moodle... Entrar no Ambiente... Usuário ou senha esquecidos?... Meus cursos... Calendário... Atividades recentes...

Leia mais

Alinhamento Prático Ferramenta ARIS Operação Básica

Alinhamento Prático Ferramenta ARIS Operação Básica Alinhamento Prático Ferramenta ARIS Operação Básica AGENDA Ferramenta ARIS Operação do módulo básico ARIS Explorer Estruturação dos componentes Login na base de dados Manipulação de grupos Objetos Conexões

Leia mais

NOVIDADES DA VERSÃO 2.10 DO SANKHYA-W. Atividade Descrição Versão Abrangência

NOVIDADES DA VERSÃO 2.10 DO SANKHYA-W. Atividade Descrição Versão Abrangência NOVIDADES DA VERSÃO 2.10 DO SANKHYA-W Atividade Descrição Versão Abrangência Nota de complemento Geração de nota de complemento através do Sankhya-W. Informações da Sankhya/Jiva no Os e-mails de NF-e enviados

Leia mais

ESET NOD32 ANTIVIRUS 6

ESET NOD32 ANTIVIRUS 6 ESET NOD32 ANTIVIRUS 6 Microsoft Windows 8 / 7 / Vista / XP / Home Server Guia de Inicialização Rápida Clique aqui para fazer download da versão mais recente deste documento O ESET NOD32 Antivirus fornece

Leia mais

ONE Service Desk. O Service Desk ONE fornece uma infraestrutura de serviços de suporte ITIL completa, contendo:

ONE Service Desk. O Service Desk ONE fornece uma infraestrutura de serviços de suporte ITIL completa, contendo: ONE Service Desk O Service Desk ONE fornece uma infraestrutura de serviços de suporte ITIL completa, contendo: Gerenciamento de Incidentes Gerenciamento de Problemas Gerenciamento de Mudanças BDGC (Banco

Leia mais

1. Introdução... 2. 2. Instalação máquinas cliente... 2. 3. Configurações gerais... 3. 4. Cadastro de pessoas... 4

1. Introdução... 2. 2. Instalação máquinas cliente... 2. 3. Configurações gerais... 3. 4. Cadastro de pessoas... 4 MANUAL DE UTILIZAÇÃO Conteúdo 1. Introdução... 2 2. Instalação máquinas cliente... 2 3. Configurações gerais... 3 4. Cadastro de pessoas... 4 5. Cadastro de usuários para o sistema... 6 6. Cadastro de

Leia mais

Cartilha do Gestor de Frota do Órgão / Entidade

Cartilha do Gestor de Frota do Órgão / Entidade Cartilha do Gestor de Frota do Órgão / Entidade SGTA Sistema de Gestão Total de Abastecimento do Governo do Estado de Minas Gerais REV DATA ALTERAÇÃO CRIAÇÃO REVISÃO APROVAÇÃO 01 13/01/14 Versão inicial

Leia mais

Sumário. Manual Frota

Sumário. Manual Frota Sumário Apresentação... 2 Home... 2 Definição do Idioma... 3 Aba Frota... 4 Abastecimento... 4 Calendário... 26 Agenda Data... 38 Agenda Km... 59 Agendamento... 81 Agendas realizadas...104 Agenda...123

Leia mais

Intranet Embrapa. Princípios e conceitos

Intranet Embrapa. Princípios e conceitos Intranet Embrapa Princípios e conceitos Brasília, 9 de setembro de 2014 2 1. Apresentação O projeto de uma Nova Intranet para a Embrapa teve início em julho de 2012, com o diagnóstico das Intranets das

Leia mais

TUTORIAL DE USO DO BUSINESS INTELLIGENCE (BI) PARA O HÓRUS-ESPECIALIZADO

TUTORIAL DE USO DO BUSINESS INTELLIGENCE (BI) PARA O HÓRUS-ESPECIALIZADO MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos Departamento de Assistência Farmacêutica Coordenação Geral do Componente Especializado da Assistência Farmacêutica TUTORIAL

Leia mais

Índice 1. APRESENTAÇÃO... 1 2. CADASTRO DA EMPRESA... 8 3. CONTROLE DE PERMISSÕES... 14 4. CONFIGURAÇÕES DA EMPRESA... 19 5. CND...

Índice 1. APRESENTAÇÃO... 1 2. CADASTRO DA EMPRESA... 8 3. CONTROLE DE PERMISSÕES... 14 4. CONFIGURAÇÕES DA EMPRESA... 19 5. CND... Sage CND Índice 1. APRESENTAÇÃO... 1 1.1. Primeiro Acesso... 2 1.2. Conhecendo a Plataforma Sage... 4 1.2.1. Seleção de Empresa de Trabalho... 4 1.2.2. Sair do sistema/minhas Configurações... 5 1.2.3.

Leia mais

2015 GVDASA Sistemas Administração dos Portais

2015 GVDASA Sistemas Administração dos Portais 2015 GVDASA Sistemas Administração dos Portais AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Nenhuma parte desta

Leia mais

Índice 1. PORTAL DE VENDAS... 3 2. INTEGRAÇÃO PORTAL DE VENDAS X FOX... 4 3. CADASTRO DE VENDEDORES/SUPERVISORES... 5 4. CONFIGURAÇÃO DO SISTEMA...

Índice 1. PORTAL DE VENDAS... 3 2. INTEGRAÇÃO PORTAL DE VENDAS X FOX... 4 3. CADASTRO DE VENDEDORES/SUPERVISORES... 5 4. CONFIGURAÇÃO DO SISTEMA... Portal de Vendas Índice 1. PORTAL DE VENDAS... 3 2. INTEGRAÇÃO PORTAL DE VENDAS X FOX... 4 3. CADASTRO DE VENDEDORES/SUPERVISORES... 5 1.1. Guia Portal de Vendas... 7 4. CONFIGURAÇÃO DO SISTEMA... 8 5.

Leia mais

Inicialização Rápida do Novell Vibe Mobile

Inicialização Rápida do Novell Vibe Mobile Inicialização Rápida do Novell Vibe Mobile Março de 2015 Introdução O acesso móvel ao site do Novell Vibe pode ser desativado por seu administrador do Vibe. Se não conseguir acessar a interface móvel do

Leia mais

MODELO DE ORIENTAÇÃO PARA OPERAÇÃO DO SOFTWARE Autoria: InfoQuality Informática e Qualidade Ltda.

MODELO DE ORIENTAÇÃO PARA OPERAÇÃO DO SOFTWARE Autoria: InfoQuality Informática e Qualidade Ltda. MODELO DE ORIENTAÇÃO PARA OPERAÇÃO DO SOFTWARE Autoria: InfoQuality Informática e Qualidade Ltda. 1. A ORGANIZAÇÃO Para realizar cadastros e consultas referentes às Diretrizes Organizacionais: Manutenção/Organização/Registro

Leia mais

Inclusão, Disponibilização, Alteração, Inativação, Reativação e Copia de Programas

Inclusão, Disponibilização, Alteração, Inativação, Reativação e Copia de Programas MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO DEPARTAMENTO DE SUPORTE À GESTÃO DO SISTEMA DE TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS DA UNIÃO Portal dos Convênios SICONV Inclusão, Disponibilização, Alteração, Inativação,

Leia mais

2013 GVDASA Sistemas Configuração dos Portais 2

2013 GVDASA Sistemas Configuração dos Portais 2 2013 GVDASA Sistemas Configuração dos Portais 2 AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Nenhuma parte desta

Leia mais

Desenvolvimento da Iluminação Pública no Brasil. Sistemas de gestão da iluminação pública

Desenvolvimento da Iluminação Pública no Brasil. Sistemas de gestão da iluminação pública 14 Capítulo IX Sistemas de gestão da iluminação pública Por Luciano Haas Rosito* Conforme apresentado no capítulo anterior, uma das oportunidades de melhoria na iluminação pública justamente refere-se

Leia mais