Resultados dos testes estatísticos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Resultados dos testes estatísticos"

Transcrição

1 Resultados dos testes estatísticos Estudo da fiabilidade do instrumento para avaliação dos comportamentos e atitudes Factor Analysis Communalities Initial Extraction Item47 1,000,759 Item48 1,000,801 Item49 1,000,750 Item50 1,000,697 Item51 1,000,628 Item53 1,000,245 Item55 1,000,349 Item56 1,000,136 Item57 1,000,790 Item58 1,000,649 Extraction Method: Principal Component Analysis. Compo nent Initial Eigenvalues Total Variance Explained Extraction Sums of Squared Loadings Total % of Variance Cumulative % Total % of Variance Cumulative % 1 5,804 58,040 58,040 5,804 58,040 58,040 2,978 9,785 67,824 3,837 8,373 76,198 4,684 6,845 83,042 5,482 4,825 87,867 6,444 4,439 92,306 7,245 2,450 94,756 8,192 1,919 96,676 9,177 1,772 98,448 10,155 1, ,000 Extraction Method: Principal Component Analysis.

2 Component Matrix a Component Item48,895 Item57,889 Item47,871 Item49,866 Item50,835 Item58,805 Item51,793 Item55,591 Item53,495 Item56,368 1 Extraction Method: Principal Component Analysis. a. 1 components extracted. Case Processing Summary N % Cases Valid ,1 Excluded a 7 5,9 Total ,0 a. Listwise deletion based on all variables in the procedure. Reliability Statistics Cronbach's Alpha N of Items,914 10

3 Testes de Hipóteses Hipótese 1 A influência dos meios de comunicação social nos conhecimentos e atitudes face à contraceção e nos comportamentos e atitudes dos jovens. t Student Inventário Conhecimento Contraceptivo (ICC) Comportamentos e atitudes Escala de atitudes Group Statistics MCS Internet N Mean Std. Deviation Std. Error Mean >= ,6000 1,26491,40000 < ,0189 1,99991,19425 >= ,9000 7, ,24821 < ,8384 9,11347,91594 >= ,4000 2,59058,81921 < ,7358 3,56785,34654 ICC Comportamentos e atitudes Escala de atitudes Levene's Test for Equality of Variances Independent Samples Test F Sig. t df Sig. (2- tailed) t-test for Equality of Means Mean Std. Error Lower 95% Confidence Interval of the Upper 2,304,132 -, ,518 -,41887, ,69805, ,942 13,680,363 -,41887, ,37469, ,987,162 -, ,516-1, , , , ,798 12,205,440-1, , , , ,012,159, ,567, , , ,95821,747 12,475,469,66415, , ,59404

4 Group Statistics MCS Televisão N Mean Std. Deviation Std. Error Mean ICC >= ,8400 1,88591,37718 Comportamentos e atitudes Escala de atitudes < ,0220 1,97190,20671 >= ,7826 9, ,90377 < ,3605 8,91649,96149 >= ,1600 3,50809,70162 < ,6923 3,49823,36671 ICC Comportamentos e atitudes Escala de atitudes Levene's Test for Equality of Variances Independent Samples Test F Sig. t df Sig. (2- tailed) t-test for Equality of Means Mean Std. Error Lower 95% Confidence Interval of the Upper,122,727 -, ,681 -,18198, ,05610, ,423 39,628,675 -,18198, ,05152,68756,197,658, ,500 1, , , ,59215,667 34,081,509 1, , , ,75612,014,907, ,555,46769, , ,03346,591 38,145,558,46769, , ,07015 Group Statistics MCS Jorn Rev Liv N Mean Std. Deviation Std. Error Mean ICC >= ,0108 2,00811,20823 Comportamentos e atitudes Escala de atitudes < ,8696 1,71370,35733 >= ,7841 9,01270,96076 < ,1429 8, ,92389 >= ,6989 3,50088,36302 < ,1739 3,49873,72954

5 Independent Samples Test ICC Comportamentos e atitudes Escala de atitudes Levene's Test for Equality of Variances F Sig. t df t-test for Equality of Means Sig. (2- tailed) Mean Std. Error Lower 95% Confidence Interval of the Upper 1,319,253, ,757,14119, , ,04296,341 38,419,735,14119, ,69575,97813,045,833, ,769, , , ,96287,298 30,779,768, , , ,02837,153,696 -, ,561 -,47499, , , ,583 33,749,564 -,47499, , ,18148 Group Statistics MCS Rádio N Mean Std. Deviation Std. Error Mean ICC >= ,0288 1,96798,19298 Comportamentos e atitudes Escala de atitudes < ,5833 1,78164,51432 >= ,4639 9,03473,91734 < ,2500 8, ,39673 >= ,7308 3,56692,34977 < ,3333 2,80692,81029 ICC Levene's Test for Equality of Variances Independent Samples Test F Sig. t df t-test for Equality of Means Sig. (2- tailed) Mean Std. Error Lower 95% Confidence Interval of the Upper,148,702, ,455,44551, , ,62369,811 14,285,431,44551, , ,62150

6 Comportamentos e atitudes Escala de atitudes,005,941 -, ,516-1, , , , ,696 14,423,498-1, , , ,70293,900,345 -, ,573 -, , , , ,683 15,424,505 -,60256, , ,27406 Qui-quadrado MCS Internet * Utilizou MC 1ª RS MCS Televisão * Utilizou MC 1ª RS MCS Jorn Rev Liv * Utilizou MC 1ª RS MCS Rádio * Utilizou MC 1ª RS Case Processing Summary Cases Valid Missing Total N Percent N Percent N Percent 77 65,3% 41 34,7% ,0% 77 65,3% 41 34,7% ,0% 77 65,3% 41 34,7% ,0% 77 65,3% 41 34,7% ,0% Crosstab Count Utilizou MC 1ª RS Sim Não Total MCS Internet Muito Frequente Frequente Pouco Frequente Nada Frequente Total Chi-Square Tests Value df Asymp. Sig. (2- sided) Pearson Chi-Square 4,639 a 3,200 Likelihood Ratio 4,213 3,239 Linear-by-Linear Association,060 1,807 N of Valid Cases 77 a. 5 cells (62,5%) have expected count less than 5. The minimum expected count is,13.

7 Count Crosstab Utilizou MC 1ª RS Sim Não Total MCS Televisão Muito Frequente Frequente Pouco Frequente Nada Frequente Total Chi-Square Tests Value df Asymp. Sig. (2- sided) Pearson Chi-Square 3,964 a 3,265 Likelihood Ratio 3,737 3,291 Linear-by-Linear Association 1,605 1,205 N of Valid Cases 77 a. 5 cells (62,5%) have expected count less than 5. The minimum expected count is,19. Count Crosstab Utilizou MC 1ª RS Sim Não Total MCS Jorn Rev Liv Frequente Pouco Frequente Nada Frequente Total Chi-Square Tests Value df Asymp. Sig. (2- sided) Pearson Chi-Square 1,854 a 2,396 Likelihood Ratio 1,852 2,396 Linear-by-Linear Association,729 1,393 N of Valid Cases 77 a. 3 cells (50,0%) have expected count less than 5. The minimum expected count is 1,04.

8 Count Crosstab Utilizou MC 1ª RS Sim Não Total MCS Rádio Muito Frequente Frequente Pouco Frequente Nada Frequente Total Chi-Square Tests Value df Asymp. Sig. (2- sided) Pearson Chi-Square 2,150 a 3,542 Likelihood Ratio 2,584 3,460 Linear-by-Linear Association,026 1,872 N of Valid Cases 77 a. 5 cells (62,5%) have expected count less than 5. The minimum expected count is,26. Case Processing Summary MCS Internet * Sempre RS utiliza MC MCS Televisão * Sempre RS utiliza MC MCS Jorn Rev Liv * Sempre RS utiliza MC MCS Rádio * Sempre RS utiliza MC Cases Valid Missing Total N Percent N Percent N Percent 77 65,3% 41 34,7% ,0% 77 65,3% 41 34,7% ,0% 77 65,3% 41 34,7% ,0% 77 65,3% 41 34,7% ,0% Crosstab Count Sempre RS utiliza MC Sim Não Total MCS Internet Muito Frequente Frequente Pouco Frequente Nada Frequente Total

9 Chi-Square Tests Value df Asymp. Sig. (2- sided) Pearson Chi-Square,669 a 3,881 Likelihood Ratio 1,077 3,783 Linear-by-Linear Association,123 1,725 N of Valid Cases 77 a. 5 cells (62,5%) have expected count less than 5. The minimum expected count is,42. Count Crosstab Sempre RS utiliza MC Sim Não Total MCS Televisão Muito Frequente Frequente Pouco Frequente Nada Frequente Total Chi-Square Tests Value df Asymp. Sig. (2- sided) Pearson Chi-Square,652 a 3,884 Likelihood Ratio,638 3,888 Linear-by-Linear Association,328 1,567 N of Valid Cases 77 a. 4 cells (50,0%) have expected count less than 5. The minimum expected count is,62. Count Crosstab Sempre RS utiliza MC Sim Não Total MCS Jorn Rev Liv Frequente Pouco Frequente Nada Frequente Total Chi-Square Tests Value df Asymp. Sig. (2- sided) Pearson Chi-Square,841 a 2,657 Likelihood Ratio,921 2,631 Linear-by-Linear Association,544 1,461 N of Valid Cases 77

10 Chi-Square Tests Value df Asymp. Sig. (2- sided) Pearson Chi-Square,841 a 2,657 Likelihood Ratio,921 2,631 Linear-by-Linear Association,544 1,461 N of Valid Cases 77 a. 1 cells (16,7%) have expected count less than 5. The minimum expected count is 3,32. Count Crosstab Sempre RS utiliza MC Sim Não Total MCS Rádio Muito Frequente Frequente Pouco Frequente Nada Frequente Total Chi-Square Tests Value df Asymp. Sig. (2- sided) Pearson Chi-Square,703 a 3,872 Likelihood Ratio,639 3,887 Linear-by-Linear Association,565 1,452 N of Valid Cases 77 a. 4 cells (50,0%) have expected count less than 5. The minimum expected count is,83.

11 Hipótese 2 A influência da qualidade da informação, percecionada pelos jovens, acerca da sexualidade, nos conhecimentos e atitudes face à contraceção e nos comportamentos e atitudes. Correlação de Pearson Correlations ICC Escala de atitudes Comportamentos e atitudes Qualidade da informação ICC Pearson Correlation 1,000,129 -,235 * Escala de atitudes Comportamentos e atitudes Sig. (2-tailed) 1,000,176,011 N Pearson Correlation,000 1,012 -,068 Sig. (2-tailed) 1,000,899,472 N Pearson Correlation,129, ,126 Sig. (2-tailed),176,899,191 N Qualidade da informação Pearson Correlation -,235 * -,068 -,126 1 *. Correlation is significant at the 0.05 level (2-tailed). Hipótese 3 Sig. (2-tailed),011,472,191 N Relação entre as variáveis sociodemográficas e os meios de comunicação social, os conhecimentos e atitudes face à contraceção e os comportamentos e atitudes Correlação de Pearson Correlations Idade ICC Escala de atitudes Comportamentos e atitudes Idade Pearson Correlation 1 -,251 **,096,016 Sig. (2-tailed),006,299,865 N ICC Pearson Correlation -,251 ** 1,000,129 Escala de atitudes Comportamentos e atitudes **. Correlation is significant at the 0.01 level (2-tailed). Sig. (2-tailed),006 1,000,176 N Pearson Correlation,096,000 1,012 Sig. (2-tailed),299 1,000,899 N Pearson Correlation,016,129,012 1 Sig. (2-tailed),865,176,899 N

12 t Student Group Statistics Género N Mean Std. Deviation Std. Error Mean ICC Masculino 64 4,6875 1,97504,24688 Comportamentos e atitudes Escala de atitudes Feminino 54 5,3704 1,84592,25120 Masculino 58 31,2759 8, ,10567 Feminino 53 40,2264 6,86026,94233 Masculino 64 35,6406 3,77278,47160 Feminino 54 36,0370 3,16206,43030 ICC Comportamentos e atitudes Escala de atitudes Levene's Test for Equality of Variances Independent Samples Test F Sig. t df t-test for Equality of Means Sig. (2- tailed) Mean 95% Confidence Interval of the Std. Error Lower Upper,019,891-1, ,056 -,68287, ,38450, , ,760,055 -,68287, ,38054,01480,794,375-6, ,000-8, , , , , ,632,000-8, , , , ,474,227 -, ,542 -,39641, ,67989, , ,997,536 -,39641, ,66086,86803 Group Statistics Género N Mean Std. Deviation Std. Error Mean MCS Internet Masculino 64 1,50,943,118 Feminino 52 1,40,569,079 MCS Televisão Masculino 64 2,13,766,096 Feminino 52 1,83,734,102 MCS Jorn Rev Liv Masculino 64 2,95,677,085 Feminino 52 3,27,744,103 MCS Rádio Masculino 64 3,42,956,120 Feminino 52 3,50,610,085 MCS mais utiliza tempo Masculino 64 1,81,710,089

13 gasto dia Feminino 54 1,70,717,098 Local mais utiliza Masculino 64 1,03,175,022 MCS desenv conhec sex Internet MCS desenv conhec sex Televisão MCS desenv conhec sex Jorn Rev Liv MCS desenv conhec sex Rádio Feminino 54 1,04,191,026 Masculino 63 1,49,982,124 Feminino 48 1,35,699,101 Masculino 63 2,48,692,087 Feminino 48 2,25,700,101 Masculino 63 2,40,610,077 Feminino 48 2,46,743,107 Masculino 63 3,63,955,120 Feminino 48 3,94,245,035 Assunto sex PF Masculino 62 1,89,319,041 Feminino 50 1,72,454,064 Assunto sex Gravidez Masculino 62 1,95,216,027 Feminino 50 1,80,404,057 Assunto sex Prazer Masculino 62 1,37,487,062 Feminino 50 1,78,418,059 Assunto sex DST Masculino 62 1,71,458,058 Feminino 50 1,42,499,071 Assuntos sex Outros Masculino 62 1,95,216,027 Informações sex MCS mais utiliza MCS alteraram hábitos trab e vida Conhecimentos prevenção DST Feminino 50 1,98,141,020 Masculino 64 2,73 1,012,126 Feminino 51 2,55,610,085 Masculino 63 1,56,501,063 Feminino 54 1,63,487,066 Masculino 64 1,91,583,073 Feminino 54 1,93,508,069 Conhecimentos MC Masculino 64 2,00,735,092 Feminino 54 1,78,604,082 Importante ES meio escolar Masculino 64 1,11,315,039 Feminino 54 1,11,317,043 Acções ES no Ensino B e S Masculino 61 1,64,484,062 Feminino 50 1,70,463,065 Duração acções ES Masculino 22 1,09,294,063 Feminino 15 1,33,617,159 Considera-se pessoa Masculino 62 1,56,500,063 Feminino 54 1,67,476,065 Levene's Test for Equality of Variances Independent Samples Test t-test for Equality of Means

14 MCS Internet MCS Televisão MCS Jorn Rev Liv MCS Rádio MCS mais utiliza tempo gasto dia Local mais utiliza MCS desenv conhec sex Internet MCS desenv conhec sex Televisão MCS desenv conhec sex Jorn Rev Liv MCS desenv conhec sex Rádio Assunto sex PF Assunto sex F Sig. t df Sig. (2- tailed) Mean Std. Error Lower 95% Confidence Interval of the Upper 5,390,022, ,520,096,149 -,199,391, ,875,499,096,142 -,185,377,023,880 2, ,036,298,140,020,576 2, ,937,035,298,140,021,575 2,900,091-2, ,018 -,316,132 -,578 -,054-2, ,423,020 -,316,133 -,581 -,052 5,607,020 -, ,611 -,078,153 -,381,225 -, ,363,595 -,078,146 -,368,212,365,547, ,411,109,132 -,152,370, ,292,411,109,132 -,153,370,118,732 -, ,864 -,006,034 -,073,061 -, ,972,865 -,006,034 -,073,062 4,202,043, ,411,138,167 -,193,469, ,562,390,138,160 -,178,454,099,754 1, ,092,226,133 -,038,490 1, ,775,093,226,133 -,038,491 3,186,077 -, ,633 -,062,128 -,316,193 -,466 89,777,642 -,062,132 -,324,201 22,545,000-2, ,035 -,303,141 -,583 -,022-2,412 72,419,018 -,303,125 -,553 -,053 22,090,000 2, ,024,167,073,022,312 2,202 85,034,030,167,076,016,318 30,360,000 2, ,013,152,060,033,270

15 Gravidez Assunto sex Prazer Assunto sex DST Assuntos sex Outros Informações sex MCS mais utiliza MCS alteraram hábitos trab e vida Conhecimentos prevenção DST Conhecimentos MC Importante ES meio escolar Acções ES no Ensino B e S Duração acções ES Considera-se pessoa 2,391 71,216,019,152,063,025,278 12,708,001-4, ,000 -,409,087 -,581 -,237-4, ,532,000 -,409,086 -,579 -,239 6,718,011 3, ,002,290,091,110,469 3, ,818,002,290,091,108,471 2,635,107 -, ,426 -,028,035 -,099,042 -, ,795,405 -,028,034 -,096,039 6,124,015 1, ,252,185,161 -,134,504 1, ,866,227,185,153 -,117,488 2,424,122 -, ,421 -,074,092 -,256,108 -, ,133,420 -,074,092 -,255,107 1,315,254 -, ,847 -,020,102 -,221,182 -, ,866,845 -,020,101 -,219,179,794,375 1, ,079,222,125 -,026,470 1, ,931,074,222,123 -,022,466,004,953 -, ,976 -,002,058 -,117,114 -, ,362,976 -,002,058 -,117,114 1,831,179 -, ,504 -,061,091 -,240,119 -, ,405,503 -,061,090 -,239,118 11,024,002-1,602 35,118 -,242,151 -,550,065-1,415 18,381,174 -,242,171 -,602,117 4,625,034-1, ,264 -,102,091 -,282,078-1, ,080,262 -,102,091 -,282,078 Group Statistics Género N Mean Std. Deviation Std. Error Mean Info sex Int Motores Busca Masculino 45 1,04,208,031 Feminino 32 1,03,177,031 Info sex Int Chats Masculino 45 2,00,000 a,000

16 Feminino 32 2,00,000 a,000 Info sex Int s Masculino 45 2,00,000 a,000 Feminino 32 2,00,000 a,000 Info sex Int Filmes Masculino 45 1,93,252,038 Feminino 32 2,00,000,000 Info sex Int Youtube Masculino 45 1,98,149,022 Feminino 32 1,97,177,031 Info sex Int Outros Masculino 45 1,96,208,031 Feminino 32 2,00,000,000 Credível inform Internet Masculino 46 1,93,250,037 Comunica Internet apenas pessoas conhece Expõe personali sentiment Internet Internet amb segur encont relacio amorosos Feminino 34 1,97,171,029 Masculino 45 1,18,387,058 Feminino 34 1,18,387,066 Masculino 46 1,78,417,061 Feminino 33 1,67,479,083 Masculino 46 1,87,341,050 Feminino 33 2,00,000,000 Utiliza Internet estabelecer Masculino 41 3,73,633,099 Perigoso enc presencial pessoa conhec online Marcou encont amoroso pess contact Internet Conv encont amoroso pess contact Internet Encont amoroso envolv sexual Relac amoroso iniciado online Quantos relac amoroso iniciou online Tempo internet dia estab relac amoroso Relac amoroso online orig relaç estáveis Feminino 30 4,00,000,000 Masculino 46 1,39,493,073 Feminino 33 1,06,242,042 Masculino 46 1,83,383,057 Feminino 34 1,91,288,049 Masculino 45 1,73,447,067 Feminino 34 1,76,431,074 Masculino 12 1,67,492,142 Feminino 8 1,88,354,125 Masculino 45 1,89,318,047 Feminino 33 1,88,331,058 Masculino 5 1,40,548,245 Feminino 4 1,00,000,000 Masculino 44 1,18,390,059 Feminino 29 1,10,557,103 Masculino 46 1,37,488,072 Feminino 33 1,55,506,088 a. t cannot be computed because the standard deviations of both groups are 0. Levene's Test for Equality of Variances Independent Samples Test t-test for Equality of Means 95% Confidence Interval of the

17 Info sex Int Motores Busca Info sex Int Filmes Info sex Int Youtube Info sex Int Outros Credível inform Internet Comunica Internet apenas pessoas conhece Expõe personali sentiment Internet Internet amb segur encont relacio amorosos Utiliza Internet estabelecer Perigoso enc presencial pessoa conhec online Marcou encont amoroso pess contact Internet Conv encont amoroso pess contact Internet F Sig. t df Sig. (2- tailed) Mean Std. Error Lower Upper,342,560,291 75,772,013,045 -,077,103,299 72,597,765,013,044 -,075,101 10,328,002-1,492 75,140 -,067,045 -,156,022-1,773 44,000,083 -,067,038 -,142,009,235,629,242 75,809,009,037 -,065,083,235 59,551,815,009,038 -,068,086 6,378,014-1,204 75,232 -,044,037 -,118,029-1,431 44,000,160 -,044,031 -,107,018 2,151,147 -,720 78,474 -,036,050 -,135,063 -,760 77,646,450 -,036,047 -,130,058,001,976,015 77,988,001,088 -,174,176,015 71,185,988,001,088 -,174,177 4,844,031 1,145 77,256,116,101 -,086,318 1,120 63,041,267,116,104 -,091,323 26,711,000-2,197 77,031 -,130,059 -,249 -,012-2,598 45,000,013 -,130,050 -,232 -,029 29,844,000-2,315 69,024 -,268,116 -,499 -,037-2,712 40,000,010 -,268,099 -,468 -,068 98,759,000 3,551 77,001,331,093,145,516 3,932 69,322,000,331,084,163,498 5,224,025-1,095 78,277 -,086,078 -,242,070-1,142 77,969,257 -,086,075 -,235,064,401,528 -,314 77,755 -,031,100 -,231,168 -,315 72,564,753 -,031,099 -,230,167

18 Encont amoroso envolv sexual Relac amoroso iniciado online Quantos relac amoroso iniciou online Tempo internet dia estab relac amoroso Relac amoroso online orig relaç estáveis 5,582,030-1,029 18,317 -,208,202 -,634,217-1,101 17,833,286 -,208,189 -,606,190,074,786,136 76,892,010,074 -,138,158,135 67,414,893,010,075 -,139,159 74,667,000 1,440 7,193,400,278 -,257 1,057 1,633 4,000,178,400,245 -,280 1,080 1,165,284,707 71,482,078,111 -,143,299,659 45,906,513,078,119 -,161,318 1,659,202-1,556 77,124 -,176,113 -,401,049-1,547 67,593,127 -,176,114 -,403,051 Group Statistics Género N Mean Std. Deviation Std. Error Mean Atualmente tem namorado(a) Masculino 64 1,55,502,063 Feminino 54 1,54,503,068 Se não qual a situação Masculino 35 1,94,338,057 Feminino 29 1,76,435,081 Idade 1ª RS Masculino 46 16,87 1,733,256 Feminino 30 17,33 1,269,232 Quantos parc dif teve RS Masculino 42 2,57 2,097,324 Feminino 28 1,71,976,184 Quantos parc única RS Masculino 44 1,93 1,822,275 Feminino 28 1,29,535,101 Utilizou MC 1ª RS Masculino 47 1,04,204,030 Feminino 30 1,10,305,056 Sempre RS utiliza MC Masculino 47 1,28,452,066 Se sim método que mais utiliza Feminino 30 1,10,305,056 Masculino 30 1,67,479,088 Feminino 26 1,38,496,097 Levene's Test for Equality of Variances Independent Samples Test t-test for Equality of Means 95% Confidence Interval of the

19 Atualmente tem namorado(a) Se não qual a situação Idade 1ª RS Quantos parc dif teve RS Quantos parc única RS Utilizou MC 1ª RS Sempre RS utiliza MC Se sim método que mais utiliza F Sig. t df Sig. (2- tailed) Mean Std. Error Lower Upper,043,835, ,916,010,093 -,174,194, ,564,916,010,093 -,174,194 9,372,003 1,905 62,061,184,097 -,009,378 1,861 52,220,068,184,099 -,014,383,271,604-1,261 74,211 -,464,368-1,197,269-1,345 72,934,183 -,464,345-1,151,224 8,491,005 2,018 68,047,857,425,010 1,705 2,301 62,026,025,857,372,113 1,602 4,145,046 1,823 70,073,646,354 -,061 1,353 2,207 53,846,032,646,293,059 1,233 4,002,049 -,991 75,325 -,057,058 -,173,058 -,910 45,575,368 -,057,063 -,185,070 18,467,000 1,881 75,064,177,094 -,010,364 2,046 74,722,044,177,086,005,349,589,446 2,160 54,035,282,131,020,544 2,155 52,307,036,282,131,019,545 Group Statistics Religião N Mean Std. Deviation Std. Error Mean ICC Católica 50 5,1000 1,87628,26535 Comportamentos e atitudes Escala de atitudes Nenhuma 64 4,9531 2,05039,25630 Católica 48 36,0833 8, ,16305 Nenhuma 60 35,6000 9, ,17584 Católica 50 36,1800 3,39682,48038 Nenhuma 64 35,6875 3,56738,44592 Levene's Test for Equality of Variances Independent Samples Test t-test for Equality of Means

20 ICC Comportamentos e atitudes Escala de atitudes F Sig. t df Sig. (2- tailed) Mean Std. Error Lower 95% Confidence Interval of the Upper,615,434, ,694,14688, ,59214,88589, ,172,691,14688, ,58429, ,739,101, ,774, , , ,80743, ,889,771, , , ,76269,003,956, ,457,49250, , ,79909, ,656,454,49250, , ,79176 Hipótese 4 A influência da educação sexual em meio escolar nos conhecimentos e atitudes face à contraceção e nos comportamentos e atitudes t Student Group Statistics Acções ES no Ensino B e S N Mean Std. Deviation Std. Error Mean ICC Sim 37 5,0270 1,67476,27533 Comportamentos e atitudes Escala de atitudes Não 74 5,0270 2,08039,24184 Sim 34 34, , ,85262 Não 70 36,4143 7,93724,94868 Sim 37 35,7568 3,74467,61562 Não 74 36,0000 3,37598,39245 ICC Levene's Test for Equality of Variances Independent Samples Test F Sig. t df t-test for Equality of Means Sig. (2- tailed) Mean Std. Error Lower 95% Confidence Interval of the Upper 1,513,221, ,000,00000, ,78047,78047,000 87,341 1,000,00000, ,72834,72834

21 Comportamentos e atitudes Escala de atitudes 10,552,002 -, ,398-1, , , , ,764 50,902,448-1, , , ,58802,007,935 -, ,731 -,24324, , , ,333 65,843,740 -,24324, , ,21446

UNIVERSIDADE DOS AÇORES Licenciatura em Sociologia. Análise de Dados

UNIVERSIDADE DOS AÇORES Licenciatura em Sociologia. Análise de Dados UNIVERSIDADE DOS AÇORES Licenciatura em Sociologia Análise de Dados Exame Data: 200 06 07 Duração: 2 horas Nota: Justifique todas as suas afirmações. Um investigador pretende saber se existem ou não diferenças

Leia mais

IMC para adolescentes:

IMC para adolescentes: ANEXO 1 Anexo 1 IMC para adolescentes: Idade Sexo Baixo Peso Peso Normal 6 anos 7 anos 8 anos 9 anos 10 anos 11 anos 12 anos 13 anos 14 anos 15 anos 16 anos 17 anos Masculino Feminino Masculino Feminino

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÃO PORTO Ano lectivo 2009/20010 EXAME: DATA 24 / 02 / NOME DO ALUNO:

INSTITUTO SUPERIOR DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÃO PORTO Ano lectivo 2009/20010 EXAME: DATA 24 / 02 / NOME DO ALUNO: INSTITUTO SUPERIOR DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÃO PORTO Ano lectivo 2009/20010 Estudos de Mercado EXAME: DATA 24 / 02 / 20010 NOME DO ALUNO: Nº INFORMÁTICO: TURMA: PÁG. 1_ PROFESSOR: ÉPOCA: Grupo I (10

Leia mais

Group Statistics. residência N Mean Std. Deviation Std. Error Mean. Avaliação Breve do Estado Mental. meio rural 11 27,73 1,849,557

Group Statistics. residência N Mean Std. Deviation Std. Error Mean. Avaliação Breve do Estado Mental. meio rural 11 27,73 1,849,557 ANEXO M: Output 1 Teste t de Student para amostras independentes, para comparação entre médias obtidas nos quatro instrumentos de avaliação pelas duas amostras: meio rural e meio urbano. Group Statistics

Leia mais

ANEXO A: Questionário de Dados Sócio-demográficos e Profissionais

ANEXO A: Questionário de Dados Sócio-demográficos e Profissionais ANEXO A: Questionário de Dados Sócio-demográficos e Profissionais Totalmente em desacordo Em desacordo Indeciso De acordo Totalmente de acordo Não me afecta Afecta-me um pouco Afecta-me moderada/ Afecta-me

Leia mais

Teste t de Student para o caso de uma amostra (Teste de hipóteses

Teste t de Student para o caso de uma amostra (Teste de hipóteses Teste t de Student para o caso de uma amostra (Teste de hipóteses para a média populacional) Exemplo: Quinze alunos foram inquiridos quanto ao seu grau de satisfação (numa escala de 0 a 00) em relação

Leia mais

Anexo 6 Testes de Fiabilidade

Anexo 6 Testes de Fiabilidade Variável: Empenho da gestão Reliability Anexo 6 Testes de Fiabilidade Cases a. Case Processing Summary Valid Excluded Total Listwise deletion based on all variables in the procedure. a N % 49 96, 2 3,9

Leia mais

APLICAÇÃO COLETIVA DA FIGURA COMPLEXA DE REY

APLICAÇÃO COLETIVA DA FIGURA COMPLEXA DE REY APLICAÇÃO COLETIVA DA FIGURA COMPLEXA DE REY Álvaro José Lelé (Centro Universitário de Lavras, Laboratório de Avaliação das Diferenças Individuais-UFMG), Marilourdes do Amaral Barbosa (Universidade da

Leia mais

Analise discriminante rácios Económico - Financeiros - VI Page 1

Analise discriminante rácios Económico - Financeiros - VI Page 1 Frequencies ANALISE DOS RÁCIOS Notes Missing Value Handling Syntax Definition of Missing Cases Used Userdefined missing values are treated as missing. Statistics are based on all cases with valid data.

Leia mais

SHOW. [DataSet1] C:\Documents and Settings\Tito\Ambiente de trabalho\almas\dadostodoscomresiduos.sav

SHOW. [DataSet1] C:\Documents and Settings\Tito\Ambiente de trabalho\almas\dadostodoscomresiduos.sav GET FILE=' '. DATASET NAME Set1 WINDOW=FRONT. PRESERVE. SET RNG=MT MTINDEX=2000000. SHOW RNG. SHOW Output Created 21-DEC-2013 23:23:56 Active set Set1 SHOW RNG. Processor Time 00:00:00,00 Elapsed Time

Leia mais

Capítulo 6 Estatística não-paramétrica

Capítulo 6 Estatística não-paramétrica Capítulo 6 Estatística não-paramétrica Slide 1 Teste de ajustamento do Qui-quadrado Testes de independência e de homogeneidade do Qui-quadrado Algumas considerações Slide 2 As secções deste capítulo referem-se

Leia mais

Capítulo 6 Estatística não-paramétrica

Capítulo 6 Estatística não-paramétrica Capítulo 6 Estatística não-paramétrica Slide 1 Teste de ajustamento do Qui-quadrado Testes de independência e de homogeneidade do Qui-quadrado Testes dos sinais e de Wilcoxon Teste de Mann-Whitney Teste

Leia mais

ISCTE- IUL Instituto Universitário de Lisboa

ISCTE- IUL Instituto Universitário de Lisboa ISCTE- IUL Instituto Universitário de Lisboa Licenciatura em Gestão Exame de ª Época de Estatística II de Junho de 0 Duração: h +30m Nota: Não são prestados esclarecimentos durante a prova! Só é permitida

Leia mais

User-defined missing values are treated as missing. Statistics are based on all cases with valid data. VARIABLES=Ano /ORDER= ANALYSIS.

User-defined missing values are treated as missing. Statistics are based on all cases with valid data. VARIABLES=Ano /ORDER= ANALYSIS. Frequencies Notes Missing Value Handling Syntax Definition of Missing Cases Used User-defined missing values are treated as missing. Statistics are based on all cases with valid data. FREQUENCIES VARIABLES=Ano

Leia mais

Discriminant Rácios de Altman Output Created Comments Missing Value Handling

Discriminant Rácios de Altman Output Created Comments Missing Value Handling Discriminant Rácios de Altman Output Created Comments Missing Value Handling Syntax Definition of Missing Cases Used User-defined missing values are treated as missing in the analysis phase. In the analysis

Leia mais

[DataSet11] D:\Fmh\Doutoramento\Tese\Dados\Quantitativos\Questionário Prof essores.sav

[DataSet11] D:\Fmh\Doutoramento\Tese\Dados\Quantitativos\Questionário Prof essores.sav USE ALL. FILTER BY filter_$. EXECUTE. CLUSTER CondRelativa ImpRelativa IntegRelativa /METHOD SINGLE /MEASURE=SEUCLID /ID=Id.Prof /PRINT SCHEDULE /PRINT DISTANCE /PLOT DENDROGRAM. [DataSet] D:\Fmh\Doutoramento\Tese\Dados\Quantitativos\Questionário

Leia mais

Estatística Aplicada à Administração II

Estatística Aplicada à Administração II Estatística Aplicada à Administração II Tópico: Análise Discriminante (No SPSS e no Minitab) Bibliografia: R.A. Johnson, Applied Multivariate Statistical Analysis, Prentice Hall, 1992 L.J. Corrar; E. Paulo;

Leia mais

ESTATÍSTICA MULTIVARIADA 2º SEMESTRE 2010 / 11. EXERCÍCIOS PRÁTICOS - CADERNO 5 Análise Factorial de Componentes Principais

ESTATÍSTICA MULTIVARIADA 2º SEMESTRE 2010 / 11. EXERCÍCIOS PRÁTICOS - CADERNO 5 Análise Factorial de Componentes Principais ESTATÍSTICA MULTIVARIADA 2º SEMESTRE 21 / 11 EXERCÍCIOS PRÁTICOS - CADERNO 5 Análise Factorial de Componentes Principais 26-4-11 5.1 5. ANÁLISE FACTORIAL DE COMPONENTES PRINCIPAIS 5.1. Admita 3 variáveis

Leia mais

REGRESSÃO LOGÍSTICA E INDICADORES DE GOVERNANÇA GLOBAL

REGRESSÃO LOGÍSTICA E INDICADORES DE GOVERNANÇA GLOBAL PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FEA Faculdade de Economia e Administração Programa de Estudos Pós Graduados em Administração REGRESSÃO LOGÍSTICA E INDICADORES DE GOVERNANÇA GLOBAL Disciplina:

Leia mais

Introdução à análise estatística com SPSS. Guião nº6: Medidas de associação

Introdução à análise estatística com SPSS. Guião nº6: Medidas de associação Introdução à análise estatística com SPSS Guião nº6: Medidas de associação Experiência sobre volume plasmático e o peso em 13 homens saudáveis Os investigadores pretendem descobrir se as variáveis volume

Leia mais

Anexo H Estudo Longitudinal Outputs

Anexo H Estudo Longitudinal Outputs Anexo H Estudo Longitudinal Outputs SATISFAÇÃO 0 Satisfação_D ed Samples Statistics 4,88,384,62 5,25,245,46 ed Samples Correlations Satisfação_D &,50,000 ed Samples Test ed Differences Satisfação_D - Std.

Leia mais

ESTATÍSTICA MULTIVARIADA 2º SEMESTRE 2010 / 11. EXERCÍCIOS PRÁTICOS - CADERNO 3 Distribuição Normal Multivariada

ESTATÍSTICA MULTIVARIADA 2º SEMESTRE 2010 / 11. EXERCÍCIOS PRÁTICOS - CADERNO 3 Distribuição Normal Multivariada ESTATÍSTICA MULTIVARIADA 2º SEMESTRE 2010 / 11 EXERCÍCIOS PRÁTICOS - CADERO 3 Distribuição ormal Multivariada 22-02-11 3.1 3.1. Considere três variáveis bidimensionais (X 1, X 2 ) com distribuição normal

Leia mais

([DPHGH5HFRUUrQFLDGH0pWRGRV(VWDWtVWLFRV

([DPHGH5HFRUUrQFLDGH0pWRGRV(VWDWtVWLFRV Data: 09/07/2003 ([DPHGH5HFRUUrQFLDGH0pWRGRV(VWDWtVWLFRV Duração: 2 horas Nome: N.º: Curso: Regime: Número de folhas suplementares entregues pelo aluno: Declaro que desisto (VWDSURYDFRQVLVWHHPTXHVW}HVGHUHVSRVWDDEHUWDHDVUHVSHFWLYDVFRWDo}HVHQFRQWUDPVHQDWDEHODTXHVHVHJXH

Leia mais

ENADE Exame Nacional de Desempenho de Estudantes. Instituições do Ensino Superior do Município de São Paulo

ENADE Exame Nacional de Desempenho de Estudantes. Instituições do Ensino Superior do Município de São Paulo PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP MÉTODOS QUANTITATIVOS DE PESQUISA EMPÍRICA Prof. Dr. ARNOLDO HOYOS ENADE 9 Exame Nacional de Desempenho de Estudantes Instituições do Ensino Superior

Leia mais

Análise de Variância simples (One way ANOVA)

Análise de Variância simples (One way ANOVA) Análise de Variância simples (One way ANOVA) Análise de experiências com vários grupos de observações classificados através de um só factor (por exemplo grupos de indivíduos sujeitos a diferentes tratamentos

Leia mais

CE008 Introducão à Bioestatística

CE008 Introducão à Bioestatística CE008 Introducão à Bioestatística Silvia Shimakura silvia.shimakura@ufpr.br Laboratório de Estatística e Geoinformação Objetivo da disciplina Conhecer metodologias estatísticas para produção, descrição

Leia mais

Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL) Licenciaturas em Gestão e Finanças & Contabilidade Estatística II - Exame de 1ª época

Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL) Licenciaturas em Gestão e Finanças & Contabilidade Estatística II - Exame de 1ª época Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL) Licenciaturas em Gestão e Finanças & Contabilidade Estatística II - Exame de 1ª época Duração: 2h +30m Nota: Não são prestados esclarecimentos durante a prova!

Leia mais

Anexo A Anexo B Anexo C Anexo D Anexo E Anexo F

Anexo A Anexo B Anexo C Anexo D Anexo E Anexo F ANEXOS Anexo A Physical Self Perception Profile (PSPPp) Fox & Corbin Anexo B Self Esteem Scale Rosenberg Anexo C Body Image Questionnaire BruchonSchweitzer Anexo D Valores da Estatística descritiva Anexo

Leia mais

COOPERAÇÃO CE - PALOP. Programa PIR PALOP II. Projecto CONSOLIDAÇÃO DAS CAPACIDADES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Tomo - I CO-FINANCIAMENTO

COOPERAÇÃO CE - PALOP. Programa PIR PALOP II. Projecto CONSOLIDAÇÃO DAS CAPACIDADES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Tomo - I CO-FINANCIAMENTO COOPERAÇÃO CE - PALOP Programa PIR PALOP II Projecto CONSOLIDAÇÃO DAS CAPACIDADES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA N.º IDENTIFICAÇÃO : REG/7901/013 N. CONTABILÍSTICO : 8 ACP MTR 5 * 8 ACP TPS 126 ACORDO DE FINANCIAMENTO

Leia mais

Aula 10. ANOVA Análise de Variância em SPSS

Aula 10. ANOVA Análise de Variância em SPSS Aula 10. ANOVA Análise de Variância em SPSS Métodos Estadísticos 2008 Universidade de Averio Profª Gladys Castillo Jordán Análise de Variância Objectivo: comparar medidas de localização para mais do que

Leia mais

ISCTE Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa

ISCTE Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa ISCTE Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa Licenciatura em Gestão Exame de 2ª Época de Estatística II Duração: 2h +30m Nota: Não são prestados esclarecimentos durante a prova! Só é permitida

Leia mais

Testes não paramétricos são testes de hipóteses que não requerem pressupostos sobre a forma da distribuição subjacente aos dados.

Testes não paramétricos são testes de hipóteses que não requerem pressupostos sobre a forma da distribuição subjacente aos dados. TESTES NÃO PARAMÉTRICOS Testes não paramétricos são testes de hipóteses que não requerem pressupostos sobre a forma da distribuição subjacente aos dados. Bioestatística, 2007 15 Vantagens dos testes não

Leia mais

Teste de Hipóteses (ou Teste de Significância)

Teste de Hipóteses (ou Teste de Significância) Teste de Hipóteses (ou Teste de Significância) Pedro Paulo Balestrassi www.pedro.unifei.edu.br ppbalestrassi@gmail.com 35-36291161 / 88776958 (cel) 1 São diferenças estatisticamente significantes? A B

Leia mais

Prof. Dr. Alfredo J Rodrigues. Departamento de Cirurgia e Anatomia Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Universidade de São Paulo

Prof. Dr. Alfredo J Rodrigues. Departamento de Cirurgia e Anatomia Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Universidade de São Paulo Bioestatística Básica RCA 5804 1. Experimentos no qual o sujeito recebe + de 1 tratamento 2. Alternativas para teste T e Análise de Variância 3. Correlação Prof. Dr. Alfredo J Rodrigues Departamento de

Leia mais

Análise de Variância a um factor

Análise de Variância a um factor 1 Análise de Variância a um factor Análise de experiências com vários grupos de observações classificados através de um só factor (por exemplo grupos de indivíduos sujeitos a diferentes tratamentos para

Leia mais

DIAGNÓSTICO DE SATISFAÇÃO NO INSTITUTO SUPERIOR D. DINIS. Instrumento de Auto-Avaliação do ISDOM. Instituto Superior D. Dinis.

DIAGNÓSTICO DE SATISFAÇÃO NO INSTITUTO SUPERIOR D. DINIS. Instrumento de Auto-Avaliação do ISDOM. Instituto Superior D. Dinis. DIAGNÓSTICO DE SATISFAÇÃO NO INSTITUTO SUPERIOR D. DINIS Instrumento de Auto-Avaliação do ISDOM Instituto Superior D. Dinis Marinha Grande 2013 DIAGNÓSTICO DE SATISFAÇÃO INTERNA NO INSTITUTO SUPERIOR D.

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ALGARVE Escola Superior de Gestão, Hotelaria e Turismo

UNIVERSIDADE DO ALGARVE Escola Superior de Gestão, Hotelaria e Turismo UNIVERSIDADE DO ALGARVE Escola Superior de Gestão, Hotelaria e Turismo APLICAÇÕES NO SPSS Disciplina de Estatística Gestão Disciplina de Estatística Gestão Hoteleira Disciplina de Estatística Descritiva

Leia mais

Estatística Computacional (Licenciatura em Matemática) Duração: 2h Exame - Resolução

Estatística Computacional (Licenciatura em Matemática) Duração: 2h Exame - Resolução DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA Estatística Computacional (Licenciatura em Matemática) Duração: 2h Exame - Resolução 13-06-11 Observação: A resolução completa das perguntas inclui

Leia mais

Uso de procedimentos de estatistica na obtenção de resultados de toxicidade

Uso de procedimentos de estatistica na obtenção de resultados de toxicidade Uso de procedimentos de estatistica na obtenção de resultados de toxicidade Dean Leverett Senior Scientist UK Environment Agency Science Biological Effects Measures Plano Resultados dos testes de toxicidade

Leia mais

O SENTIMENTO DE SOLIDÃO EM IDOSAS INSTITUCIONALIZADAS: A INFLUÊNCIA DA AUTONOMIA FUNCIONAL E DO MEIO ECOLÓGICO

O SENTIMENTO DE SOLIDÃO EM IDOSAS INSTITUCIONALIZADAS: A INFLUÊNCIA DA AUTONOMIA FUNCIONAL E DO MEIO ECOLÓGICO UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE PSICOLOGIA E CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO O SENTIMENTO DE SOLIDÃO EM IDOSAS INSTITUCIONALIZADAS: A INFLUÊNCIA DA AUTONOMIA FUNCIONAL E DO MEIO ECOLÓGICO Joana Fátima Mendes

Leia mais

Métodos Quantitativos Aplicados

Métodos Quantitativos Aplicados Métodos Quantitativos Aplicados Aula 5 http://www.iseg.utl.pt/~vescaria/mqa/ Tópicos apresentação Análise de dados bivariada: cruzamentos e medidas de associação variáveis nominais e ordinais e variáveis

Leia mais

Regressão Linear em SPSS

Regressão Linear em SPSS Regressão Linear em SPSS 1. No ficheiro Calor.sav encontram-se os valores do consumo mensal de energia, medido em milhões de unidades termais britânicas, acompanhados de valores de output, em milhões de

Leia mais

1) Como vou comparar 3 grupos realizo uma Anova one way:

1) Como vou comparar 3 grupos realizo uma Anova one way: Gabarito aula anova e teste não-paramétrico: 1) Como vou comparar 3 grupos realizo uma Anova one way: One-way ANOVA: AREA versus VIRUS Analysis of Variance for AREA Source DF SS MS F P VIRUS 2 215,54 107,77

Leia mais

O cidadão e o bem-estar financeiro. Gabriel Garber e Sérgio Mikio Koyama Departamento e Estudos e Pesquisas Banco Central do Brasil

O cidadão e o bem-estar financeiro. Gabriel Garber e Sérgio Mikio Koyama Departamento e Estudos e Pesquisas Banco Central do Brasil O cidadão e o bem-estar financeiro Gabriel Garber e Sérgio Mikio Koyama Departamento e Estudos e Pesquisas Banco Central do Brasil Contextualização 63 questões fechadas 8 perfil 13 conhecimento 22 de atitude

Leia mais

Tabela 1 - Teste de Dickey-Fuller para série log-preço futuro. Teste ADF 0, ,61% Tabela 2 - Teste de Dickey-Fuller para série log-preço à vista

Tabela 1 - Teste de Dickey-Fuller para série log-preço futuro. Teste ADF 0, ,61% Tabela 2 - Teste de Dickey-Fuller para série log-preço à vista 32 5. Resultados 5.1. Séries Log-preço Para verificar se as séries logaritmo neperiano dos preços (log-preço) à vista e futuro e as séries logaritmo neperiano dos retornos (log-retorno) à vista e futuro

Leia mais

ESTUDO DE CASO. Terapêutica e prevenção secundária no tumor do pulmão

ESTUDO DE CASO. Terapêutica e prevenção secundária no tumor do pulmão ESTUDO DE CASO Terapêutica e prevenção secundária no tumor do pulmão É bem conhecida a relação tabaco / tumor do pulmão, embora existam casos de neoplasia do pulmão sem antecedentes de tabagismo. Mesmo

Leia mais

INTRODUÇÃO À ANÁLISE ESTATÍSTICA UTILIZANDO O SPSS 13.0

INTRODUÇÃO À ANÁLISE ESTATÍSTICA UTILIZANDO O SPSS 13.0 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE MATEMÁTICA Cadernos de Matemática e Estatística Série B: Trabalho de Apoio Didático INTRODUÇÃO À ANÁLISE ESTATÍSTICA UTILIZANDO O SPSS 13.0 Elsa Mundstock

Leia mais

4-Teste de Hipóteses. Teste de Hipóteses

4-Teste de Hipóteses. Teste de Hipóteses Teste de Procedimentos Gerais Teste de média Z para 1 amostra Teste de média t para 1 amostra Teste de variância para 2 amostras A Distribuição de Fisher Teste de média t para 2 amostras Teste de média

Leia mais

FACULDADE DE ECONOMIA DO PORTO. Curso de Mestrado em Economia MÉTODOS ECONOMÉTRICOS (EC706)

FACULDADE DE ECONOMIA DO PORTO. Curso de Mestrado em Economia MÉTODOS ECONOMÉTRICOS (EC706) FACULDADE DE ECONOMIA DO PORTO Curso de Mestrado em Economia MÉTODOS ECONOMÉTRICOS (EC706) Exame Final 10 de Janeiro de 2005 NOTAS PRÉVIAS: 1. A prova tem três horas de duração. 2. Apenas é permitida a

Leia mais

RELATÓRIO PESQUISA DE MERCADO

RELATÓRIO PESQUISA DE MERCADO RELATÓRIO PESQUISA DE MERCADO Aluno : Alexandro Vieira Lopes Professora : Profª Miriam Silvestre Presidente Prudente 2007 1 Alexandro Vieira Lopes Relatório da Disciplina Pesquisa de Mercado Estudo do

Leia mais

ANÁLISE DISCRIMINANTE (MÓDULO I)

ANÁLISE DISCRIMINANTE (MÓDULO I) Universidade Federal do Pará Instituto de Ciências Exatas e Naturais Faculdade de Estatística Estatística Aplicada ANÁLISE DISCRIMINANTE (MÓDULO I) Franciely Farias da Cunha (201007840014), aluna do curso

Leia mais

Incerteza, exatidão, precisão e desvio-padrão

Incerteza, exatidão, precisão e desvio-padrão 1 Incerteza, exatidão, precisão e desvio-padrão Incerteza ( uncertainty or margin of error ) A incerteza, segundo a Directiva Comunitária 2007/589/CE, é: parâmetro associado ao resultado da determinação

Leia mais

Aula no SAS. Planejamento do Experimento - Delineamento inteiramente casualizado. Saídas

Aula no SAS. Planejamento do Experimento - Delineamento inteiramente casualizado. Saídas Aula no SAS Planejamento do Experimento - Delineamento inteiramente casualizado Saídas title "Antes da Casualização"; data plano; do parc=1 to 20;*DEVE SER MÚLTIPLO DO NÚMERO DE TRATAMENTOS; trat=int((parc-1)/5)+1;*tratamentos+1=5;

Leia mais

ESTUDO DO PERFIL E DOS EFEITOS DE UM PROGRAMA DE INTERVENÇÃO FISIOTERAPEUTICO EM CANDIDATOS A TRANSPLANTE DE FÍGADO

ESTUDO DO PERFIL E DOS EFEITOS DE UM PROGRAMA DE INTERVENÇÃO FISIOTERAPEUTICO EM CANDIDATOS A TRANSPLANTE DE FÍGADO Name of Journal: World Journal of Transplantation ESPS Manuscript NO: 24238 Manuscript Type: Randomized Controlled Trial De: Câmara de Pesquisa Estatística / FCM Para: Vivian Limongi - Cirurgia Data: 02/Abr/2014

Leia mais

Case Processing Summary

Case Processing Summary 17. O ficheiro Banco.sav encerra informação relativa a 474 empregados contratados por um banco, entre 1969 e 1971. Este banco esteve envolvido num processo judicial no âmbito da Igualdade de Oportunidade

Leia mais

CARACTERÍSTICAS DA POPULAÇÃO ACTUAL DOS OVINOS DA RAÇA OVINA CHURRA DO CAMPO (Portugal): Efeitos ambientais fixos, consanguinidade e variabilidade

CARACTERÍSTICAS DA POPULAÇÃO ACTUAL DOS OVINOS DA RAÇA OVINA CHURRA DO CAMPO (Portugal): Efeitos ambientais fixos, consanguinidade e variabilidade CARACTERÍSTICAS DA POPULAÇÃO ACTUAL DOS OVINOS DA RAÇA OVINA CHURRA DO CAMPO (Portugal): Efeitos ambientais fixos, consanguinidade e variabilidade José Pedro Fragoso de Almeida Luís Figueira Carlos Sousa

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DETF DEPTº ENG. TECNOLOGIA FLORESTAL LABORATÓRIO DE TECNOLOGIA DA MADEIRA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DETF DEPTº ENG. TECNOLOGIA FLORESTAL LABORATÓRIO DE TECNOLOGIA DA MADEIRA DETERMINATION OF SOME PHYSICAL AND MECHANICAL PROPERTIES OF EUCALYPTUS GLUED LAMINATED TIMBER (Scantling Eucalipto) Requester : ScanCom do Brasil Ltda CURITIBA August 2014 Version 1 80210-170 Rua Lothário

Leia mais

Análise De Fundos De Financiamento Para Organizações Do Terceiro Setor. No Ano De 2006

Análise De Fundos De Financiamento Para Organizações Do Terceiro Setor. No Ano De 2006 Análise De Fundos De Financiamento Para Organizações Do Terceiro Setor No Ano De 26 Jaqueline Abrantes e Matheus Iwao Oshikiri PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FEA - Faculdade de Economia

Leia mais

ECONOMETRIA I. I (11 valores)

ECONOMETRIA I. I (11 valores) Faculdade de Economia Universidade Nova de Lisboa ECONOMETRIA I Exame de 1ª Época 14 de Janeiro de 2005 Duração: 2 horas I (11 valores) Com base numa amostra aleatória de 88 alunos que fizeram o exame

Leia mais

SLEEVE GÁSTRICO : RESULTADOS E FATORES PREDITORES DE PERDA DE PESO

SLEEVE GÁSTRICO : RESULTADOS E FATORES PREDITORES DE PERDA DE PESO Diretor Dr. Mesquita Rodrigues SLEEVE GÁSTRICO : RESULTADOS E FATORES PREDITORES DE PERDA DE PESO A. GOULART, C. BRANCO, J. MAIA DA COSTA, F. MANSO, M. PEREIRA, A. FERNANDES, P. COSTA, P. LEÃO INTRODUÇÃO

Leia mais

Capítulo 3. O Modelo de Regressão Linear Simples: Especificação e Estimação

Capítulo 3. O Modelo de Regressão Linear Simples: Especificação e Estimação Capítulo 3 O Modelo de Regressão Linear Simples: Especificação e Estimação Introdução Teoria Econômica Microeconomia: Estudamos modelos de oferta e demanda (quantidades demandadas e oferecidas dependem

Leia mais

Avaliação da aprendizagem: do papel para o computador

Avaliação da aprendizagem: do papel para o computador Avaliação da aprendizagem: do papel para o computador Thácya A. F. Mattos 1, José Wilson da Costa 1 1 Mestrado em Educação Tecnológica Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG)

Leia mais

PUC - SP VARIÁVEIS SÓCIO-ECONÔMICAS E TAXA DE SUICÍDIOS NO BRASIL

PUC - SP VARIÁVEIS SÓCIO-ECONÔMICAS E TAXA DE SUICÍDIOS NO BRASIL PUC - SP VARIÁVEIS SÓCIO-ECONÔMICAS E TAXA DE SUICÍDIOS NO BRASIL MICHEL WIAZOWSKI ROCHA RUTHELLE MARIA DE CARVALHO SOUSA MESTRANDO EM ADMINISTRAÇÃO MÉTODOS QUANTITATIVOS PROF. DR. ARNOLDO HOYOS SÃO PAULO

Leia mais

Modelos ARCH e GARCH Aula 8. Morettin e Toloi, 2006, Capítulo 1 e 14 Morettin, 2011, Capítulo 1 e 5 Bueno, 2011, Capítulo 8

Modelos ARCH e GARCH Aula 8. Morettin e Toloi, 2006, Capítulo 1 e 14 Morettin, 2011, Capítulo 1 e 5 Bueno, 2011, Capítulo 8 Modelos ARCH e GARCH Aula 8 Morettin e Toloi, 2006, Capítulo 1 e 14 Morettin, 2011, Capítulo 1 e 5 Bueno, 2011, Capítulo 8 Motivação Pesquisadores que se dedicam a prever séries temporais, tais como preços

Leia mais

Aula Prática 03 Estatística Experimental DELINEAMENTO QUADRADO LATINO. *Planejamento do Experimento Delineamento Quadrado Latino (DQL);

Aula Prática 03 Estatística Experimental DELINEAMENTO QUADRADO LATINO. *Planejamento do Experimento Delineamento Quadrado Latino (DQL); Aula Prática 03 Estatística Experimental DELINEAMENTO QUADRADO LATINO *Planejamento do Experimento Delineamento Quadrado Latino (DQL); ods rtf; title 'Planejamento do Experimento - Quadrados Latinos';

Leia mais

Capacitação em R e RStudio PROJETO DE EXTENSÃO. Software R: capacitação em análise estatística de dados utilizando um software livre.

Capacitação em R e RStudio PROJETO DE EXTENSÃO. Software R: capacitação em análise estatística de dados utilizando um software livre. UFFS Universidade Federal da Fronteira Sul Campus Cerro Largo PROJETO DE EXTENSÃO Software R: capacitação em análise estatística de dados utilizando um software livre Fonte: https://www.r-project.org/

Leia mais

Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias Carros Eléctricos - Renault Estudos de Mercado Docentes: Manuel José Damásio Carlos Poupa

Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias Carros Eléctricos - Renault Estudos de Mercado Docentes: Manuel José Damásio Carlos Poupa Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias Carros Eléctricos - Renault Docentes: Manuel José Damásio Carlos Poupa Discentes: Leila Alexandra Ramos Gomes Nº: 20092315 Sara Raquel Quintas Xarepe

Leia mais

185 educação, ciência e tecnologia

185 educação, ciência e tecnologia 185 DEPRESSÃO E SUPORTE SOCIAL EM ADOLESCETES E JOVES ADULTOS UM ESTUDO REALIZADO JUTO DE ADOLESCETES PRÉ-UIVERSITÁRIOS JOÃO CLAUDIO * RAUL CORDEIRO ** MIGUEL ARRIAGA *** RESUMO O objectivo é analisar,

Leia mais

Estatística Computacional (Licenciatura em Matemática) Duração: 2h Exame 14/06/10 NOME:

Estatística Computacional (Licenciatura em Matemática) Duração: 2h Exame 14/06/10 NOME: DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA Estatística Computacional (Licenciatura em Matemática) Duração: 2h Exame 14/06/10 NOME: Observação: A resolução completa das perguntas inclui a justificação

Leia mais

Teste F-parcial 1 / 16

Teste F-parcial 1 / 16 Teste F-parcial Ingredientes A hipótese nula, H 0, define o modelo restrito. A hipótese alternativa, H a : H 0 é falsa, define o modelo irrestrito. SQR r : soma de quadrado dos resíduos associada à estimação

Leia mais

Teste F-parcial 1 / 16

Teste F-parcial 1 / 16 Teste F-parcial A hipótese nula, H 0, define o modelo restrito. Ingredientes SQR r : soma de quadrado dos resíduos sob H 0. R 2 r: coeficiente de determinação sob H 0. g: número de restrições a serem testadas

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE PSICOLOGIA MILENA DE OLIVEIRA ROSSETTI

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE PSICOLOGIA MILENA DE OLIVEIRA ROSSETTI UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE PSICOLOGIA MILENA DE OLIVEIRA ROSSETTI Inventário de comportamentos sexuais da criança: normatização brasileira e novas evidências de validade São Paulo 2016 2 MILENA

Leia mais

WINSTEPS: Conceitos básicos e Interpretações das principais tabelas

WINSTEPS: Conceitos básicos e Interpretações das principais tabelas WINSTEPS: Conceitos básicos e Interpretações das principais tabelas Dr. Ricardo Primi Programa de Mestrado e Doutorado em Avaliação Psicológica Universidade São Francisco Análises básicas (sugestão de

Leia mais

A densidade de CoRoT-Exo-3b

A densidade de CoRoT-Exo-3b A densidade de CoRoT-Exo-3b Por Hindemburg Melão Jr. http://www.sigmasociety.com Em 6 de outubro foi anunciada a descoberta de um objeto com algumas características planetárias e outras estelares, situado

Leia mais

ATLAS BRASIL 2013 DIMENSÃO DESENVOLVIMENTO HUMANO

ATLAS BRASIL 2013 DIMENSÃO DESENVOLVIMENTO HUMANO PONTÍFICIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Atuariais. ATLAS BRASIL 2013 DIMENSÃO DESENVOLVIMENTO HUMANO Disciplina: Métodos Quantitativos Professor:

Leia mais

TÓPICOS ESPECIAIS EM ORGANIZAÇÕES PESQUISA COM OS FREQUENTADORES DE CINEMAS NO RECIFE EXPANDIDO

TÓPICOS ESPECIAIS EM ORGANIZAÇÕES PESQUISA COM OS FREQUENTADORES DE CINEMAS NO RECIFE EXPANDIDO Universidade Federal de Pernambuco UFPE Centro de Ciências Sociais Aplicadas - CCSA Administração Disciplina: Tópicos Especiais em Organizações Prof.: Pierre Lucena Grupo: Camila Aretakis Joseanny Karla

Leia mais

Análise Estatística Utilizando o SPSS Guia prático de comandos

Análise Estatística Utilizando o SPSS Guia prático de comandos Análise Estatística Utilizando o SPSS Guia prático de comandos de Sousa Guimarães. Salvador/BA Sumário 1. Introdução...3 2. Primeiro Passo...3 3. As Janelas...4 4. Os Menus...6 4.1 Data Editor...6 4.2

Leia mais

Instituto Superior de Economia e Gestão

Instituto Superior de Economia e Gestão Instituto Superior de Economia e Gestão Informática e Sistemas de Informação Aplicados em Economia Número de Processo: Grupo I ( valores) Prova de Época de Recurso 5/0/00 Duração: 90 minutos Nome: ) Comente

Leia mais

Estatística Computacional A - Aula SAS 01 Estatísticas Descritivas Prof. José Carlos Fogo

Estatística Computacional A - Aula SAS 01 Estatísticas Descritivas Prof. José Carlos Fogo Estatística Computacional A - Aula SAS 01 Estatísticas Descritivas Prof. José Carlos Fogo /* Linha de comando com configurações de página */ options ps=60 ls=80 nodate pageno=1; /* Entrando com um arquivo

Leia mais

4 Análise dos resultados 4.1. Perfil do respondente

4 Análise dos resultados 4.1. Perfil do respondente 4 Análise dos resultados 4.. Perfil do respondente Através da análise dos questionários aplicados, verificou-se que o perfil típico do respondente foi: mulher, entre 3 e 40 anos, remunerações de até oito

Leia mais

file://c:\documents and Settings\porlum\Local Settings\Temp\ca0d8908-118f-4768-a...

file://c:\documents and Settings\porlum\Local Settings\Temp\ca0d8908-118f-4768-a... Page 1 of 17 The MEANS Procedure Variable Label Mean Std Dev Minimum Maximum Range N Satisfação Global Satisfação Global 6.4000000 0.5163978 6.0000000 1.0000000 Expectativas cumpridas Expectativas cumpridas

Leia mais

Métodos Estatísticos sticos Aplicados à Engenharia de Software Experimental

Métodos Estatísticos sticos Aplicados à Engenharia de Software Experimental A Utilização de Métodos M Estatísticos sticos no Planejamento e Análise de Estudos Experimentais em Engenharia de Software Marco Antônio P. Araújo CES/JF e Faculdade Metodista Granbery maraujo@acessa.com

Leia mais

5 Resultados e Interpretação do Índice Construído

5 Resultados e Interpretação do Índice Construído 5 Resultados e Interpretação do Índice Construído Apresentam-se, nesta seção, os resultados dos scores e interpretação da escala produzida. O objetivo é responder questões do tipo: O que significa uma

Leia mais

Depressão e suporte social em adolescentes e jovens adultos

Depressão e suporte social em adolescentes e jovens adultos Depressão e suporte social em adolescentes e jovens adultos CORDEIRO, R. CLAUDIO, J. ARRIAGA, M. Escola Superior de Saúde de Portalegre, Portugal Introdução A adolescência deve ser encarada como uma etapa

Leia mais

Estimate ln(estimate)

Estimate ln(estimate) Expected ormal Estatística Aplicada com o S.P.S.S. género * grupo sanguíneo Crosstabulation grupo sanguíneo grupo AB Total 24,6 4,% grupo O 25 grupo A 5 grupo B 9 33 22,4 00,0% 3,9 masculino 8 9,0 género

Leia mais

AULA 19 Análise de Variância

AULA 19 Análise de Variância 1 AULA 19 Análise de Variância Ernesto F. L. Amaral 18 de outubro de 2012 Metodologia de Pesquisa (DCP 854B) Fonte: Triola, Mario F. 2008. Introdução à estatística. 10 ª ed. Rio de Janeiro: LTC. Capítulo

Leia mais

ESTUDO DE AVALIAÇÃO DO GABINETE DE AÇÃO SOCIAL 2012

ESTUDO DE AVALIAÇÃO DO GABINETE DE AÇÃO SOCIAL 2012 ESTUDO DE AVALIAÇÃO DO GABINETE DE AÇÃO SOCIAL 2012 RELATÓRIO Realização: Alexandre Boavida Vicente Ana Cristina Santos Ana Paula Fontinha Bruno Miguel Ramos Coordenação: Alexandra Tavares de Moura 1)

Leia mais

PROJECTO: O Hospital sem DOR

PROJECTO: O Hospital sem DOR PROJECTO: O Hospital sem DOR OBJECTIVO Implementar a avaliação e registo da DOR, como o 5º Sinal Vital, de forma sistémica e sistemática a todos os clientes internados no Hospital Pulido Valente EPE. A

Leia mais

Análise Bidimensional

Análise Bidimensional Análise Bidimensional Roteiro. Coeficiente de Correlação. Interpretação de r 3. Análise de Correlação 4. Aplicação Computacional 5. Referências Coeficiente de Correlação Objetivos Análise de duas variáveis

Leia mais

CAPÍTULO II. Descrevendo Dados: análise inicial dos dados

CAPÍTULO II. Descrevendo Dados: análise inicial dos dados CAPÍTULO II Descrevendo Dados: análise inicial dos dados Objetivo: O objetivo do presente trabalho é descrever a rotina básica de comandos para realização de uma inspeção inicial dos dados utilizando o

Leia mais

Planejamento e Programa de Ação: Análise da Classificação das Agências de Determinada Instituição Financeira

Planejamento e Programa de Ação: Análise da Classificação das Agências de Determinada Instituição Financeira Planejamento e Programa de Ação: Análise da Classificação das Agências de Determinada Instituição Financeira RESUMO José Lira de Oliveira Neto e Heber José de Moura Universidade de Fortaleza - UNIFOR Muitas

Leia mais

INTRODUÇÃO À ANÁLISE ESTATÍSTICA UTILIZANDO O SPSS 18.0

INTRODUÇÃO À ANÁLISE ESTATÍSTICA UTILIZANDO O SPSS 18.0 HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE GRUPO DE PESQUISA E PÓS GRADUAÇÃO INTRODUÇÃO À ANÁLISE ESTATÍSTICA UTILIZANDO O SPSS 18.0 Marilyn Agranonik Vânia Naomi Hirakata Suzi Alves Camey Porto Alegre - Setembro

Leia mais

6 OS DETERMINANTES DO INVESTIMENTO NO BRASIL

6 OS DETERMINANTES DO INVESTIMENTO NO BRASIL 6 OS DETERMINANTES DO INVESTIMENTO NO BRASIL Este capítulo procurará explicar os movimentos do investimento, tanto das contas nacionais quanto das empresas abertas com ações negociadas em bolsa através

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DO OLIVAL DA BEIRA INTERIOR JUNHO 2014

CARACTERIZAÇÃO DO OLIVAL DA BEIRA INTERIOR JUNHO 2014 CARACTERIZAÇÃO DO OLIVAL DA BEIRA INTERIOR JUNHO 2014 ÍNDICE ÍNDICE DE FIGURAS:... 3 ÍNDICE DE TABELAS:... 5 ÍNDICE ANEXOS:... 5 1. INTRODUÇÃO... 6 2. METODOLOGIA... 7 3. RESULTADOS... 8 4. INFLUÊNCIA

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO ANÁLISE EXPLORATÓRIA DE PARÂMETROS DE ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO NAS 100 CIDADES BRASILEIRAS COM MAIOR POPULAÇÃO Rafael Fortes Gatto PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FEA - Faculdade

Leia mais

ANÁLISE ESPACIAL E ESTATÍSTICA DA METODOLOGIA DE CONSTRUÇÃO DO ÍNDICE DE EXCLUSÃO SOCIAL PARA O MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS- SP (CENSO IBGE 1991)

ANÁLISE ESPACIAL E ESTATÍSTICA DA METODOLOGIA DE CONSTRUÇÃO DO ÍNDICE DE EXCLUSÃO SOCIAL PARA O MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS- SP (CENSO IBGE 1991) MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS ANÁLISE ESPACIAL E ESTATÍSTICA DA METODOLOGIA DE CONSTRUÇÃO DO ÍNDICE DE EXCLUSÃO SOCIAL PARA O MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS-

Leia mais

ECONOMETRIA EXERCÍCIOS DO CAPÍTULO 2

ECONOMETRIA EXERCÍCIOS DO CAPÍTULO 2 ECONOMETRIA EXERCÍCIOS DO CAPÍTULO 2 1. Exercício C7.8 de W (4th edition), apenas as alíneas i) a iv). 2. Exercício 7.7 de W. 3. Exercício C8.7 de W, com excepção da questão sobre WLS em ii). 4. Exercício

Leia mais

ATLAS BRASIL 2013 DIMENSÃO DESINVOLVIMENTO HUMANO E OUTRAS VARIÁVEIS

ATLAS BRASIL 2013 DIMENSÃO DESINVOLVIMENTO HUMANO E OUTRAS VARIÁVEIS PONTÍFICIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Atuariais. ATLAS BRASIL 2013 DIMENSÃO DESINVOLVIMENTO HUMANO E OUTRAS VARIÁVEIS Disciplina: Métodos Quantitativos

Leia mais

Lucas de Assis Soares, Luisa Nunes Ramaldes, Taciana Toledo de Almeida Albuquerque, Neyval Costa Reis Junior. São Paulo, 2013

Lucas de Assis Soares, Luisa Nunes Ramaldes, Taciana Toledo de Almeida Albuquerque, Neyval Costa Reis Junior. São Paulo, 2013 COMPARATIVE STUDY OF THE ATMOSPHERIC DISPERSION MODELS AND THROUGH THE ANALYSIS OF AIR QUALITY IN THE METROPOLITAN REGION OF GRANDE VITÓRIA Lucas de Assis Soares, Luisa Nunes Ramaldes, Taciana Toledo de

Leia mais