Imagem da Semana: Ressonância magnética (RM) Imagem 01. Ressonância Nuclear Magnética (RM) de crânio, corte axial, ponderada em T1, sem contraste.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Imagem da Semana: Ressonância magnética (RM) Imagem 01. Ressonância Nuclear Magnética (RM) de crânio, corte axial, ponderada em T1, sem contraste."

Transcrição

1 Imagem da Semana: Ressonância magnética (RM) Imagem 01. Ressonância Nuclear Magnética (RM) de crânio, corte axial, ponderada em T1, sem contraste.

2 Imagem 02: Detalhe de Ressonância Nuclear Magnética (RM) de crânio, corte sagital, ponderada em T2. Imagem 03. Ressonância Nuclear Magnética (RM) de crânio, corte axial, ponderada em Flair. Imagem 04. Detalhe de Ressonância Nuclear Magnética (RM) de crânio, corte sagital, ponderada em T1, após administração de contraste (Gadolínio).

3

4 Paciente feminina, 27 anos, há 3 meses vem evoluindo com quadro progressivo de desânimo, sonolência e inapetência, acompanhado por cefaleia do tipo pressórica. Apresentou ainda alteração de memória e da escrita, redução da acuidade visual, sensação térmica incompatível com o meio ambiente. Sem alterações no ciclo menstrual. Realizou Ressonância Magnética (RM) de crânio (abaixo). Levando em consideração o quadro clínico e exames de imagem apresentados, qual o diagnóstico mais provável? a) Macroadenoma hipofisário b) Germinoma intracraniano c) Craniofaringioma d) Astrocitoma pilocítico Análise da imagem Imagem 1: Volumosa lesão expansiva centrada na cisterna suprasselar e região hipotalâmica. Estende-se para o terceiro ventrículo - não sendo possível individualizar os nervos e quiasma ópticos - e para a cisterna interpeduncular, determinando compressão e remodelamento do mesencéfalo (em vermelho). Caracteriza-se por sinal hipointenso em T1.

5 Imagem 2: Observando a RM ponderada em T2, notamos que a lesão expansiva é centrada na cisterna suprasselar e região hipotalâmica. Estende-se para o terceiro ventrículo (seta verde) - não sendo possível individualizar os nervos e quiasma ópticos - e para a cisterna interpeduncular, determinando compressão e remodelamento do mesencéfalo (seta azul). A lesão distingue-se claramente da glândula hipófise (seta vermelha), que conserva dimensões e intensidade de sinal normais. Caracteriza-se por sinal hiperintenso em T2. Imagem 3: A lesão apresenta sinal hiperintenso em RM ponderada em flair. Observar demais aspectos descritos nas outras imagens.

6 Imagem 4: Detalhe de Ressonância Nuclear Magnética (RM) de crânio, corte sagital, ponderada em T1, após administração de contraste (Gadolínio). Observe que a lesão impregna-se de forma heterogênea pelo contraste, delimitando-se imagens de aspecto cístico em seu interior. Hipófise sinalizada pela seta vermelha. Note o mesencéfalo sendo comprimido (seta azul). Diagnóstico Craniofaringiomas são tumores benignos que surgem a partir da bolsa de Rathke. A incidência apresenta distribuição bimodal, com picos entre os 5-14 anos e anos. As principais alterações clínicas são retardo de crescimento em crianças e visão anormal em adultos. O diagnóstico geralmente é sugerido pela presença de uma massa na RM ou tomografia computadorizada (TC), com as seguintes características: topografia suprasselar, calcificação (60-80% dos casos), presença de um ou mais cistos (75% dos casos) e realce intenso pelo contraste. Adenomas hipofisários são a causa mais comum de massas selares a partir da terceira década. Macroadenomas são maiores que 10mm e menos frequentes que os microadenomas. Os tumores podem surgir de qualquer tipo celular da adenohipófise e resultar no aumento da secreção hormonal dessa célula e/ou diminuição da secreção de

7 outros hormônios devido ao efeito compressivo (mais comumente hipogonadismo, com alterações do ciclo menstrual). Em 25 a 30 % dos casos, são não-funcionantes, havendo sintomas neurológicos devido aos efeitos de massa. Outras vezes, os pacientes são assintomáticos (incidentalomas). A RM em um paciente sintomático mostra uma grande massa intrasselar com sinal em geral semelhante ao tecido hipofisário na fase não contrastada, além de ter um aspecto homogêneo. Pode ocorrer hemorragia no interior da lesão, resultando em um sinal de alta intensidade em T1 e T2. Germinomas se originam quase sempre de estruturas da linha média. O pico de incidência é entre anos, preponderância do sexo masculino de 2:1 a 3:1 e, geralmente, há desenvolvimento puberal atrasado ou puberdade precoce, deficiência isolada de hormônio do crescimento ou outros aspectos do hipopituitarismo. Na RM, tipicamente há realce homogêneo com gadolínio. Astrocitomas pilocíticos são tumores do SNC de crescimento lento, originados de astrócitos. Ocorrem principalmente em crianças e adultos jovens. Surgem com mais frequência nos hemisférios do cerebelo e em torno do terceiro ventrículo, ou ainda nos hemisférios cerebrais e raramente em topografia selar. Na RM, são lesões homogêneas, sem realce pelo gadolínio. Discussão do caso Craniofaringiomas são raros tumores sólidos ou cístico-sólidos que surgem a partir de remanescentes de bolsa de Rathke ao longo de uma linha que se estende da nasofaringe ao diencéfalo. Representam de 1 a 3% de todos os tumores cerebrais, sem diferença de prevalência entre os sexos. Há uma distribuição bimodal, como já relatado em Diagnóstico. Podem ser de dois tipos histológicos, adamantinomatoso ou papilar, comportando-se de maneira semelhante em relação ao prognóstico e tratamento. Embora histologicamente benignos, frequentemente resultam em grande morbi-mortalidade devido a sua localização. Ao diagnóstico, variam desde pequenas massas bem circunscritas a grandes cistos multiloculares que invadem a sela túrcica e deslocam estruturas cerebrais vizinhas. São tumores de crescimento lento e progressivo, o que retarda o diagnóstico. Uma ampla variedade de sintomas pode estar presente, dependendo da localização. Os sintomas visuais são frequentes, resultado de pressão direta sobre o quiasma óptico. A compressão de estruturas pode levar a uma série de anormalidades endócrinas, que incluem deficiências de hormônio de crescimento, gonadotrofinas, hormônio estimulante da tireóide e hormônio adrenocorticotrófico. Diabetes insipidus é freqüente quando a haste pituitária está envolvida. Moderada a grave cefaleia diária está presente em cerca de 50 % dos pacientes ao diagnóstico. Estas podem resultar de tração em estruturas sensíveis à dor pelo próprio

8 tumor, hidrocefalia obstrutiva por compressão do terceiro ventrículo ou irritação meníngea pelo escape de conteúdo do cisto. Náuseas, vômitos e letargia podem acompanhar as dores de cabeça. A RM é o melhor exame de imagem para o diagnóstico. A calcificação na região suprasselar é vista em 60 a 80 % dos pacientes e um ou mais cistos estão presentes em cerca de 75%, dando um aspecto heterogêneo da massa à RM. O tratamento de craniofaringioma tem sido controverso e incluiu duas abordagens: cirurgia agressiva com objetivo de ressecção completa da massa no momento do diagnóstico versus uma abordagem cirúrgica mais conservadora seguida por radioterapia (RT) para o tratamento de doença residual. Os objetivos da cirurgia são a confirmação do diagnóstico, alívio dos sintomas e remoção do máximo do tumor. Como a maioria dos pacientes com craniofaringioma têm pelo menos hipopituitarismo parcial, uma avaliação endocrinológica, particularmente da função da adrenal e da tireóide, é indicada antes da cirurgia. Esses tumores têm alta chance de recorrência, variando de 0-17% após ressecção total e 25-63% após ressecção parcial. A sobrevida em cinco anos varia de acordo com a faixa etária, sendo de 99% em pacientes menores de 20 anos e 38% em maiores de 65 anos. Aspectos relevantes - Craniofaringiomas são raros tumores sólidos ou cístico-sólidos que surgem a partir de remanescentes de bolsa de Rathke ao longo de uma linha que vai da nasofaringe ao diencéfalo. - Embora histologicamente benignos, frequentemente resultam em grande morbimortalidade devido a sua localização. - A compressão causada pela extensão supraselar do tumor resulta em déficits visuais, cefaleia e anormalidades endócrinas (deficiência de GH, gonadotrofinas, TSH e CRH). - A RM é o melhor exame de imagem para o diagnóstico. - O tratamento é cirúrgico, podendo ser complementado com radioterapia. Referências - Harsh, G. R.; Recht, L. D. Marcus, K. J.Craniopharyngioma In: UpToDate, Hirsch, MS, Kaplan, MS (Ed), UpToDate, Disponível em: - Snyder, P. J. Causes, presentation, and evaluation of sellar masses. In: UpToDate, Hirsch, MS, Kaplan, MS (Ed), UpToDate, Disponível

9 em: - Recht, L.D. Diagnosis and classification of low-grade gliomas. In: UpToDate, Hirsch, MS, Kaplan, MS (Ed), UpToDate, Disponível em: low-grade-gliomas Responsável Ana Júlia Furbino Dias Bicalho, 12 período da Faculdade de Medicina da UFMG. anajuliabicalho[at]gmail.com Orientadora Dra. Fernanda Moura Teatini, Neurologista, Preceptora de Neurorradiologia da Residência Médica do Serviço de Radiologia e Diagnóstico por Imagem do HC/UFMG. Revisores André Guimarães, Bárbara Queiroz, Júlia Petrocchi e Profa. Viviane Parisotto.

Imagem da Semana: Ressonância magnética (RM)

Imagem da Semana: Ressonância magnética (RM) Imagem da Semana: Ressonância magnética (RM) Imagem 01. Tomografia computadorizada (TC) de crânio sem contraste, corte transversal. Imagem 02: TC de crânio, corte transversal, realizada cinco dias após

Leia mais

Reunião de casos clínicos

Reunião de casos clínicos Reunião de casos clínicos RM Dr Ênio Tadashi Setogutti R3 Gustavo Jardim Dalle Grave Julho 2012 CASO CLINICO Paciente sexo feminino, 33 anos, relato de cefaléia, ocipital e frontal. T2 c T1 sag C CASO

Leia mais

Imagem da Semana: Ressonância nuclear magnética

Imagem da Semana: Ressonância nuclear magnética Imagem da Semana: Ressonância nuclear magnética Imagem 01. Ressonância Margnética do Abdomen Imagem 02. Angiorressonância Abdominal Paciente masculino, 54 anos, obeso, assintomático, em acompanhamento

Leia mais

Imagem da Semana: Tomografia computadorizada (TC) e Ressonância Magnética (RM)

Imagem da Semana: Tomografia computadorizada (TC) e Ressonância Magnética (RM) Imagem da Semana: Tomografia computadorizada (TC) e Ressonância Magnética (RM) Imagem 01. Tomografia Computadorizada de Crânio (TCC) em corte axial e janela óssea. Imagem 02. Ressonância Nuclear Magnética

Leia mais

Universidade Federal do Ceará Faculdade de Medicina Liga de Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Jônatas Catunda de Freitas

Universidade Federal do Ceará Faculdade de Medicina Liga de Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Jônatas Catunda de Freitas Universidade Federal do Ceará Faculdade de Medicina Liga de Cirurgia de Cabeça e Pescoço Jônatas Catunda de Freitas Fortaleza 2010 Lesões raras, acometendo principalmente mandíbula e maxila Quadro clínico

Leia mais

Hormônios hipotalâmicos e hipofisários. (somatostatin)

Hormônios hipotalâmicos e hipofisários. (somatostatin) Anatomia Localiza-se na base do crânio sela túrcica Hipófise anterior: derivada da bolsa de Rathke Hipófise posterior: origem neural, formada por axônios e terminções nervosas dos neurônios hipotalâmicos

Leia mais

Tomografia computadorizada (TC), Ressonância magnética (RM)

Tomografia computadorizada (TC), Ressonância magnética (RM) Tomografia computadorizada (TC), Ressonância magnética (RM) Análise da Imagem Imagem 1: TCC sem contraste evidenciando imagem hiperdensa e irregular em convexidade dos lobos parietal e frontal direitos

Leia mais

Sessão de Neuro- Oncologia

Sessão de Neuro- Oncologia Sessão de Neuro- Oncologia ,, 34 anos Final de 2009: Crises de ausência pelo menos uma vez por semana, por 20-30 segundos eu deixava de compreender o que a pessoa estava falando, inclusive o que eu falava.

Leia mais

Imagem da Semana: Tomografia computadorizada (TC)

Imagem da Semana: Tomografia computadorizada (TC) Imagem da Semana: Tomografia computadorizada (TC) Imagem 01. Tomografia computadorizada multislice abdominal, em corte axial, após administração de contraste iodado oral e endovenoso. Fase venosa portal

Leia mais

Jessé Marcos de Oliveira - Acadêmico 5º Período UFSJ

Jessé Marcos de Oliveira - Acadêmico 5º Período UFSJ Jessé Marcos de Oliveira - Acadêmico 5º Período UFSJ Tumores primários SNC 2% das neoplasias; 1ª -infância e 2ª -adultos jovens masculino; Os gliomassão os tumores primários mais frequentes; Nos EUA diagnosticados

Leia mais

Médico Neurocirurgia Geral

Médico Neurocirurgia Geral Médico Neurocirurgia Geral Caderno de Questões Prova Discursiva 2015 01 Homem de 40 anos de idade procura a emergência de um hospital com dor irradiada incapacitante para o membro inferior direito após

Leia mais

Papel da Radioterapia nos Gliomas de Baixo Grau. Hospital Erasto Gaertner Serviço de Radioterapia Paulo Marcelo Rodrigues

Papel da Radioterapia nos Gliomas de Baixo Grau. Hospital Erasto Gaertner Serviço de Radioterapia Paulo Marcelo Rodrigues Papel da Radioterapia nos Gliomas de Baixo Grau Hospital Erasto Gaertner Serviço de Radioterapia Paulo Marcelo Rodrigues GLIOMA DE BAIXO GRAU 10% dos tumores intracranianos primários e 20% dos gliomas

Leia mais

Imagem da Semana: Tomografia computadorizada (TC)

Imagem da Semana: Tomografia computadorizada (TC) Imagem da Semana: Tomografia computadorizada (TC) Imagem 01. Tomografia computadorizada de tórax/mediastino sem contraste: corte axial. Imagem 02. Tomografia computadorizada de tórax/mediastino sem contraste:

Leia mais

IMAGIOLOGIA NOS TUMORES DE CÉLULAS RENAIS

IMAGIOLOGIA NOS TUMORES DE CÉLULAS RENAIS IMAGIOLOGIA NOS TUMORES DE CÉLULAS RENAIS Tiago Saldanha José Durães Serviço de Radiologia HEM - CHLO Curso de carcinoma de células renais Lisboa 2015 PAPEL DOS MÉTODOS DE IMAGEM Diagnóstico Estadiamento

Leia mais

Métodos de diagnósticos por imagem do tumor cerebral astrocitário

Métodos de diagnósticos por imagem do tumor cerebral astrocitário Métodos de diagnósticos por imagem do tumor cerebral astrocitário Natália Botão Lemos 1, Marjorie do Val Ietsugu 2 1 Graduanda do curso de Tecnologia em Radiologia - Faculdade de Tecnologia FATEC Botucatu,

Leia mais

Imagem da Semana: Tomografia Computadorizada

Imagem da Semana: Tomografia Computadorizada Imagem da Semana: Tomografia Computadorizada Imagem 01. Reconstrução em 3D de tomografia computadorizada de crânio. Imagem 02. Tomografia computadorizada de crânio, sem injeção endovenosa de meio de contraste

Leia mais

Espessamento da haste hipofisária: relato de caso Thickening of the pituitary stalk: a case report

Espessamento da haste hipofisária: relato de caso Thickening of the pituitary stalk: a case report Revista de Medicina e Saúde de Brasília RELATO DE CASO : relato de caso Thickening of the pituitary stalk: a case report Gleim Dias de Souza 1, Luciana Rodrigues Queiroz de Souza 2, Anna Carla de Queiros

Leia mais

Caracterização de lesões Nódulos Hepá8cos. Aula Prá8ca Abdome 2

Caracterização de lesões Nódulos Hepá8cos. Aula Prá8ca Abdome 2 Caracterização de lesões Nódulos Hepá8cos Aula Prá8ca Abdome 2 Obje8vos Qual a importância da caracterização de lesões através de exames de imagem? Como podemos caracterizar nódulos hepá8cos? Revisar os

Leia mais

Tratamento Com freqüência, é possível se prevenir ou controlar as cefaléias tensionais evitando, compreendendo e ajustando o estresse que as ocasiona.

Tratamento Com freqüência, é possível se prevenir ou controlar as cefaléias tensionais evitando, compreendendo e ajustando o estresse que as ocasiona. CEFALÉIAS As cefaléias (dores de cabeça) encontram-se entre os problemas médicos mais comuns. Alguns indivíduos apresentam cefaléias freqüentes, enquanto outros raramente as apresentam. As cefaléias podem

Leia mais

XVIII Reunião Clínico - Radiológica Dr. RosalinoDalazen.

XVIII Reunião Clínico - Radiológica Dr. RosalinoDalazen. XVIII Reunião Clínico - Radiológica Dr. RosalinoDalazen www.digimaxdiagnostico.com.br Caso Clínico Identificação: J.S.O. Paciente do sexo feminino. 24 anos. Caso Clínico Quadro Clínico: -HDA: - Cervicodorsalgia

Leia mais

Imagem da Semana: Ressonância magnética (RM)

Imagem da Semana: Ressonância magnética (RM) Imagem da Semana: Ressonância magnética (RM) Imagem 01. Detalhe de ressonância nuclear magnética (RM) do crânio, corte coronal, ponderada em T2. Imagem 02: Detalhe de ressonância nuclear magnética (RM)

Leia mais

Imagem da Semana: Ressonância magnética (RM)

Imagem da Semana: Ressonância magnética (RM) Imagem da Semana: Ressonância magnética (RM) Imagem 01. Ressonância Magnética de abdome ponderada em T1 após injeção do contraste, em fase arterial. Imagem 02. Ressonância Magnética de abdome ponderada

Leia mais

A FIGURA 1 apresenta alterações cutâneas potencialmente associadas a anormalidades endócrinas.

A FIGURA 1 apresenta alterações cutâneas potencialmente associadas a anormalidades endócrinas. Questão 1 A FIGURA 1 apresenta alterações cutâneas potencialmente associadas a anormalidades endócrinas. Escolha a alternativa que indica o conjunto de associações mais adequado aos quadros apontados nos

Leia mais

Gliomas de Alto Grau. Jacques Bines. Oncologista Clínico

Gliomas de Alto Grau. Jacques Bines. Oncologista Clínico Gliomas de Alto Grau Jacques Bines Oncologista Clínico Objetivos Definição Caracterização Tratamento Papel da quimioterapia Definição Neoplasias do Sistema Nervoso Central (SNC) Apresentam características

Leia mais

Imagem da Semana: Ultrassonografia transvaginal

Imagem da Semana: Ultrassonografia transvaginal Imagem da Semana: Ultrassonografia transvaginal Imagem 01. Ultrassonografia transvaginal em topografia de ovário esquerdo. Paciente sexo feminino, 34 anos, G0P0A0, procura serviço de ginecologia relatando

Leia mais

Imagem da Semana: Ultrassonografia, Tomografia Computadorizada

Imagem da Semana: Ultrassonografia, Tomografia Computadorizada Imagem da Semana: Ultrassonografia, Tomografia Computadorizada Imagem 01. Ultrassonografia Cervical (região de espaço carotídeo direito) Imagem 02. Ultrassonografia Cervical com Doppler (região de espaço

Leia mais

Sobre a Esclerose Tuberosa e o Tumor Cerebral SEGA

Sobre a Esclerose Tuberosa e o Tumor Cerebral SEGA Sobre a Esclerose Tuberosa e o Tumor Cerebral SEGA A Esclerose Tuberosa, também conhecida como Complexo da Esclerose Tuberosa, é uma desordem genética que atinge entre 1 e 2 milhões de pessoas no mundo

Leia mais

Tratamento da Hiperprolactinemia

Tratamento da Hiperprolactinemia 46º Congresso de Ginecologia e Obstetrícia do Distrito Federal Tratamento da Hiperprolactinemia Quando, Como e até Quando? Érica Correia Garcia Érica Correia Garcia Eixo Hipotálamo Hipófise PRL Introdução

Leia mais

Protocolos de hipófise e órbitas

Protocolos de hipófise e órbitas Protocolos de hipófise e órbitas Profº Claudio Souza Hipófise e sela turca Indicações O exame da sela tem por objetivo a avaliação dos adenomas que acometem a hipófise e as patologias que afetam a integridade

Leia mais

- termo utilizado para designar uma Dilatação Permanente de um. - Considerado aneurisma dilatação de mais de 50% num segmento vascular

- termo utilizado para designar uma Dilatação Permanente de um. - Considerado aneurisma dilatação de mais de 50% num segmento vascular Doenças Vasculares Aneurisma A palavra aneurisma é de origem grega e significa Alargamento. - termo utilizado para designar uma Dilatação Permanente de um segmento vascular. - Considerado aneurisma dilatação

Leia mais

TUMORES DO SNC INTRA-AXIAIS

TUMORES DO SNC INTRA-AXIAIS TUMORES DO SNC INTRA-AXIAIS Dra. Esther de Alencar Araripe Falcão Feitosa Médica pela Universidade Federal do Ceará Radiologista e Neurorradiologista pelo Hospital das Clínicas da FMUSP São Paulo Ex-assistente

Leia mais

ACRONOR Núcleo de Estudos em Acromegalia e Doenças Relacionadas do Norte - Nordeste Brasileiro ACROMEGALIA PARA A ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE

ACRONOR Núcleo de Estudos em Acromegalia e Doenças Relacionadas do Norte - Nordeste Brasileiro ACROMEGALIA PARA A ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE ACRONOR Núcleo de Estudos em Acromegalia e Doenças Relacionadas do Norte - Nordeste Brasileiro ACROMEGALIA PARA A ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE EXPEDIENTE COORDENADOR DO PROJETO: Dr. Renan Magalhães Montenegro

Leia mais

XVII Reunião Clínico - Radiológica Dr. RosalinoDalasen.

XVII Reunião Clínico - Radiológica Dr. RosalinoDalasen. XVII Reunião Clínico - Radiológica Dr. RosalinoDalasen www.digimaxdiagnostico.com.br CASO CLÍNICO Paciente AJ, masculino, 40 anos, iniciou com quadro clínico de dor e aumento volumétrico testicular há

Leia mais

A Região Selar. Lesões Intra-Cranianas Classificação TUMORES INTRA-CRANIANOS REPERCUSSÃO ENDÓCRINA. Tumores Classificação

A Região Selar. Lesões Intra-Cranianas Classificação TUMORES INTRA-CRANIANOS REPERCUSSÃO ENDÓCRINA. Tumores Classificação IMERSÃO EM ENDOCRINOLOGIA PEDIÁTRICA HIPOTÁLAMO-HIPÓFISE 08 de Abril 2006 Lesões Intra-Cranianas Classificação TUMORES TUMORES INTRA-CRANIANOS REPERCUSSÃO ENDÓCRINA Adriana A. Siviero-Miachon Setor de

Leia mais

ADENOMA PLEOMÓRFICO: DESAFIOS DO TRATAMENTO A Propósito de Um Caso Clínico

ADENOMA PLEOMÓRFICO: DESAFIOS DO TRATAMENTO A Propósito de Um Caso Clínico Serviço de Radioterapia Directora de Serviço: Dra. Gabriela Pinto ADENOMA PLEOMÓRFICO: DESAFIOS DO TRATAMENTO A Propósito de Um Caso Clínico Rita da Costa Lago / Darlene Rodrigues / Joana Pinheiro / Lurdes

Leia mais

Hemangiomas: Quando operar e quando observar Orlando Jorge M.Torres Nucleo de Estudos do Fígado F - UFMA

Hemangiomas: Quando operar e quando observar Orlando Jorge M.Torres Nucleo de Estudos do Fígado F - UFMA Hemangiomas: Quando operar e quando observar Orlando Jorge M.Torres Nucleo de Estudos do Fígado F - UFMA Lesões Benignas do FígadoF Tumores Epiteliais Hepatocelular Hiperplasia nodular focal Hiperplasia

Leia mais

Queda de cabelo hormonal: a prolactina e os cabelos Sex, 08 de Abril de :19 - Última atualização Sex, 08 de Abril de :15

Queda de cabelo hormonal: a prolactina e os cabelos Sex, 08 de Abril de :19 - Última atualização Sex, 08 de Abril de :15 Para entender mais sobre a queda de cabelo hormonal, vamos falar de um hormônio, a prolactina, que é produzida em uma glândula localizada na base do crânio chamada hipófise. A hipófise é considerada uma

Leia mais

Imagem da Semana: Tomografia Computadorizada (TC)

Imagem da Semana: Tomografia Computadorizada (TC) Imagem da Semana: Tomografia Computadorizada (TC) Imagem 01. TC do encéfalo sem meio de contraste, cortes axiais Imagem 02. TC do encéfalo sem meio de contraste, reconstrução sagital Paciente masculino,

Leia mais

Imagem da Semana: Ultrassonografia e Tomografia Computadorizada (TC)

Imagem da Semana: Ultrassonografia e Tomografia Computadorizada (TC) Imagem da Semana: Ultrassonografia e Tomografia Computadorizada (TC) Imagem 01. Ultrassonografia de rins e vias biliares, evidenciando a bexiga. Imagem 02. Tomografia Computadorizada (TC) de abdome e pelve,

Leia mais

podem desenvolver-se até atingirem um tamanho considerável antes dos sintomas se manifestarem. Por outro lado, em outras partes do cérebro, mesmo um

podem desenvolver-se até atingirem um tamanho considerável antes dos sintomas se manifestarem. Por outro lado, em outras partes do cérebro, mesmo um Um tumor é uma massa anormal em qualquer parte do corpo. Ainda que tecnicamente ele possa ser um foco de infecção (um abcesso) ou de inflamação; o termo habitualmente significa um novo crescimento anormal

Leia mais

DIAGNÓSTICO DE CRANIOFARINGIOMA A- TRAVÉS DA TOMOGRAFIA COMPUTADORI- ZADA E RESSONÂNCIA MAGNÉTICA

DIAGNÓSTICO DE CRANIOFARINGIOMA A- TRAVÉS DA TOMOGRAFIA COMPUTADORI- ZADA E RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DIAGNÓSTICO DE CRANIOFARINGIOMA A- TRAVÉS DA TOMOGRAFIA COMPUTADORI- ZADA E RESSONÂNCIA MAGNÉTICA Revista UNILUS Ensino e Pesquisa Vol. 11 Nº. 23 Ano 2014 ISSN 2318-2083 (eletrônico) Carollina Bernardes

Leia mais

Lesão neurológica pós-bloqueio periférico: qual a conduta?

Lesão neurológica pós-bloqueio periférico: qual a conduta? Lesão neurológica pós-bloqueio periférico: qual a conduta? Profa Dra Eliana Marisa Ganem CET/SBA do Depto. de Anestesiologia Faculdade de Medicina de Botucatu UNESP BNP - 50.233 lesão neurológica - 12

Leia mais

Imagem da Semana: Radiografia, Tomografia computadorizada

Imagem da Semana: Radiografia, Tomografia computadorizada Imagem da Semana: Radiografia, Tomografia computadorizada Figura 1: Radiografia de tórax em incidência póstero anterior Figura 2: Tomografia computadorizada de tórax com contraste em corte coronal e sagital

Leia mais

Imagem da Semana: Tomografia Computadorizada (TC)

Imagem da Semana: Tomografia Computadorizada (TC) Imagem da Semana: Tomografia Computadorizada (TC) Imagem 01. Tomografia computadorizada de abdome Criança de 3 anos e 8 meses com dor abdominal há 2 semanas e massa abdominal, sem outros sinais e sintomas.

Leia mais

XXIV Reunião Clínico Radiológica. Dr. Rosalino Dalasen.

XXIV Reunião Clínico Radiológica. Dr. Rosalino Dalasen. XXIV Reunião Clínico Radiológica Dr. Rosalino Dalasen www.digimaxdiagnostico.com.br Paciente P.R. 67 anos, Masculino Piora de assimetria facial Evolução paciente: Apresenta o globo ocular esquerdo abaixo

Leia mais

PUBERDADE PRECOCE E TARDIA

PUBERDADE PRECOCE E TARDIA HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DO OESTE DO PARANÁ LIGA MÉDICO-ACADÊMICA DE PEDIATRIA DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ LIPED-UNIOESTE RESIDÊNCIA MÉDICA DE PEDIATRIA PUBERDADE PRECOCE E TARDIA Acadêmico

Leia mais

. Intervalo livre de sintomatologia até 12h (perda de consciência seguindo-se período de lucidez);

. Intervalo livre de sintomatologia até 12h (perda de consciência seguindo-se período de lucidez); Hematomas Cranianos Hematoma Epidural. Calote e dura Educação Doente/família. Associada # (artéria meningea média). Intervalo livre de sintomatologia até 12h (perda de consciência seguindo-se período de

Leia mais

Acromegalia possibilidades terapêuticas: quando não operar?

Acromegalia possibilidades terapêuticas: quando não operar? Acromegalia possibilidades terapêuticas: quando não operar? Fulvio Clemo Santos Thomazelli Prof. Endocrinologia do Curso de Medicina da Universidade Regional de Blumenau De acordo com as normas do Conselho

Leia mais

Identifique-se na parte inferior desta capa. Caso se identifique em qualquer outro local deste Caderno, você será excluído do Processo Seletivo.

Identifique-se na parte inferior desta capa. Caso se identifique em qualquer outro local deste Caderno, você será excluído do Processo Seletivo. 1 INSTRUÇÕES Identifique-se na parte inferior desta capa. Caso se identifique em qualquer outro local deste Caderno, você será excluído do Processo Seletivo. 2 Este Caderno contém 04 casos clínicos e respectivas

Leia mais

Mauricio Zapparoli Departamento de Clínica Médica Hospital de Clínicas Universidade Federal do Paraná. DAPI Diagnóstico Avançado por Imagem

Mauricio Zapparoli Departamento de Clínica Médica Hospital de Clínicas Universidade Federal do Paraná. DAPI Diagnóstico Avançado por Imagem Mauricio Zapparoli Departamento de Clínica Médica Hospital de Clínicas Universidade Federal do Paraná DAPI Diagnóstico Avançado por Imagem Urografia Excretora Necessita Contraste Iodado (alergias/função

Leia mais

Trabalho de biologia

Trabalho de biologia câncer Trabalho de biologia neste livro darei exemplos de dois tipos de câncer, que são eles: Câncer de esôfago E Pulmão. A quais falei e seguida. Câncer de esôfago O câncer de esôfago pode ter duas linhagens,

Leia mais

CISTOS DE BOLSA DE RATHKE. Diagnóstico e tratamento. Flávio Freinkel Rodrigues 1, Paolo Cappabianca 2, Alice Helena Dutra Violante 3

CISTOS DE BOLSA DE RATHKE. Diagnóstico e tratamento. Flávio Freinkel Rodrigues 1, Paolo Cappabianca 2, Alice Helena Dutra Violante 3 Arq Neuropsiquiatr 2001;59(1):101-105 CISTOS DE BOLSA DE RATHKE Diagnóstico e tratamento Flávio Freinkel Rodrigues 1, Paolo Cappabianca 2, Alice Helena Dutra Violante 3 RESUMO - Estudamos retrospectivamente

Leia mais

O DESAFIO DIAGNÓSTICO DO CÂNCER DE MAMA ASSOCIADO A GESTAÇÃO: ENSAIO PICTÓRICO

O DESAFIO DIAGNÓSTICO DO CÂNCER DE MAMA ASSOCIADO A GESTAÇÃO: ENSAIO PICTÓRICO O DESAFIO DIAGNÓSTICO DO CÂNCER DE MAMA ASSOCIADO A GESTAÇÃO: ENSAIO PICTÓRICO DRA MARINA PORTIOLLI HOFFMANN DRA MARIA HELENA LOUVEIRA DR GUILBERTO MINGUETTI INTRODUÇÃO: O câncer de mama associado a gestação

Leia mais

6º Imagem da Semana: Cintilografia e tomografia de Tórax

6º Imagem da Semana: Cintilografia e tomografia de Tórax 6º Imagem da Semana: Cintilografia e tomografia de Tórax Legenda da Imagem 1: Cintilografia com 131-Iodo. Legenda da Imagem 2: Tomografia computadorizada de tórax. Paciente do sexo feminino, 71 anos, procurou

Leia mais

22 - Como se diagnostica um câncer? nódulos Nódulos: Endoscopia digestiva alta e colonoscopia

22 - Como se diagnostica um câncer? nódulos Nódulos: Endoscopia digestiva alta e colonoscopia 22 - Como se diagnostica um câncer? Antes de responder tecnicamente sobre métodos usados para o diagnóstico do câncer, é importante destacar como se suspeita de sua presença. As situações mais comuns que

Leia mais

MENINGIOMA VS LESÃO SECUNDÁRIA

MENINGIOMA VS LESÃO SECUNDÁRIA MENINGIOMA VS LESÃO SECUNDÁRIA Joana Martins Fialho 28-9-13 Sessão Científica Espectroscopia por RM Espectroscopia Método analítico utilizado na Química que permite a identificação e quantificação de metabolitos,

Leia mais

Universidade Estadual do Norte do Paraná campus Luiz Meneghel, Setor de Enfermagem, Bandeirantes, Paraná, Brasil

Universidade Estadual do Norte do Paraná campus Luiz Meneghel, Setor de Enfermagem, Bandeirantes, Paraná, Brasil QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES COM ACROMEGALIA THAISSY FERNANDA DE OLIVEIRA 1 SIMONE CRISTINA CASTANHO SABAINI DE MELO 1,2 CRISTIANO MASSAO TASHIMA 1 SANDRA MARISA PELLOSO 2 NATÁLIA MARIA MACIEL GUERRA

Leia mais

SERGIO VRANJAC. Astrocitoma pilocítico: analise clínica dos pacientes. pediátricos acompanhados na Santa Casa de Misericórdia de. São Paulo.

SERGIO VRANJAC. Astrocitoma pilocítico: analise clínica dos pacientes. pediátricos acompanhados na Santa Casa de Misericórdia de. São Paulo. SERGIO VRANJAC Astrocitoma pilocítico: analise clínica dos pacientes pediátricos acompanhados na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. DIssertação apresentada ao Curso de Pós-Graduação da Faculdade

Leia mais

Imagem da Semana: Ressonância Magnética (RM)

Imagem da Semana: Ressonância Magnética (RM) Imagem da Semana: Ressonância Magnética (RM) Imagem 01. Ressonância magnética (RM) de crânio ponderada em FLAIR, corte sagital. Imagem 02. RM de crânio ponderada em T1, corte axial. Imagem 03. RM de crânio

Leia mais

Imagem 1: destacada em vermelho a redução do espaço articular.

Imagem 1: destacada em vermelho a redução do espaço articular. Radiografia Análise das Imagens Observação: As seguintes alterações estão presentes em todas as imagens, mas foram destacadas separadamente para melhor demonstração. Imagem 1: destacada em vermelho a redução

Leia mais

Patologia Buco Dental Prof. Dr. Renato Rossi Jr.

Patologia Buco Dental Prof. Dr. Renato Rossi Jr. Cistos Odontogênicos Introdução Os cistos derivados dos tecidos odontogênicos são caracterizados como lesões de extraordinária variedade. O complexo desenvolvimento das estruturas dentárias é refletido

Leia mais

Relato de Caso. Gabriela Azevedo Foinquinos

Relato de Caso. Gabriela Azevedo Foinquinos Relato de Caso Gabriela Azevedo Foinquinos Relato de Caso Paciente 64 anos, sexo masculino, branco, casado, natural e procedente de João Pessoa, HAS, DM e com diagnóstico de Doença Hepática Crônica por

Leia mais

Residente em Cirurgia de Cabeça e Pescoço

Residente em Cirurgia de Cabeça e Pescoço Dr. Bruno Pinto Ribeiro Residente em Cirurgia de Cabeça e Pescoço Hospital Universitário Walter Cantídio Introdução Mais de 99% câncer de tireóide tópico Locais ectópicos struma ovarii, pescoço Objetivo

Leia mais

16º Imagem da Semana: Radiografia do Joelho

16º Imagem da Semana: Radiografia do Joelho 16º Imagem da Semana: Radiografia do Joelho Enunciado Paciente do sexo masculino, 15 anos, previamente hígido, iniciou com quadro de dor e edema na região distal da coxa direita há três meses, que evoluiu

Leia mais

Caso Clínico. Paciente do sexo masculino, 41 anos. Clínica: Dor em FID e região lombar direita. HPP: Nefrolitíase. Solicitado TC de abdome.

Caso Clínico. Paciente do sexo masculino, 41 anos. Clínica: Dor em FID e região lombar direita. HPP: Nefrolitíase. Solicitado TC de abdome. Caso Clínico Paciente do sexo masculino, 41 anos. Clínica: Dor em FID e região lombar direita. HPP: Nefrolitíase. Solicitado TC de abdome. Apendicite.

Leia mais

DIAGNÓSTICO POR IMAGEM. Profa Dra Sandra Zeitoun UNIP

DIAGNÓSTICO POR IMAGEM. Profa Dra Sandra Zeitoun UNIP DIAGNÓSTICO POR IMAGEM Profa Dra Sandra Zeitoun UNIP TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA A neurociência teve que esperar mais de 70 anos, até que aparecesse um método de imagens por raios X que realmente fosse

Leia mais

Questão 26: Menina 3a; panturrilha D endurecida há 1 ano, indolor, sem sinais flogísticos, progressivo. Nega trauma. Refere VC e peso.

Questão 26: Menina 3a; panturrilha D endurecida há 1 ano, indolor, sem sinais flogísticos, progressivo. Nega trauma. Refere VC e peso. Questão 26: Menina 3a; panturrilha D endurecida há 1 ano, indolor, sem sinais flogísticos, progressivo. Nega trauma. Refere VC e peso. Parto normal, termo, PN: 2.980 g, CN:50 cm. Sem intercorrências; DNPM

Leia mais

Glândulas endócrinas:

Glândulas endócrinas: Sistema Endócrino Glândulas endócrinas: Funções: Secreções de substâncias (hormônios) que atuam sobre célula alvo Hormônios: Substâncias informacionais distribuídas pelo sangue. Eles modificam o funcionamento

Leia mais

Manejo Ambulatorial de Massas Anexiais

Manejo Ambulatorial de Massas Anexiais Instituto Fernandes Figueira FIOCRUZ Departamento de Ginecologia Residência Médica Manejo Ambulatorial de Massas Anexiais Alberto Tavares Freitas Tania da Rocha Santos Abril de 2010 Introdução Representam

Leia mais

TUMORES CONGÊNITOS EM CIRURGIA DE CABEÇA E PESCOÇO. Dr. Mário Sérgio R. Macêdo Dr. Luís Alberto Albano

TUMORES CONGÊNITOS EM CIRURGIA DE CABEÇA E PESCOÇO. Dr. Mário Sérgio R. Macêdo Dr. Luís Alberto Albano TUMORES CONGÊNITOS EM CIRURGIA DE CABEÇA E PESCOÇO Dr. Mário Sérgio R. Macêdo Dr. Luís Alberto Albano Fases do Desenvolviento Embrionário Destino dos Folhetos Embrionário Ectoderma Epiderme e Anexos Encéfalo

Leia mais

Conheça algumas doenças tipicamente femininas

Conheça algumas doenças tipicamente femininas Uol - SP 03/12/2014-11:51 Conheça algumas doenças tipicamente femininas Da Redação ANSIEDADE: este transtorno mental é caracterizado por preocupações, tensões ou medos exagerados, sensação contínua de

Leia mais

Diencéfalo. Prof. Ms. Carolina Rubio Vicentini

Diencéfalo. Prof. Ms. Carolina Rubio Vicentini Diencéfalo Prof. Ms. Carolina Rubio Vicentini Diencéfalo O diencéfalo é composto pelas seguintes partes: tálamo, hipotálamo, epitálamo e subtálamo. É quase que completamente encoberto pelo telencéfalo

Leia mais

SÍNDROME INTRA-SELAR

SÍNDROME INTRA-SELAR SÍNDROME INTRA-SELAR ANALISE DE 506 CIRURGIAS TRANSESFENOIDAIS PEDRO SAMPAIO* A sela turcica, apesar de seu tamanho diminuto, constitui área de patologia peculiarmente importante. As lesões aí havidas,

Leia mais

Tomografia Computadorizada ou Ressonância Magnética qual a melhor opção para cada caso?

Tomografia Computadorizada ou Ressonância Magnética qual a melhor opção para cada caso? Abordagem diagnóstica de um nódulo hepático o que o cirurgião deve saber? Tomografia Computadorizada ou Ressonância Magnética qual a melhor opção para cada caso? Maria Fernanda Arruda Almeida Radiologia

Leia mais

TCE TRAUMA CRANIENCEFÁLICO

TCE TRAUMA CRANIENCEFÁLICO TRAUMA CRANIENCEFÁLICO Imad Shehadeh Principal causa de morte em jovens Causas mais freqüentes: Acidentes automobilísticos Quedas Agressões TCE 1 TCE a cada 15 segundos 1 óbito a cada 5 minutos 1 sequela

Leia mais

Descritores: Tumores selares não hipofisários; Tumores selares; Lesões selares não hipofisárias; Lesões císticas selares

Descritores: Tumores selares não hipofisários; Tumores selares; Lesões selares não hipofisárias; Lesões císticas selares revisão Tumores Não Hipofisários da Região Selar Mauro A. Czepielewski Guilherme A.F.S. Rollin Alessandra Casagrande Marcelo Paglioli Ferreira Nelson P. Ferreira RESUMO A hipófise, a sela túrcica e a região

Leia mais

Distúrbios menstruais na adolescência

Distúrbios menstruais na adolescência Distúrbios menstruais na adolescência Cláudia Braga Monteiro Abadesso Cardoso Maria Alice Neves Bordallo Irregularidades menstruais - definição e classificação. Anovulação crônica. Amenorréia primária

Leia mais

CRITÉRIOS DIAGNÓSTICOS DA NEUROMIELITE ÓPTICA (NMO) DORALINA G. BRUM

CRITÉRIOS DIAGNÓSTICOS DA NEUROMIELITE ÓPTICA (NMO) DORALINA G. BRUM CRITÉRIOS DIAGNÓSTICOS DA NEUROMIELITE ÓPTICA (NMO) DORALINA G. BRUM Fatos históricos marcantes da neuromielite óptica Características centrais da NMO 1.Sintomas 2.Ressonância magnética 3. Laboratóriais

Leia mais

DIENCÉFALO PROFESSORA: NORMA S. FRANCO. COLABORADOR: ANDRÉ R. MENDONÇA

DIENCÉFALO PROFESSORA: NORMA S. FRANCO. COLABORADOR: ANDRÉ R. MENDONÇA DIENCÉFALO PROFESSORA: NORMA S. FRANCO. COLABORADOR: ANDRÉ R. MENDONÇA ORIGEM ONTOGENÉTICA DO DIENCÉFALO O Diencéfalo é a porção posterior do encéfalo embrionário. Prosencéfalo Telencéfalo Diencéfalo DIENCÉFALO

Leia mais

Unidade I Neurociência básica. Divisão do sistema nervoso: Citologia e histologia.

Unidade I Neurociência básica. Divisão do sistema nervoso: Citologia e histologia. Unidade I Neurociência básica. Divisão do sistema nervoso: Citologia e histologia. Prof a : Norma M. S. Franco Organizador: André Mendonça I - Divisão anatômica do Sistema Nervoso. Cérebro Telencéfalo

Leia mais

Imagem da Semana: Radiografia

Imagem da Semana: Radiografia Imagem da Semana: Radiografia Imagem 01. Radiografia de tórax e abdome em AP Recém-nascido (RN), a termo, sexo masculino e parto vaginal. Foi reanimado na sala de parto devido a apneia e frequência cardíaca

Leia mais

NEURORRADIOLOGIA DOS DERRAMES

NEURORRADIOLOGIA DOS DERRAMES NEURORRADIOLOGIA DOS DERRAMES ARNOLFO DE CARVALHO NETO (arnolfo@ufpr.br) Os acidentes vasculares (AVCs, AVEs ou derrames) podem ser classificados em isquêmicos (infartos e episódios isquêmicos transitórios),

Leia mais

Prostatic Stromal Neoplasms: Differential Diagnosis of Cystic and Solid Prostatic and Periprostatic Masses

Prostatic Stromal Neoplasms: Differential Diagnosis of Cystic and Solid Prostatic and Periprostatic Masses Universidade Federal de São Paulo Escola Paulista de Medicina Departamento de Diagnóstico por Imagem Setor Abdome Prostatic Stromal Neoplasms: Differential Diagnosis of Cystic and Solid Prostatic and Periprostatic

Leia mais

PAPEL DA IMAGEM NA AVALIAÇÃO DA PELVE FEMININA

PAPEL DA IMAGEM NA AVALIAÇÃO DA PELVE FEMININA PAPEL DA IMAGEM NA AVALIAÇÃO DA PELVE FEMININA Métodos de Diagnóstico por Imagem 1. Detecção de Lesões 2. Benigno vs. Maligno 3. Conduta (Cx, Seguimento...) Iyer VR et al. AJR 2010;194:311-321 Métodos

Leia mais

Glândulas suprarrenais

Glândulas suprarrenais Estudo Imagiológico gico do Abdómen 16 -Glândulas suprarrenais Meios de estudo Principais aplicações clínicas 17-Aparelho genital Meios de estudo Principais aplicações clínicas Próstata, vesículas seminais

Leia mais

VIVER BEM ÂNGELA HELENA E A PREVENÇÃO DO CÂNCER NEOPLASIAS

VIVER BEM ÂNGELA HELENA E A PREVENÇÃO DO CÂNCER NEOPLASIAS 1 VIVER BEM ÂNGELA HELENA E A PREVENÇÃO DO CÂNCER NEOPLASIAS 2 3 Como muitas mulheres, Ângela Helena tem uma vida corrida. Ela trabalha, cuida da família, faz cursos e também reserva um tempo para cuidar

Leia mais

TUMORES CEREBRAIS. Maria da Conceição Muniz Ribeiro

TUMORES CEREBRAIS. Maria da Conceição Muniz Ribeiro TUMORES CEREBRAIS Maria da Conceição Muniz Ribeiro Tumor Cerebral é uma lesão localizada que ocupa o espaço intracerebral e tende a acusar um aumento de PIC. Em adulto, a maior parte dos tumores se origina

Leia mais

Análise Crítica dos Exames Iniciais de Seguimento pós Tireoidectomia total por Carcinoma Bem Diferenciado de Tireóide de Baixo Risco

Análise Crítica dos Exames Iniciais de Seguimento pós Tireoidectomia total por Carcinoma Bem Diferenciado de Tireóide de Baixo Risco Análise Crítica dos Exames Iniciais de Seguimento pós Tireoidectomia total por Carcinoma Bem Diferenciado de Tireóide de Baixo Risco Autor: Dr. André Bandiera de Oliveira Santos Trabalho concorrente ao

Leia mais

Imagem da Semana: Ressonância nuclear magnética

Imagem da Semana: Ressonância nuclear magnética Imagem da Semana: Ressonância nuclear magnética Figura 1: RM do encéfalo em corte axial em T2 Figura 2: RM do encéfalo em corte coronal em T2 Enunciado Paciente do sexo masculino, 73 anos, administrador

Leia mais

Imagem na Pleura. Bruno Hochhegger

Imagem na Pleura. Bruno Hochhegger Imagem na Pleura Bruno Hochhegger Médico Radiologista Torácico do Pavilhão Pereira Filho e PUC-RS Pós doutor Radiologia UFRJ e Doutor em Pneumologia UFRGS Professor de Radiologia da UFCSPA e PUC-RS Plano

Leia mais

AULA 02 - Eixo Hipotálamo-Hipofisário DOTS - JOGO DOS PONTOS

AULA 02 - Eixo Hipotálamo-Hipofisário DOTS - JOGO DOS PONTOS AULA 02 - Eixo Hipotálamo-Hipofisário DOTS - JOGO DOS PONTOS 1. A neuro-hipófise armazena e libera dois hormônios. Quais são estes? a) Hormônio antidiurético (ADH) e folículo estimulante (FSH) b) Prolactina

Leia mais

O QUE É O INDATIR? DIRETORIA

O QUE É O INDATIR? DIRETORIA HIPOTIROIDISMO O QUE É O INDATIR? O Indatir - Instituto da Tiróide é uma instituição sem fins lucrativos, fundada em dezembro de 2001 em São Paulo, reunindo especialistas do Brasil em problemas ligados

Leia mais

Abordagem da Criança com Cefaléia. Leticia Nabuco de O. Madeira Maio / 2013

Abordagem da Criança com Cefaléia. Leticia Nabuco de O. Madeira Maio / 2013 Abordagem da Criança com Cefaléia Leticia Nabuco de O. Madeira Maio / 2013 Introdução Epidemiologia: Queixa comum em crianças e adolescentes Elevação da frequência com o aumento da idade Até 12 anos prevalência

Leia mais

Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso.

Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. INSTRUÇÕES 1 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. 2 3 4 Caso se identifique em qualquer outro local deste Caderno,

Leia mais

Tumores Neuroendócrino do Pâncreas - Tratamento cirúrgico dos insulinomas pancreáticos

Tumores Neuroendócrino do Pâncreas - Tratamento cirúrgico dos insulinomas pancreáticos Tumores Neuroendócrino do Pâncreas - Tratamento cirúrgico dos insulinomas pancreáticos Dr. José Jukemura Assistente Doutor da Disciplina de Cirurgia do Aparelho Digestivo FMUSP Classificação WHO 2004 TEBD-PB

Leia mais

Radioterapia de SNC no Câncer de Pulmão: Update Robson Ferrigno

Radioterapia de SNC no Câncer de Pulmão: Update Robson Ferrigno Situações especiais Radioterapia de SNC no Câncer de Pulmão: Update 2014 Robson Ferrigno Esta apresentação não tem qualquer Esta apresentação não tem qualquer conflito de interesse Metástases Cerebrais

Leia mais

Neuroimagiologia Estrutural no Primeiro Episódio Psicótico

Neuroimagiologia Estrutural no Primeiro Episódio Psicótico Neuroimagiologia Estrutural no Primeiro Episódio Psicótico Ricardo Coentre Hospital Vila Franca de Xira Faculdade de Medicina de Lisboa XI Congresso Nacional de Psiquiatria 2015 19 a 21 de Novembro 2015

Leia mais