PROFESSORA: CAMILA PASQUAL DISCIPLINA : LITERATURA BRASILEIRA PARNASIANISMO (1882/89) ORIGEM - PARIS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROFESSORA: CAMILA PASQUAL DISCIPLINA : LITERATURA BRASILEIRA PARNASIANISMO (1882/89) ORIGEM - PARIS"

Transcrição

1 PROFESSORA: CAMILA PASQUAL DISCIPLINA : LITERATURA BRASILEIRA PARNASIANISMO (1882/89) ORIGEM - PARIS CONTEXTO HISTÓRICO Contemporâneo do Realismo, com ele mantendo afinidades estéticas. Restrito ao campo da poesia. Publicação, na França, de Le Parnasse Contemporain ( 3 números: ) antologia de poemas, com destaque para Téofile Gautier, Théodore de Banville e Leconte de Lisle- iniciadores do Parnasianismo. MARCO INCIAL: Fanfarras (1882)- livro de poemas de Teófilo Dias. CARACTERÍSTICAS 1) Arte pela arte: a arte tem por fim a beleza; descompromisso com outros objetivos. (Preocupa-se com a forma e a objetividade.) 2) Culto à forma ou Formalismo: busca da perfeição técnica; trabalho do artista como um artesanato, isto é, forma sobre o conteúdo. 3) Objetividade: recriação fiel da realidade. A poesia é apenas uma fotografia, nada de emoção. 4) Impassibilidade: não envolvimento emocional. 5) Descritivismo: forte tendência para a descrição, para o pictórico. (Pintura de vasos, estátuas e temas exóticos.) 6) Preferência pelo soneto: a preferência pelas formas poéticas fixas e regulares, como, por exemplo, o soneto, com esquemas métricos, rítmicos sofisticados e tradicionalistas. 7) O destaque ao erotismo e à sensualidade feminina: (a mulher vista como fêmea desejada). ESQUEMA DAS CARACTERÍSTICAS DA POESIA PARNASIANA: Busca da perfeição formal Vocabulário culto Gosto pelo soneto Rimas raras Gosto pelas descrições Objetivismo Universalismo Apego à tradição clássica Presença da mitologia Arte pela arte Racionalismo, contenção das emoções. PRINCIPAIS POETAS OLAVO BILAC Livro: Poesias (composto por: Panóplias, Via-Láctea, Sarças de Fogo, Alma Inquieta, As viagens, O Caçador de Esmeraldas, Tarde) Temas: lirismo amoroso (espiritualizado; sensual); assuntos do Classicismo grego-romano; temas patrióticos; em Tarde: reflexões sobre a vida. Estilo: apuro e correção de linguagem, precisão vocabular, habilidade versificatória, preferência pelo soneto. Poemas famosos: Profissão de fé, Nel mezzo del camin 1, O Caçador de Esmeraldas, "Ora (direis) ouvir estrelas!", A um poeta, Língua Portuguesa. 1 Famoso poema de Olavo Bilac que retoma o verso de abertura do livro Inferno, que é a primeira parte d A Divina Comédia, obra-prima do poeta italiano Dante Alighieri. No poema de Dante, esse trecho corresponde à uma metáfora do caminho que o protagonista do poema está para enfrentar e vencer, em busca de sua amada e de uma revelação divina. No poema de Bilac, percebe-se que é um eu-lírico masculino que lamenta a dor de separar-se de sua amada após longos anos juntos. Do ponto de vista formal, temos que o poema é construído em torno de paralelismos e quiasmos (figura de linguagem que repete os termos em versos diferentes, mas em ordem invertida).

2 RAIMUNDO CORREIA Livro: Poesias ( antologia dos livros anteriores: Sinfonias, Versos e versões, Aleluias, mais alguns poemas inéditos). Temática: a mulher, a natureza, o sentimento doloroso da vida, a lunaridade( lua). Estilo: linguagem cuidada, escolha precisa e expressiva de vocábulos, versatilidade rítmica, musicalidade, habilidade versificatória, gosto pelo soneto. Poemas famosos: A cavalgada, Plena nudez, Mal secreto, As pombas, Plenilúnio, Banzo. ALBERTO DE OLIVEIRA Livro: Meridionais, versos e Rimas. Temática: natureza, lirismo amoroso, descrição de objetos. Estilo: qualidade desigual, malabarismos verbais, artificialismo formal, preciosismo vocabular, habilidade descritiva. Poemas famosos: Vaso grego, Vaso chinês. OUTROS POETAS PARNASIANOS FRANCISCA JÚLIA: Obra principal: Esfinges. Rigorosa fidelidade aos princípios parnasianos. Impassibilidade, objetividade, descritivismo. Poemas famosos: Dança de Centauras, Os Argonautas. VICENTE DE CARVALHO: Livro: Poemas e Canções. É o poeta do mar. Poemas a natureza. Simplicidade da linguagem, musicalidade. Poemas Famosos: Cantigas praianas, O pequenino morto, Palavras ao mar. EMÍLIO DE MENEZES: Livro: Marcha fúnebre. Versatilidade técnico-formal. Também foi poeta satírico. QUESTÕES DE VESTIBULARES 1) CEFET-PR) E sobre mim, silenciosa e triste, A Via-Láctea se desenrola Como um jarro de lágrimas ardentes (Olavo Bilac) Sobre o fragmento poético não é correto afirmar: a) A Via-Láctea sofre um processo de personificação. b) A cena é descrita de modo objetivo, sem interferência da subjetividade do eu-poético. c) A opção pelos sintagmas desenrola e jarro de lágrimas ardente visa a presentificar o movimento dos astros. d) Há predomínio da linguagem figurada e descritiva. e) A visão de mundo melancólica do emissor da mensagem se projeta sobre o objeto poetizado. 2) (ENEM-2013) Mal secreto Se a cólera que espuma, a dor que mora N alma, e destrói cada ilusão que nasce, Tudo o que punge, tudo o que devora O coração, no rosto se estampasse; Se se pudesse, o espírito que chora, Ver através da máscara da face, Quanta gente, talvez, que inveja agora Nos causa, então piedade nos causasse! Quanta gente que ri, talvez, consigo Guarda um atroz, recôndito inimigo, Como invisível chaga cancerosa! Quanta gente que ri, talvez existe,

3 Cuja ventura única consiste Em parecer aos outros venturosa! CORREIA, R. In: PATRIOTA, M. Para compreender Raimundo Correia. Brasília: Alhambra, Coerente com a proposta parnasiana de cuidado formal e racionalidade na condução temática, o soneto de Raimundo Correia reflete sobre a forma como as emoções do indivíduo são julgadas em sociedade. Na concepção do eu lírico, esse julgamento revela que: a) a necessidade de ser socialmente aceito leva o indivíduo a agir de forma dissimulada. b) o sofrimento íntimo torna-se mais ameno quando compartilhado por um grupo social. c) a capacidade de perdoar e aceitar as diferenças neutraliza o sentimento de inveja. d) o instinto de solidariedade conduz o indivíduo a apiedar-se do próximo. e) a transfiguração da angústia em alegria é um artifício nocivo ao convívio social. 3) Os poetas representativos da escola parnasiana defendiam: a) O engajamento político nas causas históricas da época, fazendo delas matéria para uma poesia inflamada e eloquente. b) A ideia de que a livre inspiração é a garantia maior de que o poema corresponde à expressão direta das emoções mais profundas. c) A simplicidade da arte primitiva, razão pela qual buscavam os temas bucólicos e uma linguagem próxima da fala rústica dos camponeses. d) O abandono das formas fixas, criando, portanto, as condições para o posterior surgimento dos poemas em verso livre do Modernismo. e) A disciplina do artista e o trabalho artesanal com a linguagem, de modo a resultar uma obra adequada aos padrões de uma estética clássica. 4) O Arcadismo (no século XVIII) e o Parnasianismo (em fins do século XIX) apresentam, em sua caracterização, pontos em comum. São eles: a) bucolismo e busca da simplicidade de expressão. b) amor galante e temas pastoris. c) ausência de subjetividade e presença da temática e da mitologia greco-latina. d) preferência pelas formas poéticas fixas, como o soneto, e pelas rimas ricas. e) a arte pela arte e o retorno à natureza 5) Esta de áureos relevos, trabalhada De divas mãos, brilhantes copa, um dia, Já de aos deuses servir como cansada, Vinda do Olimpo, a um novo deus servia. A poesia que se concentra na reprodução de objeto decorativo, como exemplifica a estrofe de Alberto de Oliveira, assinala a tônica da: a) espiritualização da vida. b) visão do real. c) arte pela arte. d) moral das coisas. e) nota do intimismo. 6) (CEFET-PR) I- "Longe do estéril turbilhão da rua, Beneditino, escreve! No aconchego do claustro, na paciência e no sossego, Trabalha, e teima, e lima, e sofre, e sua!" II- "Ó Formas alvas, brancas, Formas claras De luares, de neves, de neblinas!... Ó Formas vagas, fluidas, cristalinas... Incensos dos turíbulos das aras... As estrofes acima são, respectivamente, dos poetas: a) Manuel Bandeira e Olavo Bilac. b) Vinícius de Moraes e Fagundes Varela. c) Olavo Bilac e Cruz e Sousa. d) Cruz e Sousa e Castro Alves. e) Castro Alves e Alphonsus de Guimaraens.

4 FRAGMENTO DE "PROFISSÃO DE FÉ"- OLAVO BILAC Invejo o ourives quando escrevo: Imito o amor Com que ele, em outro, o alto relevo Faz de uma flor. Imito-o. E, pois, nem de Carrara A pedra firo: O alvo cristal, a pedra rara, O ônix prefiro. Por isso, corre, por servir-me, Sobre o papel A pena, como em prata firme Corre o cinzel. Torce, aprimora, alteia, lima A frase: e, enfim, No verso de ouro engasta a rima, Como um rubim. Quero que a estrofe cristalina, Dobrada ao jeito Do ourives, saia da oficina Sem um defeito. Assim procedo. Minha pena Segue esta norma, Por te servir, Deusa, Serena, Serena Forma! A "Profissão de fé", de Olavo Bilac, constitui um manifesto da poesia parnasiana: é um poema metalinguístico sobre o processo de criação artística desse estilo.

5 GABARITO PROFESSORA: CAMILA PASQUAL DISCIPLINA : LITERATURA BRASILEIRA PARNASIANISMO (1882/89) ORIGEM - PARIS CONTEXTO HISTÓRICO Contemporâneo do Realismo, com ele mantendo afinidades estéticas. Restrito ao campo da poesia. Publicação, na França, de Le Parnasse Contemporain ( 3 números: ) antologia de poemas, com destaque para Téofile Gautier, Théodore de Banville e Leconte de Lisle- iniciadores do Parnasianismo. MARCO INCIAL: Fanfarras (1882)- livro de poemas de Teófilo Dias. CARACTERÍSTICAS 8) Arte pela arte: a arte tem por fim a beleza; descompromisso com outros objetivos. (Preocupa-se com a forma e a objetividade.) 9) Culto à forma ou Formalismo: busca da perfeição técnica; trabalho do artista como um artesanato, isto é, forma sobre o conteúdo. 10) Objetividade: recriação fiel da realidade. A poesia é apenas uma fotografia, nada de emoção. 11) Impassibilidade: não envolvimento emocional. 12) Descritivismo: forte tendência para a descrição, para o pictórico.(pintura de vasos, estátuas e temas exóticos.) 13) Preferência pelo soneto: a preferência pelas formas poéticas fixas e regulares, como, por exemplo, o soneto, com esquemas métricos, rítmicos sofisticados e tradicionalistas. 14) O destaque ao erotismo e à sensualidade feminina: ( a mulher vista como fêmea desejada). ESQUEMA DAS CARACTERÍSTICAS DA POESIA PARNASIANA: Busca da perfeição formal Vocabulário culto Gosto pelo soneto Rimas raras Gosto pelas descrições Objetivismo Universalismo Apego à tradição clássica Presença da mitologia Arte pela arte Racionalismo, contenção das emoções. PRINCIPAIS POETAS OLAVO BILAC Livro: Poesias (composto por: Panóplias, Via-Láctea, Sarças de Fogo, Alma Inquieta, As viagens, O Caçador de Esmeraldas, Tarde) Temas: lirismo amoroso (espiritualizado; sensual); assuntos do Classicismo grego-romano; temas patrióticos; em Tarde: reflexões sobre a vida. Estilo: apuro e correção de linguagem, precisão vocabular, habilidade versificatória, preferência pelo soneto. Poemas famosos: Profissão de fé, Nel mezzo del camin 2, O Caçador de Esmeraldas, "Ora (direis) ouvir estrelas!", A um poeta, Língua Portuguesa. 2 Famoso poema de Olavo Bilac que retoma o verso de abertura do livro Inferno, que é a primeira parte d A Divina Comédia, obra-prima do poeta italiano Dante Alighieri. No poema de Dante, esse trecho corresponde à uma metáfora do caminho que o protagonista do poema está para enfrentar e vencer, em busca de sua amada e de uma revelação divina. No poema de Bilac, percebe-se que é um eu-lírico masculino que lamenta a dor de separar-se de sua amada após longos anos juntos. Do ponto de vista formal, temos que o poema é construído em torno de paralelismos e quiasmos (figura de linguagem que repete os termos em versos diferentes, mas em ordem invertida).

6 RAIMUNDO CORREIA Livro: Poesias ( antologia dos livros anteriores: Sinfonias, Versos e versões, Aleluias, mais alguns poemas inéditos). Temática: a mulher, a natureza, o sentimento doloroso da vida, a lunaridade( lua). Estilo: linguagem cuidada, escolha precisa e expressiva de vocábulos, versatilidade rítmica, musicalidade, habilidade versificatória, gosto pelo soneto. Poemas famosos: A cavalgada, Plena nudez, Mal secreto, As pombas, Plenilúnio, Banzo. ALBERTO DE OLIVEIRA Livro: Meridionais, versos e Rimas. Temática: natureza, lirismo amoroso, descrição de objetos. Estilo: qualidade desigual, malabarismos verbais, artificialismo formal, preciosismo vocabular, habilidade descritiva. Poemas famosos: Vaso grego, Vaso chinês. OUTROS POETAS PARNASIANOS FRANCISCA JÚLIA: Obra principal: Esfinges. Rigorosa fidelidade aos princípios parnasianos. Impassibilidade, objetividade, descritivismo. Poemas famosos: Dança de Centauras, Os Argonautas. VICENTE DE CARVALHO: Livro: Poemas e Canções. É o poeta do mar. Poemas a natureza. Simplicidade da linguagem, musicalidade. Poemas Famosos: Cantigas praianas, O pequenino morto, Palavras ao mar. EMÍLIO DE MENEZES: Livro: Marcha fúnebre. Versatilidade técnico-formal. Também foi poeta satírico. QUESTÕES DE VESTIBULARES 1) CEFET-PR) E sobre mim, silenciosa e triste, A Via-Láctea se desenrola Como um jarro de lágrimas ardentes (Olavo Bilac) Sobre o fragmento poético não é correto afirmar: a) A Via-Láctea sofre um processo de personificação. b) A cena é descrita de modo objetivo, sem interferência da subjetividade do eu-poético. c) A opção pelos sintagmas desenrola e jarro de lágrimas ardente visa a presentificar o movimento dos astros. d) Há predomínio da linguagem figurada e descritiva. e) A visão de mundo melancólica do emissor da mensagem se projeta sobre o objeto poetizado. 2) (ENEM-2013) Mal secreto Se a cólera que espuma, a dor que mora N alma, e destrói cada ilusão que nasce, Tudo o que punge, tudo o que devora O coração, no rosto se estampasse; Se se pudesse, o espírito que chora, Ver através da máscara da face, Quanta gente, talvez, que inveja agora Nos causa, então piedade nos causasse! Quanta gente que ri, talvez, consigo Guarda um atroz, recôndito inimigo, Como invisível chaga cancerosa!

7 Quanta gente que ri, talvez existe, Cuja ventura única consiste Em parecer aos outros venturosa! CORREIA, R. In: PATRIOTA, M. Para compreender Raimundo Correia. Brasília: Alhambra, Coerente com a proposta parnasiana de cuidado formal e racionalidade na condução temática, o soneto de Raimundo Correia reflete sobre a forma como as emoções do indivíduo são julgadas em sociedade. Na concepção do eu lírico, esse julgamento revela que: a) a necessidade de ser socialmente aceito leva o indivíduo a agir de forma dissimulada. b) o sofrimento íntimo torna-se mais ameno quando compartilhado por um grupo social. c) a capacidade de perdoar e aceitar as diferenças neutraliza o sentimento de inveja. d) o instinto de solidariedade conduz o indivíduo a apiedar-se do próximo. e) a transfiguração da angústia em alegria é um artifício nocivo ao convívio social. 3) Os poetas representativos da escola parnasiana defendiam: a) O engajamento político nas causas históricas da época, fazendo delas matéria para uma poesia inflamada e eloquente. b) A ideia de que a livre inspiração é a garantia maior de que o poema corresponde à expressão direta das emoções mais profundas. c) A simplicidade da arte primitiva, razão pela qual buscavam os temas bucólicos e uma linguagem próxima da fala rústica dos camponeses. d) O abandono das formas fixas, criando, portanto, as condições para o posterior surgimento dos poemas em verso livre do Modernismo. e) A disciplina do artista e o trabalho artesanal com a linguagem, de modo a resultar uma obra adequada aos padrões de uma estética clássica. 4) O Arcadismo (no século XVIII) e o Parnasianismo (em fins do século XIX) apresentam, em sua caracterização, pontos em comum. São eles: a) bucolismo e busca da simplicidade de expressão. b) amor galante e temas pastoris. c) ausência de subjetividade e presença da temática e da mitologia greco-latina. d) preferência pelas formas poéticas fixas, como o soneto, e pelas rimas ricas. e) a arte pela arte e o retorno à natureza 5) Esta de áureos relevos, trabalhada De divas mãos, brilhantes copa, um dia, Já de aos deuses servir como cansada, Vinda do Olimpo, a um novo deus servia. A poesia que se concentra na reprodução de objeto decorativo, como exemplifica a estrofe de Alberto de Oliveira, assinala a tônica da: a) espiritualização da vida. b) visão do real. c) arte pela arte. d) moral das coisas. e) nota do intimismo. 6) (CEFET-PR) I- "Longe do estéril turbilhão da rua, Beneditino, escreve! No aconchego do claustro, na paciência e no sossego, Trabalha, e teima, e lima, e sofre, e sua!" II- "Ó Formas alvas, brancas, Formas claras De luares, de neves, de neblinas!... Ó Formas vagas, fluidas, cristalinas... Incensos dos turíbulos das aras... As estrofes acima são, respectivamente, dos poetas: a) Manuel Bandeira e Olavo Bilac. b) Vinícius de Moraes e Fagundes Varela.

8 c) Olavo Bilac e Cruz e Sousa. d) Cruz e Sousa e Castro Alves. e) Castro Alves e Alphonsus de Guimaraens. FRAGMENTO DE "PROFISSÃO DE FÉ"- OLAVO BILAC Invejo o ourives quando escrevo: Imito o amor Com que ele, em outro, o alto relevo Faz de uma flor. Imito-o. E, pois, nem de Carrara A pedra firo: O alvo cristal, a pedra rara, O ônix prefiro. Por isso, corre, por servir-me, Sobre o papel A pena, como em prata firme Corre o cinzel. Torce, aprimora, alteia, lima A frase: e, enfim, No verso de ouro engasta a rima, Como um rubim. Quero que a estrofe cristalina, Dobrada ao jeito Do ourives, saia da oficina Sem um defeito. Assim procedo. Minha pena Segue esta norma, Por te servir, Deusa, Serena, Serena Forma! A "Profissão de fé", de Olavo Bilac, constitui um manifesto da poesia parnasiana: é um poema metalinguístico sobre o processo de criação artística desse estilo.

Compreender a arte como saber cultural e estético gerador de significação e integrados da organização do mundo e da própria identidade.

Compreender a arte como saber cultural e estético gerador de significação e integrados da organização do mundo e da própria identidade. Literatura no Enem COMPETÊNCIA DE ÁREA 4 Compreender a arte como saber cultural e estético gerador de significação e integrados da organização do mundo e da própria identidade. COMPETÊNCIA DE ÁREA 5 Analisar,

Leia mais

Prof. Leonardo Rodrigues Ceres, 18 de out. de 2008

Prof. Leonardo Rodrigues Ceres, 18 de out. de 2008 Prof. Leonardo Rodrigues Ceres, 18 de out. de 2008 Olavo Bilac (1865-1918) nasceu no Rio de Janeiro, estudou Medicina e Direito, mas não concluiu nenhum desses cursos. Exerceu as atividades de jornalista

Leia mais

Equipe de Língua Portuguesa. Língua Portuguesa SÍNTESE DA GRAMÁTICA

Equipe de Língua Portuguesa. Língua Portuguesa SÍNTESE DA GRAMÁTICA Aluno (a): Série: 3ª TUTORIAL 3B Ensino Médio Data: Turma: Equipe de Língua Portuguesa Língua Portuguesa SÍNTESE DA GRAMÁTICA TERMOS INTEGRANTES = completam o sentido de determinados verbos e nomes. São

Leia mais

CONCREGAÇÃO DAS IRMÃS MISSIONÁRIAS DA IMACULADA CONCEIÇÃO COLÉGIO SANTA CLARA PROJETO: SARAU DE POESIA

CONCREGAÇÃO DAS IRMÃS MISSIONÁRIAS DA IMACULADA CONCEIÇÃO COLÉGIO SANTA CLARA PROJETO: SARAU DE POESIA CONCREGAÇÃO DAS IRMÃS MISSIONÁRIAS DA IMACULADA CONCEIÇÃO COLÉGIO SANTA CLARA PROJETO: SARAU DE POESIA SANTARÉM-PARÁ 2010 I- IDENTIFICAÇÃO: COLÉGIO SANTA CLARA DIRETORA: Irmã Gizele Maria Pereira Marinho

Leia mais

PROGRAMA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA ANOS FINAIS / SRE - CURVELO

PROGRAMA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA ANOS FINAIS / SRE - CURVELO 61 Poema O que é: Segundo o poeta Carlos Drummond de Andrade, entre coisas e palavras principalmente entre palavras circulamos. As palavras, entretanto, não circulam entre nós como folhas soltas no ar.

Leia mais

Aluno (a): n o. Professora: Turma: Sala: Colégio Cenecista Dr. José Ferreira

Aluno (a): n o. Professora: Turma: Sala: Colégio Cenecista Dr. José Ferreira Aluno (a): n o Professora: Turma: Sala: 2 o ano do Ensino Fundamental Colégio Cenecista Dr. José Ferreira 2015 1 Para você, o que é o poema? VERSOS E ESTROFES Poema é um texto organizado em versos e estrofes.

Leia mais

- Questão. Nos itens deverá: Item A. Quanto à distribuição de. pontos: 2 (dois) pontos. Item B. Caso responda só dois itens, obterá 10

- Questão. Nos itens deverá: Item A. Quanto à distribuição de. pontos: 2 (dois) pontos. Item B. Caso responda só dois itens, obterá 10 1 Nos itens A e B, além de relacionar os dois textos o jornalístico e a narrativa Ensaio sobre a cegueira -, o candidato deverá: Item A A1- Identificar o fenômeno ecológico como sendo a causa para o surgimento

Leia mais

Avaliação Português 6º ano Unidade 7

Avaliação Português 6º ano Unidade 7 I. Leia este trecho de um poema de Manuel Bandeira, poeta pernambucano. Em seguida, responda ao que se pede. Trem de ferro Café com pão Café com pão Café com pão Virge Maria que foi isso maquinista? Agora

Leia mais

Educador(a): Deise Lúcide

Educador(a): Deise Lúcide Educando(a): Número: Turma: 3º EM Data: / / Educador(a): Deise Lúcide Fazer no caderno estas atividades, marcando as dúvidas, se houver, para que eu possa explicar e corrigir quando retornarmos às aulas.

Leia mais

PARNASIANISMO/SIMBOLISMO

PARNASIANISMO/SIMBOLISMO 1. INTRODUÇÃO LITERATURA PARNASIANISMO/SIMBOLISMO É a manifestação poética do Realismo, embora, ideologicamente, não mantenha pontos de contato com ele; mesmo assim, pode ser considerada poesia anti-romântica.

Leia mais

LITERATURA BRASILEIRA

LITERATURA BRASILEIRA LITERATURA BRASILEIRA 01 Leia o poema Pintura admirável de uma beleza, de Gregório de Matos. Vês esse sol de luzes coroado? Em pérolas a aurora convertida? Vês a lua de estrelas guarnecida? Vês o céu de

Leia mais

THEREZINHA OLIVEIRA QUANDO O ESPIRITISMO FALA

THEREZINHA OLIVEIRA QUANDO O ESPIRITISMO FALA THEREZINHA OLIVEIRA QUANDO O ESPIRITISMO FALA CAMPINAS SP 2007 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... XI A RESPEITO DE SANTIDADE... 13 Que é um santo?... 13 A fábrica de santos... 15 Requisitos para a santidade...16

Leia mais

Entrevistada por Maria Augusta Silva [EM 1999, NA OCASIÃO DO LANÇAMENTO DO LIVRO ROSAS DA CHINA ]

Entrevistada por Maria Augusta Silva [EM 1999, NA OCASIÃO DO LANÇAMENTO DO LIVRO ROSAS DA CHINA ] ANA MAFALDA LEITE Entrevistada por Maria Augusta Silva [EM 1999, NA OCASIÃO DO LANÇAMENTO DO LIVRO ROSAS DA CHINA ] Um dizer poético pleno. Professora e poeta luso-moçambicana encantada por Florbela Espanca,

Leia mais

POESIAS Olavo Bilac. Edição especial para distribuição gratuita pela Internet, através da Virtualbooks.

POESIAS Olavo Bilac. Edição especial para distribuição gratuita pela Internet, através da Virtualbooks. 1 POESIAS Olavo Bilac Edição especial para distribuição gratuita pela Internet, através da Virtualbooks. A VirtualBooks gostaria também de receber suas críticas e sugestões. Sua opinião é muito importante

Leia mais

Sugestão de avaliação

Sugestão de avaliação Sugestão de avaliação 8 PORTUGUÊS Professor, esta sugestão de avaliação corresponde ao primeiro bimestre escolar ou às Unidades 1 e 2 do Livro do Aluno. Avaliação - Língua Portuguesa NOME: TURMA: escola:

Leia mais

Ano: 9 Turma: 9.1 e 9.2

Ano: 9 Turma: 9.1 e 9.2 COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Final 2ª Etapa 2014 Disciplina: Língua Portuguesa Professor (a): Cris Souto Ano: 9 Turma: 9.1 e 9.2 Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de

Leia mais

IMAGEM E REPRESENTAÇÃO: VENDO ESTRELAS. Nelyse Ap. Melro Salzedas

IMAGEM E REPRESENTAÇÃO: VENDO ESTRELAS. Nelyse Ap. Melro Salzedas IMAGEM E REPRESENTAÇÃO: VENDO ESTRELAS Nelyse Ap. Melro Salzedas serranoepg@ig.com.br 1 Resumo: Ver e representar a imagem das estrelas: uma questão texto e imagem entre a pintura, a poesia e a música:

Leia mais

Século XIX na Europa as inovações na arte. Predomínio do neoclassicismo ou academicismo

Século XIX na Europa as inovações na arte. Predomínio do neoclassicismo ou academicismo Século XIX na Europa as inovações na arte { Predomínio do neoclassicismo ou academicismo ANTIGUIDADE CLÁSSICA IDADE MÉDIA NEOCLASSICISMO OU ACADEMICISMO ROMANTISMO RENASCIMENTO BARROCO ROCOCÓ NEOCLÁSSICO

Leia mais

O PROJETO TRANSDISCIPLINAR ESTAMOS POESIA: A LUDOPOIESE NA AUTOFORMAÇÃO DE ALUNOS E PROFESSORES

O PROJETO TRANSDISCIPLINAR ESTAMOS POESIA: A LUDOPOIESE NA AUTOFORMAÇÃO DE ALUNOS E PROFESSORES 1 O PROJETO TRANSDISCIPLINAR ESTAMOS POESIA: A LUDOPOIESE NA AUTOFORMAÇÃO DE ALUNOS E PROFESSORES Maria das Dôres da Silva Timóteo da Câmara BACOR/PPGEd/UFRN Orientadora Profª Drª Katia Brandão Cavalcanti

Leia mais

Exercícios Questões Inéditas Modelo ENEM

Exercícios Questões Inéditas Modelo ENEM Exercícios Questões Inéditas Modelo ENEM 1. Psicologia de um vencido Eu, filho do carbono e do amoníaco, Monstro de escuridão e rutilância, Sofro, desde a epigênese da infância, A influência má dos signos

Leia mais

PERTO DE TI AUTOR: SILAS SOUZA MAGALHÃES. Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma.

PERTO DE TI AUTOR: SILAS SOUZA MAGALHÃES. Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma. PERTO DE TI Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma. Jesus! Perto de ti, sou mais e mais. Obedeço a tua voz. Pois eu sei que tu és Senhor, o

Leia mais

Poética & Filosofia Cultural - Chico Xavier & Dalai Lama

Poética & Filosofia Cultural - Chico Xavier & Dalai Lama Page 1 of 6 Tudo Bem! Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia Disciplina: Filosofia Cultural Educador: João Nascimento Borges Filho Poética

Leia mais

qwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwerty uiopasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasd fghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzx cvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbnmq

qwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwerty uiopasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasd fghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzx cvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbnmq qwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwerty uiopasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasd fghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzx cvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbnmq Poemas sinfônicos para Beethoven wertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwertyui

Leia mais

PROVA BRASIL: LÍNGUA PORTUGUESA. Ensino Fundamental II. Prof. Me. Luís Fernando Bulhões Figueira

PROVA BRASIL: LÍNGUA PORTUGUESA. Ensino Fundamental II. Prof. Me. Luís Fernando Bulhões Figueira PROVA BRASIL: LÍNGUA PORTUGUESA. Ensino Fundamental II Prof. Me. Luís Fernando Bulhões Figueira Descritor 15 Estabelecer relações lógicodiscursivas presentes no texto, marcadas por conjunções, advérbios

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Médio Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Médio Etec Etec: Prof. Mário Antônio Verza Código: 164 Município: Palmital Área de conhecimento: Linguagens, Códigos e suas Tecnologias Componente Curricular: Língua

Leia mais

Carlos Neves. Antologia. Raízes. Da Poesia

Carlos Neves. Antologia. Raízes. Da Poesia 1 Antologia Raízes Da Poesia 2 Copyrighr 2013 Editra Perse Capa e Projeto gráfico Autor Registrado na Biblioteca Nacional ISBN International Standar Book Number 978-85-8196-234- 4 Literatura Poesias Publicado

Leia mais

LITERATURA BRASILEIRA - ALGUNS ELEMENTOS INFLUENCIADORES

LITERATURA BRASILEIRA - ALGUNS ELEMENTOS INFLUENCIADORES 1 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA DEPARTAMENTO DE LETRAS E ARTES DLA LICENCIATURA EM LETRAS COM A LÍNGUA INGLESA LITERATURA BRASILEIRA I Professor: Manoel Anchieta Nery JOÃO BOSCO DA SILVA (prof.bosco.uefs@gmail.com)

Leia mais

POESIAS. Orientação: Professora Keila Cachioni Duarte Machado

POESIAS. Orientação: Professora Keila Cachioni Duarte Machado POESIAS Orientação: Professora Keila Cachioni Duarte Machado A flor amiga O ser mais belo e culto Emoções e corações Sentimentos envolvidos Melhor amiga e amada O seu sorriso brilha como o sol Os seus

Leia mais

( x ) I Unidade ( ) II Unidade ( ) III Unidade

( x ) I Unidade ( ) II Unidade ( ) III Unidade 1 RESOLUÇÕES E COMENTÁRIOS DAS QUESTÕES ( x ) I Unidade ( ) II Unidade ( ) III Unidade LÍNGUA PORTUGUESA / LITERATURA BRASILEIRA / LÍNGUA INGLESA Curso: Ensino Médio Série: 1.ª Turma: ABCDEFG Data: / /

Leia mais

LICENCIATURA DUPLA EM INGLÊS E PORTUGUÊS E RESPECTIVAS LITERATURAS

LICENCIATURA DUPLA EM INGLÊS E PORTUGUÊS E RESPECTIVAS LITERATURAS LICENCIATURA DUPLA EM INGLÊS E PORTUGUÊS E RESPECTIVAS LITERATURAS Curso 1/20B Ingresso a partir de 2007 NÍVEL I Introdução à Pesquisa em Letras Codicred: 1216A-02 Ementa: Compreensão da linguagem como

Leia mais

Exercícios de Poesia Romântica (Parte 1)

Exercícios de Poesia Romântica (Parte 1) Exercícios de Poesia Romântica (Parte 1) 1. (UFF) Contranarciso em mim eu vejo o outro e outro e outro enfim dezenas trens passando vagões cheios de gente centenas o outro que há em mim é você você e você

Leia mais

História da Arte - Linha do Tempo

História da Arte - Linha do Tempo História da Arte - Linha do Tempo PRÉ- HISTÓRIA (1000000 A 3600 a.c.) Primeiras manifestações artísticas. Pinturas e gravuras encontradas nas paredes das cavernas. Sangue de animais, saliva, fragmentos

Leia mais

Programa do periódico de Caeiro, R. Reis, etc.

Programa do periódico de Caeiro, R. Reis, etc. António Mora Programa do periódico de Caeiro, R. Reis, etc. «Programa do periódico de Caeiro, R. Reis, etc.» Melhor do que enfastiar no início, por uma exposição argumentada, ao comunicar ao nosso público,

Leia mais

Cabra macho e cidadão do mundo

Cabra macho e cidadão do mundo Cabra macho e cidadão do mundo Uma poesia antilírica, dirigida ao intelecto, mais presa à realidade objetiva do poema enquanto criação; Cronologicamente pertence à geração de 45, mas dela se afasta pela

Leia mais

SILVÉRIO BENEDITO PARA UMA LEITURA DA «CASTRO» E POEMAS LUSITANOS DE ANTÓNIO FERREIRA

SILVÉRIO BENEDITO PARA UMA LEITURA DA «CASTRO» E POEMAS LUSITANOS DE ANTÓNIO FERREIRA SILVÉRIO BENEDITO PARA UMA LEITURA DA «CASTRO» E POEMAS LUSITANOS DE ANTÓNIO FERREIRA EDfTORIAL LM I PRESENÇA ÍNDICE PREFACIO 11 I. PERSPECTIVAS GLOBAIS 13 1. O homem e a obra 13 2. Contextualização sociocultural

Leia mais

LITERATURA BRASILEIRA PROFESSORA: ANA CLAUDIA DUARTE REVISÃO ENEM

LITERATURA BRASILEIRA PROFESSORA: ANA CLAUDIA DUARTE REVISÃO ENEM LITERATURA BRASILEIRA PROFESSORA: ANA CLAUDIA DUARTE REVISÃO ENEM 1- Leia: Um exame comparativo, superficial que seja, da fase heroica (1922) e da que se segue à Revolução (1930), mostra-nos uma diferença

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Viajando através da Poesia

Mostra de Projetos 2011. Viajando através da Poesia Mostra de Projetos 2011 Viajando através da Poesia Mostra Local de: Arapongas Categoria do projeto: Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: (campo não preenchido)

Leia mais

Questão 31. Questão 32 TEXTO I

Questão 31. Questão 32 TEXTO I 1 a fase/06 DE DEZEMBRO Língua Portuguesa e Literatura Brasileira TEXTO I Escreverei minhas Memórias, fato mais freqüentemente do que se pensa observado no mundo industrial, artístico, científico e sobretudo

Leia mais

A CRIAÇÃO POÉTICA: UMA REFLEXÃO SEMPRE POSSÍVEL ENTRE OS POETAS MODERNISTAS

A CRIAÇÃO POÉTICA: UMA REFLEXÃO SEMPRE POSSÍVEL ENTRE OS POETAS MODERNISTAS 386 A CRIAÇÃO POÉTICA: UMA REFLEXÃO SEMPRE POSSÍVEL ENTRE OS POETAS MODERNISTAS Ângela Maria Garcia dos Santos Silva 1 Refletir sobre o trabalho artístico constitui uma das principais características dos

Leia mais

A Palavra de Deus nos mostra como encarar/aceitar a vida/os desafios.

A Palavra de Deus nos mostra como encarar/aceitar a vida/os desafios. Série: Encarando a vida de frente #2: Somente a Graça Introdução: A expressão que dá título a esta série é largamente utilizada no vocabulário de auto-ajuda. No entanto esta expressão por si só é vazia

Leia mais

A ESCRITA BARROCA E CLÁSSICA PARA TECLADO

A ESCRITA BARROCA E CLÁSSICA PARA TECLADO A ESCRITA BARROCA E CLÁSSICA PARA TECLADO Cândida Borges O texto a seguir apresenta uma comparação entre a escrita para teclado no período Barroco e a do período Clássico, focalizando compositores, gêneros,

Leia mais

TALVEZ TE ENCONTRE AO ENCONTRAR-TE

TALVEZ TE ENCONTRE AO ENCONTRAR-TE TALVEZ TE ENCONTRE Vivaldo Terres Itajaí /SC Talvez algum dia eu te encontre querida Para renovarmos momentos felizes, Já que o nosso passado foi um passado lindo, Tão lindo que não posso esquecer Anseio

Leia mais

ACS Assessoria de Comunicação Social

ACS Assessoria de Comunicação Social Relação dos vencedores Minas Gerais Aluno Danilo Arantes da Silva, 13 anos Escola Estadual Seis de Junho Uberlândia Frase A amizade tem a ver com a química, ela é do grupo dos metais, porque vale ouro.

Leia mais

Plano Estratégico da União Portuguesa dos Adventistas do Sétimo Dia para o Quinquénio 2013-2017

Plano Estratégico da União Portuguesa dos Adventistas do Sétimo Dia para o Quinquénio 2013-2017 Plano Estratégico da União Portuguesa dos Adventistas do Sétimo Dia para o Quinquénio 2013-2017 O presente documento tem como objetivo apresentar, os valores, as linhas orientadoras, a estratégia e o plano

Leia mais

A arte do século XIX

A arte do século XIX A arte do século XIX Índice Introdução ; Impressionismo ; Romantismo ; Realismo ; Conclusão ; Bibliografia. Introdução Durante este trabalho irei falar e explicar o que é a arte no século XIX, especificando

Leia mais

A AFETIVIDADE O PROCESSO DE E SI O-APREDIZAGEM

A AFETIVIDADE O PROCESSO DE E SI O-APREDIZAGEM A AFETIVIDADE O PROCESSO DE E SI O-APREDIZAGEM Aline Araújo dos Santos (FITS) enila-ojuara@hotmail.com Liciane da S. Tavares de Carvalho (FITS) licianecarvalho@hotmail.com Karina Dias Alves (FITS) alveskd@yahoo.com.br

Leia mais

ANÁLISE DO POEMA AUTOPSICOGRAFIA DE FERNANDO PESSOA. Sob enfoque da teoria de Roman Jakóbson

ANÁLISE DO POEMA AUTOPSICOGRAFIA DE FERNANDO PESSOA. Sob enfoque da teoria de Roman Jakóbson PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RGS FACULDADE DE LETRAS ANÁLISE DO POEMA AUTOPSICOGRAFIA DE FERNANDO PESSOA Sob enfoque da teoria de Roman Jakóbson Disciplina: - Teorias Contemporâneas da Literatura

Leia mais

A poesia clássica no Brasil o Arcadismo e o Parnasianismo

A poesia clássica no Brasil o Arcadismo e o Parnasianismo Módulo 2 Unidade 9 A poesia clássica no Brasil o Arcadismo e o Parnasianismo Para início de conversa... Frases como essas são comuns em nosso cotidiano, não é verdade? Pois é! Em Literatura, a palavra

Leia mais

AS NOVELAS E A EDUCAÇÃO

AS NOVELAS E A EDUCAÇÃO Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA A 1 ạ SÉRIE DO ENSINO MÉDIO EM 2012 Disciplina: PoRTUGUÊs Prova: desafio nota: Texto para as questões de 1 a 8. AS NOVELAS E A EDUCAÇÃO

Leia mais

DECISÃO DOS RECURSOS

DECISÃO DOS RECURSOS DECISÃO DOS RECURSOS EMPRESA DE CONSULTORIA EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA S/C LTDA., empresa responsável pela operacionalização do processo seletivo acima epigrafado, torna pública a decisão sobre os recursos

Leia mais

Antropocentrismo (do grego anthropos, "humano"; e kentron, "centro") é uma concepção que considera que a humanidade deve permanecer no centro do

Antropocentrismo (do grego anthropos, humano; e kentron, centro) é uma concepção que considera que a humanidade deve permanecer no centro do ARTE GÓTICA A Arte Gótica se desenvolveu na Europa entre os séculos XII e XV e foi uma das mais importantes da Idade Média, junto com a Arte Românica. Ela teve grande influencia do forte Teocentrismo (O

Leia mais

José da Fonte Santa. Magia Alentejana. Poesia e desenhos. Pesquisa e recolha de Isabel Fonte Santa. Edições Colibri

José da Fonte Santa. Magia Alentejana. Poesia e desenhos. Pesquisa e recolha de Isabel Fonte Santa. Edições Colibri José da Fonte Santa Magia Alentejana Poesia e desenhos Pesquisa e recolha de Isabel Fonte Santa Edições Colibri índice Nota Prévia 3 Prefácio 5 O Amor e a Natureza Desenho I 10 A rapariga mais triste do

Leia mais

CORDEIS PELA CANONIZAÇÃO DE EMILIE DE VILLENUEVE

CORDEIS PELA CANONIZAÇÃO DE EMILIE DE VILLENUEVE CORDEIS PELA CANONIZAÇÃO DE EMILIE DE VILLENUEVE A Santa e Madre Emilie já foi Beatificada. Agora com um novo milagre reconhecido, Será em maio canonizada. Neta de um conde francês abandona a vida de princesa.

Leia mais

Naquela ocasião Jesus disse: "Eu te louvo, Pai, Senhor dos céus e da terra, porque escondeste estas coisas dos sábios e cultos, e as revelaste aos

Naquela ocasião Jesus disse: Eu te louvo, Pai, Senhor dos céus e da terra, porque escondeste estas coisas dos sábios e cultos, e as revelaste aos As coisas encobertas pertencem ao Senhor, ao nosso Deus, mas as reveladas pertencem a nós e aos nossos filhos para sempre, para que sigamos todas as palavras desta lei. Deuteronômio 29.29 Naquela ocasião

Leia mais

AVALIAÇÃO Testes escritos e seminários.

AVALIAÇÃO Testes escritos e seminários. CARGA HORÁRIA: 60 horas-aula Nº de Créditos: 04 (quatro) PERÍODO: 91.1 a 99.1 EMENTA: Visão panorâmica das literaturas produzidas em Portugal, Brasil, Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São

Leia mais

AS TRÊS EXPERIÊNCIAS

AS TRÊS EXPERIÊNCIAS Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 8 Ọ ANO EM 2014 Disciplina: PoRTUGUÊs Prova: desafio nota: Texto para as questões de 1 a 7. AS TRÊS EXPERIÊNCIAS Há três coisas para

Leia mais

TIPO DE AVALIAÇÃO: Lista de Exercícios - Recuperação

TIPO DE AVALIAÇÃO: Lista de Exercícios - Recuperação TIPO DE AVALIAÇÃO: Lista de Exercícios - Recuperação Nome: Nº 8º ano / Ensino Fundamental Turma: Disciplina(s): Português Data: Professor(a): Érica Beatriz Nota: Leia o texto de Clarice Lispector e veja

Leia mais

Proposta da Doutrina Espírita para a Educação do Homem. Claudia Werdine claudiawerdine@hotmail.com

Proposta da Doutrina Espírita para a Educação do Homem. Claudia Werdine claudiawerdine@hotmail.com Proposta da Doutrina Espírita para a Educação do Homem Claudia Werdine claudiawerdine@hotmail.com Como vai o nosso mundo? Como poderemos transformar esta triste realidade? O progresso intelectual

Leia mais

PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA 11ª Classe

PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA 11ª Classe PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA 11ª Classe Formação de Professores para o Pré-Escolar e para o Ensino Primário Opção: Ensino Primário Ficha Técnica Título Programa de Metodologia

Leia mais

Tribunal Regional de Talentos apresenta:

Tribunal Regional de Talentos apresenta: Tribunal Regional de Talentos apresenta: Era uma vez uma fada madrinha que vestia toga. A história começa da forma clássica, mas a narrativa sobre a juíza do trabalho substituta do Tribunal Regional do

Leia mais

PILARES DA VIDA LIVRO DE POESIAS. Pensar, Refletir, Amar e ter Amigos é a Maneira do Ser Humano Viver.

PILARES DA VIDA LIVRO DE POESIAS. Pensar, Refletir, Amar e ter Amigos é a Maneira do Ser Humano Viver. PILARES DA VIDA LIVRO DE POESIAS Pensar, Refletir, Amar e ter Amigos é a Maneira do Ser Humano Viver. ELDER DE SOUZA PINTO CAPITULO I: REFLEXÕES E PENSAMENTOS A ARTE DE SER Ser é a arte de se inventar

Leia mais

EXERCÍCIOS SOBRE RENASCIMENTO

EXERCÍCIOS SOBRE RENASCIMENTO EXERCÍCIOS SOBRE RENASCIMENTO TEXTO O termo Renascimento é comumente aplicado à civilização européia que se desenvolveu entre 1300 e 1650. Além de reviver a antiga cultura greco-romana, ocorreram nesse

Leia mais

Ensino Médio Unidade São Judas Tadeu Professor (a): Anna Izabel Aluno (a): Série: 2ª Data: / / 2015. LISTA DE LITERATURA

Ensino Médio Unidade São Judas Tadeu Professor (a): Anna Izabel Aluno (a): Série: 2ª Data: / / 2015. LISTA DE LITERATURA Ensino Médio Unidade São Judas Tadeu Professor (a): Anna Izabel Aluno (a): Série: 2ª Data: / / 2015. LISTA DE LITERATURA Questão 01.O texto abaixo apresenta, basicamente, três partes: a realidade, o sonho

Leia mais

Priscilla Cabett SANTOS 2 Talita Maria dos Santos Galvão da SILVA 3 Luiz Antônio FELICIANO 4 Faculdades Integradas Teresa D Ávila, Lorena, SP

Priscilla Cabett SANTOS 2 Talita Maria dos Santos Galvão da SILVA 3 Luiz Antônio FELICIANO 4 Faculdades Integradas Teresa D Ávila, Lorena, SP Brasil: qual é o teu negócio? 1 Priscilla Cabett SANTOS 2 Talita Maria dos Santos Galvão da SILVA 3 Luiz Antônio FELICIANO 4 Faculdades Integradas Teresa D Ávila, Lorena, SP RESUMO Baseado na composição

Leia mais

A Linguagem e suas Funções

A Linguagem e suas Funções A Linguagem e suas Funções 1. ENEM 2009 Prova cancelada Lista de Exercícios Ouvir estrelas Ora, (direis) ouvir estrelas! Certo perdeste o senso! E eu vos direi, no entanto, que, para ouvi-las, muita vez

Leia mais

Encontre Deus na próxima esquina As coisas da graça ou a graça das coisas O tipo de fé que Jesus admira Viver pela fé é viver consciente do amor de Deus Diante dos dramas da vida Um dos textos bíblicos

Leia mais

PROVA ESCRITA DE EDUCAÇÃO MUSICAL. PRIMEIRA PARTE - QUESTÕES DISCURSIVAS (70 pontos)

PROVA ESCRITA DE EDUCAÇÃO MUSICAL. PRIMEIRA PARTE - QUESTÕES DISCURSIVAS (70 pontos) COLÉGIO PEDRO II DIRETORIA GERAL SECRETARIA DE ENSINO CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSORES DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO = 2002 = PRIMEIRA PARTE - QUESTÕES DISCURSIVAS (70 pontos) 1) Escreva uma notação rítmica

Leia mais

UMA VIDA DE PAZ, PACIÊNCIA E AMABILIDADE EM UM MUNDO HOSTIL.

UMA VIDA DE PAZ, PACIÊNCIA E AMABILIDADE EM UM MUNDO HOSTIL. UMA VIDA DE PAZ, PACIÊNCIA E AMABILIDADE EM UM MUNDO HOSTIL. Como sabemos o crescimento espiritual não acontece automaticamente, depende das escolhas certas e na cooperação com Deus no desenvolvimento

Leia mais

Estudo do Hino Nacional. Salve! Salve!

Estudo do Hino Nacional. Salve! Salve! Estudo do Hino Nacional Ouviram do Ipiranga as margens plácidas De um povo heróico o brado retumbante E o sol da liberdade em raios fúlgidos, Brilhou no céu da Pátria nesse instante. Se o penhor dessa

Leia mais

Simbolicamente, associo o girassol àquele que busca e se volta diariamente em direção a luz.

Simbolicamente, associo o girassol àquele que busca e se volta diariamente em direção a luz. A JANELA DA RECUPERAÇÃO Autora: Marília Teixeira Martins UNIVERSO ADICTO Muitos de vocês já me ouviram dizer ou escrever, que a minha vida tem Deus, música e um girassol na janela. Quero falar um pouco

Leia mais

AVALIAÇÃO DA UNIDADE I PONTUAÇÃO: 7,5 PONTOS

AVALIAÇÃO DA UNIDADE I PONTUAÇÃO: 7,5 PONTOS DA UNIDADE I PONTUAÇÃO: 7,5 PONTOS QUESTÃO 01: Avalie as afirmativas seguintes em relação ao Romantismo. (1,0) I. As primeiras manifestações literárias do Romantismo ocorreram nos países europeus mais

Leia mais

CONFEITARIA COLOMBO. Rio de Janeiro

CONFEITARIA COLOMBO. Rio de Janeiro CONFEITARIA COLOMBO Rio de Janeiro A Confeitaria Colombo é a memória viva da belle époque do Rio de Janeiro antigo, situada na rua Gonçalves Dias e foi fundada em 1894 pelos portugueses Joaquim Borges

Leia mais

ENEM 2014 - Caderno Cinza. Resolução da Prova de Linguagens

ENEM 2014 - Caderno Cinza. Resolução da Prova de Linguagens ENEM 2014 - Caderno Cinza Resolução da Prova de Linguagens 96. Alternativa (B) O texto I afirma que houve aumento de doadores, o que levou as localidades nele citadas a eliminarem a lista de espera no

Leia mais

Teoria da Comunicação Funções da Linguagem

Teoria da Comunicação Funções da Linguagem Teoria da Comunicação Funções da Linguagem Professor Rafael Cardoso Ferreira O que é linguagem? A linguagem é o instrumento graças ao qual o homem modela seu pensamento, seus sentimentos, suas emoções,

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA MARATONA IME 2012 TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 15 QUESTÕES. TEXTO II

LÍNGUA PORTUGUESA MARATONA IME 2012 TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 15 QUESTÕES. TEXTO II TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 15 QUESTÕES. TEXTO I 1 Escreverei minhas "Memórias", fato mais freqüentemente do que se pensa observado no mundo industrial, artístico, científico e sobretudo no mundo político,

Leia mais

06 Meus Primeiros Passos por Dino Arí Fernandes

06 Meus Primeiros Passos por Dino Arí Fernandes 06 Meus Primeiros Passos por Dino Arí Fernandes O Espírito Santo e a Igreja Igreja Metodista 06- Meus Primeiros Passos Rev. Dino Arí Fernandes O Espírito Santo e a IGREJA Para melhor entender o tema, sugerimos

Leia mais

ARTES PLÁSTICAS - LICENCIATURA (NOTURNO)

ARTES PLÁSTICAS - LICENCIATURA (NOTURNO) assinatura do(a) candidato(a) ADMISSÃO PARA PORTADOR DE DIPLOMA DE CURSO SUPERIOR 2.ª DCS/2011 ARTES PLÁSTICAS - LICENCIATURA (NOTURNO) LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO. Prova Dissertativa 1 Ao receber

Leia mais

O AUTO AMOR NA VISÃO ESPÍRITA

O AUTO AMOR NA VISÃO ESPÍRITA 1 O AUTO AMOR NA VISÃO ESPÍRITA um anônimo Amai a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a vós mesmos. (Jesus Cristo) O objetivo principal das reencarnações é aprender a linguagem do pensamento,

Leia mais

A poética do cotidiano doméstico, de Lucinda Nogueira Persona, sob a regência de Cronos.

A poética do cotidiano doméstico, de Lucinda Nogueira Persona, sob a regência de Cronos. A poética do cotidiano doméstico, de Lucinda Nogueira Persona, sob a regência de Cronos. Marta Helena COCCO; Maria Zaíra TURCHI Pós-graduação em Letras e Lingüística - UFG martacocco@uol.com.br Palavras-chave:

Leia mais

Memória e discurso: reflexões sobre a trajetória do ensino de espanhol a. partir da análise de textos oficiais

Memória e discurso: reflexões sobre a trajetória do ensino de espanhol a. partir da análise de textos oficiais Memória e discurso: reflexões sobre a trajetória do ensino de espanhol a partir da análise de textos oficiais Maria Cecília do Nascimento Bevilaqua (UERJ) Apresentação Quem não se lembra da ênfase dada

Leia mais

Prova Escrita de Português

Prova Escrita de Português EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Prova Escrita de Português 12.º Ano de Escolaridade Prova 639/Época Especial 8 Páginas Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância:

Leia mais

THEREZINHA OLIVEIRA A ETERNA MENSAGEM REVELAÇÕES ESPIRITUAIS AO LONGO DOS TEMPOS

THEREZINHA OLIVEIRA A ETERNA MENSAGEM REVELAÇÕES ESPIRITUAIS AO LONGO DOS TEMPOS THEREZINHA OLIVEIRA A ETERNA MENSAGEM REVELAÇÕES ESPIRITUAIS AO LONGO DOS TEMPOS CAMPINAS SP 2010 Sumário Capítulo 1 A eterna mensagem... 1 Uma história antiga... 1 A humanidade e as revelações espirituais...

Leia mais

BARROCO O que foi? O barroco foi uma manifestação que caracterizava-se pelo movimento, dramatismo e exagero. Uma época de conflitos espirituais e religiosos, o estilo barroco traduz a tentativa angustiante

Leia mais

HINÁRIO A ARTE DE AMAR

HINÁRIO A ARTE DE AMAR HINÁRIO A ARTE DE AMAR Tema 2012: Flora Brasileira Algodão do Cerrado (Cochlospermum vitifolium) CARLOS STRAZZER Carlos Augusto Strazzer 1 www.hinarios.org 2 I FÉ NA VIRGEM MARIA Oferecido por Isabela

Leia mais

Solução Comentada Prova de Língua Portuguesa

Solução Comentada Prova de Língua Portuguesa Leia as questões da prova e, em seguida, responda-as preenchendo os parênteses com V (verdadeiro) ou F (falso). Texto 1 Januária 08 Toda gente homenageia Januária na janela Até o mar faz maré cheia Pra

Leia mais

Mario Quintana Tradutor

Mario Quintana Tradutor Notandum 14 http://www.hottopos.com CEMOrOC Feusp / IJI Univ. do Porto 2007 Mario Quintana Tradutor (em homenagem ao poeta, no ano do centenário de seu nascimento) Gabriel Perissé Mestre em Literatura

Leia mais

Blecaute. EU SOU HEATHCLIFF Por Alexandre Laurence

Blecaute. EU SOU HEATHCLIFF Por Alexandre Laurence Ensaio EU SOU HEATHCLIFF Por Alexandre Laurence O desconcertante O Morro dos ventos uivantes, Wuthering heights em inglês original, escrito pela romancista inglesa Emily Brontë, até hoje assusta e comove

Leia mais

PROSA DO MAR: BREVÍSSIMA LEITURA ICONOLÓGICA

PROSA DO MAR: BREVÍSSIMA LEITURA ICONOLÓGICA PROSA DO MAR: BREVÍSSIMA LEITURA ICONOLÓGICA Renato Dias PROSA DO MAR: BREVÍSSIMA LEITURA ICONOLÓGICA Escrever não é olhar para a superfície, mas para dentro. Não me interessa descrever se o personagem

Leia mais

3 - Conclusao Aqui voce deve estar certo de que convenceu quem 0 Ie. Retome a posigao ideologica e faga as considerag6es fi nais.

3 - Conclusao Aqui voce deve estar certo de que convenceu quem 0 Ie. Retome a posigao ideologica e faga as considerag6es fi nais. REDACAO Redija urna disserta~ao sobre 0 terna proposto abaixo, apresentando seu trabalho em tres partes bern distintas: 1 - Posi~ao ideol6gica Sua opiniao a respeito do tema. Seu ponto de vista. 2 - Prova

Leia mais

A leitura na escola estadual júlio césar de moraes passos em manaus: um relato de experiência

A leitura na escola estadual júlio césar de moraes passos em manaus: um relato de experiência 1 A leitura na escola estadual júlio césar de moraes passos em manaus: um relato de experiência Ana Algina Cruz (Profª de Língua Portuguesa da rede estadual de ensino fundamental de Manaus/ Pesquisadora

Leia mais

Revisão de Linguagens para o ENEM

Revisão de Linguagens para o ENEM Revisão de Linguagens para o ENEM Material de apoio para Aula ao Vivo 1. Alguém já disse que o rococó é o barroco que não soube onde parar. Todos os estilos correm o risco de descambar para o excesso,

Leia mais

CIGANAS. Cigana Carmencita das Campinas

CIGANAS. Cigana Carmencita das Campinas CIGANAS Cigana Mama Rosa Composição: Gustavo Guimarães / João Costa Vem chegando a Rosa no terreiro A Rosa do canteiro Não tem a sua luz Vem trazendo a cor do seu povo Amarelo e o roxo É o vermelho e azul

Leia mais

BARROCO BRASILEIRO séc. XVIII - XIX

BARROCO BRASILEIRO séc. XVIII - XIX Campus São Cristóvão II Coordenador pedagógico de disciplina: Shannon Botelho 8º ano. TURMA: NOME: nº BARROCO BRASILEIRO séc. XVIII - XIX O barroco brasileiro desenvolve-se principalmente em Minas Gerais,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO CURSINHO DA INCLUSÃO SOCIAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO CURSINHO DA INCLUSÃO SOCIAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO CURSINHO DA INCLUSÃO SOCIAL EDITAL DE ABERTURA DE VAGAS DO CURSINHO DA INCLUSÃO SOCIAL, Nº1 DE 03 DE SETEMBRO DE 2012. A Coordenação do Projeto Cursinho da Inclusão Social,

Leia mais

Orar é uma atividade regular na vida de Jesus, um hábito, uma disciplina, um vínculo. Essa passagem é pedagógica e ilustra uma vida de fé!

Orar é uma atividade regular na vida de Jesus, um hábito, uma disciplina, um vínculo. Essa passagem é pedagógica e ilustra uma vida de fé! Faculdades EST- Pastoral Universitária Culto de Abertura do Semestre 2013/2 Prédica sobre Lucas 11.1-13 Pastora Iára Müller Leitura de Lucas 11.1-13 O tema da oração e da persistência em orar sempre volta

Leia mais

Palestra Virtual. Tema: Paixões. Palestrante: Vera Sá. Promovida pelo IRC-Espiritismo http://www.irc-espiritismo.org.br

Palestra Virtual. Tema: Paixões. Palestrante: Vera Sá. Promovida pelo IRC-Espiritismo http://www.irc-espiritismo.org.br Palestra Virtual Promovida pelo http://www.irc-espiritismo.org.br Tema: Paixões Palestrante: Vera Sá Rio de Janeiro 11/02/2000 Organizadores da palestra: Moderador: "Luno" (nick: [Moderador]) "Médium digitador":

Leia mais

Judith Sonja Garbers, Psicóloga Jörg Garbers, Mestre de Teologia

Judith Sonja Garbers, Psicóloga Jörg Garbers, Mestre de Teologia Judith Sonja Garbers, Psicóloga Jörg Garbers, Mestre de Teologia C.G.Jung: Espiritualidade Conforme Jung o ser humano desenvolve primeiro uma identidade pessoal, descobre quem é, o que gosta, qual é seu

Leia mais

O livro de Maria Sylvia Op. 28 de Helza Camêu (1903 1995) Uma proposta metodológica de análise interpretativa

O livro de Maria Sylvia Op. 28 de Helza Camêu (1903 1995) Uma proposta metodológica de análise interpretativa Performa 09 Encontros de Investigação em Performance Universidade de Aveiro, Maio 2009 O livro de Maria Sylvia Op. 28 de Helza Camêu (1903 1995) Uma proposta metodológica de análise interpretativa Marcus

Leia mais