PROFESSORA: CAMILA PASQUAL DISCIPLINA : LITERATURA BRASILEIRA PARNASIANISMO (1882/89) ORIGEM - PARIS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROFESSORA: CAMILA PASQUAL DISCIPLINA : LITERATURA BRASILEIRA PARNASIANISMO (1882/89) ORIGEM - PARIS"

Transcrição

1 PROFESSORA: CAMILA PASQUAL DISCIPLINA : LITERATURA BRASILEIRA PARNASIANISMO (1882/89) ORIGEM - PARIS CONTEXTO HISTÓRICO Contemporâneo do Realismo, com ele mantendo afinidades estéticas. Restrito ao campo da poesia. Publicação, na França, de Le Parnasse Contemporain ( 3 números: ) antologia de poemas, com destaque para Téofile Gautier, Théodore de Banville e Leconte de Lisle- iniciadores do Parnasianismo. MARCO INCIAL: Fanfarras (1882)- livro de poemas de Teófilo Dias. CARACTERÍSTICAS 1) Arte pela arte: a arte tem por fim a beleza; descompromisso com outros objetivos. (Preocupa-se com a forma e a objetividade.) 2) Culto à forma ou Formalismo: busca da perfeição técnica; trabalho do artista como um artesanato, isto é, forma sobre o conteúdo. 3) Objetividade: recriação fiel da realidade. A poesia é apenas uma fotografia, nada de emoção. 4) Impassibilidade: não envolvimento emocional. 5) Descritivismo: forte tendência para a descrição, para o pictórico. (Pintura de vasos, estátuas e temas exóticos.) 6) Preferência pelo soneto: a preferência pelas formas poéticas fixas e regulares, como, por exemplo, o soneto, com esquemas métricos, rítmicos sofisticados e tradicionalistas. 7) O destaque ao erotismo e à sensualidade feminina: (a mulher vista como fêmea desejada). ESQUEMA DAS CARACTERÍSTICAS DA POESIA PARNASIANA: Busca da perfeição formal Vocabulário culto Gosto pelo soneto Rimas raras Gosto pelas descrições Objetivismo Universalismo Apego à tradição clássica Presença da mitologia Arte pela arte Racionalismo, contenção das emoções. PRINCIPAIS POETAS OLAVO BILAC Livro: Poesias (composto por: Panóplias, Via-Láctea, Sarças de Fogo, Alma Inquieta, As viagens, O Caçador de Esmeraldas, Tarde) Temas: lirismo amoroso (espiritualizado; sensual); assuntos do Classicismo grego-romano; temas patrióticos; em Tarde: reflexões sobre a vida. Estilo: apuro e correção de linguagem, precisão vocabular, habilidade versificatória, preferência pelo soneto. Poemas famosos: Profissão de fé, Nel mezzo del camin 1, O Caçador de Esmeraldas, "Ora (direis) ouvir estrelas!", A um poeta, Língua Portuguesa. 1 Famoso poema de Olavo Bilac que retoma o verso de abertura do livro Inferno, que é a primeira parte d A Divina Comédia, obra-prima do poeta italiano Dante Alighieri. No poema de Dante, esse trecho corresponde à uma metáfora do caminho que o protagonista do poema está para enfrentar e vencer, em busca de sua amada e de uma revelação divina. No poema de Bilac, percebe-se que é um eu-lírico masculino que lamenta a dor de separar-se de sua amada após longos anos juntos. Do ponto de vista formal, temos que o poema é construído em torno de paralelismos e quiasmos (figura de linguagem que repete os termos em versos diferentes, mas em ordem invertida).

2 RAIMUNDO CORREIA Livro: Poesias ( antologia dos livros anteriores: Sinfonias, Versos e versões, Aleluias, mais alguns poemas inéditos). Temática: a mulher, a natureza, o sentimento doloroso da vida, a lunaridade( lua). Estilo: linguagem cuidada, escolha precisa e expressiva de vocábulos, versatilidade rítmica, musicalidade, habilidade versificatória, gosto pelo soneto. Poemas famosos: A cavalgada, Plena nudez, Mal secreto, As pombas, Plenilúnio, Banzo. ALBERTO DE OLIVEIRA Livro: Meridionais, versos e Rimas. Temática: natureza, lirismo amoroso, descrição de objetos. Estilo: qualidade desigual, malabarismos verbais, artificialismo formal, preciosismo vocabular, habilidade descritiva. Poemas famosos: Vaso grego, Vaso chinês. OUTROS POETAS PARNASIANOS FRANCISCA JÚLIA: Obra principal: Esfinges. Rigorosa fidelidade aos princípios parnasianos. Impassibilidade, objetividade, descritivismo. Poemas famosos: Dança de Centauras, Os Argonautas. VICENTE DE CARVALHO: Livro: Poemas e Canções. É o poeta do mar. Poemas a natureza. Simplicidade da linguagem, musicalidade. Poemas Famosos: Cantigas praianas, O pequenino morto, Palavras ao mar. EMÍLIO DE MENEZES: Livro: Marcha fúnebre. Versatilidade técnico-formal. Também foi poeta satírico. QUESTÕES DE VESTIBULARES 1) CEFET-PR) E sobre mim, silenciosa e triste, A Via-Láctea se desenrola Como um jarro de lágrimas ardentes (Olavo Bilac) Sobre o fragmento poético não é correto afirmar: a) A Via-Láctea sofre um processo de personificação. b) A cena é descrita de modo objetivo, sem interferência da subjetividade do eu-poético. c) A opção pelos sintagmas desenrola e jarro de lágrimas ardente visa a presentificar o movimento dos astros. d) Há predomínio da linguagem figurada e descritiva. e) A visão de mundo melancólica do emissor da mensagem se projeta sobre o objeto poetizado. 2) (ENEM-2013) Mal secreto Se a cólera que espuma, a dor que mora N alma, e destrói cada ilusão que nasce, Tudo o que punge, tudo o que devora O coração, no rosto se estampasse; Se se pudesse, o espírito que chora, Ver através da máscara da face, Quanta gente, talvez, que inveja agora Nos causa, então piedade nos causasse! Quanta gente que ri, talvez, consigo Guarda um atroz, recôndito inimigo, Como invisível chaga cancerosa! Quanta gente que ri, talvez existe,

3 Cuja ventura única consiste Em parecer aos outros venturosa! CORREIA, R. In: PATRIOTA, M. Para compreender Raimundo Correia. Brasília: Alhambra, Coerente com a proposta parnasiana de cuidado formal e racionalidade na condução temática, o soneto de Raimundo Correia reflete sobre a forma como as emoções do indivíduo são julgadas em sociedade. Na concepção do eu lírico, esse julgamento revela que: a) a necessidade de ser socialmente aceito leva o indivíduo a agir de forma dissimulada. b) o sofrimento íntimo torna-se mais ameno quando compartilhado por um grupo social. c) a capacidade de perdoar e aceitar as diferenças neutraliza o sentimento de inveja. d) o instinto de solidariedade conduz o indivíduo a apiedar-se do próximo. e) a transfiguração da angústia em alegria é um artifício nocivo ao convívio social. 3) Os poetas representativos da escola parnasiana defendiam: a) O engajamento político nas causas históricas da época, fazendo delas matéria para uma poesia inflamada e eloquente. b) A ideia de que a livre inspiração é a garantia maior de que o poema corresponde à expressão direta das emoções mais profundas. c) A simplicidade da arte primitiva, razão pela qual buscavam os temas bucólicos e uma linguagem próxima da fala rústica dos camponeses. d) O abandono das formas fixas, criando, portanto, as condições para o posterior surgimento dos poemas em verso livre do Modernismo. e) A disciplina do artista e o trabalho artesanal com a linguagem, de modo a resultar uma obra adequada aos padrões de uma estética clássica. 4) O Arcadismo (no século XVIII) e o Parnasianismo (em fins do século XIX) apresentam, em sua caracterização, pontos em comum. São eles: a) bucolismo e busca da simplicidade de expressão. b) amor galante e temas pastoris. c) ausência de subjetividade e presença da temática e da mitologia greco-latina. d) preferência pelas formas poéticas fixas, como o soneto, e pelas rimas ricas. e) a arte pela arte e o retorno à natureza 5) Esta de áureos relevos, trabalhada De divas mãos, brilhantes copa, um dia, Já de aos deuses servir como cansada, Vinda do Olimpo, a um novo deus servia. A poesia que se concentra na reprodução de objeto decorativo, como exemplifica a estrofe de Alberto de Oliveira, assinala a tônica da: a) espiritualização da vida. b) visão do real. c) arte pela arte. d) moral das coisas. e) nota do intimismo. 6) (CEFET-PR) I- "Longe do estéril turbilhão da rua, Beneditino, escreve! No aconchego do claustro, na paciência e no sossego, Trabalha, e teima, e lima, e sofre, e sua!" II- "Ó Formas alvas, brancas, Formas claras De luares, de neves, de neblinas!... Ó Formas vagas, fluidas, cristalinas... Incensos dos turíbulos das aras... As estrofes acima são, respectivamente, dos poetas: a) Manuel Bandeira e Olavo Bilac. b) Vinícius de Moraes e Fagundes Varela. c) Olavo Bilac e Cruz e Sousa. d) Cruz e Sousa e Castro Alves. e) Castro Alves e Alphonsus de Guimaraens.

4 FRAGMENTO DE "PROFISSÃO DE FÉ"- OLAVO BILAC Invejo o ourives quando escrevo: Imito o amor Com que ele, em outro, o alto relevo Faz de uma flor. Imito-o. E, pois, nem de Carrara A pedra firo: O alvo cristal, a pedra rara, O ônix prefiro. Por isso, corre, por servir-me, Sobre o papel A pena, como em prata firme Corre o cinzel. Torce, aprimora, alteia, lima A frase: e, enfim, No verso de ouro engasta a rima, Como um rubim. Quero que a estrofe cristalina, Dobrada ao jeito Do ourives, saia da oficina Sem um defeito. Assim procedo. Minha pena Segue esta norma, Por te servir, Deusa, Serena, Serena Forma! A "Profissão de fé", de Olavo Bilac, constitui um manifesto da poesia parnasiana: é um poema metalinguístico sobre o processo de criação artística desse estilo.

5 GABARITO PROFESSORA: CAMILA PASQUAL DISCIPLINA : LITERATURA BRASILEIRA PARNASIANISMO (1882/89) ORIGEM - PARIS CONTEXTO HISTÓRICO Contemporâneo do Realismo, com ele mantendo afinidades estéticas. Restrito ao campo da poesia. Publicação, na França, de Le Parnasse Contemporain ( 3 números: ) antologia de poemas, com destaque para Téofile Gautier, Théodore de Banville e Leconte de Lisle- iniciadores do Parnasianismo. MARCO INCIAL: Fanfarras (1882)- livro de poemas de Teófilo Dias. CARACTERÍSTICAS 8) Arte pela arte: a arte tem por fim a beleza; descompromisso com outros objetivos. (Preocupa-se com a forma e a objetividade.) 9) Culto à forma ou Formalismo: busca da perfeição técnica; trabalho do artista como um artesanato, isto é, forma sobre o conteúdo. 10) Objetividade: recriação fiel da realidade. A poesia é apenas uma fotografia, nada de emoção. 11) Impassibilidade: não envolvimento emocional. 12) Descritivismo: forte tendência para a descrição, para o pictórico.(pintura de vasos, estátuas e temas exóticos.) 13) Preferência pelo soneto: a preferência pelas formas poéticas fixas e regulares, como, por exemplo, o soneto, com esquemas métricos, rítmicos sofisticados e tradicionalistas. 14) O destaque ao erotismo e à sensualidade feminina: ( a mulher vista como fêmea desejada). ESQUEMA DAS CARACTERÍSTICAS DA POESIA PARNASIANA: Busca da perfeição formal Vocabulário culto Gosto pelo soneto Rimas raras Gosto pelas descrições Objetivismo Universalismo Apego à tradição clássica Presença da mitologia Arte pela arte Racionalismo, contenção das emoções. PRINCIPAIS POETAS OLAVO BILAC Livro: Poesias (composto por: Panóplias, Via-Láctea, Sarças de Fogo, Alma Inquieta, As viagens, O Caçador de Esmeraldas, Tarde) Temas: lirismo amoroso (espiritualizado; sensual); assuntos do Classicismo grego-romano; temas patrióticos; em Tarde: reflexões sobre a vida. Estilo: apuro e correção de linguagem, precisão vocabular, habilidade versificatória, preferência pelo soneto. Poemas famosos: Profissão de fé, Nel mezzo del camin 2, O Caçador de Esmeraldas, "Ora (direis) ouvir estrelas!", A um poeta, Língua Portuguesa. 2 Famoso poema de Olavo Bilac que retoma o verso de abertura do livro Inferno, que é a primeira parte d A Divina Comédia, obra-prima do poeta italiano Dante Alighieri. No poema de Dante, esse trecho corresponde à uma metáfora do caminho que o protagonista do poema está para enfrentar e vencer, em busca de sua amada e de uma revelação divina. No poema de Bilac, percebe-se que é um eu-lírico masculino que lamenta a dor de separar-se de sua amada após longos anos juntos. Do ponto de vista formal, temos que o poema é construído em torno de paralelismos e quiasmos (figura de linguagem que repete os termos em versos diferentes, mas em ordem invertida).

6 RAIMUNDO CORREIA Livro: Poesias ( antologia dos livros anteriores: Sinfonias, Versos e versões, Aleluias, mais alguns poemas inéditos). Temática: a mulher, a natureza, o sentimento doloroso da vida, a lunaridade( lua). Estilo: linguagem cuidada, escolha precisa e expressiva de vocábulos, versatilidade rítmica, musicalidade, habilidade versificatória, gosto pelo soneto. Poemas famosos: A cavalgada, Plena nudez, Mal secreto, As pombas, Plenilúnio, Banzo. ALBERTO DE OLIVEIRA Livro: Meridionais, versos e Rimas. Temática: natureza, lirismo amoroso, descrição de objetos. Estilo: qualidade desigual, malabarismos verbais, artificialismo formal, preciosismo vocabular, habilidade descritiva. Poemas famosos: Vaso grego, Vaso chinês. OUTROS POETAS PARNASIANOS FRANCISCA JÚLIA: Obra principal: Esfinges. Rigorosa fidelidade aos princípios parnasianos. Impassibilidade, objetividade, descritivismo. Poemas famosos: Dança de Centauras, Os Argonautas. VICENTE DE CARVALHO: Livro: Poemas e Canções. É o poeta do mar. Poemas a natureza. Simplicidade da linguagem, musicalidade. Poemas Famosos: Cantigas praianas, O pequenino morto, Palavras ao mar. EMÍLIO DE MENEZES: Livro: Marcha fúnebre. Versatilidade técnico-formal. Também foi poeta satírico. QUESTÕES DE VESTIBULARES 1) CEFET-PR) E sobre mim, silenciosa e triste, A Via-Láctea se desenrola Como um jarro de lágrimas ardentes (Olavo Bilac) Sobre o fragmento poético não é correto afirmar: a) A Via-Láctea sofre um processo de personificação. b) A cena é descrita de modo objetivo, sem interferência da subjetividade do eu-poético. c) A opção pelos sintagmas desenrola e jarro de lágrimas ardente visa a presentificar o movimento dos astros. d) Há predomínio da linguagem figurada e descritiva. e) A visão de mundo melancólica do emissor da mensagem se projeta sobre o objeto poetizado. 2) (ENEM-2013) Mal secreto Se a cólera que espuma, a dor que mora N alma, e destrói cada ilusão que nasce, Tudo o que punge, tudo o que devora O coração, no rosto se estampasse; Se se pudesse, o espírito que chora, Ver através da máscara da face, Quanta gente, talvez, que inveja agora Nos causa, então piedade nos causasse! Quanta gente que ri, talvez, consigo Guarda um atroz, recôndito inimigo, Como invisível chaga cancerosa!

7 Quanta gente que ri, talvez existe, Cuja ventura única consiste Em parecer aos outros venturosa! CORREIA, R. In: PATRIOTA, M. Para compreender Raimundo Correia. Brasília: Alhambra, Coerente com a proposta parnasiana de cuidado formal e racionalidade na condução temática, o soneto de Raimundo Correia reflete sobre a forma como as emoções do indivíduo são julgadas em sociedade. Na concepção do eu lírico, esse julgamento revela que: a) a necessidade de ser socialmente aceito leva o indivíduo a agir de forma dissimulada. b) o sofrimento íntimo torna-se mais ameno quando compartilhado por um grupo social. c) a capacidade de perdoar e aceitar as diferenças neutraliza o sentimento de inveja. d) o instinto de solidariedade conduz o indivíduo a apiedar-se do próximo. e) a transfiguração da angústia em alegria é um artifício nocivo ao convívio social. 3) Os poetas representativos da escola parnasiana defendiam: a) O engajamento político nas causas históricas da época, fazendo delas matéria para uma poesia inflamada e eloquente. b) A ideia de que a livre inspiração é a garantia maior de que o poema corresponde à expressão direta das emoções mais profundas. c) A simplicidade da arte primitiva, razão pela qual buscavam os temas bucólicos e uma linguagem próxima da fala rústica dos camponeses. d) O abandono das formas fixas, criando, portanto, as condições para o posterior surgimento dos poemas em verso livre do Modernismo. e) A disciplina do artista e o trabalho artesanal com a linguagem, de modo a resultar uma obra adequada aos padrões de uma estética clássica. 4) O Arcadismo (no século XVIII) e o Parnasianismo (em fins do século XIX) apresentam, em sua caracterização, pontos em comum. São eles: a) bucolismo e busca da simplicidade de expressão. b) amor galante e temas pastoris. c) ausência de subjetividade e presença da temática e da mitologia greco-latina. d) preferência pelas formas poéticas fixas, como o soneto, e pelas rimas ricas. e) a arte pela arte e o retorno à natureza 5) Esta de áureos relevos, trabalhada De divas mãos, brilhantes copa, um dia, Já de aos deuses servir como cansada, Vinda do Olimpo, a um novo deus servia. A poesia que se concentra na reprodução de objeto decorativo, como exemplifica a estrofe de Alberto de Oliveira, assinala a tônica da: a) espiritualização da vida. b) visão do real. c) arte pela arte. d) moral das coisas. e) nota do intimismo. 6) (CEFET-PR) I- "Longe do estéril turbilhão da rua, Beneditino, escreve! No aconchego do claustro, na paciência e no sossego, Trabalha, e teima, e lima, e sofre, e sua!" II- "Ó Formas alvas, brancas, Formas claras De luares, de neves, de neblinas!... Ó Formas vagas, fluidas, cristalinas... Incensos dos turíbulos das aras... As estrofes acima são, respectivamente, dos poetas: a) Manuel Bandeira e Olavo Bilac. b) Vinícius de Moraes e Fagundes Varela.

8 c) Olavo Bilac e Cruz e Sousa. d) Cruz e Sousa e Castro Alves. e) Castro Alves e Alphonsus de Guimaraens. FRAGMENTO DE "PROFISSÃO DE FÉ"- OLAVO BILAC Invejo o ourives quando escrevo: Imito o amor Com que ele, em outro, o alto relevo Faz de uma flor. Imito-o. E, pois, nem de Carrara A pedra firo: O alvo cristal, a pedra rara, O ônix prefiro. Por isso, corre, por servir-me, Sobre o papel A pena, como em prata firme Corre o cinzel. Torce, aprimora, alteia, lima A frase: e, enfim, No verso de ouro engasta a rima, Como um rubim. Quero que a estrofe cristalina, Dobrada ao jeito Do ourives, saia da oficina Sem um defeito. Assim procedo. Minha pena Segue esta norma, Por te servir, Deusa, Serena, Serena Forma! A "Profissão de fé", de Olavo Bilac, constitui um manifesto da poesia parnasiana: é um poema metalinguístico sobre o processo de criação artística desse estilo.

O PARNASIANISMO. Por Carlos Daniel Santos Vieira

O PARNASIANISMO. Por Carlos Daniel Santos Vieira O PARNASIANISMO Por Carlos Daniel Santos Vieira CONTEXTO HISTÓRICO-CULTURAL Segunda metade do século XIX Progresso, ciência, revolução industrial Desapego à emoção CARACTERÍSTICAS Disciplina do bom gosto

Leia mais

AULA 17 LITERATURA PARNASIANISMO

AULA 17 LITERATURA PARNASIANISMO AULA 17 LITERATURA PROFª Edna Prado PARNASIANISMO I CARACTERÍSTICAS O Parnasianismo foi um movimento literário essencialmente poético, contemporâneo do Realismo-Naturalismo. É interessante destacar, que

Leia mais

Compreender a arte como saber cultural e estético gerador de significação e integrados da organização do mundo e da própria identidade.

Compreender a arte como saber cultural e estético gerador de significação e integrados da organização do mundo e da própria identidade. Literatura no Enem COMPETÊNCIA DE ÁREA 4 Compreender a arte como saber cultural e estético gerador de significação e integrados da organização do mundo e da própria identidade. COMPETÊNCIA DE ÁREA 5 Analisar,

Leia mais

Português. 1. Leia os seguintes poemas e faça o que se pede:

Português. 1. Leia os seguintes poemas e faça o que se pede: Português Leitura de texto 3 os anos Wilton fev/11 Nome: Nº: Turma: 1. Leia os seguintes poemas e faça o que se pede: Longe do estéril turbilhão da rua, Beneditino escreve! No aconchego Do claustro, na

Leia mais

A poesia defin de siécle: parnasianismo e simbolismo. Profa. Elisângela Lopes

A poesia defin de siécle: parnasianismo e simbolismo. Profa. Elisângela Lopes A poesia defin de siécle: parnasianismo e simbolismo Profa. Elisângela Lopes PARNASIANISMO Academias científicas: centros difusores das correntes científicas Academias de poetas: olhar racional sobre a

Leia mais

Fenômenos Linguísticos: Tipos de Discurso

Fenômenos Linguísticos: Tipos de Discurso Fenômenos Linguísticos: Tipos de Discurso Texto 1 No descomeço era o verbo. Só depois é que veio o delírio do verbo. O delírio do verbo estava no começo, lá onde a criança diz: Eu escuto a cor dos passarinhos

Leia mais

Planificação Anual. Disciplina de Português

Planificação Anual. Disciplina de Português Planificação Anual Disciplina de Português N.º e nome Módulo Horas Tempos (45 ) Conteúdos de cada módulo 1. Poesia trovadoresca - Contextualização histórico-literária - Espaços medievais, protagonistas

Leia mais

Parnasianismo (1880-1920) Profissão de Fé Assim procedo. Minha pena Segue esta norma, Por te servir, Deusa serena, Serena Forma!

Parnasianismo (1880-1920) Profissão de Fé Assim procedo. Minha pena Segue esta norma, Por te servir, Deusa serena, Serena Forma! Parnasianismo (1880-1920) Profissão de Fé Assim procedo. Minha pena Segue esta norma, Por te servir, Deusa serena, Serena Forma! (Olavo Bilac) Características: O Parnasianismo é a manifestação poética

Leia mais

Parnasianismo e Simbolismo

Parnasianismo e Simbolismo Parnasianismo e Simbolismo Parnasianismo séc. XIX Ocorre no Brasil e na França Principais características parnasianas: Retorno aos clássicos greco-latinos Culto à forma= forma perfeita da poesia Conceito

Leia mais

Correção Atividades. Língua Portuguesa DIREITO CONSTITUCIONAL

Correção Atividades. Língua Portuguesa DIREITO CONSTITUCIONAL Língua Portuguesa DIREITO CONSTITUCIONAL Prof. Pablo Alex L. Gomes Pablito Correção Atividades As Meninas Velazquez 01) Qual comportamento humano é representa, em forma de brincadeira, pela figura acima:

Leia mais

CEMAS - REVISTA ARCADISMO REVISTA CEMAS 1º ANO A

CEMAS - REVISTA ARCADISMO REVISTA CEMAS 1º ANO A ARCADISMO REVISTA CEMAS 1º ANO A 1 ARCADISMO O Arcadismo, também conhecido como Setecentismo ou Neoclassicismo, é o movimento que compreende a produção literária brasileira na segunda metade do século

Leia mais

PARNASIANISMO O PARNASIANISMO O Parnasianismo é um Movimento Literário essencialmente poético, contemporâneo do Realismo-Naturalismo. Um estilo de época que se desenvolveu na poesia a partir de 1850,

Leia mais

SMITH, D. Atlas da situação mundial. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 2007 (adaptado). (Foto: Reprodução/ENEM)

SMITH, D. Atlas da situação mundial. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 2007 (adaptado). (Foto: Reprodução/ENEM) História com prof. André Rosa 1. SMITH, D. Atlas da situação mundial. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 2007 (adaptado). (Foto: Reprodução/ENEM) Uma explicação de caráter histórico para o percentual da

Leia mais

Uma grande parte dos sonetos incluídos nesta

Uma grande parte dos sonetos incluídos nesta Amor & desamor Uma grande parte dos sonetos incluídos nesta edição foram garimpados criteriosamente pelo escritor Sergio Faraco, que os editou nos volumes Livro dos sonetos, Livro do corpo, Livro das cortesãs,

Leia mais

Matéria: Literatura Assunto: parnasianismo Prof. Ibirá costa

Matéria: Literatura Assunto: parnasianismo Prof. Ibirá costa Matéria: Literatura Assunto: parnasianismo Prof. Ibirá costa Literatura Parnasianismo (Séc. XIX) Movimento que nasceu em meados do séc. XIX, na França Anti-romântico O Realismo na poesia Universalismo

Leia mais

AULA 30.1 Conteúdo: O Parnasianismo e o Simbolismo no Amazonas. INTERATIVIDADE FINAL LÍNGUA PORTUGUESA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA

AULA 30.1 Conteúdo: O Parnasianismo e o Simbolismo no Amazonas. INTERATIVIDADE FINAL LÍNGUA PORTUGUESA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA 30.1 Conteúdo: O Parnasianismo e o Simbolismo no Amazonas. 2 29.2 Habilidade: Reconhecer e valorizar a literatura simbolista produzida no Amazonas. 3 REVISÃO Simbolismo no Brasil: contexto histórico. Simbolismo

Leia mais

ENSINO SECUNDÁRIO 10º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL

ENSINO SECUNDÁRIO 10º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL ENSINO SECUNDÁRIO Ano letivo 2015 / 2016 10º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL PLANIFICAÇÃO A MÉDIO E A LONGO PRAZO - PORTUGUÊS - 10º ANO MANUAL: SENTIDOS, ASA Período Domínios / Tópicos de Conteúdo Metas Curriculares

Leia mais

*O Amor é o principal tema de toda a lírica camoniana - como é n'os Lusiadas, uma das grandes linhas que movem, organizam e dão sentido ao universo,

*O Amor é o principal tema de toda a lírica camoniana - como é n'os Lusiadas, uma das grandes linhas que movem, organizam e dão sentido ao universo, * *O Amor é o principal tema de toda a lírica camoniana - como é n'os Lusiadas, uma das grandes linhas que movem, organizam e dão sentido ao universo, elevando os heróis à suprema dignidade de, através

Leia mais

Trovadorismo e Humanismo Literatura Portuguesa

Trovadorismo e Humanismo Literatura Portuguesa Trovadorismo e Humanismo Literatura Portuguesa Prof. Thiago Robson Aletro As Trovas Medievais Contexto histórico-cultural Idade Média (Séc XII) Feudalismo/vassalage m Nobreza Teocentrismo Cruzadas Galego-Português

Leia mais

Atividade extra. Fascículo 6 Linguagens Unidade 17 Barroco e romantismo Poesia de sentimentos. Linguagens, Códigos e suas Tecnologias

Atividade extra. Fascículo 6 Linguagens Unidade 17 Barroco e romantismo Poesia de sentimentos. Linguagens, Códigos e suas Tecnologias Atividade extra Fascículo 6 Linguagens Unidade 17 Barroco e romantismo Poesia de sentimentos Textos para os itens 1 e 2 I. Pálida, à luz da lâmpada sombria Sobre o leito de flores reclinada, como a lua

Leia mais

A Literatura no Ensino Médio

A Literatura no Ensino Médio A Literatura no Ensino Médio Ensino Médio no Brasil Um pouco de história 1-Período colonial e monárquico - formação das classes superiores 2-Primeira metade do século XX - preparação para o ensino superior

Leia mais

Aula 6 A lírica camoniana

Aula 6 A lírica camoniana Aula 6 A lírica camoniana Lírica Camoniana Poemas em medida velha: Poemas em medida nova: - Tradição popular medieval - Doce estilo novo -- Influência de Petrarca: soneto - Redondilha Menor: pentassílabo

Leia mais

POÉTICAS DO SÉCULO XIX

POÉTICAS DO SÉCULO XIX POÉTICAS DO SÉCULO XIX (3) Origens Precursor Edgar Allan Poe (1809-1849) Origens Charles Baudelaire (1821-1867) B RINDE Nada, esta espuma, virgem verso A não designar mais que a copa; Ao longe se afoga

Leia mais

SÉRIE/ANO: 2ª TURMA(S): A, B, C e D DISCIPLINA: Literatura IV BIMESTRE. Parnasianismo. 1. (FUND. UNIV. RIOGRANDE) Marque a afirmativa correta:

SÉRIE/ANO: 2ª TURMA(S): A, B, C e D DISCIPLINA: Literatura IV BIMESTRE. Parnasianismo. 1. (FUND. UNIV. RIOGRANDE) Marque a afirmativa correta: SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR SARGENTO NADER ALVES DOS SANTOS SÉRIE/ANO: 2ª TURMA(S):

Leia mais

ORIENTAÇÃO DE ESTUDOS

ORIENTAÇÃO DE ESTUDOS O texto a seguir refere-se às questões de 1 a 5. Mal secreto Raimundo Correia Se a cólera que espuma, a dor que mora N alma, e destrói cada ilusão que nasce, Tudo o que punge, tudo o que devora O coração,

Leia mais

Emília Amaral. Ricardo Silva Leite

Emília Amaral. Ricardo Silva Leite coleção Nov s P l vr s N O V A E D I Ç Ã O Nov s P l vr s Nov e ıç o 2 Ricardo Silva Leite Emília Amaral Mestre em Teoria Literária e doutora em Educação pela Unicamp, professora do Ensino Médio e Superior

Leia mais

(...) Eu canto em português errado. Acho que o imperfeito não participa do passado. Troco as pessoas. Troco os pronomes ( ).

(...) Eu canto em português errado. Acho que o imperfeito não participa do passado. Troco as pessoas. Troco os pronomes ( ). (...) Eu canto em português errado Acho que o imperfeito não participa do passado Troco as pessoas Troco os pronomes ( ). (Meninos e Meninas Legião Urbana) ALGUMAS ESCOLHAS LINGUÍSTICAS TORNAM O IDIOMA

Leia mais

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro;

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro; EIXO TEMÁTICO: 1 TEXTO LITERÁRIO E NÃO LITERÁRIO 1) Analisar o texto em todas as suas dimensões: semântica, sintática, lexical e sonora. 1. Diferenciar o texto literário do não-literário. 2. Diferenciar

Leia mais

GOIÂNIA, / / PROFESSOR: Daniel. Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações:

GOIÂNIA, / / PROFESSOR: Daniel. Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações: GOIÂNIA, / / 2016 PROFESSOR: Daniel DISCIPLINA: Literatura SÉRIE: 2 ano ALUNO(a): No Anhanguera você é + Enem Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações: - É fundamental

Leia mais

EXERCÍCIOS REVISIONAIS DE LÍNGUA PORTUGUESA 1 ANO EM Para o dia 16/03 (Valor 0,5) Mal secreto

EXERCÍCIOS REVISIONAIS DE LÍNGUA PORTUGUESA 1 ANO EM Para o dia 16/03 (Valor 0,5) Mal secreto Rio de Janeiro, 11/03/2016. EXERCÍCIOS REVISIONAIS DE LÍNGUA PORTUGUESA 1 ANO EM Para o dia 16/03 (Valor 0,5) O texto a seguir refere-se às questões de 1 a 5. Mal secreto Raimundo Correia Se a cólera que

Leia mais

Ensino Médio - Unidade Parque Atheneu Professor (a): Aluno (a): Série: 3ª Data: / / 2015. LISTA DE LITERATURA

Ensino Médio - Unidade Parque Atheneu Professor (a): Aluno (a): Série: 3ª Data: / / 2015. LISTA DE LITERATURA Ensino Médio - Unidade Parque Atheneu Professor (a): Aluno (a): Série: 3ª Data: / / 2015. LISTA DE LITERATURA Orientações: - A lista deverá ser respondida na própria folha impressa ou em folha de papel

Leia mais

Unidade: O Romantismo Inglês Poesia. Revisor Textual: Profª Dra. Magalí Elisabete Sparano

Unidade: O Romantismo Inglês Poesia. Revisor Textual: Profª Dra. Magalí Elisabete Sparano Unidade: O Romantismo Inglês Poesia Revisor Textual: Profª Dra. Magalí Elisabete Sparano Contextualização Histórica O período romântico inglês dura cerca de 40 anos e foi influenciado: Pela Revolução Francesa;

Leia mais

Tovadorismo. 2 - (UFPA - 2010) Das estrofes abaixo, a que apresenta traços da estética do Trovadorismo é:

Tovadorismo. 2 - (UFPA - 2010) Das estrofes abaixo, a que apresenta traços da estética do Trovadorismo é: Tovadorismo 1 - (PUC-Camp - 2011) A poesia medieval procurou enaltecer os valores e as virtures do cavaleiro. Nessa poesia, o amor cortês, referido no texto, pressupunha uma concepção mítica do amor, que

Leia mais

Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução deste livro com fins comerciais sem prévia autorização do autor

Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução deste livro com fins comerciais sem prévia autorização do autor CAPA, DIAGRAMAÇÃO e ILUSTRAÇÃO Reginaldo Paz Mulheres Maravilhosas PAZ, Reginaldo 1ª Edição 2015 ISBN: 978-85-919101-6-8 Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução deste livro com fins comerciais

Leia mais

EJA 5ª FASE PROF.ª GABRIELA DACIO PROF.ª LUCIA SANTOS

EJA 5ª FASE PROF.ª GABRIELA DACIO PROF.ª LUCIA SANTOS EJA 5ª FASE PROF.ª GABRIELA DACIO PROF.ª LUCIA SANTOS ARTES CONTEÚDOS E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA Unidade I Tecnologia - Corpo, movimento e linguagem na

Leia mais

Pré Exame Literatura

Pré Exame Literatura Pré Exame Literatura Romantismo Macedo Álvares de Azevedo Gonçalves Dias Alencar Castro Alves Manuel Antônio de Almeida Romantismo Características Subjetivismo Sentimentalismo Culto à natureza Escapismo

Leia mais

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro;

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro; EIXO TEMÁTICO: 1 TEXTO LITERÁRIO E NÃO LITERÁRIO 1) Analisar o texto em todas as suas dimensões: semântica, sintática, lexical e sonora. 1. Diferenciar o texto literário do não-literário. 2. Diferenciar

Leia mais

Portuguesa. divulgação. Língua. Comparativos curriculares. Material de

Portuguesa. divulgação. Língua. Comparativos curriculares. Material de Comparativos curriculares SM Língua Portuguesa Material de divulgação de Edições SM A Língua Portuguesa e o currículo do Estado de Minas Gerais Apresentação Professor, Devido à inexistência de um currículo

Leia mais

A um poeta Olavo Bilac

A um poeta Olavo Bilac A um poeta Olavo Bilac Longe do estéril turbilhão da rua, Beneditino, escreve! No aconchego Do claustro, na paciência e no sossego, Trabalha, e teima, e lima, e sofre, e sua! Mas que na forma se disfarce

Leia mais

Planificação anual Português 6º ano

Planificação anual Português 6º ano Planificação anual Português 6º ano Unidades / Textos Unidade 0 Leitura 1.º período Domínios / Conteúdos Nº de aulas previstas Começar de novo Apresentação Texto não literário Texto narrativo. 65 Avaliação

Leia mais

Figuras de Linguagem

Figuras de Linguagem Figuras de Linguagem FIGURAS DE LINGUAGEM são recursos que tornam mais expressivas as mensagens. Subdividem-se em figuras de som, figuras de construção, figuras de pensamento e figuras de palavras. FIGURAS

Leia mais

PLANO DE AULA. Série: Séries finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio Data: 01/02/2011 Professor(a): Leandro Freitas Menezes Duração: 20 min.

PLANO DE AULA. Série: Séries finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio Data: 01/02/2011 Professor(a): Leandro Freitas Menezes Duração: 20 min. PLANO DE AULA 1-IDENTIFICAÇÃO Série: Séries finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio Data: 01/02/2011 Professor(a): Leandro Freitas Menezes Duração: 20 min. 2-CONTEÚDO(S) ESPECÍFICO(S) DA AULA Poesia

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 63/2002

RESOLUÇÃO Nº 63/2002 RESOLUÇÃO Nº 63/2002 Estabelece a relação de obras literárias do Processo Seletivo da UFES para ingresso nos cursos de graduação nos anos letivos de 2004, 2005 e 2006. O DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO

Leia mais

NOTA: Leia com muita atenção os textos a seguir: Texto 1 Todas as cartas de amor são. Ridículas. Não seriam de amor se não fossem. Ridículas.

NOTA: Leia com muita atenção os textos a seguir: Texto 1 Todas as cartas de amor são. Ridículas. Não seriam de amor se não fossem. Ridículas. GOIÂNIA, / / 2015 PROFESSOR: Daniel DISCIPLINA: LITERATURA SÉRIE: 1º ANO ALUNO (a): NOTA: No Anhanguera você é + Enem LISTA DE EXERCÍCIOS - P1 3º BIMESTRE Leia com muita atenção os textos a seguir: Texto

Leia mais

LITERATURA PROFª Ma. DINA RIOS

LITERATURA PROFª Ma. DINA RIOS OS GÊNEROS LITERÁRIOS LITERATURA PROFª Ma. DINA RIOS OS GÊNEROS LITERÁRIOS Conceito; Origem; Classificação. OS GÊNEROS LITERÁRIOS GÊNERO ÉPICO OU NARRATIVO; LÍRICO OU POÉTICO; DRAMÁTICO OU TEATRAL. O GÊNERO

Leia mais

Desde sempre presente na nossa literatura, cantado por trovadores e poetas, é com Camões que o Amor é celebrado em todo o seu esplendor.

Desde sempre presente na nossa literatura, cantado por trovadores e poetas, é com Camões que o Amor é celebrado em todo o seu esplendor. Desde sempre presente na nossa literatura, cantado por trovadores e poetas, é com Camões que o Amor é celebrado em todo o seu esplendor. O Poeta canta o amor platónico, a saudade, o destino e a beleza

Leia mais

ミ Trabalho de Literatura 彡. Tema: Classicismo e Humanismo.

ミ Trabalho de Literatura 彡. Tema: Classicismo e Humanismo. ミ Trabalho de Literatura 彡 Tema: Classicismo e Humanismo. Movimento cultural que se desenvolveu na Europa ao longo dos séculos XV e XVI, com reflexos nas artes, nas ciências e em outros ramos da atividade

Leia mais

Análise de discursos textuais: questões

Análise de discursos textuais: questões Análise de discursos textuais: questões Com base no texto a seguir, responda às questões (1) e (2): Os Poemas Os poemas são pássaros que chegam não se sabe de onde e pousam no livro que lês. Quando fechas

Leia mais

Ludwig Van Beethoven. Obra: 5ª sinfonia em Dó Menor Primeiro Movimento

Ludwig Van Beethoven. Obra: 5ª sinfonia em Dó Menor Primeiro Movimento Ludwig Van Beethoven Obra: 5ª sinfonia em Dó Menor Primeiro Movimento O Período Romântico Visão de mundo contrária ao racionalismo. Sentimento acima do pensamento. Visão de mundo centrada no indivíduo.

Leia mais

2013/2014 CONTEÚDOS TEMÁTICOS CONTEÚDOS GRAMATICAIS CALENDARIZAÇÃO

2013/2014 CONTEÚDOS TEMÁTICOS CONTEÚDOS GRAMATICAIS CALENDARIZAÇÃO Escolas João de Araújo Correia EB 2.3PESO DA RÉGUA Disciplina de Português 5º Ano Ano Letivo 2013/2014 CONTEÚDOS TEMÁTICOS CONTEÚDOS GRAMATICAIS CALENDARIZAÇÃO UNIDADE 0 UM, DOIS, TRÊS COMEÇAR! UNIDADE

Leia mais

LITERATURA. Prof.: Grijó

LITERATURA. Prof.: Grijó LITERATURA Prof.: Grijó BARROCO No Brasil, século XVII, Bahia. Subjetividade / Lirismo amoroso (mulher é anjo e demônio / dualidade) Antítese (jogo de contrastes) Linguagem rebuscada Uso de hipérbatos

Leia mais

2014/ º Período Unidades. Domínios / Conteúdos. Unidade 3 Narrativas juvenis. Unidade 0 Uma nova viagem

2014/ º Período Unidades. Domínios / Conteúdos. Unidade 3 Narrativas juvenis. Unidade 0 Uma nova viagem Agrupamento de Escolas Gonçalo Sampaio Escola E.B. 2, 3 professor Gonçalo Sampaio Departamento de línguas Português - 8ºano Planificação anual simplificada 2014/2015 1º Período Unidade 0 Uma nova viagem

Leia mais

Prof. Leonardo Rodrigues Ceres, 18 de out. de 2008

Prof. Leonardo Rodrigues Ceres, 18 de out. de 2008 Prof. Leonardo Rodrigues Ceres, 18 de out. de 2008 Olavo Bilac (1865-1918) nasceu no Rio de Janeiro, estudou Medicina e Direito, mas não concluiu nenhum desses cursos. Exerceu as atividades de jornalista

Leia mais

Síntese da Planificação da Disciplina de Língua Portuguesa 6 º Ano

Síntese da Planificação da Disciplina de Língua Portuguesa 6 º Ano Síntese da Planificação da Disciplina de Língua Portuguesa 6 º Ano Período Dias de aulas previstos 2.ª 3.ª 4.ª 5.ª 6.ª 1.º período 13 12 12 12 14 2.º período 10 11 11 12 12 3.º período 8 8 8 8 9 (As Aulas

Leia mais

Exercícios Questões Inéditas Modelo ENEM

Exercícios Questões Inéditas Modelo ENEM Exercícios Questões Inéditas Modelo ENEM 1. Apenas mais uma de amor - Lulu Santos Eu gosto tanto de você Que até prefiro esconder Deixo assim ficar Subentendido Como uma ideia que existe na cabeça E não

Leia mais

Sugestões de atividades. Unidade 8 Literatura PORTUGUÊS

Sugestões de atividades. Unidade 8 Literatura PORTUGUÊS Sugestões de atividades Unidade 8 Literatura 9 PORTUGUÊS 1 Português Poesia: Não-coisa O que o poeta quer dizer no discurso não cabe e se o diz é pra saber o que ainda não sabe. Uma fruta uma flor um odor

Leia mais

REDAÇÃO LINGUAGEM VERBAL E NÃO VERBAL FUNÇÕES DA LINGUAGEM PROFª ISABEL LIMA

REDAÇÃO LINGUAGEM VERBAL E NÃO VERBAL FUNÇÕES DA LINGUAGEM PROFª ISABEL LIMA REDAÇÃO LINGUAGEM VERBAL E NÃO VERBAL FUNÇÕES DA LINGUAGEM PROFª ISABEL LIMA LINGUAGEM VERBAL E NÃO VERBAL Linguagem verbal faz uso das palavras, escritas ou faladas. Linguagem não verbal inclue algumas

Leia mais

Pela beleza que há no amor e na pureza da inspiração que não morre, e que adormece dentro de cada um, despertada no som do silêncio.

Pela beleza que há no amor e na pureza da inspiração que não morre, e que adormece dentro de cada um, despertada no som do silêncio. Pela beleza que há no amor e na pureza da inspiração que não morre, e que adormece dentro de cada um, despertada no som do silêncio. Que esta passagem por aqui seja alicerçada na harmonia da afeição natural

Leia mais

Equipe de Língua Portuguesa. Língua Portuguesa SÍNTESE DA GRAMÁTICA

Equipe de Língua Portuguesa. Língua Portuguesa SÍNTESE DA GRAMÁTICA Aluno (a): Série: 3ª TUTORIAL 3B Ensino Médio Data: Turma: Equipe de Língua Portuguesa Língua Portuguesa SÍNTESE DA GRAMÁTICA TERMOS INTEGRANTES = completam o sentido de determinados verbos e nomes. São

Leia mais

Filosofia da Arte. Unidade II O Universo das artes

Filosofia da Arte. Unidade II O Universo das artes Filosofia da Arte Unidade II O Universo das artes FILOSOFIA DA ARTE Campo da Filosofia que reflete e permite a compreensão do mundo pelo seu aspecto sensível. Possibilita compreender a apreensão da realidade

Leia mais

Interpretação de Textos a Partir de Análises Isoladas

Interpretação de Textos a Partir de Análises Isoladas Interpretação de Textos a Partir de Análises Isoladas Análise Estética (formal) Análise Estilística (figuras de linguagem) Análise Gramatical (morfossintática) Análise Semântica (de significado) Análise

Leia mais

Especulações sobre o amor

Especulações sobre o amor Especulações sobre o amor Janete Luiz Dócolas, Psicanalista O amor é um mistério que há muito tempo, talvez desde que fora percebido, os homens vem tentando compreender, descrever ou ao menos achar um

Leia mais

AULA 1.2 Conteúdo: Figuras de linguagem. Versificação Gêneros contemporâneos INTERATIVIDADE FINAL LÍNGUA PORTUGUESA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA

AULA 1.2 Conteúdo: Figuras de linguagem. Versificação Gêneros contemporâneos INTERATIVIDADE FINAL LÍNGUA PORTUGUESA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA 1.2 Conteúdo: Figuras de linguagem. Versificação Gêneros contemporâneos 1.2 Habilidade: Distinguir e utilizar a linguagem conotativa através das figuras de linguagem de som e de construção de forma textualizada.

Leia mais

Português 2º ano João J. Folhetim

Português 2º ano João J. Folhetim Português 2º ano João J. Folhetim Romantismo: Cultura e Estética Burguesa Individualismo Liberalismo Culto ao Novo Cristianismo Materialismo Subjetivismo Liberdade de Expressão Imaginação Criadora Espírito

Leia mais

Prova Escrita de Literatura Portuguesa

Prova Escrita de Literatura Portuguesa Exame Nacional do Ensino Secundário Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Prova Escrita de Literatura Portuguesa 10.º e 11.º Anos de Escolaridade Prova 734/2.ª Fase 7 Páginas Duração da Prova: 120 minutos.

Leia mais

GÊNEROS LITERÁRIOS. Dramático, Épico, Narrativo e Lírico

GÊNEROS LITERÁRIOS. Dramático, Épico, Narrativo e Lírico GÊNEROS LITERÁRIOS Dramático, Épico, Narrativo e Lírico O QUE SÃO GÊNEROS LITERÁRIOS? Designam as famílias de obras literárias dotadas de características iguais ou semelhantes. Porém, os gêneros não são

Leia mais

Há quatro GÊNEROS principais e clássicos e mais um gênero moderno (a partir do séc. XIX); são eles:

Há quatro GÊNEROS principais e clássicos e mais um gênero moderno (a partir do séc. XIX); são eles: Gêneros Literários Há quatro GÊNEROS principais e clássicos e mais um gênero moderno (a partir do séc. XIX); são eles: Gênero épico (fatos heroicos) Guerras, batalhas e grandes feitos 3ª pessoa; Expressa

Leia mais

José Francisco da Rocha

José Francisco da Rocha Saudação a Poesia Biografia José Francisco da Rocha, nasceu no dia 04 de janeiro de 1932 em Cedro de São João SE. Filho de José Francisco da Rocha e Antônia Maria de Santana. Casado com Carmelita Souza

Leia mais

9 Referências bibliográficas

9 Referências bibliográficas 9 Referências bibliográficas ANDRADE, Carlos Drummond de. Poesia Completa, Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2002.. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1982.. Carta a Alphonsus de Guimaraens, em 03

Leia mais

Um olhar para o Poema PCNP LP Aline Cristina do Prado PCNP LP Cristiane Aparecida Nunes

Um olhar para o Poema PCNP LP Aline Cristina do Prado PCNP LP Cristiane Aparecida Nunes Um olhar para o Poema PCNP LP Aline Cristina do Prado PCNP LP Cristiane Aparecida Nunes 16 de outubro de 2013 Dimensões discursivas, textuais e linguísticas do poema: um caminho para orientar a reescrita

Leia mais

Entre Margens, 12.º ano. Fernando Pessoa. Ortónimo e heterónimos

Entre Margens, 12.º ano. Fernando Pessoa. Ortónimo e heterónimos Fernando Pessoa Ortónimo e heterónimos Motivos poéticos Fernando Pessoa. tensão sinceridade/fingimento, consciência/inconsciência, sentir/pensar;. intelectualização das emoções;. fingimento artístico;.

Leia mais

Ricardo Reis (Fernando Pessoa)

Ricardo Reis (Fernando Pessoa) Tema: Ricardo Reis (Fernando Pessoa) Trabalho realizado por: Eduardo, Hugo, Miguel Albino, Ricardo, Rui IMSI-16 04/07/2014 Tema: Ricardo Reis, o poeta epicurista, é um dos mais conhecidos heterónimos de

Leia mais

TROVADORISMO. Colégio Portinari Professora Anna Frascolla 2010

TROVADORISMO. Colégio Portinari Professora Anna Frascolla 2010 TROVADORISMO Colégio Portinari Professora Anna Frascolla 2010 Em meados do século XII, Portugal se constitui como um estado independente = início de sua história literária. http://lh6.google.com/c.alberto.vaz

Leia mais

Prof. Eloy Gustavo. Aula 2 Trovadorismo

Prof. Eloy Gustavo. Aula 2 Trovadorismo Aula 2 Trovadorismo Escolas Literárias História da Literatura Um sistema de tendências artísticas, em vigor, na maioria das obras produzidas, numa determinada época histórica. Periodologia da Literatura

Leia mais

COLÉGIO PEDRO II MEC Exame de Seleção e Classificação 1ª Série do Ensino Médio Integrado Técnico em Instrumento Musical 2014

COLÉGIO PEDRO II MEC Exame de Seleção e Classificação 1ª Série do Ensino Médio Integrado Técnico em Instrumento Musical 2014 COLÉGIO PEDRO II MEC Exame de Seleção e Classificação 1ª Série do Ensino Médio Integrado Técnico em Instrumento Musical 2014 Texto I MÚSICA E POESIA Luciano Cavalcanti 10 1 A relação entre música e poesia

Leia mais

O ROMANTISMO. O Romantismo é um movimento surgido na Europa e, a partir dela, no Brasil, no fim do

O ROMANTISMO. O Romantismo é um movimento surgido na Europa e, a partir dela, no Brasil, no fim do ROMANTISMO O ROMANTISMO O Romantismo é um movimento surgido na Europa e, a partir dela, no Brasil, no fim do século XVIII. Perdura até meados do século XIX. Opunhase ao classicismo, ao racionalismo e Iluminismo.

Leia mais

António Gedeão. Relógio D'Água. Notas Introdutórias de Natália Nunes. A 383134 Obra Completa

António Gedeão. Relógio D'Água. Notas Introdutórias de Natália Nunes. A 383134 Obra Completa António Gedeão A 383134 Obra Completa Notas Introdutórias de Natália Nunes Relógio D'Água ÍNDICE Notas Introdutórias de Natália Nunes 19 Poesia POESIAS COMPLETAS (1956-1967) A Poesia de António Gedeão

Leia mais

Professora: Adriana Maria de Sousa Espinhara Santa Cruz EMEF Brisa Nunes Braz Monteiro - PB

Professora: Adriana Maria de Sousa Espinhara Santa Cruz EMEF Brisa Nunes Braz Monteiro - PB PROJETO VIVENDO A IMAGINAÇÃO Professora: Adriana Maria de Sousa Espinhara Santa Cruz EMEF Brisa Nunes Braz Monteiro - PB MONTEIRO Localizada no Cariri Ocidental Paraibano; Área 986,370 km² População 30.844

Leia mais

Alguns Poetrix de TecaMiranda:

Alguns Poetrix de TecaMiranda: POETRIX A palavra Poetrix (neologismo criado a partir de poe, poesia e trix, três) surge pela primeira vez no idioma português no Manifesto Poetrix, publicado no livro TRIX Poemetos Tropi-kais, de Goulart

Leia mais

O primeiro suspiro de um poeta insano!

O primeiro suspiro de um poeta insano! 1 O primeiro suspiro de um poeta insano! 2012 2 O primeiro suspiro de um poeta insano Jonas Martins 1ª.Edição..Poesia Todos os direitos reservados ao autor A reprodução total ou parcial desta obra só é

Leia mais

REVISTA ACADÊMICA DA FACULDADE FERNÃO DIAS

REVISTA ACADÊMICA DA FACULDADE FERNÃO DIAS COLETÂNEA DE POESIAS: SER CRIANÇA, SONHAR, SER PROFESSOR, LEMBRANÇAS Maria Cecília Ribeiro Santana (FAFE) * É poder brincar livremente Escolher as brincadeiras E estar sempre contente. É ser feliz Da pontinha

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 1º EM Literatura Klaus Av. Dissertativa 21/09/16 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 1. Verifique, no cabeçalho desta prova, se seu nome, número e turma estão corretos. 2. Esta

Leia mais

1 a QUESTÃO: (2,0 pontos) Avaliador Revisor

1 a QUESTÃO: (2,0 pontos) Avaliador Revisor LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA BRASILEIRA - Grupos D, E, F e G - Gabarito INSTRUÇÕES Ao responder às questões é indispensável: inter-relacionar idéias e argumentos; expressar-se com vocabulário apropriado

Leia mais

NOÇÃO DE TEXTO E ELEMENTOS TEXTUAIS. Professor Marlos Pires Gonçalves

NOÇÃO DE TEXTO E ELEMENTOS TEXTUAIS. Professor Marlos Pires Gonçalves NOÇÃO DE TEXTO E ELEMENTOS TEXTUAIS Professor Marlos Pires Gonçalves 1 TEORIA DA COMUNICAÇÃO Toda mensagem tem uma finalidade: ela pode servir para transmitir um conteúdo intelectual, exprimir (ou ocultar)

Leia mais

CONCREGAÇÃO DAS IRMÃS MISSIONÁRIAS DA IMACULADA CONCEIÇÃO COLÉGIO SANTA CLARA PROJETO: SARAU DE POESIA

CONCREGAÇÃO DAS IRMÃS MISSIONÁRIAS DA IMACULADA CONCEIÇÃO COLÉGIO SANTA CLARA PROJETO: SARAU DE POESIA CONCREGAÇÃO DAS IRMÃS MISSIONÁRIAS DA IMACULADA CONCEIÇÃO COLÉGIO SANTA CLARA PROJETO: SARAU DE POESIA SANTARÉM-PARÁ 2010 I- IDENTIFICAÇÃO: COLÉGIO SANTA CLARA DIRETORA: Irmã Gizele Maria Pereira Marinho

Leia mais

Simbolismo: a linguagem da músicam

Simbolismo: a linguagem da músicam Simbolismo: a linguagem da músicam Insatisfeitos com a onda de cientificismo e materialismo a que esteve submetida a sociedade industrial européia na segunda metade do século XIX, os simbolistas representam

Leia mais

Vanguarda europeia Modernismo português

Vanguarda europeia Modernismo português Vanguarda europeia Modernismo português A Semana de Arte Moderna, realizada em São Paulo no ano de 1922, representou um marco no movimento modernista, mas não foi um acontecimento único nem isolado. O

Leia mais

22/08/2014. Tema 7: Ética e Filosofia. O Conceito de Ética. Profa. Ma. Mariciane Mores Nunes

22/08/2014. Tema 7: Ética e Filosofia. O Conceito de Ética. Profa. Ma. Mariciane Mores Nunes Tema 7: Ética e Filosofia Profa. Ma. Mariciane Mores Nunes O Conceito de Ética Ética: do grego ethikos. Significa comportamento. Investiga os sistemas morais. Busca fundamentar a moral. Quer explicitar

Leia mais

RESOLUÇÃO DE QUESTÕES DO ENEM PROFESSOR DANILO BORGES 9º ANO ENSINO FUNDAMENTAL II

RESOLUÇÃO DE QUESTÕES DO ENEM PROFESSOR DANILO BORGES 9º ANO ENSINO FUNDAMENTAL II RESOLUÇÃO DE QUESTÕES DO ENEM PROFESSOR DANILO BORGES 9º ANO ENSINO FUNDAMENTAL II ENEM QUESTÃO 2010 Quando Édipo nasceu, seus pais, Laio e Jocasta, os reis de Tebas, foram informados de uma profecia na

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO 1

PROJETO PEDAGÓGICO 1 PROJETO PEDAGÓGICO 1 Projeto Pedagógico Por Beatriz Tavares de Souza* Título: Maricota ri e chora Autor: Mariza Lima Gonçalves Ilustrações: Andréia Resende Formato: 20,5 cm x 22 cm Número de páginas: 32

Leia mais

Avaliação Português 6º ano Unidade 7

Avaliação Português 6º ano Unidade 7 I. Leia este trecho de um poema de Manuel Bandeira, poeta pernambucano. Em seguida, responda ao que se pede. Trem de ferro Café com pão Café com pão Café com pão Virge Maria que foi isso maquinista? Agora

Leia mais

Aluno (a): n o. Professora: Turma: Sala: Colégio Cenecista Dr. José Ferreira

Aluno (a): n o. Professora: Turma: Sala: Colégio Cenecista Dr. José Ferreira Aluno (a): n o Professora: Turma: Sala: 2 o ano do Ensino Fundamental Colégio Cenecista Dr. José Ferreira 2015 1 Para você, o que é o poema? VERSOS E ESTROFES Poema é um texto organizado em versos e estrofes.

Leia mais

Semana 4 Sexta Feira L.E. Períodos Literários. O Trovadorismo

Semana 4 Sexta Feira L.E. Períodos Literários. O Trovadorismo L.E. Semana 4 Sexta Feira Períodos Literários O Trovadorismo Idade média O sistema feudal Teocentrismo Língua portuguesa arcaica O Trovador Um poeta itinerante Artista de origem nobre Recitava sua poesia

Leia mais

Aos Poetas. Que vem trazer esperança a um povo tristonho, Fazendo os acreditar que ainda existem os sonhos.

Aos Poetas. Que vem trazer esperança a um povo tristonho, Fazendo os acreditar que ainda existem os sonhos. Aos Poetas Venho prestar homenagem a uma grande nação, Que são os nossos poetas que escrevem com dedicação, Os poemas mais lindos e que por todos são bemvindos, Que vem trazer esperança a um povo tristonho,

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO ANUAL DE LITERATURA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO ANUAL DE LITERATURA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO ANUAL DE LITERATURA - 2016 Nome: Nº 1ª Série Professores : Danilo / Fernando / Nicolas Nota: I Introdução Caro aluno, Neste ano, você obteve média inferior a 6,0 e, portanto, não

Leia mais

Literatura 1º ano João J. Classicismo

Literatura 1º ano João J. Classicismo Literatura 1º ano João J. Classicismo LITERATURA 1º ANO Tema: CLASSICISMO O Classicismo, terceiro grande movimento literário da língua portuguesa, marca o início a chamada Era Clássica da Literatura. A

Leia mais

Arcadismo e Neoclassicismo

Arcadismo e Neoclassicismo Arcadismo e Neoclassicismo Origem do nome Recupera as características do classicismo porém em outra época = neoclassicismo Arcadismo = região da Grécia (Arcádia), região do Peloponeso, onde fica o Monte

Leia mais

Poemas de um Fantasma. Fantasma Souza

Poemas de um Fantasma. Fantasma Souza 1 2 3 Poemas de um Fantasma Fantasma Souza 2012 4 5 Fantasma Souza Todos os Direitos Reservados TITULO ORIGINAL POEMAS DE UM FANTASMA Projeto Gráfico Midiartes Capa Erisvaldo Correia Edição e Comercialização

Leia mais

GRAU DOS ADJETIVOS Para expressar as variações de intensidade, o adjetivo apresenta-se em dois graus: comparativo e superlativo.

GRAU DOS ADJETIVOS Para expressar as variações de intensidade, o adjetivo apresenta-se em dois graus: comparativo e superlativo. GRAU DOS ADJETIVOS Para expressar as variações de intensidade, o adjetivo apresenta-se em dois graus: comparativo e superlativo. 1. Grau comparativo O grau comparativo estabelece uma comparação entre dois

Leia mais