Programa de Matemática - II Ciclo CONTEÚDOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Programa de Matemática - II Ciclo CONTEÚDOS"

Transcrição

1 3 a CLASSE 305

2 306

3 PROGRAMA DE MA DA 3ª CLASSE I Os Númros Naturais até 1000 Lr scrvr os númros naturais até 100; Dcompor os númros naturais até 100 m unidads, dznas cntnas; Escrvr os númros naturais até 100 na tabla d posição; Ordnar os númros naturais até 100; Comparar os númros naturais até 100, usando os símbolos d comparação; 1. Rvisão dos númros naturais até 100 Litura scrita d númros naturais até 100 Dcomposição d númros naturais até 100 m unidads, dznas cntnas Rprsntação dos númros naturais, no limit 100, na tabla d posição Ordnação dos númros naturais até 100 Comparação dos númros naturais no limit 100, usando os símbolos da comparação ( >, < = ) Lê scrv os númros naturais até 100; Dcompõ os númros naturais até 100 m unidads, dznas cntnas; Escrv os númros naturais até 100 na tabla d posição; Ordna os númros naturais até 100; Compara os númros naturais até 100, usando os símbolos d comparação; para scolas d 3 turnos para scolas d 2 turnos

4 308 I Os Númros Naturais até 1000 (cont.) Lr scrvr os númros naturais até 1000; Dcompor os númros naturais até 1000 m unidads, dznas, cntnas milhars; Escrvr os númros naturais até 1000 na tabla d posição; Ordnar os númros naturais até 1000; Comparar os númros naturais até 1000, usando os símbolos d comparação. Lr scrvr os númros ordinais até 20; 2. Os númros naturais até 1000 Litura scrita d númros naturais até 1000 Dcomposição d númros naturais até 1000 m unidads, dznas, cntnas milhars Rprsntação dos númros naturais no limit 1000 na tabla d posição Ordnação dos númros naturais até 1000 Comparação dos númros naturais no limit 1000, usando os símbolos d comparação ( >, < = ) 3. Os númros ordinais até 20 Litura scrita d númros ordinais até 20 Lê scrv os númros naturais até 1000; Dcompõ os númros naturais até 1000 m unidads, dznas, cntnas milhars; Escrv corrctamnt os númros naturais até 1000 na tabla d posição; Ordna os númros naturais até 1000; Compara os númros naturais até 1000, usando os símbolos d comparação; Lê scrv os númros ordinais até 20; Classifica pssoas ou mmbros da sua família por idads; do mais vlho ao mais novo ou vic-vrsa; Ordna pssoas ou mmbros da sua família por idads, do mais vlho ao mais novo ou vic-vrsa; Classifica pssoas, sgundo o lugar qu ocupam, por xmplo, numa fila, numa comptição, na chfia, tc.; Dtrminar o múltiplo d um númro; 4. Os múltiplos d um númro Noção d mútiplo Dtrmina os múltiplos d um númro dado, multiplicando ss númro pla squência d númros naturais;

5 Dtrminar os múltiplos d 2,3,4,5 10; Os múltiplos d 2,3,4,5 10 Dtrmina corrctamnt múltiplos d 2, 3, 4, 5 10 até 100 idntifica os númros pars ímpars; Idntifica com sgurança múltiplos d um númro; 309 II Espaço Forma Idntificar a localização d pssoas, objctos ou lugars; Dscrvr a localização d pssoas, objctos ou lugars; Idntificar a posição horizontal vrtical d rctas objctos; Idntificar rctas sgmntos parallos prpndiculars; 1. Gomtria Situar orintar Posição horizontal vrtical d rctas objctos 2. Rctas sgmntos Rctas sgmntos parallos prpndiculars Situa objctos ou pssoas m rlação a si próprio; Establc rlaçõs ntr objctos,objcto-pssoa, objcto- lugar pssoa-lugar; Localiza lugars, objctos pssoas, a partir da sua dscrição; Idntifica lugars, objctos pssoas, a partir da sua dscrição; Idntifica suprfícis planas curvas, horizontais vrticais; Distingu a posição horizontal ou vrtical d uma rcta ou d um objcto; Coloca rctas objctos na posição horizontal ou vrtical; Idntifica rctas sgmntos; Distingu a rcta do sgmnto; Idntifica aprsnta rctas sgmntos parallos prpndiculars; Rlaciona rctas sgmntos parallos prpndiculars com objctos do su mio, por xmplo, o alinhamnto no plantio das culturas, com os aros das janlas, das portas, do quadro, com as ripas do tlhado da sala, da casa, com o trassado da palha na fitura d cobrturas, pniras, cstos, stiras, vassouras, chapéus, tc; Compara sgmntos por mdição, stimativa transport; para scolas d 3 turnos para scolas d 2 turnos

6 310 Traçar rctas sgmntos parallos prpndiculars; Construção d prpndiculars parallas Traça rctas parallas prpndiculars com a ajuda da régua squadro ou outros mios disponívis na ausência dsts; II Espaço Forma (cont.) Indicar as propridads dos parallogramos; 3. Parallogramos 3.1 Propridads dos parallogramos (rctângulo quadrado) Caractriza o parallogramo, indicando qu tm 4 lados parallos dois a dois; Caractriza os parallogramos, indicando qu os lados parallos são iguais; Classifica os parallogramos m rctângulos quadrados na bas das suas propridads spcíficas; Establc a rlação ntr rctângulo quadrado; Construir parallogramos m quadrículas. Construção d parallogramos m quadrículas Dsnha o parallogramo não rctângulo, o rctângulo o quadrado com ajuda do papl quadriculado, assim como usando pauzinhos;

7 III Adição Subtracção d Númros Naturais até 1000 Utilizar o cálculo mntal na adição com sm transport na subtracção com sm mpréstimo até 100; Aplica o procdimnto scrito da adição sm transport da subtracção sm mpréstimo até 100; 1. Opraçõs d adição subtracção Rvisão do cálculo mntal da adição da subtracção no limit 100 Rvisão do procdimnto scrito da adição sm transport da subtracção sm mpréstimo até 100 Efctua, mntal rapidamnt, adiçõs subtracçõs até 100, aplicando os xrcícios básicos, por xmplo: Adição do tipo Subtracção do tipo ; 73 +8; 87-5; 63-8; Rsolv quaçõs simpls d adição subtracção, por xmplo: 43 + b = 45; a + 10 = 32; 26 + b = 34; 36 -a =31; b - 10 = 50; 67 - a = 58, tc. Utiliza o procdimnto scrito na rsolução d problmas práticos da vida, qu nvolvm adição sm transport subtracção sm mpréstimo no limit 100, por xmplo: Aplicar o cálculo mntal d adição com sm transport subtracção com sm mpréstimo até 1000; Cálculo mntal na adição subtracção no limit 1000 Efctua mntalmnt as adiçõs subtracçõs até 1000, aplicando os xrcícios básicos, por xmplo: Calcula mntalmnt xrcícios como: Adição do tipo Subtracção do tipo ; ; ; Rsolv quaçõs simpls d adição subtracção por xmplo: b = 450; b = 700; b = 926; a =702; a = a = 598; tc. para scolas d 3 turnos para scolas d 2 turnos

8 312 III Adição Subtracção d Númros Naturais até 1000 (cont.) Aplicar o procdimnto scrito da adição com transport subtracção com mpréstimo até 1000; Procdimnto scrito d adição com transport subtracção com mpréstimo até 1000 Aplica o mtódo vrtical na rsolução d problmas práticos da vida qu nvolvm adiçõs com transport subtracçõs com mpréstimo no limit 1000, por xmplo xrcícios como: Vrifica os rsultados da adição, aplicando a opração invrsa, portanto, a subtracção (subtraíndo uma das parclas ao total); Vrifica os rsultados da subtracção, aplicando a opração invrsa, portanto, a adição (adicionando a difrnça com o diminuidor);

9 IV Grandzas Mdidas Utilizar as unidads d comprimnto mtro, cntimtro milímtro; Rlacionar mtro, cntimtro milimtro ntr si; Dmonstrar a importância das unidads d comprimnto; Dtrminar prímtros d figuras planas; 1 As unidads d comprimnto A ncssidad das unidads d comprimnto O mtro, o cntímtro o milímtro. 2. O prímtro Noção d prímtro d figuras planas Vrifica as difrnças m mdiçõs d objctos ou distâncias com palmos, pés com passos d difrnts pssoas; Idntifica o mtro como mdida padrão d comprimnto; Idntifica régua graduada (usada na sala), régua articulada (usada plo carpintiro) fita-métrica (usada plo alfaiat); Idntifica as unidads d comprimnto m, cm mm; Raliza convrsõs duma unidad para outra; Usa corrctamnt a régua; Md comprimntos d lápis, cadrnos, cartiras usando a régua; Md alturas d pssoas, comprimntos d divisõs d casa, d salas d aulas, d corrdors, d vdaçõs, d pátio, tc usando a fita métrica; Estima comprimntos d objctos alturas d pssoas; Md comprimntos d objctos alturas d pssoas; Compara comprimntos stimados rais d objctos alturas d pssoas; Rconhc o concito prímtro duma figura; Calcula o prímtro d quadrado, triângulo d outras figuras planas; Md o prímtro da sala d aulas, do campo d futbol, do pátio scolar, dos quartos da casa, da capoira, d outras vdaçõs; Calcula o prímtro da sala d aulas, do campo d futbol, do pátio scolar, dos quartos da casa, da capoira, d outras vdaçõs; Usa as unidads d comprimnto m, cm na rsolução d problmas simpls qu rflctm o su dia a dia; para scolas d 3 turnos para scolas d 2 turnos

10 314 V Multiplicação Divisão d Númros Naturais até 1000 Utilizar a multiplicação por 2, 3, 4, 5 10; Dmonstrar domínio do cálculo mntal na multiplicação por 6, 7, 8 9; Dmonstrar a importância da aplicação das propridads comutativa associativa da multiplicação para a facilitação d cálculo; Rsolvr xprssõs numéricas com três opraçõs, adição, subtracção multiplicação; 1. Multiplicação d númros naturais Rvisão do cálculo mntal da multiplicação por 2, 3, 4, 5 10 Multiplicação por 6, 7, 8 9 Propridads comutativa associativa da multiplicação 2. Exprssõs numéricas com sm parêntss Exprssõs numéricas com três opraçõs (adição, subtracção multiplicação) Rlaciona a multiplicação com a adição d parclas iguais; Efctua mntalmnt a multiplicação por 2, 3, 4, 5 10; Rsolv problmas práticos da vida, qu nvolvm a adição d parclas iguais, usando a multiplicação, como por xmplo, dtrminar quantas rodas têm duas bicicltas, quantos pnus têm dois carros, quanto custam dois pãs, sabndo qu cada pão custa 2000MT, tc.; Rlaciona a multiplicação com a adição d parclas iguais; Efctua mntalmnt as multiplicaçõs por 6, 7, 8 9; Domina mntalmnt toda a tabla da multiplicação; Rsolv problmas práticos da vida qu rqurm a aplicação da tabla da multiplicação, como por xmplo, dtrminar quantos pés d couv xistm m duas filas, sabndo qu cada fila tm 6 pés, quantas laranjas xistm m três cstos sabndo qu cada csto tm,6,7, 8, 9 laranjas, tc.; Rconhc as propridads comutativa associativa da multiplicação; Vrifica, por mio d cálculos, a validad dstas propridads, por xmplo: - A comutativa: 4 x 3 = 3 x 4 - A associativa: ( 2 x 3 ) x 5 = 2 x ( 3 x 5 ); Rsolv, mntal rapidamnt, os xrcícios básicos da multiplicação, aplicando as suas propridads; Obsrva a prioridad dos parêntss Obsrva a prioridad da multiplicação m rlação a adição subtracção nas xprssõs sm parêntss; Rsolv as xprssõs numéricas aplicando as rgras d prioridad dos parêntss; para scolas d 3 turnos para scolas d 2 turnos

11 V Multiplicação Divisão d Númros Naturais até 1000 (cont.) Dtrminar os múltiplos d ; Aplicar a rgra da multiplicação d múltiplos d ; Ralizar a divisão oral por subtracçõs sucssivas; 3. Os múltiplos d um númro Os múltiplos d Multiplicação d múltiplos d Divisão d númros naturais A divisão como rpartição (por subtracçõs sucssivas) Multiplica um númro por 10, acrscntando um zro à dirita dss númro; Multiplica um númro por 100, acrscntando dois zros à dirita dss númro; Dtrmina os múltiplos d ; Dtrmina, com sgurança, os múltiplos d 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, ; Idntifica, com sgurança, os múltiplos d 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9,10 100; Calcula 5 x 30, multiplicando 5 por 3 acrscntando um zro ao rsultado, assim como para calcular 3 x 200, basta multiplicar 3 x 2 acrscntar os dois zros no rsultado; Raliza a divisão oral (nunca por scrito) através d subtracçõs sucssivas, por xmplo 6 : 2 -para 6 : 2 fica: 6-2 = 4; 4-2 = = 0, subtraíu-s o 2, três vzs ao 6, por isso 6 : 2 = 3; 315

12 316 V Multiplicação Divisão d Númros Naturais até 1000 (cont.) Ralizar o cálculo mntal da divisão na bas da sua opração invrsa ( a multiplicação ); Aplicar as rgras da divisão por 10 por 100; Aplicar as rgras da divisão d múltiplos d 10, 100 d 1000; A divisão como opração invrsa da multiplicação (cálculo mntal ) A divisão por 10 por 100 Divisão d múltiplos d por um númro dígito Efctua mntalmnt a divisão, aplicando a multiplicação; Intrprta corrctamnt rsolv rapidamnt os problmas práticos da vida, qu nvolvm a divisão como, por xmplo: dividir os lápis, os cadrnos, os rbuçados os frutos plos filhos, tc.; Idntifica númros divisívis por 10 por 100; Efctua mntal rapidamnt a divisão por 10 por 100 aplicando as rgras, rtirando no dividndo um ou dois zros conform a divisão por 10 ou por 100; Rsolv xrcícios problmas práticos da vida qu impliqum a divisão por 10 por 100; Establc rlaçõs ntr a multiplicação por10 por 100 com a divisão por 10 por 100 na rsolução d xrcícios rprsntados m forma d tablas problmas; Sab qu, para calcular 60 : 3, basta calcular 6 : 3 crscntar o zro no rsultado, assim como para calcular 3600 : 4, basta calcular 36 : 4 acrscntar os dois zros no rsultado;

13 Idntificarr o círculo rlacioná- 1. Gomtria -lo com objctos do nosso mio; Noção d círculo Idntifica o círculo; Rlaciona o círculo com objctos do su mio como roda d biciclta, pnu, tc; Constrói um círculo com a ajuda d objctos d bass circulars, tais como modas, latas outros; Distingu o círculo da circunfrência; VI Espaço Forma Nomar os sólidos gométricos (o cubo, o bloco, o cilindro a sfra ); Os sólidos gométricos (o cubo, o bloco, o cilindro a sfra) Idntifica caractriza os sólidos gométricos (cubo, bloco, clindro sfra); Rlaciona o bloco com o cubo; Rlaciona os sólidos com os objctos rais da vida por xmplo: - bloco com caixas, mala, lata d azit, tanqu d água, tc; - o cilindro com a lata d lit, d ólo, o tambor d água, tc; A sfra com a bola, brlinds, alguns frutos, tc.; para scolas d 3 turnos para scolas d 2 turnos

14 318 Lr scrvr os númros naturais até ; 1. Os númros naturais até Litura scrita d númros naturais até Lê scrv os númros naturais até ; VII Os Númros Naturais até Dcompor os númros naturais até m unidads, dznas, cntnas, milhars dznas d milhar; Escrvr os númros até na tabla d posição; Ordnar os númros naturais até Comparar os númros naturais até , usando os símbolos d comparação; Dcomposição d númros naturais até m unidads, dznas, cntnas, milhars dznas d milhar Rprsntação dos númros naturais no limit na tabla d posição Ordnação dos númros naturais até Comparação dos númros naturais no limit usando os símbolos da comparação ( >, < = ) Dcompõ os númros naturais até m unidads, dznas, cntnas, milhars dznas d milhar; Escrv os númros naturais até na tabla d posição; Ordna os númros naturais até ; Compara os númros naturais até usando os símbolos d comparação; Utilizar o procdimnto scrito da adição com transport subtracção com mpréstimo; 2. Adição subtracção d númros naturais até Procdimnto scrito d adição com transport subtracção com mpréstimo no limit Aplica corrctamnt o método vrtical, rsolvndo xrcícios problmas práticos da vida, qu contêm adição com transport subtracção com mpréstimo no limit ; Vrifica os rsultados da adição aplicando a opração invrsa, portanto, a subtracção (subtraíndo uma das parclas ao total); Vrifica os rsultados da subtracção aplicando a opração invrsa, portanto, a adição (adicionando a difrnça com o diminuidor); para scolas d 3 turnos para scolas d 2 turnos

15 319 VIII Numração Romana IX Grandzas Mdidas Dtrminar os múltiplos d 1000 até ; Rsolvr xprssõs numéricas com as quatro opraçõs básicas; Idntificar a numração romana rlacioná-la com a numração árab; Utilizar a moda nacional rconhcr a sua aplicação; Idntificar o kg como unidad fundamntal d massa; Oprar com o Kg o g. para scolas d 3 turnos Os múltiplos d até Exprssõs numéricas nvolvndo as quatro opraçõsbásicas. 1. A numração romana até 20 Litura scrita d númros romanos até 20 Uso d dinhiro (notas modas) O quilograma (kg) o grama (g). Dtrmina idntifica os múltiplos d 100 até 1000; Dtrmina idntifica os múltiplos d 1000 até ; Obsrva a prioridad da multiplicaçãoo da divisão nas xprssõs sm parêntss; Rconhc qu, nas xprssõs sm parêntss, ntr a multiplicação a divisão tm prioridad a opração qu aparc m primiro lugar; Calcula corrctamnt, as xprssõs numéricas rspitando a rgra d parêntss a d prioridad; Lê scrv os numrais d 1 a 20 na numração romana; Rlaciona a numração árab numração romana dntro do limit 20; Lê horas m rlógios, qu usam a numração romana; Rconhc o mtical como moda nacional; Rconhc as modas as notas m uso, concrctamnt 500 MT, 1000 MT, MT, MT, MT, MT MT; Rsolv problmas práticos d compra vnda no limit ; Idntifica o quilograma (kg) como unidad principal d pso ou massa; Nomia os instrumntos usados para mdir a massa (a balança os psos); rconhc alguns tipos d balança (balança automática, a d braços iguais a d cozinha); Rsolv problmas simpls d cálculo d custo m rlação a massa, xprssa m Kg g; Vrifica qu 1 Kg =1000g, 500g corrspondm a mtad do quilograma para scolas d 2 turnos

16 320 IX Grandzas Mdidas (cont.) Utilizar unidads d capacidad; Rlacionar as unidads d capacidad ntr si; Rsolvr problmas qu nvolvm as unidads d capacidad; Lr as horas; Marcar as horas; Unidads d capacidad (o litro o mililitro) O rlógio (horas minutos) Md água ou aria; com copos, garrafas, cancas, balds, tc; Compara as mdiçõs d água ou aria; com copos, garrafas, cancas, balds, tc; Rconhc o litro como unidad principal; Establc rlaçõs ntr mdidas d capacidad, por xmplo: 1l=1000ml; Raliza cálculos simpls qu rqurm convrsão do litro para mililitro ou vic-vrsa; Vrifica as rlaçõs ntr as unidads, mdindo aria, água com garrafas, cancas, tc. Rconhc a importância do rlógio no control do tmpo d xcução d actividads; Sab qu o pontiro maior indica os minutos o mnor indica as horas; Dmonstra o funcionamnto do pontiro maior para compltar 60 minutos, qu corrspondm a uma hora, nquanto o pontiro mnor só s mov dum númro para o sguint; Lê as horas tanto m numração árab como m numração romana; Marca as horas tanto m numração árab como m numração romana; Rsolv problmas simpls da vida, qu nvolvm adiçõs subtracçõs com as horas minutos como, por xmplo, cáculo do tmpo qu s gasta d casa para a scola, a duração duma aula, dos intrvalos, das férias, tc.; Usar o calndário; Calndário (dia, smana, mês Lê o calndário; Intrprta o calndário; Idntifica os mss do ano; Indica o númro d mss qu o ano tm ; Indica o númro d dias qu o mês tm; Idntifica os dias da smana; Indica o númro d dias qu a smana tm;

17 Rsolvr xrcícios problmas d multiplicação, na bas da dcomposição do factor d dois algarismos, sm anunciar a propridad aplicada; 1. A multiplicação Multiplicação do tipo 3 x 24 Calcula ( sm anunciar a propridad aplicada xrcícios do tipo): a) 3 x 12 = 3 x x 2 = = 36 b) 5 x 14 = 5 x x 4 = = 70 c) 3 x 24 = 3 x x 4 = = 72 X Multiplicação d Númros Naturais até Aplicar o procdimnto scrito da multiplicação m qu um dos factors é um númro dígito; Procdimnto scrito da multiplicação sm transport m qu um dos factors é um númro dígito Efctua, mntalmnt, os xrcícios básicos da multiplicação, dmonstrando dominar toda a tabla da multiplicação; Indica o algoritmo scrito da multiplicação, m xrcícios dados; Aplica corrctamnt o algoritmo scrito da multiplicação, m xrcícios como: x 2 x 2 x para scolas d 3 turnos para scolas d 2 turnos

18 322 XI Tablas Gráficos Lr tablas simpls; Construir tablas gráficos d tmpo; 1.Tablas gráficos Intrprtação d tablas gráficos d tmpo. Construção d tablas gráficos d tmpo. Lê intrprta tablas simpls com númros numa crta ordm, por xmplo, tablas com númros pars, ímpars, múltiplos, tc; Intrprta constrói tablas gráficos d tmpo, qu rprsntam os acontcimntos mais importants dum indivíduo, duma família, duma scola ou da sua comunidad; 8 10 XII Rvisão Consolidar os contúdos principais da class. Rvisão gral da matéria principal da 3ª class. Aplica, com sgurança, stratégias técnicas d cálculo mntal scrito na rsolução d xrcícios problmas com mdidas, qu nvolvm as quatro opraçõs básicas para scolas d 3 turnos para scolas d 2 turnos

Escola Básica Tecnopolis Matemática - PLANIFICAÇÃO ANUAL 6ºano

Escola Básica Tecnopolis Matemática - PLANIFICAÇÃO ANUAL 6ºano DGEstE Dirção-GraL dos Establcimntos Escolars DSRAI Dirção d Srviços da Rgião Algarv AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JÚLIO DANTAS LAGOS (145415) Escola Básica Tcnopolis Matmática - PLANIFICAÇÃO ANUAL 6ºano 2013-2014

Leia mais

Razão e Proporção. Noção de Razão. 3 3 lê-se: três quartos lê-se: três para quatro ou três está para quatro

Razão e Proporção. Noção de Razão. 3 3 lê-se: três quartos lê-se: três para quatro ou três está para quatro Razão Proporção Noção d Razão Suponha qu o profssor d Educação Física d su colégio tnha organizado um tornio d basqutbol com quatro quips formadas plos alunos da ª séri. Admita qu o su tim foi o vncdor

Leia mais

PERFIL DE SAÍDA DOS ESTUDANTES DA 5ª SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL, COMPONENTE CURRICULAR MATEMÁTICA

PERFIL DE SAÍDA DOS ESTUDANTES DA 5ª SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL, COMPONENTE CURRICULAR MATEMÁTICA PERFIL DE SAÍDA DOS ESTUDANTES DA 5ª SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL, COMPONENTE CURRICULAR MATEMÁTICA CONTEÚDOS EIXO TEMÁTICO COMPETÊNCIAS Sistma d Numração - Litura scrita sistma d numração indo-arábico

Leia mais

COLÉGIO OBJETIVO JÚNIOR

COLÉGIO OBJETIVO JÚNIOR COLÉGIO OBJETIVO JÚNIOR NOME: N. o : DATA: / /01 FOLHETO DE MATEMÁTICA (V.C. E R.V.) 6. o ANO Est folhto é um rotiro d studo para você rcuprar o contúdo trabalhado m 01. Como l vai srvir d bas para você

Leia mais

Hewlett-Packard CONJUNTOS NUMÉRICOS. Aulas 01 a 06. Elson Rodrigues, Gabriel Carvalho e Paulo Luiz Ramos

Hewlett-Packard CONJUNTOS NUMÉRICOS. Aulas 01 a 06. Elson Rodrigues, Gabriel Carvalho e Paulo Luiz Ramos Hwltt-Packard CONJUNTOS NUMÉRICOS Aulas 0 a 06 Elson Rodrigus, Gabril Carvalho Paulo Luiz Ramos Ano: 206 Sumário CONJUNTOS NUMÉRICOS 2 Conjunto dos númros Naturais 2 Conjunto dos númros Intiros 2 Conjunto

Leia mais

Representação de Números no Computador e Erros

Representação de Números no Computador e Erros Rprsntação d Númros no Computador Erros Anális Numérica Patrícia Ribiro Artur igul Cruz Escola Suprior d Tcnologia Instituto Politécnico d Stúbal 2015/2016 1 1 vrsão 23 d Fvriro d 2017 Contúdo 1 Introdução...................................

Leia mais

GUARDA PLANIFICAÇÕES MENSAIS DA ATIVIDADE PEDAGÓGICA. (A adequar ao ritmo de aprendizagem da turma.) 1ºANO DO ENSINO BÁSICO 48 DIAS LETIVOS

GUARDA PLANIFICAÇÕES MENSAIS DA ATIVIDADE PEDAGÓGICA. (A adequar ao ritmo de aprendizagem da turma.) 1ºANO DO ENSINO BÁSICO 48 DIAS LETIVOS Agrupamnto d Escolas da Sé. Guarda GUARDA PLANIFICAÇÕES MENSAIS DA ATIVIDADE PEDAGÓGICA (A adquar ao ritmo d aprndizagm da turma.) 1ºANO DO ENSINO BÁSICO 48 DIAS LETIVOS ANO LETIVO 2015/2016 3º Príodo

Leia mais

Educação / Expressão Expressões Artísticas Plástica. Físicomotoras

Educação / Expressão Expressões Artísticas Plástica. Físicomotoras Fvriro Janiro Dzmbro Novmbro Stmbro Outubro Agrupamnto d Escolas Gnral Humbrto Dlgado Estudo do Mio À dscobrta Introdução na comunidad scolar. Conhcr os colgas. Conhcr matéria o manual d Estudo do Mio.

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOÃO V ESCOLA SECUNDÁRIA c/ 2º e 3º CICLOS D. JOÃO V

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOÃO V ESCOLA SECUNDÁRIA c/ 2º e 3º CICLOS D. JOÃO V AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOÃO V 172431 ESCOLA SECUNDÁRIA c/ 2º 3º CICLOS D. JOÃO V Ensino Rgular Ára Disciplinar d Matmática Planificaçõs 2014/15 Ciclo 5.º ano Manual scolar adotado: Matmática 5.º ano,

Leia mais

Adriano Pedreira Cattai

Adriano Pedreira Cattai Adriano Pdrira Cattai apcattai@ahoocombr Univrsidad Fdral da Bahia UFBA, MAT A01, 006 3 Suprfíci Cilíndrica 31 Introdução Dfinição d Suprfíci Podmos obtr suprfícis não somnt por mio d uma quação do tipo

Leia mais

Hewlett-Packard MATRIZES. Aulas 01 a 06. Elson Rodrigues, Gabriel Carvalho e Paulo Luiz

Hewlett-Packard MATRIZES. Aulas 01 a 06. Elson Rodrigues, Gabriel Carvalho e Paulo Luiz Hwltt-Packard MTRIZES ulas 0 a 06 Elson Rodrigus, Gabril Carvalho Paulo Luiz no 06 Sumário MTRIZES NOÇÃO DE MTRIZ REPRESENTÇÃO DE UM MTRIZ E SEUS ELEMENTOS EXERCÍCIO FUNDMENTL MTRIZES ESPECIIS IGULDDE

Leia mais

SISTEMA DE PONTO FLUTUANTE

SISTEMA DE PONTO FLUTUANTE Lógica Matmática Computacional - Sistma d Ponto Flutuant SISTEM DE PONTO FLUTUNTE s máquinas utilizam a sguint normalização para rprsntação dos númros: 1d dn * B ± 0d L ond 0 di (B 1), para i = 1,,, n,

Leia mais

, ou seja, 8, e 0 são os valores de x tais que x e, Página 120

, ou seja, 8, e 0 são os valores de x tais que x e, Página 120 Prparar o Eam 0 07 Matmática A Página 0. Como g é uma função contínua stritamnt crscnt no su domínio. Logo, o su contradomínio é g, g, ou sja, 8,, porqu: 8 g 8 g 8 8. D : 0, f Rsposta: C Cálculo Auiliar:

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA C/3º CEB DE MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM

ESCOLA SECUNDÁRIA C/3º CEB DE MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM Módulo 1 Sistma Financiro Simpls 1. Concito d juro 1.1. Sistmas d Capitalização 1.2. Taxa d juro 1.3. Rprsntação gráfica do juro 1.4. Implicaçõs algébricas práticas da utilização do ano comrcial do ano

Leia mais

Capítulo 4 Resposta em frequência

Capítulo 4 Resposta em frequência Capítulo 4 Rsposta m frquência 4. Noção do domínio da frquência 4.2 Séris d Fourir propridads 4.3 Rsposta m frquência dos SLITs 4.4 Anális da composição d sistmas através da rsposta m frquência 4.5 Transformadas

Leia mais

Matemática: Lista de exercícios 2º Ano do Ensino Médio Período: 1º Bimestre

Matemática: Lista de exercícios 2º Ano do Ensino Médio Período: 1º Bimestre Matmática: Lista d xrcícios 2º Ano do Ensino Médio Príodo: 1º Bimstr Qustão 1. Três amigos saíram juntos para comr no sábado no domingo. As tablas a sguir rsumm quantas garrafas d rfrigrant cada um consumiu

Leia mais

MATRIZ DE REFERÊNCIA PARA AVALIAÇÃO EM MATEMÁTICA AVALIA BH 1º, 2º E 3º CICLOS DO ENSINO FUNDAMENTAL

MATRIZ DE REFERÊNCIA PARA AVALIAÇÃO EM MATEMÁTICA AVALIA BH 1º, 2º E 3º CICLOS DO ENSINO FUNDAMENTAL MATRIZ DE REFERÊNCIA PARA EM MATEMÁTICA AVALIA BH 1º, 2º E 3º CICLOS DO ENSINO FUNDAMENTAL Na ralização d uma avaliação ducacional m larga scala, é ncssário qu os objtivos da avaliação as habilidads comptências

Leia mais

Enunciados equivalentes

Enunciados equivalentes Lógica para Ciência da Computação I Lógica Matmática Txto 6 Enunciados quivalnts Sumário 1 Equivalência d nunciados 2 1.1 Obsrvaçõs................................ 5 1.2 Exrcícios rsolvidos...........................

Leia mais

INTRODUÇÃO À ESTATÍSTICA

INTRODUÇÃO À ESTATÍSTICA INTRODUÇÃO À ESTATÍSTICA ERRATA (capítulos 1 a 6 CAP 1 INTRODUÇÃO. DADOS ESTATÍSTICOS Bnto Murtira Carlos Silva Ribiro João Andrad Silva Carlos Pimnta Pág. 10 O xmplo 1.10 trmina a sguir ao quadro 1.7,

Leia mais

2ª série LISTA: Ensino Médio. Aluno(a): Questão 01 - (FUVEST SP)

2ª série LISTA: Ensino Médio. Aluno(a): Questão 01 - (FUVEST SP) Matmática Profssor: Marclo Honório LISTA: 04 2ª séri Ensino Médio Turma: A ( ) / B ( ) Aluno(a): Sgmnto tmático: GEOMETRIA ESPACIAL DIA: MÊS: 05 206 Pirâmids Cilindros Qustão 0 - (FUVEST SP) Três das arstas

Leia mais

NÚMEROS RACIONAIS E SUA REPRESEN- TAÇÃO FRACIONÁRIA

NÚMEROS RACIONAIS E SUA REPRESEN- TAÇÃO FRACIONÁRIA NÚMEROS RACIONAIS E SUA REPRESEN- TAÇÃO FRACIONÁRIA. FRAÇÕES Com crtza todos nós já ouvimos frass como: d xícara d açúcar; d frmnto m pó tc. Basta pgar uma rcita,d bolo qu lá stão númros como sts. Ests

Leia mais

FUNÇÃO REAL DE UMA VARIÁVEL REAL

FUNÇÃO REAL DE UMA VARIÁVEL REAL Hwltt-Packard FUNÇÃO REAL DE UMA VARIÁVEL REAL Aulas 01 a 05 Elson Rodrigus, Gabril Carvalho Paulo Luiz Ano: 2016 Sumário INTRODUÇÃO AO PLANO CARTESIANO 2 PRODUTO CARTESIANO 2 Númro d lmntos d 2 Rprsntaçõs

Leia mais

III Integrais Múltiplos

III Integrais Múltiplos INTITUTO POLITÉCNICO DE TOMA Escola uprior d Tcnologia d Tomar Ára Intrdpartamntal d Matmática Anális Matmática II III Intgrais Múltiplos. Calcul o valor dos sguints intgrais: a) d d ; (ol. /) b) d d ;

Leia mais

Programa de Matemática - II Ciclo PROGRAMA DE MATEMÁTICA DA 4ª CLASSE. OBJECTIVOS ESPECÍFICOS O aluno deve ser capaz de: UNIDADE TEMÁTICA CONTEÚDOS

Programa de Matemática - II Ciclo PROGRAMA DE MATEMÁTICA DA 4ª CLASSE. OBJECTIVOS ESPECÍFICOS O aluno deve ser capaz de: UNIDADE TEMÁTICA CONTEÚDOS 4 a CLASSE 323 324 PROGRAMA DE MA DA 4ª CLASSE 325 I Os Números Naturais até 1 000 000 Ler e escrever os números naturais até 10 000; Decompor os números naturais até 10 000 em unidades, dezenas, centenas,

Leia mais

3. Geometria Analítica Plana

3. Geometria Analítica Plana MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E ESTATÍSITICA APOSTILA DE GEOMETRIA ANALÍTICA PLANA PROF VINICIUS 3 Gomtria Analítica Plana 31 Vtors no plano Intuitivamnt,

Leia mais

ˆ y. Calcule x e y. B P C 14. Na figura, o quadrilátero ABCD está circunscrito na circunferência de centro O. Sendo

ˆ y. Calcule x e y. B P C 14. Na figura, o quadrilátero ABCD está circunscrito na circunferência de centro O. Sendo LIST 02 XRÍIOS GOTRI PLN PROF. ROGRINHO 1º nsino édio (Tangência ângulos na circunf. quadrilátros pontos notávis do torma d Tals smlhança d a) Nom: n turma 08. No rtângulo da figura ao lado tm-s qu: ˆ

Leia mais

O raio de um núcleo típico é cerca de dez mil vezes menor que o raio do átomo ao qual pertence, mas contém mais de 99,9% da massa desse átomo.

O raio de um núcleo típico é cerca de dez mil vezes menor que o raio do átomo ao qual pertence, mas contém mais de 99,9% da massa desse átomo. Caractrísticas Grais do Núclo O raio d um núclo típico é crca d dz mil vzs mnor qu o raio do átomo ao qual prtnc, mas contém mais d 99,9% da massa dss átomo. Constituição O núclo atômico é composto d partículas

Leia mais

Derivada Escola Naval

Derivada Escola Naval Drivada Escola Naval EN A drivada f () da função f () = l og é: l n (B) 0 l n (E) / l n EN S tm-s qu: f () = s s 0 s < < 0 s < I - f () só não é drivávl para =, = 0 = II - f () só não é contínua para =

Leia mais

EXPRESSÕES LÓGICAS. 9.1 Lógica proposicional AULA 9

EXPRESSÕES LÓGICAS. 9.1 Lógica proposicional AULA 9 AULA 9 EXPRESSÕES LÓGICAS 9.1 Lógica proposicional Lógica é o studo do raciocínio 1. Em particular, utilizamos lógica quando dsjamos dtrminar s um dado raciocínio stá corrto. Nsta disciplina, introduzimos

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2016 I. JUSTIFICATIVA

PLANO DE ENSINO 2016 I. JUSTIFICATIVA PLANO DE ENSINO 2016 CURSO: Agronomia MODALIDADE: Prsncial DISCIPLINA: Topografia Básica Planimtria (AG 43) TURMA: 4ª fas SEMESTRE LETIVO: 2º / 2016 CARGA HORARIA SEMESTRAL: 60 horas PRÉ-REQUISITO: Dsnho

Leia mais

PLANO DE ENSINO. DISCIPLINA: Topografia Básica e Planimetria CÓDIGO: AG-43 TURMA: 2013

PLANO DE ENSINO. DISCIPLINA: Topografia Básica e Planimetria CÓDIGO: AG-43 TURMA: 2013 PLANO DE ENSINO CURSO: Agronomia MODALIDADE: Prsncial DISCIPLINA: Topografia Básica Planimtria CÓDIGO: AG-43 TURMA: 2013 ANO/SEMESTRE/ANO: 2014/4º FASE/SÉRIE: 4º sm. CARGA HORÁRIA: 04 horas (smanal) /

Leia mais

/ :;7 1 6 < =>6? < 7 A 7 B 5 = CED? = DE:F= 6 < 5 G? DIHJ? KLD M 7FD? :>? A 6? D P

/ :;7 1 6 < =>6? < 7 A 7 B 5 = CED? = DE:F= 6 < 5 G? DIHJ? KLD M 7FD? :>? A 6? D P 26 a Aula 20065 AMIV 26 Exponncial d matrizs smlhants Proposição 26 S A SJS ntão Dmonstração Tmos A SJS A % SJS SJS SJ % S ond A, S J são matrizs n n ", (com dt S 0), # S $ S, dond ; A & SJ % S SJS SJ

Leia mais

- Função Exponencial - MATEMÁTICA

- Função Exponencial - MATEMÁTICA Postado m 9 / 07 / - Função Eponncial - Aluno(a): TURMA: FUNÇÃO EXPONENCIAL. Como surgiu a função ponncial? a n a n, a R n N Hoj, a idia d s scrvr. ² ou.. ³ nos parc óbvia, mas a utilização d númros indo

Leia mais

Exercício: Exercício:

Exercício: Exercício: Smântica Opracional Estrutural Smântica Opracional Estrutural O ênfas dsta smântica é nos passos individuais d xcução d um programa A rlação d transição tm a forma rprsnta o primiro passo d xcução do programa

Leia mais

Laboratório de Física

Laboratório de Física Laboratório d Física Exprimnto 01: Associação d Rsistors Disciplina: Laboratório d Física Exprimntal II Profssor: Turma: Data: / /20 Alunos (noms compltos m ordm alfabética): 1: 2: 3: 4: 5: 2/15 01 Associação

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DA BAHIA CAMPUS JEQUIÉ LISTA DE EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA ALUNO:

INSTITUTO FEDERAL DA BAHIA CAMPUS JEQUIÉ LISTA DE EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA ALUNO: INSTITUTO FEDERAL DA BAHIA CAMPUS JEQUIÉ LISTA DE EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA ALUNO: LISTA Ciclo trigonométrico, rdução d arcos, quaçõs trigonométricas - (UFJF MG) Escrvndo os númros rais x, y, w, z y, x,

Leia mais

E X A M E ª FASE, V E R S Ã O 1 P R O P O S T A D E R E S O L U Ç Ã O

E X A M E ª FASE, V E R S Ã O 1 P R O P O S T A D E R E S O L U Ç Ã O Prparar o Eam 05 Matmática A E X A M E 0.ª FASE, V E R S Ã O P R O P O S T A D E R E S O L U Ç Ã O. Tm-s qu P A P A P A GRUPO I ITENS DE ESCOLHA MÚLTIPLA 0, 0, 0,. Assim: P B A PB A 0,8 0,8 PB A 0,8 0,

Leia mais

A energia cinética de um corpo de massa m, que se desloca com velocidade de módulo v num dado referencial, é:

A energia cinética de um corpo de massa m, que se desloca com velocidade de módulo v num dado referencial, é: nrgia no MHS Para studar a nrgia mcânica do oscilador harmônico vamos tomar, como xmplo, o sistma corpo-mola. A nrgia cinética do sistma stá no corpo d massa m. A mola não tm nrgia cinética porqu é uma

Leia mais

S = evento em que uma pessoa apresente o conjunto de sintomas;

S = evento em que uma pessoa apresente o conjunto de sintomas; robabilidad Estatística I ntonio Roqu ula 15 Rgra d ays Considrmos o sguint problma: ab-s qu a taxa d ocorrência d uma crta donça m uma população é d 2 %, ou sja, o númro d pssoas da população com a donça

Leia mais

Desse modo, podemos dizer que as forças que atuam sobre a partícula que forma o pêndulo simples são P 1, P 2 e T.

Desse modo, podemos dizer que as forças que atuam sobre a partícula que forma o pêndulo simples são P 1, P 2 e T. Pêndulo Simpls Um corpo suspnso por um fio, afastado da posição d quilíbrio sobr a linha vrtical qu passa plo ponto d suspnsão, abandonado, oscila. O corpo o fio formam o objto qu chamamos d pêndulo. Vamos

Leia mais

Matemática Aplicada Geoprocessamento/Professor: Lourenço Gonçalves LISTA-1 (03/04/2009)

Matemática Aplicada Geoprocessamento/Professor: Lourenço Gonçalves LISTA-1 (03/04/2009) Matmática Aplicada Goprocssamnto/Profssor: Lournço Gonçalvs LISTA-1 (3/4/29) Exrcício-1 Considr as figuras abaixo rsponda o qu s pd. a) Qual a razão ntr as dimnsõs dos sus comprimntos? b) S o carro grand

Leia mais

ATIVIDADES RECUPERAÇÃO PARALELA

ATIVIDADES RECUPERAÇÃO PARALELA ATIVIDADES RECUPERAÇÃO PARALELA Nom: Nº Ano: 6ºD Data: / /0 Bimstr: Profssor: Dnis Rocha Disciplina: Matmática Orintaçõs para studo:. Rvisar os contúdos trabalhados no bimstr.. Rfazr os xrcícios do cadrno

Leia mais

32 Matemática. Programação anual de conteúdos

32 Matemática. Programação anual de conteúdos Programação anual de conteúdos 2 ọ ano 1 ọ volume 1. A localização espacial e os números Construção do significado dos números e identificação da sua utilização no contexto diário Representação das quantidades

Leia mais

ENSINO BÁSICO PLANIFICÃO DE GEOGRAFIA 7º ANO. 1º Período A TERRA: ESTUDOS E REPRESENTAÇÕES. A Geografia e o Território Observação de paisagens

ENSINO BÁSICO PLANIFICÃO DE GEOGRAFIA 7º ANO. 1º Período A TERRA: ESTUDOS E REPRESENTAÇÕES. A Geografia e o Território Observação de paisagens Govrno dos Açors Escola Básica Scundária d Vlas ENSINO BÁSICO PLANIFICÃO DE GEOGRAFIA 7º ANO 1º Príodo Comptências chav m Línguas Cintífica Tcnológica Digital METAS CURRICULARES A TERRA: ESTUDOS E REPRESENTAÇÕES

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE Sala de apoio a aprendizagem 6º ANO 2014 PLANO DE TRABALHO

PLANO DE TRABALHO DOCENTE Sala de apoio a aprendizagem 6º ANO 2014 PLANO DE TRABALHO DOCENTE Sala d apoio a aprndizagm 6º ANO 2014 Profssora: Contúdos struturants: Númros Álgbra Disciplina: Matmática Séri: 6º ano 7º ano Bimstr: 1º 2º 3º 4º Contúdos spcíficos Objtivos Encaminhamntos mtodológicos

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE ALCÁCER DO SAL. 11º Ano. MATEMÁTICA Exercícios de Exames e Testes Intermédios. Ano Letivo de 2012/2013

ESCOLA SECUNDÁRIA DE ALCÁCER DO SAL. 11º Ano. MATEMÁTICA Exercícios de Exames e Testes Intermédios. Ano Letivo de 2012/2013 ESCOLA SECUNDÁRIA DE ALCÁCER DO SAL MATEMÁTICA Exrcícios d Exams Tsts Intrmédios 11º Ano Ano Ltivo d 2012/2013 Trigonomtria 1 Na figura stá rprsntado o quadrado é a amplitud m radianos do ângulo Mostr

Leia mais

Em cada ciclo, o sistema retorna ao estado inicial: U = 0. Então, quantidade de energia W, cedida, por trabalho, à vizinhança, pode ser escrita:

Em cada ciclo, o sistema retorna ao estado inicial: U = 0. Então, quantidade de energia W, cedida, por trabalho, à vizinhança, pode ser escrita: Máquinas Térmicas Para qu um dado sistma raliz um procsso cíclico no qual rtira crta quantidad d nrgia, por calor, d um rsrvatório térmico cd, por trabalho, outra quantidad d nrgia à vizinhança, são ncssários

Leia mais

ANÁLISE MATEMÁTICA IV FICHA SUPLEMENTAR 2. < arg z < π}.

ANÁLISE MATEMÁTICA IV FICHA SUPLEMENTAR 2. < arg z < π}. Instituto Suprior Técnico Dpartamnto d Matmática Scção d Álgbra Anális ANÁLISE MATEMÁTICA IV FICHA SUPLEMENTAR LOGARITMOS E INTEGRAÇÃO DE FUNÇÕES COMPLEXAS Logaritmos () Para cada um dos sguints conjuntos

Leia mais

Agrupamento de Escolas de S. Pedro do Sul Escola-sede: Escola Secundária de S. Pedro do Sul. Educação Pré-Escolar CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

Agrupamento de Escolas de S. Pedro do Sul Escola-sede: Escola Secundária de S. Pedro do Sul. Educação Pré-Escolar CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Agrupamnto d Escolas d S. Pdro do Sul - 161780 Escola-sd: Escola Scundária d S. Pdro do Sul Ano Ltivo: 2016/2017 Educação Pré-Escolar CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Conform prconizado nas novas Orintaçõs Curriculars

Leia mais

PLANO de ESTUDO 6.º ANO - ANUAL

PLANO de ESTUDO 6.º ANO - ANUAL PLANO d ESTUDO 6.º ANO - ANUAL Contúdos 1. Trocas nutricionais ntr o organismo o mio nos animais. 1.1. Os alimntos como vículo d nutrints. 1.2.Sistma digstivo do sr d outros animais. 1.2.1. Órgãos do sistma

Leia mais

PROJETO DE EDUCAÇÃO AFETIVO - SEXUAL E REPRODUTIVA

PROJETO DE EDUCAÇÃO AFETIVO - SEXUAL E REPRODUTIVA PROJETO DE EDUCAÇÃO AFETIVO - SEXUAL E REPRODUTIVA Tma: Sxualidad rlaçõs intrpssoais 1º Ano- EB1/JI DE VELAS Turma 2 Formas d Rcursos Atividads Objtivos Contúdos organização/ (humanos (por disciplina)

Leia mais

1) Determine o domínio das funções abaixo e represente-o graficamente: 1 1

1) Determine o domínio das funções abaixo e represente-o graficamente: 1 1 ) Dtrmin dmíni das funçõs abai rprsnt- graficamnt: z + z 4.ln( ) z ln z z arccs( ) f) z g) z ln + h) z ( ) ) Dtrmin dmíni, trac as curvas d nívl sbc gráfic das funçõs: f (, ) 9 + 4 f (, ) 6 f (, ) 6 f

Leia mais

Prismas VOLUME DE SÓLIDOS GEOMETRICOS: CONTEÚDOS E EXERCÍCIOS

Prismas VOLUME DE SÓLIDOS GEOMETRICOS: CONTEÚDOS E EXERCÍCIOS SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR UNIDADE SARGENTO NADER ALVES DOS SANTOS SÉRIE: º

Leia mais

Lista 1 - Problemas relativos a conversão de bases numéricas e propagação

Lista 1 - Problemas relativos a conversão de bases numéricas e propagação Lista d xrcícios - Cálculo numérico - 2013/1 - Prof. Fabio S. d Azvdo Lista 1 - Problmas rlativos a convrsão d bass numéricas propagação d rros Qustão 1. Convrta para bas dcimal cada um dos sguints númros:

Leia mais

Prova Escrita de Matemática A 12. o Ano de Escolaridade Prova 635/Versões 1 e 2

Prova Escrita de Matemática A 12. o Ano de Escolaridade Prova 635/Versões 1 e 2 Eam Nacional d 0 (. a fas) Prova Escrita d Matmática. o no d Escolaridad Prova 3/Vrsõs GRUPO I Itns Vrsão Vrsão. (C) (). () (C) 3. () (C). (D) (). (C) (). () () 7. () (D) 8. (C) (D) Justificaçõs:. P( )

Leia mais

MATEMÁTICA 4º ANO. Novo programa de matemática Objetivos específicos. Ler e representar números, pelo menos até ao milhão.

MATEMÁTICA 4º ANO. Novo programa de matemática Objetivos específicos. Ler e representar números, pelo menos até ao milhão. MATEMÁTICA 4º ANO NÚMEROS E OPERAÇÕES Números naturais Relações numéricas Múltiplos e divisores Realizar contagens progressivas e regressivas a partir de números dados. Comparar números e ordená-los em

Leia mais

Arcos e ângulos Adote π=3,14 quando necessário.

Arcos e ângulos Adote π=3,14 quando necessário. Prof. Liana Turmas: 1C17/27/37 Sgundo trimstr Ângulos Complmntars Suplmntars 1. Qual é o ângulo qu xcd o su suplmnto m 66? 2. Dtrmin um ângulo sabndo qu o su suplmnto xcd o próprio ângulo m 70. 3. Qual

Leia mais

Aula 01 Introdução e Revisão Matemática

Aula 01 Introdução e Revisão Matemática Aula 01 Introdução Rvisão Matmática Anális d Sinais Introdução Quando s fala m sinais gralmnt é associado à mdição ou ao rgisto d algum fnómno físico ou, m outras palavras, d um sistma. Portanto, sinais

Leia mais

Seja f uma função r.v.r. de domínio D e seja a R um ponto de acumulação de

Seja f uma função r.v.r. de domínio D e seja a R um ponto de acumulação de p-p8 : Continuidad d funçõs rais d variávl ral. Lr atntamnt. Dominar os concitos. Fazr rcícios. Função contínua, prolongávl por continuidad, dscontínua. Classificação d dscontinuidads. Continuidad num

Leia mais

Planificação Anual. Matemática Dinâmica 7º ano Luísa Faria; Luís Guerreiro Porto Editora. 1 Números inteiros. 10 Sequências e Regularidades

Planificação Anual. Matemática Dinâmica 7º ano Luísa Faria; Luís Guerreiro Porto Editora. 1 Números inteiros. 10 Sequências e Regularidades 3º Período 2º Período 1º Período AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CASTRO DAIRE Escola EBI de Mões Grupo de Recrutamento 500 MATEMÁTICA Ano lectivo 2012/2013 Planificação Anual Disciplina: Matemática Ano: 7º Carga

Leia mais

PSI-2432: Projeto e Implementação de Filtros Digitais Projeto Proposto: Conversor de taxas de amostragem

PSI-2432: Projeto e Implementação de Filtros Digitais Projeto Proposto: Conversor de taxas de amostragem PSI-2432: Projto Implmntação d Filtros Digitais Projto Proposto: Convrsor d taxas d amostragm Migul Arjona Ramírz 3 d novmbro d 2005 Est projto consist m implmntar no MATLAB um sistma para troca d taxa

Leia mais

Função do 2 o Grau. Uma aplicação f der emr

Função do 2 o Grau. Uma aplicação f der emr UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DE MATEMÁTICA. Dfinição Uma aplicação f

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO DE FÍSICA FÍSICA III (FIM230) /1 GABARITO DA PROVA FINAL UNIFICADA DATA: 03/07/2009

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO DE FÍSICA FÍSICA III (FIM230) /1 GABARITO DA PROVA FINAL UNIFICADA DATA: 03/07/2009 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO DE FÍSICA FÍSICA III (FIM230) - 2009/1 GABARITO DA PROVA FINAL UNIFICADA DATA: 03/07/2009 PROBLEMA 1 (Cilindros coaxiais) [ 2,5 ponto(s)] Um cilindro condutor

Leia mais

UFJF ICE Departamento de Matemática Cálculo I Terceira Avaliação 03/12/2011 FILA A Aluno (a): Matrícula: Turma: x é: 4

UFJF ICE Departamento de Matemática Cálculo I Terceira Avaliação 03/12/2011 FILA A Aluno (a): Matrícula: Turma: x é: 4 UFJF ICE Dpartamnto d Matmática Cálculo I Trcira Avaliação 0/1/011 FILA A Aluno (a): Matrícula: Turma: Instruçõs Grais: 1- A prova pod sr fita a lápis, cto o quadro d rspostas das qustõs d múltipla scolha,

Leia mais

NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES

NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES HÉLIO BERNARDO LOPES Rsumo. Em domínios divrsos da Matmática, como por igual nas suas aplicaçõs, surgm com alguma frquência indtrminaçõs, d tipos divrsos, no cálculo d its, sja

Leia mais

POTÊNCIAS EM SISTEMAS TRIFÁSICOS

POTÊNCIAS EM SISTEMAS TRIFÁSICOS Tmática ircuitos Eléctricos apítulo istmas Trifásicos POTÊNA EM TEMA TRÁO NTRODÇÃO Nsta scção studam-s as potências m jogo nos sistmas trifásicos tanto para o caso d cargas dsquilibradas como d cargas

Leia mais

Módulo II Resistores e Circuitos

Módulo II Resistores e Circuitos Módulo Claudia gina Campos d Carvalho Módulo sistors Circuitos sistência Elétrica () sistors: sistor é o condutor qu transforma nrgia létrica m calor. Como o rsistor é um condutor d létrons, xistm aquls

Leia mais

. A é uma matriz linha se m=1, A é uma matriz coluna se n=1, A é uma matriz quadrada se m=n, e neste caso diz-se que A é uma matriz de ordem n.

. A é uma matriz linha se m=1, A é uma matriz coluna se n=1, A é uma matriz quadrada se m=n, e neste caso diz-se que A é uma matriz de ordem n. Apontamntos d álgbra Linar 1 - Matrizs 11 - Dfiniçõs A é uma matriz linha s m=1 A é uma matriz coluna s n=1 A é uma matriz quadrada s m=n nst caso diz-s qu A é uma matriz d ordm n 12 - Opraçõs com matrizs

Leia mais

Lista 9: Integrais: Indefinidas e Definidas e Suas Aplicações

Lista 9: Integrais: Indefinidas e Definidas e Suas Aplicações GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO CÂMPUS JUAZEIRO/BA COLEG. DE ENG. ELÉTRICA PROF. PEDRO MACÁRIO DE MOURA MATEMÁTICA APLICADA À ADM 5. Lista 9: Intgrais:

Leia mais

Estatística II. Aula 8. Prof. Patricia Maria Bortolon, D. Sc.

Estatística II. Aula 8. Prof. Patricia Maria Bortolon, D. Sc. Estatística II Aula 8 Pro. Patricia Maria Bortolon, D. Sc. Tsts Qui Quadrado Objtivos da Aula 8 Nsta aula, você aprndrá: Como quando utilizar o tst qui-quadrado para tablas d contingência Como utilizar

Leia mais

ESTUDO DA TRANSMISSÃO DE CALOR RADIANTE E CONVECTIVO EM CILINDROS CONCÊNTRICOS PELOS MÉTODOS DE MONTE CARLO E RESÍDUOS PONDERADOS.

ESTUDO DA TRANSMISSÃO DE CALOR RADIANTE E CONVECTIVO EM CILINDROS CONCÊNTRICOS PELOS MÉTODOS DE MONTE CARLO E RESÍDUOS PONDERADOS. ESTUDO DA TRANSMISSÃO DE CALOR RADIANTE E CONVECTIVO EM CILINDROS CONCÊNTRICOS PELOS MÉTODOS DE MONTE CARLO E RESÍDUOS PONDERADOS. Carlos Albrto d Almida Villa Univrsidad Estadual d Campinas - UNICAMP

Leia mais

Módulo III Capacitores

Módulo III Capacitores laudia gina ampos d arvalho Módulo apacitors apacitors: Dnomina-s condnsador ou capacitor ao conjunto d condutors dilétricos arrumados d tal manira qu s consiga armaznar a máxima quantidad d cargas létricas.

Leia mais

1 - RECORDANDO 2 - INTERSEÇÃO ENTRE RETA E CIRCUNFERÊNCIA. Exercício Resolvido 1: Frente III. na última equação, tem-se:

1 - RECORDANDO 2 - INTERSEÇÃO ENTRE RETA E CIRCUNFERÊNCIA. Exercício Resolvido 1: Frente III. na última equação, tem-se: Matmática Frnt III CAPÍTULO 23 POSIÇÕES RELATIVAS ENTRE RETA E CIRCUNFERÊNCIA 1 - RECORDANDO Na aula passada, nós vimos as quaçõs da circunfrência, tanto com cntro na origm ( ) como a sua quação gral (

Leia mais

Planificação :: TIC - 7.º Ano :: 15/16

Planificação :: TIC - 7.º Ano :: 15/16 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO PEDRO DA COVA Escola Básica d São Pdro da Cova Planificação :: TIC - 7.º Ano :: 15/16 1.- A Informação, o conhcimnto o mundo das tcnologias A volução das tcnologias d informação

Leia mais

VI - ANÁLISE CUSTO - VOLUME - RESULTADOS

VI - ANÁLISE CUSTO - VOLUME - RESULTADOS VI - ANÁLISE CUSTO - VOLUME - RESULTADOS 6.1 Introdução ao tma Exist todo o intrss na abordagm dst tma, pois prmit a rsolução d um conjunto d situaçõs qu s aprsntam rgularmnt na vida das organizaçõs. Estas

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL LUIZ AUGUSTO MORAIS REGO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

COLÉGIO ESTADUAL LUIZ AUGUSTO MORAIS REGO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO COLÉGIO ESTADUAL LUIZ AUGUSTO MORAIS REGO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PLANO DE TRABALHO DOCENTE 2014 Profssora: Simon Apª Goms Fazolini Disciplina: MATEMÁTICA Turma: 9º ano B ESTRUTURANTES BÁSICOS Númros

Leia mais

Disciplina: Matemática. Período: I. Professor (a): Maria Aparecida Holanda Veloso e Liliane Cristina de Oliveira Vieira

Disciplina: Matemática. Período: I. Professor (a): Maria Aparecida Holanda Veloso e Liliane Cristina de Oliveira Vieira COLÉGIO LA SALLE BRASILIA Associação Brasileira de Educadores Lassalistas ABEL SGAS Q. 906 Conj. E C.P. 320 Fone: (061) 3443-7878 CEP: 70390-060 - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL Disciplina: Matemática Período:

Leia mais

Escola de Engenharia de Lorena USP Cinética Química Exercícios

Escola de Engenharia de Lorena USP Cinética Química Exercícios Escola d Engnharia d Lorna USP Lista 8 1 (P2 2003) - Esboc os sguints gráficos: 1) Concntração vrsus tmpo 2) Convrsão vrsus tmpo para uma ração rvrsívl com: ) Baixa convrsão no quilíbrio; B) Elvada convrsão

Leia mais

Álgebra. Matrizes. . Dê o. 14) Dada a matriz: A =.

Álgebra. Matrizes.  . Dê o. 14) Dada a matriz: A =. Matrizs ) Dada a matriz A = Dê o su tipo os lmntos a, a a ) Escrva a matriz A, do tipo x, ond a ij = i + j ) Escrva a matriz A x, ond a ij = i +j ) Escrva a matriz A = (a ij ) x, ond a ij = i + j ) Escrva

Leia mais

ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE ANGRA DO HEROÍSMO Plano da Unidade

ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE ANGRA DO HEROÍSMO Plano da Unidade Unidade de Ensino: OPERAÇÕES COM NÚMEROS RACIONAIS ABSOLUTOS (adição e subtracção). Tempo Previsto: 3 semanas O reconhecimento do conjunto dos racionais positivos, das diferentes formas de representação

Leia mais

OFICINA 9-2ºSementre / MATEMÁTICA 3ª SÉRIE / QUESTÕES TIPENEM Professores: Edu Vicente / Gabriela / Ulício

OFICINA 9-2ºSementre / MATEMÁTICA 3ª SÉRIE / QUESTÕES TIPENEM Professores: Edu Vicente / Gabriela / Ulício OFICINA 9-2ºSmntr / MATEMÁTICA 3ª SÉRIE / QUESTÕES TIPENEM Profssors: Edu Vicnt / Gabrila / Ulício 1. (Enm 2012) As curvas d ofrta d dmanda d um produto rprsntam, rspctivamnt, as quantidads qu vnddors

Leia mais

Guião do Professor :: TEMA 2 1º Ciclo

Guião do Professor :: TEMA 2 1º Ciclo Guião do Profssor :: 1º Ciclo quipas! A roda dos alimntos ~ Guiao do Profssor Vamos fazr quipas! :: A roda dos alimntos quipas! Como xplorar o tma Slid 1 Aprsntam-s, no primiro slid d forma disprsa sm

Leia mais

Funções Trigonométricas

Funções Trigonométricas Funçõs Trigonométricas META: Introduzir as principais funçõs trigonométricas: sno, cossno tangnt. AULA 7 OBJETIVOS: Dfinir as funçõs sno, cossno tangnt. Mostrar algumas idntidads trigonométricas. Calcular

Leia mais

MATEMÁTICA 1º ANO Objetivo Geral CONTEÚDOS: OBJETIVOS

MATEMÁTICA 1º ANO Objetivo Geral CONTEÚDOS: OBJETIVOS MATEMÁTICA 1º ANO Objetivo Geral: Reconhecer o fazer matemático em situações rotineiras a fim deste se familiarizar com tais situações, favorecendo o desenvolvimento de seu raciocínio lógico-matemático

Leia mais

Experiência n 2 1. Levantamento da Curva Característica da Bomba Centrífuga Radial HERO

Experiência n 2 1. Levantamento da Curva Característica da Bomba Centrífuga Radial HERO 8 Expriência n 1 Lvantamnto da Curva Caractrística da Bomba Cntrífuga Radial HERO 1. Objtivo: A prsnt xpriência tm por objtivo a familiarização do aluno com o lvantamnto d uma CCB (Curva Caractrística

Leia mais

PERFIL DE APRENDIZAGENS ESPECÍFICAS DESCRITORES DE DESEMPENHO DO ALUNO: L E II (FRANCÊS)- 3.º CICLO

PERFIL DE APRENDIZAGENS ESPECÍFICAS DESCRITORES DE DESEMPENHO DO ALUNO: L E II (FRANCÊS)- 3.º CICLO ESCOLA ESCOLA SECUNDÁRIA MOUZINHO DA SILVEIRA ANO LETIVO: 2016/2017 SERVIÇO DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS / GRUPO DISCIPLINAR 320 (Francês) DATA: stmbro 2016 PERFIL DE APRENDIZAGENS ESPECÍFICAS DESCRITORES DE

Leia mais

ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE ANGRA DO HEROÍSMO. Plano da Unidade

ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE ANGRA DO HEROÍSMO. Plano da Unidade Unidade de Ensino: OPERAÇÕES COM NÚMEROS RACIONAIS ABSOLUTOS (adição e subtracção). Tempo Previsto: 3 semanas O reconhecimento do conjunto dos racionais positivos, das diferentes formas de representação

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Pinheiro Escola Básica e Secundária de Pinheiro

Agrupamento de Escolas de Pinheiro Escola Básica e Secundária de Pinheiro Agrupamnto Escolas Pinhiro Escola Básica Scundária Pinhiro Ano: 7.º Turma: A Disciplina: Formação Cívica Ano Ltivo: 2011/ 2012 PLANIFICAÇÃO DE FORMAÇÃO CÍVICA Dirtora Turma: Mónica Olivira Tmas/contúdos

Leia mais

Setembro/outubro Blocos Conteúdos Objetivos Específicos Atividades Avaliação. Observações. 1. A sua identificação À DESCOBERTA DE SI MESMO

Setembro/outubro Blocos Conteúdos Objetivos Específicos Atividades Avaliação. Observações. 1. A sua identificação À DESCOBERTA DE SI MESMO AGRUPAMENTO d ESCOLAS d PEDRÓGÃO GRANDE Stmbro/outubro 1. A sua idntificação 2. Os sus gostos prfrências 3. O su corpo Conhcr: nom próprio, nom d família/aplido, sxo, idad ndrço. Slcionar jogos brincadiras,

Leia mais

MATEMÁTICA - 2º ANO. Novo programa de matemática Objetivos específicos

MATEMÁTICA - 2º ANO. Novo programa de matemática Objetivos específicos MATEMÁTICA - 2º ANO NÚMEROS E OPERAÇÕES Números naturais Noção de número natural Relações numéricas Sistema de numeração decimal Classificar e ordenar de acordo com um dado critério. Realizar contagens

Leia mais

Prova Final de Matemática 1.º Ciclo do Ensino Básico. Caderno 1: 45 minutos. Tolerância: 15 minutos. Prova 42/1.ª Fase. Prova Final de Matemática

Prova Final de Matemática 1.º Ciclo do Ensino Básico. Caderno 1: 45 minutos. Tolerância: 15 minutos. Prova 42/1.ª Fase. Prova Final de Matemática Prova Final de Matemática 1.º Ciclo do Ensino Básico Prova 42/1.ª Fase/2014 Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho A PREENCHER PELO ALUNO Nome completo Documento de identificação Assinatura do Aluno CC

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL 2016/2017 MATEMÁTICA- 3ºANO

PLANIFICAÇÃO ANUAL 2016/2017 MATEMÁTICA- 3ºANO Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares Direção de Serviços da Região do Algarve Agrupamento de Escolas José Belchior Viegas (Sede: Escola Secundária José Belchior Viegas) PLANIFICAÇÃO ANUAL 2016/2017

Leia mais

ONDAS ELETROMAGNÉTICAS EM MEIOS CONDUTORES

ONDAS ELETROMAGNÉTICAS EM MEIOS CONDUTORES LTROMAGNTISMO II 3 ONDAS LTROMAGNÉTICAS M MIOS CONDUTORS A quação d onda dduida no capítulo antrior é para mios sm prdas ( = ). Vamos agora ncontrar a quação da onda m um mio qu aprsnta condutividad não

Leia mais

Geometria e Medida. Números e Operações. Domínios/Subdomínios Objetivos gerais Descritores de desempenho Avaliação. - Atenção.

Geometria e Medida. Números e Operações. Domínios/Subdomínios Objetivos gerais Descritores de desempenho Avaliação. - Atenção. Conselho de Docentes do 3º Ano PLANIFICAÇÃO Anual de Matemática Domínios/Subdomínios Objetivos gerais Descritores de desempenho Avaliação Geometria e Medida Localização e orientação no espaço Coordenadas

Leia mais

Você mora na capital ecológica do Brasil. Curitiba tem muitos parques e bosques.

Você mora na capital ecológica do Brasil. Curitiba tem muitos parques e bosques. Colégio Nossa Snhora d Sion Troca do livro Liçõs d Português História 4º ano 4º A 4º B 4º C sxta-fira quarta-fira sgunda-fira Curitiba, 28 d março d 2016. Sgunda-fira 1. Lia o txto abaixo conhça um grand

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio. Habilitação Profissional: Técnico em informática para Internet Integrado ao Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio. Habilitação Profissional: Técnico em informática para Internet Integrado ao Ensino Médio Plano d Trabalho Docnt - 2015 Ensino Médio Código: 0262 ETEC ANHANQUERA Município: Santana d Parnaíba Ára d Conhcimnto: Ciências da Naturza Componnt Curricular: Física Séri: 2ª Eixo Tcnológico: Informação

Leia mais

CURRÍCULO DA DISCIPLINA MATEMÁTICA / CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2013/2014 1º Ciclo Matemática 3º Ano Metas / Objetivos Instrumentos de Domínios e

CURRÍCULO DA DISCIPLINA MATEMÁTICA / CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2013/2014 1º Ciclo Matemática 3º Ano Metas / Objetivos Instrumentos de Domínios e de Avaliação Números e Operações Números Sistema de decimal Adição e subtração Multiplicação Conhecer os numerais ordinais Contar até ao milhão Conhecer a romana Descodificar o sistema de decimal Adicionar

Leia mais

FILTROS. Assim, para a frequência de corte ω c temos que quando g=1/2 ( )= 1 2 ( ) = 1 2 ( ) e quando = 1 2

FILTROS. Assim, para a frequência de corte ω c temos que quando g=1/2 ( )= 1 2 ( ) = 1 2 ( ) e quando = 1 2 FILTROS Como tmos visto, quando tmos lmntos rativos nos circuitos, as tnsõs sobr os lmntos d um circuitos m CA são dpndnts da frquência. Est comportamnto m circuitos montados como divisors d tnsão prmit

Leia mais

1º período. Conhecer os algarismos que compõem o SND (0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9). Diferenciar algarismos e números.

1º período. Conhecer os algarismos que compõem o SND (0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9). Diferenciar algarismos e números. 1º período Os números naturais: Sistema de Numeração Decimal. (SND). Pág.30 a 32. Um pouco de história: sistema de numeração dos romanos. Pág. 33 a 35 Os números naturais. Pág. 36 e 37 Sistema de Numeração

Leia mais

Colégio Laura Vicunha Ano Letivo 2016/ º Ciclo Português (1.º/ 2.º ano) CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO

Colégio Laura Vicunha Ano Letivo 2016/ º Ciclo Português (1.º/ 2.º ano) CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO Colégio Laura Vicunha Ano Letivo 20162017 1.º Ciclo Português (1.º 2.º ano) CRITÉRIOS GRAIS D AVALIAÇÃO 1.º e 2.º ano Ponderação Domínios Objetivos Instrumentos de avaliação ORALIDAD Respeitar regras da

Leia mais