ATRASO NA AQUISIÇÃO DE FERTILIZANTES EM 2015

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ATRASO NA AQUISIÇÃO DE FERTILIZANTES EM 2015"

Transcrição

1 1 COMMODITY INTELLIGENCE ATRASO NA AQUISIÇÃO DE FERTILIZANTES EM 2015 Impactos da logística apresenta:

2 2 INTRODUÇÃO O mercado doméstico de grãos vem se comportando de maneira atípica na safra 2014/15, o que pode trazer consequências para a o próximo ciclo, que já está próximo de começar. Isso porque os produtores de soja não venderam o grão desta temporada no mesmo ritmo das safras anteriores. Houve (e ainda há) um grande atraso na comercialização, causado por diversos fatores conjunturais, que, consequentemente, retardaram também a compra de fertilizantes para a próxima safra. Como grande parte dos fertilizantes utilizados no país são importados e cerca de 40% do total consumido é aplicado no cultivo da soja, já se observa uma movimentação abaixo do normal nos portos neste início de ano. Isso pode gerar um stress logístico nos portos no segundo semestre deste ano, já que o Brasil possui limitações importantes neste quesito. Com isso, analisaremos neste estudo as possibilidades de que ocorra um caos logístico nos portos do Brasil durante os meses que antecedem o plantio da safra de verão, em função do atraso nas aquisições de fertilizantes por parte dos produtores de grãos. NATALIA ORLOVICIN Analista de Mercado Inteligência de Mercado

3 3 ATRASO NA AQUISIÇÃO DE FERTILIZANTES Alguns fatores conjunturais do mercado de grãos em destaque desde o ano passado fizeram com que ocorresse um atraso na comercialização tanto da soja, quanto dos fertilizantes. O primeiro deles foi a queda dos preços internos do grão em 2014 (intensificada no segundo semestre), influenciada diretamente pelos preços internacionais e pela safra recorde dos Estados Unidos. Ocorreram também alguns problemas climáticos no início da safra brasileira, o que causou um grande atraso do plantio em algumas regiões. Isso inibiu fortemente as vendas por parte dos produtores, que também adiaram a aquisição dos insumos, uma vez que em muitos casos é comum se fazer a troca de um pelo outro. Comercialização de Soja MT Em maio, a comercialização de soja no Mato Grosso estava em 74,4% da produção, enquanto na mesma época do ano anterior era de 81,4%. Fonte: Imea

4 4 Além disso, a desvalorização da soja no mercado internacional piorou a relação de troca com os grãos para o produtor. Vale dizer que a aquisição dos fertilizantes ficou efetivamente mais cara para os agricultores. Relação de Troca (soja/fertilizante) base Paranaguá Considerando a mistura de fertilizantes padrão para a soja conhecida como 0,20,20, observa-se que o número de sacas do grão necessárias para aquisição de uma tonelada da mistura aumentou significativamente desde o início do ano passado. Fonte: INTL FCStone Especula-se que isso poderia levar a uma sobrecarga nos portos durante o segundo semestre de 2015, uma vez que a janela de aquisição de fertili- zantes começa a se fechar. Na próxima seção, detalharemos sobre as possibilidades de que isso realmente ocorra.

5 5 CAOS LOGÍSTICO? A fim de entender e dimensionar a capacidade brasileira de absorver as importações remanescentes de fertilizantes foram considerados dois cenários distintos a respeito da necessidade para atender as aplicações nas lavouras soja e milho neste ano: 17,48 e 19,42 milhões de toneladas, que significam, respectivamente, uma redução e um aumento de 5% em relação ao ano anterior. Acredita-se mais fortemente, porém, na queda das aplicações, em função da conjuntura atual de preços mais elevados em função da valorização do dólar frente ao real e uma piora na relação de troca para o produtor (como mostrado anteriormente). Oferta e Demanda de Fertilizantes Brasil Projeção 2015 (milhões de toneladas) Cenários 1* 2** Demanda Soja+Milho 17,5 19,3 Demanda até outubro - outras culturas 11,4 11,4 Demanda Total 28,8 30,7 Além disso, estimamos que a demanda por fertilizantes para as demais culturas agrícolas no Brasil até outubro 1, deve ser ao redor de 11,3 milhões de toneladas. Com isso, será necessário atender a uma demanda por produtos fertilizantes até o mês de outubro entre 28,8 e 30,6 milhões de toneladas. Do lado da oferta, estimamos que a produção doméstica de fertilizantes até o final de setembro deva ficar em 7,1 milhão de toneladas, representando uma recuperação em relação ao ano de O estoque inicial em 2015 foi de 5 milhões de toneladas e as importações até o final do mês de maio totalizaram 6,7 milhões de toneladas 3. Dessa forma, temos uma oferta existente de cerca de 18,8 milhões de toneladas, com uma demanda a ser coberta pelas importações entre junho e setembro entre 10 e 11,8 milhões de toneladas. Estoque Inicial 5,0 5,0 Produção doméstica 7,1 7,1 Importações (até maio/15) 6,7 6,7 Oferta realizada 18,8 18,8 Demanda Descoberta 10,0 11,9 Capacidade Máxima Importação (jun-set) 10,8 10,8 Saldo - Capacidade x Importações 0,8-1,1 *O cenário 1 corresponde a uma redução de 5% na demanda por fertilizantes para aplicação nas lavouras de soja e milho. **O cenário 2 considera um aumento de 5% na demanda por fertilizantes para aplicação nas lavouras de soja e milho. Fonte: ANDA / MDIC / INTL FCStone 1 Para o presente estudo, só é relevante o consumo das demais culturas até outubro, porque corresponde ao produto a ser produzido/importado até o final de setembro. O consumo de novembro e dezembro pode ser abastecido pela oferta gerada entre outubro e dezembro. 2 Até o final do mês de abril a produção doméstica havia apresentado um aumento de 8,5% em relação ao mesmo período de Para os dados até abril foram utilizadas as estatísticas da ANDA (Associação Nacional para Difusão do Adubo) e para as importações de maio a fonte foi o MDIC (Ministério de Desenvolvimento Indústria e Comércio). Nesse caso é possível que haja uma revisão dos dados com a divulgação pela ANDA na próxima semana.

6 { 6 PORTOS SOB PRESSÃO Consumo de fertilizantes - Brasil Participação das importações de fertilizantes por porto (%) 60% destinado à safra de verão de grãos { 7% 2% Importação de fertilizantes Portos do Brasil { CAPACIDADE 10,8 milhões de toneladas 6% 1% 2% NECESSIDADE 10 milhões de toneladas 8% 15% 1% 16% 3% 31% 6% A capacidade máxima foi calculada com base na média entre os 3 maiores valores mensais já observados para a importação de fertilizantes em cada porto nos últimos 3 anos, com uma correção de 5% para baixo.

7 Como foi apresentado no infográfico, a capacidade máxima de absorção dos portos entre os meses de junho e setembro é de 10,8 milhões de toneladas de fertilizantes, ou seja, muito próximo do mínimo considerado necessário neste ano, que é de 10 milhões. Nesse cenário os portos enfrentarão uma considerável pressão nos próximos meses, resultando em mais dias de demurrage4, filas nos portos e, consequentemente, um encarecimento dos preços dos fertilizantes, afetando principalmente os compradores de última hora. A partir desse cenário otimista, há um conjunto de fatores extras que aumentam a gravidade da questão. Por exemplo, a importação abaixo da capacidade máxima nos meses de junho e julho ou um cenário de demanda acima do mínimo, pode levar a problemas mais sérios, como escassez de produto. Indo além, se considerarmos que o es- 4 7 toque, produção e capacidade de importação não estão distribuídos da mesma forma que a demanda5, há uma grande possibilidade de que algumas regiões enfrentem dificuldade em obter produto no período necessário e tenham que incorrer em custos logísticos para movimentar produtos pelo país. Ressalta-se que a grande distância entre os diversos clusteres agrícolas e a má qualidade da malha rodoviária levariam a um forte aumento dos preços nesse caso. Portanto, conclui-se que o suprimento de fertilizantes para a próxima safra de grãos enfrentará sérias dificuldades. Nesse contexto, acreditamos que deve ocorrer um hiato entre a ampla oferta internacional e a escassez doméstica de fertilizantes, com movimento altista de preços no interior do Brasil entre os meses de julho e outubro. Além disso os maiores custos logísticos também influenciarão os preços e há inclusive risco de escassez de produto em algumas regiões. Taxa cobrada por cada dia de espera do navio no porto que em geral significa o acréscimo de 1 US$ por tonelada por dia de espera do navio. 5 No presente trabalho nos concentramos na questão nacional, para analisar o cenário para cada região seria necessário rastrear os estoques e importações por tipo de produto em cada cluser agrícola e a demanda estimada.

8 8 Gostou deste relatório? Entre em contato conosco e saiba mais sobre nossos serviços A negociação de derivativos, tais como futuros, opções e swaps pode não ser adequada para todos os investidores. A negociação de derivativos envolve riscos substanciais de perda, e você deve compreender completamente esses riscos antes de negociar. Resultados financeiros passados não são necessariamente indicativos de desempenho futuro. Todas as referências à negociação de futuros/opções são feitas exclusivamente em nome da INTL FCStone. Todas as referências à execução de swaps e swaps bilaterais são feitas exclusivamente em nome da INTL FCStone. A INTL FCStone realizará o clearing de swaps quando for aplicável. Swaps estão disponíveis somente para contrapartes elegíveis. Este material não deve ser interpretado como uma solicitação de estratégias de negociação e/ou serviços de negociação prestados pela INTL FCStone observados nesta apresentação. A INTL FCStone não é responsável por qualquer redistribuição deste material por terceiros, ou quaisquer decisões comerciais tomadas por pessoas às quais este material não se destina. As informações contidas neste documento foram obtidas de fontes que acreditados ser de confiança, mas não há garantias quanto à sua exatidão. Entre em contato com o pessoal designado da INTL FCStone para consultoria específica em negociações que atendam às suas preferências comerciais. Estes materiais representam as opiniões e pontos de vista do autor, e não necessariamente refletem os pontos de vista e estratégias de negociação empregadas pela INTL FCStone. Todas as declarações de previsões feitas dentro desse material representam as opiniões do autor, salvo indicação do contrário. Informações factuais tomadas como confiáveis foram usadas para formular estas declarações de opinião, e nós não podemos garantir a exatidão e integridade das informações que estão sendo invocadas. Dessa forma, estas declarações não refletem necessariamente os pontos de vista e estratégias de negociação empregadas pela INTL FCStone. Todas as previsões de condições de mercado são inerentemente subjetivas e especulativas, e resultados reais e previsões subsequentes podem variar significativamente em relação a essas previsões. Nenhuma garantia é feita de que essas previsões serão alcançadas. Todos os exemplos são fornecidos apenas para fins ilustrativos, e não significam que nenhuma pessoa poderá ou terá probabilidade de conseguir lucros ou perdas similares àqueles dos exemplos. A reprodução ou o uso em qualquer formato sem autorização são proibidos. Todos os direitos reservados.

Estimativa de Safra. 2016/17 Soja e Milho

Estimativa de Safra. 2016/17 Soja e Milho Estimativa de Safra 2016/17 Soja e Milho Soja A estimativa de safra de novembro da INTL FCStone não traz alterações para a cultura da soja, mantendo a expansão de 0,9% na área plantada em 2016/17. Mesmo

Leia mais

Perspectivas para os mercados de soja e milho.

Perspectivas para os mercados de soja e milho. Perspectivas para os mercados de soja e milho www.intlfcstone.com Aviso Legal A negociação de derivativos, tais como futuros, opções e swaps pode não ser adequada para todos os investidores. A negociação

Leia mais

PERSPECTIVAS PARA O DÓLAR EM 2015

PERSPECTIVAS PARA O DÓLAR EM 2015 PERSPECTIVAS PARA O DÓLAR EM 2015 26 de março de 2015 Lígia Pedrozo Heise Inteligência de Mercado Aviso Legal A negociação de derivativos, tais como futuros, opções e swaps pode não ser adequada para todos

Leia mais

Mato Grosso e Mato Grosso do Sul

Mato Grosso e Mato Grosso do Sul Mato Grosso e Mato Grosso do Sul Olá, mais uma vez! Após a série de cinco relatórios do Giro da Safra, em 2015, chegamos a uma nova sequência de análises e acompanhamentos de safra. Nesta segunda edição

Leia mais

PANORAMAS DE MERCADO DE GRÃOS: MILHO E SOJA FLAVIO ANTUNES CONSULTOR EM GERENCIAMENTO DE RISCOS. Bebedouro, 21 de junho de 2017

PANORAMAS DE MERCADO DE GRÃOS: MILHO E SOJA FLAVIO ANTUNES CONSULTOR EM GERENCIAMENTO DE RISCOS. Bebedouro, 21 de junho de 2017 PANORAMAS DE MERCADO DE GRÃOS: MILHO E SOJA FLAVIO ANTUNES CONSULTOR EM GERENCIAMENTO DE RISCOS Bebedouro, 21 de junho de 2017 Disclaimer A INTL FCStone não é responsável por qualquer redistribuição deste

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL JUNHO/2017. Fertilizantes. por Fábio Rezende e Pedro Shinzato

RELATÓRIO MENSAL JUNHO/2017. Fertilizantes. por Fábio Rezende e Pedro Shinzato RELATÓRIO MENSAL JUNHO/2017 Fertilizantes por Fábio Rezende e Pedro Shinzato fabio.rezende@intlfcstone.com pedro.shinzato@intlfcstone.com Aviso legal A negociação de derivativos, tais como futuros, opções

Leia mais

TRILOGIA - IMPACTOS DO DÓLAR

TRILOGIA - IMPACTOS DO DÓLAR Trilogia Impactos do dólar 1 COMMODITY INTELLIGENCE apresenta: TRILOGIA - IMPACTOS DO DÓLAR relatório I Impactos do dólar sobre o custo com fertilizantes Trilogia Impactos do dólar 2 INTRODUÇÃO Com o objetivo

Leia mais

Relatório Mensal de Câmbio e Macroeconomia. Abril/15 INTL FCStone Inc.

Relatório Mensal de Câmbio e Macroeconomia. Abril/15 INTL FCStone Inc. Relatório Mensal de Câmbio e Macroeconomia Abril/15 INTL FCStone Inc. Aviso Legal A negociação de derivativos, tais como futuros, opções e swaps pode não ser adequada para todos os investidores. A negociação

Leia mais

BOLETIM DO MILHO Nº 13

BOLETIM DO MILHO Nº 13 BOLETIM DO MILHO Nº 13 COMERCIALIZAÇÃO O acompanhamento semanal de safras do DERAL indica que foram comercializadas, no Paraná, até o momento, 10,4 milhões de toneladas de milho, o que representa 73% da

Leia mais

O MERCADO DE SOJA 1. INTRODUÇÃO

O MERCADO DE SOJA 1. INTRODUÇÃO O MERCADO DE SOJA 1. INTRODUÇÃO A cultura da soja apresenta relevante importância para a economia brasileira, sendo responsável por uma significativa parcela na receita cambial do Brasil, destacando-se

Leia mais

Fechamento dos Mercados Segunda-feira 07/11/16 granoeste.com.br (45) Atual Ant. Dif.

Fechamento dos Mercados Segunda-feira 07/11/16 granoeste.com.br (45) Atual Ant. Dif. COMPLEXO SOJA CBOT - Soja (U$/Bushel = 27,216) Máx Min NOV 989,25 981,50 7,75 992,00 981,75 JAN 998,50 990,75 7,75 1.001,75 990,00 MAR 1005,50 997,25 8,25 1.007,75 996,25 MAI 1012,25 1004,00 8,25 1.014,25

Leia mais

CONJUNTURA MENSAL MAIO

CONJUNTURA MENSAL MAIO SOJA - MATO GROSSO CONJUNTURA MENSAL MAIO ANO 1 Nº1 O mercado de soja tem observado movimentação de queda em seus preços, decorrente principalmente das evoluções no lado da oferta, tanto em âmbito nacional

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL DE FERTILIZANTES Outubro/2015

RELATÓRIO MENSAL DE FERTILIZANTES Outubro/2015 RELATÓRIO MENSAL DE FERTILIZANTES Outubro/2015 UREIA 2 Mercado Internacional - Os Estados Unidos e o Brasil atrasaram as aquisições de nitrogenados para as aplicações de outono e da segunda safra de milho,

Leia mais

Relatório Mensal de Exportações

Relatório Mensal de Exportações Relatório Mensal de Exportações INTL FCStone Inc. Outubro de 15 Soja Obs.: Os dados deste relatório se referem às exportações dos meses de janeiro a outubro de 2015 Mil Toneladas Soja Exportações acumuladas

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mês de referência: NOVEMBRO/2011 CEPEA - SOJA I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Diferenciais de preços 2. Estimativa do valor das alternativas de

Leia mais

Fundamentos de mercado Grãos.

Fundamentos de mercado Grãos. Fundamentos de mercado Grãos. www.intlfcstone.com www.intlfcstone.com.br Étore Baroni Curitiba PR, 11 novembro 2016 Disclaimer A negociação de derivativos, tais como futuros, opções e swaps pode não ser

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL DE FERTILIZANTES Dezembro/2016

RELATÓRIO MENSAL DE FERTILIZANTES Dezembro/2016 RELATÓRIO MENSAL DE FERTILIZANTES Dezembro/2016 UREIA 2 Mercado Internacional - A Índia foi o foco das atenções do mês. A trading estatal STC havia aberto um leilão reverso para importação de ureia, recebendo

Leia mais

1- CENÁRIOS DO MERCADO E PREÇOS PARA SOJA, MILHO E TRIGO SAFRA 2014/15.

1- CENÁRIOS DO MERCADO E PREÇOS PARA SOJA, MILHO E TRIGO SAFRA 2014/15. 1- CENÁRIOS DO MERCADO E PREÇOS PARA SOJA, MILHO E TRIGO SAFRA 2014/15. 1.1 - SOJA No caso da soja a produção mundial nas últimas 2 safras aumentou em 17% e a produção prevista para 2014/15 pelo Departamento

Leia mais

Soja: Tudo é relativo! 24 de outubro de 2017

Soja: Tudo é relativo! 24 de outubro de 2017 Soja: Tudo é relativo! 24 de outubro de 2017 O atraso no plantio da soja que preocupa o mercado é baseado principalmente no problema localizado no Mato Grosso. Entre as regiões produtoras, o estado é o

Leia mais

FERTILIZANTES E GLIFOSATO SOBEM MAIS DE 30% NA SAFRA 2007/08

FERTILIZANTES E GLIFOSATO SOBEM MAIS DE 30% NA SAFRA 2007/08 Custos Soja FERTILIZANTES E GLIFOSATO SOBEM MAIS DE 30% NA SAFRA 2007/08 Os reajustes de fertilizantes e glifosato da safra 2006/07 para a 2007/08 de soja no Centro-Oeste são históricos, ultrapassando

Leia mais

Milho RELATÓRIO SEMANAL. Safra 2017/18 de milho no Brasil deve sentir efeitos da boa produtividade do ciclo 2016/17

Milho RELATÓRIO SEMANAL. Safra 2017/18 de milho no Brasil deve sentir efeitos da boa produtividade do ciclo 2016/17 RELATÓRIO SEMANAL Milho por Ana Luiza Lodi analuiza.lodi@intlfcstone.com 16 de outubro de 2017 Safra 2017/18 de milho no Brasil deve sentir efeitos da boa produtividade do ciclo 2016/17 Milho tem ganhos

Leia mais

Volatilidade cambial e commodities. Cenários para 2016

Volatilidade cambial e commodities. Cenários para 2016 Volatilidade cambial e commodities Cenários para 2016 jan-13 mar-13 mai-13 jul-13 set-13 nov-13 jan-14 mar-14 mai-14 jul-14 set-14 nov-14 jan-15 mar-15 mai-15 jul-15 set-15 nov-15 jan-16 mar-16 Trajetória

Leia mais

Soja: muito grão e pouco óleo 22 de novembro de 2016

Soja: muito grão e pouco óleo 22 de novembro de 2016 Soja: muito grão e pouco óleo 22 de novembro de 2016 Nos últimos dias, apareceram notícias sobre a volta de algumas unidades esmagadoras às atividades. Há alguns meses, muitas unidades encerraram suas

Leia mais

Preço médio da Soja em Mato Grosso do Sul Período de 10/06 á 14/06 - Em R$ por saca de 60 kg.

Preço médio da Soja em Mato Grosso do Sul Período de 10/06 á 14/06 - Em R$ por saca de 60 kg. SOJA» MERCADO INTERNO O período correspondente a segunda semana do mês de junho foi de ajuste nos preços do mercado interno da soja com leve desvalorização. Houve um recuo de 2,66% nos preços praticados

Leia mais

Grãos: Olha moço, é sojão! 09 de janeiro de 2017

Grãos: Olha moço, é sojão! 09 de janeiro de 2017 Grãos: Olha moço, é sojão! 9 de janeiro de 17 O mercado brasileiro vive um momento de euforia com as perspectivas da safra de soja. As revisões da estimativa de produção de soja são noticias na mídia quase

Leia mais

No mês de janeiro houve queda no preço médio em quase todos os estados, com exceção de Goiás.

No mês de janeiro houve queda no preço médio em quase todos os estados, com exceção de Goiás. BOLETIM DO COMPLEXO SOJA 1. Grão: No mês de janeiro houve queda no preço médio em quase todos os estados, com exceção de Goiás. Mesmo com a queda no preço Santa Catarina obteve a maior média de preços

Leia mais

Atualmente lavouras da Região Centro-Sul, principalmente Guarapuava e União da Vitória, estão sendo afetadas pela estiagem.

Atualmente lavouras da Região Centro-Sul, principalmente Guarapuava e União da Vitória, estão sendo afetadas pela estiagem. Data : 11/03/2004 Hora : Título: Milho Fonte: Autor: Vera da Rocha Matéria: Apesar dos problemas climáticos no Paraná, ou seja, chuvas irregulares e mal distribuídas desde o início do ano, a produção da

Leia mais

GIRASSOL Período: Julho de 2012

GIRASSOL Período: Julho de 2012 GIRASSOL Período: Julho de 2012 QUADRO I PREÇOS PAGO AO PRODUTOR (R$ 60/Kg) Centro de Referência Un Período Anteriores Período atual Variação (%) Julho/11 Julho/12 Preços Mínimos (60/Kg) Centro Sul 60

Leia mais

Solavancos não impedem recorde na soja

Solavancos não impedem recorde na soja Solavancos não impedem recorde na soja Perdas pontuais afetam potencial do Brasil, mas país registra marca histórica na produção da oleaginosa, chegando a 99,2 milhões de toneladas O balanço entre área

Leia mais

Edição 37 (Março2014)

Edição 37 (Março2014) Edição 37 (Março2014) Cenário Econômico: PIB brasileiro cresce 2,3% em 2013 e chega a R$ 4,8 trilhões A economia brasileira cresceu 0,7% no quarto trimestre de 2013, na comparação com os três meses anteriores,

Leia mais

REGIÕES DE MAIOR CONCENTRAÇÃO NA PRODUÇÃO DE SOJA NO BRASIL

REGIÕES DE MAIOR CONCENTRAÇÃO NA PRODUÇÃO DE SOJA NO BRASIL RELATÓRIO DA SAFRA DE SOJA E MILHO REGIÕES DE MAIOR CONCENTRAÇÃO NA PRODUÇÃO DE SOJA NO BRASIL Relatório do USDA traz levantamento das regiões de produção de soja no Brasil, com a concentração da produção

Leia mais

CONJUNTURA QUINZENAL 16 A 30/11/2015

CONJUNTURA QUINZENAL 16 A 30/11/2015 SOJA - MATO GROSSO CONJUNTURA QUINZENAL 16 A 30/11/2015 ANO 1 Nº9 O ritmo intenso de plantio da soja em Mato Grosso ao longo de todo o mês de novembro contribuiu para que a marca de 95,6% fosse atingida

Leia mais

TRIGO Período de 27 a 30/07/2015

TRIGO Período de 27 a 30/07/2015 TRIGO Período de 27 a 30/07/205 Tabela I - PREÇO PAGO AO PRODUTOR (em R$/60 kg) Centro de Produção Unid. 2 meses Períodos anteriores mês (*) semana Preço PR 60 kg 34,43 34,35 34,45 34,42 Semana Atual Preço

Leia mais

Esalq a vista 148,77-0,77 149,54

Esalq a vista 148,77-0,77 149,54 COTAÇÕES AGRÍCOLAS SEMANAL SEMANA: 52 sexta-feira, 23 de dezembro de 216 BOI (contrato 33@) - Em R$/@ Esalq a vista 148,77 -,77 149,54 dez/16 149,59 -,12 149,5 149,99 1 2.59 149,71-39,6 jan/17 149,5 1,1

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: FEVEREIRO/2012 CEPEA - SOJA I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Diferenciais de preços 2. Estimativa do valor das alternativas

Leia mais

TRIGO Período de 03 a 07/08/2015

TRIGO Período de 03 a 07/08/2015 TRIGO Período de 03 a 07/08/205 Tabela I - PREÇO PAGO AO PRODUTOR (em R$/60 kg) Centro de Produção Unid. 2 meses Períodos anteriores mês (*) semana Preço PR 60 kg 34,43 34,35 34,42 34,30 Semana Atual Preço

Leia mais

CONJUNTURA QUINZENAL 01 A 15/02/2016

CONJUNTURA QUINZENAL 01 A 15/02/2016 SOJA - MATO GROSSO CONJUNTURA QUINZENAL 01 A 15/02/2016 ANO 2 Nº14 A colheita avança e começa a derrubar os preços da soja em Mato Grosso. De acordo com dados do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária

Leia mais

Fonte: IMEA

Fonte: IMEA Milhares de toneladas Milho-Análise PREFERÊNCIA SOJA/MILHO: Todo inicio de safra o produtor mato- grossense tem três grandes opções de uso das suas áreas: algodão safra, soja e algodão 2 safra, e o mais

Leia mais

SOJA Período: 11 a 15/05/ meses mês semana. Períodos anteriores. Paridade Exportação Centro de Referência Unid Efetivo (1)

SOJA Período: 11 a 15/05/ meses mês semana. Períodos anteriores. Paridade Exportação Centro de Referência Unid Efetivo (1) SOJA Período: 11 a 15/05/2015 Centro de Produção Quadro I - PREÇO PAGO AO PRODUTOR (em R$) Unid Períodos anteriores 12 1 1 meses mês semana Média mercado Semana atual Composto atacado Preço Mínimo SORRISO-MT

Leia mais

RESENHA SEMANAL 6-07 A 13/05/2017

RESENHA SEMANAL 6-07 A 13/05/2017 RESENHA SEMANAL 6-07 A 13/05/2017 INDICADORES: No Boletim Focus desta semana, as previsões para o IPC-Fipe e Investimento Direto no país pioraram, enquanto foram mais otimistas para IPCA, Balança Comercial

Leia mais

Perspec8vas para a agropecuária brasileira para os próximos cinco anos

Perspec8vas para a agropecuária brasileira para os próximos cinco anos www.imea.com.br Perspec8vas para a agropecuária brasileira para os próximos cinco anos Daniel Latorraca Superintendente Agenda Visão da cadeia de grãos nos últimos 10 anos Visão da pecuária nos últimos

Leia mais

LA NIÑA Impactos sobre as commodities. por

LA NIÑA Impactos sobre as commodities. por por 1950 1953 1956 1960 1963 1966 1970 1973 1976 1980 1983 1986 1990 1993 1996 2000 2003 2006 2010 2013 2016 Variação da temperatura ante normal de 30 anos ( C) LA NIÑA Impactos sobre as commodities Após

Leia mais

XXX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO Eficiência nas cadeias produtivas e o abastecimento global

XXX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO Eficiência nas cadeias produtivas e o abastecimento global A dinâmica portuária das exportações de milho no Brasil. Rubens Augusto de Miranda 1) ; João Carlos Garcia (2) ; Michele Souza Freitas (3) ; (1) Pesquisador da Embrapa Milho e Sorgo; Sete Lagoas, MG; rubens.miranda@embrapa.br;

Leia mais

Grãos: CORNucópia 05 de junho de 2017

Grãos: CORNucópia 05 de junho de 2017 Grãos: CORNucópia 5 de junho de 217 Com o encerramento de maio muitas dúvidas se esclareceram sobre a produção de milho safrinha. As chuvas foram suficientes até agora, o que garante a produtividade de

Leia mais

Soja: Abaixo dos de abril de 2016

Soja: Abaixo dos de abril de 2016 Soja: Abaixo dos 6 de il de 16 Encontramos-nos na parte final da colheita da soja no Brasil e o desenrolar da safra faz com que grande parte das dúvidas fosse esclarecida, passadas as surpresas positivas

Leia mais

PETROBRÁS S/A. No resultado de 2013 a receita líquida da companhia tinha a seguinte divisão: - Refino, Transporte e Comercialização (44%)

PETROBRÁS S/A. No resultado de 2013 a receita líquida da companhia tinha a seguinte divisão: - Refino, Transporte e Comercialização (44%) PETROBRÁS S/A Empresa: É uma companhia que atua na exploração, produção e distribuição de petróleo e derivados. A Petrobrás possui atividades operacionais em 25 países, estando presente em todos os continentes.

Leia mais

BOLETIM SEMANAL. Milho - Análise. 17 de agosto de 2012 Número: 216

BOLETIM SEMANAL. Milho - Análise. 17 de agosto de 2012 Número: 216 Milho - Análise PESO DA TECNOLOGIA: O valor dos insumos no mês de julho para o plantio do milho 2ª safra 2012/13 tomou rumo contrário ao esperado e reduziu. Adquirindo os insumos para o plantio de milho

Leia mais

INDICADOR DE COMÉRCIO EXTERIOR - ICOMEX

INDICADOR DE COMÉRCIO EXTERIOR - ICOMEX INDICADOR DE COMÉRCIO EXTERIOR - ICOMEX Icomex de junho, referente a maio de 2017 Número 2 20.junho.2017 A balança comercial continua melhorando: a indústria extrativa liderou o aumento no volume exportado

Leia mais

Perspectivas do Mercado e a Importância da Gestão de Risco. Novembro de 2016

Perspectivas do Mercado e a Importância da Gestão de Risco. Novembro de 2016 Perspectivas do Mercado e a Importância da Gestão de Risco Novembro de 2016 A Evolução da Produção no Centro-Sul OcrescimentomédioanualdaproduçãodecananoCentro-Sulnosúltimos8anosfoide4.59%; no entanto,

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E SOCIOLOGIA ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA "LUIZ DE QUEIROZ"

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E SOCIOLOGIA ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ O conteúdo deste arquivo foi elaborado pela equipe Cepea no início de março/2008. Neste arquivo: Produtores de Mato Grosso deixam de ganhar até 38% Vendas antecipadas diminuem lucro do produtor Colheita

Leia mais

CONJUNTURA ECONÔMICA Nível de Atividade - PIB 2T/12

CONJUNTURA ECONÔMICA Nível de Atividade - PIB 2T/12 CONJUNTURA ECONÔMICA Nível de Atividade - PIB 2T/12 CONDIÇÕES Este relatório foi preparado pela Linus Galena Consultoria Econômica exclusivamente para uso de seus clientes e não poderá ser circulado, reproduzido,

Leia mais

AGROSAFRA SETEMBRO DE 2015

AGROSAFRA SETEMBRO DE 2015 AGROSAFRA SETEMBRO DE 2015 1. Indicadores da macroeconomia brasileira. 2. Agro-cotações no PR para soja, trigo e milho - anual e mensal. 3. Agro-cotações na CBOT (bolsa de Chicago) para soja, trigo e milho

Leia mais

Grãos: tic-tac, tic-tac 26 de julho de 2017

Grãos: tic-tac, tic-tac 26 de julho de 2017 Grãos: tic-tac, tic-tac 26 de julho de 2017 Chegamos ao final de julho e o mercado continua com os olhos no clima americano. Esse continua pouco construtivo para as lavouras americanas de verão, sendo

Leia mais

IMPACTO NA CADEIA PRODUTIVA DE CARNES. AVICULTOR 2015 - BH Junho 2015

IMPACTO NA CADEIA PRODUTIVA DE CARNES. AVICULTOR 2015 - BH Junho 2015 PERSPECTIVAS E CENÁRIOS PARA OS GRÃOS E O IMPACTO NA CADEIA PRODUTIVA DE CARNES AVICULTOR 2015 - BH Junho 2015 Aviso Legal A negociação de derivativos, tais como futuros, opções e swaps pode não ser adequada

Leia mais

Encontro de sindicatos do ramo de fertilizantes em Catalão

Encontro de sindicatos do ramo de fertilizantes em Catalão Encontro de sindicatos do ramo de fertilizantes em Catalão CNTQ 2014 28, 29 e 30 de julho Breve perfil do setor de fertilizantes Produção e consumo PRINCIPAIS INDICADORES DO SETOR Fertilizantes Entregues

Leia mais

É mesmo R$ 17,00 R$ 16,50 R$ 15,50 R$ 15,00 R$ 14,50 R$ 14,00

É mesmo R$ 17,00 R$ 16,50 R$ 15,50 R$ 15,00 R$ 14,50 R$ 14,00 Milhões de toneladas BOLETIM SEMANAL Milho - Análise É mesmo A PACIÊNCIA PODE SER UMA VIRTUDE: Os números do último levantamento de comprometimento do milho matogrossense, realizado pelo Imea, apresentaram

Leia mais

Grãos: O jogo do clima 07 de junho de 2017

Grãos: O jogo do clima 07 de junho de 2017 Grãos: O jogo do clima 07 de junho de 2017 Com o clima adverso nos EUA, o mercado já começa a se preocupar com as condições das safras de grãos, em especial do milho. Como podemos ver no gráfico abaixo,

Leia mais

MOSCA BRANCA ELEVA EM ATÉ 35% O GASTO COM INSETICIDA NA SOJA

MOSCA BRANCA ELEVA EM ATÉ 35% O GASTO COM INSETICIDA NA SOJA MOSCA BRANCA ELEVA EM ATÉ 35% O GASTO COM INSETICIDA NA SOJA Na safra 2015/16, além das preocupações com controle de lagartas e percevejos, os produtores de soja de Mato Grosso e de Goiás enfrentaram também

Leia mais

1 Lavouras. Cereais, leguminosas e oleaginosas. Área e Produção - Brasil 1980 a 2008

1 Lavouras. Cereais, leguminosas e oleaginosas. Área e Produção - Brasil 1980 a 2008 1 Lavouras 1.1 Produção de cereais, leguminosas e oleaginosas A quinta estimativa da safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas 1, indica uma produção da ordem de 144,3 milhões de toneladas,

Leia mais

Soja: Plantio acelerado no Paraná 19 de outubro de 2016

Soja: Plantio acelerado no Paraná 19 de outubro de 2016 Soja: Plantio acelerado no Paraná 19 de outubro de 2016 O plantio da soja já completou um mês do seu início nos dois principais produtores de soja do Brasil, com o fim do vazio sanitário no dia 15/set.

Leia mais

Relatório final da safra 2013/2014. Região Centro-Sul

Relatório final da safra 2013/2014. Região Centro-Sul Relatório final da safra 2013/2014 Região Centro-Sul Tabela 1. Balanço final da safra 2013/2014 na região Centro-Sul Comparativo com a safra 2012/2013 Produtos Safra 2012/2013 2013/2014 Var. (%) Cana-de-açúcar

Leia mais

INFORMAÇÃO SOBRE O MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR. Perspectivas 2010

INFORMAÇÃO SOBRE O MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR. Perspectivas 2010 Agência Nacional de Segurança Alimentar INFORMAÇÃO SOBRE O MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR Perspectivas 2010 Ano: 2010 Mês: Janeiro 1. Resumo Global As perspectivas para a produção mundial de

Leia mais

SEAB Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento DERAL - Departamento de Economia Rural. MILHO PARANENSE - SAFRA 2013/14 Novembro de 2013

SEAB Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento DERAL - Departamento de Economia Rural. MILHO PARANENSE - SAFRA 2013/14 Novembro de 2013 MILHO PARANENSE - SAFRA 2013/14 Novembro de 2013 A estimativa para a 1ª safra de milho, temporada 2013/14, aponta uma redução de aproximadamente 180 mil hectares, que representa um decréscimo de 23% em

Leia mais

Semanal de Cacau 14 de setembro de 2015

Semanal de Cacau 14 de setembro de 2015 Fabio Rezende Fabio.Rezende@intlfcstone.com ci@intlfcstone.com Semanal de Cacau 14 de setembro de 2015 SUMÁRIO Macroeconomia e clima elevam preços do cacau Indústrias da Indonésia projetam crescimento

Leia mais

Análise da evolução dos preços de milho no Brasil

Análise da evolução dos preços de milho no Brasil Introdução Análise da evolução dos preços de milho no Brasil Michele Souza Freitas (1), Rubens Augusto de Miranda (2), João Carlos Garcia (3) Segundo a Conab, na safra 2014/15, dos 202,3 milhões de toneladas

Leia mais

Associação Brasileira dos Produtores de Soja

Associação Brasileira dos Produtores de Soja Associação Brasileira dos Produtores de Soja 1. PREVISÃO DE SAFRA E DESTINAÇÃO De acordo com o 7 Levantamento de safra 2015/16, publicado em abril pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), a área

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

Técnico Diário I 10 de janeiro de 2017 I Citi Corretora

Técnico Diário I 10 de janeiro de 2017 I Citi Corretora Dólar Futuro Índice Futuro Ibovespa SP500 ECOR3 ITUB4 TAEE11 R4 3.823 72.195 68.970-13.03 - - R3 3.753 71.685 65.300-10.83 - - R2 3.582 67.527 63.473-9.97 38.31 24.95 R1 3.502 64.563 62.400 2.280 9.42

Leia mais

CONJUNTURA QUINZENAL 16 A 31/03/2016

CONJUNTURA QUINZENAL 16 A 31/03/2016 SOJA - MATO GROSSO CONJUNTURA QUINZENAL 16 A 31/03/2016 ANO 2 Nº17 A colheita praticamente finalizada em Mato Grosso e o recuo do dólar têm contribuído para o movimento de baixa dos preços, mesmo com a

Leia mais

Grãos: Balde de água fria 11 de agosto de 2017

Grãos: Balde de água fria 11 de agosto de 2017 Grãos: Balde de água fria 11 de agosto de 2017 A divulgação do relatório de produção pelo Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) de agosto surpreendeu o mercado e motivou uma forte queda nos preços

Leia mais

Trigo: Evolução dos preços recebidos pelos agricultores no PR e RS (jan/03 a abr/08) jan/07 mai/07. jan/06 set/06. set/05

Trigo: Evolução dos preços recebidos pelos agricultores no PR e RS (jan/03 a abr/08) jan/07 mai/07. jan/06 set/06. set/05 Trigo: Porque os preços estão subindo? Os agricultores brasileiros que ainda possuem trigo para vender estão recebendo atualmente um preço em reais, bem superior aos verificados nesta mesma época em anos

Leia mais

Dólar Futuro S S Fluxo de Investimentos. Dolar Futuro

Dólar Futuro S S Fluxo de Investimentos. Dolar Futuro Panorama Gráfico 5 de setembro de 211 Tendência do Mercado Suportes e Resistências DI Jan/12 Pág 2 Dólar Futuro Pág 3 Índice Futuro Pág 4 Ibovespa Pág 5 SP5 Futuro Pág 6 DI Dólar Futuro Índice Futuro Ibovespa

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO JUNHO DE 2017

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO JUNHO DE 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO JUNHO DE 2017 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas publicações

Leia mais

AGRICULTURA. Novembro de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

AGRICULTURA. Novembro de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos AGRICULTURA Novembro de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos DESEMPENHO DA AGRICULTURA o o Algodão Embora não tenha alcançado recorde, as 3 últimas safras globais seguiram em recuperação

Leia mais

Fechamento dos Mercados Quinta-feira 13/10/16 granoeste.com.br (45) Atual Ant. Dif.

Fechamento dos Mercados Quinta-feira 13/10/16 granoeste.com.br (45) Atual Ant. Dif. COMPLEXO SOJA CBOT - Soja (U$/Bushel = 27,216) Máx Min NOV 956,25 945,50 10,75 959,50 937,25 JAN 964,75 953,50 11,25 967,50 945,25 MAR 971,00 960,25 10,75 974,00 952,00 MAI 978,00 967,25 10,75 980,50 959,75

Leia mais

Oplantio da safra de verão 1997/98 no Rio Grande do Sul ocorreu num

Oplantio da safra de verão 1997/98 no Rio Grande do Sul ocorreu num AGRICULTURA As expectativas no momento do plantio no Rio Grande do Sul Vivian Fürstenau* Oplantio da safra de verão 1997/98 no Rio Grande do Sul ocorreu num quadro marcado, de um lado, por expectativas

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

BOLETIM SEMANAL. Milho - Análise

BOLETIM SEMANAL. Milho - Análise Milho - Análise BOLETIM SEMANAL É mesmo COMERCIALIZAÇÃO AUMENTADA: Como se não bastasse a grande comercialização de quase metade do estimado a produzir, logo no mês de setembro de 2011, algo que nunca

Leia mais

Clusters de etanol de milho em Mato Grosso. Paulo Moraes Ozaki

Clusters de etanol de milho em Mato Grosso. Paulo Moraes Ozaki Clusters de etanol de milho em Mato Grosso Paulo Moraes Ozaki Índice Dados gerais do projeto Métodos Análise de mercado Análise dos arranjos (Clusters) Viabilidade econômica Aspectos sociais Aspectos ambientais

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO JUNHO DE 2017

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO JUNHO DE 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO JUNHO DE 2017 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas publicações

Leia mais

Boletim Agrometeorológico

Boletim Agrometeorológico 1 Boletim Agrometeorológico Início da 1 a safra 2016/2017 em Mato Grosso Cornélio Alberto Zolin, Embrapa Agrossilvipastoril, cornelio.zolin@embrapa.br Jorge Lulu, Embrapa Agrossilvipastoril, jorge.lulu@embrapa.br

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Junho 2013

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Junho 2013 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Junho 2013 As exportações em junho apresentaram queda de -6,35% em relação a maio. O valor exportado superou novamente a marca de US$ 1 bilhão, atingindo a US$

Leia mais

Expansão industrial e maior oferta de raiz sustentam produção recorde de fécula em 2015

Expansão industrial e maior oferta de raiz sustentam produção recorde de fécula em 2015 Expansão industrial e maior oferta de raiz sustentam produção recorde de fécula em 2015 Quantidade de fécula produzida cresceu 17% e superou 750 mil toneladas em 2015 A produção brasileira de fécula cresceu

Leia mais

BOLETIM SEMANAL. Milho - Análise. 25 de fevereiro de 2011 Número: 141. É mesmo

BOLETIM SEMANAL. Milho - Análise. 25 de fevereiro de 2011 Número: 141. É mesmo Milho - Análise É mesmo MILHO COMPROMETIDO EM PLENO PLANTIO: O Imea realizou na semana o primeiro levantamento de comercialização de milho da corrente safra e o volume comprometido alcança 28,8% no mês

Leia mais

Soja Análise da Conjuntura Agropecuária MUNDO SAFRA 2014/15

Soja Análise da Conjuntura Agropecuária MUNDO SAFRA 2014/15 Soja Análise da Conjuntura Agropecuária Novembro de 2014 MUNDO SAFRA 2014/15 Devido ao aumento das cotações nas últimas safras, principalmente na comparação com o milho, o cultivo da soja vem aumentando

Leia mais

Telefone: Chicago +1 (312) Brasil +55 (21) Skype: phdbrasil ** Relatório da manhã - AGR BRASIL**

Telefone: Chicago +1 (312) Brasil +55 (21) Skype: phdbrasil   ** Relatório da manhã - AGR BRASIL** ** Relatório da manhã - AGR BRASIL** ** Cotações 11:30hs CHICAGO**: SOJA Março baixa de 7 pontos à $9,74; MILHO Março baixa de 3 pontos à $3,82 e TRIGO Março opera em baixa de 1 centavo à $5,24 ** DÓLAR:

Leia mais

Geadas: risco disseminado 09 de junho de 2016

Geadas: risco disseminado 09 de junho de 2016 Geadas: risco disseminado 09 de junho de 2016 As previsões de geadas no Brasil estão cada vez mais presentes nos noticiários, pois elas estão cada vez mais fortes e com uma área em risco maior. No começo

Leia mais

Insumos Agropecuários: Fertilizantes. Cadeias Produtivas Agrícolas

Insumos Agropecuários: Fertilizantes. Cadeias Produtivas Agrícolas Insumos Agropecuários: Fertilizantes Cadeias Produtivas Agrícolas Insumos Agropecuários Segundo dados da Associação Nacional dos Distribuidores de Insumos Agrícolas e Veterinários, o mercado distribuidor

Leia mais

EXPORTAÇÕES DE AÇÚCAR PARA A ÍNDIA CAEM 18% EM MARÇO

EXPORTAÇÕES DE AÇÚCAR PARA A ÍNDIA CAEM 18% EM MARÇO Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Ano XIX 24/abril/2017 n. 672 EXPORTAÇÕES DE AÇÚCAR PARA A ÍNDIA CAEM 18% EM MARÇO Os dados mais atualizados sobre as exportações de açúcar bruto, refinado e

Leia mais

Teleconferência de Resultados 2T15

Teleconferência de Resultados 2T15 Teleconferência de Resultados 2T15 Destaques Encerramento do 5º ano de fornecimento de cana-de-açúcar, entregando 724 mil toneladas. Área total plantada de 78.044 hectares. Construção de um silo na Bahia,

Leia mais

ELEVAÇÃO DOS CUSTOS DE PRODUÇÃO NA AGRICULTURA

ELEVAÇÃO DOS CUSTOS DE PRODUÇÃO NA AGRICULTURA ELEVAÇÃO DOS CUSTOS DE PRODUÇÃO NA AGRICULTURA Trabalho Elaborado pela Gerência Técnica e Econômica da Ocepar Curitiba, julho de 2008 ELEVAÇÃO DOS CUSTOS DE PRODUÇÃO I - INTRODUÇÃO: A agricultura brasileira

Leia mais

FATORES BAIXISTAS. Previsão de estoques finais elevados para safra 2016/17; Perspectivas favoráveis para as safras na América do Sul;

FATORES BAIXISTAS. Previsão de estoques finais elevados para safra 2016/17; Perspectivas favoráveis para as safras na América do Sul; Analista de mercado Rafael Morais rafael.morais@intlfcstone.com inteligencia@intlfcstone.com Cnetwork2012 Semanal de Soja 24 de fevereiro de 2017 SUMÁRIO Expectativa de aumento da área plantada com soja

Leia mais

Milho: E agora já eram as condições ideais 17 de março de 2017

Milho: E agora já eram as condições ideais 17 de março de 2017 Milho: E agora já eram as condições ideais 17 de março de 17 Nesse momento de euforia com as safras de verão no Brasil (sendo que as produtividades deverão ultrapassar recordes e as estimativas de produção

Leia mais

Milho: TsuMAZE 21 de setembro de 2017

Milho: TsuMAZE 21 de setembro de 2017 Milho: TsuMAZE 21 de setembro de 2017 O título deste relatório é uma aglutinação das palavras Tsunami e maze (milho em inglês), pois acreditamos que o mercado brasileiro de milho terá uma enorme oferta

Leia mais

Hedge de fertilizantes Março de 2015

Hedge de fertilizantes Março de 2015 Hedge de fertilizantes Março de 2015 Marcelo Mello Gerenciamento de Riscos INTL FCStone Consultoria do Brasil Ltda. DISCLAIMER A negociação de derivativos, tais como futuros, opções e swaps pode não ser

Leia mais

MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR INFORMAÇÃO MENSAL

MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR INFORMAÇÃO MENSAL MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR INFORMAÇÃO MENSAL Ano: 20 Mês: Outubro 1. Resumo Global Mercados internacionais de grãos permaneceram voláteis em Outubro. Enquanto os preços do milho, soja e

Leia mais

BOLETIM SEMANAL. Milho - Análise

BOLETIM SEMANAL. Milho - Análise 3-jan-12 4-jan-12 5-jan-12 6-jan-12 7-jan-12 8-jan-12 9-jan-12 10-jan-12 11-jan-12 12-jan-12 13-jan-12 14-jan-12 15-jan-12 16-jan-12 17-jan-12 18-jan-12 19-jan-12 É mesmo CADÊ A SEMENTE?: O principal insumo

Leia mais

Grãos: Produção final 09 de janeiro de 2017

Grãos: Produção final 09 de janeiro de 2017 Grãos: Produção final 09 de janeiro de 2017 Com a virada do ano, chegamos a um ponto importante, pois serão divulgados os números finais da produção americana. Como normalmente acontece, o relatório de

Leia mais

Técnico Diário I 10 de fevereiro de 2017 I Citi Corretora

Técnico Diário I 10 de fevereiro de 2017 I Citi Corretora Dólar Futuro Índice Futuro Ibovespa SP500 ECOR3 ITUB4 TAEE11 R4 3.610 81.420 - - 10.83 - - R3 3.481 72.195 73.920-9.97 - - R2 3.372 71.685 71.990-9.42-24.95 R1 3.286 67.527 68.970 2.300 9.06 40.49 22.62

Leia mais

TRIGO Período de 04 a 08/04/2016

TRIGO Período de 04 a 08/04/2016 TRIGO Período de 04 a 08/04/2016 Tabela I - PREÇO PAGO AO PRODUTOR (em R$/60 kg) Centro de Produção Unid. 12 meses Períodos anteriores 1 mês (*) 1 semana Preço PR 60 kg 33,89 40,13 40,62 41,00 Semana Atual

Leia mais