Projeções Demográficas para Bahia

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Projeções Demográficas para Bahia"

Transcrição

1 Projeções Demográficas para Bahia

2 Objetivo o Investigar, através das projeções, as condições futuras dos diversos segmentos da população, bem como prever alterações na dinâmica demográfica, levando em consideração à distribuição por faixa etária, sexo e condição de residência (urbana e rural).

3 Justificativa o O estudo das projeções populacionais fundamenta-se na necessidade de um modelo de previsão do comportamento da população no médio prazo, a fim de nortear o planejamento do Estado da Bahia. Para isso, é necessário um estudo das tendências de cada uma das componentes demográficas (fecundidade, mortalidade e migrações), e posterior estimativas das projeções municipais.

4 Horizonte das Projeções o O período coberto pela projeção ou pela previsão chama-se prazo (ou horizonte da projeção) e, mesmo sendo variável, na maioria das vezes trabalha-se com projeção (previsão) de curto prazo, porque o risco de erro cresce consideravelmente na medida que o prazo aumenta.

5 Importância das Projeções Populacionais o o Estimar populações entre censos (série histórica); Conhecer o presente para planejar o futuro: projetar o tamanho e a composição da população futura para fins de planejamento evolução do perfil demográfico da população => políticas públicas voltadas para: crianças, jovens, adultos e idosos; melhoria na qualidade de ensino, criação de postos de trabalho, adequação do sistema de saúde; planos diretores das cidades => deslocamento da população, mobiliário urbano, edificações públicas e privadas adequadas; etc.

6 Métodos para Projeção Demográfica (I) o Método das Componentes Demográficas (grandes áreas) Consiste em projetar uma determinada coorte em uma faixa de idade x a x+n para o final do período quinquenal seguinte, levando em conta os prováveis cenários sobre os componentes determinantes da dinâmica demográfica da população: fecundidade, mortalidade e migração. o Método AiBi (pequenas áreas) Consiste em projetar a população baseando-se na contribuição de uma área pequena no crescimento absoluto da população esperada na área maior. A expressão analítica é dada por: Pmi (t) = ai + bi PR(t) (População da área menor i no ano t) (coeficiente linear de correção entre a pop) (coeficiente de prop. do crescimento da pop)

7 Métodos para Projeção Demográfica (II) o Método da Relação de Coortes (Método de Duchesne): Requer como dado básico ou inicial a composição da população, por sexo e grupos de idade, para as áreas menores, e estimativas de população referentes à divisão geopolítica ou administrativa maior, que compreenda essas áreas menores consideradas. O método tem a vantagem de levar em conta a estrutura etária da população e algumas mudanças nas variáveis demográficas e de assegurar a coerência entre a soma das projeções das áreas menores e as projeções conhecidas de sua área maior. o Desagregação por situação domiciliar (urbano-rural) Consiste em projetar os setores urbano e rural, de cada uma das populações, com base nas projeções dos municípios já realizadas, através da diferença entre o crescimento da população urbana e rural (DCUR).

8 Componentes da Dinâmica Demográfica o MORTALIDADE - Saída de pessoas por morte o FECUNDIDADE - Entrada de pessoas por nascimento o MIGRAÇÃO - Pode atuar nos dois sentidos dependendo do balanço entre os volumes dos imigrantes e emigrantes

9 Método das Componentes Demográficas Origem: Equação Compensadora P t =P 0 +(N (0,t) O (0,t) )+(I (0,t) E (0,t) ), onde: P t - População em um instante t qualquer (último Censo). P 0 - População inicial(censo anterior). N - Nascimentos ocorridos no período intercensitário. O - Óbitos ocorridos no período intercensitário. I - Nº de imigrantes no período intercensitário. E - Nº de emigrantes no período intercensitário

10 A D Mecanismo de aplicação do método das coortes componentes Censo 2010 M 2015 M 2020 M 2025 M 2030 O N + S + SM O N + S + SM O N + S + SM O N + S + SM 0 a 4 R 0 a 4 R 0 a 4 R 0 a 4 R 0 a 4 5 a 9 T 5 a 9 T 5 a 9 T 5 a 9 T 5 a 9 10 a 14 A 10 a 14 A 10 a 14 A 10 a 14 A 10 a 14 L 15 a 19 L 15 a 19 L 15 a 19 L 15 a a 74 I I 20 a 24 I 20 a 24 I 20 a a 79 D D D 25 a 29 D 25 a 29 A 80 a 84 A A 30 a 34 D 85 a 89 D D 90 + E 90 + E 90 + E 90 + E 90 + Nota: N (nascimentos), S (sobreviventes) e SM (saldo migratório)

11 Principais Resultados das Projeções - Bahia -

12 População total projetada (em milhões), Bahia Fonte: SEI/Cedeplar. Elaboração: SEI/ DIPEQ/ COPESP.

13 Taxa de crescimento geométrico anual da população projetada, Bahia Fonte: SEI/Cedeplar. IBGE/Censo Demográfico Elaboração: SEI/ DIPEQ/ COPESP.

14 População total projetada por grandes grupos etários, Bahia Fonte: SEI/Cedeplar. Elaboração: SEI/ DIPEQ/ COPESP.

15 Grau de urbanização da população projetada, Bahia Fonte: SEI/Cedeplar. Elaboração: SEI/ DIPEQ/ COPESP. Nota: *Os dados de 2010 foram sistematizados a partir dos microdados da amostra do Censo Demográfico.

16 Razão de sexo¹ da população projetada, Bahia Fonte: SEI/Cedeplar. Elaboração: SEI/ DIPEQ/ COPESP. Nota: ¹ Razão entre a população do sexo masculino sobre a população do sexo feminino.

17 Índice de envelhecimento¹ da população projetada, Bahia Fonte: SEI/Cedeplar. Elaboração: SEI/ DIPEQ/ COPESP. Nota: ¹População residente de 65 e mais anos de idade sobre a população residente com menos de 15 anos de idade.

18 Razão de dependência¹ da população projetada, Bahia Fonte: SEI/Cedeplar. Elaboração: SEI/ DIPEQ/ COPESP. Nota: ¹ Razão entre a população definida como economicamente dependente (os menores de 15 anos de idade e os de 65 anos e mais de idade) e a população potencialmente produtiva (15 a 64 anos de idade).

19 Tendência do comportamento esperado para a taxa fecundidade total, por grupo de idade, Bahia ,05 2,03 2,00 1,95 1,90 1,85 1,86 1,80 1,75 1,70 1,65 1,75 1,69 1,64 1, Fonte: LED/Cedeplar. Projeções Demográficas para Bahia Elaboração: SEI/DIPEQ/COSPESP.

20 Tendência do comportamento esperado para a taxa fecundidade específica, por grupo de idade, Bahia Fonte: LED/Cedeplar. Projeções Demográficas para Bahia Elaboração: SEI/DIPEQ/COSPESP.

21 Probabilidades de mortes estimadas e projetadas, por períodos quinquenais, segundo o sexo, Bahia ! " # % $! ' $ &!

22 Expectativas de vida ao nascer projetadas por períodos quinquenais e sexo, Bahia o Em termos de incrementos na expectativa de vida ao nascer (Eo), neste período de 20 anos de projeção, destacase a Eo dos homens, com aumento de aproximadamente 5,2 anos, ao passo que a Eo das mulheres aumentou 4,1 anos; o Eo masculina aumentará de 71 anos, no período , para 76 anos, no quinquênio ; o Para as mulheres estes valores serão de 77 anos e 81 anos, respectivamente.

23 Taxas líquidas de migração masculina para população projetada, por idades quinquenais, Bahia Fonte: LED/Cedeplar. Projeções Demográficas para Bahia Elaboração: SEI/DIPEQ/COSPESP.

24 Taxas líquidas de migração feminina para população projetada, por idades quinquenais, Bahia Fonte: LED/Cedeplar. Projeções Demográficas para Bahia Elaboração: SEI/DIPEQ/COSPESP.

25 Fonte: LED/Cedeplar. Projeções Demográficas para Bahia Elaboração: SEI/DIPEQ/COSPESP.

26 Fonte: LED/Cedeplar. Projeções Demográficas para Bahia Elaboração: SEI/DIPEQ/COSPESP.

27 Fonte: LED/Cedeplar. Projeções Demográficas para Bahia Elaboração: SEI/DIPEQ/COSPESP.

28 Fonte: LED/Cedeplar. Projeções Demográficas para Bahia Elaboração: SEI/DIPEQ/COSPESP.

29 Fonte: LED/Cedeplar. Projeções Demográficas para Bahia Elaboração: SEI/DIPEQ/COSPESP.

30 Principais Resultados das Projeções - Territórios de Identidade -

31 Projeção da população, por situação do domicílio, segundo os Territórios de Identidade mais populosos, Bahia 2010*-2030 Territórios de Identidade Irecê Velho Chico Chapada Diamantina Sisal Litoral Sul Baixo Sul Extremo Sul Médio Sudoeste da Bahia Vale do Jequiriçá Sertão do São Francisco Bacia do Rio Grande Bacia do Paramirim Sertão Produtivo Piemonte do Paraguaçu Bacia do Jacuípe Piemonte da Diamantina Semi-Árido Nordeste II Litoral Norte e Agreste Baiano Portal do Sertão Vitória da Conquista Recôncavo Médio Rio de Contas Bacia do Rio Corrente Itaparica Piemonte Norte do Itapicuru Metropolitana de Salvador Costa do Descobrimento Fonte: SEI/Cedeplar. IBGE/Censo Demográfico Elaboração: SEI/ DIPEQ/ COPESP.

32 Taxa de crescimento geométrico anual da população projetada, por Territórios de Identidade, Bahia Fonte: SEI/Cedeplar. Elaboração: SEI/ DIPEQ/ COPESP.

33 Grau de urbanização da população projetada, por Territórios de Identidade, Bahia Fonte: SEI/Cedeplar. Elaboração: SEI/ DIPEQ/ COPESP.

34 Razão de dependência da população projetada, por Territórios de Identidade Bahia Fonte: SEI/Cedeplar. Elaboração: SEI/ DIPEQ/ COPESP.

35 Índice de envelhecimento da população projetada, por Territórios de Identidade Bahia Fonte: SEI/Cedeplar. Elaboração: SEI/ DIPEQ/ COPESP.

36 Municípios que terão maior ganho na população entre 0 a 14 anos de idade, Bahia Municípios que terão maior perda na população entre 0 a 14 anos de idade, Bahia Municípios Nº Absolutos % Feira de Santana % Teixeira de Freitas % Vitória da Conquista % Camaçari % Alagoinhas % Porto Seguro % Lauro de Freitas % São Desidério % Valente % Paulo Afonso % Municípios Nº Absolutos % Candeias % Santo Amaro % Campo Formoso % Monte Santo % Ipirá % Itamaraju % Jequié % Serrinha % Ilhéus % Salvador %

37 Municípios que terão maior ganho na população de 65 anos ou mais de idade, Bahia Municípios que terão menor ganho na população de 65 anos ou mais de idade, Bahia Municípios Nº Absolutos % Salvador % Feira de Santana % Camaçari % Lauro de Freitas % Vitória da Conquista % Teixeira de Freitas % Itabuna % Porto Seguro % Juazeiro % Simões Filho % Municípios Nº Absolutos % Caém % Lajedinho % Aiquara % Boa Nova 131 8% Teodoro Sampaio % Macururé % Maetinga 80 9% Catolândia 63 23% Serra Preta 28 2% Itambé 7 0%

38 Principais Resultados das Projeções -Cartogramas-

39 Taxa geométrica anual da população projetada, Bahia

40 Taxa geométrica anual da população projetada, Bahia

41 Grau de urbanização da população projetada, Bahia 2010

42 Grau de urbanização da população projetada, Bahia 2030

43 Índice de envelhecimento da população projetada, Bahia 2010

44 Índice de envelhecimento da população projetada, Bahia 2030

45 Razão de dependência da população projetada, Bahia 2010

46 Razão de dependência da população projetada, Bahia 2030

47 OBRIGADO!!

MOVIMENTOS MIGRATÓRIOS INTERESTADUAIS NA BAHIA, ENTRE OS PERÍODOS, 2000 e 2010

MOVIMENTOS MIGRATÓRIOS INTERESTADUAIS NA BAHIA, ENTRE OS PERÍODOS, 2000 e 2010 MOVIMENTOS MIGRATÓRIOS INTERESTADUAIS NA BAHIA, ENTRE OS PERÍODOS, 2000 e 2010 Isaac A. Coimbra Lou SEI/BA Lis Helena Borges Bolsista/IPEA Roberta Pimenta Bolsista/IPEA Brasília, Março de 2013 3 a Conferência

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL OFERTA INICIAL S

SUPERINTENDÊNCIA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL OFERTA INICIAL S T.I. Território DIREC Município Unidade Escolar Eixo Tecnológico Cursos 2 VELHO CHICO 22 Ibotirama 3 CHAPADA DIAMANTINA 27 Seabra SUPERINTENDÊNCIA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL OFERTA INICIAL 2013.2S Velho

Leia mais

SEC - SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DA BAHIA PROC. SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL SEC / SUDEPE Nº 001/2015 PROC. EDUCAÇÃO PROFISSONAL CONCORRÊNCIA

SEC - SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DA BAHIA PROC. SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL SEC / SUDEPE Nº 001/2015 PROC. EDUCAÇÃO PROFISSONAL CONCORRÊNCIA CONCORRÊNCIA EIXO TECNOLÓGICO / SUBEIXO / TERRITÓRIO DE IDENTIDADE/NRE Concorrência AGROPECUÁRIA / RECURSOS NATURAIS / BACIA DO JACUIPE 1,00 AGROPECUÁRIA / RECURSOS NATURAIS / BACIA DO RIO GRANDE 2,75

Leia mais

Coordenação de Disseminação de Informações Codin Ana Paula Porto. Governo do Estado da Bahia Jaques Wagner

Coordenação de Disseminação de Informações Codin Ana Paula Porto. Governo do Estado da Bahia Jaques Wagner BOLETIM B O L E T I M ESPECIAL E S P E C I A L Governo do Estado da Bahia Jaques Wagner Secretaria do Planejamento Seplan José Sérgio Gabrielli Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia

Leia mais

MOVIMENTOS MIGRATÓRIOS INTERESTADUAIS NA BAHIA, ENTRE OS PERÍODOS, 2000 e 2010

MOVIMENTOS MIGRATÓRIOS INTERESTADUAIS NA BAHIA, ENTRE OS PERÍODOS, 2000 e 2010 MOVIMENTOS MIGRATÓRIOS INTERESTADUAIS NA BAHIA, ENTRE OS PERÍODOS, 2000 e 2010 Isaac A. Coimbra Lou SEI/BA Lis Helena Borges Bolsista/IPEA Roberta Pimenta Bolsista/IPEA Brasília, Março de 2013 SUMÁRIO

Leia mais

A BAHIA TOTALIZOU SALDO NEGATIVO DE POSTOS DE TRABALHO EM OUTUBRO DE 2015

A BAHIA TOTALIZOU SALDO NEGATIVO DE POSTOS DE TRABALHO EM OUTUBRO DE 2015 A BAHIA TOTALIZOU SALDO NEGATIVO DE 10.409 POSTOS DE TRABALHO EM OUTUBRO DE 2015 De acordo com as informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), sistematizadas pela Superintendência

Leia mais

Conceitos Básicos e Medidas em Demografia

Conceitos Básicos e Medidas em Demografia Martin Handford, Where s Wally? População, Espaço e Ambiente Abordagens Espaciais em Estudos de População: Métodos Analíticos e Técnicas de Representação Conceitos Básicos e Medidas em Demografia Antonio

Leia mais

Empoderando vidas. Fortalecendo nações.

Empoderando vidas. Fortalecendo nações. Empoderando vidas. Fortalecendo nações. Nota metodológica sobre o cálculo de indicadores demográficos do Brasil Apesar dos avanços na qualidade das estatísticas vitais no Brasil, eles ocorreram de forma

Leia mais

NOTÍCIAS ETENE 04 DE MAIO DE 2011 RESULTADOS DO CENSO 2010

NOTÍCIAS ETENE 04 DE MAIO DE 2011 RESULTADOS DO CENSO 2010 NOTÍCIAS ETENE 04 DE MAIO DE 2011 RESULTADOS DO CENSO 2010 População brasileira cresce quase 20 vezes desde 1872 A população do Brasil alcançou a marca de 190.755.799 habitantes na data de referência do

Leia mais

Ana Amélia Camarano (IPEA) Solange Kanso (IPEA)

Ana Amélia Camarano (IPEA) Solange Kanso (IPEA) Ana Amélia Camarano (IPEA) Solange Kanso (IPEA) Brasília, 7 de março de 2007 OBJETIVOS QUESTÕES !"#$"$#%&#!!'"()* Visão geral das tendências de crescimento da população brasileira e dos componentes deste

Leia mais

Lote 1 Polo Barreiras

Lote 1 Polo Barreiras Lote 1 Polo Barreiras Territórios Intida - TI Corrente Gran Qt. d CURSO I INTRODUÇÃO ao Provimento dos Serviços e Benefícios Socioassistenciais do SUAS e Implementação ações do Plano Brasil sem Miséria.

Leia mais

BACIA DO JACUÍPE IPIRÁ ALIMENTOS PANIFICAÇÃO BACIA DO JACUÍPE IPIRÁ BELEZA E ESTETICA CABELEIREIRO E MANICURE

BACIA DO JACUÍPE IPIRÁ ALIMENTOS PANIFICAÇÃO BACIA DO JACUÍPE IPIRÁ BELEZA E ESTETICA CABELEIREIRO E MANICURE OBSERVAÇÃO: Em Salvador, são 780 vagas e as inscrições acontecem nas unidades do SineBahia dos SACs de Pernambués (Rua Thomaz Gonzaga nº 219 - Pernambués) e da Liberdade (Shopping Liberdade - Rua Estrada

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Guarujá, SP 30/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 143,71 km² IDHM 2010 0,751 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 290752 hab. Densidade

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Esperança, PB 01/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 166,54 km² IDHM 2010 0,623 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 31095 hab. Densidade

Leia mais

PROVA DE GEOGRAFIA 3 o TRIMESTRE DE 2015

PROVA DE GEOGRAFIA 3 o TRIMESTRE DE 2015 PROVA DE GEOGRAFIA 3 o TRIMESTRE DE 2015 PROF. MÁRCIO NOME N o 6 º ANO A prova deve ser feita com caneta azul ou preta. É terminantemente proibido o uso de corretor. Respostas com corretor serão anuladas.

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Patos, PB 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 515,74 km² IDHM 2010 0,701 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 100674 hab. Densidade demográfica

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Guarabira, PB 01/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 166,77 km² IDHM 2010 0,673 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 55326 hab. Densidade

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Pirpirituba, PB 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 79,64 km² IDHM 2010 0,595 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010) 10326 hab. Densidade

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Mãe D'Água, PB 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 243,65 km² IDHM 2010 0,542 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010) 4019 hab. Densidade

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Palmeira dos Índios, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 462,76 km² IDHM 2010 0,638 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Belém, AL 13/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 48,36 km² IDHM 2010 0,593 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010) 4551 hab.

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Casserengue, PB 01/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 202,67 km² IDHM 2010 0,514 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010) 7058 hab. Densidade

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de São Félix do Araguaia, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 16915,81 km² IDHM 2010 0,668 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 10625

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Olho D'Água das Flores, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 183,96 km² IDHM 2010 0,565 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de São José do Xingu, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 7493,63 km² IDHM 2010 0,657 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 5240 hab. Densidade

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Sinop, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 3204,92 km² IDHM 2010 0,754 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 113099 hab. Densidade

Leia mais

Noções Básicas sobre. Encontro Nacional de Coordenadores da Saúde do Idoso. População Idosa no Cenário Nacional: Transição Demográfica

Noções Básicas sobre. Encontro Nacional de Coordenadores da Saúde do Idoso. População Idosa no Cenário Nacional: Transição Demográfica Encontro Nacional de Coordenadores da Saúde do Idoso Noções Básicas sobre População Idosa no Cenário Nacional: Transição Demográfica Joilson Rodrigues de Souza Coordenador de Disseminação de Informações

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Rondonópolis, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 4181,58 km² IDHM 2010 0,755 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 195476 hab. Densidade

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Porto Real do Colégio, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 240,46 km² IDHM 2010 0,551 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Taperoá, PB 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 664,9 km² IDHM 2010 0,578 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010) 14936 hab. Densidade demográfica

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Boca da Mata, AL 13/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 187,11 km² IDHM 2010 0,604 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010)

Leia mais

Bahia - Panorama econômico

Bahia - Panorama econômico Panorama Econômico da Bahia e o Desenvolvimento do Litoral Sul Bahia - Panorama econômico O Estado da Bahia vem apresentando nos últimos anos um crescimento econômico superior ao crescimento da economia

Leia mais

P5 FASE 1: ESTUDO POPULACIONAL

P5 FASE 1: ESTUDO POPULACIONAL Projeto: Elaboração do PMSB dos Municípios inseridos na Bacia do Rio Paraíba do Sul: Antônio Carlos, Bias Fortes, Bicas, Ewbank da Câmara, Goianá, Santa Rita de Ibitipoca, Santos Dumont, São João Nepomuceno

Leia mais

O Impacto da Emigração e da Imigração na População: projeções até 2050

O Impacto da Emigração e da Imigração na População: projeções até 2050 O Impacto da Emigração e da Imigração na População: projeções até 2050 Isabel Tiago de Oliveira, João Peixoto, José Carlos Marques; Pedro Góis; Jorge Malheiros; Pedro Candeias, Bárbara Ferreira, Alexandra

Leia mais

C.10 Taxa de mortalidade específica por neoplasias malignas

C.10 Taxa de mortalidade específica por neoplasias malignas C.1 Taxa de mortalidade específica por neoplasias malignas O indicador estima o risco de morte por neoplasias malignas e dimensiona a sua magnitude como problema de saúde pública. Corresponde ao número

Leia mais

Atualização das Projeções e Estimativas Populacionais para o Rio Grande do Sul e seus Municípios

Atualização das Projeções e Estimativas Populacionais para o Rio Grande do Sul e seus Municípios Atualização das Projeções e Estimativas Populacionais para o Rio Grande do Sul e seus Municípios Maria de Lourdes Teixeira Jardim Fundação de Economia e Estatística Palavras-Chave: Projeções de população,

Leia mais

Tábuas de Vida de Múltiplo Decremento: ganhos potenciais em expectativa de vida no RS, em 2005, relativos aos óbitos por Causas

Tábuas de Vida de Múltiplo Decremento: ganhos potenciais em expectativa de vida no RS, em 2005, relativos aos óbitos por Causas Tábuas de Vida de Múltiplo Decremento: ganhos potenciais em expectativa de vida no RS, em 2005, relativos aos óbitos por Causas Externas Marilene Dias Bandeira Setembro 2008 ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO ALGUMAS

Leia mais

Conceitos Básicos e Medidas em Demografia Migração e Distribuição

Conceitos Básicos e Medidas em Demografia Migração e Distribuição Martin Handford, Where s Wally? CST 310: População, Espaço e Ambiente Abordagens Espaciais em Estudos de População: Métodos Analíticos e Técnicas de Representação Conceitos Básicos e Medidas em Demografia

Leia mais

Estudos. População e Demografia

Estudos. População e Demografia População e Demografia Prof. Dr. Rudinei Toneto Jr. Guilherme Byrro Lopes Rafael Lima O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), desde 1991, divulga anualmente uma base com a população dos

Leia mais

ESTATÍSTICAS DEMOGRÁFICAS DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2015

ESTATÍSTICAS DEMOGRÁFICAS DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2015 11 de outubro 2016 ESTATÍSTICAS DEMOGRÁFICAS DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2015 População residente Em 31 de dezembro de 2015, a população residente na Região Autónoma da Madeira (RAM) foi estimada em

Leia mais

PROJEÇÃO POPULACIONAL, POR SEXO E GRUPOS DE IDADES QUINQUENAIS MESORREGIÕES E TOTAL DE MINAS GERAIS,

PROJEÇÃO POPULACIONAL, POR SEXO E GRUPOS DE IDADES QUINQUENAIS MESORREGIÕES E TOTAL DE MINAS GERAIS, PROJEÇÃO POPULACIONAL, POR SEXO E GRUPOS DE IDADES QUINQUENAIS MESORREGIÕES E TOTAL DE MINAS GERAIS, -2050 Moema G. Bueno Fígoli Cedeplar/UFMG (moema@cedeplar.ufmg.br) Laura Rodríguez Wong Cedeplar/UFMG

Leia mais

CIPD ALÉM DE 2014: DIÁLOGO COM JORNALISTAS

CIPD ALÉM DE 2014: DIÁLOGO COM JORNALISTAS CIPD ALÉM DE 2014: DIÁLOGO COM JORNALISTAS INDICADORES DEMOGRÁFICOS AMÉRICA LATINA E CARIBE José Eustáquio Diniz Alves e Débora Thomé Rio de Janeiro, 17 de julho de 2013 Indicadores Demográficos para América

Leia mais

EDITAL CINE MAIS CULTURA BAHIA

EDITAL CINE MAIS CULTURA BAHIA MINISTÉRIO DA CULTURA PROGRAMA MAIS CULTURA SECRETARIA DE CULTURA DO ESTADO DA BAHIA FUNDAÇÃO CULTURAL DO ESTADO DA BAHIA EDITAL CINE MAIS CULTURA BAHIA A Diretora Geral da Funceb, no uso de suas atribuições

Leia mais

F.17 Cobertura de redes de abastecimento de água

F.17 Cobertura de redes de abastecimento de água Comentários sobre os Indicadores de Cobertura até 6 F.17 Cobertura de redes de abastecimento de água Limitações: Requer informações adicionais sobre a quantidade per capita, a qualidade da água de abastecimento

Leia mais

Transição Demográfica: o perfil demográfico da futura sociedade brasileira. José Eustáquio Diniz Alves ENCE/IBGE

Transição Demográfica: o perfil demográfico da futura sociedade brasileira. José Eustáquio Diniz Alves ENCE/IBGE Transição Demográfica: o perfil demográfico da futura sociedade brasileira José Eustáquio Diniz Alves ENCE/IBGE 8 de junho de 2011 Sumário Panorama econômico e demográfico mundial; Transição Demográfica;

Leia mais

Diretoria de Pesquisas - DPE Coordenação de População e Indicadores Sociais - COPIS Gerência de Indicadores Sociais - GEISO 17/12/2014

Diretoria de Pesquisas - DPE Coordenação de População e Indicadores Sociais - COPIS Gerência de Indicadores Sociais - GEISO 17/12/2014 2014 Diretoria de Pesquisas - DPE Coordenação de População e Indicadores Sociais - COPIS Gerência de Indicadores Sociais - GEISO 17/12/2014 Indicadores Sociais Construção baseada em observações geralmente

Leia mais

Edital de Seleção de Pessoal 001/2008

Edital de Seleção de Pessoal 001/2008 Jacobina/BA, 25 de Agosto de 2008. Edital de Seleção de Pessoal 001/2008 A Comissão de Seleção de Pessoal da COFASPI - Cooperativa de Assistência a Agricultura Familiar Sustentável do Piemonte, instituída

Leia mais

GEOGRAFIA - 2 o ANO MÓDULO 19 DEMOGRAFIA NO BRASIL: PROCESSOS E FLUXOS

GEOGRAFIA - 2 o ANO MÓDULO 19 DEMOGRAFIA NO BRASIL: PROCESSOS E FLUXOS GEOGRAFIA - 2 o ANO MÓDULO 19 DEMOGRAFIA NO BRASIL: PROCESSOS E FLUXOS BRASIL 1980 HOMENS 90 anos MULHERES 60 anos 50 anos 15 anos BRASIL 2030 HOMENS MULHERES 60 anos 50 anos 15 anos BRASIL 1980 E 2030

Leia mais

Projeções Populacionais e Primeiros Resultados do Censo de 2010

Projeções Populacionais e Primeiros Resultados do Censo de 2010 Resenha de Estatísticas Vitais do Estado de São Paulo Ano 11 nº 1 Janeiro 2011 Projeções Populacionais e Primeiros Resultados do Censo de 2010 Os resultados do Censo Demográfico, realizado pelo IBGE em

Leia mais

QUADRO MATRIZ DE QUALIFICAÇÃO SOCIAL E PROFISSIONAL - PLANTEQ BAHIA 2011

QUADRO MATRIZ DE QUALIFICAÇÃO SOCIAL E PROFISSIONAL - PLANTEQ BAHIA 2011 GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DO TRABALHO, EMPREGO, RENDA E ESPORTE SETRE SUPERITENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO SUDET COORDENAÇÃO DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL COQUAP QUADRO MATRIZ DE QUALIFICAÇÃO

Leia mais

Fatores de Produção. Terra Trabalho Capital Tecnologia Empreendedorismo. Curva de Possib. de Produção Cap.3. Prof. Carlos Nemer

Fatores de Produção. Terra Trabalho Capital Tecnologia Empreendedorismo. Curva de Possib. de Produção Cap.3. Prof. Carlos Nemer Economia Carlos Nemer 3ª Ed. Capítulo 3: Poli-UFRJ Copyright 25. Direitos Autorais reservados ao Prof.Carlos NEMER 3-1 36/1-5 -Mostra as alternativas de produção da sociedade a partir do pleno emprego

Leia mais

PED PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO. Evolução da População Metropolitana de São Paulo

PED PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO. Evolução da População Metropolitana de São Paulo PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Agosto de 2003 Nota Técnica Nº 9: Atualização dos Valores Absolutos das Séries Divulgadas pela Com a divulgação dos dados definitivos

Leia mais

Subsidiar a implementação de um conjunto de ações orientadas para a prevenção e erradicação do trabalho de crianças e adolescentes no estado da

Subsidiar a implementação de um conjunto de ações orientadas para a prevenção e erradicação do trabalho de crianças e adolescentes no estado da O TRABALHO INFANTO- JUVENIL NO ESTADO DA BAHIA Destaques do relatório preparado por Inaiá Maria Moreira de Carvalho e Cláudia Monteiro Fernandes para a OIT Brasil Março de 2010 1 Objetivo Geral Subsidiar

Leia mais

Demografia e Perspectiva Económica

Demografia e Perspectiva Económica Demografia e Perspectiva Económica Elementos para uma análise de reciprocidade em Portugal e na Europa III CONGRESSO PORTUGUÊS DE DEMOGRAFIA. 2008 FUNDAÇÃO CALOUSTE GULBENKIAN Demografia População Recursos

Leia mais

Conceitos Básicos e Medidas em Demografia

Conceitos Básicos e Medidas em Demografia Martin Handford, Where s Wally? CST 310: População, Espaço e Ambiente Abordagens Espaciais em Estudos de População: Métodos Analíticos e Técnicas de Representação Conceitos Básicos e Medidas em Demografia

Leia mais

Estimativas de População Residente, Portugal, NUTS II, NUTS III e Municípios

Estimativas de População Residente, Portugal, NUTS II, NUTS III e Municípios Estimativas de População Residente 09 de Junho 2010 Estimativas de População Residente, Portugal, NUTS II, NUTS III e Municípios A evolução demográfica em caracteriza-se por um ligeiro crescimento da população

Leia mais

Migração. João Vechio Laurent Alphonse Rafael Silva

Migração. João Vechio Laurent Alphonse Rafael Silva Migração João Vechio 076761 Laurent Alphonse - 094876 Rafael Silva 095831 Agenda Histórico Incongruência Comparativa Reflexão Econômica Fluxos Migratórios no Mundo: 2006 Fluxos Migratórios para o Brasil

Leia mais

ENVELHECIMENTO POPULACIONAL NO BRASIL E ESTADO DE SÃO PAULO NA DÉCADA DE NOVENTA

ENVELHECIMENTO POPULACIONAL NO BRASIL E ESTADO DE SÃO PAULO NA DÉCADA DE NOVENTA ENVELHECIMENTO POPULACIONAL NO BRASIL E ESTADO DE SÃO PAULO NA DÉCADA DE NOVENTA Aparecida Vieira de Melo 1 INTRODUÇÃO Dados do censo demográfico de 1991 e da contagem populacional de 1996 mostram que

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO TERRITORIAL NO ESTADO DA BAHIA. Agosto - 2012

ADMINISTRAÇÃO TERRITORIAL NO ESTADO DA BAHIA. Agosto - 2012 ADMINISTRAÇÃO TERRITORIAL NO ESTADO DA BAHIA Agosto - 2012 Introdução SUPERINTENDÊNCIA DE INFORMAÇÕES ECONÔMICAS E SOCIAIS DA BAHIA / SEI autarquia da Secretaria do Planejamento do Estado (SEPLAN) principal

Leia mais

Desenvolvimento Humano em Porto Alegre

Desenvolvimento Humano em Porto Alegre Desenvolvimento Humano em Porto Alegre Evolução e Indicadores Porto Alegre, julho de 2011. CONCEITOS Desenvolvimento Humano Uma visão holística e multidimensional valorizando diversas dimensões do ser

Leia mais

CAUSAS DA EMIGRAÇÃO PORTUGUESA

CAUSAS DA EMIGRAÇÃO PORTUGUESA Portugal é por tradição um país de migrações, dado que apesar do incremento da imigração, os portugueses continuam a emigrar... CAUSAS DA EMIGRAÇÃO PORTUGUESA A motivação económica, que se traduz pela

Leia mais

APOIO PARA O RELEASE ESTIMATIVAS DA POPULAÇÃO DOS MUNICÍPIOS E UNIDADES DA FEDERAÇÃO BRASILEIROS COM DATA DE REFERENCIA EM 1º DE JULHO DE 2015

APOIO PARA O RELEASE ESTIMATIVAS DA POPULAÇÃO DOS MUNICÍPIOS E UNIDADES DA FEDERAÇÃO BRASILEIROS COM DATA DE REFERENCIA EM 1º DE JULHO DE 2015 APOIO PARA O RELEASE ESTIMATIVAS DA POPULAÇÃO DOS MUNICÍPIOS E UNIDADES DA FEDERAÇÃO BRASILEIROS COM DATA DE REFERENCIA EM 1º DE JULHO DE 2015 A divulgação anual das estimativas da população residente

Leia mais

2º Não será realizado Sorteio Eletrônico para os cursos cuja demanda de candidatos seja inferior ao número de vagas ofertadas.

2º Não será realizado Sorteio Eletrônico para os cursos cuja demanda de candidatos seja inferior ao número de vagas ofertadas. , Bahia Sexta-feira Pags. 18 a 24 doe 18 de dezembro de 2015. 18 de dezembro de 2015 Ano C N o 21.840 1 EXECUTIVO SECRETARIA DA EDUCAÇÃO PORTARIA Nº 9688/2015. O SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DA, no

Leia mais

AULA 2 - Assíncrona Conteúdo:

AULA 2 - Assíncrona Conteúdo: 2 - Assíncrona Conteúdo: Crescimento da População Mundial Distribuição Geográfica 1.1 Habilidades: Compreender a estrutura atual da população mundial por faixa etária e por sexo, utilizando as pirâmides

Leia mais

O envelhecimento da população é um dos maiores triunfos da humanidade. É também um dos nossos maiores desafios.

O envelhecimento da população é um dos maiores triunfos da humanidade. É também um dos nossos maiores desafios. O envelhecimento da população é um dos maiores triunfos da humanidade. É também um dos nossos maiores desafios. Características demográficas do envelhecimento Vera Andrade, 2014 Pirâmide Etária Pirâmide

Leia mais

ORÇAMENTO EMPRESARIAL CONCEITOS E APLICAÇÕES PROF. SILVIA FLORES ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA

ORÇAMENTO EMPRESARIAL CONCEITOS E APLICAÇÕES PROF. SILVIA FLORES ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA ORÇAMENTO EMPRESARIAL CONCEITOS E APLICAÇÕES PROF. SILVIA FLORES ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA ORÇAMENTO É um plano administrativo que cobre todas as operações da empresa, para um período de

Leia mais

POPULAÇÃO BRASILEIRA

POPULAÇÃO BRASILEIRA POPULAÇÃO BRASILEIRA População Brasileira 2014: atingiu o número de 204 milhões de habitantes. Formada a partir de três grandes grupos étnicos: índios, brancos e negros. A maioria da população é branca

Leia mais

PNE: construindo redes, elaborando cenários. Daniel Cara Coordenador Geral Campanha Nacional pelo Direito à Educação

PNE: construindo redes, elaborando cenários. Daniel Cara Coordenador Geral Campanha Nacional pelo Direito à Educação PNE: construindo redes, elaborando cenários. Daniel Cara Coordenador Geral Campanha Nacional pelo Direito à Educação Desafio real do PNE Colaborar com o desenvolvimento social, ambiental e econômico. PNE

Leia mais

Saneamento Urbano I TH052

Saneamento Urbano I TH052 Universidade Federal do Paraná Arquitetura e Urbanismo Saneamento Urbano I TH052 Aula 05 Crescimento demográfico Profª Heloise G. Knapik 1 Estratégia de Gerenciamento em NY Redução do consumo de água (mobilização

Leia mais

PERCURSO 5 Brasil: distribuição e crescimento da população. 7º ano EBS Prof. Gabriel Rocha

PERCURSO 5 Brasil: distribuição e crescimento da população. 7º ano EBS Prof. Gabriel Rocha PERCURSO 5 Brasil: distribuição e crescimento da população 7º ano EBS Prof. Gabriel Rocha PAÍSES MAIS POPULOSOS DO MUNDO 1 China: 1.372.470.000 2 Índia: 1.278.160.000 3 EUA: 321.968.000 4 Indonésia: 255.780.000

Leia mais

A População Brasileira e Mundial

A População Brasileira e Mundial A População Brasileira e Mundial A População Brasileira e Mundial 1. As pirâmides representam a estrutura etária da população mundial e são resultantes da interação de dois elementos básicos: o crescimento

Leia mais

Inserção internacional. Mudanças sócio-demográficas

Inserção internacional. Mudanças sócio-demográficas Inserção internacional Mudanças sócio-demográficas Islândia Inglaterra Oceano Atlântico França Espanha Itália ÁFRICA Essa região azul mais clara é a plataforma continental brasileira. Oceano Atlântico

Leia mais

População em Brasil ,33% Região Norte ,98% Região Nordeste ,18%

População em Brasil ,33% Região Norte ,98% Região Nordeste ,18% 1 O Brasil é o quinto país mais populoso do mundo. De acordo com o Censo Demográfico de 2010, a população brasileira é de 190 732 694 pessoas. Veja os dados da população para cada região e responda: População

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão Nelson Machado INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidente Eduardo Pereira Nunes Diretor

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego - PME

Pesquisa Mensal de Emprego - PME Pesquisa Mensal de Emprego - PME Dia Internacional da Mulher 08 de março de 2010 MULHER NO MERCADO DE TRABALHO: PERGUNTAS E RESPOSTAS A Pesquisa Mensal de Emprego PME, implantada em 1980, produz indicadores

Leia mais

INSTRUMENTOS PREVISTOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DA PEHIS

INSTRUMENTOS PREVISTOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DA PEHIS INSTRUMENTOS PREVISTOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DA PEHIS CriaçãodoConselhoEstadualdasCidadesdaBahiaatravésdaLeinº10.704de12 de novembro de 2007; Aprovaçãoda Lei 11.041 de 07 de maio de 2008,que instituiapolítica,

Leia mais

Ciclo de Debates SUS: Políticas Sociais e de Assistência à Saúde do Idoso

Ciclo de Debates SUS: Políticas Sociais e de Assistência à Saúde do Idoso Senado Federal Ciclo de Debates SUS: Políticas Sociais e de Assistência à Saúde do Idoso Brasília, 26 de maio de 2009 Professora Dra Maria Alice Toledo Professora adjunta de Geriatria e Psiquiatria da

Leia mais

Modelo para a gestão dos impactos socioambientais no setor de distribuição de energia elétrica : O CASO COELBA

Modelo para a gestão dos impactos socioambientais no setor de distribuição de energia elétrica : O CASO COELBA Modelo para a gestão dos impactos socioambientais no setor de distribuição de energia elétrica : O CASO COELBA Grupo Neoenergia Coelba Maior concessionária de serviço público de energia elétrica do Norte-

Leia mais

Uma visão geral do processo de reforma da previdência. Manoel Pires SPE/MF

Uma visão geral do processo de reforma da previdência. Manoel Pires SPE/MF Uma visão geral do processo de reforma da previdência Manoel Pires SPE/MF 1 Estrutura Temas em debate no Fórum da Previdência Impactos Econômicos do realinhamento da política previdenciária 2 Temas do

Leia mais

Situação de saúde Indicadores de mortalidade por causas

Situação de saúde Indicadores de mortalidade por causas Ind020210RNE Taxa de mortalidade específica por acidentes de transporte na população de 15 anos e mais, por ano, segundo Brasil, Região Nordeste, regiões metropolitanas do Nordeste e escolaridade Indicador

Leia mais

Migração Intrametropolitana: um estudo comparativo entre as Regiões Metropolitanas do Nordeste (Fortaleza, Recife e Salvador)

Migração Intrametropolitana: um estudo comparativo entre as Regiões Metropolitanas do Nordeste (Fortaleza, Recife e Salvador) Migração Intrametropolitana: um estudo comparativo entre as Regiões Metropolitanas do Nordeste (Fortaleza, Recife e Salvador) Palavras-chave: Migração; Intrametropolitana; Região Metropolitana de Fortaleza;

Leia mais

Índice. 1. Metodologia e objetivo. 2. Praticantes de skate: penetração nos lares. 3. Perfil da amostra

Índice. 1. Metodologia e objetivo. 2. Praticantes de skate: penetração nos lares. 3. Perfil da amostra 1 Índice 2 1. Metodologia e objetivo 2. Praticantes de skate: penetração nos lares 3. Perfil da amostra Objetivo 3 A pesquisa tem como objetivo medir a penetração e conhecer o perfil de praticantes de

Leia mais

Data de elaboração 31/03/2013 CEPI-DSS/ ENSP/FIOCRUZ

Data de elaboração 31/03/2013 CEPI-DSS/ ENSP/FIOCRUZ Ind020208RM Taxa de mortalidade específica por diabete melito na população de 15 anos e mais, por ano, segundo região metropolitana e escolaridade Indicador Taxa de mortalidade específica por diabete melito

Leia mais

Caracterização dos Territórios de Identidade Território 11 - Oeste Baiano

Caracterização dos Territórios de Identidade Território 11 - Oeste Baiano Caracterização dos Territórios de Identidade Território 11 - Oeste Baiano Municípios Dados Gerais Quantidade de Área Total (km 2 População Total Densidade ) municípios Demográfica 14 75.387,76 398.166

Leia mais

Características. Em 2014, foram visitados 151 mil domicílios e entrevistadas 363 mil pessoas. Abrangência nacional

Características. Em 2014, foram visitados 151 mil domicílios e entrevistadas 363 mil pessoas. Abrangência nacional Rio de Janeiro, 13/11/2015 Abrangência nacional Características Temas investigados no questionário básico Características gerais dos moradores Educação Migração Trabalho e rendimento Trabalho infantil

Leia mais

Perfil Demográfico da População Idosa do COREDE do Vale do Rio Pardo Anos de 2000 e 2010

Perfil Demográfico da População Idosa do COREDE do Vale do Rio Pardo Anos de 2000 e 2010 Perfil Demográfico da População Idosa do COREDE do Vale do Rio Pardo Anos de 2000 e 2010 Para realizar uma análise dos censos demográficos dos anos de 2000 e 2010, é importante salientar que, de acordo

Leia mais

Os impactos das mudanças demográficas na Seguridade Social

Os impactos das mudanças demográficas na Seguridade Social Os impactos das mudanças demográficas na Seguridade Social Frederico Melo, economista, doutor em Demografia e técnico do Dieese Brasília - 31 de maio de 2016 Para a Seguridade Social, Demografia = envelhecimento?

Leia mais

GEOGRAFIA DA POPULAÇÃO - I -

GEOGRAFIA DA POPULAÇÃO - I - GEOGRAFIA DA POPULAÇÃO - I - DEMOGRAFIA POPULAÇÃO - conjunto de pessoas que habitam uma determinada área, classificada de vários aspectos: religião, etnia, local de moradia, atividades econômicas, faixa

Leia mais

Populações. Prof. Dr. Francisco Soares Santos Filho

Populações. Prof. Dr. Francisco Soares Santos Filho Populações Prof. Dr. Francisco Soares Santos Filho Conceitos fundamentais Espécie População Indivíduo Por que os estudos de populações são importantes? Permitem descrever a estrutura espacial e o comportamento

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO E PLANEJAMENTO REGIONAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO E PLANEJAMENTO REGIONAL CEDEPLAR UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO E PLANEJAMENTO REGIONAL ESTIMATIVAS DECENAIS E QÜINQÜENAIS DE SALDOS MIGRATÓRIOS E TAXAS LÍQUIDAS DE MIGRAÇÃO DO BRASIL, POR SITUAÇÃO

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL - SUPROF

SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL - SUPROF SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL - SUPROF T.I. Território DIREC Município Escola Endereço Contatos 1 IRECÊ 21 Irecê Centro Territorial de Educação Profissional de Irecê ESTRADA VELHA DA FAZENDA

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE EMPREGO

PESQUISA MENSAL DE EMPREGO PESQUISA MENSAL DE EMPREGO ESTIMATIVAS PARA O MÊS DE J ANE I R O DE 2004 REGIÕES METROPOLITANAS DE: RECIFE, SALVADOR, BELO HORIZONTE, RIO DE JANEIRO, SÃO PAULO e PORTO ALEGRE I) INTRODUÇÃO Para o primeiro

Leia mais

Mairi 1ª Centro-Norte Baiano Itaberaba

Mairi 1ª Centro-Norte Baiano Itaberaba SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA REGIÃO CIRCUNSCRIÇÕES 1ª Centro-Norte Baiano Feira de Santana Amélia Rodrigues 1ª Centro-Norte Baiano Feira de Santana Conceição de Feira 1ª Centro-Norte Baiano Feira de Santana Conceição

Leia mais

Segundo o Censo 2010 aponta que aproximadamente 85% é urbano;

Segundo o Censo 2010 aponta que aproximadamente 85% é urbano; A URBANIZAÇÃO BRASILEIRA 1 Início de nossa urbanização Segundo o Censo 2010 aponta que aproximadamente 85% é urbano; Nossa economia estava voltada para a exportação; As primeiras ocupações urbanas se deram

Leia mais

Conceitos Básicos e Medidas em Demografia

Conceitos Básicos e Medidas em Demografia Martin Handford, Where s Wally? CST 310: População, Espaço e Ambiente Abordagens Espaciais em Estudos de População: Métodos Analíticos e Técnicas de Representação Conceitos Básicos e Medidas em Demografia

Leia mais

Políticas de Proteção à Pessoa Idosa

Políticas de Proteção à Pessoa Idosa Políticas de Proteção à Pessoa Idosa Maria Alice Nelli Machado Email.marialicemachado@ig.com.br O processo de envelhecimento traz conseqüências para os indivíduos, para as sociedades e para os Estados;

Leia mais

Taxa de variação da população residente ( ) (%) por Local de residência

Taxa de variação da população residente ( ) (%) por Local de residência Taxa de variação da população residente (1991-2001) (%) Taxa de variação da população residente (1991-2001) (%) por Local de residência [(População residente 2001 - População residente 1991)/ População

Leia mais

Ind010201RNE - Renda média domiciliar per capita, por ano, segundo Brasil, Região Nordeste, regiões metropolitanas do Nordeste e escolaridade

Ind010201RNE - Renda média domiciliar per capita, por ano, segundo Brasil, Região Nordeste, regiões metropolitanas do Nordeste e escolaridade Ind010201RNE Renda média domiciliar per capita, por ano, segundo Brasil, Região Nordeste, regiões metropolitanas do Nordeste e escolaridade Indicador Descrição Renda média domiciliar per capita Média das

Leia mais

O Regime Geral da Previdência Social (RGPS)

O Regime Geral da Previdência Social (RGPS) PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CONTABILIDADE E ECONOMIA SINDICATO DAS EMPRESAS DE SERVIÇOS CONTÁBEIS DO RS Convênio FACE/PUCRS e SESCON-RS Relatório 18 O Regime Geral

Leia mais

Medidas de Dispersão. Introdução Amplitude Variância Desvio Padrão Coeficiente de Variação

Medidas de Dispersão. Introdução Amplitude Variância Desvio Padrão Coeficiente de Variação Medidas de Dispersão Introdução Amplitude Variância Desvio Padrão Coeficiente de Variação Introdução Estudo de medidas que mostram a dispersão dos dados em torno da tendência central Analisaremos as seguintes

Leia mais